SlideShare uma empresa Scribd logo
EVANGELHO SEGUNDO O
ESPIRITISMO
CAPÍTULO VII
BEM AVENTURADOS OS
POBRES DE ESPÍRITO
Tópicos:
- O que se deve entender por pobres de Espíritos
- Aquele que se eleva será rebaixado
SERMÃO DA MONTANHA
BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITOS,
POIS QUE DELES É O REINO DOS CÉUS.(Mateus, 5:3)
01 - O que é preciso entender por pobres de
Espírito - itens 1 e 2.
A incredulidade zombou desta máxima...
OS FRACOS DE INTELIGÊNCIA, OS SEM CULTURA.
OS HUMILDES, OS RICOS EM
QUALIDADES MORAIS.
Ao orgulhoso, insensato, Deus lhe mostrará o
seu lugar, pois todo aquele que se eleva será
rebaixado...
ALGUMAS
CARACTERÍSTICAS:
POSSUI ALTO CONCEITO DE SI PRÓPRIOACREDITA SER SUPERIOR A TUDOCONCENTRA O SEU OLHAR SOBRE SI MESMO
CONSIDERA AS COISAS DIVINAS INDIGNAS
DA SUA ATENÇÃO
É A REVOLTA CONTRA DEUSAFASTA O HOMEM DE DEUS
IMPEDE A ACEITAÇÃO DO MUNDO
ESPIRITUAL E DA EXISTÊNCIA DIVINA
IMPEDE A ENTRADA NO REINO DOS CÉUS
"Bem-aventurados os pobres de Espírito, porque
deles é o Reino dos Céus". Mateus, capítulo V,
vers. 3.
Deus quer Espíritos ricos de amor e pobres de or-
gulho.
Os "pobres de Espírito" são os que não têm orgulho,
os Espíritos ricos são os que acumulam tesouros nos
Céus, onde a traça não os rói e os ladrões não
alcançam.
Os "pobres de Espírito" são os humildes. Bem
aventurados os humildes; deles é o Reino dos Céus!
- A humildade respeita o ser humano, não pelos
seus haveres, mas por suas virtudes.
- A pobreza de paixões, de vícios, de baixas
condições que prendem ao mundo, e o
desapego de efêmeras glórias, de egoísmo, de
orgulho, amparam os viajores terrenos que
caminham para a perfeição.
Quando Jesus se referia aos pobres de
Espírito, às multidões, Ele falava dos corações
despretensiosos e humildes, aptos a seguirem
os Seus ensinamentos, sem preocupações
rasteiras da existência material.
“Quem é o maior no reino dos céus?”
“Digo-vos, em verdade, que se não vos
converterdes e tornardes quais crianças, não
entrareis no reino dos céus...”
Aquele que se eleva será rebaixado
ALGUMAS
CARACTERÍSTICAS:
É SENSÍVEL AOS ENSINOS ESPIRITUAISÉ SUBMISSO ÀS LEIS DE DEUSNÃO ALIMENTA VAIDADES E GRANDEZASNÃO SE JULGA SUPERIOR
ATO DE SUBMISSÃO
A DEUS
APROXIMA A
CRIATURA DE DEUS
FACILITA A ACEITAÇÃO
DO MUNDO ESPIRITUAL
E DA EXISTÊNCIA
DIVINA
FACULTA A ENTRADA
NO REINO DOS CÉUS
O QUE DEVEMOS ENTENDER POR
“REINO DOS CÉUS”?
É UM ESTADO DE PAZ E
FELICIDADE ESPIRITUAL
QUE USUFRUEM AQUELES
QUE CONQUISTARAM A
SIMPLICIDADE DE CORAÇÃO
E HUMILDADE
ESSAS VIRTUDES
POSSIBILITAM A ENTRADA
EM MUNDOS ESPIRITUAIS
SUPERIORES
À NINGUÉM É CONCEDIDA
A ENTRADA NESTE
REINO SEM A
SIMPLICIDADE DE
CORAÇÃO E A
HUMILDADE DE
ESPÍRITO.
Então a mãe dos filhos de Zebedeu se
aproximou Dele com seus dois filhos e o adorou.
Disse-lhe Ele: “Que queres?” “Manda que estes
meus dois filhos tenham assento no teu reino,
um à tua direita e o outro à tua esquerda.”
Jesus lhe respondeu: “Não sabes o que pedes...”
“...Quando fordes convidados para um festim,
não tomeis o primeiro lugar...”
A existência terrena é um dom precioso e como
tal deve ser vivida. Não se deve destruir o seu
