SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Psicologia Escolar e Educacional
         Psicólogo Escolar: José Felix
Introdução
• A psicologia escolar é uma área ampla que
  envolve aspectos da psicologia e da educação,
  está em processo de desenvolvimento e faz a
  interface entre psicologia e educação.
• O psicólogo inserido na escola é responsável
  pela promoção de saúde mental da mesma,
  atuando junto a todos os membros que fazem
  parte da escola: alunos, educadores (diretores,
  professores e funcionários) e os pais. O trabalho
  com estas pessoas é sempre contínuo e a
  intervenção, deveria ser sempre em grupo.
• O psicólogo escolar atua não
  apenas na remediação de
  problemas,    mas      também
  desenvolvendo trabalhos que
  visem à prevenção dos
  mesmos. Por estar inserido na
  escola é preciso que tenha
  conhecimentos relacionados à
  criança,   suas    fases    de
  desenvolvimento       e     de
  aprendizagem, e sobre o
  processo ensino-aprendizagem.
• Lightner R. Witmer, que juntamente
  com Granville Stanley Hall é
  considerado pioneiro da Psicologia
  Escolar nos EUA, iniciou as clínicas
  psicológicas para crianças, sendo o
  fundador     da   primeira    Clínica
  Psicológica dos Estados Unidos, na
  Universidade de Penssylvania no ano
  de 1896.
O QUE É PSICOLOGIA ESCOLAR?
• Segundo o dicionário de Psicologia Dorsch (2001) a
  definição de Psicologia Escolar como a “aplicação de
  conhecimentos psicológicos, especialmente dos
  pedagógicos e da psicologia do desenvolvimento às
  exigências da escola, bem como a pesquisa e prática
  psicológicas no âmbito da escola, por exemplo, o
  diagnóstico das causas das dificuldades de aprender e
  sua eliminação ou a análise psico-organicossocial e a
  melhoria dos processos entre as pessoas (por
  exemplo, as relações de estima, cadeias do mundo),
  dos fatores situacionais (por exemplo, clima da escola,
  atmosfera do grupo) e das estruturas institucionais
  (por exemplo, tamanho das instalações e sua
  distribuição, regulamentos, no tocante à escolha das
  disciplinas e à avaliação do rendimento)” (p. 763).
Então, o que é o psicólogo escolar?
• “o psicólogo que age e trabalha no espaço de
  vida e das relações da escola (em sentido
  amplo), com as tarefas principais de
  diagnóstico e solução de problemas que
  aparecem, no âmbito da atividade escolar,
  entre alunos e/ou professores. De acordo
  com esta descrição das tarefas, as atividades
  do psicólogo escolar visam também a
  eliminar deficiências individuais, - enquanto
  aparecem assim condicionadas - como a
  eliminar deficiências da instituição escolar”
  (DORSCH, 2001, p. 784).
A Psicologia Escolar e a Psicologia
      Educacional no Brasil
• A ABRAPEE (Associação Brasileira de
  Psicologia Escolar e Educacional) foi
  fundada em 1988 pela Dra. Solange M.
  Wechsler com o objetivo de promover
  e aperfeiçoar a psicologia escolar no
  Brasil, muito pouco divulgada até
  então(WECHSLER,2001).
• A ABRAPEE (Associação Brasileira de
  Psicologia Escolar e Educacional) se posiciona
  quanto à compreensão de Psicologia Escolar
  e Educacional, atestando que “entende por
  psicólogos escolares e educacionais aqueles
  profissionais que, devido a sua preparação
  universitária em psicologia e experiências
  subseqüentes nas áreas escolar e/ou
  educacional, trabalham para melhorar o
  processo ensino-aprendizagem no seu
  aspecto global (cognitivo, emocional, social e
  motor) através de serviços oferecidos a
  indivíduos, grupos, famílias e organizações”
  (JOLY, 2000, p. 52).
• De acordo com a ABRAPEE a distinção
  entre psicologia escolar e psicologia
  educacional, está calcada no fato da
  atuação do psicólogo escolar estar mais
  voltada para intervenção na prática,
  enquanto que a do psicólogo educacional
  se direciona, geralmente, para as áreas de
  ensino e pesquisa.
O PAPEL DO PSICÓLOGO ESCOLAR
 • O profissional que trabalha com a
   psicologia escolar será o psicólogo escolar
   que, mediante a sua formação, utiliza-se
   de métodos e técnicas psicológicas para
   promover a melhora na qualidade e
   eficiência do processo educacional,
   visando, não apenas a resolução de um
   problema, mas também a promoção da
   saúde mental na escola.
• Quando se fala em promoção de saúde mental, se
  fala em promoção de bons relacionamentos
  interpessoais, boa autoestima, boas condições de
  aprendizagem/desenvolvimento, facilidade de
  expressão, acesso à equipe pedagógica,
  preocupação com os indivíduos e suas limitações.
• psicólogo deve ser não apenas uma pessoa
  treinada em psicologia, como também treinada
  em educação, e se não for treinada em ambas é
  preciso que seja treinada em uma e familiarizada
  com a outra, para que possa desenvolver o seu
  trabalho satisfatoriamente, ou seja, capaz de
  assistir e orientar professores e educadores no
  trabalho educacional.
• O psicólogo precisa compreender a criança
  mediante      o    seu     processo      de
  desenvolvimento, saber em qual estágio se
  encontra, que toda criança passa por
  processos de mudanças e de que convive
  não apenas no ambiente escolar, mas
  também em um contexto externo a este
  que é o seu lar (ambiente social e familiar)
  composto por diversas relações.
Masini (1981) o papel do psicólogo escolar se baseia em:

