SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
A HERANÇA MONOGÊNICA
PADRÕES MENDELIANOS DE
HERANÇA
Estudo de características
genéticas na espécie humana
 Não é possível
controlar ou
manipular
cruzamentos
Definições importantes!
 Padrões de herança monogênicos
 Heredrograma
A construção de
heredogramas
 A informação obtida
de famílias através
do ato da
averiguação é
registrada na forma
de heredogramas
(pedigrees)
obedecendo sinais e
símbolos padrões.
21
Tipo de herança determinada por um único gene
Autossômica
Ligada ao sexo
Herança monogênica
Herança
monogênica
autossômica
Herança dominante ou recessiva????
Herança autossômica
dominante
1. O fenótipo aparece em todas as gerações, e toda pessoa
afetada tem um genitor afetado.
2. Qualquer filho de genitor afetado tem um risco de 50% de
herdar o fenótipo.
3. Familiares fenotipicamente normais não transmitem o
fenótipo para seus filhos.
4. Homens e mulheres têm a mesma probabilidade de transmitir
o fenótipo aos filhos de ambos os sexos.
O padrão de herança
autossômico dominante
 Em geral, o afetado é
heterozigoto, quando se
trata de um caráter raro
e seu parceiro(a) é
homozigoto para o alelo
normal. A probabilidade
de um filho ser afetado é
de 50% e independe do
sexo.
O padrão de herança
autossômico recessivo
 Em geral, os
progenitores são
normais e
heterozigotos.
Nos heterozigotos, com alelo normal e outro
mutante, a metade da quantidade normal do
produto gênico do alelo normal é suficiente
para efetuar uma determinada função?
SIM!!!!!
Alelo normal é dominante
Alelo mutante é recessivo
Distúrbio é recessivo
Em heterozigose, o fenótipo é normal
NÃO!!!!!
Alelo normal é recessivo
Alelo mutante é dominante
Distúrbio é dominante
Em heterozigose, o fenótipo é alterado
Dominância x recessividade
Exemplos de herança monogênica
autossômica dominante
Polidactilia Acondroplasia
Exemplos de herança monogênica
autossômica recessiva
Albinismo
BICO DE VIÚVA
Dominante
Recessivo
DOBRAR A LÍNGUA
Dominante
LÓBULOS ADERIDOS Á FACE
Dominante
Recessivo
POLEGAR DE “PONERO”
Algumas pessoas possuem
a capacidade de inclinar o
dedo polegarnum ângulo
maior que 45 graus –
RECESSIVO
O alelo DOMINANTE não
permite essa inclinação
Esquerdo sobre direito é
DOMINANTE
DEDOS ENTRELAÇADOS
Entrelace seus dedos...
Qual polegar ficou por cima?
Herança
monogênica
ligada ao sexo
• Ligada ao Sexo
Dominante
Recessiva
⇒
⇒
⇒
Herança monogênica ligada ao
sexo
DOMINANTE LIGADO AO X
 Homem afetado  todas as filhas afetadas e todos os
filhos normais
 Homem afetado  possui mãe afetada
 Mulher homozigota dominante  todos os filhos afetados
 Características não se distribuem igualmente entre os
sexos
Herança monogênica ligada ao
sexo
Herança dominante ligada ao
X
1. Os homens afetados
com companheiras
normais não têm
nenhum filho afetado
e nenhuma filha
normal.
2. Os filhos de ambos os
sexos de portadores
possuem um risco de
50% de herdar o
fenótipo.
Hipertricose: um exemplo de
herança ligada ao X dominante
 A hipertricose
generalizada pode
ser causada pela
mutação de um
gene localizado no
cromossomo X. O
fenótipo é
dominante.
RECESSIVO LIGADO AO X
 Homem afetado  filhas portadoras  50% dos netos afetados
 Homem afetado  gen recebido da mãe
 Mais homens afetados do que mulheres
 Homem afetado + mulher normal  geralmente têm filhos
normais
 O caráter é transmitido aos filhos homens pelas mães
portadoras. As meninas só terão a caracterísitica se opai
também tiver
Herança monogênica ligada ao
sexo
Herança recessiva ligada ao
sexo
O padrão de transmissão da
herança ligada ao X recessiva
A hemofilia A
 Distúrbio recessivo ligado ao
X clássico. É um distúrbio da
coagulação caracterizado
por tempo de sangramento
prolongado. Causado por
mutações no gene que
codifica o fator VIII,
componente da cascata da
coagulação. A deficiência do
fator VIII resulta numa
formação defeituosa de
fibrina, comprometendo a
capacidade de coagulação.
O daltonismo
 A mutação genética que
provoca o daltonismo
sobreviveu pela vantagem dada
aos daltônicos ao longo da
história evolutiva. Essa
vantagem advém, sobretudo, do
fato de os portadores desses
genes possuirem uma melhor
capacidade de visão noturna,
bem como maior capacidade de
reconhecerem elementos semi-
ocultos, como animais ou
pessoas disfarçadas pela sua
camuflagem.
 Estima-se que 8% dos homens
sejam afetados contra apenas
1 % das mulheres.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3 - Herança Mendeliana
3 - Herança Mendeliana3 - Herança Mendeliana
3 - Herança MendelianaRodrigo Vianna
 
