SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
As consequências
                                                                         da nossa adesão a
                                                                                                       mistério.
Cristo têm vindo a ser tema de reflexão dos encontros de zona, com os diferentes grupos.
A Sagrada Escritura tem sido a nossa referência. Em cada texto lido e interiorizado temos              e possas saborear o néctar do seu
descoberto formas de manifestar claramente, pelo nosso testemunho de vida (atitudes,                   de Deus te habite
gestos...) a nossa fé. Somos chamados à diFErença, à autenticidade, à liberdade...                     que a sabedoria
No dia 9 de Março (quarta-feira de cinzas) iniciamos o tempo da Quaresma. A Igreja, com                Faz silêncio para
este tempo, proporciona-nos verdadeiros momentos de oração, meditação e reflexão. É o
tempo propício para cada um de nós se questionar acerca da sua relação com Deus e com                  divinas!
os irmãos. É, muito provavelmente, o tempo em que devemos dedicar mais espaço à Pala-
                                                                                                       que o doce cintilar das estrelas
vra de Deus, à sua leitura (aconselhamos as cartas de S. Paulo)... Deixemos que a Palavra
invada o nosso coração e o transforme... permitamos que a mesma Palavra se faça acção                  intelecto humano dão mais luz
em nós e não se limite a um interesse subjectivo e pouco concretizável... façamos da nos-              que as miseráveis lâmpadas do
sa vida diária uma vida de entrega, de serviço, de amor e de perdão...                                 sária. Pobres homens que crêem
Viver a quaresma significa celebrar a conversão! (pois é, a conversão merece celebração!)              lâmpada terrestre já não é neces-
Atrevo-me a colocar, neste artigo, alguns apelos que S. Paulo nos faz na sua primeira carta            to vem com a sua Luz, a nossa
aos Tessalonicensees. Vamos ouvir ou já ouvimos estes pedidos mais do que uma vez, no                  preenderás! Onde o Espírito San-
entanto desafio cada um e cada uma a abrir de novo os ouvidos e o coração, para que a
                                                                                                       fé. Por isso, faz silêncio e com-
Palavra penetre em nós e transborde de nós. Diz S. Paulo:
“Pedimo-vos, irmãos, que sejais reconhecidos para com aqueles que se afadigam entre vós, que vos       rimentou o néctar da verdadeira
governam no Senhor e que vos instruem dedicai-lhes uma caridade acrescida devido à sua obra.           religião, é porque ainda não expe-
Vivei em paz entre vós. Exortamo-vos, irmãos: corrigi os indisciplinados, encorajai os desanimados,    a discutir e a especular sobre a
amparai os fracos, sede pacientes com todos. Prestai atenção a que ninguém pague o mal com o
mal; procurai, antes, fazer sempre o bem uns para com os outros e para com todos. Sede sempre          tar. Quando alguém ainda estiver
alegres. Orai sem cessar. Em tudo dai graças. Esta é, de facto, a vontade de Deus a vosso respeito     rior; bebe silenciosamente o néc-
em Jesus Cristo. Não apagueis o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo, guardai o que    logo que ela penetrar no seu inte-
é bom. Afastai-vos de toda a espécie de mal.” (1Ts 5, 12-22)
                                                                                                       da flor e emite um zumbido. Mas,
Estes pedidos de S. Paulo podem constituir o nosso “programa quaresmal”. Aceitamos o
                                                                                                       de seu suco, ela plana em volta
desafio ou será demasiado exigente para nós? Estamos dispostos a testemunhar alegre-
mente a nossa fé em Cristo ou preferimos viver na passividade e de “braços cruzados”?                  ainda não experimentou a doçura
Aceitamos estar ao lado dos mais necessitados ou preferimos ser reconhecidos como os                   no exterior das pétalas do lírio e
“mais bem vistos da sociedade”?                                                                        - Enquanto a abelha se encontra
Ser de Cristo é amar como Cris-                                                Da exorta-              E continuou:
to, viver como Cristo, sentir                                                  ção apos-               prova.
como Cristo. Então de que esta-                                                tólica Pós-             Portanto, não há necessidade de
mos à espera?                                                                  Sinodal do              dentro e através de cada coisa.
                                       Papa Bento XVI, sobre a Palavra de Deus na vida e na mis-       mim, e fora de mim, eu vejo-o
                                       são da Igreja (Verbum Domini), podemos retirar ajuda para       existência de Deus. Eu vejo-o em
                                       a nossa vida de fé:
           Nesta edição:                                                                               - Então o mesmo se dá com a
                                       Todo o homem aparece como o destinatário da Palavra,
                                                                                                       necessidade de prova.
                                       interpelado e chamado a entrar, por uma resposta livre, em
  Parábolas                2           tal diálogo de amor. Assim Deus torna cada um de nós
                                                                                                       - Eu vejo-a, portanto, não há
  Orar é...                2           capaz de escutar e responder à Palavra divina. (VD, 22)         perguntou Devendranath.
                                       Neste diálogo com Deus, compreendemo-nos a nós mes-             - Como sabes que é uma luz? -
  Grupos                   3           mos e encontramos resposta para as perguntas mais pro-          - É uma luz- respondeu o cético.
                                       fundas que habitam no nosso coração. De facto, a Palavra        - Sabes o que é isto?
  JMJ 2011                 3           de Deus não se contrapõe ao homem, nem mortifica os             luz:
                                       seus anseios verdadeiros; pelo contrário, ilumina-os, purifi-
  TPE                      3                                                                           Devendranath apontou para uma
                                       ca-os e realiza-os. Como é importante, para o nosso tempo,      provas de sua existência?
  Semestões                3           descobrir que só Deus responde à sede que está no coração
                                                                                                       - Sempre falas de Deus, mas tens
                                       de cada homem! (DV, 23)
  Exortações               4           Quem faz entrar Cristo, nada perde, nada! Queridos jovens,
                                                                                                       dranath Tagore:
                                       não tenhais medo de Cristo! Ele não tira nada, e dá tudo.       Um Cético perguntou a Deven-
  Biblex                   4           Sim, abri de par em par as portas a Cristo, e encontrareis a
  Sementinha               4           vida verdadeira. (VD, 104)                                                       A Verdadeira Fé
Procurando firmar a sua fé em Cristo, 37 jovens do movimento JEF partici-
                                                     param no encontro de formação sobre o tema: As parábolas de Jesus na
                                                     minha vida. Esta acção decorreu no passado dia 15 de Janeiro no Colégio
                                                     de N. Sra do Amparo, em Mirandela. Estiveram presentes jovens dos gru-
                                                     pos de Bragança, Freixo de Espada à Cinta, Ligares, Macedo de Cavaleiros,
Vilar de Nantes e Pereira. O dia iniciou com a oração da manhã embebida no espírito da parábola do fariseu e do cobrador de
impostos (Lc 18, 9-14) ao que se seguiu uma breve introdução às parábolas de Jesus.
Posteriormente foram apresentadas e exploradas oito parábolas: Juiz iníquo – Lc 18,
1-8; Dois devedores – Lc 7, 36-43; Servo mau – Mt 18, 21-35; Rico e Lázaro – Lc 16,
19-31; Vinhateiros homicidas – Mt 21, 33-44; Os trabalhadores da vinha – Mt 20, 1-
16; Os talentos – Mt 25, 14-30; A videira e a vara – Jo 15, 1-10. Após um saboroso
almoço partilhado regressámos ao trabalho, desta vez, para, em pequenos grupos,
se actualizarem as parábolas estudadas durante a manhã. Foi um trabalho muito
enriquecedor, no qual foram lançados vários convites para que nos assemelhásse-
mos cada vez mais com Jesus. Terminou o encontro com a oração de compromisso
baseada na parábola do Semeador (Mc 4, 3-8). A semente foi lançada, urge cuidar a
nossa terra, para que seja boa…acolhedora da Palavra que nos transforma e nos dá
a vida.
Partilhamos algumas das mensagens deixadas aos jovens, a partir das parábolas
exploradas nos grupos:

