SlideShare uma empresa Scribd logo
Variabilidade da radiação solar
A radiação solar
Variabilidade da radiação solar
• de um modo geral, no território
continental, diminui de sul para norte e
aumenta de oeste para este.
A radiação solar…
• fonte de toda a vida na
Terra;
• intensidade varia ao longo do ano
e diminui com o aumento da latitude;
• emissão de energia pelo Sol, sob a
forma de ondas eletromagnéticas.
cerca de metade desta
energia atinge diretamente
a superfície terrestre;
Radiação
Direta
 restante energia perde-se
nos processos atmosféricos
de absorção, reflexão e
difusão.
• só uma ínfima parte atinge o limite
exterior da atmosfera.
Fig. Balanço energético – existe um equilíbrio térmico entre a energia solar recebida,
direta e indiretamente, pela superfície terrestre (radiação global) e a energia que ela emite
(radiação terrestre).
AdaptadodePhysicalGeography,A.StrahlereA.Strahler,1996.
Radiação
solar total
100%
Reflexão
e difusão
pela atmosfera
6%
Reflexão
pelo topo
das nuvens
21%
Reflexão
pela superfície
da Terra
4%
Reflexão total
ou albedo
médio
31%
Radiação solar
absorvida
pela Terra
48%
Absorção
pela atmosfera
21%
Condução
pelo ar
14%
Calor latente
no vapor
de água
45%
Radiação
terrestre
absorvida pela
atmosfera
30%
Radiação
terrestre
enviada para
o espaço
11%
Variabilidade da radiação solar
Fig. Inclinação do eixo terrestre em
relação ao plano da sua órbita.
Variabilidade...
dão origem a uma
importante variação do
aquecimento da
superfície terrestre.
Apesar do equilíbrio energético global, há diferenças ao nível das regiões
Variabilidade da radiação solar
• a forma quase esférica da Terra
• e a inclinação do seu eixo face ao
plano de órbita
Fig.Variaçãodobalançoenergéticocomalatitude.
 A latitude…
• variação da energia que
chega às diversas regiões da
Terra.
influencia
• ângulo de incidência
da luz do Sol
o que explica
Variabilidade da radiação solar
Fig. O ângulo de incidência da luz do Sol
determina a quantidade de energia solar
recebida.
Variabilidade da radiação solar
• em média, verifica-se um excesso
energético.
 é menor…
• luz solar atinge a superfície de forma
mais próxima da perpendicular;
• a área pela qual se distribui a
radiação solar é menor;
• é maior a quantidade de energia
recebida por unidade de superfície;
• latitudes inferiores a 40° norte e
sul;
 Quando o ângulo de incidência:
Variabilidade da radiação solar
• a quantidade de energia por
unidade de superfície é
menor;
• latitudes entre os 40º e os
90º norte e sul;
• em média, verifica-se um
défice energético.
 Quando o ângulo de incidência:
 é maior…
Variabilidade da radiação solar
 Quantidade de energia solar
que atinge uma região…
Essa influência torna-se
tanto mais evidente
quanto maior é a latitude.
• varia ao longo do ano;
• ao movimento de
translação da Terra…
devido
 faz variar o ângulo
de incidência da
radiação solar e a
duração dos dias e
das noites.
Variabilidade da radiação solar
Fig. O movimento de translação
da Terra e duração do dia nos
solstícios e em diferentes
latitudes.
Variabilidade da radiação solar
 Em Portugal, situado na faixa de latitude entre 32º e 42º norte:
 No solstício de junho…
• início do verão no hemisfério norte;
• radiação global é maior (luz do
Sol incide perpendicularmente sobre
o trópico de câncer);
• raios solares atingem o território
português com menor obliquidade
• dias têm maior duração (aumenta
o tempo de exposição à radiação
solar).
Variabilidade da radiação solar
…e atinge com maior obliquidade o
território português (menor duração
do dia).
 No solstício de dezembro…
• início do inverno do hemisfério norte;
• radiação global é menor (luz do Sol
incide na vertical sobre o trópico de
capricórnio…);
Variabilidade da radiação solar
 Dada a localização
do território português…
Fig. Radiação global média mensal em Portugal
Continental.
Distribuição da Radiação Solar
 Os valores de
radiação global média…
• numa faixa de
latitude intermédia
• variabilidade sazonal da
radiação global é acentuada.
• mais baixos
no inverno
são
• mais elevados
no verão
Variabilidade da radiação solar
Fig. Distribuição da radiação global anual e média dos meses de janeiro e julho, em
Portugal Continental.
 Verifica-se também uma significativa diferenciação espacial.
Variabilidade da radiação solar
 Em Portugal
Continental…
• inflexão para nordeste no vale
inferior do Tejo e até ao vale do
Mondego,
 No inverno…
• registam-se valores mais altos no
sul,
• valores mais baixos em todo o
extremo norte.
Fig. Vista da cidade de Lisboa
• valores médios da
radiação global anual;
• diminuem, em geral, de
sudeste para noroeste;
• embora com algumas
diferenças sazonais:
Variabilidade da radiação solar
 No verão…
• máximo de radiação solar ocorre
no Algarve;
• prolongando-se por todo o interior,
numa faixa que se estreita para norte;
• valores mínimos registam-se no
litoral, a norte do cabo Carvoeiro,
voltando a aumentar no vale inferior do
Douro.
Fig.RioDouroFig.Albufeira
Variabilidade da radiação solar
 Principais fatores que explicam a
variação da radiação solar:
• A proximidade do mar…
• no litoral, sobretudo a norte
do Tejo, há menor radiação
solar…
• as regiões do sul, situadas
a menor latitude, recebem
maior radiação solar;
• A latitude…
• a proximidade do mar
aumenta a nebulosidade.
Variabilidade da radiação solar
 A diferença entre litoral e interior
torna-se mais evidente no verão…
• mais seco no interior, permitindo uma
maior insolação e, como tal, maiores
valores da radiação global.
Fig. Variação espacial da insolação
média anual, em Portugal Continental
(valores médios 1961–90).
Variabilidade da radiação solar
 Efeito da altitude…
• vertentes expostas
a ventos marítimos:
• encostas soalheiras:
• aumenta a nebulosidade, reduzindo a
insolação e a radiação global;
• influência da disposição das vertentes.
 recebem maior radiação solar;
 têm maior insolação do que as
encostas umbrias que são mais
sombrias.
 têm maior nebulosidade;
recebem menor insolação
e menor radiação global.
Variabilidade da radiação solar
 Na Madeira…
Fig.CâmaradeLobos
–Vertentesoalheira.
 Nos Açores…
Fig.PraiadePorto
Pim,Horta,Faial
 Variação da radiação solar:
• a radiação global é maior,
• principalmente na vertente
sul, mais soalheira.
• forte influência oceânica aumenta
a humidade do ar e a nebulosidade;
• redução da insolação e da radiação
global.
Variabilidade da radiação solar
Atemperatura…  A variação anual: Portugal insere-se
nas características térmicas da zona
temperada do norte.
 A variação espacial: influenciada,
essencialmente, pela latitude e pelo
relevo.
 A amplitude de variação térmica
anual: influenciada pela proximidade ou
pelo afastamento do mar.
 Em Portugal: temperatura do ar tem
valores médios anuais moderados.
Variabilidade da radiação solar
Fig. Distribuição da temperatura média anual e das isotérmicas de janeiro e
julho (reduzidas ao nível do mar), em Portugal Continental.
Sul do Tejo
Temperaturas
médias anuais
mais altas.
Em janeiro a temperatura
média mensal diminui de
sudoeste para nordeste.
Em julho a temperatura
média mensal diminui do
litoral para o interior.
Variabilidade da radiação solar
 A temperatura média anual
(TMA)…
• também se dá um
decréscimo do litoral
para o interior,
• valores mais baixos:
áreas de montanha;
• diminui de sul para
norte…
Média aritmética das temperaturas
médias mensais de um ano.
• exceção do vale superior do
Douro.
Fig.Valesuperior
doDouro
Fig.SerradaEstrela
Variabilidade da radiação solar
AdaptadodeOrlandoRibeiroet.al.,GeografiadePortugal,1969.
Fig. Distribuição das isotérmicas de janeiro
(reduzidas ao nível do mar), em Portugal
Continental.
 O traçado das isotérmicas de janeiro
e julho:
 Em janeiro (inverno):
• importante diferenciação sazonal,
na variação espacial das TMM.
revela
• isotérmicas dispõem-se
obliquamente à linha de costa;
• diminuição da temperatura média
de sudoeste para nordeste;
evidenciando
Variabilidade da radiação solar
 Em julho (verão):
Fig. Distribuição das isotérmicas de
julho (reduzidas ao nível do mar), em
Portugal Continental.
Fig.Valesuperior
doDouro
• aumento da temperatura média
do litoral para o interior,
• disposição das isotérmicas
quase paralela à linha de costa;
com uma inflexão
• para oeste, no vale
superior do Douro.
• para leste, no vale
superior do Mondego;
Variabilidade da radiação solar
Fig. Distribuição dos valores médios anuais da temperatura mínima e
máxima registados em Portugal Continental (1961–1990).
Variabilidade da radiação solar
 A distribuição dos valores
médios anuais da temperatura
mínima e máxima…
Fig.CabodaRoca
Fig. Gerês
• reforça os contrastes evidenciados
pelas isotérmicas da temperatura
média de janeiro e julho.
• individualizam-se ainda
as regiões de montanha,
(caso dos valores médios
da temperatura máxima).
• registo de valores mínimos
e máximos mais acentuados
no interior e mais atenuados
no litoral, sobretudo a norte
do cabo da Roca.
• oposição entre o
norte mais frio e
o sul mais
quente;
Variabilidade da radiação solar
 O contraste térmico entre o
litoral e o interior:
Fig. Distribuição da amplitude de variação
térmica em Portugal Continental.
Amplitude de variação térmica anual
• evidencia-se em todo o território
continental…
• Amplitude da variação térmica
anual.
 aumenta do litoral para o
interior, embora com influência de
outros fatores, além da distância e
posição em relação ao mar.
sobretudo quando consideramos
Variabilidade da radiação solar
 A amplitude de variação térmica anual:
• é mais baixa, inferior a 8ºC, entre o cabo
Carvoeiro e o da Roca e no de São Vicente…
• segue-se uma estreita faixa, de 8ºC a 10ºC,
desde a foz do Douro à península de Setúbal
e no extremo sudoeste…
• seguida de outra, também estreita, com
valores de 10ºC a 12ºC;
Fig. Distribuição da amplitude de variação
térmica em Portugal Continental.
Variabilidade da radiação solar
• varia entre 12ºC e 14ºC numa área de
transição cuja extensão depende da disposição
do relevo (destaca-se o vale do Tejo);
• é mais alta, superior a 14ºC, em todo o
restante interior, destacando-se o nordeste…
Fig. Distribuição da amplitude de variação
