SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 97
Baixar para ler offline
Palestra de abertura:
Sustentabilidade Empresarial
Coordenador: Professor Dr. Antônio Zanin
Chapecó, 22 a 24/06/2016
Palestrante:
Dr. Antônio Diomário de Queiroz
Diretor de Ciência,Tecnologia e Inovação
1. Educação, C&T&I para a sustentabilidade
econômica, ecológica, social e
empresarial
2. Contribuição da Contabilidade para a
Sustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade Empresarial
1. Educação, C&T&I para a sustentabilidade
econômica, ecológica, social e
empresarial
2. Contribuição da Contabilidade para a
Sustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade Planetária
“A espécie humana
existe há apenas uma
fração minúscula da
história de 15 bilhões
de anos do universo...
Para sobreviver, a raça
humana precisa
melhorar suas
qualidades mentais e
físicas para lidar com
o mundo cada vez
mais complexo à sua
volta e enfrentar novos
desafios como as
viagens espaciais” (...)
Sustentabilidade Planetária
Nosso futuro: jornada nas estrelas ?
Evolução da população mundial
“Em 2600, a
população mundial
ficará ombro a
ombro, e o
consumo de
eletricidade deixará
a terra
incandescente.(...)
Evidentemente, o
atual crescimento
exponencial não
pode durar para
sempre(...)
A vida biológica e
eletrônica continuarão
evoluindo em
complexidade a um
ritmo sempre crescente
“Contudo, sou um
otimista. Não acredito
que a raça humana
tenha chegado tão
longe simplesmente
para se extinguir justo
quando as coisas estão
se tornando
interessantes (...)
Estamos no início de
uma era, durante a
qual seremos capazes
de aumentar a
complexidade de nosso
registro interno, o DNA
humano, sem ter de
esperar pelo lento
processo da evolução
biológica.”
O Papa pontua os principais
riscos da nossa casa comum
a serem superados para um
mundo mais humanizado e
harmonioso.
É nestes aspectos
fundamentais que a
humanidade precisa tomar um
novo rumo sob pena de sua
própria extinção.
“A urgência socioambiental
aponta para uma problemática
comportamental do ser
humano, para uma deficiência
da educação para o cuidado
da Terra, pois segundo o Papa
Francisco “crescemos a
pensar que éramos seus
proprietários e dominadores,
autorizados a saqueá-la”
O cuidado da casa
de todos é tarefa
de todos
Sustentabilidade Econômica, Social e
Ambiental
Sustentabilidade: consciência da responsabilidade de manter em
equilíbrio a produção, distribuição e consumo de bens para o
atendimento das necessidades das pessoas e a preservação do
meio ambiente natural do planeta.
Sustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade empresarial:
valorizando o meio ambiente
e a sociedade
 “Sustentabilidade
empresarial é um
conjunto de ações que
uma empresa toma,
visando o respeito ao
meio ambiente e o
desenvolvimento
sustentável da
sociedade.”
Sustentabilidade Empresarial
http://www.significados.com.br/sustentabilidade/
Nas empresas, o conceito de
sustentabilidade está ligado
diretamente com
responsabilidade social,
tornou-se inclusive uma
vantagem competitiva.
A sustentabilidade nas
empresas está também ligada
à sustentabilidade
econômica, que é alcançada
através de um modelo de
gestão sustentável, ou seja,
um modo que incentiva
processos que permitam a
recuperação do capital
financeiro, humano e natural
da empresa.
Desenvolvimento Sustentável
“Desenvolvimento
capaz de suprir as
necessidades da
geração atual, sem
comprometer a
capacidade de atender
as necessidades das
futuras gerações.
É o desenvolvimento
que não esgota os
recursos para o futuro.”
Definição da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e
Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas nos anos 70, para
discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento
econômico e a conservação ambiental.
“Desenvolvimento
é o processo de
transição de
determinada
estrutura
econômica e
social a outras
estruturas que
possibilitem um
nível mais elevado
das forças
produtivas.”
Queiroz, Diomário.1971.
Une approche structurale du sous
développement et du développement. Paris.
Os sistemas vivos seguem processos
naturais: crescer, reproduzir, regenerar,
reciclar, valorizar.
Os sistemas de colonização
e de industrialização do
Brasil obedecem o fluxo
linear de extrair, explorar,
vender, consumir, descartar.
Desenvolvimento: processo de mudança
da atitude de exploração à valorização!
EXPLORAÇÃO CONCENTRAÇÃO
DE RENDA
MISÉRIA
VALORIZAÇÃO MULTIPLICAÇÃO
DA RIQUEZA
MELHORIA DE
VIDA
PARA TODOS
Desenvolvimento Social Sustentável
O Desenvolvimento
Social pressupõe o
desenvolvimento
econômico
sustentável, com
distribuição justa de
renda e inclusão
social, para o
conjunto da
população
Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação
Desenvolvimento
científico e
tecnológico
Desenvolvimento
Social Sustentável
O novo paradigma do desenvolvimento
A economia sustentada pelo conhecimento
DESENVOLVIMENTO
ECONÔMICO
Trabalho Capital
Produtividade
Pessoas Uso das TIC Inovacão e Ciência Impulso Emprendedor
• Nível de formação
• Formação em C&T
• Formação em
Gestão
•Inovação
•Investimento
• Uso
• Base de Ciência
• Difusão
• Ciência-Indústria
• Cultura “inovacão”
• Empresa Internacional
• Criatividade
• Capital de Risco
• Facilidade de Negociação
• Emp. forte crescimento
Entorno Favorável
Adaptado de Angel Landabaso
Conselheiro C & T
Delegação da Comissão Européia no Brasil
Conhecimento
é fator de produção
determinante da
formação do valor
para o
desenvolvimento
regional na sociedade
contemporânea
ADQ: Resposta ao Jornal da Andes, 1994
“A Universidade tem a responsabilidade social de alimentar
continuamente com novos conhecimentos o processo de
desenvolvimento econômico e social de um país.”
Responsabilidade Social da Universidade
Resultados da Pesquisa
Publicações
novos
conhecimentos Protótipos
Sistemas inovadores
Modelos
Artigos Dissertações
CD-rom
Livros Teses
Ciência
Resolvem
Problemas
Científicos
Geram
Inovações
Método
Tecnologia
Ideias Criativas
Tecnologia
Processo contínuo por
meio do qual a
humanidade molda,
modifica e gera a sua
qualidade de vida.
Bueno, Natalia de Lima
CEFET-PR. 1999
A inovação é a
convergência da
história de
diversas
pessoas para
encontrar
uma solução
de futuro.
2003. Queiroz, Diomário
“É imperativo reconhecer que a inovação é
elemento essencial para consolidar a
funcionalidade do trinômio ”
A educação, assim concebida, assegura a
sustentabilidade econômica, social e ambiental do
desenvolvimento do país .
Brasil. Ministério da Ciência e Tecnologia.LIVRO
BRANCO : CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO;Brasília
: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2002.
