SlideShare uma empresa Scribd logo
1
2
MUITOS OS CHAMADOS, POUCOS
OS ESCOLHIDOS – ESE - CAP 18
3
JESUS TRANSMITIU SEUS
ENSINAMENTOS POR PARÁBOLAS.
4
ESTÓRIAS FICAM PARA SEMPRE..
5
PASSAM DE PAI PARA FILHO...
6
EVANGELHO: Boa notícia; boa-nova
Aspectos da biografia de Jesus e principais
ensinamentos, segundo informações de Mateus,
Marcos, Lucas e João.
• Mateus e João, registros e informações baseadas
na convivência com Jesus (apóstolos).
• Marcos registrou reminiscências de Pedro.
• Lucas coletou informações por via indireta.
Religião à Luz do Espiritismo I - FEB – ESTUDO APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA, Roteiro 11
p 102 e 103
7
8
ENTENDENDO OS CONCEITOS...
EVANGELHO
• Mateus e João, registros e informações baseadas
na convivência com Jesus (apóstolos).
• Marcos registrou reminiscências de Pedro.
• Lucas coletou informações por via indireta.
NOVO TESTAMENTO: Composto dos Evangelhos,
Atos dos Apóstolos, Epístolas e Apocalipse.
Religião à Luz do Espiritismo I - FEB – ESTUDO APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA, Roteiro 11
p 102 e 103
9
ENTENDENDO OS CONCEITOS...
EVANGELHOS:
• Evangelhos canônicos (Mateus, Marcos, Lucas
e João) – narrativas cuidadosamente escritas sobre
a vida de Jesus; integram o Novo Testamento.
• Evangelhos Apócrifos (Deuterocanônicos) –
manuscritos redigidos pelos discípulos de Jesus,
não reconhecidos pela Igreja sob alegação de não
poderem ser comprovados.
Religião à Luz do Espiritismo I - FEB – ESTUDO APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA p 102 e 103
10
ENTENDENDO OS CONCEITOS...
• Evangelhos Contemporâneos - Releituras do
Evangelho (Evangelho Segundo o Espiritismo).
www.pt.wikepidia.org/wiki/evangelho
11
A PARÁBOLA DA FESTA DE NÚPCIAS
(Mateus, 22: 1 a 14)
• JESUS COMPARA O REINO DOS CÉUS, ONDE
TUDO É ALEGRIA E FELICIDADE, A UMA FESTA
DE NÚPCIAS.
• OS PRIMEIROS CONVIDADOS SÃO OS
HEBREUS (primeiros monoteístas).
• OS ENVIADOS DO REI SÃO OS PROFETAS.
• OS CONVIDADOS QUE SE DESCULPAM SÃO AS
PESSOAS COMUNS.
12
A PARÁBOLA DA FESTA DE NÚPCIAS
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 2
• MAS NÃO BASTA DIZER-SE CRISTÃO… É
PRECISO ESTAR VESTIDO COM A ROUPA
NUPCIAL, OU SEJA, TER A PUREZA DE
CORACÃO E PRATICAR A LEI CONFORME O
ESPÍRITO .
• ESSA LEI ESTÁ TOTALMENTE CONTIDA NESSAS
PALAVRAS: FORA DA CARIDADE NÃO HÁ
SALVAÇÃO.
13
A PARÁBOLA DA FESTA DE NÚPCIAS
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 2
14
A PORTA ESTREITA (Mateus, 7: 13 e 14)
A PORTA DA SALVAÇÃO É
ESTREITA, POIS O HOMEM
QUE QUER TRANSPÔ-LA
DEVE FAZER GRANDES
ESFORÇOS PARA VENCER
SUAS MÁS TENDÊNCIAS…
É O COMPLEMENTO DO
ENSINAMENTO MORAL:
MUITOS SÃO OS
CHAMADOS E POUCOS OS
ESCOLHIDOS.
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 5
15
“Nem todos os que dizem: Senhor! Senhor!
Entrarão no Reino dos Céus”(Mateus, 7:21 a 23)
16
