SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Dr. Gustavo Alves
1
Trabalhos realizados
(atuais e anteriores)
Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar
4
Gustavo Alves Andrade dos Santos – Farmacêutico Bioquímico
 Doutor em Biotecnologia, Mestre em FARMÁCIA.
 Membro da ISTAART – Alzheimer´s Association International Society to advance Alzheimer´s Research
and Treatment.
 Pós-graduado em Farmácia Hospitalar pelas Faculdades Oswaldo Cruz. Fez cursos de Farmácia Hospitalar na
França e de Farmácia Clínica nos Estados Unidos.
 Coordenador do Grupo de Atenção ao Idoso do CRF – SP (2016-atual)
 Coordenador da Comissão de Farmácia Hospitalar do CRF-SP – 2010 – 2011 / 2012 - 2013 (Conselho Regional de
Farmácia).
 Vice-presidente da SBRAFH (Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar) – regional S. Paulo (2011-2012)
 Coordenador e professor nos cursos de Pós Graduação em “Farmácia Clínica e Hospitalar” do SENAC e da
das Faculdades Oswaldo Cruz, “Pós-graduação em Farmácia Hospitalar Oncológica” da PUC Goiânia e Instituto
AC CAMARGO SP/SP; professor da Pós Graduação em Farmacologia Clínica das Faculdades Oswaldo Cruz (turmas
fora de S.Paulo).
 Coordenador e professor da Pós Graduação em Farmacologia Clínica do SENAC; Pós graduação em Farmácia
Clínica e Hospitalar do SENAC;Professor da Graduação “Tecnologia em Saúde” do SENAC.
 Consultor da Editora Phoenix na área de Farmacologia;
 Autor do Livro Gestão de Farmácia Hospitalar editora SENAC, 2006 – 3ª edição.
 Coautor do livro Logística Farmacêutica Geral – ed. Contento - 2013
 Co-autor do Livro Infecção Hospitalar e suas interfaces na área da Saúde (Vencedor do Prêmio Jabuti em
2006).
 Co-autor da CARTILHA DE FARMÁCIA HOSPITALAR do CRF-SP
 Co-autor dos Padrões Mínimos da Farmácia Hospitalar pela Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar em
2007.
 Diretor do site www.farmaciahospitalar.com
Evolução da Prática Farmacêutica: dos medicamentos
para os pacientes.
1850-1900
1990-AtualLate 1960’s-1990’s
1900-1960
6
7
Evolução da Farmácia Hospitalar
1752 – Pensilvânia (EUA)
 Jonathan Roberts
 Padronização de Medicamentos.
78 Grandes áreas de atuação
Radiofarmácia
Farmácia Clínica Logística
Pesquisa
NPT
QT
Manipulação
Assistência
farmacêutica
Farmácia Pública
Atenção
Farmacêutica Farmacoeconomia
Farmacovigilância
Farmacoterapia
Farmácia Hospitalar
Dispensação
Cuidado ao
paciente
Conhecer a
terapia
Conhecer a
terapia não
medicamentosa
Conhecimento do
laboratório clínico
Habilidade na
comunicação
Habilidades no
monitoramento
de pacientes
Habilidades na
informação
sobre drogas
Habilidades no
plano
terapêutico
Conhecer a
doença
Farmacêutico Clínico-hospitalar
Os desfechos Clínicos são:
A cura de uma doença
Eliminando ou reduzindo sintomas
Diminuindo ou parando o processo da doença
Prevenindo a doença ou seus sintomas
Segurança do Paciente
ROI da Farmácia Clínica:
 Resolutividade
 Tempo de Internação
 Adesão aos Protocolos
 Redução nas glosas
 Redução no Consumo de
medicamentos
 Redução nos custos (RAM,IM)
 Qualidade
 Outros
12
Estratégias e recomendações internacionais: voltadas para
repensar o PAPEL DO FARMACÊUTICO no Sistema de Atenção
à Saúde, antes simplesmente considerado o responsável pelo
abastecimento de medicamentos, e atualmente como CO-
RESPONSÁVEL PELA TERAPIA DO PACIENTE e promoção
do uso racional dos medicamentos.
Reuniões da OMS de Nova Delhi (OMS, 1988), de Tóquio (WHO, 1993), de
Vancouver (WHO, 1997) e de Haia (WHO, 1998).
Contexto internacional
13
Farmácia Clínica
15
Evolução da “Coordenação” Farmacêutica: Gestão e
Logística
Farmácia Hospitalar (Portaria 4283 / MS )
