Administração e marketing

1.700 visualizações

Publicada em

Administração e marketing

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.700
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Administração e marketing

  1. 1. Curso Superior de Tecnologia em LOGÍSTICA Administração de Marketing 2014.1
  2. 2. PONTO DE PARTIDA  Desde os primórdios por uma questão de sobrevivência, o homem caçou, pescou, plantou, escambou, deslocou-se, vendeu e comprou. No decurso da sua história desenvolveu relações e processos de troca e deste contexto iniciaremos o entendimento de marketing.  A primeira definição de marketing referenciada pelos estudiosos de marketing, datada de 1935, afirma que o marketing como atividade de negócio encaminha o fluxo de mercadorias e serviços, estabelecendo relação entre produtor e consumidor final.  Marketing é uma atividade que promove a manutenção das relações comerciais no mercado.
  3. 3. PONTO DE PARTIDA  A sua essência consiste, segundo a Associação Americana de Marketing – AMA, no processo de planejar e executar a concepção, determinação de preços, a promoção e distribuição ideias, bens e serviços para criar ttrrooccaass que satisfaçam metas individuais e organizacionais.  “Marketing é a chave para atingir os objetivos da empresa. Consiste em determinar as necessidades e os desejos dos mercados-alvos e satisfazê-los mais efetiva e eficientemente do que os concorrentes”. Philip Kotler KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  4. 4. PONTO DE PARTIDA  O mercado corporativo utiliza a atividade como forma de garantir a fidelização do cliente, para tanto, faz-se necessário à análise do ambiente de marketing, identificando as potencialidades, fragilidades, oportunidades e ameaças.  Determinação de mercados-alvos e adequação do produto as necessidades e desejos da demanda.  Criação de estratégia que resulte no alcance dos objetivos propostos e avaliação do processo, de forma que estimule o processo de recompra, e, por conseguinte, a fidelização.  O marketing está balizado em quatro atividades: análise, adaptação, ativação e avaliação. O que ficou conhecido como 4As. KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  5. 5. PONTO DE PARTIDA Kotler (2006) define marketing como uma atividade, conjunto de instituições e processos para criar, entregar e trocar ofertas que tem valor para consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral. Partindo deste entendimento vamos ler a tirinha de Mafalda. http://1.bp.blogspot.com/_M1q0ZdBQjFU/TD37xUmMdkI/AAAAAAAACCo/hIqfSnffnro/s1600/mafalda_25.jpg KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  6. 6. Observe que nesta tirinha há uma troca entre Mafalda e Manolito. Ato de obter de alguém um objeto desejado oferecendo algo em troca. (Kotler. Armstrong 2007, p. 6) A essência de marketing deve ser pautada em satisfazer as necessidades e desejos dos clientes. Elementos básicos da condição humana. (Kotler. Armstrong 2007, p. 4) Necessidades moldadas pela cultura e pela personalidade. (Kotler. Armstrong 2007, p. 4) TERMOS BASILARES
  7. 7. KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  8. 8. ATORES DO MERCADO DEMANDA Número de compras possíveis para um determinado produto ou serviço, num determinado mercado e em um determinado espaço de tempo. Quando os desejos são apoiados pelo poder de compra tornam-se demandas. (Kotler. Armstrong 2007) OFERTA Combinação de produtos, serviços, informações ou experiências oferecidas para satisfazer uma necessidade ou um •KOTLER, Philip. ARMSTRONG, Gary Princípios de Marketing: São Paulo: Pearson, 2007. desejo. (Kotler. Armstrong 2007)
  9. 9. Orientações do Marketing A orientação de Produção A orientação de Produto A orientação de Vendas A orientação de Marketing A orientação de Marketing Holístico KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  10. 10. Orientações do Marketing A Orientação de produção sustenta que os consumidores dão preferência a produtos fáceis de encontrar e de baixo custo. A orientação de produto sustenta que os consumidores dão preferência a produtos que ofereçam qualidade e desempenho superiores ou que tenham características inovadoras. A orientação de vendas parte do princípio de que os consumidores e as empresas, por vontade própria, normalmente não compram produtos da organização em quantidade suficiente. A organização deve, portanto, empreender um esforço agressivo de vendas e promoção. A orientação de marketing sustenta que a chave para alcançar as metas organizacionais está no fato de a empresa ser mais efetiva que a concorrência na criação, entrega e comunicação de valor para o cliente de seus mercados-alvo selecionados. KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  11. 11. Qual o significado de VVaalloorr ppaarraa oo MMaarrkkeettiinngg? Bravura? Coragem? Qualidade? Importância? Significação? Preço? Mérito? Préstimo? Utilidade? Validade Legal? Aquilo que se toma como ideal moral de vida? Difícil de responder ? Então, para facilitar...
