SlideShare uma empresa Scribd logo
Erikson e o
desenvolvimento
psicossocial
Psicologia – Módulo 2
Profª Isaura Silva
 Erikson nasceu em 1902, na Alemanha, e fixou-se nos EUA
desde 1933, tendo lecionado em várias universidades.
 Formou-se em Psicanálise no Instituto de Viena mas
assumiu uma atitude crítica relativamente a esta corrente:
a psicanálise não dava importância às interações entre o
indivíduo e o meio.
 Interessou-se pela antropologia na década de 30, tendo
habitado na reserva dos índios Sioux, o que acentuou o seu
interesse pela influência dos fatores sociais no
desenvolvimento do ser humano.
Diferenças entre Erikson e Freud/Piaget
 Freud e Piaget abordavam o
processo
de
desenvolvimento
do
nascimento
até
à
adolescência
 Erikson considera que o
desenvolvimento
decorre
desde o nascimento até à
morte através de oito idades,
oito estádios psicossociais.

 É a progressão nos estádios
psicossociais que explica o
desenvolvimento
da
personali-dade,
que
acompanha, portanto, todo
o ciclo de vida.
De acordo com a perspetiva de
desenvolvimento de Erikson:
 Cada idade ou período de
desenvolvimento é caracterizado por
tarefas específicas (que é necessário
cumprir para se progredir para o
estádio seguinte) e pela experiência
de determinado conflito ou crise.
 É através da resolução do conflito, da
crise de cada estádio que o indivíduo
adquire novas capacidades, que se
desenvolve.
 A resolução positiva e favorável da
crise constitui uma aquisição positiva
que se manifesta a diferentes níveis:
psicológico, emocional e social.

 A teoria de Erikson é uma
conceção psicodinâmica, dado
que
considera
que
o
ajustamento
(experiências
positivas) ou desajustamento
(experiências negativas) não
são situações definitivas.


As experiências em fases
subsequentes
podem
contrariar as vivências tidas
em idades anteriores.
Estádios de Desenvolvimento Psicossocial
1ª Idade – Confiança versus Desconfiança (0-18 meses)
2ª Idade – Autonomia versus Dúvida e Vergonha (18 meses-3 anos)
3ª Idade – Iniciativa versus Culpa (3-6 anos)
4ª Idade – Indústria versus Inferioridade (6-12 anos)
5ª Idade – Identidade versus Difusão ou Confusão (12-18 anos)
6ª Idade – Intimidade versus Isolamento (18-30 anos)
7ª Idade – Generatividade versus Estagnação (30-60 anos)
8ª Idade – Integridade versus Desespero (após os 65 anos)
1 .a idade Confiança versas Desconfiança
(0-18 meses)
 Este estádio é marcado pela
relação que o bebé estabelece
com a mãe.
 Se a relação é compensadora, a
criança
sente-se
segura,
manifestando uma atitude de
confiança face ao mundo.
 Se a relação com a mãe não é
satisfatória,
desenvolve
sentimentos que conduzem à
formação de uma atitude de
desconfiança.
 A crise deste estádio ocorre entre
o bebé e a mãe.

 Questão-base: O meu mundo é
previsível e protetor?
 Vertente positiva - sentimento
de confiança relativamente aos
outros e ao meio.
 Vertente negativa - suspeita,
medo
e
insegurança
relativamente aos outros e ao
meio em geral.
2ª idade Autonomia versus Dúvida e Vergonha
(18 meses-3 anos)
 Neste estádio, a criança está apta a
explorar ativamente o meio que a
rodeia.
 Se for encorajada, desenvolve
autonomia e autossuficiência.
 Se for muito protegida e controlada,
desenvolve um sentimento de
dependência, de vergonha em se
expor, de dúvida em relação às suas
capacidades
de
desenvolver
atividades sozinha.
 Depende muito da aprovação das
outras pessoas e apresenta o desejo
manifesto de independência.

