SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
DICAS PARA O ENEM E 
OUTROS VESTIBULARES 
Revisão através de exercícios.
Linguagem 
Verbal e não 
verbal 
Alternativa e 
Um novo levantamento do IBGE mostra que o número de casamentos entre pessoas na 
faixa dos 60 anos cresce, desde 2003, a um ritmo 60% maior que o observado na 
população brasileira como um todo... 
Os gráficos expõem dados estatísticos por meio de linguagem verbal e não verbal. 
No texto, o uso desse recurso 
A) exemplifica o aumento da expectativa de vida da população. 
B) explica o crescimento da confiança na Instituição do casamento. 
C) mostra que a população brasileira aumentou nos últimos cinco anos. 
D) indica que as taxas de casamento e emprego cresceram na mesma proporção. 
E) sintetiza o crescente número de casamentos e de ocupação no mercado de 
trabalho.
Artes como 
linguagem 
A literatura e sua 
compreensão estão 
ligados ao momento 
histórico e às escolas 
literárias. 
Alternativa b 
Nessa estranha dignidade e nesse abandono, o objeto foi exaltado de maneira ilimitada e 
ganhou um significado que se pode considerar mágico. Daí sua “vida inquietante e 
absurda”. Tornou-se ídolo e, ao mesmo tempo, objeto de zombaria. Sua realidade 
intrínseca foi anulada. 
JAFFÉ, A. O simbolismo nas artes plásticas. In: JUNG, C. G. (org.). O homem e os 
seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008. 
A relação observada entre a imagem e o texto apresentados permite o entendimento da 
intenção de um artista contemporâneo. Neste caso, a obra apresenta características 
A) figurativas e de representação do cotidiano 
B) abstracionistas e de releitura do objeto. 
C) funcionais e de sofisticação decorativa. 
D) construtivistas e de estruturas modulares. 
E) futuristas e do abstrato geométrico.
Argumento 
Usar de argumentos; 
discutir apresentando e 
contrapondo razões 
que, através do 
raciocínio lógico, levem 
a uma conclusão. 
Alternativa e 
O sociólogo espanhol Manuel Castells sustenta que a comunicação de valores e a 
mobilização em torno do sentido são fundamentais. Os movimentos culturais (entendidos 
como movimentos que têm como objetivo defender ou propor modos próprios de vida e 
sentido) constroem-se em torno de sistemas de comunicação – essencialmente a internet e os 
meios de comunicação – porque esta é a principal via que esses movimentos encontram para 
chegar àquelas pessoas que podem eventualmente partilhar os seus valores, e a partir daqui 
atuar na consciência da sociedade no seu conjunto”. 
Disponível em: www.compolitica.org. Acesso em: 2 mar. 2012 (adaptado). 
Em 2011, após uma forte mobilização popular via redes sociais, houve a queda do governo 
de Hosni Mubarak no Egito. Esse evento ratifica o argumento de que 
A) a internet atribui verdadeiros valores culturais aos seus usuários. 
B) a consciência das sociedades foi estabelecida com o advento da internet. 
C) a revolução tecnológica tem como principal objetivo a deposição de governantes 
antidemocráticos. 
D) os recursos tecnológicos estão a serviço dos opressores e do fortalecimento de suas 
práticas políticas. 
E) os sistemas de comunicação são mecanismos importantes, de adesão e 
compartilhamento de valores sociais.
Marcas 
linguísticas 
Formal – linguagem 
culta. 
Informal – linguagem do 
dia a dia. 
Alternativa d 
Futebol: “A rebeldia é que muda o mundo” 
Conheça a história de Afonsinho, o primeiro jogador do futebol brasileiro a derrotar a 
cartolagem e a conquistar o Passe Livre, há exatos 40 anos 
Pelé estava se aposentando pra valer pela primeira vez, então com a camisa do Santos 
(porque depois voltaria a atuar pelo New York Cosmos, dos Estados Unidos), em 1972, quando 
foi questionado se, finalmente, sentia-se um homem livre. O Rei respondeu sem titubear: 
— Homem livre no futebol só conheço um: o Afonsinho. Este sim pode dizer, usando as 
suas palavras, que deu o grito de independência ou morte. Ninguém mais. O resto é conversa. 
Apesar de suas declarações serem motivo de chacota por parte da mídia futebolística e 
até dos torcedores brasileiros, o Atleta do Século acertou. E provavelmente acertaria 
novamente hoje. 
Pela admiração por um de seus colegas de clube daquele ano. Pelo reconhecimento do 
caráter e personalidade de um dos jogadores mais contestadores do futebol nacional. E 
principalmente em razão da história de luta – e vitória – de Afonsinho sobre os 
cartolas. ANDREUCCI, R. Disponível em: http://carosamigos.terra.com.br. Acesso em: 19 ago 
2011. 
O autor utiliza marcas linguísticas que dão ao texto um caráter informal. Uma dessas marcas 
é identificada em: 
A) “[...] o Atleta do Século acertou.” 
B) “O Rei respondeu sem titubear [...]”. 
C) “E provavelmente acertaria novamente hoje.” 