  12. 12. OObbsseerrvvee!! Assolan tem produtos de qualidade e preço competitivo, como lã de aço, palha de aço, esponjas, panos e saponáceos.
  13. 13. • Característica agregada ao produto ou serviço. • Benefício obtido como resultado da utilização e das experiências vividas com um produto ou serviço. • É a percepção do cliente sobre e um produto. • Atributo de diferenciação de um produto. O dever do marketing é entregar valor ao cliente, mediante lucro. VALOR A vantagem competitiva surge fundamentalmente do valor que uma empresa consegue criar para seus compradores de forma a obter retornos que suplantem seus custos de fabricação (PORTER, 1989).
  14. 14. O pano de limpeza multiuso PERFEX® limpa, dá brilho, enxuga e lava. Possui ainda um agente que combate o desenvolvimento e a proliferação de bactérias e germes que se acumulam no pano.
  15. 15. AAnnáálliissee ddoo MMeerrccaaddoo “Mercado consiste em todos os ccoonnssuummiiddoorreess potenciais que compartilham uma nneecceessssiiddaaddee oouu ddeesseejjoo específico, dispostos e habilitados a fazer uma troca que satisfaça essa necessidade ou desejo.” KOTLER, Philip Oferta Demanda KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  16. 16. SSeeggmmeennttaaççããoo ddoo MMeerrccaaddoo S e g m e n t o d e M e r c a d o G r a n d e g r u p o d e c o n s u m i d o r e s q u e p o s s u e m a s m e s m a s p r e f e r ê n c i a i s . O marketing não cria segmentos, a tarefa é identificá-los e decidir em qual ou quais vão se concentrar. Público Infantil Meninas Meninas 0 a 2 anos Segmentação Demográfica Seleção do mercado-alvo Nicho
  17. 17. SEGMENTAÇÃO DE MERCADO - Critérios
  18. 18. SSeeggmmeennttaaççããoo ddoo MMeerrccaaddoo Segmentar – Dividir o mercado Identificar critérios Estudar/Analisar perfil dos segmentos Em função do projeto boas vindas e utilização do auditório Estabelecer o potencial de cada segmento Selecionar o segmento de interesse Definir o posicionamento
  19. 19. PPoossiicciioonnaammeennttoo Criação de um conceito único e favorável no consumidor em relação a um produto. Garantia de Identidade e de Fidelização Por que posicionar um produto? http://www.mcdonalds.com.br/institucional/default.asp Concorrência acirrada Grande volume de campanhas de comunicação O posicionamento pode ser modificado em função da concorrência, mudança do preferência do público alvo e novos consumidores.
  20. 20. MARKETING HOLÍSTICO O papel do Marketing na organização também está mudando. Tradicionalmente, os profissionais de marketing exerciam o papel de intermediários, encarregados de entender as necessidades dos clientes e transmitir a voz deles as varias áreas funcionais da organização. Na empresa em rede, cada área funcional pode interagir diretamente com os clientes; o marketing não detém mais a posse exclusiva dessa interação. O que ele dever fazer, isso sim, é integrar todos os processos que mantém interface com os clientes, de modo que estes vejam um único “rosto” e ouçam uma única “voz” ao interagir com a empresa. (KOTLER, Philip. KELLER, Kevin p.701, 2005.)
