SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 59
Escola Bahiana de medicina
Prof. Emanuel
Revisão .Vestibular - Biologia
Questão 01 Prof. Emanuel
Analisando aspectos genéticos associados a doenças que ainda não
têm cura, assinale com V as afirmativas verdadeiras e com F, as
falsas.
( )Sendo a hemofilia A uma condição genética, recessiva e ligada
ao sexo, a frequência de indivíduos afetados é mais alta entre
as mulheres.
( )Sabendo-se que a fenilcetonúria está associada a um padrão de
herança autossômica recessiva, a probabilidade de um casal
heterozigoto ter filhos afetados é de 25%.
( )A fibrosa cística, decorrente da homozigose de genes cuja
sequência nucleotídica está alterada, exemplifica a ocorrência
de mutações que repercutem na cadeia polipeptídica codificada
pelo gene.
( )A manipulação do genoma da espécie humana criando novas
relações códon-aminoácidos, aponta para a possibilidade de cura
de doenças hereditárias.
A relação códons X aminoácidos é conhecida
como código genético:
• É universal
• É redundante (degenerado)
Código genético
CÓDON  Equivale a um Aminoácido
Prof. Emanuel
Código genético Prof. Emanuel
Código genético UNIVERSAL
Ancestralidade comum
Prof. Emanuel
Código genético UNIVERSALProf. Emanuel
Transgenia
(Enzimas de restrição e Ligases)
Código genético REDUNDANTE
Códons diferentes Mesmo aminoácido
Prof. Emanuel
Código genético
Um códon Vários aminoácidos
O Código genético não é
ambíguo
Prof. Emanuel
Questão 02 Prof. Emanuel
Uma abordagem biológica associada ao desenvolvimento do câncer
permite afirmar:
01)A administração de medicamentos que promovem a intensificação
da angiogênese é uma terapêutica de combate eficiente ao câncer.
02)Mutações que alteram proteínas essenciais ao controle do ciclo
celular estão associadas à origem do câncer.
03)A citocinese é a fase da multiplicação celular mais propícia às
mudanças genéticas que deflagram o processo de oncogênese.
04)O bloqueio da formação do fuso mitótico na prófase desencadeia
divisões celulares continuas, favorecendo o desenvolvimento de
metástases.
05)A ocorrência repetida de apoptose é um dos mecanismos
celulares desencadeantes de neoplasias malignas.
Célula não se
divide
Duplicação do DNA
G0
Transcrição
Tradução
Aumento de
volume
G1
S
G2
Ciclo celular Prof. Emanuel
Transcrição
Tradução
Apta para
divisão
1
Ponto de checagem G1
2
3
A célula aumentou de volume?
O meio é apropriado?
DNA danificado?
1
Ponto de checagem G22
O DNA foi danificado?
A célula aumentou de volume?
O meio é apropriado?
Ponto de checagem M3
A formação e adesão do fuso
mitótico normais ?
Controle do ciclo celularProf. Emanuel
1. Produzida em grandes quantidades quando existem
danos no DNA
2. Interrompe o ciclo e ativa a apoptose
3. Mutações no gene p53 X câncer
Apoptose
p53 – reguladora do ciclo
• Alteração no ciclo celular
• Não respeita os sinais
inibitórios
• Ausência de mecanismos
autodestrutivos (apoptose)
• Imortalidade efetiva
• Angiogênese
• Metástase
Câncer Prof. Emanuel
• Células totipotentes (CTE)
• Células neoplásicas
Alto poder mitótico
Alterações do cicloProf. Emanuel
Questão 03 Prof. Emanuel
A importância da utilização de equipamentos capazes da detecção
de segmentos de DNA em amostras de água, alimentos e sangue
deve ser entendida como:
01)possibilidade de compará-los com dados disponíveis em bancos
de DNA, visando à identificação de sequências nucleotídicas
associadas a doenças.
02)estratégia para estudos moleculares que permitam decifrar o
código genético de patógenos que comprometem a qualidade de vida
de idosos.
03)procedimento para realizar o sequenciamento do genoma humano
com vistas à identificação de novas variantes gênicas associadas à
longevidade.
04)método de estudo da replicação do DNA de bactérias e vírus ín
vitro, para a compreensão dos mecanismos de regulação gênica
implicados na sua capacidade infectante.
05)oportunidade para analisar a organização estrutural da molécula
de DNA de microorganismos e vírus.
Questão 04 Prof. Emanuel
O aumento crescente da expectativa de vida no mundo vai repercutir no predomínio
de idosos na população, o que, segundo a ONU, triplicará o número de pessoas com
mais de 65 anos, até 2050.
Um dos problemas que afeta a qualidade de vida dos idosos é a maior
suscetibilidade a sofrer fraturas associadas à osteoporose, doença considerada
como um grave problema de saúde pública. (ALMEIDA..., 2011).
Com base no texto e no conhecimento sobre a dinâmica do tecido ósseo,
assinale com V as afirmativas verdadeiras e com F, as falsas.
( )A osteoporose implica diminuição progressiva da densidade óssea, que
pode ser detectada por meio de exames de imagem, como a densiometria
óssea.
( )A porosidade dos ossos em pessoas acometidas por osteoporose
decorre do excessivo número de lisossomos, impedindo a absorção de
cálcio.
( )Exercícios físicos que desenvolvem o senso de equilíbrio e o
fortalecimento do osso constituem uma prática para minimizar os efeitos
da osteoporose.
( )A maior frequência de osteoporose em idosos reflete, entre outros
fatores, a queda na produção de paratormônio e a maior atividade das
osteoblastos nessa fase da vida.
Regulação da calcemiaProf. Emanuel
Calcitonia
Paratormônio
Ca++ no sangue Ca++ no osso
Hipocalcemiante
Hipercalcemiante
Tecido ósseo
Osteoblasto
(osteócito)
formador de
matriz óssea
Osteoclasto
remodelador
de matriz
óssea
Prof. Emanuel
Tecido ósseo Prof. Emanuel
Produção de nova
matriz óssea
Osteoblasto
Osteoclasto
Osteócitos
Tecido ósseo Prof. Emanuel
Matriz óssea normal Matriz com osteoporose
Questões 05 Prof. Emanuel
Sensações de ansiedade fazem parte da experiência humana, mas a
ansiedade excessiva, frequente ou inapropriada pode levar a doenças.
Esse estado mental é acompanhado por respostas comportamentais e
fisiológicas que incluem evitar situações temidas, manter-se em
alerta e apresentar ativação do sistema nervoso autônomo,
responsável por funções automáticas, como respiração, circulação
sanguínea e outras.
Tais respostas visam a proteger o indivíduo do perigo. As respostas
relacionadas à ansiedade têm sido descritas em humanos, em animais
e fazem parte de um mecanismo universal de adaptação dos
organismos a condições difíceis.
É fácil imaginar como se reduziriam as chances de sobrevivência de
uma presa que não tivesse medo de seu predador – um suricato não
ter medo de uma águia aumentaria muito as chances ele virar o
jantar da águia. Ter ansiedade, portanto, é necessário e importante,
mas até certo ponto. (SILVEIRA, et al..., 2011)
Prof. Emanuel
A ativação do sistema nervoso autônomo relacionada com as
sensações de ansiedade repercute na qualidade de vida, envolvendo
respostas fisiológicas associadas à respiração e à circulação
sanguínea expressas em:
01)movimentos respiratórios lentos, que reduzem as trocas gasosas
inerentes à hematose.
02)bloqueio da biossíntese de hemoglobina, mobilizando aminoácidos
para imediata obtenção de energia.