1. Desempenhar um papel importante no
   processo educativo através de sua
   atuação profissional, fundamentalmente
   preventiva;
2. Ter uma formação de alto nível teórico,
   uma vez que deverá estar devidamente
   capacitado e qualificado para enfrentar
   diversas    situações,   problemas    e
   dificuldades     de     adaptação     e
   aprendizagem escolar;
3.     Programar       sistematicamente     estágios
   supervisionados, pois o psicólogo escolar deve
   não somente dominar as técnicas de observação
   e de avaliação psicológica, como ter tido
   experiências relacionadas à dinâmica das
   estruturas escolares, a ênfase deve ser dada aos
   estudos práticos da psicologia evolutiva,
   diferencial, social, da aprendizagem e à revisão
   contínua das técnicas de pesquisa e de avaliação
   psicológica;
4. Ser criteriosamente selecionado, pois necessita
   ter significativo interesse por problemas da
   educação e particular motivação pelo estudo e
   soluções dos problemas de desenvolvimento,
   ajustamento e aprendizagem escolar;
• 5. Colaborar na elaboração do programa de
  testes adotados na escola, pois a atuação do
  psicólogo escolar num serviço de psicologia
  escolar atingirá alunos, professores e pais,
  cabendo a ele a tarefa da avaliação,
  diagnóstico e orientação psicológica;
  6. Utilizar o processo do exame psicológico
  analítico, pois oferece maiores recursos para
  um diagnóstico e prognóstico escolar válido;
  7. Desenvolver pesquisas no campo da
  educação, bem como a elaboração de testes
  específicos que tragam contribuição real para
  o campo da psicologia escolar.
• A atuação do psicólogo não pode se
  restringir ao diagnóstico, ou relatório aos
  pais ou professores, como já dito
  anteriormente, é preciso que mediante
  estes levantamentos proporcione um
  ambiente favorável para o crescimento e
  desenvolvimento da criança, promovendo
  a saúde mental desta (PATTO, 1997).
• São inúmeras as possibilidades práticas de
  intervenção do psicólogo escolar, podendo
  trabalhar a questão da avaliação em
  contexto escolar, com a administração de
  testes, inventários, escalas e questionários
  para o levantamento das mais variadas
  questões, sempre com a finalidade de
  desenvolver algo que seja útil no estudo de
  crianças e jovens, relacionando entre
  outras coisas a utilidade dos testes, a
  validade destes no Brasil, já que muitos são
  produzidos em outras realidades .
Agente de mudanças
• o psicólogo educacional pode buscar a
  mobilização da comunidade escolar
  com a finalidade de pensar juntos sua
  realidade, suas reais funções,
  organização,     funcionamento       e
  relações mantidas com outras
  instituições e estrutura social, bem
  como questionar as relações e
  comunicações             interpessoais
  estabelecidas no meio escolar,
  começando com a organização de
  equipes multiprofissionais realmente
  atuantes.
Participar da elaboração de currículos
        e programas educacionais
• Esta característica foi baseada no Plano de Carreira,
  Cargos e Salários (P.C.C.S.) e constata-se que a
  atuação do psicólogo seria a de questionar
  juntamente com a equipe técnica pedagógica os
  fatores culturais, sociais e econômicos de sua
  comunidade escolar, visando a qualidade de ensino,
  tanto em relação a satisfação dos profissionais da
  educação quanto do rendimento e satisfação do
  aluno, podendo reduzir repetência e evasão
  escolares,    pela      motivação     adequada     e
  fundamentada em preceitos técnicos científicos
  bem como sócio-psíquico-pedagógicos reais.
Supervisionar e acompanhar a execução de
  programas de reeducação psicopedagógicas
• as     dificuldades   de     aprendizagem
