SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 61
BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO DE
ALIMENTOS
ORGANIZAÇÃO E HIGIENE QUE
GARANTEM ALIMENTOS SEGUROS
UROTEC SERVIÇOS MÉDICOS LTDA
TREINAMENTO DE MANIPULADORES DE ALIMENTOS
RESPONSÁVEL: Dra. Maria Fernanda Tenório Campana CRN8 2681
Resolução RDC n0216, de 15 de
setembro de 2004
 Trata sobre o Regulamento Técnico de Boas
Práticas para Serviços de Alimentação
 O objetivo das Boas Práticas é evitar a
ocorrência doenças transmitidas por alimentos
(DTA)
Todos os dias, em todo o mundo, pessoas ficam doentes por
causa de algo que comeram. Estas doenças são designadas por
doenças de origem alimentar e são causadas por micróbios
perigosos e/ou produtos químicos/venenos.
A maior parte das doenças de origem alimentar pode ser
prevenida com Boas Práticas de Manipulação dos alimentos.
Para adultos sadios, a maioria das DTA dura poucos dias e não
deixa seqüelas.
Afetam gravemente bebês, crianças, idosos e doentes.
Qual é o problema?
O que são os micróbios?
 Os micróbios são organismos vivos tão
pequenos que só podem ser vistos por meio de
um equipamento com potentes lentes de
aumento chamado microscópio.
Bactérias, vírus, leveduras,
bolores e parasitas, são todos
micróbios.
Onde vivem os micróbios?
Os microrganismos estão em todo o lado, mas são
com mais facilidade nos seguintes locais:
• Fezes;
• Solo e água;
• Ratos, baratas, formigas, moscas e outras pragas;
• Pessoas (intestinos, boca, nariz, mãos, unhas e
pele).
Onde vivem os micróbios?
 Todos os seres vivos têm micróbios associados a eles.
 As fezes do Homem e dos animais contêm micróbios
causadores de doenças.
 Os animais transportam micróbios nos pés, na boca ou
na pele.
 Num centímetro quadrado de pele humana podem ser
encontradas em média 100 000 bactérias.
 10 000 bactérias em linha ocupam o espaço de 1 cm.
 Há mais micróbios em uma mão suja do que pessoas
em todo o planeta.
Todos os micróbios causam doença?
 NÃO. Há três tipos de micróbios: os “bons”, os “maus” e
os perigosos.
 Os bons: são úteis para a produção de queijos,
iogurtes, cervejas, vinhos.
 Os maus ou deteriorantes: são os que estragam/
deterioram os alimentos,mudando o aspecto, cheiro e
sabor, o que impede o consumo do produto, podendo ou
não causar doenças;
 Os patogênicos: são os que causam doença sem
alterar aspecto,cheiro ou sabor do alimento. Podem até
matar.
Quando os micróbios se multiplicam nos
alimentos?
 Os micróbios multiplicam-se nos
alimentos quando encontram
condições ideais:
 Alimento
 Água
 Tempo
 Temperatura adequada
 A cozinha é um ambiente ideal
para o crescimento dos
micróbios, pois possui: água, pH
neutro ou ligeiramente ácido,
oxigênio, nutrientes e
temperatura próxima de 35ºC.
 Uma bactéria pode dividir-
se em 2 em apenas 15
minutos. Isto quer dizer que
em 6 horas, 1 bactéria pode
multiplicar-se e dar origem a
16 milhões.
 Para serem prejudiciais,
algumas bactérias
necessitam de se multiplicar
até níveis elevados. Outras
bactérias podem causar
doenças em teores muito
baixos.
 A maioria dos alimentos contém umidade suficiente para
a multiplicação dos micróbios. Esses alimentos devem
ser conservados em temperaturas especiais, sendo
chamados de perecíveis (carne bovina, suína, aves,
pescados, leite pasteurizado, iogurte, presunto e queijo).
 Os alimentos secos (como arroz cru, biscoito e farinha)
não possuem umidade suficiente para a multiplicação
dos micróbios, sendo conservados na temperatura
ambiente. Os alimentos secos são também chamados
de não perecíveis.
Como acontece as DTA?
 Pela contaminação = transferência de micróbios
 As mãos são os principais veículos de
contaminação
 Alimentos e água contaminados.
 Pragas e animais domésticos
Intoxicação de estudantes em Maringá tem relatório
final - 13/07/2005 10:56:52
A Vigilância Sanitária do município de Maringá e da 15a
Regional de Saúde, no relatório final de investigação do
surto de intoxicação de 350 crianças que participavam
do Festival de Arte da Rede Estudantil (Fera) no último
dia 23 da cidade, concluiu que o agente etiológico
causador da gastroenterite foi o “Bacillus cereus”,
presente no arroz. Como a comida ingerida pelos
estudantes que passaram mal já tinha acabado, não foi
possível fazer a comprovação laboratorial.
Quais os sintomas?
DORES DE ESTÔMAGO
VÔMITOS
DIARRÉIA
 APARECIMENTO: minutos, horas ou dias.
 Na maioria dos casos aparecem 24-72 horas, após a ingestão.
 O QUE FAZER?
 Beber muitos líquidos para hidratar
 É estimado que 3% dos casos de doença de origem alimentar podem
desencadear problemas de saúde a longo prazo.
 Doenças graves como é o caso de cancro, artrite e problemas neurológicos
podem ser causadas por alimentos contaminados.
 Se o manipulador de alimentos tiver Hepatite A, diarréia, vômitos, febre, dores
de garganta, lesões, feridas, cortes na pele,problemas nos ouvidos, olhos ou
nariz o responsável deverá ser comunicado.
Intoxicação por químico
 As pessoas também adoecem devido a intoxicação por químicos.
 Toxinas naturais
 Metais e poluentes ambientais;
 Químicos usados no tratamento de animais;
 Pesticidas usados inadequadamente;
 Químicos usados nas limpezas;
 Aditivos alimentares usados inadequadamente.
 Medidas simples: lavar e descascar, armazenamento adequado
pode evitar ou reduzir a formação de algumas toxinas naturais.
Caro manipulador
O seu trabalho é fundamental para garantir
alimentos mais seguros e proteger a saúde
dos consumidores.
Impeça que os micróbios provoquem doenças
em você nos outros seguindo as “Boas Práticas de
Manipulação de Alimentos”
VAMOS CONVERSAR
SOBRE NOSSA HIGIENE
PESSOAL?
Por que a Higiene Pessoal
adequada é importante?
 Nós todos trazemos
bactérias causadoras
de doenças. Essas
bactérias podem ser
levadas ao alimento. O
manipulador saudável e
limpo pode ajudar a
evitar uma doença por
consumo de alimento
contaminado.
O que fazer?
 Tome banho
diariamente
 Escove os dentes
após cada refeição;
 Conserve as unhas
curtas, limpas e sem
esmaltes ou bases;
 A maior quantidade
dos micróbios está
no nariz, na boca,
nos cabelos, nas
mãos (inclusive
unhas), nas fezes,
no suor e no sapato.
Por que fazer?
O que fazer?
 Lave a cabeça com
freqüência e escove
bem os cabelos
 Use cabelos presos
e cobertos com
redes ou toucas e
não use barba.
 Você sabia que
1mm de cabelo
pode conter até
50.000 micróbios?
 Os cabelos devem
ser mantidos presos
para evitar que
caiam sobre os
alimentos.
Por que fazer?
O que fazer?
 O uniforme deve ser
usado somente na área
de preparo dos
alimentos.
 Troque seu uniforme
diariamente, pois ele
deve estar sempre limpo
e conservado.
 Retire brincos, pulseiras,
anéis, aliança, colares,
relógio e maquiagem.
 O uniforme pode servir
de transporte de
micróbios patogênicos
para o interior da área
de preparo dos
alimentos,
contaminando-os.
 Os adornos pessoais
acumulam sujeira e
micróbios, além de
poderem cair nos
alimentos.
Por que fazer?
 Lave bem as mãos antes de
preparar os alimentos e
depois de usar o banheiro, de
atender o telefone e de abrir
a porta.
 A pia da área de preparo para
