SlideShare uma empresa Scribd logo
Reunião Temática
Inteligência Tecnológica
Cenpes/Petrobrás
Data: 14/10/2010
2
Reunidos
em torno de
Interesse
Comum
Praticantes
Para
promover
interação
Learning by
doing
É uma
Comunidade de
Prática
O que é o Centro de Open Innovation?
OPEN INNOVATION
SEMINAR
Maior evento da
America Latina
dedicado a ao tema
Participação exclusiva
do Prof. Henry
Chesbrough
Reuniões
Temáticas
Encontros
periódicos para
exposição de casos
e discussão de
temas relacionados
a
inovação aberta.
Ambiente
virtual de
colaboração
Apoio a outros
eventos
Capacitação
Cursos e
treinamentos
para formação
de profissionais
da inovação.
Ações de disseminação
Plataforma online com
mais 770 membros para
networking e
compartilhamento de
informações e conhecimento:
Apresentações Artigos
Eventos Boletim
notícias
...
www.openinnovationbrasil.ning.com
Site do Centro
Dias 1, 2 e 3 de dezembro | Grand Hyatt São Paulo
• Reunir praticantes de open innovation do país, com formuladores de políticas
publicas, academia e prestadores de serviço.
• Oferecer um curso intensivo para a formação de líderes em open innovation,
com participação exclusiva do Henry Chesbrough e colaboradores do Centro de
Open Innovation - Brasil .
DIAS 2 E 3 DE DEZEMBRO
CURSO INTENSIVO de
16h para gestores de
inovação
DIA 1 DE DEZEMBRO
SEMINÁRIO | Henry Chesbrough
PAINÉIS DE ESPECIALISTAS | RELATO
DE CASOS | SESSÕES TÉCNICAS
INÉDITO E EXCLUSIVO
VAGAS LIMITADAS!
PROPOSTA EDIÇÃO 2010
GARANTA SUA INSCRIÇÃO!
WWW.OPENINNOVATIONSEMINAR.COM.BR
Apoio
Institucional
32 instituições
7
Patrocínio/
Empresas
participantes
10 organizações
Sebrae
PROPOSTA EDIÇÃO 2010
Petrobras
Reunião Temática
Inteligência Tecnológica
Programação
9
Horário Atividade
8h00 - 8h10
Abertura: CENPES/Petrobras
8h10 - 8h40
Introdução: Inteligência tecnológica em um cenário de inovação
aberta. Apresentado por Claudio Mazzola - Allagi.
A apresentação será baseada no estudo “How to Implement Open
Innovation” da Universidade de Cambridge.
8h40 - 9h10
Caso 1: Embraer, apresentado por Luciano Pedrote
9h10 - 9h30
Discussão (com coffee-break)
9h30 - 10h00
Caso 2: INPI, apresentado Jeziel Nunes
10h00 - 10h30
Caso 3: EMBRACO/Whirpool, apresentado por João Carlos Casemiro
10h30 - 12h00
Painel de discussão e encerramento
Sistema Tecnológico
Petrobras
Sistema Tecnológico
Petrobras
José Roberto Fagundes Netto
Centro de Pesquisas & Desenvolvimento
(Cenpes)
Petrobras
José Roberto Fagundes Netto
Centro de Pesquisas & Desenvolvimento
(Cenpes)
Petrobras
A Petrobras
Reserva (SPE)
Produção
Faturamento
Investimento total
bilhões de boe
mil boe/d
bilhões de US$
bilhões de US$
2000
10,4
1.566
35,5
3,6
2009
14,9
2.526
115,9
35,1
Estratégia Tecnológica
Outros
renováveisPetroquímica Gásquímica
Inovação em
combustíveis Biocombustíveis
RefinoRecuperação
avançada
Reservatórios
complexos
ConfiabilidadeLogística
para o gás
natural
Novas
fronteiras
Exploratórias
Perfuração,
produção e
logística no
Pré-sal
Sistemas de
produção
submarinos
Agregação de valor e
diversificação dos produtos Sustentabilidade
Gerenciamento
de CO2
Gerenciamento
de água
Eficiência
energética
Acelerar Desenvolvimento Tecnológico - Ampliar Capacidade Nacional - Atuar em Rede
Expansão dos limites
Pessoas
InfraestruturaInvestimentos
Recursos para Inovação
O CENPES
Fundado em 1963
Instalações atuais (desde 1972)
122.000 m2
Expansão (Outubro de 2010)
183.000 m2
P&D na Petrobras
Instalações classe mundial
Laboratório de integridade de dutos
Centro de tecnologia de dutos
Modelagem de cascos & simulação
Instituto de pesquisa tecnológica
Tanque de teste numérico
Universidade de São Paulo
50 Redes Temáticas
Cerca de 100 universidades e instituições
de P&D em 19 estados
4 vezes a área construída do
CENPES atual
Laboratório de métodos térmicos para EOR
Unicamp
Laboratório de alta resolução geoquímica
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Laboratório de testes de corrosão e materiais
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Expandindo a parceria com fornecedoresExpandindo a parceria com fornecedores
Visão – século XXI
24 anos de programas tecnológicos
-
500
1.000
1.500
2.000
2.500
3.000
1978
1980
1982
1984
1986
1988
1990
1992
1994
1996
1998
2000
2002
2005
2006
2008
2010
2012
2014
24212421
28122812
PROCAP 1000 PROCAP 2000 PROCAP 3000
Produção total de petróleo Produção em Águas Profundas (LDA> 400m) Metas
• Processo de inovação aberto,
interligado e em parceria
• Fontes de inovação - empregados,
parceiros e clientes
• Rede de valor, espaço da
inovação - empresas e entidades
de C,T&I
• Gestão da inovação
Integrar a inteligência interna à externa
Obrigado
e
Bom Evento !
Obrigado
e
Bom Evento !
Inteligência Tecnológica
Rio de Janeiro, 14 de outubro de 2010
Fundamental
2
Objetivo da reunião
• Discutir:
 as principais metodologias e ferramentas empregadas para definição e
desenvolvimento da estratégia tecnológica da empresa e como a inteligência
tecnológica contribui/orienta gestores durante tomadas de decisão.
 como gestores identificam em tempo, a evolução de tecnologias emergentes
que podem levar a novas oportunidades ou representar ameaças para a
empresa.
 como a inteligência competitiva/mercado é empregada para contribuir na
definição da estratégia tecnológica da empresa.
 como é estruturada a atividade de inteligência tecnológica
 como as atividades de inteligência tecnológica podem ajudar gestores a
identificar potenciais parceiros e colaboradores em uma abordagem aberta.
Inteligência Tecnológica não é
• Prática de agência governamentais de inteligência (CIA, ABIN) que visam a
segurança nacional
• Espionagem Industrial – finalidades similares (ganhar vantagem competitiva),
métodos ilegais
• Pesquisa de Mercado
• Cartomantes
4
Ciclo de Inteligência
Por quê? Para quê?
• ANTECIPAR
– Identificar mudanças: Novas tecnologias, equipamentos, mercados, competidores.
• REDUZIR RISCOS
– Identificar ameaças: Patentes, produtos, regulamentações, parcerias.
• AUMENTAR COMPETITIVIDADE
– Identificar gaps tecnológicos: comparar portfólios com os de concorrentes e potenciais
parceiros, para identificar ameaças e oportunidades comerciais em atividades de
inovação aberta
• INOVAR
– Identificar idéias e novas soluções: Compartilhar e fomentar conhecimento (know-how) .
• COOPERAR
– Criar novas parcerias e networking: Empresas start-ups, Centros de Pesquisas,
Universidades.
6
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Cadeia de Valor
9
Spin Offs
Estratégia de Novos
Produtos e Tecnologias
Identificação,
Avaliação e Seleção
de Tecnologias
Seleção de
Projetos
Desenvolvimento de
Produtos e Processos
Novos
Produtos
Desenvolvimento
Conjunto
Make or Buy
Estratégia
de Inovação
Estratégia
Tecnológica
P&D MKT
Novas
aplicações
Propriedade
Intelectual
Licenciamento
Licenciamento
Ideias e
Tecnologias
Novos
Mercados
Intelligence is the ‘eyes’ and ‘ears’ needed for Open Innovation (EIRMA, 2009)
Fonte: Adaptado de Dr Letizia Mortara, Centre for Technology Management, Institute for Manufacturing, Cambridge University
Fronteiras da
Empresa
Desenvolvimento Tecnológico
Estratégia
Tecnológica
Estruturação
de Projetos
Execução de
Projetos
Transferência
de
Resultados
10
Monitoramento do
Ambiente Tecnológico
Monitoramento do
Mercado
Monitoramento de
Políticas de P&D
Coleta de Informações
Junto a Diferentes
Stakeholders (Internos e
Externos)
Elaboração de Cenários
de Médio e Longo Prazo
Roadmap de Tecnologia
Potenciais Parceiros
Mecanismos de
Financiamento (Recursos
Internos e Externos)
Infraestrutura,
Ferramentas, Processos
e RH
Gestão de Portfólio
Funil de
desenvolvimento/Model
ou de Stage-Gate
Plano de Trabalho
Recursos Aprovados
Equipe engajada
Aprendizagem contínua
Normas & Processos
Relatórios Técnicos
Patentes e Segredos
Industriais
Infraestrutura
Conhecimento
Absorvido e
Disseminado
Spin-off/Spin-in
Sistema de Inteligência
Gestão
Objetivos &
Estratégia
Ferramentas
Especialistas
Processos
Fontes de
Informação
Produtos
Sistema de
Informação
11
Fontes
Networks
Visitas
Feiras de Negócios
Universidades
Empresas Start-ups
Investidores
Consultores
Fornecedores
Vendedores
Especialistas
Gestores aposentados
Estatísticas de
Patentes
Buscas em Literaturas
Engenharia Reversa
Material de Marketing
World Wide Web
Pesquisas Indústrias
Jornais de Comércio
Relatórios
Governamentais
12
Pessoais
Impessoais
Diretas Indiretas
Tipos de Métodos
13
Análise
6,000
7,000
8,000
9,000
10,000
11,000
12,000
13,000
1,045 1,050 1,055 1,060 1,065
FatordeAmeaça
Fator de Incerteza
Fatores de inerteza, ameaça e variância nas avaliações
Tec 1
Tec 2
Tec 3
Tec 4
Tec 5
Tec 6
Árvores Tecnológicas
Redes
PUC-Rio
UFOP
UFRJ
UNESP
UNICAMP
USP
2000
2001
2003
2004
2005
2006
2007
0
1
2
3
Indicadores 2D e 3D
Matrizes
Comunicação
15
Fonte: Gomes , 2007
Vigilância & Scouting
16
Visualizar
Cenário
Players
Investimentos
Mercado
Visualizar
Tendências
Mudanças
Competitivas
Mudanças
Tecnológicas
Visualizar
Áreas
Tecnológicas
Situação das
Empresas
Áreas de Alta
Atividade
Áreas de
Interesse de
Players
Visualizar
Tecnologias
Disponíveis
Oportunidades
em ICTs
Áreas
Tecnológicas
com Potencial
de Exploração
Principais
Citações de
Tecnologias
Visualizar
FTO
Análise de
Reivindicações
Buscas de
Conceito de
Reivindicações
Determinar
quem
Monitorar
Análise de
portfolio
Análise SWOT
Monitoramento Competitivo & Tecnológico em Propriedade Industrial
Adaptado de Taylor & Germeraad, 2008
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
18
19
20
21
22
Rio de JaneiroRio de Janeiro
Outubro/2010Outubro/2010
Inteligência TecnolInteligência Tecnolóógica para Aumentogica para Aumento
da Competitividade e Inovada Competitividade e Inovaççãoão
•• Segundo a OrganizaSegundo a Organizaçção Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI),ão Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI),
cerca de 2/3 das Informacerca de 2/3 das Informaçções Tecnolões Tecnolóógicasgicas dispondisponííveis em todo o mundoveis em todo o mundo
somente são reveladas nos documentos de patente.somente são reveladas nos documentos de patente. (Fonte:(Fonte: MarmorMarmor 1979,1979, ThomsonThomson
2007);2007);
•• Tem um crescimento anual aproximado deTem um crescimento anual aproximado de 1.600.0001.600.000 documentos dedocumentos de
patentes no mundo.patentes no mundo. (fonte: OMPI 2009);(fonte: OMPI 2009);
•• Estudo feito na Alemanha concluiu que os custos de P&D poderiamEstudo feito na Alemanha concluiu que os custos de P&D poderiam serser
reduzidos emreduzidos em 30%30%,, caso a informacaso a informaçção tão téécnica disponcnica disponíível fossevel fosse
utilizadautilizada.(Fonte.(Fonte AutrianAutrian PatentPatent Office, 2007)Office, 2007)
•• Segundo estimativa da OrganizaSegundo estimativa da Organizaçção Britânica de Patentes,ão Britânica de Patentes, 20 bilhões de20 bilhões de
libras por anolibras por ano são desperdisão desperdiççadas na Comunidade Europadas na Comunidade Europééia devido aia devido a
inveninvençções duplicadas.ões duplicadas. (fonte: UK(fonte: UK IntellectualIntellectual PropertyProperty Office, 2007)Office, 2007)
Por que usar o sistema de patentes neste contexto?Por que usar o sistema de patentes neste contexto?
OfereceOferece
InformaInformaççãoão
ProteProteççãoão
O Sistema de Propriedade Industrial oferece:O Sistema de Propriedade Industrial oferece:
concessão de patentes de invenconcessão de patentes de invençção e de modelo deão e de modelo de
utilidade;utilidade;
concessão de registro de desenho industrial;concessão de registro de desenho industrial;
concessão de registro de Programa de Computadorconcessão de registro de Programa de Computador
concessão de registro de marca;concessão de registro de marca;
repressãorepressão ààs falsas indicas falsas indicaçções geogrões geográáficas;ficas;
repressãorepressão àà concorrência desleal; econcorrência desleal; e
averbaaverbaçção dos contratos de transferência de tecnologia.ão dos contratos de transferência de tecnologia.
O Sistema de Propriedade Industrial oferece:O Sistema de Propriedade Industrial oferece:
ProteProteçção:ão:
OfereceOferece
InformaInformaççãoão
ProteProteççãoão
O Sistema de Propriedade Industrial oferece:O Sistema de Propriedade Industrial oferece:
InformaInformaççõesões
TTéécnicascnicas
GerenciaisGerenciais
Tipos informaTipos informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
InformaInformaçções Gerenciais:ões Gerenciais:
rastreamento de competência tecnolrastreamento de competência tecnolóógica (gica (core businesscore business))
identificaidentificaçção de mudanão de mudançças na estratas na estratéégia de P&Dgia de P&D
direcionamento da pesquisa, identificadirecionamento da pesquisa, identificaçção de novas soluão de novas soluççõesões
antecipaantecipaçção de movimentos de concorrentesão de movimentos de concorrentes
identifica pessoas e empresas atuantes em umaidentifica pessoas e empresas atuantes em uma áárearea
possibilitam a avaliapossibilitam a avaliaçção das oportunidades de mercado com mapeamentoão das oportunidades de mercado com mapeamento
de tecnologias passde tecnologias passííveis de aquisiveis de aquisiçção ou licenciamentoão ou licenciamento
auxilia na identificaauxilia na identificaçção das tendênciasão das tendências
permite conhecer o mercadopermite conhecer o mercado
auxilia na elaboraauxilia na elaboraçção de polão de polííticas tecnolticas tecnolóógicasgicas
monitoramento de concorrentesmonitoramento de concorrentes
monitoramentos tecnolmonitoramentos tecnolóógicosgicos
portadores de futuro para elaboraportadores de futuro para elaboraçção prospecão prospecçção tecnolão tecnolóógicagica
insumo para elaborainsumo para elaboraçção de cenão de cenáários e tendênciasrios e tendências
possibilita a elaborapossibilita a elaboraçção de monitoramento tecnolão de monitoramento tecnolóógicogico
Tipos InformaTipos Informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
InformaInformaççõesões
TTéécnicascnicas
GerenciaisGerenciais
Tipos InformaTipos Informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
InformaInformaçções Tões Téécnicas:cnicas:
apresentam soluapresentam soluçções de problemas tões de problemas téécnicos;cnicos;
ponto de partida para nova invenponto de partida para nova invenççãoão
estimulam o pensamento criativo, auxiliando naestimulam o pensamento criativo, auxiliando na
concepconcepçção e desenvolvimento de novos produtosão e desenvolvimento de novos produtos
aumentam as chances de descobrir tecnologias novasaumentam as chances de descobrir tecnologias novas
auxiliam nos caminhos da nova pesquisaauxiliam nos caminhos da nova pesquisa
aceleram a procura de soluaceleram a procura de soluçções tões téécnicas efetivas ecnicas efetivas e
prontamente aplicprontamente aplicááveisveis
evitam a duplicaevitam a duplicaçção de esforão de esforççosos
alternativa vialternativa viáável para tentativa e errovel para tentativa e erro
Tipos InformaTipos Informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
•• Abordagem informacionalAbordagem informacional
•• Abordagem da concepAbordagem da concepççãoão
•• Abordagem da proteAbordagem da proteçção do conhecimentoão do conhecimento
UtilizaUtilizaçção da Informaão da Informaçções tões téécnicas:cnicas:
InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
•• IdentificaIdentificaçção do estado da tão do estado da téécnicacnica
identificaidentificaçção de tecnologias emergentes em uma determinadaão de tecnologias emergentes em uma determinada áárearea
identificaidentificaçção do inão do iníício de uma tecnologia (patente fundamental) ecio de uma tecnologia (patente fundamental) e
sua evolusua evoluççãoão
identificaidentificaçção de potenciais rotas para aperfeião de potenciais rotas para aperfeiççoamentos em produtosoamentos em produtos
e processos existentese processos existentes
quais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temasquais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temas
grau de difusão e o rastreamento de uma tecnologia atravgrau de difusão e o rastreamento de uma tecnologia atravéés dass das
citacitaçções, etc.ões, etc.
Abordagem InformacionalAbordagem Informacional
InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
Uso das informaUso das informaçções do Sistema de patentes no Projeto Conceitualões do Sistema de patentes no Projeto Conceitual
como fonte de solucomo fonte de soluçções e/ou de inspiraões e/ou de inspiraçção para a soluão para a soluçção dosão dos
problemas.problemas.
•• MMéétodos tradicionaistodos tradicionais tentativa e errotentativa e erro
•• MMéétodo baseado no sistema de patentestodo baseado no sistema de patentes Teoria da SoluTeoria da Soluççãoão
Inventiva de ProblemasInventiva de Problemas -- TRIZ e suas derivaTRIZ e suas derivaççõesões
Auxilia o Processo CriativoAuxilia o Processo Criativo
Duas Abordagens MetodolDuas Abordagens Metodolóógicas:gicas:
Abordagem da ConcepAbordagem da Concepççãoão
InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
ProteProteçção do Conhecimentoão do Conhecimento
•• AnAnáálise dalise da patenteabilidadepatenteabilidade: conceito de novidade; aplicabilidade: conceito de novidade; aplicabilidade
industrial; atividade inventiva.industrial; atividade inventiva.
•• Diretivas para elaboraDiretivas para elaboraçção de relatão de relatóório trio téécnico que subsidie a elaboracnico que subsidie a elaboraççãoão
de um pedido de patente, paralelamente com a elaborade um pedido de patente, paralelamente com a elaboraçção de artigosão de artigos