Mt 20, 1-16—Não se deve ter inveja de quem é beneficiado, quando são justos connosco.
Mt 18, 21-35—Jesus mostra-nos que devemos perdoar o próximo com o íntimo do nosso coração. Nós gostamos imenso que
nos perdoem, mas na maioria das vezes não perdoamos uma pequena falha aos nosso amigos. Esta parábola salienta a impor-
tância do perdão; como é bom perdoar e ser perdoado.
Mt 21, 33-44—Devemos respeitar sempre o trabalho dos outros e aceitar as nossas responsabilidades com humildade.
Mt 25, 14-30—Precisamos conhecer o que temos de melhor e pô-lo a render. Devemos aproveitar o que Deus nos dá e não
seguir o caminho da preguiça. Semear hoje o que temos de melhor para podermos colher no futuro.
Lc 7, 36-43—Antes de agir pensa bem no que pode acontecer. Deus está connosco e ensina-nos a amar e a perdoar os outros
como ele nos perdoa a nós.
Lc 16, 19-31—O mundo que nos rodeia está cheio de conceitos, vidas, culturas diferentes. Estamos rodeados de informação
sobre o que é bom e o que é mau, o certo e o errado; temos a oportunidade de escolher o que fazer, de viver segundo as esco-
lhas feitas. Vive do Jeito de Jesus. Neste mundo será o sal que não salga ou a terra que não se deixa salgar?
Lc 18, 1-8—Devemos ser teimosos com Deus, desde que peçamos o que é recto. Não desanimarmos perante as tribulações.
Jo 15, 1-10—Fiquemos sempre unidos a Jesus. Se quisermos ter em nós a verdadeira vida, devemos fugir do pecado e viver na
graça de Deus, em verdadeira união com Jesus.



                                                               Fazer corresponder                 Proc
                                                                                                       ur
                                                               os nossos desejos à               de D ar o rosto
                                        Crer que,               vontade de Deus.                      eus,
                                                                                                 das a     pa
                                                  no fim
                                           do camin                                                    parê ra lá
                                                     ho,                                                   ncias
                                                                                                                .
                                            está a luz
                                                      .
                              fé,
                       ão de
             um  a opç certe-
       Fazer do-nos na stá
              n             e
        apoia que Deus do do                                                                                Amar e sentir-
          za d e       seg re
                 te no        o.                                                                             se amado.
         p resen so coraçã
               nos                     Deixar que o Espíri-
                                        to seja em nós um
                                       impulso para o Pai,
                                             no Filho.
                                                                                                                         m
                                                                                                                    ar co
           Abrir a porta                                                                                     D ialog diálo-
                                                                                                                     m
           do teu cora-                                                                                          s nu     r.
                                                                                                             Deu de amo
           ção a Deus.          Dirigir sempre tu                                                               go
                                                  do
                                para Deus, com ou
                                  sem palavras.