  observadas nos alunos do primeiro ano e as
  retenções nas séries iniciais do ensino
  fundamental,                   pressupõem
  comprometimentos a serem diagnosticados
  pelos técnicos da educação, de acordo com
  suas competências. Ao psicólogo escolar
  cabe a elucidação das causas, dinâmica e
  conseqüência psicológica de tais processos,
  de cunho emocional ou maturacional.
• A formação do psicólogo
  escolar habilita-o a atuar nas
  áreas clínica, organizacional e
  escolar, distintas nas atribuições
  de atuação mas fundamentadas
  no     núcleo       comum        de
  conhecimentos          que       dá
  subsídios                  teórico-
  metodológicos,       técnicas     e
  instrumentos       capazes       de
  compreender e auxiliar na
  adequação o comportamento
  humano de acordo com
  parâmetros científicos e sociais
VISÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO
      ACERCA DO PSICÓLOGO ESCOLAR
• As atribuições do psicólogo escolar embora
  bem definidas trazem um componente
  histórico-social do repertório de ações
  clínicas onde, na praxe popular, entende-se
  que são ações de onipotência e soluções
  mágicas.
1 – Diagnosticar e acompanhar clinicamente
         profissionais e alunos problemas:
• deseja-se    que     a   cada    impasse
  comportamental        de   alunos      ou
  profissionais da escola o psicólogo seja
  chamado para analisar, diagnosticar e dar
  solução voltada a adaptação e ao
  ajustamento do indivíduo problema à
  dinâmica de relações existentes naquele
  meio inquestionável e imutável, visando a
  não reincidência do comportamento.
2 – Dar soluções imediatas aos problemas comportamentais
• as expectativas dos profissionais da educação de soluções
  mágicas por parte do psicólogo, onde o simples fato dele
  olhar para o indivíduo poderia capacitá-lo a desvendar
  segredos (adivinhação), são tão explícitos que as
  verbalizações utilizadas são cotidianas e despojadas de
  qualquer crítica ou auto-censura, denotando absoluta
  certeza e alto grau de conhecimento do papel do
  psicólogo. As atitudes na entrega do problema,
  geralmente acompanhadas pela frase veja o que você faz
  com ele pois eu já não o agüento mais em sala,
  pressupõem ser desnecessário o fornecimento de
  informações e formulação da queixa, reforçando a crença
  de que o psicólogo pode e deve descobrir tudo.
3 – Resistência às soluções propostas pelo
               psicólogo escolar:
• no ambiente escolar em que a estrutura das relações já
  está definida, onde os profissionais já adaptaram seus
  procedimentos às condições existentes, às concessões
  mútuas, à antigüidade de posto, utilizando a posse do
  diploma e a intransigência como argumentos de
  verdades absolutas e inquestionáveis, o psicólogo como
  elemento novo neste ambiente sofre resistência quando
  propõe questionar a situação vigente. Esta resistência
  denota inflexibilidade e insegurança, características de
  indivíduos inseridos em ambientes aparentemente
  imutáveis.
• A não satisfação de tais expectativas gera
  frustração e rejeição ao psicólogo, podendo este
  ser    entendido     como      incompetente    e
  desnecessário ao meio escolar. Cabe-lhe esforço
  e habilidade na negociação para conquista do
  espaço e criação de clima de mútua confiança a
  fim de que, como agente de mudança, possa
  provocá-las neste meio resistente e ávido por
  psicoterapias, ajuda a desajustados sociais,
  portadores de distúrbios emocionais e de
  conduta e deficientes de ordem motora, os quais
  não raros são trazidos com o diagnóstico já
  discutido e elaborado pelos servidores.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blogestudosacademicospedag
 