 Questão base: Sou capaz de
fazer
as
coisas
sozinho ou preciso de ajuda?
 Vertente positiva - sentimento
de autossuficiência.
 Vertente negativa - falta de
independência.
3ª idade Iniciativa versus Culpa (3-6 anos)

 As crianças tomam iniciativas e
desenvolvem
as
suas
atividades, sentindo grande
prazer quando obtêm sucesso.

 Questão base: Sou bom ou
mau?

 Se não conseguem ou não é
favorecido o desenvolvimento
das suas iniciativas pela
repressão ou punição dos pais,
a criança sente-se culpada por
desejar comportar-se segundo
os seus desejos.

 Vertente
negativa
sentimentos de culpabilização
pelo que faz e pelo que
pensa.

 Vertente positiva - capacidade
para iniciar ações.
4.a idade Indústria versus Inferioridade (6-12 anos)
 Na nossa cultura predominam as
atividades escolares neste estádio.
 Se a criança corresponde ao que lhe
é exigido no processo de
aprendizagem, a sua curiosidade é
estimulada bem como o desejo de
aprender.

 Questão-base: Sou bem-sucedido ou
incompetente?

 O
sucesso
desenvolve
nela
sentimentos de autoestima, de
competência (indústria).

 Vertente negativa - falta do sentido
de competência; sentimento de
inferioridade.

 Se a criança se sente incapaz de
atingir com sucesso as atividades
escolares,
quando
os
seus
companheiros o atingem, pode
desenvolver um sentimento de
inferioridade, desinvestindo nas
tarefas.

 Vertente positiva - desenvolvimento
do sentido da competência.
5.a idade Identidade versus Difusão ou Confusão
(12-18 anos)
 A construção da identidade é a
tarefa fundamental deste estádio.
 A identidade constrói-se através da
experimentação de vários papéis
possíveis, o que vai permitir ao
adolescente reconhecer-se como
pessoa única e distinta de todos os
outros.
 Se não consegue definir os papéis
que pode ou quer desempenhar,
experimenta uma confusão de
identidade e de papéis.
 Integra coerentemente diferentes
papéis e identidades.

 É neste estádio que se vive a
experiência da moratória
psicossocial, que consiste no
período de espera e de
experimentação de vários
papéis.
 É um período de pausa e
procura de papéis de adulto
que melhor se adequam a si
próprio.
 Questão-base: Quem sou e o que serei?
 Vertente positiva - formação de uma identidade pessoal;
reconhecimento de papéis a seguir.
 Vertente negativa - incapacidade de definir papéis a
seguir; indecisão, confusão de papéis.
6.a idade Intimidade versus Isolamento
(18-30 anos)

 Com
uma
identidade
já
construída, o adulto desenvolve
relações de amizade e afeto com
outros.
 Geralmente procura uma relação
de intimidade com outra pessoa
que
pode
envolver
um
relacionamento sexual.
 Se não consegue estabelecer
esses laços sociais, pode isolar-se,
distanciando-se dos outros.

 Questão-base: Partilharei a minha
vida com outra pessoa ou viverei
sozinho?
 Vertente positiva –desenvolvimento
de relações de intimidade (relações
amorosas e de amizade).
 Vertente negativa - receio de
estabelecimento de relações com os
outros, evitando compromissos.
7.a idade Generatividade versus Estagnação
(30-60 anos)

 Há uma grande vontade de tornar
o mundo melhor, de transmitir
aos mais jovens valores e
propostas num processo de um
compromisso
social
(generatividade).
 O adulto pode não desenvolver
atividades úteis para os outros,
preocu-pando-se apenas consigo
próprio (estagnação).

 Questão-base: Será que faço
alguma coisa que tem realmente
valor? Será que sou um bom
profissional? Serei um bom pai/boa
mãe?
 Vertente positiva - contributo
como membro ativo da sociedade;
desenvolvimento de interesses e
atividades produtivas.
 Vertente negativa - centração em
si próprio, desinteresse pelos
outros.
8.a idade Integridade versus Desespero
(após os 65 anos)

 O indivíduo avalia a sua vida,
podendo
experimentar
sentimentos de satisfação ou de
fracasso.
 O sentimento de integridade
ocorre de uma avaliação positiva
da sua vida, aceitando a sua
existência como valiosa.