     "Senhor, aumenta a nossa fé!"                                                          (Lc 17,5)
1ª Visita - Vilar de Nantes / Loivos
                                                                             Na tarde do dia 4 de
                                                                             Dezembro, o Secreta-
                                                                             riado JEF terminou o
                                                                             primeiro ciclo de visitas
1. Onde foi realizada antes?
                                         aos grupos JEF em Vilar de Nantes. Tal como nas outras
Em Buenos Aires, com o apoio de          visitas, o tema da adesão a Jesus Cristo, como projecto de
um milhão de jovens; em Santiago         vida pessoal, foi explorado com várias dinâmicas e com a
de Compostela, com mais de               leitura atenta da Palavra de Deus. Estiveram presentes
500.000; em Czestochowa, com             neste encontro 17 jovens do Grupo de Vilar de Nantes e 6
1.600.000,;em Denver, com                jovens do Grupo de Loivos. No final do encontro houve
600.000; em Manila, com cerca de 4       lanche oferecido pelas irmãs de Vilar de Nantes.
milhões; em Paris, com 1,2 milhões;
em Roma, com 2 milhões; em
Toronto, 800.000; na Colônia, com                                               2ª Visita - Pereira / Macedo de Cavaleiros
1,1 milhões; em Sydney, com                                                     O segundo ciclo de visitas aos grupos iniciou na tarde
400.000.                                                                        do dia 12 de Fevereiro em Pereira. Exploraram o tema
                                                                                proposto (Assumir na vida pessoal e social as exigên-
2. Quem pode participar na JMJ?                                                 cias da fé), com a ajuda do secretariado, 15 jovens do
Para o Dia Mundial da Juventude                                                 Grupo de Pereira e 8 jovens do Grupo do Centro D.
estão convidados todos os jovens                                                Abílio em Macedo. Pudemos perceber que aquele que
do mundo: as meninas e meninos
                                                                                acredita em Jesus não pode ficar indiferente ao que se
de boa vontade, de todas as reli-
giões que querem compartilhar de
                                                                                passa a seu lado. Temos que ser diferentes, Jovens
alguns dias de oração, alegria e                                                que, enamorados por Jesus Cristo, pautam a sua vida
solidariedade. Além disso, muitos                                               pelos valores do Evangelho e começam já hoje a cons-
voluntários estão dispostos a coo-                                              truir um mundo mais fraterno.
perar para o sucesso da Jornada
Mundial da Juventude.
                                         FESTA DE NATAL EM VILAR DE NANTES
3. Com quantos anos?                     Somos o grupo da JEF de Vilar de Nantes: “Sementes Vivas”. Decidimos escrever para o
No verão de 2011 deves ter pelo          Semeando, para partilhar convosco as nossas férias de Natal. Foram umas férias ótimas e
menos cerca de 14 anos. Podem            divertidas. Somos um grupo unido e como tal organizá-
participar jovens a partir de 14, 15,    mos uma festa de Natal, na qual partilhámos com os ido-
16 até aos 30 anos. A média é de         sos alegria, paz e amor, para que se possam sentir bem e
jovens que têm entre 16 e 25 anos.       alegres, prontos para um novo ano. A nossa festa foi
                                         composta por: músicas, teatros, danças e poemas de
4. Quanto pagam os participantes?        Natal. Foi um dia diferente, tanto para nós como para
A participação em atividades reli-
                                         eles. Esperamos que para o ano nos voltemos a encontrar
giosas é totalmente gratuita: não
pagam para assistir aos actos do
                                         para lhes alegrarmos o Natal, fazendo-lhes uma festa
Papa. A taxa de participação é para      ainda maior. Deixamos os votos de um Bom Ano a todos
cobrir o alojamento, as refeições        os grupos da JEF e ao Secretariado. Um abraço para
para os dias da JMJ, a da mochila do     todos.                             Sementes Vivas
peregrino, o transporte e bilhetes
para atividades culturais e artísticas                             FÉ E CONVERSÃO
da JMJ.                                                            A vocação é fruto de um encontro.
                                                                                                                    LIVRO - O Regresso do Filho pródigo, Henri Nouwen
                                                                                                                                                                        BLOG - http://derrotarmontanhas.blogspot.com/




                                                                   Um encontro com Jesus que dá um
5. Porque participar nas JMJ?                                      sentido novo e um vigor renovado a
O Papa convida todos os jovens                                     quem se aproxima dele, a quem
para irem a uma determinada cida-                                  acredita. Converte-te ao amor!
                                                                                                                                                                                                                                                            FILME - A vida é bela, Roberto Benigni




de "ter um encontro pessoal com          Lê Mt 1,12-15
                                                                                                                                                                                                                        SITE - http://www.madrid11.com/pt




Cristo que signifique uma confirma-
                                         Faz deserto e deixa que seja o Espírito de Deus a habitar-te.
ção na fé e uma conversão interior
que, nos jovens católicos, deve          Em que momentos da vida fazes experiência de deserto?
levar os sacramentos da Reconcilia-      A Quaresma é o tempo em que cada um de nós se reconhece
ção e da Eucaristia. Estes encontros     pecador e suplica a misericórdia de Deus.
são as etapas de uma grande pere-
grinação através do planeta, para        Que tentações te afastam mais de Deus?
mostrar como a fé em Cristo nos          Que fazes para que a tua relação com
torna todos filhos do único Pai que      Deus não esmoreça?
está nos céus e construtores da
civilização do amor "(Bento XVI ).       Procura celebrar com fé o sacramento da
                                         Reconciliação.


                                 “A fé é garantia das coisas que se esperam e certeza daquelas
                                 que não se vêem.”                                       (Heb11,1)
18. Compaixão e pobreza interior
Bem-aventurado o homem que suporta o próximo em sua fragilidade, como quereria por ele ser suportado, se
em circunstâncias semelhantes se encontrasse (Mt 7, 12; Gl. 6, 2). Bem-aventurado o servo que atribui todos
os seus bens ao Senhor Deus, porque aquele que reserva para si alguma coisa, esconde dentro de si o dinheiro
do seu Senhor (Mt 25, 18), e o que julga possuir, ser-lhe-á tirado (Lc 8, 18).

19. O humilde servo de Deus
Bem-aventurado o servo que não se tem por melhor quando os outros o louvam e honram, do que quando o
tratam por pessoa de nada, simples e desprezível, pois, quanto vale o homem aos olhos de Deus, isso vale e não mais.

22. A humildade na correcção
Bem-aventurado o servo que suporta de outrem a correcção, acusação e repreensão, com tanto alma, como se de si mesmo as recebera.
Bem-aventurado o servo que, repreendido, com generosidade se submete, com respeito obedece, humildemente confessa a falta, e de
boamente a repara. Bem-aventurado o servo que não é fácil em se desculpar, e humildemente suporta a afronta e repreensão, mesmo de
falta que não cometeu.



        Participa no Semeando!
Envia notícias para: juveucfranciscana@gmail.com
Visita o nosso Blog: http://jefsfrjs.blogspot.com/
        Junta-te ao grupo dos amigos da
 Juventude Eucarística Franciscana no Facebook.          Descobre os nomes dos
                                                         Livros do Novo Testamento
                                                         neste passatempo!