ttéécnicos correspondentes (cnicos correspondentes (paperspapers).).
•• AnAnáálise da melhor forma de protelise da melhor forma de proteçção; qual deve ser a abrangência dosão; qual deve ser a abrangência dos
depdepóósitos (local ou geral); os prazos de cada etapa da tramitasitos (local ou geral); os prazos de cada etapa da tramitaçção; aão; a
validade da protevalidade da proteçção; e os custos envolvidos no depão; e os custos envolvidos no depóósito e nasito e na
manutenmanutençção.ão.
•• ProteProteçção dos resultados alcanão dos resultados alcanççados em P&D atravados em P&D atravéés de Patentess de Patentes
InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
•• Monitoramento TecnolMonitoramento Tecnolóógico (gico (technologytechnology assessmentassessment))
•• CenCenáários e Tendências (rios e Tendências (forecastingsforecastings))
•• ProspecProspecçção Tecnolão Tecnolóógicagica ((technologytechnology foresightforesight))
Fonte: DefiniFonte: Definiçções do PBPT/ MDIC/STI (2001)ões do PBPT/ MDIC/STI (2001)
As anAs anáálises destas informalises destas informaçções possibilitam elaborar:ões possibilitam elaborar:
Uso das InformaUso das Informaçções contidas no Sistema de Patentesões contidas no Sistema de Patentes
Alguns Trabalhos Elaborados com InformaAlguns Trabalhos Elaborados com Informaçções doões do
Sistema de PatentesSistema de Patentes
Monitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento Tecnolóógicogicogicogicogicogicogicogico http://www.inpi.gov.br/menuhttp://www.inpi.gov.br/menu--esquerdo/informacao/estudos_htmlesquerdo/informacao/estudos_html
Mapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento Tecnolóógico dogico dogico dogico dogico dogico dogico dogico do BiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodiesel e Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentes
Volume IVolume IVolume IVolume IVolume IVolume IVolume IVolume I –– MundoMundoMundoMundoMundoMundoMundoMundo -------- maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008
Volume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume II –– BrasilBrasilBrasilBrasilBrasilBrasilBrasilBrasil -------- maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008
Volume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume III -------- Estados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China e União EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião Europééiaiaiaiaiaiaiaia -------- setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008
Universidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades Brasileiras -------- UtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaçção do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004 -------- julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007
Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999--------20032003200320032003200320032003 -------- Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006
Tecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para Construçção de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodovias -------- Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.
CenCenCenCenCenCenCenCenááriosriosriosriosriosriosriosrios http://www.inpi.gov.br/menuhttp://www.inpi.gov.br/menu--esquerdo/informacao/estudos_htmlesquerdo/informacao/estudos_html
Pedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a céélulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustíível, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenáário brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileiro –– marmarmarmarmarmarmarmarçço 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009.
PatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamento de Cde Cde Cde Cde Cde Cde Cde Céélulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasil -------- CenCenCenCenCenCenCenCenáário Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atual -------- julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007
Estudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos Critéérios derios derios derios derios derios derios derios de PatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidade para Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenççõesõesõesõesõesõesõesões BiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolóógicasgicasgicasgicasgicasgicasgicasgicas em Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paíísessessessessessessesses -------- julho,julho,julho,julho,julho,julho,julho,julho,
20072007200720072007200720072007
ProspecProspecProspecProspecProspecProspecProspecProspecçção Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolóógicagicagicagicagicagicagicagica www.tecpar.br/appi/seminario/Palestras/PalestrasWorkshopwww.tecpar.br/appi/seminario/Palestras/PalestrasWorkshop
PropescPropescPropescPropescPropescPropescPropescPropescççãoãoãoãoãoãoãoão TecnolTecnolTecnolTecnolTecnolTecnolTecnolTecnolóógica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravéés de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentes –– 20042004200420042004200420042004 –– PetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobráássssssss
mapeamento da evolumapeamento da evoluçção de tecnologias no tempo;ão de tecnologias no tempo;
mapeamento da evolumapeamento da evoluçção dos depão dos depóósitos por pasitos por paííses;ses;
mapeamento da evolumapeamento da evoluçção dos depão dos depóósitos por empresa;sitos por empresa;
relarelaçção dos atores no mercado e identificaão dos atores no mercado e identificaçção de novos entrantesão de novos entrantes
identificaidentificaçção de tecnologias emergentes;ão de tecnologias emergentes;
identificaidentificaçção do inão do iníício da tecnologia (patente fundamental) e sua evolucio da tecnologia (patente fundamental) e sua evoluççãoão
identificaidentificaçção de potenciais rotas para aperfeião de potenciais rotas para aperfeiççoamentos em produtos e processos existentes;oamentos em produtos e processos existentes;
monitoramento de concorrentes em um determinado setor;monitoramento de concorrentes em um determinado setor;
identificaidentificaçção de mudanão de mudançças na estratas na estratéégia de P&D;gia de P&D;
quais são os paquais são os paííses onde existe proteses onde existe proteçção (visão de mercado);ão (visão de mercado);
rastreamento de competência tecnolrastreamento de competência tecnolóógica (core business);gica (core business);
quais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temasquais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temas
antecipaantecipaçção de movimentos;ão de movimentos;
grau de difusão de uma tecnologia atravgrau de difusão de uma tecnologia atravéés das citas das citaçções etc.ões etc.
InformaInformaçções permitem conhecer:ões permitem conhecer:
Uso das InformaUso das Informaçções contidas no Sistema de Patentesões contidas no Sistema de Patentes
NNíível davel da
InvenInvenççãoão
DefiniDefiniççãoão
NNºº de Tentativasde Tentativas
Consideradas naConsideradas na
SoluSoluçção usando T&Eão usando T&E
11
Pequenas mudanPequenas mudançças: problema e seu meio de soluas: problema e seu meio de soluççãoão
existentes dentro de uma mesmaexistentes dentro de uma mesma áárea profissional (uma serea profissional (uma seççãoão
especespecíífica de uma indfica de uma indúústria)stria)
1 a 101 a 10
22
AperfeiAperfeiççoamento: o problema e seu meio de soluoamento: o problema e seu meio de soluçção existeão existe
dentro de uma mesma inddentro de uma mesma indúústria (problema de construstria (problema de construçção deão de
uma muma mááquinaquina éé solucionado por msolucionado por méétodos conhecidos dentro detodos conhecidos dentro de
uma mesma induma mesma indúústria, somente residindo em umastria, somente residindo em uma áárea diferenterea diferente
desta)desta)
10 a 10010 a 100
33
InvenInvençção importante: o problema e o meio de soluão importante: o problema e o meio de soluçção existeão existe
dentro de uma ciência (problema mecânico resolvido por meiosdentro de uma ciência (problema mecânico resolvido por meios
mecânicos)mecânicos)
100 a 1.000100 a 1.000
44
InvenInvençção fora do paradigma: o problema e a soluão fora do paradigma: o problema e a soluçção existe foraão existe fora
dos limites da ciência onde o problema foi originado (problemados limites da ciência onde o problema foi originado (problema
mecânico resolvido atravmecânico resolvido atravéés da qus da quíímica)mica)
1000 a 10.0001000 a 10.000
55
Ruptura conceitual: o problema e os meios de soluRuptura conceitual: o problema e os meios de soluçção existemão existem
fora dos limites da ciência contemporânea (primeirofora dos limites da ciência contemporânea (primeiro éé necessnecessááriorio
fazer um nova descoberta e então baseado neste novo dadofazer um nova descoberta e então baseado neste novo dado
cientcientíífico, solucionar o problema)fico, solucionar o problema)
10.000 a 100.000 ou10.000 a 100.000 ou
maismais
NNííveis das Invenveis das Invenççõesões
Fonte: Nunes et ali 2009 apud Altshuller 1998
Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão
NNíível dasvel das
InvenInvenççõesões
DistribuiDistribuiççãoão
OriginalOriginal
DistribuiDistribuiççãoão
AtualizadaAtualizada
11 32.0%32.0% 68.0%68.0%
22 45.0%45.0% 27.1%27.1%
33 19.0%19.0% 4.3%4.3%
44 < 4.0%< 4.0% 0.26%0.26%
55 < 0.3%< 0.3% 0.06%0.06%
NNííveis de Distribuiveis de Distribuiçção das Invenão das Invenççõesões
Fonte: Nunes et ali 2009 apud Altshuller 1998
Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão
NNíível de Criatividade das Invenvel de Criatividade das Invenççõesões
Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão
Fonte: Ideation International Inc.
NNííveis de Invenveis de Invençção e Diferentes Caracterão e Diferentes Caracteríísticas de Econômicassticas de Econômicas
Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão
Fonte: Ideation International Inc.
NNíível de Criatividade da Invenvel de Criatividade da Invençção e Probabilidade de Sucessoão e Probabilidade de Sucesso
Fonte: Ideation International Inc.
NNíível de Criatividade da Invenvel de Criatividade da Invenççãoão ee Retorno do InvestimentoRetorno do Investimento
A Patente protege sua Invenção somente por 20 anos!
Em alguns setores não é tempo bastante para ter lucro real! Fonte: Ideation International Inc.
InovaInovaçção Abertaão Aberta
•• procura fora da organizaprocura fora da organizaççãoão
tanto por inovatanto por inovaççãoão
tecnoltecnolóógica quanto porgica quanto por
mercadomercado
•• pode trabalhar em ambaspode trabalhar em ambas
diredireçções: trazendo a inovaões: trazendo a inovaççãoão
de fora ou fornecendode fora ou fornecendo
inovainovaçção para novosão para novos
mercadosmercados
•• éé acelerada pela maioracelerada pela maior
mobilidade dos especialistasmobilidade dos especialistas
e pelo aumento do aporte dee pelo aumento do aporte de
capital de riscocapital de risco
InovaInovaççãoãoFechadaFechadaInovaInovaççãoãoAbertaAberta
Uso do Sistema de Patente na InovaUso do Sistema de Patente na Inovaççãoão
Historicamente os sistemas militares tem sido um das maisHistoricamente os sistemas militares tem sido um das mais
importantes fontes de inovaimportantes fontes de inovaçção para a sociedade:ão para a sociedade:
•• Metade dos prêmios Nobel dos Estados Unidos teve suas pesquisasMetade dos prêmios Nobel dos Estados Unidos teve suas pesquisas
financiadas pelas Forfinanciadas pelas Forçças Armadas, enquanto, nos demais paas Armadas, enquanto, nos demais paííses, oses, o
percentual atinge 30%percentual atinge 30% (Fonte: C,C apud NEE/UFF)(Fonte: C,C apud NEE/UFF)
•• A sociedade civil tem usufruA sociedade civil tem usufruíído de vdo de váários avanrios avançços obtidos nos setoresos obtidos nos setores
militares, dentre os quais citammilitares, dentre os quais citam--se a internet, o GPS, etc. (se a internet, o GPS, etc. (Fonte:Fonte: PirroPirro e Longoe Longo ““TecTec..
MilitarMilitar””, NEE/UFF), NEE/UFF)
•• Entre 17 e 25% dos investimentos em pesquisa nos Estados UnidosEntre 17 e 25% dos investimentos em pesquisa nos Estados Unidos temtem
sido feitos em projetos militares que, tambsido feitos em projetos militares que, tambéém, geram usos civis (uso dual),m, geram usos civis (uso dual),
enquanto a menquanto a méédia mundialdia mundial éé de cerca de 10%.de cerca de 10%. (Fonte:(Fonte: WessnerWessner C.C.,, Defense & Security R&DDefense & Security R&D””
Belgium)Belgium)
•• Um terUm terçço de todo o investimento efetuado em nanotecnologia no Estadoso de todo o investimento efetuado em nanotecnologia no Estados
Unidos vem do Departamento de DefesaUnidos vem do Departamento de Defesa (Fonte:(Fonte: RiceRice UniversityUniversity ))
O Sistema de Defesa e a InovaO Sistema de Defesa e a Inovaççãoão
Uso especUso especíífico: F41fico: F41 –– ArmasArmas
F42F42 –– MuniMuniçções e detonaões e detonaççãoão
Uso dual (civil+militar): Toda a ClassificaUso dual (civil+militar): Toda a Classificaçção Internacional de Patentesão Internacional de Patentes
Ao contrAo contráário do que se pensa a tecnologia de uso militar tambrio do que se pensa a tecnologia de uso militar tambéémm éé
protegida pelo sistema de patentes.protegida pelo sistema de patentes.
Uso das InformaUso das Informaçções do Sistema de Patentes pelo Segmento de Defesaões do Sistema de Patentes pelo Segmento de Defesa
As tecnologias de emprego militar são tratadas pelo sistema de PAs tecnologias de emprego militar são tratadas pelo sistema de PI deI de
duas formas:duas formas:
Fonte: Nunes. J “I Simpósio de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha”
Existem duas subseExistem duas subseçções da CIP especões da CIP especííficas para armamento:ficas para armamento:
F41F41 –– ARMASARMAS
F41AF41A-- DETALHES OU CARACTERDETALHES OU CARACTERÍÍSTICAS FUNCIONAIS COMUNS PARA ARMAS DE FOGO PORTSTICAS FUNCIONAIS COMUNS PARA ARMAS DE FOGO PORTÁÁTEIS E MATERIAL BTEIS E MATERIAL BÉÉLICO, por ex.,CANHÕESLICO, por ex.,CANHÕES;;;;;;;;
MONTAGENS PARA AS ARMAS DE FOGO PORTMONTAGENS PARA AS ARMAS DE FOGO PORTÁÁTEIS OU PETEIS OU PEÇÇAS DE ARTILHARIAAS DE ARTILHARIA
F41BF41B-- ARMAS PARA LANARMAS PARA LANÇÇAMENTO DE MAMENTO DE MÍÍSSEIS SEM A UTILIZASSEIS SEM A UTILIZAÇÇÃO DE CARGA EXPLOSIVA OU PROPULSORAÃO DE CARGA EXPLOSIVA OU PROPULSORA;;;;;;;; ARMAS NÃO INCLUARMAS NÃO INCLUÍÍDAS EMDAS EM
OUTRO LOCALOUTRO LOCAL
F41CF41C-- ARMAS DE FOGO PORTARMAS DE FOGO PORTÁÁTEIS, por ex., PISTOLAS, RIFLESTEIS, por ex., PISTOLAS, RIFLES (caracter(caracteríísticas ou detalhes de funcionamento comuns a armas portsticas ou detalhes de funcionamento comuns a armas portááteis ou peteis ou peçças deas de
artilharia, suas montagensartilharia, suas montagens ;;;;;;;; ACESSACESSÓÓRIOS PARA AS MESMASRIOS PARA AS MESMAS
F41FF41F -- APARELHOS PARA LANAPARELHOS PARA LANÇÇAMENTO DE PROJAMENTO DE PROJÉÉTEIS OU MTEIS OU MÍÍSSEIS POR MEIO DE CANOS DAS ARMAS, por ex., CANHÕESSSEIS POR MEIO DE CANOS DAS ARMAS, por ex., CANHÕES (armas de fogo port(armas de fogo portááteisteis
LANLANÇÇADORES DE FOGUETES OU TORPEDOSADORES DE FOGUETES OU TORPEDOS;;;;;;;; CANHÕES LANCANHÕES LANÇÇAA--ARPÕESARPÕES (caracter(caracteríísticas ou detalhes de funcionamento comunssticas ou detalhes de funcionamento comuns àà armasarmas
portportááteis ou material bteis ou material béélico, suas montagenslico, suas montagens
F41GF41G -- MIRAS DE ARMASMIRAS DE ARMAS;;;;;;;; PONTARIAPONTARIA (aspectos(aspectos óóticos)ticos)
F41HF41H-- BLINDAGEMBLINDAGEM;;;;;;;; TORRES BLINDADASTORRES BLINDADAS;;;;;;;; VEVEÍÍCULOS BLINDADOS OU ARMADOSCULOS BLINDADOS OU ARMADOS;;;;;;;; MEIOS DE ATAQUE OU DEFESA, por ex., CAMUFLAGEM EMMEIOS DE ATAQUE OU DEFESA, por ex., CAMUFLAGEM EM
GERALGERAL
F41JF41J -- ALVOSALVOS;;;;;;;; CAMPOS DE TIROCAMPOS DE TIRO;;;;;;;; COLETORES DE BALASCOLETORES DE BALAS
F42F42 –– MUNIMUNIÇÇÕES E DETONAÕES E DETONAÇÇÃOÃO
F42BF42B -- CARGAS EXPLOSIVAS, por ex., PARA DETONACARGAS EXPLOSIVAS, por ex., PARA DETONAÇÇÃO; FOGOS DE ARTIFÃO; FOGOS DE ARTIFÍÍCIO; MUNICIO; MUNIÇÇÕESÕES (composi(composiçções explosivas C06B; espoletas F42C;ões explosivas C06B; espoletas F42C;
detonadetonaçção F42D)ão F42D)
F42CF42C -- ESPOLETAS PARA MUNIESPOLETAS PARA MUNIÇÇÕESÕES ((detonadoresdetonadores para cartuchos de detonapara cartuchos de detonaçção F42B 3/10; aspectos quão F42B 3/10; aspectos quíímicos C06C)micos C06C); ); SEUS DISPOSITIVOS DE; ); SEUS DISPOSITIVOS DE
ARMAARMAÇÇÃO OU DE SEGURANÃO OU DE SEGURANÇÇAA (enchimento de espoletas F42B 33/02; ajustagem ou extra(enchimento de espoletas F42B 33/02; ajustagem ou extraçção deão de escorvasescorvas das espoletas F42B 33/04; recipientesdas espoletas F42B 33/04; recipientes
para espoletas F42B 39/30)para espoletas F42B 39/30)
F42DF42D -- DETONADETONAÇÇÃOÃO (espoletas, por ex., cordões de espoletas, C06C 5/00; cartuchos(espoletas, por ex., cordões de espoletas, C06C 5/00; cartuchos de detonade detonaçção F42B 3/00)ão F42B 3/00)
Tecnologia de Uso EspecTecnologia de Uso Especíífico Militarfico Militar
Fonte: Nunes. J “I Simpósio de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha”
NecessidadesNecessidades
da Indda Indúústriastria
Interesse NacionalInteresse Nacional
AmbienteAmbiente
CooperativoCooperativo
Tecnologia de Uso DualTecnologia de Uso Dual
Uso DualUso Dual
AcordosdeCoopera
AcordosdeCooperaççãoão
Especifica
EspecificaççõesComuns
