SlideShare uma empresa Scribd logo
Recursos energéticos
Recursos do subsolo
Recursos energéticos
Escassez de recursos…
O subsolo português é pobre em recursos energéticos.
…pela fraca competitividade
devido à descida do seu
preço no mercado mundial,
no início desta década.
As reservas de
carvão conhecidas
estão esgotadas…
…e as de urânio
deixaram de ser
exploradas…
não se conhecem
reservas de
petróleo ou gás
natural
 Têm sido feitos vários estudos sobre a presença de petróleo e de gás
natural, em Portugal, tendo-se detetado indícios positivos em algumas
áreas do litoral, nas bacias Lusitânia, do Alentejo e do Algarve.
Recursos energéticos
Recursos energéticos
Fig.Áreasconcessionadasàprospeçãoeexploração
depetróleo,emPortugal(2013).
 Desde 2006, estão
em curso novas
prospeções, com vista à
exploração de petróleo,
contudo, são processos
muito longos para que
se possa perspetivar a
sua exploração nos
anos mais próximos.
Recursos energéticos
 No subsolo português as disponibilidades conhecidas de
recursos energéticos são escassas.
Por outro lado, as fontes de energia mais utilizadas são os
combustíveis fósseis…
Recursos importados…
petróleo
gás natural
carvão
O nosso país
tem de os
importar…
…o que leva a uma
elevada dependência
energética do
exterior.
Recursos energéticos
Fig. Evolução da estrutura do consumo de energia primária, em Portugal (2000-2010).
Recursos energéticos
PETRÓLEO
Continua a ser a fonte de energia
primária (obtida pela utilização direta
das fontes energéticas) mais
consumida;
Destaca-se no conjunto das
importações de produtos energéticos.
Angola é o nosso principal fornecedor.
Recursos importados…
Fig. Origens do petróleo, importado
por Portugal em 2011.
DGEG,2012
Recursos energéticos
GÁS NATURAL
Recursos importados…
Redução da dependência externa em
relação ao petróleo;
Diversificação das fontes de energia
utilizadas e países fornecedores.
Importações: inicialmente
jazidas argelinas (gasoduto Magrebe-
Europa).
Importações: atualmente
reservas mais longínquas – Nigéria.
Possíveis graças à construção do
terminal de gás liquefeito, no porto de
Sines.
Fig. Origens do gás natural,
importado por Portugal em 2011.
Recursos energéticos
Recursos importados…
CARVÃO
Tendência de utilização tem
vindo a diminuir…
…devido ao seu impacte
ambiental.
É importado, sobretudo, da
Colômbia.
Fig. Origens do carvão, importado
por Portugal em 2011.
DGEG,2012
Recursos energéticos
 Os recursos de que Portugal dispõe para a produção de energia são os
renováveis, cuja utilização tem vindo progressivamente a aumentar.
Fig. Evolução da produção de energia elétrica em Portugal a partir
de fontes renováveis, segundo as várias fontes (1995-2010).
Em 2010,
representavam já 54,7%
das fontes usadas para
a produção de
eletricidade, no nosso
país.
… e nacionais.
 No contexto da União Europeia…
• Portugal situa-se entre os países com maior importância da energia
elétrica produzida a partir de fontes renováveis no total da
eletricidade consumida…
• …tendo passado da sétima posição em 1999 para o quinto lugar
em 2009.
Recursos energéticos
CentralHidroelétricadoPocinho
Recursos energéticos
Fig. Importância da energia elétrica produzida a partir de fontes renováveis no total da
eletricidade consumida nos países da União Europeia em 1999 e em 2009.
Recursos energéticos
