SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
A NUTRENZA
Organizamos toda a documentação do estabelecimento que seja pertinente
as possíveis fiscalizações. Com uma pasta de documentos é fácil fazer essa
organização e alimentar a mesma, documentos como higienização de caixa
d’água, controle de pragas, exame médico dos colaboradores entre outros
ficam todos organizados. Procuramos estar sempre à frente de todas as
fiscalizações.
CONSULTORIA
É um tipo de serviço prestado pelo Nutricionista,
que quando solicitado, analisa, avalia e emite
Parecer Sobre assunto e serviço relacionado à
Área de alimentação e nutrição, dentro de um
Prazo determinado.
ASSESSORIA
A assessoria em Nutrição é o serviço realizado por Nutricionista que planeja,
implementa, avalia programas e projetos em atividades específicas na área de
alimentação e nutrição, bem como oferece solução para situações relacionadas com a
sua especialidade.
Treinamentos Presenciais
Todas as pessoas que trabalham com alimentação são consideradas "Manipuladores de Alime
ou seja, quem produz, vende, transporta, recebe, prepara e serve o alimento. Para evitar a co
dos alimentos através da manipulação, oferecemos treinamentos teóricos que abordam os pr
ligados à higiene e segurança dos alimentos, é fundamental.
Treinamentos Presenciais
A Nutrenza acredita que Profissionais produtivos são profissionais qualificados, por isso trein
equipe operacional, sempre adaptando às necessidades e a realidade da empresa, de acordo
legislação vigente, levando através de aulas práticas e teóricas os conhecimentos básicos, ne
boas práticas de manipulação, promovendo um maior rendimento ao colaborador.
Treinamentos Presenciais
Todas as pessoas que trabalham com educação, nas Instituições de Ensino, também são resp
educação nutricional dos alunos de todas as faixas etárias. Para evitar que o futuro dos aluno
prejudicado com doenças como hipertensão e obesidade, a Nutrenza vem auxilia-los com pa
atividades que abordam os principais temas ligados à alimentação.
Segurança e Higiene Alimentar -
Abordagem prática no cotidiano
Dra. Fernanda Aguiar
Dra. Karla Vilaça
Dra. Fernanda Ferreira
Não haverá borboletas se a vida
não passar por longas e
silenciosas metamorfoses.
Rubem Alves
Importância do Treinamento
Porque devemos fazer treinamento?
Agregar valores
Atualizar informações
Ampliar conhecimentos
Se adequar a empresa -
Padronização
"Como alguém se torna uma borboleta? Basta
querer voar tanto, até chegar ao ponto de estar
disposto a desistir de ser uma lagarta. "
-Trina Paulus
“COMPROMISSO
DOCUMENTADO, UTILIZADO
EM COMUM E REPETIDAS
VEZES PELAS PESSOAS
RELACIONADAS COM UM
DETERMINADO TRABALHO.”
 PADRONIZAÇÃO;
 EXCELÊNCIA;
 PROCEDIMENTO
PADRÃO.
Importância do Treinamento
Para que serve o Treinamento?
Serve para conscientizar o manipulador, mostrando no dia a
dia a prática correta à ser trabalhada;
Todo funcionário que trabalha na manipulação de alimentos,
deve ser treinado para aprender e cumprir as Boas Práticas de
Manipulação de alimentos.
Manual de Boas Práticas -
MPB
Manual de Boas Práticas é um
documento que descreve o trabalho
executado no estabelecimento e a
forma correta de executá-lo;
Nele, pode-se ter informações
gerais, desde como é realizada a
higienização até como garantir a
produção de alimentos seguros e
saudáveis.
POP – Procedimento Operacional Padronizado
 É um documento que descreve passo-a-passo como
executar as tarefas no estabelecimento;
 O POP destaca as etapas das tarefas, os
responsáveis por realizá-las, os materiais necessários
e a frequência em que devem ser executadas;
 Como os POP são documentos aprovados pelo
estabelecimento, por meio do responsável, é Dever de
cada manipulador segui-los.
Relatório Fotográfico
Realização do registro
fotográfico por setor
Relatório apresenta as não conformidades e plano com ações
corretivas
Pasta de documentações
CHECK LIST DA DOCUMENTAÇÃO
Estabelecimento:
Data:
______/______/____
___
PERÍODO ITENS QUE DEVEM SER ARQUIVADOS E VERIFICADOS CONF. Ñ CONF.
VALIDADE
DOC.
VALIDADE/VIGÊNCIADODOCUMENTO
CNPJ
Inscrição Municipal e Estadual
CMVS (Cadastro Municipal de Vigilância Sanitária) / Licença Sanitária ou protocolo de solicitação
Programa de controle médico de saúde ocupacional (PCMSO)
Calendário dos exames periódicos
Atestado de saúde ocupacional (ASO - C/ EXAME DE COPROCULTURA E COPROPARASITOLÓGICO)
Programa de prevenção de riscos ambientais (PPRA)
Comprovante de higienização do reservatório de água
Comprovante de contratação do Responsável Técnico (RT)
Contrato c/ empresa coletora de resíduos sólidos
Comprovante da regularização da empresa Controladora de Pragas junto ao órgão competente
Certificado de controle de limpeza da caixa d' água e licença sanitária da empresa
Registro limpeza das coifas
Atestado de vistoria do corpo de bombeiros
Cadastro de fornecedores
Comprovante da regularização das soluções alternativas e dos veículos transportadores de água junto aos órgãos de vigilância em
saúde
MÊSCORRENTEE
MÊSANTERIOR
Registro de reclamações do SAC
Controle de temperatura de equipamentos de conservação e manutenção dos alimentos (geladeiras, antepasto, molhos e ref. de
fç)
Laudo da potabilidade da água
Controle do cloro residual livre de cada carga de água de solução alternativa transportada por veículos
Controle de temperatura dos alimentos no recebimento, ref. transportada, exposição para venda (congelados, refrigerados,
alimento pronto para consumo, embalados ou não)
PERÍODODEUSOOUVALIDADEDO
MESMO
Procedimento operacional padronizado (POP'S - higienização das instalações, equipamentos, móveis e utensílios; potabilidade da
água e hig. do reservatório; capacitação, higiene e saúde dos manipuladores; manejo de resíduos; controle de pragas; seleção das
matérias primas, ingredientes e embalagens; controle de qualidade e rastreabilidade do produto acabado; programa de
recolhimento de alimentos; e higienização de frutas, verduras e legumes)
Registro da higienização de frutas, verduras e legumes
Manual de boas práticas (MBP)
Ficha técnica dos produtos de higienização
Ficha técnica dos produtos alimentícios
Metodologia utilizada para elaboração da informação nutricional apresentada na rotulagem
Laudo da migração das embalagens primárias para os alimentos
Calendário da dedetização
Ficha técnica dos lubrificantes usados nos equipamentos que entram em contato com os alimentos
SORTEIO!
!!!
ALIMENTO SEGURO -
É aquele que não oferece
perigo à saúde e a
integridade do
consumidor.
• Acesso ao alimento em quantidade e qualidade adequadas, de forma
permanente;
• Aproveitar ao máximo os nutrientes;
• Preparar alimentos de forma que não ofereçam perigo à saúde.
SEGURANÇA ALIMENTAR
SEGURANÇA ALIMENTAR
Alimento deteriorado X Alimento contaminado
Controlado pelo
prazo de validade
Controlado pela higiene pessoal
e manipulação de alimentos.
 De difícil identificação.