õesComuns
Fonte: Nunes. J “I Simpósio de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha”
11-- IBMIBM-------------------------------------------------------------------------- 57.383
22-- CANONCANON-------------------------------------------------------------- 39.478
33-- HITACHI, LTDHITACHI, LTD---------------------------------------------- 31.779
44-- TOSHIBATOSHIBA---------------------------------------------------------- 30.972
55-- SANSUNGSANSUNG-------------------------------------------------------- 28.996
66-- GEGE---------------------------------------------------------------------------- 28.554
77-- MATSUSHITAMATSUSHITA---------------------------------------------- 27.318
88-- SONYSONY-------------------------------------------------------------------- 27.254
99-- NECNEC ---------------------------------------------------------------------- 22.91322.913
1010-- MITSUBISHIMITSUBISHI------------------------------------------------ 21.74421.744
1111-- FUJITSUFUJITSU ------------------------------------------------------ 21.67721.677
1212-- MOTOROLAMOTOROLA---------------------------------------------- 19.64019.640
1313-- EASTMAM KODAKEASTMAM KODAK---------------------------- 18.87418.874
1414-- SIEMENSSIEMENS-- -------------------------------------------------- 18.25718.257
1515-- INTELINTEL---------------------------------------------------------------- 17.93817.938
1616-- MICRON TECHNOLOGYMICRON TECHNOLOGY-------------- 17.71117.711
1717-- FUJI PHOTOFUJI PHOTO -------------------------------------------- 16.28016.280
1818-- XEROXXEROX ------------------------------------------------------------ 14.95014.950
1919-- TEXAS INSTRUMENTSTEXAS INSTRUMENTS---------------- 14.92914.929
2020-- US PHILIPSUS PHILIPS ------------------------------------------------ 13.71813.718
2121-- MICROSOFTMICROSOFT---------------------------------------------- 13.47113.471
2222-- HONDAHONDA ---------------------------------------------------------- 13.33013.330
2323-- SHARPSHARP ---------------------------------------------------------- 12.92412.924
2424-- ROBERT BOSCHROBERT BOSCH-------------------------------- 12.80712.807
2525-- DU PONTDU PONT ---------------------------------------------------- 12.59512.595
2626-- AT&TAT&T ----------------------------------------------------------------12.28512.285
2727-- HP DEVELOPMENTHP DEVELOPMENT -------------------------------- 11.48011.480
2828-- BAYERBAYER ---------------------------------------------------------------------- 11.41311.413
2929-- SEIKO EPSONSEIKO EPSON ----------------------------------------------------11.40811.408
3030-- RICOHRICOH ---------------------------------------------------------------------- 11.21211.212
3131-- GENERAL MOTORSGENERAL MOTORS------------------------------------ 10.24710.247
3232-- U.S. NAVYU.S. NAVY-------------------------------------------------------------- 10.23310.233
3333-- BASFBASF -------------------------------------------------------------------------- 10.20310.203
3434-- HP COMPANYHP COMPANY------------------------------------------------------ 9.6049.604
3535-- ADVANCE MICRO DEVICESADVANCE MICRO DEVICES -------------- 9.3939.393
3636-- LUCENTLUCENT---------------------------------------------------------------------- 9.3919.391
3737-- TOYOTATOYOTA---------------------------------------------------------------------- 9.1519.151
3838-- PROCTER + GAMBLEPROCTER + GAMBLE ------------------------------ 8.8658.865
3939-- NISSANNISSAN ------------------------------------------------------------------------ 8.3108.310
4040-- 3M3M---------------------------------------------------------------------------------------- 7.7097.709
4141-- WESTINGHOUSEWESTINGHOUSE---------------------------------------------- 7.6087.608
4242-- SUNSUN ---------------------------------------------------------------------------------- 7.4617.461
4343-- DOW CHEMICALDOW CHEMICAL------------------------------------------------ 7.3657.365
4444-- KONINKLIJKE PHILIPSKONINKLIJKE PHILIPS ------------------------------ 7.0307.030
4545-- LG ELECTRONICSLG ELECTRONICS ---------------------------------------- 6.9616.961
4646-- BOEINGBOEING ---------------------------------------------------------------------- 6.5436.543
4747-- CIBACIBA--GEIGYGEIGY------------------------------------------------------------ 6.4856.485
4848-- UNIVERSITY OF CALIFORNIAUNIVERSITY OF CALIFORNIA -------- 6.4366.436
4949-- HOECHSTHOECHST ---------------------------------------------------------------- 6.4116.411
5050-- DENSODENSO ---------------------------------------------------------------------- 6.3906.390
5151-- SANYOSANYO ------------------------------------------------------------------------ 6.3216.321
5252-- U.S. ARMYU.S. ARMY ----------------------------------------------------------------6.1226.122
5353-- INFINEONINFINEON -------------------------------------------------------------- 6.0756.075
5454-- MOBIL OILMOBIL OIL -------------------------------------------------------------- 5.8415.841
5555-- HON HAY PRECISION CORPHON HAY PRECISION CORP---------------- 5.7785.778
5656-- SHELL OILSHELL OIL -------------------------------------------------------------- 5.7715.771
5757-- MINOLTA CAMERAMINOLTA CAMERA -------------------------------------- 5.7675.767
5858-- NIKONNIKON ------------------------------------------------------------------------ 5.7325.732
5959-- OLYMPUSOLYMPUS -------------------------------------------------------------- 5.6775.677
6060-- CATERPILLARCATERPILLAR ---------------------------------------------------- 5.4435.443
6161-- TELEFONAKTIEBOLAGETTELEFONAKTIEBOLAGET ------------------ 5.3965.396
6262-- 3M INNOVATIVE PROP. CO3M INNOVATIVE PROP. CO-------------------- 5.2465.246
6363-- TAIWAN SEMICONDUCTORTAIWAN SEMICONDUCTOR------------------ 5.0875.087
6464-- ALLIEDALLIED--SIGNALSIGNAL ------------------------------------------------ 5.0265.026
6565-- UNITED TECHNOLOGIESUNITED TECHNOLOGIES -------------------- 4.9544.954
6666-- RCARCA---------------------------------------------------------------------------------- 4.9384.938
6767-- GOODYEAR.GOODYEAR.------------------------------------------------------------ 49324932
6868-- BROTHER KOGYOBROTHER KOGYO------------------------------------------ 4.9004.900
6969-- FORD MOTOR COFORD MOTOR CO ------------------------------------------ 4.8184.818
7070-- PHILLIPS PETROLEUMPHILLIPS PETROLEUM ------------------------------4.8054.805
7171-- USAUSA –– DEP. OF ENERGYDEP. OF ENERGY ------------------------ 4.7744.774
7272-- UNISYSUNISYS-------------------------------------------------------------------------- 4.7534.753
7373-- APPLIED MATERIALSAPPLIED MATERIALS -------------------------------- 4.7174.717
7474-- CISCOCISCO -------------------------------------------------------------------------- 4.6784.678
..
..
..
8989 -- U.S AIR FORCEU.S AIR FORCE -------------------------------------------------- 3703
LISTA DAS INSTITUILISTA DAS INSTITUIÇÇÕES COM MAIS DE 3000 PATENTES ATÕES COM MAIS DE 3000 PATENTES ATÉÉ 31/12/0931/12/09
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Grato pela AtenGrato pela Atençção!ão!
Jeziel NunesJeziel Nunes
Divisão de Estudos e ProgramasDivisão de Estudos e Programas -- DIEPRODIEPRO
PraPraçça Maua Mauáá nnºº 77 –– sala 716sala 716 –– CEP 20081CEP 20081--900900
Rio de JaneiroRio de Janeiro –– BrasilBrasil
Telefone: (21) 2139Telefone: (21) 2139--33553355
E_mailE_mail:: jezielnunes@gmail.com
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Embraco is the Compressors Industry Winner
Strong Results Now and In The Future Based on a Solid, Sustainable Foundation
Prepared to defend and enlarge our leadership
R&D Strategy
R&D
Structure
Technology
Leadership
Technology Planning
2
Embraco is the Compressors Industry Winner
Strong Results Now and In The Future Based on a Solid, Sustainable Foundation
Prepared to defend and enlarge our leadership
R&D Strategy
R&D
Structure
Technology
Leadership
Technology Planning
3
World PresenceInnovation StructureInnovation Structure
R&D VP
Marcio Todescat
Household
Technology
Fabricio Possamai
Commercial
Technology
Ricardo Maciel
Technology
Development
Fábio Klein
Cost Reduction
Vladimir Guidi
R&D Resources
Marcio Schissatti
With more than 150 external researchers cooperating worldwide from Universities and
Technology Institutes…
Brazil
+280 people
Slovakia
+80 people
China
+70 people
Italy
+20 people
With around 450 Engineers and Technicians worldwide:
4
World Presence
2 labs
R&D: 2
USA
8 labs
R&D: 6
Italy 10 labs
R&D: 7
Slovakia
44 Labs worldwide44 Labs worldwide
15 labs
R&D: 9
Brazil
9 labs
R&D: 8
China
5
World Presence
CAE / CAD / CAM – Updated tools for analysis and simulation
3D modeling, components, drawings and assemblies
Approx. 120 workstations CAE/CAD/CAM
GlobalGlobal InfrastructureInfrastructure –– CAE/CAD/CAM SystemsCAE/CAD/CAM Systems
Natural frequency analysis of the
compressor housing
Deformation and Loading analysis of the
compressor crankcase
Shaft stress analysis
6
Embraco is the Compressors Industry Winner
Strong Results Now and In The Future Based on a Solid, Sustainable Foundation
Prepared to defend and enlarge our leadership
R&D Strategy
R&D
Structure
Technology
Leadership
Technology Planning
7
World PresenceHowHow EmbracoEmbraco is creating value through technology?is creating value through technology?
Short / Medium
TermProjects
Long Term Projects
(New Technologies)
Results
Technology Planning Process
Additional Revenues
Technology Drivers
Additional Revenues
Direct Mat. Cost Reduction
Assets &Capex Utilization
Knowledge
Generation
NewTechnologies
Monitoring
8
World Presence
WP2 External Analysis
Competitors Stakeholders Customers
WP3
Scenario
Development
Scenario IEnviron-
ment
WP4
Gap Analysis & Options
Development
WP1
Internal
Analysis
Chances & Risks
x
x
x
xx
Project Portfolios
Technology PlanningTechnology Planning
9
Scenario II
Scenario III
Markets
Customers
Society
Competitors
EMBRACO
Today
- Technologies
- Markets
- Products
- Competencies
WP5
Technology
Delphi Study
© Fraunhofer IAO Stuttgart / IAT Universität Stuttgart Slide: 3
Delphi-Method
Identify Technology Experts
worldwide
Questionaire
Round 1
Cooling
Technology
Questionaire
Round 1
Cooling
Technology
Questionaire
R ound1
C ooling
Technology
Ques tionaire
Round1
Cooling
Tec hnology
Elaborate
Questionaire
based on
expertise
of R&D Staff
Send the
Questionaire
to the Experts
Expert 1
Expert 2
Expert ...
Collect, analyse and
advance
Questionaires
Results:
•New Technologies identified
•Future-scenarios
Ques tionaire
Round1
Cooling
Tec hnology
Questionaire
Round1
Cooling
Technology
Ques tionaire
Round1
Cooling
Tec hnology
Questionaire
Round1
Cooling
Technology
WP8 Continuous Technology Foresight Process
WP6
Technology
Assessment
External Technology
Roadmaps
Technology Portfolios
WP7
Technology
Strategy
Internal Technology
Roadmaps
Make & Buy
World Presence
1st output of technology planning:1st output of technology planning:
TECHNOLOGY DRIVERSTECHNOLOGY DRIVERS
Energy efficiencyEnergy efficiency
improvementimprovement
Cost reductionCost reduction
Environmental & socialEnvironmental & social
responsibilityresponsibility
Product size reduction /Product size reduction /
miniaturizationminiaturization Sound level reductionSound level reduction Profit pools developmentProfit pools development
10
World Presence
2nd output of technology planning:2nd output of technology planning:
TECHNOLOGY PORTFOLIOTECHNOLOGY PORTFOLIO
Research
projects
Technology
development
Product
development
Technology
monitoring
development
projects
development
projects
11
World Presence
ThermodynamicsThermodynamics AcousticsAcoustics StructureStructure
Compressor
vibration
Compressor
Tubes
Compressor
shell
Condense
r
Walls
Evaporator
ΣΣΣΣLeft
ΣΣΣΣRight
Transfer
Paths
Noise Time
History
Kitchen
Pillar ProjectsPillar Projects
MotorsMotors MaterialsMaterials SystemsSystems
12
World Presence
POLO Compressors
- Objective: Reduce superheating losses.
- Tools: CFD models and experimental
techniques.
Thermal Management
Valve Dynamics
Pillar Thermodynamics: Main ActivitiesPillar Thermodynamics: Main Activities
State of art numerical models are used in the projects
Valve Dynamics
- Objective: Reduce pump losses and increase
reliability.
- Tool: FSI models
13
World Presence
Low Friction Materials
• Development of new equipment for Plasma Nitriding
(1 Patent).
• Transfer of the new technology to supplier
Pistons and bearings for compressors
• Self-lubricant material
• Lower mechanical/thermal losses
• 2 patents
Plasma Nitriding (Cost Reduction)
Industrial Reactor
Plasma Aspect
Pillar MaterialsPillar Materials
Final results
•Increase of quality, repeatability and reability
Final results
• Low Friction coefficient
Nitrited parts
14
World Presence
MicroMicro
CompressorCompressor
Heat PumpHeat Pump Deck of theDeck of the
FutureFuture
Solution ProjectsSolution Projects
WaterWater
HeaterHeater
DryerDryer
DeckDeck
15
World Presence
Project Scope
Driver: Breakthrough in compact refrigeration
• Growth in new markets & businesses
• Free orientation
•AC / DC power input or battery
operation
MicrocompressorMicrocompressor
Model
A
[mm]
B
[mm]
Weight
[kg]
30 W 21 100 0,2
90 W 50 160 1,2
Sep/10 Dec/10 Jun/11
Samples Pilot Line Product Certification
operation
• Reduced size and weight ( portability )
• Better efficiency compared to current
solutions
• Innovative solutions ( patents )
Timeline
16
World Presence
Wall-mounted
cooling units
Industrial
computers
Portable
coolers
AutoCool Mobile
coolers
Electronics Small Appliances
MicrocompressorMicrocompressor: Applications: Applications
Personal Cooling Automotive
Cooled
seat
On-board
electronics
Vest Cooling
Professional
race pilots
Firefighters and
CBRN vests
17
World Presence
Technology MonitoringTechnology Monitoring
Available Technologies
Partnerships andPartnerships and
Institutional RelationsInstitutional Relations
Technology Monitoring and PartnershipsTechnology Monitoring and Partnerships
Possibleapplications
18
World Presence
Technology MonitoringTechnology Monitoring
Monitor technologies and investigate the most promising ones.
Advantages:
• Clean technology
• Low noise
Available Technologies Example: Magnetocaloric
1919
• Low noise
• Low temperatures
Disadvantages:
• Cost
• Low efficiency
• Size and weight
• Maximum ∆T
Conclusion:
• Material’s properties is the
challenge to be overcome
Possibleapplications
World Presence
PARTNERSHIPS: Strengthening knowledgePARTNERSHIPS: Strengthening knowledge
generation networkgeneration network
20
World PresencePartnership: UFSCPartnership: UFSC
Universities
Government
agencies Companies
Benefits:
- Identify and hire talents;
- Speed up the product development cycle;
- Reduce gaps between industry needs and
university capabilities;
- Enable R&D activities with governmental funding.
UFSC partnership: 150 people involved
2626
Years of
successful
and intense
cooperation
8080
Projects
developed by
UFSC and
EMBRACO
7070 Master
thesis 1616 Ph.D.
dissertations
21
World Presence
Relations with the local and international scientific community
985
Patents in the
world
Knowledge Network with Universities
CuttingCutting EdgeEdge TechnologyTechnology
170
Papers and Scientific Articles
published in Conferences and
specialized magazines
22
World PresenceEmbraco’sEmbraco’s initiativesinitiatives areare beingbeing recognizedrecognized......
LiebherrLiebherr domesticdomestic
appliances won theappliances won the
“Kitchen Innovation“Kitchen Innovation
of the Year 2007”of the Year 2007”
award in Germany.award in Germany.
The VEMZ 9C isThe VEMZ 9C is
applied in thisapplied in this
systemsystem
““EmbracoEmbraco, Synonym for, Synonym for
Global Leadership andGlobal Leadership and
Quality in Cooling SolutionsQuality in Cooling Solutions
for the Refrigerationfor the Refrigeration
Market.”Market.”
MiniaturizedMiniaturized coolingcooling devicedevice
presentedpresented atat IntelIntel
DeveloperDeveloper ForumForum
“VCC Technology is among“VCC Technology is among
the 10 biggest Brazilianthe 10 biggest Brazilian
innovations in the lastinnovations in the last
decade”decade”
O BRASIL QUE INOVA
EMBRACOEMBRACO –– WINNERWINNER
OF THE 2008OF THE 2008
“INTERNATIONAL“INTERNATIONAL
STAR AWARD” OF THESTAR AWARD” OF THE
ALLIANCE TO SAVEALLIANCE TO SAVE
ENERGYENERGY
23
Reunião Temática : Inteligência Tecnológica
Market IntellingeMarket Intellinge
25
World PresenceEmbracoEmbraco
Specialized in cooling solutions, EMBRACO is the world leader in
hermetic compressors, and has the mission "Provide innovative
solutions for a better quality of life“
With factories in Brazil, Italy, China and Slovakia and productive
capacity over 30 million compressors per year, it also produces cast
iron, electronic components, condensers and evaporators that are
used as part of condensing and sealed units, and electronic systems to
26
used as part of condensing and sealed units, and electronic systems to
make "intelligent" household appliances
Household Commercial
World PresenceMarket Intelligence ScopeMarket Intelligence Scope
27
World PresenceTechnology PushTechnology Push versusversus Market PullMarket Pull
Current Business
Product Planning
Annual Meeting
28
Business Strategy
World PresenceTechnology PushTechnology Push versusversus Market PullMarket Pull
New Business
Technology Planning
Meeting
29
Business Strategy

