SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
Baixar para ler offline
E o verbo se fez carne
e habi�ou en�re nós!(jo 1, 14)
Palavra de Deus na vida do Povo
Palavra de Deus na vida do Povo
Subsídio para Reflexão nas Comunidades
Nº 4 - Ano XXXI - 2021
Diocese de São José dos Campos - SP
2
3
• ÍNDICE
Apresentação ....................................................................................04
Mensagem..........................................................................................05
Orientações Práticas ........................................................................06
Preparando para a Novena de Natal.................................................08
•	 1º Dia............................................................................................11
•	 2º Dia............................................................................................14
•	 3º Dia............................................................................................17
•	 4º Dia............................................................................................20
•	 5º Dia............................................................................................23
•	 6º Dia............................................................................................26
•	 7º Dia............................................................................................29
•	 8º Dia............................................................................................32
•	 9º Dia............................................................................................36
Música................................................................................................39
4
Eis que bate à porta o final de mais um ano difícil, marcado por
muitas perdas, muitas dores, nossos afetos foram abalados pela
força de um segundo ano de pandemia. Desta triste realidade, deve
brotar uma “Faísca de Deus” (Cf. Cântico dos Cânticos 8,6), ou seja,
no amor humano, uma faísca do infinito Amor de Deus. É com esse
espírito que convido todos a rezarem a novena de Natal da forma
mais conveniente para cada realidade de nossas comunidades es-
palhadas pela Diocese.
Na noite sombria de nossos corações deve brotar a esperança
como no tronco de Jessé (Cf. Is 11, 1). O povo que andava nas
trevas viu uma grande luz (Cf. Is 9, 2). O povo do AT, esperou com
enorme expectativa, o nascimento do Salvador. Nós já vivemos
esta realidade, porém, uma grande escuridão tem envolvido nosso
povo. O desemprego e a fome bateu à porta de milhares de irmãos.
Sim, nosso povo sofre, mas tem esperança do raiar de um novo dia.
Queremos rezar juntos esta novena, acender velas, montar o presé-
pio, cantar noite feliz, sonhar com um mundo mais fraterno, mais
humano, mais cheio de paz.
Querido povo de Deus, não se esqueçam jamais, que depois da
Encarnação, Nascimento de Jesus, Esperança é viver voltados para
“o encontro fraterno em entre nós” (Cf. Fratelli tutti). Sua presença
entre nós nos humaniza, nos faz ser o que somos: Água corrente
que sempre vai em direção ao mar, nunca para de correr apesar
dos obstáculos. Da nascente ao desembocar no mar, percorre uma
longa jornada de calmaria, de enchentes... Desejo a todos um feliz
e Santo Natal!
Padre João Alves Sobrinho
Diácono Vanderci José Sales
Assessores
• APRESENTAÇÃO
5
“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1, 14).
Somos chamados a anunciar a PESSOA DE JESUS, o Cristo de
Deus, sua Palavra e seu projeto de vida. Este é o grande desafio dos
tempos modernos.
O Natal é uma festa que nos enternece, pois lembramos o amor,
a criança, a família, o aconchego do lar, as cantigas de ninar, os pre-
sentes e tudo o mais. Mas o grande chamado que a Igreja nos faz,
é que além de celebrar tudo isso e valorizar todas estas realidades,
não deixemos de proclamar solenemente, com a vida, com nossas
palavras e atitudes que o “VERBO DE DEUS FEITO CARNE” continua
a contar conosco na tarefa de salvação do mundo e da história.
Assim como Deus, contou com Maria de Nazaré, para que nas-
cesse o “Emanuel”, assim conta conosco para que Jesus Cristo
continue a ser Anunciado, Seguido, Proclamado, Amado, Festejado
em nossas vidas e na vida de nossos irmãos e irmãs. O compromis-
so com Jesus Cristo e seu Evangelho é inadiável.
O Verbo se fez carne para salvar-nos, reconciliando-nos com
Deus. O verbo se fez carne para que conhecêssemos o amor de
Deus. O verbo se fez carne para ser nosso modelo de santidade. O
verbo se fez carne para tornar-nos participantes da natureza divina.
Santo Atanásio nos diz que “...o Filho de Deus se fez homem para
nos fazer de Deus”. Esta é a nossa alegria. Esta é a grande notícia
que devemos cultivar e anunciar.
Nós, com Maria de Nazaré e São José, podemos colaborar com
a obra salvífica de Deus, anunciando o seu Filho Unigênito, o Cristo
e Senhor de nossas almas e de nossas vidas. E na celebração do
Natal não podemos deixar de lembrar a importância e o valor da
Família.
Que o Santo Natal, que vamos vivenciar, nos encha de santa ale-
gria, por podermos celebrar a vida de nossa família, inserindo-a no
mistério da graça do Natal de Jesus.
Boa novena de Natal a todos os que vão utilizar dos subsídios
das CEBs da Diocese de São José dos Campos.
D. José Valmor Cesar Teixeira, SDB
Bispo Diocesano de São José dos Campos
• MENSAGEM
6
• ORIENTAÇÕES PRÁTICAS
(Para os dirigentes, animadores e coordenadores)
• O ano de 2021 continua sendo totalmente atípico, estamos
passando por situação não imaginada por todos. Mantivemos
nossa missão, fomos nos adequando e durante a Quaresma 2020,
iniciamos com grupos online que foram se multiplicando e assim
seguimos 2021.
• Como no ano anterior, indicamos, que os grupos que tiverem
dificuldade em como proceder para reuniões online, busquem infor-
mações com a Comissão Diocesana das CEBs, com a PASCOM de
suas paróquias e comunidades
• Recomenda-se que os encontros da Novena de Natal sejam
realizados em família, cada família em sua casa, nos grupos onli-
ne, cada um em sua casa ou conforme a orientação de cada setor,
comunidade.
Observação: de acordo com cada realidade, seguir a orientação
paroquial.
• Para uma boa preparação, ler antes os encontros para sanar as
dúvidas; verificar com antecedência os leitores e leitoras.
• A Bíblia é indispensável; deve estar presente em todos os en-
contros.
• Sugerimos este ano, como símbolo da novena 2021, uma ban-
deira branca, lembrando de intensificar nossas orações pela Paz e
uma manjedoura vazia, para orarmos pedindo a Deus o sentimento
que nos falta, para que este nos venha com o Nascimento do Me-
nino Jesus. O que esta nos faltando? Caridade? Amor? Perseveran-
ça? Justiça?
7
• Preparar, com criatividade, um símbolo da novena para estar
presente nos encontros.
Seguem algumas sugestões:
1 - Cortar papéis em formato de folha de árvore, para que os par-
ticipantes escrevam suas intenções e as depositem numa caixinha.
No último encontro, após a oração por essas intenções, queimar os
papéis;
2 - Coroa da Novena de Natal;
3 - Vela (grossa), decorada com enfeites de Natal;
4 - Presépio, sem a imagem do Menino Jesus até o 8º encontro;
5 - Escolher uma única música, para canto final em todos os
encontros;
6 - Ou outro símbolo, de acordo com a criatividade do grupo.
• A novena que apresentamos é apenas um roteiro, que pode e
deve ser enriquecido com a criatividade e a realidade da comuni-
dade.
8
• PREPARANDO PARA NOVENA DE NATAL
Orando com Nossa Senhora - Oração do Santo Terço
Dirigente: Estamos reunidos para prepararmos nossa Novena
de Natal. A Novena de Natal esquentará nosso coração para ce-
lebrarmos bem o nascimento de Jesus. Vai colocar-nos diante da
Palavra e da Vida. Fortalecerá nossa Comunidade. Para fazer com
que todos esses frutos sejam percebidos, “quem é que vou enviar,
quem irá de nossa parte?”
Todos: Aqui estou, envia-me! Tua alegria será a nossa força!
Dirigente: E todos vós, irmãos e irmãs, deixai que vossos cora-
ções se aqueçam, para que o medo, a tristeza, as injustiças, o ódio
e o desespero sejam dissipados com o nascimento de Jesus!
Todos: Senhor, aquece o nosso coração!
Dirigente: Peçamos ao Senhor, a Graça de transbordarmos amor,
para nós mesmos e para o próximo; de levarmos paz e esperança
na família, na comunidade, neste difícil tempo, em que as pessoas
estão feridas, machucadas, sofrendo ainda as muitas perdas e atra-
vessando inúmeras dificuldades.
Todos: Senhor, atendei a nossa prece.
Dirigente: Rezemos com Nossa Mãe, por todos nós, por nossa
novena. O Magistério da Igreja nos ensina e nós acreditamos: em
Maria, tudo se refere a Cristo e tudo depende dele. Nosso terço é,
portanto, ocasião maravilhosa para nos aproximarmos de Cristo, na
companhia de Nossa Senhora. Por meio dos mistérios da alegria,
ela nos traz no colo ou nos conduz pela mão para chegarmos ao
coração da Santíssima Trindade.
Todos: Creio em Deus Pai...
CANTO
1 º MISTÉRIO: Anunciação do Anjo.
Dirigente: Maria se encontrava em casa e em oração quando o
9
anjo Gabriel lhe dirigiu uma saudação especial: “Ave, Maria! Cheia
de graça”. É assim que o Pai nos quer encontrar também nos dias
de hoje. Empenhados em carregar a cruz da nossa história e aber-
tos à sua Palavra.
Todos: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a
tua Palavra.”
Leitor(a) 1: Rezemos o primeiro mistério por todas as pessoas
que se recomendaram à nossa oração. Se essas pessoas nos pedi-
ram é porque estão precisando.
(Lembrar os nomes das pessoas amigas e conhecidas pelas
quais vamos rezar.)
REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai.
2º MISTÉRIO: Visita a Isabel.
Dirigente: O primeiro efeito prático da resposta dada por Maria
ao Pai foi o serviço da ajuda e da caridade que ela foi prestar à pri-
ma grávida e já idosa. Esse é o caminho de todo aquele que recebe
Jesus em sua vida: ajudar os necessitados.
Todos: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do
teu ventre!”
Leitor(a) 2: Rezemos o segundo mistério gozoso pelo Brasil,
para que este país cresça de modo sustentável e ajude todos os
seus filhos, especialmente os mais pobres e abandonados.
(Lembrar o nome de pessoas e projetos que combatam a misé-
ria. Citar exemplos da comunidade, paróquia e diocese).
REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai.
3º Mistério: Nascimento de Jesus.
Dirigente: A cena da gruta de Belém continua a interpelar a hu-
manidade inteira. O próprio Deus se faz um de nós, nasce nos arre-
dores de uma cidade pequena e é acolhido por uma família pobre.
Para celebrar esse fato, não podemos desviar o olhar dos pobres e
abandonados deste mundo.
Todos: “Hoje nasceu o Salvador!”
10
Leitor(a) 3: Apresentemos como principal intenção desse ter-
ceiro mistério todas as crianças do mundo. Para que sejam prote-
gidas, conheçam Jesus e alcancem a felicidade.
REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai.
4º Mistério: Apresentação no Templo.
Dirigente: Maria e José levam Jesus para ser apresentado ao
Senhor. Cumprem um costume de piedade e nos ensinam a culti-
var a nossa fé respeitando a tradição da comunidade religiosa. No
Templo, a Sagrada Família encontra Simeão e Ana que revelam a
ela o duro caminho que seria percorrido pela criança que trazia nos
braços. O caminho de Jesus é o nosso caminho.
Todos: “Meus olhos viram a tua salvação.”
Leitor(a) 1: Rezemos por todas pessoas do mundo. Para que, a
exemplo do Salvador, sejam todos promotores da paz e testemu-
nhas do amor.
(Lembrar do Papa, dos bispos, dos padres e de outros líderes
religiosos.)
REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai.
5º Mistério: Reencontro com Jesus.
Dirigente: O menino Jesus se perde dos pais e fica no Templo
conversando com as pessoas que conheciam a Escritura. Maria e
José o reencontram e mesmo não compreendendo inteiramente o
que ele diz, a Mãe guarda tudo em seu coração. Nós somos chama-
dos a ter essa atitude em nossos dias: mesmo quando não enten-
demos perfeitamente somos chamados a meditar.
Todos: “Todos ficam extasiados com sua inteligência.”
Leitor(a) 1: Rezemos o último mistério da alegria e peçamos por
cada uma das famílias aqui presentes na oração do nosso terço e
por todas as outras que já participaram de nossa Novena.
(Lembrar o nome das comunidades, setores, etc.)
REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai.
11
PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, símbolos natalinos, ima-
gem de Nossa Senhora do Desterro.
ACOLHIDA
Dirigente: Amados irmãos e irmãs, é Natal! O verbo divino encar-
nou-se e mergulhou na história humana. Alegremo-nos e nos prepa-
remos para esta grande festa, participando com amor e com fervor,
nesta Novena de Natal.
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai e do Filho e
do Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma Mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido
da vida e a tirar proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
1°
1°
Dia
“Um Projeto
de Paz e
Misericórdia”
12
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: O mistério do Natal nos impõe uma dívida e uma obriga-
ção para com os demais seres humanos e para com todo o univer-
so criado. Nós, que vimos a Luz de Cristo, somos convidados, pela
grandeza da graça que nos foi dada, a tornar conhecida a presença
do Salvador até os confins da terra.
Leitor(a) 1: Em um acontecimento luminoso o Espírito Santo rea-
lizou em Maria a união da vontade divina com a vontade humana.
Maria gestou em sua carne o amor por excelência, deu à luz a Gran-
de Luz, o Sol da Santidade, Luz a qual o mundo não pode conter.
Maria tornou-se a Mãe do Amor.
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Deus, o Pai de Amor, não se cansa da humanidade, ao
enviar Teu Filho Jesus Cristo ao mundo, inicia-se um novo tempo.
“Vem o tempo de Paz e Misericórdia.”
Canto de acolhida a Palavra de Deus.
Leitura: Lucas 1, 26-38
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
13
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: Maria se faz presente como representante da comuni-
dade dos pobres, dos desafortunados, dos sem voz e vez, mas que
esperavam por libertação em Deus.
a - Releia os versículos 28 a 31 e comente.
b - Inspirados em Maria, como podemos vencer o medo que hoje
domina tantos corações?
c - O quanto o silencio, como o de Maria, é transformador?
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: Que o Espírito Santo que agiu em Maria, possa agir em
cada um de nós para que possamos com a sua Luz impulsionar um
novo tempo na vida das comunidades.
TODOS: Vinde Espírito Santo, e ajuda-nos a sermos cooperadores
do Reino de Deus.
Dirigente: Deus, Pai de amor, que nos enviou seu filho Jesus Cristo
por Maria, cumulada de graças por Vós, dá-nos a graça de partici-
parmos de seu projeto de Paz e Misericórdia. Amém!
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto, a caridade. Vamos nos
organizar dentro do possível para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Deus de amor e de bondade livra-nos da acomodação e a
exemplo de Maria, possamos participar na construção de um mun-
do mais fraterno, redescobrir o que é essencial para a vida, para fa-
mília, para os amigos. Sermos sinais eficazes da Esperança. Amém!
8. CANTO FINAL
14
2°
2°
Dia
“Fé condição
para ver o
Projeto de
Deus”
PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, São José, Nossa Senhora,
manjedoura, animais, símbolos natalinos.
ACOLHIDA
Dirigente: Amados irmãos e irmãs, com muita alegria e alimenta-
dos pela nossa fé, vamos rezar o 2° dia da Novena de Natal.
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai e do Filho e
do Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma Mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido
da vida e a tirar proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
15
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: O mundo está aí, com toda a confusão de saberes e des-
saberes. Por isso importa revermos nossos pensamentos e atitu-
des, olhando para o “Menino” que dorme nas palhas, junto do boi e
do burro, acalentado pela mãe e pelo pai que aceitaram participar
da “fé” proposta pelo anjo.
Leitor(a) 1: Precisamos ter essa mesma fé para promover mudan-
ças no mundo e em nós mesmos. É a fé que toca em Cristo; é a fé
que o vê. Não é nosso corpo que lhe toca; os olhos de nossa natu-
reza não o veem. Alimentemos nossa fé para que não se percam
as outras virtudes que nos mantêm vivos: a esperança, o amor, a
coragem...
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Jesus Cristo não é apenas filho da história dos homens.
É o próprio Filho de Deus, o Deus que está conosco. O Deus que
vem salvar os homens. (Jesus = Deus salva)
Canto de acolhida a Palavra de Deus.
Leitura: Mateus 1, 18-25
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
16
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: Crescer na fé pressupõe um processo gradual, pois é
uma dimensão da pessoa que necessita tempo e exercício para seu
amadurecimento.
a - Releia os versículos 19-20-21 e comente.
b - O que nos falta para entendermos o projeto de Deus?
c - Que caminhos devemos percorrer para alcançar o amadureci-
mento na fé?
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: Iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir e parti-
lhar, elevemos a Deus nossas preces a nossa oração!
Todos: Acolhe o “Bom Deus” a nossa oração!
Dirigente: Pai boníssimo, ajuda-nos a assimilar Jesus, enfrentar os
desafios, compartilhar a dor do irmão; abrir-se ao diferente, ser pão
para o outro na concretude do Reino.
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto, a caridade. Vamos nos
organizar dentro do possível para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Ó Deus, sede generoso para com vossos filhos e filhas e
multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que repletos de fé,
esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamen-
tos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo.
Amém!
8. CANTO FINAL
17
3°
3°
Dia
“O Projeto
de Deus
nos pede
passagem”
PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, presépio, flores e enfeites
natalinos.
ACOLHIDA
Dirigente: Sejamos todos bem vindos ao 3º dia da nossa Novena de
