Experiências em Farmácia Clínica

3.116 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.116
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Experiências em Farmácia Clínica

  1. 1. Hospital Universitário da USPExperiências da Farmácia Clínica Pediátrica do Hospital Universitário da USP Farm. Sandra C. Brassica
  2. 2. Hospital Universitário da USP Profissão FarmáciaFOCO .......................... Farm. Sandra C. Brassica
  3. 3. Hospital Universitário da USP Importância da Farmácia Clínica Pediátrica• Apenas ¼ dos medicamentos possuem indicações específicas para crianças aprovadas pelo FDA-EUA• Poucas informações sobre farmacocinética, eficácia e segurança• Uso “off-Label” de medicamentos: polêmica mundial• As crianças são mais suscetíveis a ocorrência de eventos adversos a medicamentos. Farm. Sandra C. Brassica
  4. 4. Hospital Universitário da USP Farmácia Clínica“ciência da saúde cuja responsabilidade éassegurar, mediante a aplicação de conhecimentose funções relacionados ao cuidado dos pacientes,que o uso dos medicamentos seja seguro eapropriado; necessita, portanto, de educaçãoespecializada e interpretação de dados, damotivação pelo paciente e de interaçõesmultiprofissionais” (In STORPIRTIS, S.Rev Med HU-USP v.5(1/2), p. 49-53, 1995). Farm. Sandra C. Brassica
  5. 5. Hospital Universitário da USP Estrutura da Farmácia Clínica Pediátrica do HU - USPFarmacêuticos/ Unidades/ número de leitos• 1 farmacêutico no período da manhã para as unidades de Berçário/ UTI Neonatal e Pediátrica totalizando 44 leitos.• 1 farmacêutico no período da manhã para a enfermaria pediátrica com 48 leitos.• 1 farmacêutico à tarde para todas as unidade pediátricas. Farm. Sandra C. Brassica
  6. 6. Hospital Universitário da USPProcesso de prescrição médica e avaliação farmacêutica Médico – Assistente Médico – Residente Farmacêutico Clínico Dispensação e Administração Farm. Sandra C. Brassica
  7. 7. Hospital Universitário da USP Etapas do Trabalho do Farmacêutico Clínico no HU - USP• Entrevista e coleta de dados• Avaliação ou triagem farmacêutica da prescrição médica• Seguimento Farm. Sandra C. Brassica
  8. 8. Hospital Universitário da USP Entrevista farmacêutica e coleta de dadosObjetivo:Obter informações sobre o paciente• procedência• hipótese diagnóstica• comorbidades• histórico medicamentoso• alergias• fatores sociais, culturais ou econômicos• enfermidade em tratamento Farm. Sandra C. Brassica
  9. 9. Hospital Universitário da USP Problemas Relacionados a Medicamentos (PRM)A realização de entrevistas pelo farmacêuticodemonstrou maior poder de detecção de PRMque as entrevistas realizadas por outrosprofissionais (4,4 x 2,4 PRM/paciente).(Kirsten K et al. Pharmacoepidemiology andDrug Safety, 15: 667-674, 2006.) Farm. Sandra C. Brassica
  10. 10. Hospital Universitário da USP Caso 1N.S.M., lactente 2 meses, sexo masculino, admitido por pneumonia.Na internação mãe entregou à farmacêutica um frasco de vidro âmbar semidentificação, contendo aproximadamente 2/3 do volume de AZT.Durante a entrevista a farmacêutica identificou os possíveis problemasrelativos a terapia:•Falha de adesão ao tratamento do lactente devido a quantidade demedicamento remanescente no frasco apresentado em relação a doserecomendada e conhecida pela mãe;•Problema de aceitação da condição da mãe e do lactente. Farm. Sandra C. Brassica
  11. 11. Hospital Universitário da USP Avaliação ou triagem da prescrição médicaObjetivo:Garantir a utilização racional do medicamento.• indicações;• posologia (necessidade de ajustes);• forma farmacêutica (pacientes pediátricos, psiquiátricos,neuropatas, biodisponibilidade, etc);• horários de administração (conveniência, adequação, interações);• interação entre medicamentos ou entre alimentos. Farm. Sandra C. Brassica