térmica em Portugal Continental.
• devido à disposição do vale
encaixado do Douro, exposto a ventos
de leste, tal como acontece no vale
do Guadiana.
• protegido da influência marítima pelo
relevo montanhoso de disposição
concordante à linha de costa;
Variabilidade da radiação solar
 Influência da latitude:
Os fatores explicativos da variação da temperatura
• em Portugal, a temperatura diminui
de sul para norte.
• temperatura diminui à medida
que aumenta a latitude…
 resultado do progressivo aumento
do ângulo de incidência…
Variabilidade da radiação solar
Fig. Temperaturas médias mensais em cidades situadas a diferentes latitudes
(período de 1981-2010).
Variabilidade da radiação solar
• A diferenciação norte-sul é
acentuada pelo relevo;
 Influência do relevo:
• As áreas de montanha registam uma
temperatura média anual mais baixa
do que as regiões circundantes.
Fig.SerradoGerês
mais alto e acidentado a
norte do Tejo.
 por efeito do gradiente
térmico vertical.
Variabilidade da radiação solar
Fig. Temperaturas médias mensais em cidades situadas a diferentes altitudes e com latitudes
semelhantes (período de 1981-2010).
Variabilidade da radiação solar
 As características topográficas locais exercem também uma influência
significativa na variação da temperatura.
• Por exemplo, acidentes do terreno, como pequenas colinas, vales
abertos ou muito encaixados, alteram a temperatura, a nível local.
Fig. Paisagem do Douro
Variabilidade da radiação solar
Fig. Aspeto do vale superior do Douro.
• É o caso dos vales abrigados
do rio Douro e seus afluentes,
com temperaturas médias de
valor superior às das áreas
envolventes, o que demonstra a
influência local da topografia na
temperatura.
 Um aspeto relevante é o traçado dos vales de alguns rios.
Variabilidade da radiação solar
 A disposição do relevo:
• a serra algarvia protege o litoral
do Algarve da ação das massas
de ar oceânico e das que provêm
do interior do Alentejo;
Fig.Aspetoda
serradoGerês
Fig. Serra de Monchique
• pode favorecer a circulação das massas
de ar ou servir-lhes de obstáculo:
• influencia a variação
da temperatura;
• o interior norte é protegido pelos
relevos de noroeste: dificultam a
passagem dos ventos oceânicos,
retendo grande parte da sua humidade;
Variabilidade da radiação solar
• a disposição do vale superior do Douro permite a penetração dos
ventos de leste;
• junto ao vale do Mondego, o relevo dispõe-se obliquamente à linha de
costa, permitindo que a influência marítima se estenda para o interior;
Fig. Aspeto do vale superior do Douro. Fig. Coimbra, banhada pelo Mondego.
Variabilidade da radiação solar
Fig. Aspeto da cidade do Funchal, aninhada na vertente sul da ilha da Madeira.
• na ilha da Madeira, o relevo de orientação este-oeste expõe a vertente
norte à ação dos ventos húmidos de noroeste, protegendo a vertente sul
que é também mais soalheira.
Variabilidade da radiação solar
 impedem valores de
temperatura muito elevados no
verão e muito baixos no inverno.
 Influência atlântica:
 fator que mais influencia a amplitude
de variação térmica anual, em Portugal.
Fig. Cidade de Aveiro
• proximidade ou afastamento do
mar: fator muito relevante na variação
regional da temperatura do ar;
devido
• efeito moderador das
massas de ar marítimo…
 maior em todo o litoral ocidental,
diminuindo de norte para sul, devido ao
traçado da linha de costa.
Variabilidade da radiação solar
Fig. Temperaturas médias mensais de Aveiro e Viseu (período de 1981-2010).
Variabilidade da radiação solar
• Em Aveiro, a influência do
oceano ameniza as
temperaturas.
Fig.CidadedeAveiro
Fig.CidadedeViseu
 A influência marítima perde-se em direção ao interior,
consoante a disposição do relevo.
 apesar de se situarem praticamente à mesma latitude e de apresentarem
valores semelhantes de temperatura média anual…
é por isso que
• Viseu, cidade do interior,
regista verões mais quentes e
invernos mais rigorosos…
Variabilidade da radiação solar
• A insularidade acentua a influência marítima na temperatura do ar, pelo
que a amplitude de variação térmica anual é baixa.
 Nas Regiões Autónomas…
Fig. Madeira –Cidade do Funchal Fig. São Jorge - Açores
Variabilidade da radiação solar
Fig. Temperatura média anual, em São Miguel e na Terceira, e temperaturas médias
mensais, em algumas estações meteorológicas dos Açores.
 Açores: variação regional da temperatura é mínima, restringindo-se à que
depende do relevo.
• Áreas de relevo mais baixo: TMA varia entre 16,7ºC, em Angra do
Heroísmo, e 17,7ºC, em Santa Cruz das Flores.
Variabilidade da radiação solar
 Madeira: TMA são um pouco superiores às do restante território português;
• variação espacial marcada pela altitude e pela orientação este-oeste
do relevo.
Fig. Temperatura média anual, na ilha da Madeira, e temperaturas médias mensais, em
algumas estações meteorológicas do arquipélago.
Variabilidade da radiação solar
A Radiação Solar
A Radiação Solar: a variação da temperatura.
Fim da apresentação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)
Ilda Bicacro
 
