SlideShare uma empresa Scribd logo
Psicologia social
By Dani Rubim
estudante
FREUD E A HIPNOSE
 Freud é o pai da psicanalise
 Utilizava muito a hipnose para conhecer a origem
dos sintomas de seus pacientes. Mas nem todos
eram sujeitos a hipnose.
 Metodo cartartico - é o tratamento que possibilita a
liberação de afetos e emoçoes ligadas a
acontecimentos traumaticos. Essa liberação elimina
sintomas de pacientes. Ex: Ana O.
 Freud estudou as regiões obscuras da mente, os
esqueciments, a interioridade do homem como
problemas cientificos.
 Surge entao a Psicanalise
FREUD E AS PSICOCES
 Para Freud as pessoas podem ser
divididas em 3 tipos:
 NEURTICOS: pessoas que tem DESEJOS e
utilizam de taticas para satisfaze-los
 PSICOTICO: em função da não solução dos
conflitos há um rompimento com a realidade
 PSICOPATAS: age em função dos desejos, não
possuem regras e fazem o que é considerado
errado para o social
PSICANALISE – 1º teoria
 Psicanalise:
 É uma teoria – conjunto de conhecimentos sistematizados sobre a vida
psiquica
 e uma pratica profissional – é a ANALISE que busca o auto
conhecimento.
 E utiliza o metodo interpretativo, metodo de investigação para buscar o
significado do oculto atraves de:
○ Palavras, ações, sonhos, produções imaginarias, delirios, atos falhos e
ações livres.
 O “oculto” é o inconsciente – um sistema do aparelho psiquico
regido pelas propria regras. Ex. ele é atemporal – sem noção de
passado e futuro
 PRÉ-CONSCIENTE – aonde ficam os conteudos acessiveis à
consciencia. Não esta conciente mas pode estar quando
necessario
 CONSCIENTE – recebe informações do mundo exterior e
interior – percepção, atenção e raciocinio
SEXUALIDADE INFANTIL
 Freud descobre que a neurose é geralmente
resultado de acontecimentos frustrantes referente a
sexualidade nos primeiro anos de vida
 Sexualidade = busca pelo praz
 CARACTERISTICAS DA SEXUALIDADE
 A função sexual existe desde os primeiros anos de vida
 O periodo de desenvolvimento da sexualidade é longo e
complexo
 LIBIDO = a energia dos instints sexuais e só deles
DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL
 A função sexual (1º anos de vida) é ligada a SOBREVIVENCIA
 O corpo é ironizado = excitações sexuais estão em partes do corpo
 Desenvolvimento sexual (sua forma de conhecer o mundo) se da em 5 fases:
 FASE ORAL – 0 a 18 meses - erotização da boca – quando a criança leva tudo que pega
a boca
 FASE ANAL – 18 meses a 3 anos - erotização do anus – quando a criança retém e
expelem (começa a ir ao banheiro e tira as coisas do lugar)
 FASE FALICA – 3 a 5 anos - erotização do órgão sexual -
 LATENCIA – 5 a 12 anos - diminuição / intervalo na evolução sexual - puberdade
 FASE GENITAL – 12 anos à vida adulta - erotização do outro – quando a pessoa começa
a se interessar por outra pessoa sexualmente.
 Ex. de resultados de um mal desenvolvimento nessas fases:
 FASE ORAL = compulssão por compras
 FASE ANAL = organização e pessoas metodicas
 FASE FALICA – complexo de edipo
COMPLEXO DE EDIPO
 No decorrer das fases se algo der
“errado” a consequencia sera o
surgimento de neuroses e complexos
 Ex: COMPLEXO DE EDIPO: acontece
na fase falica. Amor da vida da criança é
a mae o pai, mas como não pode “te-la”
so para si, a criança internaliza as
proibições, limites e da autoridade
CONCEITOS PSIQUICOS
 REALIDADE PSIQUICA – o que não é realidade objetiva,
mas para paciente é
 FUNCIONAMENTO PSIQUICO é visto de 3 maneiras:
 Economico: existe uma quantidade de energia que alimenta
os processos psiquicos
 Topico: o aparelho psiquico é constituido de inumeros sistemas
diferenciados – o que permite achar o “lugar” psiquico
 Dinamico: no psiquismo existe comflitos de forças ativas =
PULSÃO
 A PULSÃO – agressiva ou destrutiva = Eros (vida) e
Tanato (morte)
 SINTOMA – resultado de um conflito psiquico entre o
desejo e o mecanismo de defesa
2º TEORIA DO APARELHO PSIQUICO
 Em 1920 e 1923 Freud remodula sua teoria
 ID – reservatorio de energia psiquica, onde estao as pulsoes. Regido