encanto natural, nem reduzi-la a atos forçados;
nem transformá-la num fardo que se arrasta
penosamente. Isto não é virtude, é delito.
O reino dos Céus é daqueles que se tornam
como crianças, diz o Mestre.
A verdadeira virtude é aquela que a si mesma se
ignora. Os humildes jamais se julgam
privilegiados
Trabalhando com simplicidade e
alegria, Deus nos dará o que for justo.
Este é o ensinamento de Jesus.
Procuremos, com humildade,
aprender o Evangelho e a cada dia
sentiremos brotar em nós a
esperança de uma vida melhor.
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Convite à
humildade
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Os que são incapazes de consegui-
la, identificam-na como fraqueza.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Os pessimistas que chafurdam
no poço do orgulho ferido
e não se dispõem à luta, detestam-na,
porque se sentem incapazes de possuí-la.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Os derrotistas utilizam-se da
subestima para denegri-la.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Os fracos, falsamente investidos de força,
falseiam-lhe o significado,
deturpando-lhe a soberana realidade.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Porque muitos não lograram vivê-la e
derraparam em plenos exercícios,
desconsideram-na.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Ela, no entanto,
fulgura e prossegue.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Sustenta no cansaço,
acalenta nas dores,
robustece na luta,
encoraja no insucesso,
levanta na queda...
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Louva a dor que corrige,
abençoa a dificuldade que ensina,
agradece a soledade
que exercita a reflexão,
ampara o trabalho que disciplina
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
e é reconhecida a todos,
inclusive aos que passam por maus,
por ensinarem, embora inconscientemente,
o valor dos bons e a excelência do bem.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Chega e dulcifica a amargura,
balsamizando qualquer ferida exposta,
mesmo em chaga repelente.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Identifica-se pela meiguice,
e sutil, agrada,
oferecendo plenitude,
quando tudo conspira contra a paz
de que se faz instrumento.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Escudo dos verdadeiros heróis,
tem sido a coroa dos mártires,
o sinal dos santos
e a característica dos sábios.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Com ela o homem adquire grandeza interior,
e considerando a majestade da Criação,
como membro atuante da vida, que é,
eleva-se e, assim,
eleva a humanidade inteira.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Conquistá-la,
ao fim das pelejas exaustivas,
é lograr paz.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
No diálogo entre Jesus e Pilatos,
esteve
presente no silêncio do Amigo Divino
e ausente no enganado fâmulo* de César...
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco* servo, escravo
Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br
Seu nome é humildade.
Joanna de Ângelis - Divaldo Franco

