SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 90
Custo de mídia  e  problemas de compra UNIVALI  Publicidade e Propaganda 4º período Planejamento de mídia
Apresentação Considerações iniciais Planejamento e compra Custos de mídia Custos em televisão
Considerações iniciais
Custo de mídia e problemas de compra Dimensão da verba... Baseada nos custos de mídia  relativos ao número de  audiências-alvo; Distribuídas pelas áreas  geográficas desejadas nos  melhores pontos de venda.
Custo de mídia e problemas de compra Levando isso em consideração, O plano de mídia deve maximizar a  distribuição dos objetivos de Marketing,  determinados em relação ao  custo-eficiência.
Custo de mídia e problemas de compra Para isso, o planejador de mídia Precisa estar conectado ao mercado  em que vai atuar e ao consumo de mídia desse mercado.
Custo de mídia e problemas de compra Custos de mídia são relativos TV Oferta X Procura Jornal e Revista Constantes  no custo Fácil previsão para o planejamento Difícil previsão  para o planejamento
Custo de mídia e problemas de compra Estimar custos é mais uma arte  do que uma ciência... Depende, principalmente, do  profissionalismo e da capacidade de  análise de pesquisa do mídia.
Custo de mídia e problemas de compra Estimar custos é mais uma arte  do que uma ciência... Se o plano é baseado em custos que  estão fora da realidade ou de realidade  ultrapassada,  será um planejamento falho; Se a estimativa de custo é falho,  todo o plano pode ser questionado  pelo cliente.
Custo de mídia e problemas de compra Estimar custos é uma tarefa árdua... Cada tipo de mídia tem um custo,  diferentes potenciais de negociação e  diferentes problemas de compras.
Planejamento e compra
Planejamento e compra = Plano de mídia eficiente Bom cumprimento das metas de Marketing Impactos  dentro da  verba  determinada Núcleo  de plano de mídia  eficaz Número  aproximado  de impactos alcance frequência
Planejamento e compra O planejador de mídia deve Desenvolver um processo de cálculo,  combinado com o custo de várias  alternativas de mídia com a distribuição do plano, para chegar ao relacionamento  perfeito entre custo e distribuição.
Planejamento e compra O planejador de mídia deve Desenvolver um processo de cálculo,  combinado com o custo de várias  alternativas de mídia com a distribuição do plano, para chegar ao relacionamento  perfeito entre custo e distribuição.
EXEMPLO
Planejamento e compra Supondo 	que... Custo por mil de mulheres, 18 anos ou mais, para o período diurno em rede de  televisão seja de R$ 4,46 (base :30). Custo por mil do mesmo segmento,  para o período noturno seja de R$ 12,87.
Uma verba fixa, colocando todo dinheiro no horário diurno,  distribuirá 3 vezes mais impactos  do que o horário noturno Por outro lado, o alcance no  período nortuno será maior do que  o do período diurno no prazo total de 52 semanas Alcance e frequênciamédios  para 4 semanas, para noturno,  seria mais baixo do que para diurno. Contudo, a frequencia no período diurno  será maior do que a o período noturno,  no prazo total de 52 semanas
Planejamento e compra Independente se for CPM ou $/GRP, A eficiência de custo da distribuição de mídia é importante. É trabalho do mídia combinar plenamente a familiaridade de  custos de mídia e dinâmicas de distribuição com as metas do  plano de marketing de alcançar as audiências determinadas. O mídia deve ser cuidadoso ao empregar suposições corretas  de custo de mídia no plano.
MAIS UM EXEMPLO
Alternativa de mídia – Custo e distribuição Modelo de anúncio Valor unid. Prev. Aud. Abs. Aud.  COM Est.
Planejamento e compra Como assegurar estimativas corretas de custo de mídia? 	1. Manter contato próximo com mecanismos de custo de  	mídia do mercado.
