SlideShare uma empresa Scribd logo
A IMPORTÂNCIA DA
CONTABILIDADE E
PLANEJAMENTO
TRIBUTÁRIO NO INÍCIO
DO EMPREENDIMENTO
Carlos Alberto Baptistão
Vice-Presidente Financeiro do SESCON-SP
2
Apresentação
 Início dos empreendimentos;
 Cuidados Fiscais, Tributários e Contábeis;
 Importância do Contabilista.
3
O início
 Uma Ideia;
 Um bom negócio;
 Uma Atitude;
 Oportunidade ou Necessidade.
4
Providências Iniciais
Busca de Recursos:
 Um sócio;
 Um investidor;
 Vou por conta própria.
5
Providências Iniciais:
Busca de Local:
 No Fundo de Casa;
 Na Garagem/Casa da família;
 Locação;
 Locais de apoio ao empresário iniciante (incubadora).
6
Providências Legais:
 Autônomo;
MEI;
Abertura de empresa?
7
Providências Legais:
 Abertura da Empresa;
 Obtenção das licenças;
 Regularização.
8
Providências Fiscais:
 Emissão de Notas Fiscais;
 Emissão de documentos para concorrências e licitações;
 Emissão de Certidões;
 Outros.
9
Providências Administrativas:
 Aquisição de Certificado Digital (e-CNPJ | e-CPF);
 Abertura de conta corrente.
10
Tipos de Empresas (natureza jurídica)
 SOCIEDADE SIMPLES LTDA
 SOCIEDADE EMPRESARIA LTDA
 SOCIEDADE ANÔNIMA
 EMPRESARIO INDIVIDUAL
 EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LTDA (EIRELI)
 MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI)
11
Sociedade Simples LTDA
Sociedade formada por dois ou mais sócios, para o exercício de atividades
intelectuais de caráter cientifico, literário ou artístico.
A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas
(participação), porém, respondem solidariamente pela integralização do
capital social.
12
Sociedade Empresaria LTDA
Sociedade formada por dois ou mais sócios, para o exercício de atividades
empresariais (Industria, Comércio ou Serviços).
A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas
(participação), porém, respondem solidariamente pela integralização do
capital social.
13
Sociedade Anônima
A Sociedade Anônima, também chamada de companhia ou sociedade por
ações, é nome dado a uma empresa com fins lucrativos que tem seu capital
dividido em ações.
A responsabilidade de seus acionistas é limitada ao preço da emissão das
ações.
As sociedades anônimas podem ser divididas em dois tipos: Capital aberto e
Capital Fechado.
14
Empresário Individual
Essa natureza jurídica compreende o empresário individual, pessoa
física, que exerça profissionalmente atividade econômica, para a
circulação de bens ou a prestação de serviços.
O empresário individual possui responsabilidade ilimitada aos seus
negócios.
Ou seja, os empresários individuais em regra, assumem o risco de
forma pessoal e ilimitada, inexistindo diferenciação patrimonial,
existindo a possibilidade que os bens pessoais, bem como os da
atividade empresarial, respondam solidariamente por dividas
contraídas, independente da origem e natureza.
15
Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)
Empresa individual, formada por uma única pessoa, titular da totalidade do
capital social.
O titular pela EIRELI possui responsabilidade limitada ao capital social, ou
seja, embora seja formado por um único titular, para esta modalidade jurídica
há a separação entre os bens empresariais e o privado.
No entanto, o capital social da EIRELI, não poderá ser inferior a 100
(cem) salários mínimos vigentes.
16
Microempreendedor Individual (MEI)
MEI é o pequeno empresário individual, que exerçam uma das atividades
econômicas previstas no anexo XIII da Resolução do Comitê Gestor do
Simples Nacional de nº 94/2011, com receita bruta anual de até R$ 60.000,00
(R$ 5.000,00/mês).
O MEI não poderá participar como sócio, administrador ou titular de outra
empresa e poderá ter no máximo um empregado registrado.
O MEI possui responsabilidade ilimitada, assim como o empresário individual.
17
Regimes Tributários
Lucro Real
Lucro Presumido
18
Lucro Real
Consiste na sistemática da apuração do Imposto de Renda (IRPJ) e Contribuição Social
(CSLL), com base no lucro apurado contabilmente, devidamente ajustado pelas adições e
exclusões definidas pela legislação do Imposto de Renda.
Compõem este regime:
 IRPJ (alíquota de 15% mais adicional de 10% para lucro superior a R$ 20.000
mensais);
 CSLL (Alíquota de 9%);
 PIS (0,65% se cumulativo e 1,65% se não cumulativo);
 COFINS (3% se cumulativo e 7,6% se não cumulativo);
 Outros (IPI, Contribuição Patronal Previdenciária, ICMS e ISS).
19
Lucro Presumido
O Lucro Presumido é o regime tributário pelo qual são utilizadas alíquotas de
presunção, definidas em lei, para a apuração dos valores devidos a título de Imposto
de Renda (IRPJ) e Contribuição Social (CSSL).
 Atividades de serviços: Base de cálculo = Receita Bruta x 32%;
 Atividades industriais e de comercio: Base de calculo = Receita Bruta x 8% (IRPJ)
e 12% (CSLL)
Compõem este regime:
 IRPJ (alíquota de 15% mais adicional de 10% para lucro superior a R$ 20.000
mensais);
 CSLL (Alíquota de 9%);
 PIS (0,65% sempre cumulativo);
 COFINS (3% sempre cumulativo);
 Outros (IPI, Contribuição Patronal Previdenciária, ICMS e ISS).
20
Simples Nacional
É um regime especial e diferenciado, que visa a simplificação das obrigações
acessórias e o recolhimento unificado dos tributos por meio de documento único de
arrecadação (DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional).
Compõem este regime:
 IRPJ, IPI, CSLL, COFINS, PIS/Pasep e CPP – Contribuição Patronal Previdenciária,
de competência Federal;
 ICMS, de competência estadual e ISS, de competência municipal.
21
TABELAS DO SIMPLES NACIONAL
ANEXO I - COMÉRCIO
ANEXO II – INDÚSTRIA
ANEXO III – SERVIÇOS E LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS
ANEXO IV – SERVIÇOS
ANEXO V – SERVIÇOS
ANEXO VI – SERVIÇOS NÃO INCLUÍDOS NOS ANEXOS
ANTERIORES
