SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Gêneros Literários
“A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA
PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA.”
Gêneros Literários
Conjuntos de elementos semânticos,
estilísticos e formais utilizados pelos autores em
suas obras, para caracterizá-las de acordo com a
sua visão da realidade e o público a que se
destinam. Na antiguidade clássica, os textos
literários dividiam-se em três gêneros:
Lírico (sentimental, poético)
Dramático (teatro)
Épico (narrativo)
Gênero Lírico
• Gênero o qual predomina a subjetividade, ou
seja, o autor tenta falar consigo mesmo, ou com
um interlocutor particular (amigo, amante,
fantasia, elemento da natureza, Deus...), tendo a
presença do eu - lírico.
• Seu nome vem de lira, instrumento musical que
acompanhava os cantos dos gregos.
• Predominam
as palavras e
pontuações de
1ª pessoa.
• Segundo
Aristóteles,
palavra
cantada.
É importante ressaltar que o “eu - lírico”
pode ser masculino
ou
feminino
independente do autor.
EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICO
Autor masculino – eu lírico masculino
Ainda uma vez adeus...
Gonçalves Dias
Enfim te vejo! - enfim posso,
Curvado a teus pés, dizer-te
Que não cessei de querer-te,
Pesar de quanto sofri.
Muito penei. Cruas âncias,
Dos teus olhos afastado,
Houveram-me acabrunhado
A não lembrar-me de ti!
(...)
EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICO
Autor masculino – eu lírico feminino
Com açúcar, com afeto
Chico Buarque
Com açúcar, com afeto
Fiz seu doce predileto
Pra você parar em casa
Qual o quê
Com seu terno mais bonito
Você sai, não acredito
Quando diz que não se atrasa.
Você diz que é um operário, sai em busca do salário.
EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICO
Autor feminino – eu lírico feminino
GARGANTA
Ana Carolina
Sei que não sou santa
Às vezes vou na cara dura
Às vezes ajo com candura
Pra te conquistar
Mas não sou beata
Me criei na rua
E não mudo minha postura
Só pra te agradar
Gênero Dramático
• Em grego, drama significa “ação”.
• Ao gênero dramático pertencem os textos para
serem encenados, representados.
• O Gênero Dramático se assenta em três eixos
importantes: o ator, o texto e o público sem o
que não há espetáculo teatral.
• Segundo Aristóteles é a palavra representada.
Modalidades do gênero dramático
• Tragédia: é a representação de um fato trágico,
apto a suscitar compaixão e terror.
• Comédia: é a representação de um fato inspirado
na vida e no sentimento comum, de riso fácil, em
geral criticando os costumes.
• Tragicomédia: é a mistura do trágico com o
cômico. Originalmente, significava a mistura do
real com o imaginário.
• Farsa: pequena peça teatral, de caráter ridículo e
caricatural, criticando a sociedade e seus
costumes; baseia-se no lema latino Ridendo
castigat mores (“Rindo, corrigem-se os
costumes.”).
TEXTO DRAMÁTICO: COMÉDIA
A MEGERA DOMADA
William Shakespeare
Catarina: Deixe-me em paz Bianca!
Eu já disse que não vou!
Bianca: Mas Catarina, se você não for,
Papai não me deixa ir!
Catarina: E eu com isso?
TEXTO DRAMÁTICO: TRAGÉDIA
Édipo Rei
Sofócles
Ó meus filhos, gente nova desta velha cidade
de Cadmo, por que vos prosternais assim, junto
a estes altares tendo nas mãos os ramos dos
suplicantes?
Gênero Épico
• A palavra "epopéia" vem do grego épos, e se
refere à narrativa em forma de versos, de um
fato grandioso e maravilhoso que interessa a um
povo.