Planejamento e compra Preço para mídia impressa, por exemplo... Revistas, jornais e encartes de jornais, há um tempo atrás,  Estavam relacionados ao custo de produção. Quando papel, tinta, salário e custos de postagem aumentavam, as publicações de revistas repassavam  o valor para o anunciante; Esses valores tenderam a crescer de formas modesta  quando comparada a mídia eletrônica; Porém, com o início das negociações nos anos 80,  os aumentos de impressão se equipararam aos de  programação de mídia eletrônica
Custo de mídia e índice de tendências CPM
Planejamento e compra Preço para mídia impressa, por exemplo... Hoje, ambas, mídia eletrônica e revistas, são  influenciadas pela LEI DE OFERTA E PROCURA. O planejador calcula oferta e procura nesses  tipos de mídia quando mantém contato com  seus fornecedores; Esse contato dá ao planejador uma visão do  que está acontecendo no mercado e, assim,  consegue prever as mudanças  (pra cima ou pra baixo) nos preços de mídia.
Planejamento e compra Como assegurar estimativas corretas de custo de mídia? 	1. Manter contato próximo com mecanismos de custo de  	mídia do mercado. 2. Planejadores inteligentes incluem compradores de mídia no desenvolvimento das estimativas de custo de mídia.
Planejamento e compra Em uma realidade um pouco diferente  da regional,  Algumas agências empregam compradores especialistas de  	mídia, que estão em contato constante com os fornecedores  	de mídia. A vantagem de se ter uma pessoa responsável somente pela  compra de mídia é a familiaridade com o mercado, repassada para o planejador.
Planejamento e compra Como assegurar estimativas corretas de custo de mídia? 	1. Manter contato próximo com mecanismos de custo de  	mídia do mercado. 2. Planejadores inteligentes incluem compradores de mídia no desenvolvimento das estimativas de custo de mídia. 3. Agências profissionais desenvolvem habilidades para estimar mudanças de custo de mídia por meio da história da própria agência.
Planejamento e compra Depois de todo o processo de compra de mídia, É importante fazer um banco de dados de custo de mídia,  	nacional e regional, para prever com facilidade o mercado 	em que está atuando; 	Após completar o plano de mídia e as estimativas, deve-se  	analisar o quão próximo o plano está condizente com a  	realidade – ANÁLISE PÓS COMPRA. 	Essa análise ajuda a manter as estimativas mais precisas.
Custos de mídia
Custos de mídia Investimento em custo de mídia Analisando a tabela a seguir, percebe-se  		os investimentos mais importantes feitos 		em mídia no ano de 1990.
Investimento em mídia de anunciantes nacionais (1990)
Custos de mídia Dentro das mídias amplas, 		Há muitas alternativas disponíveis das  		quais o planejador deve estar inteirado; 		Não só a mídia como a diferença entre  		as mídias regionais e nacionais devem  		ser analisadas e aproveitadas.
Custos de televisão
Custos de televisão Na tabela anterior, 		A maioria de investimento em televisão é  		relativa a bens de consumo e serviços.  		Porém, tem havido crescimento do  		investimento em relação a indústrias e negócios. 		“Perecibilidade” – principal característica do 		meio TV.
Custos de televisão Perecibilidade... 		Está ligado ao fato de um espaço de :30  		não ser infinito. 		Enquanto a revista pode aumentar sua  		edição a fim de agregar mais publicidade,  		um espaço na TV não é recuperado se não 		for negociado.
Custos de televisão O custo do meio TV. 		Menos demanda por anúncios perto da 		data de ir ao ar cria redução de preço,  		SE HOUVER DISPONIBILIDADE de programação
Custos de televisão Perecibilidade... 		Assim, há um espaço de tempo certo para 		negociar espaço em TV.
Custos de televisão O custo do meio TV. 		O preço de espaço em TV sempre é  		relevante, mas pode aumentar ou diminuir 		de acordo com a demanda. 		Quanto maior a demanda e mais cedo é  		feita a negociação, maior a probabilidade 		de o valor ser mais alto.
