SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Governo do Estado do Rio de Janeiro
   Secretaria Estadual de Educação
Colégio Estadual Leopoldina da Silveira
      Colégio Estadual Nicarágua




         HISTÓRIA
  Professor Luiz Valentim
Exercícios – 2ª Série – Ensino Médio




           ILUMINISMO
1. (FGV-2003)
“O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-
   se a ferros. O que se crê senhor dos demais, não
   deixa de ser mais escravo do que eles (...). A
   ordem social é um direito sagrado que serve de
   base a todos os outros. Tal direito, no
   entanto, não se origina da natureza: funda-
   se, portanto, em convenções.”
       (J.J. Rousseau. “Do contrato social”. In: Os Pensadores. São Paulo: Abril
                                                           Cultural, 1978. p.22)


  A Respeito da citação de Rousseau, é correto
  afirmar:
a) Aproxima-se do pensamento absolutista, que atribuía
   aos reis o direito divino de manter a ordem social.
b) Filia-se ao pensamento cristão, por atribuir a todos os
   homens uma condição de submissão semelhante à
   escravatura.
c) Filia-se ao pensamento abolicionista, por denunciar a
   escravidão praticada na América, ao longo do século
   XIX.
d) Aproxima-se do pensamento anarquista, que
   estabelece que o Estado deve ser abolido e a
   sociedade, governada por autogestão.
e) Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber
   a ordem social como um direito sagrado que deve
   garantir a liberdade e a autonomia dos homens.
2. (Fuvest-2004)
“A autoridade do príncipe é limitada pelas leis da
   natureza e do Estado... O príncipe não
   pode, portanto, dispor de seu poder e de seus
   súditos sem o consentimento da nação e
   independentemente da escolha estabelecida no
   contrato de submissão...”
               (Diderot, artigo “Autoridade política”, Enciclopédia, 1751)


   Tendo por base esse texto da Enciclopédia, é
   correto afirmar que o autor:
a) Pressupunha, como os demais iluministas, que os
   direitos de cidadania política eram iguais para todos
   os grupos sociais e étnicos.
b) Propunha o princípio político que estabelecia leis para
   legitimar o poder republicano e democrático.
c) Apoiava uma política para o Estado, submetida aos
   princípios da escolha dos dirigentes da nação, por
   meio do voto universal.
d) Acreditava, como os demais filósofos do
   Iluminismo, na revolução armada como único meio
   para a deposição de monarcas absolutistas.
e) Defendia, como a maioria dos filósofos iluministas, os
   princípios do liberalismo político que se
   contrapunham aos regimes absolutistas.
3. Considere as afirmativas abaixo acerca do Iluminismo:
   I. Desafiou a mentalidade religiosa predominante ao
   colocar a razão humana como modo de conhecer a
   natureza e a sociedade.
   II. Não se restringiu à filosofia, uma vez que estimulou o
   avanço da experiência científica em vários campos do
   conhecimento, a exemplo da zoologia, botânica e
   medicina.
   III. Instaurou um pensamento político contrário ao
   regime monárquico.
   IV. Estimulou movimentos sociais comprometidos com a
   igualdade social entre todos os cidadãos.
   V. Teve algumas de suas propostas adotadas por
   algumas monarquias europeias, como a Prússia e a
   Rússia, empenhadas em estabelecer reformas
   modernizantes nos respectivos países.
Estão corretas:

a)    I, II e V.
b)    I, III e IV.
c)    II, III e IV.
d)    II, III e V.
e)    I, IV e V.
4. (Enem-2003)
   Observe as duas afirmações de Montesquieu (1689-1755), a
   respeito da escravidão:
“A escravidão não é boa por natureza; não é útil nem ao
   senhor, nem ao escravo: a este porque nada pode fazer por
   virtude; àquele, porque contrai com seus escravos toda sorte
   de maus hábitos e se acostuma insensivelmente a faltar contra
   todas        as         virtudes        morais:        torna-se
   orgulhoso, brusco, duro, colérico, voluptuoso, cruel.”
“Se eu tivesse que defender o direito que tivemos de tornar
    escravos os negros, eis o que eu diria: tendo os povos da
    Europa exterminado os da América, tiveram que escravizar os
    da África para abrir tantas terras. O açúcar seria muito caro se
    não fizéssemos que escravos cultivassem a planta que o
    produz”.
                                         (Montesquieu. O espírito das leis.)

