SlideShare uma empresa Scribd logo
espiral  da
                                                              ANO xiII    -
                                                                              fraternitas moviment
                                                                              N.º
                                                                                 ternit      vimento
                                                        boletim da associação fraternitas mo vimento
                                                                              N .º 49     Outubro/DezEMBR
                                                                                                o/DezEMBRO
                                                                                        - Outubro/DezEMBRO        de   2012




          NATAL, TEMPO E ESPAÇO
                         ESPA
                      CUMPRIMENTOS
      DE SONHOS E DE CUMPRIMENTOS
   O Amor acredita (fé) sempre no melhor (esperança)              caremos depressivos e pensaremos coisas do tipo: «O meu
                                                                  cônjuge é tão egoísta!», ou «Acho que sou amigo da pessoa
    «O amor tudo crê, tudo espera» (1 Coríntios 13, 7).           errada».
    Nos corredores profundos e secretos do nosso coração,            Algumas pessoas escrevem coisas detestáveis nesta sala,
existe uma sala chamada Sala da Admiração. É para esta sala       onde as queixas e censuras são ensaiadas para serem usadas
que vão os nossos pensamentos quando nos deparamos com            como argumento na próxima briga. E, por isso, o tempo na
coisas positivas e encorajadoras. E, com frequência, gosta-       Sala do Desdém destrói casamentos e amizades.
mos de visitar esse lugar especial.                                  O amor escolhe acreditar no melhor das pessoas e habita
    Eu creio que é nesta sala que Deus nasce para cada um e       na Sala da Admiração.
nós. Mais ainda, é nesta sala que Deus nos visita com os seus        É o que faz Deus em relação a nós.
anjos.
    Nas paredes da Sala da Admiração estão escritas palavras          O Natal, em primeiro lugar, é o cumprimento do sonho
gentis e frases que descrevem bons atributos do marido e/ou       de Deus, que se aproxima, baixa, curva, para montar a sua
da mulher, e/ou do próximo. Elas incluem características          tenda no meio de nós, para habitar connosco.
como “honestidade” e “inteligência”, ou frases como “traba-           O Natal é o sonho divino do mundo novo, em paz e
lho diligente”, “comida maravilhosa” ou “olhos bonitos”. São      prosperidade, porque vivido numa fraternidade estendida a
coisas que descobrimos sobre o cônjuge e sobre o próximo          todas as franjas da sociedade, a todos os cantos da terra.
que fica(ra)m gravadas na nossa memória.                              E Natal é o cumprimento dos nossos sonhos humanos,
    Quando pensamos nessas coisas, a admiração que nutri-         pois Deus criou-nos com sede e ânseas Dele. Ou melhor, o
mos pelo cônjuge e pelo próximo começa a aumentar. De             que Deus quer é que Ele seja o nosso sonho, o melhor de
facto, quanto mais tempo passarmos a meditar nesses atribu-       todos os sonhos. Assim escreveu o padre José Tolentino de
tos positivos, mais gratos somos para com os outros.              Mendonça: “Queres saber de que cor são os sonhos de Deus?
    A maioria das coisas que guardamos na Sala da Admira-         Volta a olhar o mundo pela primeira vez.” O sonho de Deus,
ção foi escrita nas fases iniciais dos nossos relacionamentos.    que há de ser o nosso, é a Sua glória, e a sua glória é que
Resumem os aspectos de que gostámos no(a) amado(a) e nos          vivamos em harmonia com Ele, entre nós e com toda a cri-
amigos. E gostamos de passar muito e bom tempo nesta              ação.
sala…                                                                 Jesus Cristo é dom, o presente, a prenda.
    Com que frequência visitamos essa sala especial? Haverá           Vamos esperar - etimologicamente falando, do latim,
outras salas a competir com ela?                                  attendere (esperar), significa esticar-se para a frente - Jesus na
    É que também existe outro corredor no nosso coração           Sala da Admiração.
que leva à Sala do Desdém e, infelizmente, também visitamos           Jesus vem trazer-nos a Salvação, a vitória da vida sobre a
esta sala.                                                        morte, e da Esperança sobre o desespero.
    Nas paredes deste cubículo está escrito aquilo que o côn-         Vamos acreditar em Deus e dar crédito uns aos outros,
juge ou os amigos fazem e que nos deixa chateados e irrita-       admirando-nos mutuamente naquilo que temos e somos de
dos. Essas palavras foram escritas lá como resultado de frus-     melhor.
trações, sentimentos feridos e expectativas não correspondidas.       Santo Natal!
    Se permanecermos muito tempo na Sala do Desdém fi-                                                         Fernando       Félix
PB                                                                                                                         espiral




       «Andemos de Esperanças» foi o tema
     do 33.º Encontro Nacional da Fraternitas
          tema “A esperança
 Com o tema “A esper ança como
                                                                                       espírito de Babel e construamos comu-
fio condutor na narrativa bíblica -
Andemos de Esperanças!", decor-                                                        nidades de Pentecostes.
reu, de 5 a 7 de outubro, no Semi-                                                          Em ambas as Orações se incluíram
  nário Redentorista Cristo-Rei, o                                                     preces espontâneas.
     33º Encontro Nacional da
      Fraternitas Movimento.                                                              Do Serão – Tertúlia
         Orientou o encontro                                                              Foram-nos apresentados dois
   o P. e R ui Santiago, anf itrião.
      P. Rui             anfitrião.                                                    jograis: “A Mulher na Igreja” e “Rezar a
 Participaram 57 pessoas, sendo                                                        Fé e a Esperança com os poetas”.
                 (14           17
46 associados (1 4 casais, 17 indi-
                                                                                          E não faltou do tal grupo da comu-
 viduais e a “benjaminha” Tita) e
                                                                                       nidade, uma mulher “de esperanças”. Foi
  11 não associados (1 casal e 9
             individuais).                                                             uma bênção!
  Rostos novos? Sim, alguns com                                                           “(…) Só uma Fé Esperançosa é ca-
       IVA nos anos de idade.                                                          paz de gestos proféticos, verdadeiramen-
                                                                                       te geradores de Revolução, Mudança,
        Urtélia Silva | Secretária
        Urtélia Silv
                                                Do cartão de boas-vindas               desinstalação. Na Esperança podemos
    Para o 33.º Encontro Nacional da            Com base no texto de Is. 11, 1 a afir- antever as transformações que a Fé nos
Fraternitas, foi dirigido convite a padres   mação: “Um Rei sem trono nem po-          pede, porque levamos nos olhos a pai-
dispensados e à espera de dispensa não       der, um Messias diferente de todos os     sagem Toda… e o caminho iluminado
associados, com endereço eletrónico, e,      messias esperados, um Senhor diferente    pela certeza de que o Espírito de Deus,
além destes, foram enviadas 55 cartas        de todos os senhores conhecidos, em       Princípio que paira sobre o caos e as
pelos CTT. Destes, responderam 3, ten-       Deus frágil… Poderoso em Amor”.           águas, como eco, continua a percorrer a
do comparecido um casal, residente em           E cita José Tolentino de Mendonça::    História da Criação…”
Vila Nova de Gaia, e Francisco Manuel           “A Sua vinda testemunha
Formariz, de Valbom (Gondomar) de-              O que não sabíamos ainda:                 Eucaristia com a comunidade
clarando: “Limitar-nos-emos a uma               A nossa frágil humanidade                 Soube-nos a pedacinho de Céu. Foi
amistosa visita à Fraternitas, que, since-      É narração da autobiografia de célula de Vida Eterna. A Fraternitas foi
ramente, apreciamos e estimamos.” Que        Deus”                                     apresentada a toda a comunidade cristã.
pena! Não puderam comparecer! Retro-
cederam 4 cartas; uma, devido a faleci-          Dos “Louvores da Manhã”                    “Assuntos da Fraternitas”
mento.                                           Sábado - “Andar de Esperanças –            Na tarde de sábado, tivemos um
    Houve um trabalho primoroso na           horas de crise, horas de conversão. (…)   momento para nos pensarmos como
organização em Gaia, por parte do ca-        Deus de todas as manhãs, que tens co-     Fraternitas. Para além de algumas infor-
sal sacerdotal António Carlos Reis e Gló-    ração de Pai e entranhas de Mãe, revela   mações específicas, a Glória partilhou o
ria Marques, e do P.e Rui Santiago, na       no mais íntimo de nós mesmos a lonjura    envolvimento do casal na Pastoral
preparação dos “Louvores da Manhã”,          da Tua Palavra, desde o «Faça-se» pri-    Carcerária, integrados num grupo da
do serão (com a colaboração de um            mordial aos « Novos Céus e Nova Ter-      comunidade onde se inclui também o
grupo da comunidade do CER - Cen-            ra», para vivermos como quem anda de      P. e Rui. Ofereceram-nos o cartão de
tro de Espiritualidade Redentorista),        esperanças e darmos testemunho da Tua     apresentação, cujo desenho é de sua au-
tudo acompanhado de materiais, juntan-       Fidelidade.”                              toria, do qual se cita: “Fiamo-nos de uma
do-se ainda um cartão plastificado dis-          Domingo- “«Foi o Primeiro Dia» -      Promessa feita pelo Deus de Jesus, um
tribuído no acolhimento, com os dese-        estamos numa Nova Criação - (…) Se-       Deus com Coração de Pai e Mãos de
nhos de autoria da Glória; e ainda mui-      nhor de todas as manhãs pascais, reúne-   Mãe, sempre capaz de nos Perdoar e
to mais...                                   nos de maneiras sempre novas nos tan-     nos fazer Nascer de Novo para a Vida
      Seguem-se excertos, até por mui-       tos cenáculos da nossa vida e da nossa    e a Liberdade: «Eu faço novas todas as
tos deles se enquadrarem neste tempo         fé, e consagra-nos com o Espírito, para   coisas!»”, afirmação esta que encima o
de Advento/Natal:                            que também nós desobedeçamos ao           arco-íris do desenho.
l
espiral                                                                                                                        3



    Houve uma proposta de sócia ( n.º           E à despedida ficou e fica mais uma    Rui Santiago, e claro, àqueles santinhos
112) - Maria Felícia R.B.H.R., viúva de     vez, a nossa profunda GRATIDÃO             anónimos da casa. Ao Pe. Rui foi-lhe lido
José Henriques Ribeiro (falecido em         àquele grupinho da comunidade (do          e oferecido o mesmo poema: “Ser Pa-
16.10.2010), residente no Porto, convi-     CER - Centro de Espiritualidade            dre”, que os “Jovens de Cristo Sentido
dada pelo casal Silveira (Angeiras /MTS),   Redentorista) que colaborou em vários      Único”, dedicaram ao Cónego Filipe de
já participante no Encontro Nacional de     tempos e momentos, ao casal sacerdo-       Figueiredo, após a sua partida em 28 de
abril de 2012. Bem vinda, mais uma vez!     tal António C. Reis e Glória M., ao P.e    novembro de 2003.



          Ecos de quem participou no 33.º Encontro Nacional
                           da Fraternitas
    «Este fim de semana fez-nos MAIS IRMÃOS. Não tenho a menor dúvida!
FOI MUITO, MUITO BOM!!! Porque o nosso Deus é bom! Só é BOM!                               A Esperança e a Fé Esperançosa dos
    Escrevam-me para o meu correio eletrónico, cujo endereço é                         Cristãos HOJE faz todo o sentido. Os
acfgmm@portugalmail.pt e poderei deliciar-vos com os textos dos serões de Po-          nossos olhos, se os quisermos abrir, têm
esia e Fé... Também vos aconselho a visitar o blogue alimentado pelo P.e Rui e         pela frente uma Paisagem feita da Fide-
equipa do CER http://derrotar montanhas.blogspot.com, em particular o que              lidade de um Deus que, no Antigo Tes-
está no aquivo, na segunda semana de maio 2012.                                        tamento ouve, vê, se compadece e des-
    Bom proveito!!! Se for possível, partilhai com todos...                            ce na defesa de um não-povo - os es-
    Glória Marques                                                                     cravos... - e, no Novo Testamento, ouve,
                                                                                       vê, se compadece e desce "rasgando o
    Todos saímos mais ricos do Encontro.                                               céu" e reSuscitando para si e para nós, o
    De sexta-feira, 5, a domingo, 7 de outubro, o P.e Rui Santiago, missionário        Filho Amado... Fidelidade absoluta dos
redentorista, abriu-nos as Escrituras e fez o nosso coração arder com a memória        dois...
dos passos de Deus na História do mundo e na nossa história pessoal.                       Tendo na frente dos olhos a História
     Ele fez mesmo um gesto profético, ao apresentar a Fraternitas na missa domi-      e as nossas Histórias pessoais, não po-
nical vespertina para a comunidade cristã das Devesas. E também me convidou, na        demos deixar de ver que é assim. A Fé e
qualidade de presidente, a dar a conhecer o movimento. Depois, pediu licença ao        a Esperança são a única resposta possí-
diácono para que fosse eu a proclamar o Evangelho.                                     vel da nossa parte.
      Para beber da sabedoria que nos transmitiu, acerca da Esperança como fio             Glória Marques
condutor da narrativa bíblica, todos lhe pedimos informações acerca dos seus
blogues, onde faz, chamemos-lhe cursos bíblicos em vídeo e voz, e outro de espi-
ritualidade:                                                                               Algumas pessoas solicitaram o Poe-
    Estes são os blogues alimentados peki P.e Rui Santiago e pelo Centro de Espiri-    ma que citei neste texto, aquando das
tualidade Redentorista:                                                                despedidas dos trabalhos.
    http://abriu-lhesasescrituras.blogspot.pt                                              No dia 28 de novembro de 2012
    http://derrotarmontanhas.blogspot.pt                                               perfez 9 anos que o PADRE Filipe de
    http://silenciosdoentardecer.blogspot.pt                                           Figueiredo se despediu do meio de nós.
    http://aprenderaoolhar.blogspot.pt                                                 Vive agora o Céu plenamente.
    Vão gostar de ler, ouvir, apreciar as fotos...                                         No artigo em sua memória, nas pá-
    Fernando Félix                                                                     ginas seguintes, o poema está lá integra-
                                                                                       do. E, porque a melhor memória é con-
    Ainda não sentei para digerir o encontro de Gaia. Entretanto posso afirmar         tinuar a obra, continuemos a caminhar
que foi memorável. Estou profundamente grato à Fraternitas, ao casal de Gaia, à        pelas ruas da Esperança. E se tropeçar-
comunidade que reúne na Capela dos Redentoristas, ao Padre Rui. Foi uma expe-          mos nas pedras?!... Fernando Pessoa su-
riência de fé que perdurará. Houve alegria, encontro, felicidade, bem-estar, inquie-   gere-nos no poema "SER FELIZ":
tação provocada pelo Espírito, interpelação da fé, caminhada para avançar. Os              “Pedras no caminho?
amigos que me acompanharam - o Emílio e o Quintas - sintonizam pelo mesmo                  Guardo todas,
diapasão…                                                                                  um dia
    Joaquim Soares                                                                         vou construir um castelo."
PB                                                                                                                      espiral