Potencialidades do litoral
Potencialidades do litoralPotencialidades do litoral
Potencialidades do litoral
Ilda Bicacro
 
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Ilda Bicacro
 
A rede hidrográfica
A rede hidrográficaA rede hidrográfica
A rede hidrográfica
Rosária Zamith
 
Recursos energéticos
Recursos energéticosRecursos energéticos
Recursos energéticos
Ilda Bicacro
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Raffaella Ergün
 
4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
Ministério da Educação
 
a variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território portuguêsa variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território português
Nigina Ahrorova
 
O Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos AçoresO Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
Joana Marques
 
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do SubsoloDiversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Catarina Castro
 
As áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºanoAs áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºano
Rita Pontes
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
Susana Simões
 
recursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptx
recursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptxrecursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptx
recursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptx
RitaMagalhaes16
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
Andreia Pacheco
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
Ilda Bicacro
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Ilda Bicacro
 
Atmosfera e-a-radiacao-solar
Atmosfera e-a-radiacao-solarAtmosfera e-a-radiacao-solar
Atmosfera e-a-radiacao-solar
ze almeida
 
Vaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperaturaVaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperatura
Ilda Bicacro
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
Carina Vale
 

Mais procurados (20)

Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)Variabilidade da radiação solar(2)
Variabilidade da radiação solar(2)
 
Potencialidades do litoral
Potencialidades do litoralPotencialidades do litoral
Potencialidades do litoral
 
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
 
A rede hidrográfica
A rede hidrográficaA rede hidrográfica
A rede hidrográfica
 
Recursos energéticos
Recursos energéticosRecursos energéticos
Recursos energéticos
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
 
a variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território portuguêsa variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território português
 
O Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos AçoresO Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
 
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do SubsoloDiversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do Subsolo
 
As áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºanoAs áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºano
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
 
recursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptx
recursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptxrecursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptx
recursos do subsolo e unidades geomorfológicas ALUNOS.pptx
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
 
Atmosfera e-a-radiacao-solar
Atmosfera e-a-radiacao-solarAtmosfera e-a-radiacao-solar
Atmosfera e-a-radiacao-solar
 
Vaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperaturaVaiacao anual temperatura
Vaiacao anual temperatura
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
 

Semelhante a Variabilidade da radiação solar

Variabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarVariabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solar
Catarina Castro
 
Variabilidade da radiação solar em Portugal.pptx
Variabilidade da radiação solar em Portugal.pptxVariabilidade da radiação solar em Portugal.pptx
Variabilidade da radiação solar em Portugal.pptx
CarlaCarrio1
 
geografia4 (1).doc
geografia4 (1).docgeografia4 (1).doc
geografia4 (1).doc
Guilherme20061
 
Clima e estados de tempo em Portugal.1
Clima e estados de tempo em Portugal.1Clima e estados de tempo em Portugal.1
Clima e estados de tempo em Portugal.1
Idalina Leite
 
Variabilidade da radiação solar em Portugal
Variabilidade da radiação solar em PortugalVariabilidade da radiação solar em Portugal
Variabilidade da radiação solar em Portugal
Escola Profissional Dr. Francisco Fernandas
 
Conjunto slides 3
Conjunto slides 3Conjunto slides 3
Conjunto slides 3
gatuxa24
 
4 Resumos radiação solar.pdf
4 Resumos radiação solar.pdf4 Resumos radiação solar.pdf
4 Resumos radiação solar.pdf
Sonia Ramos
 
Climas e formações vegetais
Climas e formações vegetaisClimas e formações vegetais
Climas e formações vegetais
Ingrid Bispo
 
Correção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrp
Correção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrpCorreção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrp
Correção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrp
Geografias Geo
 