D) “Pelé estava se aposentando pra valer pela primeira vez [...]”. 
E) “Pela admiração por um de seus colegas de clube daquele ano.”
Linguagem 
Oral 
A linguagem oral 
muitas vezes se 
apresenta diferente da 
linguagem escrita. 
Alternativa e 
As diferentes esferas sociais de uso da língua obrigam o falante a adaptá-la às variadas 
situações de comunicação. Uma das marcas linguísticas que configuram a linguagem 
oral informal usada entre avô e neto neste texto é 
A) o uso da contração “desse” em lugar da expressão “de esse”. 
B) a opção pelo emprego da forma verbal “era” em lugar de “foi”. 
C) a utilização do pronome “que” em início de frase Exclamativa. 
D) a ausência de artigo antes da palavra “árvore”. 
E) o emprego da redução “tá” em lugar da forma verbal “está”.
Pode ser 
uma maneira 
de começar 
sua redação : 
Usa –se uma definição 
e contrapõe a ideia 
utilizando o “mas”. 
Alternativa e 
A gentileza é algo difícil de ser ensinado e vai muito além da palavra educação. Ela 
é difícil de ser encontrada, mas fácil de ser identificada, e acompanha pessoas generosas 
e desprendidas, que se interessam em contribuir para o bem do outro e da sociedade. É 
uma atitude desobrigada, que se manifesta nas situações cotidianas e das maneiras mais 
prosaicas. 
SIMURRO, S. A. B. Ser gentil é ser saudável. Disponível: em 
http://www.abqv.org.br. Acesso em: 22 jun. 2006 (adaptado). 
No texto, menciona-se que a gentileza extrapola as regras de boa educação. A 
argumentação construída 
A) descreve condições para a ocorrência de atitudes Educadas 
B) enumera fatos sucessivos em uma relação temporal. 
C) Indica a finalidade pela qual a gentileza pode ser praticada 
D) apresenta fatos que estabelecem entre si relações de causa e de consequência 
E) mostra oposição e acrescenta ideias
Estar atento 
aos verbos de 
comando 
Questionar 
Influenciar 
Definir 
Facilitar 
Defender 
Função conativa da 
linguagem. 
Alternativa b 
Ao circularem socialmente, os textos realizam-se como práticas de linguagem, 
assumindo configurações específicas, formais e de conteúdo. Considerando o contexto 
em que circula o texto publicitário, seu objetivo básico é 
A) questionar o fato de o homem ser mais inteligente que a máquina, mesmo a mais 
moderna. 
B) influenciar o comportamento do leitor, por meio de apelos que visam à adesão ao 
consumo 
C) definir regras de comportamento social pautadas no combate ao consumismo 
exagerado. 
D) facilitar o uso de equipamentos de informática pelas classes sociais 
economicamente desfavorecidas. 
E) defender a importância do conhecimento de informática pela população de baixo 
poder aquisitivo.
Redação: 
Básico: 
•Nomes próprios com letras 
maiúsculas 
• Acentuação 
• Ortografia 
• Concordância verbal e 
nominal 
•Sem repetição de ideias 
Partes da redação 
Introdução 
Desenvolvimento 
2º 
3º parágrafos 
4º 
Conclusão
Vamos comparar: 
• A dissertação, que pode ser expositiva ou argumentativa, 
é o gênero textual mais solicitado em vestibulares porque 
permite à banca avaliar o candidato a partir de vários 
critérios, como: 
• ◾ capacidade de compreensão do tema e da proposta; 
• ◾ conhecimento da estrutura textual dissertativa; 
• ◾ domínio da norma culta da língua (já que esta é a 
esperada para esse tipo de texto); 
• ◾ nível cultural (necessário para garantir a 
informatividade do texto); 
• ◾ habilidade argumentativa, ou seja, de usar as 
informações selecionadas com o propósito de validar um 
determinado ponto de vista, tornando o texto convincente
Expositiva ou Argumentativa 
• Expositiva: 
É a modalidade textual adequada 
para tratar de informações tidas como 
verdades inquestionáveis e tem o objetivo 
de informar o leitor sobre o máximo de 
aspectos relevantes ligados ao tema. 
• Quando houver itens polêmicos 
nesse tipo de trabalho, caberá ao aluno 
mostrar os dois (ou mais) lados 
divergentes, evitando revelar seu 
posicionamento, uma vez que a 
proposta é expor o máximo de aspectos 
relevantes que encontrou. 
• Argumentativa: 
Dissertação argumentativa vai além 
da exposição organizada das 
informações. Nela o autor apresenta sua 
visão crítica do tema, ou seja, vê o 
assunto como algo polêmico, que gera 
diferentes versões sobre a "verdade" dos 
fatos. 
• Só existe argumentação porque 
há a possibilidade de discordância, 
assim há alguém para ser convencido, 
justificando o trabalho de uma 
argumentação para defender de modo 
convincente um determinado ponto de 
vista. Não há imparcialidade na 
dissertação argumentativa, assim o 
aluno que não se posiciona, que fica 
"em cima do muro", seja por 
insegurança ou por medo de desagradar 
a banca, comete um grave erro.
Como usar a coletânea de textos: 