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
Marcos Accioly
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Divulgador do Espiritismo
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
igmateus
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
Rivaldo Guedes Corrêa. Jr
 
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Leonardo Pereira
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VIIBem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
NatyMadeira
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Pobres de espírito
Pobres de espíritoPobres de espírito
Pobres de espírito
Fatoze
 
Felicidade E Infelicidade Relativa
Felicidade E  Infelicidade  RelativaFelicidade E  Infelicidade  Relativa
Felicidade E Infelicidade Relativa
Sergio Menezes
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
Sergio Menezes
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
Izabel Cristina Fonseca
 

Mais procurados (20)

O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
 
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VIIBem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Pobres de espírito
Pobres de espíritoPobres de espírito
Pobres de espírito
 
Felicidade E Infelicidade Relativa
Felicidade E  Infelicidade  RelativaFelicidade E  Infelicidade  Relativa
Felicidade E Infelicidade Relativa
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
 

Destaque

Capítulo vii – bem aventurados os pobres de espírito
Capítulo vii – bem aventurados os pobres de espíritoCapítulo vii – bem aventurados os pobres de espírito
Capítulo vii – bem aventurados os pobres de espírito
alice martins
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Tiburcio Santos
 
Esboço o que se deve entender por pobres de espírito
Esboço o que se deve entender por pobres de espíritoEsboço o que se deve entender por pobres de espírito
Esboço o que se deve entender por pobres de espírito
Helio Cruz
 
O que se deve entender por pobres de espírito
O que se deve entender por pobres de espíritoO que se deve entender por pobres de espírito
O que se deve entender por pobres de espírito
Helio Cruz
 
Palestra 27 bem aventurados
Palestra 27 bem aventuradosPalestra 27 bem aventurados
Palestra 27 bem aventurados
Jose Ferreira Almeida Almeida
 
Apresentação das bem aventuranças
Apresentação das bem aventurançasApresentação das bem aventuranças
Apresentação das bem aventuranças
vineta
 
Maria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de JesusMaria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de Jesus
grupodepaisceb
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
alice martins
 
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão EspíritaAS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
Anderson Dias
 
Sermão da montanha
Sermão da montanhaSermão da montanha
Sermão da montanha
Graça Maciel
 
O sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanosO sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanos
Dalila Melo
 
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do EspriritismoO significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
grupodepaisceb
 
O valor do tempo
O valor do tempoO valor do tempo
O valor do tempo
grupodepaisceb
 
Chegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no BrasilChegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no Brasil
grupodepaisceb
 
As bem aventuranças (jesus)
As bem aventuranças (jesus)As bem aventuranças (jesus)
As bem aventuranças (jesus)
Mirian De Lima Mendes
 
Humildade x orgulho
Humildade x orgulhoHumildade x orgulho
Humildade x orgulho
Fer Nanda
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
grupodepaisceb
 
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos PrudentesMistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
Grupo Espírita Cristão
 
Bem aventurado
Bem aventuradoBem aventurado
Bem aventurado
Mensagens Virtuais
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Destaque (20)

Capítulo vii – bem aventurados os pobres de espírito
Capítulo vii – bem aventurados os pobres de espíritoCapítulo vii – bem aventurados os pobres de espírito
Capítulo vii – bem aventurados os pobres de espírito
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
 
Esboço o que se deve entender por pobres de espírito
Esboço o que se deve entender por pobres de espíritoEsboço o que se deve entender por pobres de espírito
Esboço o que se deve entender por pobres de espírito
 
O que se deve entender por pobres de espírito
O que se deve entender por pobres de espíritoO que se deve entender por pobres de espírito
O que se deve entender por pobres de espírito
 
Palestra 27 bem aventurados
Palestra 27 bem aventuradosPalestra 27 bem aventurados
Palestra 27 bem aventurados
 
Apresentação das bem aventuranças
Apresentação das bem aventurançasApresentação das bem aventuranças
Apresentação das bem aventuranças
 
Maria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de JesusMaria - Mãe de Jesus
Maria - Mãe de Jesus
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
 
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão EspíritaAS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
 
Sermão da montanha
Sermão da montanhaSermão da montanha
Sermão da montanha
 
O sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanosO sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanos
 
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do EspriritismoO significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
O significado espiritual das uniões humanas à luz do Espriritismo
 
O valor do tempo
O valor do tempoO valor do tempo
O valor do tempo
 
Chegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no BrasilChegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no Brasil
 
As bem aventuranças (jesus)
As bem aventuranças (jesus)As bem aventuranças (jesus)
As bem aventuranças (jesus)
 
Humildade x orgulho
Humildade x orgulhoHumildade x orgulho
Humildade x orgulho
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
 
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos PrudentesMistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
 
Bem aventurado
Bem aventuradoBem aventurado
Bem aventurado
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 

Semelhante a ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito

Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1
Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1
Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1
Patricia Farias
 
Humildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtudeHumildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtude
Ricardo Azevedo
 
Boletim 85
Boletim 85Boletim 85
Boletim 85
CEJG
 
Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13
Leonardo Pereira
 
Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.
ThiagoPereiraSantos2
 
Humildade, a primeira virtude - 2a. edição
Humildade, a primeira virtude - 2a. ediçãoHumildade, a primeira virtude - 2a. edição
Humildade, a primeira virtude - 2a. edição
Ricardo Azevedo
 
Resenha espirita on line 129
Resenha espirita on line 129Resenha espirita on line 129
Resenha espirita on line 129
MRS
 
