SlideShare uma empresa Scribd logo
3
LOGÍSTICA 4.0Oportunidades e Desafios
Digitalização
Núcleo de Tecnologia Logística
Escola Senai “Morvan Figueiredo”
Núcleo de Tecnologia
Logística
ATUAÇÃO do SENAI-SP na Indústria
À partir do ano de 2009, a escola SENAI "Morvan Figueiredo", passou a oferecer soluções educacionais e
tecnológicas para a área da Logística.
A escola SENAI "Morvan Figueiredo" iniciou suas atividades em 1945, oferecendo
diversidade de cursos de aprendizagem industrial nas áreas de mecânica, metalurgia,
madeira, eletricidade e calçados.
Atualmente, somos um Núcleo de Tecnologia Logística, o que aprofunda a especialização da
unidade através de recursos e investimentos pertinentes ao tema, e possibilitando a prestação de serviços
em consultoria.
Logística 4.0: oportunidades e desafios
A Industria 4.0, focada na “Transformação Digital”, propiciou a
criação de um novo conceito, o da Logística 4.0
Na Logística 4.0 busca-se pela automação total dos processos
aplicados à cadeia logística, utilizando-se o mesmo conjunto de
tecnologias disruptivas associadas à Industria 4.0
Sociedade 4.0
2013
Tornar algo disponível
digitalmente
Digitalização
Custo das Tecnologias
2013
1ª Revolução
Máquina a vapor
Trabalho
assalariado
2ª Revolução
Motor elétrico
Divisão do trabalho
Fordismo e
Taylorismo
3ª Revolução
Robotização e
informática
Sistema Toyota
4ª Revolução
Digitalização
Internet das coisas
Caminho até a quarta Revolução
Industrial
EVOLUÇÃO
•Mesmos modelos de
negócio
•Mesma cadeia de
valor
REVOLUÇÃO
•Novos modelos de
negócio
•Nova cadeia de
valor
Mídias
Evolução x Revolução
Pessoas
TecnologiasProcessos
São o FOCO
Desenvolver habilidades para novas
formas de pensar
Ser um agente da evolução das pessoas
É o que IMPORTA
Novas formas de
negócios e de
produção
Transformar
processos
É o MEIO
Digitalização básica
Tecnologias habilitadoras
O Tripé das Revoluções
Industriais
Pessoas, Processos e Tecnologias
• Forma com que os Sistemas enxergam
os processos
• Esta é a tecnologia base para a
Indústria/Logística 4.0
SABEDORIA
CONHECIMENTO
INFORMAÇÕES
DADOS
BENEFÍCIO PARA
HUMANIDADE
Internet of Things - IoT
A Internet das Coisas
A interconexão se faz necessária
Segundo o SENAI-SP
Conceito de Indústria 4.0
Interconexão de toda a cadeia de valor (Informações +
Pessoas + Equipamentos) através da Internet, utilizando os
dados para a TOMADA DE DECISÕES na Indústria.
Auxílio na tomada de decisões
“O Waze da Indústria”
Logística 4.0
Soluções onde são utilizados o armazenamento de informações na nuvem, plataformas
tecnológicas para centralização de serviços, inteligência artificial, automação e internet
das coisas, entre outros.
Essas soluções vêm para resolver os problemas mais presentes hoje no segmento
Logístico, que são a diminuição de custos, segurança do transporte, melhor
gerenciamento de estoque e gestão integrada, por exemplo.
Neste contexto, podemos ver o mercado voltar-se à Logística não só
como um serviço de transporte, mas sim como uma arma competitiva
de negócios.
Supply Chain 4.0
“The future belongs to those who think ahead. Our Logistics Trend Radar, an
industry-acclaimed foresight tool, shows us that innovation will be more important
than ever, as digitalization drives the biggest transformation we’ve ever seen in
the industry in the coming years.”
Katja Busch
Chief Commercial Officer, DHL
Logistics Trend Radar 2019
Logistics Trend Radar
Logistics Trend Radar
Uso de Simulação na Logística
Usos na indústria
 Teste de validação dos
investimentos;
 Balanceamento de Linhas;
 Projeto de Células & layout;
 Implantação de Lean Production;
 Suporte a projetos 6 Sigma;
 Apoio ao PCP e ao S&OP;
 Movimentação e Armazenagem de
Materiais.
Usos na logística
• Movimentação de Materiais;
• CDs: Projeto, dimensionamento e
otimização;
• Planejamento de transportes;
• Distribuição e Supply Chain;
• Decisão quanto à abertura /
fechamento;
• Localização e área de atuação dos
sites;
• Ferramenta de Planejamento e
Programação;
Uso de Simulação
• Lean
Manufacturing
• Uso de
sensores
controladores
• Sistemas de
otimização
• Decisões
Digitais
• Internet das
Coisas
• Cloud
Computing
• Cibersegurança
• Uso de
Inteligência
Artificial para
tomada de
decisões
• Machine Learning
• Drones
• AGVs e Cobôs
• Data Mining
• Realidade
Aumentada
• Realidade Virtual
• Geolocalização
Automação e
Otimização
Digitalização
Básica
Tecnologias
Habilitadoras
3.
0
4.
0
Onde estamos?
Degraus até o 4.0
25
1 Benchmarking em modelos da VDMA* e Unity
2
3 Aplicada na fase de Mapeamento
Tropicalização da ferramenta pelo SENAI
Toolbox SENAI de Maturidade 4.0
Indústria Mapeada
*VDMA: Associação Alemã de Fabricação de Máquinas e Instalações Industriais
Objetivo
Definir onde e qual tecnologia utilizar objetivando o
crescimento sustentável de sua competitividade.
Logística 4.0 - Camadas de aplicação
Toolbox
Fluxo produtivo
O fluxo produtivo diz respeito aos processos pelo qual a matéria-prima
é tratada até se tornar o produto acabado, processo de criação de
valor ao objeto
Identificação e rastreabilidade
Identificar e localizar de um material dentro da cadeia de
suprimentos
Armazenagem
Forma de estocar materiais, considerando seletividade,
utilização do espaço e estratégia de armazenagem
Distribuição
Referente à saída de materiais, faz interface com os clientes
e faz referencia a roteirização de entregas
Movimentação
Equipamentos utilizados para movimentar materiais dentro da fábrica
Suprimentos
Referente à entrada de materiais, possui relação com área de compras e deve fazer
interface com fornecedores
JULHO2019
26
27
Camadas de Aplicação x Níveis de Maturidade
Iniciado
(1)
Controlado
(2)
Otimizado
(3)
Conectado
(4)
Inteligente
(5)
Identificação e Rastreabilidade Não existente
Identificação básica sem
integração
Capacidade de rastrear itens e
processos intermediários
internamente
Conectado, instruções
predefinidas baseadas na
identificação do produto
Respostas autônomas baseadas
na identificação do produto,
rastreabilidade total