     Com base nos        textos,   podemos     afirmar      que,      para
     Montesquieu:
a) O preconceito racial foi contido pela moral
   religiosa.
b) A política econômica e a moral justificaram a
   escravidão.
c) A escravidão era indefensável de um ponto
   de vista econômico.
d) O convívio com os europeus foi benéfico para
   os escravos africanos.
e) O fundamento moral do direito pode
   submeter-se às razões econômicas.
5. (UFSCar-SP) Considere as proposições abaixo e
   assinale as que se incluem entre as ideias
   políticas e sociais defendidas pelos escritores
   iluministas do século XVIII.
   I. A razão é o único guia infalível da sabedoria e
   é o único critério para o julgamento do bem e
   do mal.
   II. A prosperidade de um país está condicionada
   à acumulação de metais preciosos, ouro e prata.
   III. O poder político vem de Deus, que é a fonte
   única de toda autoridade.
   IV. O homem é naturalmente bom e a educação
   aperfeiçoa as suas qualidades inatas.
   V. O poder político emana do povo, que deve ter
   o direito de escolher os seus governantes.
Estão corretas:

a)    I, II e IV.
b)    I, III e V.
c)    II, III e IV.
d)    II, III e V.
e)    I, IV e V.
6. (Fuvest-SP)
   Carlos III, rei da Espanha entre 1759 e
   1788, implementou profundas reformas _
   conhecidas como bourbônicas _ que tiveram
   grandes repercussões sobre as colônias
   espanholas na América. Entre elas,
a) O estabelecimento de medidas econômicas e
   políticas, para maior controle da Coroa sobre as
   colônias.
b) O redirecionamento da economia colonial, para
   valorizar a industria em detrimento da
   agricultura de exportação.
c) A promulgação de medidas políticas, levando à
   separação entre a Igreja Católica e a Coroa.
d) A reestruturação das tradicionais comunidades
   indígenas, visando instituir a propriedade
   privada.
e) A          decretação         de         medidas
   excepcionais, permitindo a escravização dos
   africanos e, também, a dos indígenas.
Bibliografia
• VAINFAS, Ronaldo; FARIA, Sheila   • VICENTINO,               Cláudio;
  de Castro; FERREIRA, Jorge;         DORIGO, Gianpaolo. História
  SANTOS, Georgina. História: o       geral e do Brasil, volume 2. São
  longo século XIX. Vol. 2. São       Paulo: Scipione, 2010.
  Paulo: Saraiva, 2010.
Gabarito
1–e
2–e
3–a
4–e
5–e
6–a

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8ano
Leonardo Caputo
 
Iluminismo 7ª série - Profª Ivanoska
Iluminismo  7ª série - Profª IvanoskaIluminismo  7ª série - Profª Ivanoska
Iluminismo 7ª série - Profª Ivanoska
elaineoliver12
 
A crise do antigo regime o iluminismo
A crise do antigo regime   o iluminismoA crise do antigo regime   o iluminismo
A crise do antigo regime o iluminismo
martinha10
 
3 O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos
3   O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos3   O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos
3 O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos
Hist8
 
2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao
2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao
2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao
Kerol Brombal
 
Roteiro de Aula - Iluminismo
Roteiro de Aula - IluminismoRoteiro de Aula - Iluminismo
Roteiro de Aula - Iluminismo
josafaslima
 
Iluminismo resumo
Iluminismo resumoIluminismo resumo
Iluminismo resumo
Mister B
 

Mais procurados (20)

Atividade 2s-3 p-iluminismo-alunos
Atividade 2s-3 p-iluminismo-alunosAtividade 2s-3 p-iluminismo-alunos
Atividade 2s-3 p-iluminismo-alunos
 
Iluminismo 8° ano
Iluminismo 8° anoIluminismo 8° ano
Iluminismo 8° ano
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8ano
 