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Reunião Temática : Inteligência Tecnológica

Cietec
CietecCietec
Cietec
rafaelbucco
 
ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...
ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...
ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...
Allagi Open Innovation Services
 
Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...
Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...
Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...
Confederação Nacional da Indústria
 
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação TecnológicaInteração Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Portal Inovação UFMS
 
III SDTA - Práticas de GC na Atech
III SDTA - Práticas de GC na AtechIII SDTA - Práticas de GC na Atech
III SDTA - Práticas de GC na Atech
Atech S.A. | Embraer Group
 
Ufsc inovação colaborativa
Ufsc   inovação colaborativaUfsc   inovação colaborativa
Ufsc inovação colaborativa
Jose Claudio Terra
 
Gestão Estratégica da Inovação Tecnológica
Gestão Estratégica da Inovação TecnológicaGestão Estratégica da Inovação Tecnológica
Gestão Estratégica da Inovação Tecnológica
Macroplan
 
Projeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamento
Projeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamentoProjeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamento
Projeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamento
Lychnoflora Pesquisa e Desenvolvimento em Produtos Naturais
 
FLAVIA APRESE.pptx
FLAVIA APRESE.pptxFLAVIA APRESE.pptx
FLAVIA APRESE.pptx
PauloCarvalho363018
 
Inovação e Criatividade para a Gestão e Vivência Empresarial
Inovação e Criatividade para a Gestão e Vivência EmpresarialInovação e Criatividade para a Gestão e Vivência Empresarial
Inovação e Criatividade para a Gestão e Vivência Empresarial
Antônio Diomário de Queiroz
 
Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014
Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014
Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014
Nilton Nélio Cometti
 
KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...
KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...
KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...
Beto do Valle
 
Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...
Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...
Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...
Rio Info
 
Apresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USPApresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USP
Ronald Martin Dauscha
 
Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6
auspin
 
Fontes de inovacao
Fontes de inovacaoFontes de inovacao
Fontes de inovacao
Marcel Gois
 
Gestao conhecimento
Gestao conhecimentoGestao conhecimento
Gestao conhecimento
Andrielle Marques
 
Centro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFV
Centro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFVCentro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFV
Centro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFV
Centev Ufv
 
Open Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPI
Open Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPIOpen Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPI
Open Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPI
Allagi Open Innovation Services
 
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTIAvaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Roberto C. S. Pacheco
 

Semelhante a Reunião Temática : Inteligência Tecnológica (20)

Cietec
CietecCietec
Cietec
 
ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...
ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...
ANPEI - Promovendo a Interação ICTs-Empresas - Gilson Manfio - Open Innovatio...
 
Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...
Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...
Competitividade e Inovação - Clayton Campanhola - Diretor da Associação Brasi...
 