    05 de Março em Torre de Moncorvo                     15 LETRAS -Tessalonicensses
                                                         11 LETRAS - Colossences

          ENCONTRO JEF
                                                         10 LETRAS - Apocalipse;
                                                         Filipenses
                                                         9 LETRAS - Corintios
              DIA DE DE SERTO
          Carmelo da Sagrada Família                     7 LETRAS - Galatas;
               Tempo de reflexão individual              Efesios; Romanos;
             Traz a Bíblia e lanche.          ARRISCA!
                                                         Timoteo; Filemon; Hebreus
                                                         6 LETRAS - Marcos; Mateus
                                                         5 LETRAS - Lucas; Tiago;
                                                         Pedro; Judas; Actos
                                                         4 LETRAS - João ; Tito




      “A multidão dos que haviam abraçado a fé tinha um só coração e
      uma só alma.”                                             (Act 4, 32)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Publicação
PublicaçãoPublicação
PublicaçãoLeigos
 
Servos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmenteServos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmenteAdSede Assis
 
David (paul) yonggi cho o espírito santo, meu companheiro
David (paul) yonggi cho   o espírito santo, meu companheiroDavid (paul) yonggi cho   o espírito santo, meu companheiro
David (paul) yonggi cho o espírito santo, meu companheiroIago Rodrigues
 
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda   o poder secreto do jejum e da oraçãoMahech chavda   o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oraçãoMidia Jornalismo
 
A cruz watchman nee
A cruz   watchman neeA cruz   watchman nee
A cruz watchman neeraphaeI
 
Devocional para Crianças - Fruto do Espírito- Alegria
Devocional para Crianças - Fruto do Espírito- AlegriaDevocional para Crianças - Fruto do Espírito- Alegria
Devocional para Crianças - Fruto do Espírito- AlegriaLana Bezerra
 
A Travessia - Reforma Íntima
A Travessia - Reforma ÍntimaA Travessia - Reforma Íntima
A Travessia - Reforma ÍntimaRicardo Azevedo
 
Evangélico Mary K Baxter - A divina revelação do Céu
Evangélico   Mary K Baxter - A divina revelação do Céu Evangélico   Mary K Baxter - A divina revelação do Céu
Evangélico Mary K Baxter - A divina revelação do Céu Gééh Santos
 
A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)Jonatas Mendes
 
Soluções para os Problemas da Vida
Soluções para os Problemas da VidaSoluções para os Problemas da Vida
Soluções para os Problemas da Vidaprantoniocarlos
 
Um Povo que Produz Frutos
Um Povo que Produz FrutosUm Povo que Produz Frutos
Um Povo que Produz Frutosdianacondeco38
 
Retiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaraguaRetiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaraguaKleber Silva
 

Mais procurados (15)

Publicação
PublicaçãoPublicação
Publicação
 
Servos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmenteServos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmente
 
David (paul) yonggi cho o espírito santo, meu companheiro
David (paul) yonggi cho   o espírito santo, meu companheiroDavid (paul) yonggi cho   o espírito santo, meu companheiro
David (paul) yonggi cho o espírito santo, meu companheiro
 
05 02 12
05 02 1205 02 12
05 02 12
 
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda   o poder secreto do jejum e da oraçãoMahech chavda   o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
 
Apocalipse 16 de dezembro de 2012
Apocalipse 16 de dezembro de 2012Apocalipse 16 de dezembro de 2012
Apocalipse 16 de dezembro de 2012
 
A cruz watchman nee
A cruz   watchman neeA cruz   watchman nee
A cruz watchman nee
 
Devocional para Crianças - Fruto do Espírito- Alegria
Devocional para Crianças - Fruto do Espírito- AlegriaDevocional para Crianças - Fruto do Espírito- Alegria
Devocional para Crianças - Fruto do Espírito- Alegria
 
A Travessia - Reforma Íntima
A Travessia - Reforma ÍntimaA Travessia - Reforma Íntima
A Travessia - Reforma Íntima
 
Evangélico Mary K Baxter - A divina revelação do Céu
Evangélico   Mary K Baxter - A divina revelação do Céu Evangélico   Mary K Baxter - A divina revelação do Céu
Evangélico Mary K Baxter - A divina revelação do Céu
 
A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)
 
Soluções para os Problemas da Vida
Soluções para os Problemas da VidaSoluções para os Problemas da Vida
Soluções para os Problemas da Vida
 
402
402402
402
 
Um Povo que Produz Frutos
Um Povo que Produz FrutosUm Povo que Produz Frutos
Um Povo que Produz Frutos
 
Retiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaraguaRetiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaragua
 

Destaque

Comunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimento
Comunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimentoComunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimento
Comunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimentoangelalage
 
Proyecto 2
Proyecto 2Proyecto 2
Proyecto 2gaaleluz
 
Nota de esclarecimento
Nota de esclarecimentoNota de esclarecimento
Nota de esclarecimentoguesta63c2a
 
Giselle emprendimiento
Giselle emprendimientoGiselle emprendimiento
Giselle emprendimientogiselle04
 
El ciclo del agua
El ciclo del aguaEl ciclo del agua
El ciclo del agua1marce
 
Boletim das bibliotecas escolares.outubro
Boletim das bibliotecas escolares.outubroBoletim das bibliotecas escolares.outubro
Boletim das bibliotecas escolares.outubroguestdce6b3
 
Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104
Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104
Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104mofran
 
Gestion de proyectos
Gestion de proyectosGestion de proyectos
Gestion de proyectosguest7e74532
 
En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...
En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...
En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...Gabriel Sadi
 

Destaque (20)

Rotary e lions
Rotary e lionsRotary e lions
Rotary e lions
 
Ejemplo mano de obra cambio de cables y bujias 4 cilindros
Ejemplo mano de obra cambio de cables y bujias 4 cilindrosEjemplo mano de obra cambio de cables y bujias 4 cilindros
Ejemplo mano de obra cambio de cables y bujias 4 cilindros
 
Mecanismos
MecanismosMecanismos
Mecanismos
 
Comunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimento
Comunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimentoComunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimento
Comunidades de-prtica-cop-subsdios-para-a-gesto-do-conhecimento
 
Proyecto 2
Proyecto 2Proyecto 2
Proyecto 2
 
Nota de esclarecimento
Nota de esclarecimentoNota de esclarecimento
Nota de esclarecimento
 
