SlideShare uma empresa Scribd logo
Gêneros Literários
          Definição de gênero    Origina-se do latim genus-erisque significa tempo de nascimento, origem, classe, espécie, geração, ou seja, é o modo como se veicula a mensagem literária. Ex: Uma novela tem características bem diferentes de um conto, e um romance não se assemelha a uma peça de teatro.
 Quanto a forma, a obra literária pode se expressar em:  prosa ou prosa O conteúdo é classificado em: narrativa épica (feita em versos, num longo poema: a epopéia)  lírico ou dramático.
GÊNERO ÉPICO                      Neste gênero o autor descreve na epopéia, fatos históricos heróicos realizados pelos seres humanos. É sempre um tema grandioso que retrata a vida do povo.      As epopéias surgiram na civilização ocidental e deriva de  três obras: Ilíada e Odisséia (Homero) Eneida (Virgílio)
Gênero Lírico       Ode:poesia de exaltação; Elegia:fala de fatos tristes; Idílio:poesias pastoris; Sátira:poesia que ridiculariza características do comportamento humano; Soneto:composição de 14 versos, distribuídos em 2 quartetos e tercetos, rico em métrica. Canção:pequeno poema, popular, simples de teor variado; Acalanto:canto destinado a embalar o sono; Acróstico:as letras iniciais formando o nome de uma pessoa que compõe o verso;
gênero dramático         Neste tipo de gênero vigora a exaltação do eu, onde o autor fala de amor, da saudade, da morte, da solidão, despertando o lado emocional do leitor.      O Gênero  Dramático se divide em: Tragédia Comédia Farsa Auto
        GÊNERO NARRATIVO    O autor neste gênero pode ser um simples narrador – personagem. O escritor conta uma história de ficção onde há personagens que atuam em local e tempo determinados.      As formas narrativas são: Romance Novela Conto
Segundo  Platão (428 a.C – 347 a.C)    a comédia   e a tragédia   se constrói por imitação;
Aristóteles era a favor da mímesis artística onde a tragédia apresenta homens melhores do que nós e a comédia ocupa-se de homens piores. Valoriza-se aqui as ações heróicas, a solenidade épica.
A  Antiguidade clássica  (sec. V a.C ao sec. V d.C)  é caracterizada: Antropocentrismo Apego aos bens do mundo Preocupação com a beleza do corpo Liberdade de criação Mitologia como fonte de assuntos
Horácio (65 a.C – 8 a.C) impunha a Literatura uma função moral e didática, onde nela devia se juntar o prazer e a educação. Valoriza-se o ritmo, o tom, o metro, tendo como poeta somente aquele que sabe respeitar o domínio e o tom de cada gênero literário.
No período medieval  Dante Alighieri (escreveu Divina Comédia) classifica os gêneros em nobre médio e humilde, situando em:    primeiro lugar – epopéia    segundo – tragédia    último - elegia.
   A Idade Média (sec. XII ao séc. XV) caracterizava-se por: - Homem voltado para o céu e para Deus - Preocupação com a salvação da alma - Submissão a igreja e senhor feudal - O Evangelho fonte de inspiração artística
- Sobreposição da vida eterna a terrena - Predomínio dos sentimentos sobre a razão - Teocentrismo - Espiritualismo - Predomínio das poesias trovadorescas
   No Renascimento ou Classicismo (Século XVI) surge a necessidade de classificar os poemas por isso valorizam poesia dramática, narrativa e a poesia lírica onde as obras eram compostas por reflexões do próprio poeta e na poesia épica ora falava o poeta ora falavam as personagens introduzidas.
As características no Renascimento   eram:     - Orgulhoso espírito de independência     - Curiosidade cientifica     - Vontade de glórias terrenas     - Exaltação das dificuldades humanas     - Clareza
O Romantismo (1ª metade do sec.XIX (1836 a 1881)valoriza na poesia  a individualidade  autonomia de cada obra, a liberdade de criação, o que contava neste período era os sentimentos.
Características do Romantismo:    - Arte feita para o povo    - Originalidade    - Melancolia    - Cristianismo    - O universo sou “eu”    - Sentimentalismo “doentio”    - Fantasia e imaginação criadora    - O poeta se lamenta
O francês Brunetière(1849-1906) defende a idéia que o gênero nasceria, cresceria, alcançaria a perfeição e declinaria para, em seguida morrer. Já Benedetto (1886-1952) mencionava que todo conhecimento é intuitivo ou lógico produzindo imagens e conceitos.
   No século XX Luiz Costa Lima diz que o importante nos gêneros é a “percepção”, os traços de linguagem, expectativa do receptor bem como a obra literária capta a realidade. Segundo ele, era como se “filtros” se colocassem entre as obras e a realidade, selecionando-a de diferentes formas. Esses “filtros” não só permitiam distinguir o literário do não literário, mas também apontariam tratamentos específicos para cada gênero.
NorthropFrye, em sua Anatomia da crítica (1957), acrescentou aos gênero drama, épico e ao lírico um quarto: a ficção, onde no drama haveria um confronto direto entre personagens e público, por isso se caracterizava pelo ocultamento do autor, no épico, o autor se confronta, diretamente, com a audiência e os personagens estão ocultos, já na lírica, a forma é principio da apresentação.
  Segundo Northrop quatro são também as modalidades de ficção: ,[object Object]
- romance (novela)
- forma confessional
- sátira,[object Object]
Nos dias atuais as diretrizes atuais que definem os gêneros são: ,[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Quezia Neves
 
