SlideShare uma empresa Scribd logo
MECÂNICA DOS SOLOS
ENSAIO DE ADENSAMENTO
GRUPO
 Arthur Andrade Freitas
 Felipe Ferreira
 Gabriela Roberta
 Samantha Kelly Rodrigues
 Wellington Gustavo do Nascimento
ENSAIO DE ADENSAMENTO
O que é Adensamento?
 Deformação plástica e a redução do índice de vazios
de uma massa de solo em função do tempo e da
pressão aplicada.
Adensamento na Mecânica
dos Solos
 Na mecânica dos solos o adensamento é a redução
do índice de vazios no solo.
 A compressibilidade é dada pela seguinte relação:
(e = Vv/Vs)
Importância do Ensaio de
Adensamento na
Engenharia Civil
Enquanto tempo o recalque será obtido?
Qual o tamanho do recalque?
Como é feito o ensaio de
adensamento?
Aparelhos
 Prensa devidamente equipada com a célula de
adensamento (edômetro):
Aparelhos
 Instrumento (extensômetro mecânico ou transdutor
elétrico de deslocamento) para a realização das
medidas de deformações:
Aparelhos
 Jogos de pesos para transmissão de pressão ao corpo
de prova;
 Cronômetro para o acompanhamento dos tempos
de leituras.
Cuidados com o corpo de
prova
 Cuidados com perda de umidade das amostras: ∆w ≤
0,2% (sala com umidade relativa elevada);
 Durante os ensaios: T ≤ ±4ºC (não haja incidência
direta dos raios solares)
Cuidados com o ensaio
 PEDRAS POROSAS
 As pedras porosas devem ser
preparadas antes da montagem, para
evitar mudanças no teor de umidade
do corpo-de-prova
 Devem ser previamente fervidas e
mantidas imersas em água destilada até
o instante de entrar em contato com o
corpo-de-prova.
 PAPEL FILTRO
 Os papéis-filtro devem ser preparados
antes da montagem, para evitar
mudanças no teor de umidade do
corpo-de-prova;
Ensaio de Adensamento
 Colocação da célula de adensamento no sistema de
aplicação das cargas;
 Instalação do extensômetro;
 Aplicação de uma tensão de assentamento de 5kPa
para solos resistentes ou 2kPa para solos moles;
 Zeragem do extensômetro após 5 min;
 Aplicação do primeiro estágio de carga (tensão):
completar a tensão para 10kPa;
Outros estágios de carga
20kPa, 40kPa, 80kPa, 160kPa, 320kPa.
Ensaio de Adensamento
 Inundar a célula de adensamento logo após a
aplicação da tensão de 10kPa.
 Realizam-se leituras no extensômetro nos
instantes 15 e 30s, 1, 2, 4, 8, 15, 30 min, até que haja
estabilização das deformações.
 Dobra-se a carga e repete o processo.
Cuidados pós ensaio
 Retirar o anel com o corpo de prova;
 Enxugar o corpo de prova com papel absorvente.
Cálculos
Cálculos
Cálculos
Cálculos
Cálculos
Cálculos
Cálculos
Resultados
Através desse ensaio é obtido o coeficiente de adensamento, com
o qual é realizado, por exemplo, o dimensionamento das fundações
 de uma obra.
Resultados
Resultados
 O coeficiente de adensamento é dado por:
cv = 0,197.Hd²/t50, onde: Hd - metade da altura do corpo de prova.
Resultados
Resultados
 A declividade da curva para um solo normalmente
adensado, é chamada de índice de compressão.