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
Quem  me segue não anda nas trevas.pdfQuem  me segue não anda nas trevas.pdf
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
M.R.L
 
Beume 61
Beume 61Beume 61
Beume 61
Ume Maria
 
O Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os EspíritosO Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os Espíritos
igmateus
 
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
Patricia Farias
 
Vencendo as ilusões da matéria
Vencendo as ilusões da matériaVencendo as ilusões da matéria
Vencendo as ilusões da matéria
Helio Cruz
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
Helio Cruz
 
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
jcevadro
 
Pandemia e Transformação
Pandemia e TransformaçãoPandemia e Transformação
Pandemia e Transformação
Ricardo Azevedo
 
Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22
Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22
Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22
Patricia Farias
 
Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12
Leonardo Pereira
 
Reflexões awmergin o bardo
Reflexões   awmergin o bardoReflexões   awmergin o bardo
Reflexões awmergin o bardo
Awmergin O Bardo
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
Helio Cruz
 
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
Fatima Carvalho
 

Semelhante a ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito (20)

Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1
Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1
Livro dos Espiritos 268 ESE cap 21 item 1
 
Humildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtudeHumildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtude
 
Boletim 85
Boletim 85Boletim 85
Boletim 85
 
Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13
 
Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.
 
Humildade, a primeira virtude - 2a. edição
Humildade, a primeira virtude - 2a. ediçãoHumildade, a primeira virtude - 2a. edição
Humildade, a primeira virtude - 2a. edição
 
Resenha espirita on line 129
Resenha espirita on line 129Resenha espirita on line 129
Resenha espirita on line 129
 
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
Quem  me segue não anda nas trevas.pdfQuem  me segue não anda nas trevas.pdf
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
 
Beume 61
Beume 61Beume 61
Beume 61
 
O Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os EspíritosO Desafio de Identificar os Espíritos
O Desafio de Identificar os Espíritos
 
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
 
Vencendo as ilusões da matéria
Vencendo as ilusões da matériaVencendo as ilusões da matéria
Vencendo as ilusões da matéria
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
 
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
 
Pandemia e Transformação
Pandemia e TransformaçãoPandemia e Transformação
Pandemia e Transformação
 
Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22
Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22
Livro dos espiritos Q362 ESE cap 28 item 22
 
Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12Estudos do evangelho 12
Estudos do evangelho 12
 
Reflexões awmergin o bardo
Reflexões   awmergin o bardoReflexões   awmergin o bardo
Reflexões awmergin o bardo
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
 
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
 

Mais de grupodepaisceb

Depressão na visão espírita
Depressão na visão espíritaDepressão na visão espírita
Depressão na visão espírita
grupodepaisceb
 
Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16
grupodepaisceb
 
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
grupodepaisceb
 
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
grupodepaisceb
 
Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas
grupodepaisceb
 
Francisco de Assis
Francisco de AssisFrancisco de Assis
Francisco de Assis
grupodepaisceb
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
grupodepaisceb
 
Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)
grupodepaisceb
 
Histórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulasHistórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulas
grupodepaisceb
 
Afeição
AfeiçãoAfeição
Afeição
grupodepaisceb
 
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
grupodepaisceb
 
Buscai e achareis
Buscai e achareisBuscai e achareis
Buscai e achareis
grupodepaisceb
 
Emoção e razão
Emoção e razãoEmoção e razão
Emoção e razão
grupodepaisceb
 
Eficácia da prece
Eficácia da prece Eficácia da prece
Eficácia da prece
grupodepaisceb
 
Reforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírioReforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírio
grupodepaisceb
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
grupodepaisceb
 
Apresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadas
Apresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadasApresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadas
Apresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadas
grupodepaisceb
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
grupodepaisceb
 
Comportamento do próximo
Comportamento do próximoComportamento do próximo
Comportamento do próximo
grupodepaisceb
 
Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII
Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII   Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII
Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII
grupodepaisceb
 

Mais de grupodepaisceb (20)

Depressão na visão espírita
Depressão na visão espíritaDepressão na visão espírita
Depressão na visão espírita
 
Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16Educação no lar_9abr16
Educação no lar_9abr16
 
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
Grupo Auta de Souza - Acompanhamento das Famílias 2015.2016
 
