SlideShare uma empresa Scribd logo
Qualidade Total e seus Gurus
Sanmya F. Tajra
www.tajratecnologias.com.br
www.sanmyatajra.com.br
sanmya@tajratecnologias.com.br
O que é Qualidade
Total ?
É uma técnica de administração multidisciplinar
formada por um conjunto de programas,
ferramentas e métodos, aplicados no controle do
processo de produção das empresas, para obter
bens e serviços pelo menor custo e melhor
qualidade, objetivando atender as exigências e a
satisfação dos clientes.
Gurus da Qualidade
Deming
Shwhart
Juran
Feigenbaun
Ishikawa
Taguchi
Shingo
Tom Peters
Filosofia de Shewhart
• Shewhart lecionou e trabalhou com W. E. Deming e é
conhecido pelo desenvolvimento do CEP (Controle
Estatístico de Qualidade), que utiliza métodos
estatísticos para alcançar o estado de controle de um
sistema e para julgar quando este estado foi
alcançado.
• CEP: Controla a variação da produção, apontando as
necessidades de revisões quando necessário.
Filosofia de
Deming
• Nasceu em Sioux City, estado de Iowa, em 14 de outubro de
1900.
• Atuou nas indústrias japonesas no período pós guerra.
• No Japão, em 1951, foi criado pela JUSE (União dos
Engenheiros e Cientistas do Japão), o “Prêmio Deming” para
premiar:
– pessoas que contribuem para o controle da qualidade e
aplicações de métodos estatísticos
– e empresas que apresentem elevado desempenho da
qualidade
• Menor preço pelo qual um produto poderia ser
trazido ao mercado.
• A partir dos anos 30, com a produção em massa,
produtos como carros e armamentos,
demandavam produção em escala de
multicomponentes que precisavam se encaixar
com precisão.
• Qualidade passou a ter o significado de
conformidade com o projeto.
• Intensificação do controle sobre todas as etapas
do processo produtivo.
Filosofia de
Deming
O que era qualidade...evolução do conceito...
• Em meados da década de 50, Edward W
Deming e Joseph Juran desenvolveram o
conceito de qualidade em termos de
adequação ao uso do consumidor.
• Um produto além de obedecer às
especificações do projeto, deveria atender as
necessidades do usuário (início do foco ao
cliente).
Filosofia de
Deming
• Essa concepção de qualidade trouxe o
desenvolvimento de um conjunto de técnicas
estatísticas e práticas organizacionais, tais como:
just- in-time, Kanban, zero defeito.
Kanban: eliminação de estoques (estoque zero),
sendo que os materiais e componentes agregados
ao produto chegam no momento exato de sua
produção/execução (just in time) – Toyota.
Filosofia de
Deming
• A base de sua filosofia está no amplo uso de
ferramentas estatísticas e controle de processos, o
que trará grau previsível de uniformidade devido a
uma reduzida variabilidade, custos menores e
adequação ao mercado.
• Deming criticou o sistema empresarial norte-
americano por não apostar na participação dos
trabalhadores no processo de decisão.
Filosofia de
Deming
Filosofia de
Deming
• Adaptou um método de abordagem sistemática
para a resolução de problemas conhecido como
PDCA (Plan, Do, Check, Action), ou ciclo de
Shewhart.
• Criado por Shewart na década de 20, mas
começou a ser conhecido como ciclo de Deming
em 1950, por ter sido amplamente difundido por
este
14 Princípios
1. Crie constância de propósitos para melhoria do produto e
do serviço
2. Adote a nova filosofia
3. Cesse a dependência da inspeção em massa
4. Acabe com a prática de aprovar orçamentos apenas com
base no preço
5. Melhore constantemente o sistema de produção e de
serviços
6. Institua treinamento
7. Adote e institua a liderança
8. Afaste o medo
9. Rompa as barreiras entre os diversos setores da empresa
10. Elimine slogans, exortações e metas para a mão de obra
11. Elimine as cotas numéricas para a mão de obra
12. Remova as barreiras que privam as pessoas do justo
orgulho pelo trabalho bem executado
13. Estimule a formação e o auto-aprimoramento de todos
14. Tome a iniciativa para realizar a transformação
14 Princípios
As 5 doenças fatais
1. Falta de constância de propósito
É importante ter uma perspectiva de longo prazo e manter um
relacionamento de alta maturidade com clientes, fornecedores
e
funcionários, aumentando conhecimento e promovendo a
sustentabilidade da empresa.
2. Ênfase nos lucros a curto prazo
A ênfase deve ser dada aos clientes.
3. Avaliação de desempenho, classificação por mérito
Este sistema alimenta o desempenho no curto prazo, mas
destrói o
planejamento em longo prazo, diminui o espírito de equipe
aumentando a rivalidade entre os funcionários.
4. Mobilidade da administração
Diminuir a rotatividade dos cargos para aumentar
o comprometimento dos colaboradores a fim de
que conheçam todos os meios, cultura, e
interação da empresa com o cliente.
5. Dirigir a empresa apenas com base em
números visíveis
Considerar também a imagem da empresa no
mercado, satisfação dos clientes, grau de
conhecimento adquirido, etc
As 5 doenças fatais
Cadeia do Impacto da
Qualidade Deming
(1950)
Melhoria da Qualidade
Redução dos Custos
Aumento da Produtividade
Conquista do mercado com menor custo
e melhor qualidade
Permanência ou aumento dos negócios
Fornece mais e melhores empregos
• Também participou de atividades no Japão
