REDE PERT CPM

4.618 visualizações

Publicada em

As redes PERT/CPM abordam o projeto de um ponto de vista sistêmico, já que fornecem uma visão de totalidade devido à necessidade de se estabelecer interdependência entre todas as atividades. Além disso, ressaltam as entradas, o processo ou o desenvolvimento das ações de acordo com as relações de correspondência entre elas e as saídas – resultado final desejado.
Conduzem ainda à montagem de todo um esquema de feedback, através do estabelecimento de um sistema de comunicações, que abasteça e permita à administração – gerência do projeto – decidir, em função dos dados e informações que convergem de diversos setores, sobre o andamento do projeto. As redes PERT/CPM dão ênfase aos objetivos, visam à otimização política da performance, do prazo, do preço e do risco (indicadores presentes em qualquer projetos), são uma ferramenta interdisciplinar e de comunicação e estabelecem de forma clara as relações entre clientes e fornecedores.

Publicada em: Negócios

REDE PERT CPM

  1. 1. REDE PERT CPM ADMINISTRAÇÃO DE PROJETOS Nova Porteirinha - MG
  2. 2. ACADÊMICOS Caio Victor; Cássio Gonçalves; Euelder Lino; Kele Mendes. 2
  3. 3. INTRODUÇÃO 3 A rede PPEERRTT ee CCPPMM foram criadas na década de cinquenta e início de sessenta onde surgiu uma metodologia de gestão e controle de projetos.
  4. 4. REDE PERT 4 O PPEERRTT –– Program Evaluation and Review Technique, foi criado para um departamento de defesa Americano. Tem como intuito mostrar a interdependência de tarefas e atividades de projetos com longa duração de tempo. Permite o calculo de prazos limites para realização.
  5. 5. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PERT 5 EEVVEENNTTOO IINNIICCIIAALL EEVVEENNTTOO FFIINNAALL Identificação da Atividade Duração da Atividade Ilustração 1 - PERT, Representação Gráfica.
  6. 6. REDE CPM 6 CCPPMM – Critical Path Method, foi criado na mesma época do PERT pela empresa Dupont, para gerenciamento de plantas de casas. O CCPPMM é uma metodologia utilizada para a identificação do caminho crítico de um projeto, sendo uma das principais ferramentas para Gerenciamento de Projetos.
  7. 7. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO CPM 7 Ilustração 2 – CPM, Representação Gráfica.
  8. 8. OBJETIVOS DA REDE PERT CPM 8 Diminuir atrasos; Conhecer as atividades críticas; Mostrar datas para inicio e fim (Cada pessoa); Ferramenta de Planejamento e controle da organização;
  9. 9. CARACTERISTICAS DA REDE PERT CPM 9 O principal propósito é o de simplificar o planejamento de projetos grandes e complexos. VViissããoo ddaa ttoottaalliiddaaddee – Devido a necessidade de se estabelecer interdependência entre todas as atividades; RReessssaallttaamm aass eennttrraaddaass (Processo ou desenvolvimento) - Resultado final desejado.
  10. 10. TIPOS DE ATIVIDADES 10  Fantasma - são utilizadas quando não é possível representar os relacionamentos lógicos de forma completa ou correta com as setas de atividades do cronograma;
  11. 11. TIPOS DE ATIVIDADES 11  Dependente - Depende do cumprimento integral de outras atividades;
  12. 12. TIPOS DE ATIVIDADES 12  Independente - É aquela que pode ser iniciada independentemente da execução de atividades anteriores; Pedro Compra Pó de café Maria Prepara Café com Leite 1 3 5 20 25 Luisa Prepara Coalhada Fernanda Compra o leite 2 4 6 15 5
  13. 13. TIPOS DE ATIVIDADES 13  Condicionante - Quando impõe uma restrição ou uma data para a realização de outra atividade.
  14. 14. CALCULO DE DATAS DO PROJETO 14 Os eventos também podem ser classificados por suas datas (Inicio e Termino da atividades), vejamos: “Early Start” - ES ou Primeira Data de Início – PDI; “Late Start” - LS ou Ultima Data de Início – UDI; “Early Finish” ou Primeira Data de Término – PDT; “Late Finish” ou Ultima Data de Término – UDT;
  15. 15. REDE PERT CPM 15 Folga livre – FL - é a folga disponível a uma atividade tal que não prejudica as PDIs de suas sucessoras. Folga total – FT - é a folga disponível a uma atividade tal que não prejudica as UDIs de suas sucessoras.
  16. 16. REDE PERT CPM 16 Caminho Crítico – “é todo caminho de maior duração em um projeto, compondo-se, não necessariamente, de uma sequência de atividades críticas”. Atividade Crítica - São as atividades do caminho crítico, ou seja, são aquelas que compõem o caminho crítico.
  17. 17. REDE PERT CPM 17 Eventos Críticos – são os eventos integrantes de uma rede que apresenta a menor folga, ou folga zero, quando comparada com as folgas dos demais eventos da rede.
  18. 18. REDE PERT CPM 18 Existe dois métodos para construção da Rede PERT CPM: O Método Americano ou de setas; O Método Francês ou de Blocos.
  19. 19. MÉTODO AMERICANO 19 Conhecido também como “Activities on Arcs” – AOA - ele facilita o cálculo de folgas e tempos do evento. Cada seta representa uma ATIVIDADE. Cada “nós” representa um EVENTO.
  20. 20. MÉTODO AMERICANO 20 Exemplo: 1 3 2 4 5 A B D C E
  21. 21. MÉTODO FRANCÊS 21 Conhecido também como AON (Activities on Nodes), é denominado como o mais complexo, mas o que possue mais informações a cerca do projeto. PDI D PDT ATIVIDADE 1 UDI F UDT PDI D PDT ATIVIDADE 2 UDI F UDT PDI D PDT ATIVIDADE 3 UDI F UDT PDI D PDT ATIVIDADE 4 UDI F UDT PDI D PDT ATIVIDADE 5 UDI F UDT PDI D PDT ATIVIDADE 6 UDI F UDT
  22. 22. 22 MMuuiittoo OObbrriiggaaddoo!! BBooaa NNooiittee!!

×