03)aceleração dos batimentos cardíacos e aumento da concentração
de glicose no sangue.
04)queda brusca da pressão arterial e redução do metabolismo
geral do organismo.
05)ações voluntárias dependentes de nervos sensitivos, que
deflagram respostas conscientes e rápidas.
Questões 05
Reação de alarme Prof. Emanuel
1ª fase do estresse
Taquicardia e
taquipneia
Broncodilatação
Vasoconstricção
Hiperglicemia
Maior atividade
cerebral
Reação de alarme Prof. Emanuel
STRESS
P
E
R
F
O
R
M
A
N
C
E
Baixo Médio Alto
Alarme Resistência Esgotamento
Prof. Emanuel
Respostas orgânicas revelam a ação integradora do sistema nervoso,
construída a partir da percepção de estímulos, envolvendo:
01)percepção do ambiente diretamente por meio de células sensoriais
capazes de interpretar a informação captada ao meio.
02)liberação de neurotransmissores ao nível das sinapses elétricas,
durante a propagação do impulso nervoso.
03)revestimento mielínico ininterrupto ao longo do axônio como uma
estratégia para relatar as ações reflexas.
04)mudanças de potencial elétrico da membrana plasmática dos
neurônio, decorrentes de transporte iônico.
05)continuidade entre o citoplasma das terminações axônicas e
dendríticas de neurônios sensitivos e motores adjacentes
Questões 06
A GLIA e suas funçõesProf. Emanuel
1 – Oligodendrócito
2 – Axônio
3 – Corpo celular
4 – Milelina
5 - Micróglia
6 – Astrócito
7 – Fenda sináptica
8 - Vaso
Neurônio Prof. Emanuel
AxônioPericárioDendrito
Impulso nervoso unidirecional
Bainha de mielina Prof. Emanuel
Nódulo de
Ranvier
Sinapse Química
Com
neurotransmissor
Sinapse Elétrica
Sinapses Prof. Emanuel
Sem
neurotransmissor
Potencial de repouso
Polarização
Potencial de ação
Despolarização
Difusão facilitada
Potencial de repouso
Repolarização
Bomba de íons
Encéfalo
Arco reflexo Prof. Emanuel
Prof. Emanuel
Sabendo-se que, no corpo humano, a pressão sanguínea tem a contribuição da
pressão estática, da pressão dinâmica e da pressão mecânica, considerando-
se o fluxo do sangue como sendo escoamento estacionário e desprezando-se o
efeito da viscosidade, pode-se afirmar:
01)A pressão estática independe da altura da coluna de sangue
medida em relação ao pé.
02)O sangue circula pelas artérias e capilares com a velocidade de
módulo constante.
03)A energia cinética da célula de uma hemácia aumenta quando o
sangue flui de uma artéria de diâmetro maior para uma de diâmetro
menor, ambas situadas na mesma altura.
04)A pressão do sangue arterial rico em oxigênio, é menor do que a
pressão do sangue venoso, rico em gás carbônico.
05)A pressão hidrodinâmica do sangue aumenta quando o sangue flui
na região de uma artéria obstruída parcialmente pelo acúmulo de
colesterol.
Questões 07
Prof. Emanuel
Sob a perspectiva darwiniana, a adaptação de organismos
a condições difíceis contextualizada na relação presa-
predador remete a uma interação ecológica que:
01)revela acirrada competição entre as espécies
participantes.
02)privilegia os indivíduos mais fortes na disputa pelo
espaço no ambiente em que habitam.
03)causa mudanças nas posições tróficas estabelecidas em
uma teia alimentar.
04)expressa falha nas estratégias de sobrevivência das
espécies na comunidade.
05)regula a densidade das diferentes populações
envolvidas.
Questões 08
Prof. Emanuel
A Ambiente físico, social, profissional e de relações
interpessoais que deve estar relacionado a um projeto de
saúde voltado para a atenção acolhedora, resolutiva e
humana. Nos serviços de saúde, a ambiência é marcada
tanto pelas tecnologias médicas ali presentes quanto por
outros componentes estéticos ou sensíveis apreendidos
pelo olhar, olfato, audição, por exemplo, a luminosidade e
os ruídos do ambiente, à temperatura etc. Além disso, é
importante na ambiência o componente afetivo expresso
na forma do acolhimento, da atenção dispensada ao
usuário, da interação entre os trabalhadores e gestores.
Deve-se destacar os componentes culturais e regionais
que determinam os valores do ambiente.
(HUMANIZASUS,2010).
Questões 09
Prof. Emanuel
A percepção do ambiente, universal no mundo vivo e aperfeiçoada no
curso da evolução, envolve:
01)respostas reflexas medulares decorrentes da participação
conjunta de apenas um neurônio sensitivo e um neurônio motor.
02) especialização de células – quimiorreceptores – capazes de
perceber moléculas dispersas no ar, gerando impulsos processados ao
nível do córtex cerebral.
03)o desenvolvimento do globo ocular, estrutura capaz de perceber
luminosidade e de formar imagens de modo autônomo, sem integração
com células nervosas.
04)a diferenciação de células que constituem o tímpano, membrana
localizada no pavilhão auditivo e especializada na identificação de
sons e na manutenção do equilíbrio do corpo.
05)a ação do sistema nervoso autônomo simpático (SNP) efetivada
diretamente por nervos que partem das regiões torácica e lombar da
medula espinal.
Questões 09
C
r
â
n
i
o
s
a
c
r
a
l
T
o
r
a
c
o
l
o
m
b
a
r
Prof. Emanuel
A No século XIX, um médico observou que 15% das parturientes da
maternidade em que ele atuava morriam de uma doença chamada
febre puerperal e ele não sabia como combater a enfermidade.
Enquanto pensava em solucionar o problema, um patologista forense
morreu, aparentemente da mesma doença, apenas alguns dias após se
ferir acidentalmente com o bisturi usado por um aluno na dissecação
de cadáveres. A notícia levou o médico a constatar que os estudantes
de medicina de seu hospital, indo direto do necrotério para a ala da
maternidade – sem nunca lavar as mãos –, estariam levando alguma
infecção para as mães. A partir dessa constatação, ele obrigou os
estudantes a lavar as mãos com uma mistura de água e cloro.
Logo a febre na maternidade caiu em 10% e a lavagem das mãos
tornou-se um procedimento padrão no hospital, (MAY, 2010).
Questões 10
Prof. Emanuel
A importância da higienização das mãos na prevenção da transmissão das
infecções hospitalares (reconhecida pelo Ministério da Saúde, no anexo IV da
Portaria 2616/98), baseia-se na capacidade de a pele abrigar micro-
organismos, como bactérias, organismos que:
01)integram o reino protista no sistema de cinco reinos elaborado por
Whittaker, em 1979, por serem unicelulares, heterotróficos e suportarem
condições extremas de desidratação.
02)possuem material genético, fragmentado em nucleotídeos dispersos no
citoplasma, configurando um nucleoide desorganizado.
03)exibem uma membrana de derivados da celulose, em substituição à
bicamada de fosfolipídios característica da membrana plasmática dos
eucariontes.
04)apresentam a capacidade de crescimento exponencial por divisão binária,
originando clones passíveis de diversificação por processos de mutação e
recombinação.
05)atuam como parasitas celulares obrigatórios, uma vez que não possuem
metabolismo energético devido à ausência de organelas citoplasmáticas bem
definidas.
Questões 10
Reino Monera
unicelulares,procariontes,
auto ou heterotróficos
Reino Monera
Seres estruturalmente simples e