• Sua filosofia é:
– Qualidade é responsabilidade da alta administração
– Um programa de qualidade deve começar a partir da alta
direção
– Gerenciar voltado à produção e ao lucro não é suficiente
– A gerência deve estimular a melhoria contínua da qualidade
– A gerência deve assegurar que todos sejam guiados pela
qualidade
– Atender aos desejos e preferências dos clientes
– Compete à gerência resolver os problemas crônicos e as
falhas nos sistemas
– Promover a educação e o autodesenvolvimento das
lideranças
Filosofia de Juran
Filosofia de
Juran
• Para Juran a gestão da Qualidade tem 3
pontos fundamentais, a famosa trilogia:
Planejamento da Qualidade
Melhoria da Qualidade Controle da Qualidade
• O planejamento da qualidade:
– Identificar os clientes,
– Determinar as suas necessidades,
– Criar características de produto que
satisfaçam essas necessidades,
– Criar os processos capazes de satisfazer
essas necessidades
– Transferir a liderança desses processos para o
nível operacional.
Filosofia de Juran
• A melhoria da qualidade:
– Reconhecer as necessidades de melhoria,
– Transformar as oportunidades de melhoria em uma tarefa de
todos os trabalhadores
– Criar um conselho de qualidade que selecione projetos de
melhoria
– Promover a formação da qualidade
– Avaliar a progressão dos projetos
– Premiar as equipes vencedoras,
– Divulgar os resultados
– Rever os sistemas de recompensa para aumentar o nível de
melhorias
– Incluir os objetivos de melhoria nos planos de negócio da
empresa.
Filosofia de Juran
• O controle da qualidade
– Avaliar o nível de desempenho atual
– Comparar com os objetivos fixados
– Tomar medidas para reduzir a diferença entre
o desempenho atual e o previsto.
Filosofia de Juran
Filosofia de Crosby
• Foco é a prevenção.
• A idéia de que os erros são inevitáveis é falsa.
• Compete aos gestores através das suas atitudes e práticas,
desenvolver o compromisso com a prevenção e eleger como
objetivo principal "zero defeitos".
• Se, por exemplo, for privilegiado o prazo de execução em
relação à qualidade então o trabalho vai focar-se nesse
parâmetro.
• Definiu a política de qualidade como o estado de espírito dos
funcionários de uma organização sobre a forma como devem
fazer o trabalho. Se não existir uma política formal estabelecida
pela gestão da qualidade, cada um estabelece a sua.
• Qualidade está associada aos
seguintes conceitos:
– zero defeitos
– fazer certo na primeira
– os quatro absolutos da qualidade
– o processo de prevenção
– a vacina da qualidade
– 6 C's
Filosofia de Crosby
• "Zero defeitos“:
– não significa que o produto tenha de ser
perfeito.
– Significa que todos os indivíduos, na
organização, estão comprometidos em
satisfazer os requisitos na primeira vez.
– O dia "zero defeitos" permite à gestão de topo
reafirmar o seu compromisso com a qualidade.
Filosofia de Crosby
• Os 4 absolutos:
– A prevenção deve ser a linha de conduta generalizada.
– Os custos de qualidade servem como ferramenta de
gestão para avaliar e atribuir recursos.
– O padrão "zero defeitos" deve ser a filosofia do trabalho.
– A conformidade com as especificações deve ser a
linguagem padronizada em relação ao nível de qualidade
que se pretende obter.
Filosofia de Crosby
• Vacina da Qualidade
• Vê os problemas como bactérias da não conformidade que
precisam ser combatidas
• Ações de gestões de (vacinas):
– Determinação
– Formação
– Implementação
A responsabilidade da administração contínua da vacina
pertence à gestão de topo.
Filosofia de Crosby
• Os seis C's:
– Compreensão ou a importância de perceber o que significa Qualidade
– Compromisso da gestão de topo que começa por definir a política de
Qualidade
– Competência: resultado dum plano de formação para a implantação do
movimento de melhoria da qualidade de forma sistemática
– Comunicação: para que todos na organização adquiram uma cultura
corporativa da qualidade
– Correção: baseada na prevenção e desempenho
– Continuação: enfatiza o processo de melhoria da qualidade como uma
"forma de estar" da organização
Filosofia de
Crosby
• A qualidade deve ser medida regularmente através do custo:
– Custo da Qualidade = Preço da Conformidade(POC) +
Preço da não conformidade (PONC)
– POC: refere-se ao custo por fazer bem à primeira
PONC: fornece informação à gestão acerca dos custos
perdidos e uma indicação do progresso à medida que a
organização melhora
Filosofia de Crosby
1. Compromisso da gestão de topo em relação à qualidade
2. Equipes de melhoria da qualidade.
3. Medida da qualidade (indicadores)
4. Avaliação do custo da não qualidade
5. Tomada de consciência das necessidades da
qualidade(conhecer as especificações e o custo das não
conformidades)
6. Estabelecer as ações corretivas
7. Planear um programa "zero defeitos"
Filosofia de Crosby
• Formação dos responsáveis
• Instituir "um dia zero defeitos"
• Definição de objetivos
• Eliminar as causas dos erros
• Reconhecimento para aqueles que atingirem os objetivos
• Círculos de qualidade (encontros entre os membros das equipes)
• Recomeçar e progredir sempre
Passos para um programa de melhoria da qualidade:
Filosofia de
Crosby