Calendula officinalis
Inovação
Tecnologia
Ciência
Educação
Desenvolvimento Sustentável e
Melhoria da Qualidade de Vida
Ensino
ExtensãoPesquisa
E
d
u
c
a
ç
ã
o
Principais atores institucionais
EmpresasUniversidades
Institutos Tecnológicos
Centros de P&D
$
$ $
Inovação
P&D
produtos novos,
patentes
Formação de RH
Pesquisa básica
e aplicada
publicações
conhecimento
Política
Financiamento
Pesquisa & Serviço
Governo
Política de Estado
Plano de Ação 2007-2010
Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento
Nacional
PCCT&I
“É a síntese do passado
de trabalho
competente de muitas
pessoas e instituições,
e, ao mesmo tempo, o
desafio estratégico
que une governo,
academia e agentes
econômicos e sociais,
visando à qualidade
de vida dos habitantes
e ao desenvolvimento
de Santa Catarina,
com sustentabilidade
ambiental e equilíbrio
regional.”
Desenvolvimento Regional Sustentável com Base
em Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação
P
C
C
T
&
I
CONHECIMENTO
Princípios
Eixos
Estratégicos
Linhas de Ação
Prioridades
Objetivo
Desenvolvimento
Sustentável e
Qualidade de
Vida da
População,
com Equilíbrio
Regional
6: As três dimensões básicas do desenvolvimento
sustentável: melhoria das condições econômicas,
ambientais e sociais para todos - equidade
intrageracional - sem desconsiderar as possibilidades
para as próximas gerações - equidade intergeracional.
Pressuposto da sustentabilidade
Isaac Newton
(1642 - 1727 )
Eixos estratégicos
I. EXPANSÃO E CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA
CATARINENSE DE CT&I
1.1 Consolidação do Sistema Catarinense de CT&I
1.2 Formação de Recursos Humanos para CT&I
1.3 Infraestrutura para a Pesquisa Científica e
Tecnológica
Santos Dumont
1873-1932
II. PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA
2.1. Pesquisa Científica e Tecnológica
2.2. Pesquisas em Ciências Agrárias e Meio
Ambiente
Eixos estratégicos
Burle Max
(1909 - 1994)
III. INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
3.1 Apoio ao avanço tecnológico e às inovações nas
empresas e outras organizações públicas e privadas
3.2 Incentivo à Criação e Consolidação de
Empresas Intensivas em Tecnologia
Ozires Silva
(1931)
Eixos estratégicos
IV. DESENVOLVIMENTO SOCIAL E REGIONAL
SUSTENTÁVEL4.1 Promoção da inclusão digital
4.2 Fomento à disseminação da C&T&I
com enfoque em desenvolvimento local e APLs
4.3 Apoio à P&D aplicado à saúde e à segurança alimentar e
nutricional
4.4 Pesquisa, desenvolvimento agropecuário
e agroindustrial para inserção social
4.5 Fomento a pesquisas para melhoria
da habitação e do saneamento básico
.....................................................................................................
..........
Eixos estratégicos
Celso Furtado
(1920 – 2004)
Organização sistêmica empresarial
SOFTVILLE
ABRADI
ACATE
ASSESPRO-SC
SUCESU-SC
BLUSOFT
CÂMARA e-NET
CDI-SC
CETIC
FECOAGRO
FIESC
FUNDAÇÃO CERTI
OCESC
SEBRAE/SC
SIESC
SEINFLO
SEPIJ
SEPROSC
Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia
Verticais
Acate – Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia
Projetos 2010 – Jamile Sabatini Marques
9 verticais
estabelecidas
Mais de 70 empresas
participantes
Conquista de novas
adesões
Comunicação entre
verticais
Acompanhamento nas
reuniões
Organização e controle
das empresas
participantes
Equipe:
Gabriel
Kamila
Conceito
SINAPSE
PROTÓTIPO
PN
• Projetos
C&T
• Teses
• Disserta
ções
• TCC
MCTI
CAPES
CNPQ
FINEP
FAPs
EMPRESA
CONSOLIDADA
SUBVENÇÃOPRIME
EMPRESA
NASCENTE
SEBRAETEC
MPEs
“ TRANSFORMAR CONHECIMENTO E IDEIAS CRIATIVAS
EM EMPREENDIMENTOS DE SUCESSO ”
Parques Tecnológicos e Incubadoras em SC
IESJ - São José
SC-Entretenimento
Florianópolis
ACITA - Itapema
2007: 35 incubadoras/pré-incubadoras
ITFETEP
São Bento do Sul
UNC CETEC
Curitibanos
G-TEC
Rio do Sul
JARAGUATEC
Pré Incubadora da Unerj
2004: 30 incubadoras/pré-incubadoras
CITEB
Biguaçu
Inc. UnivaliInc. Unifebe
ACIT/INCEVALE
Tijucas
Base Tecnológica Unisul
Software
Pré-Incubadora de São
Miguel Agronegócios
NECTAR
Informática, Biotecnologia
e Alimentos
TECNOVALE -
do Rio do Peixe
IAC – Agroindustrial
de Concórdia
Incubadora Virtual de
Empresas da Uniplac
MIDI Lages
Agronegócios - Fapeu
Software - Senai/CTAI
Eng. Biomédica
CONTESTEC - Planalto Norte
Carvão
Incubadora de Itá
INTECH Chapecó
GENE Blumenau
SOFTVILLE
BLUSOFT
MIDIVILLE
MIDISUL
MIDIOESTE
CELTA
GENESS/FEESC
MIDI Tecnológico/SEBRAE
2002: 10 incubadoras
2010: + 13 aprovadas CP 12/2009
INOVASUL
Incubadora
Ibirama
Incubadora
Luzerna
Incubadora
Caçador
2009: 44 incubadoras/pré-incubadoras
P
C
I
2015
SC: trajetória estratégica da Inovação
Incubadora
1986
Projeto Sapiens
2001
Parqtec Alfa
1993
CELTA
19951991
Tecnópolis
1984
CERTI
2008
Sapiens Parque
2006
Marco Zero
Sapiens
1960
Um espaço único ...
O que é o Sapiens Parque ...
Parque de Inovação e Sustentabilidade
Um ambiente dotado de infraestrutura e sistemas para
atrair/formar talentos e empreendimentos capazes de
gerar ideias e conhecimentos e transformá-los em
novos produtos e serviços para a sociedade,
promovendo o desenvolvimento sustentável
sócio-econômico-ambiental da região
InovaLab: Centro de Inovação
Softplan
Centro de Serviços
Projetos Inovação SENAI
Instituto Senai de Inovação na
área de Sistemas Embarcados
Escola do Futuro
Centro Empresarial - ACATE
INPetro:
Instituto de Petróleo, Gás e Energia
CIEnP: CI e Ensaios Pré-Clínicos
Centro Integrado Multiusuário:
CIM SOLAR
Complexo Multiuso de Cultura e
Eventos
Eventos, Cultura, Esportes, Lazer e Meio Ambiente
Arena Sapiens
1. Educação, C&T&I para a sustentabilidade
econômica, ecológica, social e empresarial
2. Contribuição da Contabilidade para a
Sustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade Empresarial
Na história da humanidade o surgimento da
contabilidade precedeu o surgimento da moeda.
Materiais utilizados por civilizações pré-históricas do Oriente
Próximo caracterizam um sistema contábil utilizado entre 8000 e
3000 a.C., constituído de pequenas fichas de barro, para o controle
do produto da agricultura e da criação de animais.
SCHMIDT, Paulo, 2000.
A contabilidade se caracteriza
essencialmente, por ser a ciência do
controle.
Contabilidade é o sistema de informação que
controla o patrimônio de uma entidade.
PADOVESE, Clóvis L., 1989.
Uma boa contabilidade, simples e clara,
que dê idéia exata das condições da
empresa, é poderoso meio de direção.
FAYOL, Henri
A Contabilidade constitui o órgão de visão
das empresas.
…é assegurar o controle do
patrimônio administrado,
através do fornecimento de
informações e orientação –
necessárias à tomada de
decisões – sobre a
composição e as variações
patrimoniais, bem como sobre
