SlideShare uma empresa Scribd logo
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
   Obras da Nova Revelação                                 1


RECEBIDO PELA VOZ INTERNA POR JAKOB LORBER

      TRADUZIDO POR YOLANDA LINAU
    REVISADO POR PAULO G. JUERGENSEN




              Edição eletrônica
Jakob Lorber
2




               DIREITOS DE TRADUÇÃO RESERVADOS

                          Copyright by
                          Yolanda Linau

Jakob Lorber – CORRESPONDÊNCIA ENTRE JEJUS E ABGARUS

                   Traduzido por Yolanda Linau
                 Revisado por Paulo G. Juergensen

                        Edicão eletrônica




                     UNIÃO NEO-TEOSÓFICA
                            2005

                     www.neoteosofia.org.br
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                         3




S          eria ilógico admitirmos que a Bíblia fosse a cristalização de
           todas as Revelações. Só os que se apegam à letra e desco-
           nhecem as Suas Promessas alimentam tal compreensão.
Não é Ele sempre o Mesmo? “E a Palavra do Senhor veio a mim”,
dizia o profeta. Hoje, o Senhor diz: “Quem quiser falar Comigo, que
venha a Mim, e Eu lhe darei, no seu coração, a resposta.”

Qual traço luminoso, projeta-se o conhecimento da Voz Interna, e a
revelação mais importante foi transmitida no idioma alemão duran-
te o ano de 1864, a um homem simples chamado Jakob Lorber. A
Obra Principal, a coroação de todas as demais é “O Grande Evange-
lho de João” em 11 volumes. São narrativas profundas de todas as
Palavras de Jesus, os segredos de Sua Pessoa, sua Doutrina de Amor
e de Fé! A Criacão surge diante dos nossos olhos como um aconte-
cimento relevante e metas de Evolução. Perguntas com relação à
vida são esclarecidas neste Verbo Divino, de maneira clara e compre-
ensível. Ao lado da Bíblia o mundo jamais conheceu Obra Seme-
lhante, sendo na Alemanha considerada “Obra Cultural”.
Jakob Lorber
4


Obras da Nova Revelação
    O GRANDE EVANGELHO DE JOÃO
    A INFÂNCIA DE JESUS
    O MENINO JESUS NO TEMPLO
    A CRIAÇÃO DE DEUS
    A MOSCA
    BISPO MARTIN
    ROBERTO BLUM
    OS DEZ MANDAMENTOS
    MENSAGENS DO PAI
    CORRESPONDÊNCIA ENTRE JESUS E ABGARUS
    PRÉDICAS DO SENHOR
    SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO E A CAMINHO DE EMAÚS
    AS SETE PALAVRAS DE JESUS NA CRUZ
    A TERRA E A LUA
    PREPARAÇÃO PARA O DIA DA ASCENSÃO DO SENHOR
    PALAVRAS DO VERBO
    EXPLICAÇÃO DE TEXTOS DA ESCRITURA SAGRADA
    OS SETE SACRAMENTOS E PRÉDICAS DE ADVERTÊNCIA
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                     5

     ÍNDICE

Apresentação 7
Capítulo I 9
Capítulo II 10
Capítulo III 12
Capítulo IV 14
Capítulo V 16
Capítulo VI 19
Capítulo VII 21
Jakob Lorber
6
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                         7



    APRESENTAÇÃO

     Diz Ele: – “Assim como aceitei o físico, a fim de poder Me revelar
aos homens, também vós deveis considerar vosso corpo como instru-
mento do espírito, estabelecendo-se uma justa harmonia na trindade exis-
tente no homem. David desejou ardentemente que tal acontecesse quan-
do disse: “Que o Senhor Jeovah possa encontrar-me de corpo, alma e
espírito purificados.”
     Uma vez cientes da nossa origem, cuidemos de honrá-Lo, glorificá-
Lo como Deus e Pai de Eternidade conforme consta em Isaías Cap. 9 Vs.
6, através de uma profunda análise de Sua Pessoa! Então haveremos de
convir que, em Jesus, esteve e está Aquele mesmo Espírito que falou a
todos os profetas, e que n’Ele habitou e habita a Plenitude da Divindade
para toda Eternidade.
     O fator primordial de que o amor necessita como base é a humilda-
de. Amor para encontrá-Lo, humildade para servi-Lo!
     Que as bênçãos desse Natal possam nos conduzir ao Ser Intrínseco
de Jesus, à Sua verdadeira identidade Espiritual, devolvendo-nos o que
todos perderam: O Conhecimento do Único e Verdadeiro Deus! Eis a
maior dádiva para os Seus filhos desta Terra. Amém!...

    Goiânia, Natal de 1983.

                                                UNIÃO NEO-TEOSÓFICA
                                                Núcleo de Goiânia.
Jakob Lorber
8




     O primeiro relato idôneo sobre esta correspondência encontra-se na
grande obra principal do pai da História da Igreja, Euzebius, que viveu
no início do século IV, como Bispo de Cesáreia, na Palestina (morto em
340 D.C.).
     Ele relata ter encontrado, pessoalmente, na compilação de docu-
mentos reais de Edessa (Mesopotâmia), uma correspondência entre
Abgarus Ukkama e Jesus, e inicia sua obra histórica com a primeira carta,
inclusive a resposta do Senhor. Este Rei pagão foi acometido de lepra
durante uma viagem pacificadora na Pérsia, moléstia que lhe provocou a
paralisia de ambas as pernas.
     Nos séculos posteriores, esta correspondência foi declarada apócrifa
por parte dos patriarcas de Alexandria e Roma, não obstante o testemu-
nho indubitável do grande e conceituado Euzebius. O testemunho dele é
confirmado por um pesquisador da história da Igreja, que dizia: Ele so-
brepujou, na sua pesquisa e dedicação, todos os professores da Igreja, de
sorte que devemos a ele grande quantidade de trechos de valor inestimá-
vel de escritos perdidos da era pagã e cristã.
     Como prova especial de uma ligação entre Edessa e Jesus, pode-se
mencionar o fato de que naquele pequeno principado na Mesopotâmia
o Cristianismo encontrou a primeira legalização governamental, pois lá,
desde o ano de 170, um príncipe cristão chamado Abgar Bar Manu man-
dou cunhar o sinal da cruz em suas moedas.
     A correspondência entre Jesus e Abgarus Ukkama é bem conhecida
até o dia de hoje nas igreja cristãs da Mesopotâmia e nos países vizinhos
da Armênia. Esses trechos foram levados como documentos santos para
o Ocidente. Segundo relato de religiosos ingleses, seguidamente foram
expostos pela classe mais simples, em suas habitações, juntamente com
um quadro do Senhor, pois também lá se veneravam estas cartas como
Palavras de Deus, conforme se faz com a Bíblia.
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                          9




    SETE SÚPLICAS E SETE RESPOSTAS



    CAPÍTULO I


    CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR JESUS

     Abgarus, Príncipe em Edessa, a Jesus, ao Bom Salvador, que surgiu
na Terra nos arredores de Jerusalém:
     Recebi notícias de Ti e de Tuas curas, que praticas sem remédios ou
ervas. Corre o boato que devolves aos cegos a luz, que curas os coxos, que
purificas os leprosos, que expulsas os espíritos impuros e curas aqueles
que lutam contra moléstias de longa duração, e finalmente até mesmo
ressuscitas os mortos.
     Após ter ouvido todas essas coisas de Ti, concluí que uma coisa deve
ser certa: ou és Deus que veio dos Céus, ou então, és no mínimo um filho
do grande Deus. Por isto, Te peço, através desta carta, Te encaminhares
para aqui a fim de curar a minha moléstia.
     Ouvi também que os judeus reclamam contra Ti e desejam prejudi-
car-Te. Minha cidade é pequena, porém, bem organizada, e seria sufici-
ente para nós. Vem, meu grande amigo Jesus, e fica na minha cidade e no
meu país. Serás carregado na palma das mãos e nos corações. Aguardo-Te
com a maior saudade do meu coração! (Esta carta é enviada pelo meu
servo fiel Brachus).
Jakob Lorber
10

     RESPOSTA DO SENHOR JESUS

     Abgarus:
     Feliz és tu porque não Me viste, no entanto, tens fé. Consta que
aqueles que Me viram não acreditarão em Mim, a fim de que os que não
Me virem creiam e vivam para todo o sempre.
     Quanto ao teu convite e que Eu estou sendo perseguido na Judéia,
te digo: é preciso que tudo se cumpra neste local, pela razão que Me
trouxe ao mundo, e para que Eu, depois de tudo se cumprir em Mim,
possa subir para junto Daquele do qual parti, desde eternidades. Sê paci-
ente com tua leve moléstia. Tão logo Eu subir, enviarei um discípulo para
te curar e dar a ti e a todos que te rodeiam a verdadeira Saúde.
     (Escrita por Jacó, um discípulo do Senhor Jesus Cristo, da zona de
Genezareth e entregue a Brachus, mensageiro do rei).
     Pouco tempo após Abgarus ter recebido de Jesus esta resposta subli-
me, sucedeu que o filho mais velho deste rei e seu herdeiro foi tomado de
uma febre perniciosa que segundo a opinião de todos os médicos em
Edessa era incurável. Este fato levou o pobre Abgarus ao verdadeiro de-
sespero, e de novo escreveu ao Bom Salvador.



     CAPÍTULO II


     CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR JESUS

     Oh Jesus e Bom Salvador!
     Meu filho mais velho e meu herdeiro, que muito se alegrou na ex-
pectativa de Tua presença em minha cidade, adoeceu mortalmente. A
febre apossou-se dele e ameaça matá-lo a cada instante. Sei, porém, con-
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                        11

forme me foi afiançado pelo mensageiro, que curas tais doentes sem re-
cursos, apenas pela Palavra e a Vontade emitida à distância.
     Oh Jesus, Bom Salvador, Verdadeiro Filho do Altíssimo, permite
que também meu filho, que tanto Te ama, a ponto de querer morrer por
Ti, volte a ter saúde através de Tua Palavra pronunciada! Peço apenas,
que não me recomendes desta vez a espera de Tua anunciada Ascensão, e
sim ajuda-me imediatamente, ajuda ao meu filho!
     (Escrita em minha cidade Edessa e enviada por Brachus).