Natal. É preciso que estejamos atentos ao Projeto de Deus e como
João Batista, prepararmos o caminho de Jesus.
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da
vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
18
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: O Natal também nos convida a refletir sobre a nossa
missão, assim como João Batista, que possamos ajudar o povo a
perceber a presença luminosa e consoladora de Jesus em nossas
vidas.
Leitor(a) 1: Como João Batista, somos chamados a fazer parte da
missão anunciando Jesus.
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Moisés pediu a Deus que fosse construído um taberná-
culo em forma de tenda, para que Deus pudesse habitar no meio do
povo (Ex 25, 8-9). E Deus se fez homem e habitou entre nós.
Canto de acolhida à Palavra.
Leitura: João 1, 1-9
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: Irmãos e irmãs, em Jesus foram realizadas as profecias
do Primeiro Testamento. Jesus fez morada entre nós, iluminando
nossas vidas e trazendo esperança.
a - O que mais lhe chamou atenção neste evangelho? Por quê?
19
b - “A Palavra veio para o que era seu, mas os seus não a recebe-
ram!” O que significa esta frase? Como isto acontece hoje?
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: Irmãos e irmãs, iluminados em nossa fé, aguardemos a
vinda do Senhor. Por isso, supliquemos que venha o seu Reino, re-
zemos:
Todos: Vem Senhor, libertar o seu povo!
Dirigente: Pedimos por todos que perderam amigos(as) e/ou pa-
rentes nesta pandemia, rezemos:
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos
organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Ó Deus fiel às promessas feitas ao seu povo em cada
tempo, nos mantenha em seu amor, vigilantes para o dia da vinda
de Jesus Cristo nosso Salvador. Amém!
Dirigente: A paz de Deus, que supera toda compreensão guarde
nossos corações e nossos pensamentos em Cristo Jesus, nosso
Senhor. Amém!
Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!
Todos: Para sempre seja louvado!
8. CANTO FINAL
Deus nos abençoe (Zé Vicente)
https://www.youtube.com/watch?v=VYRecZNhyak
20
4°
4°
Dia
“Uma
multidão
sem rumo e
sem vez”
PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, presépio, flores e enfeites
natalinos.
ACOLHIDA
Dirigente: Sejamos todos bem vindos ao 4º dia da nossa novena
em preparação ao Natal do Senhor. Que Deus Pai nos ilumine, e
com imensa alegria iniciemos invocando a Trindade Santa.
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da
vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
21
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: Jesus, nos inspira e nos impulsiona. Inspirar e impul-
sionar, impulsionar a partir da inspiração: isso é seduzir no melhor
sentido da palavra. A vida do Mestre é movida pela compaixão e, a
compaixão de Jesus está permeada de nobres sentimentos.
Leitor(a) 1: A compaixão deve desencadear em nós um movimento
que nos convoque a seguir Jesus e a nos identificarmos com Ele e
sua proposta de vida;
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Somos chamados aqui neste mundo a anunciar o Reino
de Deus, que a manjedoura nos compadeça e nos transforme em
promotores de paz.
Canto de acolhida à Palavra.
Leitura: Mateus 9, 35-38
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: Jesus continua passando entre nós e nos convida a estar
ao lado dos mais vulneráveis.
a - O que mais lhe chamou a atenção nesta leitura? Por quê?
b - Quem são os rostos (vulneráveis) sofredores de hoje?
22
c - Consideramos estar em uma multidão também sem rumo?
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: Como Igreja nem sempre temos adotado o estilo itine-
rante proposto por Jesus, ainda mais em tempos de pandemia. Que
Jesus nos ajude a acertar o passo para acompanhar a humanidade
sofrida, rezemos:
Todos: Que Jesus Menino nos ajude a viver o Natal!
Dirigente: Acolhe em Teu amor os que lutam pela justiça e prepa-
ram os caminhos de paz, rezemos:
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos
organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Ó Deus amigo da humanidade, pelos profetas anunciaste
ao mundo a vinda de teu Filho Jesus Cristo. Ajuda-nos a testemu-
nhar o seu nome e a perceber os sinais de sua vinda em nossa
história. Conforme a tua promessa, esperamos ver a plena manifes-
tação daquele que veio e sempre vêm para criar em nosso mundo,
novo céu e nova terra. Por Cristo, nosso Senhor, Amém!
Dirigente: O Deus da Paz enche os nossos corações de alegria e
que o seu Espírito, Mãe de ternura, nos mantenha na esperança e
no amor até a vinda de Jesus Cristo. Amém!
Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Todos: Para sempre seja louvado!
8. CANTO FINAL
Deus nos abençoe (Zé Vicente)
https://www.youtube.com/watch?v=VYRecZNhyak
23
5°
5°
Dia
“Um
caminho de
transcendência”
PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia, colcha de retalhos, vela, manje-
doura, flores.
ACOLHIDA: Irmãos e irmã sejam bem-vindos a este nosso encon-
tro! Estamos aqui reunidos para vivermos a fraternidade e a solida-
riedade, a justiça e a paz, tendo a casa do nosso coração, iluminada
pela Palavra de Deus, o Cristo que vem ao nosso encontro na man-
jedoura de Belém.
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da
vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
24
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: O nascimento é sempre fonte de esperança, é vida que
desabrocha, é promessa de futuro. E este Menino - Jesus - “nasceu
para nós” sem fronteiras, sem privilégios nem exclusões”.
Leitor(a) 1: Neste momento histórico marcado pela crise ecológica
e por graves desequilíbrios econômicos e sociais, agravados pela
pandemia de Covid 19, viver a fraternidade é o valor mais necessá-
rio do que nunca, baseada no amor real, capaz de compadecer-me
dos sofrimentos alheios, mesmo que o outro não seja da minha
família ou da minha religião.
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Neste Evangelho, Jesus nos exorta a nascer da água e do
Espírito para que possamos ver o reino dos céus. Nascer da água
e do Espírito é deixar-se purificar e governar por Ele, sepultando a
humanidade, os planos e a vontade própria.
Canto de acolhida à Palavra.
Leitura: João 3, 1-15
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
25
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: Nicodemos admira Jesus, mas não admite “nascer de
novo”, ou seja, não aceita abrir mão, dos privilégios de sua condição
de líder lhe proporciona.
a - A transparência é poder ver no outro, Deus nascendo da profun-
didade de seu coração. Comentem!
b - O que temos feito nesse tempo em acolhimento pelo sedento,
pelo nu e pelo faminto?
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: Irmãos e irmãs, iluminados em nossa fé, aguardemos a vin-
da do Senhor. Por isso, supliquemos que venha o seu Reino. Rezemos:
Todos: Vem, Senhor, vem, Senhor, vem libertar o seu povo.
Dirigente: Senhor, tu convocas todas as pessoas de boa vontade
para construir um mundo novo; ajuda-nos a lidar com os conflitos,
com as doenças, com as desesperanças por falta de Políticas Públi-
cas. Rezemos:
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos
organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: O Deus fiel às promessas feitas ao seu povo em cada
tempo, nos mantenha em seu amor, vigilantes para o dia da vinda
de Jesus Cristo nosso Senhor. Amém!
Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Todos: Para sempre seja louvado!
8. CANTO FINAL
26
6°
6°
Dia
“O Projeto
do mundo
contraria
o de Deus”
PREPARANDO O AMBIENTE: colcha de retalhos, vela, flores.
ACOLHIDA: Neste sexto dia da nossa novena, vamos colocar no
coração de Deus a vida dos pequenos e dos pobres, dos que são
explorados e gemem sob o peso de tantas opressões. Invocamos
hoje o Senhor como Libertador. Que possamos evangelizar pelo
anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos de Jesus.
1. ORAÇÃO INICIAL:
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da
vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
27
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: No Natal celebramos a Luz de Cristo que vem ao mundo
e Ele vem para todos, não só para alguns. Neste tempo de escu-
ridão e incertezas que estamos vivendo, aparecem luzes, realiza-
ções, anseios, esperanças e solidariedade.
Leitor(a) 1: O Natal costuma ser sempre uma ruidosa festa; entre-
tanto se faz necessário o silêncio, para que se consiga ouvir a voz
do Amor. Natal é você, quando se dispõe, todos os dias, a renascer
e deixar que Deus penetre em sua alma. Você é o instrumento de
Natal, quando chama, congrega, reúne.
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Para Jesus, ser pobre não é sinônimo de relaxado e des-
cuidado, é o sentido e o motivo da inserção e da missão da comu-
nidade de Jesus no meio dos pobres, que inaugura a Nova Aliança.
Canto de acolhida à Palavra.
Leitura: Marcos 10, 17-23
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: Jesus denuncia o sistema antigo que, em Nome de Deus,
excluía os pobres. Jesus anuncia um novo começo que, em Nome
28
de Deus, acolhe os excluídos.
a - Dar aos pobres é não viver só para si, é deixar de olhar apenas
os próprios interesses para alcançar os interesses de Deus e fazer
a Sua vontade. Comentem!
b - Você é o instrumento de Natal, quando chama, congrega, reúne.
Comentem!
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: Irmãos e irmãs. Deus se fez como um de nós. Por isso,
juntemos nossa voz à voz dos anjos para proclamar a sua glória.
Rezemos:
Todos: Glória a Deus no mais alto dos céus!
Dirigente: Fortaleça, Senhor, nossa esperança e nosso compromisso
na opção pelos pobres, nas lutas pela justiça, na causa do Evangelho.
Rezemos:
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos
organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Ó Deus de bondade, olha o teu povo reunido nesta nove-
na de Natal. Dá-nos a graça de acolher com muita alegria nosso Se-
nhor Jesus Cristo que vem anunciar em nossas vidas o mistério de
sua encarnação na humanidade. Por Cristo, nosso Senhor. Amém!
Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Todos: Para sempre seja louvado!
8. CANTO FINAL
29
7°
7°
Dia
“Proclamar
Jesus Cristo
como Senhor e
Amigo.”
PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia, vela, presépio.
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da
vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
30
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: Diante de Deus e de seus projetos para a humanidade,
sempre existiram aqueles que se colocaram ao seu lado, não como
meros ouvintes, mas assumindo posições em seu Amor.
Leitor(a) 1: Deus, ao enviar seu Filho Jesus Cristo a nós, desejou
que toda as pessoas o reconhecessem como “Caminho, Verdade
e Vida” (Jo 14, 6) e por Ele chegassem a uma consciência plena
desse caminhar salvífico. Jesus Cristo em sua vida terrena, deu aos
seus discípulos a oportunidade de descobrirem o seu Senhorio, en-
quanto se revelava Amigo fiel de todos. Só aqueles que aproximam
de Jesus Cristo, pela abertura a sua Palavra, conseguem reconhe-
ce-lo e firmemente segui-lo como Senhor e Amigo.
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: A Palavra de Deus é atual, envolvente, questionadora e
libertadora. Muito das vezes, não damos a devida atenção ao que
está sendo proclamado, até achamos bonita, mas não temos atitu-
de alguma diante dela. Tudo achamos muito complexo e difícil, até
que ela não é para nós, mas para aqueles da época de Jesus. Va-
mos nesse momento, nos esforçar para receber a Palavra de Deus:
Canto de acolhida à Palavra.
Leitura: João 6, 60-66
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: A fé em Jesus exige decisão - As palavras de Jesus pro-
vocam resistência e desistência até entre os discípulos. Muitos
conservam a ideia de um Jesus Rei, soberano e glorioso, não de
um Jesus sofredor e desprovido diante dos fortes daquele tempo
- “Muitos dos seus discípulos, ouvindo-o, disseram: “Isto é muito
duro! Quem o pode admitir?” (Jo 6, 60).
31
a - O nosso tempo é diferente do tempo de Jesus? Por quê?
b - As Palavras que ouvimos hoje, tem maior cobrança do que na-
quele tempo?
c - Você já disse não a Palavra de Jesus Cristo?
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: A vida definitiva se encontra justamente na condição hu-
mana de Jesus, que o Espírito Santo, sopro da vida, nos leve, ao
desejo de comungar sempre da Sagrada Eucaristia, Rezemos:
Todos: Que a Sagrada Família de Nazaré nos abençoe!
Dirigente: “Proclamar Jesus Cristo como Senhor e amigo”, exige fé
de decisão, que possamos ter resistência e não desistência para
caminhar com Jesus. Rezemos:
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos
organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Ó Deus, por amor criaste o homem e a mulher de maneira
maravilhosa e maravilhosamente ainda os renovaste pela vida de
Jesus. Olhe por todos nós que celebramos o Natal do Teu Filho e
faze-nos participar do Teu Reino, assim como Ele veio participar
conosco da nossa vida humana. Por Cristo Nosso Senhor. Amém!
Dirigente: A paz de Deus que supera toda compreensão guarde
nossos corações e nossos pensamentos em Cristo Jesus Nosso
Senhor agora e sempre. Amém!
Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Todos: Para sempre seja louvado!
8. CANTO FINAL
32
8°
8°
Dia
“O projeto de
Deus passa
pelas famílias”
PREPARANDO O AMBIENTE: Flores, Imagem de Nossa Senhora e
a Bíblia.
ACOLHIDA: Deus nos quer reunidos em oração, refletindo sua pala-
vra e abrindo nosso coração nossa mente para o seu reino aconteça.
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da
vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
33
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: “Na família é possível experimentar uma relação sincera
quando esta é uma casa de oração, quando os afetos são sérios,
profundos, puros, quando o perdão prevalece sobre a discórdia,
quando a dureza cotidiana da vida é suavizada pela ternura, mútua
e pela serena adesão a vontade de Deus...” (Papa Francisco em ho-
milia, anúncio Ano da Família, em 27/12/20)
Leitor(a) 1: Segundo o Coração de Deus, a família é um dos tesou-
ros mais importante, precioso, que precisa ser guardado, bem cui-
dado, pois é o alicerce da vida. ”A Alegria do Amor”, que se vive nas
famílias é também júbilo da Igreja. Apesar dos numerosos sinais de
crise no matrimônio - o desejo de famílias permanece vivo nas jo-
vens gerações. Como resposta a esse anseio, o anúncio que diz res-
peito à família é realmente uma Boa Notícia. (Amoris Laetitia, nº 01).
Leitor(a) 2: Também somos chamados, através da formação de
nossos filhos, a sermos exemplos de amor, entrega, testemunho,
fé e esperança. Recebemos do Pai Celestial a missão de criar cida-
dãos conscientes, solidários e éticos, conforme os ensinamentos
do Evangelho. Devemos ser aqueles que, como disse Jesus: erguem
34
casa sobre a rocha, para que ela não caia durante a tempestade.
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Neste 8º Dia da Novena o Evangelho de Lucas quer de-
monstrar o esquema promessa/cumprimento que Deus havia pro-
metido pelo anjo Gabriel a Zacarias: que Isabel, sua esposa, daria
a luz a um filho. O que Deus diz e promete, ele o cumpre. João
(Deus se compadece) é fruto da intervenção divina, que privilegia
os humildes e pequenos. Natal é tempo de compadecer-se e sentir
que além de nós, há uma multidão sedenta de amor, de carinho, de
assistência, de atenção - sedenta de Deus. Que sejamos portadores
da luz, acolhedores e vivamos a misericórdia que restaura os cora-
ções e promove a paz.
Canto de acolhida a Palavra.
Leitura: Lucas 1, 57-66
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque a mente e o coração)
4. MOMENTO DE PARTILHA
a - Comentar: S. João Paulo 2º convidou-nos a prestar atenção ao
lugar dos idosos na família...”Os idosos nos ajudam a perceber a
continuidade das gerações, com carisma e experiência de lançar
uma ponte entre elas”. (Familiaris Consortio, nº 27).
b - Nas relações familiares precisa-se de muita escuta. Diante dos
grandes desafios de nossa época devemos nos silenciar e nos colo-
car no lugar do outro, que enquanto pessoa merece ser ouvida ape-
sar de nossas convicções. Zacarias estava mudo, mas ouviu o apelo
de Deus e ficou do lado de Isabel e aí recuperou a fala. Comentar.
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES
Dirigente: Pai Santo, que sob o impulso do seu Espírito, as famílias
sejam sempre geradoras e acolhedoras da vida em seu seio, espe-
cialmente dos pobres e abandonados. Sendo ao mesmo tempo um
“santuário de amor”, também uma célula viva para transformar o
mundo. Rezemos:
Todos: Jesus, Maria e José, ouvi-nos e acolhei a nossa súplica.
35
Dirigente: Que as nossas famílias a exemplo da Família de Nazaré,
sejam portadoras e propagadoras da Palavra do Pai, da sua miseri-
córdia e justiça em nosso meio. Rezemos:
Dirigente: Que as nossas famílias sejam perseverantes na prática
das virtudes cristãs e abertas ao sofrimento dos irmãos que não
são respeitados em seus direitos trabalhistas e aos desemprega-
dos. Rezemos:
Dirigente: Que as nossas famílias sejam verdadeiros núcleos da
Verdade do Evangelho na construção de uma sociedade mais hu-
mana, solidária, justa e tolerante com as diversidades. Rezemos:
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos
organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Pode ser a Oração da Sagrada Família/ou
Dirigente: Senhor Jesus, possa cada família aprender de TI e de Tua
Família a obediência ao Pai e o serviço humilde à comunidade e aos
mais carentes. Amém!
Dirigente: Abençoe-nos Deus, Todo Poderoso, Pai, o Filho e o Espí-
rito Santo. Amém!
8. CANTO FINAL
36
9°
9°
Dia
“O Rei que
chega, pede
espaço de vez
em nossa vida”
PREPARANDO O AMBIENTE: Manjedoura, flores e Bíblia, vela.
ACOLHIDA
1. ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do
Espírito Santo.
Cantemos
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Nosso encontro vem iluminar!
Nossas famílias vem iluminar!
Nossa Igreja vem iluminar!
Nossa novena vem iluminar!
Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis)
Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a
Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma
oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis-
são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que
cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus
Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da
vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir
a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro
cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
37
Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...
Dirigente: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria...
Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus.
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Cantemos: Nossa novena será abençoada...
2. MOTIVAÇÃO
Dirigente: Hoje finalizamos com este encontro nossa novena, com
ela rezamos e refletimos a importância e necessidade de sermos
espaço da ação de Deus. Para que Deus possa agir o amor tem
que nascer e reinar, sejamos a manjedoura que acolhe Jesus, Deus
conosco, Emanuel.
Leitor(a) 1: “Habitavam numa terra de sombras, mas uma luz bri-
lhou sobre eles (Is 9,1). É o amor divino, o amor que transforma a
vida, renova a história, liberta do mal, infunde a paz e alegria. Natal,
manifestação da graça de Deus”.
Leitor(a) 2: “São Paulo chama Graça a vinda de Deus ao mundo.
Para nos dizer que é completamente gratuita, enquanto aqui na ter-
ra, tudo parece seguir a lógica do dar para receber, Deus chega de
graça. O seu amor ultrapassa qualquer possibilidade de negócio:
nada fizemos para o merecer, e nunca poderemos retribuí-lo.
3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS
Dirigente: Jesus é o Salvador, porque traz a libertação definitiva, é o
Messias, porque traz o Espírito de Deus e é o Senhor porque vence
todos os obstáculos.
Canto de acolhida à Palavra.
Leitura: Lucas 2, 1-14
(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
38
Encenação da Novena de Natal: de acordo com cada realidade.
4. MOMENTO DE PARTILHA
Dirigente: “Gloria a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos
homens por Ele amados.”
a - Qual é a Boa Notícia que esperamos hoje?
b - Os primeiros a receber a notícia do nascimento de Jesus foram
os pastores,” Eu anuncio para vocês a Boa notícia uma grande ale-
gria para todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vocês o
Salvador, que é o Messias, o Senhor”. Comentar.
5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO (PRECES)
Dirigente: A grande alegria anunciada aos pastores é verdadeira-
mente para todo o povo. Naqueles pastores, que santos não eram
certamente, estamos também nós, com as nossas fragilidades e
fraquezas. Deus veio habitar entre nós. Deus continua a amar a
todo homem, mesmo o pior. Hoje diz a mim, diz a Ti, a cada um de
nós: ”Amo-te e sempre te amarei”.
Todos: Por todo amor, gratidão Senhor!
Dirigente: Te agradecemos nosso Deus pelo dom da vida, por amar a
todos sem distinção, por ser o bem que brota em cada ser, rezemos.
Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria...
6. GESTO CONCRETO / AVISOS
Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes-
soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni-
dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos
organizar, dentro do possível, para ajudar com cestas básicas - no
pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na
compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico.
7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO
Dirigente: Senhor Deus vivo e verdadeiro, Trino e Uno, Senhor Deus
dos deuses, vós sois o Bem, todo o Bem, o sumo Bem. Amém!
Dirigente: Deus nos abençoe, e nos guarde mostre-nos sua face e
compadeça de nós. Amém!
8. CANTO FINAL
Noite feliz
39
MÚSICAS
40
1. Ó LUZ DO SENHOR
Ó Luz do Senhor que vem sobre
a terra; Inunda meu ser, perma-
nece em nós.
2. EM NOME DO PAI
Em nome do Pai. Em nome do
Filho. Em nome do Espírito
Santo. Estamos aqui. (2x)
Para louvar e agradecer, bendi-
zer e adorar, estamos aqui, Se-
nhor, a teu dispor. Para louvar e
agradecer, bendizer e adorar, te
aclamar, Deus trino de amor.
3. A PALAVRA QUE É LUZ
E nós vamos ouvir, a Palavra
que é Luz, e que vem nos unir.
1 - A palavra de Deus vem che-
gando no meio do povo.
2 - A palavra que traz boa nova e
renova a esperança.
3 - A palavra vai ser partilhada
partilhada em comunidade.
4. VAMOS OUVIR
1 - Vamos ouvir a Palavra de
Deus, que vem chegando, che-
gando. É ela a Palavra de Jesus.
Em toda Igreja vai se espalhan-
do.
2 - Com as palavras do Evange-
lho. Os oprimidos vão se liber-
tando. Ouvindo o que diz Jesus
Cristo. Toda gente vai cami-
nhando.
5. ESCUTA
Escuta, oh Israel, Javé teu Deus
falar. Escuta, oh Israel, Javé teu
Deus vai falar.
Fala, Senhor Javé, Israel quer te
escutar. Fala, Senhor Javé, Isra-
el quer te escutar.
6. EU VIM PARA ESCUTAR
Tua Palavra, Tua Palavra, Tua
Palavra de amor.
1 - Eu vim para escutar.
2 - Eu gosto de escutar.
3 - Eu quero entender.
4 - O mundo inda vai viver.
7. O MEU ESPIRITO CONDUZ
O meu Espírito conduz, quem
ouve a voz do Filho meu. Ale-
luia, aleluia, aleluia, aleluia!
Quem der testemunho de mim,
diante dos homens, dos tronos.
Não tema o que possa dizer,
que meu Espírito mesmo dirá.
8. A PALAVRA CHEGANDO
A Palavra de Deus vai chegan-
do, vai.
1 - É Jesus que hoje vem nos
falar.
2 - É a Palavra de Deus aos pe-
quenos.
3 - É a Palavra de libertação.
4 - Como o sol a brilhar no ho-
rizonte.
5 - É semente fecunda na terra.
41
9. ENVIA TUA PALAVRA
Envia tua Palavra, Palavra de
Salvação. Que vem trazer es-
perança, aos pobres libertação.
1 - Tua Palavra de vida é como a
chuva que cai, que torna o solo
fecundo e faz nascer a semen-
te; É água viva da fonte, que faz
florir o deserto. É uma luz no ho-
rizonte, é novo caminho aberto.
2 - Ela nos vem no silêncio, no
coração de quem crê, no cora-
ção dos humildes, que vivem
por teu poder. Aos fracos ela dá
força, aos pobres sabedoria, e
se tornou nossa carne; nasceu
da Virgem Maria.
10. Ó VEM, SENHOR
Ó vem, Senhor, não tardes mais,
vem saciar nossa sede de paz!
1 - Ó vem, como chega a brisa
do vento trazendo aos pobres
justiça e bom tempo!
2 - Ó vem, como chega a chu-
va no chão trazendo fartura de
vida e de pão!
3 - Ó vem, como chega a luz que
faltou só tua palavra nos salva,
Senhor!
4 - Ó vem, como chega a carta
querida bendito carteiro do rei-
no da vida!
5 - Ó vem, como chega o filho
esperado caminha conosco, Je-
sus bem-amado!
6 - Ó vem, como chega o liber-
tador das mãos do inimigo, nos
salva, Senhor!
11. ANUNCIAÇÃO
Tu vens, tu vens, eu já escuto
teus sinais.
1 - Na bruma leve das paixões
que vêm de dentro. Tu vens che-
gando pra brincar no meu quin-
tal. No teu cavalo, peito nu, ca-
belo ao vento. E o sol quarando
nossas roupas no varal.
2 - A voz do anjo sussurrou no
meu ouvido. Eu não duvido, já
escuto os teus sinais. Que tu vi-
rias numa manhã de Domingo.
Eu te anuncio nos sinos das ca-
tedrais.
12. NATAL É CONVERSÃO
Meu caro irmão, olha pra dentro
do teu coração, vê se o Natal se
tornou conversão e te ensinou
a viver.
1 - Chegou a hora de sonhar de
novo, de tornar-se povo e se fa-
zer irmão. Chegou a hora que
ligeiro passa de ganhar a graça
para a conversão.
2 - Chegou a hora de viver o
Cristo e acreditar que isto é se
tornar maior. Chegou a hora de
pensar profundo e perceber que
o mundo pode ser melhor.
3 - Será difícil tantas mãos uni-
das não fazer da vida um tempo
igual. Será difícil tanto amor e
42
afeto não tornar concreto o ges-
to do Natal.
13. MOMENTO NOVO
1 - Deus chama a gente pra um
momento novo. De caminhar
junto com seu povo. E hora de
transformar o que não dá mais.
Sozinho, isolado, ninguém é ca-
paz.
Por isso vem, entra na roda
com a gente, também.Você é
muito importante.
2 - Não é possível crer que tudo
é fácil. Há muita força que pro-
duz a morte. Gerando dor, tris-
teza e desolação. É necessário
unir o cordão.
3 - A força que hoje faz brotar a
vida. Atua em nós pela sua gra-
ça e Deus quem nos convida
pra trabalhar. O amor repartir e
as forças juntar.
14. ABRE TUA PORTA
Por que não respondes? Por
que tu te escondes? Impedes
Jesus de renascer! (2x)
1 - Abre tua porta que alguém
está batendo, abre tua porta
que alguém está nascendo, é
Jesus que vem a ti.
2 - Tira este manto que veste o
velho homem, tira da vida ideais
que te consomem, abre a porta
pra Jesus.
3 - Quando acolheres idosos e
crianças, pra cobri-los de paz e
de esperança, é Jesus que vem
a ti.
15. NESTA RUA
(melodia: Se esta rua fosse minha)
1 - Nesta rua, nesta rua este
ano, nós iremos, nós iremos ce-
lebrar. A chegada, a chegada do
Menino, que virá, que virá nos
libertar.
2 - Se você, se você acreditar,
no poder do Menino que virá.
Vai chamar todo povo desta
rua, pra melhor, pra melhor se
organizar.
16. NATAL É VIDA QUE NASCE
Natal é vida que nasce, natal é
Cristo que vem, nós somos o
seu presépio e a nossa casa é
Belém.
1 - Deus se tornou nossa grande
esperança, e como criança no
mundo nasceu. Por isso vamos
abrir nossas portas. A Cristo o
que importa é conosco viver.
2 - Ele assumiu nossa vida terre-
na, ao céu nos acena com ges-
to de amor. Veio a todos salvar
igualmente, queria somente ser
nosso pastor.
17. SENHOR, VEM SALVAR O
TEU POVO
1 - Senhor, vem salvar teu povo
das trevas da escuridão. Só Tu
43
és nossa esperança, és nossa
libertação. Vem Senhor! Vem
nos salvar, com teu povo vem
caminhar!
2 - Contigo o deserto é fértil, a
terra se abre em flor; Da rocha
brota água viva, da terra nasce
esplendor.
3 - Tu marchas à nossa frente,
és força, caminho e luz. Vem
logo salvar teu povo, não tardes,
Senhor Jesus.
18. NOITE FELIZ
1 - Noite feliz, noite feliz. Ó Se-
nhor, Deus de amor, pobrezinho
nasceu em Belém, eis na lapa
Jesus, nosso bem. Dorme em
paz, ó Jesus. Dorme em paz, ó
Jesus
2 - Noite feliz, noite feliz. Ó Je-
sus, Deus da luz: Quão afável é
teu coração, que quiseste nas-
cer nosso irmão. E a nós todos
salvar. E a nós todos salvar.
3 - Noite feliz, noite feliz. Eis que
no ar vêm cantar aos pastores
os anjos dos céus, anunciando
a chegada de Deus. De Jesus
Salvador. De Jesus Salvador.
19. SINO DE BELEM
1 - Hoje a noite é bela vamos a
capela, sob a luz da vela, felizes
a cantar. Ao soar o sino, sino pe-
quenino, vai um Deus Menino,
nos abençoar.
Bate o sino pequenino, sino de
Belém. Já nasceu o Deus Me-
nino, para o nosso bem.Paz na
terra pede o sino, alegre a can-
tar. Abençoa Deus Menino esse
nosso lar.
2 - Vamos minha gente, vamos
a Belém, vamos ver Maria e Je-
sus também. Já deu meia noi-
te, já chegou o Natal, já tocou o
sino lá na Catedral.
20. ESTOU PENSANDO EM DEUS
Estou pensando em Deus, es-
tou pensando no amor.
1 - Os homens fogem do amor, e
depois que se esvaziam, no va-
zio se angustiam e duvidam de
você, você chega perto deles,
mesmo assim ninguém tem fé.
2 - Eu me angustio quando vejo,
que depois de dois mil anos, en-
tre tantos desenganos poucos
vivem sua fé, muitos falam de
esperança, mas esquecem de
você.
3 - Tudo podia ser melhor, se
meu povo procurasse, nos cami-
nhos onde andasse pensar mais
no seu Senhor, mas você fica es-
quecido e por isso falta o amor.
4 - Tudo seria bem melhor, se
o Natal não fosse um dia e se
as mães fossem Maria e se os
pais fossem José. E se os filhos
parecessem com Jesus de Na-
zaré.
44
21. UTOPIA
Vai ser tão bonito se ouvir a
canção, cantada de novo. No
olhar da gente a certeza de ir-
mãos: Reinado do povo.
1 - Quando o dia da paz renas-
cer, quando o sol da esperança
brilhar, eu vou cantar. Quando o
povo nas ruas sorrir, e a roseira
de novo florir, eu vou cantar!
2 - Quando as cercas caírem no
chão, quando as mesas se en-
cherem de pão, eu vou cantar.
Quando os muros que cercam
os jardins, destruídos, então os
jasmins vão perfumar!
3 - Quando as armas da destrui-
ção, destruídas em cada nação,
eu vou sonhar! E o decreto que
encerra a opressão, assinado
só no coração, vai triunfar!
4 - Quando a voz da verdade se
ouvir e a mentira não mais exis-
tir, será, enfim. Tempo novo de
eterna justiça, sem mais ódio,
sem sangue ou cobiça: vai ser
assim.
22. DA CEPA BROTOU A RAMA
- CANTADO OU REZADO.
Da cepa brotou a rama, da rama
brotou a flor. Da flor nasceu
Maria, de Maria o Salvador.
1 - O espírito de Deus sobre ele
pousará, de saber, de entendi-
mento este espírito será. De
conselho e fortaleza, de ciência
e de temor. Achará sua alegria
no temor do seu senhor. Da
cepa brotou a rama, da rama
brotou a flor. Da flor nasceu Ma-
ria, de Maria o Salvador.
2 - Não será pela a ilusão do
olhar, do ouvir, falar. Que Ele ira
julgar os homens, como é pra-
xe acontecer... Mas os pobres
desta com justiça julgará e dos
fracos o direito Ele é que defen-
derá. Da cepa brotou a rama, da
rama brotou a flor. Da flor nas-
ceu Maria, de Maria o Salvador.
3 - A palavra de sua boca ferirá
o violento e o sopro de seus lá-
bios matará o avarento... A jus-
tiça é o cinto que circunda a sua
cintura e o manto da lealdade é
a sua vestidura. Da cepa brotou
a rama, da rama brotou a flor.
Da flor nasceu Maria, de Maria
o Salvador.
4 - Neste dia, neste dia, o incrível
o verdadeiro coisa que nunca se
viu morar lobo com cordeiro... A
comer do mesmo pasto tigre,
boi, burro e leão, por um meni-
no guiado se confraternizarão.
Da cepa brotou a rama, da rama
brotou a flor. Da flor nasceu Ma-
ria, de Maria o Salvador.
5 - Um menino uma criança
com as feras a brincar e ne-
nhum mal, nenhum dano mais
na terra se fará... Da ciência do
Senhor cheio o mundo estará
45
como o sol inunda a terra e as
águas enchem o mar. Da cepa
brotou a rama, da rama brotou
a flor. Da flor nasceu Maria, de
Maria o Salvador.
6 - Neste dia, neste dia, e Senhor
estenderá sua mão libertadora
pro seu povo resgatar... Estan-
darte para os povos o Senhor
levantará, a seu povo sua Igreja
toda a terra acorrerá. Da cepa
brotou a rama, da rama brotou
a flor. Da flor nasceu Maria, de
Maria o Salvador.
7 - A inveja a opressão entre
irmãos acabará e a comunhão
de todos o inimigo vencerá...
Poderosa mão Deus fez no Egi-
to o mar secar; para o resto do
seu povo um caminho abrirá.
Da cepa brotou a rama, da rama
brotou a flor. Da flor nasceu Ma-
ria, de Maria o Salvador.
23. O CANTO DE MARIA DO POVO
1 - Minh’alma dá glórias ao Se-
nhor. Meu coração bate alegre e
feliz. Olhou para mim com tan-
to amor, que me escolheu, me
elegeu e me quis. E de hoje em
diante eu já posso prever. To-
dos os povos vão me bendizer.
O Poderoso lembrou-se de mim,
Santo é seu nome sem fim.
O povo dá glórias ao Senhor,
seu coração bate alegre e feliz
Maria carrega o Salvador por-
que Deus faz, sempre cumpre
o que diz e quando os povos
aceitam lei passa de pai para fi-
lho seu dom das gerações Ele é
mais do que rei, ele é Deus pai,
ele é bom
2 - Minh’alma dá glórias ao Se-
nhor meu coração bate alegre
e feliz olhou para mim com tan-
to amor que me escolheu, me
elegeu e me quis. O orgulhoso
Ele sabe dobrar, o poderoso Ele
sabe enfrentar o pobrezinho Ele
defenderá, não nos abandonará
3 - Minh’alma dá glórias ao Se-
nhor meu coração bate alegre
e feliz meu povo já sente o seu
amor, Ele promete, Ele cumpre
o que diz aos nossos pais Ele
um dia jurou ele é fiel e jamais
enganou, estamos perto da era
do amor nendito seja o Senhor.
24. MARIA DE NAZARÉ
1 - Maria de Nazaré, Maria me
cativou. Fez mais forte a minha
fé, e por filho me adotou. As ve-
zes eu paro e fico a pensar, e
sem perceber me vejo a rezar,
e meu coração se põe a cantar,
pra Vigem de Nazaré. Menina
que Deus amou e escolheu, pra
mãe de Jesus, o Filho de Deus,
Maria que o povo inteiro elegeu,
Senhora e Mãe do Céu.
Ave Maria, Ave Maria,
Ave Maria, Mãe de Jesus!
46
2 - Maria que eu quero bem, Ma-
ria do puro amor. Igual a você,
ninguém, Mãe pura do meu Se-
nhor. Em cada mulher que a ter-
ra criou, um traço de Deus Maria
deixou, um sonho de Mãe Maria
plantou, pro mundo encontrar a
paz. Maria que fez o Cristo fa-
lar, Maria que fez Jesus cami-
nhar. Maria que só viveu pra seu
Deus, Maria do povo meu.
Ave Maria, Ave Maria,
Ave Maria, Mãe de Jesus!
25. CRISTO É A FELICIDADE
O valor de se ter liberdade. Po-
der abraçar um amigo e sentir.
O calor de uma grande amizade
Cristo é a felicidade. Cristo é a
felicidade. Sem ter amor nesta
vida não há, quem seja feliz de
verdade. Saber que jamais se
perde a ilusão. Saber perdoar
com bondade. Sorrir com a paz
de criança. E olhar para o sol
que começa a brilhar.
47
Equipe
Glória Freitas - Paróquia Paulo Apóstolo
Maria Aparecida Matsutacke - Paróquia Nossa Sra. de Guadalupe
Maria das Graças Bustamente - Paróquia Santuário São Judas Tadeu
Maria José de Oliveira - Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe
Regina Celia S. Ferreira - Paróquia São Francisco de Assis
Silvia Maria Andrade Macedo - Paróquia Coração Eucarístico de Jesus
Vera Lúcia C. T. da Rosa - Paróquia São José Operário - Jacareí
Assessores Diocesanos das CEBs
Diácono Vanderci José Sales - Paróquia Coração de Jesus
Pe. João Alves Sobrinho - Paróquia Coração de Jesus
Diagramação e Impressão:
CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2021
Subsídio Nº 4 - ANO XXXI
• SUBSÍDIO PARA REFLEXÃO
NAS COMUNIDADES
www.facebook.com/katueditoragrafica
www.instagram.com/katueditoragrafica
www.katueditoragrafica.com.br
12 3933.2707
48
CEBs (COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE)
Contato: tremdascebs.sjc@gmail.com
Diocese de São José dos Campos - SP
Esperando Jesus
Senhor, te esperamos novamente.
Povoa de esperança o espaço que
restou dentro de nós.
Repete o milagre de, embora divino,
caber por inteiro em cada coração humano.
Volta para nós, dessa maneira simples de chegar.
E permanece conosco, ajudando-nos a crer
que ainda é tempo de sonhar com a paz.
Senta-te à nossa mesa e prova o
pão do nosso suor.
Caminha conosco, para entenderes
o nosso cansaço.
De nossa parte, estaremos te esperando,
como terra seca que procura orvalho;
como noite escura que procura luz;
como fonte imóvel que procura impulso.
E que possamos te descobrir
em todos os presépios e casas
em todas as manjedouras e berços,
em todas as Marias e Josés.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Novena de Natal - Missionária
Novena de Natal - MissionáriaNovena de Natal - Missionária
Novena de Natal - MissionáriaBernadetecebs .
 
