SlideShare uma empresa Scribd logo
CONCRETO: PROPRIEDADES
DAVID GRUBBA
Foto:	
  Elaboração	
  Própria
CONCRETO
FRESCO
CONCRETO	
  FRESCO3
Concreto	
  fresco	
  é	
  aquele	
  
que	
  está	
  completamente	
  
misturado	
  e	
  que	
  ainda	
  se	
  
encontra	
  em	
  estado	
  
plástico,	
  capaz	
  de	
  ser	
  
adensado	
  por	
  um	
  
método	
  escolhido	
  (NBR	
  
12.655)
4
Trabalhabilidade é
a facilidade e
homogeneidade
com que o
concreto fresco
pode ser
manipulado desde
a mistura até o
acabamento.
TRABALHABILIDADE
Tipo de construção
Método de lançamento
Método de adensamento
Volume de concreto
Taxa de armadura
Vária Com
O	
  concreto	
  passa	
  facilmente	
  pela	
  armadura
5
E	
  agora,	
  será	
  que	
  o	
  concreto	
  passa	
  fácil?
6
DIFICULDADE:	
  ARMADURA	
  DENSA
7
Fonte:	
  Revista	
  Concreto	
  e	
  Construção	
  N.	
  54	
  (2010)
Falha	
  de	
  adensamento
(bicheira	
  ou	
  broca)
8
CONCRETO	
  MANUAL
TRABALHABILIDADE:
9
CONCRETO	
  MANUAL
TRABALHABILIDADE:
10
CONCRETO	
  BOMBEADO
TRABALHABILIDADE:
11
CONCRETO	
  AUTO	
  ADENSÁVEL12
TRABALHABILIDADE:
CONCRETO	
  PROJETADO 13
TRABALHABILIDADE:
CCR – Concreto Compactado com Rolo
14
TRABALHABILIDADE:
TRABALHABILIDADE
Consumo	
  de	
  água
Consumo	
  de	
  
cimento
AgregadosAditivos
Fatores	
  do	
  traço	
  que	
  afetam	
  a	
  trabalhabilidade	
  do	
  concreto
15
SLUMP TEST
ENSAIO	
  DE	
  ABATIMENTO	
  	
  
DO	
  TRONCO	
  CONE
Execução do Ensaio
Retirar	
  
lentamente,	
  
na	
  vertical
3	
  camadas;	
  
adensamento	
  25	
  
golpes	
  por	
  camada
Resultado:	
  
Diferença	
  de	
  
altura
SLUMP TEST
Resultado
do ensaio
Ensaio de Abatimento do
Tronco Cone, também
chamado de Slump Test.
Resultado: diferença de
altura antes e após o
ensaio
Foto:	
  Elaboração	
  própria
20	
  mm
H	
  =	
  30	
  cm
Relação
A/C
Baixa
Foto:	
  Elaboração	
  própria
Relação
A/C
Muito Alta
Foto:	
  Elaboração	
  própria
Abatimento
220 mm O excesso de
água facilitou a
segregação do
concreto
Foto:	
  Elaboração	
  própria
O ensaio de slump test
é utilizado no aceite do
concreto usinado
Toda vez que chega
um caminhão
betoneira, deve-se
realizar o ensaio
Foto:	
  Elaboração	
  própria
SLUMP FLOW
ENSAIO	
  DE	
  ESPALHAMENTO
24
Slump Flow: variação do
ensaio de Slump Test
Resultado: medida do
diâmetro
Finalidade: avaliar a
trabalhabilidade de
concretos auto adensáveis
Resultado
do ensaio
Foto:	
  Sika
CONCRETO:
ENDURECIDO
CONCRETO	
  ENDURECIDO 26
CONCRETO: ENDURECIDO
	
   Todas	
  essas	
  características,	
  melhoram	
  sensivelmente	
  com	
  o	
  	
  uso	
  
adequado	
  da	
  relação	
  água/cimento.
Resistência Durabilidade
ImpermeabilidadeAparência
O	
  concreto	
  depois	
  de	
  endurecido	
  deve	
  possuir	
  as	
  seguintes	
  características:	
  