O desespero resulta de uma
avaliação negativa da sua vida e
da impossibilidade de começar
tudo de novo.

 Questão-base: Vivi uma vida
satisfatória ou foi um fracasso?
 Vertente positiva - sentimento de
realização face ao passado.
 Vertente negativa - sentimento
de
que
se
perderam
oportunidades
importantes.
A importância da teoria de Erikson

 Um dos mais importantes
contributos deste autor é,
ter
perspetivado
o
desenvolvimento ao longo
de toda a vida.
 Esta conceção contribuiu
sem para o aprofundamento
da investigação sobre a
psicologia do adulto e do
idoso.

 A importância dada à infância
e
à
adolescência
na
construção da identidade é
também um aspeto relevante
da sua teoria.
 Pode-se afirmar que as
conceções
de
Erikson
revolucionaram a psicologia
do desenvolvimento.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Erikson
junioragogo
 
A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
psicologiaazambuja
 
Atitudes - Psicologia
Atitudes - PsicologiaAtitudes - Psicologia
Atitudes - Psicologia
Sara Afonso
 
Desenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescênciaDesenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescência
psicologiaazambuja
 
Life span piaget
Life span piagetLife span piaget
Life span piaget
psicologiaazambuja
 
Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)
Débora Rodrigues
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Thiago de Almeida
 
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
psicologiaazambuja
 
Teoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert BanduraTeoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Eduardo Manfré
 
Filogénese e Ontogénese
Filogénese e OntogéneseFilogénese e Ontogénese
Filogénese e Ontogénese
Jorge Barbosa
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
Ana Alpuim
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
norberto faria
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
Universidade Católica Portuguesa
 
Impressões e Expectativas
Impressões e ExpectativasImpressões e Expectativas
Impressões e Expectativas
RaQuel Oliveira
 
O estádio das operações concretas
O estádio das operações concretasO estádio das operações concretas
O estádio das operações concretas
Luis De Sousa Rodrigues
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
psicologiaazambuja
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
O Blog do Pedagogo
 
Teoria do desenvolvimento psicossocial erikson
Teoria do desenvolvimento psicossocial eriksonTeoria do desenvolvimento psicossocial erikson
Teoria do desenvolvimento psicossocial erikson
Geiza F. Barbosa
 

Mais procurados (20)

A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Erikson
 
A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
 
Atitudes - Psicologia
Atitudes - PsicologiaAtitudes - Psicologia
Atitudes - Psicologia
 
Desenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescênciaDesenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescência
 
Life span piaget
Life span piagetLife span piaget
Life span piaget
 
Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
 
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
 
Teoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert BanduraTeoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
 
Filogénese e Ontogénese
Filogénese e OntogéneseFilogénese e Ontogénese
Filogénese e Ontogénese
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
 
Impressões e Expectativas
Impressões e ExpectativasImpressões e Expectativas
Impressões e Expectativas
 
O estádio das operações concretas
O estádio das operações concretasO estádio das operações concretas
O estádio das operações concretas
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
 
Teoria do desenvolvimento psicossocial erikson
Teoria do desenvolvimento psicossocial eriksonTeoria do desenvolvimento psicossocial erikson
Teoria do desenvolvimento psicossocial erikson
 

Destaque

A teoria de erikson
A teoria de eriksonA teoria de erikson
A teoria de erikson
Psicologia4
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Débora Silveira
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
Thiago de Almeida
 
Desenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
Desenvolvimento Psicossocial - Erik ErikssonDesenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
Desenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
gaspar2112
 
Psicologia do desenvolvimento- Idoso
Psicologia  do desenvolvimento- IdosoPsicologia  do desenvolvimento- Idoso
Psicologia do desenvolvimento- Idoso
Marcioveras
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
Kuita
 
Introdução À Psicanálise
Introdução À PsicanáliseIntrodução À Psicanálise
Introdução À Psicanálise
psicologiaisecensa
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Jorge Barbosa
 
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPEAula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Rodrigo Castro
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
UNESC
 
Desenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento PsicossexualDesenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento Psicossexual
Kivya Damasceno
 