Variação da temperatura geografia
Variação da temperatura   geografia Variação da temperatura   geografia
Variação da temperatura geografia
Thepatriciamartins12
 
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
Ministério da Educação
 
variação_da_temperatura.pptx
variação_da_temperatura.pptxvariação_da_temperatura.pptx
variação_da_temperatura.pptx
MarcoVilaNova3
 
Radiação Solar
Radiação SolarRadiação Solar
Radiação Solar
Iga Almeida
 
Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)
Ilda Bicacro
 
A especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugalA especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugal
Linda Pereira
 
Atmosfera e Fatores Climaticos
Atmosfera e Fatores ClimaticosAtmosfera e Fatores Climaticos
Atmosfera e Fatores Climaticos
Vania Leão
 
Clima
ClimaClima
Clima
LUIS ABREU
 
Radiação solar beatriz e margarida
Radiação solar   beatriz e margaridaRadiação solar   beatriz e margarida
Radiação solar beatriz e margarida
Fátima Cunha Lopes
 
Clima
ClimaClima
Distribuição da temperatura portuguesa- Contrastes
Distribuição da temperatura portuguesa- ContrastesDistribuição da temperatura portuguesa- Contrastes
Distribuição da temperatura portuguesa- Contrastes
MicaelaMaralo1
 

Semelhante a Variabilidade da radiação solar (20)

Variabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarVariabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solar
 
Variabilidade da radiação solar em Portugal.pptx
Variabilidade da radiação solar em Portugal.pptxVariabilidade da radiação solar em Portugal.pptx
Variabilidade da radiação solar em Portugal.pptx
 
geografia4 (1).doc
geografia4 (1).docgeografia4 (1).doc
geografia4 (1).doc
 
Clima e estados de tempo em Portugal.1
Clima e estados de tempo em Portugal.1Clima e estados de tempo em Portugal.1
Clima e estados de tempo em Portugal.1
 
Variabilidade da radiação solar em Portugal
Variabilidade da radiação solar em PortugalVariabilidade da radiação solar em Portugal
Variabilidade da radiação solar em Portugal
 
Conjunto slides 3
Conjunto slides 3Conjunto slides 3
Conjunto slides 3
 
4 Resumos radiação solar.pdf
4 Resumos radiação solar.pdf4 Resumos radiação solar.pdf
4 Resumos radiação solar.pdf
 
Climas e formações vegetais
Climas e formações vegetaisClimas e formações vegetais
Climas e formações vegetais
 
Correção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrp
Correção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrpCorreção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrp
Correção das fichas 17 a 20 do caderno de atividades esrp
 
Variação da temperatura geografia
Variação da temperatura   geografia Variação da temperatura   geografia
Variação da temperatura geografia
 
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
 
variação_da_temperatura.pptx
variação_da_temperatura.pptxvariação_da_temperatura.pptx
variação_da_temperatura.pptx
 
Radiação Solar
Radiação SolarRadiação Solar
Radiação Solar
 
Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)Variabilidade da radiação solar(i)
Variabilidade da radiação solar(i)
 
A especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugalA especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugal
 
Atmosfera e Fatores Climaticos
Atmosfera e Fatores ClimaticosAtmosfera e Fatores Climaticos
Atmosfera e Fatores Climaticos
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Radiação solar beatriz e margarida
Radiação solar   beatriz e margaridaRadiação solar   beatriz e margarida
Radiação solar beatriz e margarida
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Distribuição da temperatura portuguesa- Contrastes
Distribuição da temperatura portuguesa- ContrastesDistribuição da temperatura portuguesa- Contrastes
Distribuição da temperatura portuguesa- Contrastes
 

Mais de Ilda Bicacro

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Ilda Bicacro
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Ilda Bicacro
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
Ilda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
Ilda Bicacro
 
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptxProjeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Ilda Bicacro
 
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Ilda Bicacro
 
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptxESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
Ilda Bicacro
 
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! SertãConstrução (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Ilda Bicacro
 
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfunicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
Ilda Bicacro
 
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfA nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
Ilda Bicacro
 
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
Ilda Bicacro
 
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxEB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
Ilda Bicacro
 
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfProjeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Ilda Bicacro
 
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxInterculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Ilda Bicacro
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
Ilda Bicacro
 

Mais de Ilda Bicacro (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptxProjeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
 
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
 
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
 
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
 
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptxESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
 
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! SertãConstrução (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
 
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfunicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
 
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfA nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
 
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
 
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxEB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
 
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfProjeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
 
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxInterculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
 

Último

Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 

Último (20)

Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 

Variabilidade da radiação solar

  • 1. Variabilidade da radiação solar A radiação solar
  • 2. Variabilidade da radiação solar • de um modo geral, no território continental, diminui de sul para norte e aumenta de oeste para este. A radiação solar… • fonte de toda a vida na Terra; • intensidade varia ao longo do ano e diminui com o aumento da latitude; • emissão de energia pelo Sol, sob a forma de ondas eletromagnéticas. cerca de metade desta energia atinge diretamente a superfície terrestre; Radiação Direta  restante energia perde-se nos processos atmosféricos de absorção, reflexão e difusão. • só uma ínfima parte atinge o limite exterior da atmosfera.
  • 3. Fig. Balanço energético – existe um equilíbrio térmico entre a energia solar recebida, direta e indiretamente, pela superfície terrestre (radiação global) e a energia que ela emite (radiação terrestre). AdaptadodePhysicalGeography,A.StrahlereA.Strahler,1996. Radiação solar total 100% Reflexão e difusão pela atmosfera 6% Reflexão pelo topo das nuvens 21% Reflexão pela superfície da Terra 4% Reflexão total ou albedo médio 31% Radiação solar absorvida pela Terra 48% Absorção pela atmosfera 21% Condução pelo ar 14% Calor latente no vapor de água 45% Radiação terrestre absorvida pela atmosfera 30% Radiação terrestre enviada para o espaço 11% Variabilidade da radiação solar
  • 4. Fig. Inclinação do eixo terrestre em relação ao plano da sua órbita. Variabilidade... dão origem a uma importante variação do aquecimento da superfície terrestre. Apesar do equilíbrio energético global, há diferenças ao nível das regiões Variabilidade da radiação solar • a forma quase esférica da Terra • e a inclinação do seu eixo face ao plano de órbita
  • 5. Fig.Variaçãodobalançoenergéticocomalatitude.  A latitude… • variação da energia que chega às diversas regiões da Terra. influencia • ângulo de incidência da luz do Sol o que explica Variabilidade da radiação solar
  • 6. Fig. O ângulo de incidência da luz do Sol determina a quantidade de energia solar recebida. Variabilidade da radiação solar
  • 7. • em média, verifica-se um excesso energético.  é menor… • luz solar atinge a superfície de forma mais próxima da perpendicular; • a área pela qual se distribui a radiação solar é menor; • é maior a quantidade de energia recebida por unidade de superfície; • latitudes inferiores a 40° norte e sul;  Quando o ângulo de incidência: Variabilidade da radiação solar
  • 8. • a quantidade de energia por unidade de superfície é menor; • latitudes entre os 40º e os 90º norte e sul; • em média, verifica-se um défice energético.  Quando o ângulo de incidência:  é maior… Variabilidade da radiação solar
  • 9.  Quantidade de energia solar que atinge uma região… Essa influência torna-se tanto mais evidente quanto maior é a latitude. • varia ao longo do ano; • ao movimento de translação da Terra… devido  faz variar o ângulo de incidência da radiação solar e a duração dos dias e das noites. Variabilidade da radiação solar
  • 10. Fig. O movimento de translação da Terra e duração do dia nos solstícios e em diferentes latitudes. Variabilidade da radiação solar
  • 11.  Em Portugal, situado na faixa de latitude entre 32º e 42º norte:  No solstício de junho… • início do verão no hemisfério norte; • radiação global é maior (luz do Sol incide perpendicularmente sobre o trópico de câncer); • raios solares atingem o território português com menor obliquidade • dias têm maior duração (aumenta o tempo de exposição à radiação solar). Variabilidade da radiação solar
  • 12. …e atinge com maior obliquidade o território português (menor duração do dia).  No solstício de dezembro… • início do inverno do hemisfério norte; • radiação global é menor (luz do Sol incide na vertical sobre o trópico de capricórnio…); Variabilidade da radiação solar
  • 13.  Dada a localização do território português… Fig. Radiação global média mensal em Portugal Continental. Distribuição da Radiação Solar  Os valores de radiação global média… • numa faixa de latitude intermédia • variabilidade sazonal da radiação global é acentuada. • mais baixos no inverno são • mais elevados no verão Variabilidade da radiação solar
  • 14. Fig. Distribuição da radiação global anual e média dos meses de janeiro e julho, em Portugal Continental.  Verifica-se também uma significativa diferenciação espacial. Variabilidade da radiação solar
  • 15.  Em Portugal Continental… • inflexão para nordeste no vale inferior do Tejo e até ao vale do Mondego,  No inverno… • registam-se valores mais altos no sul, • valores mais baixos em todo o extremo norte. Fig. Vista da cidade de Lisboa • valores médios da radiação global anual; • diminuem, em geral, de sudeste para noroeste; • embora com algumas diferenças sazonais: Variabilidade da radiação solar
  • 16.  No verão… • máximo de radiação solar ocorre no Algarve; • prolongando-se por todo o interior, numa faixa que se estreita para norte; • valores mínimos registam-se no litoral, a norte do cabo Carvoeiro, voltando a aumentar no vale inferior do Douro. Fig.RioDouroFig.Albufeira Variabilidade da radiação solar
