SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
GESTÃO EDUCACIONAL
E ESCOLAR
E preciso sempre planejar...
Ementa
Gestão escolar: tipos, problemas, limites, competência
técnica e compromisso político – social. Gestão escolar
no contexto da legislação. Papel do gestor escolar e do
coordenador pedagógico na gestão democrática. A
organização do sistema educacional: currículo, projeto
político-pedagógico e avaliação institucional.
Unidade I
INTRODUÇÃO
Características
O planejamento pedagógico é uma reflexão sobre a ação pedagógica visando à tomada
de decisões estratégicas prática para o ensino no ano que se inicia, não sendo essa ação
tomada de forma mecanizada. Trata-se de um momento de planejar de forma burocrática a
organização planos de aula, distribuição de conteúdo, calendário, organização das turmas e o
retorno ao debate do seu PPP.
Essas ações recaem sobre toda a comunidade escolar e interferem nas relações entre
direção, supervisão, professores, alunos e até mesmo seus familiares. Ou seja, trata-se do eixo
condutor de professores de diferentes componentes curriculares, sendo definido o tipo de
formação educacional que a escola pretende oferecer e as etapas de organização do trabalho a
ser realizado.
Toda essa organização educacional, começa antes do ano letivo anterior acabar, visando
estabelecer diretrizes e ações para o ano seguinte. Assim, é necessário fazer uma avaliação de
todos os pontos positivos e negativos do ano anterior, com a finalidade de propor melhorias no
processo de ensino-aprendizagem.
Unidade I
Planejamento finalidades, objetivos e metas;
De acordo com o planejamento educacional, a determinação dos pontos de
chegada vai do anúncio de grandes finalidades, de maneira mais abrangente, que apontem
para a função social que a escola tem a desempenhar, até a delimitação de objetivos e
metas mais imediatos que possam orientar os caminhos para a realização do trabalho
educativo.
Dessa forma, Finalidades, objetivos e metas articulam-se à compreensão que
temos quanto à função social da escola na atualidade. Sendo o contexto sociocultural em
que a educação se realiza, um dos marcos referenciais orientadores do planejamento
educacional.
Nesse sentido, para que a escola pública realize sua função social, são
necessárias ações, da gestão escolar ao especificamente pedagógico, passando pelas
políticas públicas, que garantam o acesso e permanência, e uma escolarização de
qualidade capaz de propiciar o enfrentamento do processo de exclusão social da imensa
parte da população que tem na escola a principal possibilidade de construção de sua
cidadania.
Unidade I
Processo de planejamento em educação.
Pensar o planejamento em educação, numa perspectiva de gestão democrática e
participativa, implica em redefinir sua função e sua forma de desenvolvimento e de organização.
Contrapondo-se aos modelos burocratizados de planejamento, que se sustentam na divisão do trabalho,
na fragmentação da ação educativa e em concepções de caráter predominantemente instrumental
e técnico do planejamento.
A gestão democrática da educação e o planejamento participativo implica no
fortalecimento dos processos e das práticas participativas e coletivas de organização da
educação e da escola. Assim, o planejamento assume, a função de mediador e articulador do trabalho
coletivo na educação, em seus diferentes níveis.
A LDB (Lei nº 9.394/96), em seu artigo 9°, estabelece que uma das incumbências da
União é elaborar o (PNE). Mesma atribuição é estabelecida para os estados e municípios, ao
constituírem seus sistemas de ensino (arts. 10 e 11). Também os estabelecimentos de ensino têm como
uma de suas tarefas “elaborar e executar sua proposta pedagógica” (art. 12). Assim e atribuído aos
docentes, entre outras funções, “participar da elaboração da proposta pedagógica do
planejamento em educação que pode ocorrer em diferentes níveis, desde os sistemas de ensino,
passando pelas unidades educativas, até o trabalho do professor no cotidiano da sala de aula.
Unidade I
Níveis do planejamento educacional;
O planejamento educacional é um ato de intervenção técnica e política (CALAZANS, 1990)
sendo efetivado em três níveis distintos e, ao mesmo tempo, inter-relacionados.
O planejamento no âmbito dos Sistemas e Redes de Ensino
Nesse âmbito de sistemas e redes de ensino, implica na tomada de decisões, bem como na
implementação de ações, que compõem a esfera da política educacional propriamente dita.
Segundo BAIA HORTA,
O planejamento educacional constitui uma forma específica de intervenção do Estado em
educação, que se relaciona, de diferentes maneiras, historicamente condicionadas, com as outras
formas de intervenção do Estado em educação (legislação e educação pública) visando a
implantação de uma determinada política educacional do Estado, estabelecida com a finalidade