Custos de televisão O custo do meio TV. 		Menos demanda por anúncios perto da 		data de ir ao ar cria redução de preço,  		SE HOUVER DISPONIBILIDADE de programação
Custos de televisão As subcategorias do meio TV TV Rede  de televisão TV a cabo Estações locais Produção independente
Custos de televisão As subcategorias do meio TV Rede  de televisão
Rede de televisão 		São as redes nacionais; 		Aquelas em que parte da programação é exibida em todo o território nacional; Algumas possuem lacunas alimentadas de  		programação local; Pode ser dona ou parceira de redes locais.
Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Horário nobre (20h – 23h) 			Alto índice de audiência (domicilio com televisão  ligada); Geralmente detentor dos maiores preços; Tendência a atingir audiência familiar com altos índices  		de alcance;
Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Horário diurno (10h – 16h30) 		Geralmente o menos caro da rede; 		Audiência domiciliar média de 4,6; 		Distribuição eficiente em CPM a domicílios e donas de 		casa.
Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Horário de fim de noite ( geralmente  das 23h30 até encerramento) 		A programação varia de rede para rede e de acordo 		com o tempo; Geralmente programado com entrevistas, filmes e 			diferentes tipos de entretenimento, incluindo bandas e 		humorismo; Apesar de a média de audiência domiciliar ser parecida 			com o diurno, há dualidade de audiência, o que 			empobrece a segmentação do horário.
Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Fim de semana 		Programação geralmente esportiva ou infantil; 		Programação esportiva = domínio do anunciante 	orientado para público masculino; 		Possui um elevado CPM, menos quando há eventos esportivos ligados a uma marca;
Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Fim de semana 		Sábado de manhã – geralmente voltado para público 		infantil. 		Comerciais de produtos matinais, brinquedos, fast-food 		e doces concentram uma porção significativa de seu 		orçamento para propaganda na TV.
Rede de televisão Redes Locais 		A diversidade da programação de rede abrange quase 		todos os interesses; 		Essa diversidade dá subsídios ao planejador com	oportunidades para atingir mercados nacionais amplos com programações orientadas especificamente para o público-alvo; 		Os custos para essa programação mudam de acordo 		com as mudanças de demanda do mercado;
Custos de televisão As subcategorias do meio TV Estações locais
Estações Locais Programação em Estações Locais 		São estações de televisão  local; Podem estar afiliadas a uma rede e transmitir a programação da mesma; Podem ser estações independentes, sendo assim responsáveis por toda sua programação.
Estações Locais Programação em Estações Locais 		Os custos de propaganda local variam de marcado para mercado; Baseados em demanda de distribuição de audiência para o tempo disponível para comerciais; O custo vai variar de cidade para cidade , dependendo do número de pessoas atingidas (ex: Blumenau, Itajaí)
Estações Locais Programação em Estações Locais 		Mesmo dentro da programação de rede, há certas faixas de horário colocadas de lado pelas vendas locais; Isso possibilita  o anunciante local a comprar um comercial de 30”  (se disponível) num programa   originado pela rede, ou entre programas.
Estações Locais Programação em Estações Locais 	Os preços vão, novamente, basear-se na distribuição  e disponibilidade de tempo comercial; Em geral, são veículos de mídia de alto custo-eficiência para alcançar mercados geográficos específicos.
Custos de televisão As subcategorias do meio TV Produção Independente
Produção Independente Como funciona 	Desenvolve-se um pacote de programa ou programação vendido diretamente ao anunciante e/ou liberado pelo produtor numa base de mercado a mercado.