  • 17.  Principais fatores que explicam a variação da radiação solar: • A proximidade do mar… • no litoral, sobretudo a norte do Tejo, há menor radiação solar… • as regiões do sul, situadas a menor latitude, recebem maior radiação solar; • A latitude… • a proximidade do mar aumenta a nebulosidade. Variabilidade da radiação solar
  • 18.  A diferença entre litoral e interior torna-se mais evidente no verão… • mais seco no interior, permitindo uma maior insolação e, como tal, maiores valores da radiação global. Fig. Variação espacial da insolação média anual, em Portugal Continental (valores médios 1961–90). Variabilidade da radiação solar
  • 19.  Efeito da altitude… • vertentes expostas a ventos marítimos: • encostas soalheiras: • aumenta a nebulosidade, reduzindo a insolação e a radiação global; • influência da disposição das vertentes.  recebem maior radiação solar;  têm maior insolação do que as encostas umbrias que são mais sombrias.  têm maior nebulosidade; recebem menor insolação e menor radiação global. Variabilidade da radiação solar
  • 20.  Na Madeira… Fig.CâmaradeLobos –Vertentesoalheira.  Nos Açores… Fig.PraiadePorto Pim,Horta,Faial  Variação da radiação solar: • a radiação global é maior, • principalmente na vertente sul, mais soalheira. • forte influência oceânica aumenta a humidade do ar e a nebulosidade; • redução da insolação e da radiação global. Variabilidade da radiação solar
  • 21. Atemperatura…  A variação anual: Portugal insere-se nas características térmicas da zona temperada do norte.  A variação espacial: influenciada, essencialmente, pela latitude e pelo relevo.  A amplitude de variação térmica anual: influenciada pela proximidade ou pelo afastamento do mar.  Em Portugal: temperatura do ar tem valores médios anuais moderados. Variabilidade da radiação solar
  • 22. Fig. Distribuição da temperatura média anual e das isotérmicas de janeiro e julho (reduzidas ao nível do mar), em Portugal Continental. Sul do Tejo Temperaturas médias anuais mais altas. Em janeiro a temperatura média mensal diminui de sudoeste para nordeste. Em julho a temperatura média mensal diminui do litoral para o interior. Variabilidade da radiação solar
  • 23.  A temperatura média anual (TMA)… • também se dá um decréscimo do litoral para o interior, • valores mais baixos: áreas de montanha; • diminui de sul para norte… Média aritmética das temperaturas médias mensais de um ano. • exceção do vale superior do Douro. Fig.Valesuperior doDouro Fig.SerradaEstrela Variabilidade da radiação solar
  • 24. AdaptadodeOrlandoRibeiroet.al.,GeografiadePortugal,1969. Fig. Distribuição das isotérmicas de janeiro (reduzidas ao nível do mar), em Portugal Continental.  O traçado das isotérmicas de janeiro e julho:  Em janeiro (inverno): • importante diferenciação sazonal, na variação espacial das TMM. revela • isotérmicas dispõem-se obliquamente à linha de costa; • diminuição da temperatura média de sudoeste para nordeste; evidenciando Variabilidade da radiação solar
  • 25.  Em julho (verão): Fig. Distribuição das isotérmicas de julho (reduzidas ao nível do mar), em Portugal Continental. Fig.Valesuperior doDouro • aumento da temperatura média do litoral para o interior, • disposição das isotérmicas quase paralela à linha de costa; com uma inflexão • para oeste, no vale superior do Douro. • para leste, no vale superior do Mondego; Variabilidade da radiação solar
  • 26. Fig. Distribuição dos valores médios anuais da temperatura mínima e máxima registados em Portugal Continental (1961–1990). Variabilidade da radiação solar
  • 27.  A distribuição dos valores médios anuais da temperatura mínima e máxima… Fig.CabodaRoca Fig. Gerês • reforça os contrastes evidenciados pelas isotérmicas da temperatura média de janeiro e julho. • individualizam-se ainda as regiões de montanha, (caso dos valores médios da temperatura máxima). • registo de valores mínimos e máximos mais acentuados no interior e mais atenuados no litoral, sobretudo a norte do cabo da Roca. • oposição entre o norte mais frio e o sul mais quente; Variabilidade da radiação solar
  • 28.  O contraste térmico entre o litoral e o interior: Fig. Distribuição da amplitude de variação térmica em Portugal Continental. Amplitude de variação térmica anual • evidencia-se em todo o território continental… • Amplitude da variação térmica anual.  aumenta do litoral para o interior, embora com influência de outros fatores, além da distância e posição em relação ao mar. sobretudo quando consideramos Variabilidade da radiação solar
  • 29.  A amplitude de variação térmica anual: • é mais baixa, inferior a 8ºC, entre o cabo Carvoeiro e o da Roca e no de São Vicente… • segue-se uma estreita faixa, de 8ºC a 10ºC, desde a foz do Douro à península de Setúbal e no extremo sudoeste… • seguida de outra, também estreita, com valores de 10ºC a 12ºC; Fig. Distribuição da amplitude de variação térmica em Portugal Continental. Variabilidade da radiação solar
