SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Baixar para ler offline
FACULDADE EVANGÉLICA CRISTO REI
Disciplina: FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA
Mariana Willendorff da C. Oliveira
Historiadora, Psicopedagoga, professora do SESI/EBEP/SOUSA,
Secretaria de Educação do Estado da Paraíba, Tutora da EAD/IFPB e
Supervisora PRONATEC/IFPB.
Introdução e fundamentos da Psicopedagogia
O objeto de estudo
Visão histórica e atual
Concepções que sustentam a Psicopedagogia
O papel da Psicopedagogia no contexto clínico e institucional
O fazer psicopedagógico: formas de atuação
O processo de formação do profissional em Psicopedagogia.
O código de Ética do psicopedagogo
Introdução e fundamentos da Psicopedagogia
A Psicopedagogia nasceu da necessidade: contribuir na busca de
soluções para a difícil questão do problema com a aprendizagem e vem
caminhando no sentido de contribuir para a melhor compreensão desse
processo.
Nesse sentido, a aprendizagem deve ser olhada como a atividade
de indivíduos ou grupos humanos, que mediante a incorporação de
informações e o desenvolvimento de experiências, promovem
modificações estáveis na personalidade e na dinâmica grupal as quais
revertem no manejo instrumental da realidade.
O objeto de estudo
A psicopedagogia é um campo do conhecimento que, como
próprio nome sugere, implica uma integração entre psicologia e
pedagogia tendo como objeto de estudo o processo de aprendizagem
visto como estrutural, construtivo e interacional, integrando nele
aspectos cognitivos, afetivos e sociais do ser humano.
A psicopedagogia tem, então, como objetivo, facilitar esse
processo de aprendizagem removendo os obstáculos que impedem que
ele se faça, ou amenizar os impactos causados pela orientação
desordenada dos estudos.
Então...
O foco dos estudos está no processo de construção do
conhecimento e no processo de construção da aprendizagem .
Assim, o trabalho psicopedagógico não se dá entre o
psicopedagogo e o processo de construção do conhecimento e, sim, ente
psicopedagogo e o ser em processo de construção do conhecimento, ou
seja, o ser cognoscente.
Os teóricos
O psicopedagogo está sempre se retratando as teorias,
englobando vários campos de conhecimentos, para
desenvolver sua ação.
Vários autores que tratam da Psicopedagogia enfatizam o
seu caráter interdisciplinar. Seu foco de atenção é a reação da
criança diante das tarefas, considerando resistências,
bloqueios, lapsos, hesitações, repetição, sentimentos de
angustias.
•Para Maria M. Neves (1992, p.10)
“Falar sobre psicopedagogia é, necessariamente, falar sobre a
articulação entre educação e psicologia, articulação essa que
desafia estudiosos e práticos dessas duas áreas. Embora quase
sempre presente no relato de inúmeros trabalhos científicos
que tratam principalmente dos problemas ligados a
aprendizagem. O termo psicopedagogia não consegue adquirir
clareza na dimensão conceitual.”
• Para Sonia Moojen Kiguel (1991,p.22)
“Historicamente a psicopedagogia surgiu na
fronteira entre pedagogia e a psicologia, a partir das
necessidades de atendimento de crianças com “distúrbios
de aprendizagem” consideradas inaptas dentro do sistema
educacional convencional (...) no momento atual, à luz de
pesquisas psicopedagógicas que vêm se desenvolvendo,
inclusive no nosso meio, e de contribuições da área da
psicologia, sociologia, antropologia, linguística,
epistemologia, o campo da psicopedagogia passa por
reformulação. De uma perspectiva puramente clínica e
individual busca-se uma compreensão mais integradora
do fenômeno da aprendizagem e uma atuação de natureza
mais preventiva.”
No Capítulo I, Artigo 1º, afirma que “A
Psicopedagogia é campo de atuação em saúde e
educação o qual lida com o conhecimento, sua
ampliação, sua aquisição, distorções, diferenças e
desenvolvimento por meio de múltiplos processos”
O Código de Ética da Psicopedagogia
Segundo MULLER, a Psicopedagogia liga-se as
características da aprendizagem humana, como se aprende,
como essa aprendizagem varia evolutivamente e está
condicionada por outros fatores; como e porque se
produzem as alterações da aprendizagem, como reconhecê-
las e tratá-las, que fazer para preveni-las, e para promover
processos de aprendizagem que tenham sentido para os
participantes.
Sendo assim...
• O psicopedagogo precisa saber o que é ensinar e o que é
aprender; como interferem os sistemas e métodos educativos;
os problemas estruturais que intervêm no surgimento dos
transtornos de aprendizagem e no processo escolar.
• Enfim, a psicopedagogia se ocupa da aprendizagem humana,
que adveio de uma demanda – o problema de aprendizagem.
– Como se preocupa com o problema de aprendizagem, deve
ocupar-se inicialmente do processo de aprendizagem,
estudando assim as características da aprendizagem humana.
Visão histórica e atual