Onde estão os Micro-organismos?
Onde estão os Micro-organismos?
Cabelo: Micro-organismos existentes no ar;
Nariz, boca e garganta: Micro-organismos
perigosos(estafilococos);
Intestino: Micro-organismos perigosos (salmonela e coliforme);
Mãos:Micro-organismos que vêem da boca, nariz, superfícies
sujas, fezes, etc;
Roupas e sapatos: Podem conter muitos micróbios do ar,
terra etc.
DTA'S
Doenças Transmitidas por Alimentos
Ocorrem quando micro-organismos prejudiciais à
saúde ou substâncias tóxicas, são transmitidas ao
homem por meio do alimento.
Suas atitudes podem determinar fatores importantes na saúde do público atendido.
Com a manipulação correta dos alimentos é possível evitar doenças e até mesmo a
morte por consumo de alimento inadequado.
DTA'S
Sintomas
Podem aparecer algumas horas ou até mesmo alguns dias depois, que a
pessoa ingeriu o alimento contaminado, dependendo o tipo de
contaminação.
A contaminação dos alimentos, pode ser classificada em três
tipos, sendo elas:
 Biológica;
 Química;
 Física.
COMO OS ALIMENTOS SE CONTAMINAM?
A contaminação de um alimento pode ocorrer em qualquer etapa da produção.
DTA'S
Contaminação Biológica:
Ocorre quando micro-organismos indesejáveis como: bactérias, vírus, fungos, estão
presentes no alimento, no qual não são visíveis a olho nu.
Para sobreviver e multiplicar, eles precisam de:
Calor
(temperaturas mornas)
Umidade e Água
(multiplicação microorganismos) Nutrientes (fonte energia)
Contaminação Química:
Os alimentos podem ser contaminados
por produtos químicos, quando estes são
usados indevidamente em alguma das
etapas da cadeia produtiva.
É o caso do agrotóxicos e fertilizantes,
utilizados no cultivo de frutas,
verduras, legumes e cereais.
DTA’S
CUIDADO ESPECIAL COM OS
ADORNOS!!!
Ocorre quando materiais estranhos como, pedaços de metal,
madeira, vidro, pregos, lâminas, parafusos, pedras, ossos, estão
presentes no alimento.
DTA’S
Contaminação Física:
Esses materiais podem causar danos físicos a quem
consumir, como por exemplo: feridas na boca e
dentes quebrados.
Salmonelose Carnes ( boi, porco e aves), alimentos
com ovos que permaneçam crus até o
consumo.
Dores abdominais, diarréias, calafrios,
vômitos e febre. Manifestação de 6 a
72hr após o consumo.
Lavar bem os utensílios, cozinhar bem
os alimentos, evitar o consumo de
produtos a base de ovos crus.
Giardíase Sua forma de infecção se dá pelo
contado direto ou indireto com as
fezes de pessoas infectadas. Na sua
forma de contagio direto a mão é o
principal veículo, pois transporta e
favorece a ingestão de cistos
existentes nos dejetos infectados.
Diarréia crônica com cheiro forte,
fraqueza e cólicas abdominais. Essas
manifestações podem gerar um quadro
de deficiência vitamínica e mineral. De
uma e quatro semanas é assintomático.
O melhor meio de se evitar esta
infecção é a adoção de medidas
preventivas como a ingestão somente
de água filtrada, saneamento básico,
lavar bem as mãos após utilizar o
banheiro, lavar em água corrente e
higienizar frutas, legumes e verduras.
Botulismo Conservas caseiras pouco ácidas,
Palmito e pescados à vácuo.
Tontura, visão turva, boca seca,
dificuldade de falar engolir e andar.
Manifestação de 18 a 36hr após o
consumo, Podendo causar morte por
parada respiratória
Rejeitar latas estufadas e
enferrujadas, adquirir alimentos de boa
procedência e aquecer os alimentos até
a fervura.
Intoxicação por bacillus
cereus
Produtos a base de cereais, amido,
arroz, molho, almôndegas e massas.
Náuseas, vômitos e diarréias.
Manifestação de 2 à 4hr (intoxicação)
e de 8 à 16hr (infecção)
Preparar o alimento próximo da hora
de servir, cozinhar os alimentos,
guardar as sobras na geladeira,
reaquecer bem.
Gastroenterite água contaminada ou substâncias fecais
(transmitidas pelas mãos).
A gastroenterite (também conhecida
como gripe intestinal) é uma inflamação
e infecção da mucosa do tubo digestivo
do estômago e do intestino.
Evite comer alimentos que
ultrapassaram a data de validade a fim
de prevenir
uma intoxicação alimentar
PRINCIPAIS DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS
O passo mais importante...
CONSUMO CONSCIENTE DA ÁGUA:
Varrer a superfície antes de iniciar a higienização, para remover a maior
parte das sujidades;
Utilizar a água de enxague da máquina, para higienizar pisos e azulejos;
Retirar o excesso de sabão ou detergente com o rodo;
Higienizar toda a residência no mesmo dia, aproveitando o enxague da
parte interna para higienizar a área externa.
1º passo  Utilize água, sabão ou detergente para remover as sujidades e a
gordura do ambiente;
2º passo  Realize o enxague com água;
3º passo  Desinfetar o ambiente usando solução clorada.
Higienização do Ambiente – Consumo consciente da água
Consumo consciente da água:
Fique atendo ao fechamento de torneiras, chuveiros e válvulas sanitárias.
Caso esteja acontecendo algum tipo de vazamento, realize a manutenção o
quanto antes, pois poderá ser apenas um desgaste do sistema de vedação;
 Os talheres e utensílios da cozinha devem ser lavados, com auxílio de uma
esponja com detergente (Realize esse procedimento com a torneira fechada);
 O enxague deve ser realizado em água corrente (Controle o fluxo de água da
torneira);
 Secar naturalmente. Devem ser guardados longe de material de limpeza.
Higienização dos Utensílios – Consumo consciente da água
Fique atento: A água de
imersão e enxague podem ser
utilizadas, na higienização de
ambientes.
Higienização de Hortifrutis – Consumo consciente da água
Intervalo de 15 minutos
CONTAMINAÇÃO CRUZADA, VOCÊ SABE O QUE É?
As embalagens dos alimentos devem estar limpas,
antes de serem abertas/armazenadas, fazer a
remoção de sujidades com detergente e água
corrente;
Todos os equipamentos e utensílios que entrarem
em contato com alimento, deverão ser muito bem
higienizados.
Contaminação cruzada – 0rganização do Refrigerador
A arrumação de alimentos no refrigerador deve seguir as
seguintes regras:
 Os alimentos prontos para consumo devem ficar nas
prateleiras superiores;
Os alimentos semi-prontos devem ficar nas prateleiras
intermediárias;
Os alimentos crus devem ficar nas prateleiras de
baixo, separados entre si e dos outros produtos;
 Não se deve encostar os alimentos nas paredes do
refrigerador. Deve-se manter sempre uma distância
para circulação do ar frio.
Direto no
cozimento, fritura
ou chapa
Sob refrigeração –
2 dias
Em caso de urgência,
em água corrente com
alimento em saco
plástico fechado
SEGURANÇA ALIMENTAR - DESCONGELAMENTO
O produto exposto para o consumo e mantido
à frio deve permanecer a 5ºC.
Deve ser mantido com fita filme de PVC até o
início do atendimento.
SEGURANÇA ALIMENTAR – MANUTENÇÃO A FRIO
MANUTENÇÃO
• Término preparação;
• Não servir de imediato;
A FRIO
• Manter em Temperatura Controlada
• Evitar multiplicação de micro-organismos.
5°C
• Os pratos frios devem ser mantidos resfriados.
• Saladas e Sobremesas.
MANUTENÇÃO À QUENTE