• O gênero épico: narrações de fatos grandiosos,
centrados na figura de um herói. Tem a presença
de um narrador.
• Segundo Aristóteles, a palavra narrada.
• Provavelmente, é a mais antiga das
manifestações literárias. Ele surgiu quando os
homens primitivos sentiram necessidade de
relatar suas experiências, centradas na dura
batalha de sobrevida num mundo caótico, hostil
e ameaçador...........................................................
Os elementos essenciais
• Na estrutura épica temos: o narrador, o qual
conta a história praticada por outros no passado;
a história, a sucessão de acontecimentos; as
personagens, em torno das quais giram os fatos;
o tempo, o qual geralmente se apresenta no
passado e o espaço, local onde se dá a ação das
personagens.
Os Lusíadas
Luíz Vaz de Camões
As armas e os barões assinalados;
Que da Ocidental praia lusitana,
Por mares nunca de antes navegados,
Passaram ainda além da Taprobrana,
Em perigos e guerras esforçados...
Ilíada
Homero
Canta, ó deusa, a cólera de Aquiles, o Pelida
(mortífera!, que tantas dores trouxe aos Aqueus
e tantas almas valentes de heróis lançou no
Hades, ficando seus corpos como presa para
cães e aves de rapina, enquanto se cumpria a
vontade de Zeus), desde o momento em que
primeiro se desentenderam o Atrida, soberano
dos homens, e o divino Aquiles.
Gênero Narrativo
• É visto como uma variante moderna do gênero épico,
caracterizando-se por se apresentar em prosa.
Manifesta-se nas seguintes modalidades:
• Romance: narração de um fato imaginário mais
verossímil, que representa quaisquer aspectos da vida
familiar e social do homem. Podemos dividi-lo em:
romance de cavalaria, romance de costumes, romance
policial, romance psicológico, romance histórico etc.
• Novela: breve, mas viva narração de um fato humano
notável, mais verossímil que imaginário. É como um
pequeno quadro da vida, com um único conflito. Em
geral, apresenta-se dividida em alguns poucos capítulos.
• Conto: narração densa e breve de um episódio da
vida; mais condensada do que a novela e o romance.
Em geral, não apresenta divisão em capítulos.
• Fábula: narrativa inverossímil, com fundo didático;
tem como objetivo transmitir uma lição de moral.
• Crônica: o seu nome já nos dá uma dica: crônica
deriva do radical latino crono, que significa
“tempo”. Daí o seu caráter: relato de acontecimentos
do tempo de hoje, de fatos do cotidiano. Desde a
consolidação da imprensa, a crônica se caracterizou
como uma seção de jornal ou revista em que se
comentam acontecimentos do dia-a-dia.
FábulaA cigarra e a formiga
Esopo
Era uma vez uma cigarra que vivia saltitando e cantando pelo
bosque, sem se preocupar com o futuro. Esbarrando numa
formiguinha, que carregava uma folha pesada, perguntou:
- Ei, formiguinha, para que todo esse trabalho? O verão é para
gente aproveitar! O verão é para gente se divertir!
- Não, não, não! Nós, formigas, não temos tempo para
diversão. É preciso trabalhar agora para guardar comida para
o inverno.
• Colégio Savina Petrilli
• Ribeirão, 17 de junho de 2013.
• Aluno: Caio Rodrigo Cunha Cavalcanti.
• Professora: Lourdes Barros.
• Série: 1ª E.M.
• Disciplina: Literatura.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iii
Plano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iiiPlano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iii
Plano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iii
ADIRCE01
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
Zenia Ferreira
 