Estruturas de Armazanagem Não existente
Possui Estrutura de
Armazenagem
Estrutura aderente a estratégia
de Armazenagem
Conectado, com troca de
informações e segue instruções
predefinidas
Sistema autônomo (inteligente)
e flexível
Equipamentos de
Movimentação
Transporte Manual
Utilização de máquinas para
transporte Intralogístico
Equipamento adequado à
Estrutura de Armazenagem ou
Máquina
Conectado, com troca de
informações e segue instruções
predefinidas
Movimentação autônoma e
flexível
Fluxo Produtivo
Não existe gerenciamento
definido: o fluxo produtivo é
empurrado
Existe um gerenciamento
empírico da produção: o fluxo
produtivo tende a ser puxado
Existe um sistema de
gerenciamento da produção
Existe Integração de sistemas:
verticalização.
Produção preditiva baseada em
demanda, capacidade produtiva,
distribuição e suprimentos:
horizontalização
Distribuição
Frota Descentralizada (sem
planejamento)
Frota Centralizada
(planejamento "empírico")
Uso de sistema de
gerenciamento de transporte
para planejamento
Frota conectada, fornecendo
dados em tempo real para
tomadas de decisão
Transporte planejado/feito de
forma Autônoma
Suprimentos
Não existe gerenciamento
definido: suprimentos gerando
estoque
Existe gerenciamento empírico:
suprimentos visa reduzir /
eliminar estoque
Existe um sistema de
gerenciamento, considerando
histórico
Existe Integração de sistemas:
verticalização.
Suprimentos preditivos
baseados em demanda,
informações de fornecedores e
capacidade produtiva:
horizontalização
Maturidade Logística 4.0 – Cenário Atual
Toolbox
28
2,00
2,88
2,65
2,17
2,44
2,71
IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE
SISTEMAS DE ARMAZENAGEM
SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO
FLUXO PRODUTIVO
SUPRIMENTOS
Nível geral: 2,47
ID e Rastreabilidade: Folha de papel, sem rastreabilidade
Armazenagem: Estruturas parcialmente adequadas
Movimentação: Equipamentos parcialmente adequados
Suprimentos: Gerenciamento empírico sem integração
Produção: Gerenciamento empírico, sem PCP
Distribuição: Sem planejamento claro, frota centralizada
Roadmap – Plano de Implantação
Toolbox
29
Maturidade Logística 4.0 – Cenário 1
Toolbox
30
3,1
3,2
3,1
3
2,9
3,3
IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE
SISTEMAS DE ARMAZENAGEM
SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO
FLUXO PRODUTIVO
SUPRIMENTOS
ID e Rastreabilidade: Código de Barras
Armazenagem: Estrutura adequada e sensorizada (IoT)
Movimentação: Equipamentos adequados e sensorizados (IoT)
Suprimentos: ERP Adequado
Produção: PCP Implantado
Distribuição: Sistema TMS
Nível geral: 3,10
Maturidade Logística 4.0 – Cenário 2
Toolbox
31
3,5
3,2
3,1
3,6
3,6
3,7
IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE
SISTEMAS DE ARMAZENAGEM
SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO
FLUXO PRODUTIVO
SUPRIMENTOS
Nível geral: 3,45
ID e Rastreabilidade: RFID integrado ao MES
Armazenagem: Estrutura Adequada e sensorizada
Movimentação: Equipamentos adequados e sensorizados
Suprimentos: ERP adequado e integrado ao MES
Produção: MES implantado e integração com PCP e ERP
Distribuição: Sistema TMS integrado ao MES
Maturidade Logística 4.0 – Cenário 3
Toolbox
4,1
3,7
3,6
4,05
4,07
4
IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE
SISTEMAS DE ARMAZENAGEM
SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO
DISTRIBUIÇÃO
FLUXO PRODUTIVO
SUPRIMENTOS
Nível geral: 3,92
ID e Rastreabilidade: RFID integrado e sistema WMS e MES
Armazenagem: Estrutura automatizada e sistema WMS
Movimentação: Equipamentos automatizados
Suprimentos: Integração ao MES e WMS
Produção: PCP integrado ao MES, WMS, TMS e ERP
Distribuição: Sistema TMS integrado com MES e IoT na frota
• Mudança da cultura organizacional, pois esta implementação não depende apenas da
nova tecnologia inserida, mas da aceitação dela na rotina e na capacitação dos
funcionários;
• Mudança de processos da empresa, visto que a logística 4.0 implica em redução de
desperdícios, sendo um deles os grandes estoques presentes dentro da empresa, ao
mesmo tempo que busca trabalhar com lead times menores;
• Conectar devidamente todos os pontos da cadeia de suprimento, visto que envolve
diversas empresas diferentes com sistemas, culturas e negócios diferentes.
Desafios da Logística 4.0
• Redução do volume de estoques de matérias-primas e, ao mesmo tempo
desenvolver os fornecedores para torná-los aptos a atender seus pedidos conforme
as necessidades de linha de produção, e não para ter excedente de mercadorias;
• Maior integração, compartilhamento de informações e controle de processos
para que eles se tornem mais eficientes, eliminando etapas burocráticas;
• Visibilidade de toda a cadeia de abastecimento pela utilização de recursos
digitais, considerando as etapas do processo produtivo, infraestrutura de transporte
e a seleção de modais de transportes;
Benefícios da Logística 4.0
• Diminuição da incidência de erros e de trabalho manual. Os sistemas de gestão
passam a conter todos os dados necessários;
• Propicia o fluxo de produtos e serviços, bem como de informações;
• Aumento da facilidade de identificação de problemas e permite a adoção de
soluções racionais;
• Transformação de processos com o intuito de torná-los menos onerosos para a
companhia.
Benefícios da Logística 4.0
A seguir, 3 Cases de Sucesso mostrando o emprego da Logística
4.0 e os impactos positivos nos resultados das empresas
Case 1 - Monsanto
Visualização das Operações “end to end”
A Monsanto do Brasil lançou o “Logistics Smart
Center”, em julho de 2018, o primeiro centro logístico da
companhia a utilizar tecnologia de ponta para monitorar
indicadores e informações operacionais.
O sistema permite a visualização, em tempo real, das
operações “end-to-end”, da transportadora até o cliente,
e de todas as etapas desse processo, incluindo
deslocamento de carga e armazenagem de produto.
A nova plataforma também possibilita prever situações
críticas, o que permite agir com antecedência e
minimizar possíveis impactos na operação e na