 A energia hídrica é, tradicionalmente, a
fonte de energia renovável mais utilizada para
a produção de eletricidade em Portugal.
Fig. Localização das centrais de produção
de energia elétrica, em Portugal (2012).
O papel das fontes renováveis
Barragem de Castelo de Bode
Recursos energéticos
Centrais Hidroelétricas
A maioria localiza-se a norte do
rio Tejo…
…onde é maior a
abundância água;
Fig. Localização das centrais de produção
de energia elétrica, em Portugal (2012).
…e o relevo e a rede
hidrográfica proporcionam
melhores condições para a
construção de barragens.
Recursos energéticos
 A irregularidade na distribuição anual da precipitação condiciona as
disponibilidades hídricas e leva a que, em anos de seca, o nosso país fique mais
dependente da importação de outras fontes de energia, como ocorreu em 2005.
Barragem do Alqueva Alentejo (no verão)
Fig. Localização das centrais de produção
de energia elétrica, em Portugal (2012).
Centrais Termoelétricas
Recursos energéticos
A generalidade localiza-se no
litoral…
…onde o abastecimento
das fontes de energia fóssil
se torna mais fácil…
…uma vez que o transporte
se faz, essencialmente, por
via marítima.
Recursos energéticos
 A energia eólica é, atualmente, a segunda fonte de energia na produção
nacional de eletricidade.
 Para que se tornem viáveis, os parques eólicos localizam-se nas áreas
mais ventosas, que correspondem às zonas costeiras e montanhosas.
Energia eólica…
Recursos energéticos
Fig.Localizaçãodosparqueseólicosecapacidade
geradoradeeletricidade,emPortugal(2010).
 Em Portugal Continental, a instalação de
parques eólicos no interior, menos povoado,
permite uma melhor maximização deste
recurso do que no litoral.
• O distrito de Viseu é a região do país
com maior capacidade instalada para
gerar eletricidade a partir da energia
eólica.
Recursos energéticos
 A intermitência do vento constitui a maior desvantagem desta fonte de
energia, implicando a necessidade de utilizar outras fontes para compensar
os momentos em que este recurso é reduzido.
Recursos energéticos
Fig. Evolução da produção de eletricidade a partir de energia eólica, em Portugal (2000-2010).
 A participação da energia eólica na produção de energia elétrica tem
aumentado de forma significativa, de 0,4% em 2000 para 17% em 2010…
Recursos energéticos
Fig. Países da UE com maior percentagem de
energia eólica na produção de eletricidade (2010).
…o que posicionou Portugal
no segundo lugar entre os
países maiores produtores de
eletricidade a partir de energia
eólica, na União Europeia.
Recursos energéticos
 A energia da biomassa tem sido utilizada
essencialmente:
• para a produção de energia calorífica;
• no consumo doméstico;
• e para a produção de eletricidade.
Energia da biomassa…
 A sua principal fonte tem sido a florestal,
embora estejam em curso projetos para a
produção de biocombustíveis.
Plantação de cana-de-açúcar
Central de biocombustível
Recursos energéticos
Fig. Evolução da produção de eletricidade a
partir da biomassa, em Portugal.
 Nos últimos anos verificou-se
um forte investimento neste
setor, com reflexos no aumento
do número de centrais e da
eletricidade produzida a partir
desta fonte de energia.
Central de produção de biogás
Recursos energéticos
 As centrais de biomassa localizam-se no
centro do país, em áreas de floresta,
condição essencial para garantir a sua