• Qualidade é uma filosofia de gestão e um compromisso com a
excelência
• A Qualidade:
1. É o único objetivo da organização
2. É determinada pelos clientes
3. Pressupõe trabalho em grupo (círculos de qualidade)
4. Exige o compromisso da gestão de topo
5. Exige o empowerment
Filosofia de Feigenbaun
• Define o Sistema de Qualidade Total como...
Combinação da estrutura operacional de trabalho
de toda a organização documentada em
procedimentos de gestão e técnicas para o
direcionamento das ações de acordo com os
melhores e mais práticos meios de assegurar a
satisfação quanto à qualidade e custos.
Filosofia de Feigenbaun
• O Sistema de Qualidade deve ser estruturado e planeado e
não desenvolvido de forma casual. Os seus princípios
devem incluir:
• Orientação ao cliente
• Integração de atividades por toda a organização
• Atribuições claras ao pessoal, tendo em vista a obtenção da
qualidade
• Atividades específicas para controle de fornecedores
• Identificação total dos equipamentos de qualidade
• Conscientização de toda a organização
• Eficácia real das ações corretivas
• Controle contínuo do sistema
• Auditoria periódica das atividades do sistema
Filosofia de Feigenbaun
• Os subsistemas básicos que devem estar baseados em
procedimentos documentados (Manual da Qualidade)
• Avaliação da qualidade antes do início da produção
• Planejamento da qualidade e do processo
• Planejamento, avaliação e controlo da qualidade dos materiais adquiridos
• Avaliação e controle da qualidade do produto e do processo
• Realimentação da informação da qualidade
• Formação do pessoa para a qualidade
• Qualidade na assistência técnica
• Gestão da função controle da qualidade
• Estudos especiais sobre a qualidade
Filosofia de
Feigenbaun
• Está associado ao conceito de "Círculos de
Qualidade“
• Os círculos de qualidade são pequenas equipes,
geralmente da mesma área de trabalho, que
voluntária e regularmente se reúnem para identificar,
investigar, analisar e resolver os problemas que
surgem no trabalho.
Filosofia de Ishikawa
• Nos círculos de qualidade são destacadas as seguintes
características:
– Voluntarismo (Os círculos devem ser criados em bases
voluntárias e não por ordens superiores)
– Autodesenvolvimento (Os membros do círculo precisam
ter vontade de estudar)
– Desenvolvimento mútuo (Os membros do círculo
precisam aspirar a expandir os seus horizontes e a
cooperar com outros círculos)
– Eventual participação total. Os círculos precisam
estabelecer como seu objetivo último a participação total
de todos os trabalhadores do mesmo local de trabalho.
Filosofia de Ishikawa
• Os objetivos dos círculos são:
• Contribuir para o melhoramento e para o
desenvolvimento da organização
• Respeitar a humanidade e criar um local de trabalho
animado e bom para se viver
• Exercitar integralmente as capacidades humanas
Filosofia de Ishikawa
Filosofia de Ishikawa
• Sistematizou os sete instrumentos para o controle
da qualidade:
- Análise de Pareto
- Diagramas causa-efeito
- Histogramas
- Folhas de controle
- Diagramas de escala
- Gráficos de controle
- Fluxos de controle
• Segundo a experiência Japonesa, 95% dos
problemas podem ser resolvidos com estes
métodos, simples, de controlo de qualidade.
Uma das bases do TQC (Total Quality Control) é a
gestão funcional cruzada,
dado que a garantia efetiva da qualidade não pode
ser obtida somente
pelo departamento de qualidade.
Para operacionalizar a gestão dos processos, a
empresa necessita de um Comité Interfuncional.
Filosofia de Ishikawa
Atividades
Planeament
o do
produto
Projecto do
produto
Preparação
do produto
Aprovisiona-
mento
Produção Vendas
Funções
Planeament
o
Experimenta
-ção
Engenharia
do processo
Compras Fábrica Exportação
Qualidade P P P P P P
Custo P S P P S S
Tecnologia S P S C C S
Produção C S P C P S
Vendas P S C C S P
Pessoal
Administrati
vo
S S S S P S
P - Responsabilidade Principal
S - Responsabilidade Secundária
C - Contribuição
Filosofia de Taguchi
- A qualidade deve ser incorporada no produto desde o
início e não através das inspeções.
- Atinge-se melhor a qualidade minimizando os desvios
em relação as metas.
- Os custos da qualidade devem ser medidos em função
dos desvios do desempenho do produto.
Filosofia de Shingo
• Estratégia para a melhoria contínua através do
envolvimento criativo de todos os trabalhadores.
• No período de 1961-64 estendeu as idéias de
controle de Qualidade e desenvolveu o Poka-yoke,
teste de erro e o conceito de "zero defeitos“
(Toyota).
• Um exemplo é a impossibilidade de remover a
chave da ignição de um automóvel se a sua
transmissão automática não estiver em "ponto
morto", assim o motorista não pode cometer o erro
de sair do carro em condições inseguras.
Filosofia de Tom Peters
• Introduziu o conceito de "Excelência“ na gestão. As
empresas excelentes têm oito características
distintivas:
- Inclinação para a ação;
- Proximidade do cliente;
- Autonomia individual;
- Produtividade através das pessoas;
- Criação de valores concretos;
- Centrar-se no essencial;
- Simplicidade formal;
- Existência em simultâneo de rigidez e flexibilidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Fabricio Pangoni
 