 é a unidade clínico-assistencial, técnica e
administrativa, onde se processam as
atividades relacionadas à assistência
farmacêutica, dirigida exclusivamente por
farmacêutico, compondo a estrutura
organizacional do hospital e integrada
funcionalmente com as demais unidades
administrativas e de assistência ao
paciente.
16
Farmácia hospitalar
17
Resolução 492 do CFF (11/2008)
Padronização,
Seleção, Qualificação
Armazenamento
Sistema de
Dispensação
Protocolos Clínicos
Farmacotécnica Manuais Técnicos
Comissões
hospitalares
Multidisciplinaridade
CME
Farmacovigilância,
Tecnovigilância,
Hemovigilância
URM Ensino e Pesquisa
Riscos / Erros Resíduos
18
Sustentação da Farmácia Hospitalar
✓Gestão;
✓Desenvolvimento de Infra-estrutura;
✓Preparo, distribuição, dispensação e controle de
medicamentos e produtos para a Saúde;
✓Otimização da Terapia Medicamentosa;
✓Informação sobre Medicamentos e produtos para a
Saúde;
✓Ensino, educação permanente e Pesquisa.
Onde está situada a Farmácia?
ESTRATÉGICO
TÁTICO
OPERACIONAL
Planejamento
Estratégico
Planejamento Tático
Planejamento
Operacional
19
Quais são as atividades do Gestor Farmacêutico?
1. Cuidar de uma empresa
chamada Farmácia.
2. Cuidar de processos.
3. Utilizar tecnologias.
4. Lidar com pessoas.
5. Servir aos clientes.
6. Alcançar objetivos e metas.
7. Formular estratégias e
planos.
8. Entregar resultados.
Indicadores Farmácia Hospitalar
Gestão
• Grau de satisfação dos
clientes
• Cumprimento de
metas
• Participação do
farmacêutico nas
Comissões
• Funcionários / leito
Seleção / Padronização
• Nº reuniões CFT /ano
• Nº livretos / médicos
• Nº inclusões / ano
• Nº exclusões / ano
• % não padronizados
• Nº de substituições
por padronizados
Indicadores Farmácia Hospitalar
Logística
• Compras não programadas
• Compras de não padrão
• Ajuste de consumo
• Giro
• Faltas
• Perdas por desvio, obsolescência e vencimento
• Inconsistências
• Nº de Inventários / ano
• Custo dos acertos
• Saídas / entradas
• Erros detectados
• Tempo médio de atendimento
Indicadores Farmácia Hospitalar
CIM
• Total de consultas realizadas
• Total de consultas passivas
• Natureza
• Nº e tipo de informações
prestadas
• Nº de chamadas
• Não respondidas
• Tempo de resposta
• Fontes consultadas
• Eficácia / adesão
• Boletins informativos
FC / AF / FVG
• Nº PM avaliadas pelo
farmacêutico
• Nº de intervenções
farmacêuticas
• Adesão do médico à
intervenção
• Eficácia da intervenção
• Detecção de RAM
• Nº RAM / período
• % de PRM detectados
• Nº e tipos de EM
Indicadores Farmácia Hospitalar
Farmacotécnica
• Nº CQ
microbiológicos
realizados
• Adesão aos protocolos
de produção
• Acondicionamento
• Produção de
fracionados / MIVs.
Ensino / Pesquisa
• Participação em
Congressos nacionais
e internacionais
• Publicações
• Palestras realizadas
• Educação continuada:
treinamento horas /
homem.
Indicadores Farmácia Hospitalar
FC, AF
• Satisfação de clientes
• PM avaliadas pelo
farmacêutico / dia
• Nº de informações
sobre seguimento e
avaliação das causas de
não-administração de
medicamentos.
Seguimento
Farmacoterapêutico
• Satisfação de clientes
• Nº de intervenções
• Eficácia
• Adesão médica
• Nº de avaliações de
tratamento
farmacológico /
período
“Pharmacoterapy in Patients with Alzheimer´s
Disease”
9 de dezembro - 14 horas
Obrigado, Sucesso à Todos!
Gustavo Alves A. dos Santos
Facebook: gustavo.alves.9404
Twitter: @gustavofarmacia
Gustavo.santos@sp.senac.br
gusfarma@Hotmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cálculos com medicamentos
Cálculos com medicamentosCálculos com medicamentos
Cálculos com medicamentos
Socorro Carneiro
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
Cassyano Correr
 