Mais procurados (20)

Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: Conto
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Resumo das escola literárias.
Resumo das escola literárias.Resumo das escola literárias.
Resumo das escola literárias.
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
 
Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Generos textuais
 
Introdução a Literatura
Introdução a LiteraturaIntrodução a Literatura
Introdução a Literatura
 
Plano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iii
Plano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iiiPlano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iii
Plano de aula gêneros literários adirce ativ. módulo iii
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
 
Trovadorismo I
Trovadorismo ITrovadorismo I
Trovadorismo I
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Terceira geração modernista
Terceira geração modernista
 

Destaque (12)

Género dramático
Género dramáticoGénero dramático
Género dramático
 
Gênero dramático
Gênero dramáticoGênero dramático
Gênero dramático
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
 
Gênero lírico
Gênero líricoGênero lírico
Gênero lírico
 
Power point género lírico
Power point género líricoPower point género lírico
Power point género lírico
 
Genero lirico
Genero liricoGenero lirico
Genero lirico
 
Género dramático 7° 8°
Género dramático 7° 8°Género dramático 7° 8°
Género dramático 7° 8°
 
Genero dramático powerpoint
Genero dramático powerpointGenero dramático powerpoint
Genero dramático powerpoint
 
Género dramático
Género dramáticoGénero dramático
Género dramático
 
Texto dramatico ppt
Texto dramatico pptTexto dramatico ppt
Texto dramatico ppt
 
Género Dramàtico
Género DramàticoGénero Dramàtico
Género Dramàtico
 
Power point del género dramático
Power point del género dramáticoPower point del género dramático
Power point del género dramático
 

Semelhante a Gêneros Literários

Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
7 de Setembro
 

Semelhante a Gêneros Literários (20)

Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Gêneros literários sociedade gregaa.pptx
Gêneros literários sociedade gregaa.pptxGêneros literários sociedade gregaa.pptx
Gêneros literários sociedade gregaa.pptx
 
Gêneros Literários - Professora Lizandra
Gêneros Literários - Professora LizandraGêneros Literários - Professora Lizandra
Gêneros Literários - Professora Lizandra
 
Genêros Literários
Genêros LiteráriosGenêros Literários
Genêros Literários
 
Gêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptxGêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptx
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Gêneros Literários
Gêneros LiteráriosGêneros Literários
Gêneros Literários
 
Os gêneros literários
Os gêneros literáriosOs gêneros literários
Os gêneros literários
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Introdução aos estudos literários
Introdução aos estudos literáriosIntrodução aos estudos literários
Introdução aos estudos literários
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
 
Ativ 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustinoAtiv 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustino
 
Resumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptxResumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptx
 
Slide generos literarios
Slide generos literariosSlide generos literarios
Slide generos literarios
 
Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0
 
Conceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de LiteraturaConceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de Literatura
 
A pele do lobo
A pele do loboA pele do lobo
A pele do lobo
 
Gêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptxGêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptx
 
Contos
ContosContos
Contos
 

Último

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 

Último (20)