Imagem pública redes sociais
Imagem pública   redes sociaisImagem pública   redes sociais
Imagem pública redes sociais
 
Pintar puertas leve vehiculo pequeño
Pintar puertas leve vehiculo pequeñoPintar puertas leve vehiculo pequeño
Pintar puertas leve vehiculo pequeño
 
Giselle emprendimiento
Giselle emprendimientoGiselle emprendimiento
Giselle emprendimiento
 
El ciclo del agua
El ciclo del aguaEl ciclo del agua
El ciclo del agua
 
Feiticeiro das Palavras
Feiticeiro das PalavrasFeiticeiro das Palavras
Feiticeiro das Palavras
 
Pintar compuerta daño leve vehiculo grande
Pintar compuerta daño leve vehiculo grandePintar compuerta daño leve vehiculo grande
Pintar compuerta daño leve vehiculo grande
 
Boletim das bibliotecas escolares.outubro
Boletim das bibliotecas escolares.outubroBoletim das bibliotecas escolares.outubro
Boletim das bibliotecas escolares.outubro
 
Mt aula-04
Mt aula-04Mt aula-04
Mt aula-04
 
Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104
Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104
Higiene Pessoal Turmas: 101 102 103 104
 
Gestion de proyectos
Gestion de proyectosGestion de proyectos
Gestion de proyectos
 
Pintar techo daño leve vehiculo pequeño
Pintar techo daño leve vehiculo pequeñoPintar techo daño leve vehiculo pequeño
Pintar techo daño leve vehiculo pequeño
 
En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...
En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...
En torno a la enseñanza universitaria de las Relaciones Públicas en la Argent...
 
La psicomotricidad
La psicomotricidadLa psicomotricidad
La psicomotricidad
 
Guia tdt
Guia tdtGuia tdt
Guia tdt
 

Semelhante a Semeando fevereiro 2011

Semelhante a Semeando fevereiro 2011 (20)

29 01 12
29 01 1229 01 12
29 01 12
 
ESTUDOS DA TRIBO N 05.docx
ESTUDOS DA TRIBO N 05.docxESTUDOS DA TRIBO N 05.docx
ESTUDOS DA TRIBO N 05.docx
 
Meus esboços 1
Meus esboços 1Meus esboços 1
Meus esboços 1
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
22 02 12
 
JORMIi - jornal missionário nº 82
JORMIi  - jornal missionário nº 82JORMIi  - jornal missionário nº 82
JORMIi - jornal missionário nº 82
 
00 escola 1º encontro querigma
00   escola 1º encontro  querigma00   escola 1º encontro  querigma
00 escola 1º encontro querigma
 
Amigos de deus
Amigos de deusAmigos de deus
Amigos de deus
 
Amigos de deus(00001)
Amigos de deus(00001)Amigos de deus(00001)
Amigos de deus(00001)
 
13 11 11
13 11 1113 11 11
13 11 11
 
Semeando outubro 2010
Semeando outubro 2010Semeando outubro 2010
Semeando outubro 2010
 
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço   meditação - instrumentalOs pontos concretos de esforço   meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
 
Boletim Outubro 2011
Boletim Outubro 2011Boletim Outubro 2011
Boletim Outubro 2011
 
As 10 marcas de uma igreja poderosa
As 10 marcas de uma igreja poderosaAs 10 marcas de uma igreja poderosa
As 10 marcas de uma igreja poderosa
 
Intro
IntroIntro
Intro
 
Introdução à espiritualidade
Introdução à espiritualidadeIntrodução à espiritualidade
Introdução à espiritualidade
 
Subsídio Uruguaiana
Subsídio UruguaianaSubsídio Uruguaiana
Subsídio Uruguaiana
 
O mensageiro da cruz
O mensageiro da cruzO mensageiro da cruz
O mensageiro da cruz
 
Os presentes de DEUS
Os presentes de DEUSOs presentes de DEUS
Os presentes de DEUS
 
Cat02
Cat02Cat02
Cat02
 
Boletim 79
Boletim 79Boletim 79
Boletim 79
 

Mais de conceicaoborges

Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)
Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)
Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)conceicaoborges
 
Alegria é uma coisa séria reflexão pessoal
Alegria é uma coisa séria   reflexão pessoalAlegria é uma coisa séria   reflexão pessoal
Alegria é uma coisa séria reflexão pessoalconceicaoborges
 
Escutar em louvor deserto
Escutar em louvor   desertoEscutar em louvor   deserto
Escutar em louvor desertoconceicaoborges
 
Via sacra dia do deserto
Via sacra dia do desertoVia sacra dia do deserto
Via sacra dia do desertoconceicaoborges
 
Verdadeira e perfeita alegria
Verdadeira e perfeita alegriaVerdadeira e perfeita alegria
Verdadeira e perfeita alegriaconceicaoborges
 
A Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristão
A Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristãoA Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristão
A Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristãoconceicaoborges
 
Oração de compromisso bem aventuranças
Oração de compromisso bem aventurançasOração de compromisso bem aventuranças
Oração de compromisso bem aventurançasconceicaoborges
 

Mais de conceicaoborges (20)

Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)
Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)
Não tenhas medo (retiro de jovens 2013)
 
Semeando fevereiro 2013
Semeando fevereiro 2013Semeando fevereiro 2013
Semeando fevereiro 2013
 
Postais de natal
Postais de natalPostais de natal
Postais de natal
 
Semeando dezembro 2012
Semeando dezembro 2012Semeando dezembro 2012
Semeando dezembro 2012
 
Reuniões jef 2012 2013
Reuniões jef 2012 2013Reuniões jef 2012 2013
Reuniões jef 2012 2013
 
Semeando outubro 2012
Semeando outubro 2012Semeando outubro 2012
Semeando outubro 2012
 
Semeando outubro 2012
Semeando outubro 2012Semeando outubro 2012
Semeando outubro 2012
 
Festa da escola
Festa da escolaFesta da escola
Festa da escola
 
Alegria é uma coisa séria reflexão pessoal
Alegria é uma coisa séria   reflexão pessoalAlegria é uma coisa séria   reflexão pessoal
Alegria é uma coisa séria reflexão pessoal
 