SEGURANÇA ALIMENTAR - MANUTENÇÃO
O alimento exposto para o consumo,mantido à
quente, deve permanecer a 60ºC em um
intervalo máximo de 6 horas;
60ºC
6 Horas
Arroz, Feijão
Carnes, Peixes
Sopas
ATENÇÃO!!!
O RESFRIAMENTO MAL REALIZADO PODE
PROVOCAR MUITOS DANOS À SAÚDE, ELE
DEVE SER RÁPIDO, PARA NÃO DAR TEMPO
DOS MICROORGANISMOS SE MULTIPLICAREM.
SEGURANÇA ALIMENTAR -
RESFRIAMENTO
 Colocar o alimento cozido e ainda quente em recipientes rasos (no máximo
10cm de altura);
 Deixar sair o vapor em temperatura ambiente por cerca de 30 minutos;
 Colocar o alimento para resfriar em geladeira ou freezer;
 Não esquecer de cobrir os alimentos.
Deverão ser seguidas as seguintes etapas:
Deve-se respeitar a relação do volume X capacidade do equipamento;
O alimento congelado deve ser armazenado em temperatura de -18ºC a
-25ºC;
Os produtos congelados devem ser identificados (nome do produto,
data congelamento, validade de 90 dias);
TEMPERATURA DO ALIMENTO
RESFRIADO
TEMPO
REDUZIR DE 10º A -18ºC EM ATÉ 6 HORAS
SEGURANÇA ALIMENTAR - CONGELAMENTO
SEGURANÇA ALIMENTAR – PRAZO DE VALIDADE
O prazo de validade relaciona-se ao período de tempo no qual o produto ainda
possui qualidade adequada para o consumo.
Esta qualidade pode ser definida em função de vários aspectos, como:
 Sensoriais (cor, textura, suculência,etc);
 Tecnológicos (pH, capacidade de retenção de água, etc);
 Nutricionais (quantidade de gordura, perfil dos ácidos graxos, grau de
oxidação, etc);
 Sanitários (ausência de agentes contagiosos), ausência de resíduos físicos
(antibióticos, hormônios, etc).
SEGURANÇA ALIMENTAR – PRAZO DE VALIDADE
 Para produtos congelados
industrializados devem ser
obedecidas as recomendações dos
fabricantes quanto às condições de
armazenamento dos alimentos antes
e após a abertura das embalagens.
 Na ausência dessas informações e
para alimentos pré-preparados e
preparados no estabelecimento
devem ser usados os critérios e
parâmetros indicados.
TEMPERATURA VALIDADE
De 0 a -5ºC 10 dias
De -6ºC a -10ºC 20 dias
De -11ºC a -
18ºC
30 dias
Abaixo de -18ºC 90 dias
SEGURANÇA ALIMENTAR – PRAZO DE VALIDADE
PRODUTO TEMPERATURA VALIDADE
Leite e derivados Até 7ºC 5 dias
Ovos e outros produtos Até 10ºC 7 dias
Carne bovina, suína, aves, entre outras e seus produtos
manipulados crus, exceto espetos mistos, bife rolê, carnes cruas
empanadas e preparações com carne moída
Até 4ºC 3 dias
Espetos mistos, bife rolê, carnes empanadas cruas, e preparações
com carne moída
Até 4ºC 2 dias
Pescados e seus produtos manipulados crus Até 2ºC 3 dias
Produtos de panificação e confeitaria prontos para o consumo com
coberturas ou recheios que possuam ingredientes que necessitem
de refrigeração
Até 5ºC 5 dias
Frios e embutidos fatiados, picados ou moídos Até 4ºC 3 dias
Alimentos pós-cocção, exceto pescados Até 4ºC 3 dias
Pescados pós-cocção Até 2ºC 1 dia
Sobremesas e outras preparações com lacticínios Até 4ºC, de 4ºC a 6ºC e de 6ºC a
8ºC
3 dias, 2 dias e 1 dia
respectivamente
Maionese e misturas de maionese com outros alimentos Até 4ºC e de
4ºC a 6ºC
2 dias e 1 dia
Frutas, verduras e legumes higienizados, fracionados ou
descascados, sucos, polpas, caldo de cana
Até 5ºC 3 dias
Para os demais alimentos preparados Até 4ºC 3 dias
SEGURANÇA ALIMENTAR - IDENTIFICAÇÃO
Já os produtos secos após serem abertos a
validade máxima, é de 30 dias, não
ultrapassando o prazo de validade indicado na
embalagem.
Entretanto para considerar e reproduzir em
sua UAN todos estes prazos de validade aqui
mencionados, as condições de higiene,
manipulação, temperaturas de armazenamento
devem ser compatíveis para conservação
destes alimentos.
POTABILIDADE
Água potável é a água que pode ser consumida por
pessoas e animais que não possui substâncias
tóxicas, sem riscos de adquirir doenças
por contaminação.
ABASTECIMENTO –
VIGILÂNCIA
SANITÁRIA - SUS
RESERVATÓRIO DE
ÁGUA –
PROPRIETÁRIO – 6 EM
6 MESES
FILTRO – PROPRIETÁRIO
HIGIENIZAÇÃO MENSAL
ELEMENTO FILTRANTE
(VELA)- 6 MESES
HIGIENIZAÇÃO DO RESERVATÓRIO DE ÁGUA
1 - Um dia antes da lavagem, feche o registro de entrada ou amarre a bóia
do reservatório. Assim, você vai consumir a água até atingir a quantidade
necessária para realizar a higienização (15cm),evitando o desperdício;
2 - Feche a saída com um tampão ou pano, tomando o cuidado de reservar um
palmo de água na caixa (15cm);
3 –Com o auxílio de uma esponja ou escova de cerdas mácias, lave as paredes
e o fundo do reservatório;
4 - Abra a saída de água do reservatório para que escorra toda a água da
higienização. Usando um balde e uma pá de plástico, retire a água e os
resíduos que restarem;
HIGIENIZAÇÃO DO RESERVATÓRIO DE ÁGUA
5 - Abra o registro de entrada de água,
abasteça o reservatório até a metade.
Feche novamente o registro e a saída do
reservatório. Em seguida, adicione água
sanitária conforme tabela ao lado:
Capacidade do
reservatório de
água
Quantidade de
água sanitária
500 litros
10 colheres de
sopa
750 litros
15 colheres de
sopa
1000 litros
20 colheres de
sopa
6 – Deixe a solução agir por uma hora. Com o auxílio de uma esponja ou escova
limpa, lave novamente as paredes e o fundo do reservatório;
HIGIENIZAÇÃO DO RESERVATÓRIO DE ÁGUA
7 - Abra novamente a saída do reservatório e as torneiras da casa, deixando
toda a água da lavagem sair. Para evitar o desperdício, guarde essa água em
baldes para lavar pisos e calçadas (higienização do ambiente);
8 - Lave a tampa do reservatório com água corrente e coloque-a no lugar. É importante
instalar uma tela de nylon na saída do cano extravasor ou cano-ladrão. Geralmente, a
saída desse cano localiza-se no lado exterior do telhado. Com a tampa e a tela, evita-se
a entrada de insetos e pequenos animais no reservatório d’água. Desmarre a bóia;
9 - Para evitar o acúmulo de ar no encanamento da residência, abra as
torneiras até que a água comece a sair;
10 - Abra o registro de entrada da água e realize o abastecimento do
reservatório de água. Repita a operação a cada 6 meses.
HIGIENIZAÇÃO DO FILTRO DE ÁGUA
Filtros de parede
Quando Higienizar: Mensalmente;
Como higienizar: Acionar o processo
de retrolavagem;
Troca do elemento filtrante (Vela):
A cada 6 meses ou de acordo com a
especificação do fabricante;
Filtros de barro e de
torneira
Troca do elemento
filtrante (Vela):
A cada 6 meses ou
de acordo com a
especificação do
fabricante;
Quando Higienizar:
Mensalmente;
Como higienizar: Com o auxílio de uma
esponja limpa, lavar a vela em água
corrente;
Dr.Fernanda Ferreira
Crn: 13289
www.nutrenza.com.br
Email:fernanda.ferreira@nutrenza.com.br
"Mude. Isto tem o poder de enobrecer, curar, estimular,
surpreender, abrir novas portas, trazer novas experiências
e criar excitação na vida. Certamente vale o risco.” Leo
Buscaglia
OBRIGADA PELA ATENÇÃO!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Higiene dos-alimentos
Higiene dos-alimentosHigiene dos-alimentos
Higiene dos-alimentosMaria Lima
 