Literatura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros LiteráriosLiteratura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros Literários
Miriam Zelmikaitis
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
Amelia Barros
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Ana Paula Brisolar
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
ma.no.el.ne.ves
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
Adriana Masson
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Lucas Queiroz
 
Arcadismo
Arcadismo Arcadismo
Arcadismo
Slides de Tudo
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
Claudia Lazarini
 
Romantismo brasileiro
Romantismo brasileiroRomantismo brasileiro
Romantismo brasileiro
Seduc/AM
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
Fernando Henning
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
Andriane Cursino
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
ionasilva
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
Nathaly Caldas Costa
 
Humanismo - Literatura
Humanismo - LiteraturaHumanismo - Literatura
Humanismo - Literatura
Andriane Cursino
 
A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...
A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...
A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...
Joselma Mendes
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Raquel Dos Santos
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
fabrinnem
 
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosaRomantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
Tim Bagatelas
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
Ana Castro
 

Mais procurados (20)

Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
 
Literatura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros LiteráriosLiteratura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros Literários
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Arcadismo
Arcadismo Arcadismo
Arcadismo
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
 
Romantismo brasileiro
Romantismo brasileiroRomantismo brasileiro
Romantismo brasileiro
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Humanismo - Literatura
Humanismo - LiteraturaHumanismo - Literatura
Humanismo - Literatura
 
A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...
A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...
A Voz Feminina no Romance Maranhense: uma análise da obra Úrsula de Maria Fir...
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
 
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosaRomantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 

Semelhante a Slide generos literarios

Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
7 de Setembro
 
Resumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptxResumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptx
ssuser36fc8b
 
Gêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptxGêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptx
Gustavo Paz
 
Relatã³rio da aula quatorze de marã§o
Relatã³rio da aula quatorze de marã§oRelatã³rio da aula quatorze de marã§o
Relatã³rio da aula quatorze de marã§o
Raquelzinhadf
 
Conceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de LiteraturaConceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de Literatura
leliovr
 
Heroísmo épico
Heroísmo épicoHeroísmo épico
Heroísmo épico
Val Valença
 
Literatura ( Sônia Guedes)
Literatura   ( Sônia Guedes)Literatura   ( Sônia Guedes)
Literatura ( Sônia Guedes)
Sônia Guedes
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Renata Silva Nunes Ribeiro
 
Linha de tempo 1
Linha de tempo 1Linha de tempo 1
Linha de tempo
Linha de tempo Linha de tempo
Gêneros Literários
Gêneros Literários Gêneros Literários
Gêneros Literários
Caio Cavalcanti
 
Romantismo -slides (1)
Romantismo  -slides (1)Romantismo  -slides (1)
Romantismo -slides (1)
Aparecida Mallagoli
 
Gêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptxGêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptx
MatheusSimoesMasuoka1
 
Ativ 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustinoAtiv 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustino
Rosana Faustino
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Cida07
 