 O Movimento da prática Psicopedagógica no Brasil sofreu grande
influência das ideias desenvolvidas na Argentina;
 O corpo teórico que constitui a fundamentação da psicopedagogia no
Brasil é formado por grandes nomes argentinos: Sara Paín, Jorge
Visca, Alícia Fernandez e outros;
A Psicopedagogia nasceu na Europa, no século XIX;
Visão histórica e atual
 O Movimento da prática Psicopedagógica no Brasil sofreu grande
influência das ideias desenvolvidas na Argentina;
 O corpo teórico que constitui a fundamentação da psicopedagogia no
Brasil é formado por grandes nomes argentinos: Sara Paín, Jorge
Visca, Alícia Fernandez e outros;
A Psicopedagogia nasceu na Europa, no século XIX;
Visão histórica e atual
 O termo Psicopedagogia curativa foi adotado por Janine Mery para
caracterizar a ação terapêutica dos aspectos Pedagógicos e
Psicológicos no tratamento de crianças com fracasso escolar;
O séc. XIX marcou o interesse de vários estudiosos em compreender e
atender os portadores de deficiências sensoriais, debilidade mental e
outros problemas relacionados à aprendizagem. Os pioneiros no
tratamento das dificuldades de aprendizagem.
A prática psicopedagógica desenvolveu-se na França que,
influenciou a prática Argentina, que por sua vez, influenciou
a prática Brasileira;
George Mauco foi o fundador do primeiro centro médico-
psicopedagógico na França;
Primeiras articulações entre a medicina, a psicologia,
psicanálise e pedagogia para a solução dos problemas de
comportamento e de aprendizagem.
 Maria Montessori- psiquiatra italiana criou um método
de aprendizagem específico para crianças retardadas.
Método sensorial, hoje amplamente utilizado para
alfabetização de todas as crianças.
Decroly- criou os centros de interesses para estimular as
situações de aprendizagem na criança com problemas
mentais.
Em 1946 foram fundados os primeiros Centros
Psicopedagógicos, por Boutonier e Mauco na França.
TRÊS CONOTAÇÕES
Prática clínica: consultório individual-grupal –familiar, em
instituições educativas e sanitárias;
Construção teórica: permeada pela prática de forma que, a
partir desta, a teoria psicopedagógica possa ser tecida;
Tratamento psicopedagógico – didático: se constitui num
espaço para a construção do olhar e da escuta clínica – a
análise do próprio aprender –que configuram a atitude
psicopedagógica.
PSICOPEDAGOGIA
O termo Psicopedagogia distingue-se em três conotações:
a-Como uma prática;
b-Um campo de investigação do ato de aprender e;
c- como um saber científico
A psicopedagogia não é sinônimo de psicologia Escolar. É uma
área mais recente, resultante da articulação de conhecimentos
dessas e de outras disciplinas, apontando com novos caminhos para
a solução de problemas antigos.
ESPAÇO
EPISTEMOLÓGICO
ABORDAGEM
INTERVENTIVA/CURATIVA
CLÍNICA
ABORDAGEM
PREVENTIVA
INSTITUCIONAL
O papel da Psicopedagogia no contexto clínico e
institucional
PSICOPEDAGOGO CLÍNICO
Reelabora o processo de aprendizagem
Propicia a construção do saber
Devolve ao sujeito o prazer de aprender
Resgate da autonomia
Cardápio individual- flexível
Há folga para trabalhar o desejo
Espaço para rastrear a meta
Objetivo – dirigido para a história do sujeito
– rede situações familiares
Uso da metodologia clínica
Está dirigida à história do sujeito porque a demanda é a cura.
O trabalho clínico se dá na relação
entre um sujeito com sua história
pessoal e sua modalidade de
aprendizagem buscando compreender
a mensagem de outro sujeito,
implícita no não-aprender. Nesse
processo, investigador e objeto-
sujeito interagem constantemente.
PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL
• Administra ansiedades
• Cria clima harmonioso nos grupos de
trabalho
• Colabora com a construção do conhecimento
• Identifica obstáculos no processo de
aprendizagem e desenvolvimento
• Implanta recursos preventivos,
conscientizando os conflitos de fragmentação
do conteúdo e da não formação de grupos
• Se dirige ao aluno como aprendente e ao
professor como ensinante
• Clareia papéis e tarefas no grupo
No trabalho
preventivo, a
instituição (espaço
físico e psíquico da
aprendizagem) é objeto
de estudos uma vez
que são avaliados os
processos didático-
metodológicos e a
dinâmica institucional
que interferem no
processo de
aprendizagem.
Concepções que sustentam a Psicopedagogia
• Segundo Bossa (2000), na sua função preventiva, cabe
ao profissional: detectar possíveis perturbações no
processo de aprendizagem; participar da dinâmica das
relações da comunidade educativa, a fim de favorecer
processos de integração e troca; promover orientações
metodológicas de acordo com as características dos
indivíduos e grupos; realizar processos de orientação
educacional, vocacional e ocupacional, tanto na forma
individual quanto em grupo.
Visão atual
Multidisciplinaridade
