SlideShare uma empresa Scribd logo
CONTROLE INVASIVO DAS
    VIAS AÉREAS

           Rodrigo Biondi
        Anestesiologia – SBA
       Terapia Intensiva – AMIB
   Ten Médico Socorrista - CBMERJ
        Instrutor ACLS – SBC
SEMPRE PEDIR AJUDA!!
CET Int. de Santos   99
Dr X.Combes, SAMU du Val de Marne, Créteil, França
Vias Aéreas
 MANUSEIO AVANÇADO DAS
 VIAS AÉREAS SUPERIORES

    CÂNULAS ORO/NASOFARÍNGEAS

    ENTUBAÇÃO TRAQUEAL

    MÁSCARA LARÍNGEA(LMA®)

    COMBITUBE®

    CRICOTIREOSTOMIA
SEMPRE PRÉ-OXIGENAR
       PRÉ-
Relação queda de saturação da Hb X tempo: efeito de
                                     tempo:
      3 diferentes técnicas de pré-oxigenação
                               pré-




               Anesthesiology 1999;91(3):612-616
Ventilação sob Máscara
Vias Aéreas
 MATERIAL
Vias Aéreas
 LÂMINA RETA OU
 LÂMINA CURVA ?
Vias Aéreas
 LÂMINA RETA OU
 LÂMINA CURVA ?
Vias Aéreas
 POSICIONAMENTO
Vias Aéreas
 POSICIONAMENTO
Vias Aéreas
 POSICIONAMENTO
Posicionamento
Dificuldades no Posicionamento:
                                                                        OBESIDADE MÓRBIDA




                                                      Posicionamento do Paciente com Obesidade Mórbida para Intubação Traqueal; Sousa,
                                                    LR; Porsani, DF; Branco, A; carta leitores - RBA Vol. 50, Nº 6, Nov-Dez, 2000

 Levitan et al: Direct Laryngoscopy; Hospital Physician May 2000; pp. 47 - 56, 59
Vias Aéreas
É DIFÍCIL ?
Vias Aéreas
O QUE PROCURAR ?
ADALUC NROC
ADALUC NROC
ADALUCIIINROC            ED ÓNET RA
                          ED ÓNET RA
                         EDIIIÓNETIIIRA
 MEGAL TRAC
 MEGAL TRAC
 MEGALIIITRAC            MEGAL TRAC
                         MEGALIIITRAC
                         MEGAL TRAC
E
EMROFIENUC
MEGAL TRAC
MEGALIITRAC
                ETOLG
                ETOLG
                ETOLG
                ETOLG
                             LACOV ADROC
                             LACOV ADROC
                             LACOV ADROC
                             LACOV ADROC
 ETOLG PE
 ETOLG PE
 ETOLGIIIIPE
 ETOLG PE               ALUCÉLAV
      AUGNÍL
                                           Vias Aéreas
Manobras de compressão laríngea externa:
                         “Deslocamento para trás e para cima da
                         cartilagem tireóide, osso hióide e/ou cartilagem
                         cricóide”

                                            Compressão Laríngea Externa




                                              60% Cormack III => II
I         II       III             IV
Manobras de compressão laríngea externa:
                                         ‘BURP’
                                 Backward, Upward, Rightward
                                     laryngeal Pressure




60% Cormack III => II



   Knill R; Can J Anaesth 1993
Vias Aéreas                PILOTO


TUBO TRAQUEAL

        CUFF


                MARCAÇÃO

    DIÂMETRO
    INTERNO
Intubação difícil....
“Bougie” » guias introdutores de
               Bougie”
               “Macintosh-Venn-
               “Macintosh-Venn-Eschmann”
                  “gum elastic bougies”




•   Padrão corrente nos deptos. de     Primeiro uso em 1943 por
    emergência nos EUA                 Macintosh
•   Rígido com alguma flexibilidade    Sucesso na intubação traqueal às
                                       cegas confirmado por sensação
•   Potentialmente traumatico para a
                                       táctil
    laringe e traquéia
                                       Útil em pacientes com imobilização
                                       cervical
guias introdutores de “Macintosh-Venn-Eschmann”
“gum elastic bougies”




                            I     II   III   IV
Índice de sucesso de IOT com uso do « Bougie » X
           Guia em pacientes Cormack 3

     100

      80

      60                                      "Bougie"

      40
                                              Guia metálico
                                              maleável
      20

