SlideShare uma empresa Scribd logo
Estabilização Química de Solos
para fins de pavimentação Urbana
e Rodoviária
Construção da base de solo quimicamente estabilizado para
pavimentação asfáltica de um trecho da Avenida Sete de
Maio, em Manaus.
Solo natural – CBR 17% - Solo Estabilizado – CBR 117% do
proctor intermediário. Espessura da base: 20cm
INSTITUTO IDESA AMAZÔNIA
Rua Tapajós 13, 2º andar, Centro , CEP 69010-150, Manaus - Amazonas
Fones (92) 3347-8339/ (92) 9.8264-8083 (TIM e WhatsApp) – SKYPE – idesaamazonia
E-mail – idesa@idesaamazonia.com.br - www.ecolopavi.com.br
O processo de estabilização do solo:
Primeira fase:
Disposição do estoque do
Estabilizante Ecolopavi
Incorporação do reagente, cimento portland, ao
solo. (2% em relação ao peso do solo a ser tratado).
Homogeneização com trator com grade de discos.
Obra construída pela empresa Construtora
Pampulha da Amazônia para a Prefeitura de Manaus
Sob a Responsabilidade Técnica do Engº Civil ALEXANDRE LAGES
www.ecolopavi.com.br
Segunda fase: Lançamento à mistura solo/reagente, do
Estabilizante ECOLOPAVI, diluído em água, com caminhão pipa e um novo
gradeamento para homogeneizar a mistura completa: solo/reagente/estabilizante
Um caminhão pipa contendo o Estabilizante
ECOLOPAVI diluído em água, lança esta solução
ao solo já misturado com o reagente, cimento a
2% em relação ao peso do solo
Um novo gradeamento para homogeneizar a
mistura completa: solo/reagente/estabilizante.
Preparando a camada para a compactação. O
objetivo é resultar em uma base impermeável e
resistente: CBR de 177%
www.ecolopavi.com.br
Terceira fase: Uma patrol prepara a camada e um rolo compressor pé-de-
carneiro é passado 10 vezes sobre a camada para resultar em uma compactação perfeita e
com o CBR desejado de 117%, conforme ensaios prévios em laboratório
Uma motoniveladora prepara a camada
para receber a compactação
Rolo compressor pé-de-carneiro é passado 10
vezes sobre a camada para resultar em um CBR
de 177%, conforme ensaios de laboratório
www.ecolopavi.com.br
Quarta Fase: Uma motoniveladora regulariza a superfície para
receber uma camada de asfalto. Base impermeável, resistente com CBR de 177%.
www.ecolopavi.com.br
Conclusão da construção da base:
Este filme mostra na prática a sequência de operações detalhadas nos quadros anteriores. A base está
pronta para receber uma fina cobertura de asfalto. Eis aqui a grande economia no custo final da obra.
www.ecolopavi.com.br
O Asfaltamento do trecho que foi
tratado com solo estabilizado
Uma cópia dos ensaios geotécnicos elaborados pela empresa CONCRESONDA
de propriedade do Professor, Engº PAULO YOPI, da Universidade Federal do Amazonas-
UFAM.
Pavimentação concluída com uma
Capa selante com espessura de 2cm
de asfalto do tipo AAUQ.
Manaus, novembro de 2005
www.ecolopavi.com.br
Avenida Sete de Maio, bairro Santa
Etelvina – Manaus - AM
10 anos depois
www.ecolopavi.com.br
Avenida Sete de Maio, bairro Santa
Etelvina – Manaus - AM
10 anos depois
www.ecolopavi.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviáriosEstado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Sónia Dutra
 
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Sónia Dutra
 
Concreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes FundaçõesConcreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes Fundações
Egydio Hervé Neto
 
Metodologia
Metodologia Metodologia
Transporte Dutoviário
Transporte DutoviárioTransporte Dutoviário
Transporte Dutoviário
Cristiano S da Silva
 
Texto institucional
Texto institucionalTexto institucional
Texto institucional
Ara Terraplanagem
 
Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...
Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...
Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...
Petiano Camilo Bin
 
Hote7 unid05 barragens-terra
Hote7 unid05 barragens-terraHote7 unid05 barragens-terra
Hote7 unid05 barragens-terra
Diego Santos
 
Barragem de enrocamento com núcleo asfáltico
Barragem de enrocamento com núcleo asfálticoBarragem de enrocamento com núcleo asfáltico
Barragem de enrocamento com núcleo asfáltico
RC Desenhos
 
Projeto preliminar de exploração1
Projeto preliminar de exploração1Projeto preliminar de exploração1
Projeto preliminar de exploração1
Zoran Radulovic
 
Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade
Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedadeDiretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade
Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade
Rural Pecuária
 
Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04
Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04
Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04
Fabricio Daiany
 
Referencias
ReferenciasReferencias
Referencias
guestbabaf1
 
Ibracon 2013 artigo
Ibracon 2013 artigoIbracon 2013 artigo
Ibracon 2013 artigo
Helen Oliveira Tenório
 
confecção de concreto autoaadensavel
confecção de concreto autoaadensavelconfecção de concreto autoaadensavel
confecção de concreto autoaadensavel
Jarbas Dalcin
 