    RESPOSTA DO SENHOR JESUS

     Abgarus:
     Grande é tua fé e por isto teu filho poderia melhorar. Mas, como
descobri amor contigo superior ao de Israel, farei mais do que se apenas
tivesse crido. Eu, Senhor de toda Eternidade, atualmente Doutrinador
dos homens e Libertador da morte eterna, darei ao teu filho a vida eterna
antes da Minha Ascensão, por ter ele Me amado sem Me ter visto e
conhecido, antes de Meus sofrimentos futuros por toda a Humanidade.
Deste modo, hás de perder teu filho nesta vida, mas o reconquistarás mil
vezes em espírito, no Meu Reino Eterno. Não deves supor que teu filho,
morrendo, em verdade tenha morrido. Não! Quando ele morrer, há de
despertar do sono mortal deste mundo para a verdadeira Vida Eterna no
Meu Reino, que é espiritual e não material. Não permitas que tua alma
se entristeça. Ouve e silencia: Eu somente sou o Senhor e não há outro
além de Mim. Por isto, faço livremente o que faço e não há quem Me
diga: faze isto ou não faças aquilo!
     O que atualmente faço e permito ser perseguido como homem fra-
co foi previsto por Mim antes que a Terra fosse criada e antes que Sol,
Lua e estrelas iluminassem dos céus. Foi por este motivo que parti do
Meu Pai que está em Mim, como Eu Nele. O Pai é o Altíssimo. Ele é
Meu Amor, Minha Vontade. O espírito, porém, que parte de Mim e do
Jakob Lorber
12

Pai, agindo de eternidades em eternidades, é o mais Santo, e tudo isto
Sou Eu que ora te revelo. Não te entristeças por saberes Quem te revela
isto. Silencia até o momento em que Eu for elevado na cruz por parte dos
judeus, do que terás notícias tão logo ocorra. Se falares antes do tempo, a
Terra sucumbirá prematuramente.
      Nos próximos dias aparecerá um pobre discípulo em tua cidade.
Acolhei-o, que alegrarás Meu Coração. Fazei-lhe o bem, pelo fato de Eu
proporcionar ao teu filho uma Graça tão grande, permitindo, em virtude
de seu amor, que Me anteceda para lá onde Eu irei após a elevação na
Cruz. Amém.
      (Esta carta foi escrita em Caná, na Galiléia, pelo discípulo João e
enviada pelo mensageiro do rei).



     CAPÍTULO III


     CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR JESUS

     Deduzo de Tua carta, cheia de Graças maravilhosas, enviada para
mim e meu filho, como consolo máximo, que em Ti habita o mais eleva-
do Amor. Do contrário, seria inteiramente impossível que Tu, Senhor
Único de todos os Céus como desta Terra, pudesses enviar-me consolo,
que sou apenas um verme, bem como meu filho amado. Nada poderei
fazer, senão prosternar-me diante de Teu Santíssimo Nome, no pó de
minha nulidade, e ofertar-Te minha gratidão e de meu filho.
     O amor de meu filho adoentado para contigo, despertou a minha
saudade de Ti. Senhor, perdoa-me se novamente expresso este desejo.
Bem sei que nossos pensamentos são-Te conhecidos antes que eu e meu
filho os tivéssemos elaborado. Ainda assim, eu escrevo, como se escreve a
um homem comum, e se assim faço, sigo a recomendação daquele jovem
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                         13

pobre que já se encontra comigo dizendo-me que todos deverão se apro-
ximar de Ti deste modo, caso pretendam alcançar algo.
     Alega ele ter visto a Tua Pessoa. Sua capacidade de relato é simples,
mas, segundo me parece, mui justa e acertada. Assim, descreveu-nos Tua
Figura de uma maneira tão natural que eu e meu filho – que ainda vive,
porém se acha muito fraco – julgávamos ver-Te realmente.
     Acontece que na minha cidade vive um grande artista da pintura.
Imediatamente ele tentou pintar o Teu Busto, segundo a descrição do
jovem. Ambos ficamos muito felizes quando ele nos afiançou que real-
mente correspondia à Tua Imagem.
     Por isto, aproveito esta oportunidade para enviar-Te este quadro e
assim poderá me orientar se ele realmente corresponde ao Original. Oh
Jesus, não Te aborreças conosco. Não foi uma simples curiosidade e sim
o grande amor que nos levou a isto, a fim de que pudéssemos ter uma
idéia de Ti, porquanto preenches o nosso coração até o mais profundo
âmago e Te tornaste o nosso maior Tesouro, o máximo Consolo e a mais
sublime bem-aventurança na vida e na morte.



    RESPOSTA DO SENHOR JESUS APÓS DEZ DIAS

      Minha Bênção, Meu Amor e Minha Graça a ti, Meu querido
filho Abgarus.
      Costumo repetir na Judéia àqueles que Eu ajudei e curei de males
físicos: Tua fé te ajudou! A nenhum deles até hoje perguntei: Tu Me
amas? E nenhum deles exclamou, do fundo do seu coração: Senhor, eu
Te amo!
      Muito antes de Me teres visto, acreditaste ser Eu o Todo Poderoso. E
agora Me amas como quem já renasceu desde há muito do fogo do seu
espírito. Oh Abgarus, se pudesses assimilar o quanto Eu te amo por isto
e quão grande é a alegria que proporcionaste ao Meu Coração Paternal, a
imensa bem-aventurança te sufocaria!
Jakob Lorber
14

     Sê firme com tudo que ouvirás dentro em pouco por parte dos ju-
deus, que Me entregarão às Mãos dos carrascos. Se não te aborreceres
com isto, serás espiritualmente o primeiro, após teu filho, a ter participa-
ção viva na Minha Ressurreição. Em verdade te digo: Os que acreditarem
que Minha Doutrina surgiu de Deus serão despertos no dia do Juízo
Final, onde cada um encontrará seu justo julgamento. Mas, os que Me
amam como tu, jamais saborearão a morte. Assim como o pensamento
mais veloz não encontra barreiras, também eles serão rapidamente trans-
figurados na vida eterna mais luminosa, tomando habitação Comigo,
seu Pai desde eternidades. Guarda-o contigo até Eu ressuscitar.
     Isto feito, um discípulo te procurará, como já te fiz saber na primeira
carta, curando a ti e todos os teus, física e espiritualmente, com exceção
de teu filho, que ingressará no Meu Reino, sem dor e antes de Mim.
     Quanto à semelhança de Minha Figura e o quadro enviado por teu
mensageiro, ele próprio, que já Me viu por três vezes, te dará testemu-
nho. Quem desejar um quadro de Mim com tua intenção, não terá peca-
do, pois o amor suporta tudo. Mas ai daqueles que Me transformarem
num ídolo! Guarda também este quadro para ti.




     CAPÍTULO IV


     CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR SETE SEMANAS
     DEPOIS DA TERCEIRA

     Meu querido Salvador Jesus!
     Acaba de acontecer com o meu querido filho o que Tu, Senhor pre-
disseste na segunda carta. Ele faleceu há poucos dias e me pediu, em seu
leito de morte, que eu expressasse sua imensa gratidão pelo fato de Tu o
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                        15

deixares partir sem dores e sem pavor da morte. Por mil vezes comprimiu
o Teu quadro contra o peito e suas últimas palavras foram: “Meu Bom
Pai Jesus, Amor Eterno, que és a Vida Verdadeira desde eternidades, Tu
que atualmente caminhas como Filho do homem entre aqueles que Tua
Onipotência fez surgir, dando-lhes forma e vida, somente Tu és Meu
Amor em eternidades! Eu vivo – por Ti e em Ti – eternamente!” Com
estas palavras, meu filho partiu. Por certo sabes, Senhor, que este foi o
fim terreno do meu filho e que eu e todos nós muito choramos por ele.
Ainda assim, eu Te escrevo, como um homem escreve a outro, porque tal
foi o desejo dele. Perdoa-me se Te importuno com esta quarta carta e
talvez provoque uma interrupção em Teus afazeres espirituais. Finalmen-
te, me atrevo a acrescentar um pedido: Não me prives do Teu Consolo!
Sinto uma imensa tristeza pelo meu filho, da qual não consigo me liber-
tar. Se for de Tua Vontade, Bom Salvador, Pai de Eternidades, liberta-me
desta imensa dor!



    RESPOSTA, DE PRÓPRIO PUNHO, DO SENHOR, EM GREGO,
    ENQUANTO AS OUTRAS FORAM ESCRITAS
    EM LINGUAGEM JUDAICA


     Meu querido filho e irmão Abgarus!
     Sei de tudo que se relaciona a teu filho e Me alegra muito o final
sublime para este mundo, que, todavia, teve seu início ainda mais belo
no Meu Reino. Fazes bem em sofreres uma certa tristeza por ele, pois são
poucos os bons neste mundo que merecem um conceito como o teu
filho. Também Eu verti uma lágrima preciosa por ele. Foi deste modo
que surgiu o mundo todo, de uma lágrima Minha. Assim também será
criado um novo Céu. Asseguro-te que as boas lágrimas têm um valor
imenso no Céu, pois ele é ornamentado como estas jóias preciosas, en-
quanto que o inferno é fortificado com as lágrimas de ódio, inveja e ira.
     Seja, portanto, o maior consolo para ti que estás chorando por um
Jakob Lorber
16

bom. Mantém esta tristeza por pouco tempo, até que venhas a chorar
por Mim. Então serás libertado por um dos Meus discípulos. Sê miseri-
cordioso, que encontrarás grande misericórdia. E não esqueças dos po-
bres, que são sempre Meus irmãos. O que fizeres a eles, terás feito a Mim,
e Eu te recompensarei mil vezes.
     Procura o que é grande – o Meu Reino – que receberás também as
coisas pequenas deste mundo. Se, porém, procurares o que é pequeno,
possivelmente não terás mérito de receber o que é grande.
     Conservas na prisão um criminoso que, segundo tuas sábias leis,
merece a morte. Todavia, te afirmo que amor e misericórdia estão aci-
ma da sabedoria e justiça. Age com ele com amor e misericórdia, que
serás uno Comigo e com Aquele que está em Mim e do Qual Eu surgi
como Homem.
     (Escrita por Mim pessoalmente, em Capernaum, e enviada através
do teu mensageiro).