lavar as mãos deve ser
diferente da pia de lavagem
dos vasilhames.
 A lavagem das mãos é uma
das melhores formas para
evitar a contaminação dos
alimentos por micróbios
patogênicos.
 Quando vamos ao banheiro e
não lavamos as mãos, o
número de bactérias entre
nossos dedos dobra.
 Pesquisas indicam que a
metade das pessoas esquece
de lavar as mãos quando
saem do banheiro.
O que fazer? Por que fazer?
 Preste atenção para não
fumar, comer, tossir,
espirrar, cantar,
assoviar, falar demais ou
mexer em dinheiro
durante o preparo de
alimentos.
 Não se deve enxugar o
suor com as mãos,
panos de prato, panos
de copa, guardanapos,
aventais ou qualquer
outra peça da
vestimenta.
 Como grande
quantidade de micróbios
patogênicos é
encontrada na boca, no
nariz e nos ouvidos, os
atos de fumar, tossir,
espirrar, cantar, assoviar
e falar demais podem
contaminar os
alimentos.
O que fazer? Por que fazer?
 Se estiver doente ou com
cortes e feridas não
manipule alimentos.
 A pessoa doente (com
diarréia, vômito, gripe, dor
de garganta ou
conjuntivite) apresenta um
alto número de micróbios
patogênicos em seu corpo
que podem facilmente
contaminar os alimentos.
 Os machucados como os
cortes, as feridas e os
arranhões também têm um
alto número de micróbios
patogênicos.
O que fazer? Por que fazer?
Você sabia???
 A maioria das pessoas não gasta nem 10
segundos para lavar a mão. Mas uma boa
lavagem deve durar mais que 20 segundos.
 Qual é a maneira correta de lavar as mãos e
antebraços?
Técnica correta
 Abra a torneira e molhe as mãos e antebraços
 Massageie a palma e o dorso das mãos com sabonete
líquido, neutro e inodoro, inclusive as unhas e os
espaços entre os dedos, pelo menos por 15 segundos
 Enxágüe bem com água corrente, retirando todo o
sabonete
 Feche a torneira com auxílio de uma folha de papel
toalha
 Seque as mãos com papel toalha não reciclado ou ar
quente
 Aplique anti-séptico (álcool 70%), deixando secar
naturalmente.
 Devemos lavar as mãos:
 Ao chegar ao trabalho
 Antes de tocar nos alimentos e
várias vezes durante a
preparação dos mesmos;
 Antes de comer;
 Depois de ir ao banheiro;
 Depois de manipular alimento
cru;
 Antes de mudar de tarefa;
 Depois de tocar o rosto;
 Depois de mexer no lixo;
 Depois de usar esfregões,
panos ou materiais de limpeza
 Depois de fumar.
 Depois de pegar em dinheiro
 Colocar luvas
HIGIENE AMBIENTAL
A ORGANIZAÇÃO é importante para manter a
higiene de um local
É NECESSÁRIO:
 Qualidade da água
 Higienização de instalações (cozinha, despensa,
depósito, sanitários,etc.)
 Higienização de utensílios, equipamentos e
móveis;
 Controle de insetos e roedores (por empresa
especializada)
 Lixo retirado periodicamente e rigorosamente.
O que é HIGIENIZAÇÃO?
 A higienização compreende duas etapas:
limpeza e desinfecção
 É importante distinguir “lavagem” de
“desinfecção”.
 Lavar é o processo de remover fisicamente a
sujeira e restos de comida.
 Desinfetar é o processo de matar os micróbios.
Não é permitido na higienização
 Varrer nas áreas de manipulação
 Panos para secagem de utensílios e
equipamentos
 Uso de palha de aço
 Reaproveitar embalagens de produtos de
limpeza
 Mesmo materiais de limpeza para banheiros e
cozinha
Como HIGIENIZAR?
1- Remover a sujeira mais visível
2 - Lavar com água e sabão ou detergente
3- Enxaguar bem
4 - Desinfecção química: deixar o desinfetante em contato no mínimo 15
minutos. Desinfetar as superfícies em contato com os alimentos ou
com as mãos dos manipuladores.
5 - Superfícies que entrarão em contato com os alimentos
devem ser enxaguadas obrigatoriamente
6- Deixar secar naturalmente ou usar pano descartável.
7 - Os funcionários que realizarem esta tarefa devem
utilizar EPI: bota de borracha ou sapato fechado e luvas
8– Higienizar antes e após as etapas de
produção/manipulação dos alimentos.
Como lavar louça e utensílios
 Limpar os restos de comida e jogá-los no lixo;
 Lavar com água quente e detergente para retirar a
gordura e todos os restos de alimentos.
 Utilize esponjas e escovas diferentes para limpar pratos
e superfícies para prevenir a disseminação dos
micróbios
 Enxaguar com água quente e limpa;
 Desinfetar os utensílios em água fervente ou com
desinfetantes próprios;
 Deixar os pratos e utensílios a secar ao ar ou com um
pano limpo e seco.
Solução desinfetante para utensílios,
superfícies e panos de limpeza.
 Misture 5 ml de hipoclorito de sódio em 750 ml
de água.
 A água a ferver também pode ser utilizada
para desinfetar utensílios mas tenha cuidado
para evitar queimaduras.
 Ferver por 15 minutos
Periodicidade da limpeza
 Todos os dias: pisos, rodapés, ralos, as áreas
de lavagem e produção, maçanetas, lavatórios
(pias), sanitários, cadeiras e mesas (refeitório),
monoblocos e recipientes de lixo.
 Diariamente ou de acordo com o uso:
equipamentos, utensílios, bancadas, superfícies
de manipulação, saboneteiras, borrifadores.
Periodicidade da limpeza
 Toda semana: paredes, portas, janelas, prateleiras
(armários), coifas, geladeiras, câmaras e freezers
 Quinzenalmente : estrados ou similares e
depósitos
 Mensal : luminárias, interruptores, tomadas, telas
 Semestral: reservatório de água
 De acordo com a necessidade ou regulamentação
específica: teto ou forro, caixa de gordura, filtro de ar
condicionado, canaleta de ar.
E O LIXO?
 1. Lavar diariamente os recipientes e a área
reservada para o lixo;
 2. Troque o saco de lixo com freqüência, antes
que fique cheio, para que possa ser fechado
com facilidade, evitando o mau cheiro e as
pragas;
 3. Armazene em local adequado
 4. Sempre lave as mãos após a remoção do
lixo.
Como proteger das pragas as áreas de
preparação?
 Ratos, pássaros, baratas, moscas, formigas...
 Cobrir os alimentos ou guardá-los em recipientes
fechados;
 Manter os lixos tampados e remover o lixo com bastante
frequência;
 Manter as áreas de preparação
de alimentos conservadas e limpas;
 Manter os animais domésticos
fora das zonas de preparação.
COMO DEVE SER O
RECEBIMENTO DO
ALIMENTO PARA
GARANTIR SUA
QUALIDADE?
Compra e recebimento
 Os fornecedores dos alimentos também devem atender
as Boas Práticas
 Receba ou descarregue os alimentos em área protegida
de chuva, sol e que seja limpa, bem iluminada e livre de
pragas;
 Os locais de armazenamento dos alimentos devem ser
limpos, organizados, ventilados e protegidos de insetos
e outros animais.
 Armazene imediatamente os produtos congelados e
refrigerados e depois os produtos não perecíveis.
Compra e recebimento
 Não use e não compre produtos com
embalagens amassadas, estufadas,
enferrujadas, trincadas, com furos ou
vazamentos, rasgadas, abertas ou com outro
tipo de defeito.
 Rejeite alimento que tenha prazo de validade
vencido, sinais de dano ou deterioração
Armazenamento de alimentos
 Substitua as caixas de madeira por caixas de material plástico
porque são fáceis de lavar e isto evita a entrada de sujeira e
insetos no estabelecimento;
 Guarde os produtos de limpeza e higiene em local separado dos
alimentos para evitar contaminação
 Organize os alimentos de acordo com a data de vencimento,