sustentabilidade.
• Destaca-se a central de Mortágua, com
uma potência instalada de 9 MW.
Fonte:CiênciaViva,AgênciaNacionalparaaCulturaCientíficae
Tecnológica
Central de Biomassa de Mortágua
Recursos energéticos
 A energia geotérmica é…
• um recurso energético proveniente do subsolo de que dispomos;
• e pode ser aproveitada como energia térmica (para aquecimento) e para
obter eletricidade.
Energia geotérmica…
Furnas–SãoMiguel,Açores
Recursos energéticos
 Nos Açores, a existência de
atividade vulcânica torna possível a
exploração da energia geotérmica
na ilha de São Miguel para esse
fim, a qual correspondeu, em 2011,
a cerca de 1/4 da energia elétrica
produzida neste arquipélago.
Fig. Evolução da produção de eletricidade,
segundo as fontes de energia, nos Açores
(1990-2011).Furnas – São Miguel
Recursos energéticos
 Em 2007, a energia geotérmica sofreu um incremento significativo com a
abertura da nova central do Pico Vermelho. Continuam em curso os
estudos de viabilidade de exploração desta energia na ilha Terceira.
Central Geotérmica Piloto do Pico Vermelho (10MW)- 2007
Fonte:DireçãoRegionaldoAmbiente–Governo
dosAçores
Recursos energéticos
 Nas últimas décadas, registou-se um crescimento significativo do consumo
de energia em Portugal, que se deve:
• ao crescimento dos transportes, sobretudo no que se refere ao tráfego de
mercadorias;
• à expansão da indústria e dos serviços, que utilizam muito equipamento
tecnológico e instalações climatizadas;
• à melhoria da qualidade de vida da população.
Consumo de energia…
Recursos energéticos
Fig. Evolução do consumo de energia no setor doméstico, em Portugal (1989-2010).
Recursos energéticos
 Apesar do aumento verificado nas últimas décadas, a recessão económica
refletiu-se na diminuição do consumo de energia final – a que é disponibilizada
aos utilizadores finais – nos anos mais recentes, tendência que se observa
principalmente a partir de 2006.
Fig. Evolução do consumo de energia final por setores, em Portugal (1990-2010).
Recursos energéticos
 O setor dos transportes é o que mais energia consome…
… mas o dos serviços foi o que registou um maior aumento do consumo,
o que está associado ao desenvolvimento deste setor nas últimas décadas.
Fig.Evoluçãodoconsumodeenergiafinal
porsetores,emPortugal(1990-2010).
Recursos energéticos
Fig. Distribuição do consumo de
gasolina IO 95, por NUTS III (2009).
Fig. Consumo de energia elétrica,
por NUTS III (2010).
 A repartição espacial
do consumo de energia:
como no que se
refere às
desigualdades de
desenvolvimento.
reflete as assimetrias
regionais que caracterizam
o território nacional
tanto no que
respeita à
distribuição
demográfica
Recursos energéticos
 As redes de distribuição dos diversos tipos de energia ao consumidor
final cobrem a totalidade do território, exceto a de gás natural que ainda não
chega às Regiões Autónomas e a vários concelhos do Continente.
Recursos energéticos
Fim da apresentação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
As novas oportunidades para as áreas rurais
As novas oportunidades para as áreas ruraisAs novas oportunidades para as áreas rurais
As novas oportunidades para as áreas rurais
Ilda Bicacro
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
Ilda Bicacro
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
Ilda Bicacro
 