Administração da produção
Administração da produçãoAdministração da produção
Administração da produção
milton junior
 
Qualidade e Produtividade
Qualidade e ProdutividadeQualidade e Produtividade
Qualidade e Produtividade
Hyldon Herbert Dias Mendes
 
Ciclo de vida de um produto
Ciclo de vida de um produtoCiclo de vida de um produto
Ciclo de vida de um produto
Vasco Andorinha
 
Estratégia de produção e operações
Estratégia de produção e operaçõesEstratégia de produção e operações
Estratégia de produção e operações
dedefs
 
Logística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimentoLogística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimento
Jader Windson
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Alexandre Porto Araujo
 
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene SeibelManufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Sustentare Escola de Negócios
 
Planejamento e controle da capacidade
Planejamento e controle da capacidadePlanejamento e controle da capacidade
Planejamento e controle da capacidade
Caio Roberto de Souza Filho
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
Willian dos Santos Abreu
 
Gestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade TotalGestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade Total
UerjFundamentosDaAdministracao2013_1
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
Luiz Carlos Oliveira
 
Função Produção
Função ProduçãoFunção Produção
Função Produção
Mauro Enrique
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Adriano Pereira
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Claudio Bernardi Stringari
 
Apresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaumApresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaum
Felipe Pereira
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
Daisy Marschalk
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
Nyedson Barbosa
 
MRP II
MRP II MRP II
Sistemas de producao
Sistemas de producaoSistemas de producao
Sistemas de producao
Hélio Diniz
 

Mais procurados (20)

Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Administração da produção
Administração da produçãoAdministração da produção
Administração da produção
 
Qualidade e Produtividade
Qualidade e ProdutividadeQualidade e Produtividade
Qualidade e Produtividade
 
Ciclo de vida de um produto
Ciclo de vida de um produtoCiclo de vida de um produto
Ciclo de vida de um produto
 
Estratégia de produção e operações
Estratégia de produção e operaçõesEstratégia de produção e operações
Estratégia de produção e operações
 
Logística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimentoLogística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimento
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene SeibelManufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
 
Planejamento e controle da capacidade
Planejamento e controle da capacidadePlanejamento e controle da capacidade
Planejamento e controle da capacidade
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
 
Gestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade TotalGestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade Total
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
 
Função Produção
Função ProduçãoFunção Produção
Função Produção
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
 
Apresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaumApresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaum
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
 
MRP II
MRP II MRP II
MRP II
 
Sistemas de producao
Sistemas de producaoSistemas de producao
Sistemas de producao
 

Semelhante a Gurus da Gestão da Qualidade

Gurus da qualidade
Gurus da qualidadeGurus da qualidade
Gurus da qualidade
Adylson Santana
 
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Gestão da Qualidade Total - Modulo  2Gestão da Qualidade Total - Modulo  2
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Silvio Carlos Valentini
 
Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02
Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02
Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02
Leonardo
 
Gurus da Qualidade
Gurus da QualidadeGurus da Qualidade
Gurus da Qualidade
Rubia Soraya Rabello
 
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Gustavo Zimmermann
 
Aula 4, 5 e 6 introducao a qualidade (1)
Aula 4, 5 e 6   introducao a qualidade (1)Aula 4, 5 e 6   introducao a qualidade (1)
Aula 4, 5 e 6 introducao a qualidade (1)
everxmen
 
Apostila 3
Apostila 3Apostila 3
Apostila 3
Dionei Melo Verli
 
Fundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da QualidadeFundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da Qualidade
Gerente Consciente
 
Slides controle de qualidade
Slides controle de qualidadeSlides controle de qualidade
Slides controle de qualidade
Ingrid Iasmyn Amin
 
TQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL
TQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTALTQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL
TQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL
GIGLLIARA SEGANTINI DE MENEZES
 
Qualidade total
Qualidade totalQualidade total
Qualidade total
Eli Júnior
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
GiseleSouza53260
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
Fábio Nascimento
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
claudio864549
 
Gurus-da-qualidade pptm
Gurus-da-qualidade  pptmGurus-da-qualidade  pptm
Gurus-da-qualidade pptm
Edvaldo Viana
 
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
Carlos Sousa
 
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdfAula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
ANNECAROLINEALBUQUER
 
Padrão de Qualidade CMMI
Padrão de Qualidade CMMIPadrão de Qualidade CMMI
Padrão de Qualidade CMMI
Kianne Crystie Bezerra da Cunha
 
CMMI
CMMICMMI
Qualidade total e liderança
Qualidade total e liderançaQualidade total e liderança
Qualidade total e liderança
ADM Soluções
 

Semelhante a Gurus da Gestão da Qualidade (20)

Gurus da qualidade
Gurus da qualidadeGurus da qualidade
Gurus da qualidade
 
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Gestão da Qualidade Total - Modulo  2Gestão da Qualidade Total - Modulo  2
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
 
Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02
Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02
Gestodaqualidademodulo2 131123164510-phpapp02
 
Gurus da Qualidade
Gurus da QualidadeGurus da Qualidade
Gurus da Qualidade
 
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
 
Aula 4, 5 e 6 introducao a qualidade (1)
Aula 4, 5 e 6   introducao a qualidade (1)Aula 4, 5 e 6   introducao a qualidade (1)
Aula 4, 5 e 6 introducao a qualidade (1)
 
