SlideShare uma empresa Scribd logo
http://keylapreussnutricao.wordpress.com/
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1
 
 
 
“Quando preparamos uma 
refeição, não estamos 
realizando um ato mecânico, 
estamos cuidando de uma 
vida.” 
2
A higiene visa atingir o combate às doenças mais freqüentemente
transmitidas por alimentos, vindas da manipulação, preparo, cocção e
armazenamento inadequados.
Nos casos de intoxicação alimentar a causa é sempre uma: a
humana. E para que haja prevenção existe a higiene pessoal, já que esses
episódios só são causados por alguém que não possui bons hábitos. As cozinhas
em que estes não estão presentes são as que apresentam dificuldades com
conservação de alimentos e podem gerar problemas de saúde no cliente.
Desrespeitos com os cuidados como o banho diário, assepsia das mãos, troca de
roupas limpas e todos preceitos de higiene são comumente encontrados, sendo
estes responsáveis pela transmissão de microorganismos de origem fecal.
Através das mãos, de pessoa em pessoa, de pessoa ao alimento, de pessoa ao
equipamento e de pessoa a todo o ambiente pode ocorrer contaminação. As
áreas de higiene pessoal em que se deve ter maior cuidado são as
seguintes:
• Mãos e pele;
• Cortes, machucados, feridas, raspões, etc.;
• Orelhas, nariz e boca;
• Hábito de fumar;
• Uso de jóias, perfumes e loção após a barba;
• Roupas de proteção;
3
• Cuidados gerais de saúde e informações sobre doenças;
• Educação sobre higiene.
A aparência limpa não é sinal de um ambiente higienizado. Em uma
unidade da alimentação é preciso fazer de tudo para que se tenha certeza
de que os alimentos estão completamente higiênicos, com condições de serem
ingeridos sem o perigo de gerar intoxicação alimentar. Mas para que isso seja
possível é essencial que as boas práticas de higiene ambiental estejam
presentes no ambiente de manipulação de produtos alimentícios.
HIGIENE PESSOAL
MMÃÃOOSS EE PPEELLEE
As pessoas que trabalham com produtos alimentícios têm o contato das mãos
direto com o alimento. Portanto, É essencial que as suas mãos estejam o mais
higienizadas possível, durante o dia todo. Não basta apenas lavar as mãos
antes de começar a trabalhar. Durante todo período de trabalho as mãos dos
funcionários estarão em contato com superfícies, alimentos e bactérias ou
germes prejudiciais à saúde, havendo um grande risco de contaminação
cruzada, o que pode levar a um surto de intoxicação alimentar.
As mãos devem ser lavadas nos seguintes momentos:
4
Após vestir-se para iniciar o trabalho;
Após a remoção e troca de forros nas lixeiras;
Após manusear alimentos crus;
Após fumar;
Após levar as mãos nos cabelos;
Após assoar o nariz, comer, usar o sanitário;
A higiene das mãos deverá ser realizada em um local específico, fora da
área de pré-preparo e preparo.
Como lavar as mãos:
Molhar as mãos com bastante água;
Usar sabão líquido;
Esfregar bem, usando escova própria para as unhas, que deverão estar
bem aparadas para facilitar a higienização e evitar abrigo de
microorganismos;
Enxaguar com água abundante;
Secar usando toalha de papel ou secadores a ar quente.
CCOORRTTEE,, MMAACCHHUUCCAADDOOSS,, FFEERRIIDDAASS,, EETTCC..
5
Qualquer tipo de ferimento na pele é um lugar ideal para multiplicação
das bactérias. Todos os ferimentos devem ser cobertos com algum tipo de
proteção à prova d’água.
CCAABBEELLOOSS
Os cabelos são um dos aspectos “menos limpos” da higiene pessoal.
Assim, se cair um fio de cabelo no alimento, ele ira se misturar com o mesmo e
gerar contaminação.
É necessário, pelo manipulador:
Uso regular de xampu;
Uso de proteção adequada na cabeça, de maneira a cobrir
completamente o cabelo.
Barba feita.
Os cabelos não devem ser penteados enquanto se está usando roupa
de trabalho, pois os pelos soltos e os flocos de caspas podem cair sobre
a roupa e ser transferido para os alimentos.
OORREELLHHAASS,, NNAARRIIZZ EE BBOOCCAA
Os microorganismos que podem estar presentes nestas regiões
contribuem com uma grande parte dos casos de intoxicação alimentar e são
disseminados com muita facilidade quando espirramos, tossimos e até mesmo
quando falamos nas áreas de manipulação de alimentos.
6
Quando alguém está resfriado, não se deve permitir que trabalhe perto
de alimentos, devendo sempre usar lenços individuais, do tipo descartável, para
assoar o nariz, tossir ou espirrar.
Os manipuladores de produtos alimentícios não devem comer doces,
mascar gomas, etc., durante o trabalho, nem usar os dedos para provar
os alimentos.
UUSSOO DDEE JJÓÓIIAASS,, PPEERRFFUUMMEESS EE LLOOÇÇÃÃOO AAPPÓÓSS BBAARRBBAA
Não se deve usar loção após barba e perfumes, por parte dos
manipuladores alimentícios, pois há grande probabilidade de os alimentos serem
tocados, em especial com alto teor de gordura, causando a contaminação.
Brincos, anéis, relógios, pulseiras,correntes são possíveis armadilhas de
sujeiras, onde as partículas de alimentos e poeira podem se depositar e
disseminar microorganismos prejudiciais à saúde, além de causar doenças da
pele. As peças de jóias podem desalojar-se e cair nos alimentos, sendo
depois encontradas pelo consumidor, e podem acabar estragando alguma ponte,
