SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
Alterações do Material              Biologia e Geologia
                                             Isabel Lopes
 Genético - Mutações




                  http://bg11esc.wordpress.com/
Alterações do Material Genético

Mutações: Alterações permanentes do genoma de um indivíduo
                (alterações herdáveis nos genes)
Mutantes: Indivíduos portadores de mutações

Organismo Humano
• Grande parte das células divide-se de forma continua
• Probabilidade de ocorrência de mutações é alta
• Grande capacidade de reparar os erros

                       • Mutações Génicas

                   • Mutações Cromossómicas                  2
                                IL 2011
Mutações
Agente mutagénico – qualquer agente responsável por uma mutação
   (ex.: raio-X, gás mostarda, raios UV, radiações ionizantes, alguns
                      corantes e conservantes…)
Mutagénese – processo que conduz ao aparecimento de uma mutação


 Mutações somáticas: ocorrem nas células não sexuais, não
 pode ser transmitida à descendência, excepto nos seres que se
 reproduzem assexuadamente
 Mutações nas células da linha germinativa: ocorrem nas
 células que originam os gâmetas e por isso se o gâmeta for
 portador de uma mutação, na fecundação, transmitirá ao
 descendente
                                                                    3
                                 IL 2011
Mutações

Espontâneas :
mutações permanentes no genoma
sem    que    para   tal   tenha   havido
influência externa (exemplo – erro na
replicação do DNA ou na divisão
celular).


Induzidas :
provocadas por agentes mutagénicos.
(exemplo - acidente em Chernobyl)
                                               4
                                     IL 2011
Mutações

                • Afectam um único gene.
                • Um dos alelos sofre modificações (pequenas
   Génicas        alterações no número ou sequência de nucleótidos.
                • Silenciosas (sem alteração na sequência de
                  nucleótidos)




                • Podem alterar o sentido ou posição de um segmento
                  de DNA. (Inversão, translocação)
                • Podem implicar a adição ou perda de um segmento
Cromossómicas
                  de DNA. (Deleção, Duplicação)
                • Pode implicar alterações que afectam a adição ou
                  perda de um ou mais cromossomas



                                                                      5
                              IL 2011
Mutações Génicas

• Substituição
• Inserção
• Deleção




                           6
                 IL 2011
Mutações silenciosas

Codão codifica o mesmo aminoácido
(Devido à Redundância do código genético)




Codão codifica outro aminoácido que tem funções semelhantes ao
anterior
A substituição do aminoácido ocorre numa zona da proteína que não
é determinante para a sua função.
                                                                    7
                                  IL 2011
Mutações Génicas
Três    mutações      pontuais    modificam        moléculas   de
hemoglobina e são responsáveis por três doenças graves:
Anemia     falciforme    –   Substituição     de   um   aminoácido
hidrofílico por um hidrofóbico
Policitemia – Mutação sem sentido (tradução incompleta da
proteína) interrompe uma das proteínas da hemoglobina. Esta
mutação resulta no espessamento do sangue.
Talassemia – Mutação com sentido (tradução alongada da
protína pela retirada do sinal STOP) troca o codão TAA (sinal
STOP) pelo CAA. A proteína torna-se disfuncional.

                                                                     8
                                    IL 2011
Mutações Cromossómicas

Estruturais              Numéricas
                         (Afecta o cariótipo)

Duplicação       Trissomia (2n +1)
Deleção          Monossomia (2n – 1)
Inversão        Alterações nos pares
Translocação   cromossomas sexuais
               (síndromas: Klinefelter 47,XXY; Turner
               45,X0; Y0 – letal, XXX – sem efeitos)


                                                        9
               IL 2011
Mutações Cromossómicas




 Trissomia (3 cromossomas em vez de dois), no par 21
                                                       ???
                                                             10
                                IL 2011
Poliploidia
• Se as mutações afectarem os gâmetas ou o zigoto,
  por mitoses sucessivas formar-se-á um indivíduo com
  o dobro dos cromossomas do progenitor (em geral
  estéril).
• Raro nos animais, mas comum nas plantas (por terem
  capacidade de autofecundação).
• Frequente em plantas com grande valor na
  agricultura/alimentar e económico. Exemplos: trigo,
  milho, couve.




                                                                         11
                                      photo courtesy of Paul Williams.
                          IL 2011
12
IL 2011
Vantagens…
As mutações introduzem variabilidade na
informação genética.