Em memória do padre Filipe Figueiredo
                                          (+ 28.11.2003)
     SER PADRE                                No dia 28 de novembro, perfezeram-se nove anos da partida
                                                  do “insigne cabouqueiro e patrono da Fraternitas”.
     Homem Padre                                 Seguem-se cinco registos para evocar a sua memória.
     Sacerdote de Deus,                        Urtélia Silva | Secretária
                                               Urtélia Silv
     ignorado de muitos,
     afrontado por alguns,                 Homenagem em Livro
     ao serviço de todos,                  O livro Cónego Filipe de Fugueiredo
     sempre pronto ao perdão.          (1926- 2003)- Uma vida ao serviço dos ou-
                                       tros. Homenagem Vivencial da Fraternitas,
     Teu DOM pessoal                   com coordenação de Alípio M. Afon-
     é gratuito,                       so, editado em 2010, continua à venda,
     teu ritmo é de paz,               quer na Fundação Cónego Filipe de Fi-
     apesar da incompreensão.          gueiredo, quer através do secretariado.
                                       da Fraternitas. Preço 12 euros. Pedidos
     Toda a cruz                       a ecretariado@fraternitas.pt, ou pelos te-
     encontra teus braços meritórios   lefones 239 001 605 ou 914 754 706.
     de crucificado.
     Toda a chaga
     o teu coração.
     Teu desprendimento                    Semana Cultural na terra natal               Tributo em Évora
     é presépio nativo.                    A Fundação Cónego Filipe de Fi-              “Deus quer, o homem sonha e a
     Tua entrega                       gueiredo (www.fcff.pt) e Estarreja, en-       obra nasce – O título deste texto atri-
     oferta sem retorno.               viou-nos um Convite de participação           bui-se ao poeta Fernando Pessoa. E vem
     Teu celibato                      para a IX Semana Cultural, decorrendo         a propósito, quando em Évora há um
     fecundidade integral.             de 25 de novembro a 1 de dezembro,            movimento para levantar um busto ao
     Teu coração                       citando-se de entre outras atividades:        saudoso cónego Manuel Barros, lem-
     terra virgem da seara de Deus.         “(…) apresentação do filme STOP          brar o falecido cónego Filipe de Figuei-
     Teu corpo corpo                   MOTION das “Histórias de Vida” em             redo, que deu início à obra que o cónego
     pão quotidiano consagrado.        memória do Fundador e de todos aque-          Manuel Barros recebeu e que valorizou
     Tua disponibilidade               les que dão vida à história desta Institui-   com o seu cunho pessoal e do número
     coragem de via-sacra.             ção, culminando com a celebração da           de pessoas voluntárias de que se ro-
     Tua cruz                          Eucaristia pelo Reverº Bispo de Aveiro,       deou(…).”
     êxodo daqueles que,               na Capela da Fundação.”                           In “A defesa”,
     carecidos de Amor,                                                                 Évora, 30 de maio de 2003,
     buscam tranfigurar-se                                                              gentilmente enviado pelo casal Al-
     na Páscoa da Vida.                                                              berto J. e Clara de Jesus Marinho
                                          Testemunho do bispo amigo
     Féliz és tu,                         O Cónego Figueiredo
     homem frágil,                            Homem sereno e audaz                       28 de novembro de 2012
     que o sacrfício não recusas              Conjugou a ousadia:                        Neste ANO da FÉ,
     e colocas sempra sobre o altar                                                      que a Fé deste HOMEM – Padre
     o pão nosso de cada dia                  Com Cristo perdeu o medo               (Cónego) Filipe, seja para nós FAROL.
     pedido por Cristo ao Pai                 Bebeu o leite da paz                        Sendo ele tão devoto de Nossa Se-
     para os irmãos.                          No regaço de Maria.”                   nhora, adapto ligeiramente o que o gru-
                                                                                     po juvenil exarou no final do poema:
     Jovens de Cristo Sentido Único       D. Serafim Ferreira e Silva,                   «Neste Ano da Fé, que a Virgem Mãe
     Jornal S. BRAZ, Évora,               Fátima,                                    seja a nossa Medianeira eo refúgio do
     dezembro de 2003                     26 de junho de 2010                        nosso coração sacerdotal.»
l
espiral                                                                                                                       5



Anthony Padovano, embaixador da Corpus,
              foi recebido pela Fraternitas
                                                                                                    francisc o
                                                                                                    francisco      monteiro
                                                                                                                   monteiro

    Anthony Padovano                      nidos não apenas em categorias tradici-     padrões de autenticidade; um novo res-
    é padre dispensado, teólogo..         onais e canónicas, mas em termos das        surgimento espiritual; secção de comen-
    Nasceu nos Estados Unidos.            necessidades que requerem autonomia         tários dos leitores.
    Foi presidente da associação de pa-   e serviço pastoral.                             Quem desejar consultar as notícias
dres dispensados norte-americanos, cha-       A Corpus é definida pela tradição Ca-   completas da Corpus (em inglês) pode
mada Corpus, e atualmente é embaixa-      tólica Romana e também pelos carismas       aceder ao sítio na internet desta associ-
dor da Corpus junto de organizações       e decisões da consciência que o Espírito    ação: www.corpus.org
internacionais, como o movimento Nós      inspira”.
Somos Igreja, a Federação Internacio-         Os presidentes da Corpus são mari-
nal de Associações de padres dispensa-    do e mulher, tal como os secretários da
dos e a Plataforma Europeia para a Re-    direção, os responsáveis pelo boletim de
novação do Ministério Católico, orga-     informação, pelos encontros e pela Co-
nismo que foi formado a partir da Fe-     munidade João XXIII. Além destes car-
deração Internacional.                    gos, a Corpus tem ainda um tesoureiro,
                                          um embaixador, um coordenador da
    Gentileza do movimento NSI            base de dados e dois encarregados do
    Anthony Padovano veio a Portugal      portal na internet.
para participar numa reunião do Movi-
mento Nós Somos Igreja Internacional          Movimento eclesial de fronteira
(NSI), em Lisboa.                             O último boletim (chamado Corpus
    Dado que Padovano viu o seu re-       Reports) de novembro/dezembro, abre
gresso a New Jersey atrasado, por cau-    com um artigo de Anthony Padovano
sa do furacão Sandy, o movimento Nós      intitulado “Ventos dominantes”, sobre
Somos Igreja deu à Fraternitas a opor-    o Concílio Vaticano II e a atualidade.
tunidade de o conhecer. Por sua vez, a        Padovano diz que no Concílio nas-
Fraternitas brindou Padovano com um       ceu um novo sentido de Igreja. O Espí-
passeio pelos arredores de Lisboa.        rito que impulsionou os participantes no
                                          Vaticano II está na Igreja também neste
    Apresentação da Corpus                momento e opera das maneiras que
    A Fraternitas começou a estabelecer   menos esperamos.
contactos com a Corpus, que igualmente         Na sequência da última reunião do
nos pediu infor mações sobre a            NSI Internacional, escreveu um artigo
Fraternitas.                              intitulado “Organizar a esperança” de
    A Corpus define-se como uma “co-      que publicaremos excertos no próximo
munidade de fé que afirma um sacer-       Espiral.
dócio inclusivo radicado numa Igreja          Outros títulos no boletim da Corpus
                                                                                                            Na CORPUS
reformada e renovada.                     de novembro/dezembro são: o Vatica-
                                                                                                  temos o compromisso
    A Corpus disponibiliza não somen-     no II já nos fez livres; mudar a Igreja      de trabalhar para um sacerdócio
te um ministério de serviço que é aber-   exige vontade, competência e organiza-         renovado de homens solteiros
to aos diversos caminhos pelos quais as   ção estratégica; memória dos nossos an-                           e casados,
pessoas são chamadas autenticamente       tepassados espirituais; os nossos Santos            e por mulheres dedicadas
por Deus, assim como também procu-        patronos mais recentes (refere os mem-                        a servir a Deus
ra colaboração sacramental ecuménica.     bros da Corpus recentemente falecidos                         na comunidade
A comunidade e o ministério são defi-     com breves resumos das suas vidas);                              dos crentes.
PB                                                                                                                               espiral




     Algumas informações do quarto trimestre
        Têm chegado naturalmente notícias ao secretariado que são sempre remetidas para a oração
           e, especialmente, para o altar nas eucaristias. Muitas têm permanecido só a esse nível.

    PROBLEMAS de SAÚDE                        como São Pedro não estava, descon-                NASCIMENTOS
    Superabundam as notícias de sócios        fiei e dei meia volta… direita .... Graças        Alberto José Osório partilhou a
do foro da saúde, cujos problemas e           a Deus foi a volta certa .... graças …às       grande alegria da paternidade - o Dinis
dificuldades com as doenças se vão pro-       vossas intercessões, representadas pelo        nasceu em dia de Santa Helena, 18 de
longando devido à idade. E seria              Jacinto Gil e Irene, (...), e do P.e Figuei-   agosto.
infindável elencar essas maleitas.            redo. Bendito seja Deus! Agora‚ ter               Também nasceu o Vicente, neto da
     Alguns foram submetidos a in-            muito cuidado! Muito obrigado por              Maria Celeste P. Sampaio, em 13 de se-
tervenções cirúrgicas com interna-            tudo!”                                         tembro, véspera do dia da Exaltação
mentos hospitalares mais (ou menos)               E, o mesmo Armando, no dia 23:             da Santa Cruz.
prolongados, solicitando alguma con-          “Família Fratérnica Toda! Só duas lérias
                                                                                                FALECIMENTOS
tenção e muita oração – caso do Paulo         para dizer que estou melhor do que
                                                                                                Lu¡s Marques Henriques, de Faro,
Eufr sio, em 5 de setembro, devido a          quando me viram pós-faca e sobretu-
                                                                                             comunicou-nos que a mãe da Maria
problemas cárdio-circulatórios, com           do após as duas urgências. Ainda ando
                                                                                             Zulete tinha partido do seio dos seus
internamento de 28 dias (dos quais 15         cansado e não aguento conversas lon-
                                                                                             entes queridos, em 21 de setembro.
em UCI) e do Armando M. Silva, em             gas e com tendência para o
23 de outubro, do foro nefrológico.           desequilíbrio...Se Deus quiser, irá ao sí-        DESEMPREGO
    Mas estas notícias têm sido revestidas    tio. Ontem, foi Dia de Acção de Gra-              São provavelmente muitos os casos.
de uma face brilhante irradiando muita        ças nos EUA e, por causa da minha cos-         Sabe-se de Maria José Bijóias M. (Téc-
LUZ – no primeiro com o nascimento            tela, celebrámos e com toda a razão: a         nica em Marketing, residente em
de uma neta e, no segundo, pelo carác-        vossa presença e solicitude brilharam na       Massamá), e de filhos e netos de associ-
ter da pessoa, com muito bom humor.           nossa celebração. Bem hajam, sempre            ados (e de muitos não associados que
Senão vejamos o fruto de algumas das          pelo esmerado serviço! Abraços, do             nos vão pedindo ajuda neste sentido;
suas partilhas na primeira pessoa que         Armando e Pamela.”                             menciono dois Técnicos Superiores do
saberão bem saborearmos:                          E ainda, em 28 de outubro: “O ca-          Serviço Social).
    Paulo Eufrásio: “Estou a recuperar        sal Gil foi a Fátima buscar (e trazer) ou-
devagarinho. Quis Deus que a Cármen           tra “representação” da Fraternitas para            DO ESTRANGEIRO
escolhesse exatamente o dia em que o          a visita hospitalar em Leiria. Já tinha re-        João Tavares, e-moderador do
avô saiu do hospital para também ela          movido “a laje da tumba” para longe,           MFPC/Brasil, vai enviando, em média,
sair para este mundo incerto. É uma           continuando a esperar em Esperança a           dois artigos para o portal na internet da
raparigona perfeitinha e linda. A Teresa      resposta da provável editora para a pu-        associação de padres casados do Brasil.
e eu estamos muito felizes e orgulho-         blicação do meu último livro Quem ma-          Também podemos consultar:
sos.” (...) “Ora o parto da filha Patrícia,   tou a Laurissilvia?”                               www.padrescasados.org.
estava previsto para a segunda semana             A Manuel Viana Pereira foi-lhe reti-           Da Argentina, chegou-nos mensa-
de outubro, mas a Cármen nasceu em            rado um rim.                                   gem de António Limas, em 1 de de-
2 de outubro - Dia dos Santos Anjos               Abílio Tavares Cardoso e Manuel            zembro: “Muchas gracias por tenerme
da Guarda!                                    Paiva vão recuperando de pneumonias            al tanto de la actividad de estos sacer-
    Armando Silva, dia 8 de novembro:         de alguma gravidade.                           dotes argentinos. Los tempos del
“Irmãos meus! (...), todos os fratérnicos!        Jorge Ribeiro obteve, finalmente, o        Espíritu Santo llegran a su debido
Já estou de volta do hospital, a empur-       resultado que há muito ansiava – o de-         tiempo.”
rar para cima a laje da tumba que, com        saparecimento do trombo-coágulo ao                 Entrando em www.fmurquiza.com,
duas estadias sucessivas nas urgências,       nível da aurícula esquerda, por                encontrá-lo-emos em emissão de rádio
tentava deter-me. Passei o arco da ve-        cardioversão elétrica efetuada recente-        das 11h50 às 12h00h (hora da Argentina).
lha pelos serviços com os habituais er-       mente, após uma já distante fibrilalação
ros que se fazem quando os médicos            auricular.                                        CORREIO
não estão por perto, como a elimina-              António Manuel Marques de Sousa               Manuel Ferreira da Silva, que no dia
ção dos fármacos cardíacos que me le-         encontra-se ainda internado devido a           2 de dezembro, celebrou pela 94.ª vez o
varam a vários colapsos. Cheguei …às          uma pancreatite agravada por outros            dom da vida, escreveu: “À estimada e
portas do Hades (=há-des entrar) mas          problemas, mormente cardíacos.                 querida Fraternitas (…). Com o nosso
l
espiral                                                                                                                           7




melhor apreço, Manuel e Maria Cristina”.     FRATERNITAS, no que concerne aos             Internet. Decorreu ao longo de duas
    Clara de Jesus Marinho enviou um         padres dispensados do seu minist‚rio         semanas, de 16 a 30 de novembro.
postal que se ilustra com a afirmação        ordenado, que em outubro de 2011 era             O tema do retiro foi «A Fé e os sen-
“Que o nosso encanto pela vida nunca         de 72,44 anos passou em outubro de           tidos do novo evangelizador. «Tende em
esmoreça”, adianta: “(...) Para si ficam     2012, para 73,50 anos. Continuemos a         vós o mesmo sentir de Jesus” (Fil 2, 5).
as nossas mãos abertas para receber esta     interrogar-nos: “Qual ser o futuro da            Era apresentada a reflexão, davam-
flor. Que a ofereça ao Senhor.               Fraternitas?”.                               se pistas de meditação, com música am-
Contactando quem celebra o seu                                                            biente, e solicitava-se que, quem o dese-
anivers rio, peço-lhe que ofereça uma            AGRADECIMENTO                            jasse, partilhasse algum comentário..
pétala.”                                         Em finais de setembro chegou-nos             Como nem todos têm acesso à
    Enviou mais tarde outro postal com       uma carta de D. Januário Torgal Ferreira,    Internet, ou ainda não conhecem o
a imagem “Gotas de Esperança”, e pa-         a propósito da nota de solidariedade         blogue da Fraternitas: http://
lavras como: “ (...) É nosso desejo, envi-   publicada na última página do Espiral        fraternitasmovimento.blogspot.pt, quem
ar-vos desta vez, não pétalas, mas gotas     n.º 48, de julho/setembro transactos:        desejar pode pedir ao Fernando Félix
de carinho e amizade, tão fortes na nos-     “Li, sensibilizado, a última página do bo-   que mande os textos através do correio
sa Associação”, e o Poema do P.e M rio       letim Espiral, no seu último número…         normal. Os seus contactos estão na últi-
Salgueirinho que se segue, solicitando, se   A solidariedade expressa, contrariando       ma página deste boletim.
possível, a sua leitura na Tertúlia do Se-   a nobreza da vossa intenção, volve-se em
rão de sábado, dia 6 de outubro, no 33.º     direcção à fonte, donde brotou! Só ma-           DESAFIADOS NO ADVENTO
Encontro Nacional, em Gaia:                  nifesta o espírito de fraternidade, a sen-       Fernando Félix preparou também 40
                                             sibilidade aos outros, a concepção, até      desafios, um para cada dia da quadra
      “ESPERANÇA                             secular, do empenhamento pela cons-          do Advento e Natal, a que deu o título
Semeia a esperança nos teus caminhos         trução do mundo, a atitude de cidada-        “Viver o Advento e Natal como desa-
pela palavra, pelo optimismo,                nia diante dum país perfeitamente de-        fio de crer, amar e esperar.”
pela confiança.                              vastado! É inegável que quem assume              O projeto inspira-se no texto de S.
Há tantas almas arrasadas, destruídas,       posições tem de coerentemente aceitar        paulo sobre o Amor.
porque ninguém gotejou résteas de luz        as sequelas, próximas ou distantes, do           Também estes desafios estão a ser
nas trevas angustiantes das suas vidas.      que testemunhou… Nunca se pode es-           publicados no blogue da Fraternitas.
                                             perar nada. A solidão habitual dessas            E, como é possível reuní-los num
Cultiva apaixonadamente a esperança!         instâncias é a paga e o bom salário. Os      opúsculo, quem desajar recebê-lo, pode
Por onde passes, deixa um rasto              vossos associados bem conhecem a             solicitá-los igualmente.
 de fogo vivo, de sabor a eterno.            amargura de alguns desses momentos!
Há tanto ânimo moribundo, tanta dor,             Bem-hajam, irmãos e amigos. Pros-            ORAÇÃO
tanto desespero e tanto inferno…             seguirei muito alumiado pelo vosso               Neste Ano da FÉ‚, aceitai SENHOR
                                             exemplo! A verdade enche-nos a alma!”        todas as dores e alegrias das associadas
Dá força ao fraco, dá alento ao tímido,                                                   e associados da FRATERNITAS e ain-
dá coragem aos que tombam por aí além,           PARA VIVER O ANO DA FÉ                   da das pessoas não associadas que (mais
vagueando, exaustos e sós,                       Em outubro, no início do Ano da          ou menos) nos vão contactando, como
sem rumo, sem certezas, sem ninguém.         Fé, o presidente da Fraternitas, Fernan-     gesto fraterno de comunhão na
                                             do Félix, deu a conhecer dois sítios na      edificação do único bem que tudo o
Dá esperança ao teu mundo desolado,          internet que dão pistas para viver inten-    mais nos traz por acréscimo: o REINO
como farol em noite escura,                  samente esta iniciativa em comunhão          DE DEUS.
como bóia salvadora na tormenta,             com todos os crentes:                            Em tempo de Advento e Natal, que
como âncora firme em mar de escarcéus.           http://anodafe2012.webnode.pt            o nosso coração se torne humilde para
                                                 www.facebook.com/annofede                acolher o DEUS-MENINO que já veio,
Agarra carinhosamente a esperança                                                         vem e há de vir.
Como a mão escondida de Deus…”                  RETIRO NA INTERNET                            Em tempo de Natal, juntamos a nos-
                                                Não sendo total novidade, pois a          sas vozes para cantar ALELUIA, por-
                   P.e Mário Salgueirinho    Fraternidade Missionária Verbum Dei          que o Libertador fez-Se Carne e Verbo!
                                             costuma propô-los aos seus membros               Em 2013, que Deus nos dê sempre
   ACERCA DE NÓS                             e amigos, Fernando Félix ofereceu aos        a sua bênção e um ano com (mais) FÉ e
   A média da idade dos associados da        sócios da Fraternitas um retiro na           ESPERANÇA!
PB                                                                                                                           espiral