Estádios de Erikson
Estádios de Erikson Estádios de Erikson
Estádios de Erikson
klismael
 
Estádios de Erikson
Estádios de EriksonEstádios de Erikson
Estádios de Erikson
TeeOliveira
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
09108303
 
Teoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTicaTeoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTica
Andréa Forgiarni Cechin
 
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fasesFreud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Universidade Federal do Ceará
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Anaí Peña
 
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Sabrina Mariana
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Instituto Consciência GO
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Paulo Gomes
 

Destaque (20)

A teoria de erikson
A teoria de eriksonA teoria de erikson
A teoria de erikson
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Desenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
Desenvolvimento Psicossocial - Erik ErikssonDesenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
Desenvolvimento Psicossocial - Erik Eriksson
 
Psicologia do desenvolvimento- Idoso
Psicologia  do desenvolvimento- IdosoPsicologia  do desenvolvimento- Idoso
Psicologia do desenvolvimento- Idoso
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Introdução À Psicanálise
Introdução À PsicanáliseIntrodução À Psicanálise
Introdução À Psicanálise
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
 
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPEAula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
 
Desenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento PsicossexualDesenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento Psicossexual
 
Estádios de Erikson
Estádios de Erikson Estádios de Erikson
Estádios de Erikson
 
Estádios de Erikson
Estádios de EriksonEstádios de Erikson
Estádios de Erikson
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
 
Teoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTicaTeoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTica
 
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fasesFreud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
 
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 

Semelhante a Erikson e o desenvolvimento psicossocial

Eriksoneodesenvolvimentopsicossocial
EriksoneodesenvolvimentopsicossocialEriksoneodesenvolvimentopsicossocial
Eriksoneodesenvolvimentopsicossocial
António Moreira
 
Erikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdf
Erikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdfErikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdf
Erikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdf
rosemendes2001hotmai
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
Ana Cláudia
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
Ana Cláudia
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
Ana Cláudia
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
Ana Cláudia
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
Ana Cláudia
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
Ana Cláudia
 
Ateoriadeerikson as8idadesdh
Ateoriadeerikson as8idadesdhAteoriadeerikson as8idadesdh
Ateoriadeerikson as8idadesdh
Guilherme Monteiro
 
Erikson
EriksonErikson
Erikson
obandodos5
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
tiny161
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
tiny161
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
tiny161
 
Erickson
EricksonErickson
Erickson
JoanaSilva15
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
tiny161
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
tiny161
 
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de EricksonEstádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Fábio CAmpos
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
tiny161
 
Erik erikson
Erik erikson Erik erikson
Erik erikson
tiny161
 
Erik Erikson
Erik EriksonErik Erikson
Erik Erikson
tiny161
 

Semelhante a Erikson e o desenvolvimento psicossocial (20)

Eriksoneodesenvolvimentopsicossocial
EriksoneodesenvolvimentopsicossocialEriksoneodesenvolvimentopsicossocial
Eriksoneodesenvolvimentopsicossocial
 
Erikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdf
Erikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdfErikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdf
Erikson e o desenvolvimento psicossocial - UNIFACCAMP.pdf
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
 
Psicologia estadios de erikson
Psicologia   estadios de eriksonPsicologia   estadios de erikson
Psicologia estadios de erikson
 
Ateoriadeerikson as8idadesdh
Ateoriadeerikson as8idadesdhAteoriadeerikson as8idadesdh
Ateoriadeerikson as8idadesdh
 
Erikson
EriksonErikson
Erikson
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
 
Erickson
EricksonErickson
Erickson
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
 
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de EricksonEstádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
 
Erik erikson
Erik eriksonErik erikson
Erik erikson
 
Erik erikson
Erik erikson Erik erikson
Erik erikson
 
Erik Erikson
Erik EriksonErik Erikson
Erik Erikson
 

Mais de psicologiaazambuja

Emoções
EmoçõesEmoções
Processos cognitivos a inteligência
Processos cognitivos  a inteligênciaProcessos cognitivos  a inteligência
Processos cognitivos a inteligência
psicologiaazambuja
 