27
Qual	
  a	
  PRINCIPAL	
  
Propriedade
do concreto
ENDURECIDO ? 28
RESISTÊNCIA À
COMPRESSÃO
MOLDAGEM
MOLDAGEM	
  DOS	
  CORPOS	
  DE	
  PROVA
31
Retirada de
Amostra do
Concreto
Quando o concreto é
recebido na obra, são
moldados CORPOS DE
PROVA para realizar
ensaios de resistência e
verificar se o material
atendeu ao especificado
no projeto.
Foto:	
  Elaboração	
  própria
20cm
10 10
Relação
(H = 2d)
A altura do CP
deve ser igual
ao dobro do
diâmetro
Foto:	
  Elaboração	
  própria
10	
  cm
20	
  cm
33
12 golpes por
camada
( 2 camadas )
A forma de
adensamento varia
com o tamanho do
corpo de prova.
Foto:	
  Elaboração	
  própria
34
Identificação
dos corpos
de prova
Foto:	
  Elaboração	
  própria
CURA
24 após a moldagem,
deve-se iniciar a cura
(em tanque ou em
câmara úmida) dos
corpos de prova. A cura
deve prosseguir até o
momento da ruptura
Foto:	
  Elaboração	
  própria
RUPTURA
APLICAÇÃO	
  DE	
  FORÇA	
  
CRESCENTE	
  ATÉ	
  A	
  RUPTURA
Exemplo	
  de	
  Prensa
Medida	
  de	
  
Força	
  em:	
  	
  
Tonelada	
  	
  
Força
38
EX. CÁLCULO
CORPO	
  DE	
  PROVA	
  DE	
  10	
  X20	
  cm
10	
  cm
Diâmetro	
  do	
  CP	
  =	
  10	
  cm	
  	
  
(raio	
  =	
  5	
  cm)	
  
Área	
  da	
  seção	
  do	
  
CP	
  de	
  10	
  x	
  20	
  cm
Foto:	
  Elaboração	
  própria
Força	
  de	
  Ruptura	
  em:	
  17,91	
  
tf	
  (tonelada	
  força)	
  	
  =	
  
17.910	
  kgf
41
Foto:	
  Elaboração	
  própria
17.910	
  kgf	
  /	
  78,5	
  cm2	
  	
  
=	
  228	
  kgf/cm2	
  
=	
  22,8	
  MPa
1	
  MPa	
  ≣	
  10	
  kgf/cm2
RESISTÊNCIA X A/C
O	
  QUE	
  ACONTECE	
  
QUANDO	
  A	
  RELAÇÃO	
  
A/C É ALTA
?43
RELAÇÃO	
  ÁGUA/CIMENTO
Quanto MAIOR a relação
água/cimento (A/C),
MENOR será a
resistência
44
Curva de Abrams
Foto:	
  Elaboração	
  própria
Exemplo
46
A/C = 0,6
1 semana Foto:	
  Elaboração	
  própria
47
A/C = 0,6
1 semana Foto:	
  Elaboração	
  própria
48
A/C = 0,75
Foto:	
  Elaboração	
  própria
49
A/C = 0,75
1 semana Foto:	
  Elaboração	
  própria
Aumentando a
relação A/C de 0,5
para 0,75, a
resistência caiu
cerca de 2/3
50
RESISTÊNCIA X TEMPO
Fonte:	
  Building	
  Construction:	
  Principles,	
  Mateals	
  and	
  Systems	
  
52
Resistência x Tempo
Qual	
  é	
  a	
  idade	
  que	
  
usamos	
  para	
  	
  
classificar o
concreto ? 53
28 dias
54
Será	
  que	
  a	
  média	
  dos	
  
corpos	
  de	
  prova	
  é	
  um	
  
bom	
  indicativo	
  
da qualidade
do concreto
? 55
Será	
  que	
  a	
  média	
  é	
  uma	
  boa	
  medida	
  para	
  saber	
  se	
  a	
  resistência	
  do	
  
concreto	
  aos	
  28	
  dias	
  atendeu	
  ao	
  especificado	
  no	
  projeto	
  estrutural?
56
Para	
  avaliar	
  a	
  resistência	
  do	
  concreto	
  usado	
  para	
  construção	
  
de	
  uma	
  estrutura,	
  foram	
  rompidos	
  vários	
  corpos	
  de	
  prova
57
35	
  MPa
40	
  MPa
33	
  MPa
20	
  MPa
8	
  MPa
18	
  MPa
17	
  MPa
30	
  MPa
30	
  MPa
Resistência	
  pedida	
  =	
  25	
  MPa Média	
  alcançada	
  =	
  25,6	
  MPa
58
35	
  MPa
40	
  MPa
33	
  MPa
20	
  MPa
8	
  MPa
18	
  MPa
17	
  MPa
30	
  MPa
30	
  MPa
Resistência	
  pedida	
  =	
  25	
  MPa Média	
  alcançada	
  =	
  25,6	
  MPa
A estrutura está ok?
59
35	
  MPa
40	
  MPa
33	
  MPa
20	
  MPa
8	
  MPa
18	
  MPa
17	
  MPa
30	
  MPa
30	
  MPa
Resistência	
  pedida	
  =	
  25	
  MPa Média	
  alcançada	
  =	
  25,6	
  MPa
44% dos	
  CPs	
  