55 cbc0281 ibracon
55 cbc0281 ibracon55 cbc0281 ibracon
55 cbc0281 ibracon
Jarbas Dalcin
 
Catalogo acorus
Catalogo acorusCatalogo acorus
Catalogo acorus
JoseCamposSilva2
 
PaviAIRES, Lda
PaviAIRES, LdaPaviAIRES, Lda
PaviAIRES, Lda
frd2ires
 
Areia de Brita - Embu
Areia de Brita - EmbuAreia de Brita - Embu
Areia de Brita - Embu
MetsoBrasil
 
Melhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3o
Melhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3oMelhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3o
Melhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3o
Deco-Lar
 

Mais procurados (20)

Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviáriosEstado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
 
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
 
Concreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes FundaçõesConcreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes Fundações
 
Metodologia
Metodologia Metodologia
Metodologia
 
Transporte Dutoviário
Transporte DutoviárioTransporte Dutoviário
Transporte Dutoviário
 
Texto institucional
Texto institucionalTexto institucional
Texto institucional
 
Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...
Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...
Anlise da adio de resduos de concreto nas caractersticas do solo cimento plst...
 
Hote7 unid05 barragens-terra
Hote7 unid05 barragens-terraHote7 unid05 barragens-terra
Hote7 unid05 barragens-terra
 
Barragem de enrocamento com núcleo asfáltico
Barragem de enrocamento com núcleo asfálticoBarragem de enrocamento com núcleo asfáltico
Barragem de enrocamento com núcleo asfáltico
 
Projeto preliminar de exploração1
Projeto preliminar de exploração1Projeto preliminar de exploração1
Projeto preliminar de exploração1
 
Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade
Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedadeDiretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade
Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade
 
Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04
Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04
Manual Brasileiro de Geossintéticos cap 04
 
Referencias
ReferenciasReferencias
Referencias
 
Ibracon 2013 artigo
Ibracon 2013 artigoIbracon 2013 artigo
Ibracon 2013 artigo
 
confecção de concreto autoaadensavel
confecção de concreto autoaadensavelconfecção de concreto autoaadensavel
confecção de concreto autoaadensavel
 
55 cbc0281 ibracon
55 cbc0281 ibracon55 cbc0281 ibracon
55 cbc0281 ibracon
 
Catalogo acorus
Catalogo acorusCatalogo acorus
Catalogo acorus
 
PaviAIRES, Lda
PaviAIRES, LdaPaviAIRES, Lda
PaviAIRES, Lda
 
Areia de Brita - Embu
Areia de Brita - EmbuAreia de Brita - Embu
Areia de Brita - Embu
 
Melhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3o
Melhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3oMelhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3o
Melhorespraticas pisos1%20 funda%e7%e3o
 

Destaque

Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Solos
SolosSolos
Aula 01 unip_-resumo Mec Solos
Aula 01 unip_-resumo Mec SolosAula 01 unip_-resumo Mec Solos
Aula 01 unip_-resumo Mec Solos
Gilson Lima
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
engenhar
 
Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7
Daniela Moreira Lima Santos
 
Ocupação dos solos e riscos ambientais
Ocupação dos solos e riscos ambientaisOcupação dos solos e riscos ambientais
Ocupação dos solos e riscos ambientais
Rodrigo Duarte
 
Classificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasilClassificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasil
Thamires Bragança
 
Aula3 fundacoes
Aula3 fundacoesAula3 fundacoes
Aula3 fundacoes
Arnaldo Aguiar
 
As grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundoAs grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundo
Thiago Sidney Miranda
 
Apostila de fundações poli
Apostila de fundações  poliApostila de fundações  poli
Apostila de fundações poli
Matheus Adam da Silva
 
Parcelamento do solo
Parcelamento do soloParcelamento do solo
Parcelamento do solo
Flavio Meireles
 
Características físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solosCaracterísticas físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solos
Jadson Belem de Moura
 
Planeta Terra
Planeta TerraPlaneta Terra
Planeta Terra
tiago.ufc
 
Aplicação de geologia na elaboração de barragens
Aplicação de geologia na elaboração de barragensAplicação de geologia na elaboração de barragens
Aplicação de geologia na elaboração de barragens
Douglas Gozzo
 
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdfFot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Marcelo de Lima Beloni
 
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Jadson Belem de Moura
 
Solos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No MundoSolos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No Mundo
ProfMario De Mori
 
Engenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliarios
Engenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliariosEngenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliarios
Engenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliarios
Unichristus Centro Universitário
 
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Unichristus Centro Universitário
 
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANAO RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
Thiago Morəno
 

Destaque (20)

Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Engenharia civil
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Aula 01 unip_-resumo Mec Solos
Aula 01 unip_-resumo Mec SolosAula 01 unip_-resumo Mec Solos
Aula 01 unip_-resumo Mec Solos
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
 
Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7
 
Ocupação dos solos e riscos ambientais
Ocupação dos solos e riscos ambientaisOcupação dos solos e riscos ambientais
Ocupação dos solos e riscos ambientais
 
Classificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasilClassificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasil
 
Aula3 fundacoes
Aula3 fundacoesAula3 fundacoes
Aula3 fundacoes
 
As grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundoAs grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundo
 
Apostila de fundações poli
Apostila de fundações  poliApostila de fundações  poli
Apostila de fundações poli
 
Parcelamento do solo
Parcelamento do soloParcelamento do solo
Parcelamento do solo
 
Características físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solosCaracterísticas físicas gerais dos solos
Características físicas gerais dos solos
 
Planeta Terra
Planeta TerraPlaneta Terra
Planeta Terra
 
Aplicação de geologia na elaboração de barragens
Aplicação de geologia na elaboração de barragensAplicação de geologia na elaboração de barragens
Aplicação de geologia na elaboração de barragens
 
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdfFot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
Fot 2873lista exeucicios_mec_solos_i_ufv_paut_01_pdf
 
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
 
Solos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No MundoSolos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No Mundo
 
Engenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliarios
Engenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliariosEngenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliarios
Engenharia civil e sustentabilidade nos empreendimentos imobiliarios
 
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
 
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANAO RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
O RUÍDO NO SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA
 

Último

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 

Último (7)

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 

ECOLOPAVI

  • 1. Estabilização Química de Solos para fins de pavimentação Urbana e Rodoviária Construção da base de solo quimicamente estabilizado para pavimentação asfáltica de um trecho da Avenida Sete de Maio, em Manaus. Solo natural – CBR 17% - Solo Estabilizado – CBR 117% do proctor intermediário. Espessura da base: 20cm INSTITUTO IDESA AMAZÔNIA Rua Tapajós 13, 2º andar, Centro , CEP 69010-150, Manaus - Amazonas Fones (92) 3347-8339/ (92) 9.8264-8083 (TIM e WhatsApp) – SKYPE – idesaamazonia E-mail – idesa@idesaamazonia.com.br - www.ecolopavi.com.br
  • 2. O processo de estabilização do solo: Primeira fase: Disposição do estoque do Estabilizante Ecolopavi Incorporação do reagente, cimento portland, ao solo. (2% em relação ao peso do solo a ser tratado). Homogeneização com trator com grade de discos. Obra construída pela empresa Construtora Pampulha da Amazônia para a Prefeitura de Manaus Sob a Responsabilidade Técnica do Engº Civil ALEXANDRE LAGES www.ecolopavi.com.br
  • 3. Segunda fase: Lançamento à mistura solo/reagente, do Estabilizante ECOLOPAVI, diluído em água, com caminhão pipa e um novo gradeamento para homogeneizar a mistura completa: solo/reagente/estabilizante Um caminhão pipa contendo o Estabilizante ECOLOPAVI diluído em água, lança esta solução ao solo já misturado com o reagente, cimento a 2% em relação ao peso do solo Um novo gradeamento para homogeneizar a mistura completa: solo/reagente/estabilizante. Preparando a camada para a compactação. O objetivo é resultar em uma base impermeável e resistente: CBR de 177% www.ecolopavi.com.br
  • 4. Terceira fase: Uma patrol prepara a camada e um rolo compressor pé-de- carneiro é passado 10 vezes sobre a camada para resultar em uma compactação perfeita e com o CBR desejado de 117%, conforme ensaios prévios em laboratório Uma motoniveladora prepara a camada para receber a compactação Rolo compressor pé-de-carneiro é passado 10 vezes sobre a camada para resultar em um CBR de 177%, conforme ensaios de laboratório www.ecolopavi.com.br
  • 5. Quarta Fase: Uma motoniveladora regulariza a superfície para receber uma camada de asfalto. Base impermeável, resistente com CBR de 177%. www.ecolopavi.com.br
  • 6. Conclusão da construção da base: Este filme mostra na prática a sequência de operações detalhadas nos quadros anteriores. A base está pronta para receber uma fina cobertura de asfalto. Eis aqui a grande economia no custo final da obra. www.ecolopavi.com.br
  • 7. O Asfaltamento do trecho que foi tratado com solo estabilizado
  • 8. Uma cópia dos ensaios geotécnicos elaborados pela empresa CONCRESONDA de propriedade do Professor, Engº PAULO YOPI, da Universidade Federal do Amazonas- UFAM. Pavimentação concluída com uma Capa selante com espessura de 2cm de asfalto do tipo AAUQ. Manaus, novembro de 2005 www.ecolopavi.com.br
  • 9. Avenida Sete de Maio, bairro Santa Etelvina – Manaus - AM 10 anos depois www.ecolopavi.com.br
  • 10. Avenida Sete de Maio, bairro Santa Etelvina – Manaus - AM 10 anos depois www.ecolopavi.com.br