de levar o sistema educacional a cumprir funções que lhe são atribuídas enquanto instrumento
deste mesmo Estado. (1991).
Unidade I
O Planejamento no âmbito da Unidade Escolar
Concretiza-se pela elaboração de seu PP. Sendo pautado pelo busca da
unidade entre teoria e prática, e se institui como momento privilegiado de
tomada de decisões acerca das finalidades da educação básica.
Caracteriza-se como meio, do exercício do trabalho pedagógico de forma
coletiva. Na definição do Projeto Político Pedagógico, materializam-se os
diferentes momentos do planejamento: a definição de um marco
referencial, a elaboração de um diagnóstico e a proposição de uma
programação com vistas à implementação das ações necessárias à
Unidade I
O planejamento no âmbito do Ensino
Segundo, LOPES (1992) orienta alguns pressupostos para um planejamento de
ensino que considere a dinamicidade do conhecimento escolar e sua articulação
com a realidade histórica: produzir conhecimentos tem o significado de processo,
de reflexão permanente sobre os conteúdos aprendidos buscando analisá-los sob
diferentes pontos de vista; significa desenvolver a atitude de curiosidade científica,
de investigação da realidade, não aceitando como conhecimentos perfeitos e
acabados os conteúdos transmitidos pela escola.
Nesse sentido, ele ainda destaca que, o processo de seleção da cultura,
materializado no currículo, deverão estar intimamente relacionados à experiência de
vida dos alunos, não como mera aplicabilidade dos conteúdos ao cotidiano, mas
como possibilidade de conduzir a uma apropriação significativa desses conteúdo.
Dessa forma, deve ser levado em conta as articulações entre o planejamento do
ensino e o planejamento global da escola, explicitado em seu PP.
Unidade I
Vitor Henrique Paro - Gestão
Organização
Pedagógica
Unidade II Diagnóstico e identidade da escola
Projeto Político Pedagógico (PPP)
Click e leia o
Livro PPP
Unidade II
Diagnóstico e identidade da escola
O PP é um documento central, pois fortalece a identidade da escola,
esclarece sua organização, define objetivos para a aprendizagem dos alunos
e, principalmente, define como a escola irá trabalhar para atingi-los, através
de um plano de ação. Esse plano traz as concepções e metodologias de
ensino e de avaliação que deverão nortear o trabalho dos professores com
os alunos, bem como a formação docente. (Brasil, 2019)
Dessa forma a identidade da escola vai sendo arquitetada no meio de
que ela faz parte, com todos os segmentos que a compõem, levando-se em
conta necessidades, crenças e valores. É uma identidade que se afirma na
articulação com as outras instituições sociais - a família, a comunidade, a
Igreja, as associações, as empresas.
Unidade II
Organização e construção do PP da escola
O PP teve início com a LDB (nº9.394/96), no artigo 12, diz que “os estabelecimentos de
ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a
incumbência de elaborar e executar sua proposta pedagógica”. E no seu artigo 13, inciso
primeiro, determina que: “Os docentes incumbir-se-ão de: participar da elaboração da
proposta pedagógica do estabelecimento de ensino”. Entretanto, o PP, deve ir além de
seguir regras inseridas dentro da legislação.
Execução das ações definidas coletivamente;
Na construção do Projeto Político-Pedagógico, deve-se levar em consideração os sete
elementos constitutivos da organização do trabalho pedagógico:
a)Finalidade da escola; b) Estrutura organizacional; c) Currículo; d) Tempo / Calendário da
escola; e) Processo decisório; f) Relações de trabalho; g) Avaliação.
Assim, diretores devem incentivar a equipe pedagógica e os docentes a refletirem sobre
a função social da escola aliada aos estudos das tendências pedagógicas da educação
brasileira, bem como atentar para as discussões atuais, como a BNCC e as legislações.
Unidade II
● Gestão escolar democrática: participação de todos, descentralização, autonomia
e órgãos colegiados são fundamentais para uma educação de qualidade.
O princípio da liberdade está sempre associado à ideia de autonomia. Na escola, a
liberdade deve ser pensada na relação entre os diferentes segmentos em um contexto
participativo, em que todos podem influir no processo de tomada de decisões e, em
consequência, terem responsabilidades sobre elas, inclusive no que diz respeito à
elaboração do PP. Assim, de acordo com Medel (2008, p. 54), a autonomia refere-se à
capacidade de governar e de dirigir-se dentro de certos limites definidos pela legislação e
pelos órgãos do sistema educacional, auxiliando os vários atores a estabelecerem os
caminhos que a escola define para percorrer.
É necessário compreender que quanto mais a instituição de ensino adquire autonomia
e competência, mais responsabilidade ela assume diante da comunidade.
Os órgãos colegiados, como Conselho escolar, Conselho de Classe, Associação de
pais e mestres, e o Grêmio estudantil, nas escolas são fundamentais para uma a gestão