  21. 21. MARKETING HOLÍSTICO
  22. 22. MARKETING HOLÍSTICO Considerações Iniciais: •Ajudar a entender o processo de captura de valor para o cliente. • O fluxo deve alinhar três questões básicas: 1. Exploração do valor. 2. Criação do valor. 3. Entrega do valor. •O planejamento estratégico garantirá a execução das atividades selecionadas para criar, entregar e comunicar valor. Três ações chaves: 1. Gerenciar os negócios da empresa como uma carteira de investimentos. 2. Avaliar dos pontos fortes. 3. Estabelecer uma estratégia.
  23. 23. MARKETING HOLÍSTICO "É preciso passar do Marketing Tático para o Marketing Holístico." Philip Kotler Segundo Kotler[1] o Marketing Holístico traz uma abordagem que reconhece e tenta harmonizar o escopo e as complexidades das atividades de marketing. A empresa deve tentar compreender e administrar toda a compĺexidade envolvida na gestão de marketing de uma empresa. Deve ser definido como o desenvolvimento, o projeto e a implementação de programas, processos e atividades de marketing, com o reconhecimento da amplitude e das interdependências envolvidas no ambiente de marketing atual, ele considera ‘tudo importante’ — os consumidores, os funcionários, os fornecedores, a concorrência e a sociedade como um todo. KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  24. 24. MARKETING HOLÍSTICO KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  25. 25. MMaarrkkeettiinngg HHoollííssttiiccoo
  26. 26. MMaarrkkeettiinngg HHoollííssttiiccoo
  27. 27. MMaarrkkeettiinngg HHoollííssttiiccoo
  28. 28. MMaarrkkeettiinngg HHoollííssttiiccoo
  29. 29. MMaarrkkeettiinngg HHoollííssttiiccoo
  30. 30. MMaarrkkeettiinngg HHoollííssttiiccoo
  31. 31. MMaarrkkeettiinngg HHoollííssttiiccoo EExxeerrccíícciioo ddee FFiixxaaççããoo "É preciso passar do Marketing Tático para o Marketing Holístico." Philip Kotler Segundo Kotler[1] o Marketing Holístico traz uma abordagem que reconhece e tenta harmonizar o escopo e as complexidades das atividades de marketing. A empresa deve tentar compreender e administrar toda a compĺexidade envolvida na gestão de marketing de uma empresa. Deve ser definido como o desenvolvimento, o projeto e a implementação de programas, processos e atividades de marketing, com o reconhecimento da amplitude e das interdependências envolvidas no ambiente de marketing atual, ele considera ‘tudo importante’ — os consumidores, os funcionários, os fornecedores, a concorrência e a sociedade como um todo. Como você definiria os termos abaixo? Marketing Interno _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Marketing Integrado _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Marketing de Relacionamento _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Marketing Socialmente Responsável _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  32. 32. UMA FÓRMULA PARA O MARKETING RICHERS, Raimar. O que é marketing . São Paulo :Brasiliense, 1994.
  33. 33. UMA FÓRMULA PARA O MARKETING The 4A framework helps companies create value for customers by identifying exactly what they want and need, as well as by uncovering new wants and needs. (For example, none of us knew we “needed” an iPad until Apple created it.) Sheth, Jagdish RICHERS, Raimar. O que é marketing . São Paulo :Brasiliense, 1994.