pelo PRAZER
 EGO – é o equilibrio das exigencias do id e da realidade do superego,
Regido pela REALIDADE
 SUPEREGO – relacionada ao complexo de edipo. Regido pelas
REGRAS sociais e culturais
 Os 3 são independentes e habitas pelo conjunto de esperiencias
do sujeito.
 O SENTIMENTO DE CULPA – esta ligado ao superego e
determina nossas ações esta ligado a psicanalise
 Para compreender alguem é preciso resgatar a historia pessoal
que é ligada a historia do grupo e da sociedade em que vive.
MECANISMOS DE DEFESA
 O ser humano esta na eterna busca pelo
prazer
 Ao nos depararmos com situações de
desprazer a realidade é deformada e o
conteudo psiquico interfere na percepção da
realidade
 Os mecanismos usados para isso são os de
defesa
 Para Freud é a operação em que o EGO
exclui da consciencia os conteudos
indesejaveis
TIPOS DE MECANISMOS DE
DEFESA
 RECALQUE – não vê e não ouve o que ocorre, suspensao da
realidade (é o mais radical dos mecanismos)
 FORMAÇÃO REATIVA – atitude oposta ao desejado.
 REGRESSÃO – retorna a etapas anteriores do
desenvolvimento.
 PROJEÇÃO – projeta algo de si que não gosta em outra
pessoa
 RACIONALIZAÇÃO – construção de um argumento intelectual
para justificar o que foi deformado
 Existem outros como:
 NEGAÇÃO, IDENTIFICAÇÃO, ISOLAMENTO, ANULAÇÃO
RETROATIVA, INVERSÃO E RETORNO SOBRE SI MESMO.
PSICANALISE E O SOCIAL
 Trabalho psicanalitico = deciframento do inconciente e integração
de seus conteudos a conciencia
 Finalidade é o autoconhecimento para lidar com o sofrimento,
superar as dificuldades e conflitos.
 O psicanalista ajuda a desmontar as barreiras do inconciente
 A psicanalise contribui com varias areas da saude mental.
 O alcance social da psicanalise é muito debatido no Brasil visando
combater o sofrimento psiquico que se da na contemporaneidade
 Para Freud as questões sociais são objeto de reflexão
 Na analise individual o objeto interpretativo sã os sonhos,
associações livres, atos falhos e etc, que nos levam a história
única e singular de um todo (contexto historico e grupal)
RESUMÃO E COMPLEMENTOS
 Freud definiu 3 tipos de pessoas: Neuroticas, psicoticas e psicopatas.
 E fez 2 teorias:
 1º APARELHO PSIQUICO E SEXUALIDADE INFANTIL:
 Dividiu o aparelho psiquico em 3:
○ INCONCIENTE (conteudos reprimidos - censura)
○ PRE-CONSCIENTE (conteudos ocultos mas acessiveis à consciencia)
○ CONCIENCIA ( informações do mundo exterior e interior)
 os casos e sintomas do adulto estão ligados a momentos na infancia.
 A sexualidade, nesse caso, é a sobrevivencia, contato, o afeto e a busca pelo
prazer
 Desde que nascemos temos o Libido (instintos sexuais)
 desenvolvimento da sexualidade se da nas seguintes fases:
○ FASE ORAL, FASE ANAL, FASE FALICA, LATENCIA, FASE GENITAL.
 2º APARELHO PSIQUICO:
○ ID ( regido pelo PRAZER)
○ EGO (MEDIADOR entre o a id=vontade e a superego=realidade)
○ SUPEREGO (regido pela ORDEM, LIMITES, REALIDADE) – responsavel pelo
sentimento de culpa
RESUMÃO E COMPLEMENTOS
 A realidade psiquica é o ponto de vista – uma realidade as vezes
inventada do individuo
 Os pensamentos psiquicos são 3: o economico (energia que
alimenta), o topico (inumeros sistemas) e o dinamico (forças conflitantes)
 PULSÃO= EROS- vida, auto conservação / TANATOS – morte,
agressividade.
 Os mecanismos de defesas são inconscientes é feito pelo EGO e
nos protegem do desprazer distorcendo a realidade (RECALQUE,
FORMAÇÃO REATICA, PROJEÇÃO, RACIONALIZAÇÃO, NEGAÇÃO, IDENTIFICAÇÃO,
ISOLAMENTO, ANULAÇÃO RETROATIVA, INVERSÃO E RETORNO SOBRE SI MESMO)
 Freud utilizava a hipnose e definiu com sua paciente Ana O. a:
○ TRANSFERENCIA – que envolve o complexo de Edipo
○ E a CONTRA-TRANSFERENCIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventura
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventuraCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventura
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventura
Alexandre Simoes
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Deisiane Cazaroto
 