Há   mutações     que            se   manifestaram
vantajosas (no meio em que surgiram),
conferindo   ao    seu            portador   maior
capacidade de sobrevivência.

                                                     13
                       IL 2011
Dúvidas ?


            14
IL 2011
Os prós e os contra da
    Biotecnologia


                     15
          IL 2011
16
IL 2011
Mutações e Oncogénese

As nossas células têm capacidade
para     reparar   alguns    dos    danos
provocados          pelos          agentes
mutagénicos.


No caso das mutações surgirem em
células somáticas, pode surgir um
cancro        (crescimento          celular
descontrolado).


                                              17
                                   IL 2011
Proto-oncogenes


Proto-oncogenes       ou       genes
promotores    de   crescimento            –
responsável    pelo       crescimento
celular, quando sofre mutação 
(ONCOGENE),        pode      provocar
crescimento celular descontrolado.



                                              18
                                IL 2011
Genes supressores



Quando os Genes Supressores
de tumores sofrem mutação 
deixam     de   prevenir         a
multiplicação   descontrolada
das células.




                                     19
                           IL 2011
Cancro
                  Cancro, tumor maligno ou neoplasia* maligna



 Envolve um conjunto de
 doenças heterogéneo e
 multifactorial                 que
 apresentam em comum
 o crescimento de um
 tecido neoformado.



*Neoplasia= neo (novo)+ plasia (proliferação,tecido)
                                                                20
                                                  IL 2011
Cancro

Cada     organismo      multicelular   resulta   do   equilibrio   entre    a
multiplicação celular e a morte celular programada (apoptose).
Apoptose: morte celular pré-programada geneticamente.
Necrose: morte celular devida à falta de nutrientes ou à acção de
substâncias tóxicas (com pequena inflamação).


Quando as células apresentam anomalias, genéticas (células malignas) ou
se tornaram desnecessárias (membranas interdigitais)  Mecanismos
genéticos de suicídio celular
                                   A célula isola-se das células vizinhas
                                   compactando o citoplasma e a
                                   cromatina – Endonuclease fragmenta
                                   O DNA sem resposta inflamatória.         21
                                       IL 2011
Cancro
Cancros esporádicos (95% dos casos), surgem de mutações somáticas.
Interacções entre o genoma e o ambiente

Cancros hereditários (5% dos casos), devido a alterações genéticas que
estão presentes em todas as células do indivíduos. Manifestam-se muito cedo.


Diariamente surgem células neoplásicas que são naturalmente eliminadas por
apoptose. Quando tal não sucede inicia-se um cancro

A evolução de um cancro é longa e quando se manifesta em termos clínicos
tem já vários anos. Um cancro da mama com 1 cm tem já 10 anos de
desenvolvimento.

                                                                           22
                                      IL 2011
Metastização




Células cancerosas invadem a corrente sanguínea ou linfática
                                                               23
                            IL 2011

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

(2) património genético
(2) património genético(2) património genético
(2) património genéticoHugo Martins
 
Biologia 11 sistemas de classificação
Biologia 11   sistemas de classificaçãoBiologia 11   sistemas de classificação
Biologia 11 sistemas de classificaçãoNuno Correia
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a geneticaUERGS
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicasKennet1
 
Biologia 11 reprodução sexuada
Biologia 11   reprodução sexuadaBiologia 11   reprodução sexuada
Biologia 11 reprodução sexuadaNuno Correia
 
Divisão celular mitose e meiose
Divisão celular  mitose e meioseDivisão celular  mitose e meiose
Divisão celular mitose e meioseCésar Milani
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasCatir
 
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedadeHugo Martins
 
Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)Bio
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução HumanaSérgio Luiz
 
Ppt Hereditariedade
Ppt   HereditariedadePpt   Hereditariedade
Ppt Hereditariedadestique
 
Património genético - resumo
Património genético - resumoPatrimónio genético - resumo
Património genético - resumoIsabel Lopes
 

Mais procurados (20)

(2) património genético
(2) património genético(2) património genético
(2) património genético
 
Biologia 11 sistemas de classificação
Biologia 11   sistemas de classificaçãoBiologia 11   sistemas de classificação
Biologia 11 sistemas de classificação
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
 
DNA
DNADNA
DNA
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicas
 
Biologia 11 reprodução sexuada
Biologia 11   reprodução sexuadaBiologia 11   reprodução sexuada
Biologia 11 reprodução sexuada
 
