SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
2ª LEI DE MENDEL
LEI DA RECOMBINAÇÃO OU
LEI DA SEGREGAÇÃO
INDEPENDENTE
MENDEL PASSOU A ESTUDAR DE
FORMA SILMULTÂNEA, O PROCESSO
DE TRANSMISSÃO DE DOIS OU MAIS
DIFERENTES PARAS DE GENES AO
LONGO DAS GERAÇÕES
DIIBRIDISMO
TRIIBRIDISMO
ENUNCIADO DA 2ª LEI
EM UM CRUZAMENTO EM QUEEM UM CRUZAMENTO EM QUE
ESTEJAM ENVOLVIDOS DOIS OU MAISESTEJAM ENVOLVIDOS DOIS OU MAIS
CARACTERES, OS FATORES QUECARACTERES, OS FATORES QUE
DETERMINAM CADA UM SE SEPARAMDETERMINAM CADA UM SE SEPARAM
DE FORMA INDEPENDENTE DURANTEDE FORMA INDEPENDENTE DURANTE
A FORMAÇÃO DOS GAMETAS, SEA FORMAÇÃO DOS GAMETAS, SE
RECOMBINAM AO ACASO E FORMAMRECOMBINAM AO ACASO E FORMAM
TODAS AS COMBINAÇÕES POSSÍVEIS.TODAS AS COMBINAÇÕES POSSÍVEIS.
O EXPERIMENTO DE MENDEL
1. CRUZOU LINHAGENS PURAS DE ERVILHAS
DE SEMENTES AMARELAS E LISAS COM
OUTRAS PORTADORAS DE SEMENTES
VERDES E RUGOSAS.
2. OBTEVE NA 1ª GERAÇÃO (F1) 100% DE
ERVILHAS .
3. FAZENDO A AUTOFECUNDAÇÃO DE
F1,MENDEL OBTEVE EM F2, QUATROQUATRO
FENÓTIPOS DIFERENTES NA PROPORÇÃO
DE 9:3:3:1
ESQUEMATIZANDO
COMO FAZER CRUZAMENTOS
EM CASOS DE DIIBRIDISMO
1.1. ACHA-SE OS GAMETAS QUE CADAACHA-SE OS GAMETAS QUE CADA
INDIVIDUO PRODUZINDIVIDUO PRODUZ
Ex.: a ervilha VvRr produz 4 gametas.
VR Vr vR vrVR Vr vR vr
2. Esquematiza-se o quadro de Punnet2. Esquematiza-se o quadro de Punnet
3. Analisa-se as diagonais do quadrado,3. Analisa-se as diagonais do quadrado,
achando os genótipos iguais.achando os genótipos iguais.
Semente Lisa e amarela:Semente Lisa e amarela: VVVVRR +RR + VVVRr +VRr + VVvRr =vRr =
9 = 9/169 = 9/16
Semente Lisa e verde: vvRR + vvRr = 3 = 3/16Semente Lisa e verde: vvRR + vvRr = 3 = 3/16
Semente Rugosa e amarela: VVrr + Vvrr = 3 =Semente Rugosa e amarela: VVrr + Vvrr = 3 =
3/163/16
Semente Rugosa e verde: vvrr = 1 = 1/16Semente Rugosa e verde: vvrr = 1 = 1/16
COMO DESCOBRIR O NÚMERO DECOMO DESCOBRIR O NÚMERO DE
DIFERENTES GAMETAS QUE UM INDIVÍDUODIFERENTES GAMETAS QUE UM INDIVÍDUO
PRODUZPRODUZ
Nº de gametas = 2n
n= número de pares de genes heterozigotos
em jogo.
COMO DESCOBRIR O NÚMERO DECOMO DESCOBRIR O NÚMERO DE
FENÓTIPOS E GENÓTIPOS POSSÍVEIS EM F2FENÓTIPOS E GENÓTIPOS POSSÍVEIS EM F2
2n
= números de fenótipos diferentes em F2
3n
= números de genótipos diferentes em F2
Exemplo:
Qual o número de fenótipos e genótipos do
cruzamento de 2 diíbridos?
n=2
FENÓTIPO: 2 ² = 4 FENÓTIPOSFENÓTIPO: 2 ² = 4 FENÓTIPOS
GENÓTIPO: 3² = 6 GENÓTIPOSGENÓTIPO: 3² = 6 GENÓTIPOS
ATIVIDADES - EXEMPLOS
Uma fêmea de porquinho da índia, de pêlo
curto e preto ( híbrida), é cruzada com um
macho de pêlo curto (híbrido) e branco.
Qual a probabilidade de nascer um filho
com pêlo curto e branco?
L= pêlo curto B= pêlo preto
L = Pêlo longo b= pêlo branco
1. Genótipo dos pais:
Mãe: LlBb ( pêlo curto e preto)
Pai: Llbb ( pêlo curto e branco)
2. Gametas produzidos
Mãe: LB Lb lB lb
Pai: Lb lb
3. Fazendo o cruzamento no quadro de
Punnet
LB Lb lB lb
Lb LLBb LLbb LlBb Llbb
lb LlBb Llbb llBb llbb
Pêlo curto e branco: L _ bb
LLbb= 1/8
Llbb= 2/8 = 3/83/8
OUTRA MANEIRA DE SE ACHAR
GENÓTIPOS E FENÓTIPOS
1. CALCULAR
SEPARADAMENTE A F2 DE
CADA UM
2. MULTIPLICAR OS
RESULTADOS.
EXEMPLO DO EXERCÍCIO
ANTERIOR
1. CRUZAMENTO PÊLOS PAIS:
MÃE: pêlo curto PAI: pêlo curto
Ll Ll
¾ curto ¼ longo
2. CRUZAMENTO COR DO PÊLOS
MÃE: pêlo preto PAI: pêlo branco
Bb bb
½ preto ½ branco
3. CHANCE PARA PÊLO CURTO E BRANCO
¾ X ½ = 3/8¾ X ½ = 3/8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introduçãoDalu Barreto
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosJuliana Mendes
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologiaemanuel
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em geneticaAdrianne Mendonça
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesRebeca Vale
 