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Ilda Bicacro
 
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoAs regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
Sara Guerra
 
Agricultura: fatores condicionantes
Agricultura: fatores condicionantesAgricultura: fatores condicionantes
Agricultura: fatores condicionantes
Idalina Leite
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
Raffaella Ergün
 
Problemas na exploração dos recursos
Problemas na exploração dos recursosProblemas na exploração dos recursos
Problemas na exploração dos recursos
manjosp
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Ilda Bicacro
 
Conceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºseConceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºse
mariajosantos
 
A rede hidrográfica
A rede hidrográficaA rede hidrográfica
A rede hidrográfica
Rosária Zamith
 
Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária
Miguel Sargento
 
Potencialidades do litoral
Potencialidades do litoralPotencialidades do litoral
Potencialidades do litoral
Ilda Bicacro
 
A gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimoA gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimo
Oxana Marian
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
Gonçalo Paiva
 
Resumos Globais 10º
Resumos Globais 10ºResumos Globais 10º
Resumos Globais 10º
Gonçalo Paiva
 
Resumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - GeografiaResumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - Geografia
Ana Delgado
 
Recursos minerais
Recursos mineraisRecursos minerais
Recursos minerais
Raquel De Almeida
 
Geografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º AnoGeografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º Ano
Hneves
 

Mais procurados (20)

Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
As novas oportunidades para as áreas rurais
As novas oportunidades para as áreas ruraisAs novas oportunidades para as áreas rurais
As novas oportunidades para as áreas rurais
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
 
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
 
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoAs regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
 
Agricultura: fatores condicionantes
Agricultura: fatores condicionantesAgricultura: fatores condicionantes
Agricultura: fatores condicionantes
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
 
Problemas na exploração dos recursos
Problemas na exploração dos recursosProblemas na exploração dos recursos
Problemas na exploração dos recursos
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
Conceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºseConceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºse
 
A rede hidrográfica
A rede hidrográficaA rede hidrográfica
A rede hidrográfica
 
Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária
 
Potencialidades do litoral
Potencialidades do litoralPotencialidades do litoral
Potencialidades do litoral
 
A gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimoA gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimo
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
 
Resumos Globais 10º
Resumos Globais 10ºResumos Globais 10º
Resumos Globais 10º
 
Resumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - GeografiaResumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - Geografia
 
Recursos minerais
Recursos mineraisRecursos minerais
Recursos minerais
 
Geografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º AnoGeografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º Ano
 

Destaque

Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)
Ilda Bicacro
 
Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)
Ilda Bicacro
 
Variabilidade da radiação solar(3)
Variabilidade da radiação solar(3)Variabilidade da radiação solar(3)
Variabilidade da radiação solar(3)
Ilda Bicacro
 
Território português
Território portuguêsTerritório português
Território português
Ilda Bicacro
 
Vaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperaturaVaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperatura
Ilda Bicacro
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoPrincipais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Ilda Bicacro
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
Ilda Bicacro
 
As estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficosAs estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficos
Ilda Bicacro
 
10 atual populacao
10 atual populacao10 atual populacao
10 atual populacao
Ilda Bicacro
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
Ilda Bicacro
 
2 recursos do-subsolo-aguaspptx
2 recursos do-subsolo-aguaspptx2 recursos do-subsolo-aguaspptx
2 recursos do-subsolo-aguaspptx
Ilda Bicacro
 
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsoloOs problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo
Ilda Bicacro
 
Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)
Ilda Bicacro
 
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).pptAs estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
Ilda Bicacro
 
Inserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaçosInserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaços
Ilda Bicacro
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Ilda Bicacro
 
A reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbanaA reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbana
Ilda Bicacro
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Np votacao 2017
Np votacao 2017Np votacao 2017
Np votacao 2017
Ilda Bicacro
 
10º gestão curr 3_recur_subsolo
10º gestão curr 3_recur_subsolo10º gestão curr 3_recur_subsolo
10º gestão curr 3_recur_subsolo
Ilda Bicacro
 

Destaque (20)

Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)
 
Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)
 
Variabilidade da radiação solar(3)
Variabilidade da radiação solar(3)Variabilidade da radiação solar(3)
Variabilidade da radiação solar(3)
 
Território português
Território portuguêsTerritório português
Território português
 
Vaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperaturaVaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperatura
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoPrincipais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
As estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficosAs estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficos
 
10 atual populacao
10 atual populacao10 atual populacao
10 atual populacao
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
2 recursos do-subsolo-aguaspptx
2 recursos do-subsolo-aguaspptx2 recursos do-subsolo-aguaspptx
2 recursos do-subsolo-aguaspptx
 
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsoloOs problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo
 
Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)
 
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).pptAs estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
 
Inserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaçosInserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaços
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
 
A reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbanaA reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbana
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
 
Np votacao 2017
Np votacao 2017Np votacao 2017
Np votacao 2017
 
10º gestão curr 3_recur_subsolo
10º gestão curr 3_recur_subsolo10º gestão curr 3_recur_subsolo
10º gestão curr 3_recur_subsolo
 

