• Compartilhar
  • Email
  • Incorporado
  • Curtir
  • Salvar
  • Conteúdo privado
Psicologia escolar e educacional
 

Psicologia escolar e educacional

on

  • 45,340 visualizações

Apresentação Psicologia escolar; Psicologia Educacional suas conceituação e diferenças

Apresentação Psicologia escolar; Psicologia Educacional suas conceituação e diferenças

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
45,340
Visualizações no SlideShare
45,303
Visualizações incorporadas
37

Actions

Curtidas
3
Downloads
600
Comentários
1

3 Incorporações 37

https://www.xn--cursosonlinedaeducao-7yb1g.com.br 17
https://www.cursosonlinecursos.com.br 11
https://cursosrapidosonline.com.br 9

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar

11 de 1anterioresseguinte

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
  • Hoje é o começo para uma nova vida! Tudo só depende de você! Não sabe como recomeçar?
    EU TE ENSINO! Baixe este livro agora mesmo! R$ 2.99

    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/7003798/chamam-me-lene-estou-vivendo-um-grande/?PAC_ID=122866

    Desejar.
    Querer.
    sonhar não vai mudar em nada a sua vida, mas uma determinação é o começo para uma vida prospera! Não sabe como? Ensino-te. Baixe este livro R$ 2.99

    Determinação o pensamento positivo/lançamento mundial
    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/6985578/determinacao-o-pensamento-positivo/?PAC_ID=125981
    Are you sure you want to
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

    Psicologia escolar e educacional Psicologia escolar e educacional Presentation Transcript