Acidentes por Material Biológico
Acidentes por Material BiológicoAcidentes por Material Biológico
Acidentes por Material Biológico
Professor Robson
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
Vanessa Farias
 
Lixo Hospitalar
Lixo HospitalarLixo Hospitalar
Lixo Hospitalar
ANDRÉA FERREIRA
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Will Nunes
 
Atendente de Farmácia - Leis & Drogarias
Atendente de Farmácia -   Leis & DrogariasAtendente de Farmácia -   Leis & Drogarias
Atendente de Farmácia - Leis & Drogarias
Luis Antonio Cezar Junior
 
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveisEpidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Ricardo Alanís
 
Medicamentos
MedicamentosMedicamentos
Medicamentos
Leonardo Souza
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
Cassyano Correr
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
Proqualis
 
Farmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalar
Farmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalarFarmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalar
Farmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalar
Giovanni Oliveira
 
Calculo de medicamentos
Calculo de medicamentosCalculo de medicamentos
Calculo de medicamentos
Viviane Campos
 
13 vias de administração
13 vias de administração13 vias de administração
13 vias de administração
Jose Maciel Dos Anjos
 
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
Elizeu Ferro
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
resenfe2013
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
Rafaela Carvalho
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
Larissa Paulo
 
Farmacodinâmica
FarmacodinâmicaFarmacodinâmica
Farmacodinâmica
Leonardo Souza
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêutica
Leonardo Souza
 

Mais procurados (20)

Cálculos com medicamentos
Cálculos com medicamentosCálculos com medicamentos
Cálculos com medicamentos
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
 
Acidentes por Material Biológico
Acidentes por Material BiológicoAcidentes por Material Biológico
Acidentes por Material Biológico
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Lixo Hospitalar
Lixo HospitalarLixo Hospitalar
Lixo Hospitalar
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Atendente de Farmácia - Leis & Drogarias
Atendente de Farmácia -   Leis & DrogariasAtendente de Farmácia -   Leis & Drogarias
Atendente de Farmácia - Leis & Drogarias
 
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveisEpidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveis
 
Medicamentos
MedicamentosMedicamentos
Medicamentos
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
 
Farmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalar
Farmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalarFarmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalar
Farmácia hospitalar a importância da farmácia hospitalar
 
Calculo de medicamentos
Calculo de medicamentosCalculo de medicamentos
Calculo de medicamentos
 
13 vias de administração
13 vias de administração13 vias de administração
13 vias de administração
 
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
 
Farmacodinâmica
FarmacodinâmicaFarmacodinâmica
Farmacodinâmica
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêutica
 

Semelhante a Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar

Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Helen Ramos
 
Farmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdfFarmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdf
Daiane Santos
 
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
martinsfmf
 
Evento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redondaEvento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redonda
angelitamelo
 
Evento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redondaEvento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redonda
angelitamelo
 
Socesp
SocespSocesp
Socesp
sbrassica
 
atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf
atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdfatencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf
atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf
Naidilene Aguilar
 
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalarAtenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Rodrigo Xavier
 
Farmacoté..
Farmacoté..Farmacoté..
Farmacoté..
henriquetabosa
 
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
MV
 
Desafio Operações Unitárias
Desafio Operações UnitáriasDesafio Operações Unitárias
Desafio Operações Unitárias
henriquetabosa
 
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_finalIi congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
angelitamelo
 
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
LAFARCLIN UFPB
 
Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012
Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012
Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012
jaddy xavier
 
Manual farm11
Manual farm11Manual farm11
Manual farm11
Lucas Almeida Sá
 
Manual 3 -_diabetes_mellitus
Manual 3 -_diabetes_mellitusManual 3 -_diabetes_mellitus
Manual 3 -_diabetes_mellitus
LAFARCLIN UFPB
 
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdfUFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
AnaFilipaFidalgoLope
 
Projeto Piloto de Cuidado Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...
Projeto Piloto de Cuidado  Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...Projeto Piloto de Cuidado  Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...
Projeto Piloto de Cuidado Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...
HorusQualifar
 
Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"
Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"
Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"
JOFARUFPR
 
Manual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascular
Manual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascularManual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascular
Manual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascular
LAFARCLIN UFPB
 

Semelhante a Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar (20)

Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
Desafios Para a Implantação da Farmácia Clínica em Farmácias Comunitárias na ...
 
Farmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdfFarmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdf
 
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
Assistência Clínica na Farmacoterapia Antineoplásica Oral: uma experiência pr...
 
Evento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redondaEvento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redonda
 
Evento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redondaEvento educadores fala_mesa_redonda
Evento educadores fala_mesa_redonda
 
Socesp
SocespSocesp
Socesp
 
atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf
atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdfatencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf
atencao-farmaceutica farmacia clinica.pdf
 
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalarAtenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
 
Farmacoté..
Farmacoté..Farmacoté..
Farmacoté..
 
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
 
Desafio Operações Unitárias
Desafio Operações UnitáriasDesafio Operações Unitárias
Desafio Operações Unitárias
 
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_finalIi congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
 
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
Aula do módulo 04 do Curso de Serviços farmacêuticos direcionados ao paciente...
 
Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012
Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012
Manual Farmacêutico do Hospital Israelita Albert Einstein 2011/2012
 
Manual farm11
Manual farm11Manual farm11
Manual farm11
 
Manual 3 -_diabetes_mellitus
Manual 3 -_diabetes_mellitusManual 3 -_diabetes_mellitus
Manual 3 -_diabetes_mellitus
 
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdfUFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
 
Projeto Piloto de Cuidado Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...
Projeto Piloto de Cuidado  Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...Projeto Piloto de Cuidado  Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...
Projeto Piloto de Cuidado Farmacêutica na Atenção Básica em Curitiba- Aprese...
 
Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"
Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"
Palestra 8 - "Reconciliação medicamentosa: Um serviço clínico"
 
Manual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascular
Manual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascularManual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascular
Manual 2 -_dislipidemias_e_risco_cardiovascular
 

Mais de Conselho Regional de Administração de São Paulo

Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SPResponsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃOCOMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistasWebinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no BrasilAdministrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimentoAmbiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Compliance no setor de energia
Compliance no setor de energiaCompliance no setor de energia
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiaresA tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimentoAcolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Legislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e AmbientalLegislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e Ambiental
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Logística 4.0: oportunidades e desafios
Logística 4.0: oportunidades e desafiosLogística 4.0: oportunidades e desafios
Logística 4.0: oportunidades e desafios
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Como ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado esperaComo ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado espera
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Coaching em grupos
Coaching em gruposCoaching em grupos
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenárioAs organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digitalO ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 

Mais de Conselho Regional de Administração de São Paulo (20)

Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SPResponsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
Responsabilidade Social e Sustentabilidade no CRA-SP
 
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
 
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃOCOMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
COMO APLICAR A CULTURA ÁGIL EM SUA ORGANIZAÇÃO
 
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistasWebinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
Webinar - Mediação: como minimizar os riscos nas relações trabalhistas
 
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no BrasilAdministrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
 
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimentoAmbiente favorável ao autodesenvolvimento
Ambiente favorável ao autodesenvolvimento
 
Compliance no setor de energia
Compliance no setor de energiaCompliance no setor de energia
Compliance no setor de energia
 
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiaresA tributação na estruturação societária das empresas familiares
A tributação na estruturação societária das empresas familiares
 
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
A experiência feminina no sistema de franchising: como definir o segmento mai...
 
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimentoAcolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
Acolhimento, Hospitalidade e Hotelaria: excelência no atendimento
 
Legislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e AmbientalLegislação Sanitária e Ambiental
Legislação Sanitária e Ambiental
 
Logística 4.0: oportunidades e desafios
Logística 4.0: oportunidades e desafiosLogística 4.0: oportunidades e desafios
Logística 4.0: oportunidades e desafios
 
Como ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado esperaComo ser o lider que o mercado espera
Como ser o lider que o mercado espera
 
Coaching em grupos
Coaching em gruposCoaching em grupos
Coaching em grupos
 
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?Mediação: onde estamos e para onde vamos?
Mediação: onde estamos e para onde vamos?
 
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
Arbitragem: onde estamos e para onde vamos?
 
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
ADM Tendências (Episódio 06) Case Grow: Empreendedorismo e Negócios com Respo...
 