Semelhante a Recursos energéticos

Energy in our life - Presentation - Brno Meeting
Energy in our life - Presentation - Brno MeetingEnergy in our life - Presentation - Brno Meeting
Energy in our life - Presentation - Brno Meeting
energycomenius
 
Energy in our life (portuguese version)
Energy in our life (portuguese version)Energy in our life (portuguese version)
Energy in our life (portuguese version)
energycomenius
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
Catarina Castro
 
Recursos energéticos.ppt com materia para exame nacional
Recursos energéticos.ppt com materia para exame nacionalRecursos energéticos.ppt com materia para exame nacional
Recursos energéticos.ppt com materia para exame nacional
Cecília Gomes
 
ae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsolo
ae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsoloae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsolo
ae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsolo
Francisco636144
 
Pordata
PordataPordata
Pordata
becresforte
 
Energia uniao europeia
Energia   uniao europeiaEnergia   uniao europeia
Energia uniao europeia
André Ribeiro
 
Política Energética em Portugal
Política Energética em PortugalPolítica Energética em Portugal
Política Energética em Portugal
anasanchagomes
 
energia.pdf
energia.pdfenergia.pdf
Energias Renováveis em Portugal
Energias Renováveis em PortugalEnergias Renováveis em Portugal
Energias Renováveis em Portugal
Pedro Peixoto
 
FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"
FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"
FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"
Associação Nacional de Jovens Empresários
 
Recursos do Subsolo
Recursos do SubsoloRecursos do Subsolo
Recursos do Subsolo
ana pinho
 
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
Ministério da Educação
 
Energias ..
Energias ..Energias ..
Energias ..
mariajosantos
 
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
jotaboxexas
 
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Adelino Ramos
 
Energias renováveis
Energias renováveisEnergias renováveis
Energias renováveis
Cristian Willian Marcon
 
Fontes de energia1111
Fontes de energia1111Fontes de energia1111
Fontes de energia1111
Allison Gomes Gomes
 
Trabalho_QIO_2006_He2.pdf
Trabalho_QIO_2006_He2.pdfTrabalho_QIO_2006_He2.pdf
Trabalho_QIO_2006_He2.pdf
He2
 
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003Revista APS N.º 34 – Outubro 2003

Semelhante a Recursos energéticos (20)

Energy in our life - Presentation - Brno Meeting
Energy in our life - Presentation - Brno MeetingEnergy in our life - Presentation - Brno Meeting
Energy in our life - Presentation - Brno Meeting
 
Energy in our life (portuguese version)
Energy in our life (portuguese version)Energy in our life (portuguese version)
Energy in our life (portuguese version)
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
Recursos energéticos.ppt com materia para exame nacional
Recursos energéticos.ppt com materia para exame nacionalRecursos energéticos.ppt com materia para exame nacional
Recursos energéticos.ppt com materia para exame nacional
 
ae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsolo
ae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsoloae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsolo
ae_geo_pt_ppt14.pptx geografia 10 ano recursos energeticos no subsolo
 
Pordata
PordataPordata
Pordata
 
Energia uniao europeia
Energia   uniao europeiaEnergia   uniao europeia
Energia uniao europeia
 
Política Energética em Portugal
Política Energética em PortugalPolítica Energética em Portugal
Política Energética em Portugal
 
energia.pdf
energia.pdfenergia.pdf
energia.pdf
 
Energias Renováveis em Portugal
Energias Renováveis em PortugalEnergias Renováveis em Portugal
Energias Renováveis em Portugal
 
FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"
FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"
FORUM PORTUGAL ENERGY POWER: "O Contributo da Electricidade Renovável"
 
Recursos do Subsolo
Recursos do SubsoloRecursos do Subsolo
Recursos do Subsolo
 
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
 
Energias ..
Energias ..Energias ..
Energias ..
 