Apostila 3
Apostila 3Apostila 3
Apostila 3
 
Fundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da QualidadeFundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da Qualidade
 
Slides controle de qualidade
Slides controle de qualidadeSlides controle de qualidade
Slides controle de qualidade
 
TQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL
TQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTALTQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL
TQM MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL
 
Qualidade total
Qualidade totalQualidade total
Qualidade total
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
 
Gurus-da-qualidade pptm
Gurus-da-qualidade  pptmGurus-da-qualidade  pptm
Gurus-da-qualidade pptm
 
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
 
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdfAula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
 
Padrão de Qualidade CMMI
Padrão de Qualidade CMMIPadrão de Qualidade CMMI
Padrão de Qualidade CMMI
 
CMMI
CMMICMMI
CMMI
 
Qualidade total e liderança
Qualidade total e liderançaQualidade total e liderança
Qualidade total e liderança
 

Mais de Tajra Assessoria Educacional Ltda

Princípios da gestão pela Excelência
Princípios da gestão pela ExcelênciaPrincípios da gestão pela Excelência
Princípios da gestão pela Excelência
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Prêmios da qualidade
Prêmios da qualidadePrêmios da qualidade
Prêmios da qualidade
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Capital Intelectual
Capital IntelectualCapital Intelectual
Criatividade, Aprendizado e Conhecimento Tácito
Criatividade, Aprendizado e Conhecimento TácitoCriatividade, Aprendizado e Conhecimento Tácito
Criatividade, Aprendizado e Conhecimento Tácito
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Ciclo de vida das organizações
Ciclo de vida das organizaçõesCiclo de vida das organizações
Ciclo de vida das organizações
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Comportamento Organizacional 2
Comportamento Organizacional 2Comportamento Organizacional 2
Comportamento Organizacional 2
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Comportamento Organizacional 1
Comportamento Organizacional 1Comportamento Organizacional 1
Comportamento Organizacional 1
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Liderança - Bernardinho
Liderança -  BernardinhoLiderança -  Bernardinho
Liderança - Bernardinho
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Pensamento Empreendedor de Babson
Pensamento Empreendedor de BabsonPensamento Empreendedor de Babson
Pensamento Empreendedor de Babson
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Atendimento ao Cliente - Hospital
Atendimento ao Cliente -  HospitalAtendimento ao Cliente -  Hospital
Atendimento ao Cliente - Hospital
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
5S Virtual
5S Virtual5S Virtual
Os 7 Saberes para o Século XXI
Os 7 Saberes para o Século XXIOs 7 Saberes para o Século XXI
Os 7 Saberes para o Século XXI
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Formularios
FormulariosFormularios
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do Conhecimento
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Sistema de Informações Gerenciais - OSM
Sistema de Informações Gerenciais - OSMSistema de Informações Gerenciais - OSM
Sistema de Informações Gerenciais - OSM
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Introdução a OSM
Introdução a OSMIntrodução a OSM
QDT - Quadro de Distribuição de Trabalho
QDT - Quadro de Distribuição de TrabalhoQDT - Quadro de Distribuição de Trabalho
QDT - Quadro de Distribuição de Trabalho
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
BSC - Balanced Scorecard
BSC - Balanced ScorecardBSC - Balanced Scorecard
BSC - Balanced Scorecard
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 

Mais de Tajra Assessoria Educacional Ltda (20)

Princípios da gestão pela Excelência
Princípios da gestão pela ExcelênciaPrincípios da gestão pela Excelência
Princípios da gestão pela Excelência
 
Prêmios da qualidade
Prêmios da qualidadePrêmios da qualidade
Prêmios da qualidade
 
Capital Intelectual
Capital IntelectualCapital Intelectual
Capital Intelectual
 
Criatividade, Aprendizado e Conhecimento Tácito
Criatividade, Aprendizado e Conhecimento TácitoCriatividade, Aprendizado e Conhecimento Tácito
Criatividade, Aprendizado e Conhecimento Tácito
 
Ciclo de vida das organizações
Ciclo de vida das organizaçõesCiclo de vida das organizações
Ciclo de vida das organizações
 
Comportamento Organizacional 2
Comportamento Organizacional 2Comportamento Organizacional 2
Comportamento Organizacional 2
 
Comportamento Organizacional 1
Comportamento Organizacional 1Comportamento Organizacional 1
Comportamento Organizacional 1
 
Liderança - Bernardinho
Liderança -  BernardinhoLiderança -  Bernardinho
Liderança - Bernardinho
 
Pensamento Empreendedor de Babson
Pensamento Empreendedor de BabsonPensamento Empreendedor de Babson
Pensamento Empreendedor de Babson
 
Atendimento ao Cliente - Hospital
Atendimento ao Cliente -  HospitalAtendimento ao Cliente -  Hospital
Atendimento ao Cliente - Hospital
 
5S Virtual
5S Virtual5S Virtual
5S Virtual
 
Os 7 Saberes para o Século XXI
Os 7 Saberes para o Século XXIOs 7 Saberes para o Século XXI
Os 7 Saberes para o Século XXI
 
Formularios
FormulariosFormularios
Formularios
 
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do Conhecimento
 
Sistema de Informações Gerenciais - OSM
Sistema de Informações Gerenciais - OSMSistema de Informações Gerenciais - OSM
Sistema de Informações Gerenciais - OSM
 
