SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
 Universidade de Viena Dr. em
Medicina -1881
 Estudos sobre neurologia
 Médico e fisiologista
 Tratamento de histeria com hipnose
 Método catártico – método de
psicoterapia em que o efeito terapêutico
visado é uma descarga adequada dos
afetos patogênicos..
 Período de tratamento: 1880 – 1882
 Líder feminista, escritora e assistente social
 Sintomas histéricos - depressão; paralisia
perda da memória; deterioração mental;
náuseas; distúrbios.
 Livre Associação – técnica psicoterápica em
que propõe ao paciente discursar livremente.
 Teoria da sedução infantil - teoria elaborada
em 1885 e 1897 que atribui a lembrança de
cenas reais de sedução o papel determinante
na origem das neuroses.
 “Se é verdade que seus histéricos tiram os seus
sintomas de traumas fictícios, o fato novo é
exatamente que eles fantasiem essas cenas
 [...] descobrimos que essas fantasias serviam
para dissimular a atividade erótica dos primeiros
anos da infância
 [...] então, por trás dessas fantasias surgiu, em
toda sua vastidão, a vida sexual da criança”.
* Período: 0 a 2 anos
* Zona erógena: Boca
* Período: 0 a 2 anos
* Zona erógena: Boca
* Período: 2 a 3 anos
* Zona erógena: Anus
* Período: 2 a 3 anos
* Zona erógena: Anus
* Período: 4 a 5 anos
* Zona erógena:
Genital
* Período: 4 a 5 anos
* Zona erógena:
Genital
* Período: 6 a 9 anos
* “Intervalo” na evolução
sexual
* Período: 6 a 9 anos
* “Intervalo” na evolução
sexual
* Período: 10 anos em diante
* O prazer está no objeto
* Período: 10 anos em diante
* O prazer está no objeto
Pequena parte do
aparelho psíquico,
inclui tudo do que
estamos cientes em um
dado momento.
Pequena parte do
aparelho psíquico,
inclui tudo do que
estamos cientes em um
dado momento.
Uma parte do inconsciente
que pode tornar-se
consciente com facilidade.
Uma parte do inconsciente
que pode tornar-se
consciente com facilidade.
Estão os elementos instintivos
que nunca foram conscientes e
que não são serão acessíveis a
consciência. E também, material
que foi excluído da consciência,
censurado e reprimido.
Estão os elementos instintivos
que nunca foram conscientes e
que não são serão acessíveis a
consciência. E também, material
que foi excluído da consciência,
censurado e reprimido.
Nada ocorre por
acaso. Há uma causa
para da pensamento,
para cada memória
revivida, sentimento
ou ação.
Determinismo Psíquico
IDID
EGOEGO
SUPEREGOSUPEREGO
 Afasta da consciência um evento, ideia ou
percepção potencialmente provocadores de
ansiedade.
Memórias traumatizantes
Informações que causam
desconforto
 Substitui comportamentos e sentimentos que
são diametralmente opostos ao desejo real; é
uma inversão clara e, em geral, inconsciente do
desejo.
Atitudes de exagero
Repugnância e vergonha
Superproteção
 É um modo de aliviar a ansiedade escapando do
pensamento realístico para comportamentos que,
em anos anteriores, reduziram a ansiedade.
Embebedar-se, quebrar as leis, falar
como crianças, roer as unhas, destruir
propriedades, ler história de
mistérios, vestir-se como adolescente
ou criança, competir.
 Comportamento de atribuir à uma outra pessoa,
animal ou objeto as qualidades, sentimentos ou
intenções que se originam em si próprio.
“Aquela pessoa me causa pena”.
“Aquela pessoa é pervertida”.
“Esse animal está com saudade de sua liberdade”.
 É o processo de achar motivos aceitáveis para
pensamentos e ações inaceitáveis.
“Um dia todos tem que morrer”.
“Precisava mesmo de um tempo para pensar em meu futuro”.
“Estou fazendo isso para o seu bem”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicanalise- psicologia social2
Psicanalise- psicologia social2Psicanalise- psicologia social2
Psicanalise- psicologia social2
Daniele Rubim
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
faculdadeteologica
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a natureza
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a naturezaCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a natureza
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a natureza
Alexandre Simoes
 
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologiaAula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Artur Mamed
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Paulo Gomes
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeito
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeitoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeito
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeito
Alexandre Simoes
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
Rita Cristiane Pavan
 

Mais procurados (20)

Id.Ego.Super
Id.Ego.SuperId.Ego.Super
Id.Ego.Super
 
Personalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e TestesPersonalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e Testes
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Psicanalise- psicologia social2
Psicanalise- psicologia social2Psicanalise- psicologia social2
Psicanalise- psicologia social2
 