  34. 34. CCoommppoossttoo ddee MMaarrkkeettiinngg EExxeerrccíícciioo ddee FFiixxaaççããoo 2) Correlacione os termos a seguir com as sentenças subseqüentes: (a) Análise (b) Adaptação (c) Ativação (d) Avaliação ( ) Atividade que se propõe a exercer controle sobre os processos de comercialização e de interpretação dos resultados, a fim de racionalizar os futuros processos de Marketing. ( ) É a atividade responsável pelo ajuste da oferta da empresa – ou seja, as suas linhas de produtos/serviços – às forças externas detectadas através da análise, isto é, às necessidade dos clientes. ( ) Consiste em compreender continuamente as forças que atuam no mercado em que a empresa opera ou pretende operar no futuro. ( ) É o conjunto de medidas destinadas a fazer com que o produto atinja os mercados pré-definidos e seja adquirido pelos compradores, com a freqüência desejada. 3) Cada uma das funções do modelo dos 4As utiliza um instrumental apropriado para desempenho de suas tarefas. Correlacione as colunas abaixo: (a) Análise ( ) Auditoria (b) Adaptação ( ) Design, marca, embalagem, preço (c) Ativação ( ) Pesquisa de marketing (d) Avaliação ( ) Composto de comunicação KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  35. 35. AMBIENTE DE MARKETING
  36. 36. Micro Ambiente Interno •Organização. •Colaboradores. •Processos •Produto. •Cadeia de Valores. •Acionistas. AMBIENTE DE MARKETING
  37. 37. Micro Ambiente Externo •Mercado. •Consumidores. •Fornecedores •Parceiros. •Formadores de Opinião. •Intermediários. •Mídia. •Canais de Distribuição. AMBIENTE DE MARKETING
  38. 38. Macro Ambiente •Variáveis Demográficas. •Variáveis Culturais. •Variáveis Econômicas •Varáveis Sociais. •Varáveis Tecnológicas. •Varáveis Econômicas. •Variáveis Político-legais.. •Varáveis Naturais AMBIENTE DE MARKETING
  39. 39. AMBIENTE DE MARKETING - Exercício Correlacione as colunas. (A) Variáveis Culturais ( ) Os fatores ligados à demografia, composição socio­econômica e etária da população, entre outros. Aspectos como o crescimento ou diminuição da população, migração de classes sociais, níveis de escolaridade devem ser observados e considerados. (B) Variáveis Demográficas ( ) São as invenções e inovações da ciência aplicada ou das áreas de pesquisa e desenvolvimento que impactam fortemente o comportamento de con­sumo das pessoas e empresas (C) Variáveis Econômicas ( ) Aspectos ambientais como clima, relevo, disposição de recursos naturais como pedras preciosas, petróleo etc. (D) Varáveis Naturais ( ) São variáveis formadas por leis, órgãos governamentais e grupos de interesses comuns, que definem, formal ou informalmente, a maneira como as empresas devem operar em seus mercados de atuação (E) Variáveis Políticos – Legais ( ) São diretamente relacionadas com as características da população como: idade, etnia, renda, escolaridade, nacionalidade, estado civil, entre outros. E (F) Varáveis Sociais ( ) Aspecto relacionado com a disponibilidade de capital externo à empresa. Renda familiar e per capita, custo de vida, padrões de consumo, inflação, taxa de juros e desemprego, distribuição da renda, entre outros. (G) Variáveis Tecnológicas ( ) Valores, artefatos e símbolos que auxiliam as pessoas do meio a se comunicarem como membros de uma sociedade. É constituído por análises de uma sociedade e seus valores, crenças e comportamentos.
  40. 40. AMBIENTE DE MARKETING - Exercício A previsão da companhia é promover a expansão da rede especializada em brigadeiros por meio de franquias - serão 50 unidades até 2015 São Paulo - A Cacau Par, holding criada pelo fundador da Cacau Show, Alexandre Tadeu Costa, anunciou a compra de 50,1% da Brigaderia, rede especializada em brigadeiros que tem dez lojas no Estado de São Paulo. A aquisição, cujo valor não foi revelado, é a primeira da holding, que tem um orçamento de US$ 50 milhões para investimentos na área de alimentos premium. A previsão da companhia é promover a expansão da Brigaderia por meio de franquias - serão 50 unidades até 2015 e 200 até 2018. Taciana Kalili, fundadora da Brigaderia, continuará na gestão do negócio. As lojas da Brigaderia são reconhecidas pela venda de brigadeiros sofisticados e pela decoração rica em estampas coloridas (também presentes nas diversas embalagens dos doces). Esse estilo está relacionado à formação da empresária, que já havia trabalhado como designer de estamparia na indústria têxtil. Ela também formou-se em administração de empresas e especializou-se em moda. A primeira loja da Brigaderia, aberta em março de 2010 no Shopping Market Place, foi concebida para ser um ambiente diferente daqueles encontrados em grandes centros comerciais, com a proposta de proporcionar ao cliente aconchego no momento do consumo do doce. Empreendedor A Cacau Show foi criada quando Alexandre Costa tinha 17 anos. Após aceitar a encomenda de 2 mil ovos de 50 gramas, o empresário descobriu que a fábrica da qual era cliente não produzia o produto com o peso necessário. Ele não desistiu e bateu na porta de vinte atacadistas até conhecer uma senhora que fazia chocolate caseiro e que o ajudou a entregar o pedido em apenas três dias. Até o fim deste ano, a estimativa da Cacau Show é ter 1.540 lojas no Brasil. Para 2015, a previsão é de 2 mil unidades. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/aquisicoes-fusoes/noticias/cacau-show-compra-brigaderia-2 CONTEXTUALIZANDO. Partindo do entendimento de que marketing é um processo de troca que visa à satisfação de desejos, necessidades e preferências dos clientes, qual o valor declarado da Brigaderia no texto é condizente com este processo? Quais os variáveis macros ambientais podem interferir positivamente na expansão da Brigadeira?