• recorremos a informações de várias matérias para estudar um determinado elemento, sem a preocupação de
interligar as disciplinas entre si.
Interdisciplinaridade
• estabelecemos uma interação entre duas ou mais disciplinas. O ensino e a pesquisa baseados na
interdisciplinaridade proporcionam uma aprendizagem muito mais estruturada e rica, pois os conceitos estão
organizados em torno de unidades mais globais, de estruturas conceituais e metodológicas compartilhadas.
Transdisciplinaridade
• a cooperação entre ao vários campos do saber atinge um nível onde não dá mais para separá-las: acaba
surgindo uma nova "macrodisciplina".
Psicopedagogia
• Pensamos que em breve a Psicopedagogia pode assumir o caráter de transdisciplinariedade que seria a
interdisciplinaridade num estágio avançado.
O POSITIVISMO E A PSICOPEDAGOGIA
• O Positivismo metodologia científica que envolve as ciência
do séc.XIX, sendo considerada a única metodologia que
encontra a verdade absoluta.
• Na corrente positivista destaca-se o francês Auguste Comte
(1798-1857)
• Entre as ciências com influência da visão positivista que
exercem uma significativa influência na Psicopedagogia
temos a Neurologia e a Fisiologia.
A HERMENEUTICA E A PSICOPEDAGOGIA
• Considerada a ciência humana e do espírito, a Hermenêutica
estuda as variadas atividades humanas em todos os seus
percursos. Desse modo a ação humana é dotada de sentidos e
valores.
• Nesta tradição da busca pelo sentido por meio de uma
interpretação rigorosa, encontramos a Psicanálise freudiana
que participa significativamente na composição teórica da
Psicopedagogia.
• Em nossa vivência em sala de aula, é possível observar que
cada aluno apresenta - a princípio - uma gama ampla de
diferentes características intelectuais, e que o convívio
escolar vai permitir ao professor, mesmo não especialista no
assunto, constatar que cada aluno apresenta algumas delas
como mais evidentes.
• Essas especificidades dependem, essencialmente, de sua
origem e/ou formação genética e influenciadas pelo meio
onde cada um vive e com quem se relaciona, ou seja, o
padrão original pode sofrer alterações durante todo o seu
ciclo de vida.
O fazer psicopedagógico: formas de atuação
• A partir do conhecimento do processo de aquisição da aprendizagem,
o especialista em psicopedagogia consegue detectar que situações
podem estar influenciando negativamente este processo, ou que
mecanismos o aprendiz está utilizando que podem estar dificultando
sua aprendizagem.
• É importante observamos e analisarmos o sistema familiar, escolar e
social em que está inserida, além do seu próprio processo de
aprendizagem, para podermos detectar o que pode estar
obstaculizando esta aquisição.
• Nessa perspectiva, as escolas, a maioria das vezes inconscientemente
ou falta de conhecimento têm a tendência de rotular alunos com
dificuldade de aprendizagem para uma determinada área do
conhecimento humano como menos inteligentes ou problemáticos.
• Condenam esse tipo de aluno à repetência ou multirrepentência e,
agindo assim, determinam a exclusão desse indivíduo do seu grupo de
amizades e a todas as consequências psicológicas daí resultantes. Além
disso, rotulam esse tipo de aluno como “sem solução” e vítimas da
desigualdade social.
Desenvolvimento da autonomia do
EDUCADOR
É imprescindível para um educador SER consciente de sua
missão emancipatória, a auto-avaliação permite a detecção de
deficiências pessoais que, por muitas vezes, acabam contribuindo para o
aumento das dificuldades de administração dos problemas de
aprendizagem.
• Segundo Scoz (2000), frente a problemas de aprendizagem dos alunos
relativas a sintomas, os professores nem sempre conseguem expressar-se
com clareza.
Quando:
1º falta de conhecimento
2º complexidade dos problemas.
Quando se refere m a obstáculos, os professores relatam interferências
funcionais como:
1º ausência de orientação espacial e temporal.
2ºcoordenação motora nas interferências sócio afetivas (relações
familiares já que a indiferença dos pais torna os alunos extremamente
carentes do ponto de vista afetivo explícitas na falta de autoestima)
• A realidade escolar tem mostrado um alto índice de fracasso e
evasão, principalmente nas classes de alfabetização para as
quais, muitas vezes, as escolas elegem o professor que acaba
de ingressar no magistério. Para este docente, atuar nas
primeiras séries é uma experiência sem experiência uma vez
que desconhece a didática diferencial de um professor
alfabetizador
PARA SABER MAIS
http://www.abpp.com.br/apresentacao.htm - ABPp - Associação
Brasileira de Psicopedagogia
http://www.nadiabossa.com.br/
http://www.grupopsicopedagogiando.com.br/p/blog-page_8317.html
http://atividadespedagogicasprofgracilene.blogspot.com.br/p/psicoped
agogia-clinica-e-institucional.html
Sugestão de Filmes
Uma Mente Brilhante
Gênio Indomável
Os Aprovados
Gênio Indomável