     CAPÍTULO V


     CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR TRÊS SEMANAS
     APÓS A RESPOSTA DE JESUS

     Abgarus, um pequeno rei em Edessa, escreve a Jesus, o Bom Salva-
dor, que apareceu na Judéia nos arredores de Jerusalém, como Luz e
Força Originais, que reorganizam todos os Céus, mundos e seres. Entre-
tanto, não é Ele reconhecido pelos primeiros que foram chamados e sim
pelos que padeciam há milhares de anos nas trevas. Todo louvor seja-lhe
tributado por nós, filhos da treva.
     Oh Senhor! Onde estaria o mortal capaz de conceber a grandiosidade
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                           17

do Teu Amor para nós humanos, Tuas criaturas – daquele Amor do qual
pretendes fazer tudo de novo, porquanto Tu mesmo segues um caminho
que, segundo minha compreensão humana é quase que impossível e in-
compreensível para Deus.
     Ainda que estejas Presente como simples Homem entre os homens
nesta Terra, que poderias pulverizar com um simples Hálito, continuas
regendo e conservando o Universo total, partindo de Tua Natureza Divi-
na. Cada átomo da Terra, toda gota do mar, o Sol, a Lua, as incontáveis
estrelas ouvem a Voz Poderosa do Teu Coração, que é o Ponto Central e
Eterno de todas as coisas e seres no infinito.
     Quão felizes devem ser Teus apóstolos por Te reconhecerem no dia
mais claro de seu espírito, como ora sucede comigo, pobre pecador em
minha treva! Quem me dera não fosse eu paralítico. De há muito estaria
Contigo. Assim sendo, meus pés entrevados se tornam um empecilho
para minha maior bem-aventurança. Tudo isto, porém, eu suporto por-
que Tu, Senhor, me achaste com mérito de falar comigo por meio destas
cartas e ensinar-me tantas coisas maravilhosas, que jamais um homem
poderia transmitir.
     Que sabia eu anteriormente de uma vida após a morte? Nem todos
os sábios do mundo seriam capazes de desvendar este mistério. Nosso
politeísmo mantém uma imortalidade poética que se assemelha tão pou-
co à realidade quanto um sonho vão, no qual se caminha por cima do
mar ou se navega sobre a terra.
     Tu, Senhor, demonstraste pela Palavra e Ação como se inicia uma
vida perfeita, verdadeira e livre, após a morte deste nosso corpo tão frágil.
Este é o motivo pelo qual tomei a decisão de expressar minha imensa
gratidão por Tua Graça, muito embora minha gratidão seja uma nulida-
de diante Dela.
     Senhor, que poderia eu oferecer-Te que Tu não me tivesses dado?
Creio que a expressão justa de reconhecimento de um coração ainda é o
mais adequado, porquanto a ingratidão é posse total do coração huma-
no. Asseguro-Te, sinceramente, que estou pronto para organizar no meu
pequeno Estado tudo aquilo que pretendas determinar. Segundo Teu
Jakob Lorber
18

desejo, não somente libertei o grande criminoso de Estado, mas fiz com
que participasse de minha escola e minha mesa. Sou incapaz de julgar se
agi bem ou talvez me excedi. Por isto, também neste sentido Te peço uma
orientação certa.
     Todo meu amor, minha gratidão e minha obediência filial são diri-
gidos a Ti, Senhor!



     RESPOSTA DO SENHOR

     Ouve, Meu querido filho e irmão Abgarus!
     Conto atualmente com 72 discípulos, entre os quais doze apóstolos;
todavia, todos eles não possuem a tua visão, que és pagão e jamais viste a
Mim e os milhares de milagres desde Minha Encarnação e Nascimento.
A maior das esperanças esteja em teu coração, pois acontecerá, e já acon-
teceu, que tirarei a luz dos filhos para passá-la em plenitude aos pagãos.
Há bem pouco encontrei entre os gregos e romanos aqui radicados fé
tamanha como jamais será encontrada em toda Israel. Amor e Humilda-
de se tornaram capacidades completamente estranhas ao coração huma-
no entre os judeus, enquanto não raramente as encontro entre vós em
plenitude. Por isto, tirarei dos filhos e darei a vós todo o Meu Reino
Temporal e Eterno. Os filhos hão de se alimentar dos detritos do mundo.
     Pretendes transformar Minha Vontade como lei em teu Estado? Por
ora tal não será possível, pois para tudo é preciso uma certa maturação.
Minha Lei nada mais é que Amor. Se pretendes organizar algo em teu
governo, inclui esta Lei, que terás trabalho fácil com Minha Vontade,
pois Minha Vontade e Minha Lei são totalmente unas, assim como Eu e
o Pai somos inteiramente Um.
     De fato, existe algo em Minha Vontade que ainda não podes conce-
ber. Meu discípulo que te visitará em breve há de explicar-te tudo e quan-
do fores por ele batizado em Meu Nome, o Espírito de Deus virá sobre ti
para te orientar em todas as coisas.
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                          19

    Agiste perfeitamente bem com o criminoso, pois Eu faço o mesmo
com vós pagãos. Tua ação seja um bom espelho daquilo que faço desde já e
ainda farei em plenitude posteriormente. Isto te digo para tua paz e bênção.




     CAPÍTULO VI


     CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR DEZ SEMANAS
     MAIS TARDE

     Senhor, perdoa meu grande atrevimento e minha verdadeira petu-
lância para Contigo. Sabes, porém, que bons médicos sempre receberam
grandes considerações por parte dos homens, possuindo eles também
conhecimentos mais certos das coisas da natureza, e em tais ocasiões to-
dos os procuram a fim de receber uma orientação, se bem que mui fraca.
Quão infinitamente mais elevado Te encontras Tu, não sendo somente
um médico em todas as moléstias, mas também o Criador e Senhor da
própria natureza desde eternidades. Somente a Ti posso apresentar mi-
nha atual estranha desgraça no governo e Te suplicar do fundo do meu
coração que desvies a mesma. Como deves saber, deu-se aqui há dez dias
atrás um pequeno terremoto, que passou sem grandes vestígios, graças a
Ti. Poucos dias depois, porém, todas as águas ficaram turvas e quem a
tomasse era acometido de dores de cabeça, tornando-se louco.
     Imediatamente determinei uma lei rigorosa que ninguém dela fizes-
se uso até segunda ordem. Entrementes, todos os cidadãos deviam vir
para Edessa, onde receberiam água e vinho que mandei buscar em gran-
des navios de lugares distantes.
     Acredito não ter cometido uma ação prejudicial, porque fui movido
puramente pelo amor para com meu povo e a verdadeira misericórdia.
Jakob Lorber
20

Por este motivo, Te peço com humildade e contrição que ajudes a mim e
meu povo neste desespero.
      A água não se modifica e sua ação insana é sempre a mesma. Sei,
Senhor, que todos os poderes, bons e maus, são-Te submissos e obrigados
a se afastar a um aceno Teu. Tem piedade de mim e de meu pobre povo,
e liberta-nos desta praga.
      Ao ler esta carta, o Senhor Se alterou no Seu íntimo e disse em Voz
tonitroante: “Oh Satanás, por quanto tempo pretendes tentar Deus, teu
Senhor? Que te fez este pobre povo para martirizá-lo tão horrivelmente,
serpente maldosa? A fim de que saibas e sintas que sou Teu Senhor, neste
momento terminará tua maldade naquele país! Amém!
      Por acaso não pediste, há tempos, a experiência de castigar apenas a
carne humana, o que te concedi com relação a Jó? Que fazes agora com
Minha Terra? Se tiveres coragem, ataca-Me! Deixa em paz Minha Terra e
Minhas criaturas, que Me têm em seu coração, até o tempo que Eu te
concederei para final prova de libertação!”
      Após esta exclamação, foi levada a seguinte resposta de Jesus para
Abgarus, através de um discípulo:
      Meu caro filho e irmão Abgarus!
      Este golpe maldoso não foi engendrado pelo teu inimigo, mas pelo
Meu. Tu ainda não o conheces, enquanto Eu o conheço de há muito!
      É ele o antigo príncipe invisível deste mundo e até então teve grande
poder, não somente neste planeta, que é sua habitação, mas também nas
estrelas. Seu poder, porém, será de curta duração e dentro em breve o
príncipe deste mundo será extinto.
      Jamais o temas, pois Eu o exterminei para ti e Teu povo. Podes con-
tinuar a usar tranqüilamente as águas do teu país, pois a partir deste
instante são puras e salutares.
      Em virtude do teu amor para Comigo, algo de mau te sucedeu, mas
teu amor se tornando mais forte no momento da aflição, ele venceu sobre
todas as forças do inferno e estás livre de todas as manifestações infernais.
      Por isto, acontecerá que a fé será exposta a grandes tentações, neces-
sitando passar pelo fogo e pela água. Mas o fogo do amor abafará o fogo
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                       21

da prova de fé, fazendo evaporar a água com todo o seu poder. O que
ocorreu com teu país, de modo natural, se repetirá futuramente com
muitos por causa de Minha Doutrina. Tornar-se-ão loucos os que bebe-
rem os poços dos falsos profetas.
    Envio-te todo Meu Amor, Minha Bênção e Minha Graça.