       0
           1ª tentativa 2ª tentativa


                                 Gataure PS; Anaesthesia 51(10): 935–8 1996
130 kg / 170cm; Cormack 4, intubado através
 de um guia introdutor de “Macintosh-Venn-
                          “Macintosh-Venn-
     Eschmann” (“gum elastic bougie”)




                       Foto Dr. X.Combes; SAMU 94 FR
Vias Aéreas
 Vias Aéreas: outros dispositivos...
Vias Aéreas
COMBITUBE®


              2




                  1
85% dos casos
Vias Aéreas
LMA®




              BARRAS DE
              ABERTURA



    CUFF



                          PILOTO
Vias Aéreas
       LMA®

LMA      vol     peso       ID

N. 1     4 ml    < 5 kg

N. 1,5   7 ml    5-10 kg

N. 2     10 ml   11-20 kg
                 11-

N. 2,5   14 ml   21-30 kg
                 21-

N. 3     20 ml   31-50 kg
                 31-        6,0 mm

N. 4     30 ml   51-70 kg
                 51-        6,0 mm

N. 5     40 ml   70-99 kg
                 70-        6,5 mm

N. 6     50 ml   > 100kg    7,0 mm
Vias Aéreas
CRICOTIREOSTOMIA
Vias Aéreas
JET VENTILATION




                  CONECTOR
                  # 3,0



                  INTRACATH®
                  # 14
Vias Aéreas
JET VENTILATION


                  CONECTOR
                  # 7,5



                  SERINGA
                  DE 3 ML



                  INTRACATH®
                  #14 OU 16
INTUBAÇÃO – ERROS
    COMUNS...
OQUE FAZER E O QUE NÃO...
                   NÃO...




   CORRETO: Flexione a coluna cervical, elevando a cabeça através de um suporte, facilitando assim
   o alinhamento dos eixos anatômicos;

   INCORRETO: Não hiperextenda o pescoço. Nesta posição, os eixos anatômicos estarão mal
   alinhados, dificultando a visão das estruturas laríngeas;
OQUE FAZER E O QUE NÃO...
                   NÃO...




      CORRETO: Tracione o laringoscópio no sentido das setas, em paralelo ao cabo;

      INCORRETO: Não use o dente incisivo superior como "alavanca", pois além do
      risco de quebra, a visão das estruturas laríngeas estará prejudicada;
Língua se desloca     Língua sobre os dois
p/esquerda, sobre a   lados da lâmina:
flange da lâmina      prejuízo à visão da
                      glote
Respiração
CHECAGEM DA POSIÇÃO

     VISUALIZAÇÃO DA PASSAGEM

     AUSCULTA EM 5 PONTOS (CONFIRMAÇÃO PRIMÁRIA)

     DISPOSITIVO DE ASPIRAÇÃO (CONFIRMAÇÃO PRIMÁRIA)

     CAPNOMETRIA/CAPNOGRAFIA (CONFIRMAÇÃO PRIMÁRIA)

     FIXAÇÃO DO TOT

     OXIGENAÇÃO
Respiração
CHECAGEM DA POSIÇÃO
     AUSCULTA EM 5 PONTOS
Respiração




             Crit Care Med 2004 Vol. 32, No. 9 (Suppl.)
Manejo Da Via Aérea

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Iot
IotIot
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
Brenda Lahlou
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
Rodrigo Abreu
 
Eletrocardiograma aula
Eletrocardiograma   aulaEletrocardiograma   aula
Eletrocardiograma aula
Fabio Sampaio
 
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADESANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
Thassiany Sarmento
 
Aula Bases da Fisiologia Pulmonar
Aula Bases da Fisiologia PulmonarAula Bases da Fisiologia Pulmonar
Aula Bases da Fisiologia Pulmonar
José Alexandre Pires de Almeida
 
Sinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxSinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de Tórax
Brenda Lahlou
 
Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar,
Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar, Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar,
Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar,
João Antônio Granzotti
 
Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
Mariana Artuni Rossi
 
Aula intubacao traqueal
Aula intubacao traquealAula intubacao traqueal
Aula intubacao traqueal
clbell
 
Aula de espirometria e revisão de fisiologia
Aula de espirometria e revisão de fisiologiaAula de espirometria e revisão de fisiologia
Aula de espirometria e revisão de fisiologia
Flávia Salame
 
Exame neurológico
Exame neurológicoExame neurológico
Exame neurológico
pauloalambert
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
resenfe2013
 