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação TecnológicaInteração Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
 
III SDTA - Práticas de GC na Atech
III SDTA - Práticas de GC na AtechIII SDTA - Práticas de GC na Atech
III SDTA - Práticas de GC na Atech
 
Ufsc inovação colaborativa
Ufsc   inovação colaborativaUfsc   inovação colaborativa
Ufsc inovação colaborativa
 
Gestão Estratégica da Inovação Tecnológica
Gestão Estratégica da Inovação TecnológicaGestão Estratégica da Inovação Tecnológica
Gestão Estratégica da Inovação Tecnológica
 
Projeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamento
Projeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamentoProjeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamento
Projeto de p&d&i parceiros, fomento e gerenciamento
 
FLAVIA APRESE.pptx
FLAVIA APRESE.pptxFLAVIA APRESE.pptx
FLAVIA APRESE.pptx
 
Inovação e Criatividade para a Gestão e Vivência Empresarial
Inovação e Criatividade para a Gestão e Vivência EmpresarialInovação e Criatividade para a Gestão e Vivência Empresarial
Inovação e Criatividade para a Gestão e Vivência Empresarial
 
Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014
Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014
Política de Inovação IF Farroupilha - Santa Maria 10-07-2014
 
KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...
KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...
KM Brasil 2010 - Tutorial "Gestão do Conhecimento: Da Estratégia aos Resultad...
 
Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...
Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...
Rio Info 2015 - Como captar recursos não reembolsáveis em editais de inovação...
 
Apresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USPApresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USP
 
Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6Inovação - Gepit - Aula 6
Inovação - Gepit - Aula 6
 
Fontes de inovacao
Fontes de inovacaoFontes de inovacao
Fontes de inovacao
 
Gestao conhecimento
Gestao conhecimentoGestao conhecimento
Gestao conhecimento
 
Centro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFV
Centro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFVCentro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFV
Centro O Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Viçosa - CenTev/UFV
 
Open Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPI
Open Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPIOpen Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPI
Open Innovation Seminar 2008 - Mesa 2 - Jorge Ávila - INPI
 
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTIAvaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
Avaliação de Produção Técnica Tecnológica em CTI
 

Mais de Allagi Open Innovation Services

Augusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovação
Augusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovaçãoAugusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovação
Augusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovação
Allagi Open Innovation Services
 
Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...
Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...
Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...
Allagi Open Innovation Services
 
Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...
Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...
Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...
Allagi Open Innovation Services
 
Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...
Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...
Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...
Allagi Open Innovation Services
 
Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...
Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...
Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...
Allagi Open Innovation Services
 
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...
Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...
Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...
Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...
Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no SeminárioApresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no SeminárioApresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...
Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...
Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...
Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...
Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...
Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...
Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...
Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...
Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...
Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...
Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 |  Seminário  23/11Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 |  Seminário  23/11
Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 | Seminário 23/11
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11
Allagi Open Innovation Services
 
Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11
Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11
Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11
Allagi Open Innovation Services
 

Mais de Allagi Open Innovation Services (20)

Augusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovação
Augusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovaçãoAugusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovação
Augusto de Franco | OIS 2012 | O desafio das redes de inovação
 
Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...
Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...
Gert Vilhelmballing | OIS 2012 | Como construir ambientes de transferência de...
 
Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...
Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...
Maria Cristina | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apre...
 
Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...
Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...
Luciana Hashiba | OIS 2012 | Painel de estudo de casos Brasileiros: o que apr...
 
Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...
Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...
Araken Alves | OIS 2012 | A gestão da propriedade intelectual em um cenário d...
 
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
 
Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...
Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...
Apresentação Marina Miranda | OIS 2011 | Painel - Co-criação e desenvolviment...
 
Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...
Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...
Apresentação André Coutinho | OIS 2011 | Painel: Co-criação e desenvolvimento...
 
Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Naldo Dantas | OIS 2011 | Seminário 23/11
 
Apresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no SeminárioApresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Joakim Appelquist | OIS 2011 | Palestra no Seminário
 
Apresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no SeminárioApresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no Seminário
Apresentação Anderson Rossi | OIS 2011 | Palestra no Seminário
 
Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...
Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...
Apresentação Alf Martin Johansen | OIS 2011 | Painel: Desafios na construção ...
 
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
 
Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...
Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...
Apresentação Ciro Vasquez | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ino...
 
Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...
Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...
Apresentação Pontus de Laval | OIS 2011 | Painel: Cooperação internacional e ...
 
Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...
Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...
Apresentação Joel Rene Ponte | OIS 2011 | Painel: Inserindo startups e PMEs e...
 
Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...
Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...
Apresentação José Martins | OIS 2011 | Painel: Construindo redes de inovação ...
 
Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 |  Seminário  23/11Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 |  Seminário  23/11
Apresentação Niklas Walhberg | OIS 2011 | Seminário 23/11
 
Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11
Apresentação Niklas Berglin | OIS 2011 | Seminário 23/11
 
Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11
Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11
Apresentação Lourdes Casanova | OIS 2011 | Seminário - 23/11
 