satisfação dos clientes.
Estudos para Implantação na Monsanto
A transformação na área de Logística e Customer Care da Monsanto está baseada em três pilares:
pessoas, processos e sistemas.
“Depois de uma série de benchmarkings e estudos, a equipe decidiu mudar a atuação nas
operações logísticas para um modo mais ofensivo, ou seja, acompanhar informações em tempo
real para agir antes que algum possível problema aconteça, chamado Predictive Model.
O Logistics Smart Center também possibilitou uma gestão mais eficiente em diversas frentes,
como: monitoramento de cargas e dos centros de distribuição em tempo real; monitoramento, por
câmeras, da temperatura e umidade dos centros; gestão de estoque e financeira; e a extração e o
tratamento de dados, que foi simplificado com a implantação de ferramentas de real time
visibility.
Resultados após Implementação
• Elevação de 20% no nível de entregas no tempo correto (OTD) por meio da ferramenta de
machine learning , com mais de 600 atrasos de entregas evitados em três meses
• Melhoria na acuracidade ( precisão, exatidão ) de inventário para índices próximos a 100%
• Redução de 50 mil km de distância percorrida com a otimização da roteirização de entregas,
representando 40 toneladas de redução de emissão de CO2, além da redução de custos
com combustível
• 100% de visibilidade online da data final de entrega e otimização de mais de 2% na taxa de
ocupação de veículos
• Com o projeto ainda foi possível implementar oito novas estratégias de otimização de
cargas e rotas para melhor nível de serviço ao cliente, trazendo benefício direto no controle
de custos logísticos
Case 2 - Walmart
Adoção de Sistema de Gestão de Estoques
O segredo do gigante americano Walmart para manter
seus preços baixos e um alto número de vendas está,
na verdade, em um excelente trabalho de logística e
distribuição.
Nos anos 80, o Walmart foi uma das primeiras
empresas a adotar um Sistema de Gestão de
Estoques para suas lojas que eram de fato controladas
pelo fornecedor , o VMI.
Atualmente, a empresa continua sendo um exemplo de
inovação e de eficiência em logística
Boas Práticas Incorporadas pelo
Walmart
• Adoção do sistema de armazenagem e preparação de pedidos por meio da voz , “Voice
Picking”, que reduz significativamente o número de etiquetas impressas e o uso de papel;
• Otimização do transporte: o mesmo caminhão que deixa o centro de distribuição lotado com
produtos para as lojas, retorna repleto de produtos das indústrias próximas parceiras, o que
representa uma enorme economia de combustível;
• Aperfeiçoamento das embalagens, de modo que o espaço nas carretas seja mais bem
utilizado;
• Uso da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) nas etiquetas dos
produtos, tornando possível saber o conteúdo de caixas mesmo sem ter que abri-las,
encontrar facilmente mercadorias e se informar sobre a necessidade de reposição dos
estoques. Essa tecnologia previne problemas como perdas, desperdícios e extravios
Case 3 - Riachuelo
Novo Centro de Distribuição “High Tech”
A Riachuelo empreendeu uma mudança em seu centro de
distribuição, que consumiu investimento de R$ 250 milhões.
O projeto ficou pronto no último trimestre de 2016 e teve um
efeito positivo no resultado da empresa, que divulgou lucro
de R$ 252,4 milhões entre outubro e dezembro, salto de
60% ante o mesmo trimestre de 2015.
Uma das estrelas do novo centro de distribuição da
Riachuelo, construído em Guarulhos, é um robô de 18
metros de altura que se movimenta a uma velocidade de 55
km por hora. Totalmente automatizada, a estrutura permite o
abastecimento unitário. Ou seja: o robô separa os pedidos,
peça a peça, e não mais por grades de tamanho.
• As substituições de produtos nas lojas são definidas a partir da informação em tempo real
do que está sendo vendido. A ideia é que os caminhões da rede visitem todas as unidades
ao menos três vezes por semana. Esse sistema também guiará a produção industrial, que
poderá redefinir suas prioridades a partir das peças que tiverem melhor aceitação.
• No último trimestre de 2016, além da alta do lucro líquido, outras duas linhas do balanço
da Riachuelo tiveram impacto da nova lógica de abastecimento. As vendas em lojas
abertas há mais de um ano tiveram alta de 3,3%. E a companhia conseguiu reduzir
encalhes: os estoques caíram 11% em relação aos 12 meses anteriores.
Resultados após Implementação na Riachuelo
Conclusõe
s
• A Logística 4.0 está cada vez mais próxima da realidade das empresas brasileiras. Exemplos, como o
emprego de softwares de gerenciamento de transporte (TMS), uso de aplicativos para o planejamento de
entregas e empilhadeiras autônomas, já estão presentes dentro de diversas empresas no Brasil;
• O resultado mais importante obtido com a utilização dos recursos da logística 4.0 é que ajuda as empresas
a se tornarem mais competitivas, aumentam o número de clientes satisfeitos e se destacam perante os
concorrentes;
• As empresas devem estar preparadas para mudar e se adaptar aos novos desafios que o mercado impõe.
Por essa razão, a realização de investimentos em infraestrutura e tecnologia é fundamental;
• Nós, do Núcleo de Tecnologia Logística do Senai SP , Unidade “Morvan Figueiredo” , além de um
know-how acumulado em Atendimento a Empresas na área de Logística, possuímos uma Equipe de
Especialistas altamente qualificados, que certamente ajudarão sua empresa a maximizar lucros, rumo à
Logística 4.0, através do emprego de ferramentas inovadoras.
Núcleo de Tecnologia
em Logística
SENAI “Morvan Figueiredo”
mooca.sp.senai.br
Rua do Oratório, 215 – Mooca, São Paulo
+55 11 2076-3201 / +55 11 9 6916-8289
Facebook.com/senaimooca
Obrigado!
Elaborado por:
Jefferson Gandolfi Feitosa – feitosa@sp.senai.br
Felipe Soria – felipe.soria@sp.senai.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
01 aula introdução a logística
01 aula introdução a logística01 aula introdução a logística
01 aula introdução a logística
Homero Alves de Lima
 