Psicanalistas
PsicanalistasPsicanalistas
Psicanalistas
Felix J Lescinskiene
 
Skinner slides
Skinner   slidesSkinner   slides
Skinner slides
Felipe Mago
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
Carolina Pacheco
 
Personalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e TestesPersonalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e Testes
Marcela Montalvão Teti
 
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
JessicaDassi
 
1 historia do surgimento da psicanalise
1   historia do surgimento da psicanalise1   historia do surgimento da psicanalise
1 historia do surgimento da psicanalise
Edleusa Silva
 
Psicanálise Sigmund Freud
Psicanálise Sigmund Freud Psicanálise Sigmund Freud
Psicanálise Sigmund Freud
Jamile Santos Dias DE Almeida
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
Micaella Gomes
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
UNESC
 
Aula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.ppt
Aula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.pptAula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.ppt
Aula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.ppt
Bruna Talita
 
Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud
UFG-Universidade Federal de Goias
 
As sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanáliseAs sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanálise
Patricia Ruiz
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analíticoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
Alexandre Simoes
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Bruno Carrasco
 
Raízes filosóficas da psicologia
Raízes filosóficas da psicologiaRaízes filosóficas da psicologia
Raízes filosóficas da psicologia
Stefanie Rodrigues
 
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Alexandre Simoes
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Jorge Barbosa
 

Mais procurados (20)

CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventura
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventuraCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventura
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 4: A pulsão e sua aventura
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
 
Psicanalistas
PsicanalistasPsicanalistas
Psicanalistas
 
Skinner slides
Skinner   slidesSkinner   slides
Skinner slides
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
 
Personalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e TestesPersonalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e Testes
 
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
 
1 historia do surgimento da psicanalise
1   historia do surgimento da psicanalise1   historia do surgimento da psicanalise
1 historia do surgimento da psicanalise
 
Psicanálise Sigmund Freud
Psicanálise Sigmund Freud Psicanálise Sigmund Freud
Psicanálise Sigmund Freud
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
 
Aula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.ppt
Aula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.pptAula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.ppt
Aula 01 o behaviorismo radical e a psicologia como ciência.ppt
 
Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud
 
As sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanáliseAs sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanálise
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analíticoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Raízes filosóficas da psicologia
Raízes filosóficas da psicologiaRaízes filosóficas da psicologia
Raízes filosóficas da psicologia
 