o resultado das atividades
econômicas desenvolvidas
pela entidade para alcançar
seus fins, que podem ser
lucrativos ou meramente ideais
(sociais, culturais, esportivos,
beneficentes ou outros). FRANCO, Hilário. 1996.
“A CONTABILIDADE GERENCIAL é
responsável pela informação útil à
Administração.”
ANTHONY, Robert N., 1974
Auditor/Fisco
Gestor
Performance
Tempo
TRADICIONAL PERFORMANCE
Controller
ATIVIDADES
DE APOIO
ATIVIDADES
PRIMÁRIAS
INSUMOS:
Fatores de
Produção
(RN, MO, K)
PRODUTOS:
Bens e
Serviços
Vendáveis
A Organização da Empresa
compreende as atividades da
cadeia de valores
Os produtos são resultado das
atividades da cadeia de valores
ATIVIDADES
DE APOIO
ATIVIDADES
PRIMÁRIAS
INSUMOS:
Fatores de
Produção
(RN, MO, K)
PRODUTOS:
Bens e
Serviços
Vendáveis
A Contabilidade de Gestão
objetiva modelar as atividades da
empresa
A Contabilidade Financeira
focaliza os insumos e os produtos
Hugues Boisvert
É uma Contabilidade por Recursos
É uma Contabilidade por Atividades
Contabilidade Financeira
Contabilidade de Gestão
Alocação de todos os recursos
utilizados entre os produtos
Compreensão da dinâmica dos processos
Dados
Procedimentos
Atividades
Planejamento
Programação
FEEDBACK
Controle
Processos
Fluxo de Transformação
e Agregação de Valor
SAÍDASENTRADAS
Fluxo de Informação
Contabilidade de Gestão
Documentos contábeis
Livros auxiliares
Diário Geral
Razão
Balanço
Patrimonial
Resultado do
Exercício
Plano de contas
Relatórios de gestão
BP - DRE - DOAR - FCxa
Tecnologia da
informação
Lançamentos
descentralizados e
instantâneos
Gestão empresarial ... Sig - Sad
Achei !
concorrentes
desempenho
rentabilidade
mercado
~INFORMAÇÃO
SIG
O fato de colocarem estações de trabalho, redes
e recursos multimídia à disposição dos gestores
não aumenta automaticamente o uso inteligente
da informação em uma organização.
Uma importante contribuição que as novas
tecnologias da informação e da comunicação
proporcionaram à contabilidade de gestão foi
melhorar sua acurácia na medição do valor
agregado ao longo de todo processo produtivo.
ACURÁCIA
A contabilidade por atividades facilita a reflexão
sobre a direção futura dos negócios e a
sustentabilidade empresarial.
É uma contabilidade analítica dos processos
produtivos, de serviços e de negócios.
Ao mensurar o valor na sua forma monetária, a
CPA, além de proceder ao custeio por atividades
direcionado a diversos objetos de custo,
proporciona a análise dos fluxos de receita e de
capital de longo prazo relacionados a diversos
centros de responsabilidades e unidades de
negócios.
Constitui um sistema de informações físicas e
financeiras para orientar a gestão estratégica das
organizações a respeito do processo de agregação
de valor ao longo de toda a cadeia produtiva
assegurando sua sustentabilidade.
A CPA amplia o campo da contabilidade de gestão
além dos limites da função financeira,
responsabilizando-se pelo registro, mensuração e
controle da riqueza patrimonial em todas as suas
naturezas e dimensões.
O controle estratégico é orientado à
sustentabilidade e à melhoria contínua da posição
competitiva da empresa.
Primeiro e mais importante, ele integra informações
gerenciais de todas as fontes da organização para
entender o impacto dos fatores chaves de sucesso.
Contabilidade e Gestão dos Processos
BRIMSON, James, 2000
...para suprir a gestão com uma ferramenta que
prediz problemas permitindo antecipar ações
preventivas e a sustentabilidade empresarial.
Controle Estratégico de Gestão
BRIMSON, James, 2000
Qualidade
Competitividade
Atrair e Reter
Clientes
Lucrativos A inovação
tornou-se
fundamental para
a definição do
posicionamento
competitivo da
empresa
"A inovação é o
instrumento específico
dos empreendedores, o
processo pelo qual eles
exploram a mudança
como uma oportunidade
para um negócio
diferente ou um serviço
diferente".
Drucker (1987)
Inovação
de
Negócio
Inovação
de
Gestão
Inovação
de
Processo
Inovação
de
Produto
Empresa
INOVADORA
faz:
Padrões desejados
Gestão
Análise Ambiental
Gestão
Política e Diretrizes
Linhas de Ação Mensuração e
Informação
Controle
de
Gestão
Estratégia
Ação
Ambiente Interno
Ambiente Externo
Gestão Estratégica
•Flexibilidade
•Ênfase na
informação
•Conhecimento
como recurso
crítico
•Integração de
processos,
pessoas e
recursos
Integrar estratégia
e organização
Maior
complexibilidade
Planejamento
Estratégico
•Pensamento
estratégico
•Análise da
mudanças no
ambiente
•Análise das forças
e fraquezas da
organização
Definir a estratégia
Dissociação:
planejamento e
implementação
Planejamento
a Longo Prazo
•Projeção de
tendências
•Análise de
lacunas
Projetar o futuro
Sem previsão
de mudanças
Planejamento
Financeiro
• Orçamento
Cumprimento
do orçamento
Orientada pela
disponibilidade
financeira
ÊNFASE
PROBLEMA
ABRANGÊNCIA
Anos 50 e 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90
EVOLUÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA
TAVARES, Mauro C.
Processo Estratégico Emergente - Simons, pg. 99
ESTRATÉGIAS
APRENDIZAGEM
TÁTICAS
AÇÕES
NÍVEL DE
GESTÃO
OPERACIONAL ESTRATÉGICO
A POSTERIORI
MOMENTO
A PRIORI
(PROATIVO)
A
ZONA A: Prática de Ontem
Fonte: Hugues Boisvert
D
ZONA D: Prática de Amanhã
C
ZONA C: Teoria de Hoje
B
ZONA B: Prática de Hoje
Gestão
Estratégica
Metas
Gestão por
Processos
Atividades
Visão e Valores
Objetivos Estratégicos
Necessidades de informações
Arquitetura da Informação
MelhoriaContínua
MelhoriaContínua
Estratégia
Diomário Queiroz
Gestão da
Performance
Indicadores de
Gestão - FCS
Flexibilidade Flexibilidade
Sistemas de Crenças e Valores
Sistemas de Limites
Sistema
Diagnóstico
Estratégias
Intencionais
Estratégias
Realizadas
Espaço de Oportunidades
Sistema
Interativo
Estratégias Emergentes
Processo Estratégico Emergente - Simons
Valores
Centrais
Riscos a
serem evitados
Variáveis de
desempenho
críticas
Incertezas
Estratégicas
Estratégia de
Negócio
Sistemas de
Crenças
Sistemas de
Controle Interativo
Sistemas
de Limites
Sistemas de
Controle de
Diagnóstico
SCEG
Processo Estratégico Emergente - Simons
Roberto Dias Duarte
http://pt.slideshare.net/robe
rtodiasduarte/
Ecossistema Empresarial
O desafio para o Contador é a identificação e
apuração da riqueza que flui nas dimensões
tempo e espaço e se mensura por novas
tecnologias da informação, viabilizando, com
sucesso, o controle estratégico de gestão e a
sustentabilidade empresarial.
Diomário Queiroz
Obrigado!
Diomário Queiroz
diomárioq@terra.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 06 custos de produção
Aula 06   custos de produçãoAula 06   custos de produção
Aula 06 custos de produçãopetecoslides
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégiaalemartins10
 