Genetica de populações
Genetica de populaçõesGenetica de populações
Genetica de populaçõesUERGS
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
EpistasiaURCA
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Bio
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introduçãoDalu Barreto
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica UERGS
 
Doenças geneticas sindromes
Doenças geneticas sindromesDoenças geneticas sindromes
Doenças geneticas sindromesElda Aguiar Gama
 
Herança Não Mendeliana
Herança Não MendelianaHerança Não Mendeliana
Herança Não MendelianaRodrigo Vianna
 
Genética de populações
Genética de populaçõesGenética de populações
Genética de populaçõesCésar Milani
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a geneticaUERGS
 
Alterações cromossomiais
Alterações cromossomiaisAlterações cromossomiais
Alterações cromossomiaisDalu Barreto
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à Citogenética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à CitogenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à Citogenética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à CitogenéticaTurma Olímpica
 
Aconselhamento genético
Aconselhamento genéticoAconselhamento genético
Aconselhamento genéticoLucas Fontes
 

Mais procurados (20)

3 - Herança Mendeliana
3 - Herança Mendeliana3 - Herança Mendeliana
3 - Herança Mendeliana
 
Genetica de populações
Genetica de populaçõesGenetica de populações
Genetica de populações
 
Autossomica dominante
Autossomica dominanteAutossomica dominante
Autossomica dominante
 
Aula Herança Multifatorial
Aula Herança MultifatorialAula Herança Multifatorial
Aula Herança Multifatorial
 
Genética Humana
Genética HumanaGenética Humana
Genética Humana
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
 
Doenças geneticas sindromes
Doenças geneticas sindromesDoenças geneticas sindromes
Doenças geneticas sindromes
 
Herança Não Mendeliana
Herança Não MendelianaHerança Não Mendeliana
Herança Não Mendeliana
 
Genética de populações
Genética de populaçõesGenética de populações
Genética de populações
 
Mutações gênicas
Mutações gênicasMutações gênicas
Mutações gênicas
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
 
Genética – a herança ligada ao sexo
Genética – a herança ligada ao sexoGenética – a herança ligada ao sexo
Genética – a herança ligada ao sexo
 
Alterações cromossomiais
Alterações cromossomiaisAlterações cromossomiais
Alterações cromossomiais
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à Citogenética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à CitogenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à Citogenética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Introdução à Citogenética
 
Heranca ligada sexo
Heranca ligada sexoHeranca ligada sexo
Heranca ligada sexo
 
Aconselhamento genético
Aconselhamento genéticoAconselhamento genético
Aconselhamento genético
 

Semelhante a Padrões de Herança Monogênica

IV Transmissão de Fenótipos Mendelianos
IV Transmissão de Fenótipos MendelianosIV Transmissão de Fenótipos Mendelianos
IV Transmissão de Fenótipos MendelianosRinaldo Pereira
 