Logística - Fundamentos
Logística - FundamentosLogística - Fundamentos
Gestão Estratégica de Transportes
Gestão Estratégica de Transportes Gestão Estratégica de Transportes
Gestão Estratégica de Transportes
Adeildo Caboclo
 
Logística Empresarial
Logística EmpresarialLogística Empresarial
Logística Empresarial
Adeildo Caboclo
 
Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
Curso Gestão de Centro de Distribuição
Curso Gestão de Centro de DistribuiçãoCurso Gestão de Centro de Distribuição
Curso Gestão de Centro de Distribuição
PSC Log
 
Distribuição e Transporte
Distribuição e TransporteDistribuição e Transporte
Distribuição e Transporte
william ribeiro
 
Tecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logísticaTecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logística
Joaz Souza
 
Logística Operações de Armazenagem
Logística Operações de ArmazenagemLogística Operações de Armazenagem
Logística Operações de Armazenagem
Marcelo Aparecido Sampaio
 
História da Logística
História da LogísticaHistória da Logística
História da Logística
Robson Costa
 
Cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentosCadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
Felippi Perez
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
Charles Rebouças
 
Introdução logistica
Introdução logisticaIntrodução logistica
Introdução logistica
JAILTONBORGES
 
Logística de armazenagem e distribuicao
Logística de armazenagem e distribuicaoLogística de armazenagem e distribuicao
Logística de armazenagem e distribuicao
Elvis Bruno
 
LOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOS
LOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOSLOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOS
LOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOS
Rodrigo Grandini
 
Logística Empresarial Armazenagem E Embalagem
Logística Empresarial Armazenagem E EmbalagemLogística Empresarial Armazenagem E Embalagem
Logística Empresarial Armazenagem E Embalagem
WeNova Consulting
 
Armazenagem de Materiais
Armazenagem de MateriaisArmazenagem de Materiais
Armazenagem de Materiais
Robson Costa
 
Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
Gilberto Freitas
 
Almoxarifado
AlmoxarifadoAlmoxarifado
Almoxarifado
Mauricio Blum
 

Mais procurados (20)

3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
 
01 aula introdução a logística
01 aula introdução a logística01 aula introdução a logística
01 aula introdução a logística
 
Logística - Fundamentos
Logística - FundamentosLogística - Fundamentos
Logística - Fundamentos
 
Gestão Estratégica de Transportes
Gestão Estratégica de Transportes Gestão Estratégica de Transportes
Gestão Estratégica de Transportes
 
Logística Empresarial
Logística EmpresarialLogística Empresarial
Logística Empresarial
 
Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais
 
Curso Gestão de Centro de Distribuição
Curso Gestão de Centro de DistribuiçãoCurso Gestão de Centro de Distribuição
Curso Gestão de Centro de Distribuição
 
Distribuição e Transporte
Distribuição e TransporteDistribuição e Transporte
Distribuição e Transporte
 
Tecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logísticaTecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logística
 
Logística Operações de Armazenagem
Logística Operações de ArmazenagemLogística Operações de Armazenagem
Logística Operações de Armazenagem
 
História da Logística
História da LogísticaHistória da Logística
História da Logística
 
Cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentosCadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 
Introdução logistica
Introdução logisticaIntrodução logistica
Introdução logistica
 
Logística de armazenagem e distribuicao
Logística de armazenagem e distribuicaoLogística de armazenagem e distribuicao
Logística de armazenagem e distribuicao
 
LOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOS
LOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOSLOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOS
LOGÍTICA 4.0 - PROCESSOS LOGÍSTICOS
 
Logística Empresarial Armazenagem E Embalagem
Logística Empresarial Armazenagem E EmbalagemLogística Empresarial Armazenagem E Embalagem
Logística Empresarial Armazenagem E Embalagem
 
Armazenagem de Materiais
Armazenagem de MateriaisArmazenagem de Materiais
Armazenagem de Materiais
 
Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
 
Almoxarifado
AlmoxarifadoAlmoxarifado
Almoxarifado
 

Semelhante a Logística 4.0: oportunidades e desafios

Tecnologia aplicada à Logistica
Tecnologia aplicada à LogisticaTecnologia aplicada à Logistica
Tecnologia aplicada à Logistica
Manuel Garcia Garcia
 
Estratégia Integrada na Nuvem para Varejo
Estratégia Integrada na Nuvem para VarejoEstratégia Integrada na Nuvem para Varejo
Estratégia Integrada na Nuvem para Varejo
Oracle Retail
 
Vantagem Competitiva em Logística
Vantagem Competitiva em LogísticaVantagem Competitiva em Logística
Vantagem Competitiva em Logística
mlima72
 
Aula 3 Logistica Integrada.pdf
Aula 3 Logistica Integrada.pdfAula 3 Logistica Integrada.pdf
Aula 3 Logistica Integrada.pdf
yalla6
 
Produtos oferecidos pelo Allegro BG
Produtos oferecidos pelo Allegro BGProdutos oferecidos pelo Allegro BG
Produtos oferecidos pelo Allegro BG
gueste5eb0b
 
Produtos Allegro BG
Produtos Allegro BGProdutos Allegro BG
Produtos Allegro BG
Allegro Business Group
 
Consultoria Logística
Consultoria LogísticaConsultoria Logística
Consultoria Logística
josebsiqueira
 