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeMilton Henrique do Couto Neto
 
Administração da produção
Administração da produçãoAdministração da produção
Administração da produçãomilton junior
 
Introdução a administração
Introdução a administraçãoIntrodução a administração
Introdução a administraçãoDavi Amaral
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicasCorreios
 
Exemplo Negócios Sustentáveis - Prof. Luis Lobão
Exemplo Negócios Sustentáveis - Prof.  Luis LobãoExemplo Negócios Sustentáveis - Prof.  Luis Lobão
Exemplo Negócios Sustentáveis - Prof. Luis LobãoLuis Lobão
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPMauro Enrique
 

Mais procurados (20)

Aula 06 custos de produção
Aula 06   custos de produçãoAula 06   custos de produção
Aula 06 custos de produção
 
Gestão da produção aula 01
Gestão da produção   aula 01Gestão da produção   aula 01
Gestão da produção aula 01
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégia
 
Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1
 
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
 
Administração da produção
Administração da produçãoAdministração da produção
Administração da produção
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Introdução à Economia
Introdução à EconomiaIntrodução à Economia
Introdução à Economia
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
gestão ambiental
gestão ambientalgestão ambiental
gestão ambiental
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
Introdução a administração
Introdução a administraçãoIntrodução a administração
Introdução a administração
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Exemplo Negócios Sustentáveis - Prof. Luis Lobão
Exemplo Negócios Sustentáveis - Prof.  Luis LobãoExemplo Negócios Sustentáveis - Prof.  Luis Lobão
Exemplo Negócios Sustentáveis - Prof. Luis Lobão
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
 
Ferramentas de Gestão
Ferramentas de GestãoFerramentas de Gestão
Ferramentas de Gestão
 

Destaque

De qué trata la Sostenibilidad Empresarial ?
De qué  trata la Sostenibilidad Empresarial ?De qué  trata la Sostenibilidad Empresarial ?
De qué trata la Sostenibilidad Empresarial ?SALONVIRTUAL
 
Empresas sustentables
Empresas sustentablesEmpresas sustentables
Empresas sustentablesZEIDELACRUZ
 
Sustentabilidade empresarial
Sustentabilidade empresarialSustentabilidade empresarial
Sustentabilidade empresarialVerbo Educacional
 
Automação de Escritório
Automação de EscritórioAutomação de Escritório
Automação de EscritórioPricila Yessayan
 
Implicaciones de la globalización
Implicaciones de la globalizaciónImplicaciones de la globalización
Implicaciones de la globalizaciónrubirubi123
 
Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias
Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias
Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias sinai gutierrez
 
Sustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMES
Sustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMESSustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMES
Sustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMESGabriel Monasterio, MBA
 

Destaque (8)

De qué trata la Sostenibilidad Empresarial ?
De qué  trata la Sostenibilidad Empresarial ?De qué  trata la Sostenibilidad Empresarial ?
De qué trata la Sostenibilidad Empresarial ?
 
Empresas sustentables
Empresas sustentablesEmpresas sustentables
Empresas sustentables
 
Sustentabilidade empresarial
Sustentabilidade empresarialSustentabilidade empresarial
Sustentabilidade empresarial
 
Automação de Escritório
Automação de EscritórioAutomação de Escritório
Automação de Escritório
 
Sustentabilidade empresarial
Sustentabilidade empresarialSustentabilidade empresarial
Sustentabilidade empresarial
 
Implicaciones de la globalización
Implicaciones de la globalizaciónImplicaciones de la globalización
Implicaciones de la globalización
 
Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias
Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias
Neoliberalismo inicio, causas y consecuencias
 
Sustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMES
Sustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMESSustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMES
Sustentabilidad empresarial: tendencia de las PYMES
 

Semelhante a Sustentabilidade Empresarial: Palestra de abertura

Enit oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense final
Enit   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense finalEnit   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense final
Enit oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense finalAntônio Diomário de Queiroz
 
Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...
Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...
Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...Antônio Diomário de Queiroz
 
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...Antônio Diomário de Queiroz
 
Oportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinense
Oportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinenseOportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinense
Oportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinenseAntônio Diomário de Queiroz
 
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.Antônio Diomário de Queiroz
 
O papel da universidade federal no desenvolvimento do país andifes
O papel da universidade federal no desenvolvimento do país   andifesO papel da universidade federal no desenvolvimento do país   andifes
O papel da universidade federal no desenvolvimento do país andifesAntônio Diomário de Queiroz
 
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...Antônio Diomário de Queiroz
 
SUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.ppt
SUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.pptSUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.ppt
SUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.pptRafael Parish
 
Ufmt oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense
Ufmt   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinenseUfmt   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense
Ufmt oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinenseAntônio Diomário de Queiroz
 
A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...
A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...
A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...Antônio Diomário de Queiroz
 
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.pptSUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.pptisabellevims
 
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.pptSUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.pptandreferreira289855
 
Aula 2 - Educação Ambiental.pptx
Aula 2 - Educação Ambiental.pptxAula 2 - Educação Ambiental.pptx
Aula 2 - Educação Ambiental.pptxadelmapereiraazevedo
 
geografiaderondoniajg.blogspot.com
geografiaderondoniajg.blogspot.comgeografiaderondoniajg.blogspot.com
geografiaderondoniajg.blogspot.comprofsimone2010
 
Desenvolvimento sustentável e a indústria têxtil
Desenvolvimento sustentável e a indústria têxtilDesenvolvimento sustentável e a indústria têxtil
Desenvolvimento sustentável e a indústria têxtiltcredu
 

Semelhante a Sustentabilidade Empresarial: Palestra de abertura (20)

Enit oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense final
Enit   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense finalEnit   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense final
Enit oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense final
 
Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...
Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...
Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento de Santa Ca...
 