• A proposta de redação do Enem traz uma coletânea de 
apoio que pode incluir textos, charges, infográficos, figuras, etc. 
Essa coletânea não precisa ser usada somente para reflexão 
sobre o tema ou como inspiração sobre o que escrever. Pelo 
contrário! A cópia, integral ou parcial, dos textos da coletânea 
não é permitida na redação. Porém, não podemos confundir a 
não-cópia com o não-uso dos textos. 
• Texto 1: Qual o objetivo da “Lei Seca ao volante”? Esse texto 
traz a explicação do que é a Lei Seca e as razões que motivaram 
sua criação. Ou seja, é a definição e contextualização do tema 
tratado, sendo muito útil para fazer o parágrafo introdutório da 
dissertação. 
• Figura 1: Campanha do Governo Essa figura mostra ações de 
conscientização já feitas pelo Governo Federal. É útil para a 
argumentação, pois mostra que um dos efeitos da Lei Seca é o 
aumento de campanhas e propagandas que têm como objetivo 
conscientizar as pessoas sobre o perigo de dirigir alcoolizado. 
Figura 2: Lei Seca em Números Podemos arriscar dizer que 
esse infográfico era a parte mais importante da coletânea. Os 
dados das quatro pesquisas apresentadas são úteis para a 
argumentação, pois mostram importantes efeitos da Lei Seca, 
como a diminuição de atendimento hospitalar, vítimas de 
acidente e mortes. Essas porcentagens podem ser relacionadas 
com outros argumentos como a melhoria do atendimento 
hospitalar para outras pessoas em decorrência da diminuição 
das filas de espera que acidentes de trânsito podem ocasionar 
por necessitar de atendimento emergencial. 
• Texto 2: Repulsão magnética a beber e dirigir Esse texto é um 
exemplo de proposta de intervenção pronta! Ele contém, em 
detalhes, a ação que uma agência de comunicação fez para 
conscientizar as pessoas no exato momento da ingestão da 
bebida alcoólica. Caso tivesse dificuldade para criar uma 
proposta de intervenção, o candidato poderia usar esse texto 
como base, propondo ações semelhantes ou a propagação da 
mesma ação em outros bares.
Uso do onde no lugar de conjunções e preposições: .......uma consulta simples em que os médicos 
...ou até mesmo para os governantes sendo que esse dinheiro poderia....
Palavras 
mágicas que 
nos ajudam a 
organizar ideias 
Seu texto pode começar 
com: 
um dado histórico... 
As mulheres 
brasileiras só ganharam o 
direito de votar a partir de 
1832... . 
Uma estatística.... 
Quase 40% dos adultos 
usuários de maconha são 
dependentes...... 
Uma localização 
geográfica..... 
O continente africano 
limita-se, a oeste, pelo 
oceano Atlântico; a leste, 
pelo oceano Índico; ao 
norte, pelo mar 
Mediterrâneo; e a nordeste, 
pelo mar Vermelho.... 
* ELOS DE COESÃO 
Para adicionar : Não só...como também ,não só...mas ainda / Não 
somente...mas também 
Para opor : Mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, não 
obstante, senão 
Para dar causa : Pois , porque, porquanto, como(porque), visto que, já que, 
em virtude de 
Para alternar :Ou, ora... ora / Seja .. seja / Quer.. quer 
Para dar consequências: Portanto, por isso, por consequentemente, por 
conseguinte, em vista disso, diante disso, de sorte que, de modo que, de 
maneira que 
Para fazer concessão : Apesar de, embora, ainda que, se bem que, por mais 
que,por menos que, por melhor que, por muito que, mesmo que 
Para dar continuidade: Além disso, outrossim, com efeito, por outro lado, 
ainda, inclusive, com efeito, realmente, ora, acrescentando que, 
acrescentando-se que, saliente-se ainda que, paralelamente 
Para dar condição : Se, caso, desde que, contando que, a não ser que, salvo 
se 
Para concluir: Portanto, por isso, assim sendo, por conseguinte, 
consequentemente, então, desde modo, dessa maneira, em vista disso, diante 
disso 
Para incluir: Também, inclusive, igualmente, até(= inclusive) / Acrescente-se, 
ainda, o emprego do verbo no gerúndio, desde que não se abuse desde: Ex: 
concluindo, ratificando... 
ARTICULADORES OU MARCADORES TEXTUAIS NOS PARÁGRAFOS 
Para introdução: É realmente possível que... / é certo que... / por causa.../ é 
inegável... / e certo que... / a questão do... vem provocando... / é inegável... / 
pode-se aceitar que... 
Para análise – desenvolvimento: É preciso... em primeiro lugar... / com efeito... 
/ é preciso lembrar-considerar-observar / trata-se inicialmente ... 
Para continuação da análise – desenvolvimento: Não se pode esquecer... / 
observa-se... / paralelamente... / além disso 
Para conclusão: Portanto... / assim... / finalmente... / resumindo... / ratificando... / em suma... / 
dessa forma.../ nesse sentido...
Sites pesquisados: 
• educacao.uol.com.br/ 
• http://mglaucia.blogspot.com.br/ 
• Professora MªGláucia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
jaddy xavier
 