  41. 41. SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
  42. 42. SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE MARKETING http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-99362012000200009&script=sci_arttext
  43. 43. AAnnáálliissee SSWWOOTT // PPFFOOAA Estuda a competitividade de uma organização no mercado. Ponto de Partida Conhecer o ambiente de marketing – Micro e Macro. Identificar as variáveis do Micro Ambiente: Potencialidades e Fragilidades. Identificar as variáveis do Macro Ambiente: Oportunidades e Ameaças. Construção da MATRIZ PFOA KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  44. 44. AAnnáálliissee SSWWOOTT // PPFFOOAA Construção da MATRIZ PFOA (SWOT) MATRIZ DE DOIS EIXOS Eixo das variáveis do Micro Ambiente Potencialidade e Fragilidades (Strenghts - Weaknesses) KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006 Eixo das variáveis do Macro Ambiente Oportunidades e Ameaças (Opportunities - Threats)
  45. 45. Construção da MATRIZ PFOA (SWOT) Variáveis são sobrepostas Ameaças - Oportunidades ( Threats - Opportunities ) ORGANIZAÇÃO Potencialidade e Fragilidades (Strenghts - Weaknesses) MEIO ENVOLVENTE KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006 OP OF AP AF Potencializar as vantagens aproveitando às oportunidades. Neutralizar as fragilidades e aproveitar às oportunidades. Utilizar as potencialidades para antecipar às ameaças ou transformá-las em oportunidades. Alianças estratégicas para reposicionar e/ou encerrar o negócio.
  46. 46. F o r ç a s S t r e n g h ts F r a q u e z a s W e a k n e s s e s AAnnáálliissee SSWWOOTT // PPFFOOAA O p o r t u n id a d e s O p p o r t u n it ie s A n á lis e S W O T E s tu d a a c o m p e titiv id a d e d e u m a e m p r e s a A m e a ç a s T h r e a ts V a r iá v e is U n e A n á lis e A m b ie n t a l P la n o d e M a r k e tin g KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  47. 47. PLANEJAMENTO DE MARKETING A gestão de marketing é uma atividade que envolve quatro etapas: ppllaanneejjaammeennttoo, execução e mensuração. P a p e l C e n tra l E n te rd e r, C ria r, E n tre g a r e S u s te n ta r o V a lo r p a ra o C lie n te A ç õ e s e m trê s á re a s c h a v e s G e s tã o F in a n c e ira A v a lia ç ã o d o s P o n to s F o rte s E s ta b e le c im e n to d e E s tra té g ia
  48. 48. PLANEJAMENTO DE MARKETING  Todo o planejamento culmina com a execução de um plano.  O plano de marketing é um instrumento central de gestão do esforço de marketing.  É instrumento com validade de 01 ano.  Seu conteúdo é composto por: Resumo Executivo Análise da Situação, Estratégia de Marketing, Projeções Financeiras e Controles.  Possui dois níveis: • Estratégico – Onde são estabelecidos os mercados alvos, proposta de valor, definição do missão, visão do negócio, objetivos e metas. • Tático – Atua nas táticas de marketing, operacionalizando o composto de marketing – produto, preço, praça e promoção.