Romantismo -slides (2)
Romantismo  -slides (2)Romantismo  -slides (2)
Romantismo -slides (2)
Aparecida Mallagoli
 
Gêneros Literários
Gêneros LiteráriosGêneros Literários
Gêneros Literários
Laboratório de Informática
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
Ademir Teixeira de Freitas
 
C:\fakepath\ascensão do romance
C:\fakepath\ascensão do romanceC:\fakepath\ascensão do romance
C:\fakepath\ascensão do romance
guest254bf1
 
C:\Fakepath\AscensãO Do Romance
C:\Fakepath\AscensãO Do RomanceC:\Fakepath\AscensãO Do Romance
C:\Fakepath\AscensãO Do Romance
Eneida da Rosa
 

Semelhante a Slide generos literarios (20)

Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
 
Resumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptxResumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptx
 
Gêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptxGêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptx
 
Relatã³rio da aula quatorze de marã§o
Relatã³rio da aula quatorze de marã§oRelatã³rio da aula quatorze de marã§o
Relatã³rio da aula quatorze de marã§o
 
Conceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de LiteraturaConceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de Literatura
 
Heroísmo épico
Heroísmo épicoHeroísmo épico
Heroísmo épico
 
Literatura ( Sônia Guedes)
Literatura   ( Sônia Guedes)Literatura   ( Sônia Guedes)
Literatura ( Sônia Guedes)
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Linha de tempo 1
Linha de tempo 1Linha de tempo 1
Linha de tempo 1
 
Linha de tempo
Linha de tempo Linha de tempo
Linha de tempo
 
Gêneros Literários
Gêneros Literários Gêneros Literários
Gêneros Literários
 
Romantismo -slides (1)
Romantismo  -slides (1)Romantismo  -slides (1)
Romantismo -slides (1)
 
Gêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptxGêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptx
 
Ativ 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustinoAtiv 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustino
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Romantismo -slides (2)
Romantismo  -slides (2)Romantismo  -slides (2)
Romantismo -slides (2)
 
Gêneros Literários
Gêneros LiteráriosGêneros Literários
Gêneros Literários
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
C:\fakepath\ascensão do romance
C:\fakepath\ascensão do romanceC:\fakepath\ascensão do romance
C:\fakepath\ascensão do romance
 
C:\Fakepath\AscensãO Do Romance
C:\Fakepath\AscensãO Do RomanceC:\Fakepath\AscensãO Do Romance
C:\Fakepath\AscensãO Do Romance
 

Mais de estudosacademicospedag

Teste tibetano
Teste tibetanoTeste tibetano
Teste tibetano
estudosacademicospedag
 
Para pensar e responder
Para pensar e responderPara pensar e responder
Para pensar e responder
estudosacademicospedag
 
Slides nº 02 ok
Slides nº 02 okSlides nº 02 ok
Slides nº 02 ok
estudosacademicospedag
 
Slides nº 01 ok
Slides nº 01 okSlides nº 01 ok
Slides nº 01 ok
estudosacademicospedag
 
Psicopedagogia hospitalar
Psicopedagogia hospitalarPsicopedagogia hospitalar
Psicopedagogia hospitalar
estudosacademicospedag
 
Psicopedagogia hospitalar blog
Psicopedagogia hospitalar blogPsicopedagogia hospitalar blog
Psicopedagogia hospitalar blog
estudosacademicospedag
 
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
estudosacademicospedag
 
Diagnóstico institucional slides nº 03
Diagnóstico institucional slides nº 03Diagnóstico institucional slides nº 03
Diagnóstico institucional slides nº 03
estudosacademicospedag
 
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
estudosacademicospedag
 
Slide a funçao supervisora
Slide  a funçao supervisoraSlide  a funçao supervisora
Slide a funçao supervisora
estudosacademicospedag
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
estudosacademicospedag
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
estudosacademicospedag
 
Slide o estágio na história da educação
Slide o estágio na  história da educaçãoSlide o estágio na  história da educação
Slide o estágio na história da educação
estudosacademicospedag
 
Slide o estágio na história da educação
Slide o estágio na  história da educaçãoSlide o estágio na  história da educação
Slide o estágio na história da educação
estudosacademicospedag
 
Slide orientação educacional
Slide orientação educacionalSlide orientação educacional
Slide orientação educacional
estudosacademicospedag
 