Manual de boas práticas na manipulação de alimentos
Manual de boas práticas na manipulação de alimentosManual de boas práticas na manipulação de alimentos
Manual de boas práticas na manipulação de alimentosDeisi Colombo
 
Guia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladoresGuia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladoresMeryellen Moliterno
 
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentaçãoCartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentaçãoPriscilla Meira
 
Boas Práticas Treinamento de Merendeiras
Boas Práticas Treinamento de MerendeirasBoas Práticas Treinamento de Merendeiras
Boas Práticas Treinamento de MerendeirasGabrielaDias344264
 
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptxIntrodução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptxMikaelleNunes2
 
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOSGUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOSDennis Moliterno
 
Higiene na manipulação de alimentos
Higiene na manipulação de alimentosHigiene na manipulação de alimentos
Higiene na manipulação de alimentosGeraldo Neves
 
Doenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentosDoenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentosKetlenBatista
 
apostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdf
apostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdfapostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdf
apostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdfAmandaFerreira414130
 
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_finalCartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_finalLídia Barbosa
 
Cartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentaçãoCartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentaçãoEveraldo
 
Treinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosTreinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosLetícia Gonzaga
 
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipuladorManipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipuladorKetlenBatista
 

Mais procurados (20)

Higiene dos-alimentos
Higiene dos-alimentosHigiene dos-alimentos
Higiene dos-alimentos
 
Manual de boas práticas na manipulação de alimentos
Manual de boas práticas na manipulação de alimentosManual de boas práticas na manipulação de alimentos
Manual de boas práticas na manipulação de alimentos
 
Higienização
 Higienização Higienização
Higienização
 
Guia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladoresGuia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladores
 
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentaçãoCartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
 
Manual manipulacao
Manual manipulacaoManual manipulacao
Manual manipulacao
 
Boas Práticas Treinamento de Merendeiras
Boas Práticas Treinamento de MerendeirasBoas Práticas Treinamento de Merendeiras
Boas Práticas Treinamento de Merendeiras
 
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptxIntrodução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
 
Noções+do..
Noções+do..Noções+do..
Noções+do..
 
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOSGUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
 
Treinamento para manipuladores de alimentos
Treinamento para manipuladores de alimentosTreinamento para manipuladores de alimentos
Treinamento para manipuladores de alimentos
 
Higiene na manipulação de alimentos
Higiene na manipulação de alimentosHigiene na manipulação de alimentos
Higiene na manipulação de alimentos
 
Doenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentosDoenças transmitidas por alimentos
Doenças transmitidas por alimentos
 
apostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdf
apostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdfapostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdf
apostila-controle-de-qualidade-dos-alimentos1627396466.pdf
 
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_finalCartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
 
Cartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentaçãoCartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentação
 
Treinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosTreinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de Alimentos
 
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipuladorManipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
 
Aula 1 controle de qualidade na ind. de alimentos
Aula 1   controle de qualidade na ind. de alimentosAula 1   controle de qualidade na ind. de alimentos
Aula 1 controle de qualidade na ind. de alimentos
 
Slides merendeira
Slides merendeiraSlides merendeira
Slides merendeira
 

Destaque

higiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-pt
higiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-pthigiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-pt
higiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-ptPaulo Dias
 
Nutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentos
Nutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentosNutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentos
Nutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentosNutricia Portugal
 
Conservação e higiene dos alimentos pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos    pais e professoresConservação e higiene dos alimentos    pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos pais e professoresmerendaescolar
 
Conservação de alimentos
Conservação de alimentosConservação de alimentos
Conservação de alimentosGlaucia Perez
 
ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)
ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)
ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)Nuno Correia
 
Tecnicas de conservação de alimentos
Tecnicas de conservação de alimentosTecnicas de conservação de alimentos
Tecnicas de conservação de alimentosCátia Magrinho
 
Tipos de processos de Conservação dos alimentos
Tipos de processos de Conservação dos alimentosTipos de processos de Conservação dos alimentos
Tipos de processos de Conservação dos alimentosisildateixeira
 
História da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosHistória da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosRemoov
 
Processos de conservação dos alimentos
Processos de conservação dos alimentosProcessos de conservação dos alimentos
Processos de conservação dos alimentosTânia Reis
 
Aula 1 introdução à tecnologia de alimentos
Aula 1 introdução à tecnologia de alimentosAula 1 introdução à tecnologia de alimentos
Aula 1 introdução à tecnologia de alimentosAlvaro Galdos
 
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...Aleinat
 

Destaque (17)

higiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-pt
higiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-pthigiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-pt
higiene-alimentar-codex-alimentarius-quali-pt
 
Nutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentos
Nutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentosNutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentos
Nutricia Cares about Training: ROTULAGEM, o BI dos alimentos
 
Conservação e higiene dos alimentos pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos    pais e professoresConservação e higiene dos alimentos    pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos pais e professores
 
Hig alimentos
Hig alimentosHig alimentos
Hig alimentos
 
Leitura de rotulos de alimentos
Leitura de rotulos de alimentosLeitura de rotulos de alimentos
Leitura de rotulos de alimentos
 
Conservação de alimentos
Conservação de alimentosConservação de alimentos
Conservação de alimentos
 
ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)
ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)
ConservaçãO De Alimentos (Powerpoint)
 
Tecnicas de conservação de alimentos
Tecnicas de conservação de alimentosTecnicas de conservação de alimentos
Tecnicas de conservação de alimentos
 
Tipos de processos de Conservação dos alimentos
Tipos de processos de Conservação dos alimentosTipos de processos de Conservação dos alimentos
Tipos de processos de Conservação dos alimentos
 
História da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosHistória da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentos
 
A higiene alimentar
A higiene alimentarA higiene alimentar
A higiene alimentar
 
Palestra higiene e alimentação
Palestra higiene e alimentaçãoPalestra higiene e alimentação
Palestra higiene e alimentação
 
Processos de conservação dos alimentos
Processos de conservação dos alimentosProcessos de conservação dos alimentos
Processos de conservação dos alimentos
 
Aula 1 introdução à tecnologia de alimentos
Aula 1 introdução à tecnologia de alimentosAula 1 introdução à tecnologia de alimentos
Aula 1 introdução à tecnologia de alimentos
 
Hábitos de Higiene e Alimentação
Hábitos de Higiene e AlimentaçãoHábitos de Higiene e Alimentação
Hábitos de Higiene e Alimentação
 
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...Projeto  Alimento Saudável das  Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
Projeto Alimento Saudável das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da Escola E...
 