    CAPÍTULO VII


    CARTA DE ABGARUS AO SENHOR, NOVE SEMANAS APÓS O
    RECEBIMENTO DA SEXTA RESPOSTA E CINCO DIAS ANTES
    DA ENTRADA TRIUNFAL EM JERUSALÉM


      Abgarus, um pequeno príncipe em Edessa, escreve a Jesus, ao Bom
Salvador, que apareceu nos arredores de Jerusalém, Salvação para todos
os povos, um Senhor e Rei ungido desde eternidades, Deus de todas as
criaturas, homens e deuses, bons e maus.
      Senhor, Único Realizador do meu coração e Concepção total de
todos os meus pensamentos!
      Concluí de Tua primeira carta dirigida a mim, que há de acontecer
tudo que os judeus e hierosolimitanos pretendem Contigo. Tenho a vaga
impressão que tal deve acontecer.
      Certamente compreenderás, Senhor, que humanamente falando meu
coração amoroso se revolta contra tal fato. Que eu tenha motivos para
relatar-Te isto, deduzirás do seguinte:
      Como vassalo romano e parente próximo de Tibério, Imperador de
Roma, possuo também em Jerusalém meus observadores incumbidos de
fiscalizar o sacerdócio sumamente orgulhoso. Eles me relataram fielmen-
te os planos dos sacerdotes e fariseus.
Jakob Lorber
22

      Não querem apedrejar-Te ou queimar-Te. Não, isto é muito pouco!
Pretendem dar um exemplo da crueldade mais desumana. Essas feras em
forma humana querem pregar-Te à cruz, até que venhas a morrer lenta-
mente com dores incríveis! Esta obra de mestre da maldade humana será
executada na própria Páscoa.
      Senhor, seja como for, isto me revoltou até o âmago! Sei positiva-
mente que essas feras sensuais e orgulhosas não pretendem matar-Te por-
que Te dizes o Messias Prometido. Isto pouco preocupa essa raça de hie-
nas, pois sei muito bem que não acreditam em Deus, muito menos em
Ti, e pouco ligam para um sacrilégio contra Deus. Seu plano é totalmen-
te outro. Têm conhecimento de serem fiscalizados por parte de Roma,
em virtude de suas traficâncias. O próprio Pilatos, muito arguto, já des-
cobriu no ano passado tal tentativa de rebelião sacerdotal e, como sabes,
mandou prender cerca de 500 pobres e abastados, na maioria, infeliz-
mente, galileus, ocorrência esta que lhe proporcionou a inimizade de
Herodes, pois que atingia justamente seus súditos. Este exemplo teve
uma repercussão muito forte no íntimo dos templários. A fim de saírem
deste dilema, escolheram a Ti e pretendem apontar-Te como rebelde do
governo e também apontar-Te como chefe daquele levante. Assim espe-
ram reabilitar-se perante a corte romana, desviando sua atenção, para
mais facilmente poder engendrar seus planos traiçoeiros, o que de modo
algum conseguirão. Deste relato deduzes com facilidade que Roma os
conhece a fundo.
      Se Tu, Senhor, precisares de um serviço meu, Teu amigo e adorador
mais achegado, imediatamente expedirei mensageiros para Roma e para
Pontius Pilatos. Garanto que essas feras cairão na cova que preparam
para Ti. Conhecendo a Ti, Senhor, bem sei que não necessitas de conse-
lho humano, portanto saberás melhor o que fazer. Como simples ho-
mem, considero um de meus deveres mais importantes transmitir-Te
esta trama, ligando a este relato minha gratidão por Tua Graça concedida
a mim e meu povo.
      Senhor, avisa-me o que posso fazer por Ti. Tua Vontade Se faça!
Correspondência Entre Jesus e Abgarus
                                                                          23



     ÚLTIMA RESPOSTA DO SENHOR

     Meu caro filho e irmão Abgarus:
     Tudo ocorre conforme Me anunciaste. Ainda assim, tudo há de acon-
tecer Comigo, porque, do contrário, não haveria criatura que atingisse a
vida eterna, o que por ora ainda não compreendes, mas dentro em breve
hás de assimilar este grande mistério.
     Por ora, desiste dos passos oferecidos para Minha justificativa. Ha-
veria pouco êxito onde age o Eterno Poder do Pai Que está em Mim e do
Qual Eu parti como Homem.
     Que não te assuste a cruz na qual Eu serei pregado. Justamente esta
cruz deve se tornar para todos os tempos a pedra fundamental para o
Reino de Deus e igualmente a porta para o mesmo.
     Estarei morto durante três dias. No terceiro ressuscitarei, como Eterno
Vencedor da morte e do inferno, e Meu Julgamento Poderoso há de
atingir todos os malfeitores.
     Os que estão no Meu Coração hão de encontrar as portas do Céu
abertas de par em par.
     Se dentro de alguns dias perceberes o sol obscurecer-se, lembra-te
que Eu, Teu maior Amigo e Irmão, acabei de espirar na cruz. Não te
assustes por isto. Tudo isto tem que acontecer e aos Meus nem um fio de
cabelo será tocado.
     Hás de receber uma prova no momento em que Eu ressuscitar.
     Meu Amor, Minha Graça e Bênção estejam contigo, Meu querido
irmão Abgarus. Amém.


                                   Fim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O que difere_o_filho_do_pai
O que difere_o_filho_do_paiO que difere_o_filho_do_pai
O que difere_o_filho_do_pai
Jose Moraes
 
Estudo 1 Apocalipse um livro aberto
Estudo 1 Apocalipse um livro abertoEstudo 1 Apocalipse um livro aberto
Estudo 1 Apocalipse um livro aberto
Rogerio Sena
 
Profeta Ezequiel
Profeta EzequielProfeta Ezequiel
Profeta Ezequiel
Amélio Barbosa
 
Curso de escatologia
Curso de escatologiaCurso de escatologia
Curso de escatologia
Giovani Luiz Zimmermann Jr.
 
Apocalipse - Por Rodrigo Silva
Apocalipse - Por Rodrigo SilvaApocalipse - Por Rodrigo Silva
Apocalipse - Por Rodrigo Silva
Apocalipse Facil
 
Estudo bíblico - Apocalipse
Estudo bíblico - ApocalipseEstudo bíblico - Apocalipse
Estudo bíblico - Apocalipse
Filipe Monnerat
 
Lição
LiçãoLição
Lição
aldemir_gomes
 
O Mistério do Evangelho
O Mistério do EvangelhoO Mistério do Evangelho
O Mistério do Evangelho
Elder Moraes
 
Voz da Paróquia - Novembro 2013
Voz da Paróquia - Novembro 2013Voz da Paróquia - Novembro 2013
Voz da Paróquia - Novembro 2013
jesmioma
 
Ajuda ao apocalipse
Ajuda ao apocalipseAjuda ao apocalipse
Comentário Bíblico Adventista
Comentário Bíblico AdventistaComentário Bíblico Adventista
Comentário Bíblico Adventista
Apocalipse Facil
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
Ricardo Gondim
 
Profetas menores lição 2 - Oséias
Profetas menores   lição 2 - OséiasProfetas menores   lição 2 - Oséias
Profetas menores lição 2 - Oséias
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Ebook estudo apocalipse
Ebook estudo apocalipseEbook estudo apocalipse
Ebook estudo apocalipse
jb1955
 
Belem galileia (1)
Belem galileia (1)Belem galileia (1)
Belem galileia (1)
Efraim Ben Tzion
 
Eade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceia
Eade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceiaEade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceia
Eade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceia
JoyAlbanez
 
Ezequiel lição 8
Ezequiel   lição 8Ezequiel   lição 8
Ezequiel lição 8
Ricardo Gondim
 
Panorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - HebreusPanorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - Hebreus
Respirando Deus
 
76 estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)
76   estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)76   estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)
76 estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)
Robson Tavares Fernandes
 
Ageu e a reedificação do templo.
Ageu e a reedificação do templo.Ageu e a reedificação do templo.
Ageu e a reedificação do templo.
Antonio Maciel Santos
 

Mais procurados (20)

O que difere_o_filho_do_pai
O que difere_o_filho_do_paiO que difere_o_filho_do_pai
O que difere_o_filho_do_pai
 
Estudo 1 Apocalipse um livro aberto
Estudo 1 Apocalipse um livro abertoEstudo 1 Apocalipse um livro aberto
Estudo 1 Apocalipse um livro aberto
 
Profeta Ezequiel
Profeta EzequielProfeta Ezequiel
Profeta Ezequiel
 
Curso de escatologia
Curso de escatologiaCurso de escatologia
Curso de escatologia
 
Apocalipse - Por Rodrigo Silva
Apocalipse - Por Rodrigo SilvaApocalipse - Por Rodrigo Silva
Apocalipse - Por Rodrigo Silva
 
Estudo bíblico - Apocalipse
Estudo bíblico - ApocalipseEstudo bíblico - Apocalipse
Estudo bíblico - Apocalipse
 
Lição
LiçãoLição
Lição
 
O Mistério do Evangelho
O Mistério do EvangelhoO Mistério do Evangelho
O Mistério do Evangelho
 
Voz da Paróquia - Novembro 2013
Voz da Paróquia - Novembro 2013Voz da Paróquia - Novembro 2013
Voz da Paróquia - Novembro 2013
 
Ajuda ao apocalipse
Ajuda ao apocalipseAjuda ao apocalipse
Ajuda ao apocalipse
 
Comentário Bíblico Adventista
Comentário Bíblico AdventistaComentário Bíblico Adventista
Comentário Bíblico Adventista
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
Profetas menores lição 2 - Oséias
Profetas menores   lição 2 - OséiasProfetas menores   lição 2 - Oséias
Profetas menores lição 2 - Oséias
 
Ebook estudo apocalipse
Ebook estudo apocalipseEbook estudo apocalipse
Ebook estudo apocalipse
 
Belem galileia (1)
Belem galileia (1)Belem galileia (1)
Belem galileia (1)
 
Eade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceia
Eade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceiaEade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceia
Eade i-ii-9-o-cristianismo-a-última-ceia
 
Ezequiel lição 8
Ezequiel   lição 8Ezequiel   lição 8
Ezequiel lição 8
 
Panorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - HebreusPanorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - Hebreus
 
76 estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)
76   estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)76   estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)
76 estudo panorâmico da bíblia (o livro de ezequiel - parte 3)
 
Ageu e a reedificação do templo.
Ageu e a reedificação do templo.Ageu e a reedificação do templo.
Ageu e a reedificação do templo.
 