pivô ou até mesmo um dente. Alem disso, podem causar contaminação ao
alimento.
Única peça que pode ser utilizada é a aliança de ouro.
RROOUUPPAASS DDEE PPRROOTTEEÇÇÃÃOO
O equipamento de proteção individual é destinado a proteger a
integridade física do individuo, dos fatores de risco do meio ambiente,
assim como evitar a contaminação dos alimentos por fontes externas.
Previne problemas de pele, queimaduras, cortes, ação de produtos químicos,
doenças provenientes da umidade, etc.
7
Uso de luvas
A luva faz parte da lista do E.P.I. e deve ser utilizado no
ambiente da cozinha.
É obrigatório o uso de luva de plástico descartável:
o Alimento que sofreu cocção;
o Alimento higienizado;
o Alimento cru;
Orientações:
Manipular os alimentos o mínimo possível, usar talheres, pegadores e
luvas plásticas. A luva deve ser usada toda vez que manusear alimentos que
serão servidos “in natura” ou pós-cocção, jamais abrir latas, gavetas,
portas, etc., com as luvas que estão em preparo de alimentos. Após os
preparos, estas deverão is para o lixo não sendo reaproveitadas.
A cada troca de função deverão ser substituídas.
8
HIGIENE AMBIENTAL
Freqüentemente se imagina que quando o chão esta limpo, está tudo
limpo, esta afirmativa parte de pura desinformação.
O chão da cozinha não deve ser varrido, os resíduos devem ser
retirados com o auxílio de uma pá, para não levantar poeira, pois mesmo que
os alimentos já não estejam mais na cozinha, esta poeira irá pousar
sobre as coifas, fogões, utensílios, bancadas de trabalho e louças em
geral.
O piso deverá ser lavado, jogando-se água para remover a sujeira mais
grossa. Aplicar detergente, usando vassoura para escovar e espalhar o sabão,
enxaguar bem, tirando o excesso de água.
Após as preparações, deve-se diariamente lavar os azulejos
próximos de fogões, frigideiras e bancadas de trabalho, o que não isenta
uma limpeza geral de todo o azulejo da cozinha semanalmente;
HHIIGGIIEENNEE DDEE UUTTEENNSSÍÍLLIIOOSS
Louças e Talheres:
Jamais deixe em uso louças trincadas ou quebradas, mesmo que seja
uma pontinha, pois alem de denotar falta de controle é nestas frestinhas que
se alojam algum resto de alimento e junto as bactérias.
As bandejas deverão ser supervisionadas, tem se haver controle e
evitar o famoso “ pano com álcool”, este deve ser usado para polir e não para
9
limpar aquela sujeirinha nos cantos, senão vai acabar passando de uma
louça para outra.
O polimento de talheres e o brilho de copos é um ponto crucial nas
cozinhas, cuidando com o sopro para polir, fato comum e grave.
Xícaras, copos, bules, pratinhos e louças em geral deverão receber os
mesmos cuidados, não devem ser segurados com os dedos na parte que entra
em contato com o alimento ou a boca do cliente, estes deverão ser
transportados em carrinhos ou bandejas até o local destinado.
As panelas e utensílios da cozinha deverão receber o mesmo
tratamento de louças e talheres, deverão ser guardadas em prateleiras,
viradas para baixo .
A lavagem dos utensílios e louças deverá ser com detergentes neutro,
enxaguar com água quente e higienizar com hipoclorito de sódio e a secagem
deverá ser ao natural sem usar pano algum.
LLIIXXOO
10
Os latões de lixo atraem a presença de roedores, insetos para o
ambiente da cozinha.
Nunca deixar que a lixeira encha até em cima , quando passar da
metade providenciar logo a troca, cuidando para que o funcionário que faz
esta troca, realize a higienização das mãos antes de retornar ao
trabalho de manipulação.
CCUUIIDDAADDOOSS CCOOMM OOSS PPAANNOOSS DDEE PPRRAATTOO OOUU PPEERRFFEEXX
Os panos de prato ou Perfex podem se tornar o ponto alto de
contaminação. É muito comum estarem na cintura, no ombro ou no braço suado
do cozinheiro, este então manipula uma carne crua e seca as mãos, sem lavar,
vai fatiar uma carne cozida, e assim por diante vai espalhando-se
contaminação. As vezes fica pendurado em um canto da cozinha e todos
secam as mãos. Sendo também usado para secar uma louça às pressas.
Quando o uso de Plerflex se fizer necessário, não esqueça que estes deverão
ser lavados, fervidos em uma solução de hipoclorito, pois quando sujos
11
apresentam o ambiente propicio para a proliferação de microrganismos por
apresentarem bactérias e restos de alimentos.
Cuidados
Nunca esquecer que os alimentos que chegam primeiro são
os primeiros a saírem.
Os grãos e os cereais deverão ser estocados distantes dos
alimentos industrializados, evitando infestação por insetos.
Produtos limpeza, detetização deverão ser armazenados
em locais próprios.
O local deverá ser limpo e higienizado, tomando cuidado de
evitar o excesso de água usado na limpeza, evitando a umidade
do ambiente.
Recebimento das mercadorias
Identificar o produto no momento da chegada.
Observar a data de fabricação e prazo de validade, nunca
receber produtos quando estes DOIS itens estiverem rasurados
ou apagados.
Conferir latas amassadas, estufadas, enferrujadas e
embalagens rasgadas.
Quando acontecer de utilizar um produto porcionado e ter
de abrir a embalagem original, este deverá ser estocado em
recipiente limpo e fechado.
A rotulagem de alimentos embalados deve apresentar