com alta diversidade metabólica
Reinos de WhittakerProf. Emanuel
 Reino Protista - uni ou
pluricelulares, eucariontes,
auto ou heterotroficos
Reino
Protista
Reinos de WhittakerProf. Emanuel
 Reino Fungi - uni ou
pluricelulares, eucariontes,
heterotróficos por absorção
Reino
Fungi
Reinos de WhittakerProf. Emanuel
 Reino Animalia
pluricelulares, eucariontes,
heterotróficos por ingestão
Reino Animalia
Reinos de WhittakerProf. Emanuel
 Reino Plantae
pluricelulares, eucariontes,
fotoautotróficos
Reino Plantae
Reinos de WhittakerProf. Emanuel
Prof. Emanuel
O Sistema Único de Saúde SUS passará a oferecer em
todo o país a identificação de anemia falciforme no teste
do pezinho. Esse tipo de anemia é uma das doenças
hereditárias mais comuns no Brasil, predominante entre
negros. A anemia falciforme geralmente gera sintomas no
recém-nascido. É uma alteração genética que muda a
conformação das hemácias, que adquirem a forma de
foice e perdem a eficiência de oxigenação, causa dores e
oclusão de vasos sanguíneos.
A Bahia é o Estado com maior incidência, por sua grande
população afrodescendente. De cada 650 crianças, uma
nasce com a anemia. Mas a Bahia também é um dos
lugares onde se oferece o teste, desde 2001.
(FERNANDES, 2009).
Questões 11
Prof. Emanuel
Analisando aspectos do desenvolvimento – da célula-ovo ao recém-nascido –
sob condições normais, é uma consideração pertinente:
01)A divisão de uma mórula em dois blastocistos distintos e posterior
implantação em regiões relativamente afastadas do útero, dá origem a
gêmeos dizigóticos ou fraternos.
02)A vida embrionária se expressa na dependência de interações com o
meio, configurando o desenvolvimento intrauterino como um processo
epigenético.
03)O nascimento de um bebê é provocado por alterações fisiológicas no
organismo materno decorrentes da elevação brusca dos níveis sanguíneos do
hormônio folículo-estimulante (FSH).
04)O metabolismo de um organismo, da fase embrionária à fase fetal, gera
resíduos nitrogenados que ficam armazenados no alantoide, anexo bem
desenvolvido em humanos, eliminado juntamente com a placenta no parto.
05)A célula-ovo, pela riqueza em vitelo, garante a nutrição do embrião até
a fase em que se completa a organogênese, quando o feto passa a ser
capaz de sintetizar suas proteínas.
Questões 11
DNA lixo Prof. Emanuel
Só porque não nos entendem
não podem nos chamar de lixo
DNA lixo (DNA junk)Prof. Emanuel
Projeto Encode
2% - 5% do
genoma funcional
80% do genoma
funcional
Antes
Depois
DNA lixo Prof. Emanuel
São modificações que ocorrem no
DNA, mas que não alteram a
sequência de bases. Por exemplo, o
silenciamento e a ativação de genes
é uma alteração epigenética –
controlada por um mecanismo
denominado metilação – que é muito
importante na diferenciação dos
tecidos
Epigenética Prof. Emanuel
Imprinting genômico
É um fenômeno genético no qual certos genes são
expressos apenas por um alelo, enquanto o outro é
metilado (inativado). É um processo de regulação da
expressão gênica
Prof. Emanuel
Prof. Emanuel
A Considerando a natureza hereditária da anemia falciforme, é
correto afirmar:
01)Uma criança com diagnóstico laboratorial de anemia falciforme
pelo teste do pezinho é necessariamente filha de pais afetados pela
doença.
02)A condição genética da doença define uma conduta médica limitada
ao diagnóstico, sem procedimentos que possam melhorar a qualidade
de vida do paciente.
03)A severidade da anemia falciforme decorre da expressão do
genótipo específico (HbS/HbS), sem interferência de outras
condições orgânicas do indivíduo e do ambiente, em geral.
04)Um casal de indivíduos heterozigotos (HbS/HbA) tem 25% de
probabilidade de ter filhos com anemia falciforme, independente do
sexo, informação essencial ao processo de aconselhamento genético.
05)Uma mulher, filha de pai com anemia falciforme, transmitirá o
gene HbS apenas para os filhos do sexo masculino, em função da
localização desse gene no cromossomo X.
Questões 12
Prof. Emanuel
A alteração genética característica da anemia falciforme pode ser
descrita como uma:
01)falha no processamento do pré-RNAm específico que mantém
alguns íntrons, criando, assim, um novo quadro de leitura na
tradução e, consequentemente, na proteína sintetizada.
02)substituição de um nucleotídeo na sequência codificante para a
cadeia β da hemoglobina, alterando um códon específico.
03)aneuploidia resultante da perda ou ganho de um cromossomo
sexual, expressa nas fórmulas cariotípicas 45,X0 ou 47,XXY.
04)mudança na ordenação das bases nitrogenadas, cuja origem
primária ocorre durante a transcrição, sintetizando uma molécula de
RNA defeituosa a partir de um molde de DNA normal.
05)trissomia, envolvendo autossomos, o que compromete o
pareamento cromossômico e consequente recombinação genética
durante a formação dos gametas.
Questões 13
Prof. Emanuel
A Manifestações sistêmicas da anemia falciforme, decorrentes da
perda de eficiência de oxigenação, podem se traduzir em:
01)retardo do tempo de coagulação do sangue em virtude do bloqueio
da conversão do fibrinogênio em fibrina, dependente de Ca++ e O2.
02)impossibilidade de o oxigênio molecular dissolver-se no plasma
sanguíneo, inviabilizando as trocas gasosas pela enzima anidrase
carbônica.
03)deficiência na capacidade de produção de eritroblastos pela
medula óssea vermelha, o que reduz o número de hemácias para 2 .
103/mm3 de sangue, bem como a estimulação para a eritropolese.
04)obstrução dos capilares sanguíneos por agregados de hemácias
deformadas que perderam características morfofisiológicas,
comprometendo a normalidade de suas funções.
05)dificuldade de as células de defesa realizarem diapedese e
fagocitose, impedindo sua atuação ao nível dos tecidos em casos de
infecção.
Questões 14
Prof. Emanuel
Questões 15
Prof. Emanuel
A Considerando-se aspectos associados à doença em destaque na ilustração,
é correto afirmar:
01)O maior risco da transmissão da dengue deve-se ao fato de o contingente
populacional de mosquitos machos, na vida adulta, ser superior ao das
fêmeas, ampliando, assim, a possibilidade de eles exercerem a hematofagia.
02)Febre com dor de cabeça e dor no corpo são sintomas característicos de
infecção bacteriana, possibilitando o diagnóstico seguro da dengue.
03)O “mosquito da dengue”, por desenvolver seu ciclo vital em ambientes
distintos – aquático e terrestre –, tem seu nicho ecológico ampliado, o que
contribui para seu sucesso como espécie vetora, no curso da evolução.
04)Plantas cultivadas e animais domésticos constituem os principais
reservatórios naturais do agente etiológico da dengue, dificultando o controle
eficaz da endemia.
05)Os cuidados para evitar água acumulada são justificados pela importância
do meio aquoso como ambiente onde ocorre a maturação dos óvulos de Aedes
aegypti.
Questões 15
a) Aedes – Dengue e febre amarela
b) Culex – Elefantíase
c) Anopheles – Malária
d) Flebotomídeos – Leishmaniose
OBS. Barbeiro – Não é mosquito
Mosquitos vetores Prof. Emanuel