22
RESUMO – ALÍQUOTAS - ANEXOS
Receita Bruta em 12 meses (em R$) ANEXO I ANEXO II ANEXO III ANEXO IV ANEXO V ANEXO VI
De R$ 0,00 a R$ 180.000,00 4,00% 4,50% 6,00% 4,50% + CPP 27,8% 17,50% a 8,00% 16,93%
De R$ 180.000,01 a R$ 360.000,00 5,47% 5,97% 8,21% 6,54% + CPP 27,8% 17,52% a 8,48% 17,72%
De R$ 360.000,01 a R$ 540.000,00 6,84% 7,34% 10,26% 7,70% + CPP 27,8% 17,55% a 9,03% 18,43%
De R$ 540.000,01 a R$ 720.000,00 7,54% 8,04% 11,31% 8,49% + CPP 27,8% 17,95% a 9,34% 18,77%
De R$ 720.000,01 a R$ 900.000,00 7,60% 8,10% 11,40% 8,97% + CPP 27,8% 18,15% a 10,06% 19,04%
De R$ 900.000,01 a R$ 1.080.000,00 8,28% 8,78% 12,42% 9,78% + CPP 27,8% 18,45% a 10,60% 19,94%
De R$ 1.080.000,01 a R$ 1.260.000,00 8,36% 8,86% 12,54% 10,26% + CPP 27,8% 18,55% a 10,68% 20,34%
De R$ 1.260.000,01 a R$ 1.440.000,00 8,45% 8,95% 12,68% 10,76% + CPP 27,8% 18,62% a 10,69% 20,66%
De R$ 1.440.000,01 a R$ 1.620.000,00 9,03% 9,53% 13,55% 11,51% + CPP 27,8% 18,72% a 11,08% 21,17%
De R$ 1.620.000,01 a R$ 1.800.000,00 9,12% 9,62% 13,68% 12,00% + CPP 27,8% 18,86% a 11,09% 21,38%
De R$ 1.800.000,01 a R$ 1.980.000,00 9,95% 10,45% 14,93% 12,80% + CPP 27,8% 18,96% a 11,87% 21,86%
De R$ 1.980.000,01 a R$ 2.160.000,00 10,04% 10,54% 15,06% 13,25% + CPP 27,8% 19,06% a 12,28% 21,97%
De R$ 2.160.000,01 a R$ 2.340.000,00 10,13% 10,63% 15,20% 13,70% + CPP 27,8% 19,26% a 12,68% 22,06%
De R$ 2.340.000,01 a R$ 2.520.000,00 10,23% 10,73% 15,35% 14,15% + CPP 27,8% 19,56% a 13,26% 22,14%
De R$ 2.520.000,01 a R$ 2.700.000,00 10,32% 10,82% 15,48% 14,60% + CPP 27,8% 20,70% a 14,29% 22,21%
De R$ 2.700.000,01 a R$ 2.880.000,00 11,23% 11,73% 16,85% 15,05% + CPP 27,8% 21,20% a 15,23% 22,21%
De R$ 2.880.000,01 a R$ 3.060.000,00 11,32% 11,82% 16,98% 15,50% + CPP 27,8% 21,70% a 16,17% 22,32%
De R$ 3.060.000,01 a R$ 3.240.000,00 11,42% 11,92% 17,13% 15,95% + CPP 27,8% 22,20% a 16,51% 22,37%
De R$ 3.240.000,01 a R$ 3.420.000,00 11,51% 12,01% 17,27% 16,40% + CPP 27,8% 22,50% a 16,94% 22,41%
De R$ 3.420.000,01 a R$ 3.600.000,00 11,61% 12,11% 17,42% 16,85% + CPP 27,8% 22,90% a 17,18% 22,45%
23
Cálculo
COMPETÊNCIA FATURAMENTO
07/2016 50.000,00
08/2016 75.000,00
09/2016 82.000,00
10/2016 100.000,00
11/2016 65.000,00
12/2016 78.000,00
01/2017 92.000,00
02/2017 55.000,00
03/2017 95.000,00
04/2017 80.000,00
05/2017 90.000,00
06/2017 80.000,00
TOTAL 942.000,00
TABELA IV (Serviços Advocatícios)
Receita Bruta em12 meses (R$) Alíquota
Até 180.000,00 4,5%
De 180.000,01 a 360.000,00 6,54%
De 360.000,01 a 540.000,00 7,70%
De 540.000,01 a 720.000,00 8,49%
De 720.000,01 a 900.000,00 8,97%
De 900.000,01 a 1. 080.000,00 9,78%
Outras faixas ...
De 3.420.000,01 a 3. 600.000,00 16,85%
75.000,00 * 9,78% = 7.335,00
Competência 07/2017
Faturamento = R$ 75.000,00
24
Características
Arrecadação
Unificada
(DAS)
Declaração
Unificada Anual
(DASN/ DEFIS)
Unifica Tributos
(IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI, ICMS,
ISSQN, CPP) exceto tabela IV
Facultativo
Irretratável
25
SIMPLES SIMEI
Sistema de Recolhimento
em Valores Fixos Mensais
dos Tributos abrangidos
pelo Simples Nacional,
devidos pelo
Microempreendedor
Individual (MEI).
Regime Especial Unificado
de Arrecadação de
Tributos e Contribuições
devidos pelas
Microempresas (ME) e
Empresas de Pequeno
Porte (EPP).
*Composição MEI 2017:
- R$ 46,85 a título de Contribuição para Seguridade Social;
- R$ 1,00 a título de ICMS (dependendo da atividade);
- R$ 5,00 a título de ISS (dependendo da atividade).
26
Planejamento Tributário
Planejamento Tributário ou Elisão Fiscal, consiste no estudo
elaborado pelo profissional contábil, para a definição e escolha do
Tipo de empresa que se adequa a necessidade do empresário e do
regime tributário que represente o menor ônus tributário para a
empresa, de acordo com a legislação vigente.
O uso de meios ilícitos, para reduzir ou evitar a incidência de
tributos, configura-se Evasão Fiscal (crime).
27
Imposto sobre Serviços - ISS
O ISS é o Imposto Sobre Serviços é um tributo de competência
dos municípios e Distrito Federal e incide sobre a prestação de
serviços.
É regido, a partir de 01 de agosto de 2003, pela Lei
complementar 116/2003. Tem como fato gerador a relação de
serviços contida na Lei nº 11.438/1997.
O ISS é pago pelas empresas prestadoras de serviços e
profissionais autônomos.
As alíquotas do ISS no município de São Paulo, variam de 2% a
5% de acordo com os serviços prestados.
28
Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços - ICMS
É um imposto Estadual, que incide sobre a circulação de
mercadorias como eletrodomésticos, alimentos, serviços de
comunicação e transporte intermunicipal e interestadual, entre
outros.
O valor da alíquota do ICMS varia de estado para estado, porém a
maioria dos estados utiliza a alíquota de 18%.
29
Comparativos Tributários
30
Comparativo “A”
Prestação de Serviços mensal de R$ 15.000,00 (sujeita ao anexo III do Simples Nacional):
PESSOA FISICA SIMPLES - ANEXO III LUCRO PRESUMIDO
RECEITA BRUTA 15.000,00 RECEITA BRUTA 15.000,00 RECEITA BRUTA 15.000,00
IRRF (tabela progressiva) 3.255,64 SIMPLES NACIONAL (6%) 900,00 COFINS (3,00%) 450,00
PIS (0,65%) 97,50
ISS (5,00%) 750,00
IRPJ (Base de 32% x 15%) 720,00
CSLL (Base de 32% x 9%) 432,00
(=) TOTAL TRIBUTOS 3.255,64 (=) TOTAL TRIBUTOS 900,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 2.449,50
*SOMENTE TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE A RECEITA BRUTA
31
Comparativo “B”
Prestação de Serviços mensal de R$ 150.000,00 (sujeita ao anexo III do Simples Nacional),
e Folha de Pagamento de R$ 25.000,00:
SIMPLES - ANEXO III LUCRO PRESUMIDO
RECEITA BRUTA 150.000,00 RECEITA BRUTA 150.000,00
SIMPLES NACIONAL (13,68%) 20.520,00 COFINS (3,00%) 4.500,00
PIS (0,65%) 975,00