obrigatoriamente as seguintes informações: - denominação de
venda do alimento:
- lista de ingredientes
12
- conteúdo líquido
- identificação de origem
- identificação do lote
- prazo de validade
Amostragem dos alimentos
Este procedimento é realizado como forma de segurança para
Unidade, pois se houver alguma suspeita de intoxicação alimentar
serão as amostras que irão comprovar ou não este fato.
Procedimento:
- recolher cada alimento após 60% dos comensais terem
feito a refeição. Colocar em embalagem plástica com
os mesmos utensílios que foram usados.
- Identificar a data e refeição das amostras
- Guardar por 72 horas na câmara.
Provas de alimentos:
Para evitar a contaminação por bactérias
(Staphylococcus aureus) no preparo dos alimentos é
necessário termos alguns cuidados ao prova-lo:
NUNCA usar os dedos ou a mesma colher da cocção
para provar os alimentos.
É importante que o alimento que está sendo feito seja
provado, porém isto deve ser feito da seguinte maneira: Pegar um
prato e levar até a panela e retirar a quantidade necessária e
prova-lo com outra colher que após deverá ser lavada.
13
Existem 3 grandes grupos de microorganismos : bactérias,
fungos e vírus.
Para as bactérias se desenvolverem é preciso de água,
alimento e calor.
Os fungos se proliferam melhor com a umidade, são divididos
em bolores e leveduras e são encontrados nas frutas, legumes e
verduras em geral.
O vírus precisam estar dentro do corpo do homem para se
desenvolverem. Ex: Hepatite.
SALMONELOSE
FONTE:Fezes de animais domésticos ou selvagens ou o próprio
homem.
CONTAMINAÇÃO: Cruzada e cozimento inadequado.
PERÍODO DE INCUBAÇÃO : 8 A 22hs
SINTOMAS: Diarréia, dores
abdominais,vômitos,febre,desidratação,dores de cabeça.
ALIMENTOS ENVOLVIDOS : Carnes, aves, ovos e seus derivados.
MEDIDAS DE CONTROLE: - Resfriar rapidamente os alimentos,
em porções reduzidas.
- Fazer a cocção nas temperaturas adequadas.
- Evitar uso de ovos crus, usar leite pasteurizado.
14
FEBRE TIFÓIDE
FONTE: Fezes, urina humana, mãos contaminadas, água
contaminada por esgotos e hortaliças contaminadas por adubo fecal
humano.
CONTAMINAÇÃO: Manipuladores com mãos contaminadas. Água
sem tratamento.
SINTOMAS:Desinteria ( fezes com muco, pus e sangue, febre,
vômito, mal estar, septicemia, hipotensão, choque endotóxico e
morte.
ALIMENTOS ENVOLVIDOS: alimentos com alto teor de proteínas
( carnes, ovos, leite e derivados), saladas cruas, crustáceos,
alimentos sem reaquecimento adequado.
MEDIDAS DE CONTROLE: higiene pessoal adequada, resfriamento
rápidos em pequenas porções de alimentos, cozimento em
temperatura adequada, água tratada, imunização.
INTOXICAÇÃO POR STAPHILOCOCCUS
FONTE: Espirro, catarro, saliva, tosse , mãos e pele, cortes
infectados, ferimentos.
CONTAMINAÇÃO : Manipulação alimentos preparado com mãos,
tossir e espirrar sobre os alimentos.
SINTOMAS : Vômitos e náuseas, raras diarréias sem febre.
ALIMENTOS ENVOLVIDOS: Carne e frango cozido, presunto,
batata, leite, queijo, cremes e tortas.
MEDIDAS DE CONTROLE : Mínima manipulação direta com o
alimento.Higiene pessoal , cozimento adequado dos alimentos,
resfriar os alimentos em porções pequenas e rapidamente.
15
BOTULISMO
FONTE: Solos, vegetais, frutas e peixes.
CONTAMINAÇÃO: alimentos enlatados, com processo adequado,
embutidos fora de refrigeração.
SINTOMAS: Náuseas, visão dupla, vertigens, perda de reflexos,
dificuldade de deglutir e falar, paralisia respiratória e morte.
ALIMENTOS ENVOLVIDOS: Alimentos enlatados, peixe
defumado, alimentos fermentados, alimentos acondicionados em
óleos e conservas caseiras.
MEDIDAS DE CONTROLE:Cocção adequada de conservas
domésticas.
INTOXICAÇÃO POR CLOSTRIUM PERFRINGENS
FONTE: Solo, intestino do homem e animais, hortaliças e temperos.
CONTAMINAÇÃO: Carnes e aves, caixas de papelão, hortaliças,
contaminação cruzada ( produtos cozidos x crus), mãos.
SINTOMAS: Dores abdominais, diarréia.
GASTROENTERITE POR BACILOS CEREUS
FONTE: Solo, cereias, grãos e hortaliças
CONTAMINAÇÃO:Caixas de papelão, hortaliças que contaminam as
superfícies da cozinha, contaminação cruzada através das mãos.
SINTOMAS: Náuseas, espasmos abdominais, diarréia aquosa.
ALIMENTOS ENVOLVIDOS: Arroz cozido, pudins, molhos,
produtos à base de cereais, carnes preparadas.
MEDIDAS DE CONTROLE: Eliminação das caixas de papelão,
resfriar rapidamente os alimentos em pequenas porções, higiene
pessoal e manipulação correta dos alimentos.
16
Referências
Institut Pasteur. Education pour la hygiène. Disponível em:
http://www.hygiene-educ.com/fr/profs/alimentaire/alimentaire.htm. Acesso
em: maio 2006
Melbourne City Council. A guide to food hygiene. Disponível em:
http://www.melbourne.vic.gov.au/info.cfm?top=136&pg=3754. Acesso em:
junho 2009.
Ministério da Saúde. Manual Integrado de prevenção e controle de
doenças transmitidas por alimentos. Disponível em:
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manual_dta.pdf . Acesso em:
janeiro 2009.
17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Curso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougueCurso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougue
Fábio Baía
 
Treinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosTreinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de Alimentos
Letícia Gonzaga
 
Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]
Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]
Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]
Patrícia Ventura
 
Guia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladoresGuia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladores
Meryellen Moliterno
 
GUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOSGUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOS
merendaescolar
 
Noções+do..
Noções+do..Noções+do..
Noções+do..
darmia lemos
 
Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216
visacamacan
 
Cartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos ICartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos I
guest50b681
 
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOSGUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
Dennis Moliterno
 
Manual manipulacao
Manual manipulacaoManual manipulacao
Manual manipulacao
Flavio Chaves
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Ana Filadelfi
 
Técnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentosTécnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentos
CinciasdaSadePrItine
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
Maria João Damas Carvalho
 
Projeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança AlimentarProjeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança Alimentar
tammygerbasi
 
Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)
Bull Marketing
 
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
Neoprospecta
 
Aula boas praticas fabricação
Aula boas praticas fabricaçãoAula boas praticas fabricação
Aula boas praticas fabricação
Beatriz Dantas Oliveira
 
Treinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshareTreinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshare
Autônoma
 
Rdc 216 e 275
Rdc 216 e 275Rdc 216 e 275
Rdc 216 e 275
Rherysonn Pantoja
 
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipuladorManipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
KetlenBatista
 

Mais procurados (20)

Curso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougueCurso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougue
 
Treinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosTreinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de Alimentos
 
Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]
Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]
Manipulação de alimentos [modo de compatibilidade]
 
Guia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladoresGuia prático para os manipuladores
Guia prático para os manipuladores
 
GUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOSGUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA DE BOAS PRÁTICAS PARA MANIPULADORES DE ALIMENTOS
 
Noções+do..
Noções+do..Noções+do..
Noções+do..
 
Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216
 
Cartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos ICartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos I
 
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOSGUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
GUIA PRÁTICO PARA OS MANIPULADORES DE ALIMENTOS
 
Manual manipulacao
Manual manipulacaoManual manipulacao
Manual manipulacao
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
 
Técnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentosTécnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentos
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
 
Projeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança AlimentarProjeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança Alimentar
 
Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)
 
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
 
Aula boas praticas fabricação
Aula boas praticas fabricaçãoAula boas praticas fabricação
Aula boas praticas fabricação
 
Treinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshareTreinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshare
 
Rdc 216 e 275
Rdc 216 e 275Rdc 216 e 275
Rdc 216 e 275
 
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipuladorManipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
Manipulador de alimentos: higiene pessoal e saúde do manipulador
 

Destaque

A higiene alimentar
A higiene alimentarA higiene alimentar
A higiene alimentar
Jvicente Garrett Dos Santos
 
Higiene alimentar
Higiene alimentarHigiene alimentar
Higiene alimentar
louzeira
 
Higiene alimentar tiago
Higiene alimentar tiagoHigiene alimentar tiago
Higiene alimentar tiago
Bruno Reimão
 
Alimentos: higienização X contaminação
Alimentos: higienização X contaminaçãoAlimentos: higienização X contaminação
Alimentos: higienização X contaminação
Marta Magalhães
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
UERGS
 
Palestra higiene e alimentação
Palestra higiene e alimentaçãoPalestra higiene e alimentação
Palestra higiene e alimentação
Prefeitura de São Paulo
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
Cris Godoy
 
Hábitos de Higiene e Alimentação
Hábitos de Higiene e AlimentaçãoHábitos de Higiene e Alimentação
Hábitos de Higiene e Alimentação
Aparecida Andrade Rosa
 
Higiene De Alimentos
Higiene De AlimentosHigiene De Alimentos
Higiene De Alimentos
guest5c4730
 
Conservação e higiene dos alimentos pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos    pais e professoresConservação e higiene dos alimentos    pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos pais e professores
merendaescolar
 
Higiene pessoal
Higiene pessoalHigiene pessoal
Higiene pessoal
Maryanne Guimarães
 
Alimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúdeAlimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúde
Cristiane Koch
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEISSEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
educacaodetodos
 
Higiene e alimentação saudável
Higiene e alimentação saudávelHigiene e alimentação saudável
Higiene e alimentação saudávelCarlos Martins
 
Aula+higiene+e+educacao+nutricional+acs
Aula+higiene+e+educacao+nutricional+acsAula+higiene+e+educacao+nutricional+acs
Aula+higiene+e+educacao+nutricional+acs
Luis Carlos Silva
 
Higiene e saúde
Higiene e saúdeHigiene e saúde
Higiene e saúde
Msaude
 
Alimentação Saudável
Alimentação SaudávelAlimentação Saudável
Alimentação Saudável
Externato Santo Antonio
 
Higiene e Saúde
Higiene e SaúdeHigiene e Saúde
Higiene e Saúde
Paulo Coelho
 
Manipulação de alimentos
Manipulação de alimentosManipulação de alimentos
Manipulação de alimentos
jordaniamineiro
 

Destaque (19)

A higiene alimentar
A higiene alimentarA higiene alimentar
A higiene alimentar
 
Higiene alimentar
Higiene alimentarHigiene alimentar
Higiene alimentar
 
Higiene alimentar tiago
Higiene alimentar tiagoHigiene alimentar tiago
Higiene alimentar tiago
 
Alimentos: higienização X contaminação
Alimentos: higienização X contaminaçãoAlimentos: higienização X contaminação
Alimentos: higienização X contaminação
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
 