Livreto CEBs - Comunidade: Igreja de todos e para todos
Livreto CEBs  - Comunidade:  Igreja de todos e para todosLivreto CEBs  - Comunidade:  Igreja de todos e para todos
Livreto CEBs - Comunidade: Igreja de todos e para todosBernadetecebs .
 
Ministerio para crianças - apostila RCC
Ministerio para crianças - apostila RCCMinisterio para crianças - apostila RCC
Ministerio para crianças - apostila RCCtalvanes braga
 
Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.Lucas Licerre
 
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...Romildo Fernandes Gurgel Gurgel
 
4 trilho-de-lideranca
4 trilho-de-lideranca4 trilho-de-lideranca
4 trilho-de-liderancaTatiane Dias
 
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe GesildoCelebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildonsaparecida
 
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/20121º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012Adriano de Paula
 
Catequese dinâmica
Catequese dinâmicaCatequese dinâmica
Catequese dinâmicajcsa.media
 
Metodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVER
Metodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVERMetodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVER
Metodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVERJorge Felliphe
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Rodrigo F Menegatti
 

Mais procurados (20)

Novena de Natal - Missionária
Novena de Natal - MissionáriaNovena de Natal - Missionária
Novena de Natal - Missionária
 
Primeira etapa
Primeira etapaPrimeira etapa
Primeira etapa
 
Livreto CEBs - Comunidade: Igreja de todos e para todos
Livreto CEBs  - Comunidade:  Igreja de todos e para todosLivreto CEBs  - Comunidade:  Igreja de todos e para todos
Livreto CEBs - Comunidade: Igreja de todos e para todos
 
Novena ao Padroeiro Santo André 2009
Novena ao Padroeiro Santo André 2009Novena ao Padroeiro Santo André 2009
Novena ao Padroeiro Santo André 2009
 
2º ANO DE EUCARISTIA
2º ANO DE EUCARISTIA2º ANO DE EUCARISTIA
2º ANO DE EUCARISTIA
 
Ministerio para crianças - apostila RCC
Ministerio para crianças - apostila RCCMinisterio para crianças - apostila RCC
Ministerio para crianças - apostila RCC
 
Psicologia das idades catequese
Psicologia das idades   catequesePsicologia das idades   catequese
Psicologia das idades catequese
 
Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.
 
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
 
12º encontro joao batista
12º encontro   joao batista12º encontro   joao batista
12º encontro joao batista
 
4 trilho-de-lideranca
4 trilho-de-lideranca4 trilho-de-lideranca
4 trilho-de-lideranca
 
Itinerario ivc cnbb
Itinerario ivc cnbbItinerario ivc cnbb
Itinerario ivc cnbb
 
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe GesildoCelebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
 
A missa parte por parte
A missa parte por parteA missa parte por parte
A missa parte por parte
 
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/20121º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
 
Catequese dinâmica
Catequese dinâmicaCatequese dinâmica
Catequese dinâmica
 
Metodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVER
Metodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVERMetodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVER
Metodologia na Catequese ~ VER-ILUMINAR-AGIR-CELEBRAR-REVER
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
 
Novena de santa luzia
Novena de santa luziaNovena de santa luzia
Novena de santa luzia
 
Metodologia catequética
Metodologia catequéticaMetodologia catequética
Metodologia catequética
 

Semelhante a Livreto Novena Natal 2021

Livreto Novena de Natal das CEBs 2018
Livreto Novena de Natal das CEBs  2018Livreto Novena de Natal das CEBs  2018
Livreto Novena de Natal das CEBs 2018Bernadetecebs .
 
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPNovena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPBernadetecebs .
 
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SPNovena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SPBernadetecebs .
 
Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"
Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"
Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"Bernadetecebs .
 
Novena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SP
Novena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SPNovena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SP
Novena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SPBernadetecebs .
 
Novena De Natal 2009
Novena De Natal 2009Novena De Natal 2009
Novena De Natal 2009guestab52b4
 
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPSubsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPBernadetecebs .
 
Novena de Natal 2013 - Arquidiocese de Vitória
Novena de Natal 2013 - Arquidiocese de VitóriaNovena de Natal 2013 - Arquidiocese de Vitória
Novena de Natal 2013 - Arquidiocese de VitóriaBernadetecebs .
 
Jornal dezembro 2014 janeiro 2015
Jornal dezembro 2014   janeiro 2015Jornal dezembro 2014   janeiro 2015
Jornal dezembro 2014 janeiro 2015saojosepascom
 
1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANT
1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANT1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANT
1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANTParoquiaSantoAntonio3
 
Festa do Acolhimento 2023.docx
Festa do Acolhimento 2023.docxFesta do Acolhimento 2023.docx
Festa do Acolhimento 2023.docxcrismoreira3784
 
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do PovoLivreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do PovoBernadetecebs .
 
Livro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdfLivro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdfNuno Melo
 
Paroquia Santa Cruz-Informativo de Dezembro
Paroquia Santa Cruz-Informativo de DezembroParoquia Santa Cruz-Informativo de Dezembro
Paroquia Santa Cruz-Informativo de DezembroGleidsonGiorgetti
 
Aniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação CavanisAniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação CavanisEdvaldo001
 

Semelhante a Livreto Novena Natal 2021 (20)

Livreto Novena de Natal das CEBs 2018
Livreto Novena de Natal das CEBs  2018Livreto Novena de Natal das CEBs  2018
Livreto Novena de Natal das CEBs 2018
 
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPNovena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
 
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SPNovena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
 
Novena De Natal 2009
Novena De Natal 2009Novena De Natal 2009
Novena De Natal 2009
 
Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"
Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"
Novena de Natal 2012 - "Cremos Senhor, mas aumentai a nossa Fé!"
 