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarckteoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e LamarckDarlla Sb
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoKamila Joyce
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoKiller Max
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasSilvana Sanches
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Gisele A. Barbosa
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológicaCésar Milani
 
III. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaIII. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaRebeca Vale
 
2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendelbianca
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Bio
 

Mais procurados (20)

Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
 
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarckteoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
 
Teorias de evolução
Teorias de evoluçãoTeorias de evolução
Teorias de evolução
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
 
Segunda Lei de Mendel
Segunda Lei de MendelSegunda Lei de Mendel
Segunda Lei de Mendel
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
 
Aula de genética 1 lei de mendel
Aula de genética   1 lei de mendelAula de genética   1 lei de mendel
Aula de genética 1 lei de mendel
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
 
III. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaIII. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico Biotecnologia
 
2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
 

Destaque

Destaque (20)

1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
 
Lei da Segregação Independente (Segunda Lei de Mendel)
Lei da Segregação Independente (Segunda Lei de Mendel)Lei da Segregação Independente (Segunda Lei de Mendel)
Lei da Segregação Independente (Segunda Lei de Mendel)
 
2a lei de mendel
2a lei de mendel2a lei de mendel
2a lei de mendel
 
Genética – 2 lei de mendel
Genética – 2 lei de mendelGenética – 2 lei de mendel
Genética – 2 lei de mendel
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Slide Genética
 
Genética – leis de mendel slides
Genética – leis de mendel slidesGenética – leis de mendel slides
Genética – leis de mendel slides
 
1 Leis De Mendel
1  Leis De Mendel1  Leis De Mendel
1 Leis De Mendel
 
Lei da segregação independente
Lei da segregação independenteLei da segregação independente
Lei da segregação independente
 
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercícioprof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
prof. Paulo Roberto Genética Enem Biologia exercício
 
1ª lei de mendel
1ª lei de mendel1ª lei de mendel
1ª lei de mendel
 
Primeira lei de mendel
Primeira lei de mendelPrimeira lei de mendel
Primeira lei de mendel
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
2a lei de mendel
2a lei de mendel2a lei de mendel
2a lei de mendel
 
A segunda lei de mendel
A segunda lei de mendelA segunda lei de mendel
A segunda lei de mendel
 