FGTS (25.000,00 x 8%) 2.000,00 ISS (5,00%) 7.500,00
IRPJ (Base de 32% x 15%) 7.200,00
IRPJ Adicional (10%) 2.800,00
CSLL (Base de 32% x 9%) 4.320,00
CPP (25.000,00 x 27,8%) 6.950,00
FGTS (25.000,00 x 8%) 2.000,00
(=) TOTAL TRIBUTOS 22.520,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 36.245,00
32
Comparativo “C”
Prestação de Serviços mensal de R$ 200.000,00 (sujeita ao anexo III do Simples Nacional)
e Folha de Pagamento de R$ 55.000,00 e Lucro Contábil de R$ 15.000,00 – 7,5%:
SIMPLES - ANEXO III LUCRO PRESUMIDO LUCRO REAL
RECEITA BRUTA 200.000,00 RECEITA BRUTA 200.000,00 LUCRO CONTÁBIL 15.000,00
SIMPLES NACIONAL (15,35%) 30.700,00 COFINS (3,00%) 6.000,00 COFINS (Faturamento x 7,6%) 15.200,00
PIS (0,65%) 1.300,00 PIS (Faturamento x 1,65%) 3.300,00
FGTS (55.000,00 x 8%) 4.400,00 ISS (5,00%) 10.000,00 ISS (5,00%) 10.000,00
IRPJ (Base de 32% x 15%) 9.600,00 IRPJ (base x 15%) 2.250,00
IRPJ Adicional (10%) 4.400,00 CSLL (Base x 9%) 1.350,00
CSLL (Base de 32% x 9%) 5.760,00
CPP (55.000,00 x 27,8%) 15.290,00
CPP (55.000,00 x 27,8%) 15.290,00 FGTS (55.000,00 x 8%) 4.400,00
FGTS (55.000,00 x 8%) 4.400,00
(=) TOTAL TRIBUTOS 35.100,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 56.750,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 51.790,00
33
Comparativo “D”
Revenda de Mercadorias (comércio – ANEXO I), com Receita Bruta de R$
20.000,00/mês, Compra de Estoque = R$ 5.000,00 e Lucro Contábil = R$ 0,00.
SIMPLES - ANEXO I LUCRO PRESUMIDO LUCRO REAL
RECEITA BRUTA 20.000,00 RECEITA BRUTA 20.000,00 LUCRO CONTÁBIL 0,00
SIMPLES NACIONAL (5,47%) 1.094,00 COFINS (3,00%) 600,00 COFINS ((RB – C) x 7,6%) 1.140,00
PIS (0,65%) 130,00 PIS ((RB – C) x 1,65%) 247,50
ICMS ((RB – C) x 18,00%) 2.700,00 ICMS ((RB – C) x 18,00%) 2.700,00
IRPJ (Base de 8% x 15%) 240,00 IRPJ (base x 15%) 0,00
CSLL (Base de 12% x 9%) 216,00 CSLL (Base x 9%) 0,00
(=) TOTAL TRIBUTOS 1.094,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 3.886,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 4.087,50
*SOMENTE TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE A RECEITA BRUTA
34
OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS
OBRIGAÇÃO PERIODICIDADE SIMPLES PRESUMIDO REAL
DCTF MENSAL NÃO SIM SIM
EFD CONTRIBUIÇÕES MENSAL NÃO SIM SIM
EFD - ICMS/IPI MENSAL NÃO SIM SIM
GIA MENSAL NÃO SIM SIM
PG-DAS MENSAL SIM NÃO NÃO
LALUR MENSAL/TRIMESTRAL NÃO NÃO SIM
ECD ANUAL NÃO SIM SIM
ECF ANUAL NÃO SIM SIM
GFIP MENSAL SIM SIM SIM
CAGED MENSAL SIM SIM SIM
DEFIS ANUAL SIM NÃO NÃO
DIRF ANUAL SIM SIM SIM
DMED ANUAL SIM SIM SIM
DIMOB ANUAL SIM SIM SIM
35
CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES
(INTELIGÊNCIA FISCAL)
CUIDADOS NECESSÁRIOS
36
Cruzamentos na Pessoa Física
DECLARAÇÃO
AJUSTE ANUAL
DIRF
DMED
DIMOB
DECRED
DIMOF/E-
Financeira
37
Cruzamentos na Pessoa Jurídica
NOTA
FISCAL
DIPJ
DASN
DIRFDCTF
EFD PIS/
COFINS
SPED
38
Fiscalização Passado e Futuro
Mudança no modo de atuação do Fisco
PASSADO HOJE/FUTURO
Repressiva
Isolado
Auditar Passado
Conferência Manual
Poucas Fontes
Amostragem
Provas em papel
Fiscalização em loco
Generalista
Preventiva
Integrado
Acompanhar o presente e projetar o futuro
Auditoria Eletrônica
Múltiplas Fontes
100% Operações
Provas eletrônicas
Fiscalização à distância
Especialista
39
A importância da
Contabilidade para as
Empresas
40
Atribuições ao Contador:
 Orientações iniciais para abertura e regularização;
 Orientações sobre o tipo de empresa que lhe atende;
 Orientações sobre a melhor forma tributária;
 Orientações Fiscais e Legalização;
 Orientações Financeiras (Fluxo de Caixa e Capital de Giro);
 Acompanhamento e consultoria mensal;
 Orientação sobre os controles necessários;
 SEGURANÇA!!!
41
Orientações
Importantes
42
 Cuidar do Capital de Giro Necessário a sua empresa;
 Preparar, acompanhar e respeitar o Fluxo de caixa da
empresa;
 Planejamento e controle financeiro.
43
 Desvinculação dos gastos pessoais dos sócios da pessoa
jurídica;
 Despesas de sócios e definição de pró labore e Retirada de
lucros;
 Preparação e Controle dos Documentos da empresa.
44
 Documento fiscal Hábil para suportar todas as operações realizadas
- Notas fiscais;
- Contratos de Prestação de serviços.
 Extratos bancários e de aplicações financeiras
- Relatórios auxiliares da administração;
- Livro Banco, Livro Caixa e cópia de cheque.
 Controles internos
- Contas a pagar e contas a receber;
- Controle de clientes, controle de fornecedores e controle de Inadimplentes.
45
Controlar e Informar ao Contador
 Operações alheias ao contexto operacional;
 Recebimento de aluguel e venda de imobilizados
46
A Contabilidade é
obrigatória para
todas as empresas!
47
Benefícios da
Contabilidade
48
Segregação da PJ da
PF
Segurança na distribuição dos lucros
Credibilidade
junto a terceiros
Segurança contra autuações do FISCO
Auxílio nos controles internos
Segurança Financeira Legal e nos relacionamentos
comerciais.
49
Instrumento de Gestão Contabilidade e Planejamento Tributário
Benefícios Financeiros
Lucros em valor superior a
presunção podem distribuir com
isenção do IR na Jurídica e Física
Pagar menos Imposto dentro da
Legalidade (Elisão Fiscal)
Prova a favor da Empresa
(Livro Diário, Balanços, etc.)
Benefícios Jurídicos
Falência / Recuperação
Perícias Judiciais
Transações Sistema Financeiro
Protege a empresa e sócios perante a
legislação, fiscalização e terceiros
50
51
“O planejamento de longo prazo
não lida com decisões futuras,
mas com o futuro de decisões
presentes.”
Peter Drucker
@fly01oficial totvs.com
OBRIGADO
Carlos Alberto Baptistão
Vice-Presidente Financeiro do SESCON-SP
carlos.baptistao@sescon.org.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Simples nacional
Simples nacionalSimples nacional
Simples nacional
Helenvitoria
 