NORMA
REGULAMENTADORA
 A Norma que regulamenta os ensaios de
adensamento é a MB 3336/1990 da NR12007/1990
O QUE ELA PRESCREVE
?
 Método de determinação das propriedades de
adensamento do solo, caracterizadas pela
velocidade e magnitude das deformações, quando o
solo é lateralmente confinado e axialmente
carregado e drenado.
Demais considerações
 Em solos granulares a drenagem é instantânea,
portanto não tem adensamento.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 6 -_estabilidade_de_taludes
Aula 6 -_estabilidade_de_taludesAula 6 -_estabilidade_de_taludes
Aula 6 -_estabilidade_de_taludes
homertc
 
Orientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragem
Orientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragemOrientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragem
Orientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragem
iicabrasil
 
3.2 índices físicos
3.2 índices físicos3.2 índices físicos
3.2 índices físicos
Cibélly Grassmann
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
engenhar
 
Sondagem
SondagemSondagem
Sondagem
fabiofaria82
 
Hidrologia escoamento superficial
Hidrologia   escoamento superficialHidrologia   escoamento superficial
Hidrologia escoamento superficial
marciotecsoma
 
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucsClassificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Alexandre Soares
 
Infiltração
InfiltraçãoInfiltração
Infiltração
Hidrologia UFC
 
Recalque (Fundações)
Recalque (Fundações)Recalque (Fundações)
Recalque (Fundações)
Thayris Cruz
 
Macadame betuminoso
Macadame betuminosoMacadame betuminoso
Macadame betuminoso
Ana Paula Dias Pacífico
 
Relatório
RelatórioRelatório
Relatório
henriq23
 
Relatório permeabilidade 2017-1
Relatório   permeabilidade 2017-1Relatório   permeabilidade 2017-1
Relatório permeabilidade 2017-1
Tiago Teles
 
sistema de classificação dos solos
sistema de classificação dos solossistema de classificação dos solos
sistema de classificação dos solos
Janine Silotti
 
Aula 1 concreto armado
Aula 1 concreto armado Aula 1 concreto armado
Aula 1 concreto armado
Carlos Elson Cunha
 
Relatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidadeRelatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidade
Rayllane Santos
 
Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)
Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)
Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)
Gilson Adao
 
Mecanica do solo. slide
Mecanica do solo. slideMecanica do solo. slide
Mecanica do solo. slide
engenhar
 
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
Unidade 3   Projeto de terraplenagemUnidade 3   Projeto de terraplenagem
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
Alexandre Esmeraldo
 
Aula 8 drenagem urbana
Aula 8 drenagem urbanaAula 8 drenagem urbana
Aula 8 drenagem urbana
Jose Luis Prado Sánchez
 
Análise granulométrica - Peneiramento
Análise granulométrica - PeneiramentoAnálise granulométrica - Peneiramento
Análise granulométrica - Peneiramento
Guilherme Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Aula 6 -_estabilidade_de_taludes
Aula 6 -_estabilidade_de_taludesAula 6 -_estabilidade_de_taludes
Aula 6 -_estabilidade_de_taludes
 
Orientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragem
Orientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragemOrientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragem
Orientações para a elaboração e apresentação de projeto de barragem
 
3.2 índices físicos
3.2 índices físicos3.2 índices físicos
3.2 índices físicos
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
 
Sondagem
SondagemSondagem
Sondagem
 
Hidrologia escoamento superficial
Hidrologia   escoamento superficialHidrologia   escoamento superficial
Hidrologia escoamento superficial
 
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucsClassificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
 
Infiltração
InfiltraçãoInfiltração
Infiltração
 
Recalque (Fundações)
Recalque (Fundações)Recalque (Fundações)
Recalque (Fundações)
 
Macadame betuminoso
Macadame betuminosoMacadame betuminoso
Macadame betuminoso
 
Relatório
RelatórioRelatório
Relatório
 
Relatório permeabilidade 2017-1
Relatório   permeabilidade 2017-1Relatório   permeabilidade 2017-1
Relatório permeabilidade 2017-1
 
sistema de classificação dos solos
sistema de classificação dos solossistema de classificação dos solos
sistema de classificação dos solos
 
Aula 1 concreto armado
Aula 1 concreto armado Aula 1 concreto armado
Aula 1 concreto armado
 
Relatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidadeRelatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidade
 
Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)
Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)
Aula 2 hidrologia( ciclo hidrologico)
 
Mecanica do solo. slide
Mecanica do solo. slideMecanica do solo. slide
Mecanica do solo. slide
 
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
Unidade 3   Projeto de terraplenagemUnidade 3   Projeto de terraplenagem
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
 