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenárioAs organizações estão doentes: como mudar este cenário
As organizações estão doentes: como mudar este cenário
 
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
O Futuro do Branding, das Marcas e da Comunicação até 2050
 
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digitalO ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
O ambiente de trabalho do futuro e a transformação digital
 

Último

GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 

Último (8)

GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 

Dimensões Clínicas, Técnicas e Gerenciais da Farmácia Hospitalar

  • 4. 4 Gustavo Alves Andrade dos Santos – Farmacêutico Bioquímico  Doutor em Biotecnologia, Mestre em FARMÁCIA.  Membro da ISTAART – Alzheimer´s Association International Society to advance Alzheimer´s Research and Treatment.  Pós-graduado em Farmácia Hospitalar pelas Faculdades Oswaldo Cruz. Fez cursos de Farmácia Hospitalar na França e de Farmácia Clínica nos Estados Unidos.  Coordenador do Grupo de Atenção ao Idoso do CRF – SP (2016-atual)  Coordenador da Comissão de Farmácia Hospitalar do CRF-SP – 2010 – 2011 / 2012 - 2013 (Conselho Regional de Farmácia).  Vice-presidente da SBRAFH (Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar) – regional S. Paulo (2011-2012)  Coordenador e professor nos cursos de Pós Graduação em “Farmácia Clínica e Hospitalar” do SENAC e da das Faculdades Oswaldo Cruz, “Pós-graduação em Farmácia Hospitalar Oncológica” da PUC Goiânia e Instituto AC CAMARGO SP/SP; professor da Pós Graduação em Farmacologia Clínica das Faculdades Oswaldo Cruz (turmas fora de S.Paulo).  Coordenador e professor da Pós Graduação em Farmacologia Clínica do SENAC; Pós graduação em Farmácia Clínica e Hospitalar do SENAC;Professor da Graduação “Tecnologia em Saúde” do SENAC.  Consultor da Editora Phoenix na área de Farmacologia;  Autor do Livro Gestão de Farmácia Hospitalar editora SENAC, 2006 – 3ª edição.  Coautor do livro Logística Farmacêutica Geral – ed. Contento - 2013  Co-autor do Livro Infecção Hospitalar e suas interfaces na área da Saúde (Vencedor do Prêmio Jabuti em 2006).  Co-autor da CARTILHA DE FARMÁCIA HOSPITALAR do CRF-SP  Co-autor dos Padrões Mínimos da Farmácia Hospitalar pela Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar em 2007.  Diretor do site www.farmaciahospitalar.com
  • 5. Evolução da Prática Farmacêutica: dos medicamentos para os pacientes. 1850-1900 1990-AtualLate 1960’s-1990’s 1900-1960
  • 6. 6
  • 7. 7
  • 8. Evolução da Farmácia Hospitalar 1752 – Pensilvânia (EUA)  Jonathan Roberts  Padronização de Medicamentos.
  • 9. 78 Grandes áreas de atuação Radiofarmácia Farmácia Clínica Logística Pesquisa NPT QT Manipulação Assistência farmacêutica Farmácia Pública Atenção Farmacêutica Farmacoeconomia Farmacovigilância Farmacoterapia Farmácia Hospitalar Dispensação
  • 10. Cuidado ao paciente Conhecer a terapia Conhecer a terapia não medicamentosa Conhecimento do laboratório clínico Habilidade na comunicação Habilidades no monitoramento de pacientes Habilidades na informação sobre drogas Habilidades no plano terapêutico Conhecer a doença
  • 11. Farmacêutico Clínico-hospitalar Os desfechos Clínicos são: A cura de uma doença Eliminando ou reduzindo sintomas Diminuindo ou parando o processo da doença Prevenindo a doença ou seus sintomas Segurança do Paciente
  • 12. ROI da Farmácia Clínica:  Resolutividade  Tempo de Internação  Adesão aos Protocolos  Redução nas glosas  Redução no Consumo de medicamentos  Redução nos custos (RAM,IM)  Qualidade  Outros 12
  • 13. Estratégias e recomendações internacionais: voltadas para repensar o PAPEL DO FARMACÊUTICO no Sistema de Atenção à Saúde, antes simplesmente considerado o responsável pelo abastecimento de medicamentos, e atualmente como CO- RESPONSÁVEL PELA TERAPIA DO PACIENTE e promoção do uso racional dos medicamentos. Reuniões da OMS de Nova Delhi (OMS, 1988), de Tóquio (WHO, 1993), de Vancouver (WHO, 1997) e de Haia (WHO, 1998). Contexto internacional 13