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
 

Destaque

Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa
MandyNeres7
 
Mecanismos de defesa do ego c
Mecanismos de defesa do ego   cMecanismos de defesa do ego   c
Mecanismos de defesa do ego c
Lu1zFern4nando
 
Mecanismos de defesa
Mecanismos de defesaMecanismos de defesa
Mecanismos de defesa
Mario de Almeida
 
Jean piaget trabalho de grupo
Jean piaget   trabalho de grupoJean piaget   trabalho de grupo
Jean piaget trabalho de grupo
9iulian0
 
Mecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do egoMecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do ego
Silvia Marina Anaruma
 
Freud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ipptFreud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ippt
Universidade Católica Portuguesa
 
Fundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e do
Fundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e doFundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e do
Fundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e do
Solange Mendes
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
Universidade Católica Portuguesa
 
Metodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciais
Metodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciaisMetodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciais
Metodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciais
cefaprodematupa
 
Introdução À Psicanálise
Introdução À PsicanáliseIntrodução À Psicanálise
Introdução À Psicanálise
psicologiaisecensa
 
John Bowlby e a Teoria do Apego
John Bowlby e a Teoria do ApegoJohn Bowlby e a Teoria do Apego
John Bowlby e a Teoria do Apego
Thiago de Almeida
 

Destaque (11)

Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa
 
Mecanismos de defesa do ego c
Mecanismos de defesa do ego   cMecanismos de defesa do ego   c
Mecanismos de defesa do ego c
 
Mecanismos de defesa
Mecanismos de defesaMecanismos de defesa
Mecanismos de defesa
 
Jean piaget trabalho de grupo
Jean piaget   trabalho de grupoJean piaget   trabalho de grupo
Jean piaget trabalho de grupo
 
Mecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do egoMecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do ego
 
Freud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ipptFreud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ippt
 
Fundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e do
Fundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e doFundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e do
Fundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização e do
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
 
Metodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciais
Metodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciaisMetodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciais
Metodologia e processo da alfabetizacão das séries iniciais
 
Introdução À Psicanálise
Introdução À PsicanáliseIntrodução À Psicanálise
Introdução À Psicanálise
 
John Bowlby e a Teoria do Apego
John Bowlby e a Teoria do ApegoJohn Bowlby e a Teoria do Apego
John Bowlby e a Teoria do Apego
 

Semelhante a Psicanalise- psicologia social2

Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fasesFreud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Universidade Federal do Ceará
 
Minha Apresentação psicanálise slide.ppt
Minha Apresentação psicanálise slide.pptMinha Apresentação psicanálise slide.ppt
Minha Apresentação psicanálise slide.ppt
MariaEduardaGonalves70
 
A CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / Psico
A CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / PsicoA CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / Psico
A CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / Psico
GeovanaRL
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
familiaestagio
 
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
Freud
FreudFreud
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
Caio Grimberg
 
Freud. slide
Freud. slideFreud. slide
Freud. slide
silvanacastellan
 
Psicanalise freud
Psicanalise   freudPsicanalise   freud
Psicanalise freud
Dani Silva
 
Teorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimentoTeorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimento
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
John Wainwright
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Minha primeira aula de psicanálise
Minha primeira aula de psicanáliseMinha primeira aula de psicanálise
Minha primeira aula de psicanálise
Marlos Otoni dos Reis
 
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
27101992
 
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
guest83661f
 
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdfSigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Apresentaopsicanlise
ApresentaopsicanliseApresentaopsicanlise
Apresentaopsicanlise
Manuela Santos
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
faculdadeteologica
 

Semelhante a Psicanalise- psicologia social2 (20)

Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fasesFreud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
 
Minha Apresentação psicanálise slide.ppt
Minha Apresentação psicanálise slide.pptMinha Apresentação psicanálise slide.ppt
Minha Apresentação psicanálise slide.ppt
 
A CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / Psico
A CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / PsicoA CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / Psico
A CONSTRUÇÃO DA TEORIA DA PSICANALISE / Psico
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
 
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdf
 
Freud
FreudFreud
Freud
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
 
Freud. slide
Freud. slideFreud. slide
Freud. slide
 
Psicanalise freud
Psicanalise   freudPsicanalise   freud
Psicanalise freud
 
Teorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimentoTeorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimento
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Minha primeira aula de psicanálise
Minha primeira aula de psicanáliseMinha primeira aula de psicanálise
Minha primeira aula de psicanálise
 
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
 
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
 
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdfSigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
 
Apresentaopsicanlise
ApresentaopsicanliseApresentaopsicanlise
Apresentaopsicanlise
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
 

Mais de Daniele Rubim

2 filosofia antiga e medieval filosofia
2 filosofia antiga e medieval   filosofia2 filosofia antiga e medieval   filosofia
2 filosofia antiga e medieval filosofia
Daniele Rubim
 
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
Atualização da profissao   fundamentos do serviço socialAtualização da profissao   fundamentos do serviço social
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
Daniele Rubim
 
Teorias e teorias de familia heloisa
Teorias e teorias de familia   heloisaTeorias e teorias de familia   heloisa
Teorias e teorias de familia heloisa
Daniele Rubim
 
Socialização e familia maria amalia
Socialização e familia   maria amaliaSocialização e familia   maria amalia
Socialização e familia maria amalia
Daniele Rubim
 
Luta pela sobrevivencia jerusa
Luta pela sobrevivencia   jerusaLuta pela sobrevivencia   jerusa
Luta pela sobrevivencia jerusa
Daniele Rubim
 
A historia da criança e da familia aries
A historia da  criança e da familia   ariesA historia da  criança e da familia   aries
A historia da criança e da familia aries
Daniele Rubim
 
A historia da criança e da familia aries
A historia da  criança e da familia   ariesA historia da  criança e da familia   aries
A historia da criança e da familia aries
Daniele Rubim
 
Eca
EcaEca
O menor no brasil republicano
O menor no brasil republicanoO menor no brasil republicano
O menor no brasil republicano
Daniele Rubim
 
O menor no brasil republicano
O menor no brasil republicanoO menor no brasil republicano
O menor no brasil republicano
Daniele Rubim
 
Estatuto da criança e do adolescente 1º parte
Estatuto da criança e do adolescente   1º parteEstatuto da criança e do adolescente   1º parte
Estatuto da criança e do adolescente 1º parte
Daniele Rubim
 
A história da criança no brasil
A história da criança no brasilA história da criança no brasil
A história da criança no brasil
Daniele Rubim
 
Antes de adam smith economia
Antes de adam smith   economiaAntes de adam smith   economia
Antes de adam smith economia
Daniele Rubim
 
Pensadores karl marx - economia
Pensadores   karl marx - economiaPensadores   karl marx - economia
Pensadores karl marx - economia
Daniele Rubim
 
Pensadores tomas e ricardo - economia
Pensadores   tomas e ricardo - economiaPensadores   tomas e ricardo - economia
Pensadores tomas e ricardo - economia
Daniele Rubim
 
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k huntHistória do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
Daniele Rubim
 
Psicologia social exclusao social
Psicologia social exclusao socialPsicologia social exclusao social
Psicologia social exclusao social
Daniele Rubim
 
A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1
A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1
A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1
Daniele Rubim
 
6 etica e cidadania filosofia
6 etica e cidadania   filosofia6 etica e cidadania   filosofia
6 etica e cidadania filosofia
Daniele Rubim
 
6 etica e cidadania filosofia
6 etica e cidadania   filosofia6 etica e cidadania   filosofia
6 etica e cidadania filosofia
Daniele Rubim
 

Mais de Daniele Rubim (20)