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - PiagetElisms88
 
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaFundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaInstituto Consciência GO
 
Fundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaFundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaUNICEP
 
Teorias e praticas da psicopedagogia
Teorias e praticas da psicopedagogiaTeorias e praticas da psicopedagogia
Teorias e praticas da psicopedagogiaDiego Rodrigues
 
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blogestudosacademicospedag
 
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteEpistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteAnaí Peña
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piagetpibidsociais
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemnormaquilino
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointMárcio Emílio
 
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencaoPsicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencaoSergio Luis dos Santos Lima
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetAnaí Peña
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemDébora Silveira
 

Mais procurados (20)

Psicologia E EducaçãO
Psicologia E EducaçãOPsicologia E EducaçãO
Psicologia E EducaçãO
 
Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - Piaget
 
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaFundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
 
Fundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogiaFundamentos da psicopedagogia
Fundamentos da psicopedagogia
 
Teorias e praticas da psicopedagogia
Teorias e praticas da psicopedagogiaTeorias e praticas da psicopedagogia
Teorias e praticas da psicopedagogia
 
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Psicopedagogia clinica  pratica especificaPsicopedagogia clinica  pratica especifica
Psicopedagogia clinica pratica especifica
 
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
 
Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)
 
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteEpistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piaget
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
 
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencaoPsicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
Psicopedagogia clinica institucional: avaliacao e intervencao
 
Objeto de Estudo da Psicopedagogia
Objeto de Estudo da PsicopedagogiaObjeto de Estudo da Psicopedagogia
Objeto de Estudo da Psicopedagogia
 
Tipos De Aprendizagem
Tipos De AprendizagemTipos De Aprendizagem
Tipos De Aprendizagem
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 

Semelhante a Apresentação: Fundamentos da Psicopedagogia

Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogiapsicologiainside
 
Fundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).ppt
Fundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).pptFundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).ppt
Fundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).pptValdianaSouza1
 
Trabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrnTrabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrnhalinedias
 
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introduçãoFundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introduçãoMARACRISTINAFORTUNAD
 
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptvdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptBinho36
 
Aval psicopedagogica
Aval psicopedagogicaAval psicopedagogica
Aval psicopedagogicaWilmar Souza
 