Processos cognitivos o pensamento
Processos cognitivos  o pensamentoProcessos cognitivos  o pensamento
Processos cognitivos o pensamento
psicologiaazambuja
 
O esquecimento
O esquecimentoO esquecimento
O esquecimento
psicologiaazambuja
 
Memória a longo prazo
Memória a longo prazoMemória a longo prazo
Memória a longo prazo
psicologiaazambuja
 
Memória1
Memória1Memória1
A memória
A memóriaA memória
A memória
psicologiaazambuja
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
psicologiaazambuja
 
Desenvolvimento velhice
Desenvolvimento velhiceDesenvolvimento velhice
Desenvolvimento velhice
psicologiaazambuja
 
Desenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adultaDesenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adulta
psicologiaazambuja
 
Desenvolvimento infância
Desenvolvimento infânciaDesenvolvimento infância
Desenvolvimento infância
psicologiaazambuja
 
Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
psicologiaazambuja
 
Donald super e o desenvolvimento profissional
Donald super e o desenvolvimento profissionalDonald super e o desenvolvimento profissional
Donald super e o desenvolvimento profissional
psicologiaazambuja
 
Trabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçaoTrabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçao
psicologiaazambuja
 
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamentoIntegração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
psicologiaazambuja
 
Resgate do conceito de mente
Resgate do conceito de menteResgate do conceito de mente
Resgate do conceito de mente
psicologiaazambuja
 
Psic doc5 m1
Psic doc5 m1Psic doc5 m1
Psic doc5 m1
psicologiaazambuja
 
Psic doc4 m1
Psic doc4 m1Psic doc4 m1
Psic doc4 m1
psicologiaazambuja
 
Psic doc3 m1
Psic doc3 m1Psic doc3 m1
Psic doc3 m1
psicologiaazambuja
 
Psic doc2 m1
Psic doc2 m1Psic doc2 m1
Psic doc2 m1
psicologiaazambuja
 

Mais de psicologiaazambuja (20)

Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Processos cognitivos a inteligência
Processos cognitivos  a inteligênciaProcessos cognitivos  a inteligência
Processos cognitivos a inteligência
 
Processos cognitivos o pensamento
Processos cognitivos  o pensamentoProcessos cognitivos  o pensamento
Processos cognitivos o pensamento
 
O esquecimento
O esquecimentoO esquecimento
O esquecimento
 
Memória a longo prazo
Memória a longo prazoMemória a longo prazo
Memória a longo prazo
 
Memória1
Memória1Memória1
Memória1
 
A memória
A memóriaA memória
A memória
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
 
Desenvolvimento velhice
Desenvolvimento velhiceDesenvolvimento velhice
Desenvolvimento velhice
 
Desenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adultaDesenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adulta
 
Desenvolvimento infância
Desenvolvimento infânciaDesenvolvimento infância
Desenvolvimento infância
 
Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
 
Donald super e o desenvolvimento profissional
Donald super e o desenvolvimento profissionalDonald super e o desenvolvimento profissional
Donald super e o desenvolvimento profissional
 
Trabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçaoTrabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçao
 
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamentoIntegração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
Integração das dimensões cognitiva e afetiva do comportamento
 
Resgate do conceito de mente
Resgate do conceito de menteResgate do conceito de mente
Resgate do conceito de mente
 