2 filosofia antiga e medieval filosofia
2 filosofia antiga e medieval   filosofia2 filosofia antiga e medieval   filosofia
2 filosofia antiga e medieval filosofia
 
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
Atualização da profissao   fundamentos do serviço socialAtualização da profissao   fundamentos do serviço social
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
 
Teorias e teorias de familia heloisa
Teorias e teorias de familia   heloisaTeorias e teorias de familia   heloisa
Teorias e teorias de familia heloisa
 
Socialização e familia maria amalia
Socialização e familia   maria amaliaSocialização e familia   maria amalia
Socialização e familia maria amalia
 
Luta pela sobrevivencia jerusa
Luta pela sobrevivencia   jerusaLuta pela sobrevivencia   jerusa
Luta pela sobrevivencia jerusa
 
A historia da criança e da familia aries
A historia da  criança e da familia   ariesA historia da  criança e da familia   aries
A historia da criança e da familia aries
 
A historia da criança e da familia aries
A historia da  criança e da familia   ariesA historia da  criança e da familia   aries
A historia da criança e da familia aries
 
Eca
EcaEca
Eca
 
O menor no brasil republicano
O menor no brasil republicanoO menor no brasil republicano
O menor no brasil republicano
 
O menor no brasil republicano
O menor no brasil republicanoO menor no brasil republicano
O menor no brasil republicano
 
Estatuto da criança e do adolescente 1º parte
Estatuto da criança e do adolescente   1º parteEstatuto da criança e do adolescente   1º parte
Estatuto da criança e do adolescente 1º parte
 
A história da criança no brasil
A história da criança no brasilA história da criança no brasil
A história da criança no brasil
 
Antes de adam smith economia
Antes de adam smith   economiaAntes de adam smith   economia
Antes de adam smith economia
 
Pensadores karl marx - economia
Pensadores   karl marx - economiaPensadores   karl marx - economia
Pensadores karl marx - economia
 
Pensadores tomas e ricardo - economia
Pensadores   tomas e ricardo - economiaPensadores   tomas e ricardo - economia
Pensadores tomas e ricardo - economia
 
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k huntHistória do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
 
Psicologia social exclusao social
Psicologia social exclusao socialPsicologia social exclusao social
Psicologia social exclusao social
 
A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1
A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1
A evolução, multideterminação e processo grupal- psicologia social1
 
6 etica e cidadania filosofia
6 etica e cidadania   filosofia6 etica e cidadania   filosofia
6 etica e cidadania filosofia
 
6 etica e cidadania filosofia
6 etica e cidadania   filosofia6 etica e cidadania   filosofia
6 etica e cidadania filosofia
 