01 o conhecimento
01 o conhecimento01 o conhecimento
01 o conhecimento
Joao Balbi
 
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva MuñozApresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
denisecgomes
 

Mais procurados (20)

Como fazer um trabalho escrito
Como fazer um trabalho escritoComo fazer um trabalho escrito
Como fazer um trabalho escrito
 
Técnicas para criação de slides
Técnicas para criação de slides Técnicas para criação de slides
Técnicas para criação de slides
 
Modelo de relatorio
Modelo de relatorioModelo de relatorio
Modelo de relatorio
 
Linguagem
LinguagemLinguagem
Linguagem
 
Princípios da Conferência de Estocolmo
Princípios da Conferência de EstocolmoPrincípios da Conferência de Estocolmo
Princípios da Conferência de Estocolmo
 
Recrutamento (Métodos e Suas Fontes)
Recrutamento (Métodos e Suas Fontes)Recrutamento (Métodos e Suas Fontes)
Recrutamento (Métodos e Suas Fontes)
 
Planejamento de rh
Planejamento de rhPlanejamento de rh
Planejamento de rh
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
 
Aula 01 - Inovação e Criaitividade
Aula 01 - Inovação e CriaitividadeAula 01 - Inovação e Criaitividade
Aula 01 - Inovação e Criaitividade
 
Roteiro interdisciplinar ens fundamental educação financeira
Roteiro interdisciplinar ens fundamental educação financeiraRoteiro interdisciplinar ens fundamental educação financeira
Roteiro interdisciplinar ens fundamental educação financeira
 
Educação politécnica
Educação politécnicaEducação politécnica
Educação politécnica
 
Redação científica
Redação científicaRedação científica
Redação científica
 
Slide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientificoSlide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientifico
 
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica   Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
A logica da pesquisa científica - Apresentação Disciplina de Epstemologia - T...
A logica da pesquisa científica - Apresentação Disciplina de Epstemologia - T...A logica da pesquisa científica - Apresentação Disciplina de Epstemologia - T...
A logica da pesquisa científica - Apresentação Disciplina de Epstemologia - T...
 
01 o conhecimento
01 o conhecimento01 o conhecimento
01 o conhecimento
 
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva MuñozApresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
 
Joseph Schumpeter - Inovação e Desenvolvimento Tecnológico
Joseph Schumpeter - Inovação e Desenvolvimento TecnológicoJoseph Schumpeter - Inovação e Desenvolvimento Tecnológico
Joseph Schumpeter - Inovação e Desenvolvimento Tecnológico
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 

Destaque

Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda BragaCurso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
ProfFernandaBraga
 
Slides dissertação
Slides dissertaçãoSlides dissertação
Slides dissertação
Eloy Souza
 
Enem redação
Enem  redaçãoEnem  redação
Enem redação
fafaluz
 
Slide enem – habilidades e competências
Slide   enem – habilidades e competênciasSlide   enem – habilidades e competências
Slide enem – habilidades e competências
Luciene Moreira
 
Plano de aula dissertação
Plano de aula   dissertaçãoPlano de aula   dissertação
Plano de aula dissertação
portalredacao
 
Projeto Enem Português (Aula 04)
Projeto Enem   Português (Aula 04)Projeto Enem   Português (Aula 04)
Projeto Enem Português (Aula 04)
Walace Cestari
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencial
Luciene Gomes
 
Redação nota 1000 no enem 2010
Redação nota 1000 no enem 2010Redação nota 1000 no enem 2010
Redação nota 1000 no enem 2010
ma.no.el.ne.ves
 
Como Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãOComo Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãO
martinsramon
 

Destaque (20)

Aulas de Redação: aula inicial
Aulas de Redação: aula inicialAulas de Redação: aula inicial
Aulas de Redação: aula inicial
 
Curso Redação ENEM - argumentação
Curso Redação ENEM - argumentaçãoCurso Redação ENEM - argumentação
Curso Redação ENEM - argumentação
 
Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda BragaCurso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
 
Revista de Redação - Propostas Volume 1
Revista de Redação - Propostas Volume 1Revista de Redação - Propostas Volume 1
Revista de Redação - Propostas Volume 1
 
Passos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoPassos para uma boa redação
Passos para uma boa redação
 
Slides dissertação
Slides dissertaçãoSlides dissertação
Slides dissertação
 
Aula de redacao
Aula de redacaoAula de redacao
Aula de redacao
 
Aula 3 redação- 9º ano
Aula 3  redação- 9º anoAula 3  redação- 9º ano
Aula 3 redação- 9º ano
 
Enem redação
Enem  redaçãoEnem  redação
Enem redação
 
RedaçãO Enem
RedaçãO EnemRedaçãO Enem
RedaçãO Enem
 
Slide enem – habilidades e competências
Slide   enem – habilidades e competênciasSlide   enem – habilidades e competências
Slide enem – habilidades e competências
 
Redação ENEM
Redação ENEMRedação ENEM
Redação ENEM
 
Vestibular 2012 a redação do enem
Vestibular 2012   a redação do enemVestibular 2012   a redação do enem
Vestibular 2012 a redação do enem
 
Plano de aula dissertação
Plano de aula   dissertaçãoPlano de aula   dissertação
Plano de aula dissertação
 