Aula----de-----Herança-----Monogenica-pdf
Aula----de-----Herança-----Monogenica-pdfAula----de-----Herança-----Monogenica-pdf
Aula----de-----Herança-----Monogenica-pdfjhennyferkerllen
 
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdfAula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdfLuizPereira664309
 
AULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptx
AULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptxAULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptx
AULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptxCleidianeVieira6
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)primeiroanocsl
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaTurma Olímpica
 
5 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-35 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-3edu.biologia
 
Património genético - resumo
Património genético - resumoPatrimónio genético - resumo
Património genético - resumoIsabel Lopes
 
Herancamonogenicanaotradicional
HerancamonogenicanaotradicionalHerancamonogenicanaotradicional
HerancamonogenicanaotradicionalMariangela Santos
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisCésar Milani
 
PadrõEs De HerançA
PadrõEs De HerançAPadrõEs De HerançA
PadrõEs De HerançAguestefaf76
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genéticaAndrey Moreira
 

Semelhante a Padrões de Herança Monogênica (20)

IV Transmissão de Fenótipos Mendelianos
IV Transmissão de Fenótipos MendelianosIV Transmissão de Fenótipos Mendelianos
IV Transmissão de Fenótipos Mendelianos
 
Aula----de-----Herança-----Monogenica-pdf
Aula----de-----Herança-----Monogenica-pdfAula----de-----Herança-----Monogenica-pdf
Aula----de-----Herança-----Monogenica-pdf
 
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdfAula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
 
AULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptx
AULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptxAULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptx
AULA 5 - HERANÇAS MONOGÊNICAS E POLIGÊNICAS.pptx
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Cap 6 a herança e o sexo
Cap 6 a herança e o sexoCap 6 a herança e o sexo
Cap 6 a herança e o sexo
 
Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
5 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-35 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-3
 
Património genético - resumo
Património genético - resumoPatrimónio genético - resumo
Património genético - resumo
 
Herancamonogenicanaotradicional
HerancamonogenicanaotradicionalHerancamonogenicanaotradicional
Herancamonogenicanaotradicional
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
 
PadrõEs De HerançA
PadrõEs De HerançAPadrõEs De HerançA
PadrõEs De HerançA
 
Aula 3 primeira lei de mendel
Aula 3  primeira lei de mendelAula 3  primeira lei de mendel
Aula 3 primeira lei de mendel
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
 
Introdução à Genética
Introdução à GenéticaIntrodução à Genética
Introdução à Genética
 
Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01
 

Mais de Jamille Nunez

Mais de Jamille Nunez (11)

Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
Divisao celular
Divisao celularDivisao celular
Divisao celular
 
Noção Gentica introdutiva
Noção Gentica introdutivaNoção Gentica introdutiva
Noção Gentica introdutiva
 
Filo cordados
Filo cordadosFilo cordados
Filo cordados
 
Zoologia invertebrados
Zoologia invertebradosZoologia invertebrados
Zoologia invertebrados
 
Tecidomuscular
Tecidomuscular Tecidomuscular
Tecidomuscular
 
Vitaminas
VitaminasVitaminas
Vitaminas
 
Esqueleto Humano
Esqueleto HumanoEsqueleto Humano
Esqueleto Humano
 
Reino fungi
Reino fungi Reino fungi
Reino fungi
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Trabalho de física
Trabalho de físicaTrabalho de física
Trabalho de física
 

