Citologia 1

4.272 visualizações

Publicada em

CITOLOGIA CLÍNICA
Dr. George Nikolas Papanicolaou
1904 forma-se em medicina pela Universidade
de Atenas
 1910 inicia pós graduação na Universidade de
Munique
 1913 pesquisador na Faculdade de Medicina de
Cornell, EUA
papel dos cromossomos na determinação do
sexo nas espécies nota mudanças citológicas
recorrentes na cobaia durante o 15-16 dia do
ciclo menstrual;
 descreve junto ao Dr. Charles R. Stockard a
técnica que possibilita o estudo dos ciclos
sexuais
1923 mudanças no esfregaço vaginal
mulheres com câncer uterino exibem “
células anormais com núcleo hipercromático,
aumentado e deformado ”
 1939 associa-se ao ginecologista Hebert F.
Traut
 1943 publicam “ Diagnóstico de Câncer
através do esfregaço vaginal ”
 1948 Simpósio da Sociedade Americana de
Patologistas Clínicos com o trabalho “
Diagnóstico Citológico de Câncer ”
 aceitação internacional da técnica que fica
conhecida como “Exame de Papanicolaou” ou
Pap smear
 ampliação da técnica: diagnóstico de
câncer nos tratos urinário, respiratório e
gastrointestinal além do câncer de mama
1954 publica “Atlas de Citologia Esfoliativa”

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
109
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Citologia 1

  1. 1. CITOLOGIA CLÍNICA
  2. 2. Dr. George Nikolas Papanicolaou1904 forma-se em medicina pela Universidadede Atenas 1910 inicia pós graduação na Universidade deMunique 1913 pesquisador na Faculdade de Medicina deCornell, EUApapel dos cromossomos na determinação dosexo nas espécies nota mudanças citológicasrecorrentes na cobaia durante o 15-16 dia dociclo menstrual
  3. 3.  descreve junto ao Dr. Charles R. Stockard atécnica que possibilita o estudo dos ciclossexuais1923 mudanças no esfregaço vaginalmulheres com câncer uterino exibem “células anormais com núcleo hipercromático,aumentado e deformado ” 1939 associa-se ao ginecologista Hebert F.Traut 1943 publicam “ Diagnóstico de Cânceratravés do esfregaço vaginal ”
  4. 4.  1948 Simpósio da Sociedade Americana dePatologistas Clínicos com o trabalho “Diagnóstico Citológico de Câncer ” aceitação internacional da técnica que ficaconhecida como “Exame de Papanicolaou” ouPap smear ampliação da técnica: diagnóstico decâncer nos tratos urinário, respiratório egastrointestinal além do câncer de mama1954 publica “Atlas de Citologia Esfoliativa”
  5. 5. Dr. George Nikolas Papanicolaou
  6. 6. IMPORTÂNCIA EMMEDICINA PREVENTIVA
  7. 7. Exame de Papanicolaou permite detectar lesões pré-invasivas oumesmo invasivas, reduzindo o óbitopor câncer de colo uterino em 70%
  8. 8. MATERIAIS BIOLÓGICOS ESTUDADOS ATRAVÉS DA CITOLOGIA esfregaços de cervix vaginal urina esperma escarro glândulas mamárias punções
  9. 9. ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DELABORATÓRIOS DE CITOPATOLOGIA
  10. 10. Sala de Coleta Local onde é realizada a coleta do materialbiológico que será utilizado na realização do exame, em caso de coleta de material decervix vaginal deve conter a maca de coleta ginecológica
  11. 11. Laboratório de CitopatologiaLocal onde o exame é processado, devepossuir uma bancada, um ponto de água,armários para guardar os reagentes e umou mais microscópicos ópticos
  12. 12. Aparelho Genital Feminino
  13. 13. Útero
  14. 14. Tipos de hímen
  15. 15. CITOLOGIA CERVICAL EXAME DE PAPANICOLAOU- método mais utilizado em citopatologia-capaz de detectar 95% dos estadoscervicais de malignidade ou pré malignidade- capaz de detectar cerca de 50% dosestados malignos do endométrio
  16. 16. - usado como teste de triagem permite adetecção de estados patológicos no início- permite direcionar a terapia curativa,diminuindo a taxa de óbito por carcinoma decervix
  17. 17. Colheita de Material- relativamente simples- importante para o diagnóstico- não se deve usar : lubrificantes, talcos oumedicamentos intravaginais durante oexame, tanto para fins diagnósticos comopara facilitar a inserção do espéculo
  18. 18. ORIENTAÇÕES A PACIENTEPaciente não deve: > 24 horas antes do exame, fazerducha vaginal ou manter relaçõessexuais; > 48 horas antes do exame, usarmedicamentos tópicos vaginais comocremes, pomadas ou óvulos vaginais.
  19. 19. PROCEDIMENTO DE COLHEITA
  20. 20. 1. Deitar a paciente em uma mesa ou maca de colheita ginecológicaapropriada, deixando-a confortável erelaxada.
  21. 21. 2. Introduzir delicadamente e na posição correta,o espéculo no canal vaginal da paciente.
  22. 22. 3. Colheita de material3.1. Fundo de Saco Posterior da Vagina- Inserir uma pipeta de Papanicolaou no Fundode Saco Posterior- Aspirar a amostra através de sucção- Espalhar a secreção na superfície de umalâmina de forma homogêna e sem esfregá-lade maneira vigorosa.- Mergulhar a lâmina em álcool etílico 95%para fixação do material
  23. 23. Equipamentos usados em colheita de material do Trato Genital Feminino
  24. 24. 3.2. Raspado Cervical- Inserir uma espátula de Ayre no canalvaginal- Inserir a parte mais larga da espátula noorifício da cérvix e girar 360 graus em sentidohorário- Espalhar o material obtido, delicada ehomogeneamente e sobre uma lâmina.- Mergulhar a lâmina em álcool etílico 95%para fixação do material
  25. 25. 3.3. Endocervical e Endometrial- Colheita pode ser feita tanto por aspiraçãoquanto por meio de raspado
  26. 26. DISPERÇÃO DO MATERIAL pode oferecer dificuldades de interpretaçãodo material

×