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
 
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
 
Energias renováveis
Energias renováveisEnergias renováveis
Energias renováveis
 
Fontes de energia1111
Fontes de energia1111Fontes de energia1111
Fontes de energia1111
 
Trabalho_QIO_2006_He2.pdf
Trabalho_QIO_2006_He2.pdfTrabalho_QIO_2006_He2.pdf
Trabalho_QIO_2006_He2.pdf
 
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003Revista APS N.º 34 – Outubro 2003
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003
 

Mais de Ilda Bicacro

ArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte Urbana
ArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte UrbanaArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte Urbana
ArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte Urbana
Ilda Bicacro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Ilda Bicacro
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Ilda Bicacro
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
Ilda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
Ilda Bicacro
 
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptxProjeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Ilda Bicacro
 
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Ilda Bicacro
 
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptxESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
Ilda Bicacro
 
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! SertãConstrução (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Ilda Bicacro
 
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfunicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
Ilda Bicacro
 
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfA nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
Ilda Bicacro
 
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
Ilda Bicacro
 
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxEB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
Ilda Bicacro
 
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfProjeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Ilda Bicacro
 
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxInterculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Ilda Bicacro
 

Mais de Ilda Bicacro (20)

ArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte Urbana
ArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte UrbanaArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte Urbana
ArtSerta - Nós Propomos! 2021-22- Arte Urbana
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptxProjeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
 
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
 
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
 
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
 
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptxESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
 
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! SertãConstrução (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
 
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfunicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
 
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfA nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
 
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
 
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxEB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
 
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfProjeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
 
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxInterculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
 

Último

Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 

Último (20)

Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 

Recursos energéticos

  • 2. Recursos energéticos Escassez de recursos… O subsolo português é pobre em recursos energéticos. …pela fraca competitividade devido à descida do seu preço no mercado mundial, no início desta década. As reservas de carvão conhecidas estão esgotadas… …e as de urânio deixaram de ser exploradas… não se conhecem reservas de petróleo ou gás natural
  • 3.  Têm sido feitos vários estudos sobre a presença de petróleo e de gás natural, em Portugal, tendo-se detetado indícios positivos em algumas áreas do litoral, nas bacias Lusitânia, do Alentejo e do Algarve. Recursos energéticos
  • 4. Recursos energéticos Fig.Áreasconcessionadasàprospeçãoeexploração depetróleo,emPortugal(2013).  Desde 2006, estão em curso novas prospeções, com vista à exploração de petróleo, contudo, são processos muito longos para que se possa perspetivar a sua exploração nos anos mais próximos.
  • 5. Recursos energéticos  No subsolo português as disponibilidades conhecidas de recursos energéticos são escassas. Por outro lado, as fontes de energia mais utilizadas são os combustíveis fósseis… Recursos importados… petróleo gás natural carvão O nosso país tem de os importar… …o que leva a uma elevada dependência energética do exterior.
  • 6. Recursos energéticos Fig. Evolução da estrutura do consumo de energia primária, em Portugal (2000-2010).
  • 7. Recursos energéticos PETRÓLEO Continua a ser a fonte de energia primária (obtida pela utilização direta das fontes energéticas) mais consumida; Destaca-se no conjunto das importações de produtos energéticos. Angola é o nosso principal fornecedor. Recursos importados… Fig. Origens do petróleo, importado por Portugal em 2011. DGEG,2012
  • 8. Recursos energéticos GÁS NATURAL Recursos importados… Redução da dependência externa em relação ao petróleo; Diversificação das fontes de energia utilizadas e países fornecedores. Importações: inicialmente jazidas argelinas (gasoduto Magrebe- Europa). Importações: atualmente reservas mais longínquas – Nigéria. Possíveis graças à construção do terminal de gás liquefeito, no porto de Sines. Fig. Origens do gás natural, importado por Portugal em 2011.
  • 9. Recursos energéticos Recursos importados… CARVÃO Tendência de utilização tem vindo a diminuir… …devido ao seu impacte ambiental. É importado, sobretudo, da Colômbia. Fig. Origens do carvão, importado por Portugal em 2011. DGEG,2012
  • 10. Recursos energéticos  Os recursos de que Portugal dispõe para a produção de energia são os renováveis, cuja utilização tem vindo progressivamente a aumentar. Fig. Evolução da produção de energia elétrica em Portugal a partir de fontes renováveis, segundo as várias fontes (1995-2010). Em 2010, representavam já 54,7% das fontes usadas para a produção de eletricidade, no nosso país. … e nacionais.
  • 11.  No contexto da União Europeia… • Portugal situa-se entre os países com maior importância da energia elétrica produzida a partir de fontes renováveis no total da eletricidade consumida… • …tendo passado da sétima posição em 1999 para o quinto lugar em 2009. Recursos energéticos CentralHidroelétricadoPocinho
  • 12. Recursos energéticos Fig. Importância da energia elétrica produzida a partir de fontes renováveis no total da eletricidade consumida nos países da União Europeia em 1999 e em 2009.
  • 13. Recursos energéticos  A energia hídrica é, tradicionalmente, a fonte de energia renovável mais utilizada para a produção de eletricidade em Portugal. Fig. Localização das centrais de produção de energia elétrica, em Portugal (2012). O papel das fontes renováveis Barragem de Castelo de Bode
  • 14. Recursos energéticos Centrais Hidroelétricas A maioria localiza-se a norte do rio Tejo… …onde é maior a abundância água; Fig. Localização das centrais de produção de energia elétrica, em Portugal (2012). …e o relevo e a rede hidrográfica proporcionam melhores condições para a construção de barragens.
  • 15. Recursos energéticos  A irregularidade na distribuição anual da precipitação condiciona as disponibilidades hídricas e leva a que, em anos de seca, o nosso país fique mais dependente da importação de outras fontes de energia, como ocorreu em 2005. Barragem do Alqueva Alentejo (no verão)
  • 16. Fig. Localização das centrais de produção de energia elétrica, em Portugal (2012). Centrais Termoelétricas Recursos energéticos A generalidade localiza-se no litoral… …onde o abastecimento das fontes de energia fóssil se torna mais fácil… …uma vez que o transporte se faz, essencialmente, por via marítima.
  • 17. Recursos energéticos  A energia eólica é, atualmente, a segunda fonte de energia na produção nacional de eletricidade.  Para que se tornem viáveis, os parques eólicos localizam-se nas áreas mais ventosas, que correspondem às zonas costeiras e montanhosas. Energia eólica…