  49. 49. M i s s ã o d o N e g ó c i o A n á l i s e S w o t A n á l i s e d o A m b i e n t e E x t e r n o ( o p o r t u n i d a d e s e a m e a ç a s ) A n á l l i s e d o A m b i e n t e I n t e r n o ( f o r ç a s e f r a q u e z a s ) E s t a b e l e c i m e n t o d e M e t a s ( o b j e t i v o s ) F o r m u l a ç ã o d e E s t r a t é g i a s E l a b o r a ç ã o d e P r o g r a m a s O r ç a m e n t o I m p l e m e n t a ç ã o I n d i c a d o r e s d e D e s e m p e n h o F e e d b a c k e C o n t r o l e Mix de Marketing PLANEJAMENTO DE MARKETING
  50. 50. MMIISSSSÃÃOO PLANEJAMENTO DE MARKETING EESSTTRRAATTÉÉGGIIAASS OPORTUNIDADES X AMEAÇAS PROGRAMAS E PROJETOS ESTRATÉGICOS PROGRAMAS E PROJETOS ESTRATÉGICOS PONTOS FORTES X PONTOS FRACOS (RE) DESENHO ORGANIZACIONAL (RE) DESENHO ORGANIZACIONAL OOBBJJEETTIIVVOOSS AANNÁÁLLIISSEE IINNTTEERRNNAA PONTOS FORTES X PONTOS FRACOS AANNÁÁLLIISSEE EEXXTTEERRNNAA OPORTUNIDADES X AMEAÇAS ORÇAMENTO ESTRATÉGICO ORÇAMENTO ESTRATÉGICO PLANO DE IMPLANTAÇÃO PLANO DE IMPLANTAÇÃO Cenários KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  51. 51. PLANEJAMENTO DE MARKETING Três etapas que merecem destaque: 1)Análise SWOT. 2)Estabelecimento de metas. 3)Formulação de Estratégias promoline.com.br iapmei.pt
  52. 52. PLANEJAMENTO DE MARKETING 1) Estabelecimento de metas. Metas são oobbjjeettiivvooss com estabelecimento de prazo, indicam auilo que uma organização deseja alcançar. Critérios adotados para o alcance dos objetivos: 1) Os objetivos devem ser organizados hierarquicamente, do mais importante para o menos importante. 2) Sempre que possível, os objetivos devem ser estabelecidos quantitativamente. 3) As metas devem ser realistas. 4) Os objetivos devem ser consistentes.
  53. 53. PLANEJAMENTO DE MARKETING
  54. 54. PLANEJAMENTO DE MARKETING
  55. 55. PLANEJAMENTO DE MARKETING 2) Formulação de Estratégia. Estratégia é um plano de ação para alcance dos objetivos e metas. Tipos de estratégias adotadas pelo mercado: Estratégias genéricas de PORTER, que consistem em liderança total em custos, diferenciação e foco. Alianças estratégicas, que consistem na identificação dos parceiros visando complementar e alavancar suas capacidades e recursos.
  56. 56. COMPOSTO OU MIX DE MARKETING RICHERS, Raimar. O que é marketing . São Paulo :Brasiliense, 1994.