Novena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SP
Novena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SPNovena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SP
Novena natal 2011 . diocese de são José dos campos - SP
 
Novena De Natal 2009
Novena De Natal 2009Novena De Natal 2009
Novena De Natal 2009
 
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPSubsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
 
Novena de Natal 2013 - Arquidiocese de Vitória
Novena de Natal 2013 - Arquidiocese de VitóriaNovena de Natal 2013 - Arquidiocese de Vitória
Novena de Natal 2013 - Arquidiocese de Vitória
 
Jornal dezembro 2014 janeiro 2015
Jornal dezembro 2014   janeiro 2015Jornal dezembro 2014   janeiro 2015
Jornal dezembro 2014 janeiro 2015
 
1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANT
1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANT1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANT
1 DIA NOVENA 061222.ppt NOVENA SANTO ANT
 
Festa do Acolhimento 2023.docx
Festa do Acolhimento 2023.docxFesta do Acolhimento 2023.docx
Festa do Acolhimento 2023.docx
 
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do PovoLivreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
 
Novena Natal PJMP_2015
Novena Natal PJMP_2015Novena Natal PJMP_2015
Novena Natal PJMP_2015
 
Livro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdfLivro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdf
 
1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA
 
Paroquia Santa Cruz-Informativo de Dezembro
Paroquia Santa Cruz-Informativo de DezembroParoquia Santa Cruz-Informativo de Dezembro
Paroquia Santa Cruz-Informativo de Dezembro
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
22 02 12
 
APOSTILA DE PRE CATEQUESE
APOSTILA DE PRE CATEQUESEAPOSTILA DE PRE CATEQUESE
APOSTILA DE PRE CATEQUESE
 
Aniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação CavanisAniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação Cavanis
 

Mais de Bernadetecebs .

Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338
Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338
Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338Bernadetecebs .
 
A Palavra de Deus na Vida do Povo
A Palavra de Deus na Vida do PovoA Palavra de Deus na Vida do Povo
A Palavra de Deus na Vida do PovoBernadetecebs .
 
livreto Campanha da Fraternidade 2018
livreto Campanha da Fraternidade 2018 livreto Campanha da Fraternidade 2018
livreto Campanha da Fraternidade 2018 Bernadetecebs .
 
Vida pastoral-setembro-outubro
Vida pastoral-setembro-outubroVida pastoral-setembro-outubro
Vida pastoral-setembro-outubroBernadetecebs .
 
Ofício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SP
Ofício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SPOfício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SP
Ofício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SPBernadetecebs .
 
Campanha da Fraternidade 2017 -
  Campanha da Fraternidade 2017 -    Campanha da Fraternidade 2017 -
Campanha da Fraternidade 2017 - Bernadetecebs .
 
Novena de natal 2016 diocese de são José dos Campos - SP
Novena de natal 2016   diocese de são José dos Campos - SPNovena de natal 2016   diocese de são José dos Campos - SP
Novena de natal 2016 diocese de são José dos Campos - SPBernadetecebs .
 
Novena Missionária 2016
Novena Missionária 2016Novena Missionária 2016
Novena Missionária 2016Bernadetecebs .
 
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCO
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCOEXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCO
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCOBernadetecebs .
 
Oração das Missões no setor 01 das CEBs
Oração das Missões no setor 01 das CEBs Oração das Missões no setor 01 das CEBs
Oração das Missões no setor 01 das CEBs Bernadetecebs .
 
Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
 Oração das Missões no Setor 26 das CEBs Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
Oração das Missões no Setor 26 das CEBsBernadetecebs .
 
Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)
Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)
Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)Bernadetecebs .
 
Novena de Natal 2015 - diocese de Jundiaí
Novena de Natal 2015 - diocese de JundiaíNovena de Natal 2015 - diocese de Jundiaí
Novena de Natal 2015 - diocese de JundiaíBernadetecebs .
 
Ser acolhedor como_jesus_cristo
Ser acolhedor como_jesus_cristoSer acolhedor como_jesus_cristo
Ser acolhedor como_jesus_cristoBernadetecebs .
 
Livreto 3 2015 ce bs (1)
Livreto 3   2015 ce bs (1)Livreto 3   2015 ce bs (1)
Livreto 3 2015 ce bs (1)Bernadetecebs .
 
EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)
EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)
EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)Bernadetecebs .
 
Na Igreja com o jeito da Gaudium et Spes
Na Igreja com o jeito da Gaudium et SpesNa Igreja com o jeito da Gaudium et Spes
Na Igreja com o jeito da Gaudium et SpesBernadetecebs .
 

Mais de Bernadetecebs . (20)

Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338
Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338
Vida Pastoral - março-abril de 2021 – ano 62 – número 338
 
A Palavra de Deus na Vida do Povo
A Palavra de Deus na Vida do PovoA Palavra de Deus na Vida do Povo
A Palavra de Deus na Vida do Povo
 
livreto Campanha da Fraternidade 2018
livreto Campanha da Fraternidade 2018 livreto Campanha da Fraternidade 2018
livreto Campanha da Fraternidade 2018
 
Vida pastoral-setembro-outubro
Vida pastoral-setembro-outubroVida pastoral-setembro-outubro
Vida pastoral-setembro-outubro
 
Ofício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SP
Ofício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SPOfício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SP
Ofício Divino da Romaria - Paróquia N. Sra. do Bonsucesso - Monteiro lobato - SP
 
Campanha da Fraternidade 2017 -
  Campanha da Fraternidade 2017 -    Campanha da Fraternidade 2017 -
Campanha da Fraternidade 2017 -
 
Novena de natal 2016 diocese de são José dos Campos - SP
Novena de natal 2016   diocese de são José dos Campos - SPNovena de natal 2016   diocese de são José dos Campos - SP
Novena de natal 2016 diocese de são José dos Campos - SP
 
Novena Missionária 2016
Novena Missionária 2016Novena Missionária 2016
Novena Missionária 2016
 
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCO
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCOEXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCO
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL AMORIS LÆTITIA DO SANTO PADRE FRANCISCO
 
Oração das Missões no setor 01 das CEBs
Oração das Missões no setor 01 das CEBs Oração das Missões no setor 01 das CEBs
Oração das Missões no setor 01 das CEBs
 
Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
 Oração das Missões no Setor 26 das CEBs Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
 
Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)
Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)
Novena de Natal 2015 «MISERICÓRDIA EU QUERO, NÃO SACRIFÍCIOS» (Mt 9,13)
 
Novena de Natal 2015 - diocese de Jundiaí
Novena de Natal 2015 - diocese de JundiaíNovena de Natal 2015 - diocese de Jundiaí
Novena de Natal 2015 - diocese de Jundiaí
 
Ser acolhedor como_jesus_cristo
Ser acolhedor como_jesus_cristoSer acolhedor como_jesus_cristo
Ser acolhedor como_jesus_cristo
 
vida.pastoral 305
 vida.pastoral 305 vida.pastoral 305
vida.pastoral 305
 
Subsidio DNJ 2015
Subsidio  DNJ 2015Subsidio  DNJ 2015
Subsidio DNJ 2015
 
Livreto 3 2015 ce bs (1)
Livreto 3   2015 ce bs (1)Livreto 3   2015 ce bs (1)
Livreto 3 2015 ce bs (1)
 
EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)
EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)
EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45)
 
Na Igreja com o jeito da Gaudium et Spes
Na Igreja com o jeito da Gaudium et SpesNa Igreja com o jeito da Gaudium et Spes
Na Igreja com o jeito da Gaudium et Spes
 
Terço Missionário
Terço MissionárioTerço Missionário
Terço Missionário
 

Último

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptxFabianoHaider1
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaRicardo Azevedo
 

Último (7)