  • 18. Recursos energéticos Fig.Localizaçãodosparqueseólicosecapacidade geradoradeeletricidade,emPortugal(2010).  Em Portugal Continental, a instalação de parques eólicos no interior, menos povoado, permite uma melhor maximização deste recurso do que no litoral. • O distrito de Viseu é a região do país com maior capacidade instalada para gerar eletricidade a partir da energia eólica.
  • 19. Recursos energéticos  A intermitência do vento constitui a maior desvantagem desta fonte de energia, implicando a necessidade de utilizar outras fontes para compensar os momentos em que este recurso é reduzido.
  • 20. Recursos energéticos Fig. Evolução da produção de eletricidade a partir de energia eólica, em Portugal (2000-2010).  A participação da energia eólica na produção de energia elétrica tem aumentado de forma significativa, de 0,4% em 2000 para 17% em 2010…
  • 21. Recursos energéticos Fig. Países da UE com maior percentagem de energia eólica na produção de eletricidade (2010). …o que posicionou Portugal no segundo lugar entre os países maiores produtores de eletricidade a partir de energia eólica, na União Europeia.
  • 22. Recursos energéticos  A energia da biomassa tem sido utilizada essencialmente: • para a produção de energia calorífica; • no consumo doméstico; • e para a produção de eletricidade. Energia da biomassa…  A sua principal fonte tem sido a florestal, embora estejam em curso projetos para a produção de biocombustíveis. Plantação de cana-de-açúcar Central de biocombustível
  • 23. Recursos energéticos Fig. Evolução da produção de eletricidade a partir da biomassa, em Portugal.  Nos últimos anos verificou-se um forte investimento neste setor, com reflexos no aumento do número de centrais e da eletricidade produzida a partir desta fonte de energia. Central de produção de biogás
  • 24. Recursos energéticos  As centrais de biomassa localizam-se no centro do país, em áreas de floresta, condição essencial para garantir a sua sustentabilidade. • Destaca-se a central de Mortágua, com uma potência instalada de 9 MW. Fonte:CiênciaViva,AgênciaNacionalparaaCulturaCientíficae Tecnológica Central de Biomassa de Mortágua
  • 25. Recursos energéticos  A energia geotérmica é… • um recurso energético proveniente do subsolo de que dispomos; • e pode ser aproveitada como energia térmica (para aquecimento) e para obter eletricidade. Energia geotérmica… Furnas–SãoMiguel,Açores
  • 26. Recursos energéticos  Nos Açores, a existência de atividade vulcânica torna possível a exploração da energia geotérmica na ilha de São Miguel para esse fim, a qual correspondeu, em 2011, a cerca de 1/4 da energia elétrica produzida neste arquipélago. Fig. Evolução da produção de eletricidade, segundo as fontes de energia, nos Açores (1990-2011).Furnas – São Miguel
  • 27. Recursos energéticos  Em 2007, a energia geotérmica sofreu um incremento significativo com a abertura da nova central do Pico Vermelho. Continuam em curso os estudos de viabilidade de exploração desta energia na ilha Terceira. Central Geotérmica Piloto do Pico Vermelho (10MW)- 2007 Fonte:DireçãoRegionaldoAmbiente–Governo dosAçores
  • 28. Recursos energéticos  Nas últimas décadas, registou-se um crescimento significativo do consumo de energia em Portugal, que se deve: • ao crescimento dos transportes, sobretudo no que se refere ao tráfego de mercadorias; • à expansão da indústria e dos serviços, que utilizam muito equipamento tecnológico e instalações climatizadas; • à melhoria da qualidade de vida da população. Consumo de energia…
  • 29. Recursos energéticos Fig. Evolução do consumo de energia no setor doméstico, em Portugal (1989-2010).
  • 30. Recursos energéticos  Apesar do aumento verificado nas últimas décadas, a recessão económica refletiu-se na diminuição do consumo de energia final – a que é disponibilizada aos utilizadores finais – nos anos mais recentes, tendência que se observa principalmente a partir de 2006. Fig. Evolução do consumo de energia final por setores, em Portugal (1990-2010).
  • 31. Recursos energéticos  O setor dos transportes é o que mais energia consome… … mas o dos serviços foi o que registou um maior aumento do consumo, o que está associado ao desenvolvimento deste setor nas últimas décadas. Fig.Evoluçãodoconsumodeenergiafinal porsetores,emPortugal(1990-2010).
  • 32. Recursos energéticos Fig. Distribuição do consumo de gasolina IO 95, por NUTS III (2009). Fig. Consumo de energia elétrica, por NUTS III (2010).  A repartição espacial do consumo de energia: como no que se refere às desigualdades de desenvolvimento. reflete as assimetrias regionais que caracterizam o território nacional tanto no que respeita à distribuição demográfica
  • 33. Recursos energéticos  As redes de distribuição dos diversos tipos de energia ao consumidor final cobrem a totalidade do território, exceto a de gás natural que ainda não chega às Regiões Autónomas e a vários concelhos do Continente.