Projeto Enem Português (Aula 04)
Projeto Enem   Português (Aula 04)Projeto Enem   Português (Aula 04)
Projeto Enem Português (Aula 04)
 
Variações linguísticas
Variações linguísticasVariações linguísticas
Variações linguísticas
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencial
 
Redação nota 1000 no enem 2010
Redação nota 1000 no enem 2010Redação nota 1000 no enem 2010
Redação nota 1000 no enem 2010
 
Como Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãOComo Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãO
 
Português Enem
Português EnemPortuguês Enem
Português Enem
 

Semelhante a Dicas para o ENEM e outros vestibulares

Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritoresAtividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Barbara Vestia
 
Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aula
telasnorte1
 
Dicas de redação
Dicas de redaçãoDicas de redação
Dicas de redação
belschlatter
 
Segunda prova do ENEM-2010: Compreensão textual
Segunda prova do ENEM-2010: Compreensão textualSegunda prova do ENEM-2010: Compreensão textual
Segunda prova do ENEM-2010: Compreensão textual
ma.no.el.ne.ves
 
Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aula
telasnorte1
 
Aulão de língua portuguesa ensino médio
Aulão de língua portuguesa ensino médio Aulão de língua portuguesa ensino médio
Aulão de língua portuguesa ensino médio
Marcia Oliveira
 
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDOA REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
Gisele Souza
 
Texto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercícioTexto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercício
José Roberto
 
Apostila preparatória concurso see 2ª semana
Apostila preparatória concurso see 2ª semanaApostila preparatória concurso see 2ª semana
Apostila preparatória concurso see 2ª semana
Antônio Fernandes
 

Semelhante a Dicas para o ENEM e outros vestibulares (20)

Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritoresAtividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
 
Questões-sobre-texto-dissertativo.pdf
Questões-sobre-texto-dissertativo.pdfQuestões-sobre-texto-dissertativo.pdf
Questões-sobre-texto-dissertativo.pdf
 
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
 
Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aula
 
RedacoesComentadasModeloAnalisarFazer.pdf
RedacoesComentadasModeloAnalisarFazer.pdfRedacoesComentadasModeloAnalisarFazer.pdf
RedacoesComentadasModeloAnalisarFazer.pdf
 
Dicas de redação
Dicas de redaçãoDicas de redação
Dicas de redação
 
Segunda prova do ENEM-2010: Compreensão textual
Segunda prova do ENEM-2010: Compreensão textualSegunda prova do ENEM-2010: Compreensão textual
Segunda prova do ENEM-2010: Compreensão textual
 
Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aula
 
Aulão de língua portuguesa ensino médio
Aulão de língua portuguesa ensino médio Aulão de língua portuguesa ensino médio
Aulão de língua portuguesa ensino médio
 
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDOA REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
 
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDOA REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
A REPRESENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS CHARGES VIRTUAIS DE MAURÍCIO RICARDO
 
LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS - LÍNGUA PORTUGUESA – 2ª SÉRIE –PLANEJAMENTO E ...
LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS - LÍNGUA PORTUGUESA – 2ª SÉRIE –PLANEJAMENTO E ...LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS - LÍNGUA PORTUGUESA – 2ª SÉRIE –PLANEJAMENTO E ...
LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS - LÍNGUA PORTUGUESA – 2ª SÉRIE –PLANEJAMENTO E ...
 
SEEDUC/RJ - PROFESSOR DOCENTE I 2015 - APOSTILA PARA CONCURSOS PÚBLICOS
SEEDUC/RJ - PROFESSOR DOCENTE I 2015 - APOSTILA PARA CONCURSOS PÚBLICOSSEEDUC/RJ - PROFESSOR DOCENTE I 2015 - APOSTILA PARA CONCURSOS PÚBLICOS
SEEDUC/RJ - PROFESSOR DOCENTE I 2015 - APOSTILA PARA CONCURSOS PÚBLICOS
 
Texto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercícioTexto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercício
 
Redacao.pptx
Redacao.pptxRedacao.pptx
Redacao.pptx
 
PROVA ADM 7.docx
PROVA ADM 7.docxPROVA ADM 7.docx
PROVA ADM 7.docx
 
Apostila preparatória concurso see 2ª semana
Apostila preparatória concurso see 2ª semanaApostila preparatória concurso see 2ª semana
Apostila preparatória concurso see 2ª semana
 
Encontro 4 23 de abril
Encontro 4  23 de abrilEncontro 4  23 de abril
Encontro 4 23 de abril
 
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 32 | 3ª SÉRIE | TEXTO ARGUMENTATIVO: FATO E OPINIÃO
 LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 32 | 3ª SÉRIE | TEXTO ARGUMENTATIVO: FATO E OPINIÃO LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 32 | 3ª SÉRIE | TEXTO ARGUMENTATIVO: FATO E OPINIÃO
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 32 | 3ª SÉRIE | TEXTO ARGUMENTATIVO: FATO E OPINIÃO
 
III - FALA - Fórum Acadêmico de Linguística Aplicada - UnB DF
III - FALA - Fórum Acadêmico de Linguística Aplicada - UnB DFIII - FALA - Fórum Acadêmico de Linguística Aplicada - UnB DF
III - FALA - Fórum Acadêmico de Linguística Aplicada - UnB DF
 