primeiro que vence/ entra, primeiro que sai (PVPS)
 Separe e identifique os produtos que estão impróprios para o
consumo, colocando-os em embalagens adequadas para que não
contaminem os demais alimentos
 As prateleiras, geladeiras e congeladores devem estar em perfeitas
condições de higiene e funcionamento.
HIGIENE DOS
ALIMENTOS
EVITAR durante a manipulação dos alimentos
 Falar, cantar, assobiar ou fumar sobre os alimentos;
 Espirrar, tossir, assoar o nariz ou cuspir;
 Pentear-se, coçar-se, pôr os dedos no nariz, boca ou ouvido ou
passar as mãos nos cabelos;
 Comer, beber, mascar chiclete, palitos, fósforos ou similares e/ou
chupar balas;
 Fazer uso de utensílios e equipamentos sujos;
 Provar a comida nas mãos, dedos ou com utensílios sujos;
 Provar alimentos em talheres e devolvê-los à panela sem prévia
higienização;
 Enxugar o suor com as mãos, panos ou qualquer peça da
vestimenta;
 Tocar maçanetas ou qualquer outro objeto alheio à atividade;
 Manipular dinheiro.
Máscara e luvas????
 As máscaras devem ou não ser utilizadas????
 Luvas de plástico:
 Utilizadas na manipulação de alimentos que não serão cozidos
novamente ou que serão consumidos crus;
 Devem ser descartadas sempre que houver mudança de atividade,
não dispensando a lavagem das mãos a cada troca.
 Não é permitido o uso de luva descartável em procedimentos que
envolvam calor, como cozimento ou fritura e quando do uso de
máquinas de moagem, tritura, moldagem ou similares.
 O manipulador com cortes e ferimentos só poderá manipular
alimentos se estas lesões estiverem protegidas com cobertura à
prova de água, ou seja, com luvas de borracha.
Higiene dos Alimentos
 Lave as mãos antes de preparar os alimentos e depois
de manipular alimentos crus (carnes, frangos, peixes) e
vegetais não lavados.
 O alimento deve ser bem cozido, em altas temperaturas
de forma que todas as partes do alimento atinjam no
mínimo a temperatura de 70ºC.
 Limpe as embalagens antes de abrí-las.
 Os ingredientes que não forem utilizados totalmente
devem ser armazenados em recipientes limpos e
identificados com: nome do produto; data da retirada da
embalagem original; prazo de validade após a abertura.
Higiene dos Alimentos
 Evite o contato de alimentos crus com
alimentos cozidos.
 Lave os utensílios usados no preparo de
alimentos crus antes de utilizá-los em
alimentos cozidos.
 Óleos e gorduras com alterações no cheiro,
sabor, cor, formação de espuma e fumaça
devem ser trocados imediatamente.
Higiene dos Alimentos
 Os alimentos congelados e refrigerados não
devem permanecer fora do freezer ou
geladeira por tempo prolongado.
 Utilize o forno de microondas se for prepará-lo
imediatamente ou deixe o alimento na
geladeira até descongelá-lo.
 As carnes devem ser descongeladas dentro
de recipientes.
Higiene dos Alimentos
 É proibido recongelar alimento que foi
descongelado, pois há aumento do número de
micróbios
 O tempo de manipulação de produtos
perecíveis em temperatura ambiente não deve
ultrapassar 30 minutos.
Hortifruti
 Alimentos como frutas, legumes e hortaliças
devem ser higienizados, tendo em vista que
esses podem ser consumidos crus.
 A correta higienização elimina os micróbios
patogênicos e os parasitas.
Higiene dos hortifruti
1) Retire as folhas e partes deterioradas;
2) Lave em água corrente os vegetais folhosos (alface,
escarola, rúcula, agrião, etc.) folha a folha, e as frutas e
legumes um a um
3) Colocar de molho por no mínimo15 minutos em água
clorada, utilizando produto adequado para este fim (ler o
rótulo da embalagem), na diluição de 200 ppm (1 colher
de sopa para 1 litro)
4) Fazer o corte dos alimentos para a montagem dos
pratos com as mãos e utensílios bem lavados;
5) Manter sob refrigeração até a hora de servir.
Ovos??
 As normas são rígidas porque os ovos podem vir
contaminados com a salmonela, bactéria que vive
naturalmente no intestino das aves, portanto:
 Não é permitida a venda nem a utilização de ovos com
a casca rachada;
 O conteúdo interno do ovo não deve entrar em contato
com a casca;
 As embalagens de ovos não devem ser reutilizadas;
 Não guardar na porta da geladeira
 O prazo de validade registrado na embalagem deve ser
obedecido;
Ovos
 Não é permitido oferecer ovos crus para o
consumo, bem como alimentos preparados
onde os ovos permaneçam crus.
 Portanto, não utilize ovos crus no preparo de
maioneses, mousses e outros. Nestes casos
devem ser utilizados ovos pasteurizados,
desidratados ou cozidos;
 Para o correto cozimento do ovo, submeta-o a
fervura por 7 minutos;
 Ovos fritos devem apresentar a gema dura.
A comida está pronta!
Como devemos serví-la?
 Evitar novas contaminações
 Evitar que os micróbios se multipliquem.
 Procure diminuir ao máximo o tempo entre o preparo e
a distribuição dos alimentos.
 Os funcionários responsáveis por servir o alimento
devem estar sempre com as mãos lavadas.
 Não falar sobre os alimentos
DINÂMICA
 A dinâmica de lavagem das mãos será realizada da seguinte
maneira:
 1. As pessoas que participaram receberam uma aplicação de tinta
hidrossolúvel guache preta nas mãos;
 2. Em seguida, terão os olhos vendados e serão colocados à frente
de uma torneira com água corrente e sabão para lavarem as mãos.
 Depois que as pessoas lavarem as mãos, serão retiradas as
vendas para que avaliem se foram bem lavadas.
 A avaliação será determinada em três graus: mãos bem,
medianamente e mal lavadas.
 Questionário para avaliar os conhecimentos específicos adquiridos.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.38 no.5 Uberaba Sept./Oct. 2005
Alguns aspectos socioeconômicos relacionados a parasitoses intestinais
e avaliação de uma intervenção educativa em escolares de Estiva Gerbi, SP
Obrigada pela atenção!
Rotulagem nutricional
Informação Nutricional: Porção ___ g ou ml; (medida caseira) Valor
energético.... kcal =…….kJ (...%VD); Carboidratos ...g (...%VD);
Proteínas ...g(...%VD); Gorduras totais ........g (...%VD); Gorduras
saturadas.....g (%VD); Gorduras trans...g; Fibra alimentar ...g (%VD);
Sódio ..mg (%VD). “Não contém quantidade significativa de ......(valor
energético e/ou o(s) nome(s) do(s) nutriente(s))” (Esta frase pode ser
empregada quando se utiliza a declaração nutricional simplificada).
*% Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8400 kJ.
Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas
necessidades energéticas.
Referências
 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Secretaria
Municipal de Saúde. Coordenação de Vigilância em Saúde. Boas
práticas de manipulação de alimentos. 2006.
 ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Cartilha sobre
Boas Práticas para serviços de alimentação. Resolução-RDC nº
216/2004.
 OMS – Organização Mundial de Saúde. Cinco chaves para uma
alimentação mais segura: manual. 2006.
 ABREU E S, SPINELLI M G N, PINTO A M S. Gestão de Unidades
de alimentação e nutrição um modo de fazer. 3 ed. rev. ampl.
São Paulo: Editora Metha, 2009.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos ICartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos Iguest50b681
 
Treinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshareTreinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshareAutônoma
 
Slide higienização e manipulação dos alimentos
Slide higienização e manipulação dos alimentosSlide higienização e manipulação dos alimentos
Slide higienização e manipulação dos alimentosMírian de Moura
 
Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.ppt
Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.pptBoas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.ppt
Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.pptSeducPnaeLimoeiro
 
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentaçãoCartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentaçãoPriscilla Meira
 
Curso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougueCurso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougueFábio Baía
 
Treinamento flying integração
Treinamento flying integraçãoTreinamento flying integração
Treinamento flying integraçãoBull Marketing
 
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?Neoprospecta
 
Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216visacamacan
 
Boas práticas de fabricação 2
Boas práticas de fabricação 2Boas práticas de fabricação 2
Boas práticas de fabricação 2Carima Atiyel
 
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_finalCartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_finalLídia Barbosa
 
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SBOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SCelina Martins
 
Procedimento Operacional Padronizado
Procedimento Operacional PadronizadoProcedimento Operacional Padronizado
Procedimento Operacional PadronizadoGeraldo Neves
 
Boas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSEBoas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSESMEdeItabaianinha
 

Mais procurados (20)

Cartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos ICartilha Manipulador Alimentos I
Cartilha Manipulador Alimentos I
 
Treinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshareTreinamento manipuladores slideshare
Treinamento manipuladores slideshare
 
Bpf Treinamento
Bpf TreinamentoBpf Treinamento
Bpf Treinamento
 
Aula boas praticas fabricação
Aula boas praticas fabricaçãoAula boas praticas fabricação
Aula boas praticas fabricação
 
Slide higienização e manipulação dos alimentos
Slide higienização e manipulação dos alimentosSlide higienização e manipulação dos alimentos
Slide higienização e manipulação dos alimentos
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
 
Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.ppt
Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.pptBoas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.ppt
Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos alimentos.ppt
 
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentaçãoCartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
Cartilha Sobre Boa Práticas para serviços de alimentação
 
Curso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougueCurso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougue
 
Treinamento flying integração
Treinamento flying integraçãoTreinamento flying integração
Treinamento flying integração
 
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
E book: Como acontece uma contaminação cruzada?
 
Geral1
Geral1Geral1
Geral1
 
Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216
 
Slides merendeira
Slides merendeiraSlides merendeira
Slides merendeira
 
Noções+do..
Noções+do..Noções+do..
Noções+do..
 