não	
  passaram
Grande parte da
estrutura está em perigo
60
35	
  MPa
40	
  MPa
33	
  MPa
20	
  MPa
8	
  MPa
18	
  MPa
17	
  MPa
30	
  MPa
30	
  MPa
Resistência	
  pedida	
  =	
  25	
  MPa Média	
  alcançada	
  =	
  25,6	
  MPa
44% dos	
  CPs	
  
não	
  passaram
A média não é um bom
Parâmetro de análise
61
A média não é um bom
parâmetro de análise
Como	
  avaliar	
  então	
  a	
  	
  
qualidade do
concreto
? 62
fck
Fck	
  Fck	
  é	
  a	
  resistência	
  característica	
  do	
  concreto.	
  Significa	
  que	
  95%	
  das	
  
amostras	
  devem	
  apresentar	
  um	
  valor	
  igual	
  ou	
  superior	
  ao	
  
especificado.
64
65
Carga	
  (Força)
Área
Fck	
  do	
  concreto	
  
(Resistência)
Para determinar as áreas
dos elementos estruturais,
o engenheiro:
- calcula as forças que a
estrutura estará sujeita
- define o fck do concreto
Para	
  que	
  95%	
  das	
  amostras	
  
de	
  concreto	
  da	
  obra	
  
ultrapassem	
  o	
  fck,	
  	
  
qual o valor
temos que dosar
o concreto para
garantir isso
? 66
Cálculo da Resistência de Dosagem
67
Resistência	
  	
  
de	
  dosagem
Desvio	
  padrão	
  	
  
da	
  produção	
  do	
  
concreto
fcm =fck + 1,65 x sd
Resistência	
  	
  
característica
1,65	
  x	
  Sd
95	
  corpos de prova (Resistência ≥ fck)
fck
fcm
46
	
  MPa
43
MPa
40
	
  MPa
49
MPa
52
MPa
5	
  corpos de prova (Resistência < fck)
Para garantir o fck com
95% de confiança é
preciso majorar a
resistência média de
dosagem (fcm) em função
do desvio padrão da
produção do concreto (sd)
Fck	
  	
  
(Resistência
Característica
do concreto aos
28 dias de
idade)
Exemplo: Rompimento
de 100 corpos de prova
Fonte:	
  Elaboração	
  própria
fcm = fck+1,65 x sd
Cálculo da Resistência de Dosagem
69
25	
  MPa 4	
  MPa31,6	
  MPa
6	
  MPa34,9	
  MPa
Exemplo
25	
  MPa
fcm = fck + 1,65 x sd
Fim…

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aulas de concreto armado
Aulas de concreto armadoAulas de concreto armado
Aulas de concreto armado
Luciana Paixão Arquitetura
 
Concreto armado 1
Concreto armado 1Concreto armado 1
Concreto armado 1
Timóteo Rocha
 
Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1
Marcus Gonçalves
 
Concreto: Execução
Concreto: ExecuçãoConcreto: Execução
Concreto: Execução
David Grubba
 
agregados
agregados agregados
agregados
Paulo Cabral
 
Dosagem do concreto
Dosagem do concretoDosagem do concreto
Dosagem do concreto
Andre Amaral
 
Aula 06 cimento
Aula 06  cimentoAula 06  cimento
Aula 06 cimento
Maria Izala
 
concreto e argamassas
concreto e argamassasconcreto e argamassas
concreto e argamassas
fbnseabra
 
Agregados
AgregadosAgregados
Agregados
David Grubba
 
Lajes
LajesLajes
Fundações diretas rasas
Fundações diretas rasasFundações diretas rasas
Fundações diretas rasas
Ivandete de Oliveira
 
Ensaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-provaEnsaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-prova
Luiz Orro de Freitas
 
Slides
SlidesSlides
Nbr 13279 2005
Nbr 13279 2005Nbr 13279 2005
Relatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidadeRelatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidade
Rayllane Santos
 
Produção do concreto
Produção do concreto Produção do concreto
Produção do concreto
Anderson Carvalho
 
Fundações 01
Fundações 01Fundações 01
Fundações 01
dmr2403
 
5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes
Andreia Santiago
 
Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)
Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)
Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)
David Grubba
 