Bpf Treinamento
Bpf TreinamentoBpf Treinamento
Bpf Treinamento
 

Semelhante a Workshop “Segurança e Higiene Alimentar em Monte Verde

Boas práticas de fabricação
Boas práticas de fabricação Boas práticas de fabricação
Boas práticas de fabricação GabrielaAltoR
 
Aula - Princípios básicos de higiene.pdf
Aula - Princípios básicos de higiene.pdfAula - Princípios básicos de higiene.pdf
Aula - Princípios básicos de higiene.pdfReneLeoneCarvalhodos
 
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptxTreinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptxBruno José Guimarães
 
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdfmanualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdfMaria Conceição Balhico
 
Manipulação de alimentos
Manipulação de alimentosManipulação de alimentos
Manipulação de alimentosjordaniamineiro
 
Boas práticas para manipulação de alimentos
Boas práticas para manipulação de alimentosBoas práticas para manipulação de alimentos
Boas práticas para manipulação de alimentosCleber Lima
 
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentosFicha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentosLeonor Alves
 
AULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptx
AULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptxAULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptx
AULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptxJoelAlves50
 
Boas praticas para manipulação de alimentos
Boas praticas para manipulação de alimentosBoas praticas para manipulação de alimentos
Boas praticas para manipulação de alimentosLuaraGarcia3
 
Higiene e Manipulação de Alimentos .pptx
Higiene e Manipulação de Alimentos .pptxHigiene e Manipulação de Alimentos .pptx
Higiene e Manipulação de Alimentos .pptxMariaLuizaRolimBezer
 
Manual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizados
Manual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizadosManual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizados
Manual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizadosFernando Rufus
 
IntroduçãO Hsa
IntroduçãO HsaIntroduçãO Hsa
IntroduçãO Hsallillianna
 
Manual alimentos seguros
Manual alimentos segurosManual alimentos seguros
Manual alimentos segurosPaula Mello
 

Semelhante a Workshop “Segurança e Higiene Alimentar em Monte Verde (20)

Boas práticas de fabricação
Boas práticas de fabricação Boas práticas de fabricação
Boas práticas de fabricação
 
Aula - Princípios básicos de higiene.pdf
Aula - Princípios básicos de higiene.pdfAula - Princípios básicos de higiene.pdf
Aula - Princípios básicos de higiene.pdf
 
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptxTreinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
 
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdfmanualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
 
Boas práticas de fabricação em
Boas práticas de fabricação emBoas práticas de fabricação em
Boas práticas de fabricação em
 
1456
14561456
1456
 
Manipulação de alimentos
Manipulação de alimentosManipulação de alimentos
Manipulação de alimentos
 
Boas práticas para manipulação de alimentos
Boas práticas para manipulação de alimentosBoas práticas para manipulação de alimentos
Boas práticas para manipulação de alimentos
 
Códigos de Boas Práticas.ppt
Códigos de Boas Práticas.pptCódigos de Boas Práticas.ppt
Códigos de Boas Práticas.ppt
 
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentosFicha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
 
AULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptx
AULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptxAULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptx
AULA_10_BOAS_PRÁTICAS_SERV_ALIMENTAÇÃO_03.02.2021_MARTA.pptx
 
Açougue.pptx
Açougue.pptxAçougue.pptx
Açougue.pptx
 
Geral2
Geral2Geral2
Geral2
 
Boas praticas para manipulação de alimentos
Boas praticas para manipulação de alimentosBoas praticas para manipulação de alimentos
Boas praticas para manipulação de alimentos
 
Higiene e Manipulação de Alimentos .pptx
Higiene e Manipulação de Alimentos .pptxHigiene e Manipulação de Alimentos .pptx
Higiene e Manipulação de Alimentos .pptx
 
Manual higienico sanitario
Manual higienico sanitarioManual higienico sanitario
Manual higienico sanitario
 
Manual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizados
Manual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizadosManual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizados
Manual de boas_praticas_e_procedimentos_operacionais_padronizados
 
IntroduçãO Hsa
IntroduçãO HsaIntroduçãO Hsa
IntroduçãO Hsa
 
Manual alimentos seguros
Manual alimentos segurosManual alimentos seguros
Manual alimentos seguros
 
Geral1
Geral1Geral1
Geral1
 

Mais de marclick

Sites para hotéis e pousadas em joomla
Sites para hotéis e pousadas em joomlaSites para hotéis e pousadas em joomla
Sites para hotéis e pousadas em joomlamarclick
 
Apresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão Pires
Apresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão PiresApresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão Pires
Apresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão Piresmarclick
 
Apresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean Piaget
Apresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean PiagetApresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean Piaget
Apresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean Piagetmarclick
 
Fazer um Mobile Site
Fazer um Mobile SiteFazer um Mobile Site
Fazer um Mobile Sitemarclick
 
Fazer um Novo Site
Fazer um Novo SiteFazer um Novo Site
Fazer um Novo Sitemarclick
 
Sucesso X vida
Sucesso X vidaSucesso X vida
Sucesso X vidamarclick
 
Vencendo a crise
Vencendo a criseVencendo a crise
Vencendo a crisemarclick
 
EAD Passo à passo do nosso curso
EAD Passo à passo do nosso cursoEAD Passo à passo do nosso curso
EAD Passo à passo do nosso cursomarclick
 

Mais de marclick (8)

Sites para hotéis e pousadas em joomla
Sites para hotéis e pousadas em joomlaSites para hotéis e pousadas em joomla
Sites para hotéis e pousadas em joomla
 
Apresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão Pires
Apresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão PiresApresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão Pires
Apresentação portal do aluno Colegio JP Ribeirão Pires
 
Apresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean Piaget
Apresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean PiagetApresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean Piaget
Apresentação sustentabilidade empreendedor - Colégio Jean Piaget
 
Fazer um Mobile Site
Fazer um Mobile SiteFazer um Mobile Site
Fazer um Mobile Site
 
Fazer um Novo Site
Fazer um Novo SiteFazer um Novo Site
Fazer um Novo Site
 
Sucesso X vida
Sucesso X vidaSucesso X vida
Sucesso X vida
 
Vencendo a crise
Vencendo a criseVencendo a crise
Vencendo a crise
 
EAD Passo à passo do nosso curso
EAD Passo à passo do nosso cursoEAD Passo à passo do nosso curso
EAD Passo à passo do nosso curso
 