Reunião Temática : Inteligência Tecnológica

  • 2. 2 Reunidos em torno de Interesse Comum Praticantes Para promover interação Learning by doing É uma Comunidade de Prática O que é o Centro de Open Innovation?
  • 3. OPEN INNOVATION SEMINAR Maior evento da America Latina dedicado a ao tema Participação exclusiva do Prof. Henry Chesbrough Reuniões Temáticas Encontros periódicos para exposição de casos e discussão de temas relacionados a inovação aberta. Ambiente virtual de colaboração Apoio a outros eventos Capacitação Cursos e treinamentos para formação de profissionais da inovação. Ações de disseminação
  • 4. Plataforma online com mais 770 membros para networking e compartilhamento de informações e conhecimento: Apresentações Artigos Eventos Boletim notícias ... www.openinnovationbrasil.ning.com Site do Centro
  • 5. Dias 1, 2 e 3 de dezembro | Grand Hyatt São Paulo
  • 6. • Reunir praticantes de open innovation do país, com formuladores de políticas publicas, academia e prestadores de serviço. • Oferecer um curso intensivo para a formação de líderes em open innovation, com participação exclusiva do Henry Chesbrough e colaboradores do Centro de Open Innovation - Brasil . DIAS 2 E 3 DE DEZEMBRO CURSO INTENSIVO de 16h para gestores de inovação DIA 1 DE DEZEMBRO SEMINÁRIO | Henry Chesbrough PAINÉIS DE ESPECIALISTAS | RELATO DE CASOS | SESSÕES TÉCNICAS INÉDITO E EXCLUSIVO VAGAS LIMITADAS! PROPOSTA EDIÇÃO 2010 GARANTA SUA INSCRIÇÃO! WWW.OPENINNOVATIONSEMINAR.COM.BR
  • 9. Programação 9 Horário Atividade 8h00 - 8h10 Abertura: CENPES/Petrobras 8h10 - 8h40 Introdução: Inteligência tecnológica em um cenário de inovação aberta. Apresentado por Claudio Mazzola - Allagi. A apresentação será baseada no estudo “How to Implement Open Innovation” da Universidade de Cambridge. 8h40 - 9h10 Caso 1: Embraer, apresentado por Luciano Pedrote 9h10 - 9h30 Discussão (com coffee-break) 9h30 - 10h00 Caso 2: INPI, apresentado Jeziel Nunes 10h00 - 10h30 Caso 3: EMBRACO/Whirpool, apresentado por João Carlos Casemiro 10h30 - 12h00 Painel de discussão e encerramento
  • 10. Sistema Tecnológico Petrobras Sistema Tecnológico Petrobras José Roberto Fagundes Netto Centro de Pesquisas & Desenvolvimento (Cenpes) Petrobras José Roberto Fagundes Netto Centro de Pesquisas & Desenvolvimento (Cenpes) Petrobras
  • 11. A Petrobras Reserva (SPE) Produção Faturamento Investimento total bilhões de boe mil boe/d bilhões de US$ bilhões de US$ 2000 10,4 1.566 35,5 3,6 2009 14,9 2.526 115,9 35,1
  • 12. Estratégia Tecnológica Outros renováveisPetroquímica Gásquímica Inovação em combustíveis Biocombustíveis RefinoRecuperação avançada Reservatórios complexos ConfiabilidadeLogística para o gás natural Novas fronteiras Exploratórias Perfuração, produção e logística no Pré-sal Sistemas de produção submarinos Agregação de valor e diversificação dos produtos Sustentabilidade Gerenciamento de CO2 Gerenciamento de água Eficiência energética Acelerar Desenvolvimento Tecnológico - Ampliar Capacidade Nacional - Atuar em Rede Expansão dos limites
  • 14. O CENPES Fundado em 1963 Instalações atuais (desde 1972) 122.000 m2 Expansão (Outubro de 2010) 183.000 m2
  • 15. P&D na Petrobras Instalações classe mundial Laboratório de integridade de dutos Centro de tecnologia de dutos Modelagem de cascos & simulação Instituto de pesquisa tecnológica Tanque de teste numérico Universidade de São Paulo 50 Redes Temáticas Cerca de 100 universidades e instituições de P&D em 19 estados 4 vezes a área construída do CENPES atual Laboratório de métodos térmicos para EOR Unicamp Laboratório de alta resolução geoquímica Universidade Federal do Rio de Janeiro Laboratório de testes de corrosão e materiais Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • 16. Expandindo a parceria com fornecedoresExpandindo a parceria com fornecedores
  • 18. 24 anos de programas tecnológicos - 500 1.000 1.500 2.000 2.500 3.000 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2005 2006 2008 2010 2012 2014 24212421 28122812 PROCAP 1000 PROCAP 2000 PROCAP 3000 Produção total de petróleo Produção em Águas Profundas (LDA> 400m) Metas
  • 19. • Processo de inovação aberto, interligado e em parceria • Fontes de inovação - empregados, parceiros e clientes • Rede de valor, espaço da inovação - empresas e entidades de C,T&I • Gestão da inovação Integrar a inteligência interna à externa
  • 21. Inteligência Tecnológica Rio de Janeiro, 14 de outubro de 2010
  • 23. Objetivo da reunião • Discutir:  as principais metodologias e ferramentas empregadas para definição e desenvolvimento da estratégia tecnológica da empresa e como a inteligência tecnológica contribui/orienta gestores durante tomadas de decisão.  como gestores identificam em tempo, a evolução de tecnologias emergentes que podem levar a novas oportunidades ou representar ameaças para a empresa.  como a inteligência competitiva/mercado é empregada para contribuir na definição da estratégia tecnológica da empresa.  como é estruturada a atividade de inteligência tecnológica  como as atividades de inteligência tecnológica podem ajudar gestores a identificar potenciais parceiros e colaboradores em uma abordagem aberta.
  • 24. Inteligência Tecnológica não é • Prática de agência governamentais de inteligência (CIA, ABIN) que visam a segurança nacional • Espionagem Industrial – finalidades similares (ganhar vantagem competitiva), métodos ilegais • Pesquisa de Mercado • Cartomantes 4
  • 26. Por quê? Para quê? • ANTECIPAR – Identificar mudanças: Novas tecnologias, equipamentos, mercados, competidores. • REDUZIR RISCOS – Identificar ameaças: Patentes, produtos, regulamentações, parcerias. • AUMENTAR COMPETITIVIDADE – Identificar gaps tecnológicos: comparar portfólios com os de concorrentes e potenciais parceiros, para identificar ameaças e oportunidades comerciais em atividades de inovação aberta • INOVAR – Identificar idéias e novas soluções: Compartilhar e fomentar conhecimento (know-how) . • COOPERAR – Criar novas parcerias e networking: Empresas start-ups, Centros de Pesquisas, Universidades. 6
  • 29. Cadeia de Valor 9 Spin Offs Estratégia de Novos Produtos e Tecnologias Identificação, Avaliação e Seleção de Tecnologias Seleção de Projetos Desenvolvimento de Produtos e Processos Novos Produtos Desenvolvimento Conjunto Make or Buy Estratégia de Inovação Estratégia Tecnológica P&D MKT Novas aplicações Propriedade Intelectual Licenciamento Licenciamento Ideias e Tecnologias Novos Mercados Intelligence is the ‘eyes’ and ‘ears’ needed for Open Innovation (EIRMA, 2009) Fonte: Adaptado de Dr Letizia Mortara, Centre for Technology Management, Institute for Manufacturing, Cambridge University Fronteiras da Empresa
  • 30. Desenvolvimento Tecnológico Estratégia Tecnológica Estruturação de Projetos Execução de Projetos Transferência de Resultados 10 Monitoramento do Ambiente Tecnológico Monitoramento do Mercado Monitoramento de Políticas de P&D Coleta de Informações Junto a Diferentes Stakeholders (Internos e Externos) Elaboração de Cenários de Médio e Longo Prazo Roadmap de Tecnologia Potenciais Parceiros Mecanismos de Financiamento (Recursos Internos e Externos) Infraestrutura, Ferramentas, Processos e RH Gestão de Portfólio Funil de desenvolvimento/Model ou de Stage-Gate Plano de Trabalho Recursos Aprovados Equipe engajada Aprendizagem contínua Normas & Processos Relatórios Técnicos Patentes e Segredos Industriais Infraestrutura Conhecimento Absorvido e Disseminado Spin-off/Spin-in
  • 31. Sistema de Inteligência Gestão Objetivos & Estratégia Ferramentas Especialistas Processos Fontes de Informação Produtos Sistema de Informação 11
  • 32. Fontes Networks Visitas Feiras de Negócios Universidades Empresas Start-ups Investidores Consultores Fornecedores Vendedores Especialistas Gestores aposentados Estatísticas de Patentes Buscas em Literaturas Engenharia Reversa Material de Marketing World Wide Web Pesquisas Indústrias Jornais de Comércio Relatórios Governamentais 12 Pessoais Impessoais Diretas Indiretas
  • 34. Análise 6,000 7,000 8,000 9,000 10,000 11,000 12,000 13,000 1,045 1,050 1,055 1,060 1,065 FatordeAmeaça Fator de Incerteza Fatores de inerteza, ameaça e variância nas avaliações Tec 1 Tec 2 Tec 3 Tec 4 Tec 5 Tec 6 Árvores Tecnológicas Redes PUC-Rio UFOP UFRJ UNESP UNICAMP USP 2000 2001 2003 2004 2005 2006 2007 0 1 2 3 Indicadores 2D e 3D Matrizes
  • 36. Vigilância & Scouting 16 Visualizar Cenário Players Investimentos Mercado Visualizar Tendências Mudanças Competitivas Mudanças Tecnológicas Visualizar Áreas Tecnológicas Situação das Empresas Áreas de Alta Atividade Áreas de Interesse de Players Visualizar Tecnologias Disponíveis Oportunidades em ICTs Áreas Tecnológicas com Potencial de Exploração Principais Citações de Tecnologias Visualizar FTO Análise de Reivindicações Buscas de Conceito de Reivindicações Determinar quem Monitorar Análise de portfolio Análise SWOT Monitoramento Competitivo & Tecnológico em Propriedade Industrial Adaptado de Taylor & Germeraad, 2008
  • 38. 18
  • 39. 19
  • 40. 20
  • 41. 21
  • 42. 22
  • 43. Rio de JaneiroRio de Janeiro Outubro/2010Outubro/2010 Inteligência TecnolInteligência Tecnolóógica para Aumentogica para Aumento da Competitividade e Inovada Competitividade e Inovaççãoão
  • 44. •• Segundo a OrganizaSegundo a Organizaçção Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI),ão Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), cerca de 2/3 das Informacerca de 2/3 das Informaçções Tecnolões Tecnolóógicasgicas dispondisponííveis em todo o mundoveis em todo o mundo somente são reveladas nos documentos de patente.somente são reveladas nos documentos de patente. (Fonte:(Fonte: MarmorMarmor 1979,1979, ThomsonThomson 2007);2007); •• Tem um crescimento anual aproximado deTem um crescimento anual aproximado de 1.600.0001.600.000 documentos dedocumentos de patentes no mundo.patentes no mundo. (fonte: OMPI 2009);(fonte: OMPI 2009); •• Estudo feito na Alemanha concluiu que os custos de P&D poderiamEstudo feito na Alemanha concluiu que os custos de P&D poderiam serser reduzidos emreduzidos em 30%30%,, caso a informacaso a informaçção tão téécnica disponcnica disponíível fossevel fosse utilizadautilizada.(Fonte.(Fonte AutrianAutrian PatentPatent Office, 2007)Office, 2007) •• Segundo estimativa da OrganizaSegundo estimativa da Organizaçção Britânica de Patentes,ão Britânica de Patentes, 20 bilhões de20 bilhões de libras por anolibras por ano são desperdisão desperdiççadas na Comunidade Europadas na Comunidade Europééia devido aia devido a inveninvençções duplicadas.ões duplicadas. (fonte: UK(fonte: UK IntellectualIntellectual PropertyProperty Office, 2007)Office, 2007) Por que usar o sistema de patentes neste contexto?Por que usar o sistema de patentes neste contexto?
  • 45. OfereceOferece InformaInformaççãoão ProteProteççãoão O Sistema de Propriedade Industrial oferece:O Sistema de Propriedade Industrial oferece:
  • 46. concessão de patentes de invenconcessão de patentes de invençção e de modelo deão e de modelo de utilidade;utilidade; concessão de registro de desenho industrial;concessão de registro de desenho industrial; concessão de registro de Programa de Computadorconcessão de registro de Programa de Computador concessão de registro de marca;concessão de registro de marca; repressãorepressão ààs falsas indicas falsas indicaçções geogrões geográáficas;ficas; repressãorepressão àà concorrência desleal; econcorrência desleal; e averbaaverbaçção dos contratos de transferência de tecnologia.ão dos contratos de transferência de tecnologia. O Sistema de Propriedade Industrial oferece:O Sistema de Propriedade Industrial oferece: ProteProteçção:ão:
  • 47. OfereceOferece InformaInformaççãoão ProteProteççãoão O Sistema de Propriedade Industrial oferece:O Sistema de Propriedade Industrial oferece:
  • 48. InformaInformaççõesões TTéécnicascnicas GerenciaisGerenciais Tipos informaTipos informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
  • 49. InformaInformaçções Gerenciais:ões Gerenciais: rastreamento de competência tecnolrastreamento de competência tecnolóógica (gica (core businesscore business)) identificaidentificaçção de mudanão de mudançças na estratas na estratéégia de P&Dgia de P&D direcionamento da pesquisa, identificadirecionamento da pesquisa, identificaçção de novas soluão de novas soluççõesões antecipaantecipaçção de movimentos de concorrentesão de movimentos de concorrentes identifica pessoas e empresas atuantes em umaidentifica pessoas e empresas atuantes em uma áárearea possibilitam a avaliapossibilitam a avaliaçção das oportunidades de mercado com mapeamentoão das oportunidades de mercado com mapeamento de tecnologias passde tecnologias passííveis de aquisiveis de aquisiçção ou licenciamentoão ou licenciamento auxilia na identificaauxilia na identificaçção das tendênciasão das tendências permite conhecer o mercadopermite conhecer o mercado auxilia na elaboraauxilia na elaboraçção de polão de polííticas tecnolticas tecnolóógicasgicas monitoramento de concorrentesmonitoramento de concorrentes monitoramentos tecnolmonitoramentos tecnolóógicosgicos portadores de futuro para elaboraportadores de futuro para elaboraçção prospecão prospecçção tecnolão tecnolóógicagica insumo para elaborainsumo para elaboraçção de cenão de cenáários e tendênciasrios e tendências possibilita a elaborapossibilita a elaboraçção de monitoramento tecnolão de monitoramento tecnolóógicogico Tipos InformaTipos Informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
  • 50. InformaInformaççõesões TTéécnicascnicas GerenciaisGerenciais Tipos InformaTipos Informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
  • 51. InformaInformaçções Tões Téécnicas:cnicas: apresentam soluapresentam soluçções de problemas tões de problemas téécnicos;cnicos; ponto de partida para nova invenponto de partida para nova invenççãoão estimulam o pensamento criativo, auxiliando naestimulam o pensamento criativo, auxiliando na concepconcepçção e desenvolvimento de novos produtosão e desenvolvimento de novos produtos aumentam as chances de descobrir tecnologias novasaumentam as chances de descobrir tecnologias novas auxiliam nos caminhos da nova pesquisaauxiliam nos caminhos da nova pesquisa aceleram a procura de soluaceleram a procura de soluçções tões téécnicas efetivas ecnicas efetivas e prontamente aplicprontamente aplicááveisveis evitam a duplicaevitam a duplicaçção de esforão de esforççosos alternativa vialternativa viáável para tentativa e errovel para tentativa e erro Tipos InformaTipos Informaçções disponibilizadas pelo Sistema de PIões disponibilizadas pelo Sistema de PI
  • 52. •• Abordagem informacionalAbordagem informacional •• Abordagem da concepAbordagem da concepççãoão •• Abordagem da proteAbordagem da proteçção do conhecimentoão do conhecimento UtilizaUtilizaçção da Informaão da Informaçções tões téécnicas:cnicas: InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
  • 53. •• IdentificaIdentificaçção do estado da tão do estado da téécnicacnica identificaidentificaçção de tecnologias emergentes em uma determinadaão de tecnologias emergentes em uma determinada áárearea identificaidentificaçção do inão do iníício de uma tecnologia (patente fundamental) ecio de uma tecnologia (patente fundamental) e sua evolusua evoluççãoão identificaidentificaçção de potenciais rotas para aperfeião de potenciais rotas para aperfeiççoamentos em produtosoamentos em produtos e processos existentese processos existentes quais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temasquais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temas grau de difusão e o rastreamento de uma tecnologia atravgrau de difusão e o rastreamento de uma tecnologia atravéés dass das citacitaçções, etc.ões, etc. Abordagem InformacionalAbordagem Informacional InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
  • 54. Uso das informaUso das informaçções do Sistema de patentes no Projeto Conceitualões do Sistema de patentes no Projeto Conceitual como fonte de solucomo fonte de soluçções e/ou de inspiraões e/ou de inspiraçção para a soluão para a soluçção dosão dos problemas.problemas. •• MMéétodos tradicionaistodos tradicionais tentativa e errotentativa e erro •• MMéétodo baseado no sistema de patentestodo baseado no sistema de patentes Teoria da SoluTeoria da Soluççãoão Inventiva de ProblemasInventiva de Problemas -- TRIZ e suas derivaTRIZ e suas derivaççõesões Auxilia o Processo CriativoAuxilia o Processo Criativo Duas Abordagens MetodolDuas Abordagens Metodolóógicas:gicas: Abordagem da ConcepAbordagem da Concepççãoão InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
  • 55. ProteProteçção do Conhecimentoão do Conhecimento •• AnAnáálise dalise da patenteabilidadepatenteabilidade: conceito de novidade; aplicabilidade: conceito de novidade; aplicabilidade industrial; atividade inventiva.industrial; atividade inventiva. •• Diretivas para elaboraDiretivas para elaboraçção de relatão de relatóório trio téécnico que subsidie a elaboracnico que subsidie a elaboraççãoão de um pedido de patente, paralelamente com a elaborade um pedido de patente, paralelamente com a elaboraçção de artigosão de artigos ttéécnicos correspondentes (cnicos correspondentes (paperspapers).). •• AnAnáálise da melhor forma de protelise da melhor forma de proteçção; qual deve ser a abrangência dosão; qual deve ser a abrangência dos depdepóósitos (local ou geral); os prazos de cada etapa da tramitasitos (local ou geral); os prazos de cada etapa da tramitaçção; aão; a validade da protevalidade da proteçção; e os custos envolvidos no depão; e os custos envolvidos no depóósito e nasito e na manutenmanutençção.ão. •• ProteProteçção dos resultados alcanão dos resultados alcanççados em P&D atravados em P&D atravéés de Patentess de Patentes InformaInformaçções Tões Téécnicas do Sistema de PIcnicas do Sistema de PI