4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas
4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas
4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas
profNICODEMOS
 

Mais procurados (20)

Aulas de concreto armado
Aulas de concreto armadoAulas de concreto armado
Aulas de concreto armado
 
Concreto armado 1
Concreto armado 1Concreto armado 1
Concreto armado 1
 
Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1
 
Concreto: Execução
Concreto: ExecuçãoConcreto: Execução
Concreto: Execução
 
agregados
agregados agregados
agregados
 
Dosagem do concreto
Dosagem do concretoDosagem do concreto
Dosagem do concreto
 
Aula 06 cimento
Aula 06  cimentoAula 06  cimento
Aula 06 cimento
 
concreto e argamassas
concreto e argamassasconcreto e argamassas
concreto e argamassas
 
Agregados
AgregadosAgregados
Agregados
 
Lajes
LajesLajes
Lajes
 
Fundações diretas rasas
Fundações diretas rasasFundações diretas rasas
Fundações diretas rasas
 
Ensaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-provaEnsaio de compressão de corpos de-prova
Ensaio de compressão de corpos de-prova
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Nbr 13279 2005
Nbr 13279 2005Nbr 13279 2005
Nbr 13279 2005
 
Relatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidadeRelatorio de plasticidade
Relatorio de plasticidade
 
Produção do concreto
Produção do concreto Produção do concreto
Produção do concreto
 
Fundações 01
Fundações 01Fundações 01
Fundações 01
 
5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes
 
Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)
Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)
Aglomerantes (argila, asfalto, cal e gesso)
 
4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas
4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas
4º lista de exercício avaliativo sobre argamassas
 

Destaque

Dosagem do concreto matec
Dosagem do concreto   matecDosagem do concreto   matec
Dosagem do concreto matec
Carlos Elson Cunha
 
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunettiResolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Argélio Paniago
 
Hidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicioHidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicio
Carlos Elson Cunha
 
Relacão água e cimento materiais de construção
Relacão água e cimento   materiais de construçãoRelacão água e cimento   materiais de construção
Relacão água e cimento materiais de construção
Andre Amaral
 
Conceitos Básicos - Materiais de Construção
Conceitos Básicos - Materiais de ConstruçãoConceitos Básicos - Materiais de Construção
Conceitos Básicos - Materiais de Construção
David Grubba
 
4 cinematica dos fluidos exercícios
4 cinematica dos fluidos exercícios4 cinematica dos fluidos exercícios
4 cinematica dos fluidos exercícios
Nathalia Salomao Damiao
 
Exercicios resolvidos
Exercicios resolvidosExercicios resolvidos
Exercicios resolvidos
Tiesco
 
Resolução do capítulo 1 brunetti[1]
Resolução do capítulo 1   brunetti[1]Resolução do capítulo 1   brunetti[1]
Resolução do capítulo 1 brunetti[1]
Ídilla Kaenna
 
Doutores da construcao hidraúlica
Doutores da construcao hidraúlicaDoutores da construcao hidraúlica
Doutores da construcao hidraúlica
Alexandre Moreno
 

Destaque (9)

Dosagem do concreto matec
Dosagem do concreto   matecDosagem do concreto   matec
Dosagem do concreto matec
 
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunettiResolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
 
Hidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicioHidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicio
 
Relacão água e cimento materiais de construção
Relacão água e cimento   materiais de construçãoRelacão água e cimento   materiais de construção
Relacão água e cimento materiais de construção
 
Conceitos Básicos - Materiais de Construção
Conceitos Básicos - Materiais de ConstruçãoConceitos Básicos - Materiais de Construção
Conceitos Básicos - Materiais de Construção
 
4 cinematica dos fluidos exercícios
4 cinematica dos fluidos exercícios4 cinematica dos fluidos exercícios
4 cinematica dos fluidos exercícios
 
Exercicios resolvidos
Exercicios resolvidosExercicios resolvidos
Exercicios resolvidos
 
Resolução do capítulo 1 brunetti[1]
Resolução do capítulo 1   brunetti[1]Resolução do capítulo 1   brunetti[1]
Resolução do capítulo 1 brunetti[1]
 
Doutores da construcao hidraúlica
Doutores da construcao hidraúlicaDoutores da construcao hidraúlica
Doutores da construcao hidraúlica
 

Semelhante a Propriedades do Concreto - Materiais de Construção

Concreto i aula 01 - rev. 01
Concreto i   aula 01 - rev. 01Concreto i   aula 01 - rev. 01
Concreto i aula 01 - rev. 01
Nelson Alves
 