Carl Jung
Carl Jung Carl Jung
Carl Jung
 
Teoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTicaTeoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTica
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
 
Psicanálise Sigmund Freud
Psicanálise Sigmund Freud Psicanálise Sigmund Freud
Psicanálise Sigmund Freud
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a natureza
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a naturezaCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a natureza
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 3: A pulsão e sua ruptura com a natureza
 
Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa
 
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologiaAula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeito
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeitoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeito
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 6: O inconsciente e seu sujeito
 
Freud
FreudFreud
Freud
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
 

Destaque

Desenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento PsicossexualDesenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento Psicossexual
Kivya Damasceno
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
UNESC
 
Estádios de Erikson
Estádios de EriksonEstádios de Erikson
Estádios de Erikson
TeeOliveira
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Jorge Barbosa
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
marta12l
 
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialErikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
psicologiaazambuja
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Erikson
junioragogo
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Débora Silveira
 

Destaque (16)

Desenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento PsicossexualDesenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento Psicossexual
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
 
Freud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimentoFreud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimento
 
Estádios de Erikson
Estádios de Erikson Estádios de Erikson
Estádios de Erikson
 
Estádios de Erikson
Estádios de EriksonEstádios de Erikson
Estádios de Erikson
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
 
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fasesFreud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
 
Estádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de eriksonEstádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de erikson
 
Teoria do desenvolvimento psicossocial erikson
Teoria do desenvolvimento psicossocial eriksonTeoria do desenvolvimento psicossocial erikson
Teoria do desenvolvimento psicossocial erikson
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
 
A teoria de erikson
A teoria de eriksonA teoria de erikson
A teoria de erikson
 
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialErikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Erikson
 
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik EriksonA teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 

Semelhante a Introdução À Psicanálise

Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
Caio Grimberg
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
Caio Grimberg
 
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da PercepçãoPsicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Alexandre Simoes
 
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
tacio111
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
John Wainwright
 
Ciência cognitiva hipnose
Ciência cognitiva   hipnoseCiência cognitiva   hipnose
Ciência cognitiva hipnose
Wagner Kinera
 
Freud ppt682
Freud ppt682Freud ppt682
Freud ppt682
27101992
 
Freud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatdaFreud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatda
gcz2dp7sff
 

Semelhante a Introdução À Psicanálise (20)

Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdfAna Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
 
Cap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdfCap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdf
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
 
Como freud-criou-a-psicanalise
Como freud-criou-a-psicanaliseComo freud-criou-a-psicanalise
Como freud-criou-a-psicanalise
 
Freud Ppt
Freud PptFreud Ppt
Freud Ppt
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
 
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da PercepçãoPsicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
 
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
 
Apresentaopsicanlise
ApresentaopsicanliseApresentaopsicanlise
Apresentaopsicanlise
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
 
Ciência cognitiva hipnose
Ciência cognitiva   hipnoseCiência cognitiva   hipnose
Ciência cognitiva hipnose
 
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das NeurosesCurso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Freud ppt682
Freud ppt682Freud ppt682
Freud ppt682
 
Teoria psicanalítica
Teoria psicanalíticaTeoria psicanalítica
Teoria psicanalítica
 
Concepções da mente
Concepções da menteConcepções da mente
Concepções da mente
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
O Inconciente
O InconcienteO Inconciente
O Inconciente
 
2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente
 
Freud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatdaFreud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatda
 

Mais de psicologiaisecensa

Mais de psicologiaisecensa (18)

Sistema Digestório
Sistema DigestórioSistema Digestório
Sistema Digestório
 
Sistema Circulatório
Sistema CirculatórioSistema Circulatório
Sistema Circulatório
 
Uma História de Múltiplas Tradições Religiosas
Uma História de Múltiplas Tradições ReligiosasUma História de Múltiplas Tradições Religiosas
Uma História de Múltiplas Tradições Religiosas
 
Fenômeno Amoroso e Religioso
Fenômeno Amoroso e ReligiosoFenômeno Amoroso e Religioso
Fenômeno Amoroso e Religioso
 
O Fenômeno Humano e sua Complexidade
O Fenômeno Humano e sua ComplexidadeO Fenômeno Humano e sua Complexidade
O Fenômeno Humano e sua Complexidade
 
As Flores
As FloresAs Flores
As Flores
 
A Espiritualidade pelo Caminho
A Espiritualidade pelo CaminhoA Espiritualidade pelo Caminho
A Espiritualidade pelo Caminho
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
 
Normas e Citações em Trabalhos Científicos
Normas e Citações em Trabalhos CientíficosNormas e Citações em Trabalhos Científicos
Normas e Citações em Trabalhos Científicos
 