Divisão celular mitose e meiose
Divisão celular  mitose e meioseDivisão celular  mitose e meiose
Divisão celular mitose e meiose
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditárias
 
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
 
Doencas Genéticas
Doencas Genéticas Doencas Genéticas
Doencas Genéticas
 
Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Herança ligada ao sexo
Herança ligada ao sexoHerança ligada ao sexo
Herança ligada ao sexo
 
Ppt Hereditariedade
Ppt   HereditariedadePpt   Hereditariedade
Ppt Hereditariedade
 
Síntese proteica
Síntese proteicaSíntese proteica
Síntese proteica
 
Património genético - resumo
Património genético - resumoPatrimónio genético - resumo
Património genético - resumo
 

Destaque

Biologia 11 síntese proteica
Biologia 11   síntese proteicaBiologia 11   síntese proteica
Biologia 11 síntese proteicaNuno Correia
 
Exercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínasExercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínasIsabel Lopes
 
Ppt 9 AlteraçãO Do Material GenéTico
Ppt 9    AlteraçãO Do Material GenéTicoPpt 9    AlteraçãO Do Material GenéTico
Ppt 9 AlteraçãO Do Material GenéTicoNuno Correia
 
Aula 1 - parte 1 Mutação
Aula 1 - parte 1 MutaçãoAula 1 - parte 1 Mutação
Aula 1 - parte 1 Mutaçãoaivilsilveira
 
Mutações Cromossómicas
Mutações CromossómicasMutações Cromossómicas
Mutações CromossómicasCatir
 
Bio 12 alteração do material genético
Bio 12   alteração do material genéticoBio 12   alteração do material genético
Bio 12 alteração do material genéticoNuno Correia
 
Bg 17 diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Bg 17   diversidade de estratégias na reprodução sexuadaBg 17   diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Bg 17 diversidade de estratégias na reprodução sexuadaNuno Correia
 
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTicaPpt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTicaNuno Correia
 
Alteração do material genético
Alteração do material genéticoAlteração do material genético
Alteração do material genéticoNuno Correia
 
Ppt 16 Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO Sexuada
Ppt 16   Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO SexuadaPpt 16   Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO Sexuada
Ppt 16 Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO SexuadaNuno Correia
 
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Ppt 14    ReproduçãO Sexuada   MeiosePpt 14    ReproduçãO Sexuada   Meiose
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada MeioseNuno Correia
 
Biologia 11 diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Biologia 11   diversidade de estratégias na reprodução sexuadaBiologia 11   diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Biologia 11 diversidade de estratégias na reprodução sexuadaNuno Correia
 
Ppt 13 ReproduçãO Assexuada
Ppt 13    ReproduçãO AssexuadaPpt 13    ReproduçãO Assexuada
Ppt 13 ReproduçãO AssexuadaNuno Correia
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicasThiago Faria
 
Cromossomos e mutações genética
Cromossomos e mutações   genéticaCromossomos e mutações   genética
Cromossomos e mutações genéticaAline Mostaro
 
Bg 11 reprodução assexuada
Bg 11   reprodução assexuadaBg 11   reprodução assexuada
Bg 11 reprodução assexuadaNuno Correia
 
Reprodução sexuada meiose e fecundação
Reprodução sexuada   meiose e fecundaçãoReprodução sexuada   meiose e fecundação
Reprodução sexuada meiose e fecundaçãoIsabel Lopes
 
Biologia 11 reprodução assexuada
Biologia 11   reprodução assexuadaBiologia 11   reprodução assexuada
Biologia 11 reprodução assexuadaNuno Correia
 

Destaque (19)

Biologia 11 síntese proteica
Biologia 11   síntese proteicaBiologia 11   síntese proteica
Biologia 11 síntese proteica
 
Exercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínasExercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínas
 
Ppt 9 AlteraçãO Do Material GenéTico
Ppt 9    AlteraçãO Do Material GenéTicoPpt 9    AlteraçãO Do Material GenéTico
Ppt 9 AlteraçãO Do Material GenéTico
 
Aula 1 - parte 1 Mutação
Aula 1 - parte 1 MutaçãoAula 1 - parte 1 Mutação
Aula 1 - parte 1 Mutação
 
Mutações Cromossómicas
Mutações CromossómicasMutações Cromossómicas
Mutações Cromossómicas
 
