Encontro 4 23 de abril

1.762 visualizações

Publicada em

Matemática

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.762
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.212
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Encontro 4 23 de abril

  1. 1. Alfabetização matemática 4º Encontro – 23/04/14 Pauta: •Leitura deleite •Retomada das discussões sobre Gêneros Textuais (vídeo e quadro de sistematização de ideias) •Vídeo: “Matemática na Comunicação”, Bigode •Alfabetização Matemática e Gêneros Textuais •Tarefa de casa •Encaminhamentos para próximos encontros
  2. 2. Leitura deleite “O pintassilgo e as rãs” Texto de Rubem Alves Ilustração de André Ianni Edições Loyola, 1993
  3. 3. Vídeo : O que são gêneros textuais? http://youtu.be/OQPw-xUK_tk
  4. 4. Gêneros textuais Tipos textuais Gêneros Esferas Suportes Definição São categorias teóricas determinadas pela organização dos elementos lexicais, sintáticos e relações lógicas presentes nos conteúdos a serem falados ou escritos São instrumentos culturais disponíveis nas interações sociais, historicamente mutáveis e relativamente estáveis e se concretizam em textos que são singulares. São as formas de circulação dos discursos, que segundo Bakhtin estão relacionadas com as esferas de atividade humana Um locus físico ou virtual com formato específico que serve de base ou ambiente de fixação do gênero materialmaterializado como texto. * Fontes: Rojo(2009), Bakhtin(1992 ) e Dolz e Schneuwly(2004) e Marcuschi(2005) e http://bbs.metalink.com.br)
  5. 5. Gêneros Textuais (Schneuwly e Dolz) Tipos textuais Gêneros Esferas Suportes Consideram- se como Os tipos textuais são cinco: Narração, exposição, argumentaçãodescrição e injunção Inúmeros: Anúncios, convites, atlas, avisos, programas de auditórios, bulas, cartas, cartazes, comédias, contos de fadas, crônicas, editoriais, ensaios, entrevistas, email, telegramas, contratos, decretos, discursos políticos, histórias eróticas, história de terror ou não, instruções de uso, letras de música, leis, mensagens, notícias, charges, HQ – com e sem textos, esculturas, pinturas, placas de trânsito, etc. Escolar, Científica, Artística, Jornalística, Cotidiana, Política, Publicitária Convencionais: Livros didáticos, livros, revistas, jornais, boletins, anais, rádios, Tv, telefone, quadro de avisos, outdoor, encartes, luminosos, placas etc. Incidentais: ônibus, portas de banheiros, corpo humano, embalagens, para-choques de caminhão, roupas, paredes, calçadas, muros, fachadas, etc. Fonte: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2003.
  6. 6. Schneuwly e Dolz publicaram um quadro : Domínios sociais de comunicação Aspectos tipológicos Capacidade de linguagem dominante Exemplo de gêneros orais e escritos Cultura Literária Ficcional Narrar Mimeses de ação através da criação da intriga no dominio do verossímil Conto de Fadas, fábula, lenda,narrativa de aventura, narrativa de ficção cientifica, narrativa de enigma, narrativa mítica, sketch ou história engraçada, biografia romanceada, romance, romance histórico, novela fantástica, conto, crônica literária, adivinha, piada Documentação e memorização das ações humanas Relatar Representação pelo discurso de experiências vividas, situadas no tempo Relato de experiência vivida, relato de viagem, diário íntimo, testemunho, anedota ou caso, autobiografia, curriculum vitae, notícia, reportagem, crônica social, crônica esportiva, histórico, relato histórico, ensaio ou perfil biográfico, biografia
  7. 7. Domínios sociais de comunicação Aspectos tipológicos Capacidade de linguagem dominante Exemplos de gêneros orais e escritos Discussão de problemas sociais controversos Argumentar Sustentação, refutação e negociação de tomadas de posição Textos de opinião, diálogo argumentativo, carta de leitor, carta de solicitação, deliberação informal, debate regrado, assembleia, discurso de defesa (advocacia), discurso de acusação (advocacia), resenha crítica, artigos de opinião ou assinados, editorial, ensaio Transmissão e construção de saberes Expor Apresentação textual de diferentes formas dos saberes Texto expositivo, exposição oral, seminário, conferência, comunicação oral, palestra, entrevista de especialista, verbete, artigo enciclopédico, texto explicativo, tomada de notas, resumo de textos expositivos e explicativos, resenha, relatório científico, relatório oral de experiência
  8. 8. Domínios sociais de comunicação Aspectos tipológicos Capacidade de linguagem dominante Exemplo de gêneros orais e escritos Instruções e prescrições Injuntivos (Descrever ações) Regulação mútua de comportamentos Instruções de montagem, receita, regulamento, regras de jogo, instruções de uso, comandos diversos, textos prescritivos
  9. 9. Qual é a importância do uso de diferentes gêneros nas aulas de matemática? •Retomada oral
  10. 10. Vídeo: “MATEMÁTICA NA COMUNICAÇÃO” (www.youtube.com/watch?v=1Qsp61oB7Nk) Prof. Antonio José Lopes ( Bigode) Produção da TV Escola