Mais de MGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA (12)

CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
 
Enunciação e discurso jurídico completo
Enunciação e discurso jurídico completoEnunciação e discurso jurídico completo
Enunciação e discurso jurídico completo
 
O parágrafo e a redação jurídica for slide share
O parágrafo e a redação jurídica for slide shareO parágrafo e a redação jurídica for slide share
O parágrafo e a redação jurídica for slide share
 
2012 blog final
2012 blog final2012 blog final
2012 blog final
 
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de AssisRealismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
 
Tecnologia na Educação
Tecnologia na Educação Tecnologia na Educação
Tecnologia na Educação
 
Tecnologia na Educação / Uso em sala de aula
Tecnologia na Educação / Uso em sala de aulaTecnologia na Educação / Uso em sala de aula
Tecnologia na Educação / Uso em sala de aula
 
Alemanha walinson 2º51v 10
Alemanha walinson 2º51v 10Alemanha walinson 2º51v 10
Alemanha walinson 2º51v 10
 
Unid1 ativ3mg
Unid1 ativ3mgUnid1 ativ3mg
Unid1 ativ3mg
 
Gestão de Tecnologias na escola
Gestão de Tecnologias na escolaGestão de Tecnologias na escola
Gestão de Tecnologias na escola
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 

Dicas para o ENEM e outros vestibulares

  • 1. DICAS PARA O ENEM E OUTROS VESTIBULARES Revisão através de exercícios.
  • 2. Linguagem Verbal e não verbal Alternativa e Um novo levantamento do IBGE mostra que o número de casamentos entre pessoas na faixa dos 60 anos cresce, desde 2003, a um ritmo 60% maior que o observado na população brasileira como um todo... Os gráficos expõem dados estatísticos por meio de linguagem verbal e não verbal. No texto, o uso desse recurso A) exemplifica o aumento da expectativa de vida da população. B) explica o crescimento da confiança na Instituição do casamento. C) mostra que a população brasileira aumentou nos últimos cinco anos. D) indica que as taxas de casamento e emprego cresceram na mesma proporção. E) sintetiza o crescente número de casamentos e de ocupação no mercado de trabalho.
  • 3. Artes como linguagem A literatura e sua compreensão estão ligados ao momento histórico e às escolas literárias. Alternativa b Nessa estranha dignidade e nesse abandono, o objeto foi exaltado de maneira ilimitada e ganhou um significado que se pode considerar mágico. Daí sua “vida inquietante e absurda”. Tornou-se ídolo e, ao mesmo tempo, objeto de zombaria. Sua realidade intrínseca foi anulada. JAFFÉ, A. O simbolismo nas artes plásticas. In: JUNG, C. G. (org.). O homem e os seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008. A relação observada entre a imagem e o texto apresentados permite o entendimento da intenção de um artista contemporâneo. Neste caso, a obra apresenta características A) figurativas e de representação do cotidiano B) abstracionistas e de releitura do objeto. C) funcionais e de sofisticação decorativa. D) construtivistas e de estruturas modulares. E) futuristas e do abstrato geométrico.
  • 4. Argumento Usar de argumentos; discutir apresentando e contrapondo razões que, através do raciocínio lógico, levem a uma conclusão. Alternativa e O sociólogo espanhol Manuel Castells sustenta que a comunicação de valores e a mobilização em torno do sentido são fundamentais. Os movimentos culturais (entendidos como movimentos que têm como objetivo defender ou propor modos próprios de vida e sentido) constroem-se em torno de sistemas de comunicação – essencialmente a internet e os meios de comunicação – porque esta é a principal via que esses movimentos encontram para chegar àquelas pessoas que podem eventualmente partilhar os seus valores, e a partir daqui atuar na consciência da sociedade no seu conjunto”. Disponível em: www.compolitica.org. Acesso em: 2 mar. 2012 (adaptado). Em 2011, após uma forte mobilização popular via redes sociais, houve a queda do governo de Hosni Mubarak no Egito. Esse evento ratifica o argumento de que A) a internet atribui verdadeiros valores culturais aos seus usuários. B) a consciência das sociedades foi estabelecida com o advento da internet. C) a revolução tecnológica tem como principal objetivo a deposição de governantes antidemocráticos. D) os recursos tecnológicos estão a serviço dos opressores e do fortalecimento de suas práticas políticas. E) os sistemas de comunicação são mecanismos importantes, de adesão e compartilhamento de valores sociais.