Transtorno de Conduta
Transtorno de CondutaTranstorno de Conduta
Transtorno de CondutaCassia Dias
 
Promovendo a Saúde do Professor
Promovendo a Saúde do ProfessorPromovendo a Saúde do Professor
Promovendo a Saúde do ProfessorCassia Dias
 
Psicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e EducacionalPsicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e Educacionalmluisavalente
 
Psicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes AbordagensPsicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes AbordagensBruno Carrasco
 
Psicologia Em Parceria Projeto
Psicologia Em Parceria ProjetoPsicologia Em Parceria Projeto
Psicologia Em Parceria Projetocrissaqua
 
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem iiDesenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem iifernandomaceioalagoas
 
Fundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaFundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaUNICEP
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRiaSilvia Marina Anaruma
 
Diagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoDiagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoRochelle Arruda
 

Mais procurados (20)

Apresentação: Fundamentos da Psicopedagogia
Apresentação: Fundamentos da PsicopedagogiaApresentação: Fundamentos da Psicopedagogia
Apresentação: Fundamentos da Psicopedagogia
 
Terapia de casal
Terapia de casalTerapia de casal
Terapia de casal
 
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
 
A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)
A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)
A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)
 
Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem
 
Transtorno de Conduta
Transtorno de CondutaTranstorno de Conduta
Transtorno de Conduta
 
A estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCC
A estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCCA estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCC
A estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCC
 
01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar
 
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva ComportamentalTCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
 
Promovendo a Saúde do Professor
Promovendo a Saúde do ProfessorPromovendo a Saúde do Professor
Promovendo a Saúde do Professor
 
Psicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e EducacionalPsicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e Educacional
 
Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?
 
Psicologia da Educação
Psicologia da EducaçãoPsicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Psicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes AbordagensPsicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes Abordagens
 
Psicopedagogia
PsicopedagogiaPsicopedagogia
Psicopedagogia
 
Psicologia Em Parceria Projeto
Psicologia Em Parceria ProjetoPsicologia Em Parceria Projeto
Psicologia Em Parceria Projeto
 
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem iiDesenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
 
Fundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaFundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogia
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
 
Diagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoDiagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico Psicopedagógico
 

Destaque

Psicologia educacional
Psicologia educacionalPsicologia educacional
Psicologia educacionalAna Pereira
 
Psicologia Escolar
Psicologia EscolarPsicologia Escolar
Psicologia EscolarEster Oyola
 
Contribuições da psicologia
Contribuições da psicologiaContribuições da psicologia
Contribuições da psicologiamegainfoin
 
04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.GLEYDSON ROCHA
 
La psicología escolar y sus funciones de prevencion
La psicología escolar y sus funciones de prevencionLa psicología escolar y sus funciones de prevencion
La psicología escolar y sus funciones de prevencionmiguelinaacosta
 
Psicologia da Educação
Psicologia da EducaçãoPsicologia da Educação
Psicologia da Educaçãounieubra
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Carlos Caldas
 
Trabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrnTrabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrnhalinedias
 
Alfabeto emocional
Alfabeto emocionalAlfabeto emocional
Alfabeto emocionalamajordao
 
Estresse no trabalho
Estresse no trabalhoEstresse no trabalho
Estresse no trabalhoFlavio Farah
 
Psicanálise cópia
 Psicanálise   cópia Psicanálise   cópia
Psicanálise cópiaamajordao
 