Semelhante a Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)

1 - BIBLIOLOGIA.doc
1 -  BIBLIOLOGIA.doc1 -  BIBLIOLOGIA.doc
1 - BIBLIOLOGIA.doc
HumanizaTeologia
 
O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)
O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)
O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)
Simona P
 
6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo
6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo
6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo
PrCacio Silva
 
Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015
Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015
Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015
Gerson G. Ramos
 
Lição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de DeusLição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de Deus
Quenia Damata
 
Jesus cristo
Jesus cristoJesus cristo
Jesus cristo
EWALDO DE SOUZA
 
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelistaLição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Andrew Guimarães
 
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
saobeneditoesaocristovao
 
Apocaliplição 1
Apocaliplição 1Apocaliplição 1
Apocaliplição 1
Luciana Viana
 
Breve explicação sobre Biblia
Breve explicação sobre BibliaBreve explicação sobre Biblia
Breve explicação sobre Biblia
irmaspaulinas
 
Xxvii tc b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquia
Xxvii tc   b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquiaXxvii tc   b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquia
Xxvii tc b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquia
saobeneditoesaocristovao
 
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf
Apocalipse comentado
Apocalipse comentadoApocalipse comentado
Apocalipse comentado
Fábio Henrique
 
Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia
irmaspaulinas
 
Autoridade das Escrituras
Autoridade das EscriturasAutoridade das Escrituras
Autoridade das Escrituras
Quenia Damata
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Você é espírita ou cristão?
Você é espírita ou cristão?Você é espírita ou cristão?
Você é espírita ou cristão?
11091961
 
O conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeito
O conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeitoO conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeito
O conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeito
חגי חאמד
 
Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014
jesmioma
 
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 

Semelhante a Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber) (20)

1 - BIBLIOLOGIA.doc
1 -  BIBLIOLOGIA.doc1 -  BIBLIOLOGIA.doc
1 - BIBLIOLOGIA.doc
 
O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)
O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)
O Menino Jesus no Templo (Jacob Lorber)
 
6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo
6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo
6637674 os-ultimos-dias-da-humanidade-bispo-alfredo-paulo
 
Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015
Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015
Quem é Jesus Cristo?_Lição_original com textos_322015
 
Lição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de DeusLição 2: Os caminhos de Deus
Lição 2: Os caminhos de Deus
 
Jesus cristo
Jesus cristoJesus cristo
Jesus cristo
 
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelistaLição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
 
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
Santa Missa do 18º Domingo do Tempo Comum - Ano B - 05/08/2012
 
Apocaliplição 1
Apocaliplição 1Apocaliplição 1
Apocaliplição 1
 
Breve explicação sobre Biblia
Breve explicação sobre BibliaBreve explicação sobre Biblia
Breve explicação sobre Biblia
 
Xxvii tc b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquia
Xxvii tc   b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquiaXxvii tc   b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquia
Xxvii tc b - dia 07.10.2012 - missa - slide para site da paróquia
 
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf
Basicão em pdf
 
Apocalipse comentado
Apocalipse comentadoApocalipse comentado
Apocalipse comentado
 
Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia Breve explicação sobre a Biblia
Breve explicação sobre a Biblia
 
Autoridade das Escrituras
Autoridade das EscriturasAutoridade das Escrituras
Autoridade das Escrituras
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 1 Genesis ,o livro da criaçã...
 
Você é espírita ou cristão?
Você é espírita ou cristão?Você é espírita ou cristão?
Você é espírita ou cristão?
 
O conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeito
O conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeitoO conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeito
O conhecimento de jesus 4ª aula^j jesus^j homem perfeito
 
Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014Voz da paróquia - maio 2014
Voz da paróquia - maio 2014
 
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
 

Mais de Simona P

Brochure nr neighborly love - do not repay evil with evil
Brochure nr   neighborly love - do not repay evil with evilBrochure nr   neighborly love - do not repay evil with evil
Brochure nr neighborly love - do not repay evil with evil
Simona P
 
Brochure New Revelation - The Way To Eternal Life
Brochure New Revelation - The Way To Eternal LifeBrochure New Revelation - The Way To Eternal Life
Brochure New Revelation - The Way To Eternal Life
Simona P
 
Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Simona P
 
Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)
Simona P
 
Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)
Simona P
 
A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)
A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)
A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)
Simona P
 
Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)
Simona P
 
Bispo Martin (Jacob Lorber)
Bispo Martin (Jacob Lorber)Bispo Martin (Jacob Lorber)
Bispo Martin (Jacob Lorber)
Simona P
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)
Simona P
 
A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)
A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)
A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)
Simona P
 
Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)
Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)
Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)
Simona P
 
Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)
Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)
Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)
Simona P
 

Mais de Simona P (20)

Brochure nr neighborly love - do not repay evil with evil
Brochure nr   neighborly love - do not repay evil with evilBrochure nr   neighborly love - do not repay evil with evil
Brochure nr neighborly love - do not repay evil with evil
 
Brochure New Revelation - The Way To Eternal Life
Brochure New Revelation - The Way To Eternal LifeBrochure New Revelation - The Way To Eternal Life
Brochure New Revelation - The Way To Eternal Life
 
Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Miracle healing performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
 
Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
Resurrections performed by the Lord (New Revelation - Great Gospel of John)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 1 (Jacob Lorber)
 
Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 2 (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 10-11 (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 9 (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 8 (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 7 (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 4 (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 2 (Jacob Lorber)
 
A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)
A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)
A Criação de Deus - vol. 1 (Jacob Lorber)
 
Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)
Roberto Blum - vol. 1 (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 6 (Jacob Lorber)
 
Bispo Martin (Jacob Lorber)
Bispo Martin (Jacob Lorber)Bispo Martin (Jacob Lorber)
Bispo Martin (Jacob Lorber)
 
O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)
O Grande Evangelho de Joao - vol. 5 (Jacob Lorber)
 
A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)
A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)
A Infancia de Jesus (Jacob Lorber)
 
Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)
Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)
Lord's Messages for His Children (from The New Revelation)
 
Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)
Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)
Divine answers to faith realted issues (from The New Revelation)
 

Último

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 

Último (14)

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 

Correspondência entre Jesus e Abgarus (Jacob Lorber)