Introdução a OSM
Introdução a OSMIntrodução a OSM
Introdução a OSM
 
QDT - Quadro de Distribuição de Trabalho
QDT - Quadro de Distribuição de TrabalhoQDT - Quadro de Distribuição de Trabalho
QDT - Quadro de Distribuição de Trabalho
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
BSC - Balanced Scorecard
BSC - Balanced ScorecardBSC - Balanced Scorecard
BSC - Balanced Scorecard
 

Gurus da Gestão da Qualidade

  • 1. Qualidade Total e seus Gurus Sanmya F. Tajra www.tajratecnologias.com.br www.sanmyatajra.com.br sanmya@tajratecnologias.com.br
  • 2. O que é Qualidade Total ? É uma técnica de administração multidisciplinar formada por um conjunto de programas, ferramentas e métodos, aplicados no controle do processo de produção das empresas, para obter bens e serviços pelo menor custo e melhor qualidade, objetivando atender as exigências e a satisfação dos clientes.
  • 4. Filosofia de Shewhart • Shewhart lecionou e trabalhou com W. E. Deming e é conhecido pelo desenvolvimento do CEP (Controle Estatístico de Qualidade), que utiliza métodos estatísticos para alcançar o estado de controle de um sistema e para julgar quando este estado foi alcançado. • CEP: Controla a variação da produção, apontando as necessidades de revisões quando necessário.
  • 5. Filosofia de Deming • Nasceu em Sioux City, estado de Iowa, em 14 de outubro de 1900. • Atuou nas indústrias japonesas no período pós guerra. • No Japão, em 1951, foi criado pela JUSE (União dos Engenheiros e Cientistas do Japão), o “Prêmio Deming” para premiar: – pessoas que contribuem para o controle da qualidade e aplicações de métodos estatísticos – e empresas que apresentem elevado desempenho da qualidade
  • 6. • Menor preço pelo qual um produto poderia ser trazido ao mercado. • A partir dos anos 30, com a produção em massa, produtos como carros e armamentos, demandavam produção em escala de multicomponentes que precisavam se encaixar com precisão. • Qualidade passou a ter o significado de conformidade com o projeto. • Intensificação do controle sobre todas as etapas do processo produtivo. Filosofia de Deming O que era qualidade...evolução do conceito...
  • 7. • Em meados da década de 50, Edward W Deming e Joseph Juran desenvolveram o conceito de qualidade em termos de adequação ao uso do consumidor. • Um produto além de obedecer às especificações do projeto, deveria atender as necessidades do usuário (início do foco ao cliente). Filosofia de Deming
  • 8. • Essa concepção de qualidade trouxe o desenvolvimento de um conjunto de técnicas estatísticas e práticas organizacionais, tais como: just- in-time, Kanban, zero defeito. Kanban: eliminação de estoques (estoque zero), sendo que os materiais e componentes agregados ao produto chegam no momento exato de sua produção/execução (just in time) – Toyota. Filosofia de Deming
  • 9. • A base de sua filosofia está no amplo uso de ferramentas estatísticas e controle de processos, o que trará grau previsível de uniformidade devido a uma reduzida variabilidade, custos menores e adequação ao mercado. • Deming criticou o sistema empresarial norte- americano por não apostar na participação dos trabalhadores no processo de decisão. Filosofia de Deming
  • 10. Filosofia de Deming • Adaptou um método de abordagem sistemática para a resolução de problemas conhecido como PDCA (Plan, Do, Check, Action), ou ciclo de Shewhart. • Criado por Shewart na década de 20, mas começou a ser conhecido como ciclo de Deming em 1950, por ter sido amplamente difundido por este
  • 11. 14 Princípios 1. Crie constância de propósitos para melhoria do produto e do serviço 2. Adote a nova filosofia 3. Cesse a dependência da inspeção em massa 4. Acabe com a prática de aprovar orçamentos apenas com base no preço 5. Melhore constantemente o sistema de produção e de serviços 6. Institua treinamento 7. Adote e institua a liderança
  • 12. 8. Afaste o medo 9. Rompa as barreiras entre os diversos setores da empresa 10. Elimine slogans, exortações e metas para a mão de obra 11. Elimine as cotas numéricas para a mão de obra 12. Remova as barreiras que privam as pessoas do justo orgulho pelo trabalho bem executado 13. Estimule a formação e o auto-aprimoramento de todos 14. Tome a iniciativa para realizar a transformação 14 Princípios
  • 13. As 5 doenças fatais 1. Falta de constância de propósito É importante ter uma perspectiva de longo prazo e manter um relacionamento de alta maturidade com clientes, fornecedores e funcionários, aumentando conhecimento e promovendo a sustentabilidade da empresa. 2. Ênfase nos lucros a curto prazo A ênfase deve ser dada aos clientes. 3. Avaliação de desempenho, classificação por mérito Este sistema alimenta o desempenho no curto prazo, mas destrói o planejamento em longo prazo, diminui o espírito de equipe aumentando a rivalidade entre os funcionários.
  • 14. 4. Mobilidade da administração Diminuir a rotatividade dos cargos para aumentar o comprometimento dos colaboradores a fim de que conheçam todos os meios, cultura, e interação da empresa com o cliente. 5. Dirigir a empresa apenas com base em números visíveis Considerar também a imagem da empresa no mercado, satisfação dos clientes, grau de conhecimento adquirido, etc As 5 doenças fatais