Avaliação psicopedagógica protocolo breve
Avaliação psicopedagógica   protocolo breveAvaliação psicopedagógica   protocolo breve
Avaliação psicopedagógica protocolo breveNanci Barillo
 
Psicologia educacional
Psicologia educacionalPsicologia educacional
Psicologia educacionalAna Pereira
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxRafael408221
 
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...GELCINEIA POLIZELLO
 
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...Bene1979
 
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)crisostomopedro
 
A trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaA trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaJamille Araújo
 
Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaFrancisco Martins
 

Semelhante a Apresentação: Fundamentos da Psicopedagogia (20)

Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
 
Fundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).ppt
Fundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).pptFundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).ppt
Fundamentos da Psicopedagogia Valdiana (1).ppt
 
Trabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrnTrabalho de psicologia escolar ifrn
Trabalho de psicologia escolar ifrn
 
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introduçãoFundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
 
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptvdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
 
Aval psicopedagogica
Aval psicopedagogicaAval psicopedagogica
Aval psicopedagogica
 
Avaliação psicopedagógica protocolo breve
Avaliação psicopedagógica   protocolo breveAvaliação psicopedagógica   protocolo breve
Avaliação psicopedagógica protocolo breve
 
Psicologia educacional
Psicologia educacionalPsicologia educacional
Psicologia educacional
 
01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar
 
Artigo carolinakopschina
Artigo carolinakopschinaArtigo carolinakopschina
Artigo carolinakopschina
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
 
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
 
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
 
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
 
A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)
A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)
A Psicologia Escolar (Conceitos, Desenvolvimento e Desafios)
 
A trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaA trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogia
 
elza-160727045940.pptx
elza-160727045940.pptxelza-160727045940.pptx
elza-160727045940.pptx
 
Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capa
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 

Mais de Mariana Willendorff Oliveira (7)

Aula SESI Patos- História da Arte no Renascimento
Aula SESI Patos- História da Arte no Renascimento Aula SESI Patos- História da Arte no Renascimento
Aula SESI Patos- História da Arte no Renascimento
 
Aulao itinerante
Aulao itineranteAulao itinerante
Aulao itinerante
 
Aulão História geral
Aulão História geralAulão História geral
Aulão História geral
 
As cruzadas medievais
As cruzadas medievaisAs cruzadas medievais
As cruzadas medievais
 
Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos  Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos
 
Seminario dicutindo gênero na escola
Seminario dicutindo gênero na escolaSeminario dicutindo gênero na escola
Seminario dicutindo gênero na escola
 
Governo de juatiniano
Governo de juatinianoGoverno de juatiniano
Governo de juatiniano
 

Último

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 

Último (20)