“Nem todos os que dizem: Senhor! Senhor!
Entrarão no Reino dos Céus”(Mateus, 7:21 a 23)
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 9
• SÃO SEUS DISCÍPULOS AQUELES QUE PASSAM DIAS
ORANDO E NÃO SÃO NEM MELHORES, NEM MAIS
CARIDOSOS, NEM MAIS INDULGENTES PARA COM
SEUS SEMELHANTES?
17
“A quem muito foi dado, muito será pedido” (Lucas, 12: 47 e 48).
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 12
• AQUELE QUE CONHECE OS ENSINAMENTOS DE JESUS
E NÃO OS COLOCA EM PRÁTICA PARA MELHORAR-
SE… QUE AO SEU CONTATO NÃO SE TORNA MENOS
FÚTIL, MENOS ORGULHOSO, MENOS EGOÍSTA,
MENOS APEGADO AOS BENS MATERIAIS, NEM
MELHOR PARA COM O SEU PRÓXIMO, É TANTO MAIS
CULPADO QUANTO MAIS HAJA TIDO MEIOS DE
CONHECER A VERDADE.
“A quem muito foi dado, muito será pedido”
(Lucas, 12: 47 e 48).
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 12
• AOS ESPÍRITAS, MUITO SERÁ PEDIDO, PORQUE
MUITO RECEBERAM, MAS, ÀQUELES QUE
APROVEITAREM OS ENSINAMENTOS, MUITO SERÁ
DADO.
• O ESPIRITISMO VEM MULTIPLICAR O NÚMERO DE
CHAMADOS; PELA FÉ QUE PROPORCIONA,
MULTIPLICARÁ TAMBÉM O NÚMERO DOS
ESCOLHIDOS.
“A quem muito foi dado, muito será pedido”
(Lucas, 12: 47 e 48).
20
“Será dado àquele que tem”
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII,
Instrução dos Espíritos
• AQUELE QUE RECEBEU É AQUELE QUE POSSUI O
SENTIDO DA PALAVRA DIVINA; RECEBEU PORQUE
TENTOU TORNAR-SE DIGNO DISSO…
• ESTES ESFORÇOS CONTÍNUOS, PERSEVERANTES,
…SÃO COMO UM IMÃ QUE ATRAI AS MELHORAS
PROGRESSIVAS, AS GRAÇAS ABUNDANTES…
• ARAI VOSSOS CORAÇÕES…SEMEAI NELES O BOM
GRÃO, O BEM… E O ORVALHO DO AMOR OS FARÁ
PRODUZIR FRUTOS DA CARIDADE.
“Será dado àquele que tem”
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII,
Instrução dos Espíritos – Um Espírito Amigo Bordeaux - 1862
22
Reconhece-se o cristão por suas obras.
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII,
Instrução dos Espíritos
• O CRISTIANISMO, TAL COMO TEM FEITO HÁ MUITOS
SÉCULOS, CONTINUA A PREGAR AS DIVINAS
VIRTUDES; PROCURA DISTRIBUIR SEUS FRUTOS, MAS
POUCOS OS COLHEM.
• …NÃO OS AMONTOEIS PARA GUARDÁ-LOS E DEIXÁ-
LOS APODRECER PARA QUE NÃO SIRVAM A
NINGUÉM.
• …A ÁRVORE QUE DÁ BONS FRUTOS DEVE DISTRIBUI-
LOS PARA TODOS.
“Será dado àquele que tem”
Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII,
Instrução dos Espíritos – Um Espírito Amigo Bordeaux - 1862
24
“Fora da caridade não há salvação” - ESE,Cap15
25
O ACASO?
26
Obrigado!
27
BASEADO NOS LIVROS:
• “O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - FEB
” – Allan Kardec – Tradução Guillon Ribeiro
• “ PENSAMENTO E VIDA – Emmanuel – Francisco
Cândido Xavier”
www.forumespirita.net/cap-xvii-evangelho-
segundo-espiritismo/?...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os EscolhidosMuitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Almir Silva
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
nelmarvoc
 