  12. 12. Hospital Universitário da USP Caso 2L.B.S. RNT, AIG, internado em unidade de terapia intensiva neonatal,algumas horas após o nascimento, devido a cardiopatia grave (Transposiçãode Grandes Vasos, CIV, PCA) iniciou uso de alprostadil e prosseguiu em usopor 35 dias.Intervenção farmacêutica:•análise do custo da terapia•manipulação da especialidade farmacêutica de forma a garantir qualidade eestabilidade adequadasResultadosEconomia de R$ 22.300,00 Farm. Sandra C. Brassica
  13. 13. Hospital Universitário da USP Caso 3RN de G.S.P. em tratamento de infecção por CMV com ganciclovir.O SF do HU terceiriza a manipulação de medicamentos injetáveiscitotóxicos.A dose prescrita de medicamento era de 11,5 mg. A concentração dasolução de infusão era de 1 mg/ ml. A bolsa foi preparada contendo11,5 mg ( 11.5 ml) + 24,5 ml de solução 1 mg/ml para preenchimentodo equipo (totalizando 36 ml).Durante a avaliação farmacêutica foram detectados:•Erro de administração;•Erro de manipulação. Farm. Sandra C. Brassica
  14. 14. Hospital Universitário da USP Seguimento Farmacêutico Objetivo:Verificar a ocorrência de eventos desejados e/ou indesejados associados ao uso do medicamento a fim de identificar pontos críticos e implementar ações de segurança.• Monitoramento da ocorrência de eventos adversos a medicamentos (EAM´s).• Relato às autoridades competentes e ao fabricante da ocorrência de reações adversas a medicamentos (RAM´s). Farm. Sandra C. Brassica
  15. 15. Hospital Universitário da USP Seguimento Farmacêutico• Orientação à equipe médica sobre outras alternativas disponíveis e alertas farmacoterapêuticos oficiais.• Orientação da equipe de enfermagem sobre o correto manuseio e administração dos medicamentos prescritos.• Garantia de técnicas adequadas para os processos de preparo e dispensação de medicamentos a pacientes.• Participação na elaboração e controle de processos de prevenção, relato e gerenciamento de erros de medicação . Farm. Sandra C. Brassica
  16. 16. Hospital Universitário da USP Seguimento Farmacêutico• Verificação ( com o paciente, cuidador ou equipe de enfermagem) da aceitação e/ ou dificuldades da terapêutica proposta.• Esclarecimento de dúvidas dos pacientes ou cuidadores relacionadas a medicamentos.• Comunica à equipe multidisciplinar dúvidas, inquietações ou qualquer outro fator que possa influenciar a terapêutica proposta. Farm. Sandra C. Brassica
  17. 17. Hospital Universitário da USP Caso 4Comunicação por parte da empresa que manipula Nutrição Parenteralde possível não conformidade com 1 bolsa.Ações tomadas:•Comunicação à equipe médica e CCIH;•Observação do paciente;•Observação de todos os pacientes em uso de nutrição parenteral;•Coleta de amostra;•Acompanhamento do paciente;•Relato a ANVISA;•Inspeção do fornecedor;•Solicitação de realização de teste de esterilidade de todas as bolsasmanipuladas para o HU. Farm. Sandra C. Brassica
  18. 18. Hospital Universitário da USP Atualização e Suporte TécnicoOrienta a equipe médica sobre outras alternativas disponíveis ealertas farmacoterapêuticos oficiais.Atualização diária através de sites oficiais:www.anvisa.gov.brwww.fda.medscape.orgLeitura de periódicos:Brittish Medical JournalNew England Journal MedicineAmerican Journal of Heathy System PharmacyHospital PharmacyPharmacotherapy Farm. Sandra C. Brassica
  19. 19. Hospital Universitário da USPOrientação na Alta Farm. Sandra C. Brassica