  • 56. •• Monitoramento TecnolMonitoramento Tecnolóógico (gico (technologytechnology assessmentassessment)) •• CenCenáários e Tendências (rios e Tendências (forecastingsforecastings)) •• ProspecProspecçção Tecnolão Tecnolóógicagica ((technologytechnology foresightforesight)) Fonte: DefiniFonte: Definiçções do PBPT/ MDIC/STI (2001)ões do PBPT/ MDIC/STI (2001) As anAs anáálises destas informalises destas informaçções possibilitam elaborar:ões possibilitam elaborar: Uso das InformaUso das Informaçções contidas no Sistema de Patentesões contidas no Sistema de Patentes
  • 57. Alguns Trabalhos Elaborados com InformaAlguns Trabalhos Elaborados com Informaçções doões do Sistema de PatentesSistema de Patentes Monitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento TecnolMonitoramento Tecnolóógicogicogicogicogicogicogicogico http://www.inpi.gov.br/menuhttp://www.inpi.gov.br/menu--esquerdo/informacao/estudos_htmlesquerdo/informacao/estudos_html Mapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento TecnolMapeamento Tecnolóógico dogico dogico dogico dogico dogico dogico dogico do BiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodieselBiodiesel e Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentese Tecnologias Correlatas sob o Enfoque dos Pedidos de Patentes Volume IVolume IVolume IVolume IVolume IVolume IVolume IVolume I –– MundoMundoMundoMundoMundoMundoMundoMundo -------- maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008 Volume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume IIVolume II –– BrasilBrasilBrasilBrasilBrasilBrasilBrasilBrasil -------- maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008maio, 2008 Volume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume IIIVolume III -------- Estados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China eEstados Unidos, China e União EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião EuropUnião Europééiaiaiaiaiaiaiaia -------- setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008setembro, 2008 Universidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades BrasileirasUniversidades Brasileiras -------- UtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaUtilizaçção do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004ão do Sistema de Patentes de 2000 a 2004 -------- julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007 Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999Maiores depositantes de pedidos de patentes BR 1999--------20032003200320032003200320032003 -------- Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006Maio, 2006 Tecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para ConstruTecnologia para Construçção de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodoviasão de Rodovias -------- Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002.Fevereiro, 2002. CenCenCenCenCenCenCenCenááriosriosriosriosriosriosriosrios http://www.inpi.gov.br/menuhttp://www.inpi.gov.br/menu--esquerdo/informacao/estudos_htmlesquerdo/informacao/estudos_html Pedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a cPedidos de patente de tecnologias relativas a céélulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustlulas a combustíível, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenvel, cenáário brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileirorio brasileiro –– marmarmarmarmarmarmarmarçço 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009.o 2009. PatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamentoPatenteamento de Cde Cde Cde Cde Cde Cde Cde Céélulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasillulas Tronco no Brasil -------- CenCenCenCenCenCenCenCenáário Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atualrio Atual -------- julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007julho, 2007 Estudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos CritEstudo Comparativo dos Critéérios derios derios derios derios derios derios derios de PatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidadePatenteabilidade para Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenpara Invenççõesõesõesõesõesõesõesões BiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolBiotecnolóógicasgicasgicasgicasgicasgicasgicasgicas em Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paem Diferentes Paíísessessessessessessesses -------- julho,julho,julho,julho,julho,julho,julho,julho, 20072007200720072007200720072007 ProspecProspecProspecProspecProspecProspecProspecProspecçção Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolão Tecnolóógicagicagicagicagicagicagicagica www.tecpar.br/appi/seminario/Palestras/PalestrasWorkshopwww.tecpar.br/appi/seminario/Palestras/PalestrasWorkshop PropescPropescPropescPropescPropescPropescPropescPropescççãoãoãoãoãoãoãoão TecnolTecnolTecnolTecnolTecnolTecnolTecnolTecnolóógica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravgica Atravéés de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentess de Patentes –– 20042004200420042004200420042004 –– PetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobrPetrobráássssssss
  • 58. mapeamento da evolumapeamento da evoluçção de tecnologias no tempo;ão de tecnologias no tempo; mapeamento da evolumapeamento da evoluçção dos depão dos depóósitos por pasitos por paííses;ses; mapeamento da evolumapeamento da evoluçção dos depão dos depóósitos por empresa;sitos por empresa; relarelaçção dos atores no mercado e identificaão dos atores no mercado e identificaçção de novos entrantesão de novos entrantes identificaidentificaçção de tecnologias emergentes;ão de tecnologias emergentes; identificaidentificaçção do inão do iníício da tecnologia (patente fundamental) e sua evolucio da tecnologia (patente fundamental) e sua evoluççãoão identificaidentificaçção de potenciais rotas para aperfeião de potenciais rotas para aperfeiççoamentos em produtos e processos existentes;oamentos em produtos e processos existentes; monitoramento de concorrentes em um determinado setor;monitoramento de concorrentes em um determinado setor; identificaidentificaçção de mudanão de mudançças na estratas na estratéégia de P&D;gia de P&D; quais são os paquais são os paííses onde existe proteses onde existe proteçção (visão de mercado);ão (visão de mercado); rastreamento de competência tecnolrastreamento de competência tecnolóógica (core business);gica (core business); quais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temasquais os principais inventores e quais pesquisam os mesmo temas antecipaantecipaçção de movimentos;ão de movimentos; grau de difusão de uma tecnologia atravgrau de difusão de uma tecnologia atravéés das citas das citaçções etc.ões etc. InformaInformaçções permitem conhecer:ões permitem conhecer: Uso das InformaUso das Informaçções contidas no Sistema de Patentesões contidas no Sistema de Patentes
  • 59. NNíível davel da InvenInvenççãoão DefiniDefiniççãoão NNºº de Tentativasde Tentativas Consideradas naConsideradas na SoluSoluçção usando T&Eão usando T&E 11 Pequenas mudanPequenas mudançças: problema e seu meio de soluas: problema e seu meio de soluççãoão existentes dentro de uma mesmaexistentes dentro de uma mesma áárea profissional (uma serea profissional (uma seççãoão especespecíífica de uma indfica de uma indúústria)stria) 1 a 101 a 10 22 AperfeiAperfeiççoamento: o problema e seu meio de soluoamento: o problema e seu meio de soluçção existeão existe dentro de uma mesma inddentro de uma mesma indúústria (problema de construstria (problema de construçção deão de uma muma mááquinaquina éé solucionado por msolucionado por méétodos conhecidos dentro detodos conhecidos dentro de uma mesma induma mesma indúústria, somente residindo em umastria, somente residindo em uma áárea diferenterea diferente desta)desta) 10 a 10010 a 100 33 InvenInvençção importante: o problema e o meio de soluão importante: o problema e o meio de soluçção existeão existe dentro de uma ciência (problema mecânico resolvido por meiosdentro de uma ciência (problema mecânico resolvido por meios mecânicos)mecânicos) 100 a 1.000100 a 1.000 44 InvenInvençção fora do paradigma: o problema e a soluão fora do paradigma: o problema e a soluçção existe foraão existe fora dos limites da ciência onde o problema foi originado (problemados limites da ciência onde o problema foi originado (problema mecânico resolvido atravmecânico resolvido atravéés da qus da quíímica)mica) 1000 a 10.0001000 a 10.000 55 Ruptura conceitual: o problema e os meios de soluRuptura conceitual: o problema e os meios de soluçção existemão existem fora dos limites da ciência contemporânea (primeirofora dos limites da ciência contemporânea (primeiro éé necessnecessááriorio fazer um nova descoberta e então baseado neste novo dadofazer um nova descoberta e então baseado neste novo dado cientcientíífico, solucionar o problema)fico, solucionar o problema) 10.000 a 100.000 ou10.000 a 100.000 ou maismais NNííveis das Invenveis das Invenççõesões Fonte: Nunes et ali 2009 apud Altshuller 1998 Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão
  • 60. NNíível dasvel das InvenInvenççõesões DistribuiDistribuiççãoão OriginalOriginal DistribuiDistribuiççãoão AtualizadaAtualizada 11 32.0%32.0% 68.0%68.0% 22 45.0%45.0% 27.1%27.1% 33 19.0%19.0% 4.3%4.3% 44 < 4.0%< 4.0% 0.26%0.26% 55 < 0.3%< 0.3% 0.06%0.06% NNííveis de Distribuiveis de Distribuiçção das Invenão das Invenççõesões Fonte: Nunes et ali 2009 apud Altshuller 1998 Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão
  • 61. NNíível de Criatividade das Invenvel de Criatividade das Invenççõesões Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão Fonte: Ideation International Inc.
  • 62. NNííveis de Invenveis de Invençção e Diferentes Caracterão e Diferentes Caracteríísticas de Econômicassticas de Econômicas Uso dos InformaUso dos Informaçções de Patentes na Inovaões de Patentes na Inovaççãoão Fonte: Ideation International Inc.
  • 63. NNíível de Criatividade da Invenvel de Criatividade da Invençção e Probabilidade de Sucessoão e Probabilidade de Sucesso Fonte: Ideation International Inc.
  • 64. NNíível de Criatividade da Invenvel de Criatividade da Invenççãoão ee Retorno do InvestimentoRetorno do Investimento A Patente protege sua Invenção somente por 20 anos! Em alguns setores não é tempo bastante para ter lucro real! Fonte: Ideation International Inc.
  • 65. InovaInovaçção Abertaão Aberta •• procura fora da organizaprocura fora da organizaççãoão tanto por inovatanto por inovaççãoão tecnoltecnolóógica quanto porgica quanto por mercadomercado •• pode trabalhar em ambaspode trabalhar em ambas diredireçções: trazendo a inovaões: trazendo a inovaççãoão de fora ou fornecendode fora ou fornecendo inovainovaçção para novosão para novos mercadosmercados •• éé acelerada pela maioracelerada pela maior mobilidade dos especialistasmobilidade dos especialistas e pelo aumento do aporte dee pelo aumento do aporte de capital de riscocapital de risco InovaInovaççãoãoFechadaFechadaInovaInovaççãoãoAbertaAberta Uso do Sistema de Patente na InovaUso do Sistema de Patente na Inovaççãoão
  • 66. Historicamente os sistemas militares tem sido um das maisHistoricamente os sistemas militares tem sido um das mais importantes fontes de inovaimportantes fontes de inovaçção para a sociedade:ão para a sociedade: •• Metade dos prêmios Nobel dos Estados Unidos teve suas pesquisasMetade dos prêmios Nobel dos Estados Unidos teve suas pesquisas financiadas pelas Forfinanciadas pelas Forçças Armadas, enquanto, nos demais paas Armadas, enquanto, nos demais paííses, oses, o percentual atinge 30%percentual atinge 30% (Fonte: C,C apud NEE/UFF)(Fonte: C,C apud NEE/UFF) •• A sociedade civil tem usufruA sociedade civil tem usufruíído de vdo de váários avanrios avançços obtidos nos setoresos obtidos nos setores militares, dentre os quais citammilitares, dentre os quais citam--se a internet, o GPS, etc. (se a internet, o GPS, etc. (Fonte:Fonte: PirroPirro e Longoe Longo ““TecTec.. MilitarMilitar””, NEE/UFF), NEE/UFF) •• Entre 17 e 25% dos investimentos em pesquisa nos Estados UnidosEntre 17 e 25% dos investimentos em pesquisa nos Estados Unidos temtem sido feitos em projetos militares que, tambsido feitos em projetos militares que, tambéém, geram usos civis (uso dual),m, geram usos civis (uso dual), enquanto a menquanto a méédia mundialdia mundial éé de cerca de 10%.de cerca de 10%. (Fonte:(Fonte: WessnerWessner C.C.,, Defense & Security R&DDefense & Security R&D”” Belgium)Belgium) •• Um terUm terçço de todo o investimento efetuado em nanotecnologia no Estadoso de todo o investimento efetuado em nanotecnologia no Estados Unidos vem do Departamento de DefesaUnidos vem do Departamento de Defesa (Fonte:(Fonte: RiceRice UniversityUniversity )) O Sistema de Defesa e a InovaO Sistema de Defesa e a Inovaççãoão
  • 67. Uso especUso especíífico: F41fico: F41 –– ArmasArmas F42F42 –– MuniMuniçções e detonaões e detonaççãoão Uso dual (civil+militar): Toda a ClassificaUso dual (civil+militar): Toda a Classificaçção Internacional de Patentesão Internacional de Patentes Ao contrAo contráário do que se pensa a tecnologia de uso militar tambrio do que se pensa a tecnologia de uso militar tambéémm éé protegida pelo sistema de patentes.protegida pelo sistema de patentes. Uso das InformaUso das Informaçções do Sistema de Patentes pelo Segmento de Defesaões do Sistema de Patentes pelo Segmento de Defesa As tecnologias de emprego militar são tratadas pelo sistema de PAs tecnologias de emprego militar são tratadas pelo sistema de PI deI de duas formas:duas formas: Fonte: Nunes. J “I Simpósio de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha”
  • 68. Existem duas subseExistem duas subseçções da CIP especões da CIP especííficas para armamento:ficas para armamento: F41F41 –– ARMASARMAS F41AF41A-- DETALHES OU CARACTERDETALHES OU CARACTERÍÍSTICAS FUNCIONAIS COMUNS PARA ARMAS DE FOGO PORTSTICAS FUNCIONAIS COMUNS PARA ARMAS DE FOGO PORTÁÁTEIS E MATERIAL BTEIS E MATERIAL BÉÉLICO, por ex.,CANHÕESLICO, por ex.,CANHÕES;;;;;;;; MONTAGENS PARA AS ARMAS DE FOGO PORTMONTAGENS PARA AS ARMAS DE FOGO PORTÁÁTEIS OU PETEIS OU PEÇÇAS DE ARTILHARIAAS DE ARTILHARIA F41BF41B-- ARMAS PARA LANARMAS PARA LANÇÇAMENTO DE MAMENTO DE MÍÍSSEIS SEM A UTILIZASSEIS SEM A UTILIZAÇÇÃO DE CARGA EXPLOSIVA OU PROPULSORAÃO DE CARGA EXPLOSIVA OU PROPULSORA;;;;;;;; ARMAS NÃO INCLUARMAS NÃO INCLUÍÍDAS EMDAS EM OUTRO LOCALOUTRO LOCAL F41CF41C-- ARMAS DE FOGO PORTARMAS DE FOGO PORTÁÁTEIS, por ex., PISTOLAS, RIFLESTEIS, por ex., PISTOLAS, RIFLES (caracter(caracteríísticas ou detalhes de funcionamento comuns a armas portsticas ou detalhes de funcionamento comuns a armas portááteis ou peteis ou peçças deas de artilharia, suas montagensartilharia, suas montagens ;;;;;;;; ACESSACESSÓÓRIOS PARA AS MESMASRIOS PARA AS MESMAS F41FF41F -- APARELHOS PARA LANAPARELHOS PARA LANÇÇAMENTO DE PROJAMENTO DE PROJÉÉTEIS OU MTEIS OU MÍÍSSEIS POR MEIO DE CANOS DAS ARMAS, por ex., CANHÕESSSEIS POR MEIO DE CANOS DAS ARMAS, por ex., CANHÕES (armas de fogo port(armas de fogo portááteisteis LANLANÇÇADORES DE FOGUETES OU TORPEDOSADORES DE FOGUETES OU TORPEDOS;;;;;;;; CANHÕES LANCANHÕES LANÇÇAA--ARPÕESARPÕES (caracter(caracteríísticas ou detalhes de funcionamento comunssticas ou detalhes de funcionamento comuns àà armasarmas portportááteis ou material bteis ou material béélico, suas montagenslico, suas montagens F41GF41G -- MIRAS DE ARMASMIRAS DE ARMAS;;;;;;;; PONTARIAPONTARIA (aspectos(aspectos óóticos)ticos) F41HF41H-- BLINDAGEMBLINDAGEM;;;;;;;; TORRES BLINDADASTORRES BLINDADAS;;;;;;;; VEVEÍÍCULOS BLINDADOS OU ARMADOSCULOS BLINDADOS OU ARMADOS;;;;;;;; MEIOS DE ATAQUE OU DEFESA, por ex., CAMUFLAGEM EMMEIOS DE ATAQUE OU DEFESA, por ex., CAMUFLAGEM EM GERALGERAL F41JF41J -- ALVOSALVOS;;;;;;;; CAMPOS DE TIROCAMPOS DE TIRO;;;;;;;; COLETORES DE BALASCOLETORES DE BALAS F42F42 –– MUNIMUNIÇÇÕES E DETONAÕES E DETONAÇÇÃOÃO F42BF42B -- CARGAS EXPLOSIVAS, por ex., PARA DETONACARGAS EXPLOSIVAS, por ex., PARA DETONAÇÇÃO; FOGOS DE ARTIFÃO; FOGOS DE ARTIFÍÍCIO; MUNICIO; MUNIÇÇÕESÕES (composi(composiçções explosivas C06B; espoletas F42C;ões explosivas C06B; espoletas F42C; detonadetonaçção F42D)ão F42D) F42CF42C -- ESPOLETAS PARA MUNIESPOLETAS PARA MUNIÇÇÕESÕES ((detonadoresdetonadores para cartuchos de detonapara cartuchos de detonaçção F42B 3/10; aspectos quão F42B 3/10; aspectos quíímicos C06C)micos C06C); ); SEUS DISPOSITIVOS DE; ); SEUS DISPOSITIVOS DE ARMAARMAÇÇÃO OU DE SEGURANÃO OU DE SEGURANÇÇAA (enchimento de espoletas F42B 33/02; ajustagem ou extra(enchimento de espoletas F42B 33/02; ajustagem ou extraçção deão de escorvasescorvas das espoletas F42B 33/04; recipientesdas espoletas F42B 33/04; recipientes para espoletas F42B 39/30)para espoletas F42B 39/30) F42DF42D -- DETONADETONAÇÇÃOÃO (espoletas, por ex., cordões de espoletas, C06C 5/00; cartuchos(espoletas, por ex., cordões de espoletas, C06C 5/00; cartuchos de detonade detonaçção F42B 3/00)ão F42B 3/00) Tecnologia de Uso EspecTecnologia de Uso Especíífico Militarfico Militar Fonte: Nunes. J “I Simpósio de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha”