Lucro real legislação e apuração
Lucro real legislação e apuraçãoLucro real legislação e apuração
Lucro real legislação e apuração
Bruno_fbrandao
 
Pis e cofins lucro presumido x simples nacional
Pis e cofins   lucro presumido x simples nacionalPis e cofins   lucro presumido x simples nacional
Pis e cofins lucro presumido x simples nacional
PRJD26
 
Lucro presumido
Lucro presumidoLucro presumido
Lucro presumido
apostilacontabil
 
Lucro real i
Lucro real iLucro real i
Lucro real i
apostilacontabil
 
Lucro Real
Lucro RealLucro Real
Tributação lucro real lucro presumido simples nacional
Tributação lucro real lucro presumido simples nacionalTributação lucro real lucro presumido simples nacional
Tributação lucro real lucro presumido simples nacional
Glauco Corrêa de Queiróz
 
Lucro real (parte 1)
Lucro real (parte 1)Lucro real (parte 1)
Lucro real (parte 1)
Aquiles Da Silva Cruz Silva
 
Apresentação do trabalho lucro real
Apresentação do trabalho   lucro realApresentação do trabalho   lucro real
Apresentação do trabalho lucro real
Carlos Moura
 
63094155 lucro-real-teoria-pratica
63094155 lucro-real-teoria-pratica63094155 lucro-real-teoria-pratica
63094155 lucro-real-teoria-pratica
Janielle Alves
 
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita'' Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
yurineres7
 
Lucro real
Lucro realLucro real
Lucro real
thiagorangel7
 
Trabalho top. iii lucro presumido
Trabalho top. iii lucro presumidoTrabalho top. iii lucro presumido
Trabalho top. iii lucro presumido
Antonio Bezerra ON
 
SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...
SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...
SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...
ALEXANDRE PANTOJA
 
Irpj Lucro Presumido Regime de Caixa
Irpj Lucro Presumido  Regime de CaixaIrpj Lucro Presumido  Regime de Caixa
Irpj Lucro Presumido Regime de Caixa
Ademir Staub
 
Simples nacional
Simples nacionalSimples nacional
Simples nacional
Bruno_fbrandao
 
A Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRia
A Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRiaA Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRia
A Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRia
Rafhael Sena
 
Reforma tributária jun 2021
Reforma tributária jun 2021Reforma tributária jun 2021
Reforma tributária jun 2021
ConsuaresAssessoria
 
Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...
Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...
Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...
ALEXANDRE PANTOJA
 
curso basico_simples_nacional
curso basico_simples_nacionalcurso basico_simples_nacional
curso basico_simples_nacional
Marcus Oliveira
 

Mais procurados (20)

Simples nacional
Simples nacionalSimples nacional
Simples nacional
 
Lucro real legislação e apuração
Lucro real legislação e apuraçãoLucro real legislação e apuração
Lucro real legislação e apuração
 
Pis e cofins lucro presumido x simples nacional
Pis e cofins   lucro presumido x simples nacionalPis e cofins   lucro presumido x simples nacional
Pis e cofins lucro presumido x simples nacional
 
Lucro presumido
Lucro presumidoLucro presumido
Lucro presumido
 
Lucro real i
Lucro real iLucro real i
Lucro real i
 
Lucro Real
Lucro RealLucro Real
Lucro Real
 
Tributação lucro real lucro presumido simples nacional
Tributação lucro real lucro presumido simples nacionalTributação lucro real lucro presumido simples nacional
Tributação lucro real lucro presumido simples nacional
 
Lucro real (parte 1)
Lucro real (parte 1)Lucro real (parte 1)
Lucro real (parte 1)
 
Apresentação do trabalho lucro real
Apresentação do trabalho   lucro realApresentação do trabalho   lucro real
Apresentação do trabalho lucro real
 
63094155 lucro-real-teoria-pratica
63094155 lucro-real-teoria-pratica63094155 lucro-real-teoria-pratica
63094155 lucro-real-teoria-pratica
 
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita'' Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
Trabalho Simples Nacional ''parte escrita''
 
Lucro real
Lucro realLucro real
Lucro real
 
Trabalho top. iii lucro presumido
Trabalho top. iii lucro presumidoTrabalho top. iii lucro presumido
Trabalho top. iii lucro presumido
 
SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...
SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...
SIMPLES NACIONAL. LEI COMPLEMENTAR 147/2014. NOVAS ATIVIDADES E PARÂMETROS DE...
 