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
 
Oportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinense
Oportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinenseOportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinense
Oportunidades e desafios do empreendedorismo no cenário catarinense
 
Uma visão estratégica da gestão universitária
Uma visão estratégica da gestão universitáriaUma visão estratégica da gestão universitária
Uma visão estratégica da gestão universitária
 
Ciencia e tecnologia para o desenvolvimento social
Ciencia e tecnologia para o desenvolvimento socialCiencia e tecnologia para o desenvolvimento social
Ciencia e tecnologia para o desenvolvimento social
 
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
 
O papel da universidade federal no desenvolvimento do país andifes
O papel da universidade federal no desenvolvimento do país   andifesO papel da universidade federal no desenvolvimento do país   andifes
O papel da universidade federal no desenvolvimento do país andifes
 
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
 
SUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.ppt
SUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.pptSUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.ppt
SUSTENTABILIDADE e PLANEJAMENTO EMPRESARIAL.ppt
 
Ufmt oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense
Ufmt   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinenseUfmt   oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense
Ufmt oportunidades e desafios do empreendedorismo catarinense
 
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINAORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
 
A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...
A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...
A importância da Engenharia de Processos para o Desenvolvimento Sustentável n...
 
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.pptSUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-01.ppt
 
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.pptSUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.ppt
SUSTENTABILIDADE-EMPRESARIAL-..............01.ppt
 
Aula 2 - Educação Ambiental.pptx
Aula 2 - Educação Ambiental.pptxAula 2 - Educação Ambiental.pptx
Aula 2 - Educação Ambiental.pptx
 
Workshop ODS_Short version.pptx
Workshop ODS_Short version.pptxWorkshop ODS_Short version.pptx
Workshop ODS_Short version.pptx
 
Papel das Universidades nos Parques Tecnológicos
 Papel das Universidades nos Parques Tecnológicos Papel das Universidades nos Parques Tecnológicos
Papel das Universidades nos Parques Tecnológicos
 
geografiaderondoniajg.blogspot.com
geografiaderondoniajg.blogspot.comgeografiaderondoniajg.blogspot.com
geografiaderondoniajg.blogspot.com
 
Desenvolvimento sustentável e a indústria têxtil
Desenvolvimento sustentável e a indústria têxtilDesenvolvimento sustentável e a indústria têxtil
Desenvolvimento sustentável e a indústria têxtil
 

Mais de Antônio Diomário de Queiroz

CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO	 CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Antônio Diomário de Queiroz
 
Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...
Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...
Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...Antônio Diomário de Queiroz
 
Espiritualidade e valores cristãos para a saúde nonoai2015
Espiritualidade e  valores cristãos para a saúde nonoai2015Espiritualidade e  valores cristãos para a saúde nonoai2015
Espiritualidade e valores cristãos para a saúde nonoai2015Antônio Diomário de Queiroz
 
Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...
Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...
Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...Antônio Diomário de Queiroz
 
Integração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmica
Integração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmicaIntegração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmica
Integração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmicaAntônio Diomário de Queiroz
 
Emergência dos parques tecnológicos em Santa Catarina
Emergência dos parques tecnológicos em Santa CatarinaEmergência dos parques tecnológicos em Santa Catarina
Emergência dos parques tecnológicos em Santa CatarinaAntônio Diomário de Queiroz
 
Visão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e Inovação
Visão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e InovaçãoVisão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e Inovação
Visão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e InovaçãoAntônio Diomário de Queiroz
 
Associados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do Brasil
Associados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do BrasilAssociados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do Brasil
Associados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do BrasilAntônio Diomário de Queiroz
 
Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...
Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...
Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...Antônio Diomário de Queiroz
 
O professor e a construção do saber para a cidadania
O professor e a construção do saber para a cidadania O professor e a construção do saber para a cidadania
O professor e a construção do saber para a cidadania Antônio Diomário de Queiroz
 
Educação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regional
Educação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regionalEducação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regional
Educação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regionalAntônio Diomário de Queiroz
 
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e InovaçãoCostituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e InovaçãoAntônio Diomário de Queiroz
 

Mais de Antônio Diomário de Queiroz (18)

CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO	 CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
CONSTITUIÇÃO DE 1988 E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
 
Espiritualidade e valores cristãos para a saúde
Espiritualidade e valores cristãos para a saúdeEspiritualidade e valores cristãos para a saúde
Espiritualidade e valores cristãos para a saúde
 
Os escoteiros construindo um mundo melhor!
Os escoteiros construindo um mundo melhor!Os escoteiros construindo um mundo melhor!
Os escoteiros construindo um mundo melhor!
 
Testemunho e vivências de maio 1968 em Paris
Testemunho e vivências de maio 1968 em  ParisTestemunho e vivências de maio 1968 em  Paris
Testemunho e vivências de maio 1968 em Paris
 
Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...
Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...
Brésil: Action des Associés à la Congrégation de Notre-Dame - Chanoinesses de...
 
Paz e conciliação na missão de vida cristã.
Paz e conciliação na missão de vida cristã.Paz e conciliação na missão de vida cristã.
Paz e conciliação na missão de vida cristã.
 
Espiritualidade e valores cristãos para a saúde nonoai2015
Espiritualidade e  valores cristãos para a saúde nonoai2015Espiritualidade e  valores cristãos para a saúde nonoai2015
Espiritualidade e valores cristãos para a saúde nonoai2015
 
Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...
Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...
Contribuições da educaçao, ciencia e tecnologia para os municipios de pequeno...
 
Integração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmica
Integração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmicaIntegração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmica
Integração entre o mundo do trabalho e a pesquisa acadêmica
 
Emergência dos parques tecnológicos em Santa Catarina
Emergência dos parques tecnológicos em Santa CatarinaEmergência dos parques tecnológicos em Santa Catarina
Emergência dos parques tecnológicos em Santa Catarina
 
Visão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e Inovação
Visão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e InovaçãoVisão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e Inovação
Visão Geral do Sistema Catarinense de Ciência, Tecnologia e Inovação
 
Associados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do Brasil
Associados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do BrasilAssociados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do Brasil
Associados da Congregação de Nossa Senhora no Sul do Brasil
 
Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...
Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...
Interacionismo Social e Novas Tecnologias da Comunicação no Processo Educativ...
 