Resistência
ResistênciaResistência
Resistência
Barto Freitas
 
Resistência
ResistênciaResistência
Resistência
Barto Freitas
 
Conc11
Conc11Conc11
Conc11
Silvio Veras
 
Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01
Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01
Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01
Wagner Luiz Alves da Silva
 
relatorio_slump_test.doc
relatorio_slump_test.docrelatorio_slump_test.doc
relatorio_slump_test.doc
Keila Kotaira
 
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydioConcrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
Egydio Hervé Neto
 
Dosagem do concreto_g2
Dosagem do concreto_g2Dosagem do concreto_g2
Dosagem do concreto_g2
Bosco oliveira
 
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydioConcrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
Egydio Hervé Neto
 
Concreto de alto desempenho, CAD
Concreto de alto desempenho, CADConcreto de alto desempenho, CAD
Concreto de alto desempenho, CAD
Anderson Carvalho
 
Ct+cp rodolfo
Ct+cp rodolfoCt+cp rodolfo
Ct+cp rodolfo
thorengcivil
 
Conservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEX
Conservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEXConservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEX
Conservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEX
Texiglass
 
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
AntonioJhennysonSouz1
 
Notas de aula_de_concreto_i
Notas de aula_de_concreto_iNotas de aula_de_concreto_i
Notas de aula_de_concreto_i
MarianaDias735764
 
Metodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentaçãoMetodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentação
Wagner Ferreira
 
Comport termico concreto
Comport termico concretoComport termico concreto
Comport termico concreto
LOUISTELSON MOREIRA∴
 
Propriedades do concreto armado
Propriedades do concreto armadoPropriedades do concreto armado
Propriedades do concreto armado
Ana Luisa Tavares Torres
 
AULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdf
AULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdfAULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdf
AULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdf
eduardomtoledo
 
Cimento
CimentoCimento
Cimento
DiogoMoura42
 
Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...
Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...
Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...
Adriana de Araujo
 

Semelhante a Propriedades do Concreto - Materiais de Construção (20)

Concreto i aula 01 - rev. 01
Concreto i   aula 01 - rev. 01Concreto i   aula 01 - rev. 01
Concreto i aula 01 - rev. 01
 
Resistência
ResistênciaResistência
Resistência
 
Resistência
ResistênciaResistência
Resistência
 
Conc11
Conc11Conc11
Conc11
 
Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01
Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01
Aula1concretomatec 120507165933-phpapp01
 
relatorio_slump_test.doc
relatorio_slump_test.docrelatorio_slump_test.doc
relatorio_slump_test.doc
 
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydioConcrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
 
Dosagem do concreto_g2
Dosagem do concreto_g2Dosagem do concreto_g2
Dosagem do concreto_g2
 
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydioConcrete show 2015 apresentacaoegydio
Concrete show 2015 apresentacaoegydio
 
Concreto de alto desempenho, CAD
Concreto de alto desempenho, CADConcreto de alto desempenho, CAD
Concreto de alto desempenho, CAD
 
Ct+cp rodolfo
Ct+cp rodolfoCt+cp rodolfo
Ct+cp rodolfo
 
Conservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEX
Conservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEXConservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEX
Conservação de rodovias com Grelhas de Fibra de Vidro CIDEX
 
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
 
Notas de aula_de_concreto_i
Notas de aula_de_concreto_iNotas de aula_de_concreto_i
Notas de aula_de_concreto_i
 
Metodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentaçãoMetodo ipt apresentação
Metodo ipt apresentação
 
Comport termico concreto
Comport termico concretoComport termico concreto
Comport termico concreto
 
Propriedades do concreto armado
Propriedades do concreto armadoPropriedades do concreto armado
Propriedades do concreto armado
 
AULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdf
AULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdfAULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdf
AULA 1 - FUNDAMENTOS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO.pdf
 
Cimento
CimentoCimento
Cimento
 
Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...
Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...
Metodologia de seleção de vernizes na proteção ao concreto armado contra a pe...
 

Último

Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de PosicionamentoIntrodução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
GeraldoGouveia2
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
RodrigoQuintilianode1
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
marcosmpereira
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Sandro Marques Solidario
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
Consultoria Acadêmica
 
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.docAnálise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
cristiano docarmo
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
Consultoria Acadêmica
 
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificaçãoEstruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
caduelaia
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
bentosst
 
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 

Último (11)

Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de PosicionamentoIntrodução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
 
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.docAnálise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
 
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificaçãoEstruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
 
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
 

Propriedades do Concreto - Materiais de Construção