Último

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 

Psicanalise- psicologia social2

  • 1. Psicologia social By Dani Rubim estudante
  • 2. FREUD E A HIPNOSE  Freud é o pai da psicanalise  Utilizava muito a hipnose para conhecer a origem dos sintomas de seus pacientes. Mas nem todos eram sujeitos a hipnose.  Metodo cartartico - é o tratamento que possibilita a liberação de afetos e emoçoes ligadas a acontecimentos traumaticos. Essa liberação elimina sintomas de pacientes. Ex: Ana O.  Freud estudou as regiões obscuras da mente, os esqueciments, a interioridade do homem como problemas cientificos.  Surge entao a Psicanalise
  • 3. FREUD E AS PSICOCES  Para Freud as pessoas podem ser divididas em 3 tipos:  NEURTICOS: pessoas que tem DESEJOS e utilizam de taticas para satisfaze-los  PSICOTICO: em função da não solução dos conflitos há um rompimento com a realidade  PSICOPATAS: age em função dos desejos, não possuem regras e fazem o que é considerado errado para o social
  • 4. PSICANALISE – 1º teoria  Psicanalise:  É uma teoria – conjunto de conhecimentos sistematizados sobre a vida psiquica  e uma pratica profissional – é a ANALISE que busca o auto conhecimento.  E utiliza o metodo interpretativo, metodo de investigação para buscar o significado do oculto atraves de: ○ Palavras, ações, sonhos, produções imaginarias, delirios, atos falhos e ações livres.  O “oculto” é o inconsciente – um sistema do aparelho psiquico regido pelas propria regras. Ex. ele é atemporal – sem noção de passado e futuro  PRÉ-CONSCIENTE – aonde ficam os conteudos acessiveis à consciencia. Não esta conciente mas pode estar quando necessario  CONSCIENTE – recebe informações do mundo exterior e interior – percepção, atenção e raciocinio
  • 5. SEXUALIDADE INFANTIL  Freud descobre que a neurose é geralmente resultado de acontecimentos frustrantes referente a sexualidade nos primeiro anos de vida  Sexualidade = busca pelo praz  CARACTERISTICAS DA SEXUALIDADE  A função sexual existe desde os primeiros anos de vida  O periodo de desenvolvimento da sexualidade é longo e complexo  LIBIDO = a energia dos instints sexuais e só deles
  • 6. DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL  A função sexual (1º anos de vida) é ligada a SOBREVIVENCIA  O corpo é ironizado = excitações sexuais estão em partes do corpo  Desenvolvimento sexual (sua forma de conhecer o mundo) se da em 5 fases:  FASE ORAL – 0 a 18 meses - erotização da boca – quando a criança leva tudo que pega a boca  FASE ANAL – 18 meses a 3 anos - erotização do anus – quando a criança retém e expelem (começa a ir ao banheiro e tira as coisas do lugar)  FASE FALICA – 3 a 5 anos - erotização do órgão sexual -  LATENCIA – 5 a 12 anos - diminuição / intervalo na evolução sexual - puberdade  FASE GENITAL – 12 anos à vida adulta - erotização do outro – quando a pessoa começa a se interessar por outra pessoa sexualmente.  Ex. de resultados de um mal desenvolvimento nessas fases:  FASE ORAL = compulssão por compras  FASE ANAL = organização e pessoas metodicas  FASE FALICA – complexo de edipo
  • 7. COMPLEXO DE EDIPO  No decorrer das fases se algo der “errado” a consequencia sera o surgimento de neuroses e complexos  Ex: COMPLEXO DE EDIPO: acontece na fase falica. Amor da vida da criança é a mae o pai, mas como não pode “te-la” so para si, a criança internaliza as proibições, limites e da autoridade
  • 8. CONCEITOS PSIQUICOS  REALIDADE PSIQUICA – o que não é realidade objetiva, mas para paciente é  FUNCIONAMENTO PSIQUICO é visto de 3 maneiras:  Economico: existe uma quantidade de energia que alimenta os processos psiquicos  Topico: o aparelho psiquico é constituido de inumeros sistemas diferenciados – o que permite achar o “lugar” psiquico  Dinamico: no psiquismo existe comflitos de forças ativas = PULSÃO  A PULSÃO – agressiva ou destrutiva = Eros (vida) e Tanato (morte)  SINTOMA – resultado de um conflito psiquico entre o desejo e o mecanismo de defesa