Boas práticas de fabricação 2
Boas práticas de fabricação 2Boas práticas de fabricação 2
Boas práticas de fabricação 2
 
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_finalCartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
Cartilha manual de_boas_praticas_maipulacao_alimentos_final
 
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SBOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
 
Procedimento Operacional Padronizado
Procedimento Operacional PadronizadoProcedimento Operacional Padronizado
Procedimento Operacional Padronizado
 
Boas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSEBoas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSE
 

Semelhante a Treinamento para manipuladores de alimentos

Resumo boas praticas
Resumo boas praticasResumo boas praticas
Resumo boas praticasAline Chaves
 
Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015Ana Paula F
 
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02Claudia Bohrer
 
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)Nutricionista Cláudia Gomes
 
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdfMANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdfsaidenacuala
 
Apostila bolos e tortas senac-sp
Apostila bolos e tortas senac-sp Apostila bolos e tortas senac-sp
Apostila bolos e tortas senac-sp Tamires Ramos
 
Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02
Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02
Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02Pelo Siro
 
Cartilha higiene dos alimentos e higiene das maos
Cartilha higiene dos alimentos e higiene das maosCartilha higiene dos alimentos e higiene das maos
Cartilha higiene dos alimentos e higiene das maosLeonardo Welliton
 
Técnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentosTécnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentosCinciasdaSadePrItine
 
Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)Bull Marketing
 
Projeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança AlimentarProjeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança Alimentartammygerbasi
 
Cartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentaçãoCartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentaçãoEveraldo
 
Cartilha ANVISA- Para Manipuladores de Alimentos
Cartilha ANVISA- Para Manipuladores de AlimentosCartilha ANVISA- Para Manipuladores de Alimentos
Cartilha ANVISA- Para Manipuladores de AlimentosLidiane Martins
 
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptxIntrodução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptxMikaelleNunes2
 

Semelhante a Treinamento para manipuladores de alimentos (20)

Cartilha gicra
Cartilha gicraCartilha gicra
Cartilha gicra
 
Resumo boas praticas
Resumo boas praticasResumo boas praticas
Resumo boas praticas
 
Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015Conservacao alimentos 2015
Conservacao alimentos 2015
 
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02
 
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)
Apostilabolosetortas senacsp-140924114241-phpapp02 (1)
 
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdfMANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE.pdf
 
noções de higienização.doc
noções de higienização.docnoções de higienização.doc
noções de higienização.doc
 
Apostila bolos e tortas senac-sp
Apostila bolos e tortas senac-sp Apostila bolos e tortas senac-sp
Apostila bolos e tortas senac-sp
 
Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02
Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02
Slidehigienizaoemanipulaodosalimentos 121109074825-phpapp02
 
Alimentacao Fora De Casa Neliane
Alimentacao Fora De Casa NelianeAlimentacao Fora De Casa Neliane
Alimentacao Fora De Casa Neliane
 
Cartilha higiene dos alimentos e higiene das maos
Cartilha higiene dos alimentos e higiene das maosCartilha higiene dos alimentos e higiene das maos
Cartilha higiene dos alimentos e higiene das maos
 
Técnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentosTécnicas de manipulação de alimentos
Técnicas de manipulação de alimentos
 
Cartilha treinamento.pdf
Cartilha treinamento.pdfCartilha treinamento.pdf
Cartilha treinamento.pdf
 
Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)Treinamento imprimir (1)
Treinamento imprimir (1)
 
Projeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança AlimentarProjeto de Segurança Alimentar
Projeto de Segurança Alimentar
 
Cartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentaçãoCartilha boas práticas alimentação
Cartilha boas práticas alimentação
 
Cartilha ANVISA- Para Manipuladores de Alimentos
Cartilha ANVISA- Para Manipuladores de AlimentosCartilha ANVISA- Para Manipuladores de Alimentos
Cartilha ANVISA- Para Manipuladores de Alimentos
 
Cartilha gicra final
Cartilha gicra finalCartilha gicra final
Cartilha gicra final
 
Manual
ManualManual
Manual
 
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptxIntrodução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
Introdução sobre boas práticas, higiene, microbiologia, rotulagem etc.pptx
 