         Cuidado com as histórias que
                                                                 -Centro    Espiritualidade Redentorist
                                                                                                   orista
                                                             CER -Centro de Espiritualidade Redent orista (G aia)




    NARRADOR                                aos meus ouvidos a tua saudação, o           são estranhos, são amigos...
    Ao sexto mês, o anjo Gabriel foi        menino saltou de alegria dentro de mim.          Não pertencem a outro mundo, mas
enviado por Deus a uma cidade da            Feliz de ti que acreditaste, porque se vai   ao mundo mais íntimo que nos habita...
Galileia chamada Nazaré, a uma virgem       cumprir tudo o que te foi dito da parte          Não vêm de fora, mas do mais den-
desposada com um homem chamado              do Senhor.»                                  tro que existe nas nossas andanças por
José, da casa de David; e o nome da             Maria disse, então:                      esta terra que nos esquecemos vezes de-
virgem era Myriam.                          A minha alma glorifica o Senhor              mais que é a Casa de Deus...
    Ao entrar na casa dela, o anjo disse-   e o meu espírito se alegra no Deus que é         Entra em cena um anjo...
lhe: «Salve, ó cheia de graça, o Senhor     a minha salvação.                                Qualquer história começada assim
está contigo.» Ao ouvir estas palavras,     Porque Ele pousou o Seu olhar na pe-         há-de deixar-nos no colo um Dom ines-
ela perturbou-se e perguntava de si pró-    quenez da sua serva.                         gotável que só perceberemos verdadei-
pria o que significava tal saudação.        De hoje em diante, todas as gerações         ramente muito tempo depois...
    Disse-lhe o anjo: «Maria, não temas,    me hão-de chamar “Feliz”!                        Entra em cena um anjo...
pois és toda graça diante de Deus. Hás-     Aquele que pode tudo, pôde em mim                Qualquer história começada assim
de conceber no teu seio e dar à luz um      coisas maravilhosas.                         há-de dar-nos de Presente uma Espe-
filho, ao qual porás o nome de Yeshuah.     O Seu Nome é “Santo”!                        rança capaz de nos levantar os olhos para
Será grande e vai chamar-se Filho do        A sua misericórdia se estende de gera-       o impossível.
Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o      ção em geração sobre aqueles que jul-            Como a Abraão, coitado, que na sua
trono de seu pai David, reinará eterna-     gam não o merecer.                           velhice foi inquietado por uma promes-
mente sobre a casa de Jacob e o seu rei-    Manifestou o poder do seu braço e dis-       sa de anjo que o mandou levantar os
nado não terá fim.»                         persou os soberbos.                          olhos do chão do seu acampamento
    Maria disse ao anjo: «Como será isso,   Aos poderosos deitou-os abaixo dos           para olhar o céu e o mandou pôr-se a
se eu não conheço homem?» O anjo res-       seus tronos e aos pequenos levantou-os!      contar as estrelas.
pondeu-lhe: «O Espírito Santo virá so-      Encheu os famintos de abundâncias e              E ele pôs... até que reconheceu que
bre ti e a força do Altíssimo estenderá     mandou embora os ricos com as mãos           não as podia contar todas e lhe foi dito
sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele     a abanar.                                    que a sua descendência seria ainda mais
que vai nascer é Santo e será chamado       Acolheu a Israel, seu servo, porque se       numerosa.
Filho de Deus. Também a tua parente         lembra da sua misericórdia, a que tinha          Entra em cena um anjo...
Isabel concebeu um filho na sua velhice     prometido aos nossos pais, a Abraão e            E eles, de tão humanos e tão pouco
e já está no sexto mês, ela, a quem cha-    à sua descendência, para sempre.             alados, só nos deixam perceber que
mavam estéril, porque nada é impossí-                                                    eram anjos quando se despedem e nos
vel a Deus.» Maria disse, então: «Do Se-       NARRADORA I                               deixaram um dom, uma promessa, uma
nhor eu sou uma serva. Que a tua pala-         Cuidado com as histórias que come-        esperança, uma possibilidade... uma in-
vra se faça em mim.» E o anjo retirou-      çam com a entrada em cena de um anjo!        quietação que nos consola, uma conso-
se de junto dela.                              Porque serão sempre histórias cheias      lação que nos inquieta...
    Por aqueles dias, Maria pôs-se a ca-    de Futuro...                                     Coisas de Deus... e daqueles que são
minho e dirigiu-se com pressas para a          Não entram em cena para transmitir        anjos e nos visitam nas horas mais insus-
montanha, a uma cidade da Judeia. En-       nada nem para manifestar nada, mas para      peitas da vida...
trou em casa de Zacarias e saudou Isa-      deixar entre nós um Presente da parte
bel. Quando Isabel ouviu a saudação de      de Deus...                                      NARRADORA II (entra só agora)
Myriam, o menino saltou-lhe de alegria         Os anjos não aparecem como apari-            Cuidado com as palavras de um anjo!
no seio e Isabel ficou cheia do Espírito    ções, mas como visitas, e só percebe-           Porque nos tecem e se entretecem
Santo.                                      mos isso quando eles nos deixam.             dentro de nós, geram vida no seio da
    Então, erguendo a voz, exclamou:           Na história santa da nossa salvação,      morte, fios de luz que vencem trevas...
«Bendita és tu entre as mulheres e ben-     os anjos têm sempre figura de gente,            Conseguem pôr-nos a Esperança em
dito é o fruto do teu ventre. E donde          confundem-se sempre com alguém,           carne viva, transformar a Esperança em
me é dado que venha ter comigo a mãe        porque são sempre alguém...                  carne viva, carne de gente, corpo de Ho-
do meu Senhor? Pois, logo que chegou           Não são aparições, são visitas... Não     mem... Dito e Feito...


     página oficial na Internet: www.fraternitas.pt * e-mail: direccao@fraternitas.pt * blogue: http://fraternitasmovimento.blogspo
l
         espiral                                                                                                                             9



      começam com anjos a entrar em cena
                                                                                                      Andemos de Esperanças


             Como um Verbo que vem do alto,          optimismo divino, mas é coisa que lhe         nho de festa que passa de mão em mão
             de onde a gente não chega com as        ocupa as entranhas e o comove por den-        para encher de alegria as suas vidas”...
        nossas próprias alturas, mas um Verbo        tro!                                              Mas ainda é cedo.
        que se aproxima de nós, um Verbo que             É um Deus de esperanças este que              Por agora, ele é dado, e lhe será dado,
        nos predica a vida, se nós deixarmos,        está connosco, que leva a vocação dos         por Myriam e por Deus, o que ele pre-
        um Verbo Dito e Feito...                     seus filhos no centro do seu coração, que     cisa para depois se dar ele mesmo...
             Que a tua Palavra se faça em mim!       vive e sofre a Felicidade dos seus filhos     como um Presente.
             É tão antiga esta história de uma Pa-   naquele centro vital onde geramos quem            Não há outra maneira de entrarmos
        lavra que se Faz, este Verbo Dito e Fei-     amamos e nos revolvemos de ternura            nesta cena, depois da saída do anjo, do
        to...                                        ou preocupação.                               que sentirmo-nos agraciados por um
                                                         O Deus de toda a Esperança é o            Presente.
           NARRADOR                                  Deus de esperanças que se dá a conhe-             O que será a belíssima narrativa de
           “Faça-se”, ecoava no Universo...          cer na história não contada nas crónicas      uma mulher virgem que fica de espe-
           “E Fez-se!”,                              dos poderosos, o Deus que passa como          ranças, senão a história encantada e bem
           desfiava surpreendido o narrador          vento beijando o ventre feminino do           contada de alguém que nós não poderí-
        deste Poema Criador que o Espírito ins-      mundo com olhos cheios de futuro...           amos gerar para nós mesmos?!
        pirou...                                                                                       Este menino não é obra da carne
           Que a tua Palavra se faça em mim...           NARRADORA I                               nem do sangue... é coisa de Deus!
           Benditas as pessoas que participam            E o anjo que entra em cena traz uma           Não é o anjo que o diz, não nos en-
        ainda da Criação de Deus em marcha!          palavra com Nome de gente...                  ganemos... será a sua vida depois a reve-
           E o anjo deixou-a... depois de                Yeshuah, o seu Nome será Yeshuah...       lar-nos este segredo tão bem guardado
        Myriam deixar...                                 Porque as visitas dos anjos que mu-       como a virgindade de uma donzela
                                                     dam a nossa vida são sempre horas chei-       nazarena...
           NARRADORA I                               as de nomes... Gabriel, Myriam, José,
           E o anjo sai de cena deixando-nos         David, Yeshuah, Isabel...                         NARRADOR
        face-a-face com uma donzela de espe-             A Palavra que se faz vida ou é Pala-          Toda a história de Deus connosco
        ranças.                                      vra que se faz gente ou é coisa nenhu-            se pode desfiar pelo fio condutor
           É extraordinário lançar o olhar so-       ma.                                           dos seus presentes, como um rosário
        bre a nossa história santa e perceber            Yeshuah será o seu Nome...                imenso em que as contas são dons, dá-
        quantas horas da Aventura de Deus con-           Vais-lhe dar o Nome que eu te dei...      divas de Deus aos seus filhos.
        nosco se contam pela boca de mulheres        dar o que te foi dado... como o Deus              E cada conta é um encontro, porque
        grávidas...                                  altíssimo lhe dará o trono do seu pai         cada dom é uma pessoa.
           Como se Deus mesmo nos quisesse           David...                                          Não há hipótese!
        conduzir ao útero mais íntimo da con-            Abram-se os nossos olhos ao circui-           Teríamos que mudar Deus para que
        dição humana e nos quisesse gerar aí para    to da dádiva que o anjo de Deus nos           as coisas fossem diferentes, porque Ele
        a nossa vocação mais definitiva.             abre, e perceba o nosso coração que           já nos mostrou que os seus presentes são
                                                     aquele menino de quem se fala está des-       sempre pessoas.
           NARRADORA II                              de o princípio tecido de uma dádiva.              Desde as entranhas de Abraão e Sara
           Nem Deus escapa de andar de es-               Será esse o sentido de toda a sua vida,       que as letras da história santa vêm
        peranças...                                  a sua razão de existir, o segredo mais        tropeçando em horas de nascimentos
           Ou não fosse tantas vezes repetida,       completo da sua identidade.                   impossíveis, entre velhas e estéreis... e
        na língua dos nazarenos, a bênção que            Viver como uma dádiva, tornar-se          sempre o tropeção das nossas impossi-
        vem das entranhas de Deus, das               um Dom.                                       bilidades recebe, como uma mão esten-
        Rahamim Yahvéh, as vísceras maternais            Esse menino, que há-de crescer em         dida, aquele “Mas Deus...” que é capaz
        do Deus Santo, o útero, o colo, o seio       estatura, sabedoria e graça, vai chegar à     de revolucionar a história e a pôr de
        materno do Deus bíblico...                   sua própria maneira de o dizer aos seus       novo a andar para a frente.
           Porque a Esperança de Deus para o         amigos mais próximos: “Como pão que               Porque renova o que deixámos en-
        mundo não é coisa teórica, não é um          se parte e reparte para todos, como vi-       velhecer e toca com o seu sopro o que


ot.com * e-mail: secretariado@fraternitas.pt * página oficial na Internet: www.fraternitas.pt * e-mail: tesouraria@fraternitas.pt
PB                                                                                                                            espiral