  • 1. Correspondência Entre Jesus e Abgarus Obras da Nova Revelação 1 RECEBIDO PELA VOZ INTERNA POR JAKOB LORBER TRADUZIDO POR YOLANDA LINAU REVISADO POR PAULO G. JUERGENSEN Edição eletrônica
  • 2. Jakob Lorber 2 DIREITOS DE TRADUÇÃO RESERVADOS Copyright by Yolanda Linau Jakob Lorber – CORRESPONDÊNCIA ENTRE JEJUS E ABGARUS Traduzido por Yolanda Linau Revisado por Paulo G. Juergensen Edicão eletrônica UNIÃO NEO-TEOSÓFICA 2005 www.neoteosofia.org.br
  • 3. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 3 S eria ilógico admitirmos que a Bíblia fosse a cristalização de todas as Revelações. Só os que se apegam à letra e desco- nhecem as Suas Promessas alimentam tal compreensão. Não é Ele sempre o Mesmo? “E a Palavra do Senhor veio a mim”, dizia o profeta. Hoje, o Senhor diz: “Quem quiser falar Comigo, que venha a Mim, e Eu lhe darei, no seu coração, a resposta.” Qual traço luminoso, projeta-se o conhecimento da Voz Interna, e a revelação mais importante foi transmitida no idioma alemão duran- te o ano de 1864, a um homem simples chamado Jakob Lorber. A Obra Principal, a coroação de todas as demais é “O Grande Evange- lho de João” em 11 volumes. São narrativas profundas de todas as Palavras de Jesus, os segredos de Sua Pessoa, sua Doutrina de Amor e de Fé! A Criacão surge diante dos nossos olhos como um aconte- cimento relevante e metas de Evolução. Perguntas com relação à vida são esclarecidas neste Verbo Divino, de maneira clara e compre- ensível. Ao lado da Bíblia o mundo jamais conheceu Obra Seme- lhante, sendo na Alemanha considerada “Obra Cultural”.
  • 4. Jakob Lorber 4 Obras da Nova Revelação O GRANDE EVANGELHO DE JOÃO A INFÂNCIA DE JESUS O MENINO JESUS NO TEMPLO A CRIAÇÃO DE DEUS A MOSCA BISPO MARTIN ROBERTO BLUM OS DEZ MANDAMENTOS MENSAGENS DO PAI CORRESPONDÊNCIA ENTRE JESUS E ABGARUS PRÉDICAS DO SENHOR SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO E A CAMINHO DE EMAÚS AS SETE PALAVRAS DE JESUS NA CRUZ A TERRA E A LUA PREPARAÇÃO PARA O DIA DA ASCENSÃO DO SENHOR PALAVRAS DO VERBO EXPLICAÇÃO DE TEXTOS DA ESCRITURA SAGRADA OS SETE SACRAMENTOS E PRÉDICAS DE ADVERTÊNCIA
  • 5. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 5 ÍNDICE Apresentação 7 Capítulo I 9 Capítulo II 10 Capítulo III 12 Capítulo IV 14 Capítulo V 16 Capítulo VI 19 Capítulo VII 21
  • 7. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 7 APRESENTAÇÃO Diz Ele: – “Assim como aceitei o físico, a fim de poder Me revelar aos homens, também vós deveis considerar vosso corpo como instru- mento do espírito, estabelecendo-se uma justa harmonia na trindade exis- tente no homem. David desejou ardentemente que tal acontecesse quan- do disse: “Que o Senhor Jeovah possa encontrar-me de corpo, alma e espírito purificados.” Uma vez cientes da nossa origem, cuidemos de honrá-Lo, glorificá- Lo como Deus e Pai de Eternidade conforme consta em Isaías Cap. 9 Vs. 6, através de uma profunda análise de Sua Pessoa! Então haveremos de convir que, em Jesus, esteve e está Aquele mesmo Espírito que falou a todos os profetas, e que n’Ele habitou e habita a Plenitude da Divindade para toda Eternidade. O fator primordial de que o amor necessita como base é a humilda- de. Amor para encontrá-Lo, humildade para servi-Lo! Que as bênçãos desse Natal possam nos conduzir ao Ser Intrínseco de Jesus, à Sua verdadeira identidade Espiritual, devolvendo-nos o que todos perderam: O Conhecimento do Único e Verdadeiro Deus! Eis a maior dádiva para os Seus filhos desta Terra. Amém!... Goiânia, Natal de 1983. UNIÃO NEO-TEOSÓFICA Núcleo de Goiânia.
  • 8. Jakob Lorber 8 O primeiro relato idôneo sobre esta correspondência encontra-se na grande obra principal do pai da História da Igreja, Euzebius, que viveu no início do século IV, como Bispo de Cesáreia, na Palestina (morto em 340 D.C.). Ele relata ter encontrado, pessoalmente, na compilação de docu- mentos reais de Edessa (Mesopotâmia), uma correspondência entre Abgarus Ukkama e Jesus, e inicia sua obra histórica com a primeira carta, inclusive a resposta do Senhor. Este Rei pagão foi acometido de lepra durante uma viagem pacificadora na Pérsia, moléstia que lhe provocou a paralisia de ambas as pernas. Nos séculos posteriores, esta correspondência foi declarada apócrifa por parte dos patriarcas de Alexandria e Roma, não obstante o testemu- nho indubitável do grande e conceituado Euzebius. O testemunho dele é confirmado por um pesquisador da história da Igreja, que dizia: Ele so- brepujou, na sua pesquisa e dedicação, todos os professores da Igreja, de sorte que devemos a ele grande quantidade de trechos de valor inestimá- vel de escritos perdidos da era pagã e cristã. Como prova especial de uma ligação entre Edessa e Jesus, pode-se mencionar o fato de que naquele pequeno principado na Mesopotâmia o Cristianismo encontrou a primeira legalização governamental, pois lá, desde o ano de 170, um príncipe cristão chamado Abgar Bar Manu man- dou cunhar o sinal da cruz em suas moedas. A correspondência entre Jesus e Abgarus Ukkama é bem conhecida até o dia de hoje nas igreja cristãs da Mesopotâmia e nos países vizinhos da Armênia. Esses trechos foram levados como documentos santos para o Ocidente. Segundo relato de religiosos ingleses, seguidamente foram expostos pela classe mais simples, em suas habitações, juntamente com um quadro do Senhor, pois também lá se veneravam estas cartas como Palavras de Deus, conforme se faz com a Bíblia.
  • 9. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 9 SETE SÚPLICAS E SETE RESPOSTAS CAPÍTULO I CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR JESUS Abgarus, Príncipe em Edessa, a Jesus, ao Bom Salvador, que surgiu na Terra nos arredores de Jerusalém: Recebi notícias de Ti e de Tuas curas, que praticas sem remédios ou ervas. Corre o boato que devolves aos cegos a luz, que curas os coxos, que purificas os leprosos, que expulsas os espíritos impuros e curas aqueles que lutam contra moléstias de longa duração, e finalmente até mesmo ressuscitas os mortos. Após ter ouvido todas essas coisas de Ti, concluí que uma coisa deve ser certa: ou és Deus que veio dos Céus, ou então, és no mínimo um filho do grande Deus. Por isto, Te peço, através desta carta, Te encaminhares para aqui a fim de curar a minha moléstia. Ouvi também que os judeus reclamam contra Ti e desejam prejudi- car-Te. Minha cidade é pequena, porém, bem organizada, e seria sufici- ente para nós. Vem, meu grande amigo Jesus, e fica na minha cidade e no meu país. Serás carregado na palma das mãos e nos corações. Aguardo-Te com a maior saudade do meu coração! (Esta carta é enviada pelo meu servo fiel Brachus).
  • 10. Jakob Lorber 10 RESPOSTA DO SENHOR JESUS Abgarus: Feliz és tu porque não Me viste, no entanto, tens fé. Consta que aqueles que Me viram não acreditarão em Mim, a fim de que os que não Me virem creiam e vivam para todo o sempre. Quanto ao teu convite e que Eu estou sendo perseguido na Judéia, te digo: é preciso que tudo se cumpra neste local, pela razão que Me trouxe ao mundo, e para que Eu, depois de tudo se cumprir em Mim, possa subir para junto Daquele do qual parti, desde eternidades. Sê paci- ente com tua leve moléstia. Tão logo Eu subir, enviarei um discípulo para te curar e dar a ti e a todos que te rodeiam a verdadeira Saúde. (Escrita por Jacó, um discípulo do Senhor Jesus Cristo, da zona de Genezareth e entregue a Brachus, mensageiro do rei). Pouco tempo após Abgarus ter recebido de Jesus esta resposta subli- me, sucedeu que o filho mais velho deste rei e seu herdeiro foi tomado de uma febre perniciosa que segundo a opinião de todos os médicos em Edessa era incurável. Este fato levou o pobre Abgarus ao verdadeiro de- sespero, e de novo escreveu ao Bom Salvador. CAPÍTULO II CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR JESUS Oh Jesus e Bom Salvador! Meu filho mais velho e meu herdeiro, que muito se alegrou na ex- pectativa de Tua presença em minha cidade, adoeceu mortalmente. A febre apossou-se dele e ameaça matá-lo a cada instante. Sei, porém, con-
  • 11. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 11 forme me foi afiançado pelo mensageiro, que curas tais doentes sem re- cursos, apenas pela Palavra e a Vontade emitida à distância. Oh Jesus, Bom Salvador, Verdadeiro Filho do Altíssimo, permite que também meu filho, que tanto Te ama, a ponto de querer morrer por Ti, volte a ter saúde através de Tua Palavra pronunciada! Peço apenas, que não me recomendes desta vez a espera de Tua anunciada Ascensão, e sim ajuda-me imediatamente, ajuda ao meu filho! (Escrita em minha cidade Edessa e enviada por Brachus). RESPOSTA DO SENHOR JESUS Abgarus: Grande é tua fé e por isto teu filho poderia melhorar. Mas, como descobri amor contigo superior ao de Israel, farei mais do que se apenas tivesse crido. Eu, Senhor de toda Eternidade, atualmente Doutrinador dos homens e Libertador da morte eterna, darei ao teu filho a vida eterna antes da Minha Ascensão, por ter ele Me amado sem Me ter visto e conhecido, antes de Meus sofrimentos futuros por toda a Humanidade. Deste modo, hás de perder teu filho nesta vida, mas o reconquistarás mil vezes em espírito, no Meu Reino Eterno. Não deves supor que teu filho, morrendo, em verdade tenha morrido. Não! Quando ele morrer, há de despertar do sono mortal deste mundo para a verdadeira Vida Eterna no Meu Reino, que é espiritual e não material. Não permitas que tua alma se entristeça. Ouve e silencia: Eu somente sou o Senhor e não há outro além de Mim. Por isto, faço livremente o que faço e não há quem Me diga: faze isto ou não faças aquilo! O que atualmente faço e permito ser perseguido como homem fra- co foi previsto por Mim antes que a Terra fosse criada e antes que Sol, Lua e estrelas iluminassem dos céus. Foi por este motivo que parti do Meu Pai que está em Mim, como Eu Nele. O Pai é o Altíssimo. Ele é Meu Amor, Minha Vontade. O espírito, porém, que parte de Mim e do