12 slides como desenvolver projeto logístico em dez áreas 13 mai 2015
12 slides  como desenvolver projeto logístico em dez áreas  13 mai 201512 slides  como desenvolver projeto logístico em dez áreas  13 mai 2015
12 slides como desenvolver projeto logístico em dez áreas 13 mai 2015
delano chaves gurgel do amaral
 
Colaboração_rede_puc_rs
Colaboração_rede_puc_rsColaboração_rede_puc_rs
Colaboração_rede_puc_rs
Bayardo Morales
 
A TOTVS
A TOTVS A TOTVS
Case Study Injex 2019
Case Study Injex 2019Case Study Injex 2019
Case Study Injex 2019
Hugo Araújo
 
Aula 1 Conceitos_analise_Maturidade
Aula 1 Conceitos_analise_MaturidadeAula 1 Conceitos_analise_Maturidade
Aula 1 Conceitos_analise_Maturidade
VicenteTino
 
Guiacorporativo.com.br logística 40
Guiacorporativo.com.br logística 40Guiacorporativo.com.br logística 40
Guiacorporativo.com.br logística 40
Rodilson Silva - Green Belt
 
Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...
Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...
Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Trabalho de Sistemas.pptx
Trabalho de Sistemas.pptxTrabalho de Sistemas.pptx
Trabalho de Sistemas.pptx
EltonLima60
 
PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...
PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...
PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...
AmarildoJosMorett
 
Roadmap Indústria 4.0
Roadmap Indústria 4.0Roadmap Indústria 4.0
Roadmap Indústria 4.0
Ricardo Lima
 
Apresentação (resumido) oxti
Apresentação (resumido)   oxtiApresentação (resumido)   oxti
Apresentação (resumido) oxti
OXTI
 
Loghis Logística Apresentação
Loghis Logística ApresentaçãoLoghis Logística Apresentação
Loghis Logística Apresentação
loghislogistica
 
Teoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SI
Teoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SITeoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SI
Teoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SI
Alessandro Almeida
 

Semelhante a Logística 4.0: oportunidades e desafios (20)

Tecnologia aplicada à Logistica
Tecnologia aplicada à LogisticaTecnologia aplicada à Logistica
Tecnologia aplicada à Logistica
 
Estratégia Integrada na Nuvem para Varejo
Estratégia Integrada na Nuvem para VarejoEstratégia Integrada na Nuvem para Varejo
Estratégia Integrada na Nuvem para Varejo
 
Vantagem Competitiva em Logística
Vantagem Competitiva em LogísticaVantagem Competitiva em Logística
Vantagem Competitiva em Logística
 
Aula 3 Logistica Integrada.pdf
Aula 3 Logistica Integrada.pdfAula 3 Logistica Integrada.pdf
Aula 3 Logistica Integrada.pdf
 
Produtos oferecidos pelo Allegro BG
Produtos oferecidos pelo Allegro BGProdutos oferecidos pelo Allegro BG
Produtos oferecidos pelo Allegro BG
 
Produtos Allegro BG
Produtos Allegro BGProdutos Allegro BG
Produtos Allegro BG
 
Consultoria Logística
Consultoria LogísticaConsultoria Logística
Consultoria Logística
 
12 slides como desenvolver projeto logístico em dez áreas 13 mai 2015
12 slides  como desenvolver projeto logístico em dez áreas  13 mai 201512 slides  como desenvolver projeto logístico em dez áreas  13 mai 2015
12 slides como desenvolver projeto logístico em dez áreas 13 mai 2015
 
Colaboração_rede_puc_rs
Colaboração_rede_puc_rsColaboração_rede_puc_rs
Colaboração_rede_puc_rs
 
A TOTVS
A TOTVS A TOTVS
A TOTVS
 
Case Study Injex 2019
Case Study Injex 2019Case Study Injex 2019
Case Study Injex 2019
 
Aula 1 Conceitos_analise_Maturidade
Aula 1 Conceitos_analise_MaturidadeAula 1 Conceitos_analise_Maturidade
Aula 1 Conceitos_analise_Maturidade
 
Guiacorporativo.com.br logística 40
Guiacorporativo.com.br logística 40Guiacorporativo.com.br logística 40
Guiacorporativo.com.br logística 40
 
Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...
Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...
Jornada Administrativa - Mês do Administrador: Desafios logísticos no Brasil ...
 
Trabalho de Sistemas.pptx
Trabalho de Sistemas.pptxTrabalho de Sistemas.pptx
Trabalho de Sistemas.pptx
 
PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...
PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...
PRP, MRP, sistema de informações ligados a logística e tecnologia aplicada a ...
 
Roadmap Indústria 4.0
Roadmap Indústria 4.0Roadmap Indústria 4.0
Roadmap Indústria 4.0
 
Apresentação (resumido) oxti
Apresentação (resumido)   oxtiApresentação (resumido)   oxti
Apresentação (resumido) oxti
 
Loghis Logística Apresentação
Loghis Logística ApresentaçãoLoghis Logística Apresentação
Loghis Logística Apresentação
 
Teoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SI
Teoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SITeoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SI
Teoria de Sistemas de Informação - Atividade: Tecnologia e SI
 

Mais de Conselho Regional de Administração de São Paulo

Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SPResponsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃOCOMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistasWebinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no BrasilAdministrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimentoAmbiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Compliance no setor de energia
Compliance no setor de energiaCompliance no setor de energia
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiaresA tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia HospitalarDimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimentoAcolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Legislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e AmbientalLegislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e Ambiental
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Como ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado esperaComo ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado espera
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Coaching em grupos
Coaching em gruposCoaching em grupos
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenárioAs organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digitalO ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 

Mais de Conselho Regional de Administração de São Paulo (20)

Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SPResponsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
 
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
 
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃOCOMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
 
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistasWebinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
 
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no BrasilAdministrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
 
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimentoAmbiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
 
Compliance no setor de energia
Compliance no setor de energiaCompliance no setor de energia
Compliance no setor de energia
 
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiaresA tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
 
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
 
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia HospitalarDimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
 
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimentoAcolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
 
Legislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e AmbientalLegislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e Ambiental
 