Bio 12 alteração do material genético
Bio 12   alteração do material genéticoBio 12   alteração do material genético
Bio 12 alteração do material genético
 
Bg 17 diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Bg 17   diversidade de estratégias na reprodução sexuadaBg 17   diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Bg 17 diversidade de estratégias na reprodução sexuada
 
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTicaPpt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
 
Alteração do material genético
Alteração do material genéticoAlteração do material genético
Alteração do material genético
 
Ppt 16 Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO Sexuada
Ppt 16   Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO SexuadaPpt 16   Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO Sexuada
Ppt 16 Diversidade De EstratéGias Na ReproduçãO Sexuada
 
Doenças Cromossómicas
Doenças CromossómicasDoenças Cromossómicas
Doenças Cromossómicas
 
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Ppt 14    ReproduçãO Sexuada   MeiosePpt 14    ReproduçãO Sexuada   Meiose
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
 
Biologia 11 diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Biologia 11   diversidade de estratégias na reprodução sexuadaBiologia 11   diversidade de estratégias na reprodução sexuada
Biologia 11 diversidade de estratégias na reprodução sexuada
 
Ppt 13 ReproduçãO Assexuada
Ppt 13    ReproduçãO AssexuadaPpt 13    ReproduçãO Assexuada
Ppt 13 ReproduçãO Assexuada
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicas
 
Cromossomos e mutações genética
Cromossomos e mutações   genéticaCromossomos e mutações   genética
Cromossomos e mutações genética
 
Bg 11 reprodução assexuada
Bg 11   reprodução assexuadaBg 11   reprodução assexuada
Bg 11 reprodução assexuada
 
Reprodução sexuada meiose e fecundação
Reprodução sexuada   meiose e fecundaçãoReprodução sexuada   meiose e fecundação
Reprodução sexuada meiose e fecundação
 
Biologia 11 reprodução assexuada
Biologia 11   reprodução assexuadaBiologia 11   reprodução assexuada
Biologia 11 reprodução assexuada
 

Semelhante a Mutações genéticas e o desenvolvimento do cancro

Semelhante a Mutações genéticas e o desenvolvimento do cancro (20)

Alterações do material genético
Alterações do material genéticoAlterações do material genético
Alterações do material genético
 
Mutaçãos
MutaçãosMutaçãos
Mutaçãos
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações
 
Aula 06 mutação e reparo
Aula 06   mutação e reparoAula 06   mutação e reparo
Aula 06 mutação e reparo
 
As Bases genéticas do Câncer
As Bases genéticas do CâncerAs Bases genéticas do Câncer
As Bases genéticas do Câncer
 
BIOLOGIA - genética de populações
BIOLOGIA - genética de populações  BIOLOGIA - genética de populações
BIOLOGIA - genética de populações
 
Geneticaecancer
GeneticaecancerGeneticaecancer
Geneticaecancer
 
Mutações gênicas
Mutações gênicasMutações gênicas
Mutações gênicas
 
Mutações Gênicas
Mutações GênicasMutações Gênicas
Mutações Gênicas
 
Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º
 
CICLO CELULAR SENESCENCIA E CANCER.ppt
CICLO CELULAR SENESCENCIA E CANCER.pptCICLO CELULAR SENESCENCIA E CANCER.ppt
CICLO CELULAR SENESCENCIA E CANCER.ppt
 
Lesões genéticas no câncer.
Lesões genéticas no câncer.Lesões genéticas no câncer.
Lesões genéticas no câncer.
 
Os cromossomos e a reprodução cel
Os cromossomos e a reprodução celOs cromossomos e a reprodução cel
Os cromossomos e a reprodução cel
 
Aula 1 conceitos em biologia celular
Aula 1 conceitos em biologia celularAula 1 conceitos em biologia celular
Aula 1 conceitos em biologia celular
 
Especialidade de Hereditariedade - Clube de Desbravadores
Especialidade de Hereditariedade - Clube de DesbravadoresEspecialidade de Hereditariedade - Clube de Desbravadores
Especialidade de Hereditariedade - Clube de Desbravadores
 
Agentes mutagénicos
Agentes mutagénicosAgentes mutagénicos
Agentes mutagénicos
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações
 
Powerpoint mg
Powerpoint mgPowerpoint mg
Powerpoint mg
 
Teorias Biologicas Do Envelhecimento
Teorias Biologicas Do EnvelhecimentoTeorias Biologicas Do Envelhecimento
Teorias Biologicas Do Envelhecimento
 