Psic doc5 m1
Psic doc5 m1Psic doc5 m1
Psic doc5 m1
 
Psic doc4 m1
Psic doc4 m1Psic doc4 m1
Psic doc4 m1
 
Psic doc3 m1
Psic doc3 m1Psic doc3 m1
Psic doc3 m1
 
Psic doc2 m1
Psic doc2 m1Psic doc2 m1
Psic doc2 m1
 

Erikson e o desenvolvimento psicossocial

  • 1. Erikson e o desenvolvimento psicossocial Psicologia – Módulo 2 Profª Isaura Silva
  • 2.  Erikson nasceu em 1902, na Alemanha, e fixou-se nos EUA desde 1933, tendo lecionado em várias universidades.  Formou-se em Psicanálise no Instituto de Viena mas assumiu uma atitude crítica relativamente a esta corrente: a psicanálise não dava importância às interações entre o indivíduo e o meio.  Interessou-se pela antropologia na década de 30, tendo habitado na reserva dos índios Sioux, o que acentuou o seu interesse pela influência dos fatores sociais no desenvolvimento do ser humano.
  • 3. Diferenças entre Erikson e Freud/Piaget  Freud e Piaget abordavam o processo de desenvolvimento do nascimento até à adolescência  Erikson considera que o desenvolvimento decorre desde o nascimento até à morte através de oito idades, oito estádios psicossociais.  É a progressão nos estádios psicossociais que explica o desenvolvimento da personali-dade, que acompanha, portanto, todo o ciclo de vida.
  • 4. De acordo com a perspetiva de desenvolvimento de Erikson:  Cada idade ou período de desenvolvimento é caracterizado por tarefas específicas (que é necessário cumprir para se progredir para o estádio seguinte) e pela experiência de determinado conflito ou crise.  É através da resolução do conflito, da crise de cada estádio que o indivíduo adquire novas capacidades, que se desenvolve.  A resolução positiva e favorável da crise constitui uma aquisição positiva que se manifesta a diferentes níveis: psicológico, emocional e social.  A teoria de Erikson é uma conceção psicodinâmica, dado que considera que o ajustamento (experiências positivas) ou desajustamento (experiências negativas) não são situações definitivas.  As experiências em fases subsequentes podem contrariar as vivências tidas em idades anteriores.
  • 5. Estádios de Desenvolvimento Psicossocial 1ª Idade – Confiança versus Desconfiança (0-18 meses) 2ª Idade – Autonomia versus Dúvida e Vergonha (18 meses-3 anos) 3ª Idade – Iniciativa versus Culpa (3-6 anos) 4ª Idade – Indústria versus Inferioridade (6-12 anos) 5ª Idade – Identidade versus Difusão ou Confusão (12-18 anos) 6ª Idade – Intimidade versus Isolamento (18-30 anos) 7ª Idade – Generatividade versus Estagnação (30-60 anos) 8ª Idade – Integridade versus Desespero (após os 65 anos)
  • 6. 1 .a idade Confiança versas Desconfiança (0-18 meses)  Este estádio é marcado pela relação que o bebé estabelece com a mãe.  Se a relação é compensadora, a criança sente-se segura, manifestando uma atitude de confiança face ao mundo.  Se a relação com a mãe não é satisfatória, desenvolve sentimentos que conduzem à formação de uma atitude de desconfiança.  A crise deste estádio ocorre entre o bebé e a mãe.  Questão-base: O meu mundo é previsível e protetor?  Vertente positiva - sentimento de confiança relativamente aos outros e ao meio.  Vertente negativa - suspeita, medo e insegurança relativamente aos outros e ao meio em geral.
  • 7. 2ª idade Autonomia versus Dúvida e Vergonha (18 meses-3 anos)  Neste estádio, a criança está apta a explorar ativamente o meio que a rodeia.  Se for encorajada, desenvolve autonomia e autossuficiência.  Se for muito protegida e controlada, desenvolve um sentimento de dependência, de vergonha em se expor, de dúvida em relação às suas capacidades de desenvolver atividades sozinha.  Depende muito da aprovação das outras pessoas e apresenta o desejo manifesto de independência.  Questão base: Sou capaz de fazer as coisas sozinho ou preciso de ajuda?  Vertente positiva - sentimento de autossuficiência.  Vertente negativa - falta de independência.
  • 8. 3ª idade Iniciativa versus Culpa (3-6 anos)  As crianças tomam iniciativas e desenvolvem as suas atividades, sentindo grande prazer quando obtêm sucesso.  Questão base: Sou bom ou mau?  Se não conseguem ou não é favorecido o desenvolvimento das suas iniciativas pela repressão ou punição dos pais, a criança sente-se culpada por desejar comportar-se segundo os seus desejos.  Vertente negativa sentimentos de culpabilização pelo que faz e pelo que pensa.  Vertente positiva - capacidade para iniciar ações.