Iluminismo 7ª série - Profª Ivanoska
Iluminismo  7ª série - Profª IvanoskaIluminismo  7ª série - Profª Ivanoska
Iluminismo 7ª série - Profª Ivanoska
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
A crise do antigo regime o iluminismo
A crise do antigo regime   o iluminismoA crise do antigo regime   o iluminismo
A crise do antigo regime o iluminismo
 
3 O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos
3   O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos3   O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos
3 O Iluminismo Na Europa E Em Portugal. A Reforma Pombalina Dos Estudos
 
2.4 gabarito
2.4 gabarito2.4 gabarito
2.4 gabarito
 
Um século de mudanças - O iluminismo
Um século de mudanças - O iluminismoUm século de mudanças - O iluminismo
Um século de mudanças - O iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao
2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao
2 lista iluminismo_rev industrial e napoleao
 
Roteiro de Aula - Iluminismo
Roteiro de Aula - IluminismoRoteiro de Aula - Iluminismo
Roteiro de Aula - Iluminismo
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Iluminismo imagens
Iluminismo imagensIluminismo imagens
Iluminismo imagens
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Iluminismo resumo
Iluminismo resumoIluminismo resumo
Iluminismo resumo
 
historia iluminismo
historia iluminismohistoria iluminismo
historia iluminismo
 
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 

Destaque

Figuras da revolução americana
Figuras da revolução americanaFiguras da revolução americana
Figuras da revolução americana
David Moreira
 
Argumentos favoráveis à legalização da maconha
Argumentos favoráveis à legalização da maconhaArgumentos favoráveis à legalização da maconha
Argumentos favoráveis à legalização da maconha
Karine Souza
 
Civilização Greco-Romana - Atenas e Esparta
Civilização Greco-Romana - Atenas e EspartaCivilização Greco-Romana - Atenas e Esparta
Civilização Greco-Romana - Atenas e Esparta
Luiz Valentim
 
3 ano china seculo xxi
3 ano china seculo xxi3 ano china seculo xxi
3 ano china seculo xxi
Isabel Aguiar
 
Teste de história 8º ano
Teste de história 8º anoTeste de história 8º ano
Teste de história 8º ano
Acima da Média
 

Destaque (20)

Avaliação de História - Iluminismo
Avaliação de História - Iluminismo Avaliação de História - Iluminismo
Avaliação de História - Iluminismo
 
Caderno do Aluno História 7 série vol 1 2014-2017
Caderno do Aluno História 7 série vol 1 2014-2017Caderno do Aluno História 7 série vol 1 2014-2017
Caderno do Aluno História 7 série vol 1 2014-2017
 
Figuras da revolução americana
Figuras da revolução americanaFiguras da revolução americana
Figuras da revolução americana
 
Teoria fisiocrata
Teoria fisiocrataTeoria fisiocrata
Teoria fisiocrata
 
Argumentos favoráveis à legalização da maconha
Argumentos favoráveis à legalização da maconhaArgumentos favoráveis à legalização da maconha
Argumentos favoráveis à legalização da maconha
 
Civilização Greco-Romana - Atenas e Esparta
Civilização Greco-Romana - Atenas e EspartaCivilização Greco-Romana - Atenas e Esparta
Civilização Greco-Romana - Atenas e Esparta
 
Vietna
VietnaVietna
Vietna
 
Peronismo
PeronismoPeronismo
Peronismo
 
3 ano china seculo xxi
3 ano china seculo xxi3 ano china seculo xxi
3 ano china seculo xxi
 
Caderno do Aluno História 7 série vol 2 2014-2017
Caderno do Aluno História 7 série vol 2 2014-2017Caderno do Aluno História 7 série vol 2 2014-2017
Caderno do Aluno História 7 série vol 2 2014-2017
 
Cuba
CubaCuba
Cuba
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Reformas pombalinas: educação
Reformas pombalinas: educaçãoReformas pombalinas: educação
Reformas pombalinas: educação
 
Teste de história 8º ano
Teste de história 8º anoTeste de história 8º ano
Teste de história 8º ano
 