Produção Independente Os 3 tipos de negociação: PERMUTA TOTAL: Quando a estação local recebe o programa e porcentagem do tempo de comercial dentro do programa pela venda local em troca da colocação do programa no ar; PARTE PERMUTA / PARTE CASH: Quando a estação local paga uma taxa de licença para transmitir o programa. Assim, a rede pode ter domínio parcial ou total do espaço publicitário do programa.;
Produção Independente Os 3 tipos de negociação: DINHEIRO VIVO: Quando a estação local paga em dinheiro pela produtora  e pode vender todos os horários comerciais para  anunciante locais ou nacionais; GERALMENTE, O CUSTO EFICIENTE DOS PRODUTORES É 25% MELHOR DO QUE O CUSTO-EFICIÊNCIA DA REDE OU ESTAÇÃO LOCAL
Custos de televisão As subcategorias do meio TV TV a cabo
TV a cabo Os custos de TV a cabo: Pode ser comprada em base nacional ou local; Embora tenha programação diferente, imita a rede nacional em parte da programação: manhã cedo, longo do dia, horário nobre e fim de noite; Elemento importante em ascensão em vários planos de mídia;
TV a cabo 3 maiores vantagens da TV a cabo: Segmentação de público-alvo (narrowcasting); Melhor CPM em relação a rede nacional; Pessoas com TV a cabo não assistem a rede nacional, o que aprimora a distribuição de GRP.
Custo de Revista
Custo de Revista Uma das duas maiores categorias de mídia impressa  (junto com o jornal); Para espaços impressos, o preço tende a ser ligeiramente mais  estável de que a mídia eletrônica, pois podem ajustar o número de páginas para mais  ou para menos;
Custo de Revista Assim, o custo da impressão é uma variável em oposição ao  compromisso fixo da televisão e sua perecibilidade; Geralmente, revistas editam tabelas de preço que cobrem custos  futuros, mas não são confiantes para negociação de pacotes; Ao projetar compra de revista no planejamento de um ano, deve-se  ser cuidadoso com os cálculos de taxas.
Custo de Revista Interesses  Gerais Femininas Infantil Animais Categorias de revistas Masculinas Revistas para o Lar Saúde Educação
Custo de Revista Interesses Gerais: São revistas de interesse Geral, como Veja, Isto é,  		Guias de TV e outros; 		Conteúdo editorial não exclui nenhum tipo de leitor 		potencial; 		Grande potencial de circulação; 		Custo proporcionalmente alto por página.
Custo de Revista Revistas Femininas: Publicação editoriais seletivas, como Marie Claire,  		Claudia, Nova, Estilo, entre outras; 		Conteúdo editorial informativo e de entretenimento  		direcionado às mulheres; 		Dependendo da revista há potenciais altos e médios de  		circulação;
Custo de Revista Revistas para o lar: 		Revistas como Casa Cláudia, Casa e Jardin, Saúde e Lar, 		que apontam em outra direção, ou seja, preocupações e  		interesses de donas de casa; 		Dirigem-se a adultos e à audiência com dualidade. 		Essa seletividade e dualidade de audiência dá ao  		planejador uma oportunidade de anunciar em um ambiente  		compatível com certos públicos por preço interessante.
O custo de Jornais Meio que oferece benefícios distintos: Flexibilidade em trabalhos  combinados mercado a mercado; Prazo de fechamento rápido; Cobertura interna do mercado local e Identificação do mercado especializado
O custo de Jornais ROP  - RunOfPaper 	Anúncios no próprio jornal; 	Podem ser comprados quase em qualquer tamanho; 	P/B ou colorido; 	Se um cor for adicionada ao P/B, o adicional é  	de 10 a 15%; 	O adicional de custos para 4 cores é, em geral,  	de 20 a 40%.
O custo de Jornais Encartes 	Inserções impressas fora do jornal e colocadas dentro 	do mesmo; 	Podem ser impressas em papel de boa ou baixa  	qualidade, gramatura, P/B, colorido, informando o  	que for de interesse e impresso da maneira desejada; 	Os custos vão depender da produção e qualidade + a 	inserção e distribuição do encarte, de acordo com a  	tabela do veículo.
O custo de rádio