Como ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado esperaComo ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado espera
 
Coaching em grupos
Coaching em gruposCoaching em grupos
Coaching em grupos
 
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
 
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
 
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
 
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenárioAs organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
 
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
 
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digitalO ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
 

Logística 4.0: oportunidades e desafios

  • 2. Digitalização Núcleo de Tecnologia Logística Escola Senai “Morvan Figueiredo” Núcleo de Tecnologia Logística
  • 3. ATUAÇÃO do SENAI-SP na Indústria À partir do ano de 2009, a escola SENAI "Morvan Figueiredo", passou a oferecer soluções educacionais e tecnológicas para a área da Logística. A escola SENAI "Morvan Figueiredo" iniciou suas atividades em 1945, oferecendo diversidade de cursos de aprendizagem industrial nas áreas de mecânica, metalurgia, madeira, eletricidade e calçados. Atualmente, somos um Núcleo de Tecnologia Logística, o que aprofunda a especialização da unidade através de recursos e investimentos pertinentes ao tema, e possibilitando a prestação de serviços em consultoria.
  • 5. A Industria 4.0, focada na “Transformação Digital”, propiciou a criação de um novo conceito, o da Logística 4.0 Na Logística 4.0 busca-se pela automação total dos processos aplicados à cadeia logística, utilizando-se o mesmo conjunto de tecnologias disruptivas associadas à Industria 4.0
  • 9. 1ª Revolução Máquina a vapor Trabalho assalariado 2ª Revolução Motor elétrico Divisão do trabalho Fordismo e Taylorismo 3ª Revolução Robotização e informática Sistema Toyota 4ª Revolução Digitalização Internet das coisas Caminho até a quarta Revolução Industrial
  • 10. EVOLUÇÃO •Mesmos modelos de negócio •Mesma cadeia de valor REVOLUÇÃO •Novos modelos de negócio •Nova cadeia de valor Mídias Evolução x Revolução
  • 11. Pessoas TecnologiasProcessos São o FOCO Desenvolver habilidades para novas formas de pensar Ser um agente da evolução das pessoas É o que IMPORTA Novas formas de negócios e de produção Transformar processos É o MEIO Digitalização básica Tecnologias habilitadoras O Tripé das Revoluções Industriais Pessoas, Processos e Tecnologias
  • 12. • Forma com que os Sistemas enxergam os processos • Esta é a tecnologia base para a Indústria/Logística 4.0 SABEDORIA CONHECIMENTO INFORMAÇÕES DADOS BENEFÍCIO PARA HUMANIDADE Internet of Things - IoT A Internet das Coisas
  • 13. A interconexão se faz necessária
  • 14. Segundo o SENAI-SP Conceito de Indústria 4.0 Interconexão de toda a cadeia de valor (Informações + Pessoas + Equipamentos) através da Internet, utilizando os dados para a TOMADA DE DECISÕES na Indústria.
  • 15. Auxílio na tomada de decisões “O Waze da Indústria”
  • 16. Logística 4.0 Soluções onde são utilizados o armazenamento de informações na nuvem, plataformas tecnológicas para centralização de serviços, inteligência artificial, automação e internet das coisas, entre outros. Essas soluções vêm para resolver os problemas mais presentes hoje no segmento Logístico, que são a diminuição de custos, segurança do transporte, melhor gerenciamento de estoque e gestão integrada, por exemplo. Neste contexto, podemos ver o mercado voltar-se à Logística não só como um serviço de transporte, mas sim como uma arma competitiva de negócios.
  • 18. “The future belongs to those who think ahead. Our Logistics Trend Radar, an industry-acclaimed foresight tool, shows us that innovation will be more important than ever, as digitalization drives the biggest transformation we’ve ever seen in the industry in the coming years.” Katja Busch Chief Commercial Officer, DHL Logistics Trend Radar 2019 Logistics Trend Radar
  • 20. Uso de Simulação na Logística
  • 21. Usos na indústria  Teste de validação dos investimentos;  Balanceamento de Linhas;  Projeto de Células & layout;  Implantação de Lean Production;  Suporte a projetos 6 Sigma;  Apoio ao PCP e ao S&OP;  Movimentação e Armazenagem de Materiais. Usos na logística • Movimentação de Materiais; • CDs: Projeto, dimensionamento e otimização; • Planejamento de transportes; • Distribuição e Supply Chain; • Decisão quanto à abertura / fechamento; • Localização e área de atuação dos sites; • Ferramenta de Planejamento e Programação; Uso de Simulação
  • 22. • Lean Manufacturing • Uso de sensores controladores • Sistemas de otimização • Decisões Digitais • Internet das Coisas • Cloud Computing • Cibersegurança • Uso de Inteligência Artificial para tomada de decisões • Machine Learning • Drones • AGVs e Cobôs • Data Mining • Realidade Aumentada • Realidade Virtual • Geolocalização Automação e Otimização Digitalização Básica Tecnologias Habilitadoras 3. 0 4. 0 Onde estamos? Degraus até o 4.0
  • 23. 25 1 Benchmarking em modelos da VDMA* e Unity 2 3 Aplicada na fase de Mapeamento Tropicalização da ferramenta pelo SENAI Toolbox SENAI de Maturidade 4.0 Indústria Mapeada *VDMA: Associação Alemã de Fabricação de Máquinas e Instalações Industriais Objetivo Definir onde e qual tecnologia utilizar objetivando o crescimento sustentável de sua competitividade.
  • 24. Logística 4.0 - Camadas de aplicação Toolbox Fluxo produtivo O fluxo produtivo diz respeito aos processos pelo qual a matéria-prima é tratada até se tornar o produto acabado, processo de criação de valor ao objeto Identificação e rastreabilidade Identificar e localizar de um material dentro da cadeia de suprimentos Armazenagem Forma de estocar materiais, considerando seletividade, utilização do espaço e estratégia de armazenagem Distribuição Referente à saída de materiais, faz interface com os clientes e faz referencia a roteirização de entregas Movimentação Equipamentos utilizados para movimentar materiais dentro da fábrica Suprimentos Referente à entrada de materiais, possui relação com área de compras e deve fazer interface com fornecedores JULHO2019 26