Palestra higiene e alimentação
Palestra higiene e alimentaçãoPalestra higiene e alimentação
Palestra higiene e alimentação
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
 
Hábitos de Higiene e Alimentação
Hábitos de Higiene e AlimentaçãoHábitos de Higiene e Alimentação
Hábitos de Higiene e Alimentação
 
Higiene De Alimentos
Higiene De AlimentosHigiene De Alimentos
Higiene De Alimentos
 
Conservação e higiene dos alimentos pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos    pais e professoresConservação e higiene dos alimentos    pais e professores
Conservação e higiene dos alimentos pais e professores
 
Higiene pessoal
Higiene pessoalHigiene pessoal
Higiene pessoal
 
Alimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúdeAlimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúde
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEISSEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - ALIMENTOS SAUDÁVEIS
 
Higiene e alimentação saudável
Higiene e alimentação saudávelHigiene e alimentação saudável
Higiene e alimentação saudável
 
Aula+higiene+e+educacao+nutricional+acs
Aula+higiene+e+educacao+nutricional+acsAula+higiene+e+educacao+nutricional+acs
Aula+higiene+e+educacao+nutricional+acs
 
Higiene e saúde
Higiene e saúdeHigiene e saúde
Higiene e saúde
 
Alimentação Saudável
Alimentação SaudávelAlimentação Saudável
Alimentação Saudável
 
Higiene e Saúde
Higiene e SaúdeHigiene e Saúde
Higiene e Saúde
 
Manipulação de alimentos
Manipulação de alimentosManipulação de alimentos
Manipulação de alimentos
 

Semelhante a Higiene dos-alimentos

Cartilha treinamento.pdf
Cartilha treinamento.pdfCartilha treinamento.pdf
Cartilha treinamento.pdf
CarolyneAssisEigenhe
 
Apostila anvisa05
Apostila anvisa05Apostila anvisa05
Apostila anvisa05
UFRPE
 
APOSTILA BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.ppt
APOSTILA  BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.pptAPOSTILA  BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.ppt
APOSTILA BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.ppt
wellingtoncaminhasve
 
noções de higienização.doc
noções de higienização.docnoções de higienização.doc
noções de higienização.doc
Maria Conceição Balhico
 
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdfMANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
saidenacuala
 
Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015
Ana Paula F
 
Boas Práticas no Serviço de Alimentação.pptx
Boas Práticas no Serviço de Alimentação.pptxBoas Práticas no Serviço de Alimentação.pptx
Boas Práticas no Serviço de Alimentação.pptx
suplementacaonutrica
 
Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02
Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02
Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02
Armindo A. Lúcio
 
Resumo boas praticas
Resumo boas praticasResumo boas praticas
Resumo boas praticas
Aline Chaves
 
Aula boas praticas acres
Aula boas praticas acresAula boas praticas acres
Aula boas praticas acres
Agnaldo Silva
 
Treinamento de boas práticas de fabricação
Treinamento de boas práticas de fabricaçãoTreinamento de boas práticas de fabricação
Treinamento de boas práticas de fabricação
helder866682
 
128422919758342_a3.ppt
128422919758342_a3.ppt128422919758342_a3.ppt
128422919758342_a3.ppt
MariaNeide16
 
treinamentogloria.pptx
treinamentogloria.pptxtreinamentogloria.pptx
treinamentogloria.pptx
Caroline Jacobs
 
aula bpf.pptx
aula bpf.pptxaula bpf.pptx
aula bpf.pptx
IsabelCampos93
 
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdfmanualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
Maria Conceição Balhico
 
Manual manipuladores
Manual manipuladoresManual manipuladores
Manual manipuladores
Mykaele Dantas
 
1513
15131513
1513
Pelo Siro
 
Geral2
Geral2Geral2
Geral2
thiagopetra
 
CURSO-bpf.pdf
CURSO-bpf.pdfCURSO-bpf.pdf
CURSO-bpf.pdf
ELTONARAUJORAMOS2
 
Merenda
MerendaMerenda

Semelhante a Higiene dos-alimentos (20)

Cartilha treinamento.pdf
Cartilha treinamento.pdfCartilha treinamento.pdf
Cartilha treinamento.pdf
 
Apostila anvisa05
Apostila anvisa05Apostila anvisa05
Apostila anvisa05
 
APOSTILA BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.ppt
APOSTILA  BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.pptAPOSTILA  BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.ppt
APOSTILA BOAS PRÁTICAS DE ALIMENTAÇÃO food truck.ppt
 
noções de higienização.doc
noções de higienização.docnoções de higienização.doc
noções de higienização.doc
 
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdfMANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
 
Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015
 
Boas Práticas no Serviço de Alimentação.pptx
Boas Práticas no Serviço de Alimentação.pptxBoas Práticas no Serviço de Alimentação.pptx
Boas Práticas no Serviço de Alimentação.pptx
 
Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02
Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02
Guiadeboasprticasparaserviosdealimentao 120601080118-phpapp02
 
Resumo boas praticas
Resumo boas praticasResumo boas praticas
Resumo boas praticas
 
Aula boas praticas acres
Aula boas praticas acresAula boas praticas acres
Aula boas praticas acres
 
Treinamento de boas práticas de fabricação
Treinamento de boas práticas de fabricaçãoTreinamento de boas práticas de fabricação
Treinamento de boas práticas de fabricação
 
128422919758342_a3.ppt
128422919758342_a3.ppt128422919758342_a3.ppt
128422919758342_a3.ppt
 
treinamentogloria.pptx
treinamentogloria.pptxtreinamentogloria.pptx
treinamentogloria.pptx
 
aula bpf.pptx
aula bpf.pptxaula bpf.pptx
aula bpf.pptx
 
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdfmanualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
manualdeboasprticasnamanipulaodealimentos.pdf
 