democrática, pois estes garantem, a prática da participação na escola, a descentralização do
poder e da busca por uma educação de qualidade.
Unidade II
SEQUÊNCIA DE ENTREVISTAS: PPP, AÇÃO
E DIMENSÃO PEDAGÓGICA
Unidade III
FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE
PROFESSORES
PREPARANDO PARA OS NOVOS DESAFIOS
Unidade III
O planejamento e a relação com a organização do trabalho pedagógico
A LDB nº 9.394/96, define as “normas de gestão democrática do ensino público na
educação básica”, estabelecendo como diretriz nacional a “participação das comunidades
escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes”(Art.14) e da autonomia (Art.15),
conforme destacamos (BRASIL, 1996):
Art.14 Os sistemas de ensino definirão as normas de gestão democrática
do ensino público na educação básica, de acordo com suas peculiaridades e conforme os
seguintes princípios: I-participação dos profissionais da educação na elaboração do
projeto político pedagógico da escola; II-participação das comunidades escolar e
local em conselhos escolares ou equivalentes. Art.15 Os sistemas de ensino
assegurarão as unidades escolares públicas de educação básica que os integram
progressivos graus de autonomia pedagógica e administrativa e de gestão
financeira, observadas as normas gerais de direito financeiro público (p.27).
CLICK AQUÍ : LDB ATUALIZADA 14/08/21
Unidade III
A escola como espaço de qualificação profissional
Devido às mudanças pelas quais a sociedade tem passado (políticas, sociais,
econômicas, etc.) a instituição escolar torna-se um locus de formação e
convivência, que, ao tempo que influencia, é influenciada pelos sujeitos sociais.
Nesse contexto de mudanças constantes, é necessário que a escola tenha
profissionais ativos e reflexivos.
O profissional em Educação precisa estar em constante formação uma vez que
ele precisa atender as demandas existentes.
A formação continuada deve se integrar ao cotidiano da escola e respeitar as
experiências profissionais de todos os participantes.
Para Freire (1996), esse momento de fazer permanente e que ser e faz na ação,
não se dá por acumulação de conhecimento, porém se constitui por meio da
conquista que se é tecida no cotidiano.
Unidade III
Organização do trabalho docente, planejamento didático das práticas pedagógicas que caracterizam o
trabalho docente
Quando falamos em planejamento pedagógico, a finalidade principal é sempre a mesma: fazer com
que o aluno aprenda. Em suma, o planejamento pedagógico busca orientar as ações de todos os
agentes de forma articulada para alcançar o objetivo maior da educação.
Como todo planejamento estratégico, o planejamento pedagógico tem o objetivo de facilitar o trabalho
da equipe gestora, ao identificar falhas, medir resultados, avaliar o trabalho e pensar novas estratégias.
Um planejamento evita imprevistos, desperdícios de tempo, esforços e recursos. Faz com que todos os
profissionais saibam seu papel e em que direção devem ir seus esforços.
O planejamento pedagógico é fundamental para que o PP da escola seja implementado de forma
coesa e efetiva, estabelecendo uma coerência entre a teoria e a prática. O planejamento escolar, é
feito no começo do ano letivo. É uma reunião fundamental que recapitula os resultados do ano anterior
e traçar um planejamento inicial para o ano todo.
Há as questões puramente educativas, como as metodologias de ensino a serem usadas, a definição
do projeto político-pedagógico, a forma de avaliação, a discussão do que se passou no ano anterior.
Lembrando que toda a reunião deve ter em mente o caminho que a escola quer seguir.
Unidade III
ANTÓNIO NÓVOA: FORMAÇÃO
DE PROFESSORES
FORMACAO DE
PROFESSORES
REFERÊNCIAS
LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da Aprendizagem Escolar: estudos e proposições. 10 ed. São Paulo: Cortez, 2007.
LÜCK, H. et al. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.
MIRANDA, José Vicente. Políticas Educacionais. Curitiba, IBPEX, 2003.
PARO V. H. Gestão Democrática da Escola Pública. 8ªEd. São Paulo: Editora Cortez, 1991.
________. Escola de Tempo Integral: Desafio para o Ensino Público. São Paulo: Cortez,1988.
SILVA, J.M. A. autonomia da Escola Pública. 3ª ed. – Campinas/SP. Papirus, 1996.
VEIGA, I.P.A. Inovações e projeto político-pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? In: Caderno Cedes,
Campinas, v. 23, n. 61, p. 267 – 281, dezembro de 2003.
___________. Escola: espaço do projeto político pedagógico. Campinas: Papirus, 2003a.
____________. As instâncias colegiadas da escola. In: VEIGA, I. P. A Escola: espaço do projeto político pedagógico. Campinas:
Papirus, 2003.
space for
your logo
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNE
PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNEPLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNE
PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNE
Julhinha Camara
 