  • 9. 4.a idade Indústria versus Inferioridade (6-12 anos)  Na nossa cultura predominam as atividades escolares neste estádio.  Se a criança corresponde ao que lhe é exigido no processo de aprendizagem, a sua curiosidade é estimulada bem como o desejo de aprender.  Questão-base: Sou bem-sucedido ou incompetente?  O sucesso desenvolve nela sentimentos de autoestima, de competência (indústria).  Vertente negativa - falta do sentido de competência; sentimento de inferioridade.  Se a criança se sente incapaz de atingir com sucesso as atividades escolares, quando os seus companheiros o atingem, pode desenvolver um sentimento de inferioridade, desinvestindo nas tarefas.  Vertente positiva - desenvolvimento do sentido da competência.
  • 10. 5.a idade Identidade versus Difusão ou Confusão (12-18 anos)  A construção da identidade é a tarefa fundamental deste estádio.  A identidade constrói-se através da experimentação de vários papéis possíveis, o que vai permitir ao adolescente reconhecer-se como pessoa única e distinta de todos os outros.  Se não consegue definir os papéis que pode ou quer desempenhar, experimenta uma confusão de identidade e de papéis.  Integra coerentemente diferentes papéis e identidades.  É neste estádio que se vive a experiência da moratória psicossocial, que consiste no período de espera e de experimentação de vários papéis.  É um período de pausa e procura de papéis de adulto que melhor se adequam a si próprio.
  • 11.  Questão-base: Quem sou e o que serei?  Vertente positiva - formação de uma identidade pessoal; reconhecimento de papéis a seguir.  Vertente negativa - incapacidade de definir papéis a seguir; indecisão, confusão de papéis.
  • 12. 6.a idade Intimidade versus Isolamento (18-30 anos)  Com uma identidade já construída, o adulto desenvolve relações de amizade e afeto com outros.  Geralmente procura uma relação de intimidade com outra pessoa que pode envolver um relacionamento sexual.  Se não consegue estabelecer esses laços sociais, pode isolar-se, distanciando-se dos outros.  Questão-base: Partilharei a minha vida com outra pessoa ou viverei sozinho?  Vertente positiva –desenvolvimento de relações de intimidade (relações amorosas e de amizade).  Vertente negativa - receio de estabelecimento de relações com os outros, evitando compromissos.
  • 13. 7.a idade Generatividade versus Estagnação (30-60 anos)  Há uma grande vontade de tornar o mundo melhor, de transmitir aos mais jovens valores e propostas num processo de um compromisso social (generatividade).  O adulto pode não desenvolver atividades úteis para os outros, preocu-pando-se apenas consigo próprio (estagnação).  Questão-base: Será que faço alguma coisa que tem realmente valor? Será que sou um bom profissional? Serei um bom pai/boa mãe?  Vertente positiva - contributo como membro ativo da sociedade; desenvolvimento de interesses e atividades produtivas.  Vertente negativa - centração em si próprio, desinteresse pelos outros.
  • 14. 8.a idade Integridade versus Desespero (após os 65 anos)  O indivíduo avalia a sua vida, podendo experimentar sentimentos de satisfação ou de fracasso.  O sentimento de integridade ocorre de uma avaliação positiva da sua vida, aceitando a sua existência como valiosa.  O desespero resulta de uma avaliação negativa da sua vida e da impossibilidade de começar tudo de novo.  Questão-base: Vivi uma vida satisfatória ou foi um fracasso?  Vertente positiva - sentimento de realização face ao passado.  Vertente negativa - sentimento de que se perderam oportunidades importantes.
  • 15. A importância da teoria de Erikson  Um dos mais importantes contributos deste autor é, ter perspetivado o desenvolvimento ao longo de toda a vida.  Esta conceção contribuiu sem para o aprofundamento da investigação sobre a psicologia do adulto e do idoso.  A importância dada à infância e à adolescência na construção da identidade é também um aspeto relevante da sua teoria.  Pode-se afirmar que as conceções de Erikson revolucionaram a psicologia do desenvolvimento.