  • 12. Jakob Lorber 12 Pai, agindo de eternidades em eternidades, é o mais Santo, e tudo isto Sou Eu que ora te revelo. Não te entristeças por saberes Quem te revela isto. Silencia até o momento em que Eu for elevado na cruz por parte dos judeus, do que terás notícias tão logo ocorra. Se falares antes do tempo, a Terra sucumbirá prematuramente. Nos próximos dias aparecerá um pobre discípulo em tua cidade. Acolhei-o, que alegrarás Meu Coração. Fazei-lhe o bem, pelo fato de Eu proporcionar ao teu filho uma Graça tão grande, permitindo, em virtude de seu amor, que Me anteceda para lá onde Eu irei após a elevação na Cruz. Amém. (Esta carta foi escrita em Caná, na Galiléia, pelo discípulo João e enviada pelo mensageiro do rei). CAPÍTULO III CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR JESUS Deduzo de Tua carta, cheia de Graças maravilhosas, enviada para mim e meu filho, como consolo máximo, que em Ti habita o mais eleva- do Amor. Do contrário, seria inteiramente impossível que Tu, Senhor Único de todos os Céus como desta Terra, pudesses enviar-me consolo, que sou apenas um verme, bem como meu filho amado. Nada poderei fazer, senão prosternar-me diante de Teu Santíssimo Nome, no pó de minha nulidade, e ofertar-Te minha gratidão e de meu filho. O amor de meu filho adoentado para contigo, despertou a minha saudade de Ti. Senhor, perdoa-me se novamente expresso este desejo. Bem sei que nossos pensamentos são-Te conhecidos antes que eu e meu filho os tivéssemos elaborado. Ainda assim, eu escrevo, como se escreve a um homem comum, e se assim faço, sigo a recomendação daquele jovem
  • 13. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 13 pobre que já se encontra comigo dizendo-me que todos deverão se apro- ximar de Ti deste modo, caso pretendam alcançar algo. Alega ele ter visto a Tua Pessoa. Sua capacidade de relato é simples, mas, segundo me parece, mui justa e acertada. Assim, descreveu-nos Tua Figura de uma maneira tão natural que eu e meu filho – que ainda vive, porém se acha muito fraco – julgávamos ver-Te realmente. Acontece que na minha cidade vive um grande artista da pintura. Imediatamente ele tentou pintar o Teu Busto, segundo a descrição do jovem. Ambos ficamos muito felizes quando ele nos afiançou que real- mente correspondia à Tua Imagem. Por isto, aproveito esta oportunidade para enviar-Te este quadro e assim poderá me orientar se ele realmente corresponde ao Original. Oh Jesus, não Te aborreças conosco. Não foi uma simples curiosidade e sim o grande amor que nos levou a isto, a fim de que pudéssemos ter uma idéia de Ti, porquanto preenches o nosso coração até o mais profundo âmago e Te tornaste o nosso maior Tesouro, o máximo Consolo e a mais sublime bem-aventurança na vida e na morte. RESPOSTA DO SENHOR JESUS APÓS DEZ DIAS Minha Bênção, Meu Amor e Minha Graça a ti, Meu querido filho Abgarus. Costumo repetir na Judéia àqueles que Eu ajudei e curei de males físicos: Tua fé te ajudou! A nenhum deles até hoje perguntei: Tu Me amas? E nenhum deles exclamou, do fundo do seu coração: Senhor, eu Te amo! Muito antes de Me teres visto, acreditaste ser Eu o Todo Poderoso. E agora Me amas como quem já renasceu desde há muito do fogo do seu espírito. Oh Abgarus, se pudesses assimilar o quanto Eu te amo por isto e quão grande é a alegria que proporcionaste ao Meu Coração Paternal, a imensa bem-aventurança te sufocaria!
  • 14. Jakob Lorber 14 Sê firme com tudo que ouvirás dentro em pouco por parte dos ju- deus, que Me entregarão às Mãos dos carrascos. Se não te aborreceres com isto, serás espiritualmente o primeiro, após teu filho, a ter participa- ção viva na Minha Ressurreição. Em verdade te digo: Os que acreditarem que Minha Doutrina surgiu de Deus serão despertos no dia do Juízo Final, onde cada um encontrará seu justo julgamento. Mas, os que Me amam como tu, jamais saborearão a morte. Assim como o pensamento mais veloz não encontra barreiras, também eles serão rapidamente trans- figurados na vida eterna mais luminosa, tomando habitação Comigo, seu Pai desde eternidades. Guarda-o contigo até Eu ressuscitar. Isto feito, um discípulo te procurará, como já te fiz saber na primeira carta, curando a ti e todos os teus, física e espiritualmente, com exceção de teu filho, que ingressará no Meu Reino, sem dor e antes de Mim. Quanto à semelhança de Minha Figura e o quadro enviado por teu mensageiro, ele próprio, que já Me viu por três vezes, te dará testemu- nho. Quem desejar um quadro de Mim com tua intenção, não terá peca- do, pois o amor suporta tudo. Mas ai daqueles que Me transformarem num ídolo! Guarda também este quadro para ti. CAPÍTULO IV CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR SETE SEMANAS DEPOIS DA TERCEIRA Meu querido Salvador Jesus! Acaba de acontecer com o meu querido filho o que Tu, Senhor pre- disseste na segunda carta. Ele faleceu há poucos dias e me pediu, em seu leito de morte, que eu expressasse sua imensa gratidão pelo fato de Tu o
  • 15. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 15 deixares partir sem dores e sem pavor da morte. Por mil vezes comprimiu o Teu quadro contra o peito e suas últimas palavras foram: “Meu Bom Pai Jesus, Amor Eterno, que és a Vida Verdadeira desde eternidades, Tu que atualmente caminhas como Filho do homem entre aqueles que Tua Onipotência fez surgir, dando-lhes forma e vida, somente Tu és Meu Amor em eternidades! Eu vivo – por Ti e em Ti – eternamente!” Com estas palavras, meu filho partiu. Por certo sabes, Senhor, que este foi o fim terreno do meu filho e que eu e todos nós muito choramos por ele. Ainda assim, eu Te escrevo, como um homem escreve a outro, porque tal foi o desejo dele. Perdoa-me se Te importuno com esta quarta carta e talvez provoque uma interrupção em Teus afazeres espirituais. Finalmen- te, me atrevo a acrescentar um pedido: Não me prives do Teu Consolo! Sinto uma imensa tristeza pelo meu filho, da qual não consigo me liber- tar. Se for de Tua Vontade, Bom Salvador, Pai de Eternidades, liberta-me desta imensa dor! RESPOSTA, DE PRÓPRIO PUNHO, DO SENHOR, EM GREGO, ENQUANTO AS OUTRAS FORAM ESCRITAS EM LINGUAGEM JUDAICA Meu querido filho e irmão Abgarus! Sei de tudo que se relaciona a teu filho e Me alegra muito o final sublime para este mundo, que, todavia, teve seu início ainda mais belo no Meu Reino. Fazes bem em sofreres uma certa tristeza por ele, pois são poucos os bons neste mundo que merecem um conceito como o teu filho. Também Eu verti uma lágrima preciosa por ele. Foi deste modo que surgiu o mundo todo, de uma lágrima Minha. Assim também será criado um novo Céu. Asseguro-te que as boas lágrimas têm um valor imenso no Céu, pois ele é ornamentado como estas jóias preciosas, en- quanto que o inferno é fortificado com as lágrimas de ódio, inveja e ira. Seja, portanto, o maior consolo para ti que estás chorando por um
  • 16. Jakob Lorber 16 bom. Mantém esta tristeza por pouco tempo, até que venhas a chorar por Mim. Então serás libertado por um dos Meus discípulos. Sê miseri- cordioso, que encontrarás grande misericórdia. E não esqueças dos po- bres, que são sempre Meus irmãos. O que fizeres a eles, terás feito a Mim, e Eu te recompensarei mil vezes. Procura o que é grande – o Meu Reino – que receberás também as coisas pequenas deste mundo. Se, porém, procurares o que é pequeno, possivelmente não terás mérito de receber o que é grande. Conservas na prisão um criminoso que, segundo tuas sábias leis, merece a morte. Todavia, te afirmo que amor e misericórdia estão aci- ma da sabedoria e justiça. Age com ele com amor e misericórdia, que serás uno Comigo e com Aquele que está em Mim e do Qual Eu surgi como Homem. (Escrita por Mim pessoalmente, em Capernaum, e enviada através do teu mensageiro). CAPÍTULO V CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR TRÊS SEMANAS APÓS A RESPOSTA DE JESUS Abgarus, um pequeno rei em Edessa, escreve a Jesus, o Bom Salva- dor, que apareceu na Judéia nos arredores de Jerusalém, como Luz e Força Originais, que reorganizam todos os Céus, mundos e seres. Entre- tanto, não é Ele reconhecido pelos primeiros que foram chamados e sim pelos que padeciam há milhares de anos nas trevas. Todo louvor seja-lhe tributado por nós, filhos da treva. Oh Senhor! Onde estaria o mortal capaz de conceber a grandiosidade
  • 17. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 17 do Teu Amor para nós humanos, Tuas criaturas – daquele Amor do qual pretendes fazer tudo de novo, porquanto Tu mesmo segues um caminho que, segundo minha compreensão humana é quase que impossível e in- compreensível para Deus. Ainda que estejas Presente como simples Homem entre os homens nesta Terra, que poderias pulverizar com um simples Hálito, continuas regendo e conservando o Universo total, partindo de Tua Natureza Divi- na. Cada átomo da Terra, toda gota do mar, o Sol, a Lua, as incontáveis estrelas ouvem a Voz Poderosa do Teu Coração, que é o Ponto Central e Eterno de todas as coisas e seres no infinito. Quão felizes devem ser Teus apóstolos por Te reconhecerem no dia mais claro de seu espírito, como ora sucede comigo, pobre pecador em minha treva! Quem me dera não fosse eu paralítico. De há muito estaria Contigo. Assim sendo, meus pés entrevados se tornam um empecilho para minha maior bem-aventurança. Tudo isto, porém, eu suporto por- que Tu, Senhor, me achaste com mérito de falar comigo por meio destas cartas e ensinar-me tantas coisas maravilhosas, que jamais um homem poderia transmitir. Que sabia eu anteriormente de uma vida após a morte? Nem todos os sábios do mundo seriam capazes de desvendar este mistério. Nosso politeísmo mantém uma imortalidade poética que se assemelha tão pou- co à realidade quanto um sonho vão, no qual se caminha por cima do mar ou se navega sobre a terra. Tu, Senhor, demonstraste pela Palavra e Ação como se inicia uma vida perfeita, verdadeira e livre, após a morte deste nosso corpo tão frágil. Este é o motivo pelo qual tomei a decisão de expressar minha imensa gratidão por Tua Graça, muito embora minha gratidão seja uma nulida- de diante Dela. Senhor, que poderia eu oferecer-Te que Tu não me tivesses dado? Creio que a expressão justa de reconhecimento de um coração ainda é o mais adequado, porquanto a ingratidão é posse total do coração huma- no. Asseguro-Te, sinceramente, que estou pronto para organizar no meu pequeno Estado tudo aquilo que pretendas determinar. Segundo Teu