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
guestba32bfa
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professores
ditadoida
 

Mais procurados (20)

Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
 
Aula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacionalAula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacional
 
7. Papel político pedagógico do gestor educacional - Prof. Dr. Paulo Gomes Lima
7. Papel político pedagógico do gestor educacional - Prof. Dr. Paulo Gomes Lima7. Papel político pedagógico do gestor educacional - Prof. Dr. Paulo Gomes Lima
7. Papel político pedagógico do gestor educacional - Prof. Dr. Paulo Gomes Lima
 
Políticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas EducacionaisPolíticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas Educacionais
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
O que é gestão escolar césar tavares
O que é gestão  escolar césar tavaresO que é gestão  escolar césar tavares
O que é gestão escolar césar tavares
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Trajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didáticaTrajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didática
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
 
Aula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão EscolarAula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão Escolar
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Eja – Formação e prática de professores - IFMA
Eja – Formação e prática de professores - IFMAEja – Formação e prática de professores - IFMA
Eja – Formação e prática de professores - IFMA
 
Gestão Escolar
Gestão EscolarGestão Escolar
Gestão Escolar
 
PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNE
PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNEPLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNE
PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO -PNE
 
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professores
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
Educacao A Distancia
Educacao A DistanciaEducacao A Distancia
Educacao A Distancia
 

Semelhante a Slide disciplina gestao (4)

Gestão da educação escolar unieubra
Gestão da educação escolar   unieubraGestão da educação escolar   unieubra
Gestão da educação escolar unieubra
unieubra
 