Slide automatico-professora mestre e tia
Slide automatico-professora mestre e tiaSlide automatico-professora mestre e tia
Slide automatico-professora mestre e tia
estudosacademicospedag
 
Slide prof primaria-mestre ou tia
Slide  prof primaria-mestre ou tiaSlide  prof primaria-mestre ou tia
Slide prof primaria-mestre ou tia
estudosacademicospedag
 
Slide pesquisa de campo-atrasos
Slide pesquisa de campo-atrasosSlide pesquisa de campo-atrasos
Slide pesquisa de campo-atrasos
estudosacademicospedag
 
Slide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campoSlide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campo
estudosacademicospedag
 
Slide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campoSlide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campo
estudosacademicospedag
 

Mais de estudosacademicospedag (20)

Teste tibetano
Teste tibetanoTeste tibetano
Teste tibetano
 
Para pensar e responder
Para pensar e responderPara pensar e responder
Para pensar e responder
 
Slides nº 02 ok
Slides nº 02 okSlides nº 02 ok
Slides nº 02 ok
 
Slides nº 01 ok
Slides nº 01 okSlides nº 01 ok
Slides nº 01 ok
 
Psicopedagogia hospitalar
Psicopedagogia hospitalarPsicopedagogia hospitalar
Psicopedagogia hospitalar
 
Psicopedagogia hospitalar blog
Psicopedagogia hospitalar blogPsicopedagogia hospitalar blog
Psicopedagogia hospitalar blog
 
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional  slides 04-para o blogPsicopedagogia institucional  slides 04-para o blog
Psicopedagogia institucional slides 04-para o blog
 
Diagnóstico institucional slides nº 03
Diagnóstico institucional slides nº 03Diagnóstico institucional slides nº 03
Diagnóstico institucional slides nº 03
 
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
 
Slide a funçao supervisora
Slide  a funçao supervisoraSlide  a funçao supervisora
Slide a funçao supervisora
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
 
Slide o estágio na história da educação
Slide o estágio na  história da educaçãoSlide o estágio na  história da educação
Slide o estágio na história da educação
 
Slide o estágio na história da educação
Slide o estágio na  história da educaçãoSlide o estágio na  história da educação
Slide o estágio na história da educação
 
Slide orientação educacional
Slide orientação educacionalSlide orientação educacional
Slide orientação educacional
 
Slide automatico-professora mestre e tia
Slide automatico-professora mestre e tiaSlide automatico-professora mestre e tia
Slide automatico-professora mestre e tia
 
Slide prof primaria-mestre ou tia
Slide  prof primaria-mestre ou tiaSlide  prof primaria-mestre ou tia
Slide prof primaria-mestre ou tia
 
Slide pesquisa de campo-atrasos
Slide pesquisa de campo-atrasosSlide pesquisa de campo-atrasos
Slide pesquisa de campo-atrasos
 
Slide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campoSlide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campo
 
Slide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campoSlide matematica-pesquisa de campo
Slide matematica-pesquisa de campo
 