deixámos estiolar para que de novo flo-     proclamava o princípio do ano do jubi-         proclamar lá outras oito, no intróito
resça de esperanças.                        leu, e foi tocá-la percorrendo os quatro       belíssimo que dá o tom a todo o Ser-
    As respostas de Deus à nossa histó-     ventos do mundo.                               mão da Montanha, feito das notas e dos
ria são sempre pessoas, pessoas que são         Assim Deus tinha mandado:                  acordes capazes de fazer deste mundo
como presentes, pessoas impossíveis de          “Tocarás a trombeta no princípio do        um Mundo Outro, assunto sempre mais
fazermos nascer por nós mesmos, gen-        Tempo do Jubileu, para proclamar a             importante que os do “Outro Mundo”...
te que passa pelo mundo por causa da        Libertação a toda a terra!”
teimosia de Deus em amar-nos e estar                                                           NARRADORA II
connosco.                                       NARRADOR                                       A moldura é encantada...
    Não é magia...                              Um dia, aquele menino, já homem                Duas mulheres de esperanças, face a
    É a maneira como vivem depois a         feito, há-de dizer a todos que ouviu este      face, a sós...
sua vida que dá estas explicações todas,    som jubilar no mais íntimo de si e das             Na Hora de partilhar a alegria máxi-
é a maneira como se comportam neste         dores do mundo, quando na sinagoga             ma da vida e do futuro.
mundo de Deus e dos Homens que              da sua aldeia disser que ele está para anun-       Duas mulheres de esperanças, eis o
descobre o segredo da sua origem...         ciar uma Boa Notícia aos pobres, dar a         quadro em que é pintado o Hino da
    Quase como os anjos: é por aquilo       liberdade aos aprisionados e proclamar         grande mudança, aquele Magnificat que
que deixam semeado nos passos do ca-        o Ano da Graça do Senhor.                      não serve para repetir dolentemente nas
minho que depois chegamos a perceber            Ah... não nos custasse a nós tanto         vésperas monocórdicas da religião mas
de onde vieram.                             acreditar nestas coisas e veríamos os cam-     para reacendermos a Esperança de cada
                                            pos a despontar milagres!                      vez que quase extinguimos o Espírito,
    NARRADORA II                                                                           para abrirmos o nosso olhar ao tama-
    E este menino, Yeshuah, este Presen-       NARRADORA I                                 nho da Promessa de Deus, aquele que
te de Deus, vem de longe...                    Cuidado com as histórias que come-          Se compromete naquilo que promete.
    “Deus lhe dará o trono do seu pai       çam com anjos a entrar em cena!                    E, quem sabe, tomarmos parte no
David... e será chamado Filho de Deus...”      Porque dão-nos vida tal que nos en-         desígnio... entregarmos as mãos para a
    A jovem está desposada com um           che a casa, porque nos põe em pressas...       tarefa de Deus...
homem chamado José, e o pai da crian-          Eles entram e abrem as portas fe-
ça é um David?!                             chadas, mas ao sair não as voltam a fe-           NARRADORA I
    A que tamanhas lonjuras nos leva o      char.                                             Não é hora de homens, esta!
cordão umbilical desta palavra dita e          As portas que deixamos que eles                Não é hora de regras patriarcais, não
feita no ventre de Myriam, a ponto de       abram, ficarão para sempre abertas, para       se quer voz grossa nem corpo
ser chamada filho de uma Promessa,          nós podermos sair por elas, para nós           musculado.
aquela dita a David, e filho daquele que    mesmos nos pormos nas pressas da                  Esta é hora de mulheres... mulheres
a fez, Deus mesmo.                          palavra que nos trouxeram...                   impregnadas por uma palavra,
    Há pessoas que vêm de tão longe,           Como aquela jovem Myriam que foi            emprenhadas por uma promessa, ges-
de tão fundo, que não temos melhor          às pressas em direcção à montanha,             tantes de um sonho infinitamente maior
maneira de contar a sua vida do que         como se perseguisse o anjo que já anda-        que elas, porque é sopro actuante de
dizer que só podem vir de Deus, do          va pelos montes a proclamar o Tempo            Deus mesmo...
seu coração e das entranhas maternais       da grande Libertação, a Hora Divina da
onde nos tem chamados a todos...            Revolução Salvadora do Mundo!                      NARRADORA II
    E por vir de tão longe que o seu           E entrou ela em casa de Isabel... agora         O Hino de uma Nova Humanidade
cordão umbilical se liga às esperanças      o anjo que visita não se chama mais            é hora de gestantes.
mais antigas, e por vir de tão perto que    Gabriel, chama-se Myriam. Porque os                E que maneira melhor para ver isso
a sua carne é plasmada nas entranhas de     anjos fazem-nos sempre isso...                 senão dentro da moldura de duas mu-
Deus que nos envolve a todos, a pro-                                                       lheres de esperanças trocando alegrias?
messa a que dá corpo e a esperança que          NARRADOR                                       O Mundo Novo que anda a ser
põe em carne viva é coisa grandiosa...          Felizes os que acreditam que o que         anunciado pela trombeta jubilar de Ga-
    O anjo saiu de cena porque tinha        Deus diz se cumpre e realiza!                  briel nasce da Fé profunda de um Deus
outros afazeres a seguir, ainda não tinha       Eis a primeira bem-aventurança do          que tem olhos capazes de pousar e na-
terminado a sua missão.                     tempo da Nova Aliança, a primeira de           morar a pequenez, aquela de todos os
    Foi pegar no shoffar, na trombeta       todas, muitos anos antes de o menino           pequenos e miguados da terra...
mais importante da história santa, que      se fazer homem e subir à montanha para             Nasce da experiência profunda de
l
espiral                                                                                                                              11




que Deus se mete connosco para nos             não está do lado dos que matam mas            perança, Justiça e Liberdade é a nossa
dar um Nome Novo.                              dos que morrem!                               matriz primordial, é o útero da nossa
   E, com todas as originalidades de               O clarão de luz que é este Hino do        Fé.
cada um, o Nome que Deus dá é sem-             Mundo Novo, gravado numa moldura                  Todos lá nascemos, por Cristo, com
pre: “Feliz”! Assim o percebeu tão bem         de mulheres de esperanças, faz-nos ver        Cristo e em Cristo, para o Projecto do
Myriam... “Todas as gerações me hão-           o sentido da Gloriosa Liberdade dos           Reino de Deus.
de dar esse Nome: Feliz”...                    Filhos de Deus para que estamos cha-              Todos somos gerados para aquela
   E bem o deve ter segredado ao seu           mados, uma Liberdade que se edifica           Esperança e para sermos filhos felizes
menino, enquanto se fazia moço, por-           na Valentia, mas nunca na força.              de tal Promessa.
que ele, naquela famosa montanha em
que proclamou o intróito deste Mundo               NARRADORA II                                  NARRADORA II
Outro, começou cada frase musical com              Há coisas que ficam melhor na boca            E não há outra maneira de viver que
esse tom: “Felizes... Felizes... Felizes...”   de quem tem outra vida dentro de si.          nos valha a pena...
Outro Nome não nos pode vir de Deus!               Porque fica mais à vista que não vem          Não há outra Fé senão a Esperança,
                                               de nós mesmos, vem de outro que nos           e não há outro caminho senão o Amor!
    NARRADOR                                   habita e nos empurra, e se gera em nós            Porque, se vivemos metidos no mis-
    Mas o Mundo Novo não nasce ape-            e nos distende até que não caiba mais,        tério de Deus que anima a história,
nas da Fé num Deus assim...                    até que aquela que lhe dá vida já não lhe     comportamo-nos como gente que vive
    Não apenas na Fé nele, mas na Fé           dê espaço, comece a ficar-lhe curta, e        Entre Tanto!!!
dele! E a Fé de Deus é a Justiça.              ele tenha que partir-se, parir-se, passar-        Entre um Princípio extraordinário de
    Por isso é que a Esperança de Deus         se para além de nós.                          Bondade e um Fim cheio de Lealdade
é a Liberdade.                                     As gestantes mostram melhor a Es-         da parte do nosso Deus.
    E Deus baralha e volta a dar, e os         perança, de Deus e dos Homens, por-               Vivemos Entre Tanto, meu Deus...
tronos ficam vazios, mas não são ocu-          que a Esperança é uma gestação é uma              E, entretanto, andemos de esperan-
pados por outros!                              vida que se leva dentro.                      ças!
    Servem agora para alimentar os bra-            Não é uma ilusão, um sentimento,              Deixemo-nos impregnar pela Verbo
seiros que aquecem a Fraternidade do           uma sensação... a Esperança, para fazer       de Deus que está activo na História do
Mundo!                                         a história andar p’ra frente, a Esperança     Mundo, Verbo dito e feito, e andemos
    As coroas dos reis e os ceptros dos        que faz que o mundo pule e avance, a          de esperanças...
poderosos servem agora como as das             Esperança com o timbre de Deus, há-               E Deus, que é cheio de ternura e rico
estátuas, para os pássaros pousarem en-        de sempre tornar-se alguém.                   em misericórdia, nos revelará, na hora
quanto cantam para nós, e não signifi-                                                       de nascermos por inteiro, que também
cam mais do que isso mesmo, poleiros               NARRADORA I                               nascerá tanto e tão novo de nós...
engraçados da graciosidade da criação.             É ali que o Espírito de Deus nos leva,
                                                   à Bem Aventurança e ao Hino pro-             NARRADORA I
   NARRADORA II                                clamado por duas mulheres de esperan-            Cuidado com as histórias que come-
   Mas atenção que não entrem homens           ças, para nos darmos conta de que to-         çam com anjos a entrar em cena!
nesta hora!                                    dos somos gerados para isso, para essa           Porque nos deixam as portas abertas
   É hora de mulheres de esperanças,           Liberdade e Futuro de Deus que há-de          ao mundo e o corpo emprenhado de
não preparadas para as armas nem para          por o mundo às direitas.                      uma Esperança em carne viva...
a força violenta, é hora da fragilidade            Todos lá nascemos, uns e outros, de
confiada e gestante, não entre aqui a          todas as raças, línguas, nações e credos...      NARRADORA II
vontade de lutar, que fiar-se de uma es-       podemos dizê-lo de novo, como os                 Ao sexto mês, o anjo Gabriel entrou
perança que nasça da bainha de uma es-         nossos antepassados de Israel...              na casa em que nós estamos e deu-nos a
pada é a mentira mais contada, e já tive-          “Todos lá nasceram...” mas já não         conhecer que aquele que pode tudo, ainda
mos tempo para aprender...                     falamos de Jerusalém mas de um novo           pode em nós coisas maravilhosas...
                                               monte Sião, aquele que no Apocalipse             Entretanto... que a tua palavra se faça
   NARRADORA I                                 será cantado em figura de mulher pres-        em mim.
   Nunca estará do lado da esperança           tes a dar à luz, uma Nova Humanidade,
quem estiver do lado da força.                 de esperanças, gestante do Sonho Pa-             Ámen
   Se dizemos que “a esperança é a últi-       ternal e Maternal de Deus.
ma a morrer” estamos a dizer que ela               Aquele Magnificat espantoso de Es-                                            FIM
PB                                                                                                     espiral


                 SANTO NATAL
                 SANTO NAT




                                                                                                                 | P.Ta Malmequeres, 4 - 3.º Esq | 2745-816 QUELU Z | E-mail: fernfelix@gmail.com
     Deus encarnou em Jesus Cristo o projeto
       que tem para o homem e a mulher
                                             Casal Reis Marq ues
                                                        Marq



                                                                                BemDito seja o Teu Nome
                                                                                BemDito        Teu
                                                                                  Santo, Senhor Jesus!
                                                                                    R/ Pelos séculos
                                                                                      dos séculos




                                                                                                                  Boletim de Fraternitas Movimento | Trimestral |
                                                                                                                                                            QUELU
                                                                                BemDito seja o Teu Nome
                                                                                BemDito        Teu
                                                                                  Santo, Senhor Jesus!
 Chegou sem ser espe-                                                               R/ Pelos séculos
           rado,                                                                      dos séculos
 veio sem ter sido con-
         cebido .                                                               BemDito seja o Teu Nome
                                                                                BemDito        Teu
Só a mãe sabia que era                                                            Santo, Senhor Jesus!
           filho                                                                    R/ Pelos séculos
   de um anúncio do                                                                   dos séculos
          sémen
  que existe na voz de
        um Anjo”
      (Erri de Luca)




                                                                                Evangelho de Lucas, 2, 12
                                                                                   O Mensageiro disse:




                                                                                                                   P.Ta
        Natal                                           Anuncio-vos,           todo Pov           grande
                                                       “Anuncio-vos, a vós e a t odo o Pov o, uma gr ande
                 Um Anjo imaginado                    alegria: - Nasceu-vos hoje, na cidade de David, um
             Um Anjo dialéctico, actual,                       Salvador                  Senhor.”
                                                               Salvador que é o Messias Senhor.”
      Ergueu a mão e disse: -é noite de Natal,




                                                                                                                                                            Redacção: Fernando Félix
                 Paz à imaginação!                                             Oremos
                    E todo o ritual                                         Senhor Jesus,
         Que antecede o milagre habitual                  Messias, diferente dos Messias esperados,
                Perdeu a exultação.                   Senhor, diferent
                                                                  erente      todos
                                                      Senhor, dif erent e de t odos os senhores conhecidos,
      Em vês de excelsos hinos de Confiança                                               poder,
                                                                    R ei, sem trono nem poder,
                 No Mistério Divino,                           Deus frágil, poderoso em Amor…
           E de mirra, e de incenso e oiro                Homem, como todos os homens nascidos…
           Derramados no presépio vazio
         Duas perguntas brancas geladas               Tu dás sentido NO VO à His tória TODA e às his tórias
                                                                     NOV     História TODA       histórias
                Como a neve que cai,                         de cada homem e de cada mulher…
               E breves como o vento
       Que entra por uma fresta, quezilento,            Seguir-te, transfigura tudo e tudo revoluciona.
                 Redemoinha e sai:
                  -à volta da lareira
                                                                                                                                  espiral




                                                      Em ti e por Ti aprendemos a balbuciar “a nossa vo-
             Quantas almas se aquecem                cação mais sublime que é a Esperança, e a nossa Fé
                   Fraternalmente?                   mais ver dadeir a que é o Amor, que conduz todas as
                                                           verdadeira
                                                            erdadeir           Amor,            todas
       Quantas desejam que o Menino venha                             coisas ao seu FIM…”
                Ouvir humanamente
          O lancinante crepitar da lenha?”            Faz de cada um de nós uma Benção, em Teu Nome.
                                                                                           Teu
                    Torga,
           (Miguel Torga, Natal de 1962)                                 R/ Amen!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Espiral 58
Espiral 58Espiral 58
Espiral 70
Espiral 70Espiral 70
Espiral 18
Espiral 18Espiral 18
Espiral 32
Espiral 32Espiral 32
Espiral 34
Espiral 34Espiral 34
Espiral 26
Espiral 26Espiral 26
Espiral 33
Espiral 33Espiral 33
Espiral 10
Espiral 10Espiral 10
Espiral 36
Espiral 36Espiral 36
Espiral 17
Espiral 17Espiral 17
Espiral 45
Espiral 45Espiral 45
Espiral 61
Espiral 61Espiral 61
Espiral 59
Espiral 59Espiral 59
Espiral 50
Espiral 50Espiral 50
Espiral 24
Espiral 24Espiral 24
Espiral 71
Espiral 71Espiral 71
Espiral 44
Espiral 44Espiral 44
Espiral 64
Espiral 64Espiral 64
Espiral 31
Espiral 31Espiral 31
Espiral 35
Espiral 35Espiral 35

Mais procurados (20)

Espiral 58
Espiral 58Espiral 58
Espiral 58
 
Espiral 70
Espiral 70Espiral 70
Espiral 70
 
Espiral 18
Espiral 18Espiral 18
Espiral 18
 
Espiral 32
Espiral 32Espiral 32
Espiral 32
 
Espiral 34
Espiral 34Espiral 34
Espiral 34
 
Espiral 26
Espiral 26Espiral 26
Espiral 26
 
Espiral 33
Espiral 33Espiral 33
Espiral 33
 
Espiral 10
Espiral 10Espiral 10
Espiral 10
 
Espiral 36
Espiral 36Espiral 36
Espiral 36
 
Espiral 17
Espiral 17Espiral 17
Espiral 17
 
Espiral 45
Espiral 45Espiral 45
Espiral 45
 
Espiral 61
Espiral 61Espiral 61
Espiral 61
 
Espiral 59
Espiral 59Espiral 59
Espiral 59
 
Espiral 50
Espiral 50Espiral 50
Espiral 50
 
Espiral 24
Espiral 24Espiral 24
Espiral 24
 
Espiral 71
Espiral 71Espiral 71
Espiral 71
 
Espiral 44
Espiral 44Espiral 44
Espiral 44
 
Espiral 64
Espiral 64Espiral 64
Espiral 64
 
Espiral 31
Espiral 31Espiral 31
Espiral 31
 
Espiral 35
Espiral 35Espiral 35
Espiral 35
 

Destaque

Espiral 56
Espiral 56Espiral 56
Espiral 13 14
Espiral 13 14Espiral 13 14
Espiral 13 14
Fraternitas Movimento
 
Espiral 38
Espiral 38Espiral 38
Espiral 54
Espiral 54Espiral 54
Espiral 53
Espiral 53Espiral 53
Espiral 60
Espiral 60Espiral 60
Espiral 55
Espiral 55Espiral 55
Espiral 20
Espiral 20Espiral 20
Espiral 30
Espiral 30Espiral 30
Espiral 28
Espiral 28Espiral 28
Espiral 19
Espiral 19Espiral 19
Espiral 43
Espiral 43Espiral 43
Espiral 27
Espiral 27Espiral 27
Espiral 41
Espiral 41Espiral 41
Espiral 15
Espiral 15Espiral 15
Espiral 16
Espiral 16Espiral 16

Destaque (16)

Espiral 56
Espiral 56Espiral 56
Espiral 56
 
Espiral 13 14
Espiral 13 14Espiral 13 14
Espiral 13 14
 
Espiral 38
Espiral 38Espiral 38
Espiral 38
 
Espiral 54
Espiral 54Espiral 54
Espiral 54
 
Espiral 53
Espiral 53Espiral 53
Espiral 53
 
Espiral 60
Espiral 60Espiral 60
Espiral 60
 
Espiral 55
Espiral 55Espiral 55
Espiral 55
 
Espiral 20
Espiral 20Espiral 20
Espiral 20
 
Espiral 30
Espiral 30Espiral 30
Espiral 30
 
Espiral 28
Espiral 28Espiral 28
Espiral 28
 
Espiral 19
Espiral 19Espiral 19
Espiral 19
 
Espiral 43
Espiral 43Espiral 43
Espiral 43
 
Espiral 27
Espiral 27Espiral 27
Espiral 27
 
Espiral 41
Espiral 41Espiral 41
Espiral 41
 
Espiral 15
Espiral 15Espiral 15
Espiral 15
 
Espiral 16
Espiral 16Espiral 16
Espiral 16
 

Semelhante a Espiral 49

Semeando dezembro 2010
Semeando dezembro 2010Semeando dezembro 2010
Semeando dezembro 2010
conceicaoborges
 
Irmão sol dezembro 2013 - online
Irmão  sol   dezembro 2013 - onlineIrmão  sol   dezembro 2013 - online
Irmão sol dezembro 2013 - online
Mauro Moraes
 
Livreto Novena Natal 2021
Livreto Novena Natal 2021Livreto Novena Natal 2021
Livreto Novena Natal 2021
Bernadetecebs .
 