Gestao da educação escolar
Gestao da educação escolarGestao da educação escolar
Gestao da educação escolar
eliasdemoch
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
OZILDO1
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
OZILDO1
 
A organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento ii
A organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento iiA organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento ii
A organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento ii
katiaaureliano
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis
 
Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5
Liberty Ensino
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis
 

Semelhante a Slide disciplina gestao (4) (20)

Ensaio modulo 3
Ensaio modulo 3Ensaio modulo 3
Ensaio modulo 3
 
06 gest edu_esc
06 gest edu_esc06 gest edu_esc
06 gest edu_esc
 
Gestão da educação escolar unieubra
Gestão da educação escolar   unieubraGestão da educação escolar   unieubra
Gestão da educação escolar unieubra
 
Gestao da educação escolar
Gestao da educação escolarGestao da educação escolar
Gestao da educação escolar
 
Cap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democraticaCap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democratica
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do pppGestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
 
Educação integral otp
Educação integral   otpEducação integral   otp
Educação integral otp
 
Projeto politico pedagógico
Projeto politico pedagógicoProjeto politico pedagógico
Projeto politico pedagógico
 
18 jul 2014_aspectos_da_gestao_democratica_nas_atividades_do_coordenador_peda...
18 jul 2014_aspectos_da_gestao_democratica_nas_atividades_do_coordenador_peda...18 jul 2014_aspectos_da_gestao_democratica_nas_atividades_do_coordenador_peda...
18 jul 2014_aspectos_da_gestao_democratica_nas_atividades_do_coordenador_peda...
 
A organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento ii
A organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento iiA organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento ii
A organização escolar e a gestão democrática – projeto e planejamento ii
 
programa mais educação sp
programa mais educação spprograma mais educação sp
programa mais educação sp
 
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICAGESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Ppp 1
Ppp 1Ppp 1
Ppp 1
 
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o   5o anoGrade curricular ensinomedia 1o   5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
 

Último

Último (20)

Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 

Slide disciplina gestao (4)