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 

Apresentação: Fundamentos da Psicopedagogia

  • 1.
  • 2. FACULDADE EVANGÉLICA CRISTO REI Disciplina: FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA Mariana Willendorff da C. Oliveira Historiadora, Psicopedagoga, professora do SESI/EBEP/SOUSA, Secretaria de Educação do Estado da Paraíba, Tutora da EAD/IFPB e Supervisora PRONATEC/IFPB.
  • 3. Introdução e fundamentos da Psicopedagogia O objeto de estudo Visão histórica e atual Concepções que sustentam a Psicopedagogia O papel da Psicopedagogia no contexto clínico e institucional O fazer psicopedagógico: formas de atuação O processo de formação do profissional em Psicopedagogia. O código de Ética do psicopedagogo
  • 4. Introdução e fundamentos da Psicopedagogia A Psicopedagogia nasceu da necessidade: contribuir na busca de soluções para a difícil questão do problema com a aprendizagem e vem caminhando no sentido de contribuir para a melhor compreensão desse processo. Nesse sentido, a aprendizagem deve ser olhada como a atividade de indivíduos ou grupos humanos, que mediante a incorporação de informações e o desenvolvimento de experiências, promovem modificações estáveis na personalidade e na dinâmica grupal as quais revertem no manejo instrumental da realidade.
  • 5. O objeto de estudo A psicopedagogia é um campo do conhecimento que, como próprio nome sugere, implica uma integração entre psicologia e pedagogia tendo como objeto de estudo o processo de aprendizagem visto como estrutural, construtivo e interacional, integrando nele aspectos cognitivos, afetivos e sociais do ser humano. A psicopedagogia tem, então, como objetivo, facilitar esse processo de aprendizagem removendo os obstáculos que impedem que ele se faça, ou amenizar os impactos causados pela orientação desordenada dos estudos.
  • 6. Então... O foco dos estudos está no processo de construção do conhecimento e no processo de construção da aprendizagem . Assim, o trabalho psicopedagógico não se dá entre o psicopedagogo e o processo de construção do conhecimento e, sim, ente psicopedagogo e o ser em processo de construção do conhecimento, ou seja, o ser cognoscente.
  • 7. Os teóricos O psicopedagogo está sempre se retratando as teorias, englobando vários campos de conhecimentos, para desenvolver sua ação. Vários autores que tratam da Psicopedagogia enfatizam o seu caráter interdisciplinar. Seu foco de atenção é a reação da criança diante das tarefas, considerando resistências, bloqueios, lapsos, hesitações, repetição, sentimentos de angustias.
  • 8. •Para Maria M. Neves (1992, p.10) “Falar sobre psicopedagogia é, necessariamente, falar sobre a articulação entre educação e psicologia, articulação essa que desafia estudiosos e práticos dessas duas áreas. Embora quase sempre presente no relato de inúmeros trabalhos científicos que tratam principalmente dos problemas ligados a aprendizagem. O termo psicopedagogia não consegue adquirir clareza na dimensão conceitual.”
  • 9. • Para Sonia Moojen Kiguel (1991,p.22) “Historicamente a psicopedagogia surgiu na fronteira entre pedagogia e a psicologia, a partir das necessidades de atendimento de crianças com “distúrbios de aprendizagem” consideradas inaptas dentro do sistema educacional convencional (...) no momento atual, à luz de pesquisas psicopedagógicas que vêm se desenvolvendo, inclusive no nosso meio, e de contribuições da área da psicologia, sociologia, antropologia, linguística, epistemologia, o campo da psicopedagogia passa por reformulação. De uma perspectiva puramente clínica e individual busca-se uma compreensão mais integradora do fenômeno da aprendizagem e uma atuação de natureza mais preventiva.”
  • 10. No Capítulo I, Artigo 1º, afirma que “A Psicopedagogia é campo de atuação em saúde e educação o qual lida com o conhecimento, sua ampliação, sua aquisição, distorções, diferenças e desenvolvimento por meio de múltiplos processos” O Código de Ética da Psicopedagogia
  • 11. Segundo MULLER, a Psicopedagogia liga-se as características da aprendizagem humana, como se aprende, como essa aprendizagem varia evolutivamente e está condicionada por outros fatores; como e porque se produzem as alterações da aprendizagem, como reconhecê- las e tratá-las, que fazer para preveni-las, e para promover processos de aprendizagem que tenham sentido para os participantes.
  • 12. Sendo assim... • O psicopedagogo precisa saber o que é ensinar e o que é aprender; como interferem os sistemas e métodos educativos; os problemas estruturais que intervêm no surgimento dos transtornos de aprendizagem e no processo escolar. • Enfim, a psicopedagogia se ocupa da aprendizagem humana, que adveio de uma demanda – o problema de aprendizagem. – Como se preocupa com o problema de aprendizagem, deve ocupar-se inicialmente do processo de aprendizagem, estudando assim as características da aprendizagem humana.
