SlideShare uma empresa Scribd logo
Processo histórico da
EJA no Brasil
INSTITUTO FEDERAL DO MARANHÃO – CAMPUS BURITICUPU
LICENCIATURA EM MATEMÁTICA
POLÍTICAS EDUCACIONAIS INCLUSIVAS II
Alunos:
Leandro Marques
Leandro Torres
Lemilson Marques
Simone Gomes
Como tudo começou...
A ação educativa junto a adolescentes e adultos no Brasil não é nova. Sabe-se que já no
período colonial os religiosos exerciam sua ação educativa missionária grande parte com
adultos. Além de difundir o evangelho, os Jesuítas transmitiam normas de comportamento
e ensinavam os ofícios necessários ao funcionamento da economia colonial, inicialmente
aos indígenas e, posteriormente, aos escravos negros. Mais tarde, se encarregaram das
escolas de humanidades para os colonizadores e seus filhos.
Primeira República (1889 - 1929)
A Constituição de 1891, primeiro marco
legal da República brasileira, consagrou uma
concepção de federalismo em que a
responsabilidade pública pelo ensino básico
foi descentralizada nas Províncias e
Municípios. O problema é que garantiu-se a
formação das elites em detrimento de uma
educação para as amplas camadas sociais
marginalizadas.
O ensino tinha, em grande parte, pretensões
eleitoreiras, uma vez que analfabetos não
tinham poder de voto.
Segunda República (1930 - 1936)
-Em 1932 um grupo de educadores lança
à nação o Manifesto dos Pioneiros da
Educação Nova, redigido por Fernando
de Azevedo e assinado por outros
conceituados educadores da época.
- Em 1934 a nova Constituição (a segunda
da República) dispõe, pela primeira vez,
que “a educação é direito de todos,
devendo ser ministrada pela família e
pelos Poderes Públicos”.
Nova República (1946 - 1963)
Em 1962 é criado o Conselho Federal de Educação, que substitui o Conselho Nacional
de Educação e os Conselhos Estaduais de Educação e, ainda em 1962 é criado o Plano
Nacional de Educação e o Programa Nacional de Alfabetização, pelo Ministério da
Educação e Cultura, inspirado no Método Paulo Freire.
Paulo Freire (1921-1997)
Período do Regime Militar (1964 – 1985)
O Regime Militar espelhou na educação o caráter antidemocrático de sua proposta
ideológica de governo:
-Professores foram presos e demitidos; - Universidades foram invadidas;
- Estudantes foram presos e feridos, nos confronto com a polícia, e alguns foram
mortos; - A União Nacional dos Estudantes proibida de funcionar;
- O Decreto-Lei 477 calou a boca de alunos e professores.".
Período da Abertura Política (1986 - 2003)
Podemos dizer que a História da Educação Brasileira tem um princípio, meio e fim
bem demarcado e facilmente observável. Ela é feita em rupturas marcantes, onde em
cada período determinado teve características próprias.
Até os dias de hoje muito tem se mexido no planejamento educacional, mas a educação
continua a ter as mesmas características impostas em todos os países do mundo, que é
mais o de manter o "status quo", para aqueles que frequentam os bancos escolares, e
menos de oferecer conhecimentos básicos, para serem aproveitados pelos estudantes
em suas vidas práticas.
Avaliação da Qualidade da Educação - 2006
• PISA, 2006: Brasil é o último país dentre 56 participantes.
Fonte: PISA, 2006
0
10
20
30
40
50
60
70
80
Mat. Leit.
Brasil
México
Uruguai
Grécia
Portugal
Espanha
Polônia
OCDE
Inglaterra
Austrália
Japão
Matrículas na EJA – 2003 a 2006
Ano Total EF 1ª a 4ª 5ª a 8ª EM
2003 4.403.436 3.422.693 1.657.824 1.764.869 980.743
2004 4.577.268 3.419.675 1.553.483 1.866.192 1.157.593
2005 4.619.409 3.395.550 1.488.574 1.906.970 1.223.859
2006 4.861.390 3.516.225 1.487.072 2.029.153 1.345.165
Fonte:INEP/Censo Escolar
MatrículanaEJA-2003a2006
EJA – Dados recentes (Censo Escolar 2016)
EJA – Dados recentes (Censo Escolar 2016)
EJA – Dados recentes (Censo Escolar 2016)
FIM
Obrigado a todos pela atenção!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