As três Revelações
As três RevelaçõesAs três Revelações
As três Revelações
Graça Maciel
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
Divulgador do Espiritismo
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Graça Maciel
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BAConhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Danilo Galvão
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
grupodepaisceb
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitosPalestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Tiburcio Santos
 
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDECA MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
Jorge Luiz dos Santos
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
Silvânio Barcelos
 
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismoPalestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Jose Ferreira Almeida
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
Dalila Melo
 
Casamento na ótica espirita
Casamento na ótica espiritaCasamento na ótica espirita
Casamento na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Mais procurados (20)

Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os EscolhidosMuitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
 
As três Revelações
As três RevelaçõesAs três Revelações
As três Revelações
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BAConhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
Conhece se uma árvore pelos frutos! Palestrante Danilo Galvão - SAJ/BA
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitosPalestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
 
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDECA MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismoPalestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
 
Casamento na ótica espirita
Casamento na ótica espiritaCasamento na ótica espirita
Casamento na ótica espirita
 

Destaque

Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
Amai vossos inimigos_versão final
Amai vossos inimigos_versão finalAmai vossos inimigos_versão final
Amai vossos inimigos_versão final
grupodepaisceb
 
Senhor, Senhor
Senhor, SenhorSenhor, Senhor
Senhor, Senhor
igmateus
 
Transição planetária e os trabalhadores da última
Transição planetária e os trabalhadores da últimaTransição planetária e os trabalhadores da última
Transição planetária e os trabalhadores da última
familiaelopaz
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
Jorge Luiz dos Santos
 
A era nova slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...
A era nova   slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...A era nova   slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...
A era nova slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...
Nivaldo Santos
 
Marcos 007
Marcos   007Marcos   007
Marcos 007
Marcos Nori
 
Espiritismo e o Lar
Espiritismo e o LarEspiritismo e o Lar
Espiritismo e o Lar
Rodrigo Da Silva Girio
 
Jesus no evangelho de marcos pe. bonifácio
Jesus no evangelho de marcos   pe. bonifácioJesus no evangelho de marcos   pe. bonifácio
Jesus no evangelho de marcos pe. bonifácio
Clarisse Kopp
 
Palestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligente
Palestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligentePalestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligente
Palestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligente
Taisy Silva
 
10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]
10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]
10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]
Departamento de Comunicação - DECOM | FEEES
 
Evangelho por emmanuel marcos
Evangelho por emmanuel marcosEvangelho por emmanuel marcos
Evangelho por emmanuel marcos
André de Vasconcelos
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
Almir Silva
 
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Danilo Galvão
 
O porquê da dor
O porquê da dorO porquê da dor
O porquê da dor
Luzia Gabriele
 
Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12
Leonardo Pereira
 
Jesus e o evangelho a luz da psicologia profunda
Jesus e o evangelho a luz da psicologia profundaJesus e o evangelho a luz da psicologia profunda
Jesus e o evangelho a luz da psicologia profunda
Leonardo Pereira
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
igmateus
 
Parábola do festim de núpcias
Parábola do festim de núpciasParábola do festim de núpcias
Parábola do festim de núpcias
Leonardo Pereira
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Divulgador do Espiritismo
 

Destaque (20)

Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
Amai vossos inimigos_versão final
Amai vossos inimigos_versão finalAmai vossos inimigos_versão final
Amai vossos inimigos_versão final
 
Senhor, Senhor
Senhor, SenhorSenhor, Senhor
Senhor, Senhor
 
Transição planetária e os trabalhadores da última
Transição planetária e os trabalhadores da últimaTransição planetária e os trabalhadores da última
Transição planetária e os trabalhadores da última
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
 
A era nova slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...
A era nova   slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...A era nova   slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...
A era nova slides da palestra aos trabalhadores do Centro Espírita Humildad...
 