Gerenciamento Do Estresse
Gerenciamento Do EstresseGerenciamento Do Estresse
Gerenciamento Do Estressec_tops
 
Prevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalho
Prevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalhoPrevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalho
Prevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalhoClínica Lares
 
Neuropsicologia e Educação
Neuropsicologia e EducaçãoNeuropsicologia e Educação
Neuropsicologia e EducaçãoJhonatan Max
 

Destaque (20)

Psicologia educacional
Psicologia educacionalPsicologia educacional
Psicologia educacional
 
Psicologia Escolar
Psicologia EscolarPsicologia Escolar
Psicologia Escolar
 
Contribuições da psicologia
Contribuições da psicologiaContribuições da psicologia
Contribuições da psicologia
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
 
04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.
 
La psicología escolar y sus funciones de prevencion
La psicología escolar y sus funciones de prevencionLa psicología escolar y sus funciones de prevencion
La psicología escolar y sus funciones de prevencion
 
Psicologia da Educação
Psicologia da EducaçãoPsicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Trabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrnTrabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrn
 
Alfabeto emocional
Alfabeto emocionalAlfabeto emocional
Alfabeto emocional
 
Estresse no trabalho
Estresse no trabalhoEstresse no trabalho
Estresse no trabalho
 
Roles en la clase escolar
Roles en la clase escolarRoles en la clase escolar
Roles en la clase escolar
 
Psicanálise cópia
 Psicanálise   cópia Psicanálise   cópia
Psicanálise cópia
 
Gerenciamento Do Estresse
Gerenciamento Do EstresseGerenciamento Do Estresse
Gerenciamento Do Estresse
 
Atualidades enem 2015
Atualidades enem 2015Atualidades enem 2015
Atualidades enem 2015
 
Prevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalho
Prevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalhoPrevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalho
Prevenção de Estresse: Qualidade de Vida e bem-estar no ambiente de trabalho
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 
Neuropsicologia e Educação
Neuropsicologia e EducaçãoNeuropsicologia e Educação
Neuropsicologia e Educação
 
ROL DEL ESTUDIANTE
ROL DEL ESTUDIANTEROL DEL ESTUDIANTE
ROL DEL ESTUDIANTE
 
Neuropsicologia para Educadores
Neuropsicologia para EducadoresNeuropsicologia para Educadores
Neuropsicologia para Educadores
 

Semelhante a Psicologia escolar

Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)crisostomopedro
 
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...Thiago Cardoso
 
83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolar
83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolar83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolar
83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolarJanio Clímaco
 
01 psicologia da educação
01 psicologia da educação01 psicologia da educação
01 psicologia da educaçãoGLEYDSON ROCHA
 
A trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaA trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaJamille Araújo
 
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogiaFundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogiaVanessa Casaro
 
Histório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da PsicopedagogiaHistório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da Psicopedagogiajanpsicoped
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarPatricia Rodrigues
 
Curso parte 3
Curso parte 3Curso parte 3
Curso parte 3Luana Fé
 
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório Elisângela Feitosa
 
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaFundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaInstituto Consciência GO
 
O papel do psicólogo educacional
O papel do psicólogo educacionalO papel do psicólogo educacional
O papel do psicólogo educacionalPaula Santos
 
A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...
A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...
A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...Amanda Peixoto de Oliveira
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxRafael408221
 
Atps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidadeAtps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidademkbariotto
 
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptvdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptBinho36
 

Semelhante a Psicologia escolar (20)

Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
 
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...
 
Psi capítulo 4 slide
Psi capítulo 4 slidePsi capítulo 4 slide
Psi capítulo 4 slide
 
83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolar
83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolar83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolar
83 cge 2010 novos paradigmas do psicologo escolar
 
01 psicologia da educação
01 psicologia da educação01 psicologia da educação
01 psicologia da educação
 
A trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaA trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogia
 
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogiaFundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
 
Histório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da PsicopedagogiaHistório e contextualização da Psicopedagogia
Histório e contextualização da Psicopedagogia
 
psicologia escolar
psicologia escolarpsicologia escolar
psicologia escolar
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
 