  • 15. Cadeia do Impacto da Qualidade Deming (1950) Melhoria da Qualidade Redução dos Custos Aumento da Produtividade Conquista do mercado com menor custo e melhor qualidade Permanência ou aumento dos negócios Fornece mais e melhores empregos
  • 16. • Também participou de atividades no Japão • Sua filosofia é: – Qualidade é responsabilidade da alta administração – Um programa de qualidade deve começar a partir da alta direção – Gerenciar voltado à produção e ao lucro não é suficiente – A gerência deve estimular a melhoria contínua da qualidade – A gerência deve assegurar que todos sejam guiados pela qualidade – Atender aos desejos e preferências dos clientes – Compete à gerência resolver os problemas crônicos e as falhas nos sistemas – Promover a educação e o autodesenvolvimento das lideranças Filosofia de Juran
  • 17. Filosofia de Juran • Para Juran a gestão da Qualidade tem 3 pontos fundamentais, a famosa trilogia: Planejamento da Qualidade Melhoria da Qualidade Controle da Qualidade
  • 18. • O planejamento da qualidade: – Identificar os clientes, – Determinar as suas necessidades, – Criar características de produto que satisfaçam essas necessidades, – Criar os processos capazes de satisfazer essas necessidades – Transferir a liderança desses processos para o nível operacional. Filosofia de Juran
  • 19. • A melhoria da qualidade: – Reconhecer as necessidades de melhoria, – Transformar as oportunidades de melhoria em uma tarefa de todos os trabalhadores – Criar um conselho de qualidade que selecione projetos de melhoria – Promover a formação da qualidade – Avaliar a progressão dos projetos – Premiar as equipes vencedoras, – Divulgar os resultados – Rever os sistemas de recompensa para aumentar o nível de melhorias – Incluir os objetivos de melhoria nos planos de negócio da empresa. Filosofia de Juran
  • 20. • O controle da qualidade – Avaliar o nível de desempenho atual – Comparar com os objetivos fixados – Tomar medidas para reduzir a diferença entre o desempenho atual e o previsto. Filosofia de Juran
  • 21. Filosofia de Crosby • Foco é a prevenção. • A idéia de que os erros são inevitáveis é falsa. • Compete aos gestores através das suas atitudes e práticas, desenvolver o compromisso com a prevenção e eleger como objetivo principal "zero defeitos". • Se, por exemplo, for privilegiado o prazo de execução em relação à qualidade então o trabalho vai focar-se nesse parâmetro. • Definiu a política de qualidade como o estado de espírito dos funcionários de uma organização sobre a forma como devem fazer o trabalho. Se não existir uma política formal estabelecida pela gestão da qualidade, cada um estabelece a sua.
  • 22. • Qualidade está associada aos seguintes conceitos: – zero defeitos – fazer certo na primeira – os quatro absolutos da qualidade – o processo de prevenção – a vacina da qualidade – 6 C's Filosofia de Crosby
  • 23. • "Zero defeitos“: – não significa que o produto tenha de ser perfeito. – Significa que todos os indivíduos, na organização, estão comprometidos em satisfazer os requisitos na primeira vez. – O dia "zero defeitos" permite à gestão de topo reafirmar o seu compromisso com a qualidade. Filosofia de Crosby
  • 24. • Os 4 absolutos: – A prevenção deve ser a linha de conduta generalizada. – Os custos de qualidade servem como ferramenta de gestão para avaliar e atribuir recursos. – O padrão "zero defeitos" deve ser a filosofia do trabalho. – A conformidade com as especificações deve ser a linguagem padronizada em relação ao nível de qualidade que se pretende obter. Filosofia de Crosby
  • 25. • Vacina da Qualidade • Vê os problemas como bactérias da não conformidade que precisam ser combatidas • Ações de gestões de (vacinas): – Determinação – Formação – Implementação A responsabilidade da administração contínua da vacina pertence à gestão de topo. Filosofia de Crosby
  • 26. • Os seis C's: – Compreensão ou a importância de perceber o que significa Qualidade – Compromisso da gestão de topo que começa por definir a política de Qualidade – Competência: resultado dum plano de formação para a implantação do movimento de melhoria da qualidade de forma sistemática – Comunicação: para que todos na organização adquiram uma cultura corporativa da qualidade – Correção: baseada na prevenção e desempenho – Continuação: enfatiza o processo de melhoria da qualidade como uma "forma de estar" da organização Filosofia de Crosby
  • 27. • A qualidade deve ser medida regularmente através do custo: – Custo da Qualidade = Preço da Conformidade(POC) + Preço da não conformidade (PONC) – POC: refere-se ao custo por fazer bem à primeira PONC: fornece informação à gestão acerca dos custos perdidos e uma indicação do progresso à medida que a organização melhora Filosofia de Crosby
  • 28. 1. Compromisso da gestão de topo em relação à qualidade 2. Equipes de melhoria da qualidade. 3. Medida da qualidade (indicadores) 4. Avaliação do custo da não qualidade 5. Tomada de consciência das necessidades da qualidade(conhecer as especificações e o custo das não conformidades) 6. Estabelecer as ações corretivas 7. Planear um programa "zero defeitos" Filosofia de Crosby
  • 29. • Formação dos responsáveis • Instituir "um dia zero defeitos" • Definição de objetivos • Eliminar as causas dos erros • Reconhecimento para aqueles que atingirem os objetivos • Círculos de qualidade (encontros entre os membros das equipes) • Recomeçar e progredir sempre Passos para um programa de melhoria da qualidade: Filosofia de Crosby