  • 2. E preciso sempre planejar...
  • 3. Ementa Gestão escolar: tipos, problemas, limites, competência técnica e compromisso político – social. Gestão escolar no contexto da legislação. Papel do gestor escolar e do coordenador pedagógico na gestão democrática. A organização do sistema educacional: currículo, projeto político-pedagógico e avaliação institucional.
  • 4. Unidade I INTRODUÇÃO Características O planejamento pedagógico é uma reflexão sobre a ação pedagógica visando à tomada de decisões estratégicas prática para o ensino no ano que se inicia, não sendo essa ação tomada de forma mecanizada. Trata-se de um momento de planejar de forma burocrática a organização planos de aula, distribuição de conteúdo, calendário, organização das turmas e o retorno ao debate do seu PPP. Essas ações recaem sobre toda a comunidade escolar e interferem nas relações entre direção, supervisão, professores, alunos e até mesmo seus familiares. Ou seja, trata-se do eixo condutor de professores de diferentes componentes curriculares, sendo definido o tipo de formação educacional que a escola pretende oferecer e as etapas de organização do trabalho a ser realizado. Toda essa organização educacional, começa antes do ano letivo anterior acabar, visando estabelecer diretrizes e ações para o ano seguinte. Assim, é necessário fazer uma avaliação de todos os pontos positivos e negativos do ano anterior, com a finalidade de propor melhorias no processo de ensino-aprendizagem.
  • 5. Unidade I Planejamento finalidades, objetivos e metas; De acordo com o planejamento educacional, a determinação dos pontos de chegada vai do anúncio de grandes finalidades, de maneira mais abrangente, que apontem para a função social que a escola tem a desempenhar, até a delimitação de objetivos e metas mais imediatos que possam orientar os caminhos para a realização do trabalho educativo. Dessa forma, Finalidades, objetivos e metas articulam-se à compreensão que temos quanto à função social da escola na atualidade. Sendo o contexto sociocultural em que a educação se realiza, um dos marcos referenciais orientadores do planejamento educacional. Nesse sentido, para que a escola pública realize sua função social, são necessárias ações, da gestão escolar ao especificamente pedagógico, passando pelas políticas públicas, que garantam o acesso e permanência, e uma escolarização de qualidade capaz de propiciar o enfrentamento do processo de exclusão social da imensa parte da população que tem na escola a principal possibilidade de construção de sua cidadania.
  • 6. Unidade I Processo de planejamento em educação. Pensar o planejamento em educação, numa perspectiva de gestão democrática e participativa, implica em redefinir sua função e sua forma de desenvolvimento e de organização. Contrapondo-se aos modelos burocratizados de planejamento, que se sustentam na divisão do trabalho, na fragmentação da ação educativa e em concepções de caráter predominantemente instrumental e técnico do planejamento. A gestão democrática da educação e o planejamento participativo implica no fortalecimento dos processos e das práticas participativas e coletivas de organização da educação e da escola. Assim, o planejamento assume, a função de mediador e articulador do trabalho coletivo na educação, em seus diferentes níveis. A LDB (Lei nº 9.394/96), em seu artigo 9°, estabelece que uma das incumbências da União é elaborar o (PNE). Mesma atribuição é estabelecida para os estados e municípios, ao constituírem seus sistemas de ensino (arts. 10 e 11). Também os estabelecimentos de ensino têm como uma de suas tarefas “elaborar e executar sua proposta pedagógica” (art. 12). Assim e atribuído aos docentes, entre outras funções, “participar da elaboração da proposta pedagógica do planejamento em educação que pode ocorrer em diferentes níveis, desde os sistemas de ensino, passando pelas unidades educativas, até o trabalho do professor no cotidiano da sala de aula.
  • 7. Unidade I Níveis do planejamento educacional; O planejamento educacional é um ato de intervenção técnica e política (CALAZANS, 1990) sendo efetivado em três níveis distintos e, ao mesmo tempo, inter-relacionados. O planejamento no âmbito dos Sistemas e Redes de Ensino Nesse âmbito de sistemas e redes de ensino, implica na tomada de decisões, bem como na implementação de ações, que compõem a esfera da política educacional propriamente dita. Segundo BAIA HORTA, O planejamento educacional constitui uma forma específica de intervenção do Estado em educação, que se relaciona, de diferentes maneiras, historicamente condicionadas, com as outras formas de intervenção do Estado em educação (legislação e educação pública) visando a implantação de uma determinada política educacional do Estado, estabelecida com a finalidade de levar o sistema educacional a cumprir funções que lhe são atribuídas enquanto instrumento deste mesmo Estado. (1991).
