SlideShare uma empresa Scribd logo
Roadmap Tecnológico (RMT)
Projeto FAPESP
06/51725-1
Rodrigo Lima Verde Leal
Pesquisador
Agenda
Processo utilizado
Estrutura do relatório
Atividades realizadas
Perspectivas futuras
Agenda
Processo utilizado
Estrutura do relatório
Atividades realizadas
Perspectivas futuras
Processo (Roadmapping)
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fonte: Loural (2003), Garcia e Bray (2002) e Industry Canada [2000]
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fase I: Atividades Preliminares
1) Satisfazer condições essenciais.
– Envolver membros da indústria e seus clientes e
fornecedores, governo e academia.
– Mostrar aos envolvidos que um roadmapping é
necessário para atender necessidades.
2) Definir escopo e limites.
– Estabelecer visãovisão.
– Definir conjunto de necessidadesnecessidades do setor e seu
nível de profundidade.
– Definir horizontehorizonte de tempode tempo.
3) Prover liderança, patrocínio e recursos.
– Compromisso com o processo e com suas
conseqüências.
Fase II: Desenvolvimento
1) Identificar o “produto” que será o foco do
roadmapping
– Qual o problema que se quer resolver?
– Em que nível? Quais os componentescomponentes do problema?
– Há incertezas? Há cenários prospectivos?
– Conseguiu-se um consenso?
2) Identificar os requisitosrequisitos sistêmicossistêmicos crcrííticosticos e
seus alvos
– Que parâmetros de alto nível são mais críticos para
atender ao problema?
– Qual o seu desdobramento no tempo?
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fase II: Desenvolvimento
3) Especificar as grandes ááreasreas tecnoltecnolóógicasgicas
relevantes
– áreas que contribuem para atender aos requisitos
críticos para o produto.
4) Especificar os condutorescondutores tecnoltecnolóógicosgicos e seus
alvos
– variáveis críticas que determinarão que alternativas
tecnológicas devem ser selecionadas;
– estão relacionados a como a tecnologia ataca o
problema sistêmico;
– os alvos especificam um desempenho desejado,
preferencialmente quantitativo.
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fase II: Desenvolvimento
5) Identificar alternativas tecnológicas e seus
horizontes de tempo
– avaliar o tempo de maturação de uma dada
tecnologia / alternativa com respeito ao alvo
– definir “linhas de tempo”
6) Recomendar alternativas tecnológicas a
serem seguidas
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fase II: Desenvolvimento
7) Redigir o Relatório de Roadmap
– caracterizar o problema, escopo e limites
– relatar os passos da Fase II: Desenvolvimento
– descrever o estado-da-arte das tecnologias
abordadas
– recomendações técnicas e de implementação
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Agenda
Processo utilizado
Estrutura do relatório
Atividades realizadas
Perspectivas futuras
Estrutura do roadmap
PARTE I
– Introdução e contexto
PARTE II
– Necessidades e capacidades tecnológicas
Diretrizes de Políticas Públicas para o Etanol
Estrutura do roadmap
PARTE I - Introdução e contexto
– I.1 - Visão
– I.2 - Escopo
– I.3 - Indústria atual: produtos, clientes, fornecedores
e processos
– I.4 - Necessidades do futuro: tendências de
mercado e projeções
– I.5 - Limitantes relevantes
Estrutura do roadmap
PARTE II - Necessidades e capacidades
tecnológicas
– II.1 - Produtos ou tecnologias almejadas
– II.2 - Requisitos críticos de sistema
– II.3 - Grandes áreas tecnológicas
– II.4 - Condutores tecnológicos
– II.5 - Gaps e barreiras
Agenda
Processo utilizado
Estrutura do relatório
Atividades realizadas
Perspectivas futuras
Processo (Roadmapping)
Problema
– Necessidade de um novo modelo da
indústria canavieira.
Escopo
– Oferecer propostas de inovação para
apoiar planejamento da FAPESP.
Liderança, patrocínio e recursos
– Workshops tecnológicos;
– Palestras sobre metodologia;
– Distribuição de “Guia rápido”;
– Reuniões periódicas.
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Visão
VisãoVisão
o setor sucro-alcooleiro passará num
prazo esperado de 20 anos por uma
transição rumo a uma cadeia
produtiva de etanol, energia e
bioprodutos, eficiente, eficaz e que
explore suas vantagens
competitivas de forma social,
econômica e ambientalmente
sustentável, visando a liderança
internacional em produção e P&D.
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Desdobramentos da visão
VisãoVisão
o setor sucro-alcooleiro
passará num prazo esperado
de 20 anos20 anos por uma transitransiççãoão
rumo a uma cadeia produtiva
de etanol, energia e
bioprodutos, eficiente, eficaz
e que explore suas vantagens
competitivas de forma social,social,
econômica e ambientalmenteeconômica e ambientalmente
sustentsustentáávelvel, visando a
lideranlideranççaa internacional em
produproduççãoão e P&D.
Meta externaMeta externa::
projeção estimada da demanda
potencial de etanol
Meta interna:Meta interna:
geração de eletricidade para a
malha nacional.
Meta social:Meta social:
qualificação dos empregos
gerados
Meta econômica:Meta econômica:
produtividade e custo
Meta ambiental:Meta ambiental:
consumo de recursos naturais e
balanço energético
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Parametrização da visão
Necessidades do setorFase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Processo (Roadmapping)
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Foco
– Etanol
– Incluída meta para Energia Elétrica
4 Componentes
– Melhoramento Genético
– Manejo
– Hidrólise
– Termoconversão
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Componentes do RMT
NOVO MODELO INDUSTRIALNOVO MODELO AGRÍCOLA
Indústria de
Bens de Capital
MELHORAMENTOMELHORAMENTO
GENGENÉÉTICOTICO
MANEJOMANEJO TERMOCONVERSÃOTERMOCONVERSÃO
HIDRHIDRÓÓLISELISE
Energia
Elétrica
Etanol
Indústria de
Alimentos e Bebidas
Fase Agrícola Fase IndustrialFornecedores Produtos e Mercados
colmo +
palha
Indústria
Petroquímica
Biotecnologia
Refinarias
Indústria Química
Concessionária de
Energia Elétrica
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Processo (Roadmapping)
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Indústria atual
– Resumo em termos de produtos,
clientes, produtores, fornecedores e
processos.
Necessidades do futuro
– Tendências de mercado e projeções
para etanol e energia elétrica.
Limitantes relevantes
– Pequena lista de elementos de alto
nível.
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Processo (Roadmapping)
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Parte I: introdução e contexto
– Distribuída a ~20 revisores
– Serviu de foco para a Parte II
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Processo (Roadmapping)
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar
alternativas e
horizontes
Priorizar e
recomendar
alternativas
Documentar
Parte II (necessidades e
capacidades tecnológicas)
– Detalhamento de cada componente.
• Processo descrito no “Guia Rápido”.
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Melhoramento
genético Manejo Hidrólise Termoconversão
Caracterização e utilização
de germoplasma
Seleção para expansão
Seleção para tolerância à
seca
Marcadores, mapeamento
e selação
Transformação genética e
prospecção de genes
Agronomia
Eng. agrícola
Eletrônica
Biosíntese das enzimas
Hidrólise enzimática
Pré-tratamento físico
químico
Fermentação das
pentoses
Pirólise
Gaseificação
Síntese catálítica
COMPONENTES
ÁREAS
TECNOLÓGICAS
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Produção biomassa (TCH)
Teor de açúcar (Pol%)
Teor de fibra
Custo (US$/ton)
Impacto ambiental
Produção biomassa
(ton/ha)
Custo de produção
biomassa
Impacto ambiental
Produtividade da hidrólise
(l/ha.a)
Custo da hidrólise (US$/l)
Impacto ambiental
Produtividade
(litros/ha.ano)
Custo (US$/litro)
Impacto ambiental
REQUISITOS
CRÍTICOS DE
SISTEMA
Condutores
tecnológicos
Agenda
Processo utilizado
Estrutura do relatório
Atividades realizadas
Perspectivas futuras
Fase III: Continuidade
1) Criticar e validar o roadmap
– expor o trabalho a uma audiência maior
– as alternativas são razoáveis? se seguidas, as
alternativas atingirão os alvos? há alguma omissão
significativa? o roadmap está claro e inteligível?
– identificar os pontos que podem comprometer o
sucesso do roadmap
– mencionar áreas não cobertas, mas que podem
impactar no futuro
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fase III: Continuidade
2) Desenvolver um plano de implementação
– juntar o roadmap a outras informações para tomar
decisões de investimento
– desenvolver planos de projetos (de P&D, de
alianças estratégicas, de negócios, de marketing...)
– detalhar estratégia de desenvolvimento tecnológico
Inter-relações dos componentes
Alternativas tecnológicas e Tecnologias recomendadas
– Avaliar o compromisso custo/prazo/desempenho
Ex: análise multicritério.
– Avaliar necessidade de pontos intermediários de decisão
Resumo orçamentário
Mapeamento das capacidades científicas e tecnológicas
atuais
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Fase III: Continuidade
3) Rever e atualizar
– nos ciclos normais de planejamento ou quando
forem detectadas mudanças tecnológicas
Fase I
Atividades
Preliminares
Identificar o
problema que
precisa do
roadmap
Definir escopo e
limites
Prover liderança,
patrocínio e
recursos
Fase II
Desenvolvimento
Definir foco
Identificar requisitos
Especificar as áreas
tecnológicas
Especificar
condutores e alvos
Identificar alternativas
e horizontes
Priorizar e
recomendar alternativas
Documentar
(roadmap)
Fase III
Continuidade
– Criticar e validar
– Desenvolver um
plano de
implementação
– Revisar e atualizar
quando necessário
Problema
Escopo
Liderança Foco
Requisitos
Áreas
Metas
Recomendações
Criticar/validar
Implementar
Revisar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTIAvaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Roberto C. S. Pacheco
 