  • 30. • Qualidade é uma filosofia de gestão e um compromisso com a excelência • A Qualidade: 1. É o único objetivo da organização 2. É determinada pelos clientes 3. Pressupõe trabalho em grupo (círculos de qualidade) 4. Exige o compromisso da gestão de topo 5. Exige o empowerment Filosofia de Feigenbaun
  • 31. • Define o Sistema de Qualidade Total como... Combinação da estrutura operacional de trabalho de toda a organização documentada em procedimentos de gestão e técnicas para o direcionamento das ações de acordo com os melhores e mais práticos meios de assegurar a satisfação quanto à qualidade e custos. Filosofia de Feigenbaun
  • 32. • O Sistema de Qualidade deve ser estruturado e planeado e não desenvolvido de forma casual. Os seus princípios devem incluir: • Orientação ao cliente • Integração de atividades por toda a organização • Atribuições claras ao pessoal, tendo em vista a obtenção da qualidade • Atividades específicas para controle de fornecedores • Identificação total dos equipamentos de qualidade • Conscientização de toda a organização • Eficácia real das ações corretivas • Controle contínuo do sistema • Auditoria periódica das atividades do sistema Filosofia de Feigenbaun
  • 33. • Os subsistemas básicos que devem estar baseados em procedimentos documentados (Manual da Qualidade) • Avaliação da qualidade antes do início da produção • Planejamento da qualidade e do processo • Planejamento, avaliação e controlo da qualidade dos materiais adquiridos • Avaliação e controle da qualidade do produto e do processo • Realimentação da informação da qualidade • Formação do pessoa para a qualidade • Qualidade na assistência técnica • Gestão da função controle da qualidade • Estudos especiais sobre a qualidade Filosofia de Feigenbaun
  • 34. • Está associado ao conceito de "Círculos de Qualidade“ • Os círculos de qualidade são pequenas equipes, geralmente da mesma área de trabalho, que voluntária e regularmente se reúnem para identificar, investigar, analisar e resolver os problemas que surgem no trabalho. Filosofia de Ishikawa
  • 35. • Nos círculos de qualidade são destacadas as seguintes características: – Voluntarismo (Os círculos devem ser criados em bases voluntárias e não por ordens superiores) – Autodesenvolvimento (Os membros do círculo precisam ter vontade de estudar) – Desenvolvimento mútuo (Os membros do círculo precisam aspirar a expandir os seus horizontes e a cooperar com outros círculos) – Eventual participação total. Os círculos precisam estabelecer como seu objetivo último a participação total de todos os trabalhadores do mesmo local de trabalho. Filosofia de Ishikawa
  • 36. • Os objetivos dos círculos são: • Contribuir para o melhoramento e para o desenvolvimento da organização • Respeitar a humanidade e criar um local de trabalho animado e bom para se viver • Exercitar integralmente as capacidades humanas Filosofia de Ishikawa
  • 37. Filosofia de Ishikawa • Sistematizou os sete instrumentos para o controle da qualidade: - Análise de Pareto - Diagramas causa-efeito - Histogramas - Folhas de controle - Diagramas de escala - Gráficos de controle - Fluxos de controle • Segundo a experiência Japonesa, 95% dos problemas podem ser resolvidos com estes métodos, simples, de controlo de qualidade.
  • 38. Uma das bases do TQC (Total Quality Control) é a gestão funcional cruzada, dado que a garantia efetiva da qualidade não pode ser obtida somente pelo departamento de qualidade. Para operacionalizar a gestão dos processos, a empresa necessita de um Comité Interfuncional. Filosofia de Ishikawa
  • 39. Atividades Planeament o do produto Projecto do produto Preparação do produto Aprovisiona- mento Produção Vendas Funções Planeament o Experimenta -ção Engenharia do processo Compras Fábrica Exportação Qualidade P P P P P P Custo P S P P S S Tecnologia S P S C C S Produção C S P C P S Vendas P S C C S P Pessoal Administrati vo S S S S P S P - Responsabilidade Principal S - Responsabilidade Secundária C - Contribuição
  • 40. Filosofia de Taguchi - A qualidade deve ser incorporada no produto desde o início e não através das inspeções. - Atinge-se melhor a qualidade minimizando os desvios em relação as metas. - Os custos da qualidade devem ser medidos em função dos desvios do desempenho do produto.
  • 41. Filosofia de Shingo • Estratégia para a melhoria contínua através do envolvimento criativo de todos os trabalhadores. • No período de 1961-64 estendeu as idéias de controle de Qualidade e desenvolveu o Poka-yoke, teste de erro e o conceito de "zero defeitos“ (Toyota). • Um exemplo é a impossibilidade de remover a chave da ignição de um automóvel se a sua transmissão automática não estiver em "ponto morto", assim o motorista não pode cometer o erro de sair do carro em condições inseguras.
  • 42. Filosofia de Tom Peters • Introduziu o conceito de "Excelência“ na gestão. As empresas excelentes têm oito características distintivas: - Inclinação para a ação; - Proximidade do cliente; - Autonomia individual; - Produtividade através das pessoas; - Criação de valores concretos; - Centrar-se no essencial; - Simplicidade formal; - Existência em simultâneo de rigidez e flexibilidade.