Manejo Conservador do Prolapso Genital
Manejo Conservador do Prolapso GenitalManejo Conservador do Prolapso Genital
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
Mateus Camargo
 
Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019
Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019
Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019
gisa_legal
 
Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)
Davyson Sampaio
 
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
Gilmar Roberto Batista
 
Propedêutica torácica
Propedêutica torácicaPropedêutica torácica
Propedêutica torácica
pauloalambert
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduação
Iapes Ensino
 

Mais procurados (20)

Iot
IotIot
Iot
 
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
 
Eletrocardiograma aula
Eletrocardiograma   aulaEletrocardiograma   aula
Eletrocardiograma aula
 
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADESANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
 
Aula Bases da Fisiologia Pulmonar
Aula Bases da Fisiologia PulmonarAula Bases da Fisiologia Pulmonar
Aula Bases da Fisiologia Pulmonar
 
Sinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxSinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de Tórax
 
Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar,
Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar, Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar,
Coarctação da Aorta, Arco Aórtico interrompido e Estenose Pulmonar,
 
Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
 
Aula intubacao traqueal
Aula intubacao traquealAula intubacao traqueal
Aula intubacao traqueal
 
Aula de espirometria e revisão de fisiologia
Aula de espirometria e revisão de fisiologiaAula de espirometria e revisão de fisiologia
Aula de espirometria e revisão de fisiologia
 
Exame neurológico
Exame neurológicoExame neurológico
Exame neurológico
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
 
Manejo Conservador do Prolapso Genital
Manejo Conservador do Prolapso GenitalManejo Conservador do Prolapso Genital
Manejo Conservador do Prolapso Genital
 
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
 
Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019
Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019
Hipertensao arterial infanc_e_adolesc sbp 2019
 
Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico do Aparelho Respiratório (Davyson Sampaio Braga)
 
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
 
Propedêutica torácica
Propedêutica torácicaPropedêutica torácica
Propedêutica torácica
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduação
 

Semelhante a Manejo Da Via Aérea

LINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICAL
LINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICALLINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICAL
LINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICAL
DrRuben Cardenas
 
Acesso à Via Aérea Não Invasivo
Acesso à Via Aérea Não InvasivoAcesso à Via Aérea Não Invasivo
Acesso à Via Aérea Não Invasivo
siatego
 
E Nf. 02
E Nf. 02E Nf. 02
E Nf. 02
julianafel
 
Orquiectomia em Bovinos (castração)
Orquiectomia em Bovinos (castração)Orquiectomia em Bovinos (castração)
Orquiectomia em Bovinos (castração)
Kessia Fabricante Silva
 
Processo de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo ópticoProcesso de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo óptico
WELLINGTON MARTINS
 
Aula2 2013 check list
Aula2 2013 check listAula2 2013 check list
Aula2 2013 check list
Marcus Prof
 
ossos e articulações dos membros inferiores
ossos e articulações dos membros inferioresossos e articulações dos membros inferiores
ossos e articulações dos membros inferiores
Giovana Minato
 
Oficina 4 - "Primeiros Socorros"
Oficina 4 - "Primeiros Socorros"Oficina 4 - "Primeiros Socorros"
Oficina 4 - "Primeiros Socorros"
JOFARUFPR
 
ANATOMIA PLEXO BRAQUIAL
ANATOMIA PLEXO BRAQUIALANATOMIA PLEXO BRAQUIAL
ANATOMIA PLEXO BRAQUIAL
Cristiano Quintão
 
Trauma.pptx
Trauma.pptxTrauma.pptx
Trauma.pptx
FilipeBoleiro
 
Via aérea dificil
Via aérea dificilVia aérea dificil
Via aérea dificil
Anestesiador
 
O passador com legendas mac
O passador com legendas  macO passador com legendas  mac
O passador com legendas mac
Eduardo Soares
 

Semelhante a Manejo Da Via Aérea (12)

LINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICAL
LINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICALLINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICAL
LINEAS DE LA UNION CRANEO CERVICAL
 
Acesso à Via Aérea Não Invasivo
Acesso à Via Aérea Não InvasivoAcesso à Via Aérea Não Invasivo
Acesso à Via Aérea Não Invasivo
 
E Nf. 02
E Nf. 02E Nf. 02
E Nf. 02
 
Orquiectomia em Bovinos (castração)
Orquiectomia em Bovinos (castração)Orquiectomia em Bovinos (castração)
Orquiectomia em Bovinos (castração)
 