Slide generos literarios

  • 2. Definição de gênero Origina-se do latim genus-erisque significa tempo de nascimento, origem, classe, espécie, geração, ou seja, é o modo como se veicula a mensagem literária. Ex: Uma novela tem características bem diferentes de um conto, e um romance não se assemelha a uma peça de teatro.
  • 3. Quanto a forma, a obra literária pode se expressar em: prosa ou prosa O conteúdo é classificado em: narrativa épica (feita em versos, num longo poema: a epopéia) lírico ou dramático.
  • 4. GÊNERO ÉPICO Neste gênero o autor descreve na epopéia, fatos históricos heróicos realizados pelos seres humanos. É sempre um tema grandioso que retrata a vida do povo. As epopéias surgiram na civilização ocidental e deriva de três obras: Ilíada e Odisséia (Homero) Eneida (Virgílio)
  • 5. Gênero Lírico Ode:poesia de exaltação; Elegia:fala de fatos tristes; Idílio:poesias pastoris; Sátira:poesia que ridiculariza características do comportamento humano; Soneto:composição de 14 versos, distribuídos em 2 quartetos e tercetos, rico em métrica. Canção:pequeno poema, popular, simples de teor variado; Acalanto:canto destinado a embalar o sono; Acróstico:as letras iniciais formando o nome de uma pessoa que compõe o verso;
  • 6. gênero dramático Neste tipo de gênero vigora a exaltação do eu, onde o autor fala de amor, da saudade, da morte, da solidão, despertando o lado emocional do leitor. O Gênero Dramático se divide em: Tragédia Comédia Farsa Auto
  • 7. GÊNERO NARRATIVO O autor neste gênero pode ser um simples narrador – personagem. O escritor conta uma história de ficção onde há personagens que atuam em local e tempo determinados. As formas narrativas são: Romance Novela Conto
  • 8. Segundo Platão (428 a.C – 347 a.C) a comédia e a tragédia se constrói por imitação;
  • 9. Aristóteles era a favor da mímesis artística onde a tragédia apresenta homens melhores do que nós e a comédia ocupa-se de homens piores. Valoriza-se aqui as ações heróicas, a solenidade épica.
  • 10. A Antiguidade clássica (sec. V a.C ao sec. V d.C) é caracterizada: Antropocentrismo Apego aos bens do mundo Preocupação com a beleza do corpo Liberdade de criação Mitologia como fonte de assuntos
  • 11. Horácio (65 a.C – 8 a.C) impunha a Literatura uma função moral e didática, onde nela devia se juntar o prazer e a educação. Valoriza-se o ritmo, o tom, o metro, tendo como poeta somente aquele que sabe respeitar o domínio e o tom de cada gênero literário.
  • 12. No período medieval Dante Alighieri (escreveu Divina Comédia) classifica os gêneros em nobre médio e humilde, situando em: primeiro lugar – epopéia segundo – tragédia último - elegia.
  • 13. A Idade Média (sec. XII ao séc. XV) caracterizava-se por: - Homem voltado para o céu e para Deus - Preocupação com a salvação da alma - Submissão a igreja e senhor feudal - O Evangelho fonte de inspiração artística
  • 14. - Sobreposição da vida eterna a terrena - Predomínio dos sentimentos sobre a razão - Teocentrismo - Espiritualismo - Predomínio das poesias trovadorescas
  • 15. No Renascimento ou Classicismo (Século XVI) surge a necessidade de classificar os poemas por isso valorizam poesia dramática, narrativa e a poesia lírica onde as obras eram compostas por reflexões do próprio poeta e na poesia épica ora falava o poeta ora falavam as personagens introduzidas.
  • 16. As características no Renascimento eram: - Orgulhoso espírito de independência - Curiosidade cientifica - Vontade de glórias terrenas - Exaltação das dificuldades humanas - Clareza
  • 17. O Romantismo (1ª metade do sec.XIX (1836 a 1881)valoriza na poesia a individualidade autonomia de cada obra, a liberdade de criação, o que contava neste período era os sentimentos.
  • 18. Características do Romantismo: - Arte feita para o povo - Originalidade - Melancolia - Cristianismo - O universo sou “eu” - Sentimentalismo “doentio” - Fantasia e imaginação criadora - O poeta se lamenta
  • 19. O francês Brunetière(1849-1906) defende a idéia que o gênero nasceria, cresceria, alcançaria a perfeição e declinaria para, em seguida morrer. Já Benedetto (1886-1952) mencionava que todo conhecimento é intuitivo ou lógico produzindo imagens e conceitos.
  • 20. No século XX Luiz Costa Lima diz que o importante nos gêneros é a “percepção”, os traços de linguagem, expectativa do receptor bem como a obra literária capta a realidade. Segundo ele, era como se “filtros” se colocassem entre as obras e a realidade, selecionando-a de diferentes formas. Esses “filtros” não só permitiam distinguir o literário do não literário, mas também apontariam tratamentos específicos para cada gênero.
  • 21. NorthropFrye, em sua Anatomia da crítica (1957), acrescentou aos gênero drama, épico e ao lírico um quarto: a ficção, onde no drama haveria um confronto direto entre personagens e público, por isso se caracterizava pelo ocultamento do autor, no épico, o autor se confronta, diretamente, com a audiência e os personagens estão ocultos, já na lírica, a forma é principio da apresentação.
  • 22.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28. - A teoria dos gêneros é usada para auxiliar o reconhecimento literário e NUNCA dever usada a valorização e julgamento da obra.