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 

Livreto Novena Natal 2021

  • 1. E o verbo se fez carne e habi�ou en�re nós!(jo 1, 14) Palavra de Deus na vida do Povo Palavra de Deus na vida do Povo Subsídio para Reflexão nas Comunidades Nº 4 - Ano XXXI - 2021 Diocese de São José dos Campos - SP
  • 2. 2
  • 3. 3 • ÍNDICE Apresentação ....................................................................................04 Mensagem..........................................................................................05 Orientações Práticas ........................................................................06 Preparando para a Novena de Natal.................................................08 • 1º Dia............................................................................................11 • 2º Dia............................................................................................14 • 3º Dia............................................................................................17 • 4º Dia............................................................................................20 • 5º Dia............................................................................................23 • 6º Dia............................................................................................26 • 7º Dia............................................................................................29 • 8º Dia............................................................................................32 • 9º Dia............................................................................................36 Música................................................................................................39
  • 4. 4 Eis que bate à porta o final de mais um ano difícil, marcado por muitas perdas, muitas dores, nossos afetos foram abalados pela força de um segundo ano de pandemia. Desta triste realidade, deve brotar uma “Faísca de Deus” (Cf. Cântico dos Cânticos 8,6), ou seja, no amor humano, uma faísca do infinito Amor de Deus. É com esse espírito que convido todos a rezarem a novena de Natal da forma mais conveniente para cada realidade de nossas comunidades es- palhadas pela Diocese. Na noite sombria de nossos corações deve brotar a esperança como no tronco de Jessé (Cf. Is 11, 1). O povo que andava nas trevas viu uma grande luz (Cf. Is 9, 2). O povo do AT, esperou com enorme expectativa, o nascimento do Salvador. Nós já vivemos esta realidade, porém, uma grande escuridão tem envolvido nosso povo. O desemprego e a fome bateu à porta de milhares de irmãos. Sim, nosso povo sofre, mas tem esperança do raiar de um novo dia. Queremos rezar juntos esta novena, acender velas, montar o presé- pio, cantar noite feliz, sonhar com um mundo mais fraterno, mais humano, mais cheio de paz. Querido povo de Deus, não se esqueçam jamais, que depois da Encarnação, Nascimento de Jesus, Esperança é viver voltados para “o encontro fraterno em entre nós” (Cf. Fratelli tutti). Sua presença entre nós nos humaniza, nos faz ser o que somos: Água corrente que sempre vai em direção ao mar, nunca para de correr apesar dos obstáculos. Da nascente ao desembocar no mar, percorre uma longa jornada de calmaria, de enchentes... Desejo a todos um feliz e Santo Natal! Padre João Alves Sobrinho Diácono Vanderci José Sales Assessores • APRESENTAÇÃO
  • 5. 5 “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1, 14). Somos chamados a anunciar a PESSOA DE JESUS, o Cristo de Deus, sua Palavra e seu projeto de vida. Este é o grande desafio dos tempos modernos. O Natal é uma festa que nos enternece, pois lembramos o amor, a criança, a família, o aconchego do lar, as cantigas de ninar, os pre- sentes e tudo o mais. Mas o grande chamado que a Igreja nos faz, é que além de celebrar tudo isso e valorizar todas estas realidades, não deixemos de proclamar solenemente, com a vida, com nossas palavras e atitudes que o “VERBO DE DEUS FEITO CARNE” continua a contar conosco na tarefa de salvação do mundo e da história. Assim como Deus, contou com Maria de Nazaré, para que nas- cesse o “Emanuel”, assim conta conosco para que Jesus Cristo continue a ser Anunciado, Seguido, Proclamado, Amado, Festejado em nossas vidas e na vida de nossos irmãos e irmãs. O compromis- so com Jesus Cristo e seu Evangelho é inadiável. O Verbo se fez carne para salvar-nos, reconciliando-nos com Deus. O verbo se fez carne para que conhecêssemos o amor de Deus. O verbo se fez carne para ser nosso modelo de santidade. O verbo se fez carne para tornar-nos participantes da natureza divina. Santo Atanásio nos diz que “...o Filho de Deus se fez homem para nos fazer de Deus”. Esta é a nossa alegria. Esta é a grande notícia que devemos cultivar e anunciar. Nós, com Maria de Nazaré e São José, podemos colaborar com a obra salvífica de Deus, anunciando o seu Filho Unigênito, o Cristo e Senhor de nossas almas e de nossas vidas. E na celebração do Natal não podemos deixar de lembrar a importância e o valor da Família. Que o Santo Natal, que vamos vivenciar, nos encha de santa ale- gria, por podermos celebrar a vida de nossa família, inserindo-a no mistério da graça do Natal de Jesus. Boa novena de Natal a todos os que vão utilizar dos subsídios das CEBs da Diocese de São José dos Campos. D. José Valmor Cesar Teixeira, SDB Bispo Diocesano de São José dos Campos • MENSAGEM
  • 6. 6 • ORIENTAÇÕES PRÁTICAS (Para os dirigentes, animadores e coordenadores) • O ano de 2021 continua sendo totalmente atípico, estamos passando por situação não imaginada por todos. Mantivemos nossa missão, fomos nos adequando e durante a Quaresma 2020, iniciamos com grupos online que foram se multiplicando e assim seguimos 2021. • Como no ano anterior, indicamos, que os grupos que tiverem dificuldade em como proceder para reuniões online, busquem infor- mações com a Comissão Diocesana das CEBs, com a PASCOM de suas paróquias e comunidades • Recomenda-se que os encontros da Novena de Natal sejam realizados em família, cada família em sua casa, nos grupos onli- ne, cada um em sua casa ou conforme a orientação de cada setor, comunidade. Observação: de acordo com cada realidade, seguir a orientação paroquial. • Para uma boa preparação, ler antes os encontros para sanar as dúvidas; verificar com antecedência os leitores e leitoras. • A Bíblia é indispensável; deve estar presente em todos os en- contros. • Sugerimos este ano, como símbolo da novena 2021, uma ban- deira branca, lembrando de intensificar nossas orações pela Paz e uma manjedoura vazia, para orarmos pedindo a Deus o sentimento que nos falta, para que este nos venha com o Nascimento do Me- nino Jesus. O que esta nos faltando? Caridade? Amor? Perseveran- ça? Justiça?
  • 7. 7 • Preparar, com criatividade, um símbolo da novena para estar presente nos encontros. Seguem algumas sugestões: 1 - Cortar papéis em formato de folha de árvore, para que os par- ticipantes escrevam suas intenções e as depositem numa caixinha. No último encontro, após a oração por essas intenções, queimar os papéis; 2 - Coroa da Novena de Natal; 3 - Vela (grossa), decorada com enfeites de Natal; 4 - Presépio, sem a imagem do Menino Jesus até o 8º encontro; 5 - Escolher uma única música, para canto final em todos os encontros; 6 - Ou outro símbolo, de acordo com a criatividade do grupo. • A novena que apresentamos é apenas um roteiro, que pode e deve ser enriquecido com a criatividade e a realidade da comuni- dade.
  • 8. 8 • PREPARANDO PARA NOVENA DE NATAL Orando com Nossa Senhora - Oração do Santo Terço Dirigente: Estamos reunidos para prepararmos nossa Novena de Natal. A Novena de Natal esquentará nosso coração para ce- lebrarmos bem o nascimento de Jesus. Vai colocar-nos diante da Palavra e da Vida. Fortalecerá nossa Comunidade. Para fazer com que todos esses frutos sejam percebidos, “quem é que vou enviar, quem irá de nossa parte?” Todos: Aqui estou, envia-me! Tua alegria será a nossa força! Dirigente: E todos vós, irmãos e irmãs, deixai que vossos cora- ções se aqueçam, para que o medo, a tristeza, as injustiças, o ódio e o desespero sejam dissipados com o nascimento de Jesus! Todos: Senhor, aquece o nosso coração! Dirigente: Peçamos ao Senhor, a Graça de transbordarmos amor, para nós mesmos e para o próximo; de levarmos paz e esperança na família, na comunidade, neste difícil tempo, em que as pessoas estão feridas, machucadas, sofrendo ainda as muitas perdas e atra- vessando inúmeras dificuldades. Todos: Senhor, atendei a nossa prece. Dirigente: Rezemos com Nossa Mãe, por todos nós, por nossa novena. O Magistério da Igreja nos ensina e nós acreditamos: em Maria, tudo se refere a Cristo e tudo depende dele. Nosso terço é, portanto, ocasião maravilhosa para nos aproximarmos de Cristo, na companhia de Nossa Senhora. Por meio dos mistérios da alegria, ela nos traz no colo ou nos conduz pela mão para chegarmos ao coração da Santíssima Trindade. Todos: Creio em Deus Pai... CANTO 1 º MISTÉRIO: Anunciação do Anjo. Dirigente: Maria se encontrava em casa e em oração quando o
  • 9. 9 anjo Gabriel lhe dirigiu uma saudação especial: “Ave, Maria! Cheia de graça”. É assim que o Pai nos quer encontrar também nos dias de hoje. Empenhados em carregar a cruz da nossa história e aber- tos à sua Palavra. Todos: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua Palavra.” Leitor(a) 1: Rezemos o primeiro mistério por todas as pessoas que se recomendaram à nossa oração. Se essas pessoas nos pedi- ram é porque estão precisando. (Lembrar os nomes das pessoas amigas e conhecidas pelas quais vamos rezar.) REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai. 2º MISTÉRIO: Visita a Isabel. Dirigente: O primeiro efeito prático da resposta dada por Maria ao Pai foi o serviço da ajuda e da caridade que ela foi prestar à pri- ma grávida e já idosa. Esse é o caminho de todo aquele que recebe Jesus em sua vida: ajudar os necessitados. Todos: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” Leitor(a) 2: Rezemos o segundo mistério gozoso pelo Brasil, para que este país cresça de modo sustentável e ajude todos os seus filhos, especialmente os mais pobres e abandonados. (Lembrar o nome de pessoas e projetos que combatam a misé- ria. Citar exemplos da comunidade, paróquia e diocese). REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai. 3º Mistério: Nascimento de Jesus. Dirigente: A cena da gruta de Belém continua a interpelar a hu- manidade inteira. O próprio Deus se faz um de nós, nasce nos arre- dores de uma cidade pequena e é acolhido por uma família pobre. Para celebrar esse fato, não podemos desviar o olhar dos pobres e abandonados deste mundo. Todos: “Hoje nasceu o Salvador!”
  • 10. 10 Leitor(a) 3: Apresentemos como principal intenção desse ter- ceiro mistério todas as crianças do mundo. Para que sejam prote- gidas, conheçam Jesus e alcancem a felicidade. REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai. 4º Mistério: Apresentação no Templo. Dirigente: Maria e José levam Jesus para ser apresentado ao Senhor. Cumprem um costume de piedade e nos ensinam a culti- var a nossa fé respeitando a tradição da comunidade religiosa. No Templo, a Sagrada Família encontra Simeão e Ana que revelam a ela o duro caminho que seria percorrido pela criança que trazia nos braços. O caminho de Jesus é o nosso caminho. Todos: “Meus olhos viram a tua salvação.” Leitor(a) 1: Rezemos por todas pessoas do mundo. Para que, a exemplo do Salvador, sejam todos promotores da paz e testemu- nhas do amor. (Lembrar do Papa, dos bispos, dos padres e de outros líderes religiosos.) REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai. 5º Mistério: Reencontro com Jesus. Dirigente: O menino Jesus se perde dos pais e fica no Templo conversando com as pessoas que conheciam a Escritura. Maria e José o reencontram e mesmo não compreendendo inteiramente o que ele diz, a Mãe guarda tudo em seu coração. Nós somos chama- dos a ter essa atitude em nossos dias: mesmo quando não enten- demos perfeitamente somos chamados a meditar. Todos: “Todos ficam extasiados com sua inteligência.” Leitor(a) 1: Rezemos o último mistério da alegria e peçamos por cada uma das famílias aqui presentes na oração do nosso terço e por todas as outras que já participaram de nossa Novena. (Lembrar o nome das comunidades, setores, etc.) REZAR: 1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai.
  • 11. 11 PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, símbolos natalinos, ima- gem de Nossa Senhora do Desterro. ACOLHIDA Dirigente: Amados irmãos e irmãs, é Natal! O verbo divino encar- nou-se e mergulhou na história humana. Alegremo-nos e nos prepa- remos para esta grande festa, participando com amor e com fervor, nesta Novena de Natal. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma Mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças 1° 1° Dia “Um Projeto de Paz e Misericórdia”
  • 12. 12 do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa) Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: O mistério do Natal nos impõe uma dívida e uma obriga- ção para com os demais seres humanos e para com todo o univer- so criado. Nós, que vimos a Luz de Cristo, somos convidados, pela grandeza da graça que nos foi dada, a tornar conhecida a presença do Salvador até os confins da terra. Leitor(a) 1: Em um acontecimento luminoso o Espírito Santo rea- lizou em Maria a união da vontade divina com a vontade humana. Maria gestou em sua carne o amor por excelência, deu à luz a Gran- de Luz, o Sol da Santidade, Luz a qual o mundo não pode conter. Maria tornou-se a Mãe do Amor. 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Deus, o Pai de Amor, não se cansa da humanidade, ao enviar Teu Filho Jesus Cristo ao mundo, inicia-se um novo tempo. “Vem o tempo de Paz e Misericórdia.” Canto de acolhida a Palavra de Deus. Leitura: Lucas 1, 26-38 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
  • 13. 13 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Maria se faz presente como representante da comuni- dade dos pobres, dos desafortunados, dos sem voz e vez, mas que esperavam por libertação em Deus. a - Releia os versículos 28 a 31 e comente. b - Inspirados em Maria, como podemos vencer o medo que hoje domina tantos corações? c - O quanto o silencio, como o de Maria, é transformador? 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: Que o Espírito Santo que agiu em Maria, possa agir em cada um de nós para que possamos com a sua Luz impulsionar um novo tempo na vida das comunidades. TODOS: Vinde Espírito Santo, e ajuda-nos a sermos cooperadores do Reino de Deus. Dirigente: Deus, Pai de amor, que nos enviou seu filho Jesus Cristo por Maria, cumulada de graças por Vós, dá-nos a graça de partici- parmos de seu projeto de Paz e Misericórdia. Amém! Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto, a caridade. Vamos nos organizar dentro do possível para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Deus de amor e de bondade livra-nos da acomodação e a exemplo de Maria, possamos participar na construção de um mun- do mais fraterno, redescobrir o que é essencial para a vida, para fa- mília, para os amigos. Sermos sinais eficazes da Esperança. Amém! 8. CANTO FINAL
  • 14. 14 2° 2° Dia “Fé condição para ver o Projeto de Deus” PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, São José, Nossa Senhora, manjedoura, animais, símbolos natalinos. ACOLHIDA Dirigente: Amados irmãos e irmãs, com muita alegria e alimenta- dos pela nossa fé, vamos rezar o 2° dia da Novena de Natal. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma Mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
  • 15. 15 Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: O mundo está aí, com toda a confusão de saberes e des- saberes. Por isso importa revermos nossos pensamentos e atitu- des, olhando para o “Menino” que dorme nas palhas, junto do boi e do burro, acalentado pela mãe e pelo pai que aceitaram participar da “fé” proposta pelo anjo. Leitor(a) 1: Precisamos ter essa mesma fé para promover mudan- ças no mundo e em nós mesmos. É a fé que toca em Cristo; é a fé que o vê. Não é nosso corpo que lhe toca; os olhos de nossa natu- reza não o veem. Alimentemos nossa fé para que não se percam as outras virtudes que nos mantêm vivos: a esperança, o amor, a coragem... 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Jesus Cristo não é apenas filho da história dos homens. É o próprio Filho de Deus, o Deus que está conosco. O Deus que vem salvar os homens. (Jesus = Deus salva) Canto de acolhida a Palavra de Deus. Leitura: Mateus 1, 18-25 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
  • 16. 16 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Crescer na fé pressupõe um processo gradual, pois é uma dimensão da pessoa que necessita tempo e exercício para seu amadurecimento. a - Releia os versículos 19-20-21 e comente. b - O que nos falta para entendermos o projeto de Deus? c - Que caminhos devemos percorrer para alcançar o amadureci- mento na fé? 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: Iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir e parti- lhar, elevemos a Deus nossas preces a nossa oração! Todos: Acolhe o “Bom Deus” a nossa oração! Dirigente: Pai boníssimo, ajuda-nos a assimilar Jesus, enfrentar os desafios, compartilhar a dor do irmão; abrir-se ao diferente, ser pão para o outro na concretude do Reino. Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto, a caridade. Vamos nos organizar dentro do possível para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Ó Deus, sede generoso para com vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamen- tos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém! 8. CANTO FINAL
  • 17. 17 3° 3° Dia “O Projeto de Deus nos pede passagem” PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, presépio, flores e enfeites natalinos. ACOLHIDA Dirigente: Sejamos todos bem vindos ao 3º dia da nossa Novena de Natal. É preciso que estejamos atentos ao Projeto de Deus e como João Batista, prepararmos o caminho de Jesus. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