Processo de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo ópticoProcesso de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo óptico
 
Aula2 2013 check list
Aula2 2013 check listAula2 2013 check list
Aula2 2013 check list
 
ossos e articulações dos membros inferiores
ossos e articulações dos membros inferioresossos e articulações dos membros inferiores
ossos e articulações dos membros inferiores
 
Oficina 4 - "Primeiros Socorros"
Oficina 4 - "Primeiros Socorros"Oficina 4 - "Primeiros Socorros"
Oficina 4 - "Primeiros Socorros"
 
ANATOMIA PLEXO BRAQUIAL
ANATOMIA PLEXO BRAQUIALANATOMIA PLEXO BRAQUIAL
ANATOMIA PLEXO BRAQUIAL
 
Trauma.pptx
Trauma.pptxTrauma.pptx
Trauma.pptx
 
Via aérea dificil
Via aérea dificilVia aérea dificil
Via aérea dificil
 
O passador com legendas mac
O passador com legendas  macO passador com legendas  mac
O passador com legendas mac
 

Mais de Rodrigo Biondi

Pcr Academicos 2009
Pcr Academicos 2009Pcr Academicos 2009
Pcr Academicos 2009
Rodrigo Biondi
 
Reposicao Volemica E Drogas Vasoativas Na Uti
Reposicao Volemica  E Drogas Vasoativas Na UtiReposicao Volemica  E Drogas Vasoativas Na Uti
Reposicao Volemica E Drogas Vasoativas Na Uti
Rodrigo Biondi
 
SedaçãO Em Cti
SedaçãO Em CtiSedaçãO Em Cti
SedaçãO Em Cti
Rodrigo Biondi
 
Sepse Academicos 2009
Sepse Academicos 2009Sepse Academicos 2009
Sepse Academicos 2009
Rodrigo Biondi
 
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãOSepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Rodrigo Biondi
 
SíNdrome Compartimental Abdominal
SíNdrome Compartimental AbdominalSíNdrome Compartimental Abdominal
SíNdrome Compartimental Abdominal
Rodrigo Biondi
 
MonitorizaçãO Neuro
MonitorizaçãO NeuroMonitorizaçãO Neuro
MonitorizaçãO Neuro
Rodrigo Biondi
 
Insuficiência Hepática Aguda
Insuficiência Hepática AgudaInsuficiência Hepática Aguda
Insuficiência Hepática Aguda
Rodrigo Biondi
 
Hemorragia Digestiva 2
Hemorragia Digestiva 2Hemorragia Digestiva 2
Hemorragia Digestiva 2
Rodrigo Biondi
 
Embolia Pulmonar
Embolia PulmonarEmbolia Pulmonar
Embolia Pulmonar
Rodrigo Biondi
 
DoençAs Neuromusculares
DoençAs NeuromuscularesDoençAs Neuromusculares
DoençAs Neuromusculares
Rodrigo Biondi
 
DistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSico
DistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSicoDistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSico
DistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSico
Rodrigo Biondi
 
Controle GlicêMico Estrito Na Ti
Controle GlicêMico Estrito Na TiControle GlicêMico Estrito Na Ti
Controle GlicêMico Estrito Na Ti
Rodrigo Biondi
 
Cetoacidose E Coma Hiperosmolar
Cetoacidose E Coma HiperosmolarCetoacidose E Coma Hiperosmolar
Cetoacidose E Coma Hiperosmolar
Rodrigo Biondi
 
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos DialíticosIRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
Rodrigo Biondi
 
Monitorização Hemodinamica
Monitorização HemodinamicaMonitorização Hemodinamica
Monitorização Hemodinamica
Rodrigo Biondi
 
Aula CCIH/CTI
Aula CCIH/CTIAula CCIH/CTI
Aula CCIH/CTI
Rodrigo Biondi
 
Suporte Enteral E Parenteral No Doente CríTico
Suporte Enteral E Parenteral No Doente CríTicoSuporte Enteral E Parenteral No Doente CríTico
Suporte Enteral E Parenteral No Doente CríTico
Rodrigo Biondi
 

Mais de Rodrigo Biondi (18)

Pcr Academicos 2009
Pcr Academicos 2009Pcr Academicos 2009
Pcr Academicos 2009
 
Reposicao Volemica E Drogas Vasoativas Na Uti
Reposicao Volemica  E Drogas Vasoativas Na UtiReposicao Volemica  E Drogas Vasoativas Na Uti
Reposicao Volemica E Drogas Vasoativas Na Uti
 