Irpj Lucro Presumido Regime de Caixa
Irpj Lucro Presumido  Regime de CaixaIrpj Lucro Presumido  Regime de Caixa
Irpj Lucro Presumido Regime de Caixa
 
Simples nacional
Simples nacionalSimples nacional
Simples nacional
 
A Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRia
A Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRiaA Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRia
A Escolha Da Modalidade De TributaçãO E Economia TributáRia
 
Reforma tributária jun 2021
Reforma tributária jun 2021Reforma tributária jun 2021
Reforma tributária jun 2021
 
Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...
Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...
Simples Nacional - CASO CONCRETO:restituição e compensação de valores recolhi...
 
curso basico_simples_nacional
curso basico_simples_nacionalcurso basico_simples_nacional
curso basico_simples_nacional
 

Semelhante a Planejamento tributário no início do negócio

2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral
2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral
2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral
zairazaira
 
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Chico Macena
 
Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009
Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009
Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009
SEBRAE MS
 
Apresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples Nacional
Apresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples NacionalApresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples Nacional
Apresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples Nacional
ERICK THALIS SANTOS PINTO
 
Palestra lexdata cro es22-082013
Palestra lexdata cro es22-082013Palestra lexdata cro es22-082013
Palestra lexdata cro es22-082013
Eduardo Ribeiro
 
Tributos para pequenas empresas
Tributos para pequenas empresasTributos para pequenas empresas
Tributos para pequenas empresas
custos contabil
 
Apresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30D
Apresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30DApresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30D
Apresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30D
FoodWeb
 
Declaração lorhana ac prof sirlei (1)
Declaração lorhana ac prof sirlei (1)Declaração lorhana ac prof sirlei (1)
Declaração lorhana ac prof sirlei (1)
LorhanaMoreira
 
Portifólio grupo
Portifólio grupoPortifólio grupo
Portifólio grupo
HUGO110027
 
ABC lucro
ABC lucroABC lucro
ABC lucro
Helbert Horta
 
Palestra Microempreendedor Individual - MEI
Palestra Microempreendedor Individual - MEIPalestra Microempreendedor Individual - MEI
Palestra Microempreendedor Individual - MEI
sebraeleste1
 
Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14
Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14
Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14
Thiago Chaim
 
Impostos 04
Impostos 04Impostos 04
Impostos 04
razonetecontabil
 
Planejamento tributario para_empreendedores
Planejamento tributario para_empreendedoresPlanejamento tributario para_empreendedores
Planejamento tributario para_empreendedores
Marcelino Fernandes
 
Guia Fiscal 2016
Guia Fiscal 2016Guia Fiscal 2016
Guia Fiscal 2016
Deloitte Portugal
 
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributáriaA escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
Rafhael Sena
 
Regimes de tributação
Regimes de tributaçãoRegimes de tributação
Regimes de tributação
William Ribeiro
 
Ebook Receita Federal
Ebook Receita FederalEbook Receita Federal
Ebook Receita Federal
Personality Contabilidade
 
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decacSistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Rossandro Nogueira Rodrigues
 
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
 Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci... Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
Andréia Lima
 

Semelhante a Planejamento tributário no início do negócio (20)

2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral
2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral
2050 sebraemg-palestras sebrae-mg - lei geral os novos benefícios da lei geral
 
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
Cartilha Mei - Micro Empreendedor Individual
 
Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009
Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009
Palestra Planejando A Abertura de sua Empresa 2009
 
Apresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples Nacional
Apresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples NacionalApresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples Nacional
Apresentação em slides Trabalho Acadêmico Simples Nacional
 
Palestra lexdata cro es22-082013
Palestra lexdata cro es22-082013Palestra lexdata cro es22-082013
Palestra lexdata cro es22-082013
 
Tributos para pequenas empresas
Tributos para pequenas empresasTributos para pequenas empresas
Tributos para pequenas empresas
 
Apresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30D
Apresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30DApresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30D
Apresentacao MEI Microempreendedor Individual - Sushi30D
 
Declaração lorhana ac prof sirlei (1)
Declaração lorhana ac prof sirlei (1)Declaração lorhana ac prof sirlei (1)
Declaração lorhana ac prof sirlei (1)
 
Portifólio grupo
Portifólio grupoPortifólio grupo
Portifólio grupo
 
ABC lucro
ABC lucroABC lucro
ABC lucro
 
Palestra Microempreendedor Individual - MEI
Palestra Microempreendedor Individual - MEIPalestra Microempreendedor Individual - MEI
Palestra Microempreendedor Individual - MEI
 
Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14
Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14
Exame Suficiência CFC 2018/1 Prova Branca Questão 14
 
Impostos 04
Impostos 04Impostos 04
Impostos 04
 
Planejamento tributario para_empreendedores
Planejamento tributario para_empreendedoresPlanejamento tributario para_empreendedores
Planejamento tributario para_empreendedores
 
Guia Fiscal 2016
Guia Fiscal 2016Guia Fiscal 2016
Guia Fiscal 2016
 
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributáriaA escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
 
Regimes de tributação
Regimes de tributaçãoRegimes de tributação
Regimes de tributação
 
Ebook Receita Federal
Ebook Receita FederalEbook Receita Federal
Ebook Receita Federal
 
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decacSistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
 
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
 Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci... Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
Legislação Empresarial - Micro Empresas, Empreendedor, Tributos,Simples Naci...
 

Mais de Fly01

Como ter uma gestão financeira saudável
Como ter uma gestão financeira saudávelComo ter uma gestão financeira saudável
Como ter uma gestão financeira saudável
Fly01
 
Como contratar e reter meus funcionários?
Como contratar e reter meus funcionários?Como contratar e reter meus funcionários?
Como contratar e reter meus funcionários?
Fly01
 
Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais
Fly01
 
Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?
Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?
Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?
Fly01
 
Como fazer marketing na era das redes sociais?
Como fazer marketing na era das redes sociais?Como fazer marketing na era das redes sociais?
Como fazer marketing na era das redes sociais?
Fly01
 
Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios
Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios
Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios
Fly01
 
Inovação para o micro e pequeno negócio
Inovação para o micro e pequeno negócioInovação para o micro e pequeno negócio
Inovação para o micro e pequeno negócio
Fly01
 

Mais de Fly01 (7)

Como ter uma gestão financeira saudável
Como ter uma gestão financeira saudávelComo ter uma gestão financeira saudável
Como ter uma gestão financeira saudável
 
Como contratar e reter meus funcionários?
Como contratar e reter meus funcionários?Como contratar e reter meus funcionários?
Como contratar e reter meus funcionários?
 
Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais Entenda todas as legislações fiscais
Entenda todas as legislações fiscais
 
Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?
Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?
Como vender mais e melhor com os mesmos recursos?
 
Como fazer marketing na era das redes sociais?
Como fazer marketing na era das redes sociais?Como fazer marketing na era das redes sociais?
Como fazer marketing na era das redes sociais?
 
Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios
Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios
Transformação Digital para Micro e Pequenos Negócios
 
Inovação para o micro e pequeno negócio
Inovação para o micro e pequeno negócioInovação para o micro e pequeno negócio
Inovação para o micro e pequeno negócio
 

Último

Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 

Último (8)

Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 

Planejamento tributário no início do negócio

  • 1. A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO NO INÍCIO DO EMPREENDIMENTO Carlos Alberto Baptistão Vice-Presidente Financeiro do SESCON-SP
  • 2. 2 Apresentação  Início dos empreendimentos;  Cuidados Fiscais, Tributários e Contábeis;  Importância do Contabilista.
  • 3. 3 O início  Uma Ideia;  Um bom negócio;  Uma Atitude;  Oportunidade ou Necessidade.
  • 4. 4 Providências Iniciais Busca de Recursos:  Um sócio;  Um investidor;  Vou por conta própria.
  • 5. 5 Providências Iniciais: Busca de Local:  No Fundo de Casa;  Na Garagem/Casa da família;  Locação;  Locais de apoio ao empresário iniciante (incubadora).
  • 7. 7 Providências Legais:  Abertura da Empresa;  Obtenção das licenças;  Regularização.
  • 8. 8 Providências Fiscais:  Emissão de Notas Fiscais;  Emissão de documentos para concorrências e licitações;  Emissão de Certidões;  Outros.
  • 9. 9 Providências Administrativas:  Aquisição de Certificado Digital (e-CNPJ | e-CPF);  Abertura de conta corrente.
  • 10. 10 Tipos de Empresas (natureza jurídica)  SOCIEDADE SIMPLES LTDA  SOCIEDADE EMPRESARIA LTDA  SOCIEDADE ANÔNIMA  EMPRESARIO INDIVIDUAL  EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LTDA (EIRELI)  MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI)
  • 11. 11 Sociedade Simples LTDA Sociedade formada por dois ou mais sócios, para o exercício de atividades intelectuais de caráter cientifico, literário ou artístico. A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas (participação), porém, respondem solidariamente pela integralização do capital social.
  • 12. 12 Sociedade Empresaria LTDA Sociedade formada por dois ou mais sócios, para o exercício de atividades empresariais (Industria, Comércio ou Serviços). A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas (participação), porém, respondem solidariamente pela integralização do capital social.
  • 13. 13 Sociedade Anônima A Sociedade Anônima, também chamada de companhia ou sociedade por ações, é nome dado a uma empresa com fins lucrativos que tem seu capital dividido em ações. A responsabilidade de seus acionistas é limitada ao preço da emissão das ações. As sociedades anônimas podem ser divididas em dois tipos: Capital aberto e Capital Fechado.
  • 14. 14 Empresário Individual Essa natureza jurídica compreende o empresário individual, pessoa física, que exerça profissionalmente atividade econômica, para a circulação de bens ou a prestação de serviços. O empresário individual possui responsabilidade ilimitada aos seus negócios. Ou seja, os empresários individuais em regra, assumem o risco de forma pessoal e ilimitada, inexistindo diferenciação patrimonial, existindo a possibilidade que os bens pessoais, bem como os da atividade empresarial, respondam solidariamente por dividas contraídas, independente da origem e natureza.
  • 15. 15 Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) Empresa individual, formada por uma única pessoa, titular da totalidade do capital social. O titular pela EIRELI possui responsabilidade limitada ao capital social, ou seja, embora seja formado por um único titular, para esta modalidade jurídica há a separação entre os bens empresariais e o privado. No entanto, o capital social da EIRELI, não poderá ser inferior a 100 (cem) salários mínimos vigentes.
  • 16. 16 Microempreendedor Individual (MEI) MEI é o pequeno empresário individual, que exerçam uma das atividades econômicas previstas no anexo XIII da Resolução do Comitê Gestor do Simples Nacional de nº 94/2011, com receita bruta anual de até R$ 60.000,00 (R$ 5.000,00/mês). O MEI não poderá participar como sócio, administrador ou titular de outra empresa e poderá ter no máximo um empregado registrado. O MEI possui responsabilidade ilimitada, assim como o empresário individual.
  • 18. 18 Lucro Real Consiste na sistemática da apuração do Imposto de Renda (IRPJ) e Contribuição Social (CSLL), com base no lucro apurado contabilmente, devidamente ajustado pelas adições e exclusões definidas pela legislação do Imposto de Renda. Compõem este regime:  IRPJ (alíquota de 15% mais adicional de 10% para lucro superior a R$ 20.000 mensais);  CSLL (Alíquota de 9%);  PIS (0,65% se cumulativo e 1,65% se não cumulativo);  COFINS (3% se cumulativo e 7,6% se não cumulativo);  Outros (IPI, Contribuição Patronal Previdenciária, ICMS e ISS).
  • 19. 19 Lucro Presumido O Lucro Presumido é o regime tributário pelo qual são utilizadas alíquotas de presunção, definidas em lei, para a apuração dos valores devidos a título de Imposto de Renda (IRPJ) e Contribuição Social (CSSL).  Atividades de serviços: Base de cálculo = Receita Bruta x 32%;  Atividades industriais e de comercio: Base de calculo = Receita Bruta x 8% (IRPJ) e 12% (CSLL) Compõem este regime:  IRPJ (alíquota de 15% mais adicional de 10% para lucro superior a R$ 20.000 mensais);  CSLL (Alíquota de 9%);  PIS (0,65% sempre cumulativo);  COFINS (3% sempre cumulativo);  Outros (IPI, Contribuição Patronal Previdenciária, ICMS e ISS).
  • 20. 20 Simples Nacional É um regime especial e diferenciado, que visa a simplificação das obrigações acessórias e o recolhimento unificado dos tributos por meio de documento único de arrecadação (DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Compõem este regime:  IRPJ, IPI, CSLL, COFINS, PIS/Pasep e CPP – Contribuição Patronal Previdenciária, de competência Federal;  ICMS, de competência estadual e ISS, de competência municipal.