Workshop “Segurança e Higiene Alimentar em Monte Verde

  • 1.
  • 2.
  • 3. A NUTRENZA Organizamos toda a documentação do estabelecimento que seja pertinente as possíveis fiscalizações. Com uma pasta de documentos é fácil fazer essa organização e alimentar a mesma, documentos como higienização de caixa d’água, controle de pragas, exame médico dos colaboradores entre outros ficam todos organizados. Procuramos estar sempre à frente de todas as fiscalizações. CONSULTORIA É um tipo de serviço prestado pelo Nutricionista, que quando solicitado, analisa, avalia e emite Parecer Sobre assunto e serviço relacionado à Área de alimentação e nutrição, dentro de um Prazo determinado. ASSESSORIA A assessoria em Nutrição é o serviço realizado por Nutricionista que planeja, implementa, avalia programas e projetos em atividades específicas na área de alimentação e nutrição, bem como oferece solução para situações relacionadas com a sua especialidade.
  • 4. Treinamentos Presenciais Todas as pessoas que trabalham com alimentação são consideradas "Manipuladores de Alime ou seja, quem produz, vende, transporta, recebe, prepara e serve o alimento. Para evitar a co dos alimentos através da manipulação, oferecemos treinamentos teóricos que abordam os pr ligados à higiene e segurança dos alimentos, é fundamental. Treinamentos Presenciais A Nutrenza acredita que Profissionais produtivos são profissionais qualificados, por isso trein equipe operacional, sempre adaptando às necessidades e a realidade da empresa, de acordo legislação vigente, levando através de aulas práticas e teóricas os conhecimentos básicos, ne boas práticas de manipulação, promovendo um maior rendimento ao colaborador. Treinamentos Presenciais Todas as pessoas que trabalham com educação, nas Instituições de Ensino, também são resp educação nutricional dos alunos de todas as faixas etárias. Para evitar que o futuro dos aluno prejudicado com doenças como hipertensão e obesidade, a Nutrenza vem auxilia-los com pa atividades que abordam os principais temas ligados à alimentação.
  • 5.
  • 6. Segurança e Higiene Alimentar - Abordagem prática no cotidiano Dra. Fernanda Aguiar Dra. Karla Vilaça Dra. Fernanda Ferreira
  • 7. Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses. Rubem Alves
  • 8. Importância do Treinamento Porque devemos fazer treinamento? Agregar valores Atualizar informações Ampliar conhecimentos Se adequar a empresa - Padronização "Como alguém se torna uma borboleta? Basta querer voar tanto, até chegar ao ponto de estar disposto a desistir de ser uma lagarta. " -Trina Paulus
  • 9. “COMPROMISSO DOCUMENTADO, UTILIZADO EM COMUM E REPETIDAS VEZES PELAS PESSOAS RELACIONADAS COM UM DETERMINADO TRABALHO.”  PADRONIZAÇÃO;  EXCELÊNCIA;  PROCEDIMENTO PADRÃO. Importância do Treinamento Para que serve o Treinamento? Serve para conscientizar o manipulador, mostrando no dia a dia a prática correta à ser trabalhada; Todo funcionário que trabalha na manipulação de alimentos, deve ser treinado para aprender e cumprir as Boas Práticas de Manipulação de alimentos.
  • 10. Manual de Boas Práticas - MPB Manual de Boas Práticas é um documento que descreve o trabalho executado no estabelecimento e a forma correta de executá-lo; Nele, pode-se ter informações gerais, desde como é realizada a higienização até como garantir a produção de alimentos seguros e saudáveis.
  • 11. POP – Procedimento Operacional Padronizado  É um documento que descreve passo-a-passo como executar as tarefas no estabelecimento;  O POP destaca as etapas das tarefas, os responsáveis por realizá-las, os materiais necessários e a frequência em que devem ser executadas;  Como os POP são documentos aprovados pelo estabelecimento, por meio do responsável, é Dever de cada manipulador segui-los.
  • 12. Relatório Fotográfico Realização do registro fotográfico por setor Relatório apresenta as não conformidades e plano com ações corretivas
  • 13. Pasta de documentações CHECK LIST DA DOCUMENTAÇÃO Estabelecimento: Data: ______/______/____ ___ PERÍODO ITENS QUE DEVEM SER ARQUIVADOS E VERIFICADOS CONF. Ñ CONF. VALIDADE DOC. VALIDADE/VIGÊNCIADODOCUMENTO CNPJ Inscrição Municipal e Estadual CMVS (Cadastro Municipal de Vigilância Sanitária) / Licença Sanitária ou protocolo de solicitação Programa de controle médico de saúde ocupacional (PCMSO) Calendário dos exames periódicos Atestado de saúde ocupacional (ASO - C/ EXAME DE COPROCULTURA E COPROPARASITOLÓGICO) Programa de prevenção de riscos ambientais (PPRA) Comprovante de higienização do reservatório de água Comprovante de contratação do Responsável Técnico (RT) Contrato c/ empresa coletora de resíduos sólidos Comprovante da regularização da empresa Controladora de Pragas junto ao órgão competente Certificado de controle de limpeza da caixa d' água e licença sanitária da empresa Registro limpeza das coifas Atestado de vistoria do corpo de bombeiros Cadastro de fornecedores Comprovante da regularização das soluções alternativas e dos veículos transportadores de água junto aos órgãos de vigilância em saúde MÊSCORRENTEE MÊSANTERIOR Registro de reclamações do SAC Controle de temperatura de equipamentos de conservação e manutenção dos alimentos (geladeiras, antepasto, molhos e ref. de fç) Laudo da potabilidade da água Controle do cloro residual livre de cada carga de água de solução alternativa transportada por veículos Controle de temperatura dos alimentos no recebimento, ref. transportada, exposição para venda (congelados, refrigerados, alimento pronto para consumo, embalados ou não) PERÍODODEUSOOUVALIDADEDO MESMO Procedimento operacional padronizado (POP'S - higienização das instalações, equipamentos, móveis e utensílios; potabilidade da água e hig. do reservatório; capacitação, higiene e saúde dos manipuladores; manejo de resíduos; controle de pragas; seleção das matérias primas, ingredientes e embalagens; controle de qualidade e rastreabilidade do produto acabado; programa de recolhimento de alimentos; e higienização de frutas, verduras e legumes) Registro da higienização de frutas, verduras e legumes Manual de boas práticas (MBP) Ficha técnica dos produtos de higienização Ficha técnica dos produtos alimentícios Metodologia utilizada para elaboração da informação nutricional apresentada na rotulagem Laudo da migração das embalagens primárias para os alimentos Calendário da dedetização Ficha técnica dos lubrificantes usados nos equipamentos que entram em contato com os alimentos
  • 15. ALIMENTO SEGURO - É aquele que não oferece perigo à saúde e a integridade do consumidor. • Acesso ao alimento em quantidade e qualidade adequadas, de forma permanente; • Aproveitar ao máximo os nutrientes; • Preparar alimentos de forma que não ofereçam perigo à saúde. SEGURANÇA ALIMENTAR
  • 16. SEGURANÇA ALIMENTAR Alimento deteriorado X Alimento contaminado Controlado pelo prazo de validade Controlado pela higiene pessoal e manipulação de alimentos.  De difícil identificação.