O custo de rádio O custo de rádio A opção e anúncio via  rádio é oferecida em rede nacional  ou em mercados locais independentes; Muitas emissoras possuem cálculos de alcance e freqüência; Isso nos ajuda a medir o efeito de  diferentes combinações de estações, quanto à distribuição  de impactos gerais e estimativas alcance x freqüência
O custo de rádio
O custo de rádio O custo de rádio Rádio em rede: 	Inclui programação de notícias, música, esporte e 	cultura; 	Custos relativamente baixos; 	Em média, cerca de R$5000,00 por anúncio de 30´´.
O custo de rádio O custo de rádio Rádio local: 	Varia de mercado para mercado; Custo-benefício de rádio local é infinito em relação às 	redes de rádio, chegando a ser 90% mais barato do 	que as redes, dependendo do mercado; 	A escolha entre o uso de um ou outro vai depender 	do plano estabelecido.
Midia Externa Possui uma gama ampla de formas de apresentação; Diferencia drasticamente em tamanho e localização; É a mais localizada de todas as formas de mídia, pode ser comprada em um local muito específico e  estratégico; Os mais conhecidos são os painéis tipo pôster  (bulletins) em cores e anúncios no trânsito
Midia Externa Painéis tipo pôster 	Propaganda de tipo exterior, no qual anúncio pré-	impresso é instalado; 	As dimensões mais usadas são: 		Padrão; 		Junior; 		Três folhas.
Midia Externa Pôster tipo padrão: 		Chamado de 30 folhas; 		12 pés (3,7 metros) de altura por 25 pés (7,6 			metros) de comprimento; 		Essa dimensão é padrão, mas pode ser 			modificada de acordo com o espaço disponível.
Midia Externa Pôster tipo junior: 		Chamado de 8 folhas; 		Mais ou menos 1/4 do tamanho do pôster 			padrão.
Midia Externa Pôster tipo três folhas: 		Usado extensivamente no trânsito; 		Mede 60 polegadas (1,5 metros) por 46 				polegadas (1,16 metros)
Midia Externa Custo de pôster: 		São, geralmente, vendido em pacotes de GRPs; 		Ex: Pacote de 100 GRP 		      distribui oportunidades iguais a 100% 			      da população do mercado no dia. 		Custo varia MUITO de mercado para mercado, 			dependendo, principalmente, do público-alvo
Midia Externa Cartazes em cores: : 		Geralmente, mais largos que o poster e possui, 		em média, 14 pés (4,2 metros) de altura por 48 		pés (14 metros) de altura; 		São vendidos indivudualmente ou em 				pacotes; 		Pode variar de R$2000,00 a 15.000,00, 				dependendo do mercado da empresa
Midia Externa Cartazes em cores: : 		Existem dois tipos de cartazes em cores: Permanente – anunciante compra o espaço por um dois anos e troca somente a arte, lona, ou não. Rotativo – Anunciante confecciona o cartaz e passa de lugar a lugar dentro de um mercado, conforme programação estabelecida (ou ciclos de 30-, 60-, ou 90- dias, dependendo do mercado)
Midia Externa Anúncios em trânsito: 		Aqueles disponíveis em onibus, táxis, trens, e 			terminais de transporte; 		Inúmeros tamanhos e formatos; 		Custo variável, depende do mercado, meio 			tamanho, duração do contrato de exibição e 			extensão da área da compra.
Voltando ao modelo  de slide anterior...
Custo de mídia Em meio a tantas mídias tradicionais  e suas formas tradicionais de compra,  há a internet modificando e revolucionando todo o conceito de mídia. A promessa da mídia interativa está  atraindo tanto o mercado da  internet para as mídias tradicionais como  as mídias tradicionais para a internet.
Vídeo
Para casa! Faça um texto de 1 folha com as seguintes questões: Qual a correlação entre Gutermberg e a Nova  Era digital? Qual é o destino das mídias tradicionais impressas e eletrônicas com a entrada  da internet? Levando mídia exterior em consideração, qual seria seu destino? Quais seriam os maiores desafios do planejador de mídia  frente a essa evolução?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento de mídia - Etapa 3
Planejamento de mídia - Etapa 3Planejamento de mídia - Etapa 3
Planejamento de mídia - Etapa 3Bruno Mastrocolla
 