    • Psicologia Escolar e Educacional Prof. Mestre Thiago de Almeida
    • Introdução
      • A psicologia escolar é uma área ampla que envolve aspectos da psicologia e da educação, está em processo de desenvolvimento e faz a interface entre psicologia e educação.
      • O psicólogo inserido na escola é responsável pela promoção de saúde mental da mesma, atuando junto a todos os membros que fazem parte da escola: alunos, educadores (diretores, professores e funcionários) e os pais. O trabalho com estas pessoas é sempre contínuo e a intervenção, deveria ser sempre em grupo.
      • O psicólogo escolar atua não apenas na remediação de problemas, mas também desenvolvendo trabalhos que visem à prevenção dos mesmos. Por estar inserido na escola é preciso que tenha conhecimentos relacionados à criança, suas fases de desenvolvimento e de aprendizagem, e sobre o processo ensino-aprendizagem.
      • Lightner R. Witmer, que juntamente com Granville Stanley Hall é considerado pioneiro da Psicologia Escolar nos EUA, iniciou as clínicas psicológicas para crianças, sendo o fundador da primeira Clínica Psicológica dos Estados Unidos, na Universidade de Penssylvania no ano de 1896.
    • O QUE É PSICOLOGIA ESCOLAR?
      • Segundo o dicionário de Psicologia Dorsch (2001) a definição de Psicologia Escolar como a “aplicação de conhecimentos psicológicos, especialmente dos pedagógicos e da psicologia do desenvolvimento às exigências da escola, bem como a pesquisa e prática psicológicas no âmbito da escola, por exemplo, o diagnóstico das causas das dificuldades de aprender e sua eliminação ou a análise psico-organicossocial e a melhoria dos processos entre as pessoas (por exemplo, as relações de estima, cadeias do mundo), dos fatores situacionais (por exemplo, clima da escola, atmosfera do grupo) e das estruturas institucionais (por exemplo, tamanho das instalações e sua distribuição, regulamentos, no tocante à escolha das disciplinas e à avaliação do rendimento)” (p. 763).
    • Então, o que é o psicólogo escolar?
      • “ o psicólogo que age e trabalha no espaço de vida e das relações da escola (em sentido amplo), com as tarefas principais de diagnóstico e solução de problemas que aparecem, no âmbito da atividade escolar, entre alunos e/ou professores. De acordo com esta descrição das tarefas, as atividades do psicólogo escolar visam também a eliminar deficiências individuais, - enquanto aparecem assim condicionadas - como a eliminar deficiências da instituição escolar” (DORSCH, 2001, p. 784).
    • A Psicologia Escolar e a Psicologia Educacional no Brasil
      • A ABRAPEE (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional) foi fundada em 1988 pela Dra. Solange M. Wechsler com o objetivo de promover e aperfeiçoar a psicologia escolar no Brasil, muito pouco divulgada até então(WECHSLER,2001).
      • A ABRAPEE (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional) se posiciona quanto à compreensão de Psicologia Escolar e Educacional, atestando que “entende por psicólogos escolares e educacionais aqueles profissionais que, devido a sua preparação universitária em psicologia e experiências subseqüentes nas áreas escolar e/ou educacional, trabalham para melhorar o processo ensino-aprendizagem no seu aspecto global (cognitivo, emocional, social e motor) através de serviços oferecidos a indivíduos, grupos, famílias e organizações” (JOLY, 2000, p. 52).
      • De acordo com a ABRAPEE a distinção entre psicologia escolar e psicologia educacional, está calcada no fato da atuação do psicólogo escolar estar mais voltada para intervenção na prática, enquanto que a do psicólogo educacional se direciona, geralmente, para as áreas de ensino e pesquisa.
    • O PAPEL DO PSICÓLOGO ESCOLAR
      • O profissional que trabalha com a psicologia escolar será o psicólogo escolar que, mediante a sua formação, utiliza-se de métodos e técnicas psicológicas para promover a melhora na qualidade e eficiência do processo educacional, visando, não apenas a resolução de um problema, mas também a promoção da saúde mental na escola.
      • Quando se fala em promoção de saúde mental, se fala em promoção de bons relacionamentos interpessoais, boa autoestima, boas condições de aprendizagem/desenvolvimento, facilidade de expressão, acesso à equipe pedagógica, preocupação com os indivíduos e suas limitações.
      • psicólogo deve ser não apenas uma pessoa treinada em psicologia, como também treinada em educação, e se não for treinada em ambas é preciso que seja treinada em uma e familiarizada com a outra, para que possa desenvolver o seu trabalho satisfatoriamente, ou seja, capaz de assistir e orientar professores e educadores no trabalho educacional.
      • O psicólogo precisa compreender a criança mediante o seu processo de desenvolvimento, saber em qual estágio se encontra, que toda criança passa por processos de mudanças e de que convive não apenas no ambiente escolar, mas também em um contexto externo a este que é o seu lar (ambiente social e familiar) composto por diversas relações.
    • Masini (1981) o papel do psicólogo escolar se baseia em:
      • Desempenhar um papel importante no processo educativo através de sua atuação profissional, fundamentalmente preventiva;
      • Ter uma formação de alto nível teórico, uma vez que deverá estar devidamente capacitado e qualificado para enfrentar diversas situações, problemas e dificuldades de adaptação e aprendizagem escolar;
      • 3. Programar sistematicamente estágios supervisionados, pois o psicólogo escolar deve não somente dominar as técnicas de observação e de avaliação psicológica, como ter tido experiências relacionadas à dinâmica das estruturas escolares, a ênfase deve ser dada aos estudos práticos da psicologia evolutiva, diferencial, social, da aprendizagem e à revisão contínua das técnicas de pesquisa e de avaliação psicológica;
      • 4. Ser criteriosamente selecionado, pois necessita ter significativo interesse por problemas da educação e particular motivação pelo estudo e soluções dos problemas de desenvolvimento, ajustamento e aprendizagem escolar;