  57. 57. O planejamento do mix marketing começa na formulação de uma oferta para satisfazer necessidades e desejos do cliente-alvo. (Kotler, Philip; Keller, Kevin) Fatores relevantes na escolha: •Características e qualidade do produto. •Mix e qualidade dos serviços •Preço apropriado. É tudo o que pode ser oferecido a um mercado para satisfazer uma necessidade ou um desejo. (Kotler, Philip; Keller, Kevin) KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  58. 58. PRODUTO O que deve ser conhecido sobre o produto. 1.Níveis 2.Classificação 3.Diferenciação 4.Ciclo de vida do produto “A meta do marketing é conhecer e entender o consumidor tão bem, que o produto ou serviço se molde a ele e se venda sozinho.” Peter Drucker KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  59. 59. PRODUTO Níveis HIERARQUIA DE VALOR KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  60. 60. PRODUTO Classificação Critérios adotados pelo mercado: Durabilidade e Tangibilidade 1)Bens não duráveis 2)Bens duráveis 3)Serviços Uso 1)Bens de consumo 2)Bens industriais KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  61. 61. Diferenciação Os produtos devem ser diferenciados para ter uma identidade de marca. 1.Formas diferentes. 2.Características variáveis. 3.Qualidade de desempenho 4.Durabilidade. DDEESSIIGGNN FFaattoorr ddeetteerrmmiinnaannttee ppaarraa aa vvaannttaaggeemm ccoommppeettiittiivvaa.. KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006 http://conexaocentral.wordpress.com/tag/produto/ PRODUTO
  62. 62. PRODUTO Ciclos de vida do produto - CVP O produto torna-se obsoleto. É substituído pelo concorrente. Estagnação. Restruturação ou retirada do produto. KOTLER, Philip.. KELLER, Kevin Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006 Baixo crescimento das vendas. Alto custo de produção . Lucro é negativo. Consumidores toma Conhecimento da existência do produto. Aumento do volume de vendas. Surgimento de concorrentes. Recuperação dos investimentos. Lucro aumenta. Diminuição no crescimento das vendas. Aumento da concorrência. Diminuição dos lucros.
  63. 63. MMAARRCCAA O que é uma Marca? Um símbolo, um nome, um termo, um sinal. Uma combinação de tudo isso. A American Marketing Association define marca como uma combinação de símbolo e nome destinada a identificar os produtos e serviços de um fornecedor. Quais os componentes/elementos de uma marca? Nomes, símbolos, embalagens. Como se escolhe os elementos de uma marca? A escolha dos elementos deve ser feita visando recursos próprios que sirvam de identificação e diferenciação, utilizando alguns critérios: Memorável, Significativo, Desejável, Transferível, Adaptável e Protegido. Facilitadora: Cristiane Barreto PRODUTO
  64. 64. Facilitadora: Cristiane Barreto EExxeerrccíícciioo ddee FFiixxaaççããoo 1.Qual é o produto? 2.Qual o nome do produto? 3.Qual é o fabricante do produto? 4.O nome do produto é sua marca? 5.Qual a marca do produto? 6.A marca identifica o fabricante? 7.A marca identifica o produto? 8.Quais os critérios na escolha da marca podem ser observados? Fonte: KOTLER, Philip. Administração de Marketing. São Paulo: Person, 2006 Adaptado por Cristiane Barreto
  65. 65. Facilitadora: Cristiane Barreto
  66. 66. Facilitadora: Cristiane Barreto
  67. 67. A imagem da sua companhia depende de como as pessoas reconhecem seus negócios – essa é a identidade da sua marca. Seus potencias clientes recebem essas impressões a partir de cores, imagens, logos e do sentimento geral sobre o modo como você os comunica. De fato, a maioria das pessoas forma a opinião sobre uma companhia a partir de suas percepções sobre ela e não com base no que a companhia diz. [...]