Retiro jef 2012
Retiro jef 2012Retiro jef 2012
Retiro jef 2012
 
Semeando junho 2012
Semeando junho 2012Semeando junho 2012
Semeando junho 2012
 
Escutar em louvor deserto
Escutar em louvor   desertoEscutar em louvor   deserto
Escutar em louvor deserto
 
Via sacra dia do deserto
Via sacra dia do desertoVia sacra dia do deserto
Via sacra dia do deserto
 
Verdadeira e perfeita alegria
Verdadeira e perfeita alegriaVerdadeira e perfeita alegria
Verdadeira e perfeita alegria
 
A Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristão
A Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristãoA Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristão
A Palavra de Deus e a Eucaristia na vida do cristão
 
Semeando fevereiro 2012
Semeando fevereiro 2012Semeando fevereiro 2012
Semeando fevereiro 2012
 
Oração de compromisso bem aventuranças
Oração de compromisso bem aventurançasOração de compromisso bem aventuranças
Oração de compromisso bem aventuranças
 
Carta de jesus
Carta de jesusCarta de jesus
Carta de jesus
 
Bem aventuranças
Bem aventurançasBem aventuranças
Bem aventuranças
 
Trabalhos de grupo
Trabalhos de grupoTrabalhos de grupo
Trabalhos de grupo
 

Semeando fevereiro 2011

  • 1. As consequências da nossa adesão a mistério. Cristo têm vindo a ser tema de reflexão dos encontros de zona, com os diferentes grupos. A Sagrada Escritura tem sido a nossa referência. Em cada texto lido e interiorizado temos e possas saborear o néctar do seu descoberto formas de manifestar claramente, pelo nosso testemunho de vida (atitudes, de Deus te habite gestos...) a nossa fé. Somos chamados à diFErença, à autenticidade, à liberdade... que a sabedoria No dia 9 de Março (quarta-feira de cinzas) iniciamos o tempo da Quaresma. A Igreja, com Faz silêncio para este tempo, proporciona-nos verdadeiros momentos de oração, meditação e reflexão. É o tempo propício para cada um de nós se questionar acerca da sua relação com Deus e com divinas! os irmãos. É, muito provavelmente, o tempo em que devemos dedicar mais espaço à Pala- que o doce cintilar das estrelas vra de Deus, à sua leitura (aconselhamos as cartas de S. Paulo)... Deixemos que a Palavra invada o nosso coração e o transforme... permitamos que a mesma Palavra se faça acção intelecto humano dão mais luz em nós e não se limite a um interesse subjectivo e pouco concretizável... façamos da nos- que as miseráveis lâmpadas do sa vida diária uma vida de entrega, de serviço, de amor e de perdão... sária. Pobres homens que crêem Viver a quaresma significa celebrar a conversão! (pois é, a conversão merece celebração!) lâmpada terrestre já não é neces- Atrevo-me a colocar, neste artigo, alguns apelos que S. Paulo nos faz na sua primeira carta to vem com a sua Luz, a nossa aos Tessalonicensees. Vamos ouvir ou já ouvimos estes pedidos mais do que uma vez, no preenderás! Onde o Espírito San- entanto desafio cada um e cada uma a abrir de novo os ouvidos e o coração, para que a fé. Por isso, faz silêncio e com- Palavra penetre em nós e transborde de nós. Diz S. Paulo: “Pedimo-vos, irmãos, que sejais reconhecidos para com aqueles que se afadigam entre vós, que vos rimentou o néctar da verdadeira governam no Senhor e que vos instruem dedicai-lhes uma caridade acrescida devido à sua obra. religião, é porque ainda não expe- Vivei em paz entre vós. Exortamo-vos, irmãos: corrigi os indisciplinados, encorajai os desanimados, a discutir e a especular sobre a amparai os fracos, sede pacientes com todos. Prestai atenção a que ninguém pague o mal com o mal; procurai, antes, fazer sempre o bem uns para com os outros e para com todos. Sede sempre tar. Quando alguém ainda estiver alegres. Orai sem cessar. Em tudo dai graças. Esta é, de facto, a vontade de Deus a vosso respeito rior; bebe silenciosamente o néc- em Jesus Cristo. Não apagueis o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo, guardai o que logo que ela penetrar no seu inte- é bom. Afastai-vos de toda a espécie de mal.” (1Ts 5, 12-22) da flor e emite um zumbido. Mas, Estes pedidos de S. Paulo podem constituir o nosso “programa quaresmal”. Aceitamos o de seu suco, ela plana em volta desafio ou será demasiado exigente para nós? Estamos dispostos a testemunhar alegre- mente a nossa fé em Cristo ou preferimos viver na passividade e de “braços cruzados”? ainda não experimentou a doçura Aceitamos estar ao lado dos mais necessitados ou preferimos ser reconhecidos como os no exterior das pétalas do lírio e “mais bem vistos da sociedade”? - Enquanto a abelha se encontra Ser de Cristo é amar como Cris- Da exorta- E continuou: to, viver como Cristo, sentir ção apos- prova. como Cristo. Então de que esta- tólica Pós- Portanto, não há necessidade de mos à espera? Sinodal do dentro e através de cada coisa. Papa Bento XVI, sobre a Palavra de Deus na vida e na mis- mim, e fora de mim, eu vejo-o são da Igreja (Verbum Domini), podemos retirar ajuda para existência de Deus. Eu vejo-o em a nossa vida de fé: Nesta edição: - Então o mesmo se dá com a Todo o homem aparece como o destinatário da Palavra, necessidade de prova. interpelado e chamado a entrar, por uma resposta livre, em Parábolas 2 tal diálogo de amor. Assim Deus torna cada um de nós - Eu vejo-a, portanto, não há Orar é... 2 capaz de escutar e responder à Palavra divina. (VD, 22) perguntou Devendranath. Neste diálogo com Deus, compreendemo-nos a nós