Marcos 007
Marcos   007Marcos   007
Marcos 007
 
Espiritismo e o Lar
Espiritismo e o LarEspiritismo e o Lar
Espiritismo e o Lar
 
Jesus no evangelho de marcos pe. bonifácio
Jesus no evangelho de marcos   pe. bonifácioJesus no evangelho de marcos   pe. bonifácio
Jesus no evangelho de marcos pe. bonifácio
 
Palestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligente
Palestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligentePalestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligente
Palestra Espírita | Evangelho Segundo o Espiritismo: Missão do homem inteligente
 
10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]
10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]
10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]
 
Evangelho por emmanuel marcos
Evangelho por emmanuel marcosEvangelho por emmanuel marcos
Evangelho por emmanuel marcos
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
 
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
 
O porquê da dor
O porquê da dorO porquê da dor
O porquê da dor
 
Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12
 
Jesus e o evangelho a luz da psicologia profunda
Jesus e o evangelho a luz da psicologia profundaJesus e o evangelho a luz da psicologia profunda
Jesus e o evangelho a luz da psicologia profunda
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
 
Parábola do festim de núpcias
Parábola do festim de núpciasParábola do festim de núpcias
Parábola do festim de núpcias
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 

Semelhante a ESE Cap. XVIII - Muitos os chamados, poucos os escolhidos

Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.
Reverendoh Adry Araujo
 
Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.
Reverendoh Adry Araujo
 
O cursilho
O cursilhoO cursilho
Quem me roubou do evangelho adry araújo
Quem me roubou do evangelho   adry araújoQuem me roubou do evangelho   adry araújo
Quem me roubou do evangelho adry araújo
PrCelio Silva
 
História Eclesiástica
História EclesiásticaHistória Eclesiástica
História Eclesiástica
Marco Sousa
 
Todos os santos e santas ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...
Todos os santos e santas   ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...Todos os santos e santas   ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...
Todos os santos e santas ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...
saobeneditoesaocristovao
 
Boletim informativo junho 2012
Boletim informativo  junho 2012Boletim informativo  junho 2012
Boletim informativo junho 2012
fespiritacrista
 
Dom de Profecia.pps
Dom de Profecia.ppsDom de Profecia.pps
Dom de Profecia.pps
Herbert de Carvalho
 
Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)
Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)
Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)
Simona P
 
O BATISMO INFANTIL
O BATISMO INFANTIL O BATISMO INFANTIL
O BATISMO INFANTIL
11091961
 
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
saobeneditoesaocristovao
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
Mario Belo
 
Comparação das versões da bíblia sagrada.
Comparação das versões da bíblia sagrada.Comparação das versões da bíblia sagrada.
Comparação das versões da bíblia sagrada.
Francisco Freire
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
Ricardo Azevedo
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (4)
Amos r binney-compendio_de_teologia (4)Amos r binney-compendio_de_teologia (4)
Amos r binney-compendio_de_teologia (4)
Luiza Dayana
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (5)
Amos r binney-compendio_de_teologia (5)Amos r binney-compendio_de_teologia (5)
Amos r binney-compendio_de_teologia (5)
Luiza Dayana
 
Amos r binney-compendio_de_teologia
Amos r binney-compendio_de_teologiaAmos r binney-compendio_de_teologia
Amos r binney-compendio_de_teologia
Luiza Dayana
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (3)
Amos r binney-compendio_de_teologia (3)Amos r binney-compendio_de_teologia (3)
Amos r binney-compendio_de_teologia (3)
Luiza Dayana
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (1)
Amos r binney-compendio_de_teologia (1)Amos r binney-compendio_de_teologia (1)
Amos r binney-compendio_de_teologia (1)
Luiza Dayana
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
Luiza Dayana
 

Semelhante a ESE Cap. XVIII - Muitos os chamados, poucos os escolhidos (20)

Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.
 
Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.Quem me roubou do evangelho.
Quem me roubou do evangelho.
 