  • 17. Onde estão os Micro-organismos?
  • 18. Onde estão os Micro-organismos? Cabelo: Micro-organismos existentes no ar; Nariz, boca e garganta: Micro-organismos perigosos(estafilococos); Intestino: Micro-organismos perigosos (salmonela e coliforme); Mãos:Micro-organismos que vêem da boca, nariz, superfícies sujas, fezes, etc; Roupas e sapatos: Podem conter muitos micróbios do ar, terra etc.
  • 19. DTA'S Doenças Transmitidas por Alimentos Ocorrem quando micro-organismos prejudiciais à saúde ou substâncias tóxicas, são transmitidas ao homem por meio do alimento. Suas atitudes podem determinar fatores importantes na saúde do público atendido. Com a manipulação correta dos alimentos é possível evitar doenças e até mesmo a morte por consumo de alimento inadequado.
  • 20. DTA'S Sintomas Podem aparecer algumas horas ou até mesmo alguns dias depois, que a pessoa ingeriu o alimento contaminado, dependendo o tipo de contaminação. A contaminação dos alimentos, pode ser classificada em três tipos, sendo elas:  Biológica;  Química;  Física. COMO OS ALIMENTOS SE CONTAMINAM? A contaminação de um alimento pode ocorrer em qualquer etapa da produção.
  • 21. DTA'S Contaminação Biológica: Ocorre quando micro-organismos indesejáveis como: bactérias, vírus, fungos, estão presentes no alimento, no qual não são visíveis a olho nu. Para sobreviver e multiplicar, eles precisam de: Calor (temperaturas mornas) Umidade e Água (multiplicação microorganismos) Nutrientes (fonte energia)
  • 22. Contaminação Química: Os alimentos podem ser contaminados por produtos químicos, quando estes são usados indevidamente em alguma das etapas da cadeia produtiva. É o caso do agrotóxicos e fertilizantes, utilizados no cultivo de frutas, verduras, legumes e cereais. DTA’S
  • 23. CUIDADO ESPECIAL COM OS ADORNOS!!! Ocorre quando materiais estranhos como, pedaços de metal, madeira, vidro, pregos, lâminas, parafusos, pedras, ossos, estão presentes no alimento. DTA’S Contaminação Física: Esses materiais podem causar danos físicos a quem consumir, como por exemplo: feridas na boca e dentes quebrados.
  • 24. Salmonelose Carnes ( boi, porco e aves), alimentos com ovos que permaneçam crus até o consumo. Dores abdominais, diarréias, calafrios, vômitos e febre. Manifestação de 6 a 72hr após o consumo. Lavar bem os utensílios, cozinhar bem os alimentos, evitar o consumo de produtos a base de ovos crus. Giardíase Sua forma de infecção se dá pelo contado direto ou indireto com as fezes de pessoas infectadas. Na sua forma de contagio direto a mão é o principal veículo, pois transporta e favorece a ingestão de cistos existentes nos dejetos infectados. Diarréia crônica com cheiro forte, fraqueza e cólicas abdominais. Essas manifestações podem gerar um quadro de deficiência vitamínica e mineral. De uma e quatro semanas é assintomático. O melhor meio de se evitar esta infecção é a adoção de medidas preventivas como a ingestão somente de água filtrada, saneamento básico, lavar bem as mãos após utilizar o banheiro, lavar em água corrente e higienizar frutas, legumes e verduras. Botulismo Conservas caseiras pouco ácidas, Palmito e pescados à vácuo. Tontura, visão turva, boca seca, dificuldade de falar engolir e andar. Manifestação de 18 a 36hr após o consumo, Podendo causar morte por parada respiratória Rejeitar latas estufadas e enferrujadas, adquirir alimentos de boa procedência e aquecer os alimentos até a fervura. Intoxicação por bacillus cereus Produtos a base de cereais, amido, arroz, molho, almôndegas e massas. Náuseas, vômitos e diarréias. Manifestação de 2 à 4hr (intoxicação) e de 8 à 16hr (infecção) Preparar o alimento próximo da hora de servir, cozinhar os alimentos, guardar as sobras na geladeira, reaquecer bem. Gastroenterite água contaminada ou substâncias fecais (transmitidas pelas mãos). A gastroenterite (também conhecida como gripe intestinal) é uma inflamação e infecção da mucosa do tubo digestivo do estômago e do intestino. Evite comer alimentos que ultrapassaram a data de validade a fim de prevenir uma intoxicação alimentar PRINCIPAIS DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS
  • 25. O passo mais importante...
  • 26.
  • 27. CONSUMO CONSCIENTE DA ÁGUA: Varrer a superfície antes de iniciar a higienização, para remover a maior parte das sujidades; Utilizar a água de enxague da máquina, para higienizar pisos e azulejos; Retirar o excesso de sabão ou detergente com o rodo; Higienizar toda a residência no mesmo dia, aproveitando o enxague da parte interna para higienizar a área externa. 1º passo  Utilize água, sabão ou detergente para remover as sujidades e a gordura do ambiente; 2º passo  Realize o enxague com água; 3º passo  Desinfetar o ambiente usando solução clorada. Higienização do Ambiente – Consumo consciente da água
  • 28. Consumo consciente da água: Fique atendo ao fechamento de torneiras, chuveiros e válvulas sanitárias. Caso esteja acontecendo algum tipo de vazamento, realize a manutenção o quanto antes, pois poderá ser apenas um desgaste do sistema de vedação;  Os talheres e utensílios da cozinha devem ser lavados, com auxílio de uma esponja com detergente (Realize esse procedimento com a torneira fechada);  O enxague deve ser realizado em água corrente (Controle o fluxo de água da torneira);  Secar naturalmente. Devem ser guardados longe de material de limpeza. Higienização dos Utensílios – Consumo consciente da água
  • 29. Fique atento: A água de imersão e enxague podem ser utilizadas, na higienização de ambientes. Higienização de Hortifrutis – Consumo consciente da água
  • 30. Intervalo de 15 minutos
  • 31. CONTAMINAÇÃO CRUZADA, VOCÊ SABE O QUE É? As embalagens dos alimentos devem estar limpas, antes de serem abertas/armazenadas, fazer a remoção de sujidades com detergente e água corrente; Todos os equipamentos e utensílios que entrarem em contato com alimento, deverão ser muito bem higienizados.
  • 32. Contaminação cruzada – 0rganização do Refrigerador A arrumação de alimentos no refrigerador deve seguir as seguintes regras:  Os alimentos prontos para consumo devem ficar nas prateleiras superiores; Os alimentos semi-prontos devem ficar nas prateleiras intermediárias; Os alimentos crus devem ficar nas prateleiras de baixo, separados entre si e dos outros produtos;  Não se deve encostar os alimentos nas paredes do refrigerador. Deve-se manter sempre uma distância para circulação do ar frio.
  • 33. Direto no cozimento, fritura ou chapa Sob refrigeração – 2 dias Em caso de urgência, em água corrente com alimento em saco plástico fechado SEGURANÇA ALIMENTAR - DESCONGELAMENTO
  • 34. O produto exposto para o consumo e mantido à frio deve permanecer a 5ºC. Deve ser mantido com fita filme de PVC até o início do atendimento. SEGURANÇA ALIMENTAR – MANUTENÇÃO A FRIO MANUTENÇÃO • Término preparação; • Não servir de imediato; A FRIO • Manter em Temperatura Controlada • Evitar multiplicação de micro-organismos. 5°C • Os pratos frios devem ser mantidos resfriados. • Saladas e Sobremesas.