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 

Gêneros Literários

  • 1. Gêneros Literários “A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA.”
  • 2. Gêneros Literários Conjuntos de elementos semânticos, estilísticos e formais utilizados pelos autores em suas obras, para caracterizá-las de acordo com a sua visão da realidade e o público a que se destinam. Na antiguidade clássica, os textos literários dividiam-se em três gêneros: Lírico (sentimental, poético) Dramático (teatro) Épico (narrativo)
  • 4. • Gênero o qual predomina a subjetividade, ou seja, o autor tenta falar consigo mesmo, ou com um interlocutor particular (amigo, amante, fantasia, elemento da natureza, Deus...), tendo a presença do eu - lírico. • Seu nome vem de lira, instrumento musical que acompanhava os cantos dos gregos.
  • 5. • Predominam as palavras e pontuações de 1ª pessoa. • Segundo Aristóteles, palavra cantada.
  • 6. É importante ressaltar que o “eu - lírico” pode ser masculino ou feminino independente do autor.
  • 7. EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICO Autor masculino – eu lírico masculino Ainda uma vez adeus... Gonçalves Dias Enfim te vejo! - enfim posso, Curvado a teus pés, dizer-te Que não cessei de querer-te, Pesar de quanto sofri. Muito penei. Cruas âncias, Dos teus olhos afastado, Houveram-me acabrunhado A não lembrar-me de ti! (...)
  • 8. EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICO Autor masculino – eu lírico feminino Com açúcar, com afeto Chico Buarque Com açúcar, com afeto Fiz seu doce predileto Pra você parar em casa Qual o quê Com seu terno mais bonito Você sai, não acredito Quando diz que não se atrasa. Você diz que é um operário, sai em busca do salário.
  • 9. EXEMPLO DE GÊNERO LÍRICO Autor feminino – eu lírico feminino GARGANTA Ana Carolina Sei que não sou santa Às vezes vou na cara dura Às vezes ajo com candura Pra te conquistar Mas não sou beata Me criei na rua E não mudo minha postura Só pra te agradar
  • 11. • Em grego, drama significa “ação”. • Ao gênero dramático pertencem os textos para serem encenados, representados. • O Gênero Dramático se assenta em três eixos importantes: o ator, o texto e o público sem o que não há espetáculo teatral. • Segundo Aristóteles é a palavra representada.
  • 12. Modalidades do gênero dramático • Tragédia: é a representação de um fato trágico, apto a suscitar compaixão e terror. • Comédia: é a representação de um fato inspirado na vida e no sentimento comum, de riso fácil, em geral criticando os costumes.
  • 13. • Tragicomédia: é a mistura do trágico com o cômico. Originalmente, significava a mistura do real com o imaginário. • Farsa: pequena peça teatral, de caráter ridículo e caricatural, criticando a sociedade e seus costumes; baseia-se no lema latino Ridendo castigat mores (“Rindo, corrigem-se os costumes.”).
  • 14. TEXTO DRAMÁTICO: COMÉDIA A MEGERA DOMADA William Shakespeare Catarina: Deixe-me em paz Bianca! Eu já disse que não vou! Bianca: Mas Catarina, se você não for, Papai não me deixa ir! Catarina: E eu com isso?
  • 15. TEXTO DRAMÁTICO: TRAGÉDIA Édipo Rei Sofócles Ó meus filhos, gente nova desta velha cidade de Cadmo, por que vos prosternais assim, junto a estes altares tendo nas mãos os ramos dos suplicantes?
  • 17. • A palavra "epopéia" vem do grego épos, e se refere à narrativa em forma de versos, de um fato grandioso e maravilhoso que interessa a um povo.
  • 18. • O gênero épico: narrações de fatos grandiosos, centrados na figura de um herói. Tem a presença de um narrador. • Segundo Aristóteles, a palavra narrada.
  • 19. • Provavelmente, é a mais antiga das manifestações literárias. Ele surgiu quando os homens primitivos sentiram necessidade de relatar suas experiências, centradas na dura batalha de sobrevida num mundo caótico, hostil e ameaçador...........................................................
  • 20. Os elementos essenciais • Na estrutura épica temos: o narrador, o qual conta a história praticada por outros no passado; a história, a sucessão de acontecimentos; as personagens, em torno das quais giram os fatos; o tempo, o qual geralmente se apresenta no passado e o espaço, local onde se dá a ação das personagens.
  • 21. Os Lusíadas Luíz Vaz de Camões As armas e os barões assinalados; Que da Ocidental praia lusitana, Por mares nunca de antes navegados, Passaram ainda além da Taprobrana, Em perigos e guerras esforçados...
  • 22. Ilíada Homero Canta, ó deusa, a cólera de Aquiles, o Pelida (mortífera!, que tantas dores trouxe aos Aqueus e tantas almas valentes de heróis lançou no Hades, ficando seus corpos como presa para cães e aves de rapina, enquanto se cumpria a vontade de Zeus), desde o momento em que primeiro se desentenderam o Atrida, soberano dos homens, e o divino Aquiles.
  • 23. Gênero Narrativo • É visto como uma variante moderna do gênero épico, caracterizando-se por se apresentar em prosa. Manifesta-se nas seguintes modalidades: • Romance: narração de um fato imaginário mais verossímil, que representa quaisquer aspectos da vida familiar e social do homem. Podemos dividi-lo em: romance de cavalaria, romance de costumes, romance policial, romance psicológico, romance histórico etc. • Novela: breve, mas viva narração de um fato humano notável, mais verossímil que imaginário. É como um pequeno quadro da vida, com um único conflito. Em geral, apresenta-se dividida em alguns poucos capítulos.
  • 24. • Conto: narração densa e breve de um episódio da vida; mais condensada do que a novela e o romance. Em geral, não apresenta divisão em capítulos. • Fábula: narrativa inverossímil, com fundo didático; tem como objetivo transmitir uma lição de moral. • Crônica: o seu nome já nos dá uma dica: crônica deriva do radical latino crono, que significa “tempo”. Daí o seu caráter: relato de acontecimentos do tempo de hoje, de fatos do cotidiano. Desde a consolidação da imprensa, a crônica se caracterizou como uma seção de jornal ou revista em que se comentam acontecimentos do dia-a-dia.
  • 25. FábulaA cigarra e a formiga Esopo Era uma vez uma cigarra que vivia saltitando e cantando pelo bosque, sem se preocupar com o futuro. Esbarrando numa formiguinha, que carregava uma folha pesada, perguntou: - Ei, formiguinha, para que todo esse trabalho? O verão é para gente aproveitar! O verão é para gente se divertir! - Não, não, não! Nós, formigas, não temos tempo para diversão. É preciso trabalhar agora para guardar comida para o inverno.
  • 26. • Colégio Savina Petrilli • Ribeirão, 17 de junho de 2013. • Aluno: Caio Rodrigo Cunha Cavalcanti. • Professora: Lourdes Barros. • Série: 1ª E.M. • Disciplina: Literatura.