  • 8. Unidade I O Planejamento no âmbito da Unidade Escolar Concretiza-se pela elaboração de seu PP. Sendo pautado pelo busca da unidade entre teoria e prática, e se institui como momento privilegiado de tomada de decisões acerca das finalidades da educação básica. Caracteriza-se como meio, do exercício do trabalho pedagógico de forma coletiva. Na definição do Projeto Político Pedagógico, materializam-se os diferentes momentos do planejamento: a definição de um marco referencial, a elaboração de um diagnóstico e a proposição de uma programação com vistas à implementação das ações necessárias à
  • 9. Unidade I O planejamento no âmbito do Ensino Segundo, LOPES (1992) orienta alguns pressupostos para um planejamento de ensino que considere a dinamicidade do conhecimento escolar e sua articulação com a realidade histórica: produzir conhecimentos tem o significado de processo, de reflexão permanente sobre os conteúdos aprendidos buscando analisá-los sob diferentes pontos de vista; significa desenvolver a atitude de curiosidade científica, de investigação da realidade, não aceitando como conhecimentos perfeitos e acabados os conteúdos transmitidos pela escola. Nesse sentido, ele ainda destaca que, o processo de seleção da cultura, materializado no currículo, deverão estar intimamente relacionados à experiência de vida dos alunos, não como mera aplicabilidade dos conteúdos ao cotidiano, mas como possibilidade de conduzir a uma apropriação significativa desses conteúdo. Dessa forma, deve ser levado em conta as articulações entre o planejamento do ensino e o planejamento global da escola, explicitado em seu PP.
  • 10. Unidade I Vitor Henrique Paro - Gestão Organização Pedagógica
  • 11. Unidade II Diagnóstico e identidade da escola Projeto Político Pedagógico (PPP) Click e leia o Livro PPP
  • 12. Unidade II Diagnóstico e identidade da escola O PP é um documento central, pois fortalece a identidade da escola, esclarece sua organização, define objetivos para a aprendizagem dos alunos e, principalmente, define como a escola irá trabalhar para atingi-los, através de um plano de ação. Esse plano traz as concepções e metodologias de ensino e de avaliação que deverão nortear o trabalho dos professores com os alunos, bem como a formação docente. (Brasil, 2019) Dessa forma a identidade da escola vai sendo arquitetada no meio de que ela faz parte, com todos os segmentos que a compõem, levando-se em conta necessidades, crenças e valores. É uma identidade que se afirma na articulação com as outras instituições sociais - a família, a comunidade, a Igreja, as associações, as empresas.
  • 13. Unidade II Organização e construção do PP da escola O PP teve início com a LDB (nº9.394/96), no artigo 12, diz que “os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de elaborar e executar sua proposta pedagógica”. E no seu artigo 13, inciso primeiro, determina que: “Os docentes incumbir-se-ão de: participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino”. Entretanto, o PP, deve ir além de seguir regras inseridas dentro da legislação. Execução das ações definidas coletivamente; Na construção do Projeto Político-Pedagógico, deve-se levar em consideração os sete elementos constitutivos da organização do trabalho pedagógico: a)Finalidade da escola; b) Estrutura organizacional; c) Currículo; d) Tempo / Calendário da escola; e) Processo decisório; f) Relações de trabalho; g) Avaliação. Assim, diretores devem incentivar a equipe pedagógica e os docentes a refletirem sobre a função social da escola aliada aos estudos das tendências pedagógicas da educação brasileira, bem como atentar para as discussões atuais, como a BNCC e as legislações.
  • 14. Unidade II ● Gestão escolar democrática: participação de todos, descentralização, autonomia e órgãos colegiados são fundamentais para uma educação de qualidade. O princípio da liberdade está sempre associado à ideia de autonomia. Na escola, a liberdade deve ser pensada na relação entre os diferentes segmentos em um contexto participativo, em que todos podem influir no processo de tomada de decisões e, em consequência, terem responsabilidades sobre elas, inclusive no que diz respeito à elaboração do PP. Assim, de acordo com Medel (2008, p. 54), a autonomia refere-se à capacidade de governar e de dirigir-se dentro de certos limites definidos pela legislação e pelos órgãos do sistema educacional, auxiliando os vários atores a estabelecerem os caminhos que a escola define para percorrer. É necessário compreender que quanto mais a instituição de ensino adquire autonomia e competência, mais responsabilidade ela assume diante da comunidade. Os órgãos colegiados, como Conselho escolar, Conselho de Classe, Associação de pais e mestres, e o Grêmio estudantil, nas escolas são fundamentais para uma a gestão democrática, pois estes garantem, a prática da participação na escola, a descentralização do poder e da busca por uma educação de qualidade.
