SlideShare uma empresa Scribd logo
 O Evangelho de João
registra da seguinte
forma a promessa de
Jesus relativa ao
Consolador:
 "Se me amais, guardai
meus mandamentos. E
rogarei a meu Pai e ele
vos dará outro
Consolador, a fim de que
fique eternamente
convosco:
 o Espírito da Verdade
que o mundo não pode
receber, porque não o vê e
absolutamente não o
conhece. Mas, quanto a
vós, conhecê-lo-eis,
porque ficará convosco e
estará em vós" (João,
14:15 a 17).
 Um pouco mais
adiante, o mesmo
Evangelista atribui
a Jesus as seguintes
palavras:
 "Eu vos tenho dito estas coisas
enquanto permaneço convosco.
Mas o Paráclito, o Santo
Espírito, que meu Pai vos
enviará em meu nome, vos
ensinará todas as coisas e vos
fará lembrar o que vos disse"
(João, 14:25 e 26). (N.R.:
Paráclito ou paracleto significa
mentor, defensor, protetor.)
 Verifica-se por essas palavras que o
Consolador prometido por Jesus,
também chamado de Santo Espírito
e de Espírito da Verdade, seria
enviado à Terra com a missão de
consolar, lembrar o que ele dissera e
ensinar todas as coisas.
 O Consolador, como Espírito da
Verdade, teria, pois, de dar ao
homem o conhecimento de sua
origem, da necessidade de sua
estada na Terra e do seu destino,
espalhando por todo o lado a
consolação que advém da fé e da
esperança.
 Seu compromisso com a verdade (o
ensino de todas as coisas) o eleva à
condição de uma nova Revelação (a
terceira) da lei de Deus aos homens.
 Ora, o Espiritismo, procedendo de
Espíritos sábios e bondosos, num
verdadeiro derramamento da
mediunidade na carne, preenche
integralmente essas condições, visto que:
1o - procura lembrar-nos o que Jesus
ensinou;
2o - ensina-nos muitas coisas que o
Evangelho não pôde explicar
adequadamente;
3o - consola e conforta os que
sofrem ao mostrar-lhes a causa e a
finalidade dos sofrimentos
humanos.
 A revelação cristã
sucedeu à revelação
mosaica; a revelação
dos Espíritos veio
completá-la.
 O Espiritismo é, pois,
segundo os próprios
Espíritos superiores, o
Consolador prometido
pelo Cristo.
 Várias foram as razões que justificaram
a promessa do Cristo, relativamente ao
advento do Espírito da Verdade.
 Uma delas seria a
inoportunidade de
uma revelação total e
completa pelo
Cristo, numa época
em que o homem
não estaria
amadurecido para
compreendê-la.
 Outra razão seria o
esquecimento e a falta
de vivência das
verdades apregoadas
no Evangelho.
 E mais do que isto,
destacam-se como
forte razão as
distorções
premeditadas que a
mensagem
evangélica sofreu ao
longo dos tempos.
 Kardec afirma, em "A
Gênese", terem sido dois
mil anos de fermentação
e de criminosas
deformações da
mensagem cristã.
 A relação entre o
Espiritismo e o
Consolador prometido
está no fato de a
Doutrina Espírita
preencher todas as
condições inerentes ao
Paráclito anunciado
por Jesus.
 Como assinala Kardec, o Espiritismo
vem abrir os olhos e os ouvidos de
toda gente, pois fala sem figuras,
nem alegorias, e levanta o véu
intencionalmente lançado sobre
certos mistérios, trazendo a
consolação suprema aos deserdados
da Terra e a todos os que sofrem.
 Se, de um lado, o Espírito da
Verdade se apresentava aos homens,
à frente de elevadas Entidades
espirituais, que voltaram à Terra para
completar a obra do Cristo, de outro
Kardec se punha a postos, à frente de
criaturas espiritualizadas, dispostas a
colaborar na imensa tarefa.
 Cumpria-se, assim,
uma promessa do
Cristo, por meio de
todo um imenso
processo de
amadurecimento
espiritual do
homem.
 Kardec foi, portanto, o
instrumento de que se
serviu o Alto para
completar a mensagem do
Cristo, como ele mesmo
havia prometido, por
intermédio de uma
Doutrina altamente
consoladora e intimamente
ligada ao ensino moral
contido no Evangelho de
Jesus, que
permanecerá para sempre
conosco.
 1. Em que Evangelho
está consignada a promessa de Jesus
relativa ao Consolador?
 R.: No Evangelho de João, cap. 14.
 2. O Consolador prometido por Jesus
deveria apresentar algumas
características especiais. Quais são
elas?
 R.: Além, evidentemente, da tarefa de
consolar, ele deveria lembrar o que
Jesus havia ensinado e, ultrapassando
o próprio ensino do Cristo, ensinar ao
homem todas as coisas.
 3. Por que motivo o Espiritismo se
apresenta como o Consolador
prometido por Jesus?
 R.: A revelação cristã sucedeu à
revelação mosaica, e a revelação dos
Espíritos veio completá-la.
 O Espiritismo é, segundo afirmam
os próprios Espíritos superiores, o
Consolador prometido pelo Cristo.
 E ele, de fato, preenche
integralmente as condições
mencionadas na promessa do Cristo,
visto que:
 1o - procura lembrar-nos o que Jesus
ensinou;
 2o - ensina-nos muitas coisas que o
Evangelho não pôde explicar
adequadamente;
 3o - consola e conforta os que sofrem
ao mostrar-lhes a causa e a
finalidade dos sofrimentos
humanos.
 4. Que razões justificariam a
promessa do Cristo, relativamente
ao advento do Espírito da Verdade?
 R.: Várias foram as razões que
justificaram a promessa do Cristo,
relativamente ao advento do Espírito
da Verdade.
 Uma delas seria a inoportunidade de
uma revelação total e completa pelo
Cristo, numa época em que o
homem não estaria amadurecido
para compreendê-la.
 Outra razão seria o esquecimento e a
falta de vivência das verdades
apregoadas no Evangelho.
 E mais do que isto, destacam-se
como forte razão as distorções
premeditadas que a mensagem
evangélica sofreu ao longo dos
tempos.
 5. Você acha que o Espiritismo
preenche todas as condições
inerentes ao Consolador prometido
por Jesus?
 R.: Sim. Inexiste dúvida quanto a
isso.
 Como assinala Kardec, o Espiritismo veio
abrir os olhos e os ouvidos de toda gente,
pois fala sem figuras, nem alegorias, e
levanta o véu intencionalmente lançado
sobre certos mistérios, trazendo a
consolação suprema aos deserdados da
Terra e a todos os que sofrem e
cumprindo, desse modo, todas as
condições citadas por Jesus em sua
promessa.
 "O Evangelho segundo o Espiritismo", de
Allan Kardec, cap. 2.
"A Gênese", de Allan Kardec, itens 37 e
40.
"O Espírito e o Tempo", de J. Herculano
Pires
O consolador prometido - n. 6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deus
Denise Aguiar
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Antonino Silva
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
Norberto Tomasini Jr
 
