Palestra higiene e alimentação

1.351 visualizações

Publicada em

Para apresentação aos alunos do Ensino Médio da escola em que leciono.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.351
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra higiene e alimentação

  1. 1. Higiene e alimentação
  2. 2. Higiene é um conjunto de conhecimentos e técnicas para evitar doenças infecciosas usando desinfecção, esterilização e outros métodos de limpeza com o objetivo de conservar e fortificar a saúde . De origem grega (υγιεινή [τέχνη] (hygieiné [téchne])) que significa hygeinos, ou o que é saudável. É derivada da deusa grega da saúde, limpeza e sanitariedade, Hígia. Alimentação é o processo pelo qual os organismos obtêm e assimilam alimentos ou nutrientes para as suas funções vitais, incluindo o crescimento, movimento, reprodução e manutenção da temperatura do corpo. Na linguagem comum; alimentação é o conjunto de hábitos e substâncias que o ser vivo usa, não só em relação às suas funções vitais, mas também como um elemento da sua cultura e para manter ou melhorar a sua saúde.
  3. 3. História da higiene pessoal Tais hábitos, que para nós, são tão corriqueiros já foram, no passado, totalmente desconhecidos, fato que contribuiu para os grandes surtos de doenças como a peste negra (peste bubônica), na Europa do Período medieval e até para a tuberculose, uma das doenças pulmonares, entre os séculos XIX e XX. No Brasil, o fator cultural e climático influenciou os nossos banhos diários, que herdamos dos índios brasileiros. Mas foi só a partir do início do século passado que a importância dos hábitos de higiene foi sendo divulgada por cientistas do mundo inteiro e se fortaleceram por causa das grandes empresas de cosméticos que se formavam. A higiene pessoal foi facilitada pelo avanço tecnológico e a inserção dos banheiros dentro das residências, pois antigamente os dejetos eram jogados no meio das ruas e a preocupação em lavar as mãos e cabelos não existia. Atualmente, o cenário é completamente diferente, com grande parte da população tendo acesso à rede de água encanada e esgoto. Atividades como banhos diários e lavar as mãos se tornaram banais, melhorando a qualidade e tornaram mais saudável a vida das pessoas.
  4. 4. Os alimentos são como um combustível para o nosso corpo. São eles que nos dão a energia necessária para desenvolver todas as tarefas do nosso dia a dia. Portanto, a higiene alimentar é tão importante e isso envolve cuidados, como o prazo de validade da comida que compramos, em quanto tempo vamos consumi- la, como manuseamos e onde comemos. Comer qualquer alimento sem nenhuma precaução, pode trazer algumas consequências, como diarreias, vômitos, mal-estar, infecções e podem levar a morte. O que costuma provocar infecções alimentares são micro-organismos, como bactérias, fungos, vírus e alguns parasitas. Eles se multiplicam e devido à umidade e o calor, e podem fazê-lo com muita rapidez. Ao ingerir uma comida contaminada, a pessoa passa mal por causa das toxinas que os micro-organismos produzem, o que gera um desequilíbrio gastrointestinal e, em alguns casos, febre.
  5. 5. O artigo 196 da Constituição Federal A OMS - Organização Mundial de Saúde e a Organização para Alimentação e Agricultura - FAO criaram uma comissão conjunta OMS/FAO para o estudo de padrões mínimos de segurança alimentar, estabelecendo a necessidade de edição de um Código de procedimentos de higiene para estabelecimentos onde são servidos alimentos pré-cozidos e cozidos para alimentação coletiva.
  6. 6. Dicas de higienização dos alimentos: Evite comer na rua, só compre se tiver certeza de que é seguro e que o vendedor tem higiene no preparo; Antes de comer, lave bem as mãos com água e sabão ou use álcool em gel para desinfetar; As frutas, verduras e embalagens que forem guardadas na geladeira, devem ser lavadas antes de armazenadas e também de serem consumidas; Busque certificar-se de que o alimento que comprou está dentro do prazo de validade e as embalagens não devem estar amassadas ou rompidas; Não use utensílios de madeira no preparo dos alimentos: o material é propício a proliferação de micro-organismos; Antes de começar a cozinhar, lave bem as mãos e prenda os cabelos; Para desinfecção de frutas e verduras: dilua uma colher de água sanitária em um litro de água e deixe os alimentos de molho por 15 minutos. Depois, é só enxaguar em água corrente e pode ser consumido.
  7. 7. O que está acontecendo? Número de pessoas Hábitos Visitantes inconvenientes Resultado final…
  8. 8. Sujeira: O que fazer para evitá-la? O que fazer para eliminá-la? Elimine seus colegas ou elimine seus maus hábitos…
  9. 9. Regras gerais de higiene para cozinhas e refeitórios: Para os manipuladores de alimentos poderem realizar o seu trabalho nas melhores condições de higiene, é necessário que as instalações também possuam certos requisitos. Tais como um correto estado de conservação de modo a permitirem um bom nível de higiene. As instalações têm de ser projetadas de modo a que os alimentos, materiais e funcionários circulem ordenadamente de uma área para a outra, sem haver o risco de cruzamento de diferentes etapas de modo a evitar a contaminação cruzada. A higiene das instalações reporta-se a toda a área produção e serviços de apoio (armazéns) e compreende não só o estado de limpeza, mas também o de arrumação. Dentre os principais aspectos a considerar são: Zonas exteriores próximas da unidade; Edifícios, tetos, pavimentos, paredes, portas, janelas e escadas; Ventiladores, tubagens, depósitos de água e esgotos; Iluminação, proteção de lâmpadas e eletrocutor de insetos; Instalações sanitárias e vestiários; Armazéns e instalações frigorificas; Meios de transporte internos e externos; Zonas de lavagem de mãos; Circulação de pessoas; Lixos e pragas; Prevenção de incêndios.
  10. 10. Higienização após as refeições: A primeira fase de higienização consiste na remoção de todo o tipo de sujidade agarrada as superfícies, objetos e utensílios e posterior eliminação da solução detergente durante o enxaguamento final. A segunda fase consiste na desinfecção. A ação do desinfetante só é eficaz se houver previamente uma limpeza correta. A limpeza a seco, com varredura, deve ser evitada pois espalha poeiras e microrganismos por superfícies que já se encontrem higienizadas. Após a limpeza, todas as superfícies devem ser bem secas com panos limpos e de utilização única, de modo a evitar a existência de água onde se poderiam desenvolver microrganismos.
  11. 11. Referências consultadas: http://www.saudepublica.web.pt/TrabClaudia/HigieneAlimentar_B oasPraticas/HigieneAlimentar_CodigoBoasPraticas6.htm http://higiene-pessoal.info/mos/view/Higiene_Alimentar/ http://www.portaleducacao.com.br/nutricao/artigos/6052/higiene -e-vigilancia-sanitaria-de-alimentos?_ kt=8494173369&gclid=CJiRlv_H9bYCFYOo4Aods3cAyg#ixzz2S4IKKyUa

×