  • 25. 27 Camadas de Aplicação x Níveis de Maturidade Iniciado (1) Controlado (2) Otimizado (3) Conectado (4) Inteligente (5) Identificação e Rastreabilidade Não existente Identificação básica sem integração Capacidade de rastrear itens e processos intermediários internamente Conectado, instruções predefinidas baseadas na identificação do produto Respostas autônomas baseadas na identificação do produto, rastreabilidade total Estruturas de Armazanagem Não existente Possui Estrutura de Armazenagem Estrutura aderente a estratégia de Armazenagem Conectado, com troca de informações e segue instruções predefinidas Sistema autônomo (inteligente) e flexível Equipamentos de Movimentação Transporte Manual Utilização de máquinas para transporte Intralogístico Equipamento adequado à Estrutura de Armazenagem ou Máquina Conectado, com troca de informações e segue instruções predefinidas Movimentação autônoma e flexível Fluxo Produtivo Não existe gerenciamento definido: o fluxo produtivo é empurrado Existe um gerenciamento empírico da produção: o fluxo produtivo tende a ser puxado Existe um sistema de gerenciamento da produção Existe Integração de sistemas: verticalização. Produção preditiva baseada em demanda, capacidade produtiva, distribuição e suprimentos: horizontalização Distribuição Frota Descentralizada (sem planejamento) Frota Centralizada (planejamento "empírico") Uso de sistema de gerenciamento de transporte para planejamento Frota conectada, fornecendo dados em tempo real para tomadas de decisão Transporte planejado/feito de forma Autônoma Suprimentos Não existe gerenciamento definido: suprimentos gerando estoque Existe gerenciamento empírico: suprimentos visa reduzir / eliminar estoque Existe um sistema de gerenciamento, considerando histórico Existe Integração de sistemas: verticalização. Suprimentos preditivos baseados em demanda, informações de fornecedores e capacidade produtiva: horizontalização
  • 26. Maturidade Logística 4.0 – Cenário Atual Toolbox 28 2,00 2,88 2,65 2,17 2,44 2,71 IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO DISTRIBUIÇÃO FLUXO PRODUTIVO SUPRIMENTOS Nível geral: 2,47 ID e Rastreabilidade: Folha de papel, sem rastreabilidade Armazenagem: Estruturas parcialmente adequadas Movimentação: Equipamentos parcialmente adequados Suprimentos: Gerenciamento empírico sem integração Produção: Gerenciamento empírico, sem PCP Distribuição: Sem planejamento claro, frota centralizada
  • 27. Roadmap – Plano de Implantação Toolbox 29
  • 28. Maturidade Logística 4.0 – Cenário 1 Toolbox 30 3,1 3,2 3,1 3 2,9 3,3 IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO DISTRIBUIÇÃO FLUXO PRODUTIVO SUPRIMENTOS ID e Rastreabilidade: Código de Barras Armazenagem: Estrutura adequada e sensorizada (IoT) Movimentação: Equipamentos adequados e sensorizados (IoT) Suprimentos: ERP Adequado Produção: PCP Implantado Distribuição: Sistema TMS Nível geral: 3,10
  • 29. Maturidade Logística 4.0 – Cenário 2 Toolbox 31 3,5 3,2 3,1 3,6 3,6 3,7 IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO DISTRIBUIÇÃO FLUXO PRODUTIVO SUPRIMENTOS Nível geral: 3,45 ID e Rastreabilidade: RFID integrado ao MES Armazenagem: Estrutura Adequada e sensorizada Movimentação: Equipamentos adequados e sensorizados Suprimentos: ERP adequado e integrado ao MES Produção: MES implantado e integração com PCP e ERP Distribuição: Sistema TMS integrado ao MES
  • 30. Maturidade Logística 4.0 – Cenário 3 Toolbox 4,1 3,7 3,6 4,05 4,07 4 IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO DISTRIBUIÇÃO FLUXO PRODUTIVO SUPRIMENTOS Nível geral: 3,92 ID e Rastreabilidade: RFID integrado e sistema WMS e MES Armazenagem: Estrutura automatizada e sistema WMS Movimentação: Equipamentos automatizados Suprimentos: Integração ao MES e WMS Produção: PCP integrado ao MES, WMS, TMS e ERP Distribuição: Sistema TMS integrado com MES e IoT na frota
  • 31. • Mudança da cultura organizacional, pois esta implementação não depende apenas da nova tecnologia inserida, mas da aceitação dela na rotina e na capacitação dos funcionários; • Mudança de processos da empresa, visto que a logística 4.0 implica em redução de desperdícios, sendo um deles os grandes estoques presentes dentro da empresa, ao mesmo tempo que busca trabalhar com lead times menores; • Conectar devidamente todos os pontos da cadeia de suprimento, visto que envolve diversas empresas diferentes com sistemas, culturas e negócios diferentes. Desafios da Logística 4.0
  • 32. • Redução do volume de estoques de matérias-primas e, ao mesmo tempo desenvolver os fornecedores para torná-los aptos a atender seus pedidos conforme as necessidades de linha de produção, e não para ter excedente de mercadorias; • Maior integração, compartilhamento de informações e controle de processos para que eles se tornem mais eficientes, eliminando etapas burocráticas; • Visibilidade de toda a cadeia de abastecimento pela utilização de recursos digitais, considerando as etapas do processo produtivo, infraestrutura de transporte e a seleção de modais de transportes; Benefícios da Logística 4.0
  • 33. • Diminuição da incidência de erros e de trabalho manual. Os sistemas de gestão passam a conter todos os dados necessários; • Propicia o fluxo de produtos e serviços, bem como de informações; • Aumento da facilidade de identificação de problemas e permite a adoção de soluções racionais; • Transformação de processos com o intuito de torná-los menos onerosos para a companhia. Benefícios da Logística 4.0
  • 34. A seguir, 3 Cases de Sucesso mostrando o emprego da Logística 4.0 e os impactos positivos nos resultados das empresas
  • 35. Case 1 - Monsanto Visualização das Operações “end to end” A Monsanto do Brasil lançou o “Logistics Smart Center”, em julho de 2018, o primeiro centro logístico da companhia a utilizar tecnologia de ponta para monitorar indicadores e informações operacionais. O sistema permite a visualização, em tempo real, das operações “end-to-end”, da transportadora até o cliente, e de todas as etapas desse processo, incluindo deslocamento de carga e armazenagem de produto. A nova plataforma também possibilita prever situações críticas, o que permite agir com antecedência e minimizar possíveis impactos na operação e na satisfação dos clientes.