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)emanuel
 
HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...
HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...
HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...Alexandre Naime Barbosa
 
Revisão ENEM IV - Ecologia
Revisão ENEM IV -  EcologiaRevisão ENEM IV -  Ecologia
Revisão ENEM IV - Ecologiaemanuel
 
Aula 1 - parte 2 Alteraçoes Estruturais
Aula 1 - parte 2 Alteraçoes EstruturaisAula 1 - parte 2 Alteraçoes Estruturais
Aula 1 - parte 2 Alteraçoes Estruturaisaivilsilveira
 
Biotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células troncoBiotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células troncoSilvana Sanches
 
Noções de evolução
Noções de evoluçãoNoções de evolução
Noções de evoluçãoemanuel
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a geneticaemibio
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoHerbert Santana
 
Aula 22 sistema endócrino
Aula 22   sistema endócrinoAula 22   sistema endócrino
Aula 22 sistema endócrinoThaisPinheiro42
 
Genética: introdução e 1ª lei de Mendel
Genética: introdução e 1ª lei de MendelGenética: introdução e 1ª lei de Mendel
Genética: introdução e 1ª lei de MendelFelipe Haeberlin
 
Mutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturaisMutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturaisNathália Vasconcelos
 
Genetica
GeneticaGenetica
Geneticaemanuel
 

Mais procurados (20)

Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
 
Historia da Epidemiologia
Historia da EpidemiologiaHistoria da Epidemiologia
Historia da Epidemiologia
 
HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...
HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...
HIV Aids Aspectos Básicos (Epidemiologia, Fisiopatologia, Tratamento e Preven...
 
Revisão ENEM IV - Ecologia
Revisão ENEM IV -  EcologiaRevisão ENEM IV -  Ecologia
Revisão ENEM IV - Ecologia
 
Aula 1 - parte 2 Alteraçoes Estruturais
Aula 1 - parte 2 Alteraçoes EstruturaisAula 1 - parte 2 Alteraçoes Estruturais
Aula 1 - parte 2 Alteraçoes Estruturais
 
Biotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células troncoBiotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células tronco
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Noções de evolução
Noções de evoluçãoNoções de evolução
Noções de evolução
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
8 ano cap 8
8 ano cap 88 ano cap 8
8 ano cap 8
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
 
Mutação
MutaçãoMutação
Mutação
 
Aula 22 sistema endócrino
Aula 22   sistema endócrinoAula 22   sistema endócrino
Aula 22 sistema endócrino
 
Vírus Biologia
Vírus BiologiaVírus Biologia
Vírus Biologia
 
Genética: introdução e 1ª lei de Mendel
Genética: introdução e 1ª lei de MendelGenética: introdução e 1ª lei de Mendel
Genética: introdução e 1ª lei de Mendel
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Mutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturaisMutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturais
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 

Semelhante a Revisão Bahiana - parte I

Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito brandaobio
 
Apresentação1 bahiana
Apresentação1 bahianaApresentação1 bahiana
Apresentação1 bahianabrandaobio
 
Apresentação1 bahiana 2
Apresentação1 bahiana 2Apresentação1 bahiana 2
Apresentação1 bahiana 2brandaobio
 
Teorias Biologicas Do Envelhecimento
Teorias Biologicas Do EnvelhecimentoTeorias Biologicas Do Envelhecimento
Teorias Biologicas Do Envelhecimentoagemais
 
Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptx
Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptxEsclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptx
Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptxSrgioMarreiros2
 
Atualização em Esclerose Lateral Amiotrófica
Atualização em Esclerose Lateral AmiotróficaAtualização em Esclerose Lateral Amiotrófica
Atualização em Esclerose Lateral AmiotróficaDavid Nordon
 
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célulaRevisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célulaemanuel
 
1 lesão e adaptação celular
1 lesão e adaptação celular1 lesão e adaptação celular
1 lesão e adaptação celularTamiris Ferreira
 
Alterações do material genético
Alterações do material genéticoAlterações do material genético
Alterações do material genéticoIsabel Lopes
 
Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2bioemanuel
 
Apostilas completas-140308111409-phpapp01
Apostilas completas-140308111409-phpapp01Apostilas completas-140308111409-phpapp01
Apostilas completas-140308111409-phpapp01Ana Cunha
 
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha SerraOzonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha SerraMaria Emilia Gadelha Serra, MD
 
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...JULIO BUSIGNANI, MÉDICO VETERINÁRIO
 
Doenças Desmielinizantes do SNC e do SNP
Doenças Desmielinizantes do SNC e do SNPDoenças Desmielinizantes do SNC e do SNP
Doenças Desmielinizantes do SNC e do SNPhihdidushd
 

Semelhante a Revisão Bahiana - parte I (20)

Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito
 
Apresentação1 bahiana
Apresentação1 bahianaApresentação1 bahiana
Apresentação1 bahiana
 
Apresentação1 bahiana 2
Apresentação1 bahiana 2Apresentação1 bahiana 2
Apresentação1 bahiana 2
 
Teorias Biologicas Do Envelhecimento
Teorias Biologicas Do EnvelhecimentoTeorias Biologicas Do Envelhecimento
Teorias Biologicas Do Envelhecimento
 
Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptx
Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptxEsclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptx
Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).pptx
 
Baixo crescimento estatural
Baixo crescimento estaturalBaixo crescimento estatural
Baixo crescimento estatural
 
Mutações gênicas
Mutações gênicasMutações gênicas
Mutações gênicas
 
Atualização em Esclerose Lateral Amiotrófica
Atualização em Esclerose Lateral AmiotróficaAtualização em Esclerose Lateral Amiotrófica
Atualização em Esclerose Lateral Amiotrófica
 
David schmidt port
David schmidt portDavid schmidt port
David schmidt port
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações
 
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célulaRevisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
 
1 lesão e adaptação celular
1 lesão e adaptação celular1 lesão e adaptação celular
1 lesão e adaptação celular
 
Alterações do material genético
Alterações do material genéticoAlterações do material genético
Alterações do material genético
 
Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2
 
Apostilafisiopatologia1
Apostilafisiopatologia1Apostilafisiopatologia1
Apostilafisiopatologia1
 
Apostilas completas-140308111409-phpapp01
Apostilas completas-140308111409-phpapp01Apostilas completas-140308111409-phpapp01
Apostilas completas-140308111409-phpapp01
 
Esclerose multipla1
Esclerose multipla1Esclerose multipla1
Esclerose multipla1
 
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha SerraOzonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
 
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
 
Doenças Desmielinizantes do SNC e do SNP
Doenças Desmielinizantes do SNC e do SNPDoenças Desmielinizantes do SNC e do SNP
Doenças Desmielinizantes do SNC e do SNP
 

Mais de emanuel

Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃOemanuel
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia emanuel
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagensemanuel
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturaisemanuel
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologiaemanuel
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladisticaemanuel
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioemanuel
 
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagensemanuel
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturaisemanuel
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto emanuel
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1emanuel
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagensemanuel
 
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturaisemanuel
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoemanuel
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)emanuel
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animalemanuel
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015emanuel
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014emanuel
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas emanuel
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014emanuel
 

Mais de emanuel (20)

Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatório
 
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
 
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014
 

Último

From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfRodolpho Concurde
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORDRONDINELLYRAMOS1
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)Alessandro Almeida
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAMarcio Venturelli
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Dirceu Resende
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 

Último (11)

From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORD
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 