Innovation
InnovationInnovation
Innovation
Mateus Cozer
 
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel GoisEngenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Luciano Acioli
 
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep  aula 1 e 2 - conceitos de d.pEp  aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Andre Meirelles
 
A importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetosA importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetos
Amauri Damasceno
 
A Quinta Disciplina de Peter Senge
A Quinta Disciplina de Peter SengeA Quinta Disciplina de Peter Senge
A Quinta Disciplina de Peter Senge
Eduardo Fagundes
 
Doc.Igor_1
Doc.Igor_1Doc.Igor_1
Doc.Igor_1
Igor Melo
 
HiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos
HiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processosHiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos
HiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos
HiSeedTech
 
Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...
Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...
Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...
Allagi Open Innovation Services
 
Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...
Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...
Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...
Ohio State Brazil Gateway
 
Engenharia do produto
Engenharia do produtoEngenharia do produto
Engenharia do produto
Karen Laiza
 
Benefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação abertaBenefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação aberta
Eduardo Fagundes
 
Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...
Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...
Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...
Allagi Open Innovation Services
 
Inovação no Setor Público
Inovação no Setor PúblicoInovação no Setor Público
Inovação no Setor Público
Felipe Ost Scherer
 
.Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d...
.Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d....Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d...
.Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d...
Neto Ortega
 
Unidade 2 gp
Unidade 2 gpUnidade 2 gp
Unidade 2 gp
Tathiana_Moraes
 
"Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados...
"Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados..."Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados...
"Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados...
Ivo M Michalick Vasconcelos, PMP, PMI-SP, CPCC
 
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação AbertaMVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
auspin
 
Luis Steinle
Luis Steinle Luis Steinle
Luis Steinle
Luis Antonio Steinle
 
IBC new products present
IBC new products presentIBC new products present
IBC new products present
Nome Sobrenome
 

Mais procurados (20)

Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTIAvaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
 
Innovation
InnovationInnovation
Innovation
 
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel GoisEngenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel Gois
 
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep  aula 1 e 2 - conceitos de d.pEp  aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.p
 
A importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetosA importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetos
 
A Quinta Disciplina de Peter Senge
A Quinta Disciplina de Peter SengeA Quinta Disciplina de Peter Senge
A Quinta Disciplina de Peter Senge
 
Doc.Igor_1
Doc.Igor_1Doc.Igor_1
Doc.Igor_1
 
HiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos
HiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processosHiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos
HiValue - Desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos
 
Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...
Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...
Chemtech - Estratégia de Inovação ou Inovação da Estratégia - Clarissa Pires ...
 
Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...
Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...
Programa de Aceleração em Inovação e Manufatura Avançada - CNI, Ohio State, S...
 
Engenharia do produto
Engenharia do produtoEngenharia do produto
Engenharia do produto
 
Benefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação abertaBenefícios da inovação aberta
Benefícios da inovação aberta
 
Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...
Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...
Apresentação Mario Sergio Salerno | OIS2010 | Desafios para as empresas e dil...
 
Inovação no Setor Público
Inovação no Setor PúblicoInovação no Setor Público
Inovação no Setor Público
 
.Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d...
.Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d....Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d...
.Processo de desenvolvimento de produto a partir de um modelo de referência d...
 
Unidade 2 gp
Unidade 2 gpUnidade 2 gp
Unidade 2 gp
 
"Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados...
"Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados..."Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados...
"Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados...
 
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação AbertaMVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
 
Luis Steinle
Luis Steinle Luis Steinle
Luis Steinle
 
IBC new products present
IBC new products presentIBC new products present
IBC new products present
 

Destaque

Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...
Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...
Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...
EloGroup
 
Technology Roadmapping
Technology RoadmappingTechnology Roadmapping
Technology Roadmapping
EloGroup
 
Protótipos do futuro
Protótipos do futuroProtótipos do futuro
Protótipos do futuro
Cagarro93
 
USIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e Inovação
USIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e InovaçãoUSIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e Inovação
USIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e Inovação
Fundação Dom Cabral - FDC
 
Abridor de válvula de botijão de gás tadeus rodrigues gomes filho
Abridor de válvula de botijão de gás   tadeus rodrigues gomes filhoAbridor de válvula de botijão de gás   tadeus rodrigues gomes filho
Abridor de válvula de botijão de gás tadeus rodrigues gomes filho
Ani Inventores
 
Célula de combustível de baixo custo
Célula de combustível de baixo custoCélula de combustível de baixo custo
Célula de combustível de baixo custo
SEDETEC - UFRGS
 