SedaçãO Em Cti
SedaçãO Em CtiSedaçãO Em Cti
SedaçãO Em Cti
 
Sepse Academicos 2009
Sepse Academicos 2009Sepse Academicos 2009
Sepse Academicos 2009
 
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãOSepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
 
SíNdrome Compartimental Abdominal
SíNdrome Compartimental AbdominalSíNdrome Compartimental Abdominal
SíNdrome Compartimental Abdominal
 
MonitorizaçãO Neuro
MonitorizaçãO NeuroMonitorizaçãO Neuro
MonitorizaçãO Neuro
 
Insuficiência Hepática Aguda
Insuficiência Hepática AgudaInsuficiência Hepática Aguda
Insuficiência Hepática Aguda
 
Hemorragia Digestiva 2
Hemorragia Digestiva 2Hemorragia Digestiva 2
Hemorragia Digestiva 2
 
Embolia Pulmonar
Embolia PulmonarEmbolia Pulmonar
Embolia Pulmonar
 
DoençAs Neuromusculares
DoençAs NeuromuscularesDoençAs Neuromusculares
DoençAs Neuromusculares
 
DistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSico
DistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSicoDistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSico
DistúRbio HidroeletrolíTico E áCido BáSico
 
Controle GlicêMico Estrito Na Ti
Controle GlicêMico Estrito Na TiControle GlicêMico Estrito Na Ti
Controle GlicêMico Estrito Na Ti
 
Cetoacidose E Coma Hiperosmolar
Cetoacidose E Coma HiperosmolarCetoacidose E Coma Hiperosmolar
Cetoacidose E Coma Hiperosmolar
 
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos DialíticosIRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
 
Monitorização Hemodinamica
Monitorização HemodinamicaMonitorização Hemodinamica
Monitorização Hemodinamica
 
Aula CCIH/CTI
Aula CCIH/CTIAula CCIH/CTI
Aula CCIH/CTI
 
Suporte Enteral E Parenteral No Doente CríTico
Suporte Enteral E Parenteral No Doente CríTicoSuporte Enteral E Parenteral No Doente CríTico
Suporte Enteral E Parenteral No Doente CríTico
 

Último

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
2m Assessoria
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 

Último (10)