Revisão Bahiana - parte I

  • 1. Escola Bahiana de medicina Prof. Emanuel Revisão .Vestibular - Biologia
  • 2. Questão 01 Prof. Emanuel Analisando aspectos genéticos associados a doenças que ainda não têm cura, assinale com V as afirmativas verdadeiras e com F, as falsas. ( )Sendo a hemofilia A uma condição genética, recessiva e ligada ao sexo, a frequência de indivíduos afetados é mais alta entre as mulheres. ( )Sabendo-se que a fenilcetonúria está associada a um padrão de herança autossômica recessiva, a probabilidade de um casal heterozigoto ter filhos afetados é de 25%. ( )A fibrosa cística, decorrente da homozigose de genes cuja sequência nucleotídica está alterada, exemplifica a ocorrência de mutações que repercutem na cadeia polipeptídica codificada pelo gene. ( )A manipulação do genoma da espécie humana criando novas relações códon-aminoácidos, aponta para a possibilidade de cura de doenças hereditárias.
  • 3. A relação códons X aminoácidos é conhecida como código genético: • É universal • É redundante (degenerado) Código genético CÓDON  Equivale a um Aminoácido Prof. Emanuel
  • 6. Código genético UNIVERSALProf. Emanuel Transgenia (Enzimas de restrição e Ligases)
  • 7.
  • 8. Código genético REDUNDANTE Códons diferentes Mesmo aminoácido Prof. Emanuel
  • 9. Código genético Um códon Vários aminoácidos O Código genético não é ambíguo Prof. Emanuel
  • 10. Questão 02 Prof. Emanuel Uma abordagem biológica associada ao desenvolvimento do câncer permite afirmar: 01)A administração de medicamentos que promovem a intensificação da angiogênese é uma terapêutica de combate eficiente ao câncer. 02)Mutações que alteram proteínas essenciais ao controle do ciclo celular estão associadas à origem do câncer. 03)A citocinese é a fase da multiplicação celular mais propícia às mudanças genéticas que deflagram o processo de oncogênese. 04)O bloqueio da formação do fuso mitótico na prófase desencadeia divisões celulares continuas, favorecendo o desenvolvimento de metástases. 05)A ocorrência repetida de apoptose é um dos mecanismos celulares desencadeantes de neoplasias malignas.
  • 11. Célula não se divide Duplicação do DNA G0 Transcrição Tradução Aumento de volume G1 S G2 Ciclo celular Prof. Emanuel Transcrição Tradução Apta para divisão
  • 12. 1 Ponto de checagem G1 2 3 A célula aumentou de volume? O meio é apropriado? DNA danificado? 1 Ponto de checagem G22 O DNA foi danificado? A célula aumentou de volume? O meio é apropriado? Ponto de checagem M3 A formação e adesão do fuso mitótico normais ? Controle do ciclo celularProf. Emanuel
  • 13. 1. Produzida em grandes quantidades quando existem danos no DNA 2. Interrompe o ciclo e ativa a apoptose 3. Mutações no gene p53 X câncer Apoptose p53 – reguladora do ciclo
  • 14. • Alteração no ciclo celular • Não respeita os sinais inibitórios • Ausência de mecanismos autodestrutivos (apoptose) • Imortalidade efetiva • Angiogênese • Metástase Câncer Prof. Emanuel
  • 15. • Células totipotentes (CTE) • Células neoplásicas Alto poder mitótico Alterações do cicloProf. Emanuel
  • 16. Questão 03 Prof. Emanuel A importância da utilização de equipamentos capazes da detecção de segmentos de DNA em amostras de água, alimentos e sangue deve ser entendida como: 01)possibilidade de compará-los com dados disponíveis em bancos de DNA, visando à identificação de sequências nucleotídicas associadas a doenças. 02)estratégia para estudos moleculares que permitam decifrar o código genético de patógenos que comprometem a qualidade de vida de idosos. 03)procedimento para realizar o sequenciamento do genoma humano com vistas à identificação de novas variantes gênicas associadas à longevidade. 04)método de estudo da replicação do DNA de bactérias e vírus ín vitro, para a compreensão dos mecanismos de regulação gênica implicados na sua capacidade infectante. 05)oportunidade para analisar a organização estrutural da molécula de DNA de microorganismos e vírus.
  • 17. Questão 04 Prof. Emanuel O aumento crescente da expectativa de vida no mundo vai repercutir no predomínio de idosos na população, o que, segundo a ONU, triplicará o número de pessoas com mais de 65 anos, até 2050. Um dos problemas que afeta a qualidade de vida dos idosos é a maior suscetibilidade a sofrer fraturas associadas à osteoporose, doença considerada como um grave problema de saúde pública. (ALMEIDA..., 2011). Com base no texto e no conhecimento sobre a dinâmica do tecido ósseo, assinale com V as afirmativas verdadeiras e com F, as falsas. ( )A osteoporose implica diminuição progressiva da densidade óssea, que pode ser detectada por meio de exames de imagem, como a densiometria óssea. ( )A porosidade dos ossos em pessoas acometidas por osteoporose decorre do excessivo número de lisossomos, impedindo a absorção de cálcio. ( )Exercícios físicos que desenvolvem o senso de equilíbrio e o fortalecimento do osso constituem uma prática para minimizar os efeitos da osteoporose. ( )A maior frequência de osteoporose em idosos reflete, entre outros fatores, a queda na produção de paratormônio e a maior atividade das osteoblastos nessa fase da vida.
  • 18. Regulação da calcemiaProf. Emanuel Calcitonia Paratormônio Ca++ no sangue Ca++ no osso Hipocalcemiante Hipercalcemiante
  • 19. Tecido ósseo Osteoblasto (osteócito) formador de matriz óssea Osteoclasto remodelador de matriz óssea Prof. Emanuel
  • 20. Tecido ósseo Prof. Emanuel Produção de nova matriz óssea Osteoblasto Osteoclasto Osteócitos
  • 21. Tecido ósseo Prof. Emanuel Matriz óssea normal Matriz com osteoporose
  • 22. Questões 05 Prof. Emanuel Sensações de ansiedade fazem parte da experiência humana, mas a ansiedade excessiva, frequente ou inapropriada pode levar a doenças. Esse estado mental é acompanhado por respostas comportamentais e fisiológicas que incluem evitar situações temidas, manter-se em alerta e apresentar ativação do sistema nervoso autônomo, responsável por funções automáticas, como respiração, circulação sanguínea e outras. Tais respostas visam a proteger o indivíduo do perigo. As respostas relacionadas à ansiedade têm sido descritas em humanos, em animais e fazem parte de um mecanismo universal de adaptação dos organismos a condições difíceis. É fácil imaginar como se reduziriam as chances de sobrevivência de uma presa que não tivesse medo de seu predador – um suricato não ter medo de uma águia aumentaria muito as chances ele virar o jantar da águia. Ter ansiedade, portanto, é necessário e importante, mas até certo ponto. (SILVEIRA, et al..., 2011)
  • 23. Prof. Emanuel A ativação do sistema nervoso autônomo relacionada com as sensações de ansiedade repercute na qualidade de vida, envolvendo respostas fisiológicas associadas à respiração e à circulação sanguínea expressas em: 01)movimentos respiratórios lentos, que reduzem as trocas gasosas inerentes à hematose. 02)bloqueio da biossíntese de hemoglobina, mobilizando aminoácidos para imediata obtenção de energia. 03)aceleração dos batimentos cardíacos e aumento da concentração de glicose no sangue. 04)queda brusca da pressão arterial e redução do metabolismo geral do organismo. 05)ações voluntárias dependentes de nervos sensitivos, que deflagram respostas conscientes e rápidas. Questões 05