      • 5. Colaborar na elaboração do programa de testes adotados na escola, pois a atuação do psicólogo escolar num serviço de psicologia escolar atingirá alunos, professores e pais, cabendo a ele a tarefa da avaliação, diagnóstico e orientação psicológica; 6. Utilizar o processo do exame psicológico analítico, pois oferece maiores recursos para um diagnóstico e prognóstico escolar válido; 7. Desenvolver pesquisas no campo da educação, bem como a elaboração de testes específicos que tragam contribuição real para o campo da psicologia escolar.
      • A atuação do psicólogo não pode se restringir ao diagnóstico, ou relatório aos pais ou professores, como já dito anteriormente, é preciso que mediante estes levantamentos proporcione um ambiente favorável para o crescimento e desenvolvimento da criança, promovendo a saúde mental desta (PATTO, 1997).
      • São inúmeras as possibilidades práticas de intervenção do psicólogo escolar, podendo trabalhar a questão da avaliação em contexto escolar, com a administração de testes, inventários, escalas e questionários para o levantamento das mais variadas questões, sempre com a finalidade de desenvolver algo que seja útil no estudo de crianças e jovens, relacionando entre outras coisas a utilidade dos testes, a validade destes no Brasil, já que muitos são produzidos em outras realidades .
    • Agente de mudanças
      • o psicólogo educacional pode buscar a mobilização da comunidade escolar com a finalidade de pensar juntos sua realidade, suas reais funções, organização, funcionamento e relações mantidas com outras instituições e estrutura social, bem como questionar as relações e comunicações interpessoais estabelecidas no meio escolar, começando com a organização de equipes multiprofissionais realmente atuantes.
    • Participar da elaboração de currículos e programas educacionais
      • Esta característica foi baseada no Plano de Carreira, Cargos e Salários (P.C.C.S.) e constata-se que a atuação do psicólogo seria a de questionar juntamente com a equipe técnica pedagógica os fatores culturais, sociais e econômicos de sua comunidade escolar, visando a qualidade de ensino, tanto em relação a satisfação dos profissionais da educação quanto do rendimento e satisfação do aluno, podendo reduzir repetência e evasão escolares, pela motivação adequada e fundamentada em preceitos técnicos científicos bem como sócio-psíquico-pedagógicos reais.
    • Supervisionar e acompanhar a execução de programas de reeducação psicopedagógicas
      • as dificuldades de aprendizagem observadas nos alunos do primeiro ano e as retenções nas séries iniciais do ensino fundamental, pressupõem comprometimentos a serem diagnosticados pelos técnicos da educação, de acordo com suas competências. Ao psicólogo escolar cabe a elucidação das causas, dinâmica e conseqüência psicológica de tais processos, de cunho emocional ou maturacional.
      • A formação do psicólogo escolar habilita-o a atuar nas áreas clínica, organizacional e escolar, distintas nas atribuições de atuação mas fundamentadas no núcleo comum de conhecimentos que dá subsídios teórico-metodológicos, técnicas e instrumentos capazes de compreender e auxiliar na adequação o comportamento humano de acordo com parâmetros científicos e sociais
    • VISÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ACERCA DO PSICÓLOGO ESCOLAR
      • As atribuições do psicólogo escolar embora bem definidas trazem um componente histórico-social do repertório de ações clínicas onde, na praxe popular, entende-se que são ações de onipotência e soluções mágicas.
      • 1 – Diagnosticar e acompanhar clinicamente profissionais e alunos problemas :
      • deseja-se que a cada impasse comportamental de alunos ou profissionais da escola o psicólogo seja chamado para analisar, diagnosticar e dar solução voltada a adaptação e ao ajustamento do indivíduo problema à dinâmica de relações existentes naquele meio inquestionável e imutável, visando a não reincidência do comportamento.
    • 2 – Dar soluções imediatas aos problemas comportamentais
      • as expectativas dos profissionais da educação de soluções mágicas por parte do psicólogo, onde o simples fato dele olhar para o indivíduo poderia capacitá-lo a desvendar segredos ( adivinhação), são tão explícitos que as verbalizações utilizadas são cotidianas e despojadas de qualquer crítica ou auto-censura, denotando absoluta certeza e alto grau de conhecimento do papel do psicólogo. As atitudes na entrega do problema, geralmente acompanhadas pela frase veja o que você faz com ele pois eu já não o agüento mais em sala , pressupõem ser desnecessário o fornecimento de informações e formulação da queixa, reforçando a crença de que o psicólogo pode e deve descobrir tudo.
    • 3 – Resistência às soluções propostas pelo psicólogo escolar :
      • no ambiente escolar em que a estrutura das relações já está definida, onde os profissionais já adaptaram seus procedimentos às condições existentes, às concessões mútuas, à antigüidade de posto, utilizando a posse do diploma e a intransigência como argumentos de verdades absolutas e inquestionáveis, o psicólogo como elemento novo neste ambiente sofre resistência quando propõe questionar a situação vigente. Esta resistência denota inflexibilidade e insegurança, características de indivíduos inseridos em ambientes aparentemente imutáveis.
      • A não satisfação de tais expectativas gera frustração e rejeição ao psicólogo, podendo este ser entendido como incompetente e desnecessário ao meio escolar. Cabe-lhe esforço e habilidade na negociação para conquista do espaço e criação de clima de mútua confiança a fim de que, como agente de mudança, possa provocá-las neste meio resistente e ávido por psicoterapias, ajuda a desajustados sociais, portadores de distúrbios emocionais e de conduta e deficientes de ordem motora , os quais não raros são trazidos com o diagnóstico já discutido e elaborado pelos servidores.