  • 15. Unidade II SEQUÊNCIA DE ENTREVISTAS: PPP, AÇÃO E DIMENSÃO PEDAGÓGICA
  • 16. Unidade III FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES PREPARANDO PARA OS NOVOS DESAFIOS
  • 17. Unidade III O planejamento e a relação com a organização do trabalho pedagógico A LDB nº 9.394/96, define as “normas de gestão democrática do ensino público na educação básica”, estabelecendo como diretriz nacional a “participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes”(Art.14) e da autonomia (Art.15), conforme destacamos (BRASIL, 1996): Art.14 Os sistemas de ensino definirão as normas de gestão democrática do ensino público na educação básica, de acordo com suas peculiaridades e conforme os seguintes princípios: I-participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto político pedagógico da escola; II-participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes. Art.15 Os sistemas de ensino assegurarão as unidades escolares públicas de educação básica que os integram progressivos graus de autonomia pedagógica e administrativa e de gestão financeira, observadas as normas gerais de direito financeiro público (p.27). CLICK AQUÍ : LDB ATUALIZADA 14/08/21
  • 18. Unidade III A escola como espaço de qualificação profissional Devido às mudanças pelas quais a sociedade tem passado (políticas, sociais, econômicas, etc.) a instituição escolar torna-se um locus de formação e convivência, que, ao tempo que influencia, é influenciada pelos sujeitos sociais. Nesse contexto de mudanças constantes, é necessário que a escola tenha profissionais ativos e reflexivos. O profissional em Educação precisa estar em constante formação uma vez que ele precisa atender as demandas existentes. A formação continuada deve se integrar ao cotidiano da escola e respeitar as experiências profissionais de todos os participantes. Para Freire (1996), esse momento de fazer permanente e que ser e faz na ação, não se dá por acumulação de conhecimento, porém se constitui por meio da conquista que se é tecida no cotidiano.
  • 19. Unidade III Organização do trabalho docente, planejamento didático das práticas pedagógicas que caracterizam o trabalho docente Quando falamos em planejamento pedagógico, a finalidade principal é sempre a mesma: fazer com que o aluno aprenda. Em suma, o planejamento pedagógico busca orientar as ações de todos os agentes de forma articulada para alcançar o objetivo maior da educação. Como todo planejamento estratégico, o planejamento pedagógico tem o objetivo de facilitar o trabalho da equipe gestora, ao identificar falhas, medir resultados, avaliar o trabalho e pensar novas estratégias. Um planejamento evita imprevistos, desperdícios de tempo, esforços e recursos. Faz com que todos os profissionais saibam seu papel e em que direção devem ir seus esforços. O planejamento pedagógico é fundamental para que o PP da escola seja implementado de forma coesa e efetiva, estabelecendo uma coerência entre a teoria e a prática. O planejamento escolar, é feito no começo do ano letivo. É uma reunião fundamental que recapitula os resultados do ano anterior e traçar um planejamento inicial para o ano todo. Há as questões puramente educativas, como as metodologias de ensino a serem usadas, a definição do projeto político-pedagógico, a forma de avaliação, a discussão do que se passou no ano anterior. Lembrando que toda a reunião deve ter em mente o caminho que a escola quer seguir.
  • 20. Unidade III ANTÓNIO NÓVOA: FORMAÇÃO DE PROFESSORES FORMACAO DE PROFESSORES
  • 21. REFERÊNCIAS LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da Aprendizagem Escolar: estudos e proposições. 10 ed. São Paulo: Cortez, 2007. LÜCK, H. et al. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. Rio de Janeiro: DP&A, 1998. MIRANDA, José Vicente. Políticas Educacionais. Curitiba, IBPEX, 2003. PARO V. H. Gestão Democrática da Escola Pública. 8ªEd. São Paulo: Editora Cortez, 1991. ________. Escola de Tempo Integral: Desafio para o Ensino Público. São Paulo: Cortez,1988. SILVA, J.M. A. autonomia da Escola Pública. 3ª ed. – Campinas/SP. Papirus, 1996. VEIGA, I.P.A. Inovações e projeto político-pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? In: Caderno Cedes, Campinas, v. 23, n. 61, p. 267 – 281, dezembro de 2003. ___________. Escola: espaço do projeto político pedagógico. Campinas: Papirus, 2003a. ____________. As instâncias colegiadas da escola. In: VEIGA, I. P. A Escola: espaço do projeto político pedagógico. Campinas: Papirus, 2003.