Carros ecológicos
Carros ecológicosCarros ecológicos
Carros ecológicos
grupo8a
 
O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...
O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...
O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...
Teldiux Brasil
 
Física nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatores
Física nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatoresFísica nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatores
Física nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatores
Antonio Carlos Martinho Junior
 
Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...
Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...
Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...
James Wright
 
O atual estágio do veículo elétrico abve
O atual estágio do veículo elétrico abveO atual estágio do veículo elétrico abve
O atual estágio do veículo elétrico abve
James Wright
 
Carros híbridos e eléctricos
Carros híbridos e eléctricosCarros híbridos e eléctricos
Carros híbridos e eléctricos
piefprofessoras
 
Reuniao g cs_05-julho-07
Reuniao g cs_05-julho-07Reuniao g cs_05-julho-07
Reuniao g cs_05-julho-07
auspin
 
Mvs8.2 o roadmap tecnológico
Mvs8.2  o roadmap tecnológicoMvs8.2  o roadmap tecnológico
Mvs8.2 o roadmap tecnológico
auspin
 
Hidrogenio
HidrogenioHidrogenio
Hidrogenio
ap8bgrp7
 
Carros movidos a bateria
Carros movidos a bateriaCarros movidos a bateria
Carros movidos a bateria
Carlos Kramer
 
Economia do futuro da engergia renovavel no Brasil
Economia do futuro da engergia renovavel no BrasilEconomia do futuro da engergia renovavel no Brasil
Economia do futuro da engergia renovavel no Brasil
Csaba Bruno Sulyok
 
Radiologia digital
Radiologia digitalRadiologia digital
Radiologia digital
Davi Alves da Silva
 
Solution manager sap
Solution manager sapSolution manager sap
Solution manager sap
William Soares
 
Inovação Tecnológica
Inovação TecnológicaInovação Tecnológica
Inovação Tecnológica
Sandro Servino
 

Destaque (20)

Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...
Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...
Carlos Carvalho e Ricardo Clemente – Roadmap para Implantação da Governança d...
 
Technology Roadmapping
Technology RoadmappingTechnology Roadmapping
Technology Roadmapping
 
Protótipos do futuro
Protótipos do futuroProtótipos do futuro
Protótipos do futuro
 
USIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e Inovação
USIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e InovaçãoUSIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e Inovação
USIMINAS - Gestão Estratégica da Pesquisa e Inovação
 
Abridor de válvula de botijão de gás tadeus rodrigues gomes filho
Abridor de válvula de botijão de gás   tadeus rodrigues gomes filhoAbridor de válvula de botijão de gás   tadeus rodrigues gomes filho
Abridor de válvula de botijão de gás tadeus rodrigues gomes filho
 
Célula de combustível de baixo custo
Célula de combustível de baixo custoCélula de combustível de baixo custo
Célula de combustível de baixo custo
 
Carros ecológicos
Carros ecológicosCarros ecológicos
Carros ecológicos
 
O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...
O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...
O BRASIL DO FUTURO – CARRO ELÉTRICO - VII - Projeto de Lei de Pontos de Recar...
 
Física nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatores
Física nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatoresFísica nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatores
Física nuclear III - Ciclo do combustível e segurança de reatores
 
Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...
Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...
Avaliação de cenários, experimentação e mensuração dos impactos dos veículos ...
 
O atual estágio do veículo elétrico abve
O atual estágio do veículo elétrico abveO atual estágio do veículo elétrico abve
O atual estágio do veículo elétrico abve
 
Carros híbridos e eléctricos
Carros híbridos e eléctricosCarros híbridos e eléctricos
Carros híbridos e eléctricos
 
Reuniao g cs_05-julho-07
Reuniao g cs_05-julho-07Reuniao g cs_05-julho-07
Reuniao g cs_05-julho-07
 
Mvs8.2 o roadmap tecnológico
Mvs8.2  o roadmap tecnológicoMvs8.2  o roadmap tecnológico
Mvs8.2 o roadmap tecnológico
 
Hidrogenio
HidrogenioHidrogenio
Hidrogenio
 
Carros movidos a bateria
Carros movidos a bateriaCarros movidos a bateria
Carros movidos a bateria
 
Economia do futuro da engergia renovavel no Brasil
Economia do futuro da engergia renovavel no BrasilEconomia do futuro da engergia renovavel no Brasil
Economia do futuro da engergia renovavel no Brasil
 
Radiologia digital
Radiologia digitalRadiologia digital
Radiologia digital
 
Solution manager sap
Solution manager sapSolution manager sap
Solution manager sap
 
Inovação Tecnológica
Inovação TecnológicaInovação Tecnológica
Inovação Tecnológica
 

Semelhante a Road mt fapesp

Product Planning
Product Planning Product Planning
Product Planning
Lilian Schreiner
 
Outsourcing Desenvolvimento Aplicações
Outsourcing Desenvolvimento AplicaçõesOutsourcing Desenvolvimento Aplicações
Outsourcing Desenvolvimento Aplicações
Fernando Albuquerque
 
200904 Fiat Pci Plano De Trabalho
200904 Fiat Pci Plano De Trabalho200904 Fiat Pci Plano De Trabalho
200904 Fiat Pci Plano De Trabalho
arruda09
 
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Roberto C. S. Pacheco
 
Estrategia empresarial
Estrategia empresarial Estrategia empresarial
Estrategia empresarial
Aristeu Silveira, DMa, MSc.
 