O professor e a construção do saber para a cidadania
O professor e a construção do saber para a cidadania O professor e a construção do saber para a cidadania
O professor e a construção do saber para a cidadania
 
Empreendedorismo em Química
Empreendedorismo em QuímicaEmpreendedorismo em Química
Empreendedorismo em Química
 
Gestão estratégica da inovação
Gestão estratégica da inovaçãoGestão estratégica da inovação
Gestão estratégica da inovação
 
Educação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regional
Educação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regionalEducação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regional
Educação profissional e tecnológica para o desenvolvimento regional
 
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e InovaçãoCostituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
 

Último

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 

Último (20)

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 

Sustentabilidade Empresarial: Palestra de abertura

  • 1. Palestra de abertura: Sustentabilidade Empresarial Coordenador: Professor Dr. Antônio Zanin Chapecó, 22 a 24/06/2016 Palestrante: Dr. Antônio Diomário de Queiroz Diretor de Ciência,Tecnologia e Inovação
  • 2. 1. Educação, C&T&I para a sustentabilidade econômica, ecológica, social e empresarial 2. Contribuição da Contabilidade para a Sustentabilidade Empresarial Sustentabilidade Empresarial
  • 3. 1. Educação, C&T&I para a sustentabilidade econômica, ecológica, social e empresarial 2. Contribuição da Contabilidade para a Sustentabilidade Empresarial Sustentabilidade Empresarial
  • 4. Sustentabilidade Planetária “A espécie humana existe há apenas uma fração minúscula da história de 15 bilhões de anos do universo... Para sobreviver, a raça humana precisa melhorar suas qualidades mentais e físicas para lidar com o mundo cada vez mais complexo à sua volta e enfrentar novos desafios como as viagens espaciais” (...)
  • 7. “Em 2600, a população mundial ficará ombro a ombro, e o consumo de eletricidade deixará a terra incandescente.(...) Evidentemente, o atual crescimento exponencial não pode durar para sempre(...)
  • 8. A vida biológica e eletrônica continuarão evoluindo em complexidade a um ritmo sempre crescente
  • 9. “Contudo, sou um otimista. Não acredito que a raça humana tenha chegado tão longe simplesmente para se extinguir justo quando as coisas estão se tornando interessantes (...) Estamos no início de uma era, durante a qual seremos capazes de aumentar a complexidade de nosso registro interno, o DNA humano, sem ter de esperar pelo lento processo da evolução biológica.”
  • 10. O Papa pontua os principais riscos da nossa casa comum a serem superados para um mundo mais humanizado e harmonioso. É nestes aspectos fundamentais que a humanidade precisa tomar um novo rumo sob pena de sua própria extinção. “A urgência socioambiental aponta para uma problemática comportamental do ser humano, para uma deficiência da educação para o cuidado da Terra, pois segundo o Papa Francisco “crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la” O cuidado da casa de todos é tarefa de todos
  • 11. Sustentabilidade Econômica, Social e Ambiental Sustentabilidade: consciência da responsabilidade de manter em equilíbrio a produção, distribuição e consumo de bens para o atendimento das necessidades das pessoas e a preservação do meio ambiente natural do planeta.
  • 12.
  • 13. Sustentabilidade Empresarial Sustentabilidade empresarial: valorizando o meio ambiente e a sociedade  “Sustentabilidade empresarial é um conjunto de ações que uma empresa toma, visando o respeito ao meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da sociedade.”
  • 14. Sustentabilidade Empresarial http://www.significados.com.br/sustentabilidade/ Nas empresas, o conceito de sustentabilidade está ligado diretamente com responsabilidade social, tornou-se inclusive uma vantagem competitiva. A sustentabilidade nas empresas está também ligada à sustentabilidade econômica, que é alcançada através de um modelo de gestão sustentável, ou seja, um modo que incentiva processos que permitam a recuperação do capital financeiro, humano e natural da empresa.
  • 15. Desenvolvimento Sustentável “Desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro.” Definição da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas nos anos 70, para discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental.
  • 16. “Desenvolvimento é o processo de transição de determinada estrutura econômica e social a outras estruturas que possibilitem um nível mais elevado das forças produtivas.” Queiroz, Diomário.1971. Une approche structurale du sous développement et du développement. Paris.
  • 17. Os sistemas vivos seguem processos naturais: crescer, reproduzir, regenerar, reciclar, valorizar.
  • 18. Os sistemas de colonização e de industrialização do Brasil obedecem o fluxo linear de extrair, explorar, vender, consumir, descartar.
  • 19. Desenvolvimento: processo de mudança da atitude de exploração à valorização! EXPLORAÇÃO CONCENTRAÇÃO DE RENDA MISÉRIA VALORIZAÇÃO MULTIPLICAÇÃO DA RIQUEZA MELHORIA DE VIDA PARA TODOS
  • 20. Desenvolvimento Social Sustentável O Desenvolvimento Social pressupõe o desenvolvimento econômico sustentável, com distribuição justa de renda e inclusão social, para o conjunto da população
  • 21. Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação Desenvolvimento científico e tecnológico Desenvolvimento Social Sustentável
  • 22. O novo paradigma do desenvolvimento A economia sustentada pelo conhecimento DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Trabalho Capital Produtividade Pessoas Uso das TIC Inovacão e Ciência Impulso Emprendedor • Nível de formação • Formação em C&T • Formação em Gestão •Inovação •Investimento • Uso • Base de Ciência • Difusão • Ciência-Indústria • Cultura “inovacão” • Empresa Internacional • Criatividade • Capital de Risco • Facilidade de Negociação • Emp. forte crescimento Entorno Favorável Adaptado de Angel Landabaso Conselheiro C & T Delegação da Comissão Européia no Brasil
  • 23. Conhecimento é fator de produção determinante da formação do valor para o desenvolvimento regional na sociedade contemporânea
  • 24. ADQ: Resposta ao Jornal da Andes, 1994 “A Universidade tem a responsabilidade social de alimentar continuamente com novos conhecimentos o processo de desenvolvimento econômico e social de um país.” Responsabilidade Social da Universidade
  • 25. Resultados da Pesquisa Publicações novos conhecimentos Protótipos Sistemas inovadores Modelos Artigos Dissertações CD-rom Livros Teses