Bases genéticas das doenças
Bases genéticas das doençasBases genéticas das doenças
Bases genéticas das doenças
 

Mais de Isabel Lopes

Relatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarelaRelatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarelaIsabel Lopes
 
Relatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógioRelatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógioIsabel Lopes
 
Relatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casaRelatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casaIsabel Lopes
 
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dadRelatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dadIsabel Lopes
 
Relatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpoRelatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpoIsabel Lopes
 
Relatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplayRelatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplayIsabel Lopes
 
Relatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & coRelatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & coIsabel Lopes
 
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguaisRelatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguaisIsabel Lopes
 
Relatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's babyRelatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's babyIsabel Lopes
 
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de géneroMapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de géneroIsabel Lopes
 
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...Isabel Lopes
 
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)Isabel Lopes
 
Peddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluationPeddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluationIsabel Lopes
 
Final product stories on children's rights
Final product   stories on children's rightsFinal product   stories on children's rights
Final product stories on children's rightsIsabel Lopes
 
Sistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - NervosoSistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - NervosoIsabel Lopes
 
métodos contracetivos
 métodos contracetivos métodos contracetivos
métodos contracetivosIsabel Lopes
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida Isabel Lopes
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução HumanaIsabel Lopes
 
Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)Isabel Lopes
 

Mais de Isabel Lopes (20)

Relatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarelaRelatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarela
 
Relatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógioRelatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógio
 
Relatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casaRelatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casa
 
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dadRelatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
 
Relatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpoRelatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpo
 
Relatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplayRelatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplay
 
Relatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & coRelatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & co
 
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguaisRelatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
 
Relatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's babyRelatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's baby
 
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de géneroMapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
 
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
 
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
 
Peddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluationPeddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluation
 
Final product stories on children's rights
Final product   stories on children's rightsFinal product   stories on children's rights
Final product stories on children's rights
 
sistema hormonal
sistema hormonalsistema hormonal
sistema hormonal
 
Sistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - NervosoSistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - Nervoso
 
métodos contracetivos
 métodos contracetivos métodos contracetivos
métodos contracetivos
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)
 

Último

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 

Último (20)