  • 18. 18 Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: O Natal também nos convida a refletir sobre a nossa missão, assim como João Batista, que possamos ajudar o povo a perceber a presença luminosa e consoladora de Jesus em nossas vidas. Leitor(a) 1: Como João Batista, somos chamados a fazer parte da missão anunciando Jesus. 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Moisés pediu a Deus que fosse construído um taberná- culo em forma de tenda, para que Deus pudesse habitar no meio do povo (Ex 25, 8-9). E Deus se fez homem e habitou entre nós. Canto de acolhida à Palavra. Leitura: João 1, 1-9 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Irmãos e irmãs, em Jesus foram realizadas as profecias do Primeiro Testamento. Jesus fez morada entre nós, iluminando nossas vidas e trazendo esperança. a - O que mais lhe chamou atenção neste evangelho? Por quê?
  • 19. 19 b - “A Palavra veio para o que era seu, mas os seus não a recebe- ram!” O que significa esta frase? Como isto acontece hoje? 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: Irmãos e irmãs, iluminados em nossa fé, aguardemos a vinda do Senhor. Por isso, supliquemos que venha o seu Reino, re- zemos: Todos: Vem Senhor, libertar o seu povo! Dirigente: Pedimos por todos que perderam amigos(as) e/ou pa- rentes nesta pandemia, rezemos: Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Ó Deus fiel às promessas feitas ao seu povo em cada tempo, nos mantenha em seu amor, vigilantes para o dia da vinda de Jesus Cristo nosso Salvador. Amém! Dirigente: A paz de Deus, que supera toda compreensão guarde nossos corações e nossos pensamentos em Cristo Jesus, nosso Senhor. Amém! Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Todos: Para sempre seja louvado! 8. CANTO FINAL Deus nos abençoe (Zé Vicente) https://www.youtube.com/watch?v=VYRecZNhyak
  • 20. 20 4° 4° Dia “Uma multidão sem rumo e sem vez” PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia, presépio, flores e enfeites natalinos. ACOLHIDA Dirigente: Sejamos todos bem vindos ao 4º dia da nossa novena em preparação ao Natal do Senhor. Que Deus Pai nos ilumine, e com imensa alegria iniciemos invocando a Trindade Santa. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
  • 21. 21 Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: Jesus, nos inspira e nos impulsiona. Inspirar e impul- sionar, impulsionar a partir da inspiração: isso é seduzir no melhor sentido da palavra. A vida do Mestre é movida pela compaixão e, a compaixão de Jesus está permeada de nobres sentimentos. Leitor(a) 1: A compaixão deve desencadear em nós um movimento que nos convoque a seguir Jesus e a nos identificarmos com Ele e sua proposta de vida; 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Somos chamados aqui neste mundo a anunciar o Reino de Deus, que a manjedoura nos compadeça e nos transforme em promotores de paz. Canto de acolhida à Palavra. Leitura: Mateus 9, 35-38 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Jesus continua passando entre nós e nos convida a estar ao lado dos mais vulneráveis. a - O que mais lhe chamou a atenção nesta leitura? Por quê? b - Quem são os rostos (vulneráveis) sofredores de hoje?
  • 22. 22 c - Consideramos estar em uma multidão também sem rumo? 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: Como Igreja nem sempre temos adotado o estilo itine- rante proposto por Jesus, ainda mais em tempos de pandemia. Que Jesus nos ajude a acertar o passo para acompanhar a humanidade sofrida, rezemos: Todos: Que Jesus Menino nos ajude a viver o Natal! Dirigente: Acolhe em Teu amor os que lutam pela justiça e prepa- ram os caminhos de paz, rezemos: Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Ó Deus amigo da humanidade, pelos profetas anunciaste ao mundo a vinda de teu Filho Jesus Cristo. Ajuda-nos a testemu- nhar o seu nome e a perceber os sinais de sua vinda em nossa história. Conforme a tua promessa, esperamos ver a plena manifes- tação daquele que veio e sempre vêm para criar em nosso mundo, novo céu e nova terra. Por Cristo, nosso Senhor, Amém! Dirigente: O Deus da Paz enche os nossos corações de alegria e que o seu Espírito, Mãe de ternura, nos mantenha na esperança e no amor até a vinda de Jesus Cristo. Amém! Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Todos: Para sempre seja louvado! 8. CANTO FINAL Deus nos abençoe (Zé Vicente) https://www.youtube.com/watch?v=VYRecZNhyak
  • 23. 23 5° 5° Dia “Um caminho de transcendência” PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia, colcha de retalhos, vela, manje- doura, flores. ACOLHIDA: Irmãos e irmã sejam bem-vindos a este nosso encon- tro! Estamos aqui reunidos para vivermos a fraternidade e a solida- riedade, a justiça e a paz, tendo a casa do nosso coração, iluminada pela Palavra de Deus, o Cristo que vem ao nosso encontro na man- jedoura de Belém. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças
  • 24. 24 do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa) Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: O nascimento é sempre fonte de esperança, é vida que desabrocha, é promessa de futuro. E este Menino - Jesus - “nasceu para nós” sem fronteiras, sem privilégios nem exclusões”. Leitor(a) 1: Neste momento histórico marcado pela crise ecológica e por graves desequilíbrios econômicos e sociais, agravados pela pandemia de Covid 19, viver a fraternidade é o valor mais necessá- rio do que nunca, baseada no amor real, capaz de compadecer-me dos sofrimentos alheios, mesmo que o outro não seja da minha família ou da minha religião. 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Neste Evangelho, Jesus nos exorta a nascer da água e do Espírito para que possamos ver o reino dos céus. Nascer da água e do Espírito é deixar-se purificar e governar por Ele, sepultando a humanidade, os planos e a vontade própria. Canto de acolhida à Palavra. Leitura: João 3, 1-15 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
  • 25. 25 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Nicodemos admira Jesus, mas não admite “nascer de novo”, ou seja, não aceita abrir mão, dos privilégios de sua condição de líder lhe proporciona. a - A transparência é poder ver no outro, Deus nascendo da profun- didade de seu coração. Comentem! b - O que temos feito nesse tempo em acolhimento pelo sedento, pelo nu e pelo faminto? 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: Irmãos e irmãs, iluminados em nossa fé, aguardemos a vin- da do Senhor. Por isso, supliquemos que venha o seu Reino. Rezemos: Todos: Vem, Senhor, vem, Senhor, vem libertar o seu povo. Dirigente: Senhor, tu convocas todas as pessoas de boa vontade para construir um mundo novo; ajuda-nos a lidar com os conflitos, com as doenças, com as desesperanças por falta de Políticas Públi- cas. Rezemos: Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: O Deus fiel às promessas feitas ao seu povo em cada tempo, nos mantenha em seu amor, vigilantes para o dia da vinda de Jesus Cristo nosso Senhor. Amém! Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Todos: Para sempre seja louvado! 8. CANTO FINAL
  • 26. 26 6° 6° Dia “O Projeto do mundo contraria o de Deus” PREPARANDO O AMBIENTE: colcha de retalhos, vela, flores. ACOLHIDA: Neste sexto dia da nossa novena, vamos colocar no coração de Deus a vida dos pequenos e dos pobres, dos que são explorados e gemem sob o peso de tantas opressões. Invocamos hoje o Senhor como Libertador. Que possamos evangelizar pelo anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos de Jesus. 1. ORAÇÃO INICIAL: Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
  • 27. 27 Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: No Natal celebramos a Luz de Cristo que vem ao mundo e Ele vem para todos, não só para alguns. Neste tempo de escu- ridão e incertezas que estamos vivendo, aparecem luzes, realiza- ções, anseios, esperanças e solidariedade. Leitor(a) 1: O Natal costuma ser sempre uma ruidosa festa; entre- tanto se faz necessário o silêncio, para que se consiga ouvir a voz do Amor. Natal é você, quando se dispõe, todos os dias, a renascer e deixar que Deus penetre em sua alma. Você é o instrumento de Natal, quando chama, congrega, reúne. 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Para Jesus, ser pobre não é sinônimo de relaxado e des- cuidado, é o sentido e o motivo da inserção e da missão da comu- nidade de Jesus no meio dos pobres, que inaugura a Nova Aliança. Canto de acolhida à Palavra. Leitura: Marcos 10, 17-23 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Jesus denuncia o sistema antigo que, em Nome de Deus, excluía os pobres. Jesus anuncia um novo começo que, em Nome
  • 28. 28 de Deus, acolhe os excluídos. a - Dar aos pobres é não viver só para si, é deixar de olhar apenas os próprios interesses para alcançar os interesses de Deus e fazer a Sua vontade. Comentem! b - Você é o instrumento de Natal, quando chama, congrega, reúne. Comentem! 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: Irmãos e irmãs. Deus se fez como um de nós. Por isso, juntemos nossa voz à voz dos anjos para proclamar a sua glória. Rezemos: Todos: Glória a Deus no mais alto dos céus! Dirigente: Fortaleça, Senhor, nossa esperança e nosso compromisso na opção pelos pobres, nas lutas pela justiça, na causa do Evangelho. Rezemos: Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Ó Deus de bondade, olha o teu povo reunido nesta nove- na de Natal. Dá-nos a graça de acolher com muita alegria nosso Se- nhor Jesus Cristo que vem anunciar em nossas vidas o mistério de sua encarnação na humanidade. Por Cristo, nosso Senhor. Amém! Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Todos: Para sempre seja louvado! 8. CANTO FINAL
  • 29. 29 7° 7° Dia “Proclamar Jesus Cristo como Senhor e Amigo.” PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia, vela, presépio. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa) Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria...
  • 30. 30 Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: Diante de Deus e de seus projetos para a humanidade, sempre existiram aqueles que se colocaram ao seu lado, não como meros ouvintes, mas assumindo posições em seu Amor. Leitor(a) 1: Deus, ao enviar seu Filho Jesus Cristo a nós, desejou que toda as pessoas o reconhecessem como “Caminho, Verdade e Vida” (Jo 14, 6) e por Ele chegassem a uma consciência plena desse caminhar salvífico. Jesus Cristo em sua vida terrena, deu aos seus discípulos a oportunidade de descobrirem o seu Senhorio, en- quanto se revelava Amigo fiel de todos. Só aqueles que aproximam de Jesus Cristo, pela abertura a sua Palavra, conseguem reconhe- ce-lo e firmemente segui-lo como Senhor e Amigo. 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: A Palavra de Deus é atual, envolvente, questionadora e libertadora. Muito das vezes, não damos a devida atenção ao que está sendo proclamado, até achamos bonita, mas não temos atitu- de alguma diante dela. Tudo achamos muito complexo e difícil, até que ela não é para nós, mas para aqueles da época de Jesus. Va- mos nesse momento, nos esforçar para receber a Palavra de Deus: Canto de acolhida à Palavra. Leitura: João 6, 60-66 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: A fé em Jesus exige decisão - As palavras de Jesus pro- vocam resistência e desistência até entre os discípulos. Muitos conservam a ideia de um Jesus Rei, soberano e glorioso, não de um Jesus sofredor e desprovido diante dos fortes daquele tempo - “Muitos dos seus discípulos, ouvindo-o, disseram: “Isto é muito duro! Quem o pode admitir?” (Jo 6, 60).
  • 31. 31 a - O nosso tempo é diferente do tempo de Jesus? Por quê? b - As Palavras que ouvimos hoje, tem maior cobrança do que na- quele tempo? c - Você já disse não a Palavra de Jesus Cristo? 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: A vida definitiva se encontra justamente na condição hu- mana de Jesus, que o Espírito Santo, sopro da vida, nos leve, ao desejo de comungar sempre da Sagrada Eucaristia, Rezemos: Todos: Que a Sagrada Família de Nazaré nos abençoe! Dirigente: “Proclamar Jesus Cristo como Senhor e amigo”, exige fé de decisão, que possamos ter resistência e não desistência para caminhar com Jesus. Rezemos: Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Ó Deus, por amor criaste o homem e a mulher de maneira maravilhosa e maravilhosamente ainda os renovaste pela vida de Jesus. Olhe por todos nós que celebramos o Natal do Teu Filho e faze-nos participar do Teu Reino, assim como Ele veio participar conosco da nossa vida humana. Por Cristo Nosso Senhor. Amém! Dirigente: A paz de Deus que supera toda compreensão guarde nossos corações e nossos pensamentos em Cristo Jesus Nosso Senhor agora e sempre. Amém! Dirigente: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Todos: Para sempre seja louvado! 8. CANTO FINAL
  • 32. 32 8° 8° Dia “O projeto de Deus passa pelas famílias” PREPARANDO O AMBIENTE: Flores, Imagem de Nossa Senhora e a Bíblia. ACOLHIDA: Deus nos quer reunidos em oração, refletindo sua pala- vra e abrindo nosso coração nossa mente para o seu reino aconteça. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa)
  • 33. 33 Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: “Na família é possível experimentar uma relação sincera quando esta é uma casa de oração, quando os afetos são sérios, profundos, puros, quando o perdão prevalece sobre a discórdia, quando a dureza cotidiana da vida é suavizada pela ternura, mútua e pela serena adesão a vontade de Deus...” (Papa Francisco em ho- milia, anúncio Ano da Família, em 27/12/20) Leitor(a) 1: Segundo o Coração de Deus, a família é um dos tesou- ros mais importante, precioso, que precisa ser guardado, bem cui- dado, pois é o alicerce da vida. ”A Alegria do Amor”, que se vive nas famílias é também júbilo da Igreja. Apesar dos numerosos sinais de crise no matrimônio - o desejo de famílias permanece vivo nas jo- vens gerações. Como resposta a esse anseio, o anúncio que diz res- peito à família é realmente uma Boa Notícia. (Amoris Laetitia, nº 01). Leitor(a) 2: Também somos chamados, através da formação de nossos filhos, a sermos exemplos de amor, entrega, testemunho, fé e esperança. Recebemos do Pai Celestial a missão de criar cida- dãos conscientes, solidários e éticos, conforme os ensinamentos do Evangelho. Devemos ser aqueles que, como disse Jesus: erguem
  • 34. 34 casa sobre a rocha, para que ela não caia durante a tempestade. 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Neste 8º Dia da Novena o Evangelho de Lucas quer de- monstrar o esquema promessa/cumprimento que Deus havia pro- metido pelo anjo Gabriel a Zacarias: que Isabel, sua esposa, daria a luz a um filho. O que Deus diz e promete, ele o cumpre. João (Deus se compadece) é fruto da intervenção divina, que privilegia os humildes e pequenos. Natal é tempo de compadecer-se e sentir que além de nós, há uma multidão sedenta de amor, de carinho, de assistência, de atenção - sedenta de Deus. Que sejamos portadores da luz, acolhedores e vivamos a misericórdia que restaura os cora- ções e promove a paz. Canto de acolhida a Palavra. Leitura: Lucas 1, 57-66 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque a mente e o coração) 4. MOMENTO DE PARTILHA a - Comentar: S. João Paulo 2º convidou-nos a prestar atenção ao lugar dos idosos na família...”Os idosos nos ajudam a perceber a continuidade das gerações, com carisma e experiência de lançar uma ponte entre elas”. (Familiaris Consortio, nº 27). b - Nas relações familiares precisa-se de muita escuta. Diante dos grandes desafios de nossa época devemos nos silenciar e nos colo- car no lugar do outro, que enquanto pessoa merece ser ouvida ape- sar de nossas convicções. Zacarias estava mudo, mas ouviu o apelo de Deus e ficou do lado de Isabel e aí recuperou a fala. Comentar. 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO: PRECES Dirigente: Pai Santo, que sob o impulso do seu Espírito, as famílias sejam sempre geradoras e acolhedoras da vida em seu seio, espe- cialmente dos pobres e abandonados. Sendo ao mesmo tempo um “santuário de amor”, também uma célula viva para transformar o mundo. Rezemos: Todos: Jesus, Maria e José, ouvi-nos e acolhei a nossa súplica.
  • 35. 35 Dirigente: Que as nossas famílias a exemplo da Família de Nazaré, sejam portadoras e propagadoras da Palavra do Pai, da sua miseri- córdia e justiça em nosso meio. Rezemos: Dirigente: Que as nossas famílias sejam perseverantes na prática das virtudes cristãs e abertas ao sofrimento dos irmãos que não são respeitados em seus direitos trabalhistas e aos desemprega- dos. Rezemos: Dirigente: Que as nossas famílias sejam verdadeiros núcleos da Verdade do Evangelho na construção de uma sociedade mais hu- mana, solidária, justa e tolerante com as diversidades. Rezemos: Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos organizar, dentro do possível, para ajudar: com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Pode ser a Oração da Sagrada Família/ou Dirigente: Senhor Jesus, possa cada família aprender de TI e de Tua Família a obediência ao Pai e o serviço humilde à comunidade e aos mais carentes. Amém! Dirigente: Abençoe-nos Deus, Todo Poderoso, Pai, o Filho e o Espí- rito Santo. Amém! 8. CANTO FINAL