  • 21. 21 TABELAS DO SIMPLES NACIONAL ANEXO I - COMÉRCIO ANEXO II – INDÚSTRIA ANEXO III – SERVIÇOS E LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS ANEXO IV – SERVIÇOS ANEXO V – SERVIÇOS ANEXO VI – SERVIÇOS NÃO INCLUÍDOS NOS ANEXOS ANTERIORES
  • 22. 22 RESUMO – ALÍQUOTAS - ANEXOS Receita Bruta em 12 meses (em R$) ANEXO I ANEXO II ANEXO III ANEXO IV ANEXO V ANEXO VI De R$ 0,00 a R$ 180.000,00 4,00% 4,50% 6,00% 4,50% + CPP 27,8% 17,50% a 8,00% 16,93% De R$ 180.000,01 a R$ 360.000,00 5,47% 5,97% 8,21% 6,54% + CPP 27,8% 17,52% a 8,48% 17,72% De R$ 360.000,01 a R$ 540.000,00 6,84% 7,34% 10,26% 7,70% + CPP 27,8% 17,55% a 9,03% 18,43% De R$ 540.000,01 a R$ 720.000,00 7,54% 8,04% 11,31% 8,49% + CPP 27,8% 17,95% a 9,34% 18,77% De R$ 720.000,01 a R$ 900.000,00 7,60% 8,10% 11,40% 8,97% + CPP 27,8% 18,15% a 10,06% 19,04% De R$ 900.000,01 a R$ 1.080.000,00 8,28% 8,78% 12,42% 9,78% + CPP 27,8% 18,45% a 10,60% 19,94% De R$ 1.080.000,01 a R$ 1.260.000,00 8,36% 8,86% 12,54% 10,26% + CPP 27,8% 18,55% a 10,68% 20,34% De R$ 1.260.000,01 a R$ 1.440.000,00 8,45% 8,95% 12,68% 10,76% + CPP 27,8% 18,62% a 10,69% 20,66% De R$ 1.440.000,01 a R$ 1.620.000,00 9,03% 9,53% 13,55% 11,51% + CPP 27,8% 18,72% a 11,08% 21,17% De R$ 1.620.000,01 a R$ 1.800.000,00 9,12% 9,62% 13,68% 12,00% + CPP 27,8% 18,86% a 11,09% 21,38% De R$ 1.800.000,01 a R$ 1.980.000,00 9,95% 10,45% 14,93% 12,80% + CPP 27,8% 18,96% a 11,87% 21,86% De R$ 1.980.000,01 a R$ 2.160.000,00 10,04% 10,54% 15,06% 13,25% + CPP 27,8% 19,06% a 12,28% 21,97% De R$ 2.160.000,01 a R$ 2.340.000,00 10,13% 10,63% 15,20% 13,70% + CPP 27,8% 19,26% a 12,68% 22,06% De R$ 2.340.000,01 a R$ 2.520.000,00 10,23% 10,73% 15,35% 14,15% + CPP 27,8% 19,56% a 13,26% 22,14% De R$ 2.520.000,01 a R$ 2.700.000,00 10,32% 10,82% 15,48% 14,60% + CPP 27,8% 20,70% a 14,29% 22,21% De R$ 2.700.000,01 a R$ 2.880.000,00 11,23% 11,73% 16,85% 15,05% + CPP 27,8% 21,20% a 15,23% 22,21% De R$ 2.880.000,01 a R$ 3.060.000,00 11,32% 11,82% 16,98% 15,50% + CPP 27,8% 21,70% a 16,17% 22,32% De R$ 3.060.000,01 a R$ 3.240.000,00 11,42% 11,92% 17,13% 15,95% + CPP 27,8% 22,20% a 16,51% 22,37% De R$ 3.240.000,01 a R$ 3.420.000,00 11,51% 12,01% 17,27% 16,40% + CPP 27,8% 22,50% a 16,94% 22,41% De R$ 3.420.000,01 a R$ 3.600.000,00 11,61% 12,11% 17,42% 16,85% + CPP 27,8% 22,90% a 17,18% 22,45%
  • 23. 23 Cálculo COMPETÊNCIA FATURAMENTO 07/2016 50.000,00 08/2016 75.000,00 09/2016 82.000,00 10/2016 100.000,00 11/2016 65.000,00 12/2016 78.000,00 01/2017 92.000,00 02/2017 55.000,00 03/2017 95.000,00 04/2017 80.000,00 05/2017 90.000,00 06/2017 80.000,00 TOTAL 942.000,00 TABELA IV (Serviços Advocatícios) Receita Bruta em12 meses (R$) Alíquota Até 180.000,00 4,5% De 180.000,01 a 360.000,00 6,54% De 360.000,01 a 540.000,00 7,70% De 540.000,01 a 720.000,00 8,49% De 720.000,01 a 900.000,00 8,97% De 900.000,01 a 1. 080.000,00 9,78% Outras faixas ... De 3.420.000,01 a 3. 600.000,00 16,85% 75.000,00 * 9,78% = 7.335,00 Competência 07/2017 Faturamento = R$ 75.000,00
  • 24. 24 Características Arrecadação Unificada (DAS) Declaração Unificada Anual (DASN/ DEFIS) Unifica Tributos (IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI, ICMS, ISSQN, CPP) exceto tabela IV Facultativo Irretratável
  • 25. 25 SIMPLES SIMEI Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos abrangidos pelo Simples Nacional, devidos pelo Microempreendedor Individual (MEI). Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP). *Composição MEI 2017: - R$ 46,85 a título de Contribuição para Seguridade Social; - R$ 1,00 a título de ICMS (dependendo da atividade); - R$ 5,00 a título de ISS (dependendo da atividade).
  • 26. 26 Planejamento Tributário Planejamento Tributário ou Elisão Fiscal, consiste no estudo elaborado pelo profissional contábil, para a definição e escolha do Tipo de empresa que se adequa a necessidade do empresário e do regime tributário que represente o menor ônus tributário para a empresa, de acordo com a legislação vigente. O uso de meios ilícitos, para reduzir ou evitar a incidência de tributos, configura-se Evasão Fiscal (crime).
  • 27. 27 Imposto sobre Serviços - ISS O ISS é o Imposto Sobre Serviços é um tributo de competência dos municípios e Distrito Federal e incide sobre a prestação de serviços. É regido, a partir de 01 de agosto de 2003, pela Lei complementar 116/2003. Tem como fato gerador a relação de serviços contida na Lei nº 11.438/1997. O ISS é pago pelas empresas prestadoras de serviços e profissionais autônomos. As alíquotas do ISS no município de São Paulo, variam de 2% a 5% de acordo com os serviços prestados.
  • 28. 28 Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços - ICMS É um imposto Estadual, que incide sobre a circulação de mercadorias como eletrodomésticos, alimentos, serviços de comunicação e transporte intermunicipal e interestadual, entre outros. O valor da alíquota do ICMS varia de estado para estado, porém a maioria dos estados utiliza a alíquota de 18%.
  • 30. 30 Comparativo “A” Prestação de Serviços mensal de R$ 15.000,00 (sujeita ao anexo III do Simples Nacional): PESSOA FISICA SIMPLES - ANEXO III LUCRO PRESUMIDO RECEITA BRUTA 15.000,00 RECEITA BRUTA 15.000,00 RECEITA BRUTA 15.000,00 IRRF (tabela progressiva) 3.255,64 SIMPLES NACIONAL (6%) 900,00 COFINS (3,00%) 450,00 PIS (0,65%) 97,50 ISS (5,00%) 750,00 IRPJ (Base de 32% x 15%) 720,00 CSLL (Base de 32% x 9%) 432,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 3.255,64 (=) TOTAL TRIBUTOS 900,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 2.449,50 *SOMENTE TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE A RECEITA BRUTA