Ta2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamentoTa2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamento
Armin Andreas Hollas
 
Semeando outubro 2010
Semeando outubro 2010Semeando outubro 2010
Semeando outubro 2010
conceicaoborges
 
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
Vanesa Silva
 
Espiral 48
Espiral 48Espiral 48
Semeando fevereiro 2011
Semeando fevereiro 2011Semeando fevereiro 2011
Semeando fevereiro 2011
conceicaoborges
 
Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019
Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019
Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
02 11 11
02 11 1102 11 11
Boletim esperança 20
Boletim esperança 20Boletim esperança 20
Boletim esperança 20
Robervaldu
 
Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017
Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017
Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017
Pery Salgado
 
Correio sinodal 20
Correio sinodal 20Correio sinodal 20
Correio sinodal 20
dvsqprod
 
Correio sinodal 20
Correio sinodal 20Correio sinodal 20
Correio sinodal 20
dvsqprod
 
Jornal agosto
Jornal agostoJornal agosto
Jornal agosto
saojosepascom
 
Fraternizar e Fraternitas novembro 2012
Fraternizar e Fraternitas novembro 2012Fraternizar e Fraternitas novembro 2012
Fraternizar e Fraternitas novembro 2012
scapolan
 
Boletim 556 - 05/11/17
Boletim 556 - 05/11/17Boletim 556 - 05/11/17
Boletim 556 - 05/11/17
stanaami
 
Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
Fernando Moraes
 
25-09
25-0925-09
09. comece caridade no mundo jovem - 11 e 12.2011
09. comece   caridade no mundo jovem -  11 e 12.201109. comece   caridade no mundo jovem -  11 e 12.2011
09. comece caridade no mundo jovem - 11 e 12.2011
comece
 

Semelhante a Espiral 49 (20)

Semeando dezembro 2010
Semeando dezembro 2010Semeando dezembro 2010
Semeando dezembro 2010
 
Irmão sol dezembro 2013 - online
Irmão  sol   dezembro 2013 - onlineIrmão  sol   dezembro 2013 - online
Irmão sol dezembro 2013 - online
 
Livreto Novena Natal 2021
Livreto Novena Natal 2021Livreto Novena Natal 2021
Livreto Novena Natal 2021
 
Ta2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamentoTa2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamento
 
Semeando outubro 2010
Semeando outubro 2010Semeando outubro 2010
Semeando outubro 2010
 
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
 
Espiral 48
Espiral 48Espiral 48
Espiral 48
 
Semeando fevereiro 2011
Semeando fevereiro 2011Semeando fevereiro 2011
Semeando fevereiro 2011
 
Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019
Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019
Edição n. 54 do CH Noticias - Dezembro/2019
 
02 11 11
02 11 1102 11 11
02 11 11
 
Boletim esperança 20
Boletim esperança 20Boletim esperança 20
Boletim esperança 20
 
Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017
Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017
Bezerra 40 - 4º trimestre de 2017
 
Correio sinodal 20
Correio sinodal 20Correio sinodal 20
Correio sinodal 20
 
Correio sinodal 20
Correio sinodal 20Correio sinodal 20
Correio sinodal 20
 
Jornal agosto
Jornal agostoJornal agosto
Jornal agosto
 
Fraternizar e Fraternitas novembro 2012
Fraternizar e Fraternitas novembro 2012Fraternizar e Fraternitas novembro 2012
Fraternizar e Fraternitas novembro 2012
 
Boletim 556 - 05/11/17
Boletim 556 - 05/11/17Boletim 556 - 05/11/17
Boletim 556 - 05/11/17
 
Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)Atraves do tempo (psicografia chico xavier   espiritos diversos)
Atraves do tempo (psicografia chico xavier espiritos diversos)
 
25-09
25-0925-09
25-09
 
09. comece caridade no mundo jovem - 11 e 12.2011
09. comece   caridade no mundo jovem -  11 e 12.201109. comece   caridade no mundo jovem -  11 e 12.2011
09. comece caridade no mundo jovem - 11 e 12.2011
 

Mais de Fraternitas Movimento

Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Fraternitas Movimento
 
catequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdf
catequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdfcatequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdf
catequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdf
Fraternitas Movimento
 
Sínodo-dos-Bispos-outubro.pdf
Sínodo-dos-Bispos-outubro.pdfSínodo-dos-Bispos-outubro.pdf
Sínodo-dos-Bispos-outubro.pdf
Fraternitas Movimento
 
POR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdf
POR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdfPOR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdf
POR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 73.pdf
Espiral 73.pdfEspiral 73.pdf
Espiral 73.pdf
Fraternitas Movimento
 
Aportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdf
Aportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdfAportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdf
Aportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdf
Fraternitas Movimento
 
espiral 48.pdf
espiral 48.pdfespiral 48.pdf
espiral 48.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 9.pdf
Espiral 9.pdfEspiral 9.pdf
Espiral 9.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 8.pdf
Espiral 8.pdfEspiral 8.pdf
Espiral 8.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 7.pdf
Espiral 7.pdfEspiral 7.pdf
Espiral 7.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 6.pdf
Espiral 6.pdfEspiral 6.pdf
Espiral 6.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 5.pdf
Espiral 5.pdfEspiral 5.pdf
Espiral 5.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 4.pdf
Espiral 4.pdfEspiral 4.pdf
Espiral 4.pdf
Fraternitas Movimento
 
espiral 3.pdf
espiral 3.pdfespiral 3.pdf
espiral 3.pdf
Fraternitas Movimento
 
espiral 2.pdf
espiral 2.pdfespiral 2.pdf
espiral 2.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 1.pdf
Espiral 1.pdfEspiral 1.pdf
Espiral 1.pdf
Fraternitas Movimento
 
Espiral 72.pdf
Espiral 72.pdfEspiral 72.pdf
Espiral 72.pdf
Fraternitas Movimento
 
220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese
220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese
220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese
Fraternitas Movimento
 
Rezar o Pai-Nosso em família
Rezar o Pai-Nosso em famíliaRezar o Pai-Nosso em família
Rezar o Pai-Nosso em família
Fraternitas Movimento
 
Historias de mulheres negras na Biblia
Historias de mulheres negras na BibliaHistorias de mulheres negras na Biblia
Historias de mulheres negras na Biblia
Fraternitas Movimento
 

Mais de Fraternitas Movimento (20)

Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 
catequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdf
catequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdfcatequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdf
catequeses do Papa Francisco sobre a oração.pdf
 
Sínodo-dos-Bispos-outubro.pdf
Sínodo-dos-Bispos-outubro.pdfSínodo-dos-Bispos-outubro.pdf
Sínodo-dos-Bispos-outubro.pdf
 
POR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdf
POR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdfPOR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdf
POR_Carta_aos_Bispos_Sinodo.pdf
 
Espiral 73.pdf
Espiral 73.pdfEspiral 73.pdf
Espiral 73.pdf
 
Aportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdf
Aportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdfAportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdf
Aportacion Moceop al Sinodo de la sinodalidad.pdf
 
espiral 48.pdf
espiral 48.pdfespiral 48.pdf
espiral 48.pdf
 
Espiral 9.pdf
Espiral 9.pdfEspiral 9.pdf
Espiral 9.pdf
 
Espiral 8.pdf
Espiral 8.pdfEspiral 8.pdf
Espiral 8.pdf
 
Espiral 7.pdf
Espiral 7.pdfEspiral 7.pdf
Espiral 7.pdf
 
Espiral 6.pdf
Espiral 6.pdfEspiral 6.pdf
Espiral 6.pdf
 
Espiral 5.pdf
Espiral 5.pdfEspiral 5.pdf
Espiral 5.pdf
 
Espiral 4.pdf
Espiral 4.pdfEspiral 4.pdf
Espiral 4.pdf
 
espiral 3.pdf
espiral 3.pdfespiral 3.pdf
espiral 3.pdf
 
espiral 2.pdf
espiral 2.pdfespiral 2.pdf
espiral 2.pdf
 
Espiral 1.pdf
Espiral 1.pdfEspiral 1.pdf
Espiral 1.pdf
 
Espiral 72.pdf
Espiral 72.pdfEspiral 72.pdf
Espiral 72.pdf
 
220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese
220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese
220083 lettera ai_sacerdoti_portoghese
 
Rezar o Pai-Nosso em família
Rezar o Pai-Nosso em famíliaRezar o Pai-Nosso em família
Rezar o Pai-Nosso em família
 
Historias de mulheres negras na Biblia
Historias de mulheres negras na BibliaHistorias de mulheres negras na Biblia
Historias de mulheres negras na Biblia
 