Proj informacional cap06
Proj informacional cap06Proj informacional cap06
Proj informacional cap06
Edmilson Lima, Me.
 
P.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.R
P.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.RP.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.R
P.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.R
CESAR
 
6 -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd
6  -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd6  -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd
6 -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd
Andrea Oliveira
 
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés BagagiGestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Moises Bagagi
 
FAI PIBIC Petrus Leal
FAI PIBIC  Petrus LealFAI PIBIC  Petrus Leal
FAI PIBIC Petrus Leal
PetrusLeal
 
Evolução da qualidade
Evolução da qualidadeEvolução da qualidade
Evolução da qualidade
Bruno Lagarto
 
Analise de desempenho junho 2015
Analise de desempenho junho 2015Analise de desempenho junho 2015
Analise de desempenho junho 2015
equipelideranca
 
496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]
496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]
496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]
Valeria Carneiro
 
COMPETE 2020 by Carreira e Agripino
COMPETE 2020 by Carreira e AgripinoCOMPETE 2020 by Carreira e Agripino
COMPETE 2020 by Carreira e Agripino
Carreira & Agripino
 
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROOElaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Jeovan Figueiredo
 
[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte
[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte
[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte
Leonardo Souza
 
Digitalflow Services Portfolio 2014
Digitalflow Services Portfolio 2014Digitalflow Services Portfolio 2014
Digitalflow Services Portfolio 2014
Rui Patricio
 
Portfolio digitalflow 2014
Portfolio digitalflow  2014Portfolio digitalflow  2014
Portfolio digitalflow 2014
Rui Patricio
 
Resute
ResuteResute
Resute
SILMAR SILVA
 
Curso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetos
Curso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetosCurso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetos
Curso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetos
Jose Nascimento
 

Semelhante a Road mt fapesp (20)

Product Planning
Product Planning Product Planning
Product Planning
 
Outsourcing Desenvolvimento Aplicações
Outsourcing Desenvolvimento AplicaçõesOutsourcing Desenvolvimento Aplicações
Outsourcing Desenvolvimento Aplicações
 
200904 Fiat Pci Plano De Trabalho
200904 Fiat Pci Plano De Trabalho200904 Fiat Pci Plano De Trabalho
200904 Fiat Pci Plano De Trabalho
 
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
 
Estrategia empresarial
Estrategia empresarial Estrategia empresarial
Estrategia empresarial
 
Proj informacional cap06
Proj informacional cap06Proj informacional cap06
Proj informacional cap06
 
P.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.R
P.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.RP.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.R
P.I.C. Processo de Inovação C.E.S.A.R
 
6 -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd
6  -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd6  -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd
6 -capitulo_-_gest_o_desenvolvimento_produto__informacional_qfd
 
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés BagagiGestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
 
FAI PIBIC Petrus Leal
FAI PIBIC  Petrus LealFAI PIBIC  Petrus Leal
FAI PIBIC Petrus Leal
 
Evolução da qualidade
Evolução da qualidadeEvolução da qualidade
Evolução da qualidade
 
Analise de desempenho junho 2015
Analise de desempenho junho 2015Analise de desempenho junho 2015
Analise de desempenho junho 2015
 
496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]
496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]
496 gprojetos mest_aula_3_2011[1]
 
COMPETE 2020 by Carreira e Agripino
COMPETE 2020 by Carreira e AgripinoCOMPETE 2020 by Carreira e Agripino
COMPETE 2020 by Carreira e Agripino
 
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROOElaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
 
[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte
[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte
[E book] Metodologia FEL na Exploração Mineral de Pequeno a Médio Porte
 
Digitalflow Services Portfolio 2014
Digitalflow Services Portfolio 2014Digitalflow Services Portfolio 2014
Digitalflow Services Portfolio 2014
 
Portfolio digitalflow 2014
Portfolio digitalflow  2014Portfolio digitalflow  2014
Portfolio digitalflow 2014
 
Resute
ResuteResute
Resute
 
Curso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetos
Curso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetosCurso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetos
Curso rural prosper de formulação, monitoramento e avaliação de projetos
 

Mais de auspin

Orientações para a elaboração do poster
Orientações para a elaboração do posterOrientações para a elaboração do poster
Orientações para a elaboração do poster
auspin
 
Gepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinados
Gepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinadosGepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinados
Gepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinados
auspin
 
Gepit09 orientações e sugestões para a preparação do poster
Gepit09 orientações e sugestões para a preparação do posterGepit09 orientações e sugestões para a preparação do poster
Gepit09 orientações e sugestões para a preparação do poster
auspin
 
Quer inovar aprenda a fazer projetos
Quer inovar aprenda a fazer projetosQuer inovar aprenda a fazer projetos
Quer inovar aprenda a fazer projetos
auspin
 
Exemplos da Técnica Business Model Generation
Exemplos da Técnica Business Model GenerationExemplos da Técnica Business Model Generation
Exemplos da Técnica Business Model Generation
auspin
 
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model GenerationFundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
auspin
 
Project Model Canvas
Project Model CanvasProject Model Canvas
Project Model Canvas
auspin
 
Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6
auspin
 
Palestra mitos e verdades
Palestra mitos e verdadesPalestra mitos e verdades
Palestra mitos e verdades
auspin
 
Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014
Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014
Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014
auspin
 
Gepit05 financiamento para a inovação
Gepit05 financiamento para a inovaçãoGepit05 financiamento para a inovação
Gepit05 financiamento para a inovação
auspin
 
Apresentação guilherme palestra gepit
Apresentação guilherme   palestra gepitApresentação guilherme   palestra gepit
Apresentação guilherme palestra gepit
auspin
 
Aula 4 prof vanderlei
Aula 4 prof vanderleiAula 4 prof vanderlei
Aula 4 prof vanderlei
auspin
 
Gepit04 aspectos do projeto de ação inovadora
Gepit04 aspectos do projeto de ação inovadoraGepit04 aspectos do projeto de ação inovadora
Gepit04 aspectos do projeto de ação inovadora
auspin
 
Aula4
Aula4Aula4
Aula4
auspin
 
A pratica do design thinking v2
A pratica do design thinking v2A pratica do design thinking v2
A pratica do design thinking v2
auspin
 
Trabalho1
Trabalho1Trabalho1
Trabalho1
auspin
 
Programação Terceira Aula Presencial
Programação Terceira Aula PresencialProgramação Terceira Aula Presencial
Programação Terceira Aula Presencial
auspin
 
Palestra PI
Palestra PIPalestra PI
Palestra PI
auspin
 
A prática do Design Thinking
A prática do Design ThinkingA prática do Design Thinking
A prática do Design Thinking
auspin
 

Mais de auspin (20)

Orientações para a elaboração do poster
Orientações para a elaboração do posterOrientações para a elaboração do poster
Orientações para a elaboração do poster
 
Gepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinados
Gepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinadosGepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinados
Gepit09 quer inovar_aprendaantesa_fazerprojetosdisciplinados
 
Gepit09 orientações e sugestões para a preparação do poster
Gepit09 orientações e sugestões para a preparação do posterGepit09 orientações e sugestões para a preparação do poster
Gepit09 orientações e sugestões para a preparação do poster
 
Quer inovar aprenda a fazer projetos
Quer inovar aprenda a fazer projetosQuer inovar aprenda a fazer projetos
Quer inovar aprenda a fazer projetos
 
Exemplos da Técnica Business Model Generation
Exemplos da Técnica Business Model GenerationExemplos da Técnica Business Model Generation
Exemplos da Técnica Business Model Generation
 
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model GenerationFundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
 
Project Model Canvas
Project Model CanvasProject Model Canvas
Project Model Canvas
 
Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6
 
Palestra mitos e verdades
Palestra mitos e verdadesPalestra mitos e verdades
Palestra mitos e verdades
 
Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014
Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014
Linhas de fomento para empresas inovadoras 2014
 
Gepit05 financiamento para a inovação
Gepit05 financiamento para a inovaçãoGepit05 financiamento para a inovação
Gepit05 financiamento para a inovação
 
Apresentação guilherme palestra gepit
Apresentação guilherme   palestra gepitApresentação guilherme   palestra gepit
Apresentação guilherme palestra gepit
 
Aula 4 prof vanderlei
Aula 4 prof vanderleiAula 4 prof vanderlei
Aula 4 prof vanderlei
 
Gepit04 aspectos do projeto de ação inovadora
Gepit04 aspectos do projeto de ação inovadoraGepit04 aspectos do projeto de ação inovadora
Gepit04 aspectos do projeto de ação inovadora
 
Aula4
Aula4Aula4
Aula4
 
A pratica do design thinking v2
A pratica do design thinking v2A pratica do design thinking v2
A pratica do design thinking v2
 
Trabalho1
Trabalho1Trabalho1
Trabalho1
 
Programação Terceira Aula Presencial
Programação Terceira Aula PresencialProgramação Terceira Aula Presencial
Programação Terceira Aula Presencial
 
