Iluminismo - Exercícios

27.305 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
27.305
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.646
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
169
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Iluminismo - Exercícios

  1. 1. Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria Estadual de EducaçãoColégio Estadual Leopoldina da Silveira Colégio Estadual Nicarágua HISTÓRIA Professor Luiz Valentim
  2. 2. Exercícios – 2ª Série – Ensino Médio ILUMINISMO
  3. 3. 1. (FGV-2003)“O homem nasce livre, e por toda a parte encontra- se a ferros. O que se crê senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles (...). A ordem social é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. Tal direito, no entanto, não se origina da natureza: funda- se, portanto, em convenções.” (J.J. Rousseau. “Do contrato social”. In: Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978. p.22) A Respeito da citação de Rousseau, é correto afirmar:
  4. 4. a) Aproxima-se do pensamento absolutista, que atribuía aos reis o direito divino de manter a ordem social.b) Filia-se ao pensamento cristão, por atribuir a todos os homens uma condição de submissão semelhante à escravatura.c) Filia-se ao pensamento abolicionista, por denunciar a escravidão praticada na América, ao longo do século XIX.d) Aproxima-se do pensamento anarquista, que estabelece que o Estado deve ser abolido e a sociedade, governada por autogestão.e) Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber a ordem social como um direito sagrado que deve garantir a liberdade e a autonomia dos homens.
  5. 5. 2. (Fuvest-2004)“A autoridade do príncipe é limitada pelas leis da natureza e do Estado... O príncipe não pode, portanto, dispor de seu poder e de seus súditos sem o consentimento da nação e independentemente da escolha estabelecida no contrato de submissão...” (Diderot, artigo “Autoridade política”, Enciclopédia, 1751) Tendo por base esse texto da Enciclopédia, é correto afirmar que o autor:
  6. 6. a) Pressupunha, como os demais iluministas, que os direitos de cidadania política eram iguais para todos os grupos sociais e étnicos.b) Propunha o princípio político que estabelecia leis para legitimar o poder republicano e democrático.c) Apoiava uma política para o Estado, submetida aos princípios da escolha dos dirigentes da nação, por meio do voto universal.d) Acreditava, como os demais filósofos do Iluminismo, na revolução armada como único meio para a deposição de monarcas absolutistas.e) Defendia, como a maioria dos filósofos iluministas, os princípios do liberalismo político que se contrapunham aos regimes absolutistas.
  7. 7. 3. Considere as afirmativas abaixo acerca do Iluminismo: I. Desafiou a mentalidade religiosa predominante ao colocar a razão humana como modo de conhecer a natureza e a sociedade. II. Não se restringiu à filosofia, uma vez que estimulou o avanço da experiência científica em vários campos do conhecimento, a exemplo da zoologia, botânica e medicina. III. Instaurou um pensamento político contrário ao regime monárquico. IV. Estimulou movimentos sociais comprometidos com a igualdade social entre todos os cidadãos. V. Teve algumas de suas propostas adotadas por algumas monarquias europeias, como a Prússia e a Rússia, empenhadas em estabelecer reformas modernizantes nos respectivos países.
  8. 8. Estão corretas:a) I, II e V.b) I, III e IV.c) II, III e IV.d) II, III e V.e) I, IV e V.
  9. 9. 4. (Enem-2003) Observe as duas afirmações de Montesquieu (1689-1755), a respeito da escravidão:“A escravidão não é boa por natureza; não é útil nem ao senhor, nem ao escravo: a este porque nada pode fazer por virtude; àquele, porque contrai com seus escravos toda sorte de maus hábitos e se acostuma insensivelmente a faltar contra todas as virtudes morais: torna-se orgulhoso, brusco, duro, colérico, voluptuoso, cruel.”“Se eu tivesse que defender o direito que tivemos de tornar escravos os negros, eis o que eu diria: tendo os povos da Europa exterminado os da América, tiveram que escravizar os da África para abrir tantas terras. O açúcar seria muito caro se não fizéssemos que escravos cultivassem a planta que o produz”. (Montesquieu. O espírito das leis.) Com base nos textos, podemos afirmar que, para Montesquieu:
  10. 10. a) O preconceito racial foi contido pela moral religiosa.b) A política econômica e a moral justificaram a escravidão.c) A escravidão era indefensável de um ponto de vista econômico.d) O convívio com os europeus foi benéfico para os escravos africanos.e) O fundamento moral do direito pode submeter-se às razões econômicas.
  11. 11. 5. (UFSCar-SP) Considere as proposições abaixo e assinale as que se incluem entre as ideias políticas e sociais defendidas pelos escritores iluministas do século XVIII. I. A razão é o único guia infalível da sabedoria e é o único critério para o julgamento do bem e do mal. II. A prosperidade de um país está condicionada à acumulação de metais preciosos, ouro e prata. III. O poder político vem de Deus, que é a fonte única de toda autoridade. IV. O homem é naturalmente bom e a educação aperfeiçoa as suas qualidades inatas. V. O poder político emana do povo, que deve ter o direito de escolher os seus governantes.
  12. 12. Estão corretas:a) I, II e IV.b) I, III e V.c) II, III e IV.d) II, III e V.e) I, IV e V.
  13. 13. 6. (Fuvest-SP) Carlos III, rei da Espanha entre 1759 e 1788, implementou profundas reformas _ conhecidas como bourbônicas _ que tiveram grandes repercussões sobre as colônias espanholas na América. Entre elas,
  14. 14. a) O estabelecimento de medidas econômicas e políticas, para maior controle da Coroa sobre as colônias.b) O redirecionamento da economia colonial, para valorizar a industria em detrimento da agricultura de exportação.c) A promulgação de medidas políticas, levando à separação entre a Igreja Católica e a Coroa.d) A reestruturação das tradicionais comunidades indígenas, visando instituir a propriedade privada.e) A decretação de medidas excepcionais, permitindo a escravização dos africanos e, também, a dos indígenas.
  15. 15. Bibliografia• VAINFAS, Ronaldo; FARIA, Sheila • VICENTINO, Cláudio; de Castro; FERREIRA, Jorge; DORIGO, Gianpaolo. História SANTOS, Georgina. História: o geral e do Brasil, volume 2. São longo século XIX. Vol. 2. São Paulo: Scipione, 2010. Paulo: Saraiva, 2010.
  16. 16. Gabarito1–e2–e3–a4–e5–e6–a

×