  • 5. Marcas linguísticas Formal – linguagem culta. Informal – linguagem do dia a dia. Alternativa d Futebol: “A rebeldia é que muda o mundo” Conheça a história de Afonsinho, o primeiro jogador do futebol brasileiro a derrotar a cartolagem e a conquistar o Passe Livre, há exatos 40 anos Pelé estava se aposentando pra valer pela primeira vez, então com a camisa do Santos (porque depois voltaria a atuar pelo New York Cosmos, dos Estados Unidos), em 1972, quando foi questionado se, finalmente, sentia-se um homem livre. O Rei respondeu sem titubear: — Homem livre no futebol só conheço um: o Afonsinho. Este sim pode dizer, usando as suas palavras, que deu o grito de independência ou morte. Ninguém mais. O resto é conversa. Apesar de suas declarações serem motivo de chacota por parte da mídia futebolística e até dos torcedores brasileiros, o Atleta do Século acertou. E provavelmente acertaria novamente hoje. Pela admiração por um de seus colegas de clube daquele ano. Pelo reconhecimento do caráter e personalidade de um dos jogadores mais contestadores do futebol nacional. E principalmente em razão da história de luta – e vitória – de Afonsinho sobre os cartolas. ANDREUCCI, R. Disponível em: http://carosamigos.terra.com.br. Acesso em: 19 ago 2011. O autor utiliza marcas linguísticas que dão ao texto um caráter informal. Uma dessas marcas é identificada em: A) “[...] o Atleta do Século acertou.” B) “O Rei respondeu sem titubear [...]”. C) “E provavelmente acertaria novamente hoje.” D) “Pelé estava se aposentando pra valer pela primeira vez [...]”. E) “Pela admiração por um de seus colegas de clube daquele ano.”
  • 6. Linguagem Oral A linguagem oral muitas vezes se apresenta diferente da linguagem escrita. Alternativa e As diferentes esferas sociais de uso da língua obrigam o falante a adaptá-la às variadas situações de comunicação. Uma das marcas linguísticas que configuram a linguagem oral informal usada entre avô e neto neste texto é A) o uso da contração “desse” em lugar da expressão “de esse”. B) a opção pelo emprego da forma verbal “era” em lugar de “foi”. C) a utilização do pronome “que” em início de frase Exclamativa. D) a ausência de artigo antes da palavra “árvore”. E) o emprego da redução “tá” em lugar da forma verbal “está”.
  • 7. Pode ser uma maneira de começar sua redação : Usa –se uma definição e contrapõe a ideia utilizando o “mas”. Alternativa e A gentileza é algo difícil de ser ensinado e vai muito além da palavra educação. Ela é difícil de ser encontrada, mas fácil de ser identificada, e acompanha pessoas generosas e desprendidas, que se interessam em contribuir para o bem do outro e da sociedade. É uma atitude desobrigada, que se manifesta nas situações cotidianas e das maneiras mais prosaicas. SIMURRO, S. A. B. Ser gentil é ser saudável. Disponível: em http://www.abqv.org.br. Acesso em: 22 jun. 2006 (adaptado). No texto, menciona-se que a gentileza extrapola as regras de boa educação. A argumentação construída A) descreve condições para a ocorrência de atitudes Educadas B) enumera fatos sucessivos em uma relação temporal. C) Indica a finalidade pela qual a gentileza pode ser praticada D) apresenta fatos que estabelecem entre si relações de causa e de consequência E) mostra oposição e acrescenta ideias
  • 8. Estar atento aos verbos de comando Questionar Influenciar Definir Facilitar Defender Função conativa da linguagem. Alternativa b Ao circularem socialmente, os textos realizam-se como práticas de linguagem, assumindo configurações específicas, formais e de conteúdo. Considerando o contexto em que circula o texto publicitário, seu objetivo básico é A) questionar o fato de o homem ser mais inteligente que a máquina, mesmo a mais moderna. B) influenciar o comportamento do leitor, por meio de apelos que visam à adesão ao consumo C) definir regras de comportamento social pautadas no combate ao consumismo exagerado. D) facilitar o uso de equipamentos de informática pelas classes sociais economicamente desfavorecidas. E) defender a importância do conhecimento de informática pela população de baixo poder aquisitivo.
  • 9. Redação: Básico: •Nomes próprios com letras maiúsculas • Acentuação • Ortografia • Concordância verbal e nominal •Sem repetição de ideias Partes da redação Introdução Desenvolvimento 2º 3º parágrafos 4º Conclusão
  • 10. Vamos comparar: • A dissertação, que pode ser expositiva ou argumentativa, é o gênero textual mais solicitado em vestibulares porque permite à banca avaliar o candidato a partir de vários critérios, como: • ◾ capacidade de compreensão do tema e da proposta; • ◾ conhecimento da estrutura textual dissertativa; • ◾ domínio da norma culta da língua (já que esta é a esperada para esse tipo de texto); • ◾ nível cultural (necessário para garantir a informatividade do texto); • ◾ habilidade argumentativa, ou seja, de usar as informações selecionadas com o propósito de validar um determinado ponto de vista, tornando o texto convincente
  • 11. Expositiva ou Argumentativa • Expositiva: É a modalidade textual adequada para tratar de informações tidas como verdades inquestionáveis e tem o objetivo de informar o leitor sobre o máximo de aspectos relevantes ligados ao tema. • Quando houver itens polêmicos nesse tipo de trabalho, caberá ao aluno mostrar os dois (ou mais) lados divergentes, evitando revelar seu posicionamento, uma vez que a proposta é expor o máximo de aspectos relevantes que encontrou. • Argumentativa: Dissertação argumentativa vai além da exposição organizada das informações. Nela o autor apresenta sua visão crítica do tema, ou seja, vê o assunto como algo polêmico, que gera diferentes versões sobre a "verdade" dos fatos. • Só existe argumentação porque há a possibilidade de discordância, assim há alguém para ser convencido, justificando o trabalho de uma argumentação para defender de modo convincente um determinado ponto de vista. Não há imparcialidade na dissertação argumentativa, assim o aluno que não se posiciona, que fica "em cima do muro", seja por insegurança ou por medo de desagradar a banca, comete um grave erro.