Palestra PI
Palestra PIPalestra PI
Palestra PI
 
A prática do Design Thinking
A prática do Design ThinkingA prática do Design Thinking
A prática do Design Thinking
 

Road mt fapesp

  • 1. Roadmap Tecnológico (RMT) Projeto FAPESP 06/51725-1 Rodrigo Lima Verde Leal Pesquisador
  • 2. Agenda Processo utilizado Estrutura do relatório Atividades realizadas Perspectivas futuras
  • 3. Agenda Processo utilizado Estrutura do relatório Atividades realizadas Perspectivas futuras
  • 4. Processo (Roadmapping) Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário Fonte: Loural (2003), Garcia e Bray (2002) e Industry Canada [2000]
  • 5. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário Fase I: Atividades Preliminares 1) Satisfazer condições essenciais. – Envolver membros da indústria e seus clientes e fornecedores, governo e academia. – Mostrar aos envolvidos que um roadmapping é necessário para atender necessidades. 2) Definir escopo e limites. – Estabelecer visãovisão. – Definir conjunto de necessidadesnecessidades do setor e seu nível de profundidade. – Definir horizontehorizonte de tempode tempo. 3) Prover liderança, patrocínio e recursos. – Compromisso com o processo e com suas conseqüências.
  • 6. Fase II: Desenvolvimento 1) Identificar o “produto” que será o foco do roadmapping – Qual o problema que se quer resolver? – Em que nível? Quais os componentescomponentes do problema? – Há incertezas? Há cenários prospectivos? – Conseguiu-se um consenso? 2) Identificar os requisitosrequisitos sistêmicossistêmicos crcrííticosticos e seus alvos – Que parâmetros de alto nível são mais críticos para atender ao problema? – Qual o seu desdobramento no tempo? Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 7. Fase II: Desenvolvimento 3) Especificar as grandes ááreasreas tecnoltecnolóógicasgicas relevantes – áreas que contribuem para atender aos requisitos críticos para o produto. 4) Especificar os condutorescondutores tecnoltecnolóógicosgicos e seus alvos – variáveis críticas que determinarão que alternativas tecnológicas devem ser selecionadas; – estão relacionados a como a tecnologia ataca o problema sistêmico; – os alvos especificam um desempenho desejado, preferencialmente quantitativo. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 8. Fase II: Desenvolvimento 5) Identificar alternativas tecnológicas e seus horizontes de tempo – avaliar o tempo de maturação de uma dada tecnologia / alternativa com respeito ao alvo – definir “linhas de tempo” 6) Recomendar alternativas tecnológicas a serem seguidas Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 9. Fase II: Desenvolvimento 7) Redigir o Relatório de Roadmap – caracterizar o problema, escopo e limites – relatar os passos da Fase II: Desenvolvimento – descrever o estado-da-arte das tecnologias abordadas – recomendações técnicas e de implementação Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 10. Agenda Processo utilizado Estrutura do relatório Atividades realizadas Perspectivas futuras
  • 11. Estrutura do roadmap PARTE I – Introdução e contexto PARTE II – Necessidades e capacidades tecnológicas Diretrizes de Políticas Públicas para o Etanol
  • 12. Estrutura do roadmap PARTE I - Introdução e contexto – I.1 - Visão – I.2 - Escopo – I.3 - Indústria atual: produtos, clientes, fornecedores e processos – I.4 - Necessidades do futuro: tendências de mercado e projeções – I.5 - Limitantes relevantes
  • 13. Estrutura do roadmap PARTE II - Necessidades e capacidades tecnológicas – II.1 - Produtos ou tecnologias almejadas – II.2 - Requisitos críticos de sistema – II.3 - Grandes áreas tecnológicas – II.4 - Condutores tecnológicos – II.5 - Gaps e barreiras
  • 14. Agenda Processo utilizado Estrutura do relatório Atividades realizadas Perspectivas futuras
  • 15. Processo (Roadmapping) Problema – Necessidade de um novo modelo da indústria canavieira. Escopo – Oferecer propostas de inovação para apoiar planejamento da FAPESP. Liderança, patrocínio e recursos – Workshops tecnológicos; – Palestras sobre metodologia; – Distribuição de “Guia rápido”; – Reuniões periódicas. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 16. Visão VisãoVisão o setor sucro-alcooleiro passará num prazo esperado de 20 anos por uma transição rumo a uma cadeia produtiva de etanol, energia e bioprodutos, eficiente, eficaz e que explore suas vantagens competitivas de forma social, econômica e ambientalmente sustentável, visando a liderança internacional em produção e P&D. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 17. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário Desdobramentos da visão VisãoVisão o setor sucro-alcooleiro passará num prazo esperado de 20 anos20 anos por uma transitransiççãoão rumo a uma cadeia produtiva de etanol, energia e bioprodutos, eficiente, eficaz e que explore suas vantagens competitivas de forma social,social, econômica e ambientalmenteeconômica e ambientalmente sustentsustentáávelvel, visando a lideranlideranççaa internacional em produproduççãoão e P&D. Meta externaMeta externa:: projeção estimada da demanda potencial de etanol Meta interna:Meta interna: geração de eletricidade para a malha nacional. Meta social:Meta social: qualificação dos empregos gerados Meta econômica:Meta econômica: produtividade e custo Meta ambiental:Meta ambiental: consumo de recursos naturais e balanço energético