  • 30. • varia entre 12ºC e 14ºC numa área de transição cuja extensão depende da disposição do relevo (destaca-se o vale do Tejo); • é mais alta, superior a 14ºC, em todo o restante interior, destacando-se o nordeste… Fig. Distribuição da amplitude de variação térmica em Portugal Continental. • devido à disposição do vale encaixado do Douro, exposto a ventos de leste, tal como acontece no vale do Guadiana. • protegido da influência marítima pelo relevo montanhoso de disposição concordante à linha de costa; Variabilidade da radiação solar
  • 31.  Influência da latitude: Os fatores explicativos da variação da temperatura • em Portugal, a temperatura diminui de sul para norte. • temperatura diminui à medida que aumenta a latitude…  resultado do progressivo aumento do ângulo de incidência… Variabilidade da radiação solar
  • 32. Fig. Temperaturas médias mensais em cidades situadas a diferentes latitudes (período de 1981-2010). Variabilidade da radiação solar
  • 33. • A diferenciação norte-sul é acentuada pelo relevo;  Influência do relevo: • As áreas de montanha registam uma temperatura média anual mais baixa do que as regiões circundantes. Fig.SerradoGerês mais alto e acidentado a norte do Tejo.  por efeito do gradiente térmico vertical. Variabilidade da radiação solar
  • 34. Fig. Temperaturas médias mensais em cidades situadas a diferentes altitudes e com latitudes semelhantes (período de 1981-2010). Variabilidade da radiação solar
  • 35.  As características topográficas locais exercem também uma influência significativa na variação da temperatura. • Por exemplo, acidentes do terreno, como pequenas colinas, vales abertos ou muito encaixados, alteram a temperatura, a nível local. Fig. Paisagem do Douro Variabilidade da radiação solar
  • 36. Fig. Aspeto do vale superior do Douro. • É o caso dos vales abrigados do rio Douro e seus afluentes, com temperaturas médias de valor superior às das áreas envolventes, o que demonstra a influência local da topografia na temperatura.  Um aspeto relevante é o traçado dos vales de alguns rios. Variabilidade da radiação solar
  • 37.  A disposição do relevo: • a serra algarvia protege o litoral do Algarve da ação das massas de ar oceânico e das que provêm do interior do Alentejo; Fig.Aspetoda serradoGerês Fig. Serra de Monchique • pode favorecer a circulação das massas de ar ou servir-lhes de obstáculo: • influencia a variação da temperatura; • o interior norte é protegido pelos relevos de noroeste: dificultam a passagem dos ventos oceânicos, retendo grande parte da sua humidade; Variabilidade da radiação solar
  • 38. • a disposição do vale superior do Douro permite a penetração dos ventos de leste; • junto ao vale do Mondego, o relevo dispõe-se obliquamente à linha de costa, permitindo que a influência marítima se estenda para o interior; Fig. Aspeto do vale superior do Douro. Fig. Coimbra, banhada pelo Mondego. Variabilidade da radiação solar
  • 39. Fig. Aspeto da cidade do Funchal, aninhada na vertente sul da ilha da Madeira. • na ilha da Madeira, o relevo de orientação este-oeste expõe a vertente norte à ação dos ventos húmidos de noroeste, protegendo a vertente sul que é também mais soalheira. Variabilidade da radiação solar
  • 40.  impedem valores de temperatura muito elevados no verão e muito baixos no inverno.  Influência atlântica:  fator que mais influencia a amplitude de variação térmica anual, em Portugal. Fig. Cidade de Aveiro • proximidade ou afastamento do mar: fator muito relevante na variação regional da temperatura do ar; devido • efeito moderador das massas de ar marítimo…  maior em todo o litoral ocidental, diminuindo de norte para sul, devido ao traçado da linha de costa. Variabilidade da radiação solar
  • 41. Fig. Temperaturas médias mensais de Aveiro e Viseu (período de 1981-2010). Variabilidade da radiação solar
  • 42. • Em Aveiro, a influência do oceano ameniza as temperaturas. Fig.CidadedeAveiro Fig.CidadedeViseu  A influência marítima perde-se em direção ao interior, consoante a disposição do relevo.  apesar de se situarem praticamente à mesma latitude e de apresentarem valores semelhantes de temperatura média anual… é por isso que • Viseu, cidade do interior, regista verões mais quentes e invernos mais rigorosos… Variabilidade da radiação solar
  • 43. • A insularidade acentua a influência marítima na temperatura do ar, pelo que a amplitude de variação térmica anual é baixa.  Nas Regiões Autónomas… Fig. Madeira –Cidade do Funchal Fig. São Jorge - Açores Variabilidade da radiação solar
  • 44. Fig. Temperatura média anual, em São Miguel e na Terceira, e temperaturas médias mensais, em algumas estações meteorológicas dos Açores.  Açores: variação regional da temperatura é mínima, restringindo-se à que depende do relevo. • Áreas de relevo mais baixo: TMA varia entre 16,7ºC, em Angra do Heroísmo, e 17,7ºC, em Santa Cruz das Flores. Variabilidade da radiação solar
  • 45.  Madeira: TMA são um pouco superiores às do restante território português; • variação espacial marcada pela altitude e pela orientação este-oeste do relevo. Fig. Temperatura média anual, na ilha da Madeira, e temperaturas médias mensais, em algumas estações meteorológicas do arquipélago. Variabilidade da radiação solar
  • 47. A Radiação Solar: a variação da temperatura.