  • 24. Reação de alarme Prof. Emanuel 1ª fase do estresse Taquicardia e taquipneia Broncodilatação Vasoconstricção Hiperglicemia Maior atividade cerebral
  • 25. Reação de alarme Prof. Emanuel STRESS P E R F O R M A N C E Baixo Médio Alto Alarme Resistência Esgotamento
  • 26. Prof. Emanuel Respostas orgânicas revelam a ação integradora do sistema nervoso, construída a partir da percepção de estímulos, envolvendo: 01)percepção do ambiente diretamente por meio de células sensoriais capazes de interpretar a informação captada ao meio. 02)liberação de neurotransmissores ao nível das sinapses elétricas, durante a propagação do impulso nervoso. 03)revestimento mielínico ininterrupto ao longo do axônio como uma estratégia para relatar as ações reflexas. 04)mudanças de potencial elétrico da membrana plasmática dos neurônio, decorrentes de transporte iônico. 05)continuidade entre o citoplasma das terminações axônicas e dendríticas de neurônios sensitivos e motores adjacentes Questões 06
  • 27. A GLIA e suas funçõesProf. Emanuel 1 – Oligodendrócito 2 – Axônio 3 – Corpo celular 4 – Milelina 5 - Micróglia 6 – Astrócito 7 – Fenda sináptica 8 - Vaso
  • 29. Bainha de mielina Prof. Emanuel Nódulo de Ranvier
  • 31. Potencial de repouso Polarização Potencial de ação Despolarização Difusão facilitada Potencial de repouso Repolarização Bomba de íons
  • 34. Prof. Emanuel Sabendo-se que, no corpo humano, a pressão sanguínea tem a contribuição da pressão estática, da pressão dinâmica e da pressão mecânica, considerando- se o fluxo do sangue como sendo escoamento estacionário e desprezando-se o efeito da viscosidade, pode-se afirmar: 01)A pressão estática independe da altura da coluna de sangue medida em relação ao pé. 02)O sangue circula pelas artérias e capilares com a velocidade de módulo constante. 03)A energia cinética da célula de uma hemácia aumenta quando o sangue flui de uma artéria de diâmetro maior para uma de diâmetro menor, ambas situadas na mesma altura. 04)A pressão do sangue arterial rico em oxigênio, é menor do que a pressão do sangue venoso, rico em gás carbônico. 05)A pressão hidrodinâmica do sangue aumenta quando o sangue flui na região de uma artéria obstruída parcialmente pelo acúmulo de colesterol. Questões 07
  • 35. Prof. Emanuel Sob a perspectiva darwiniana, a adaptação de organismos a condições difíceis contextualizada na relação presa- predador remete a uma interação ecológica que: 01)revela acirrada competição entre as espécies participantes. 02)privilegia os indivíduos mais fortes na disputa pelo espaço no ambiente em que habitam. 03)causa mudanças nas posições tróficas estabelecidas em uma teia alimentar. 04)expressa falha nas estratégias de sobrevivência das espécies na comunidade. 05)regula a densidade das diferentes populações envolvidas. Questões 08
  • 36. Prof. Emanuel A Ambiente físico, social, profissional e de relações interpessoais que deve estar relacionado a um projeto de saúde voltado para a atenção acolhedora, resolutiva e humana. Nos serviços de saúde, a ambiência é marcada tanto pelas tecnologias médicas ali presentes quanto por outros componentes estéticos ou sensíveis apreendidos pelo olhar, olfato, audição, por exemplo, a luminosidade e os ruídos do ambiente, à temperatura etc. Além disso, é importante na ambiência o componente afetivo expresso na forma do acolhimento, da atenção dispensada ao usuário, da interação entre os trabalhadores e gestores. Deve-se destacar os componentes culturais e regionais que determinam os valores do ambiente. (HUMANIZASUS,2010). Questões 09
  • 37. Prof. Emanuel A percepção do ambiente, universal no mundo vivo e aperfeiçoada no curso da evolução, envolve: 01)respostas reflexas medulares decorrentes da participação conjunta de apenas um neurônio sensitivo e um neurônio motor. 02) especialização de células – quimiorreceptores – capazes de perceber moléculas dispersas no ar, gerando impulsos processados ao nível do córtex cerebral. 03)o desenvolvimento do globo ocular, estrutura capaz de perceber luminosidade e de formar imagens de modo autônomo, sem integração com células nervosas. 04)a diferenciação de células que constituem o tímpano, membrana localizada no pavilhão auditivo e especializada na identificação de sons e na manutenção do equilíbrio do corpo. 05)a ação do sistema nervoso autônomo simpático (SNP) efetivada diretamente por nervos que partem das regiões torácica e lombar da medula espinal. Questões 09
  • 39. Prof. Emanuel A No século XIX, um médico observou que 15% das parturientes da maternidade em que ele atuava morriam de uma doença chamada febre puerperal e ele não sabia como combater a enfermidade. Enquanto pensava em solucionar o problema, um patologista forense morreu, aparentemente da mesma doença, apenas alguns dias após se ferir acidentalmente com o bisturi usado por um aluno na dissecação de cadáveres. A notícia levou o médico a constatar que os estudantes de medicina de seu hospital, indo direto do necrotério para a ala da maternidade – sem nunca lavar as mãos –, estariam levando alguma infecção para as mães. A partir dessa constatação, ele obrigou os estudantes a lavar as mãos com uma mistura de água e cloro. Logo a febre na maternidade caiu em 10% e a lavagem das mãos tornou-se um procedimento padrão no hospital, (MAY, 2010). Questões 10
  • 40. Prof. Emanuel A importância da higienização das mãos na prevenção da transmissão das infecções hospitalares (reconhecida pelo Ministério da Saúde, no anexo IV da Portaria 2616/98), baseia-se na capacidade de a pele abrigar micro- organismos, como bactérias, organismos que: 01)integram o reino protista no sistema de cinco reinos elaborado por Whittaker, em 1979, por serem unicelulares, heterotróficos e suportarem condições extremas de desidratação. 02)possuem material genético, fragmentado em nucleotídeos dispersos no citoplasma, configurando um nucleoide desorganizado. 03)exibem uma membrana de derivados da celulose, em substituição à bicamada de fosfolipídios característica da membrana plasmática dos eucariontes. 04)apresentam a capacidade de crescimento exponencial por divisão binária, originando clones passíveis de diversificação por processos de mutação e recombinação. 05)atuam como parasitas celulares obrigatórios, uma vez que não possuem metabolismo energético devido à ausência de organelas citoplasmáticas bem definidas. Questões 10
  • 41. Reino Monera unicelulares,procariontes, auto ou heterotróficos Reino Monera Seres estruturalmente simples e com alta diversidade metabólica Reinos de WhittakerProf. Emanuel