Espiral 49

  • 1. espiral da ANO xiII - fraternitas moviment N.º ternit vimento boletim da associação fraternitas mo vimento N .º 49 Outubro/DezEMBR o/DezEMBRO - Outubro/DezEMBRO de 2012 NATAL, TEMPO E ESPAÇO ESPA CUMPRIMENTOS DE SONHOS E DE CUMPRIMENTOS O Amor acredita (fé) sempre no melhor (esperança) caremos depressivos e pensaremos coisas do tipo: «O meu cônjuge é tão egoísta!», ou «Acho que sou amigo da pessoa «O amor tudo crê, tudo espera» (1 Coríntios 13, 7). errada». Nos corredores profundos e secretos do nosso coração, Algumas pessoas escrevem coisas detestáveis nesta sala, existe uma sala chamada Sala da Admiração. É para esta sala onde as queixas e censuras são ensaiadas para serem usadas que vão os nossos pensamentos quando nos deparamos com como argumento na próxima briga. E, por isso, o tempo na coisas positivas e encorajadoras. E, com frequência, gosta- Sala do Desdém destrói casamentos e amizades. mos de visitar esse lugar especial. O amor escolhe acreditar no melhor das pessoas e habita Eu creio que é nesta sala que Deus nasce para cada um e na Sala da Admiração. nós. Mais ainda, é nesta sala que Deus nos visita com os seus É o que faz Deus em relação a nós. anjos. Nas paredes da Sala da Admiração estão escritas palavras O Natal, em primeiro lugar, é o cumprimento do sonho gentis e frases que descrevem bons atributos do marido e/ou de Deus, que se aproxima, baixa, curva, para montar a sua da mulher, e/ou do próximo. Elas incluem características tenda no meio de nós, para habitar connosco. como “honestidade” e “inteligência”, ou frases como “traba- O Natal é o sonho divino do mundo novo, em paz e lho diligente”, “comida maravilhosa” ou “olhos bonitos”. São prosperidade, porque vivido numa fraternidade estendida a coisas que descobrimos sobre o cônjuge e sobre o próximo todas as franjas da sociedade, a todos os cantos da terra. que fica(ra)m gravadas na nossa memória. E Natal é o cumprimento dos nossos sonhos humanos, Quando pensamos nessas coisas, a admiração que nutri- pois Deus criou-nos com sede e ânseas Dele. Ou melhor, o mos pelo cônjuge e pelo próximo começa a aumentar. De que Deus quer é que Ele seja o nosso sonho, o melhor de facto, quanto mais tempo passarmos a meditar nesses atribu- todos os sonhos. Assim escreveu o padre José Tolentino de tos positivos, mais gratos somos para com os outros. Mendonça: “Queres saber de que cor são os sonhos de Deus? A maioria das coisas que guardamos na Sala da Admira- Volta a olhar o mundo pela primeira vez.” O sonho de Deus, ção foi escrita nas fases iniciais dos nossos relacionamentos. que há de ser o nosso, é a Sua glória, e a sua glória é que Resumem os aspectos de que gostámos no(a) amado(a) e nos vivamos em harmonia com Ele, entre nós e com toda a cri- amigos. E gostamos de passar muito e bom tempo nesta ação. sala… Jesus Cristo é dom, o presente, a prenda. Com que frequência visitamos essa sala especial? Haverá Vamos esperar - etimologicamente falando, do latim, outras salas a competir com ela? attendere (esperar), significa esticar-se para a frente - Jesus na É que também existe outro corredor no nosso coração Sala da Admiração. que leva à Sala do Desdém e, infelizmente, também visitamos Jesus vem trazer-nos a Salvação, a vitória da vida sobre a esta sala. morte, e da Esperança sobre o desespero. Nas paredes deste cubículo está escrito aquilo que o côn- Vamos acreditar em Deus e dar crédito uns aos outros, juge ou os amigos fazem e que nos deixa chateados e irrita- admirando-nos mutuamente naquilo que temos e somos de dos. Essas palavras foram escritas lá como resultado de frus- melhor. trações, sentimentos feridos e expectativas não correspondidas. Santo Natal! Se permanecermos muito tempo na Sala do Desdém fi- Fernando Félix
  • 2. PB espiral «Andemos de Esperanças» foi o tema do 33.º Encontro Nacional da Fraternitas tema “A esperança Com o tema “A esper ança como espírito de Babel e construamos comu- fio condutor na narrativa bíblica - Andemos de Esperanças!", decor- nidades de Pentecostes. reu, de 5 a 7 de outubro, no Semi- Em ambas as Orações se incluíram nário Redentorista Cristo-Rei, o preces espontâneas. 33º Encontro Nacional da Fraternitas Movimento. Do Serão – Tertúlia Orientou o encontro Foram-nos apresentados dois o P. e R ui Santiago, anf itrião. P. Rui anfitrião. jograis: “A Mulher na Igreja” e “Rezar a Participaram 57 pessoas, sendo Fé e a Esperança com os poetas”. (14 17 46 associados (1 4 casais, 17 indi- E não faltou do tal grupo da comu- viduais e a “benjaminha” Tita) e nidade, uma mulher “de esperanças”. Foi 11 não associados (1 casal e 9 individuais). uma bênção! Rostos novos? Sim, alguns com “(…) Só uma Fé Esperançosa é ca- IVA nos anos de idade. paz de gestos proféticos, verdadeiramen- te geradores de Revolução, Mudança, Urtélia Silva | Secretária Urtélia Silv Do cartão de boas-vindas desinstalação. Na Esperança podemos Para o 33.º Encontro Nacional da Com base no texto de Is. 11, 1 a afir- antever as transformações que a Fé nos Fraternitas, foi dirigido convite a padres mação: “Um Rei sem trono nem po- pede, porque levamos nos olhos a pai- dispensados e à espera de dispensa não der, um Messias diferente de todos os sagem Toda… e o caminho iluminado associados, com endereço eletrónico, e, messias esperados, um Senhor diferente pela certeza de que o Espírito de Deus, além destes, foram enviadas 55 cartas de todos os senhores conhecidos, em Princípio que paira sobre o caos e as pelos CTT. Destes, responderam 3, ten- Deus frágil… Poderoso em Amor”. águas, como eco, continua a percorrer a do comparecido um casal, residente em E cita José Tolentino de Mendonça:: História da Criação…” Vila Nova de Gaia, e Francisco Manuel “A Sua vinda testemunha Formariz, de Valbom (Gondomar) de- O que não sabíamos ainda: Eucaristia com a comunidade clarando: “Limitar-nos-emos a uma A nossa frágil humanidade Soube-nos a pedacinho de Céu. Foi amistosa visita à Fraternitas, que, since- É narração da autobiografia de célula de Vida Eterna. A Fraternitas foi ramente, apreciamos e estimamos.” Que Deus” apresentada a toda a comunidade cristã. pena! Não puderam comparecer! Retro- cederam 4 cartas; uma, devido a faleci- Dos “Louvores da Manhã” “Assuntos da Fraternitas” mento. Sábado - “Andar de Esperanças – Na tarde de sábado, tivemos um Houve um trabalho primoroso na horas de crise, horas de conversão. (…) momento para nos pensarmos como organização em Gaia, por parte do ca- Deus de todas as manhãs, que tens co- Fraternitas. Para além de algumas infor- sal sacerdotal António Carlos Reis e Gló- ração de Pai e entranhas de Mãe, revela mações específicas, a Glória partilhou o ria Marques, e do P.e Rui Santiago, na no mais íntimo de nós mesmos a lonjura envolvimento do casal na Pastoral preparação dos “Louvores da Manhã”, da Tua Palavra, desde o «Faça-se» pri- Carcerária, integrados num grupo da do serão (com a colaboração de um mordial aos « Novos Céus e Nova Ter- comunidade onde se inclui também o grupo da comunidade do CER - Cen- ra», para vivermos como quem anda de P. e Rui. Ofereceram-nos o cartão de tro de Espiritualidade Redentorista), esperanças e darmos testemunho da Tua apresentação, cujo desenho é de sua au- tudo acompanhado de materiais, juntan- Fidelidade.” toria, do qual se cita: “Fiamo-nos de uma do-se ainda um cartão plastificado dis- Domingo- “«Foi o Primeiro Dia» - Promessa feita pelo Deus de Jesus, um tribuído no acolhimento, com os dese- estamos numa Nova Criação - (…) Se- Deus com Coração de Pai e Mãos de nhos de autoria da Glória; e ainda mui- nhor de todas as manhãs pascais, reúne- Mãe, sempre capaz de nos Perdoar e to mais... nos de maneiras sempre novas nos tan- nos fazer Nascer de Novo para a Vida Seguem-se excertos, até por mui- tos cenáculos da nossa vida e da nossa e a Liberdade: «Eu faço novas todas as tos deles se enquadrarem neste tempo fé, e consagra-nos com o Espírito, para coisas!»”, afirmação esta que encima o de Advento/Natal: que também nós desobedeçamos ao arco-íris do desenho.
  • 3. l espiral 3 Houve uma proposta de sócia ( n.º E à despedida ficou e fica mais uma Rui Santiago, e claro, àqueles santinhos 112) - Maria Felícia R.B.H.R., viúva de vez, a nossa profunda GRATIDÃO anónimos da casa. Ao Pe. Rui foi-lhe lido José Henriques Ribeiro (falecido em àquele grupinho da comunidade (do e oferecido o mesmo poema: “Ser Pa- 16.10.2010), residente no Porto, convi- CER - Centro de Espiritualidade dre”, que os “Jovens de Cristo Sentido dada pelo casal Silveira (Angeiras /MTS), Redentorista) que colaborou em vários Único”, dedicaram ao Cónego Filipe de já participante no Encontro Nacional de tempos e momentos, ao casal sacerdo- Figueiredo, após a sua partida em 28 de abril de 2012. Bem vinda, mais uma vez! tal António C. Reis e Glória M., ao P.e novembro de 2003. Ecos de quem participou no 33.º Encontro Nacional da Fraternitas «Este fim de semana fez-nos MAIS IRMÃOS. Não tenho a menor dúvida! FOI MUITO, MUITO BOM!!! Porque o nosso Deus é bom! Só é BOM! A Esperança e a Fé Esperançosa dos Escrevam-me para o meu correio eletrónico, cujo endereço é Cristãos HOJE faz todo o sentido. Os acfgmm@portugalmail.pt e poderei deliciar-vos com os textos dos serões de Po- nossos olhos, se os quisermos abrir, têm esia e Fé... Também vos aconselho a visitar o blogue alimentado pelo P.e Rui e pela frente uma Paisagem feita da Fide- equipa do CER http://derrotar montanhas.blogspot.com, em particular o que lidade de um Deus que, no Antigo Tes- está no aquivo, na segunda semana de maio 2012. tamento ouve, vê, se compadece e des- Bom proveito!!! Se for possível, partilhai com todos... ce na defesa de um não-povo - os es- Glória Marques cravos... - e, no Novo Testamento, ouve, vê, se compadece e desce "rasgando o Todos saímos mais ricos do Encontro. céu" e reSuscitando para si e para nós, o De sexta-feira, 5, a domingo, 7 de outubro, o P.e Rui Santiago, missionário Filho Amado... Fidelidade absoluta dos redentorista, abriu-nos as Escrituras e fez o nosso coração arder com a memória dois... dos passos de Deus na História do mundo e na nossa história pessoal. Tendo na frente dos olhos a História Ele fez mesmo um gesto profético, ao apresentar a Fraternitas na missa domi- e as nossas Histórias pessoais, não po- nical vespertina para a comunidade cristã das Devesas. E também me convidou, na demos deixar de ver que é assim. A Fé e qualidade de presidente, a dar a conhecer o movimento. Depois, pediu licença ao a Esperança são a única resposta possí- diácono para que fosse eu a proclamar o Evangelho. vel da nossa parte. Para beber da sabedoria que nos transmitiu, acerca da Esperança como fio Glória Marques condutor da narrativa bíblica, todos lhe pedimos informações acerca dos seus blogues, onde faz, chamemos-lhe cursos bíblicos em vídeo e voz, e outro de espi- ritualidade: Algumas pessoas solicitaram o Poe- Estes são os blogues alimentados peki P.e Rui Santiago e pelo Centro de Espiri- ma que citei neste texto, aquando das tualidade Redentorista: despedidas dos trabalhos. http://abriu-lhesasescrituras.blogspot.pt No dia 28 de novembro de 2012 http://derrotarmontanhas.blogspot.pt perfez 9 anos que o PADRE Filipe de http://silenciosdoentardecer.blogspot.pt Figueiredo se despediu do meio de nós. http://aprenderaoolhar.blogspot.pt Vive agora o Céu plenamente. Vão gostar de ler, ouvir, apreciar as fotos... No artigo em sua memória, nas pá- Fernando Félix ginas seguintes, o poema está lá integra- do. E, porque a melhor memória é con- Ainda não sentei para digerir o encontro de Gaia. Entretanto posso afirmar tinuar a obra, continuemos a caminhar que foi memorável. Estou profundamente grato à Fraternitas, ao casal de Gaia, à pelas ruas da Esperança. E se tropeçar- comunidade que reúne na Capela dos Redentoristas, ao Padre Rui. Foi uma expe- mos nas pedras?!... Fernando Pessoa su- riência de fé que perdurará. Houve alegria, encontro, felicidade, bem-estar, inquie- gere-nos no poema "SER FELIZ": tação provocada pelo Espírito, interpelação da fé, caminhada para avançar. Os “Pedras no caminho? amigos que me acompanharam - o Emílio e o Quintas - sintonizam pelo mesmo Guardo todas, diapasão… um dia Joaquim Soares vou construir um castelo."
  • 4. PB espiral Em memória do padre Filipe Figueiredo (+ 28.11.2003) SER PADRE No dia 28 de novembro, perfezeram-se nove anos da partida do “insigne cabouqueiro e patrono da Fraternitas”. Homem Padre Seguem-se cinco registos para evocar a sua memória. Sacerdote de Deus, Urtélia Silva | Secretária Urtélia Silv ignorado de muitos, afrontado por alguns, Homenagem em Livro ao serviço de todos, O livro Cónego Filipe de Fugueiredo sempre pronto ao perdão. (1926- 2003)- Uma vida ao serviço dos ou- tros. Homenagem Vivencial da Fraternitas, Teu DOM pessoal com coordenação de Alípio M. Afon- é gratuito, so, editado em 2010, continua à venda, teu ritmo é de paz, quer na Fundação Cónego Filipe de Fi- apesar da incompreensão. gueiredo, quer através do secretariado. da Fraternitas. Preço 12 euros. Pedidos Toda a cruz a ecretariado@fraternitas.pt, ou pelos te- encontra teus braços meritórios lefones 239 001 605 ou 914 754 706. de crucificado. Toda a chaga o teu coração. Teu desprendimento Semana Cultural na terra natal Tributo em Évora é presépio nativo. A Fundação Cónego Filipe de Fi- “Deus quer, o homem sonha e a Tua entrega gueiredo (www.fcff.pt) e Estarreja, en- obra nasce – O título deste texto atri- oferta sem retorno. viou-nos um Convite de participação bui-se ao poeta Fernando Pessoa. E vem Teu celibato para a IX Semana Cultural, decorrendo a propósito, quando em Évora há um fecundidade integral. de 25 de novembro a 1 de dezembro, movimento para levantar um busto ao Teu coração citando-se de entre outras atividades: saudoso cónego Manuel Barros, lem- terra virgem da seara de Deus. “(…) apresentação do filme STOP brar o falecido cónego Filipe de Figuei- Teu corpo corpo MOTION das “Histórias de Vida” em redo, que deu início à obra que o cónego pão quotidiano consagrado. memória do Fundador e de todos aque- Manuel Barros recebeu e que valorizou Tua disponibilidade les que dão vida à história desta Institui- com o seu cunho pessoal e do número coragem de via-sacra. ção, culminando com a celebração da de pessoas voluntárias de que se ro- Tua cruz Eucaristia pelo Reverº Bispo de Aveiro, deou(…).” êxodo daqueles que, na Capela da Fundação.” In “A defesa”, carecidos de Amor, Évora, 30 de maio de 2003, buscam tranfigurar-se gentilmente enviado pelo casal Al- na Páscoa da Vida. berto J. e Clara de Jesus Marinho Testemunho do bispo amigo Féliz és tu, O Cónego Figueiredo homem frágil, Homem sereno e audaz 28 de novembro de 2012 que o sacrfício não recusas Conjugou a ousadia: Neste ANO da FÉ, e colocas sempra sobre o altar que a Fé deste HOMEM – Padre o pão nosso de cada dia Com Cristo perdeu o medo (Cónego) Filipe, seja para nós FAROL. pedido por Cristo ao Pai Bebeu o leite da paz Sendo ele tão devoto de Nossa Se- para os irmãos. No regaço de Maria.” nhora, adapto ligeiramente o que o gru- po juvenil exarou no final do poema: Jovens de Cristo Sentido Único D. Serafim Ferreira e Silva, «Neste Ano da Fé, que a Virgem Mãe Jornal S. BRAZ, Évora, Fátima, seja a nossa Medianeira eo refúgio do dezembro de 2003 26 de junho de 2010 nosso coração sacerdotal.»