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o EspiritismoIntroducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
CEVP - Divulgação
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
Jorge Luiz dos Santos
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
Jorge Luiz dos Santos
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
grupodepaisceb
 
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNOO TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
Jorge Luiz dos Santos
 
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS  Obreiros do SenhorCapitulo XX - OS  Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
Jean Dias
 
Falsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetasFalsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetas
Vanda Machado
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Silvânio Barcelos
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
O homem no mundo
O homem no mundoO homem no mundo
O homem no mundo
Denise Tofoli
 
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptxRetorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Rosimeire Alves
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Divulgador do Espiritismo
 
BEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃO
BEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃOBEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃO
BEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃO
Sergio Menezes
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deus
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
 
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o EspiritismoIntroducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNOO TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
 
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS  Obreiros do SenhorCapitulo XX - OS  Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
 
Falsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetasFalsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetas
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
O homem no mundo
O homem no mundoO homem no mundo
O homem no mundo
 
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptxRetorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
 
BEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃO
BEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃOBEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃO
BEM AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃO
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 

Semelhante a O consolador prometido - n. 6

AULA 4.pptx
AULA 4.pptxAULA 4.pptx
AULA 4.pptx
FilipeDuartedeBem
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
Luciane Belchior
 
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo EspiritismoCapitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Jean Dias
 
Dives in Misericordia
Dives in MisericordiaDives in Misericordia
Dives in Misericordia
Carlinhos Pregador
 
Dinâmica do Evangelho.pdf
Dinâmica do Evangelho.pdfDinâmica do Evangelho.pdf
Dinâmica do Evangelho.pdf
DanielPorto45
 
Nossa missão_Lição_original com textos_932014
Nossa missão_Lição_original com textos_932014Nossa missão_Lição_original com textos_932014
Nossa missão_Lição_original com textos_932014
Gerson G. Ramos
 
Liçaqo 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA
Liçaqo 13  A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA Liçaqo 13  A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA
Liçaqo 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA
antonio vieira
 
Espiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelhoEspiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelho
João Eduardo
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
Ismael Isidio
 
Sesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismo
Sesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismoSesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismo
Sesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismo
Helio Cruz
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
Alberto Simonton
 
Cat02
Cat02Cat02
Conselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogosConselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogos
RibamarCantanhede3
 