Unidade 4 um século de mudanças século xviii
Unidade 4 um século de mudanças século xviiiUnidade 4 um século de mudanças século xviii
Unidade 4 um século de mudanças século xviii
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 

Semelhante a Iluminismo - Exercícios

1 prova de historia 3 ano 2012
1 prova de historia   3 ano 20121 prova de historia   3 ano 2012
1 prova de historia 3 ano 2012
KellyCarvalho2011
 
Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7
Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7
Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7
Adriano Capilupe
 
Puc mg 2010 objetiva
Puc  mg 2010 objetivaPuc  mg 2010 objetiva
Puc mg 2010 objetiva
cursohistoria
 

Semelhante a Iluminismo - Exercícios (20)

Questões simulado 2 bimestre.docx
Questões simulado 2 bimestre.docxQuestões simulado 2 bimestre.docx
Questões simulado 2 bimestre.docx
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Lista-de-Exercício-2-História-8º-Ano.docx
Lista-de-Exercício-2-História-8º-Ano.docxLista-de-Exercício-2-História-8º-Ano.docx
Lista-de-Exercício-2-História-8º-Ano.docx
 
1 prova de historia 3 ano 2012
1 prova de historia   3 ano 20121 prova de historia   3 ano 2012
1 prova de historia 3 ano 2012
 
Hist8 bq 00004
Hist8 bq 00004Hist8 bq 00004
Hist8 bq 00004
 
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
 
Exercicios sobre o iluminismo
Exercicios sobre o iluminismoExercicios sobre o iluminismo
Exercicios sobre o iluminismo
 
Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7
Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7
Exercícios resolvidos terceiros anos capítulo 7
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA PARA TRABALHAR COM 2º ano
QUESTÕES DE HISTÓRIA PARA TRABALHAR COM 2º anoQUESTÕES DE HISTÓRIA PARA TRABALHAR COM 2º ano
QUESTÕES DE HISTÓRIA PARA TRABALHAR COM 2º ano
 
PROVA DE HISTÓRIA 2ano
PROVA DE HISTÓRIA 2anoPROVA DE HISTÓRIA 2ano
PROVA DE HISTÓRIA 2ano
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Questões.indústria cultural
Questões.indústria culturalQuestões.indústria cultural
Questões.indústria cultural
 
AVALIAÇÃO HISTÓRIA ILUMINISMO E DESPOTISMO ESCLARECIDO
AVALIAÇÃO HISTÓRIA  ILUMINISMO E DESPOTISMO ESCLARECIDOAVALIAÇÃO HISTÓRIA  ILUMINISMO E DESPOTISMO ESCLARECIDO
AVALIAÇÃO HISTÓRIA ILUMINISMO E DESPOTISMO ESCLARECIDO
 
Iluminismo 2012
Iluminismo 2012Iluminismo 2012
Iluminismo 2012
 
UFV 2010 objetiva
UFV 2010 objetivaUFV 2010 objetiva
UFV 2010 objetiva
 
Puc mg 2010 objetiva
Puc  mg 2010 objetivaPuc  mg 2010 objetiva
Puc mg 2010 objetiva
 
ENEM - QUESTÕES DAS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS 2012 - Prof. Noe Assu...
ENEM - QUESTÕES DAS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS 2012 - Prof. Noe Assu...ENEM - QUESTÕES DAS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS 2012 - Prof. Noe Assu...
ENEM - QUESTÕES DAS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS 2012 - Prof. Noe Assu...
 
Aula 03
Aula 03Aula 03
Aula 03
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Pre seed-revisão do enem 12
Pre seed-revisão do enem 12Pre seed-revisão do enem 12
Pre seed-revisão do enem 12
 

Mais de Luiz Valentim

Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à HomeroCivilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Luiz Valentim
 
200 anos a família real e a viagem que mudou a história
200 anos a família real e a viagem que mudou a história200 anos a família real e a viagem que mudou a história
200 anos a família real e a viagem que mudou a história
Luiz Valentim
 
Trabalho 2º bimestre
Trabalho   2º bimestreTrabalho   2º bimestre
Trabalho 2º bimestre
Luiz Valentim
 