O cursilho
O cursilhoO cursilho
O cursilho
 
Quem me roubou do evangelho adry araújo
Quem me roubou do evangelho   adry araújoQuem me roubou do evangelho   adry araújo
Quem me roubou do evangelho adry araújo
 
História Eclesiástica
História EclesiásticaHistória Eclesiástica
História Eclesiástica
 
Todos os santos e santas ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...
Todos os santos e santas   ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...Todos os santos e santas   ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...
Todos os santos e santas ano b - dia 04.11.2012 - missa - slide para site d...
 
Boletim informativo junho 2012
Boletim informativo  junho 2012Boletim informativo  junho 2012
Boletim informativo junho 2012
 
Dom de Profecia.pps
Dom de Profecia.ppsDom de Profecia.pps
Dom de Profecia.pps
 
Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)
Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)
Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)
 
O BATISMO INFANTIL
O BATISMO INFANTIL O BATISMO INFANTIL
O BATISMO INFANTIL
 
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
 
Comparação das versões da bíblia sagrada.
Comparação das versões da bíblia sagrada.Comparação das versões da bíblia sagrada.
Comparação das versões da bíblia sagrada.
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (4)
Amos r binney-compendio_de_teologia (4)Amos r binney-compendio_de_teologia (4)
Amos r binney-compendio_de_teologia (4)
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (5)
Amos r binney-compendio_de_teologia (5)Amos r binney-compendio_de_teologia (5)
Amos r binney-compendio_de_teologia (5)
 
Amos r binney-compendio_de_teologia
Amos r binney-compendio_de_teologiaAmos r binney-compendio_de_teologia
Amos r binney-compendio_de_teologia
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (3)
Amos r binney-compendio_de_teologia (3)Amos r binney-compendio_de_teologia (3)
Amos r binney-compendio_de_teologia (3)
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (1)
Amos r binney-compendio_de_teologia (1)Amos r binney-compendio_de_teologia (1)
Amos r binney-compendio_de_teologia (1)
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
 

Mais de grupodepaisceb

ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espíritoESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
grupodepaisceb
 
O valor do tempo
O valor do tempoO valor do tempo
O valor do tempo
grupodepaisceb
 
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do EspriritismoO significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
grupodepaisceb
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
grupodepaisceb
 
Chegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no BrasilChegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no Brasil
grupodepaisceb
 
Maria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de JesusMaria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de Jesus
grupodepaisceb
 
Depressão na visão espírita
Depressão na visão espíritaDepressão na visão espírita
Depressão na visão espírita
grupodepaisceb
 
Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16
grupodepaisceb
 
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
grupodepaisceb
 
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
grupodepaisceb
 
Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas
grupodepaisceb
 
Francisco de Assis
Francisco de AssisFrancisco de Assis
Francisco de Assis
grupodepaisceb
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
grupodepaisceb
 
Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)
grupodepaisceb
 
Histórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulasHistórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulas
grupodepaisceb
 
Afeição
AfeiçãoAfeição
Afeição
grupodepaisceb
 
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
grupodepaisceb
 
Buscai e achareis
Buscai e achareisBuscai e achareis
Buscai e achareis
grupodepaisceb
 
Emoção e razão
Emoção e razãoEmoção e razão
Emoção e razão
grupodepaisceb
 
Eficácia da prece
Eficácia da prece Eficácia da prece
Eficácia da prece
grupodepaisceb
 

Mais de grupodepaisceb (20)

ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espíritoESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
 
O valor do tempo
O valor do tempoO valor do tempo
O valor do tempo
 
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do EspriritismoO significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
 
Chegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no BrasilChegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no Brasil
 
Maria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de JesusMaria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de Jesus
 
Depressão na visão espírita
Depressão na visão espíritaDepressão na visão espírita
Depressão na visão espírita
 
Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16
 
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
 
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
 
Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas
 
Francisco de Assis
Francisco de AssisFrancisco de Assis
Francisco de Assis
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
 
Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)
 
Histórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulasHistórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulas
 
Afeição
AfeiçãoAfeição
Afeição
 
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
 
Buscai e achareis
Buscai e achareisBuscai e achareis
Buscai e achareis
 
Emoção e razão
Emoção e razãoEmoção e razão
Emoção e razão
 
Eficácia da prece
Eficácia da prece Eficácia da prece
Eficácia da prece
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
adequacaocontabil
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 