Relação da Meiose e a Primeira lei de Mendel
Relação da Meiose e a Primeira lei de MendelRelação da Meiose e a Primeira lei de Mendel
Relação da Meiose e a Primeira lei de Mendel
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Polígrafo de genética
Polígrafo de genéticaPolígrafo de genética
Polígrafo de genética
 
A segunda lei de mendel e linkage
A segunda lei de mendel e linkageA segunda lei de mendel e linkage
A segunda lei de mendel e linkage
 
Genética e Evolução
Genética e EvoluçãoGenética e Evolução
Genética e Evolução
 

Mais de Iuri Fretta Wiggers (20)

Heranca ligada sexo
Heranca ligada sexoHeranca ligada sexo
Heranca ligada sexo
 
Determinacao sexo
Determinacao sexoDeterminacao sexo
Determinacao sexo
 
Ligacao genica
Ligacao genicaLigacao genica
Ligacao genica
 
Angiosperamas
AngiosperamasAngiosperamas
Angiosperamas
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
 
Briofitas pteridofitas
Briofitas pteridofitasBriofitas pteridofitas
Briofitas pteridofitas
 
Ciclo plantas
Ciclo plantasCiclo plantas
Ciclo plantas
 
Vacúolos
VacúolosVacúolos
Vacúolos
 
Ribossomos
RibossomosRibossomos
Ribossomos
 
Plastos
PlastosPlastos
Plastos
 
Peroxissomos
PeroxissomosPeroxissomos
Peroxissomos
 
Mitocondrias
MitocondriasMitocondrias
Mitocondrias
 
Lisossomos
LisossomosLisossomos
Lisossomos
 
Complexo golgiense
Complexo golgienseComplexo golgiense
Complexo golgiense
 
Complexo golgiense
Complexo golgienseComplexo golgiense
Complexo golgiense
 
Cilios flagelos
Cilios flagelosCilios flagelos
Cilios flagelos
 
Interacao genica
Interacao genicaInteracao genica
Interacao genica
 
Interacao genica
Interacao genicaInteracao genica
Interacao genica
 
Construindo microscopiopdf
Construindo microscopiopdfConstruindo microscopiopdf
Construindo microscopiopdf
 