  • 15. 15 Evolução da “Coordenação” Farmacêutica: Gestão e Logística
  • 16. Farmácia Hospitalar (Portaria 4283 / MS )  é a unidade clínico-assistencial, técnica e administrativa, onde se processam as atividades relacionadas à assistência farmacêutica, dirigida exclusivamente por farmacêutico, compondo a estrutura organizacional do hospital e integrada funcionalmente com as demais unidades administrativas e de assistência ao paciente. 16
  • 17. Farmácia hospitalar 17 Resolução 492 do CFF (11/2008) Padronização, Seleção, Qualificação Armazenamento Sistema de Dispensação Protocolos Clínicos Farmacotécnica Manuais Técnicos Comissões hospitalares Multidisciplinaridade CME Farmacovigilância, Tecnovigilância, Hemovigilância URM Ensino e Pesquisa Riscos / Erros Resíduos
  • 18. 18 Sustentação da Farmácia Hospitalar ✓Gestão; ✓Desenvolvimento de Infra-estrutura; ✓Preparo, distribuição, dispensação e controle de medicamentos e produtos para a Saúde; ✓Otimização da Terapia Medicamentosa; ✓Informação sobre Medicamentos e produtos para a Saúde; ✓Ensino, educação permanente e Pesquisa.
  • 19. Onde está situada a Farmácia? ESTRATÉGICO TÁTICO OPERACIONAL Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional 19
  • 20. Quais são as atividades do Gestor Farmacêutico? 1. Cuidar de uma empresa chamada Farmácia. 2. Cuidar de processos. 3. Utilizar tecnologias. 4. Lidar com pessoas. 5. Servir aos clientes. 6. Alcançar objetivos e metas. 7. Formular estratégias e planos. 8. Entregar resultados.
  • 21. Indicadores Farmácia Hospitalar Gestão • Grau de satisfação dos clientes • Cumprimento de metas • Participação do farmacêutico nas Comissões • Funcionários / leito Seleção / Padronização • Nº reuniões CFT /ano • Nº livretos / médicos • Nº inclusões / ano • Nº exclusões / ano • % não padronizados • Nº de substituições por padronizados
  • 22. Indicadores Farmácia Hospitalar Logística • Compras não programadas • Compras de não padrão • Ajuste de consumo • Giro • Faltas • Perdas por desvio, obsolescência e vencimento • Inconsistências • Nº de Inventários / ano • Custo dos acertos • Saídas / entradas • Erros detectados • Tempo médio de atendimento
  • 23. Indicadores Farmácia Hospitalar CIM • Total de consultas realizadas • Total de consultas passivas • Natureza • Nº e tipo de informações prestadas • Nº de chamadas • Não respondidas • Tempo de resposta • Fontes consultadas • Eficácia / adesão • Boletins informativos FC / AF / FVG • Nº PM avaliadas pelo farmacêutico • Nº de intervenções farmacêuticas • Adesão do médico à intervenção • Eficácia da intervenção • Detecção de RAM • Nº RAM / período • % de PRM detectados • Nº e tipos de EM
  • 24. Indicadores Farmácia Hospitalar Farmacotécnica • Nº CQ microbiológicos realizados • Adesão aos protocolos de produção • Acondicionamento • Produção de fracionados / MIVs. Ensino / Pesquisa • Participação em Congressos nacionais e internacionais • Publicações • Palestras realizadas • Educação continuada: treinamento horas / homem.
  • 25. Indicadores Farmácia Hospitalar FC, AF • Satisfação de clientes • PM avaliadas pelo farmacêutico / dia • Nº de informações sobre seguimento e avaliação das causas de não-administração de medicamentos. Seguimento Farmacoterapêutico • Satisfação de clientes • Nº de intervenções • Eficácia • Adesão médica • Nº de avaliações de tratamento farmacológico / período
  • 26. “Pharmacoterapy in Patients with Alzheimer´s Disease” 9 de dezembro - 14 horas
  • 27. Obrigado, Sucesso à Todos! Gustavo Alves A. dos Santos Facebook: gustavo.alves.9404 Twitter: @gustavofarmacia Gustavo.santos@sp.senac.br gusfarma@Hotmail.com