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 

Mutações genéticas e o desenvolvimento do cancro

  • 1. Alterações do Material Biologia e Geologia Isabel Lopes Genético - Mutações http://bg11esc.wordpress.com/
  • 2. Alterações do Material Genético Mutações: Alterações permanentes do genoma de um indivíduo (alterações herdáveis nos genes) Mutantes: Indivíduos portadores de mutações Organismo Humano • Grande parte das células divide-se de forma continua • Probabilidade de ocorrência de mutações é alta • Grande capacidade de reparar os erros • Mutações Génicas • Mutações Cromossómicas 2 IL 2011
  • 3. Mutações Agente mutagénico – qualquer agente responsável por uma mutação (ex.: raio-X, gás mostarda, raios UV, radiações ionizantes, alguns corantes e conservantes…) Mutagénese – processo que conduz ao aparecimento de uma mutação Mutações somáticas: ocorrem nas células não sexuais, não pode ser transmitida à descendência, excepto nos seres que se reproduzem assexuadamente Mutações nas células da linha germinativa: ocorrem nas células que originam os gâmetas e por isso se o gâmeta for portador de uma mutação, na fecundação, transmitirá ao descendente 3 IL 2011
  • 4. Mutações Espontâneas : mutações permanentes no genoma sem que para tal tenha havido influência externa (exemplo – erro na replicação do DNA ou na divisão celular). Induzidas : provocadas por agentes mutagénicos. (exemplo - acidente em Chernobyl) 4 IL 2011
  • 5. Mutações • Afectam um único gene. • Um dos alelos sofre modificações (pequenas Génicas alterações no número ou sequência de nucleótidos. • Silenciosas (sem alteração na sequência de nucleótidos) • Podem alterar o sentido ou posição de um segmento de DNA. (Inversão, translocação) • Podem implicar a adição ou perda de um segmento Cromossómicas de DNA. (Deleção, Duplicação) • Pode implicar alterações que afectam a adição ou perda de um ou mais cromossomas 5 IL 2011
  • 6. Mutações Génicas • Substituição • Inserção • Deleção 6 IL 2011
  • 7. Mutações silenciosas Codão codifica o mesmo aminoácido (Devido à Redundância do código genético) Codão codifica outro aminoácido que tem funções semelhantes ao anterior A substituição do aminoácido ocorre numa zona da proteína que não é determinante para a sua função. 7 IL 2011
  • 8. Mutações Génicas Três mutações pontuais modificam moléculas de hemoglobina e são responsáveis por três doenças graves: Anemia falciforme – Substituição de um aminoácido hidrofílico por um hidrofóbico Policitemia – Mutação sem sentido (tradução incompleta da proteína) interrompe uma das proteínas da hemoglobina. Esta mutação resulta no espessamento do sangue. Talassemia – Mutação com sentido (tradução alongada da protína pela retirada do sinal STOP) troca o codão TAA (sinal STOP) pelo CAA. A proteína torna-se disfuncional. 8 IL 2011
  • 9. Mutações Cromossómicas Estruturais Numéricas (Afecta o cariótipo) Duplicação Trissomia (2n +1) Deleção Monossomia (2n – 1) Inversão Alterações nos pares Translocação cromossomas sexuais (síndromas: Klinefelter 47,XXY; Turner 45,X0; Y0 – letal, XXX – sem efeitos) 9 IL 2011
  • 10. Mutações Cromossómicas Trissomia (3 cromossomas em vez de dois), no par 21 ??? 10 IL 2011
  • 11. Poliploidia • Se as mutações afectarem os gâmetas ou o zigoto, por mitoses sucessivas formar-se-á um indivíduo com o dobro dos cromossomas do progenitor (em geral estéril). • Raro nos animais, mas comum nas plantas (por terem capacidade de autofecundação). • Frequente em plantas com grande valor na agricultura/alimentar e económico. Exemplos: trigo, milho, couve. 11 photo courtesy of Paul Williams. IL 2011
  • 13. Vantagens… As mutações introduzem variabilidade na informação genética. Há mutações que se manifestaram vantajosas (no meio em que surgiram), conferindo ao seu portador maior capacidade de sobrevivência. 13 IL 2011
  • 14. Dúvidas ? 14 IL 2011
  • 15. Os prós e os contra da Biotecnologia 15 IL 2011
  • 17. Mutações e Oncogénese As nossas células têm capacidade para reparar alguns dos danos provocados pelos agentes mutagénicos. No caso das mutações surgirem em células somáticas, pode surgir um cancro (crescimento celular descontrolado). 17 IL 2011
  • 18. Proto-oncogenes Proto-oncogenes ou genes promotores de crescimento – responsável pelo crescimento celular, quando sofre mutação  (ONCOGENE), pode provocar crescimento celular descontrolado. 18 IL 2011
  • 19. Genes supressores Quando os Genes Supressores de tumores sofrem mutação  deixam de prevenir a multiplicação descontrolada das células. 19 IL 2011
  • 20. Cancro Cancro, tumor maligno ou neoplasia* maligna Envolve um conjunto de doenças heterogéneo e multifactorial que apresentam em comum o crescimento de um tecido neoformado. *Neoplasia= neo (novo)+ plasia (proliferação,tecido) 20 IL 2011
  • 21. Cancro Cada organismo multicelular resulta do equilibrio entre a multiplicação celular e a morte celular programada (apoptose). Apoptose: morte celular pré-programada geneticamente. Necrose: morte celular devida à falta de nutrientes ou à acção de substâncias tóxicas (com pequena inflamação). Quando as células apresentam anomalias, genéticas (células malignas) ou se tornaram desnecessárias (membranas interdigitais)  Mecanismos genéticos de suicídio celular A célula isola-se das células vizinhas compactando o citoplasma e a cromatina – Endonuclease fragmenta O DNA sem resposta inflamatória. 21 IL 2011
  • 22. Cancro Cancros esporádicos (95% dos casos), surgem de mutações somáticas. Interacções entre o genoma e o ambiente Cancros hereditários (5% dos casos), devido a alterações genéticas que estão presentes em todas as células do indivíduos. Manifestam-se muito cedo. Diariamente surgem células neoplásicas que são naturalmente eliminadas por apoptose. Quando tal não sucede inicia-se um cancro A evolução de um cancro é longa e quando se manifesta em termos clínicos tem já vários anos. Um cancro da mama com 1 cm tem já 10 anos de desenvolvimento. 22 IL 2011
  • 23. Metastização Células cancerosas invadem a corrente sanguínea ou linfática 23 IL 2011