  • 31. 31 Comparativo “B” Prestação de Serviços mensal de R$ 150.000,00 (sujeita ao anexo III do Simples Nacional), e Folha de Pagamento de R$ 25.000,00: SIMPLES - ANEXO III LUCRO PRESUMIDO RECEITA BRUTA 150.000,00 RECEITA BRUTA 150.000,00 SIMPLES NACIONAL (13,68%) 20.520,00 COFINS (3,00%) 4.500,00 PIS (0,65%) 975,00 FGTS (25.000,00 x 8%) 2.000,00 ISS (5,00%) 7.500,00 IRPJ (Base de 32% x 15%) 7.200,00 IRPJ Adicional (10%) 2.800,00 CSLL (Base de 32% x 9%) 4.320,00 CPP (25.000,00 x 27,8%) 6.950,00 FGTS (25.000,00 x 8%) 2.000,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 22.520,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 36.245,00
  • 32. 32 Comparativo “C” Prestação de Serviços mensal de R$ 200.000,00 (sujeita ao anexo III do Simples Nacional) e Folha de Pagamento de R$ 55.000,00 e Lucro Contábil de R$ 15.000,00 – 7,5%: SIMPLES - ANEXO III LUCRO PRESUMIDO LUCRO REAL RECEITA BRUTA 200.000,00 RECEITA BRUTA 200.000,00 LUCRO CONTÁBIL 15.000,00 SIMPLES NACIONAL (15,35%) 30.700,00 COFINS (3,00%) 6.000,00 COFINS (Faturamento x 7,6%) 15.200,00 PIS (0,65%) 1.300,00 PIS (Faturamento x 1,65%) 3.300,00 FGTS (55.000,00 x 8%) 4.400,00 ISS (5,00%) 10.000,00 ISS (5,00%) 10.000,00 IRPJ (Base de 32% x 15%) 9.600,00 IRPJ (base x 15%) 2.250,00 IRPJ Adicional (10%) 4.400,00 CSLL (Base x 9%) 1.350,00 CSLL (Base de 32% x 9%) 5.760,00 CPP (55.000,00 x 27,8%) 15.290,00 CPP (55.000,00 x 27,8%) 15.290,00 FGTS (55.000,00 x 8%) 4.400,00 FGTS (55.000,00 x 8%) 4.400,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 35.100,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 56.750,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 51.790,00
  • 33. 33 Comparativo “D” Revenda de Mercadorias (comércio – ANEXO I), com Receita Bruta de R$ 20.000,00/mês, Compra de Estoque = R$ 5.000,00 e Lucro Contábil = R$ 0,00. SIMPLES - ANEXO I LUCRO PRESUMIDO LUCRO REAL RECEITA BRUTA 20.000,00 RECEITA BRUTA 20.000,00 LUCRO CONTÁBIL 0,00 SIMPLES NACIONAL (5,47%) 1.094,00 COFINS (3,00%) 600,00 COFINS ((RB – C) x 7,6%) 1.140,00 PIS (0,65%) 130,00 PIS ((RB – C) x 1,65%) 247,50 ICMS ((RB – C) x 18,00%) 2.700,00 ICMS ((RB – C) x 18,00%) 2.700,00 IRPJ (Base de 8% x 15%) 240,00 IRPJ (base x 15%) 0,00 CSLL (Base de 12% x 9%) 216,00 CSLL (Base x 9%) 0,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 1.094,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 3.886,00 (=) TOTAL TRIBUTOS 4.087,50 *SOMENTE TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE A RECEITA BRUTA
  • 34. 34 OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS OBRIGAÇÃO PERIODICIDADE SIMPLES PRESUMIDO REAL DCTF MENSAL NÃO SIM SIM EFD CONTRIBUIÇÕES MENSAL NÃO SIM SIM EFD - ICMS/IPI MENSAL NÃO SIM SIM GIA MENSAL NÃO SIM SIM PG-DAS MENSAL SIM NÃO NÃO LALUR MENSAL/TRIMESTRAL NÃO NÃO SIM ECD ANUAL NÃO SIM SIM ECF ANUAL NÃO SIM SIM GFIP MENSAL SIM SIM SIM CAGED MENSAL SIM SIM SIM DEFIS ANUAL SIM NÃO NÃO DIRF ANUAL SIM SIM SIM DMED ANUAL SIM SIM SIM DIMOB ANUAL SIM SIM SIM
  • 35. 35 CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES (INTELIGÊNCIA FISCAL) CUIDADOS NECESSÁRIOS
  • 36. 36 Cruzamentos na Pessoa Física DECLARAÇÃO AJUSTE ANUAL DIRF DMED DIMOB DECRED DIMOF/E- Financeira
  • 37. 37 Cruzamentos na Pessoa Jurídica NOTA FISCAL DIPJ DASN DIRFDCTF EFD PIS/ COFINS SPED
  • 38. 38 Fiscalização Passado e Futuro Mudança no modo de atuação do Fisco PASSADO HOJE/FUTURO Repressiva Isolado Auditar Passado Conferência Manual Poucas Fontes Amostragem Provas em papel Fiscalização em loco Generalista Preventiva Integrado Acompanhar o presente e projetar o futuro Auditoria Eletrônica Múltiplas Fontes 100% Operações Provas eletrônicas Fiscalização à distância Especialista
  • 40. 40 Atribuições ao Contador:  Orientações iniciais para abertura e regularização;  Orientações sobre o tipo de empresa que lhe atende;  Orientações sobre a melhor forma tributária;  Orientações Fiscais e Legalização;  Orientações Financeiras (Fluxo de Caixa e Capital de Giro);  Acompanhamento e consultoria mensal;  Orientação sobre os controles necessários;  SEGURANÇA!!!
  • 42. 42  Cuidar do Capital de Giro Necessário a sua empresa;  Preparar, acompanhar e respeitar o Fluxo de caixa da empresa;  Planejamento e controle financeiro.
  • 43. 43  Desvinculação dos gastos pessoais dos sócios da pessoa jurídica;  Despesas de sócios e definição de pró labore e Retirada de lucros;  Preparação e Controle dos Documentos da empresa.
  • 44. 44  Documento fiscal Hábil para suportar todas as operações realizadas - Notas fiscais; - Contratos de Prestação de serviços.  Extratos bancários e de aplicações financeiras - Relatórios auxiliares da administração; - Livro Banco, Livro Caixa e cópia de cheque.  Controles internos - Contas a pagar e contas a receber; - Controle de clientes, controle de fornecedores e controle de Inadimplentes.
  • 45. 45 Controlar e Informar ao Contador  Operações alheias ao contexto operacional;  Recebimento de aluguel e venda de imobilizados
  • 46. 46 A Contabilidade é obrigatória para todas as empresas!
  • 48. 48 Segregação da PJ da PF Segurança na distribuição dos lucros Credibilidade junto a terceiros Segurança contra autuações do FISCO Auxílio nos controles internos Segurança Financeira Legal e nos relacionamentos comerciais.
  • 49. 49 Instrumento de Gestão Contabilidade e Planejamento Tributário Benefícios Financeiros Lucros em valor superior a presunção podem distribuir com isenção do IR na Jurídica e Física Pagar menos Imposto dentro da Legalidade (Elisão Fiscal) Prova a favor da Empresa (Livro Diário, Balanços, etc.) Benefícios Jurídicos Falência / Recuperação Perícias Judiciais Transações Sistema Financeiro Protege a empresa e sócios perante a legislação, fiscalização e terceiros
  • 50. 50
  • 51. 51 “O planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras, mas com o futuro de decisões presentes.” Peter Drucker
  • 52. @fly01oficial totvs.com OBRIGADO Carlos Alberto Baptistão Vice-Presidente Financeiro do SESCON-SP carlos.baptistao@sescon.org.br