  • 5. l espiral 5 Anthony Padovano, embaixador da Corpus, foi recebido pela Fraternitas francisc o francisco monteiro monteiro Anthony Padovano nidos não apenas em categorias tradici- padrões de autenticidade; um novo res- é padre dispensado, teólogo.. onais e canónicas, mas em termos das surgimento espiritual; secção de comen- Nasceu nos Estados Unidos. necessidades que requerem autonomia tários dos leitores. Foi presidente da associação de pa- e serviço pastoral. Quem desejar consultar as notícias dres dispensados norte-americanos, cha- A Corpus é definida pela tradição Ca- completas da Corpus (em inglês) pode mada Corpus, e atualmente é embaixa- tólica Romana e também pelos carismas aceder ao sítio na internet desta associ- dor da Corpus junto de organizações e decisões da consciência que o Espírito ação: www.corpus.org internacionais, como o movimento Nós inspira”. Somos Igreja, a Federação Internacio- Os presidentes da Corpus são mari- nal de Associações de padres dispensa- do e mulher, tal como os secretários da dos e a Plataforma Europeia para a Re- direção, os responsáveis pelo boletim de novação do Ministério Católico, orga- informação, pelos encontros e pela Co- nismo que foi formado a partir da Fe- munidade João XXIII. Além destes car- deração Internacional. gos, a Corpus tem ainda um tesoureiro, um embaixador, um coordenador da Gentileza do movimento NSI base de dados e dois encarregados do Anthony Padovano veio a Portugal portal na internet. para participar numa reunião do Movi- mento Nós Somos Igreja Internacional Movimento eclesial de fronteira (NSI), em Lisboa. O último boletim (chamado Corpus Dado que Padovano viu o seu re- Reports) de novembro/dezembro, abre gresso a New Jersey atrasado, por cau- com um artigo de Anthony Padovano sa do furacão Sandy, o movimento Nós intitulado “Ventos dominantes”, sobre Somos Igreja deu à Fraternitas a opor- o Concílio Vaticano II e a atualidade. tunidade de o conhecer. Por sua vez, a Padovano diz que no Concílio nas- Fraternitas brindou Padovano com um ceu um novo sentido de Igreja. O Espí- passeio pelos arredores de Lisboa. rito que impulsionou os participantes no Vaticano II está na Igreja também neste Apresentação da Corpus momento e opera das maneiras que A Fraternitas começou a estabelecer menos esperamos. contactos com a Corpus, que igualmente Na sequência da última reunião do nos pediu infor mações sobre a NSI Internacional, escreveu um artigo Fraternitas. intitulado “Organizar a esperança” de A Corpus define-se como uma “co- que publicaremos excertos no próximo munidade de fé que afirma um sacer- Espiral. dócio inclusivo radicado numa Igreja Outros títulos no boletim da Corpus Na CORPUS reformada e renovada. de novembro/dezembro são: o Vatica- temos o compromisso A Corpus disponibiliza não somen- no II já nos fez livres; mudar a Igreja de trabalhar para um sacerdócio te um ministério de serviço que é aber- exige vontade, competência e organiza- renovado de homens solteiros to aos diversos caminhos pelos quais as ção estratégica; memória dos nossos an- e casados, pessoas são chamadas autenticamente tepassados espirituais; os nossos Santos e por mulheres dedicadas por Deus, assim como também procu- patronos mais recentes (refere os mem- a servir a Deus ra colaboração sacramental ecuménica. bros da Corpus recentemente falecidos na comunidade A comunidade e o ministério são defi- com breves resumos das suas vidas); dos crentes.
  • 6. PB espiral Algumas informações do quarto trimestre Têm chegado naturalmente notícias ao secretariado que são sempre remetidas para a oração e, especialmente, para o altar nas eucaristias. Muitas têm permanecido só a esse nível. PROBLEMAS de SAÚDE como São Pedro não estava, descon- NASCIMENTOS Superabundam as notícias de sócios fiei e dei meia volta… direita .... Graças Alberto José Osório partilhou a do foro da saúde, cujos problemas e a Deus foi a volta certa .... graças …às grande alegria da paternidade - o Dinis dificuldades com as doenças se vão pro- vossas intercessões, representadas pelo nasceu em dia de Santa Helena, 18 de longando devido à idade. E seria Jacinto Gil e Irene, (...), e do P.e Figuei- agosto. infindável elencar essas maleitas. redo. Bendito seja Deus! Agora‚ ter Também nasceu o Vicente, neto da Alguns foram submetidos a in- muito cuidado! Muito obrigado por Maria Celeste P. Sampaio, em 13 de se- tervenções cirúrgicas com interna- tudo!” tembro, véspera do dia da Exaltação mentos hospitalares mais (ou menos) E, o mesmo Armando, no dia 23: da Santa Cruz. prolongados, solicitando alguma con- “Família Fratérnica Toda! Só duas lérias FALECIMENTOS tenção e muita oração – caso do Paulo para dizer que estou melhor do que Lu¡s Marques Henriques, de Faro, Eufr sio, em 5 de setembro, devido a quando me viram pós-faca e sobretu- comunicou-nos que a mãe da Maria problemas cárdio-circulatórios, com do após as duas urgências. Ainda ando Zulete tinha partido do seio dos seus internamento de 28 dias (dos quais 15 cansado e não aguento conversas lon- entes queridos, em 21 de setembro. em UCI) e do Armando M. Silva, em gas e com tendência para o 23 de outubro, do foro nefrológico. desequilíbrio...Se Deus quiser, irá ao sí- DESEMPREGO Mas estas notícias têm sido revestidas tio. Ontem, foi Dia de Acção de Gra- São provavelmente muitos os casos. de uma face brilhante irradiando muita ças nos EUA e, por causa da minha cos- Sabe-se de Maria José Bijóias M. (Téc- LUZ – no primeiro com o nascimento tela, celebrámos e com toda a razão: a nica em Marketing, residente em de uma neta e, no segundo, pelo carác- vossa presença e solicitude brilharam na Massamá), e de filhos e netos de associ- ter da pessoa, com muito bom humor. nossa celebração. Bem hajam, sempre ados (e de muitos não associados que Senão vejamos o fruto de algumas das pelo esmerado serviço! Abraços, do nos vão pedindo ajuda neste sentido; suas partilhas na primeira pessoa que Armando e Pamela.” menciono dois Técnicos Superiores do saberão bem saborearmos: E ainda, em 28 de outubro: “O ca- Serviço Social). Paulo Eufrásio: “Estou a recuperar sal Gil foi a Fátima buscar (e trazer) ou- devagarinho. Quis Deus que a Cármen tra “representação” da Fraternitas para DO ESTRANGEIRO escolhesse exatamente o dia em que o a visita hospitalar em Leiria. Já tinha re- João Tavares, e-moderador do avô saiu do hospital para também ela movido “a laje da tumba” para longe, MFPC/Brasil, vai enviando, em média, sair para este mundo incerto. É uma continuando a esperar em Esperança a dois artigos para o portal na internet da raparigona perfeitinha e linda. A Teresa resposta da provável editora para a pu- associação de padres casados do Brasil. e eu estamos muito felizes e orgulho- blicação do meu último livro Quem ma- Também podemos consultar: sos.” (...) “Ora o parto da filha Patrícia, tou a Laurissilvia?” www.padrescasados.org. estava previsto para a segunda semana A Manuel Viana Pereira foi-lhe reti- Da Argentina, chegou-nos mensa- de outubro, mas a Cármen nasceu em rado um rim. gem de António Limas, em 1 de de- 2 de outubro - Dia dos Santos Anjos Abílio Tavares Cardoso e Manuel zembro: “Muchas gracias por tenerme da Guarda! Paiva vão recuperando de pneumonias al tanto de la actividad de estos sacer- Armando Silva, dia 8 de novembro: de alguma gravidade. dotes argentinos. Los tempos del “Irmãos meus! (...), todos os fratérnicos! Jorge Ribeiro obteve, finalmente, o Espíritu Santo llegran a su debido Já estou de volta do hospital, a empur- resultado que há muito ansiava – o de- tiempo.” rar para cima a laje da tumba que, com saparecimento do trombo-coágulo ao Entrando em www.fmurquiza.com, duas estadias sucessivas nas urgências, nível da aurícula esquerda, por encontrá-lo-emos em emissão de rádio tentava deter-me. Passei o arco da ve- cardioversão elétrica efetuada recente- das 11h50 às 12h00h (hora da Argentina). lha pelos serviços com os habituais er- mente, após uma já distante fibrilalação ros que se fazem quando os médicos auricular. CORREIO não estão por perto, como a elimina- António Manuel Marques de Sousa Manuel Ferreira da Silva, que no dia ção dos fármacos cardíacos que me le- encontra-se ainda internado devido a 2 de dezembro, celebrou pela 94.ª vez o varam a vários colapsos. Cheguei …às uma pancreatite agravada por outros dom da vida, escreveu: “À estimada e portas do Hades (=há-des entrar) mas problemas, mormente cardíacos. querida Fraternitas (…). Com o nosso
  • 7. l espiral 7 melhor apreço, Manuel e Maria Cristina”. FRATERNITAS, no que concerne aos Internet. Decorreu ao longo de duas Clara de Jesus Marinho enviou um padres dispensados do seu minist‚rio semanas, de 16 a 30 de novembro. postal que se ilustra com a afirmação ordenado, que em outubro de 2011 era O tema do retiro foi «A Fé e os sen- “Que o nosso encanto pela vida nunca de 72,44 anos passou em outubro de tidos do novo evangelizador. «Tende em esmoreça”, adianta: “(...) Para si ficam 2012, para 73,50 anos. Continuemos a vós o mesmo sentir de Jesus” (Fil 2, 5). as nossas mãos abertas para receber esta interrogar-nos: “Qual ser o futuro da Era apresentada a reflexão, davam- flor. Que a ofereça ao Senhor. Fraternitas?”. se pistas de meditação, com música am- Contactando quem celebra o seu biente, e solicitava-se que, quem o dese- anivers rio, peço-lhe que ofereça uma AGRADECIMENTO jasse, partilhasse algum comentário.. pétala.” Em finais de setembro chegou-nos Como nem todos têm acesso à Enviou mais tarde outro postal com uma carta de D. Januário Torgal Ferreira, Internet, ou ainda não conhecem o a imagem “Gotas de Esperança”, e pa- a propósito da nota de solidariedade blogue da Fraternitas: http:// lavras como: “ (...) É nosso desejo, envi- publicada na última página do Espiral fraternitasmovimento.blogspot.pt, quem ar-vos desta vez, não pétalas, mas gotas n.º 48, de julho/setembro transactos: desejar pode pedir ao Fernando Félix de carinho e amizade, tão fortes na nos- “Li, sensibilizado, a última página do bo- que mande os textos através do correio sa Associação”, e o Poema do P.e M rio letim Espiral, no seu último número… normal. Os seus contactos estão na últi- Salgueirinho que se segue, solicitando, se A solidariedade expressa, contrariando ma página deste boletim. possível, a sua leitura na Tertúlia do Se- a nobreza da vossa intenção, volve-se em rão de sábado, dia 6 de outubro, no 33.º direcção à fonte, donde brotou! Só ma- DESAFIADOS NO ADVENTO Encontro Nacional, em Gaia: nifesta o espírito de fraternidade, a sen- Fernando Félix preparou também 40 sibilidade aos outros, a concepção, até desafios, um para cada dia da quadra “ESPERANÇA secular, do empenhamento pela cons- do Advento e Natal, a que deu o título Semeia a esperança nos teus caminhos trução do mundo, a atitude de cidada- “Viver o Advento e Natal como desa- pela palavra, pelo optimismo, nia diante dum país perfeitamente de- fio de crer, amar e esperar.” pela confiança. vastado! É inegável que quem assume O projeto inspira-se no texto de S. Há tantas almas arrasadas, destruídas, posições tem de coerentemente aceitar paulo sobre o Amor. porque ninguém gotejou résteas de luz as sequelas, próximas ou distantes, do Também estes desafios estão a ser nas trevas angustiantes das suas vidas. que testemunhou… Nunca se pode es- publicados no blogue da Fraternitas. perar nada. A solidão habitual dessas E, como é possível reuní-los num Cultiva apaixonadamente a esperança! instâncias é a paga e o bom salário. Os opúsculo, quem desajar recebê-lo, pode Por onde passes, deixa um rasto vossos associados bem conhecem a solicitá-los igualmente. de fogo vivo, de sabor a eterno. amargura de alguns desses momentos! Há tanto ânimo moribundo, tanta dor, Bem-hajam, irmãos e amigos. Pros- ORAÇÃO tanto desespero e tanto inferno… seguirei muito alumiado pelo vosso Neste Ano da FÉ‚, aceitai SENHOR exemplo! A verdade enche-nos a alma!” todas as dores e alegrias das associadas Dá força ao fraco, dá alento ao tímido, e associados da FRATERNITAS e ain- dá coragem aos que tombam por aí além, PARA VIVER O ANO DA FÉ da das pessoas não associadas que (mais vagueando, exaustos e sós, Em outubro, no início do Ano da ou menos) nos vão contactando, como sem rumo, sem certezas, sem ninguém. Fé, o presidente da Fraternitas, Fernan- gesto fraterno de comunhão na do Félix, deu a conhecer dois sítios na edificação do único bem que tudo o Dá esperança ao teu mundo desolado, internet que dão pistas para viver inten- mais nos traz por acréscimo: o REINO como farol em noite escura, samente esta iniciativa em comunhão DE DEUS. como bóia salvadora na tormenta, com todos os crentes: Em tempo de Advento e Natal, que como âncora firme em mar de escarcéus. http://anodafe2012.webnode.pt o nosso coração se torne humilde para www.facebook.com/annofede acolher o DEUS-MENINO que já veio, Agarra carinhosamente a esperança vem e há de vir. Como a mão escondida de Deus…” RETIRO NA INTERNET Em tempo de Natal, juntamos a nos- Não sendo total novidade, pois a sas vozes para cantar ALELUIA, por- P.e Mário Salgueirinho Fraternidade Missionária Verbum Dei que o Libertador fez-Se Carne e Verbo! costuma propô-los aos seus membros Em 2013, que Deus nos dê sempre ACERCA DE NÓS e amigos, Fernando Félix ofereceu aos a sua bênção e um ano com (mais) FÉ e A média da idade dos associados da sócios da Fraternitas um retiro na ESPERANÇA!
  • 8. PB espiral Cuidado com as histórias que -Centro Espiritualidade Redentorist orista CER -Centro de Espiritualidade Redent orista (G aia) NARRADOR aos meus ouvidos a tua saudação, o são estranhos, são amigos... Ao sexto mês, o anjo Gabriel foi menino saltou de alegria dentro de mim. Não pertencem a outro mundo, mas enviado por Deus a uma cidade da Feliz de ti que acreditaste, porque se vai ao mundo mais íntimo que nos habita... Galileia chamada Nazaré, a uma virgem cumprir tudo o que te foi dito da parte Não vêm de fora, mas do mais den- desposada com um homem chamado do Senhor.» tro que existe nas nossas andanças por José, da casa de David; e o nome da Maria disse, então: esta terra que nos esquecemos vezes de- virgem era Myriam. A minha alma glorifica o Senhor mais que é a Casa de Deus... Ao entrar na casa dela, o anjo disse- e o meu espírito se alegra no Deus que é Entra em cena um anjo... lhe: «Salve, ó cheia de graça, o Senhor a minha salvação. Qualquer história começada assim está contigo.» Ao ouvir estas palavras, Porque Ele pousou o Seu olhar na pe- há-de deixar-nos no colo um Dom ines- ela perturbou-se e perguntava de si pró- quenez da sua serva. gotável que só perceberemos verdadei- pria o que significava tal saudação. De hoje em diante, todas as gerações ramente muito tempo depois... Disse-lhe o anjo: «Maria, não temas, me hão-de chamar “Feliz”! Entra em cena um anjo... pois és toda graça diante de Deus. Hás- Aquele que pode tudo, pôde em mim Qualquer história começada assim de conceber no teu seio e dar à luz um coisas maravilhosas. há-de dar-nos de Presente uma Espe- filho, ao qual porás o nome de Yeshuah. O Seu Nome é “Santo”! rança capaz de nos levantar os olhos para Será grande e vai chamar-se Filho do A sua misericórdia se estende de gera- o impossível. Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o ção em geração sobre aqueles que jul- Como a Abraão, coitado, que na sua trono de seu pai David, reinará eterna- gam não o merecer. velhice foi inquietado por uma promes- mente sobre a casa de Jacob e o seu rei- Manifestou o poder do seu braço e dis- sa de anjo que o mandou levantar os nado não terá fim.» persou os soberbos. olhos do chão do seu acampamento Maria disse ao anjo: «Como será isso, Aos poderosos deitou-os abaixo dos para olhar o céu e o mandou pôr-se a se eu não conheço homem?» O anjo res- seus tronos e aos pequenos levantou-os! contar as estrelas. pondeu-lhe: «O Espírito Santo virá so- Encheu os famintos de abundâncias e E ele pôs... até que reconheceu que bre ti e a força do Altíssimo estenderá mandou embora os ricos com as mãos não as podia contar todas e lhe foi dito sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele a abanar. que a sua descendência seria ainda mais que vai nascer é Santo e será chamado Acolheu a Israel, seu servo, porque se numerosa. Filho de Deus. Também a tua parente lembra da sua misericórdia, a que tinha Entra em cena um anjo... Isabel concebeu um filho na sua velhice prometido aos nossos pais, a Abraão e E eles, de tão humanos e tão pouco e já está no sexto mês, ela, a quem cha- à sua descendência, para sempre. alados, só nos deixam perceber que mavam estéril, porque nada é impossí- eram anjos quando se despedem e nos vel a Deus.» Maria disse, então: «Do Se- NARRADORA I deixaram um dom, uma promessa, uma nhor eu sou uma serva. Que a tua pala- Cuidado com as histórias que come- esperança, uma possibilidade... uma in- vra se faça em mim.» E o anjo retirou- çam com a entrada em cena de um anjo! quietação que nos consola, uma conso- se de junto dela. Porque serão sempre histórias cheias lação que nos inquieta... Por aqueles dias, Maria pôs-se a ca- de Futuro... Coisas de Deus... e daqueles que são minho e dirigiu-se com pressas para a Não entram em cena para transmitir anjos e nos visitam nas horas mais insus- montanha, a uma cidade da Judeia. En- nada nem para manifestar nada, mas para peitas da vida... trou em casa de Zacarias e saudou Isa- deixar entre nós um Presente da parte bel. Quando Isabel ouviu a saudação de de Deus... NARRADORA II (entra só agora) Myriam, o menino saltou-lhe de alegria Os anjos não aparecem como apari- Cuidado com as palavras de um anjo! no seio e Isabel ficou cheia do Espírito ções, mas como visitas, e só percebe- Porque nos tecem e se entretecem Santo. mos isso quando eles nos deixam. dentro de nós, geram vida no seio da Então, erguendo a voz, exclamou: Na história santa da nossa salvação, morte, fios de luz que vencem trevas... «Bendita és tu entre as mulheres e ben- os anjos têm sempre figura de gente, Conseguem pôr-nos a Esperança em dito é o fruto do teu ventre. E donde confundem-se sempre com alguém, carne viva, transformar a Esperança em me é dado que venha ter comigo a mãe porque são sempre alguém... carne viva, carne de gente, corpo de Ho- do meu Senhor? Pois, logo que chegou Não são aparições, são visitas... Não mem... Dito e Feito... página oficial na Internet: www.fraternitas.pt * e-mail: direccao@fraternitas.pt * blogue: http://fraternitasmovimento.blogspo