EJA
EJA EJA
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Linda-maria12
 
Aula 2 histórico da EJA
Aula 2  histórico da EJAAula 2  histórico da EJA
Aula 2 histórico da EJA
Cassia Brandão
 
Histórico da EJA
Histórico da EJAHistórico da EJA
Histórico da EJA
Camila Silva
 
Eja metodologia políticas públicas de eja
Eja   metodologia políticas públicas de ejaEja   metodologia políticas públicas de eja
Eja metodologia políticas públicas de eja
Paulo Sérgio
 
EJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexões
EJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexõesEJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexões
EJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexões
profamiriamnavarro
 
Aula Sociologia da educação
Aula Sociologia da educaçãoAula Sociologia da educação
Aula Sociologia da educação
Andreia Regina Moura Mendes
 
Políticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas EducacionaisPolíticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas Educacionais
Alairton Luis Araujo Soares
 
Eja – Formação e prática de professores - IFMA
Eja – Formação e prática de professores - IFMAEja – Formação e prática de professores - IFMA
Eja – Formação e prática de professores - IFMA
Leandro Marques
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
Ulisses Vakirtzis
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
Zélia Cordeiro
 
A Escola Nova
A Escola Nova A Escola Nova
A Escola Nova
Hudson Frota
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Marily Oliveira
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
Messias Mota Vieira
 
EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...
EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...
EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...
profamiriamnavarro
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
Profissão Professor
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
EJA.pptx
EJA.pptxEJA.pptx
EJA.pptx
INGRID ALMEIDA
 

Mais procurados (20)

EJA
EJA EJA
EJA
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Aula 2 histórico da EJA
Aula 2  histórico da EJAAula 2  histórico da EJA
Aula 2 histórico da EJA
 
Histórico da EJA
Histórico da EJAHistórico da EJA
Histórico da EJA
 
Eja metodologia políticas públicas de eja
Eja   metodologia políticas públicas de ejaEja   metodologia políticas públicas de eja
Eja metodologia políticas públicas de eja
 
EJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexões
EJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexõesEJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexões
EJA AULA 1: Educação de Adultos: algumas reflexões
 
Aula Sociologia da educação
Aula Sociologia da educaçãoAula Sociologia da educação
Aula Sociologia da educação
 
Políticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas EducacionaisPolíticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas Educacionais
 
Eja – Formação e prática de professores - IFMA
Eja – Formação e prática de professores - IFMAEja – Formação e prática de professores - IFMA
Eja – Formação e prática de professores - IFMA
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
A Escola Nova
A Escola Nova A Escola Nova
A Escola Nova
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
 
EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...
EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...
EJA AULA 3: Quem são os jovens e adultos da EJA? Relação entre pobreza, escol...
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
EJA.pptx
EJA.pptxEJA.pptx
EJA.pptx
 

Destaque

Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofia
Silvana
 
Apostila tipologia textual
Apostila tipologia textualApostila tipologia textual
Apostila tipologia textual
VERA OLIVEIRA
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
Elizângela Rosa
 
Ciências humanas e suas tecnologias aula 6
Ciências humanas e suas tecnologias aula 6Ciências humanas e suas tecnologias aula 6
Ciências humanas e suas tecnologias aula 6
Júlio César Medeiros
 
Editorial gênero
Editorial gêneroEditorial gênero
Editorial gênero
Antonio Minharro
 
Pre 1
Pre 1Pre 1
Carta argumentativa-power-point
Carta argumentativa-power-pointCarta argumentativa-power-point
Carta argumentativa-power-point
Cris Estevão
 
Gêneros textuais marcuschi
Gêneros textuais   marcuschiGêneros textuais   marcuschi
Gêneros textuais marcuschi
Sonia Nudelman
 
Carta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestadosCarta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestados
sindiconet
 