  • 13. Visão histórica e atual  O Movimento da prática Psicopedagógica no Brasil sofreu grande influência das ideias desenvolvidas na Argentina;  O corpo teórico que constitui a fundamentação da psicopedagogia no Brasil é formado por grandes nomes argentinos: Sara Paín, Jorge Visca, Alícia Fernandez e outros; A Psicopedagogia nasceu na Europa, no século XIX;
  • 14. Visão histórica e atual  O Movimento da prática Psicopedagógica no Brasil sofreu grande influência das ideias desenvolvidas na Argentina;  O corpo teórico que constitui a fundamentação da psicopedagogia no Brasil é formado por grandes nomes argentinos: Sara Paín, Jorge Visca, Alícia Fernandez e outros; A Psicopedagogia nasceu na Europa, no século XIX;
  • 15. Visão histórica e atual  O termo Psicopedagogia curativa foi adotado por Janine Mery para caracterizar a ação terapêutica dos aspectos Pedagógicos e Psicológicos no tratamento de crianças com fracasso escolar; O séc. XIX marcou o interesse de vários estudiosos em compreender e atender os portadores de deficiências sensoriais, debilidade mental e outros problemas relacionados à aprendizagem. Os pioneiros no tratamento das dificuldades de aprendizagem.
  • 16. A prática psicopedagógica desenvolveu-se na França que, influenciou a prática Argentina, que por sua vez, influenciou a prática Brasileira; George Mauco foi o fundador do primeiro centro médico- psicopedagógico na França; Primeiras articulações entre a medicina, a psicologia, psicanálise e pedagogia para a solução dos problemas de comportamento e de aprendizagem.
  • 17.  Maria Montessori- psiquiatra italiana criou um método de aprendizagem específico para crianças retardadas. Método sensorial, hoje amplamente utilizado para alfabetização de todas as crianças. Decroly- criou os centros de interesses para estimular as situações de aprendizagem na criança com problemas mentais. Em 1946 foram fundados os primeiros Centros Psicopedagógicos, por Boutonier e Mauco na França.
  • 18. TRÊS CONOTAÇÕES Prática clínica: consultório individual-grupal –familiar, em instituições educativas e sanitárias; Construção teórica: permeada pela prática de forma que, a partir desta, a teoria psicopedagógica possa ser tecida; Tratamento psicopedagógico – didático: se constitui num espaço para a construção do olhar e da escuta clínica – a análise do próprio aprender –que configuram a atitude psicopedagógica.
  • 19. PSICOPEDAGOGIA O termo Psicopedagogia distingue-se em três conotações: a-Como uma prática; b-Um campo de investigação do ato de aprender e; c- como um saber científico A psicopedagogia não é sinônimo de psicologia Escolar. É uma área mais recente, resultante da articulação de conhecimentos dessas e de outras disciplinas, apontando com novos caminhos para a solução de problemas antigos.
  • 21.
  • 22. PSICOPEDAGOGO CLÍNICO Reelabora o processo de aprendizagem Propicia a construção do saber Devolve ao sujeito o prazer de aprender Resgate da autonomia Cardápio individual- flexível Há folga para trabalhar o desejo Espaço para rastrear a meta Objetivo – dirigido para a história do sujeito – rede situações familiares Uso da metodologia clínica Está dirigida à história do sujeito porque a demanda é a cura. O trabalho clínico se dá na relação entre um sujeito com sua história pessoal e sua modalidade de aprendizagem buscando compreender a mensagem de outro sujeito, implícita no não-aprender. Nesse processo, investigador e objeto- sujeito interagem constantemente.
  • 23. PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL • Administra ansiedades • Cria clima harmonioso nos grupos de trabalho • Colabora com a construção do conhecimento • Identifica obstáculos no processo de aprendizagem e desenvolvimento • Implanta recursos preventivos, conscientizando os conflitos de fragmentação do conteúdo e da não formação de grupos • Se dirige ao aluno como aprendente e ao professor como ensinante • Clareia papéis e tarefas no grupo No trabalho preventivo, a instituição (espaço físico e psíquico da aprendizagem) é objeto de estudos uma vez que são avaliados os processos didático- metodológicos e a dinâmica institucional que interferem no processo de aprendizagem.
  • 24. Concepções que sustentam a Psicopedagogia • Segundo Bossa (2000), na sua função preventiva, cabe ao profissional: detectar possíveis perturbações no processo de aprendizagem; participar da dinâmica das relações da comunidade educativa, a fim de favorecer processos de integração e troca; promover orientações metodológicas de acordo com as características dos indivíduos e grupos; realizar processos de orientação educacional, vocacional e ocupacional, tanto na forma individual quanto em grupo.