Celula ensinomedio
Celula ensinomedioCelula ensinomedio
Celula ensinomedio
 

2ª lei de mendel

  • 1. 2ª LEI DE MENDEL LEI DA RECOMBINAÇÃO OU LEI DA SEGREGAÇÃO INDEPENDENTE
  • 2. MENDEL PASSOU A ESTUDAR DE FORMA SILMULTÂNEA, O PROCESSO DE TRANSMISSÃO DE DOIS OU MAIS DIFERENTES PARAS DE GENES AO LONGO DAS GERAÇÕES DIIBRIDISMO TRIIBRIDISMO
  • 3. ENUNCIADO DA 2ª LEI EM UM CRUZAMENTO EM QUEEM UM CRUZAMENTO EM QUE ESTEJAM ENVOLVIDOS DOIS OU MAISESTEJAM ENVOLVIDOS DOIS OU MAIS CARACTERES, OS FATORES QUECARACTERES, OS FATORES QUE DETERMINAM CADA UM SE SEPARAMDETERMINAM CADA UM SE SEPARAM DE FORMA INDEPENDENTE DURANTEDE FORMA INDEPENDENTE DURANTE A FORMAÇÃO DOS GAMETAS, SEA FORMAÇÃO DOS GAMETAS, SE RECOMBINAM AO ACASO E FORMAMRECOMBINAM AO ACASO E FORMAM TODAS AS COMBINAÇÕES POSSÍVEIS.TODAS AS COMBINAÇÕES POSSÍVEIS.
  • 4. O EXPERIMENTO DE MENDEL 1. CRUZOU LINHAGENS PURAS DE ERVILHAS DE SEMENTES AMARELAS E LISAS COM OUTRAS PORTADORAS DE SEMENTES VERDES E RUGOSAS. 2. OBTEVE NA 1ª GERAÇÃO (F1) 100% DE ERVILHAS . 3. FAZENDO A AUTOFECUNDAÇÃO DE F1,MENDEL OBTEVE EM F2, QUATROQUATRO FENÓTIPOS DIFERENTES NA PROPORÇÃO DE 9:3:3:1
  • 6.
  • 7.
  • 8. COMO FAZER CRUZAMENTOS EM CASOS DE DIIBRIDISMO 1.1. ACHA-SE OS GAMETAS QUE CADAACHA-SE OS GAMETAS QUE CADA INDIVIDUO PRODUZINDIVIDUO PRODUZ Ex.: a ervilha VvRr produz 4 gametas. VR Vr vR vrVR Vr vR vr
  • 9.
  • 10. 2. Esquematiza-se o quadro de Punnet2. Esquematiza-se o quadro de Punnet
  • 11. 3. Analisa-se as diagonais do quadrado,3. Analisa-se as diagonais do quadrado, achando os genótipos iguais.achando os genótipos iguais. Semente Lisa e amarela:Semente Lisa e amarela: VVVVRR +RR + VVVRr +VRr + VVvRr =vRr = 9 = 9/169 = 9/16 Semente Lisa e verde: vvRR + vvRr = 3 = 3/16Semente Lisa e verde: vvRR + vvRr = 3 = 3/16 Semente Rugosa e amarela: VVrr + Vvrr = 3 =Semente Rugosa e amarela: VVrr + Vvrr = 3 = 3/163/16 Semente Rugosa e verde: vvrr = 1 = 1/16Semente Rugosa e verde: vvrr = 1 = 1/16
  • 12. COMO DESCOBRIR O NÚMERO DECOMO DESCOBRIR O NÚMERO DE DIFERENTES GAMETAS QUE UM INDIVÍDUODIFERENTES GAMETAS QUE UM INDIVÍDUO PRODUZPRODUZ Nº de gametas = 2n n= número de pares de genes heterozigotos em jogo.
  • 13.
  • 14. COMO DESCOBRIR O NÚMERO DECOMO DESCOBRIR O NÚMERO DE FENÓTIPOS E GENÓTIPOS POSSÍVEIS EM F2FENÓTIPOS E GENÓTIPOS POSSÍVEIS EM F2 2n = números de fenótipos diferentes em F2 3n = números de genótipos diferentes em F2
  • 15. Exemplo: Qual o número de fenótipos e genótipos do cruzamento de 2 diíbridos? n=2 FENÓTIPO: 2 ² = 4 FENÓTIPOSFENÓTIPO: 2 ² = 4 FENÓTIPOS GENÓTIPO: 3² = 6 GENÓTIPOSGENÓTIPO: 3² = 6 GENÓTIPOS
  • 16. ATIVIDADES - EXEMPLOS Uma fêmea de porquinho da índia, de pêlo curto e preto ( híbrida), é cruzada com um macho de pêlo curto (híbrido) e branco. Qual a probabilidade de nascer um filho com pêlo curto e branco? L= pêlo curto B= pêlo preto L = Pêlo longo b= pêlo branco
  • 17. 1. Genótipo dos pais: Mãe: LlBb ( pêlo curto e preto) Pai: Llbb ( pêlo curto e branco) 2. Gametas produzidos Mãe: LB Lb lB lb Pai: Lb lb
  • 18. 3. Fazendo o cruzamento no quadro de Punnet LB Lb lB lb Lb LLBb LLbb LlBb Llbb lb LlBb Llbb llBb llbb Pêlo curto e branco: L _ bb LLbb= 1/8 Llbb= 2/8 = 3/83/8
  • 19. OUTRA MANEIRA DE SE ACHAR GENÓTIPOS E FENÓTIPOS 1. CALCULAR SEPARADAMENTE A F2 DE CADA UM 2. MULTIPLICAR OS RESULTADOS.
  • 20. EXEMPLO DO EXERCÍCIO ANTERIOR 1. CRUZAMENTO PÊLOS PAIS: MÃE: pêlo curto PAI: pêlo curto Ll Ll ¾ curto ¼ longo
  • 21. 2. CRUZAMENTO COR DO PÊLOS MÃE: pêlo preto PAI: pêlo branco Bb bb ½ preto ½ branco 3. CHANCE PARA PÊLO CURTO E BRANCO ¾ X ½ = 3/8¾ X ½ = 3/8