mes- - Como sabes que é uma luz? - Grupos 3 mos e encontramos resposta para as perguntas mais pro- - É uma luz- respondeu o cético. fundas que habitam no nosso coração. De facto, a Palavra - Sabes o que é isto? JMJ 2011 3 de Deus não se contrapõe ao homem, nem mortifica os luz: seus anseios verdadeiros; pelo contrário, ilumina-os, purifi- TPE 3 Devendranath apontou para uma ca-os e realiza-os. Como é importante, para o nosso tempo, provas de sua existência? Semestões 3 descobrir que só Deus responde à sede que está no coração - Sempre falas de Deus, mas tens de cada homem! (DV, 23) Exortações 4 Quem faz entrar Cristo, nada perde, nada! Queridos jovens, dranath Tagore: não tenhais medo de Cristo! Ele não tira nada, e dá tudo. Um Cético perguntou a Deven- Biblex 4 Sim, abri de par em par as portas a Cristo, e encontrareis a Sementinha 4 vida verdadeira. (VD, 104) A Verdadeira Fé
  • 2. Procurando firmar a sua fé em Cristo, 37 jovens do movimento JEF partici- param no encontro de formação sobre o tema: As parábolas de Jesus na minha vida. Esta acção decorreu no passado dia 15 de Janeiro no Colégio de N. Sra do Amparo, em Mirandela. Estiveram presentes jovens dos gru- pos de Bragança, Freixo de Espada à Cinta, Ligares, Macedo de Cavaleiros, Vilar de Nantes e Pereira. O dia iniciou com a oração da manhã embebida no espírito da parábola do fariseu e do cobrador de impostos (Lc 18, 9-14) ao que se seguiu uma breve introdução às parábolas de Jesus. Posteriormente foram apresentadas e exploradas oito parábolas: Juiz iníquo – Lc 18, 1-8; Dois devedores – Lc 7, 36-43; Servo mau – Mt 18, 21-35; Rico e Lázaro – Lc 16, 19-31; Vinhateiros homicidas – Mt 21, 33-44; Os trabalhadores da vinha – Mt 20, 1- 16; Os talentos – Mt 25, 14-30; A videira e a vara – Jo 15, 1-10. Após um saboroso almoço partilhado regressámos ao trabalho, desta vez, para, em pequenos grupos, se actualizarem as parábolas estudadas durante a manhã. Foi um trabalho muito enriquecedor, no qual foram lançados vários convites para que nos assemelhásse- mos cada vez mais com Jesus. Terminou o encontro com a oração de compromisso baseada na parábola do Semeador (Mc 4, 3-8). A semente foi lançada, urge cuidar a nossa terra, para que seja boa…acolhedora da Palavra que nos transforma e nos dá a vida. Partilhamos algumas das mensagens deixadas aos jovens, a partir das parábolas exploradas nos grupos: Mt 20, 1-16—Não se deve ter inveja de quem é beneficiado, quando são justos connosco. Mt 18, 21-35—Jesus mostra-nos que devemos perdoar o próximo com o íntimo do nosso coração. Nós gostamos imenso que nos perdoem, mas na maioria das vezes não perdoamos uma pequena falha aos nosso amigos. Esta parábola salienta a impor- tância do perdão; como é bom perdoar e ser perdoado. Mt 21, 33-44—Devemos respeitar sempre o trabalho dos outros e aceitar as nossas responsabilidades com humildade. Mt 25, 14-30—Precisamos conhecer o que temos de melhor e pô-lo a render. Devemos aproveitar o que Deus nos dá e não seguir o caminho da preguiça. Semear hoje o que temos de melhor para podermos colher no futuro. Lc 7, 36-43—Antes de agir pensa bem no que pode acontecer. Deus está connosco e ensina-nos a amar e a perdoar os outros como ele nos perdoa a nós. Lc 16, 19-31—O mundo que nos rodeia está cheio de conceitos, vidas, culturas diferentes. Estamos rodeados de informação sobre o que é bom e o que é mau, o certo e o errado; temos a oportunidade de escolher o que fazer, de viver segundo as esco- lhas feitas. Vive do Jeito de Jesus. Neste mundo será o sal que não salga ou a terra que não se deixa salgar? Lc 18, 1-8—Devemos ser teimosos com Deus, desde que peçamos o que é recto. Não desanimarmos perante as tribulações. Jo 15, 1-10—Fiquemos sempre unidos a Jesus. Se quisermos ter em nós a verdadeira vida, devemos fugir do pecado e viver na graça de Deus, em verdadeira união com Jesus. Fazer corresponder Proc ur os nossos desejos à de D ar o rosto Crer que, vontade de Deus. eus, das a pa no fim do camin parê ra lá ho, ncias . está a luz . fé, ão de um a opç certe- Fazer do-nos na stá n e apoia que Deus do do Amar e sentir- za d e seg re te no o. se amado. p resen so coraçã nos Deixar que o Espíri- to seja em nós um impulso para o Pai, no Filho. m ar co Abrir a porta D ialog diálo- m do teu cora- s nu r. Deu de amo ção a Deus. Dirigir sempre tu go do para Deus, com ou sem palavras. "Senhor, aumenta a nossa fé!" (Lc 17,5)
  • 3. 1ª Visita - Vilar de Nantes / Loivos Na tarde do dia 4 de Dezembro, o Secreta- riado JEF terminou o primeiro ciclo de visitas 1. Onde foi realizada antes? aos grupos JEF em Vilar de Nantes. Tal como nas outras Em Buenos Aires, com o apoio de visitas, o tema da adesão a Jesus Cristo, como projecto de um milhão de jovens; em Santiago vida pessoal, foi explorado com várias dinâmicas e com a de Compostela, com mais de leitura atenta da Palavra de Deus. Estiveram presentes 500.000; em Czestochowa, com neste encontro 17 jovens do Grupo de Vilar de Nantes e 6 1.600.000,;em Denver, com jovens do Grupo de Loivos. No final do encontro houve 600.000; em Manila, com cerca de 4 lanche oferecido pelas irmãs de Vilar de Nantes. milhões; em Paris, com 1,2 milhões; em Roma, com 2 milhões; em Toronto, 800.000; na Colônia, com 2ª Visita - Pereira / Macedo de Cavaleiros 1,1 milhões; em Sydney, com O segundo ciclo de visitas aos grupos iniciou na tarde 