  • 42.  Reino Protista - uni ou pluricelulares, eucariontes, auto ou heterotroficos Reino Protista Reinos de WhittakerProf. Emanuel
  • 43.  Reino Fungi - uni ou pluricelulares, eucariontes, heterotróficos por absorção Reino Fungi Reinos de WhittakerProf. Emanuel
  • 44.  Reino Animalia pluricelulares, eucariontes, heterotróficos por ingestão Reino Animalia Reinos de WhittakerProf. Emanuel
  • 45.  Reino Plantae pluricelulares, eucariontes, fotoautotróficos Reino Plantae Reinos de WhittakerProf. Emanuel
  • 46. Prof. Emanuel O Sistema Único de Saúde SUS passará a oferecer em todo o país a identificação de anemia falciforme no teste do pezinho. Esse tipo de anemia é uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil, predominante entre negros. A anemia falciforme geralmente gera sintomas no recém-nascido. É uma alteração genética que muda a conformação das hemácias, que adquirem a forma de foice e perdem a eficiência de oxigenação, causa dores e oclusão de vasos sanguíneos. A Bahia é o Estado com maior incidência, por sua grande população afrodescendente. De cada 650 crianças, uma nasce com a anemia. Mas a Bahia também é um dos lugares onde se oferece o teste, desde 2001. (FERNANDES, 2009). Questões 11
  • 47. Prof. Emanuel Analisando aspectos do desenvolvimento – da célula-ovo ao recém-nascido – sob condições normais, é uma consideração pertinente: 01)A divisão de uma mórula em dois blastocistos distintos e posterior implantação em regiões relativamente afastadas do útero, dá origem a gêmeos dizigóticos ou fraternos. 02)A vida embrionária se expressa na dependência de interações com o meio, configurando o desenvolvimento intrauterino como um processo epigenético. 03)O nascimento de um bebê é provocado por alterações fisiológicas no organismo materno decorrentes da elevação brusca dos níveis sanguíneos do hormônio folículo-estimulante (FSH). 04)O metabolismo de um organismo, da fase embrionária à fase fetal, gera resíduos nitrogenados que ficam armazenados no alantoide, anexo bem desenvolvido em humanos, eliminado juntamente com a placenta no parto. 05)A célula-ovo, pela riqueza em vitelo, garante a nutrição do embrião até a fase em que se completa a organogênese, quando o feto passa a ser capaz de sintetizar suas proteínas. Questões 11
  • 48. DNA lixo Prof. Emanuel
  • 49. Só porque não nos entendem não podem nos chamar de lixo DNA lixo (DNA junk)Prof. Emanuel
  • 50. Projeto Encode 2% - 5% do genoma funcional 80% do genoma funcional Antes Depois
  • 51. DNA lixo Prof. Emanuel
  • 52. São modificações que ocorrem no DNA, mas que não alteram a sequência de bases. Por exemplo, o silenciamento e a ativação de genes é uma alteração epigenética – controlada por um mecanismo denominado metilação – que é muito importante na diferenciação dos tecidos Epigenética Prof. Emanuel
  • 53. Imprinting genômico É um fenômeno genético no qual certos genes são expressos apenas por um alelo, enquanto o outro é metilado (inativado). É um processo de regulação da expressão gênica Prof. Emanuel
  • 54. Prof. Emanuel A Considerando a natureza hereditária da anemia falciforme, é correto afirmar: 01)Uma criança com diagnóstico laboratorial de anemia falciforme pelo teste do pezinho é necessariamente filha de pais afetados pela doença. 02)A condição genética da doença define uma conduta médica limitada ao diagnóstico, sem procedimentos que possam melhorar a qualidade de vida do paciente. 03)A severidade da anemia falciforme decorre da expressão do genótipo específico (HbS/HbS), sem interferência de outras condições orgânicas do indivíduo e do ambiente, em geral. 04)Um casal de indivíduos heterozigotos (HbS/HbA) tem 25% de probabilidade de ter filhos com anemia falciforme, independente do sexo, informação essencial ao processo de aconselhamento genético. 05)Uma mulher, filha de pai com anemia falciforme, transmitirá o gene HbS apenas para os filhos do sexo masculino, em função da localização desse gene no cromossomo X. Questões 12
  • 55. Prof. Emanuel A alteração genética característica da anemia falciforme pode ser descrita como uma: 01)falha no processamento do pré-RNAm específico que mantém alguns íntrons, criando, assim, um novo quadro de leitura na tradução e, consequentemente, na proteína sintetizada. 02)substituição de um nucleotídeo na sequência codificante para a cadeia β da hemoglobina, alterando um códon específico. 03)aneuploidia resultante da perda ou ganho de um cromossomo sexual, expressa nas fórmulas cariotípicas 45,X0 ou 47,XXY. 04)mudança na ordenação das bases nitrogenadas, cuja origem primária ocorre durante a transcrição, sintetizando uma molécula de RNA defeituosa a partir de um molde de DNA normal. 05)trissomia, envolvendo autossomos, o que compromete o pareamento cromossômico e consequente recombinação genética durante a formação dos gametas. Questões 13
  • 56. Prof. Emanuel A Manifestações sistêmicas da anemia falciforme, decorrentes da perda de eficiência de oxigenação, podem se traduzir em: 01)retardo do tempo de coagulação do sangue em virtude do bloqueio da conversão do fibrinogênio em fibrina, dependente de Ca++ e O2. 02)impossibilidade de o oxigênio molecular dissolver-se no plasma sanguíneo, inviabilizando as trocas gasosas pela enzima anidrase carbônica. 03)deficiência na capacidade de produção de eritroblastos pela medula óssea vermelha, o que reduz o número de hemácias para 2 . 103/mm3 de sangue, bem como a estimulação para a eritropolese. 04)obstrução dos capilares sanguíneos por agregados de hemácias deformadas que perderam características morfofisiológicas, comprometendo a normalidade de suas funções. 05)dificuldade de as células de defesa realizarem diapedese e fagocitose, impedindo sua atuação ao nível dos tecidos em casos de infecção. Questões 14
  • 58. Prof. Emanuel A Considerando-se aspectos associados à doença em destaque na ilustração, é correto afirmar: 01)O maior risco da transmissão da dengue deve-se ao fato de o contingente populacional de mosquitos machos, na vida adulta, ser superior ao das fêmeas, ampliando, assim, a possibilidade de eles exercerem a hematofagia. 02)Febre com dor de cabeça e dor no corpo são sintomas característicos de infecção bacteriana, possibilitando o diagnóstico seguro da dengue. 03)O “mosquito da dengue”, por desenvolver seu ciclo vital em ambientes distintos – aquático e terrestre –, tem seu nicho ecológico ampliado, o que contribui para seu sucesso como espécie vetora, no curso da evolução. 04)Plantas cultivadas e animais domésticos constituem os principais reservatórios naturais do agente etiológico da dengue, dificultando o controle eficaz da endemia. 05)Os cuidados para evitar água acumulada são justificados pela importância do meio aquoso como ambiente onde ocorre a maturação dos óvulos de Aedes aegypti. Questões 15
  • 59. a) Aedes – Dengue e febre amarela b) Culex – Elefantíase c) Anopheles – Malária d) Flebotomídeos – Leishmaniose OBS. Barbeiro – Não é mosquito Mosquitos vetores Prof. Emanuel