. As identidades das marcas mais fortes vêm de companhias que são consistentes no modo como elas se apresentam e sobre o que elas dizem. Parece simples, mas geralmente não é... O elemento psicológico mais importante em sua imagem de marketing é a cor. Cores diferentes geram um impacto emocional diferente nas pessoas. Por isso, entender o efeito das cores em seus clientes é um fator essencial na criação de uma imagem forte para sua empresa. Para entender como sua opção de cor vai afetar seus potenciais clientes, você deve inicialmente saber um pouco mais sobre os atributos emocionais de várias cores: Azul: Sucesso, confiança, calma, força, profissionalismo Preto: Seriedade, escuridão, mistério, sutileza, segredo Marrom: terra, natureza, tribalismo, primitivismo, simplicidade Verde: Natureza, animais, saúde, vida, harmonia, dinheiro Cinza: Neutralidade, indiferença, reserva Laranja: Criatividade, celebração, diversão, conforto, juventude, recursos Rosa: Suavidade, doçura, jovialidade, ternura Roxo: Realeza, luxúria, justiça, incerteza, fantasia, sonhos Vermelho: Amor, paixão, perigo, interesse, impulso, ação, aventura Branco: Pureza, inocência, limpeza, simplicidade Amarelo: Curiosidade, brincadeira, alegria, diversão w ww.hp.com
  68. 68. Facilitadora: Cristiane Barreto
  69. 69. Canal de distribuição Caminho que o produto percorre desde sua produção até o consumo. http://farm2.static.flickr.com/1267/1397890564_2de8a00710.jpg PRAÇA KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  70. 70. PPrraaççaa
  71. 71. PPrraaççaa
  72. 72. PPrraaççaa
  73. 73. PPrraaççaa
  74. 74. PPrraaççaa
  75. 75. PPrraaççaa
  76. 76. PPrreeççoo Por que o preço é um elemento vital para o marketing? Como definir o preço de um produto? E t a p a s p a r a e s t a b e le c im e n t o d e u m a p o lí t ic a d e p r e ç o s S e le ç ã o d o o b je t iv o d e d e t e r m i n a ç ã o d e p r e ç o E s t im a t iv a d a c u r v a d a d e m a n d a E s t im a t iv a d e c u s t o s x p r o d u ç ã o A n a lis e d o c u s t o , p r e ç o s e o f e r t a s d a c o n c o r r ê n c i a E s c o lh a d o m é t o d o d e d e t e r m in a ç ã o d e p r e ç o S e l e ç ã o d o P r e ç o F i n a l KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  77. 77. PPrreeççoo
  78. 78. PPrreeççoo
  79. 79. PPrreeççoo
  80. 80. PPrreeççoo
  81. 81. “Caro não é pagar muito por um prato, mas pagar qualquer dinheiro pelo que não vale.” Alex Atala PPrreeççoo Modelo dos 3Cs para determinação de preço Preço elevado Demanda impossível Teto Avaliação dos clientes de características singulares do produto Ponto de Orientação Preços dos concorrentes e preços dos substitutos Custos Piso Preço baixo Inexistência de lucro KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 12a. ed. São Paulo: Pearson, 2006
  82. 82. PROMOÇÃO Segundo Kotler a comunicação de marketing é o meio pelo qual as empresas buscam informar, persuadir e lembrar os consumidores sobre os seus produtos. A comunicação – P de Promoção representa: •a voz da marca, •o diálogo para a construção de relacionamentos com os consumidores.
  83. 83. Composto de Marketing –– MMiixx PPrroommoocciioonnaall MMííddiiaa Algumas Considerações 1. Questão bem técnica; 2. Infinidade de tipos; 3. Custos x Impactos; 4. Principais formas: LIGHTDOOR • Propaganda em mídia impressa ( jornais, revistas, periódicos ...) • Propaganda em mídia eletrônica (televisão , rádio , cinema , internet...) • Propaganda externa ( out-door , cartazes , letreiros...) • Propaganda interna ( tent-cards, posters, menus , diretórios, canais privativos de rádio e televisão, displays...) FRONTLIGHT TRIDOOR PAINEL DE ESTRADA
  84. 84. Composto de Marketing –– MMiixx PPrroommoocciioonnaall FFeerrrraammeennttaass ((PPeeççaass xx DDiissppllaayyss))
  85. 85. Composto de Marketing –– MMiixx PPrroommoocciioonnaall FFeerrrraammeennttaass ((PPeeççaass xx DDiissppllaayyss))
  86. 86. RReeffeerrêênncciiaass bbiibblliiooggrrááffiiccaass DIAS, Reinaldo. Fundamentos do Marketing Turístico. São Paulo: Pearson, 2005. KOTLER, Philip. Administração de Marketing: análise, Planejamento, implementação e controle. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1994. KOTLER, Philip. Princípios de Marketing. São Paulo. Atlas, 1997. KOTLER, Philip. Administração de Marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 12a Bahia, Brasil . ed. São Paulo: Pearson, 2005. PERISCINAATO, Alex. Mais vale o que se aprende que o que te ensinam. São Paulo:Best Seller, 1995 SWARBROOKE, John e HORNER, Susan. O comportamento do consumidor no turismo. São Paulo: Aleph, 2002 WESTWOOD, John. O Plano de Marketing. 2 ed. São Paolo: Makron Books, 1996

×