Estudo radiologico dos ossos da face

28.989 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
28.989
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
286
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo radiologico dos ossos da face

  1. 1. ESTUDO RADIOLOGICO DOS OSSOS DA FACEAutor: Thiago Cancio
  2. 2. Ossos da Face
  3. 3. Ossos da face
  4. 4. Seios da face
  5. 5. Mento naso “Waters“Será estudado nessa incidência os processos neoplásicos e inflamatórios os corposestranhos no olho.Estruturas: orla orbitaria inferior, maxilas, septo nasal, ossos zigomáticos, arcoszigomáticos e espinha nasal anterior.Fatores técnicos:O receptor de imagem utilizado nessa incidência é um 18x24 sentido longitudinal outambém é utilizado o 24x30 sentido transversal colocado em uma grade móvel ouestacionaria com uma variação de kv na faixa de 70-80 kv;Posicionamento:Paciente em decúbito ventral ou ortostáse , com os braçosestendidos ao longo do corpo com o plano médio sagital sobrea linha central da mesa ou estativa , a região mentoniana deveestar apoiada sobre a mesa fazendo com que a linhamentomeatal esteja perpendicular a mesa.Raio central:Perpendicular ao filmepara sair no acantion.Respiração:Prender a respiração durante a exposição;Colimação:Colime as margens externas do crânio em todos os lados.
  6. 6. FRONTO-NASO-“CALDWELL”É estudado as fraturas e processos neoplásicos e inflamatórios dos ossos faciais.Estruturas mostradas:Orla orbitraria, maxilas, septo nasal, ossos zigomáticos, espinha nasal anterior;Fatores técnicos:O receptor deimagem utilizado nessa incidência é um 18x24 sentido longitudinal podetambém ser utilizado um 24x30 sentido transversal colocado em uma grade móvel ouestacionaria com a utilização de um kv variando na faixa de 70-80 kv;Posicionamento:Paciente em decúbito ventral ou ortostasa, os bracosestendidos ao lado do corpo com o plano médio sagitalsobre a linha central da mesa, a região frontal e o narizdevem estar apoiados sobre a mesa ou estativa, linhaorbito meatal perpendicular ao plano da mesa.Raio central:Angulado 15ºcaudal, para sair no nasioDistancia foco filme é de um metroColimação:Colimar todos os lados dos ossos faciais.
  7. 7. Seios da faceSão estudados nessa incidência processos neoplásicos inflamatórios dos ossos faciais.Estruturas mostradas:Ossos faciais sobrepostos, asa maior do esfenoide.Fatores técnicos:O receptor de imagem utilizado nessa incidência é um 18x24 sentido longitudinalcolocado em uma grade móvel ou estacionaria e é utilizado nessa incidência umavariação de kv na faixa de 70-80;Posicionamento:Paciente em decúbito ventral com a regiãolateral direita ou esquerda da face apoiadasobre a mesa ou estativa, o plano médio sagitaldeve estar paralelo a linha central da mesa, ealinha interpupilar ao filme.Raio central:Perpendicular entrando posterior a orbita eemergindo no centro do filme.Colimação:Colimar em todos os lados ate a primeira polegada dosossos faciais.
  8. 8. Submentovertice “HIRTZ”Sera estudado nessa incidência fraturas do arco zigomático e processos neoplásicos;Estruturas mostradas:Os arcos zigomáticos são mostrados projetando lateralmente de cada osso zigomáticoe temporal;Fatores Tecnicos:O receptor de imagem utilizado para esta incidência é um 18x24 sentido transversalcolocado em uma grade móvel ou estacionaria, com uma variação de kv na faixa de 70-80.Posicionamento:Eleve o queixo hiperestendendo o pescoço ate que alinha infra orbitomeatal esteja paralela ao filme.Repouse a cabeça no vértice do crânio .alinhe oplano médio sagital perpendicular a linha media dagrade ou a superfiecie da mesa, evitando toda ainclinação ou rotação.Raio central:Perpendicular horizontal, entrando 4centimetrosabaixo do mento, saindo no centro do vértice dacabeça e direcionado ao centro do receptor deimagens.Distancia foco filme:Um metro
  9. 9. Colimação :Colime até as margens externas do zigomático.Observação:Se o paciente for incapaz de estender o pescoço adequadamente angular o rcperpendicularmente a lom, se o equipamento permitir, o receptor de imagem tambémdeve estar angulado para manter a relação RC/receptor de imagem perpendicular.