400.000. do dia 12 de Fevereiro em Pereira. Exploraram o tema proposto (Assumir na vida pessoal e social as exigên- 2. Quem pode participar na JMJ? cias da fé), com a ajuda do secretariado, 15 jovens do Para o Dia Mundial da Juventude Grupo de Pereira e 8 jovens do Grupo do Centro D. estão convidados todos os jovens Abílio em Macedo. Pudemos perceber que aquele que do mundo: as meninas e meninos acredita em Jesus não pode ficar indiferente ao que se de boa vontade, de todas as reli- giões que querem compartilhar de passa a seu lado. Temos que ser diferentes, Jovens alguns dias de oração, alegria e que, enamorados por Jesus Cristo, pautam a sua vida solidariedade. Além disso, muitos pelos valores do Evangelho e começam já hoje a cons- voluntários estão dispostos a coo- truir um mundo mais fraterno. perar para o sucesso da Jornada Mundial da Juventude. FESTA DE NATAL EM VILAR DE NANTES 3. Com quantos anos? Somos o grupo da JEF de Vilar de Nantes: “Sementes Vivas”. Decidimos escrever para o No verão de 2011 deves ter pelo Semeando, para partilhar convosco as nossas férias de Natal. Foram umas férias ótimas e menos cerca de 14 anos. Podem divertidas. Somos um grupo unido e como tal organizá- participar jovens a partir de 14, 15, mos uma festa de Natal, na qual partilhámos com os ido- 16 até aos 30 anos. A média é de sos alegria, paz e amor, para que se possam sentir bem e jovens que têm entre 16 e 25 anos. alegres, prontos para um novo ano. A nossa festa foi composta por: músicas, teatros, danças e poemas de 4. Quanto pagam os participantes? Natal. Foi um dia diferente, tanto para nós como para A participação em atividades reli- eles. Esperamos que para o ano nos voltemos a encontrar giosas é totalmente gratuita: não pagam para assistir aos actos do para lhes alegrarmos o Natal, fazendo-lhes uma festa Papa. A taxa de participação é para ainda maior. Deixamos os votos de um Bom Ano a todos cobrir o alojamento, as refeições os grupos da JEF e ao Secretariado. Um abraço para para os dias da JMJ, a da mochila do todos. Sementes Vivas peregrino, o transporte e bilhetes para atividades culturais e artísticas FÉ E CONVERSÃO da JMJ. A vocação é fruto de um encontro. LIVRO - O Regresso do Filho pródigo, Henri Nouwen BLOG - http://derrotarmontanhas.blogspot.com/ Um encontro com Jesus que dá um 5. Porque participar nas JMJ? sentido novo e um vigor renovado a O Papa convida todos os jovens quem se aproxima dele, a quem para irem a uma determinada cida- acredita. Converte-te ao amor! FILME - A vida é bela, Roberto Benigni de "ter um encontro pessoal com Lê Mt 1,12-15 SITE - http://www.madrid11.com/pt Cristo que signifique uma confirma- Faz deserto e deixa que seja o Espírito de Deus a habitar-te. ção na fé e uma conversão interior que, nos jovens católicos, deve Em que momentos da vida fazes experiência de deserto? levar os sacramentos da Reconcilia- A Quaresma é o tempo em que cada um de nós se reconhece ção e da Eucaristia. Estes encontros pecador e suplica a misericórdia de Deus. são as etapas de uma grande pere- grinação através do planeta, para Que tentações te afastam mais de Deus? mostrar como a fé em Cristo nos Que fazes para que a tua relação com torna todos filhos do único Pai que Deus não esmoreça? está nos céus e construtores da civilização do amor "(Bento XVI ). Procura celebrar com fé o sacramento da Reconciliação. “A fé é garantia das coisas que se esperam e certeza daquelas que não se vêem.” (Heb11,1)
  • 4. 18. Compaixão e pobreza interior Bem-aventurado o homem que suporta o próximo em sua fragilidade, como quereria por ele ser suportado, se em circunstâncias semelhantes se encontrasse (Mt 7, 12; Gl. 6, 2). Bem-aventurado o servo que atribui todos os seus bens ao Senhor Deus, porque aquele que reserva para si alguma coisa, esconde dentro de si o dinheiro do seu Senhor (Mt 25, 18), e o que julga possuir, ser-lhe-á tirado (Lc 8, 18). 19. O humilde servo de Deus Bem-aventurado o servo que não se tem por melhor quando os outros o louvam e honram, do que quando o tratam por pessoa de nada, simples e desprezível, pois, quanto vale o homem aos olhos de Deus, isso vale e não mais. 22. A humildade na correcção Bem-aventurado o servo que suporta de outrem a correcção, acusação e repreensão, com tanto alma, como se de si mesmo as recebera. Bem-aventurado o servo que, repreendido, com generosidade se submete, com respeito obedece, humildemente confessa a falta, e de boamente a repara. Bem-aventurado o servo que não é fácil em se desculpar, e humildemente suporta a afronta e repreensão, mesmo de falta que não cometeu. Participa no Semeando! Envia notícias para: juveucfranciscana@gmail.com Visita o nosso Blog: http://jefsfrjs.blogspot.com/ Junta-te ao grupo dos amigos da Juventude Eucarística Franciscana no Facebook. Descobre os nomes dos Livros do Novo Testamento neste passatempo! 05 de Março em Torre de Moncorvo 15 LETRAS -Tessalonicensses 11 LETRAS - Colossences ENCONTRO JEF 10 LETRAS - Apocalipse; Filipenses 9 LETRAS - Corintios DIA DE DE SERTO Carmelo da Sagrada Família 7 LETRAS - Galatas; Tempo de reflexão individual Efesios; Romanos; Traz a Bíblia e lanche. ARRISCA! Timoteo; Filemon; Hebreus 6 LETRAS - Marcos; Mateus 5 LETRAS - Lucas; Tiago; Pedro; Judas; Actos 4 LETRAS - João ; Tito “A multidão dos que haviam abraçado a fé tinha um só coração e uma só alma.” (Act 4, 32)