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 

Manejo Da Via Aérea

  • 1. CONTROLE INVASIVO DAS VIAS AÉREAS Rodrigo Biondi Anestesiologia – SBA Terapia Intensiva – AMIB Ten Médico Socorrista - CBMERJ Instrutor ACLS – SBC
  • 3.
  • 4. CET Int. de Santos 99
  • 5. Dr X.Combes, SAMU du Val de Marne, Créteil, França
  • 6. Vias Aéreas MANUSEIO AVANÇADO DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES CÂNULAS ORO/NASOFARÍNGEAS ENTUBAÇÃO TRAQUEAL MÁSCARA LARÍNGEA(LMA®) COMBITUBE® CRICOTIREOSTOMIA
  • 8. Relação queda de saturação da Hb X tempo: efeito de tempo: 3 diferentes técnicas de pré-oxigenação pré- Anesthesiology 1999;91(3):612-616
  • 11. Vias Aéreas LÂMINA RETA OU LÂMINA CURVA ?
  • 12.
  • 13. Vias Aéreas LÂMINA RETA OU LÂMINA CURVA ?
  • 17.
  • 19.
  • 20. Dificuldades no Posicionamento: OBESIDADE MÓRBIDA Posicionamento do Paciente com Obesidade Mórbida para Intubação Traqueal; Sousa, LR; Porsani, DF; Branco, A; carta leitores - RBA Vol. 50, Nº 6, Nov-Dez, 2000 Levitan et al: Direct Laryngoscopy; Hospital Physician May 2000; pp. 47 - 56, 59
  • 22. Vias Aéreas O QUE PROCURAR ?
  • 23. ADALUC NROC ADALUC NROC ADALUCIIINROC ED ÓNET RA ED ÓNET RA EDIIIÓNETIIIRA MEGAL TRAC MEGAL TRAC MEGALIIITRAC MEGAL TRAC MEGALIIITRAC MEGAL TRAC E EMROFIENUC MEGAL TRAC MEGALIITRAC ETOLG ETOLG ETOLG ETOLG LACOV ADROC LACOV ADROC LACOV ADROC LACOV ADROC ETOLG PE ETOLG PE ETOLGIIIIPE ETOLG PE ALUCÉLAV AUGNÍL Vias Aéreas
  • 24. Manobras de compressão laríngea externa: “Deslocamento para trás e para cima da cartilagem tireóide, osso hióide e/ou cartilagem cricóide” Compressão Laríngea Externa 60% Cormack III => II I II III IV
  • 25. Manobras de compressão laríngea externa: ‘BURP’ Backward, Upward, Rightward laryngeal Pressure 60% Cormack III => II Knill R; Can J Anaesth 1993
  • 26. Vias Aéreas PILOTO TUBO TRAQUEAL CUFF MARCAÇÃO DIÂMETRO INTERNO
  • 28. “Bougie” » guias introdutores de Bougie” “Macintosh-Venn- “Macintosh-Venn-Eschmann” “gum elastic bougies” • Padrão corrente nos deptos. de Primeiro uso em 1943 por emergência nos EUA Macintosh • Rígido com alguma flexibilidade Sucesso na intubação traqueal às cegas confirmado por sensação • Potentialmente traumatico para a táctil laringe e traquéia Útil em pacientes com imobilização cervical
  • 29. guias introdutores de “Macintosh-Venn-Eschmann” “gum elastic bougies” I II III IV
  • 30. Índice de sucesso de IOT com uso do « Bougie » X Guia em pacientes Cormack 3 100 80 60 "Bougie" 40 Guia metálico maleável 20 0 1ª tentativa 2ª tentativa Gataure PS; Anaesthesia 51(10): 935–8 1996
  • 31. 130 kg / 170cm; Cormack 4, intubado através de um guia introdutor de “Macintosh-Venn- “Macintosh-Venn- Eschmann” (“gum elastic bougie”) Foto Dr. X.Combes; SAMU 94 FR
  • 32. Vias Aéreas Vias Aéreas: outros dispositivos...
  • 35.
  • 36. Vias Aéreas LMA® BARRAS DE ABERTURA CUFF PILOTO
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41. Vias Aéreas LMA® LMA vol peso ID N. 1 4 ml < 5 kg N. 1,5 7 ml 5-10 kg N. 2 10 ml 11-20 kg 11- N. 2,5 14 ml 21-30 kg 21- N. 3 20 ml 31-50 kg 31- 6,0 mm N. 4 30 ml 51-70 kg 51- 6,0 mm N. 5 40 ml 70-99 kg 70- 6,5 mm N. 6 50 ml > 100kg 7,0 mm
  • 43. Vias Aéreas JET VENTILATION CONECTOR # 3,0 INTRACATH® # 14
  • 44. Vias Aéreas JET VENTILATION CONECTOR # 7,5 SERINGA DE 3 ML INTRACATH® #14 OU 16
  • 46. OQUE FAZER E O QUE NÃO... NÃO... CORRETO: Flexione a coluna cervical, elevando a cabeça através de um suporte, facilitando assim o alinhamento dos eixos anatômicos; INCORRETO: Não hiperextenda o pescoço. Nesta posição, os eixos anatômicos estarão mal alinhados, dificultando a visão das estruturas laríngeas;
  • 47. OQUE FAZER E O QUE NÃO... NÃO... CORRETO: Tracione o laringoscópio no sentido das setas, em paralelo ao cabo; INCORRETO: Não use o dente incisivo superior como "alavanca", pois além do risco de quebra, a visão das estruturas laríngeas estará prejudicada;
  • 48. Língua se desloca Língua sobre os dois p/esquerda, sobre a lados da lâmina: flange da lâmina prejuízo à visão da glote
  • 49. Respiração CHECAGEM DA POSIÇÃO VISUALIZAÇÃO DA PASSAGEM AUSCULTA EM 5 PONTOS (CONFIRMAÇÃO PRIMÁRIA) DISPOSITIVO DE ASPIRAÇÃO (CONFIRMAÇÃO PRIMÁRIA) CAPNOMETRIA/CAPNOGRAFIA (CONFIRMAÇÃO PRIMÁRIA) FIXAÇÃO DO TOT OXIGENAÇÃO
  • 50. Respiração CHECAGEM DA POSIÇÃO AUSCULTA EM 5 PONTOS
  • 51. Respiração Crit Care Med 2004 Vol. 32, No. 9 (Suppl.)