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
Teol. Sandra Ferreira
 
A Revelação Divina
A Revelação DivinaA Revelação Divina
A Revelação Divina
DimensaoCatolica
 
Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador
Wellington Sammuel M. da Silva
 
03 aplicação de cristo da bíblia hebraica
03   aplicação de cristo da bíblia hebraica03   aplicação de cristo da bíblia hebraica
03 aplicação de cristo da bíblia hebraica
Diego Fortunatto
 
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxLição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Celso Napoleon
 
O consolador prometido
O consolador prometidoO consolador prometido
O consolador prometido
Fatoze
 
Apocalipse comentarios
Apocalipse comentariosApocalipse comentarios
Apocalipse comentarios
REFORMADOR PROTESTANTE
 

Semelhante a O consolador prometido - n. 6 (20)

AULA 4.pptx
AULA 4.pptxAULA 4.pptx
AULA 4.pptx
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo EspiritismoCapitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
 
Dives in Misericordia
Dives in MisericordiaDives in Misericordia
Dives in Misericordia
 
Dinâmica do Evangelho.pdf
Dinâmica do Evangelho.pdfDinâmica do Evangelho.pdf
Dinâmica do Evangelho.pdf
 
Nossa missão_Lição_original com textos_932014
Nossa missão_Lição_original com textos_932014Nossa missão_Lição_original com textos_932014
Nossa missão_Lição_original com textos_932014
 
Liçaqo 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA
Liçaqo 13  A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA Liçaqo 13  A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA
Liçaqo 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA
 
Espiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelhoEspiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelho
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
 
Sesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismo
Sesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismoSesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismo
Sesquicentenário de o evangelho segundo o espiritismo
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
 
Cat02
Cat02Cat02
Cat02
 
Conselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogosConselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogos
 
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
 
A Revelação Divina
A Revelação DivinaA Revelação Divina
A Revelação Divina
 
Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador
 
03 aplicação de cristo da bíblia hebraica
03   aplicação de cristo da bíblia hebraica03   aplicação de cristo da bíblia hebraica
03 aplicação de cristo da bíblia hebraica
 
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxLição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
 
O consolador prometido
O consolador prometidoO consolador prometido
O consolador prometido
 
Apocalipse comentarios
Apocalipse comentariosApocalipse comentarios
Apocalipse comentarios
 

Mais de Graça Maciel

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
Graça Maciel
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
Graça Maciel
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
Graça Maciel
 
Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
Graça Maciel
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
Graça Maciel
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
Graça Maciel
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
Graça Maciel
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
Graça Maciel
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Graça Maciel
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
Graça Maciel
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
Graça Maciel
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
Graça Maciel
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
Graça Maciel
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
Graça Maciel
 

Mais de Graça Maciel (20)

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
 
Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
 

Último

Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (16)

Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 

O consolador prometido - n. 6

  • 1.
  • 2.  O Evangelho de João registra da seguinte forma a promessa de Jesus relativa ao Consolador:
  • 3.  "Se me amais, guardai meus mandamentos. E rogarei a meu Pai e ele vos dará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco:
  • 4.  o Espírito da Verdade que o mundo não pode receber, porque não o vê e absolutamente não o conhece. Mas, quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós" (João, 14:15 a 17).
  • 5.  Um pouco mais adiante, o mesmo Evangelista atribui a Jesus as seguintes palavras:
  • 6.  "Eu vos tenho dito estas coisas enquanto permaneço convosco. Mas o Paráclito, o Santo Espírito, que meu Pai vos enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar o que vos disse" (João, 14:25 e 26). (N.R.: Paráclito ou paracleto significa mentor, defensor, protetor.)
  • 7.  Verifica-se por essas palavras que o Consolador prometido por Jesus, também chamado de Santo Espírito e de Espírito da Verdade, seria enviado à Terra com a missão de consolar, lembrar o que ele dissera e ensinar todas as coisas.
  • 8.  O Consolador, como Espírito da Verdade, teria, pois, de dar ao homem o conhecimento de sua origem, da necessidade de sua estada na Terra e do seu destino, espalhando por todo o lado a consolação que advém da fé e da esperança.
  • 9.  Seu compromisso com a verdade (o ensino de todas as coisas) o eleva à condição de uma nova Revelação (a terceira) da lei de Deus aos homens.
  • 10.  Ora, o Espiritismo, procedendo de Espíritos sábios e bondosos, num verdadeiro derramamento da mediunidade na carne, preenche integralmente essas condições, visto que:
  • 11. 1o - procura lembrar-nos o que Jesus ensinou;
  • 12. 2o - ensina-nos muitas coisas que o Evangelho não pôde explicar adequadamente;
  • 13. 3o - consola e conforta os que sofrem ao mostrar-lhes a causa e a finalidade dos sofrimentos humanos.
  • 14.  A revelação cristã sucedeu à revelação mosaica; a revelação dos Espíritos veio completá-la.
  • 15.  O Espiritismo é, pois, segundo os próprios Espíritos superiores, o Consolador prometido pelo Cristo.
  • 16.  Várias foram as razões que justificaram a promessa do Cristo, relativamente ao advento do Espírito da Verdade.
  • 17.  Uma delas seria a inoportunidade de uma revelação total e completa pelo Cristo, numa época em que o homem não estaria amadurecido para compreendê-la.
  • 18.  Outra razão seria o esquecimento e a falta de vivência das verdades apregoadas no Evangelho.
  • 19.  E mais do que isto, destacam-se como forte razão as distorções premeditadas que a mensagem evangélica sofreu ao longo dos tempos.
  • 20.  Kardec afirma, em "A Gênese", terem sido dois mil anos de fermentação e de criminosas deformações da mensagem cristã.
  • 21.  A relação entre o Espiritismo e o Consolador prometido está no fato de a Doutrina Espírita preencher todas as condições inerentes ao Paráclito anunciado por Jesus.
  • 22.  Como assinala Kardec, o Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos de toda gente, pois fala sem figuras, nem alegorias, e levanta o véu intencionalmente lançado sobre certos mistérios, trazendo a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem.
  • 23.  Se, de um lado, o Espírito da Verdade se apresentava aos homens, à frente de elevadas Entidades espirituais, que voltaram à Terra para completar a obra do Cristo, de outro Kardec se punha a postos, à frente de criaturas espiritualizadas, dispostas a colaborar na imensa tarefa.
  • 24.  Cumpria-se, assim, uma promessa do Cristo, por meio de todo um imenso processo de amadurecimento espiritual do homem.
  • 25.  Kardec foi, portanto, o instrumento de que se serviu o Alto para completar a mensagem do Cristo, como ele mesmo havia prometido, por intermédio de uma Doutrina altamente consoladora e intimamente ligada ao ensino moral contido no Evangelho de Jesus, que permanecerá para sempre conosco.
  • 26.  1. Em que Evangelho está consignada a promessa de Jesus relativa ao Consolador?  R.: No Evangelho de João, cap. 14.
  • 27.  2. O Consolador prometido por Jesus deveria apresentar algumas características especiais. Quais são elas?  R.: Além, evidentemente, da tarefa de consolar, ele deveria lembrar o que Jesus havia ensinado e, ultrapassando o próprio ensino do Cristo, ensinar ao homem todas as coisas.
  • 28.  3. Por que motivo o Espiritismo se apresenta como o Consolador prometido por Jesus?  R.: A revelação cristã sucedeu à revelação mosaica, e a revelação dos Espíritos veio completá-la.
  • 29.  O Espiritismo é, segundo afirmam os próprios Espíritos superiores, o Consolador prometido pelo Cristo.
  • 30.  E ele, de fato, preenche integralmente as condições mencionadas na promessa do Cristo, visto que:  1o - procura lembrar-nos o que Jesus ensinou;
  • 31.  2o - ensina-nos muitas coisas que o Evangelho não pôde explicar adequadamente;  3o - consola e conforta os que sofrem ao mostrar-lhes a causa e a finalidade dos sofrimentos humanos.
  • 32.  4. Que razões justificariam a promessa do Cristo, relativamente ao advento do Espírito da Verdade?  R.: Várias foram as razões que justificaram a promessa do Cristo, relativamente ao advento do Espírito da Verdade.
  • 33.  Uma delas seria a inoportunidade de uma revelação total e completa pelo Cristo, numa época em que o homem não estaria amadurecido para compreendê-la.
  • 34.  Outra razão seria o esquecimento e a falta de vivência das verdades apregoadas no Evangelho.  E mais do que isto, destacam-se como forte razão as distorções premeditadas que a mensagem evangélica sofreu ao longo dos tempos.
  • 35.  5. Você acha que o Espiritismo preenche todas as condições inerentes ao Consolador prometido por Jesus?  R.: Sim. Inexiste dúvida quanto a isso.
  • 36.  Como assinala Kardec, o Espiritismo veio abrir os olhos e os ouvidos de toda gente, pois fala sem figuras, nem alegorias, e levanta o véu intencionalmente lançado sobre certos mistérios, trazendo a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem e cumprindo, desse modo, todas as condições citadas por Jesus em sua promessa.
  • 37.  "O Evangelho segundo o Espiritismo", de Allan Kardec, cap. 2. "A Gênese", de Allan Kardec, itens 37 e 40. "O Espírito e o Tempo", de J. Herculano Pires