  • 36. Estudos para Implantação na Monsanto A transformação na área de Logística e Customer Care da Monsanto está baseada em três pilares: pessoas, processos e sistemas. “Depois de uma série de benchmarkings e estudos, a equipe decidiu mudar a atuação nas operações logísticas para um modo mais ofensivo, ou seja, acompanhar informações em tempo real para agir antes que algum possível problema aconteça, chamado Predictive Model. O Logistics Smart Center também possibilitou uma gestão mais eficiente em diversas frentes, como: monitoramento de cargas e dos centros de distribuição em tempo real; monitoramento, por câmeras, da temperatura e umidade dos centros; gestão de estoque e financeira; e a extração e o tratamento de dados, que foi simplificado com a implantação de ferramentas de real time visibility.
  • 37. Resultados após Implementação • Elevação de 20% no nível de entregas no tempo correto (OTD) por meio da ferramenta de machine learning , com mais de 600 atrasos de entregas evitados em três meses • Melhoria na acuracidade ( precisão, exatidão ) de inventário para índices próximos a 100% • Redução de 50 mil km de distância percorrida com a otimização da roteirização de entregas, representando 40 toneladas de redução de emissão de CO2, além da redução de custos com combustível • 100% de visibilidade online da data final de entrega e otimização de mais de 2% na taxa de ocupação de veículos • Com o projeto ainda foi possível implementar oito novas estratégias de otimização de cargas e rotas para melhor nível de serviço ao cliente, trazendo benefício direto no controle de custos logísticos
  • 38. Case 2 - Walmart Adoção de Sistema de Gestão de Estoques O segredo do gigante americano Walmart para manter seus preços baixos e um alto número de vendas está, na verdade, em um excelente trabalho de logística e distribuição. Nos anos 80, o Walmart foi uma das primeiras empresas a adotar um Sistema de Gestão de Estoques para suas lojas que eram de fato controladas pelo fornecedor , o VMI. Atualmente, a empresa continua sendo um exemplo de inovação e de eficiência em logística
  • 39. Boas Práticas Incorporadas pelo Walmart • Adoção do sistema de armazenagem e preparação de pedidos por meio da voz , “Voice Picking”, que reduz significativamente o número de etiquetas impressas e o uso de papel; • Otimização do transporte: o mesmo caminhão que deixa o centro de distribuição lotado com produtos para as lojas, retorna repleto de produtos das indústrias próximas parceiras, o que representa uma enorme economia de combustível; • Aperfeiçoamento das embalagens, de modo que o espaço nas carretas seja mais bem utilizado; • Uso da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) nas etiquetas dos produtos, tornando possível saber o conteúdo de caixas mesmo sem ter que abri-las, encontrar facilmente mercadorias e se informar sobre a necessidade de reposição dos estoques. Essa tecnologia previne problemas como perdas, desperdícios e extravios
  • 40. Case 3 - Riachuelo Novo Centro de Distribuição “High Tech” A Riachuelo empreendeu uma mudança em seu centro de distribuição, que consumiu investimento de R$ 250 milhões. O projeto ficou pronto no último trimestre de 2016 e teve um efeito positivo no resultado da empresa, que divulgou lucro de R$ 252,4 milhões entre outubro e dezembro, salto de 60% ante o mesmo trimestre de 2015. Uma das estrelas do novo centro de distribuição da Riachuelo, construído em Guarulhos, é um robô de 18 metros de altura que se movimenta a uma velocidade de 55 km por hora. Totalmente automatizada, a estrutura permite o abastecimento unitário. Ou seja: o robô separa os pedidos, peça a peça, e não mais por grades de tamanho.
  • 41. • As substituições de produtos nas lojas são definidas a partir da informação em tempo real do que está sendo vendido. A ideia é que os caminhões da rede visitem todas as unidades ao menos três vezes por semana. Esse sistema também guiará a produção industrial, que poderá redefinir suas prioridades a partir das peças que tiverem melhor aceitação. • No último trimestre de 2016, além da alta do lucro líquido, outras duas linhas do balanço da Riachuelo tiveram impacto da nova lógica de abastecimento. As vendas em lojas abertas há mais de um ano tiveram alta de 3,3%. E a companhia conseguiu reduzir encalhes: os estoques caíram 11% em relação aos 12 meses anteriores. Resultados após Implementação na Riachuelo
  • 42. Conclusõe s • A Logística 4.0 está cada vez mais próxima da realidade das empresas brasileiras. Exemplos, como o emprego de softwares de gerenciamento de transporte (TMS), uso de aplicativos para o planejamento de entregas e empilhadeiras autônomas, já estão presentes dentro de diversas empresas no Brasil; • O resultado mais importante obtido com a utilização dos recursos da logística 4.0 é que ajuda as empresas a se tornarem mais competitivas, aumentam o número de clientes satisfeitos e se destacam perante os concorrentes; • As empresas devem estar preparadas para mudar e se adaptar aos novos desafios que o mercado impõe. Por essa razão, a realização de investimentos em infraestrutura e tecnologia é fundamental; • Nós, do Núcleo de Tecnologia Logística do Senai SP , Unidade “Morvan Figueiredo” , além de um know-how acumulado em Atendimento a Empresas na área de Logística, possuímos uma Equipe de Especialistas altamente qualificados, que certamente ajudarão sua empresa a maximizar lucros, rumo à Logística 4.0, através do emprego de ferramentas inovadoras.
  • 43. Núcleo de Tecnologia em Logística SENAI “Morvan Figueiredo” mooca.sp.senai.br Rua do Oratório, 215 – Mooca, São Paulo +55 11 2076-3201 / +55 11 9 6916-8289 Facebook.com/senaimooca
  • 44. Obrigado! Elaborado por: Jefferson Gandolfi Feitosa – feitosa@sp.senai.br Felipe Soria – felipe.soria@sp.senai.br