  • 36. 36 9° 9° Dia “O Rei que chega, pede espaço de vez em nossa vida” PREPARANDO O AMBIENTE: Manjedoura, flores e Bíblia, vela. ACOLHIDA 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos nosso encontro em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Nosso encontro vem iluminar! Nossas famílias vem iluminar! Nossa Igreja vem iluminar! Nossa novena vem iluminar! Vem Espírito Santo vem. Vem iluminar! (bis) Dirigente: Queridos irmãos e irmãs, primeiramente, louvemos a Deus Pai que nos concedeu a vida e a liberdade de fazer dela uma oferta de amor, ao seu propósito comunitário. Deus tem uma mis- são específica a cada um de nós e pacientemente aguarda até que cada um atinja a sua cooperação necessária. Em seu Filho Jesus Cristo, Deus Pai nos concede o “interpretar” o verdadeiro sentido da vida e a tirar os proveitos esperados. Nesse encontro, vamos pedir a presença do Espírito Santo, para que Ele nos conceda as graças do “bem participar” dessa novena, conduzindo-nos a um verdadeiro cenáculo, juntamente com nossa mãe Maria Santíssima. (pausa) Dirigente: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria...
  • 37. 37 Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... Dirigente: Rogai por nós Santa Mãe de Deus. Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Cantemos: Nossa novena será abençoada... 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: Hoje finalizamos com este encontro nossa novena, com ela rezamos e refletimos a importância e necessidade de sermos espaço da ação de Deus. Para que Deus possa agir o amor tem que nascer e reinar, sejamos a manjedoura que acolhe Jesus, Deus conosco, Emanuel. Leitor(a) 1: “Habitavam numa terra de sombras, mas uma luz bri- lhou sobre eles (Is 9,1). É o amor divino, o amor que transforma a vida, renova a história, liberta do mal, infunde a paz e alegria. Natal, manifestação da graça de Deus”. Leitor(a) 2: “São Paulo chama Graça a vinda de Deus ao mundo. Para nos dizer que é completamente gratuita, enquanto aqui na ter- ra, tudo parece seguir a lógica do dar para receber, Deus chega de graça. O seu amor ultrapassa qualquer possibilidade de negócio: nada fizemos para o merecer, e nunca poderemos retribuí-lo. 3. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Jesus é o Salvador, porque traz a libertação definitiva, é o Messias, porque traz o Espírito de Deus e é o Senhor porque vence todos os obstáculos. Canto de acolhida à Palavra. Leitura: Lucas 2, 1-14 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente)
  • 38. 38 Encenação da Novena de Natal: de acordo com cada realidade. 4. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: “Gloria a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por Ele amados.” a - Qual é a Boa Notícia que esperamos hoje? b - Os primeiros a receber a notícia do nascimento de Jesus foram os pastores,” Eu anuncio para vocês a Boa notícia uma grande ale- gria para todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vocês o Salvador, que é o Messias, o Senhor”. Comentar. 5. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO (PRECES) Dirigente: A grande alegria anunciada aos pastores é verdadeira- mente para todo o povo. Naqueles pastores, que santos não eram certamente, estamos também nós, com as nossas fragilidades e fraquezas. Deus veio habitar entre nós. Deus continua a amar a todo homem, mesmo o pior. Hoje diz a mim, diz a Ti, a cada um de nós: ”Amo-te e sempre te amarei”. Todos: Por todo amor, gratidão Senhor! Dirigente: Te agradecemos nosso Deus pelo dom da vida, por amar a todos sem distinção, por ser o bem que brota em cada ser, rezemos. Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 6. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: Em virtude das consequências da pandemia, muitas pes- soas e famílias passam por dificuldades. Cabe a nós como comuni- dade igreja, trabalhar nosso gesto concreto a caridade. Vamos nos organizar, dentro do possível, para ajudar com cestas básicas - no pagamento de contas água e luz - na compra do gás de cozinha - na compra de remédios - no contato pessoal ou telefônico. 7. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Senhor Deus vivo e verdadeiro, Trino e Uno, Senhor Deus dos deuses, vós sois o Bem, todo o Bem, o sumo Bem. Amém! Dirigente: Deus nos abençoe, e nos guarde mostre-nos sua face e compadeça de nós. Amém! 8. CANTO FINAL Noite feliz
  • 40. 40 1. Ó LUZ DO SENHOR Ó Luz do Senhor que vem sobre a terra; Inunda meu ser, perma- nece em nós. 2. EM NOME DO PAI Em nome do Pai. Em nome do Filho. Em nome do Espírito Santo. Estamos aqui. (2x) Para louvar e agradecer, bendi- zer e adorar, estamos aqui, Se- nhor, a teu dispor. Para louvar e agradecer, bendizer e adorar, te aclamar, Deus trino de amor. 3. A PALAVRA QUE É LUZ E nós vamos ouvir, a Palavra que é Luz, e que vem nos unir. 1 - A palavra de Deus vem che- gando no meio do povo. 2 - A palavra que traz boa nova e renova a esperança. 3 - A palavra vai ser partilhada partilhada em comunidade. 4. VAMOS OUVIR 1 - Vamos ouvir a Palavra de Deus, que vem chegando, che- gando. É ela a Palavra de Jesus. Em toda Igreja vai se espalhan- do. 2 - Com as palavras do Evange- lho. Os oprimidos vão se liber- tando. Ouvindo o que diz Jesus Cristo. Toda gente vai cami- nhando. 5. ESCUTA Escuta, oh Israel, Javé teu Deus falar. Escuta, oh Israel, Javé teu Deus vai falar. Fala, Senhor Javé, Israel quer te escutar. Fala, Senhor Javé, Isra- el quer te escutar. 6. EU VIM PARA ESCUTAR Tua Palavra, Tua Palavra, Tua Palavra de amor. 1 - Eu vim para escutar. 2 - Eu gosto de escutar. 3 - Eu quero entender. 4 - O mundo inda vai viver. 7. O MEU ESPIRITO CONDUZ O meu Espírito conduz, quem ouve a voz do Filho meu. Ale- luia, aleluia, aleluia, aleluia! Quem der testemunho de mim, diante dos homens, dos tronos. Não tema o que possa dizer, que meu Espírito mesmo dirá. 8. A PALAVRA CHEGANDO A Palavra de Deus vai chegan- do, vai. 1 - É Jesus que hoje vem nos falar. 2 - É a Palavra de Deus aos pe- quenos. 3 - É a Palavra de libertação. 4 - Como o sol a brilhar no ho- rizonte. 5 - É semente fecunda na terra.
  • 41. 41 9. ENVIA TUA PALAVRA Envia tua Palavra, Palavra de Salvação. Que vem trazer es- perança, aos pobres libertação. 1 - Tua Palavra de vida é como a chuva que cai, que torna o solo fecundo e faz nascer a semen- te; É água viva da fonte, que faz florir o deserto. É uma luz no ho- rizonte, é novo caminho aberto. 2 - Ela nos vem no silêncio, no coração de quem crê, no cora- ção dos humildes, que vivem por teu poder. Aos fracos ela dá força, aos pobres sabedoria, e se tornou nossa carne; nasceu da Virgem Maria. 10. Ó VEM, SENHOR Ó vem, Senhor, não tardes mais, vem saciar nossa sede de paz! 1 - Ó vem, como chega a brisa do vento trazendo aos pobres justiça e bom tempo! 2 - Ó vem, como chega a chu- va no chão trazendo fartura de vida e de pão! 3 - Ó vem, como chega a luz que faltou só tua palavra nos salva, Senhor! 4 - Ó vem, como chega a carta querida bendito carteiro do rei- no da vida! 5 - Ó vem, como chega o filho esperado caminha conosco, Je- sus bem-amado! 6 - Ó vem, como chega o liber- tador das mãos do inimigo, nos salva, Senhor! 11. ANUNCIAÇÃO Tu vens, tu vens, eu já escuto teus sinais. 1 - Na bruma leve das paixões que vêm de dentro. Tu vens che- gando pra brincar no meu quin- tal. No teu cavalo, peito nu, ca- belo ao vento. E o sol quarando nossas roupas no varal. 2 - A voz do anjo sussurrou no meu ouvido. Eu não duvido, já escuto os teus sinais. Que tu vi- rias numa manhã de Domingo. Eu te anuncio nos sinos das ca- tedrais. 12. NATAL É CONVERSÃO Meu caro irmão, olha pra dentro do teu coração, vê se o Natal se tornou conversão e te ensinou a viver. 1 - Chegou a hora de sonhar de novo, de tornar-se povo e se fa- zer irmão. Chegou a hora que ligeiro passa de ganhar a graça para a conversão. 2 - Chegou a hora de viver o Cristo e acreditar que isto é se tornar maior. Chegou a hora de pensar profundo e perceber que o mundo pode ser melhor. 3 - Será difícil tantas mãos uni- das não fazer da vida um tempo igual. Será difícil tanto amor e
  • 42. 42 afeto não tornar concreto o ges- to do Natal. 13. MOMENTO NOVO 1 - Deus chama a gente pra um momento novo. De caminhar junto com seu povo. E hora de transformar o que não dá mais. Sozinho, isolado, ninguém é ca- paz. Por isso vem, entra na roda com a gente, também.Você é muito importante. 2 - Não é possível crer que tudo é fácil. Há muita força que pro- duz a morte. Gerando dor, tris- teza e desolação. É necessário unir o cordão. 3 - A força que hoje faz brotar a vida. Atua em nós pela sua gra- ça e Deus quem nos convida pra trabalhar. O amor repartir e as forças juntar. 14. ABRE TUA PORTA Por que não respondes? Por que tu te escondes? Impedes Jesus de renascer! (2x) 1 - Abre tua porta que alguém está batendo, abre tua porta que alguém está nascendo, é Jesus que vem a ti. 2 - Tira este manto que veste o velho homem, tira da vida ideais que te consomem, abre a porta pra Jesus. 3 - Quando acolheres idosos e crianças, pra cobri-los de paz e de esperança, é Jesus que vem a ti. 15. NESTA RUA (melodia: Se esta rua fosse minha) 1 - Nesta rua, nesta rua este ano, nós iremos, nós iremos ce- lebrar. A chegada, a chegada do Menino, que virá, que virá nos libertar. 2 - Se você, se você acreditar, no poder do Menino que virá. Vai chamar todo povo desta rua, pra melhor, pra melhor se organizar. 16. NATAL É VIDA QUE NASCE Natal é vida que nasce, natal é Cristo que vem, nós somos o seu presépio e a nossa casa é Belém. 1 - Deus se tornou nossa grande esperança, e como criança no mundo nasceu. Por isso vamos abrir nossas portas. A Cristo o que importa é conosco viver. 2 - Ele assumiu nossa vida terre- na, ao céu nos acena com ges- to de amor. Veio a todos salvar igualmente, queria somente ser nosso pastor. 17. SENHOR, VEM SALVAR O TEU POVO 1 - Senhor, vem salvar teu povo das trevas da escuridão. Só Tu
  • 43. 43 és nossa esperança, és nossa libertação. Vem Senhor! Vem nos salvar, com teu povo vem caminhar! 2 - Contigo o deserto é fértil, a terra se abre em flor; Da rocha brota água viva, da terra nasce esplendor. 3 - Tu marchas à nossa frente, és força, caminho e luz. Vem logo salvar teu povo, não tardes, Senhor Jesus. 18. NOITE FELIZ 1 - Noite feliz, noite feliz. Ó Se- nhor, Deus de amor, pobrezinho nasceu em Belém, eis na lapa Jesus, nosso bem. Dorme em paz, ó Jesus. Dorme em paz, ó Jesus 2 - Noite feliz, noite feliz. Ó Je- sus, Deus da luz: Quão afável é teu coração, que quiseste nas- cer nosso irmão. E a nós todos salvar. E a nós todos salvar. 3 - Noite feliz, noite feliz. Eis que no ar vêm cantar aos pastores os anjos dos céus, anunciando a chegada de Deus. De Jesus Salvador. De Jesus Salvador. 19. SINO DE BELEM 1 - Hoje a noite é bela vamos a capela, sob a luz da vela, felizes a cantar. Ao soar o sino, sino pe- quenino, vai um Deus Menino, nos abençoar. Bate o sino pequenino, sino de Belém. Já nasceu o Deus Me- nino, para o nosso bem.Paz na terra pede o sino, alegre a can- tar. Abençoa Deus Menino esse nosso lar. 2 - Vamos minha gente, vamos a Belém, vamos ver Maria e Je- sus também. Já deu meia noi- te, já chegou o Natal, já tocou o sino lá na Catedral. 20. ESTOU PENSANDO EM DEUS Estou pensando em Deus, es- tou pensando no amor. 1 - Os homens fogem do amor, e depois que se esvaziam, no va- zio se angustiam e duvidam de você, você chega perto deles, mesmo assim ninguém tem fé. 2 - Eu me angustio quando vejo, que depois de dois mil anos, en- tre tantos desenganos poucos vivem sua fé, muitos falam de esperança, mas esquecem de você. 3 - Tudo podia ser melhor, se meu povo procurasse, nos cami- nhos onde andasse pensar mais no seu Senhor, mas você fica es- quecido e por isso falta o amor. 4 - Tudo seria bem melhor, se o Natal não fosse um dia e se as mães fossem Maria e se os pais fossem José. E se os filhos parecessem com Jesus de Na- zaré.
  • 44. 44 21. UTOPIA Vai ser tão bonito se ouvir a canção, cantada de novo. No olhar da gente a certeza de ir- mãos: Reinado do povo. 1 - Quando o dia da paz renas- cer, quando o sol da esperança brilhar, eu vou cantar. Quando o povo nas ruas sorrir, e a roseira de novo florir, eu vou cantar! 2 - Quando as cercas caírem no chão, quando as mesas se en- cherem de pão, eu vou cantar. Quando os muros que cercam os jardins, destruídos, então os jasmins vão perfumar! 3 - Quando as armas da destrui- ção, destruídas em cada nação, eu vou sonhar! E o decreto que encerra a opressão, assinado só no coração, vai triunfar! 4 - Quando a voz da verdade se ouvir e a mentira não mais exis- tir, será, enfim. Tempo novo de eterna justiça, sem mais ódio, sem sangue ou cobiça: vai ser assim. 22. DA CEPA BROTOU A RAMA - CANTADO OU REZADO. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 1 - O espírito de Deus sobre ele pousará, de saber, de entendi- mento este espírito será. De conselho e fortaleza, de ciência e de temor. Achará sua alegria no temor do seu senhor. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Ma- ria, de Maria o Salvador. 2 - Não será pela a ilusão do olhar, do ouvir, falar. Que Ele ira julgar os homens, como é pra- xe acontecer... Mas os pobres desta com justiça julgará e dos fracos o direito Ele é que defen- derá. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nas- ceu Maria, de Maria o Salvador. 3 - A palavra de sua boca ferirá o violento e o sopro de seus lá- bios matará o avarento... A jus- tiça é o cinto que circunda a sua cintura e o manto da lealdade é a sua vestidura. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 4 - Neste dia, neste dia, o incrível o verdadeiro coisa que nunca se viu morar lobo com cordeiro... A comer do mesmo pasto tigre, boi, burro e leão, por um meni- no guiado se confraternizarão. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Ma- ria, de Maria o Salvador. 5 - Um menino uma criança com as feras a brincar e ne- nhum mal, nenhum dano mais na terra se fará... Da ciência do Senhor cheio o mundo estará
  • 45. 45 como o sol inunda a terra e as águas enchem o mar. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 6 - Neste dia, neste dia, e Senhor estenderá sua mão libertadora pro seu povo resgatar... Estan- darte para os povos o Senhor levantará, a seu povo sua Igreja toda a terra acorrerá. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 7 - A inveja a opressão entre irmãos acabará e a comunhão de todos o inimigo vencerá... Poderosa mão Deus fez no Egi- to o mar secar; para o resto do seu povo um caminho abrirá. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Ma- ria, de Maria o Salvador. 23. O CANTO DE MARIA DO POVO 1 - Minh’alma dá glórias ao Se- nhor. Meu coração bate alegre e feliz. Olhou para mim com tan- to amor, que me escolheu, me elegeu e me quis. E de hoje em diante eu já posso prever. To- dos os povos vão me bendizer. O Poderoso lembrou-se de mim, Santo é seu nome sem fim. O povo dá glórias ao Senhor, seu coração bate alegre e feliz Maria carrega o Salvador por- que Deus faz, sempre cumpre o que diz e quando os povos aceitam lei passa de pai para fi- lho seu dom das gerações Ele é mais do que rei, ele é Deus pai, ele é bom 2 - Minh’alma dá glórias ao Se- nhor meu coração bate alegre e feliz olhou para mim com tan- to amor que me escolheu, me elegeu e me quis. O orgulhoso Ele sabe dobrar, o poderoso Ele sabe enfrentar o pobrezinho Ele defenderá, não nos abandonará 3 - Minh’alma dá glórias ao Se- nhor meu coração bate alegre e feliz meu povo já sente o seu amor, Ele promete, Ele cumpre o que diz aos nossos pais Ele um dia jurou ele é fiel e jamais enganou, estamos perto da era do amor nendito seja o Senhor. 24. MARIA DE NAZARÉ 1 - Maria de Nazaré, Maria me cativou. Fez mais forte a minha fé, e por filho me adotou. As ve- zes eu paro e fico a pensar, e sem perceber me vejo a rezar, e meu coração se põe a cantar, pra Vigem de Nazaré. Menina que Deus amou e escolheu, pra mãe de Jesus, o Filho de Deus, Maria que o povo inteiro elegeu, Senhora e Mãe do Céu. Ave Maria, Ave Maria, Ave Maria, Mãe de Jesus!
  • 46. 46 2 - Maria que eu quero bem, Ma- ria do puro amor. Igual a você, ninguém, Mãe pura do meu Se- nhor. Em cada mulher que a ter- ra criou, um traço de Deus Maria deixou, um sonho de Mãe Maria plantou, pro mundo encontrar a paz. Maria que fez o Cristo fa- lar, Maria que fez Jesus cami- nhar. Maria que só viveu pra seu Deus, Maria do povo meu. Ave Maria, Ave Maria, Ave Maria, Mãe de Jesus! 25. CRISTO É A FELICIDADE O valor de se ter liberdade. Po- der abraçar um amigo e sentir. O calor de uma grande amizade Cristo é a felicidade. Cristo é a felicidade. Sem ter amor nesta vida não há, quem seja feliz de verdade. Saber que jamais se perde a ilusão. Saber perdoar com bondade. Sorrir com a paz de criança. E olhar para o sol que começa a brilhar.
  • 47. 47 Equipe Glória Freitas - Paróquia Paulo Apóstolo Maria Aparecida Matsutacke - Paróquia Nossa Sra. de Guadalupe Maria das Graças Bustamente - Paróquia Santuário São Judas Tadeu Maria José de Oliveira - Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe Regina Celia S. Ferreira - Paróquia São Francisco de Assis Silvia Maria Andrade Macedo - Paróquia Coração Eucarístico de Jesus Vera Lúcia C. T. da Rosa - Paróquia São José Operário - Jacareí Assessores Diocesanos das CEBs Diácono Vanderci José Sales - Paróquia Coração de Jesus Pe. João Alves Sobrinho - Paróquia Coração de Jesus Diagramação e Impressão: CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2021 Subsídio Nº 4 - ANO XXXI • SUBSÍDIO PARA REFLEXÃO NAS COMUNIDADES www.facebook.com/katueditoragrafica www.instagram.com/katueditoragrafica www.katueditoragrafica.com.br 12 3933.2707
  • 48. 48 CEBs (COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE) Contato: tremdascebs.sjc@gmail.com Diocese de São José dos Campos - SP Esperando Jesus Senhor, te esperamos novamente. Povoa de esperança o espaço que restou dentro de nós. Repete o milagre de, embora divino, caber por inteiro em cada coração humano. Volta para nós, dessa maneira simples de chegar. E permanece conosco, ajudando-nos a crer que ainda é tempo de sonhar com a paz. Senta-te à nossa mesa e prova o pão do nosso suor. Caminha conosco, para entenderes o nosso cansaço. De nossa parte, estaremos te esperando, como terra seca que procura orvalho; como noite escura que procura luz; como fonte imóvel que procura impulso. E que possamos te descobrir em todos os presépios e casas em todas as manjedouras e berços, em todas as Marias e Josés.