Último

Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 

Padrões de Herança Monogênica

  • 1. A HERANÇA MONOGÊNICA PADRÕES MENDELIANOS DE HERANÇA
  • 2. Estudo de características genéticas na espécie humana  Não é possível controlar ou manipular cruzamentos
  • 3. Definições importantes!  Padrões de herança monogênicos  Heredrograma
  • 4. A construção de heredogramas  A informação obtida de famílias através do ato da averiguação é registrada na forma de heredogramas (pedigrees) obedecendo sinais e símbolos padrões.
  • 5. 21 Tipo de herança determinada por um único gene Autossômica Ligada ao sexo Herança monogênica
  • 7. Herança dominante ou recessiva????
  • 8. Herança autossômica dominante 1. O fenótipo aparece em todas as gerações, e toda pessoa afetada tem um genitor afetado. 2. Qualquer filho de genitor afetado tem um risco de 50% de herdar o fenótipo. 3. Familiares fenotipicamente normais não transmitem o fenótipo para seus filhos. 4. Homens e mulheres têm a mesma probabilidade de transmitir o fenótipo aos filhos de ambos os sexos.
  • 9. O padrão de herança autossômico dominante  Em geral, o afetado é heterozigoto, quando se trata de um caráter raro e seu parceiro(a) é homozigoto para o alelo normal. A probabilidade de um filho ser afetado é de 50% e independe do sexo.
  • 10. O padrão de herança autossômico recessivo  Em geral, os progenitores são normais e heterozigotos.
  • 11. Nos heterozigotos, com alelo normal e outro mutante, a metade da quantidade normal do produto gênico do alelo normal é suficiente para efetuar uma determinada função?
  • 12. SIM!!!!! Alelo normal é dominante Alelo mutante é recessivo Distúrbio é recessivo Em heterozigose, o fenótipo é normal
  • 13. NÃO!!!!! Alelo normal é recessivo Alelo mutante é dominante Distúrbio é dominante Em heterozigose, o fenótipo é alterado
  • 15. Exemplos de herança monogênica autossômica dominante Polidactilia Acondroplasia
  • 16. Exemplos de herança monogênica autossômica recessiva Albinismo
  • 19. LÓBULOS ADERIDOS Á FACE Dominante Recessivo
  • 20. POLEGAR DE “PONERO” Algumas pessoas possuem a capacidade de inclinar o dedo polegarnum ângulo maior que 45 graus – RECESSIVO O alelo DOMINANTE não permite essa inclinação
  • 21. Esquerdo sobre direito é DOMINANTE DEDOS ENTRELAÇADOS Entrelace seus dedos... Qual polegar ficou por cima?
  • 23. • Ligada ao Sexo Dominante Recessiva ⇒ ⇒ ⇒ Herança monogênica ligada ao sexo
  • 24. DOMINANTE LIGADO AO X  Homem afetado  todas as filhas afetadas e todos os filhos normais  Homem afetado  possui mãe afetada  Mulher homozigota dominante  todos os filhos afetados  Características não se distribuem igualmente entre os sexos Herança monogênica ligada ao sexo
  • 25. Herança dominante ligada ao X 1. Os homens afetados com companheiras normais não têm nenhum filho afetado e nenhuma filha normal. 2. Os filhos de ambos os sexos de portadores possuem um risco de 50% de herdar o fenótipo.
  • 26. Hipertricose: um exemplo de herança ligada ao X dominante  A hipertricose generalizada pode ser causada pela mutação de um gene localizado no cromossomo X. O fenótipo é dominante.
  • 27. RECESSIVO LIGADO AO X  Homem afetado  filhas portadoras  50% dos netos afetados  Homem afetado  gen recebido da mãe  Mais homens afetados do que mulheres  Homem afetado + mulher normal  geralmente têm filhos normais  O caráter é transmitido aos filhos homens pelas mães portadoras. As meninas só terão a caracterísitica se opai também tiver Herança monogênica ligada ao sexo
  • 29. O padrão de transmissão da herança ligada ao X recessiva
  • 30. A hemofilia A  Distúrbio recessivo ligado ao X clássico. É um distúrbio da coagulação caracterizado por tempo de sangramento prolongado. Causado por mutações no gene que codifica o fator VIII, componente da cascata da coagulação. A deficiência do fator VIII resulta numa formação defeituosa de fibrina, comprometendo a capacidade de coagulação.
  • 31.
  • 32. O daltonismo  A mutação genética que provoca o daltonismo sobreviveu pela vantagem dada aos daltônicos ao longo da história evolutiva. Essa vantagem advém, sobretudo, do fato de os portadores desses genes possuirem uma melhor capacidade de visão noturna, bem como maior capacidade de reconhecerem elementos semi- ocultos, como animais ou pessoas disfarçadas pela sua camuflagem.  Estima-se que 8% dos homens sejam afetados contra apenas 1 % das mulheres.