Carta para solicitação de prestação de contas
Carta para solicitação de prestação de contasCarta para solicitação de prestação de contas
Carta para solicitação de prestação de contas
sindiconet
 
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OKAULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
Marcelo Cordeiro Souza
 
Redação: Relato Pessoal
Redação: Relato PessoalRedação: Relato Pessoal
Redação: Relato Pessoal
7 de Setembro
 
Dicas importantes para escrever resumo de trabalho
Dicas importantes para escrever resumo de trabalhoDicas importantes para escrever resumo de trabalho
Dicas importantes para escrever resumo de trabalho
CRIS TORRES
 
Como fazer um resumo (passo a passo)
Como fazer um resumo (passo a passo)Como fazer um resumo (passo a passo)
Como fazer um resumo (passo a passo)
Jazon Pereira
 
Gênero notícia
Gênero notíciaGênero notícia
Gênero notícia
Pibid Letras UEA
 
Como escrever artigos de opinião
Como escrever artigos de opiniãoComo escrever artigos de opinião
Como escrever artigos de opinião
Cícero Nogueira
 
Carta troca de sindico
Carta troca de sindicoCarta troca de sindico
Carta troca de sindico
sindiconet
 
Estrutura da Notícia
Estrutura da NotíciaEstrutura da Notícia
Estrutura da Notícia
sextoD
 

Destaque (18)

Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofia
 
Apostila tipologia textual
Apostila tipologia textualApostila tipologia textual
Apostila tipologia textual
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 
Ciências humanas e suas tecnologias aula 6
Ciências humanas e suas tecnologias aula 6Ciências humanas e suas tecnologias aula 6
Ciências humanas e suas tecnologias aula 6
 
Editorial gênero
Editorial gêneroEditorial gênero
Editorial gênero
 
Pre 1
Pre 1Pre 1
Pre 1
 
Carta argumentativa-power-point
Carta argumentativa-power-pointCarta argumentativa-power-point
Carta argumentativa-power-point
 
Gêneros textuais marcuschi
Gêneros textuais   marcuschiGêneros textuais   marcuschi
Gêneros textuais marcuschi
 
Carta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestadosCarta de reclamação sobre serviços prestados
Carta de reclamação sobre serviços prestados
 
Carta para solicitação de prestação de contas
Carta para solicitação de prestação de contasCarta para solicitação de prestação de contas
Carta para solicitação de prestação de contas
 
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OKAULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
 
Redação: Relato Pessoal
Redação: Relato PessoalRedação: Relato Pessoal
Redação: Relato Pessoal
 
Dicas importantes para escrever resumo de trabalho
Dicas importantes para escrever resumo de trabalhoDicas importantes para escrever resumo de trabalho
Dicas importantes para escrever resumo de trabalho
 
Como fazer um resumo (passo a passo)
Como fazer um resumo (passo a passo)Como fazer um resumo (passo a passo)
Como fazer um resumo (passo a passo)
 
Gênero notícia
Gênero notíciaGênero notícia
Gênero notícia
 
Como escrever artigos de opinião
Como escrever artigos de opiniãoComo escrever artigos de opinião
Como escrever artigos de opinião
 
Carta troca de sindico
Carta troca de sindicoCarta troca de sindico
Carta troca de sindico
 
Estrutura da Notícia
Estrutura da NotíciaEstrutura da Notícia
Estrutura da Notícia
 

Semelhante a Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA

Políticas letras
Políticas letrasPolíticas letras
Políticas letras
Mirlene Marinho
 
Caderno1- Ensino Médio e Formação Humana Integral
Caderno1- Ensino Médio e Formação Humana IntegralCaderno1- Ensino Médio e Formação Humana Integral
Caderno1- Ensino Médio e Formação Humana Integral
Dillzzaa
 
Caderno1
Caderno1Caderno1
Caderno1
Dillzzaa
 
Pacto Nacional do Ensino Caderno1
Pacto Nacional do Ensino Caderno1Pacto Nacional do Ensino Caderno1
Pacto Nacional do Ensino Caderno1
jjamesmarques
 
Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...
Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...
Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
paemelo
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
paemelo
 
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
ClaraAguiar
 
A INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptx
A INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptxA INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptx
A INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptx
AndreLuisDosSantosPe
 
Slide hist. educação no brasil
Slide hist. educação no brasilSlide hist. educação no brasil
Slide hist. educação no brasil
Silvana Tenfen
 
Caderno1 pacto
Caderno1 pacto Caderno1 pacto
Caderno1 pacto
jjabesmarques
 
Dimensões do Analfabetismo no Brasil
Dimensões do Analfabetismo no BrasilDimensões do Analfabetismo no Brasil
APRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdf
APRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdfAPRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdf
APRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdf
AndrezaCristinaMorai
 
Pedagógico caxias
Pedagógico caxiasPedagógico caxias
Pedagógico caxias
Antonio Futuro
 
Texto filosofia educação no brasil
Texto filosofia educação no brasilTexto filosofia educação no brasil
Texto filosofia educação no brasil
Monike Kimura
 
Evolução da educação no brasil
Evolução da educação no brasilEvolução da educação no brasil
Evolução da educação no brasil
Patricia Nunes
 
Aula 1 paloma
Aula 1 palomaAula 1 paloma
Aula 1 paloma
Aparecida Formiga
 
Apresentação formação ii
Apresentação formação iiApresentação formação ii
Apresentação formação ii
Kadu Lannes
 
A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura
A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditaduraA educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura
A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura
Taciani Karina
 
Revista selvaplopes
Revista selvaplopesRevista selvaplopes
Revista selvaplopes
Dalton Oliveira
 

Semelhante a Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA (20)

Políticas letras
Políticas letrasPolíticas letras
Políticas letras
 
Caderno1- Ensino Médio e Formação Humana Integral
Caderno1- Ensino Médio e Formação Humana IntegralCaderno1- Ensino Médio e Formação Humana Integral
Caderno1- Ensino Médio e Formação Humana Integral
 
Caderno1
Caderno1Caderno1
Caderno1
 
Pacto Nacional do Ensino Caderno1
Pacto Nacional do Ensino Caderno1Pacto Nacional do Ensino Caderno1
Pacto Nacional do Ensino Caderno1
 
Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...
Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...
Caderno 1 - formação de professores do ensino médio - ensino médio e formação...
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
 
A INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptx
A INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptxA INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptx
A INFLUÊNCIA DE PAULO FREIRE NO PROCESSO DE [Salvo automaticamente].pptx
 
Slide hist. educação no brasil
Slide hist. educação no brasilSlide hist. educação no brasil
Slide hist. educação no brasil
 
Caderno1 pacto
Caderno1 pacto Caderno1 pacto
Caderno1 pacto
 
Dimensões do Analfabetismo no Brasil
Dimensões do Analfabetismo no BrasilDimensões do Analfabetismo no Brasil
Dimensões do Analfabetismo no Brasil
 
APRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdf
APRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdfAPRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdf
APRESENTAÇÃO EJA PRONTO.pdf
 
Pedagógico caxias
Pedagógico caxiasPedagógico caxias
Pedagógico caxias
 
Texto filosofia educação no brasil
Texto filosofia educação no brasilTexto filosofia educação no brasil
Texto filosofia educação no brasil
 
Evolução da educação no brasil
Evolução da educação no brasilEvolução da educação no brasil
Evolução da educação no brasil
 
Aula 1 paloma
Aula 1 palomaAula 1 paloma
Aula 1 paloma
 
Apresentação formação ii
Apresentação formação iiApresentação formação ii
Apresentação formação ii
 
A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura
A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditaduraA educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura
A educação brasielira comtemporanea como reflexo dos anos de ditadura
 
Revista selvaplopes
Revista selvaplopesRevista selvaplopes
Revista selvaplopes
 

Último

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 

Último (20)