Aula 8 drenagem urbana
Aula 8 drenagem urbanaAula 8 drenagem urbana
Aula 8 drenagem urbana
 
Análise granulométrica - Peneiramento
Análise granulométrica - PeneiramentoAnálise granulométrica - Peneiramento
Análise granulométrica - Peneiramento
 

Destaque

Ensaio de compactação
Ensaio de compactaçãoEnsaio de compactação
Ensaio de compactação
Ezequiel Borges
 
Ensaios de densidade e massa especifica
Ensaios de densidade e massa especificaEnsaios de densidade e massa especifica
Ensaios de densidade e massa especifica
Ezequiel Borges
 
Ensaio de Compressão triaxial
Ensaio de Compressão triaxialEnsaio de Compressão triaxial
Ensaio de Compressão triaxial
Ezequiel Borges
 
Ensaio de cisalhamento direto
Ensaio de cisalhamento diretoEnsaio de cisalhamento direto
Ensaio de cisalhamento direto
Ezequiel Borges
 
Ensaio suporte californiano
Ensaio suporte californianoEnsaio suporte californiano
Ensaio suporte californiano
Ezequiel Borges
 
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
QUALIENG Consultoria, Auditoria e Treinamento
 
Mec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidosMec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidos
Adriana Inokuma
 
Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001
Greice Marques
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Jadson Belem de Moura
 
Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3
arqjoaocampos
 
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
Fellipe Prado
 
Capilaridade nos solos
Capilaridade nos solosCapilaridade nos solos
Capilaridade nos solos
cristiansorianoc
 
Aulas 01 e 02 introducao engenharia civil
Aulas 01 e 02   introducao engenharia civilAulas 01 e 02   introducao engenharia civil
Aulas 01 e 02 introducao engenharia civil
Silas Rocha
 
Solos
SolosSolos
Slide 1 ano solo
Slide 1 ano soloSlide 1 ano solo
Slide 1 ano solo
Sílvia Almada
 
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdfFot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Marcelo de Lima Beloni
 
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANAO RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
Thiago Morəno
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
Giovanna Ortiz
 
ECOLOPAVI
ECOLOPAVIECOLOPAVI
ECOLOPAVI
Jary Maciel
 

Destaque (20)

Ensaio de compactação
Ensaio de compactaçãoEnsaio de compactação
Ensaio de compactação
 
Ensaios de densidade e massa especifica
Ensaios de densidade e massa especificaEnsaios de densidade e massa especifica
Ensaios de densidade e massa especifica
 
Ensaio de Compressão triaxial
Ensaio de Compressão triaxialEnsaio de Compressão triaxial
Ensaio de Compressão triaxial
 
Ensaio de cisalhamento direto
Ensaio de cisalhamento diretoEnsaio de cisalhamento direto
Ensaio de cisalhamento direto
 
Ensaio suporte californiano
Ensaio suporte californianoEnsaio suporte californiano
Ensaio suporte californiano
 
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
 
Mec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidosMec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidos
 
Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
 
Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3
 
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
 
Capilaridade nos solos
Capilaridade nos solosCapilaridade nos solos
Capilaridade nos solos
 
Aulas 01 e 02 introducao engenharia civil
Aulas 01 e 02   introducao engenharia civilAulas 01 e 02   introducao engenharia civil
Aulas 01 e 02 introducao engenharia civil
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Slide 1 ano solo
Slide 1 ano soloSlide 1 ano solo
Slide 1 ano solo
 
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdfFot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
 
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANAO RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 
ECOLOPAVI
ECOLOPAVIECOLOPAVI
ECOLOPAVI
 

Semelhante a Ensaio de adensamento

96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final
96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final
96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final
Willian Dias da Cruz
 
Trabalho completo teste de traçao em laboratorio
Trabalho completo teste de traçao em laboratorioTrabalho completo teste de traçao em laboratorio
Trabalho completo teste de traçao em laboratorio
Marcelo Silva Vitor Amaral
 
CIT04-0128
CIT04-0128CIT04-0128
Ensaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-provaEnsaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-prova
Luiz Orro de Freitas
 
AL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11ºAL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11º
Goreti Cachide
 