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
Atividades da comunhão espírita de brasília 2016
 
Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas Ideias sociais espíritas
Ideias sociais espíritas
 
Francisco de Assis
Francisco de AssisFrancisco de Assis
Francisco de Assis
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
 
Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)Minha mãe não faz nada (texto)
Minha mãe não faz nada (texto)
 
Histórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulasHistórias parábolas fábulas
Histórias parábolas fábulas
 
Afeição
AfeiçãoAfeição
Afeição
 
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)Leis morais  (geral e trabalho, reprodução)
Leis morais (geral e trabalho, reprodução)
 
Buscai e achareis
Buscai e achareisBuscai e achareis
Buscai e achareis
 
Emoção e razão
Emoção e razãoEmoção e razão
Emoção e razão
 
Eficácia da prece
Eficácia da prece Eficácia da prece
Eficácia da prece
 
Reforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírioReforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírio
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
 
Apresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadas
Apresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadasApresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadas
Apresentação do grupo Auta de Souza - Famílias ajudadas
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
Comportamento do próximo
Comportamento do próximoComportamento do próximo
Comportamento do próximo
 
Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII
Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII   Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII
Não separeis o que Deus juntou - ESE - Cap XXII
 

Último

Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 

ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito

  • 1. EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO CAPÍTULO VII BEM AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO Tópicos: - O que se deve entender por pobres de Espíritos - Aquele que se eleva será rebaixado
  • 2. SERMÃO DA MONTANHA BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITOS, POIS QUE DELES É O REINO DOS CÉUS.(Mateus, 5:3)
  • 3. 01 - O que é preciso entender por pobres de Espírito - itens 1 e 2. A incredulidade zombou desta máxima...
  • 4. OS FRACOS DE INTELIGÊNCIA, OS SEM CULTURA.
  • 5. OS HUMILDES, OS RICOS EM QUALIDADES MORAIS.
  • 6. Ao orgulhoso, insensato, Deus lhe mostrará o seu lugar, pois todo aquele que se eleva será rebaixado...
  • 7. ALGUMAS CARACTERÍSTICAS: POSSUI ALTO CONCEITO DE SI PRÓPRIOACREDITA SER SUPERIOR A TUDOCONCENTRA O SEU OLHAR SOBRE SI MESMO CONSIDERA AS COISAS DIVINAS INDIGNAS DA SUA ATENÇÃO
  • 8. É A REVOLTA CONTRA DEUSAFASTA O HOMEM DE DEUS IMPEDE A ACEITAÇÃO DO MUNDO ESPIRITUAL E DA EXISTÊNCIA DIVINA IMPEDE A ENTRADA NO REINO DOS CÉUS
  • 9.
  • 10. "Bem-aventurados os pobres de Espírito, porque deles é o Reino dos Céus". Mateus, capítulo V, vers. 3. Deus quer Espíritos ricos de amor e pobres de or- gulho. Os "pobres de Espírito" são os que não têm orgulho, os Espíritos ricos são os que acumulam tesouros nos Céus, onde a traça não os rói e os ladrões não alcançam. Os "pobres de Espírito" são os humildes. Bem aventurados os humildes; deles é o Reino dos Céus!
  • 11. - A humildade respeita o ser humano, não pelos seus haveres, mas por suas virtudes. - A pobreza de paixões, de vícios, de baixas condições que prendem ao mundo, e o desapego de efêmeras glórias, de egoísmo, de orgulho, amparam os viajores terrenos que caminham para a perfeição.
  • 12. Quando Jesus se referia aos pobres de Espírito, às multidões, Ele falava dos corações despretensiosos e humildes, aptos a seguirem os Seus ensinamentos, sem preocupações rasteiras da existência material. “Quem é o maior no reino dos céus?” “Digo-vos, em verdade, que se não vos converterdes e tornardes quais crianças, não entrareis no reino dos céus...” Aquele que se eleva será rebaixado
  • 13.
  • 14. ALGUMAS CARACTERÍSTICAS: É SENSÍVEL AOS ENSINOS ESPIRITUAISÉ SUBMISSO ÀS LEIS DE DEUSNÃO ALIMENTA VAIDADES E GRANDEZASNÃO SE JULGA SUPERIOR
  • 15. ATO DE SUBMISSÃO A DEUS APROXIMA A CRIATURA DE DEUS FACILITA A ACEITAÇÃO DO MUNDO ESPIRITUAL E DA EXISTÊNCIA DIVINA FACULTA A ENTRADA NO REINO DOS CÉUS
  • 16. O QUE DEVEMOS ENTENDER POR “REINO DOS CÉUS”? É UM ESTADO DE PAZ E FELICIDADE ESPIRITUAL QUE USUFRUEM AQUELES QUE CONQUISTARAM A SIMPLICIDADE DE CORAÇÃO E HUMILDADE ESSAS VIRTUDES POSSIBILITAM A ENTRADA EM MUNDOS ESPIRITUAIS SUPERIORES