  11. 11. Discussão das ideias principais do vídeo: •1) Apresentação da matemática como linguagem/ meio de comunicação= modo de comunicar ideias e informações de forma rápida e precisa/sintética •2) Apresentação dos símbolos matemáticos como um sistema de códigos para comunicação matemática (códigos escritos). Tipos de símbolos: numéricos, operacionais e relacionais. Importante ter em mente a ideia não de decodificação mas de compreensão e consciência desses. •3) Necessidade de desmitificar o peso do símbolo e para tanto as curiosidades sobre ele, a história de sua escrita e a própria história do número são ricos caminhos. •4) Os números que não são usuais para as crianças (milhões, negativos, etc) devem ser apresentados ao longo da escolarização. •5) A padronização das medidas surgiu a partir de uma necessidade sociocultural. •6) É importante explorar como e o porquê das palavras serem formadas como são. •7) Retirada das informações numéricas dos textos de acordo com o grau de entendimento do grupo. •8) A importância da construção dos gráficos com as crianças para entendimento da relação entre eles e os textos trabalhados. O trabalho com gráficos proporciona integração com diferentes áreas de conhecimentos.
  12. 12. IDEIAS MATEMÁTICAS e LINGUAGEM MATEMÁTICA •REGISTROS DE QUANTIDADE (COLEÇÕES, PONTUAÇÕES, ETC). •REGISTROS DE DATAS E HORÁRIOS. •MEDIDAS DE INGREDIENTES EM RECEITAS. •MEDIDAS DO PRÓPRIO CORPO. •PLACAS (TRÂNSITO, SINALIZAÇÃO). •MAPAS E TRAJETOS. •PLANTAS BAIXAS. •JOGOS DE TABULEIROS. •VIDEOGAMES. •RECEITAS MÉDICAS. •NUMERAÇÃO DE ROUPAS E SAPATOS, ETC. •Diretrizes Curriculares.
  13. 13. CICLO DE ALFABETIZAÇÃO, PNAIC E A MATEMÁTICA •APROPRIAÇÃO DE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO, PRINCIPALMENTE O INDO ARÁBICO. •CONCEITO, REGISTRO E OPERAÇÕES COM OS NÚMEROS NATURAIS (EM SITUAÇÕES REAIS DE USO). •DESENVOLVER HABILIDADES PARA EFETUAR OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. •RESOLVER PROBLEMAS QUE FAÇAM SENTIDO PARA AS CRIANÇAS, ATRAVÉS DA CONTAGEM, ESTIMATIVA, CÁLCULO ORAL, ALGORITMOS ESCRITOS E MÁQUINAS CALCULADORAS. •RELAÇÕES DE ESPAÇO E FORMA. •PROCESSOS DE MEDIÇÃO, REGISTRO E USO DE MEDIDAS. •ESTRATÉGIAS DE PRODUÇÃO, REUNIÃO, ORGANIZAÇÃO, REGISTRO, DIVULGAÇÃO, LEITURA E ANÁLISES DE INFORMAÇÕES, MOBILIZANDO PROCEDIMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO E ISOLAMENTO DE ATRIBUTOS, COMPARAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E ORDENAÇÃO.
  14. 14. O PAPEL DO PROFESSOR ALFABETIZADOR •ESCUTAR AS CRIANÇAS. •INCENTIVAR QUE AS CRIANÇAS NARREM VIVÊNCIAS E SITUAÇÕES DO SEU COTIDIANO. •PROMOVER SITUAÇÕES, AS QUAIS MOBILIZARÃO REGISTROS DE NATUREZAS DIVERSAS. •BUSCAR E COMPOR PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DIVERSAS PARA O TRABALHO COM DIFERENTES GÊNEROS TEXTUAIS. •TRABALHAR PRIMEIRO COM O QUE AS CRIANÇAS SABEM.
  15. 15. Caderno Apresentação do PNAIC - A CRIANÇA E A MATEMÁTICA ESCOLAR Carlos Roberto Vianna e Emerson Rolkouski ALGUMAS PROPOSTAS (INICIAIS) PARA O TRABALHO COM AS CRIANÇAS E A MATEMÁTICA ESCOLAR: •USAR O CORPO. A história da matemática nos mostra a importância dos dedos para contar, das mãos e dos pés para medir; porque então na escola insistimos em proibir as crianças de usarem os dedos para calcular? •DISCUSSÃO DE DIFERENTES ESTRATÉGIAS E RESOLUÇÕES. O importante não é resolver uma grande quantidade de problemas, mas sim, de tomar alguns problemas variados e discutir calmamente sobre as estratégias que cada um utilizou na resolução. •TAREFAS QUE FAZEM SENTIDO. Elaborar/Apresentar tarefas as quais proporcionarão realmente situações legítimas do uso de números com as crianças.
  16. 16. •Gráficos simples de alturas são uma boa iniciação ao ato de medir. As crianças desejam saber se estão crescendo, ou qual o colega mais alto. Usar o palmo pode ser um bom caminho para realizar comparações entre as alturas. É importante problematizar com as crianças que medir a altura com o seu palmo e comparar com a medida feita com o palmo do seu colega teremos resultados de tamanhos diferentes e portanto precisamos de um “combinado”, ou seja, de um padrão
  17. 17. •A imagem ao lado se refere a uma tarefa proposta às crianças. Tal tarefa consistiu na pesquisa e recorte pelas crianças de imagens de produtos que pudessem ser comprados com R$ 20,00. •Outras tarefas também podem ser mobilizadas a partir deste gênero textual (propagandas e encartes) ? Quais?
  18. 18. A partir do que foi visto e discutido: 1-Escolher um deles e discutir, em trios, quais aprendizagens podem ser proporcionadas aos alunos 2- Quais problematizações/perguntas podem ser feitas de modo a promover a reflexão e avanço pretendidos nas aprendizagens de cada aluno e do grupo
  19. 19. Tarefa de casa Será enviada por e-mail e retomada no próximo encontro Próximo encontro 06/05 •Não teremos encontro presencial na próxima semana. * A presença ficará por conta da apresentação da tarefa de casa.

×