Treinamento para manipuladores de alimentos

  • 1. BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS ORGANIZAÇÃO E HIGIENE QUE GARANTEM ALIMENTOS SEGUROS UROTEC SERVIÇOS MÉDICOS LTDA TREINAMENTO DE MANIPULADORES DE ALIMENTOS RESPONSÁVEL: Dra. Maria Fernanda Tenório Campana CRN8 2681
  • 2. Resolução RDC n0216, de 15 de setembro de 2004  Trata sobre o Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação  O objetivo das Boas Práticas é evitar a ocorrência doenças transmitidas por alimentos (DTA)
  • 3. Todos os dias, em todo o mundo, pessoas ficam doentes por causa de algo que comeram. Estas doenças são designadas por doenças de origem alimentar e são causadas por micróbios perigosos e/ou produtos químicos/venenos. A maior parte das doenças de origem alimentar pode ser prevenida com Boas Práticas de Manipulação dos alimentos. Para adultos sadios, a maioria das DTA dura poucos dias e não deixa seqüelas. Afetam gravemente bebês, crianças, idosos e doentes. Qual é o problema?
  • 4. O que são os micróbios?  Os micróbios são organismos vivos tão pequenos que só podem ser vistos por meio de um equipamento com potentes lentes de aumento chamado microscópio. Bactérias, vírus, leveduras, bolores e parasitas, são todos micróbios.
  • 5. Onde vivem os micróbios? Os microrganismos estão em todo o lado, mas são com mais facilidade nos seguintes locais: • Fezes; • Solo e água; • Ratos, baratas, formigas, moscas e outras pragas; • Pessoas (intestinos, boca, nariz, mãos, unhas e pele).
  • 6. Onde vivem os micróbios?  Todos os seres vivos têm micróbios associados a eles.  As fezes do Homem e dos animais contêm micróbios causadores de doenças.  Os animais transportam micróbios nos pés, na boca ou na pele.  Num centímetro quadrado de pele humana podem ser encontradas em média 100 000 bactérias.  10 000 bactérias em linha ocupam o espaço de 1 cm.  Há mais micróbios em uma mão suja do que pessoas em todo o planeta.
  • 7. Todos os micróbios causam doença?  NÃO. Há três tipos de micróbios: os “bons”, os “maus” e os perigosos.  Os bons: são úteis para a produção de queijos, iogurtes, cervejas, vinhos.  Os maus ou deteriorantes: são os que estragam/ deterioram os alimentos,mudando o aspecto, cheiro e sabor, o que impede o consumo do produto, podendo ou não causar doenças;  Os patogênicos: são os que causam doença sem alterar aspecto,cheiro ou sabor do alimento. Podem até matar.
  • 8. Quando os micróbios se multiplicam nos alimentos?  Os micróbios multiplicam-se nos alimentos quando encontram condições ideais:  Alimento  Água  Tempo  Temperatura adequada  A cozinha é um ambiente ideal para o crescimento dos micróbios, pois possui: água, pH neutro ou ligeiramente ácido, oxigênio, nutrientes e temperatura próxima de 35ºC.
  • 9.
  • 10.  Uma bactéria pode dividir- se em 2 em apenas 15 minutos. Isto quer dizer que em 6 horas, 1 bactéria pode multiplicar-se e dar origem a 16 milhões.  Para serem prejudiciais, algumas bactérias necessitam de se multiplicar até níveis elevados. Outras bactérias podem causar doenças em teores muito baixos.
  • 11.  A maioria dos alimentos contém umidade suficiente para a multiplicação dos micróbios. Esses alimentos devem ser conservados em temperaturas especiais, sendo chamados de perecíveis (carne bovina, suína, aves, pescados, leite pasteurizado, iogurte, presunto e queijo).  Os alimentos secos (como arroz cru, biscoito e farinha) não possuem umidade suficiente para a multiplicação dos micróbios, sendo conservados na temperatura ambiente. Os alimentos secos são também chamados de não perecíveis.
  • 12. Como acontece as DTA?  Pela contaminação = transferência de micróbios  As mãos são os principais veículos de contaminação  Alimentos e água contaminados.  Pragas e animais domésticos
  • 13. Intoxicação de estudantes em Maringá tem relatório final - 13/07/2005 10:56:52 A Vigilância Sanitária do município de Maringá e da 15a Regional de Saúde, no relatório final de investigação do surto de intoxicação de 350 crianças que participavam do Festival de Arte da Rede Estudantil (Fera) no último dia 23 da cidade, concluiu que o agente etiológico causador da gastroenterite foi o “Bacillus cereus”, presente no arroz. Como a comida ingerida pelos estudantes que passaram mal já tinha acabado, não foi possível fazer a comprovação laboratorial.
  • 14. Quais os sintomas? DORES DE ESTÔMAGO VÔMITOS DIARRÉIA  APARECIMENTO: minutos, horas ou dias.  Na maioria dos casos aparecem 24-72 horas, após a ingestão.  O QUE FAZER?  Beber muitos líquidos para hidratar  É estimado que 3% dos casos de doença de origem alimentar podem desencadear problemas de saúde a longo prazo.  Doenças graves como é o caso de cancro, artrite e problemas neurológicos podem ser causadas por alimentos contaminados.  Se o manipulador de alimentos tiver Hepatite A, diarréia, vômitos, febre, dores de garganta, lesões, feridas, cortes na pele,problemas nos ouvidos, olhos ou nariz o responsável deverá ser comunicado.
  • 15. Intoxicação por químico  As pessoas também adoecem devido a intoxicação por químicos.  Toxinas naturais  Metais e poluentes ambientais;  Químicos usados no tratamento de animais;  Pesticidas usados inadequadamente;  Químicos usados nas limpezas;  Aditivos alimentares usados inadequadamente.  Medidas simples: lavar e descascar, armazenamento adequado pode evitar ou reduzir a formação de algumas toxinas naturais.
  • 16. Caro manipulador O seu trabalho é fundamental para garantir alimentos mais seguros e proteger a saúde dos consumidores. Impeça que os micróbios provoquem doenças em você nos outros seguindo as “Boas Práticas de Manipulação de Alimentos”
  • 17. VAMOS CONVERSAR SOBRE NOSSA HIGIENE PESSOAL?
  • 18. Por que a Higiene Pessoal adequada é importante?  Nós todos trazemos bactérias causadoras de doenças. Essas bactérias podem ser levadas ao alimento. O manipulador saudável e limpo pode ajudar a evitar uma doença por consumo de alimento contaminado.
  • 19. O que fazer?  Tome banho diariamente  Escove os dentes após cada refeição;  Conserve as unhas curtas, limpas e sem esmaltes ou bases;  A maior quantidade dos micróbios está no nariz, na boca, nos cabelos, nas mãos (inclusive unhas), nas fezes, no suor e no sapato. Por que fazer?
  • 20. O que fazer?  Lave a cabeça com freqüência e escove bem os cabelos  Use cabelos presos e cobertos com redes ou toucas e não use barba.  Você sabia que 1mm de cabelo pode conter até 50.000 micróbios?  Os cabelos devem ser mantidos presos para evitar que caiam sobre os alimentos. Por que fazer?
  • 21. O que fazer?  O uniforme deve ser usado somente na área de preparo dos alimentos.  Troque seu uniforme diariamente, pois ele deve estar sempre limpo e conservado.  Retire brincos, pulseiras, anéis, aliança, colares, relógio e maquiagem.  O uniforme pode servir de transporte de micróbios patogênicos para o interior da área de preparo dos alimentos, contaminando-os.  Os adornos pessoais acumulam sujeira e micróbios, além de poderem cair nos alimentos. Por que fazer?
  • 22.