  • 17. À NINGUÉM É CONCEDIDA A ENTRADA NESTE REINO SEM A SIMPLICIDADE DE CORAÇÃO E A HUMILDADE DE ESPÍRITO.
  • 18. Então a mãe dos filhos de Zebedeu se aproximou Dele com seus dois filhos e o adorou. Disse-lhe Ele: “Que queres?” “Manda que estes meus dois filhos tenham assento no teu reino, um à tua direita e o outro à tua esquerda.” Jesus lhe respondeu: “Não sabes o que pedes...”
  • 19. “...Quando fordes convidados para um festim, não tomeis o primeiro lugar...”
  • 20. A existência terrena é um dom precioso e como tal deve ser vivida. Não se deve destruir o seu encanto natural, nem reduzi-la a atos forçados; nem transformá-la num fardo que se arrasta penosamente. Isto não é virtude, é delito. O reino dos Céus é daqueles que se tornam como crianças, diz o Mestre. A verdadeira virtude é aquela que a si mesma se ignora. Os humildes jamais se julgam privilegiados
  • 21. Trabalhando com simplicidade e alegria, Deus nos dará o que for justo. Este é o ensinamento de Jesus. Procuremos, com humildade, aprender o Evangelho e a cada dia sentiremos brotar em nós a esperança de uma vida melhor.
  • 22. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Convite à humildade Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 23. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Os que são incapazes de consegui- la, identificam-na como fraqueza. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 24. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Os pessimistas que chafurdam no poço do orgulho ferido e não se dispõem à luta, detestam-na, porque se sentem incapazes de possuí-la. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 25. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Os derrotistas utilizam-se da subestima para denegri-la. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 26. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Os fracos, falsamente investidos de força, falseiam-lhe o significado, deturpando-lhe a soberana realidade. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 27. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Porque muitos não lograram vivê-la e derraparam em plenos exercícios, desconsideram-na. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 28. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Ela, no entanto, fulgura e prossegue. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 29. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Sustenta no cansaço, acalenta nas dores, robustece na luta, encoraja no insucesso, levanta na queda... Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 30. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Louva a dor que corrige, abençoa a dificuldade que ensina, agradece a soledade que exercita a reflexão, ampara o trabalho que disciplina Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 31. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br e é reconhecida a todos, inclusive aos que passam por maus, por ensinarem, embora inconscientemente, o valor dos bons e a excelência do bem. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 32. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Chega e dulcifica a amargura, balsamizando qualquer ferida exposta, mesmo em chaga repelente. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 33. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Identifica-se pela meiguice, e sutil, agrada, oferecendo plenitude, quando tudo conspira contra a paz de que se faz instrumento. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 34. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Escudo dos verdadeiros heróis, tem sido a coroa dos mártires, o sinal dos santos e a característica dos sábios. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 35. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Com ela o homem adquire grandeza interior, e considerando a majestade da Criação, como membro atuante da vida, que é, eleva-se e, assim, eleva a humanidade inteira. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 36. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Conquistá-la, ao fim das pelejas exaustivas, é lograr paz. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco
  • 37. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br No diálogo entre Jesus e Pilatos, esteve presente no silêncio do Amigo Divino e ausente no enganado fâmulo* de César... Joanna de Ângelis - Divaldo Franco* servo, escravo
  • 38. Feito por Luana Rodrigues – luannarj@uol.com.br Seu nome é humildade. Joanna de Ângelis - Divaldo Franco