Manual manipuladores
Manual manipuladoresManual manipuladores
Manual manipuladores
 
1513
15131513
1513
 
Geral2
Geral2Geral2
Geral2
 
CURSO-bpf.pdf
CURSO-bpf.pdfCURSO-bpf.pdf
CURSO-bpf.pdf
 
Merenda
MerendaMerenda
Merenda
 

Higiene dos-alimentos

  • 3. A higiene visa atingir o combate às doenças mais freqüentemente transmitidas por alimentos, vindas da manipulação, preparo, cocção e armazenamento inadequados. Nos casos de intoxicação alimentar a causa é sempre uma: a humana. E para que haja prevenção existe a higiene pessoal, já que esses episódios só são causados por alguém que não possui bons hábitos. As cozinhas em que estes não estão presentes são as que apresentam dificuldades com conservação de alimentos e podem gerar problemas de saúde no cliente. Desrespeitos com os cuidados como o banho diário, assepsia das mãos, troca de roupas limpas e todos preceitos de higiene são comumente encontrados, sendo estes responsáveis pela transmissão de microorganismos de origem fecal. Através das mãos, de pessoa em pessoa, de pessoa ao alimento, de pessoa ao equipamento e de pessoa a todo o ambiente pode ocorrer contaminação. As áreas de higiene pessoal em que se deve ter maior cuidado são as seguintes: • Mãos e pele; • Cortes, machucados, feridas, raspões, etc.; • Orelhas, nariz e boca; • Hábito de fumar; • Uso de jóias, perfumes e loção após a barba; • Roupas de proteção; 3
  • 4. • Cuidados gerais de saúde e informações sobre doenças; • Educação sobre higiene. A aparência limpa não é sinal de um ambiente higienizado. Em uma unidade da alimentação é preciso fazer de tudo para que se tenha certeza de que os alimentos estão completamente higiênicos, com condições de serem ingeridos sem o perigo de gerar intoxicação alimentar. Mas para que isso seja possível é essencial que as boas práticas de higiene ambiental estejam presentes no ambiente de manipulação de produtos alimentícios. HIGIENE PESSOAL MMÃÃOOSS EE PPEELLEE As pessoas que trabalham com produtos alimentícios têm o contato das mãos direto com o alimento. Portanto, É essencial que as suas mãos estejam o mais higienizadas possível, durante o dia todo. Não basta apenas lavar as mãos antes de começar a trabalhar. Durante todo período de trabalho as mãos dos funcionários estarão em contato com superfícies, alimentos e bactérias ou germes prejudiciais à saúde, havendo um grande risco de contaminação cruzada, o que pode levar a um surto de intoxicação alimentar. As mãos devem ser lavadas nos seguintes momentos: 4
  • 5. Após vestir-se para iniciar o trabalho; Após a remoção e troca de forros nas lixeiras; Após manusear alimentos crus; Após fumar; Após levar as mãos nos cabelos; Após assoar o nariz, comer, usar o sanitário; A higiene das mãos deverá ser realizada em um local específico, fora da área de pré-preparo e preparo. Como lavar as mãos: Molhar as mãos com bastante água; Usar sabão líquido; Esfregar bem, usando escova própria para as unhas, que deverão estar bem aparadas para facilitar a higienização e evitar abrigo de microorganismos; Enxaguar com água abundante; Secar usando toalha de papel ou secadores a ar quente. CCOORRTTEE,, MMAACCHHUUCCAADDOOSS,, FFEERRIIDDAASS,, EETTCC.. 5
  • 6. Qualquer tipo de ferimento na pele é um lugar ideal para multiplicação das bactérias. Todos os ferimentos devem ser cobertos com algum tipo de proteção à prova d’água. CCAABBEELLOOSS Os cabelos são um dos aspectos “menos limpos” da higiene pessoal. Assim, se cair um fio de cabelo no alimento, ele ira se misturar com o mesmo e gerar contaminação. É necessário, pelo manipulador: Uso regular de xampu; Uso de proteção adequada na cabeça, de maneira a cobrir completamente o cabelo. Barba feita. Os cabelos não devem ser penteados enquanto se está usando roupa de trabalho, pois os pelos soltos e os flocos de caspas podem cair sobre a roupa e ser transferido para os alimentos. OORREELLHHAASS,, NNAARRIIZZ EE BBOOCCAA Os microorganismos que podem estar presentes nestas regiões contribuem com uma grande parte dos casos de intoxicação alimentar e são disseminados com muita facilidade quando espirramos, tossimos e até mesmo quando falamos nas áreas de manipulação de alimentos. 6
  • 7. Quando alguém está resfriado, não se deve permitir que trabalhe perto de alimentos, devendo sempre usar lenços individuais, do tipo descartável, para assoar o nariz, tossir ou espirrar. Os manipuladores de produtos alimentícios não devem comer doces, mascar gomas, etc., durante o trabalho, nem usar os dedos para provar os alimentos. UUSSOO DDEE JJÓÓIIAASS,, PPEERRFFUUMMEESS EE LLOOÇÇÃÃOO AAPPÓÓSS BBAARRBBAA Não se deve usar loção após barba e perfumes, por parte dos manipuladores alimentícios, pois há grande probabilidade de os alimentos serem tocados, em especial com alto teor de gordura, causando a contaminação. Brincos, anéis, relógios, pulseiras,correntes são possíveis armadilhas de sujeiras, onde as partículas de alimentos e poeira podem se depositar e disseminar microorganismos prejudiciais à saúde, além de causar doenças da pele. As peças de jóias podem desalojar-se e cair nos alimentos, sendo depois encontradas pelo consumidor, e podem acabar estragando alguma ponte, pivô ou até mesmo um dente. Alem disso, podem causar contaminação ao alimento. Única peça que pode ser utilizada é a aliança de ouro. RROOUUPPAASS DDEE PPRROOTTEEÇÇÃÃOO O equipamento de proteção individual é destinado a proteger a integridade física do individuo, dos fatores de risco do meio ambiente, assim como evitar a contaminação dos alimentos por fontes externas. Previne problemas de pele, queimaduras, cortes, ação de produtos químicos, doenças provenientes da umidade, etc. 7