  • 35. MANUTENÇÃO À QUENTE SEGURANÇA ALIMENTAR - MANUTENÇÃO O alimento exposto para o consumo,mantido à quente, deve permanecer a 60ºC em um intervalo máximo de 6 horas; 60ºC 6 Horas Arroz, Feijão Carnes, Peixes Sopas
  • 36. ATENÇÃO!!! O RESFRIAMENTO MAL REALIZADO PODE PROVOCAR MUITOS DANOS À SAÚDE, ELE DEVE SER RÁPIDO, PARA NÃO DAR TEMPO DOS MICROORGANISMOS SE MULTIPLICAREM. SEGURANÇA ALIMENTAR - RESFRIAMENTO  Colocar o alimento cozido e ainda quente em recipientes rasos (no máximo 10cm de altura);  Deixar sair o vapor em temperatura ambiente por cerca de 30 minutos;  Colocar o alimento para resfriar em geladeira ou freezer;  Não esquecer de cobrir os alimentos. Deverão ser seguidas as seguintes etapas:
  • 37. Deve-se respeitar a relação do volume X capacidade do equipamento; O alimento congelado deve ser armazenado em temperatura de -18ºC a -25ºC; Os produtos congelados devem ser identificados (nome do produto, data congelamento, validade de 90 dias); TEMPERATURA DO ALIMENTO RESFRIADO TEMPO REDUZIR DE 10º A -18ºC EM ATÉ 6 HORAS SEGURANÇA ALIMENTAR - CONGELAMENTO
  • 38. SEGURANÇA ALIMENTAR – PRAZO DE VALIDADE O prazo de validade relaciona-se ao período de tempo no qual o produto ainda possui qualidade adequada para o consumo. Esta qualidade pode ser definida em função de vários aspectos, como:  Sensoriais (cor, textura, suculência,etc);  Tecnológicos (pH, capacidade de retenção de água, etc);  Nutricionais (quantidade de gordura, perfil dos ácidos graxos, grau de oxidação, etc);  Sanitários (ausência de agentes contagiosos), ausência de resíduos físicos (antibióticos, hormônios, etc).
  • 39. SEGURANÇA ALIMENTAR – PRAZO DE VALIDADE  Para produtos congelados industrializados devem ser obedecidas as recomendações dos fabricantes quanto às condições de armazenamento dos alimentos antes e após a abertura das embalagens.  Na ausência dessas informações e para alimentos pré-preparados e preparados no estabelecimento devem ser usados os critérios e parâmetros indicados. TEMPERATURA VALIDADE De 0 a -5ºC 10 dias De -6ºC a -10ºC 20 dias De -11ºC a - 18ºC 30 dias Abaixo de -18ºC 90 dias
  • 40. SEGURANÇA ALIMENTAR – PRAZO DE VALIDADE PRODUTO TEMPERATURA VALIDADE Leite e derivados Até 7ºC 5 dias Ovos e outros produtos Até 10ºC 7 dias Carne bovina, suína, aves, entre outras e seus produtos manipulados crus, exceto espetos mistos, bife rolê, carnes cruas empanadas e preparações com carne moída Até 4ºC 3 dias Espetos mistos, bife rolê, carnes empanadas cruas, e preparações com carne moída Até 4ºC 2 dias Pescados e seus produtos manipulados crus Até 2ºC 3 dias Produtos de panificação e confeitaria prontos para o consumo com coberturas ou recheios que possuam ingredientes que necessitem de refrigeração Até 5ºC 5 dias Frios e embutidos fatiados, picados ou moídos Até 4ºC 3 dias Alimentos pós-cocção, exceto pescados Até 4ºC 3 dias Pescados pós-cocção Até 2ºC 1 dia Sobremesas e outras preparações com lacticínios Até 4ºC, de 4ºC a 6ºC e de 6ºC a 8ºC 3 dias, 2 dias e 1 dia respectivamente Maionese e misturas de maionese com outros alimentos Até 4ºC e de 4ºC a 6ºC 2 dias e 1 dia Frutas, verduras e legumes higienizados, fracionados ou descascados, sucos, polpas, caldo de cana Até 5ºC 3 dias Para os demais alimentos preparados Até 4ºC 3 dias
  • 41. SEGURANÇA ALIMENTAR - IDENTIFICAÇÃO Já os produtos secos após serem abertos a validade máxima, é de 30 dias, não ultrapassando o prazo de validade indicado na embalagem. Entretanto para considerar e reproduzir em sua UAN todos estes prazos de validade aqui mencionados, as condições de higiene, manipulação, temperaturas de armazenamento devem ser compatíveis para conservação destes alimentos.
  • 42. POTABILIDADE Água potável é a água que pode ser consumida por pessoas e animais que não possui substâncias tóxicas, sem riscos de adquirir doenças por contaminação. ABASTECIMENTO – VIGILÂNCIA SANITÁRIA - SUS RESERVATÓRIO DE ÁGUA – PROPRIETÁRIO – 6 EM 6 MESES FILTRO – PROPRIETÁRIO HIGIENIZAÇÃO MENSAL ELEMENTO FILTRANTE (VELA)- 6 MESES
  • 43. HIGIENIZAÇÃO DO RESERVATÓRIO DE ÁGUA 1 - Um dia antes da lavagem, feche o registro de entrada ou amarre a bóia do reservatório. Assim, você vai consumir a água até atingir a quantidade necessária para realizar a higienização (15cm),evitando o desperdício; 2 - Feche a saída com um tampão ou pano, tomando o cuidado de reservar um palmo de água na caixa (15cm); 3 –Com o auxílio de uma esponja ou escova de cerdas mácias, lave as paredes e o fundo do reservatório; 4 - Abra a saída de água do reservatório para que escorra toda a água da higienização. Usando um balde e uma pá de plástico, retire a água e os resíduos que restarem;
  • 44. HIGIENIZAÇÃO DO RESERVATÓRIO DE ÁGUA 5 - Abra o registro de entrada de água, abasteça o reservatório até a metade. Feche novamente o registro e a saída do reservatório. Em seguida, adicione água sanitária conforme tabela ao lado: Capacidade do reservatório de água Quantidade de água sanitária 500 litros 10 colheres de sopa 750 litros 15 colheres de sopa 1000 litros 20 colheres de sopa 6 – Deixe a solução agir por uma hora. Com o auxílio de uma esponja ou escova limpa, lave novamente as paredes e o fundo do reservatório;
  • 45. HIGIENIZAÇÃO DO RESERVATÓRIO DE ÁGUA 7 - Abra novamente a saída do reservatório e as torneiras da casa, deixando toda a água da lavagem sair. Para evitar o desperdício, guarde essa água em baldes para lavar pisos e calçadas (higienização do ambiente); 8 - Lave a tampa do reservatório com água corrente e coloque-a no lugar. É importante instalar uma tela de nylon na saída do cano extravasor ou cano-ladrão. Geralmente, a saída desse cano localiza-se no lado exterior do telhado. Com a tampa e a tela, evita-se a entrada de insetos e pequenos animais no reservatório d’água. Desmarre a bóia; 9 - Para evitar o acúmulo de ar no encanamento da residência, abra as torneiras até que a água comece a sair; 10 - Abra o registro de entrada da água e realize o abastecimento do reservatório de água. Repita a operação a cada 6 meses.
  • 46. HIGIENIZAÇÃO DO FILTRO DE ÁGUA Filtros de parede Quando Higienizar: Mensalmente; Como higienizar: Acionar o processo de retrolavagem; Troca do elemento filtrante (Vela): A cada 6 meses ou de acordo com a especificação do fabricante; Filtros de barro e de torneira Troca do elemento filtrante (Vela): A cada 6 meses ou de acordo com a especificação do fabricante; Quando Higienizar: Mensalmente; Como higienizar: Com o auxílio de uma esponja limpa, lavar a vela em água corrente;
  • 47.
  • 48. Dr.Fernanda Ferreira Crn: 13289 www.nutrenza.com.br Email:fernanda.ferreira@nutrenza.com.br "Mude. Isto tem o poder de enobrecer, curar, estimular, surpreender, abrir novas portas, trazer novas experiências e criar excitação na vida. Certamente vale o risco.” Leo Buscaglia OBRIGADA PELA ATENÇÃO!!!