Psicopedagogia
Psicopedagogia Psicopedagogia
Psicopedagogia
 
Curso parte 3
Curso parte 3Curso parte 3
Curso parte 3
 
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
 
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaFundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
 
O papel do psicólogo educacional
O papel do psicólogo educacionalO papel do psicólogo educacional
O papel do psicólogo educacional
 
A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...
A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...
A IMPORTÂNCIA DO PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL NA INTERFACE ENTRE A FAMÍLIA E A...
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
 
Psicopedagogia
PsicopedagogiaPsicopedagogia
Psicopedagogia
 
Atps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidadeAtps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidade
 
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptvdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
 

Psicologia escolar

  • 1. Psicologia Escolar e Educacional Psicólogo Escolar: José Felix
  • 2. Introdução • A psicologia escolar é uma área ampla que envolve aspectos da psicologia e da educação, está em processo de desenvolvimento e faz a interface entre psicologia e educação. • O psicólogo inserido na escola é responsável pela promoção de saúde mental da mesma, atuando junto a todos os membros que fazem parte da escola: alunos, educadores (diretores, professores e funcionários) e os pais. O trabalho com estas pessoas é sempre contínuo e a intervenção, deveria ser sempre em grupo.
  • 3. • O psicólogo escolar atua não apenas na remediação de problemas, mas também desenvolvendo trabalhos que visem à prevenção dos mesmos. Por estar inserido na escola é preciso que tenha conhecimentos relacionados à criança, suas fases de desenvolvimento e de aprendizagem, e sobre o processo ensino-aprendizagem.
  • 4. • Lightner R. Witmer, que juntamente com Granville Stanley Hall é considerado pioneiro da Psicologia Escolar nos EUA, iniciou as clínicas psicológicas para crianças, sendo o fundador da primeira Clínica Psicológica dos Estados Unidos, na Universidade de Penssylvania no ano de 1896.
  • 5. O QUE É PSICOLOGIA ESCOLAR? • Segundo o dicionário de Psicologia Dorsch (2001) a definição de Psicologia Escolar como a “aplicação de conhecimentos psicológicos, especialmente dos pedagógicos e da psicologia do desenvolvimento às exigências da escola, bem como a pesquisa e prática psicológicas no âmbito da escola, por exemplo, o diagnóstico das causas das dificuldades de aprender e sua eliminação ou a análise psico-organicossocial e a melhoria dos processos entre as pessoas (por exemplo, as relações de estima, cadeias do mundo), dos fatores situacionais (por exemplo, clima da escola, atmosfera do grupo) e das estruturas institucionais (por exemplo, tamanho das instalações e sua distribuição, regulamentos, no tocante à escolha das disciplinas e à avaliação do rendimento)” (p. 763).
  • 6. Então, o que é o psicólogo escolar? • “o psicólogo que age e trabalha no espaço de vida e das relações da escola (em sentido amplo), com as tarefas principais de diagnóstico e solução de problemas que aparecem, no âmbito da atividade escolar, entre alunos e/ou professores. De acordo com esta descrição das tarefas, as atividades do psicólogo escolar visam também a eliminar deficiências individuais, - enquanto aparecem assim condicionadas - como a eliminar deficiências da instituição escolar” (DORSCH, 2001, p. 784).
  • 7. A Psicologia Escolar e a Psicologia Educacional no Brasil • A ABRAPEE (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional) foi fundada em 1988 pela Dra. Solange M. Wechsler com o objetivo de promover e aperfeiçoar a psicologia escolar no Brasil, muito pouco divulgada até então(WECHSLER,2001).
  • 8. • A ABRAPEE (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional) se posiciona quanto à compreensão de Psicologia Escolar e Educacional, atestando que “entende por psicólogos escolares e educacionais aqueles profissionais que, devido a sua preparação universitária em psicologia e experiências subseqüentes nas áreas escolar e/ou educacional, trabalham para melhorar o processo ensino-aprendizagem no seu aspecto global (cognitivo, emocional, social e motor) através de serviços oferecidos a indivíduos, grupos, famílias e organizações” (JOLY, 2000, p. 52).