  • 23.  Lave bem as mãos antes de preparar os alimentos e depois de usar o banheiro, de atender o telefone e de abrir a porta.  A pia da área de preparo para lavar as mãos deve ser diferente da pia de lavagem dos vasilhames.  A lavagem das mãos é uma das melhores formas para evitar a contaminação dos alimentos por micróbios patogênicos.  Quando vamos ao banheiro e não lavamos as mãos, o número de bactérias entre nossos dedos dobra.  Pesquisas indicam que a metade das pessoas esquece de lavar as mãos quando saem do banheiro. O que fazer? Por que fazer?
  • 24.  Preste atenção para não fumar, comer, tossir, espirrar, cantar, assoviar, falar demais ou mexer em dinheiro durante o preparo de alimentos.  Não se deve enxugar o suor com as mãos, panos de prato, panos de copa, guardanapos, aventais ou qualquer outra peça da vestimenta.  Como grande quantidade de micróbios patogênicos é encontrada na boca, no nariz e nos ouvidos, os atos de fumar, tossir, espirrar, cantar, assoviar e falar demais podem contaminar os alimentos. O que fazer? Por que fazer?
  • 25.  Se estiver doente ou com cortes e feridas não manipule alimentos.  A pessoa doente (com diarréia, vômito, gripe, dor de garganta ou conjuntivite) apresenta um alto número de micróbios patogênicos em seu corpo que podem facilmente contaminar os alimentos.  Os machucados como os cortes, as feridas e os arranhões também têm um alto número de micróbios patogênicos. O que fazer? Por que fazer?
  • 26. Você sabia???  A maioria das pessoas não gasta nem 10 segundos para lavar a mão. Mas uma boa lavagem deve durar mais que 20 segundos.  Qual é a maneira correta de lavar as mãos e antebraços?
  • 27. Técnica correta  Abra a torneira e molhe as mãos e antebraços  Massageie a palma e o dorso das mãos com sabonete líquido, neutro e inodoro, inclusive as unhas e os espaços entre os dedos, pelo menos por 15 segundos  Enxágüe bem com água corrente, retirando todo o sabonete  Feche a torneira com auxílio de uma folha de papel toalha  Seque as mãos com papel toalha não reciclado ou ar quente  Aplique anti-séptico (álcool 70%), deixando secar naturalmente.
  • 28.  Devemos lavar as mãos:  Ao chegar ao trabalho  Antes de tocar nos alimentos e várias vezes durante a preparação dos mesmos;  Antes de comer;  Depois de ir ao banheiro;  Depois de manipular alimento cru;  Antes de mudar de tarefa;  Depois de tocar o rosto;  Depois de mexer no lixo;  Depois de usar esfregões, panos ou materiais de limpeza  Depois de fumar.  Depois de pegar em dinheiro  Colocar luvas
  • 29.
  • 30. HIGIENE AMBIENTAL A ORGANIZAÇÃO é importante para manter a higiene de um local
  • 31.
  • 32. É NECESSÁRIO:  Qualidade da água  Higienização de instalações (cozinha, despensa, depósito, sanitários,etc.)  Higienização de utensílios, equipamentos e móveis;  Controle de insetos e roedores (por empresa especializada)  Lixo retirado periodicamente e rigorosamente.
  • 33. O que é HIGIENIZAÇÃO?  A higienização compreende duas etapas: limpeza e desinfecção  É importante distinguir “lavagem” de “desinfecção”.  Lavar é o processo de remover fisicamente a sujeira e restos de comida.  Desinfetar é o processo de matar os micróbios.
  • 34. Não é permitido na higienização  Varrer nas áreas de manipulação  Panos para secagem de utensílios e equipamentos  Uso de palha de aço  Reaproveitar embalagens de produtos de limpeza  Mesmo materiais de limpeza para banheiros e cozinha
  • 35. Como HIGIENIZAR? 1- Remover a sujeira mais visível 2 - Lavar com água e sabão ou detergente 3- Enxaguar bem 4 - Desinfecção química: deixar o desinfetante em contato no mínimo 15 minutos. Desinfetar as superfícies em contato com os alimentos ou com as mãos dos manipuladores. 5 - Superfícies que entrarão em contato com os alimentos devem ser enxaguadas obrigatoriamente 6- Deixar secar naturalmente ou usar pano descartável. 7 - Os funcionários que realizarem esta tarefa devem utilizar EPI: bota de borracha ou sapato fechado e luvas 8– Higienizar antes e após as etapas de produção/manipulação dos alimentos.
  • 36. Como lavar louça e utensílios  Limpar os restos de comida e jogá-los no lixo;  Lavar com água quente e detergente para retirar a gordura e todos os restos de alimentos.  Utilize esponjas e escovas diferentes para limpar pratos e superfícies para prevenir a disseminação dos micróbios  Enxaguar com água quente e limpa;  Desinfetar os utensílios em água fervente ou com desinfetantes próprios;  Deixar os pratos e utensílios a secar ao ar ou com um pano limpo e seco.
  • 37. Solução desinfetante para utensílios, superfícies e panos de limpeza.  Misture 5 ml de hipoclorito de sódio em 750 ml de água.  A água a ferver também pode ser utilizada para desinfetar utensílios mas tenha cuidado para evitar queimaduras.  Ferver por 15 minutos
  • 38. Periodicidade da limpeza  Todos os dias: pisos, rodapés, ralos, as áreas de lavagem e produção, maçanetas, lavatórios (pias), sanitários, cadeiras e mesas (refeitório), monoblocos e recipientes de lixo.  Diariamente ou de acordo com o uso: equipamentos, utensílios, bancadas, superfícies de manipulação, saboneteiras, borrifadores.
  • 39. Periodicidade da limpeza  Toda semana: paredes, portas, janelas, prateleiras (armários), coifas, geladeiras, câmaras e freezers  Quinzenalmente : estrados ou similares e depósitos  Mensal : luminárias, interruptores, tomadas, telas  Semestral: reservatório de água  De acordo com a necessidade ou regulamentação específica: teto ou forro, caixa de gordura, filtro de ar condicionado, canaleta de ar.
  • 40. E O LIXO?  1. Lavar diariamente os recipientes e a área reservada para o lixo;  2. Troque o saco de lixo com freqüência, antes que fique cheio, para que possa ser fechado com facilidade, evitando o mau cheiro e as pragas;  3. Armazene em local adequado  4. Sempre lave as mãos após a remoção do lixo.
  • 41. Como proteger das pragas as áreas de preparação?  Ratos, pássaros, baratas, moscas, formigas...  Cobrir os alimentos ou guardá-los em recipientes fechados;  Manter os lixos tampados e remover o lixo com bastante frequência;  Manter as áreas de preparação de alimentos conservadas e limpas;  Manter os animais domésticos fora das zonas de preparação.
  • 42. COMO DEVE SER O RECEBIMENTO DO ALIMENTO PARA GARANTIR SUA QUALIDADE?
  • 43. Compra e recebimento  Os fornecedores dos alimentos também devem atender as Boas Práticas  Receba ou descarregue os alimentos em área protegida de chuva, sol e que seja limpa, bem iluminada e livre de pragas;  Os locais de armazenamento dos alimentos devem ser limpos, organizados, ventilados e protegidos de insetos e outros animais.  Armazene imediatamente os produtos congelados e refrigerados e depois os produtos não perecíveis.
  • 44. Compra e recebimento  Não use e não compre produtos com embalagens amassadas, estufadas, enferrujadas, trincadas, com furos ou vazamentos, rasgadas, abertas ou com outro tipo de defeito.  Rejeite alimento que tenha prazo de validade vencido, sinais de dano ou deterioração