  • 18. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário Parametrização da visão Necessidades do setorFase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos
  • 19. Processo (Roadmapping) Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Foco – Etanol – Incluída meta para Energia Elétrica 4 Componentes – Melhoramento Genético – Manejo – Hidrólise – Termoconversão Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 20. Componentes do RMT NOVO MODELO INDUSTRIALNOVO MODELO AGRÍCOLA Indústria de Bens de Capital MELHORAMENTOMELHORAMENTO GENGENÉÉTICOTICO MANEJOMANEJO TERMOCONVERSÃOTERMOCONVERSÃO HIDRHIDRÓÓLISELISE Energia Elétrica Etanol Indústria de Alimentos e Bebidas Fase Agrícola Fase IndustrialFornecedores Produtos e Mercados colmo + palha Indústria Petroquímica Biotecnologia Refinarias Indústria Química Concessionária de Energia Elétrica Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 21. Processo (Roadmapping) Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Indústria atual – Resumo em termos de produtos, clientes, produtores, fornecedores e processos. Necessidades do futuro – Tendências de mercado e projeções para etanol e energia elétrica. Limitantes relevantes – Pequena lista de elementos de alto nível. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 22. Processo (Roadmapping) Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Parte I: introdução e contexto – Distribuída a ~20 revisores – Serviu de foco para a Parte II Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 23. Processo (Roadmapping) Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar Parte II (necessidades e capacidades tecnológicas) – Detalhamento de cada componente. • Processo descrito no “Guia Rápido”. Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 24. Melhoramento genético Manejo Hidrólise Termoconversão Caracterização e utilização de germoplasma Seleção para expansão Seleção para tolerância à seca Marcadores, mapeamento e selação Transformação genética e prospecção de genes Agronomia Eng. agrícola Eletrônica Biosíntese das enzimas Hidrólise enzimática Pré-tratamento físico químico Fermentação das pentoses Pirólise Gaseificação Síntese catálítica COMPONENTES ÁREAS TECNOLÓGICAS Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário Produção biomassa (TCH) Teor de açúcar (Pol%) Teor de fibra Custo (US$/ton) Impacto ambiental Produção biomassa (ton/ha) Custo de produção biomassa Impacto ambiental Produtividade da hidrólise (l/ha.a) Custo da hidrólise (US$/l) Impacto ambiental Produtividade (litros/ha.ano) Custo (US$/litro) Impacto ambiental REQUISITOS CRÍTICOS DE SISTEMA Condutores tecnológicos
  • 25. Agenda Processo utilizado Estrutura do relatório Atividades realizadas Perspectivas futuras
  • 26. Fase III: Continuidade 1) Criticar e validar o roadmap – expor o trabalho a uma audiência maior – as alternativas são razoáveis? se seguidas, as alternativas atingirão os alvos? há alguma omissão significativa? o roadmap está claro e inteligível? – identificar os pontos que podem comprometer o sucesso do roadmap – mencionar áreas não cobertas, mas que podem impactar no futuro Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 27. Fase III: Continuidade 2) Desenvolver um plano de implementação – juntar o roadmap a outras informações para tomar decisões de investimento – desenvolver planos de projetos (de P&D, de alianças estratégicas, de negócios, de marketing...) – detalhar estratégia de desenvolvimento tecnológico Inter-relações dos componentes Alternativas tecnológicas e Tecnologias recomendadas – Avaliar o compromisso custo/prazo/desempenho Ex: análise multicritério. – Avaliar necessidade de pontos intermediários de decisão Resumo orçamentário Mapeamento das capacidades científicas e tecnológicas atuais Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário
  • 28. Fase III: Continuidade 3) Rever e atualizar – nos ciclos normais de planejamento ou quando forem detectadas mudanças tecnológicas Fase I Atividades Preliminares Identificar o problema que precisa do roadmap Definir escopo e limites Prover liderança, patrocínio e recursos Fase II Desenvolvimento Definir foco Identificar requisitos Especificar as áreas tecnológicas Especificar condutores e alvos Identificar alternativas e horizontes Priorizar e recomendar alternativas Documentar (roadmap) Fase III Continuidade – Criticar e validar – Desenvolver um plano de implementação – Revisar e atualizar quando necessário Problema Escopo Liderança Foco Requisitos Áreas Metas Recomendações Criticar/validar Implementar Revisar