  • 25. Visão atual Multidisciplinaridade • recorremos a informações de várias matérias para estudar um determinado elemento, sem a preocupação de interligar as disciplinas entre si. Interdisciplinaridade • estabelecemos uma interação entre duas ou mais disciplinas. O ensino e a pesquisa baseados na interdisciplinaridade proporcionam uma aprendizagem muito mais estruturada e rica, pois os conceitos estão organizados em torno de unidades mais globais, de estruturas conceituais e metodológicas compartilhadas. Transdisciplinaridade • a cooperação entre ao vários campos do saber atinge um nível onde não dá mais para separá-las: acaba surgindo uma nova "macrodisciplina". Psicopedagogia • Pensamos que em breve a Psicopedagogia pode assumir o caráter de transdisciplinariedade que seria a interdisciplinaridade num estágio avançado.
  • 26. O POSITIVISMO E A PSICOPEDAGOGIA • O Positivismo metodologia científica que envolve as ciência do séc.XIX, sendo considerada a única metodologia que encontra a verdade absoluta. • Na corrente positivista destaca-se o francês Auguste Comte (1798-1857) • Entre as ciências com influência da visão positivista que exercem uma significativa influência na Psicopedagogia temos a Neurologia e a Fisiologia.
  • 27. A HERMENEUTICA E A PSICOPEDAGOGIA • Considerada a ciência humana e do espírito, a Hermenêutica estuda as variadas atividades humanas em todos os seus percursos. Desse modo a ação humana é dotada de sentidos e valores. • Nesta tradição da busca pelo sentido por meio de uma interpretação rigorosa, encontramos a Psicanálise freudiana que participa significativamente na composição teórica da Psicopedagogia.
  • 28. • Em nossa vivência em sala de aula, é possível observar que cada aluno apresenta - a princípio - uma gama ampla de diferentes características intelectuais, e que o convívio escolar vai permitir ao professor, mesmo não especialista no assunto, constatar que cada aluno apresenta algumas delas como mais evidentes. • Essas especificidades dependem, essencialmente, de sua origem e/ou formação genética e influenciadas pelo meio onde cada um vive e com quem se relaciona, ou seja, o padrão original pode sofrer alterações durante todo o seu ciclo de vida. O fazer psicopedagógico: formas de atuação
  • 29.
  • 30. • A partir do conhecimento do processo de aquisição da aprendizagem, o especialista em psicopedagogia consegue detectar que situações podem estar influenciando negativamente este processo, ou que mecanismos o aprendiz está utilizando que podem estar dificultando sua aprendizagem. • É importante observamos e analisarmos o sistema familiar, escolar e social em que está inserida, além do seu próprio processo de aprendizagem, para podermos detectar o que pode estar obstaculizando esta aquisição.
  • 31. • Nessa perspectiva, as escolas, a maioria das vezes inconscientemente ou falta de conhecimento têm a tendência de rotular alunos com dificuldade de aprendizagem para uma determinada área do conhecimento humano como menos inteligentes ou problemáticos. • Condenam esse tipo de aluno à repetência ou multirrepentência e, agindo assim, determinam a exclusão desse indivíduo do seu grupo de amizades e a todas as consequências psicológicas daí resultantes. Além disso, rotulam esse tipo de aluno como “sem solução” e vítimas da desigualdade social.
  • 32. Desenvolvimento da autonomia do EDUCADOR É imprescindível para um educador SER consciente de sua missão emancipatória, a auto-avaliação permite a detecção de deficiências pessoais que, por muitas vezes, acabam contribuindo para o aumento das dificuldades de administração dos problemas de aprendizagem.
  • 33. • Segundo Scoz (2000), frente a problemas de aprendizagem dos alunos relativas a sintomas, os professores nem sempre conseguem expressar-se com clareza. Quando: 1º falta de conhecimento 2º complexidade dos problemas. Quando se refere m a obstáculos, os professores relatam interferências funcionais como: 1º ausência de orientação espacial e temporal. 2ºcoordenação motora nas interferências sócio afetivas (relações familiares já que a indiferença dos pais torna os alunos extremamente carentes do ponto de vista afetivo explícitas na falta de autoestima)
  • 34. • A realidade escolar tem mostrado um alto índice de fracasso e evasão, principalmente nas classes de alfabetização para as quais, muitas vezes, as escolas elegem o professor que acaba de ingressar no magistério. Para este docente, atuar nas primeiras séries é uma experiência sem experiência uma vez que desconhece a didática diferencial de um professor alfabetizador
  • 35.
  • 36. PARA SABER MAIS http://www.abpp.com.br/apresentacao.htm - ABPp - Associação Brasileira de Psicopedagogia http://www.nadiabossa.com.br/ http://www.grupopsicopedagogiando.com.br/p/blog-page_8317.html http://atividadespedagogicasprofgracilene.blogspot.com.br/p/psicoped agogia-clinica-e-institucional.html
  • 37. Sugestão de Filmes Uma Mente Brilhante Gênio Indomável Os Aprovados Gênio Indomável