  • 9. • De acordo com a ABRAPEE a distinção entre psicologia escolar e psicologia educacional, está calcada no fato da atuação do psicólogo escolar estar mais voltada para intervenção na prática, enquanto que a do psicólogo educacional se direciona, geralmente, para as áreas de ensino e pesquisa.
  • 10. O PAPEL DO PSICÓLOGO ESCOLAR • O profissional que trabalha com a psicologia escolar será o psicólogo escolar que, mediante a sua formação, utiliza-se de métodos e técnicas psicológicas para promover a melhora na qualidade e eficiência do processo educacional, visando, não apenas a resolução de um problema, mas também a promoção da saúde mental na escola.
  • 11. • Quando se fala em promoção de saúde mental, se fala em promoção de bons relacionamentos interpessoais, boa autoestima, boas condições de aprendizagem/desenvolvimento, facilidade de expressão, acesso à equipe pedagógica, preocupação com os indivíduos e suas limitações. • psicólogo deve ser não apenas uma pessoa treinada em psicologia, como também treinada em educação, e se não for treinada em ambas é preciso que seja treinada em uma e familiarizada com a outra, para que possa desenvolver o seu trabalho satisfatoriamente, ou seja, capaz de assistir e orientar professores e educadores no trabalho educacional.
  • 12. • O psicólogo precisa compreender a criança mediante o seu processo de desenvolvimento, saber em qual estágio se encontra, que toda criança passa por processos de mudanças e de que convive não apenas no ambiente escolar, mas também em um contexto externo a este que é o seu lar (ambiente social e familiar) composto por diversas relações.
  • 13. Masini (1981) o papel do psicólogo escolar se baseia em: 1. Desempenhar um papel importante no processo educativo através de sua atuação profissional, fundamentalmente preventiva; 2. Ter uma formação de alto nível teórico, uma vez que deverá estar devidamente capacitado e qualificado para enfrentar diversas situações, problemas e dificuldades de adaptação e aprendizagem escolar;
  • 14. 3. Programar sistematicamente estágios supervisionados, pois o psicólogo escolar deve não somente dominar as técnicas de observação e de avaliação psicológica, como ter tido experiências relacionadas à dinâmica das estruturas escolares, a ênfase deve ser dada aos estudos práticos da psicologia evolutiva, diferencial, social, da aprendizagem e à revisão contínua das técnicas de pesquisa e de avaliação psicológica; 4. Ser criteriosamente selecionado, pois necessita ter significativo interesse por problemas da educação e particular motivação pelo estudo e soluções dos problemas de desenvolvimento, ajustamento e aprendizagem escolar;
  • 15. • 5. Colaborar na elaboração do programa de testes adotados na escola, pois a atuação do psicólogo escolar num serviço de psicologia escolar atingirá alunos, professores e pais, cabendo a ele a tarefa da avaliação, diagnóstico e orientação psicológica; 6. Utilizar o processo do exame psicológico analítico, pois oferece maiores recursos para um diagnóstico e prognóstico escolar válido; 7. Desenvolver pesquisas no campo da educação, bem como a elaboração de testes específicos que tragam contribuição real para o campo da psicologia escolar.
  • 16. • A atuação do psicólogo não pode se restringir ao diagnóstico, ou relatório aos pais ou professores, como já dito anteriormente, é preciso que mediante estes levantamentos proporcione um ambiente favorável para o crescimento e desenvolvimento da criança, promovendo a saúde mental desta (PATTO, 1997).
  • 17. • São inúmeras as possibilidades práticas de intervenção do psicólogo escolar, podendo trabalhar a questão da avaliação em contexto escolar, com a administração de testes, inventários, escalas e questionários para o levantamento das mais variadas questões, sempre com a finalidade de desenvolver algo que seja útil no estudo de crianças e jovens, relacionando entre outras coisas a utilidade dos testes, a validade destes no Brasil, já que muitos são produzidos em outras realidades .
  • 18. Agente de mudanças • o psicólogo educacional pode buscar a mobilização da comunidade escolar com a finalidade de pensar juntos sua realidade, suas reais funções, organização, funcionamento e relações mantidas com outras instituições e estrutura social, bem como questionar as relações e comunicações interpessoais estabelecidas no meio escolar, começando com a organização de equipes multiprofissionais realmente atuantes.