  • 27. Tecnologia Processo contínuo por meio do qual a humanidade molda, modifica e gera a sua qualidade de vida. Bueno, Natalia de Lima CEFET-PR. 1999
  • 28. A inovação é a convergência da história de diversas pessoas para encontrar uma solução de futuro. 2003. Queiroz, Diomário
  • 29. “É imperativo reconhecer que a inovação é elemento essencial para consolidar a funcionalidade do trinômio ” A educação, assim concebida, assegura a sustentabilidade econômica, social e ambiental do desenvolvimento do país . Brasil. Ministério da Ciência e Tecnologia.LIVRO BRANCO : CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO;Brasília : Ministério da Ciência e Tecnologia, 2002. Calendula officinalis Inovação Tecnologia Ciência Educação
  • 30. Desenvolvimento Sustentável e Melhoria da Qualidade de Vida Ensino ExtensãoPesquisa E d u c a ç ã o
  • 31. Principais atores institucionais EmpresasUniversidades Institutos Tecnológicos Centros de P&D $ $ $ Inovação P&D produtos novos, patentes Formação de RH Pesquisa básica e aplicada publicações conhecimento Política Financiamento Pesquisa & Serviço Governo Política de Estado Plano de Ação 2007-2010 Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional
  • 32. PCCT&I “É a síntese do passado de trabalho competente de muitas pessoas e instituições, e, ao mesmo tempo, o desafio estratégico que une governo, academia e agentes econômicos e sociais, visando à qualidade de vida dos habitantes e ao desenvolvimento de Santa Catarina, com sustentabilidade ambiental e equilíbrio regional.”
  • 33. Desenvolvimento Regional Sustentável com Base em Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação
  • 35. 6: As três dimensões básicas do desenvolvimento sustentável: melhoria das condições econômicas, ambientais e sociais para todos - equidade intrageracional - sem desconsiderar as possibilidades para as próximas gerações - equidade intergeracional. Pressuposto da sustentabilidade Isaac Newton (1642 - 1727 )
  • 36. Eixos estratégicos I. EXPANSÃO E CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA CATARINENSE DE CT&I 1.1 Consolidação do Sistema Catarinense de CT&I 1.2 Formação de Recursos Humanos para CT&I 1.3 Infraestrutura para a Pesquisa Científica e Tecnológica Santos Dumont 1873-1932
  • 37. II. PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA 2.1. Pesquisa Científica e Tecnológica 2.2. Pesquisas em Ciências Agrárias e Meio Ambiente Eixos estratégicos Burle Max (1909 - 1994)
  • 38. III. INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO 3.1 Apoio ao avanço tecnológico e às inovações nas empresas e outras organizações públicas e privadas 3.2 Incentivo à Criação e Consolidação de Empresas Intensivas em Tecnologia Ozires Silva (1931) Eixos estratégicos
  • 39. IV. DESENVOLVIMENTO SOCIAL E REGIONAL SUSTENTÁVEL4.1 Promoção da inclusão digital 4.2 Fomento à disseminação da C&T&I com enfoque em desenvolvimento local e APLs 4.3 Apoio à P&D aplicado à saúde e à segurança alimentar e nutricional 4.4 Pesquisa, desenvolvimento agropecuário e agroindustrial para inserção social 4.5 Fomento a pesquisas para melhoria da habitação e do saneamento básico ..................................................................................................... .......... Eixos estratégicos Celso Furtado (1920 – 2004)
  • 40. Organização sistêmica empresarial SOFTVILLE ABRADI ACATE ASSESPRO-SC SUCESU-SC BLUSOFT CÂMARA e-NET CDI-SC CETIC FECOAGRO FIESC FUNDAÇÃO CERTI OCESC SEBRAE/SC SIESC SEINFLO SEPIJ SEPROSC
  • 41. Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia
  • 42. Verticais Acate – Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia Projetos 2010 – Jamile Sabatini Marques 9 verticais estabelecidas Mais de 70 empresas participantes Conquista de novas adesões Comunicação entre verticais Acompanhamento nas reuniões Organização e controle das empresas participantes Equipe: Gabriel Kamila
  • 43. Conceito SINAPSE PROTÓTIPO PN • Projetos C&T • Teses • Disserta ções • TCC MCTI CAPES CNPQ FINEP FAPs EMPRESA CONSOLIDADA SUBVENÇÃOPRIME EMPRESA NASCENTE SEBRAETEC MPEs “ TRANSFORMAR CONHECIMENTO E IDEIAS CRIATIVAS EM EMPREENDIMENTOS DE SUCESSO ”
  • 44. Parques Tecnológicos e Incubadoras em SC IESJ - São José SC-Entretenimento Florianópolis ACITA - Itapema 2007: 35 incubadoras/pré-incubadoras ITFETEP São Bento do Sul UNC CETEC Curitibanos G-TEC Rio do Sul JARAGUATEC Pré Incubadora da Unerj 2004: 30 incubadoras/pré-incubadoras CITEB Biguaçu Inc. UnivaliInc. Unifebe ACIT/INCEVALE Tijucas Base Tecnológica Unisul Software Pré-Incubadora de São Miguel Agronegócios NECTAR Informática, Biotecnologia e Alimentos TECNOVALE - do Rio do Peixe IAC – Agroindustrial de Concórdia Incubadora Virtual de Empresas da Uniplac MIDI Lages Agronegócios - Fapeu Software - Senai/CTAI Eng. Biomédica CONTESTEC - Planalto Norte Carvão Incubadora de Itá INTECH Chapecó GENE Blumenau SOFTVILLE BLUSOFT MIDIVILLE MIDISUL MIDIOESTE CELTA GENESS/FEESC MIDI Tecnológico/SEBRAE 2002: 10 incubadoras 2010: + 13 aprovadas CP 12/2009 INOVASUL Incubadora Ibirama Incubadora Luzerna Incubadora Caçador 2009: 44 incubadoras/pré-incubadoras
  • 45.
  • 46. P C I
  • 47.
  • 48. 2015 SC: trajetória estratégica da Inovação Incubadora 1986 Projeto Sapiens 2001 Parqtec Alfa 1993 CELTA 19951991 Tecnópolis 1984 CERTI 2008 Sapiens Parque 2006 Marco Zero Sapiens 1960
  • 50. O que é o Sapiens Parque ... Parque de Inovação e Sustentabilidade Um ambiente dotado de infraestrutura e sistemas para atrair/formar talentos e empreendimentos capazes de gerar ideias e conhecimentos e transformá-los em novos produtos e serviços para a sociedade, promovendo o desenvolvimento sustentável sócio-econômico-ambiental da região
  • 51. InovaLab: Centro de Inovação
  • 54. Projetos Inovação SENAI Instituto Senai de Inovação na área de Sistemas Embarcados Escola do Futuro
  • 57. CIEnP: CI e Ensaios Pré-Clínicos
  • 59. Complexo Multiuso de Cultura e Eventos
  • 60. Eventos, Cultura, Esportes, Lazer e Meio Ambiente Arena Sapiens
  • 61.
  • 62. 1. Educação, C&T&I para a sustentabilidade econômica, ecológica, social e empresarial 2. Contribuição da Contabilidade para a Sustentabilidade Empresarial Sustentabilidade Empresarial
  • 63. Na história da humanidade o surgimento da contabilidade precedeu o surgimento da moeda. Materiais utilizados por civilizações pré-históricas do Oriente Próximo caracterizam um sistema contábil utilizado entre 8000 e 3000 a.C., constituído de pequenas fichas de barro, para o controle do produto da agricultura e da criação de animais. SCHMIDT, Paulo, 2000.
  • 64. A contabilidade se caracteriza essencialmente, por ser a ciência do controle. Contabilidade é o sistema de informação que controla o patrimônio de uma entidade. PADOVESE, Clóvis L., 1989.