  • 12. Como usar a coletânea de textos: • A proposta de redação do Enem traz uma coletânea de apoio que pode incluir textos, charges, infográficos, figuras, etc. Essa coletânea não precisa ser usada somente para reflexão sobre o tema ou como inspiração sobre o que escrever. Pelo contrário! A cópia, integral ou parcial, dos textos da coletânea não é permitida na redação. Porém, não podemos confundir a não-cópia com o não-uso dos textos. • Texto 1: Qual o objetivo da “Lei Seca ao volante”? Esse texto traz a explicação do que é a Lei Seca e as razões que motivaram sua criação. Ou seja, é a definição e contextualização do tema tratado, sendo muito útil para fazer o parágrafo introdutório da dissertação. • Figura 1: Campanha do Governo Essa figura mostra ações de conscientização já feitas pelo Governo Federal. É útil para a argumentação, pois mostra que um dos efeitos da Lei Seca é o aumento de campanhas e propagandas que têm como objetivo conscientizar as pessoas sobre o perigo de dirigir alcoolizado. Figura 2: Lei Seca em Números Podemos arriscar dizer que esse infográfico era a parte mais importante da coletânea. Os dados das quatro pesquisas apresentadas são úteis para a argumentação, pois mostram importantes efeitos da Lei Seca, como a diminuição de atendimento hospitalar, vítimas de acidente e mortes. Essas porcentagens podem ser relacionadas com outros argumentos como a melhoria do atendimento hospitalar para outras pessoas em decorrência da diminuição das filas de espera que acidentes de trânsito podem ocasionar por necessitar de atendimento emergencial. • Texto 2: Repulsão magnética a beber e dirigir Esse texto é um exemplo de proposta de intervenção pronta! Ele contém, em detalhes, a ação que uma agência de comunicação fez para conscientizar as pessoas no exato momento da ingestão da bebida alcoólica. Caso tivesse dificuldade para criar uma proposta de intervenção, o candidato poderia usar esse texto como base, propondo ações semelhantes ou a propagação da mesma ação em outros bares.
  • 13. Uso do onde no lugar de conjunções e preposições: .......uma consulta simples em que os médicos ...ou até mesmo para os governantes sendo que esse dinheiro poderia....
  • 14. Palavras mágicas que nos ajudam a organizar ideias Seu texto pode começar com: um dado histórico... As mulheres brasileiras só ganharam o direito de votar a partir de 1832... . Uma estatística.... Quase 40% dos adultos usuários de maconha são dependentes...... Uma localização geográfica..... O continente africano limita-se, a oeste, pelo oceano Atlântico; a leste, pelo oceano Índico; ao norte, pelo mar Mediterrâneo; e a nordeste, pelo mar Vermelho.... * ELOS DE COESÃO Para adicionar : Não só...como também ,não só...mas ainda / Não somente...mas também Para opor : Mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, não obstante, senão Para dar causa : Pois , porque, porquanto, como(porque), visto que, já que, em virtude de Para alternar :Ou, ora... ora / Seja .. seja / Quer.. quer Para dar consequências: Portanto, por isso, por consequentemente, por conseguinte, em vista disso, diante disso, de sorte que, de modo que, de maneira que Para fazer concessão : Apesar de, embora, ainda que, se bem que, por mais que,por menos que, por melhor que, por muito que, mesmo que Para dar continuidade: Além disso, outrossim, com efeito, por outro lado, ainda, inclusive, com efeito, realmente, ora, acrescentando que, acrescentando-se que, saliente-se ainda que, paralelamente Para dar condição : Se, caso, desde que, contando que, a não ser que, salvo se Para concluir: Portanto, por isso, assim sendo, por conseguinte, consequentemente, então, desde modo, dessa maneira, em vista disso, diante disso Para incluir: Também, inclusive, igualmente, até(= inclusive) / Acrescente-se, ainda, o emprego do verbo no gerúndio, desde que não se abuse desde: Ex: concluindo, ratificando... ARTICULADORES OU MARCADORES TEXTUAIS NOS PARÁGRAFOS Para introdução: É realmente possível que... / é certo que... / por causa.../ é inegável... / e certo que... / a questão do... vem provocando... / é inegável... / pode-se aceitar que... Para análise – desenvolvimento: É preciso... em primeiro lugar... / com efeito... / é preciso lembrar-considerar-observar / trata-se inicialmente ... Para continuação da análise – desenvolvimento: Não se pode esquecer... / observa-se... / paralelamente... / além disso Para conclusão: Portanto... / assim... / finalmente... / resumindo... / ratificando... / em suma... / dessa forma.../ nesse sentido...
  • 15. Sites pesquisados: • educacao.uol.com.br/ • http://mglaucia.blogspot.com.br/ • Professora MªGláucia