Prova - 1º bimestre - 3ª série
Prova - 1º bimestre - 3ª sérieProva - 1º bimestre - 3ª série
Prova - 1º bimestre - 3ª série
Luiz Valentim
 
República da Espada
República da EspadaRepública da Espada
República da Espada
Luiz Valentim
 
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da BastilhaRevolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Luiz Valentim
 
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - ExercíciosOcaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Luiz Valentim
 
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - ExercíciosOcaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Luiz Valentim
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
Luiz Valentim
 
Ocaso do Império Brasileiro
Ocaso do Império BrasileiroOcaso do Império Brasileiro
Ocaso do Império Brasileiro
Luiz Valentim
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
Luiz Valentim
 
Aula Inaugural - História
Aula Inaugural - História Aula Inaugural - História
Aula Inaugural - História
Luiz Valentim
 

Mais de Luiz Valentim (14)

Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à HomeroCivilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
 
200 anos a família real e a viagem que mudou a história
200 anos a família real e a viagem que mudou a história200 anos a família real e a viagem que mudou a história
200 anos a família real e a viagem que mudou a história
 
Trabalho 2º bimestre
Trabalho   2º bimestreTrabalho   2º bimestre
Trabalho 2º bimestre
 
Prova - 1º bimestre - 3ª série
Prova - 1º bimestre - 3ª sérieProva - 1º bimestre - 3ª série
Prova - 1º bimestre - 3ª série
 
República da Espada
República da EspadaRepública da Espada
República da Espada
 
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da BastilhaRevolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
Revolução Francesa - Do Absolutismo à Queda da Bastilha
 
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - ExercíciosOcaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
 
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - ExercíciosOcaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
Ocaso do Império / Proclamação da República - Exercícios
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
 
Ocaso do Império Brasileiro
Ocaso do Império BrasileiroOcaso do Império Brasileiro
Ocaso do Império Brasileiro
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
 
Análise de Imagens
Análise de ImagensAnálise de Imagens
Análise de Imagens
 
Aula Inaugural - História
Aula Inaugural - História Aula Inaugural - História
Aula Inaugural - História
 