  10. 10. Ossos próprios – NARIZ PERFILFraturas do osso nasal são mostrados, ambos os lados podem ser examinados paracomparação, com o lado maispróximo do filme sendo mostrado.Estruturas:Ossos nasais e estruturas do tecido mole do nariz geralmente são solicitadosincidências em ambos os lados para comparação e melhor visualização o lado maispróximo do filme.Fatores técnicos:O receptor de imagens utilizado para essa incidência é um 18x24 sentido transversaldividido ao meio para duas incidências, colocado em uma grade móvel ou fixa.Posicionamento:Paciente em semidecúbito ventral ou ortostasecom o plano médio sagital e linha Inter pupilarou ortostase com o plano médio sagitalparalelo e linha Inter pupilar perpendicular aofilme.Raio central:Perpendicular ao filme incidindo 1,25centímetros inferior ao nasio.Distancia foco filme:Um metroColimação:Rigorosamente a região do nariz.Respiração:Interromper a respiração durante a inspiração.
  11. 11. Supero inferior / TANGENCIAL (AXIAL)Essa incidência ira estudar as fraturas dos ossos faciais (o deslocamento médio lateral daestrutura).Estruturas mostradas:Incidência tangencial do osso médio –nasais e nasais distais (com pouca superposição daglabela ou da crista alveolar) e dos tecidos moles.Fatores técnicos:O receptor de imagem utilizado para essa incidência é um 18x24 sentidotransversal utilizandoécrans intensificadores se o sistema for um convencional uma variação de kv na faixa de 50-60com o foco fino.Proteção:Colocar proteção de chumbo sobre a região abdominal oupélvica para proteção das gônadas.Posicionamento:Paciente sentado em uma cadeira no final da mesa ou emdecúbito ventral sobre a mesa. Segurar nas margenslaterais do receptor de forma que fique em diagonal emrelação a mesa então apoiar o queixo no melhor campo doreceptor, a linha glabeloaveolar deve ficar perpendicular aoreceptor.Raio central:Tangencial, passando em intimo contato com o nariz saindono centrodo receptor de imagens.Distancia foco filme:Um metro.Colimação:Colimar em todos os lados dos ossos nasais.
  12. 12. PARIETO ORBITAL: FORAMES OPTICOS – METODO “Rhese”Será estudado nessa incidência as alterações ósseas do forame optico, será estudadaambos os lados de forma que possa ser comparada.Estruturas mostradas;Secção transversal de cada canal optico e uma visão não distorcida do forame optico;Fatores técnicos:O receptor de imagens utilizado nessa incidência 18x24 sentido transversal colcoadoem uma grade móvel ou fixa com um kv variando na faixa de 70-80 em um foco fino.O paciente deve removar todos os objetos de metal e plástico da cabeça.Posicionamento:Como uma referencia inicial, o queixo, bochecha e nariz deveestar posicionado contra a superfície da mesa, ajustar a cabeçaconforme necessário, de maneira que o plano médio sagitalforme um ângulo de 53º com o filme. A linha acantiomeataldeve estar perpendicular ao plano do filme.Raio central:Perpendicular ao filme, centrado na orbita voltada parabaixo.Distancia foco filme:Um metro.Colimação:Todos os lados colimado produzindo um campoquadrado com cerca de 10 centímetros
  13. 13. Orbita PA: Caldwell modificado..São mostradas condições inflamatórias e os pólipos dos seios.Estruturas mostradas:Os seios frontais projetados acima da sutura fronto nasal.Fatores técnicos:O receptor de imagens utilizado nessa incidência é um 18x24 sentido longitudinalutilizado um cilindro e o receptor é colocado em uma grade móvel ou estacionaria comuma variação de kv na faixa de 70-80 com um foco fino.Posicionamento:Paciente em decúbito ventral ou ortostase, bracos ,estendidos ao longo do corpo, com o plano médiosagital sobre a linha central da mesa, colocar aregião frontal do nariz apoiados sobre a mesa ouestativa, com a linha orbito meatal perpendicularao plano da mesa e o pvo paralelo ao filme.Raio central:Angulado de 15º a 20º caudal, entrando na lambdae saindo no centro do filme ou das orbitas.Distancia foco filme:Um metro.Colimação:Colimar a área das cavidades nasais.