  • 8. Uso de luvas A luva faz parte da lista do E.P.I. e deve ser utilizado no ambiente da cozinha. É obrigatório o uso de luva de plástico descartável: o Alimento que sofreu cocção; o Alimento higienizado; o Alimento cru; Orientações: Manipular os alimentos o mínimo possível, usar talheres, pegadores e luvas plásticas. A luva deve ser usada toda vez que manusear alimentos que serão servidos “in natura” ou pós-cocção, jamais abrir latas, gavetas, portas, etc., com as luvas que estão em preparo de alimentos. Após os preparos, estas deverão is para o lixo não sendo reaproveitadas. A cada troca de função deverão ser substituídas. 8
  • 9. HIGIENE AMBIENTAL Freqüentemente se imagina que quando o chão esta limpo, está tudo limpo, esta afirmativa parte de pura desinformação. O chão da cozinha não deve ser varrido, os resíduos devem ser retirados com o auxílio de uma pá, para não levantar poeira, pois mesmo que os alimentos já não estejam mais na cozinha, esta poeira irá pousar sobre as coifas, fogões, utensílios, bancadas de trabalho e louças em geral. O piso deverá ser lavado, jogando-se água para remover a sujeira mais grossa. Aplicar detergente, usando vassoura para escovar e espalhar o sabão, enxaguar bem, tirando o excesso de água. Após as preparações, deve-se diariamente lavar os azulejos próximos de fogões, frigideiras e bancadas de trabalho, o que não isenta uma limpeza geral de todo o azulejo da cozinha semanalmente; HHIIGGIIEENNEE DDEE UUTTEENNSSÍÍLLIIOOSS Louças e Talheres: Jamais deixe em uso louças trincadas ou quebradas, mesmo que seja uma pontinha, pois alem de denotar falta de controle é nestas frestinhas que se alojam algum resto de alimento e junto as bactérias. As bandejas deverão ser supervisionadas, tem se haver controle e evitar o famoso “ pano com álcool”, este deve ser usado para polir e não para 9
  • 10. limpar aquela sujeirinha nos cantos, senão vai acabar passando de uma louça para outra. O polimento de talheres e o brilho de copos é um ponto crucial nas cozinhas, cuidando com o sopro para polir, fato comum e grave. Xícaras, copos, bules, pratinhos e louças em geral deverão receber os mesmos cuidados, não devem ser segurados com os dedos na parte que entra em contato com o alimento ou a boca do cliente, estes deverão ser transportados em carrinhos ou bandejas até o local destinado. As panelas e utensílios da cozinha deverão receber o mesmo tratamento de louças e talheres, deverão ser guardadas em prateleiras, viradas para baixo . A lavagem dos utensílios e louças deverá ser com detergentes neutro, enxaguar com água quente e higienizar com hipoclorito de sódio e a secagem deverá ser ao natural sem usar pano algum. LLIIXXOO 10
  • 11. Os latões de lixo atraem a presença de roedores, insetos para o ambiente da cozinha. Nunca deixar que a lixeira encha até em cima , quando passar da metade providenciar logo a troca, cuidando para que o funcionário que faz esta troca, realize a higienização das mãos antes de retornar ao trabalho de manipulação. CCUUIIDDAADDOOSS CCOOMM OOSS PPAANNOOSS DDEE PPRRAATTOO OOUU PPEERRFFEEXX Os panos de prato ou Perfex podem se tornar o ponto alto de contaminação. É muito comum estarem na cintura, no ombro ou no braço suado do cozinheiro, este então manipula uma carne crua e seca as mãos, sem lavar, vai fatiar uma carne cozida, e assim por diante vai espalhando-se contaminação. As vezes fica pendurado em um canto da cozinha e todos secam as mãos. Sendo também usado para secar uma louça às pressas. Quando o uso de Plerflex se fizer necessário, não esqueça que estes deverão ser lavados, fervidos em uma solução de hipoclorito, pois quando sujos 11
  • 12. apresentam o ambiente propicio para a proliferação de microrganismos por apresentarem bactérias e restos de alimentos. Cuidados Nunca esquecer que os alimentos que chegam primeiro são os primeiros a saírem. Os grãos e os cereais deverão ser estocados distantes dos alimentos industrializados, evitando infestação por insetos. Produtos limpeza, detetização deverão ser armazenados em locais próprios. O local deverá ser limpo e higienizado, tomando cuidado de evitar o excesso de água usado na limpeza, evitando a umidade do ambiente. Recebimento das mercadorias Identificar o produto no momento da chegada. Observar a data de fabricação e prazo de validade, nunca receber produtos quando estes DOIS itens estiverem rasurados ou apagados. Conferir latas amassadas, estufadas, enferrujadas e embalagens rasgadas. Quando acontecer de utilizar um produto porcionado e ter de abrir a embalagem original, este deverá ser estocado em recipiente limpo e fechado. A rotulagem de alimentos embalados deve apresentar obrigatoriamente as seguintes informações: - denominação de venda do alimento: - lista de ingredientes 12