  • 19. Participar da elaboração de currículos e programas educacionais • Esta característica foi baseada no Plano de Carreira, Cargos e Salários (P.C.C.S.) e constata-se que a atuação do psicólogo seria a de questionar juntamente com a equipe técnica pedagógica os fatores culturais, sociais e econômicos de sua comunidade escolar, visando a qualidade de ensino, tanto em relação a satisfação dos profissionais da educação quanto do rendimento e satisfação do aluno, podendo reduzir repetência e evasão escolares, pela motivação adequada e fundamentada em preceitos técnicos científicos bem como sócio-psíquico-pedagógicos reais.
  • 20. Supervisionar e acompanhar a execução de programas de reeducação psicopedagógicas • as dificuldades de aprendizagem observadas nos alunos do primeiro ano e as retenções nas séries iniciais do ensino fundamental, pressupõem comprometimentos a serem diagnosticados pelos técnicos da educação, de acordo com suas competências. Ao psicólogo escolar cabe a elucidação das causas, dinâmica e conseqüência psicológica de tais processos, de cunho emocional ou maturacional.
  • 21. • A formação do psicólogo escolar habilita-o a atuar nas áreas clínica, organizacional e escolar, distintas nas atribuições de atuação mas fundamentadas no núcleo comum de conhecimentos que dá subsídios teórico- metodológicos, técnicas e instrumentos capazes de compreender e auxiliar na adequação o comportamento humano de acordo com parâmetros científicos e sociais
  • 22. VISÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ACERCA DO PSICÓLOGO ESCOLAR • As atribuições do psicólogo escolar embora bem definidas trazem um componente histórico-social do repertório de ações clínicas onde, na praxe popular, entende-se que são ações de onipotência e soluções mágicas.
  • 23. 1 – Diagnosticar e acompanhar clinicamente profissionais e alunos problemas: • deseja-se que a cada impasse comportamental de alunos ou profissionais da escola o psicólogo seja chamado para analisar, diagnosticar e dar solução voltada a adaptação e ao ajustamento do indivíduo problema à dinâmica de relações existentes naquele meio inquestionável e imutável, visando a não reincidência do comportamento.
  • 24. 2 – Dar soluções imediatas aos problemas comportamentais • as expectativas dos profissionais da educação de soluções mágicas por parte do psicólogo, onde o simples fato dele olhar para o indivíduo poderia capacitá-lo a desvendar segredos (adivinhação), são tão explícitos que as verbalizações utilizadas são cotidianas e despojadas de qualquer crítica ou auto-censura, denotando absoluta certeza e alto grau de conhecimento do papel do psicólogo. As atitudes na entrega do problema, geralmente acompanhadas pela frase veja o que você faz com ele pois eu já não o agüento mais em sala, pressupõem ser desnecessário o fornecimento de informações e formulação da queixa, reforçando a crença de que o psicólogo pode e deve descobrir tudo.
  • 25. 3 – Resistência às soluções propostas pelo psicólogo escolar: • no ambiente escolar em que a estrutura das relações já está definida, onde os profissionais já adaptaram seus procedimentos às condições existentes, às concessões mútuas, à antigüidade de posto, utilizando a posse do diploma e a intransigência como argumentos de verdades absolutas e inquestionáveis, o psicólogo como elemento novo neste ambiente sofre resistência quando propõe questionar a situação vigente. Esta resistência denota inflexibilidade e insegurança, características de indivíduos inseridos em ambientes aparentemente imutáveis.
  • 26. • A não satisfação de tais expectativas gera frustração e rejeição ao psicólogo, podendo este ser entendido como incompetente e desnecessário ao meio escolar. Cabe-lhe esforço e habilidade na negociação para conquista do espaço e criação de clima de mútua confiança a fim de que, como agente de mudança, possa provocá-las neste meio resistente e ávido por psicoterapias, ajuda a desajustados sociais, portadores de distúrbios emocionais e de conduta e deficientes de ordem motora, os quais não raros são trazidos com o diagnóstico já discutido e elaborado pelos servidores.