  14. 14. Ap Axial: MANDIBULA – “Método de Towne”Será estudado nessa incidência os processos inflamatórios e neoplásicos dos processoscondilares da mandíbulaEstruturas mostradas:Processos condilares da mandíbula e fossas temperomandibulares.Fatores técnicos:O tamanho do receptor de imagem utilizado nessa incidência é um 18x24 sentidotransversal colocado em uma grade móvel ou estacionaria com um kv variando nafaixa de 70-80 kv com um foco fino.Posicionamento:Paciente em decúbito dorsal, com o plano médio sagital na linhacentral da mesa. A linha orbitomeatal deve estar perpendicular amesa.Raio central:Angulado a 35º caudal entrando na glabela e saindo no centrodo receptor de imagens.Distancia foco filme:Um metro.Colimação:Colimar em todos os lados da mandíbula.
  15. 15. Mandibula- AXIAL LATERALAs patologias estudadas nessa incidência são fraturas, processo neoplásicosinflamatórios da mandíbula.Estruturas mostradas:Ramos, processos condilares e coronoides , corpo e mento da mandíbula mais próximodo filme.Fatores técnicos:O tamanho do receptor de imagens utilizado para essa incidência é um 18x24 sentidotransversal colocado em uma grade móvel ou estacionaria com um kv variando nafaixa de 70-80 e utilizando um foco fino.Posicionamento:A cabeça do paciente deve estar em perfil, o pescoço estendidode forma que não haja sobreposição das vertebras cervicais,girar a cabeça em 15º, 30º, 45º para o lado de interesse, essasangulações mostram uma determinada região da mandíbula.15º sera visualizado o levantamento geral da mandíbula, 30º iravisualizar o corpo, 45º visualiza-se o mento.Raio central:Angulado 25º cefálicos a região da mandíbula de interesse.Distancia foco filme:Um metroColimação:Colimar em todos os lados da mandíbula.
  16. 16. Mandíbula - OBLIQUAAs patologias estudas nessa incidência são os processos neoplásicos inflamatórios e asfraturas na região da mandíbula.Estruturas mostradas:Condilo, arco zigomático, incisura mandibular, processo coronóide, ângulo, ramo,plano oclusal.Fatores técnicos:O tamanho do receptor de imagem utilizado para essa incidencia é um 18x24 sentidotransversal ou um 24x30 sentido transversal divido ao meio para duas incidências,colocado em uma grade fixa ou estacionaria com uma variação do seu kv na faixa de70-80 utilizado foco fino.Posicionamento:Paciente em decúbito lateral, pode estar sentado ou emortostase, o lado direito ou esquerdo mais próximo dofilme, posicionar o paciente em perfil absoluto somente acabeça vai estar inclinada ate o osso parietal encostar namesa.Raio central:Angulado 15º cranial entrando no gônio da mandíbula esaindo no lado oposto.Distancia foco filme:Um metroObservação:Quando o paciente é obeso ou tem o pescoço curto devemos compensar a obliquidadecom uma inclinação cefálica de 10 graus devendo ter cuidado para o ombro nãosobrepor com imagem a mandíbula.
  17. 17. Mandíbula- PANORAMICAE estudado nessa incidência fraturas da mandíbula e patologias da ATM.Fatores técnicos:O tamanho do receptor de imagens utilizado para essa incidência é um 23x30 sentidotransversal sem grade, com um kv variando na faixa de 70-80.Posicionamento:Ajuste a altura do descanso para queixo até que a linhaorbtomeatalesteja alinhada em paralelo com o chão. O planooclusal (planoda superfície de morde-dura dosdentes) declina10do posterior para oanterior. Alinhe o plano mediossagital coma linha central vertical dodescanso para queixo. Posicione obloco de mordedura entre os dentesfrontais do paciente Instruao paciente a colocar os lábios unidos eposicionar a língua no céuda boca.Raio central:O feixe vai em direção de raios x e fixo , e ligeiramente cefálico,ira projetar estruturas anatômicas posicionadas na mesmaaltura uma por cima da outra.Distancia foco filme:É fixada pela unidade panorex.Colimação:Um diafragma estreito com fenda vertical é colocado ao tubo eira fornecer a colimação.Observação:Quando a região mandibular for de interesse será realizado uma segundapanorex coma boca aberta, para que isso aconteçaserá necessário colocar um bloco de mordeduramaior entre os dentes do paciente.
  18. 18. Referencias bibliográficasLeal, Robson. Radiologia: Tecnicas básicas de bolso. São Paulo:editora Escolar, 2006.Bontrager KL. Tratado de Técnica Radiológica e Base Anatômica.6 ed.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

×