  • 9. 2º TEORIA DO APARELHO PSIQUICO  Em 1920 e 1923 Freud remodula sua teoria  ID – reservatorio de energia psiquica, onde estao as pulsoes. Regido pelo PRAZER  EGO – é o equilibrio das exigencias do id e da realidade do superego, Regido pela REALIDADE  SUPEREGO – relacionada ao complexo de edipo. Regido pelas REGRAS sociais e culturais  Os 3 são independentes e habitas pelo conjunto de esperiencias do sujeito.  O SENTIMENTO DE CULPA – esta ligado ao superego e determina nossas ações esta ligado a psicanalise  Para compreender alguem é preciso resgatar a historia pessoal que é ligada a historia do grupo e da sociedade em que vive.
  • 10. MECANISMOS DE DEFESA  O ser humano esta na eterna busca pelo prazer  Ao nos depararmos com situações de desprazer a realidade é deformada e o conteudo psiquico interfere na percepção da realidade  Os mecanismos usados para isso são os de defesa  Para Freud é a operação em que o EGO exclui da consciencia os conteudos indesejaveis
  • 11. TIPOS DE MECANISMOS DE DEFESA  RECALQUE – não vê e não ouve o que ocorre, suspensao da realidade (é o mais radical dos mecanismos)  FORMAÇÃO REATIVA – atitude oposta ao desejado.  REGRESSÃO – retorna a etapas anteriores do desenvolvimento.  PROJEÇÃO – projeta algo de si que não gosta em outra pessoa  RACIONALIZAÇÃO – construção de um argumento intelectual para justificar o que foi deformado  Existem outros como:  NEGAÇÃO, IDENTIFICAÇÃO, ISOLAMENTO, ANULAÇÃO RETROATIVA, INVERSÃO E RETORNO SOBRE SI MESMO.
  • 12. PSICANALISE E O SOCIAL  Trabalho psicanalitico = deciframento do inconciente e integração de seus conteudos a conciencia  Finalidade é o autoconhecimento para lidar com o sofrimento, superar as dificuldades e conflitos.  O psicanalista ajuda a desmontar as barreiras do inconciente  A psicanalise contribui com varias areas da saude mental.  O alcance social da psicanalise é muito debatido no Brasil visando combater o sofrimento psiquico que se da na contemporaneidade  Para Freud as questões sociais são objeto de reflexão  Na analise individual o objeto interpretativo sã os sonhos, associações livres, atos falhos e etc, que nos levam a história única e singular de um todo (contexto historico e grupal)
  • 13. RESUMÃO E COMPLEMENTOS  Freud definiu 3 tipos de pessoas: Neuroticas, psicoticas e psicopatas.  E fez 2 teorias:  1º APARELHO PSIQUICO E SEXUALIDADE INFANTIL:  Dividiu o aparelho psiquico em 3: ○ INCONCIENTE (conteudos reprimidos - censura) ○ PRE-CONSCIENTE (conteudos ocultos mas acessiveis à consciencia) ○ CONCIENCIA ( informações do mundo exterior e interior)  os casos e sintomas do adulto estão ligados a momentos na infancia.  A sexualidade, nesse caso, é a sobrevivencia, contato, o afeto e a busca pelo prazer  Desde que nascemos temos o Libido (instintos sexuais)  desenvolvimento da sexualidade se da nas seguintes fases: ○ FASE ORAL, FASE ANAL, FASE FALICA, LATENCIA, FASE GENITAL.  2º APARELHO PSIQUICO: ○ ID ( regido pelo PRAZER) ○ EGO (MEDIADOR entre o a id=vontade e a superego=realidade) ○ SUPEREGO (regido pela ORDEM, LIMITES, REALIDADE) – responsavel pelo sentimento de culpa
  • 14. RESUMÃO E COMPLEMENTOS  A realidade psiquica é o ponto de vista – uma realidade as vezes inventada do individuo  Os pensamentos psiquicos são 3: o economico (energia que alimenta), o topico (inumeros sistemas) e o dinamico (forças conflitantes)  PULSÃO= EROS- vida, auto conservação / TANATOS – morte, agressividade.  Os mecanismos de defesas são inconscientes é feito pelo EGO e nos protegem do desprazer distorcendo a realidade (RECALQUE, FORMAÇÃO REATICA, PROJEÇÃO, RACIONALIZAÇÃO, NEGAÇÃO, IDENTIFICAÇÃO, ISOLAMENTO, ANULAÇÃO RETROATIVA, INVERSÃO E RETORNO SOBRE SI MESMO)  Freud utilizava a hipnose e definiu com sua paciente Ana O. a: ○ TRANSFERENCIA – que envolve o complexo de Edipo ○ E a CONTRA-TRANSFERENCIA