  • 69. NecessidadesNecessidades da Indda Indúústriastria Interesse NacionalInteresse Nacional AmbienteAmbiente CooperativoCooperativo Tecnologia de Uso DualTecnologia de Uso Dual Uso DualUso Dual AcordosdeCoopera AcordosdeCooperaççãoão Especifica EspecificaççõesComuns õesComuns Fonte: Nunes. J “I Simpósio de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha”
  • 70. 11-- IBMIBM-------------------------------------------------------------------------- 57.383 22-- CANONCANON-------------------------------------------------------------- 39.478 33-- HITACHI, LTDHITACHI, LTD---------------------------------------------- 31.779 44-- TOSHIBATOSHIBA---------------------------------------------------------- 30.972 55-- SANSUNGSANSUNG-------------------------------------------------------- 28.996 66-- GEGE---------------------------------------------------------------------------- 28.554 77-- MATSUSHITAMATSUSHITA---------------------------------------------- 27.318 88-- SONYSONY-------------------------------------------------------------------- 27.254 99-- NECNEC ---------------------------------------------------------------------- 22.91322.913 1010-- MITSUBISHIMITSUBISHI------------------------------------------------ 21.74421.744 1111-- FUJITSUFUJITSU ------------------------------------------------------ 21.67721.677 1212-- MOTOROLAMOTOROLA---------------------------------------------- 19.64019.640 1313-- EASTMAM KODAKEASTMAM KODAK---------------------------- 18.87418.874 1414-- SIEMENSSIEMENS-- -------------------------------------------------- 18.25718.257 1515-- INTELINTEL---------------------------------------------------------------- 17.93817.938 1616-- MICRON TECHNOLOGYMICRON TECHNOLOGY-------------- 17.71117.711 1717-- FUJI PHOTOFUJI PHOTO -------------------------------------------- 16.28016.280 1818-- XEROXXEROX ------------------------------------------------------------ 14.95014.950 1919-- TEXAS INSTRUMENTSTEXAS INSTRUMENTS---------------- 14.92914.929 2020-- US PHILIPSUS PHILIPS ------------------------------------------------ 13.71813.718 2121-- MICROSOFTMICROSOFT---------------------------------------------- 13.47113.471 2222-- HONDAHONDA ---------------------------------------------------------- 13.33013.330 2323-- SHARPSHARP ---------------------------------------------------------- 12.92412.924 2424-- ROBERT BOSCHROBERT BOSCH-------------------------------- 12.80712.807 2525-- DU PONTDU PONT ---------------------------------------------------- 12.59512.595 2626-- AT&TAT&T ----------------------------------------------------------------12.28512.285 2727-- HP DEVELOPMENTHP DEVELOPMENT -------------------------------- 11.48011.480 2828-- BAYERBAYER ---------------------------------------------------------------------- 11.41311.413 2929-- SEIKO EPSONSEIKO EPSON ----------------------------------------------------11.40811.408 3030-- RICOHRICOH ---------------------------------------------------------------------- 11.21211.212 3131-- GENERAL MOTORSGENERAL MOTORS------------------------------------ 10.24710.247 3232-- U.S. NAVYU.S. NAVY-------------------------------------------------------------- 10.23310.233 3333-- BASFBASF -------------------------------------------------------------------------- 10.20310.203 3434-- HP COMPANYHP COMPANY------------------------------------------------------ 9.6049.604 3535-- ADVANCE MICRO DEVICESADVANCE MICRO DEVICES -------------- 9.3939.393 3636-- LUCENTLUCENT---------------------------------------------------------------------- 9.3919.391 3737-- TOYOTATOYOTA---------------------------------------------------------------------- 9.1519.151 3838-- PROCTER + GAMBLEPROCTER + GAMBLE ------------------------------ 8.8658.865 3939-- NISSANNISSAN ------------------------------------------------------------------------ 8.3108.310 4040-- 3M3M---------------------------------------------------------------------------------------- 7.7097.709 4141-- WESTINGHOUSEWESTINGHOUSE---------------------------------------------- 7.6087.608 4242-- SUNSUN ---------------------------------------------------------------------------------- 7.4617.461 4343-- DOW CHEMICALDOW CHEMICAL------------------------------------------------ 7.3657.365 4444-- KONINKLIJKE PHILIPSKONINKLIJKE PHILIPS ------------------------------ 7.0307.030 4545-- LG ELECTRONICSLG ELECTRONICS ---------------------------------------- 6.9616.961 4646-- BOEINGBOEING ---------------------------------------------------------------------- 6.5436.543 4747-- CIBACIBA--GEIGYGEIGY------------------------------------------------------------ 6.4856.485 4848-- UNIVERSITY OF CALIFORNIAUNIVERSITY OF CALIFORNIA -------- 6.4366.436 4949-- HOECHSTHOECHST ---------------------------------------------------------------- 6.4116.411 5050-- DENSODENSO ---------------------------------------------------------------------- 6.3906.390 5151-- SANYOSANYO ------------------------------------------------------------------------ 6.3216.321 5252-- U.S. ARMYU.S. ARMY ----------------------------------------------------------------6.1226.122 5353-- INFINEONINFINEON -------------------------------------------------------------- 6.0756.075 5454-- MOBIL OILMOBIL OIL -------------------------------------------------------------- 5.8415.841 5555-- HON HAY PRECISION CORPHON HAY PRECISION CORP---------------- 5.7785.778 5656-- SHELL OILSHELL OIL -------------------------------------------------------------- 5.7715.771 5757-- MINOLTA CAMERAMINOLTA CAMERA -------------------------------------- 5.7675.767 5858-- NIKONNIKON ------------------------------------------------------------------------ 5.7325.732 5959-- OLYMPUSOLYMPUS -------------------------------------------------------------- 5.6775.677 6060-- CATERPILLARCATERPILLAR ---------------------------------------------------- 5.4435.443 6161-- TELEFONAKTIEBOLAGETTELEFONAKTIEBOLAGET ------------------ 5.3965.396 6262-- 3M INNOVATIVE PROP. CO3M INNOVATIVE PROP. CO-------------------- 5.2465.246 6363-- TAIWAN SEMICONDUCTORTAIWAN SEMICONDUCTOR------------------ 5.0875.087 6464-- ALLIEDALLIED--SIGNALSIGNAL ------------------------------------------------ 5.0265.026 6565-- UNITED TECHNOLOGIESUNITED TECHNOLOGIES -------------------- 4.9544.954 6666-- RCARCA---------------------------------------------------------------------------------- 4.9384.938 6767-- GOODYEAR.GOODYEAR.------------------------------------------------------------ 49324932 6868-- BROTHER KOGYOBROTHER KOGYO------------------------------------------ 4.9004.900 6969-- FORD MOTOR COFORD MOTOR CO ------------------------------------------ 4.8184.818 7070-- PHILLIPS PETROLEUMPHILLIPS PETROLEUM ------------------------------4.8054.805 7171-- USAUSA –– DEP. OF ENERGYDEP. OF ENERGY ------------------------ 4.7744.774 7272-- UNISYSUNISYS-------------------------------------------------------------------------- 4.7534.753 7373-- APPLIED MATERIALSAPPLIED MATERIALS -------------------------------- 4.7174.717 7474-- CISCOCISCO -------------------------------------------------------------------------- 4.6784.678 .. .. .. 8989 -- U.S AIR FORCEU.S AIR FORCE -------------------------------------------------- 3703 LISTA DAS INSTITUILISTA DAS INSTITUIÇÇÕES COM MAIS DE 3000 PATENTES ATÕES COM MAIS DE 3000 PATENTES ATÉÉ 31/12/0931/12/09
  • 80. Grato pela AtenGrato pela Atençção!ão! Jeziel NunesJeziel Nunes Divisão de Estudos e ProgramasDivisão de Estudos e Programas -- DIEPRODIEPRO PraPraçça Maua Mauáá nnºº 77 –– sala 716sala 716 –– CEP 20081CEP 20081--900900 Rio de JaneiroRio de Janeiro –– BrasilBrasil Telefone: (21) 2139Telefone: (21) 2139--33553355 E_mailE_mail:: jezielnunes@gmail.com
  • 82. Embraco is the Compressors Industry Winner Strong Results Now and In The Future Based on a Solid, Sustainable Foundation Prepared to defend and enlarge our leadership R&D Strategy R&D Structure Technology Leadership Technology Planning 2
  • 83. Embraco is the Compressors Industry Winner Strong Results Now and In The Future Based on a Solid, Sustainable Foundation Prepared to defend and enlarge our leadership R&D Strategy R&D Structure Technology Leadership Technology Planning 3
  • 84. World PresenceInnovation StructureInnovation Structure R&D VP Marcio Todescat Household Technology Fabricio Possamai Commercial Technology Ricardo Maciel Technology Development Fábio Klein Cost Reduction Vladimir Guidi R&D Resources Marcio Schissatti With more than 150 external researchers cooperating worldwide from Universities and Technology Institutes… Brazil +280 people Slovakia +80 people China +70 people Italy +20 people With around 450 Engineers and Technicians worldwide: 4
  • 85. World Presence 2 labs R&D: 2 USA 8 labs R&D: 6 Italy 10 labs R&D: 7 Slovakia 44 Labs worldwide44 Labs worldwide 15 labs R&D: 9 Brazil 9 labs R&D: 8 China 5
  • 86. World Presence CAE / CAD / CAM – Updated tools for analysis and simulation 3D modeling, components, drawings and assemblies Approx. 120 workstations CAE/CAD/CAM GlobalGlobal InfrastructureInfrastructure –– CAE/CAD/CAM SystemsCAE/CAD/CAM Systems Natural frequency analysis of the compressor housing Deformation and Loading analysis of the compressor crankcase Shaft stress analysis 6
  • 87. Embraco is the Compressors Industry Winner Strong Results Now and In The Future Based on a Solid, Sustainable Foundation Prepared to defend and enlarge our leadership R&D Strategy R&D Structure Technology Leadership Technology Planning 7
  • 88. World PresenceHowHow EmbracoEmbraco is creating value through technology?is creating value through technology? Short / Medium TermProjects Long Term Projects (New Technologies) Results Technology Planning Process Additional Revenues Technology Drivers Additional Revenues Direct Mat. Cost Reduction Assets &Capex Utilization Knowledge Generation NewTechnologies Monitoring 8
  • 89. World Presence WP2 External Analysis Competitors Stakeholders Customers WP3 Scenario Development Scenario IEnviron- ment WP4 Gap Analysis & Options Development WP1 Internal Analysis Chances & Risks x x x xx Project Portfolios Technology PlanningTechnology Planning 9 Scenario II Scenario III Markets Customers Society Competitors EMBRACO Today - Technologies - Markets - Products - Competencies WP5 Technology Delphi Study © Fraunhofer IAO Stuttgart / IAT Universität Stuttgart Slide: 3 Delphi-Method Identify Technology Experts worldwide Questionaire Round 1 Cooling Technology Questionaire Round 1 Cooling Technology Questionaire R ound1 C ooling Technology Ques tionaire Round1 Cooling Tec hnology Elaborate Questionaire based on expertise of R&D Staff Send the Questionaire to the Experts Expert 1 Expert 2 Expert ... Collect, analyse and advance Questionaires Results: •New Technologies identified •Future-scenarios Ques tionaire Round1 Cooling Tec hnology Questionaire Round1 Cooling Technology Ques tionaire Round1 Cooling Tec hnology Questionaire Round1 Cooling Technology WP8 Continuous Technology Foresight Process WP6 Technology Assessment External Technology Roadmaps Technology Portfolios WP7 Technology Strategy Internal Technology Roadmaps Make & Buy
  • 90. World Presence 1st output of technology planning:1st output of technology planning: TECHNOLOGY DRIVERSTECHNOLOGY DRIVERS Energy efficiencyEnergy efficiency improvementimprovement Cost reductionCost reduction Environmental & socialEnvironmental & social responsibilityresponsibility Product size reduction /Product size reduction / miniaturizationminiaturization Sound level reductionSound level reduction Profit pools developmentProfit pools development 10
  • 91. World Presence 2nd output of technology planning:2nd output of technology planning: TECHNOLOGY PORTFOLIOTECHNOLOGY PORTFOLIO Research projects Technology development Product development Technology monitoring development projects development projects 11
  • 92. World Presence ThermodynamicsThermodynamics AcousticsAcoustics StructureStructure Compressor vibration Compressor Tubes Compressor shell Condense r Walls Evaporator ΣΣΣΣLeft ΣΣΣΣRight Transfer Paths Noise Time History Kitchen Pillar ProjectsPillar Projects MotorsMotors MaterialsMaterials SystemsSystems 12
  • 93. World Presence POLO Compressors - Objective: Reduce superheating losses. - Tools: CFD models and experimental techniques. Thermal Management Valve Dynamics Pillar Thermodynamics: Main ActivitiesPillar Thermodynamics: Main Activities State of art numerical models are used in the projects Valve Dynamics - Objective: Reduce pump losses and increase reliability. - Tool: FSI models 13
  • 94. World Presence Low Friction Materials • Development of new equipment for Plasma Nitriding (1 Patent). • Transfer of the new technology to supplier Pistons and bearings for compressors • Self-lubricant material • Lower mechanical/thermal losses • 2 patents Plasma Nitriding (Cost Reduction) Industrial Reactor Plasma Aspect Pillar MaterialsPillar Materials Final results •Increase of quality, repeatability and reability Final results • Low Friction coefficient Nitrited parts 14
  • 95. World Presence MicroMicro CompressorCompressor Heat PumpHeat Pump Deck of theDeck of the FutureFuture Solution ProjectsSolution Projects WaterWater HeaterHeater DryerDryer DeckDeck 15
  • 96. World Presence Project Scope Driver: Breakthrough in compact refrigeration • Growth in new markets & businesses • Free orientation •AC / DC power input or battery operation MicrocompressorMicrocompressor Model A [mm] B [mm] Weight [kg] 30 W 21 100 0,2 90 W 50 160 1,2 Sep/10 Dec/10 Jun/11 Samples Pilot Line Product Certification operation • Reduced size and weight ( portability ) • Better efficiency compared to current solutions • Innovative solutions ( patents ) Timeline 16
  • 97. World Presence Wall-mounted cooling units Industrial computers Portable coolers AutoCool Mobile coolers Electronics Small Appliances MicrocompressorMicrocompressor: Applications: Applications Personal Cooling Automotive Cooled seat On-board electronics Vest Cooling Professional race pilots Firefighters and CBRN vests 17
  • 98. World Presence Technology MonitoringTechnology Monitoring Available Technologies Partnerships andPartnerships and Institutional RelationsInstitutional Relations Technology Monitoring and PartnershipsTechnology Monitoring and Partnerships Possibleapplications 18
  • 99. World Presence Technology MonitoringTechnology Monitoring Monitor technologies and investigate the most promising ones. Advantages: • Clean technology • Low noise Available Technologies Example: Magnetocaloric 1919 • Low noise • Low temperatures Disadvantages: • Cost • Low efficiency • Size and weight • Maximum ∆T Conclusion: • Material’s properties is the challenge to be overcome Possibleapplications
  • 100. World Presence PARTNERSHIPS: Strengthening knowledgePARTNERSHIPS: Strengthening knowledge generation networkgeneration network 20
  • 101. World PresencePartnership: UFSCPartnership: UFSC Universities Government agencies Companies Benefits: - Identify and hire talents; - Speed up the product development cycle; - Reduce gaps between industry needs and university capabilities; - Enable R&D activities with governmental funding. UFSC partnership: 150 people involved 2626 Years of successful and intense cooperation 8080 Projects developed by UFSC and EMBRACO 7070 Master thesis 1616 Ph.D. dissertations 21
  • 102. World Presence Relations with the local and international scientific community 985 Patents in the world Knowledge Network with Universities CuttingCutting EdgeEdge TechnologyTechnology 170 Papers and Scientific Articles published in Conferences and specialized magazines 22
  • 103. World PresenceEmbraco’sEmbraco’s initiativesinitiatives areare beingbeing recognizedrecognized...... LiebherrLiebherr domesticdomestic appliances won theappliances won the “Kitchen Innovation“Kitchen Innovation of the Year 2007”of the Year 2007” award in Germany.award in Germany. The VEMZ 9C isThe VEMZ 9C is applied in thisapplied in this systemsystem ““EmbracoEmbraco, Synonym for, Synonym for Global Leadership andGlobal Leadership and Quality in Cooling SolutionsQuality in Cooling Solutions for the Refrigerationfor the Refrigeration Market.”Market.” MiniaturizedMiniaturized coolingcooling devicedevice presentedpresented atat IntelIntel DeveloperDeveloper ForumForum “VCC Technology is among“VCC Technology is among the 10 biggest Brazilianthe 10 biggest Brazilian innovations in the lastinnovations in the last decade”decade” O BRASIL QUE INOVA EMBRACOEMBRACO –– WINNERWINNER OF THE 2008OF THE 2008 “INTERNATIONAL“INTERNATIONAL STAR AWARD” OF THESTAR AWARD” OF THE ALLIANCE TO SAVEALLIANCE TO SAVE ENERGYENERGY 23
  • 106. World PresenceEmbracoEmbraco Specialized in cooling solutions, EMBRACO is the world leader in hermetic compressors, and has the mission "Provide innovative solutions for a better quality of life“ With factories in Brazil, Italy, China and Slovakia and productive capacity over 30 million compressors per year, it also produces cast iron, electronic components, condensers and evaporators that are used as part of condensing and sealed units, and electronic systems to 26 used as part of condensing and sealed units, and electronic systems to make "intelligent" household appliances Household Commercial
  • 107. World PresenceMarket Intelligence ScopeMarket Intelligence Scope 27
  • 108. World PresenceTechnology PushTechnology Push versusversus Market PullMarket Pull Current Business Product Planning Annual Meeting 28 Business Strategy
  • 109. World PresenceTechnology PushTechnology Push versusversus Market PullMarket Pull New Business Technology Planning Meeting 29 Business Strategy