  • 45. Armazenamento de alimentos  Substitua as caixas de madeira por caixas de material plástico porque são fáceis de lavar e isto evita a entrada de sujeira e insetos no estabelecimento;  Guarde os produtos de limpeza e higiene em local separado dos alimentos para evitar contaminação  Organize os alimentos de acordo com a data de vencimento, primeiro que vence/ entra, primeiro que sai (PVPS)  Separe e identifique os produtos que estão impróprios para o consumo, colocando-os em embalagens adequadas para que não contaminem os demais alimentos  As prateleiras, geladeiras e congeladores devem estar em perfeitas condições de higiene e funcionamento.
  • 47. EVITAR durante a manipulação dos alimentos  Falar, cantar, assobiar ou fumar sobre os alimentos;  Espirrar, tossir, assoar o nariz ou cuspir;  Pentear-se, coçar-se, pôr os dedos no nariz, boca ou ouvido ou passar as mãos nos cabelos;  Comer, beber, mascar chiclete, palitos, fósforos ou similares e/ou chupar balas;  Fazer uso de utensílios e equipamentos sujos;  Provar a comida nas mãos, dedos ou com utensílios sujos;  Provar alimentos em talheres e devolvê-los à panela sem prévia higienização;  Enxugar o suor com as mãos, panos ou qualquer peça da vestimenta;  Tocar maçanetas ou qualquer outro objeto alheio à atividade;  Manipular dinheiro.
  • 48. Máscara e luvas????  As máscaras devem ou não ser utilizadas????  Luvas de plástico:  Utilizadas na manipulação de alimentos que não serão cozidos novamente ou que serão consumidos crus;  Devem ser descartadas sempre que houver mudança de atividade, não dispensando a lavagem das mãos a cada troca.  Não é permitido o uso de luva descartável em procedimentos que envolvam calor, como cozimento ou fritura e quando do uso de máquinas de moagem, tritura, moldagem ou similares.  O manipulador com cortes e ferimentos só poderá manipular alimentos se estas lesões estiverem protegidas com cobertura à prova de água, ou seja, com luvas de borracha.
  • 49. Higiene dos Alimentos  Lave as mãos antes de preparar os alimentos e depois de manipular alimentos crus (carnes, frangos, peixes) e vegetais não lavados.  O alimento deve ser bem cozido, em altas temperaturas de forma que todas as partes do alimento atinjam no mínimo a temperatura de 70ºC.  Limpe as embalagens antes de abrí-las.  Os ingredientes que não forem utilizados totalmente devem ser armazenados em recipientes limpos e identificados com: nome do produto; data da retirada da embalagem original; prazo de validade após a abertura.
  • 50. Higiene dos Alimentos  Evite o contato de alimentos crus com alimentos cozidos.  Lave os utensílios usados no preparo de alimentos crus antes de utilizá-los em alimentos cozidos.  Óleos e gorduras com alterações no cheiro, sabor, cor, formação de espuma e fumaça devem ser trocados imediatamente.
  • 51. Higiene dos Alimentos  Os alimentos congelados e refrigerados não devem permanecer fora do freezer ou geladeira por tempo prolongado.  Utilize o forno de microondas se for prepará-lo imediatamente ou deixe o alimento na geladeira até descongelá-lo.  As carnes devem ser descongeladas dentro de recipientes.
  • 52. Higiene dos Alimentos  É proibido recongelar alimento que foi descongelado, pois há aumento do número de micróbios  O tempo de manipulação de produtos perecíveis em temperatura ambiente não deve ultrapassar 30 minutos.
  • 53. Hortifruti  Alimentos como frutas, legumes e hortaliças devem ser higienizados, tendo em vista que esses podem ser consumidos crus.  A correta higienização elimina os micróbios patogênicos e os parasitas.
  • 54. Higiene dos hortifruti 1) Retire as folhas e partes deterioradas; 2) Lave em água corrente os vegetais folhosos (alface, escarola, rúcula, agrião, etc.) folha a folha, e as frutas e legumes um a um 3) Colocar de molho por no mínimo15 minutos em água clorada, utilizando produto adequado para este fim (ler o rótulo da embalagem), na diluição de 200 ppm (1 colher de sopa para 1 litro) 4) Fazer o corte dos alimentos para a montagem dos pratos com as mãos e utensílios bem lavados; 5) Manter sob refrigeração até a hora de servir.
  • 55. Ovos??  As normas são rígidas porque os ovos podem vir contaminados com a salmonela, bactéria que vive naturalmente no intestino das aves, portanto:  Não é permitida a venda nem a utilização de ovos com a casca rachada;  O conteúdo interno do ovo não deve entrar em contato com a casca;  As embalagens de ovos não devem ser reutilizadas;  Não guardar na porta da geladeira  O prazo de validade registrado na embalagem deve ser obedecido;
  • 56. Ovos  Não é permitido oferecer ovos crus para o consumo, bem como alimentos preparados onde os ovos permaneçam crus.  Portanto, não utilize ovos crus no preparo de maioneses, mousses e outros. Nestes casos devem ser utilizados ovos pasteurizados, desidratados ou cozidos;  Para o correto cozimento do ovo, submeta-o a fervura por 7 minutos;  Ovos fritos devem apresentar a gema dura.
  • 57. A comida está pronta! Como devemos serví-la?  Evitar novas contaminações  Evitar que os micróbios se multipliquem.  Procure diminuir ao máximo o tempo entre o preparo e a distribuição dos alimentos.  Os funcionários responsáveis por servir o alimento devem estar sempre com as mãos lavadas.  Não falar sobre os alimentos
  • 58. DINÂMICA  A dinâmica de lavagem das mãos será realizada da seguinte maneira:  1. As pessoas que participaram receberam uma aplicação de tinta hidrossolúvel guache preta nas mãos;  2. Em seguida, terão os olhos vendados e serão colocados à frente de uma torneira com água corrente e sabão para lavarem as mãos.  Depois que as pessoas lavarem as mãos, serão retiradas as vendas para que avaliem se foram bem lavadas.  A avaliação será determinada em três graus: mãos bem, medianamente e mal lavadas.  Questionário para avaliar os conhecimentos específicos adquiridos. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.38 no.5 Uberaba Sept./Oct. 2005 Alguns aspectos socioeconômicos relacionados a parasitoses intestinais e avaliação de uma intervenção educativa em escolares de Estiva Gerbi, SP
  • 60. Rotulagem nutricional Informação Nutricional: Porção ___ g ou ml; (medida caseira) Valor energético.... kcal =…….kJ (...%VD); Carboidratos ...g (...%VD); Proteínas ...g(...%VD); Gorduras totais ........g (...%VD); Gorduras saturadas.....g (%VD); Gorduras trans...g; Fibra alimentar ...g (%VD); Sódio ..mg (%VD). “Não contém quantidade significativa de ......(valor energético e/ou o(s) nome(s) do(s) nutriente(s))” (Esta frase pode ser empregada quando se utiliza a declaração nutricional simplificada). *% Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
  • 61. Referências  PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Secretaria Municipal de Saúde. Coordenação de Vigilância em Saúde. Boas práticas de manipulação de alimentos. 2006.  ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Cartilha sobre Boas Práticas para serviços de alimentação. Resolução-RDC nº 216/2004.  OMS – Organização Mundial de Saúde. Cinco chaves para uma alimentação mais segura: manual. 2006.  ABREU E S, SPINELLI M G N, PINTO A M S. Gestão de Unidades de alimentação e nutrição um modo de fazer. 3 ed. rev. ampl. São Paulo: Editora Metha, 2009.