  • 65. Uma boa contabilidade, simples e clara, que dê idéia exata das condições da empresa, é poderoso meio de direção. FAYOL, Henri A Contabilidade constitui o órgão de visão das empresas.
  • 66. …é assegurar o controle do patrimônio administrado, através do fornecimento de informações e orientação – necessárias à tomada de decisões – sobre a composição e as variações patrimoniais, bem como sobre o resultado das atividades econômicas desenvolvidas pela entidade para alcançar seus fins, que podem ser lucrativos ou meramente ideais (sociais, culturais, esportivos, beneficentes ou outros). FRANCO, Hilário. 1996.
  • 67. “A CONTABILIDADE GERENCIAL é responsável pela informação útil à Administração.” ANTHONY, Robert N., 1974
  • 69. ATIVIDADES DE APOIO ATIVIDADES PRIMÁRIAS INSUMOS: Fatores de Produção (RN, MO, K) PRODUTOS: Bens e Serviços Vendáveis A Organização da Empresa compreende as atividades da cadeia de valores Os produtos são resultado das atividades da cadeia de valores
  • 70. ATIVIDADES DE APOIO ATIVIDADES PRIMÁRIAS INSUMOS: Fatores de Produção (RN, MO, K) PRODUTOS: Bens e Serviços Vendáveis A Contabilidade de Gestão objetiva modelar as atividades da empresa A Contabilidade Financeira focaliza os insumos e os produtos
  • 71. Hugues Boisvert É uma Contabilidade por Recursos É uma Contabilidade por Atividades Contabilidade Financeira Contabilidade de Gestão Alocação de todos os recursos utilizados entre os produtos Compreensão da dinâmica dos processos
  • 72. Dados Procedimentos Atividades Planejamento Programação FEEDBACK Controle Processos Fluxo de Transformação e Agregação de Valor SAÍDASENTRADAS Fluxo de Informação Contabilidade de Gestão
  • 73.
  • 74. Documentos contábeis Livros auxiliares Diário Geral Razão Balanço Patrimonial Resultado do Exercício
  • 75. Plano de contas Relatórios de gestão BP - DRE - DOAR - FCxa Tecnologia da informação Lançamentos descentralizados e instantâneos
  • 76. Gestão empresarial ... Sig - Sad Achei ! concorrentes desempenho rentabilidade mercado ~INFORMAÇÃO SIG O fato de colocarem estações de trabalho, redes e recursos multimídia à disposição dos gestores não aumenta automaticamente o uso inteligente da informação em uma organização.
  • 77. Uma importante contribuição que as novas tecnologias da informação e da comunicação proporcionaram à contabilidade de gestão foi melhorar sua acurácia na medição do valor agregado ao longo de todo processo produtivo. ACURÁCIA A contabilidade por atividades facilita a reflexão sobre a direção futura dos negócios e a sustentabilidade empresarial.
  • 78. É uma contabilidade analítica dos processos produtivos, de serviços e de negócios. Ao mensurar o valor na sua forma monetária, a CPA, além de proceder ao custeio por atividades direcionado a diversos objetos de custo, proporciona a análise dos fluxos de receita e de capital de longo prazo relacionados a diversos centros de responsabilidades e unidades de negócios.
  • 79. Constitui um sistema de informações físicas e financeiras para orientar a gestão estratégica das organizações a respeito do processo de agregação de valor ao longo de toda a cadeia produtiva assegurando sua sustentabilidade. A CPA amplia o campo da contabilidade de gestão além dos limites da função financeira, responsabilizando-se pelo registro, mensuração e controle da riqueza patrimonial em todas as suas naturezas e dimensões.
  • 80. O controle estratégico é orientado à sustentabilidade e à melhoria contínua da posição competitiva da empresa.
  • 81. Primeiro e mais importante, ele integra informações gerenciais de todas as fontes da organização para entender o impacto dos fatores chaves de sucesso. Contabilidade e Gestão dos Processos BRIMSON, James, 2000
  • 82. ...para suprir a gestão com uma ferramenta que prediz problemas permitindo antecipar ações preventivas e a sustentabilidade empresarial. Controle Estratégico de Gestão BRIMSON, James, 2000
  • 83. Qualidade Competitividade Atrair e Reter Clientes Lucrativos A inovação tornou-se fundamental para a definição do posicionamento competitivo da empresa
  • 84. "A inovação é o instrumento específico dos empreendedores, o processo pelo qual eles exploram a mudança como uma oportunidade para um negócio diferente ou um serviço diferente". Drucker (1987)
  • 88. Política e Diretrizes Linhas de Ação Mensuração e Informação Controle de Gestão Estratégia Ação Ambiente Interno Ambiente Externo
  • 89. Gestão Estratégica •Flexibilidade •Ênfase na informação •Conhecimento como recurso crítico •Integração de processos, pessoas e recursos Integrar estratégia e organização Maior complexibilidade Planejamento Estratégico •Pensamento estratégico •Análise da mudanças no ambiente •Análise das forças e fraquezas da organização Definir a estratégia Dissociação: planejamento e implementação Planejamento a Longo Prazo •Projeção de tendências •Análise de lacunas Projetar o futuro Sem previsão de mudanças Planejamento Financeiro • Orçamento Cumprimento do orçamento Orientada pela disponibilidade financeira ÊNFASE PROBLEMA ABRANGÊNCIA Anos 50 e 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 EVOLUÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA TAVARES, Mauro C.
  • 90. Processo Estratégico Emergente - Simons, pg. 99 ESTRATÉGIAS APRENDIZAGEM TÁTICAS AÇÕES
  • 91. NÍVEL DE GESTÃO OPERACIONAL ESTRATÉGICO A POSTERIORI MOMENTO A PRIORI (PROATIVO) A ZONA A: Prática de Ontem Fonte: Hugues Boisvert D ZONA D: Prática de Amanhã C ZONA C: Teoria de Hoje B ZONA B: Prática de Hoje
  • 92. Gestão Estratégica Metas Gestão por Processos Atividades Visão e Valores Objetivos Estratégicos Necessidades de informações Arquitetura da Informação MelhoriaContínua MelhoriaContínua Estratégia Diomário Queiroz Gestão da Performance Indicadores de Gestão - FCS Flexibilidade Flexibilidade
  • 93. Sistemas de Crenças e Valores Sistemas de Limites Sistema Diagnóstico Estratégias Intencionais Estratégias Realizadas Espaço de Oportunidades Sistema Interativo Estratégias Emergentes Processo Estratégico Emergente - Simons
  • 94. Valores Centrais Riscos a serem evitados Variáveis de desempenho críticas Incertezas Estratégicas Estratégia de Negócio Sistemas de Crenças Sistemas de Controle Interativo Sistemas de Limites Sistemas de Controle de Diagnóstico SCEG Processo Estratégico Emergente - Simons
  • 96. O desafio para o Contador é a identificação e apuração da riqueza que flui nas dimensões tempo e espaço e se mensura por novas tecnologias da informação, viabilizando, com sucesso, o controle estratégico de gestão e a sustentabilidade empresarial. Diomário Queiroz