Física 11º ano A.L. 1.1 Queda-livre
Física 11º ano A.L. 1.1 Queda-livreFísica 11º ano A.L. 1.1 Queda-livre
Física 11º ano A.L. 1.1 Queda-livre
Goreti Cachide
 
AL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11ºAL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11º
Goreti Cachide
 
Aula de laboratorio roteiro - adensamento
Aula de laboratorio   roteiro - adensamentoAula de laboratorio   roteiro - adensamento
Aula de laboratorio roteiro - adensamento
Luiz Felipe Bonander Nugnes
 
Lista ex resolvidos obras de terra
Lista ex resolvidos obras de terraLista ex resolvidos obras de terra
Lista ex resolvidos obras de terra
Sergio Silva
 
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
UFMT
 
Celulas de-cargas[1]
Celulas de-cargas[1]Celulas de-cargas[1]
Celulas de-cargas[1]
BrenoAkerman
 
Compressibilidade e adensamento
Compressibilidade e adensamentoCompressibilidade e adensamento
Compressibilidade e adensamento
Bráulio Naya
 
17.ago ametista 11.20_221_cemig-d
17.ago ametista 11.20_221_cemig-d17.ago ametista 11.20_221_cemig-d
17.ago ametista 11.20_221_cemig-d
itgfiles
 
Metodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentaçãoMetodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentação
Wagner Ferreira
 
Relatório ensai os
Relatório ensai osRelatório ensai os
Relatório ensai os
Miguel Neto
 
Ensaio triaxial
Ensaio triaxialEnsaio triaxial
Ensaio triaxial
nelsonpoer
 
Aterros sobre solo moles
Aterros sobre solo molesAterros sobre solo moles
Aterros sobre solo moles
cristiansorianoc
 
Caldeira
CaldeiraCaldeira
Biblia da instrumentacao
Biblia da instrumentacaoBiblia da instrumentacao
Biblia da instrumentacao
Claudio Arkan
 
Trabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calorTrabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calor
Igor de Mello
 

Semelhante a Ensaio de adensamento (20)

96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final
96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final
96884834 microsoft-word-relatorio-de-ensaio-em-tunel-de-vento-final
 
Trabalho completo teste de traçao em laboratorio
Trabalho completo teste de traçao em laboratorioTrabalho completo teste de traçao em laboratorio
Trabalho completo teste de traçao em laboratorio
 
CIT04-0128
CIT04-0128CIT04-0128
CIT04-0128
 
Ensaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-provaEnsaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-prova
 
AL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11ºAL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11º
 
Física 11º ano A.L. 1.1 Queda-livre
Física 11º ano A.L. 1.1 Queda-livreFísica 11º ano A.L. 1.1 Queda-livre
Física 11º ano A.L. 1.1 Queda-livre
 
AL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11ºAL 1.1 queda livre- Física 11º
AL 1.1 queda livre- Física 11º
 
Aula de laboratorio roteiro - adensamento
Aula de laboratorio   roteiro - adensamentoAula de laboratorio   roteiro - adensamento
Aula de laboratorio roteiro - adensamento
 
Lista ex resolvidos obras de terra
Lista ex resolvidos obras de terraLista ex resolvidos obras de terra
Lista ex resolvidos obras de terra
 
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
 
Celulas de-cargas[1]
Celulas de-cargas[1]Celulas de-cargas[1]
Celulas de-cargas[1]
 
Compressibilidade e adensamento
Compressibilidade e adensamentoCompressibilidade e adensamento
Compressibilidade e adensamento
 
17.ago ametista 11.20_221_cemig-d
17.ago ametista 11.20_221_cemig-d17.ago ametista 11.20_221_cemig-d
17.ago ametista 11.20_221_cemig-d
 
Metodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentaçãoMetodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentação
 
Relatório ensai os
Relatório ensai osRelatório ensai os
Relatório ensai os
 
Ensaio triaxial
Ensaio triaxialEnsaio triaxial
Ensaio triaxial
 
Aterros sobre solo moles
Aterros sobre solo molesAterros sobre solo moles
Aterros sobre solo moles
 