Teoria Humanista de Rogers
Teoria Humanista de RogersTeoria Humanista de Rogers
Teoria Humanista de Rogers
 
Teoria Comportamental
Teoria  ComportamentalTeoria  Comportamental
Teoria Comportamental
 
Introdução À Psicologia
Introdução À PsicologiaIntrodução À Psicologia
Introdução À Psicologia
 
Sistema Respiratório
Sistema RespiratórioSistema Respiratório
Sistema Respiratório
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Sistema Endócrino
Sistema EndócrinoSistema Endócrino
Sistema Endócrino
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Aparelho Locomotor
Aparelho LocomotorAparelho Locomotor
Aparelho Locomotor
 
Organização do Corpo
Organização do CorpoOrganização do Corpo
Organização do Corpo
 

Introdução À Psicanálise

  • 1.
  • 2.  Universidade de Viena Dr. em Medicina -1881  Estudos sobre neurologia
  • 3.
  • 4.  Médico e fisiologista  Tratamento de histeria com hipnose  Método catártico – método de psicoterapia em que o efeito terapêutico visado é uma descarga adequada dos afetos patogênicos..
  • 5.  Período de tratamento: 1880 – 1882  Líder feminista, escritora e assistente social  Sintomas histéricos - depressão; paralisia perda da memória; deterioração mental; náuseas; distúrbios.
  • 6.  Livre Associação – técnica psicoterápica em que propõe ao paciente discursar livremente.  Teoria da sedução infantil - teoria elaborada em 1885 e 1897 que atribui a lembrança de cenas reais de sedução o papel determinante na origem das neuroses.
  • 7.  “Se é verdade que seus histéricos tiram os seus sintomas de traumas fictícios, o fato novo é exatamente que eles fantasiem essas cenas  [...] descobrimos que essas fantasias serviam para dissimular a atividade erótica dos primeiros anos da infância  [...] então, por trás dessas fantasias surgiu, em toda sua vastidão, a vida sexual da criança”.
  • 8. * Período: 0 a 2 anos * Zona erógena: Boca * Período: 0 a 2 anos * Zona erógena: Boca * Período: 2 a 3 anos * Zona erógena: Anus * Período: 2 a 3 anos * Zona erógena: Anus * Período: 4 a 5 anos * Zona erógena: Genital * Período: 4 a 5 anos * Zona erógena: Genital * Período: 6 a 9 anos * “Intervalo” na evolução sexual * Período: 6 a 9 anos * “Intervalo” na evolução sexual * Período: 10 anos em diante * O prazer está no objeto * Período: 10 anos em diante * O prazer está no objeto
  • 9. Pequena parte do aparelho psíquico, inclui tudo do que estamos cientes em um dado momento. Pequena parte do aparelho psíquico, inclui tudo do que estamos cientes em um dado momento. Uma parte do inconsciente que pode tornar-se consciente com facilidade. Uma parte do inconsciente que pode tornar-se consciente com facilidade. Estão os elementos instintivos que nunca foram conscientes e que não são serão acessíveis a consciência. E também, material que foi excluído da consciência, censurado e reprimido. Estão os elementos instintivos que nunca foram conscientes e que não são serão acessíveis a consciência. E também, material que foi excluído da consciência, censurado e reprimido.
  • 10.
  • 11. Nada ocorre por acaso. Há uma causa para da pensamento, para cada memória revivida, sentimento ou ação. Determinismo Psíquico
  • 13.
  • 14.
  • 15.  Afasta da consciência um evento, ideia ou percepção potencialmente provocadores de ansiedade. Memórias traumatizantes Informações que causam desconforto
  • 16.  Substitui comportamentos e sentimentos que são diametralmente opostos ao desejo real; é uma inversão clara e, em geral, inconsciente do desejo. Atitudes de exagero Repugnância e vergonha Superproteção
  • 17.  É um modo de aliviar a ansiedade escapando do pensamento realístico para comportamentos que, em anos anteriores, reduziram a ansiedade. Embebedar-se, quebrar as leis, falar como crianças, roer as unhas, destruir propriedades, ler história de mistérios, vestir-se como adolescente ou criança, competir.
  • 18.  Comportamento de atribuir à uma outra pessoa, animal ou objeto as qualidades, sentimentos ou intenções que se originam em si próprio. “Aquela pessoa me causa pena”. “Aquela pessoa é pervertida”. “Esse animal está com saudade de sua liberdade”.
  • 19.  É o processo de achar motivos aceitáveis para pensamentos e ações inaceitáveis. “Um dia todos tem que morrer”. “Precisava mesmo de um tempo para pensar em meu futuro”. “Estou fazendo isso para o seu bem”.