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 

Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA

  • 1. Processo histórico da EJA no Brasil INSTITUTO FEDERAL DO MARANHÃO – CAMPUS BURITICUPU LICENCIATURA EM MATEMÁTICA POLÍTICAS EDUCACIONAIS INCLUSIVAS II Alunos: Leandro Marques Leandro Torres Lemilson Marques Simone Gomes
  • 2. Como tudo começou... A ação educativa junto a adolescentes e adultos no Brasil não é nova. Sabe-se que já no período colonial os religiosos exerciam sua ação educativa missionária grande parte com adultos. Além de difundir o evangelho, os Jesuítas transmitiam normas de comportamento e ensinavam os ofícios necessários ao funcionamento da economia colonial, inicialmente aos indígenas e, posteriormente, aos escravos negros. Mais tarde, se encarregaram das escolas de humanidades para os colonizadores e seus filhos.
  • 3. Primeira República (1889 - 1929) A Constituição de 1891, primeiro marco legal da República brasileira, consagrou uma concepção de federalismo em que a responsabilidade pública pelo ensino básico foi descentralizada nas Províncias e Municípios. O problema é que garantiu-se a formação das elites em detrimento de uma educação para as amplas camadas sociais marginalizadas. O ensino tinha, em grande parte, pretensões eleitoreiras, uma vez que analfabetos não tinham poder de voto.
  • 4. Segunda República (1930 - 1936) -Em 1932 um grupo de educadores lança à nação o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, redigido por Fernando de Azevedo e assinado por outros conceituados educadores da época. - Em 1934 a nova Constituição (a segunda da República) dispõe, pela primeira vez, que “a educação é direito de todos, devendo ser ministrada pela família e pelos Poderes Públicos”.
  • 5. Nova República (1946 - 1963) Em 1962 é criado o Conselho Federal de Educação, que substitui o Conselho Nacional de Educação e os Conselhos Estaduais de Educação e, ainda em 1962 é criado o Plano Nacional de Educação e o Programa Nacional de Alfabetização, pelo Ministério da Educação e Cultura, inspirado no Método Paulo Freire. Paulo Freire (1921-1997)
  • 6. Período do Regime Militar (1964 – 1985) O Regime Militar espelhou na educação o caráter antidemocrático de sua proposta ideológica de governo: -Professores foram presos e demitidos; - Universidades foram invadidas; - Estudantes foram presos e feridos, nos confronto com a polícia, e alguns foram mortos; - A União Nacional dos Estudantes proibida de funcionar; - O Decreto-Lei 477 calou a boca de alunos e professores.".
  • 7. Período da Abertura Política (1986 - 2003) Podemos dizer que a História da Educação Brasileira tem um princípio, meio e fim bem demarcado e facilmente observável. Ela é feita em rupturas marcantes, onde em cada período determinado teve características próprias. Até os dias de hoje muito tem se mexido no planejamento educacional, mas a educação continua a ter as mesmas características impostas em todos os países do mundo, que é mais o de manter o "status quo", para aqueles que frequentam os bancos escolares, e menos de oferecer conhecimentos básicos, para serem aproveitados pelos estudantes em suas vidas práticas.
  • 8. Avaliação da Qualidade da Educação - 2006 • PISA, 2006: Brasil é o último país dentre 56 participantes. Fonte: PISA, 2006 0 10 20 30 40 50 60 70 80 Mat. Leit. Brasil México Uruguai Grécia Portugal Espanha Polônia OCDE Inglaterra Austrália Japão
  • 9. Matrículas na EJA – 2003 a 2006 Ano Total EF 1ª a 4ª 5ª a 8ª EM 2003 4.403.436 3.422.693 1.657.824 1.764.869 980.743 2004 4.577.268 3.419.675 1.553.483 1.866.192 1.157.593 2005 4.619.409 3.395.550 1.488.574 1.906.970 1.223.859 2006 4.861.390 3.516.225 1.487.072 2.029.153 1.345.165 Fonte:INEP/Censo Escolar MatrículanaEJA-2003a2006
  • 10. EJA – Dados recentes (Censo Escolar 2016)
  • 11. EJA – Dados recentes (Censo Escolar 2016)
  • 12. EJA – Dados recentes (Censo Escolar 2016)
  • 13. FIM Obrigado a todos pela atenção!