  • 13. - conteúdo líquido - identificação de origem - identificação do lote - prazo de validade Amostragem dos alimentos Este procedimento é realizado como forma de segurança para Unidade, pois se houver alguma suspeita de intoxicação alimentar serão as amostras que irão comprovar ou não este fato. Procedimento: - recolher cada alimento após 60% dos comensais terem feito a refeição. Colocar em embalagem plástica com os mesmos utensílios que foram usados. - Identificar a data e refeição das amostras - Guardar por 72 horas na câmara. Provas de alimentos: Para evitar a contaminação por bactérias (Staphylococcus aureus) no preparo dos alimentos é necessário termos alguns cuidados ao prova-lo: NUNCA usar os dedos ou a mesma colher da cocção para provar os alimentos. É importante que o alimento que está sendo feito seja provado, porém isto deve ser feito da seguinte maneira: Pegar um prato e levar até a panela e retirar a quantidade necessária e prova-lo com outra colher que após deverá ser lavada. 13
  • 14. Existem 3 grandes grupos de microorganismos : bactérias, fungos e vírus. Para as bactérias se desenvolverem é preciso de água, alimento e calor. Os fungos se proliferam melhor com a umidade, são divididos em bolores e leveduras e são encontrados nas frutas, legumes e verduras em geral. O vírus precisam estar dentro do corpo do homem para se desenvolverem. Ex: Hepatite. SALMONELOSE FONTE:Fezes de animais domésticos ou selvagens ou o próprio homem. CONTAMINAÇÃO: Cruzada e cozimento inadequado. PERÍODO DE INCUBAÇÃO : 8 A 22hs SINTOMAS: Diarréia, dores abdominais,vômitos,febre,desidratação,dores de cabeça. ALIMENTOS ENVOLVIDOS : Carnes, aves, ovos e seus derivados. MEDIDAS DE CONTROLE: - Resfriar rapidamente os alimentos, em porções reduzidas. - Fazer a cocção nas temperaturas adequadas. - Evitar uso de ovos crus, usar leite pasteurizado. 14
  • 15. FEBRE TIFÓIDE FONTE: Fezes, urina humana, mãos contaminadas, água contaminada por esgotos e hortaliças contaminadas por adubo fecal humano. CONTAMINAÇÃO: Manipuladores com mãos contaminadas. Água sem tratamento. SINTOMAS:Desinteria ( fezes com muco, pus e sangue, febre, vômito, mal estar, septicemia, hipotensão, choque endotóxico e morte. ALIMENTOS ENVOLVIDOS: alimentos com alto teor de proteínas ( carnes, ovos, leite e derivados), saladas cruas, crustáceos, alimentos sem reaquecimento adequado. MEDIDAS DE CONTROLE: higiene pessoal adequada, resfriamento rápidos em pequenas porções de alimentos, cozimento em temperatura adequada, água tratada, imunização. INTOXICAÇÃO POR STAPHILOCOCCUS FONTE: Espirro, catarro, saliva, tosse , mãos e pele, cortes infectados, ferimentos. CONTAMINAÇÃO : Manipulação alimentos preparado com mãos, tossir e espirrar sobre os alimentos. SINTOMAS : Vômitos e náuseas, raras diarréias sem febre. ALIMENTOS ENVOLVIDOS: Carne e frango cozido, presunto, batata, leite, queijo, cremes e tortas. MEDIDAS DE CONTROLE : Mínima manipulação direta com o alimento.Higiene pessoal , cozimento adequado dos alimentos, resfriar os alimentos em porções pequenas e rapidamente. 15
  • 16. BOTULISMO FONTE: Solos, vegetais, frutas e peixes. CONTAMINAÇÃO: alimentos enlatados, com processo adequado, embutidos fora de refrigeração. SINTOMAS: Náuseas, visão dupla, vertigens, perda de reflexos, dificuldade de deglutir e falar, paralisia respiratória e morte. ALIMENTOS ENVOLVIDOS: Alimentos enlatados, peixe defumado, alimentos fermentados, alimentos acondicionados em óleos e conservas caseiras. MEDIDAS DE CONTROLE:Cocção adequada de conservas domésticas. INTOXICAÇÃO POR CLOSTRIUM PERFRINGENS FONTE: Solo, intestino do homem e animais, hortaliças e temperos. CONTAMINAÇÃO: Carnes e aves, caixas de papelão, hortaliças, contaminação cruzada ( produtos cozidos x crus), mãos. SINTOMAS: Dores abdominais, diarréia. GASTROENTERITE POR BACILOS CEREUS FONTE: Solo, cereias, grãos e hortaliças CONTAMINAÇÃO:Caixas de papelão, hortaliças que contaminam as superfícies da cozinha, contaminação cruzada através das mãos. SINTOMAS: Náuseas, espasmos abdominais, diarréia aquosa. ALIMENTOS ENVOLVIDOS: Arroz cozido, pudins, molhos, produtos à base de cereais, carnes preparadas. MEDIDAS DE CONTROLE: Eliminação das caixas de papelão, resfriar rapidamente os alimentos em pequenas porções, higiene pessoal e manipulação correta dos alimentos. 16
  • 17. Referências Institut Pasteur. Education pour la hygiène. Disponível em: http://www.hygiene-educ.com/fr/profs/alimentaire/alimentaire.htm. Acesso em: maio 2006 Melbourne City Council. A guide to food hygiene. Disponível em: http://www.melbourne.vic.gov.au/info.cfm?top=136&pg=3754. Acesso em: junho 2009. Ministério da Saúde. Manual Integrado de prevenção e controle de doenças transmitidas por alimentos. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manual_dta.pdf . Acesso em: janeiro 2009. 17