Último

ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 

Iluminismo - Exercícios

  • 1. Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria Estadual de Educação Colégio Estadual Leopoldina da Silveira Colégio Estadual Nicarágua HISTÓRIA Professor Luiz Valentim
  • 2. Exercícios – 2ª Série – Ensino Médio ILUMINISMO
  • 3. 1. (FGV-2003) “O homem nasce livre, e por toda a parte encontra- se a ferros. O que se crê senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles (...). A ordem social é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. Tal direito, no entanto, não se origina da natureza: funda- se, portanto, em convenções.” (J.J. Rousseau. “Do contrato social”. In: Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978. p.22) A Respeito da citação de Rousseau, é correto afirmar:
  • 4. a) Aproxima-se do pensamento absolutista, que atribuía aos reis o direito divino de manter a ordem social. b) Filia-se ao pensamento cristão, por atribuir a todos os homens uma condição de submissão semelhante à escravatura. c) Filia-se ao pensamento abolicionista, por denunciar a escravidão praticada na América, ao longo do século XIX. d) Aproxima-se do pensamento anarquista, que estabelece que o Estado deve ser abolido e a sociedade, governada por autogestão. e) Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber a ordem social como um direito sagrado que deve garantir a liberdade e a autonomia dos homens.
  • 5. 2. (Fuvest-2004) “A autoridade do príncipe é limitada pelas leis da natureza e do Estado... O príncipe não pode, portanto, dispor de seu poder e de seus súditos sem o consentimento da nação e independentemente da escolha estabelecida no contrato de submissão...” (Diderot, artigo “Autoridade política”, Enciclopédia, 1751) Tendo por base esse texto da Enciclopédia, é correto afirmar que o autor:
  • 6. a) Pressupunha, como os demais iluministas, que os direitos de cidadania política eram iguais para todos os grupos sociais e étnicos. b) Propunha o princípio político que estabelecia leis para legitimar o poder republicano e democrático. c) Apoiava uma política para o Estado, submetida aos princípios da escolha dos dirigentes da nação, por meio do voto universal. d) Acreditava, como os demais filósofos do Iluminismo, na revolução armada como único meio para a deposição de monarcas absolutistas. e) Defendia, como a maioria dos filósofos iluministas, os princípios do liberalismo político que se contrapunham aos regimes absolutistas.
  • 7. 3. Considere as afirmativas abaixo acerca do Iluminismo: I. Desafiou a mentalidade religiosa predominante ao colocar a razão humana como modo de conhecer a natureza e a sociedade. II. Não se restringiu à filosofia, uma vez que estimulou o avanço da experiência científica em vários campos do conhecimento, a exemplo da zoologia, botânica e medicina. III. Instaurou um pensamento político contrário ao regime monárquico. IV. Estimulou movimentos sociais comprometidos com a igualdade social entre todos os cidadãos. V. Teve algumas de suas propostas adotadas por algumas monarquias europeias, como a Prússia e a Rússia, empenhadas em estabelecer reformas modernizantes nos respectivos países.
  • 8. Estão corretas: a) I, II e V. b) I, III e IV. c) II, III e IV. d) II, III e V. e) I, IV e V.
  • 9. 4. (Enem-2003) Observe as duas afirmações de Montesquieu (1689-1755), a respeito da escravidão: “A escravidão não é boa por natureza; não é útil nem ao senhor, nem ao escravo: a este porque nada pode fazer por virtude; àquele, porque contrai com seus escravos toda sorte de maus hábitos e se acostuma insensivelmente a faltar contra todas as virtudes morais: torna-se orgulhoso, brusco, duro, colérico, voluptuoso, cruel.” “Se eu tivesse que defender o direito que tivemos de tornar escravos os negros, eis o que eu diria: tendo os povos da Europa exterminado os da América, tiveram que escravizar os da África para abrir tantas terras. O açúcar seria muito caro se não fizéssemos que escravos cultivassem a planta que o produz”. (Montesquieu. O espírito das leis.) Com base nos textos, podemos afirmar que, para Montesquieu:
  • 10. a) O preconceito racial foi contido pela moral religiosa. b) A política econômica e a moral justificaram a escravidão. c) A escravidão era indefensável de um ponto de vista econômico. d) O convívio com os europeus foi benéfico para os escravos africanos. e) O fundamento moral do direito pode submeter-se às razões econômicas.
  • 11. 5. (UFSCar-SP) Considere as proposições abaixo e assinale as que se incluem entre as ideias políticas e sociais defendidas pelos escritores iluministas do século XVIII. I. A razão é o único guia infalível da sabedoria e é o único critério para o julgamento do bem e do mal. II. A prosperidade de um país está condicionada à acumulação de metais preciosos, ouro e prata. III. O poder político vem de Deus, que é a fonte única de toda autoridade. IV. O homem é naturalmente bom e a educação aperfeiçoa as suas qualidades inatas. V. O poder político emana do povo, que deve ter o direito de escolher os seus governantes.
  • 12. Estão corretas: a) I, II e IV. b) I, III e V. c) II, III e IV. d) II, III e V. e) I, IV e V.
  • 13. 6. (Fuvest-SP) Carlos III, rei da Espanha entre 1759 e 1788, implementou profundas reformas _ conhecidas como bourbônicas _ que tiveram grandes repercussões sobre as colônias espanholas na América. Entre elas,
  • 14. a) O estabelecimento de medidas econômicas e políticas, para maior controle da Coroa sobre as colônias. b) O redirecionamento da economia colonial, para valorizar a industria em detrimento da agricultura de exportação. c) A promulgação de medidas políticas, levando à separação entre a Igreja Católica e a Coroa. d) A reestruturação das tradicionais comunidades indígenas, visando instituir a propriedade privada. e) A decretação de medidas excepcionais, permitindo a escravização dos africanos e, também, a dos indígenas.
  • 15.
  • 16. Bibliografia • VAINFAS, Ronaldo; FARIA, Sheila • VICENTINO, Cláudio; de Castro; FERREIRA, Jorge; DORIGO, Gianpaolo. História SANTOS, Georgina. História: o geral e do Brasil, volume 2. São longo século XIX. Vol. 2. São Paulo: Scipione, 2010. Paulo: Saraiva, 2010.