  • 18. Jakob Lorber 18 desejo, não somente libertei o grande criminoso de Estado, mas fiz com que participasse de minha escola e minha mesa. Sou incapaz de julgar se agi bem ou talvez me excedi. Por isto, também neste sentido Te peço uma orientação certa. Todo meu amor, minha gratidão e minha obediência filial são diri- gidos a Ti, Senhor! RESPOSTA DO SENHOR Ouve, Meu querido filho e irmão Abgarus! Conto atualmente com 72 discípulos, entre os quais doze apóstolos; todavia, todos eles não possuem a tua visão, que és pagão e jamais viste a Mim e os milhares de milagres desde Minha Encarnação e Nascimento. A maior das esperanças esteja em teu coração, pois acontecerá, e já acon- teceu, que tirarei a luz dos filhos para passá-la em plenitude aos pagãos. Há bem pouco encontrei entre os gregos e romanos aqui radicados fé tamanha como jamais será encontrada em toda Israel. Amor e Humilda- de se tornaram capacidades completamente estranhas ao coração huma- no entre os judeus, enquanto não raramente as encontro entre vós em plenitude. Por isto, tirarei dos filhos e darei a vós todo o Meu Reino Temporal e Eterno. Os filhos hão de se alimentar dos detritos do mundo. Pretendes transformar Minha Vontade como lei em teu Estado? Por ora tal não será possível, pois para tudo é preciso uma certa maturação. Minha Lei nada mais é que Amor. Se pretendes organizar algo em teu governo, inclui esta Lei, que terás trabalho fácil com Minha Vontade, pois Minha Vontade e Minha Lei são totalmente unas, assim como Eu e o Pai somos inteiramente Um. De fato, existe algo em Minha Vontade que ainda não podes conce- ber. Meu discípulo que te visitará em breve há de explicar-te tudo e quan- do fores por ele batizado em Meu Nome, o Espírito de Deus virá sobre ti para te orientar em todas as coisas.
  • 19. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 19 Agiste perfeitamente bem com o criminoso, pois Eu faço o mesmo com vós pagãos. Tua ação seja um bom espelho daquilo que faço desde já e ainda farei em plenitude posteriormente. Isto te digo para tua paz e bênção. CAPÍTULO VI CARTA DE ABGARUS DIRIGIDA AO SENHOR DEZ SEMANAS MAIS TARDE Senhor, perdoa meu grande atrevimento e minha verdadeira petu- lância para Contigo. Sabes, porém, que bons médicos sempre receberam grandes considerações por parte dos homens, possuindo eles também conhecimentos mais certos das coisas da natureza, e em tais ocasiões to- dos os procuram a fim de receber uma orientação, se bem que mui fraca. Quão infinitamente mais elevado Te encontras Tu, não sendo somente um médico em todas as moléstias, mas também o Criador e Senhor da própria natureza desde eternidades. Somente a Ti posso apresentar mi- nha atual estranha desgraça no governo e Te suplicar do fundo do meu coração que desvies a mesma. Como deves saber, deu-se aqui há dez dias atrás um pequeno terremoto, que passou sem grandes vestígios, graças a Ti. Poucos dias depois, porém, todas as águas ficaram turvas e quem a tomasse era acometido de dores de cabeça, tornando-se louco. Imediatamente determinei uma lei rigorosa que ninguém dela fizes- se uso até segunda ordem. Entrementes, todos os cidadãos deviam vir para Edessa, onde receberiam água e vinho que mandei buscar em gran- des navios de lugares distantes. Acredito não ter cometido uma ação prejudicial, porque fui movido puramente pelo amor para com meu povo e a verdadeira misericórdia.
  • 20. Jakob Lorber 20 Por este motivo, Te peço com humildade e contrição que ajudes a mim e meu povo neste desespero. A água não se modifica e sua ação insana é sempre a mesma. Sei, Senhor, que todos os poderes, bons e maus, são-Te submissos e obrigados a se afastar a um aceno Teu. Tem piedade de mim e de meu pobre povo, e liberta-nos desta praga. Ao ler esta carta, o Senhor Se alterou no Seu íntimo e disse em Voz tonitroante: “Oh Satanás, por quanto tempo pretendes tentar Deus, teu Senhor? Que te fez este pobre povo para martirizá-lo tão horrivelmente, serpente maldosa? A fim de que saibas e sintas que sou Teu Senhor, neste momento terminará tua maldade naquele país! Amém! Por acaso não pediste, há tempos, a experiência de castigar apenas a carne humana, o que te concedi com relação a Jó? Que fazes agora com Minha Terra? Se tiveres coragem, ataca-Me! Deixa em paz Minha Terra e Minhas criaturas, que Me têm em seu coração, até o tempo que Eu te concederei para final prova de libertação!” Após esta exclamação, foi levada a seguinte resposta de Jesus para Abgarus, através de um discípulo: Meu caro filho e irmão Abgarus! Este golpe maldoso não foi engendrado pelo teu inimigo, mas pelo Meu. Tu ainda não o conheces, enquanto Eu o conheço de há muito! É ele o antigo príncipe invisível deste mundo e até então teve grande poder, não somente neste planeta, que é sua habitação, mas também nas estrelas. Seu poder, porém, será de curta duração e dentro em breve o príncipe deste mundo será extinto. Jamais o temas, pois Eu o exterminei para ti e Teu povo. Podes con- tinuar a usar tranqüilamente as águas do teu país, pois a partir deste instante são puras e salutares. Em virtude do teu amor para Comigo, algo de mau te sucedeu, mas teu amor se tornando mais forte no momento da aflição, ele venceu sobre todas as forças do inferno e estás livre de todas as manifestações infernais. Por isto, acontecerá que a fé será exposta a grandes tentações, neces- sitando passar pelo fogo e pela água. Mas o fogo do amor abafará o fogo
  • 21. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 21 da prova de fé, fazendo evaporar a água com todo o seu poder. O que ocorreu com teu país, de modo natural, se repetirá futuramente com muitos por causa de Minha Doutrina. Tornar-se-ão loucos os que bebe- rem os poços dos falsos profetas. Envio-te todo Meu Amor, Minha Bênção e Minha Graça. CAPÍTULO VII CARTA DE ABGARUS AO SENHOR, NOVE SEMANAS APÓS O RECEBIMENTO DA SEXTA RESPOSTA E CINCO DIAS ANTES DA ENTRADA TRIUNFAL EM JERUSALÉM Abgarus, um pequeno príncipe em Edessa, escreve a Jesus, ao Bom Salvador, que apareceu nos arredores de Jerusalém, Salvação para todos os povos, um Senhor e Rei ungido desde eternidades, Deus de todas as criaturas, homens e deuses, bons e maus. Senhor, Único Realizador do meu coração e Concepção total de todos os meus pensamentos! Concluí de Tua primeira carta dirigida a mim, que há de acontecer tudo que os judeus e hierosolimitanos pretendem Contigo. Tenho a vaga impressão que tal deve acontecer. Certamente compreenderás, Senhor, que humanamente falando meu coração amoroso se revolta contra tal fato. Que eu tenha motivos para relatar-Te isto, deduzirás do seguinte: Como vassalo romano e parente próximo de Tibério, Imperador de Roma, possuo também em Jerusalém meus observadores incumbidos de fiscalizar o sacerdócio sumamente orgulhoso. Eles me relataram fielmen- te os planos dos sacerdotes e fariseus.
  • 22. Jakob Lorber 22 Não querem apedrejar-Te ou queimar-Te. Não, isto é muito pouco! Pretendem dar um exemplo da crueldade mais desumana. Essas feras em forma humana querem pregar-Te à cruz, até que venhas a morrer lenta- mente com dores incríveis! Esta obra de mestre da maldade humana será executada na própria Páscoa. Senhor, seja como for, isto me revoltou até o âmago! Sei positiva- mente que essas feras sensuais e orgulhosas não pretendem matar-Te por- que Te dizes o Messias Prometido. Isto pouco preocupa essa raça de hie- nas, pois sei muito bem que não acreditam em Deus, muito menos em Ti, e pouco ligam para um sacrilégio contra Deus. Seu plano é totalmen- te outro. Têm conhecimento de serem fiscalizados por parte de Roma, em virtude de suas traficâncias. O próprio Pilatos, muito arguto, já des- cobriu no ano passado tal tentativa de rebelião sacerdotal e, como sabes, mandou prender cerca de 500 pobres e abastados, na maioria, infeliz- mente, galileus, ocorrência esta que lhe proporcionou a inimizade de Herodes, pois que atingia justamente seus súditos. Este exemplo teve uma repercussão muito forte no íntimo dos templários. A fim de saírem deste dilema, escolheram a Ti e pretendem apontar-Te como rebelde do governo e também apontar-Te como chefe daquele levante. Assim espe- ram reabilitar-se perante a corte romana, desviando sua atenção, para mais facilmente poder engendrar seus planos traiçoeiros, o que de modo algum conseguirão. Deste relato deduzes com facilidade que Roma os conhece a fundo. Se Tu, Senhor, precisares de um serviço meu, Teu amigo e adorador mais achegado, imediatamente expedirei mensageiros para Roma e para Pontius Pilatos. Garanto que essas feras cairão na cova que preparam para Ti. Conhecendo a Ti, Senhor, bem sei que não necessitas de conse- lho humano, portanto saberás melhor o que fazer. Como simples ho- mem, considero um de meus deveres mais importantes transmitir-Te esta trama, ligando a este relato minha gratidão por Tua Graça concedida a mim e meu povo. Senhor, avisa-me o que posso fazer por Ti. Tua Vontade Se faça!
  • 23. Correspondência Entre Jesus e Abgarus 23 ÚLTIMA RESPOSTA DO SENHOR Meu caro filho e irmão Abgarus: Tudo ocorre conforme Me anunciaste. Ainda assim, tudo há de acon- tecer Comigo, porque, do contrário, não haveria criatura que atingisse a vida eterna, o que por ora ainda não compreendes, mas dentro em breve hás de assimilar este grande mistério. Por ora, desiste dos passos oferecidos para Minha justificativa. Ha- veria pouco êxito onde age o Eterno Poder do Pai Que está em Mim e do Qual Eu parti como Homem. Que não te assuste a cruz na qual Eu serei pregado. Justamente esta cruz deve se tornar para todos os tempos a pedra fundamental para o Reino de Deus e igualmente a porta para o mesmo. Estarei morto durante três dias. No terceiro ressuscitarei, como Eterno Vencedor da morte e do inferno, e Meu Julgamento Poderoso há de atingir todos os malfeitores. Os que estão no Meu Coração hão de encontrar as portas do Céu abertas de par em par. Se dentro de alguns dias perceberes o sol obscurecer-se, lembra-te que Eu, Teu maior Amigo e Irmão, acabei de espirar na cruz. Não te assustes por isto. Tudo isto tem que acontecer e aos Meus nem um fio de cabelo será tocado. Hás de receber uma prova no momento em que Eu ressuscitar. Meu Amor, Minha Graça e Bênção estejam contigo, Meu querido irmão Abgarus. Amém. Fim