  20. 20. Hospital Universitário da USP Indispensável• Conhecimentos em farmacoterapia• Conhecimento sobre aspectos sócio-culturais da população atendida• Saber ouvir e saber perguntar• Adaptar linguagem quando necessário para que a mensagem seja bem entendida• Observar e interpretar mensagens não verbais• Verificar habilidades cognitivas e de aprendizado, dificuldades físicas ou visuais dos pais ou cuidadores• Verificar a intenção em aderir ao tratamento Farm. Sandra C. Brassica
  21. 21. Hospital Universitário da USP Caso 5L.H.S.S., 2m, RNPT nascido no HU, tendo recebido alta cinco dias antes da readmissão. Chegou ao PSI sonolento, emagrecido e com história de sonolência e recusa de mamadas.Fazia uso domiciliar de fenobarbital , vitamina A e D e sulfato ferroso.Diagnóstico: intoxicação por fenobarbital.Na entrevista a farmacêutica identificou falta de orientação adequada e orientação incorreta sobre dose do medicamento. Farm. Sandra C. Brassica
  22. 22. Hospital Universitário da USPImpressos desenvolvidos Farm. Sandra C. Brassica
  23. 23. Hospital Universitário da USPHabilidade do Farmacêutico Clínico Farm. Sandra C. Brassica
  24. 24. Hospital Universitário da USP Intervenções Farmacêuticas aceitas Fevereiro 2006 Pediatria UTI Pediátrica/ Berçário neonatal 43 37 42 * 16% 13,8% 15,6%* Porcentagem do número total de prescrições Farm. Sandra C. Brassica
  25. 25. Hospital Universitário da USP Intervenções Farmacêuticas Fevereiro 2006 Segurança na prescrição Número %Abreviações ou siglas 5 1,9Identificação de paciente equivocada 2 0,7Ilegibilidade 23 8,6Modo de prescrição segura (recomendações) 9 3,3Nomenclatura comercial 4 1,5Nomenclatura equivocada 6 2,2 Farm. Sandra C. Brassica
  26. 26. Hospital Universitário da USP Intervenções Farmacêuticas Fevereiro 2006 Posologia Número %Correção de sobredose 15 5,6Confirmação de dose – Off label 15 5,6Alteração de intervalo 11 4,1Correção de unidade 10 3,7Posologia incompleta 7 2,6Ajuste por idade pós concepcional 7 2,6Arredondamento 5 1,9Correção de subdose 5 1,9Ajuste – insuficiência renal ou hepática 1 0,4Dose máxima ultrapassada 1 0,4 Farm. Sandra C. Brassica
  27. 27. Hospital Universitário da USP Intervenções Farmacêuticas Fevereiro 2006 Administração de medicamentos Número %Restrição hídrica 20 7,4Modo de preparo, administração, estabilidade 17 6,3Ausência de horário de administração 1 0,4Horário de administração inadequado 18 6,7 Farm. Sandra C. Brassica
  28. 28. Hospital Universitário da USP Intervenções Farmacêuticas Fevereiro 2006 Alta hospitalar Número %Apresentação de medicamento 2 0,7substituídaCorreção de receita 2 0,7Substituição por disponível na UBS 2 0,7 Farm. Sandra C. Brassica
  29. 29. Hospital Universitário da USP Intervenções Farmacêuticas Fevereiro 2006 Nutrição parenteral Número %Ausência ou erro de volume final 5 1,9Ausência de componente 8 3Risco incompatibilidade 2 0,7Correção de dose de componente 2 0,7 Farm. Sandra C. Brassica
  30. 30. Hospital Universitário da USP Intervenções Farmacêuticas Fevereiro 2006 Outros Número %Suspensão de medicamento 15 5,6Substituição/ suspensão de não padronizado 9 3,3Inclusão de medicamento 7 2,6Alteração de via de administração 6 2,2Item esquecido 4 1,5Substituição EV para VO 3 1,1Interação medicamento alimento 3 1,1Protocolo – adequação 2 0,7 Farm. Sandra C. Brassica
  31. 31. Hospital Universitário da USPO Foco Profissional Farm. Sandra C. Brassica
  32. 32. Hospital Universitário da USPFarm. Sandra C. Brassica
  33. 33. Hospital Universitário da USP Obrigadasbrassica@hu.usp.br T: 11 3039-9465 Farm. Sandra C. Brassica

×