Caldeira
CaldeiraCaldeira
Caldeira
 
Biblia da instrumentacao
Biblia da instrumentacaoBiblia da instrumentacao
Biblia da instrumentacao
 
Trabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calorTrabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calor
 

Último

“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 

Ensaio de adensamento

  • 1. MECÂNICA DOS SOLOS ENSAIO DE ADENSAMENTO
  • 2. GRUPO  Arthur Andrade Freitas  Felipe Ferreira  Gabriela Roberta  Samantha Kelly Rodrigues  Wellington Gustavo do Nascimento
  • 3. ENSAIO DE ADENSAMENTO O que é Adensamento?  Deformação plástica e a redução do índice de vazios de uma massa de solo em função do tempo e da pressão aplicada.
  • 4. Adensamento na Mecânica dos Solos  Na mecânica dos solos o adensamento é a redução do índice de vazios no solo.  A compressibilidade é dada pela seguinte relação: (e = Vv/Vs)
  • 5. Importância do Ensaio de Adensamento na Engenharia Civil Enquanto tempo o recalque será obtido? Qual o tamanho do recalque?
  • 6. Como é feito o ensaio de adensamento?
  • 7.
  • 8.
  • 9. Aparelhos  Prensa devidamente equipada com a célula de adensamento (edômetro):
  • 10. Aparelhos  Instrumento (extensômetro mecânico ou transdutor elétrico de deslocamento) para a realização das medidas de deformações:
  • 11. Aparelhos  Jogos de pesos para transmissão de pressão ao corpo de prova;  Cronômetro para o acompanhamento dos tempos de leituras.
  • 12. Cuidados com o corpo de prova  Cuidados com perda de umidade das amostras: ∆w ≤ 0,2% (sala com umidade relativa elevada);  Durante os ensaios: T ≤ ±4ºC (não haja incidência direta dos raios solares)
  • 13. Cuidados com o ensaio  PEDRAS POROSAS  As pedras porosas devem ser preparadas antes da montagem, para evitar mudanças no teor de umidade do corpo-de-prova  Devem ser previamente fervidas e mantidas imersas em água destilada até o instante de entrar em contato com o corpo-de-prova.  PAPEL FILTRO  Os papéis-filtro devem ser preparados antes da montagem, para evitar mudanças no teor de umidade do corpo-de-prova;
  • 14. Ensaio de Adensamento  Colocação da célula de adensamento no sistema de aplicação das cargas;  Instalação do extensômetro;  Aplicação de uma tensão de assentamento de 5kPa para solos resistentes ou 2kPa para solos moles;  Zeragem do extensômetro após 5 min;  Aplicação do primeiro estágio de carga (tensão): completar a tensão para 10kPa;
  • 15. Outros estágios de carga 20kPa, 40kPa, 80kPa, 160kPa, 320kPa.
  • 16. Ensaio de Adensamento  Inundar a célula de adensamento logo após a aplicação da tensão de 10kPa.  Realizam-se leituras no extensômetro nos instantes 15 e 30s, 1, 2, 4, 8, 15, 30 min, até que haja estabilização das deformações.  Dobra-se a carga e repete o processo.
  • 17. Cuidados pós ensaio  Retirar o anel com o corpo de prova;  Enxugar o corpo de prova com papel absorvente.
  • 25. Resultados Através desse ensaio é obtido o coeficiente de adensamento, com o qual é realizado, por exemplo, o dimensionamento das fundações  de uma obra.
  • 27. Resultados  O coeficiente de adensamento é dado por: cv = 0,197.Hd²/t50, onde: Hd - metade da altura do corpo de prova.
  • 29. Resultados  A declividade da curva para um solo normalmente adensado, é chamada de índice de compressão. 
  • 30. NORMA REGULAMENTADORA  A Norma que regulamenta os ensaios de adensamento é a MB 3336/1990 da NR12007/1990
  • 31. O QUE ELA PRESCREVE ?  Método de determinação das propriedades de adensamento do solo, caracterizadas pela velocidade e magnitude das deformações, quando o solo é lateralmente confinado e axialmente carregado e drenado.
  • 32. Demais considerações  Em solos granulares a drenagem é instantânea, portanto não tem adensamento.