ESE Cap. XVIII - Muitos os chamados, poucos os escolhidos

  • 1. 1
  • 2. 2 MUITOS OS CHAMADOS, POUCOS OS ESCOLHIDOS – ESE - CAP 18
  • 5. 5 PASSAM DE PAI PARA FILHO...
  • 6. 6 EVANGELHO: Boa notícia; boa-nova Aspectos da biografia de Jesus e principais ensinamentos, segundo informações de Mateus, Marcos, Lucas e João. • Mateus e João, registros e informações baseadas na convivência com Jesus (apóstolos). • Marcos registrou reminiscências de Pedro. • Lucas coletou informações por via indireta. Religião à Luz do Espiritismo I - FEB – ESTUDO APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA, Roteiro 11 p 102 e 103
  • 7. 7
  • 8. 8 ENTENDENDO OS CONCEITOS... EVANGELHO • Mateus e João, registros e informações baseadas na convivência com Jesus (apóstolos). • Marcos registrou reminiscências de Pedro. • Lucas coletou informações por via indireta. NOVO TESTAMENTO: Composto dos Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Epístolas e Apocalipse. Religião à Luz do Espiritismo I - FEB – ESTUDO APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA, Roteiro 11 p 102 e 103
  • 9. 9 ENTENDENDO OS CONCEITOS... EVANGELHOS: • Evangelhos canônicos (Mateus, Marcos, Lucas e João) – narrativas cuidadosamente escritas sobre a vida de Jesus; integram o Novo Testamento. • Evangelhos Apócrifos (Deuterocanônicos) – manuscritos redigidos pelos discípulos de Jesus, não reconhecidos pela Igreja sob alegação de não poderem ser comprovados. Religião à Luz do Espiritismo I - FEB – ESTUDO APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA p 102 e 103
  • 10. 10 ENTENDENDO OS CONCEITOS... • Evangelhos Contemporâneos - Releituras do Evangelho (Evangelho Segundo o Espiritismo). www.pt.wikepidia.org/wiki/evangelho
  • 11. 11 A PARÁBOLA DA FESTA DE NÚPCIAS (Mateus, 22: 1 a 14)
  • 12. • JESUS COMPARA O REINO DOS CÉUS, ONDE TUDO É ALEGRIA E FELICIDADE, A UMA FESTA DE NÚPCIAS. • OS PRIMEIROS CONVIDADOS SÃO OS HEBREUS (primeiros monoteístas). • OS ENVIADOS DO REI SÃO OS PROFETAS. • OS CONVIDADOS QUE SE DESCULPAM SÃO AS PESSOAS COMUNS. 12 A PARÁBOLA DA FESTA DE NÚPCIAS Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 2
  • 13. • MAS NÃO BASTA DIZER-SE CRISTÃO… É PRECISO ESTAR VESTIDO COM A ROUPA NUPCIAL, OU SEJA, TER A PUREZA DE CORACÃO E PRATICAR A LEI CONFORME O ESPÍRITO . • ESSA LEI ESTÁ TOTALMENTE CONTIDA NESSAS PALAVRAS: FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO. 13 A PARÁBOLA DA FESTA DE NÚPCIAS Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 2
  • 14. 14 A PORTA ESTREITA (Mateus, 7: 13 e 14) A PORTA DA SALVAÇÃO É ESTREITA, POIS O HOMEM QUE QUER TRANSPÔ-LA DEVE FAZER GRANDES ESFORÇOS PARA VENCER SUAS MÁS TENDÊNCIAS… É O COMPLEMENTO DO ENSINAMENTO MORAL: MUITOS SÃO OS CHAMADOS E POUCOS OS ESCOLHIDOS. Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 5