  • 9. l espiral 9 começam com anjos a entrar em cena Andemos de Esperanças Como um Verbo que vem do alto, optimismo divino, mas é coisa que lhe nho de festa que passa de mão em mão de onde a gente não chega com as ocupa as entranhas e o comove por den- para encher de alegria as suas vidas”... nossas próprias alturas, mas um Verbo tro! Mas ainda é cedo. que se aproxima de nós, um Verbo que É um Deus de esperanças este que Por agora, ele é dado, e lhe será dado, nos predica a vida, se nós deixarmos, está connosco, que leva a vocação dos por Myriam e por Deus, o que ele pre- um Verbo Dito e Feito... seus filhos no centro do seu coração, que cisa para depois se dar ele mesmo... Que a tua Palavra se faça em mim! vive e sofre a Felicidade dos seus filhos como um Presente. É tão antiga esta história de uma Pa- naquele centro vital onde geramos quem Não há outra maneira de entrarmos lavra que se Faz, este Verbo Dito e Fei- amamos e nos revolvemos de ternura nesta cena, depois da saída do anjo, do to... ou preocupação. que sentirmo-nos agraciados por um O Deus de toda a Esperança é o Presente. NARRADOR Deus de esperanças que se dá a conhe- O que será a belíssima narrativa de “Faça-se”, ecoava no Universo... cer na história não contada nas crónicas uma mulher virgem que fica de espe- “E Fez-se!”, dos poderosos, o Deus que passa como ranças, senão a história encantada e bem desfiava surpreendido o narrador vento beijando o ventre feminino do contada de alguém que nós não poderí- deste Poema Criador que o Espírito ins- mundo com olhos cheios de futuro... amos gerar para nós mesmos?! pirou... Este menino não é obra da carne Que a tua Palavra se faça em mim... NARRADORA I nem do sangue... é coisa de Deus! Benditas as pessoas que participam E o anjo que entra em cena traz uma Não é o anjo que o diz, não nos en- ainda da Criação de Deus em marcha! palavra com Nome de gente... ganemos... será a sua vida depois a reve- E o anjo deixou-a... depois de Yeshuah, o seu Nome será Yeshuah... lar-nos este segredo tão bem guardado Myriam deixar... Porque as visitas dos anjos que mu- como a virgindade de uma donzela dam a nossa vida são sempre horas chei- nazarena... NARRADORA I as de nomes... Gabriel, Myriam, José, E o anjo sai de cena deixando-nos David, Yeshuah, Isabel... NARRADOR face-a-face com uma donzela de espe- A Palavra que se faz vida ou é Pala- Toda a história de Deus connosco ranças. vra que se faz gente ou é coisa nenhu- se pode desfiar pelo fio condutor É extraordinário lançar o olhar so- ma. dos seus presentes, como um rosário bre a nossa história santa e perceber Yeshuah será o seu Nome... imenso em que as contas são dons, dá- quantas horas da Aventura de Deus con- Vais-lhe dar o Nome que eu te dei... divas de Deus aos seus filhos. nosco se contam pela boca de mulheres dar o que te foi dado... como o Deus E cada conta é um encontro, porque grávidas... altíssimo lhe dará o trono do seu pai cada dom é uma pessoa. Como se Deus mesmo nos quisesse David... Não há hipótese! conduzir ao útero mais íntimo da con- Abram-se os nossos olhos ao circui- Teríamos que mudar Deus para que dição humana e nos quisesse gerar aí para to da dádiva que o anjo de Deus nos as coisas fossem diferentes, porque Ele a nossa vocação mais definitiva. abre, e perceba o nosso coração que já nos mostrou que os seus presentes são aquele menino de quem se fala está des- sempre pessoas. NARRADORA II de o princípio tecido de uma dádiva. Desde as entranhas de Abraão e Sara Nem Deus escapa de andar de es- Será esse o sentido de toda a sua vida, que as letras da história santa vêm peranças... a sua razão de existir, o segredo mais tropeçando em horas de nascimentos Ou não fosse tantas vezes repetida, completo da sua identidade. impossíveis, entre velhas e estéreis... e na língua dos nazarenos, a bênção que Viver como uma dádiva, tornar-se sempre o tropeção das nossas impossi- vem das entranhas de Deus, das um Dom. bilidades recebe, como uma mão esten- Rahamim Yahvéh, as vísceras maternais Esse menino, que há-de crescer em dida, aquele “Mas Deus...” que é capaz do Deus Santo, o útero, o colo, o seio estatura, sabedoria e graça, vai chegar à de revolucionar a história e a pôr de materno do Deus bíblico... sua própria maneira de o dizer aos seus novo a andar para a frente. Porque a Esperança de Deus para o amigos mais próximos: “Como pão que Porque renova o que deixámos en- mundo não é coisa teórica, não é um se parte e reparte para todos, como vi- velhecer e toca com o seu sopro o que ot.com * e-mail: secretariado@fraternitas.pt * página oficial na Internet: www.fraternitas.pt * e-mail: tesouraria@fraternitas.pt
  • 10. PB espiral deixámos estiolar para que de novo flo- proclamava o princípio do ano do jubi- proclamar lá outras oito, no intróito resça de esperanças. leu, e foi tocá-la percorrendo os quatro belíssimo que dá o tom a todo o Ser- As respostas de Deus à nossa histó- ventos do mundo. mão da Montanha, feito das notas e dos ria são sempre pessoas, pessoas que são Assim Deus tinha mandado: acordes capazes de fazer deste mundo como presentes, pessoas impossíveis de “Tocarás a trombeta no princípio do um Mundo Outro, assunto sempre mais fazermos nascer por nós mesmos, gen- Tempo do Jubileu, para proclamar a importante que os do “Outro Mundo”... te que passa pelo mundo por causa da Libertação a toda a terra!” teimosia de Deus em amar-nos e estar NARRADORA II connosco. NARRADOR A moldura é encantada... Não é magia... Um dia, aquele menino, já homem Duas mulheres de esperanças, face a É a maneira como vivem depois a feito, há-de dizer a todos que ouviu este face, a sós... sua vida que dá estas explicações todas, som jubilar no mais íntimo de si e das Na Hora de partilhar a alegria máxi- é a maneira como se comportam neste dores do mundo, quando na sinagoga ma da vida e do futuro. mundo de Deus e dos Homens que da sua aldeia disser que ele está para anun- Duas mulheres de esperanças, eis o descobre o segredo da sua origem... ciar uma Boa Notícia aos pobres, dar a quadro em que é pintado o Hino da Quase como os anjos: é por aquilo liberdade aos aprisionados e proclamar grande mudança, aquele Magnificat que que deixam semeado nos passos do ca- o Ano da Graça do Senhor. não serve para repetir dolentemente nas minho que depois chegamos a perceber Ah... não nos custasse a nós tanto vésperas monocórdicas da religião mas de onde vieram. acreditar nestas coisas e veríamos os cam- para reacendermos a Esperança de cada pos a despontar milagres! vez que quase extinguimos o Espírito, NARRADORA II para abrirmos o nosso olhar ao tama- E este menino, Yeshuah, este Presen- NARRADORA I nho da Promessa de Deus, aquele que te de Deus, vem de longe... Cuidado com as histórias que come- Se compromete naquilo que promete. “Deus lhe dará o trono do seu pai çam com anjos a entrar em cena! E, quem sabe, tomarmos parte no David... e será chamado Filho de Deus...” Porque dão-nos vida tal que nos en- desígnio... entregarmos as mãos para a A jovem está desposada com um che a casa, porque nos põe em pressas... tarefa de Deus... homem chamado José, e o pai da crian- Eles entram e abrem as portas fe- ça é um David?! chadas, mas ao sair não as voltam a fe- NARRADORA I A que tamanhas lonjuras nos leva o char. Não é hora de homens, esta! cordão umbilical desta palavra dita e As portas que deixamos que eles Não é hora de regras patriarcais, não feita no ventre de Myriam, a ponto de abram, ficarão para sempre abertas, para se quer voz grossa nem corpo ser chamada filho de uma Promessa, nós podermos sair por elas, para nós musculado. aquela dita a David, e filho daquele que mesmos nos pormos nas pressas da Esta é hora de mulheres... mulheres a fez, Deus mesmo. palavra que nos trouxeram... impregnadas por uma palavra, Há pessoas que vêm de tão longe, Como aquela jovem Myriam que foi emprenhadas por uma promessa, ges- de tão fundo, que não temos melhor às pressas em direcção à montanha, tantes de um sonho infinitamente maior maneira de contar a sua vida do que como se perseguisse o anjo que já anda- que elas, porque é sopro actuante de dizer que só podem vir de Deus, do va pelos montes a proclamar o Tempo Deus mesmo... seu coração e das entranhas maternais da grande Libertação, a Hora Divina da onde nos tem chamados a todos... Revolução Salvadora do Mundo! NARRADORA II E por vir de tão longe que o seu E entrou ela em casa de Isabel... agora O Hino de uma Nova Humanidade cordão umbilical se liga às esperanças o anjo que visita não se chama mais é hora de gestantes. mais antigas, e por vir de tão perto que Gabriel, chama-se Myriam. Porque os E que maneira melhor para ver isso a sua carne é plasmada nas entranhas de anjos fazem-nos sempre isso... senão dentro da moldura de duas mu- Deus que nos envolve a todos, a pro- lheres de esperanças trocando alegrias? messa a que dá corpo e a esperança que NARRADOR O Mundo Novo que anda a ser põe em carne viva é coisa grandiosa... Felizes os que acreditam que o que anunciado pela trombeta jubilar de Ga- O anjo saiu de cena porque tinha Deus diz se cumpre e realiza! briel nasce da Fé profunda de um Deus outros afazeres a seguir, ainda não tinha Eis a primeira bem-aventurança do que tem olhos capazes de pousar e na- terminado a sua missão. tempo da Nova Aliança, a primeira de morar a pequenez, aquela de todos os Foi pegar no shoffar, na trombeta todas, muitos anos antes de o menino pequenos e miguados da terra... mais importante da história santa, que se fazer homem e subir à montanha para Nasce da experiência profunda de
  • 11. l espiral 11 que Deus se mete connosco para nos não está do lado dos que matam mas perança, Justiça e Liberdade é a nossa dar um Nome Novo. dos que morrem! matriz primordial, é o útero da nossa E, com todas as originalidades de O clarão de luz que é este Hino do Fé. cada um, o Nome que Deus dá é sem- Mundo Novo, gravado numa moldura Todos lá nascemos, por Cristo, com pre: “Feliz”! Assim o percebeu tão bem de mulheres de esperanças, faz-nos ver Cristo e em Cristo, para o Projecto do Myriam... “Todas as gerações me hão- o sentido da Gloriosa Liberdade dos Reino de Deus. de dar esse Nome: Feliz”... Filhos de Deus para que estamos cha- Todos somos gerados para aquela E bem o deve ter segredado ao seu mados, uma Liberdade que se edifica Esperança e para sermos filhos felizes menino, enquanto se fazia moço, por- na Valentia, mas nunca na força. de tal Promessa. que ele, naquela famosa montanha em que proclamou o intróito deste Mundo NARRADORA II NARRADORA II Outro, começou cada frase musical com Há coisas que ficam melhor na boca E não há outra maneira de viver que esse tom: “Felizes... Felizes... Felizes...” de quem tem outra vida dentro de si. nos valha a pena... Outro Nome não nos pode vir de Deus! Porque fica mais à vista que não vem Não há outra Fé senão a Esperança, de nós mesmos, vem de outro que nos e não há outro caminho senão o Amor! NARRADOR habita e nos empurra, e se gera em nós Porque, se vivemos metidos no mis- Mas o Mundo Novo não nasce ape- e nos distende até que não caiba mais, tério de Deus que anima a história, nas da Fé num Deus assim... até que aquela que lhe dá vida já não lhe comportamo-nos como gente que vive Não apenas na Fé nele, mas na Fé dê espaço, comece a ficar-lhe curta, e Entre Tanto!!! dele! E a Fé de Deus é a Justiça. ele tenha que partir-se, parir-se, passar- Entre um Princípio extraordinário de Por isso é que a Esperança de Deus se para além de nós. Bondade e um Fim cheio de Lealdade é a Liberdade. As gestantes mostram melhor a Es- da parte do nosso Deus. E Deus baralha e volta a dar, e os perança, de Deus e dos Homens, por- Vivemos Entre Tanto, meu Deus... tronos ficam vazios, mas não são ocu- que a Esperança é uma gestação é uma E, entretanto, andemos de esperan- pados por outros! vida que se leva dentro. ças! Servem agora para alimentar os bra- Não é uma ilusão, um sentimento, Deixemo-nos impregnar pela Verbo seiros que aquecem a Fraternidade do uma sensação... a Esperança, para fazer de Deus que está activo na História do Mundo! a história andar p’ra frente, a Esperança Mundo, Verbo dito e feito, e andemos As coroas dos reis e os ceptros dos que faz que o mundo pule e avance, a de esperanças... poderosos servem agora como as das Esperança com o timbre de Deus, há- E Deus, que é cheio de ternura e rico estátuas, para os pássaros pousarem en- de sempre tornar-se alguém. em misericórdia, nos revelará, na hora quanto cantam para nós, e não signifi- de nascermos por inteiro, que também cam mais do que isso mesmo, poleiros NARRADORA I nascerá tanto e tão novo de nós... engraçados da graciosidade da criação. É ali que o Espírito de Deus nos leva, à Bem Aventurança e ao Hino pro- NARRADORA I NARRADORA II clamado por duas mulheres de esperan- Cuidado com as histórias que come- Mas atenção que não entrem homens ças, para nos darmos conta de que to- çam com anjos a entrar em cena! nesta hora! dos somos gerados para isso, para essa Porque nos deixam as portas abertas É hora de mulheres de esperanças, Liberdade e Futuro de Deus que há-de ao mundo e o corpo emprenhado de não preparadas para as armas nem para por o mundo às direitas. uma Esperança em carne viva... a força violenta, é hora da fragilidade Todos lá nascemos, uns e outros, de confiada e gestante, não entre aqui a todas as raças, línguas, nações e credos... NARRADORA II vontade de lutar, que fiar-se de uma es- podemos dizê-lo de novo, como os Ao sexto mês, o anjo Gabriel entrou perança que nasça da bainha de uma es- nossos antepassados de Israel... na casa em que nós estamos e deu-nos a pada é a mentira mais contada, e já tive- “Todos lá nasceram...” mas já não conhecer que aquele que pode tudo, ainda mos tempo para aprender... falamos de Jerusalém mas de um novo pode em nós coisas maravilhosas... monte Sião, aquele que no Apocalipse Entretanto... que a tua palavra se faça NARRADORA I será cantado em figura de mulher pres- em mim. Nunca estará do lado da esperança tes a dar à luz, uma Nova Humanidade, quem estiver do lado da força. de esperanças, gestante do Sonho Pa- Ámen Se dizemos que “a esperança é a últi- ternal e Maternal de Deus. ma a morrer” estamos a dizer que ela Aquele Magnificat espantoso de Es- FIM
  • 12. PB espiral SANTO NATAL SANTO NAT | P.Ta Malmequeres, 4 - 3.º Esq | 2745-816 QUELU Z | E-mail: fernfelix@gmail.com Deus encarnou em Jesus Cristo o projeto que tem para o homem e a mulher Casal Reis Marq ues Marq BemDito seja o Teu Nome BemDito Teu Santo, Senhor Jesus! R/ Pelos séculos dos séculos Boletim de Fraternitas Movimento | Trimestral | QUELU BemDito seja o Teu Nome BemDito Teu Santo, Senhor Jesus! Chegou sem ser espe- R/ Pelos séculos rado, dos séculos veio sem ter sido con- cebido . BemDito seja o Teu Nome BemDito Teu Só a mãe sabia que era Santo, Senhor Jesus! filho R/ Pelos séculos de um anúncio do dos séculos sémen que existe na voz de um Anjo” (Erri de Luca) Evangelho de Lucas, 2, 12 O Mensageiro disse: P.Ta Natal Anuncio-vos, todo Pov grande “Anuncio-vos, a vós e a t odo o Pov o, uma gr ande Um Anjo imaginado alegria: - Nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Um Anjo dialéctico, actual, Salvador Senhor.” Salvador que é o Messias Senhor.” Ergueu a mão e disse: -é noite de Natal, Redacção: Fernando Félix Paz à imaginação! Oremos E todo o ritual Senhor Jesus, Que antecede o milagre habitual Messias, diferente dos Messias esperados, Perdeu a exultação. Senhor, diferent erente todos Senhor, dif erent e de t odos os senhores conhecidos, Em vês de excelsos hinos de Confiança poder, R ei, sem trono nem poder, No Mistério Divino, Deus frágil, poderoso em Amor… E de mirra, e de incenso e oiro Homem, como todos os homens nascidos… Derramados no presépio vazio Duas perguntas brancas geladas Tu dás sentido NO VO à His tória TODA e às his tórias NOV História TODA histórias Como a neve que cai, de cada homem e de cada mulher… E breves como o vento Que entra por uma fresta, quezilento, Seguir-te, transfigura tudo e tudo revoluciona. Redemoinha e sai: -à volta da lareira espiral Em ti e por Ti aprendemos a balbuciar “a nossa vo- Quantas almas se aquecem cação mais sublime que é a Esperança, e a nossa Fé Fraternalmente? mais ver dadeir a que é o Amor, que conduz todas as verdadeira erdadeir Amor, todas Quantas desejam que o Menino venha coisas ao seu FIM…” Ouvir humanamente O lancinante crepitar da lenha?” Faz de cada um de nós uma Benção, em Teu Nome. Teu Torga, (Miguel Torga, Natal de 1962) R/ Amen!