  • 15. 15 “Nem todos os que dizem: Senhor! Senhor! Entrarão no Reino dos Céus”(Mateus, 7:21 a 23)
  • 16. 16 “Nem todos os que dizem: Senhor! Senhor! Entrarão no Reino dos Céus”(Mateus, 7:21 a 23) Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 9 • SÃO SEUS DISCÍPULOS AQUELES QUE PASSAM DIAS ORANDO E NÃO SÃO NEM MELHORES, NEM MAIS CARIDOSOS, NEM MAIS INDULGENTES PARA COM SEUS SEMELHANTES?
  • 17. 17 “A quem muito foi dado, muito será pedido” (Lucas, 12: 47 e 48).
  • 18. Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 12 • AQUELE QUE CONHECE OS ENSINAMENTOS DE JESUS E NÃO OS COLOCA EM PRÁTICA PARA MELHORAR- SE… QUE AO SEU CONTATO NÃO SE TORNA MENOS FÚTIL, MENOS ORGULHOSO, MENOS EGOÍSTA, MENOS APEGADO AOS BENS MATERIAIS, NEM MELHOR PARA COM O SEU PRÓXIMO, É TANTO MAIS CULPADO QUANTO MAIS HAJA TIDO MEIOS DE CONHECER A VERDADE. “A quem muito foi dado, muito será pedido” (Lucas, 12: 47 e 48).
  • 19. Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, item 12 • AOS ESPÍRITAS, MUITO SERÁ PEDIDO, PORQUE MUITO RECEBERAM, MAS, ÀQUELES QUE APROVEITAREM OS ENSINAMENTOS, MUITO SERÁ DADO. • O ESPIRITISMO VEM MULTIPLICAR O NÚMERO DE CHAMADOS; PELA FÉ QUE PROPORCIONA, MULTIPLICARÁ TAMBÉM O NÚMERO DOS ESCOLHIDOS. “A quem muito foi dado, muito será pedido” (Lucas, 12: 47 e 48).
  • 20. 20 “Será dado àquele que tem” Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, Instrução dos Espíritos
  • 21. • AQUELE QUE RECEBEU É AQUELE QUE POSSUI O SENTIDO DA PALAVRA DIVINA; RECEBEU PORQUE TENTOU TORNAR-SE DIGNO DISSO… • ESTES ESFORÇOS CONTÍNUOS, PERSEVERANTES, …SÃO COMO UM IMÃ QUE ATRAI AS MELHORAS PROGRESSIVAS, AS GRAÇAS ABUNDANTES… • ARAI VOSSOS CORAÇÕES…SEMEAI NELES O BOM GRÃO, O BEM… E O ORVALHO DO AMOR OS FARÁ PRODUZIR FRUTOS DA CARIDADE. “Será dado àquele que tem” Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, Instrução dos Espíritos – Um Espírito Amigo Bordeaux - 1862
  • 22. 22 Reconhece-se o cristão por suas obras. Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, Instrução dos Espíritos
  • 23. • O CRISTIANISMO, TAL COMO TEM FEITO HÁ MUITOS SÉCULOS, CONTINUA A PREGAR AS DIVINAS VIRTUDES; PROCURA DISTRIBUIR SEUS FRUTOS, MAS POUCOS OS COLHEM. • …NÃO OS AMONTOEIS PARA GUARDÁ-LOS E DEIXÁ- LOS APODRECER PARA QUE NÃO SIRVAM A NINGUÉM. • …A ÁRVORE QUE DÁ BONS FRUTOS DEVE DISTRIBUI- LOS PARA TODOS. “Será dado àquele que tem” Kardec, A. 1864. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO , FEB – Trad. Guillon Ribeiro, CAP XVIII, Instrução dos Espíritos – Um Espírito Amigo Bordeaux - 1862
  • 24. 24 “Fora da caridade não há salvação” - ESE,Cap15
  • 27. 27 BASEADO NOS LIVROS: • “O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - FEB ” – Allan Kardec – Tradução Guillon Ribeiro • “ PENSAMENTO E VIDA – Emmanuel – Francisco Cândido Xavier” www.forumespirita.net/cap-xvii-evangelho- segundo-espiritismo/?...