Apresentação joão oliver
Apresentação joão oliverApresentação joão oliver
Apresentação joão olivermarsate
 
Palestra de Mídia - Agência Espaço Nobre - Rodrigo Cordeiro
Palestra de Mídia -  Agência Espaço Nobre - Rodrigo CordeiroPalestra de Mídia -  Agência Espaço Nobre - Rodrigo Cordeiro
Palestra de Mídia - Agência Espaço Nobre - Rodrigo CordeiroElisandro Borges
 
Midia Conceitos BáSicos
Midia Conceitos BáSicosMidia Conceitos BáSicos
Midia Conceitos BáSicosCesar Pallares
 
Conceitos Básicos Mídia
Conceitos Básicos MídiaConceitos Básicos Mídia
Conceitos Básicos MídiaRede Globo
 
Estudo de Cobertura eficiente em Pay TV
Estudo de Cobertura eficiente em Pay TVEstudo de Cobertura eficiente em Pay TV
Estudo de Cobertura eficiente em Pay TVRenata Bordin
 
06 administração de verba
06   administração de verba06   administração de verba
06 administração de verbaThiago Ianatoni
 
Gestão Publicitária
Gestão PublicitáriaGestão Publicitária
Gestão PublicitáriaRodrigo Jorge
 
O passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia HerrmannO passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia HerrmannPonto Pasta UFPR
 
DicionáRio De MíDia
DicionáRio De MíDiaDicionáRio De MíDia
DicionáRio De MíDialia.lvo
 
REVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIA
REVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIAREVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIA
REVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIAprofjucavalcante
 
Apresentação 21 de maio custoe problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe  problemas de comprasApresentação 21 de maio custoe  problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe problemas de comprasKauê Krischnegg
 
Planejamento e gestão de mídia fase 5
Planejamento  e gestão de mídia fase 5Planejamento  e gestão de mídia fase 5
Planejamento e gestão de mídia fase 5Amadeu Nogueira
 
GMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia online
GMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia onlineGMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia online
GMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia onlinegrupodemidiasc
 
GMSC - Planejamento 2014
GMSC - Planejamento 2014GMSC - Planejamento 2014
GMSC - Planejamento 2014grupodemidiasc
 

Mais procurados (19)

Planejamento de mídia - Etapa 3
Planejamento de mídia - Etapa 3Planejamento de mídia - Etapa 3
Planejamento de mídia - Etapa 3
 
Apresentação joão oliver
Apresentação joão oliverApresentação joão oliver
Apresentação joão oliver
 
Palestra de Mídia - Agência Espaço Nobre - Rodrigo Cordeiro
Palestra de Mídia -  Agência Espaço Nobre - Rodrigo CordeiroPalestra de Mídia -  Agência Espaço Nobre - Rodrigo Cordeiro
Palestra de Mídia - Agência Espaço Nobre - Rodrigo Cordeiro
 
Midia - Aula 07
Midia - Aula 07Midia - Aula 07
Midia - Aula 07
 
Midia Conceitos BáSicos
Midia Conceitos BáSicosMidia Conceitos BáSicos
Midia Conceitos BáSicos
 
Conceitos Básicos Mídia
Conceitos Básicos MídiaConceitos Básicos Mídia
Conceitos Básicos Mídia
 
Estudo de Cobertura eficiente em Pay TV
Estudo de Cobertura eficiente em Pay TVEstudo de Cobertura eficiente em Pay TV
Estudo de Cobertura eficiente em Pay TV
 
06 administração de verba
06   administração de verba06   administração de verba
06 administração de verba
 
Gestão Publicitária
Gestão PublicitáriaGestão Publicitária
Gestão Publicitária
 
O passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia HerrmannO passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
 
Mídia I
Mídia IMídia I
Mídia I
 
DicionáRio De MíDia
DicionáRio De MíDiaDicionáRio De MíDia
DicionáRio De MíDia
 
REVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIA
REVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIAREVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIA
REVISÃO - PROJETO EXPERIMENTAL - PLANEJAMENTO DE MÍDIA
 
Estrategias de midia_ii
Estrategias de midia_iiEstrategias de midia_ii
Estrategias de midia_ii
 
Apresentação 21 de maio custoe problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe  problemas de comprasApresentação 21 de maio custoe  problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe problemas de compras
 
Planejamento e gestão de mídia fase 5
Planejamento  e gestão de mídia fase 5Planejamento  e gestão de mídia fase 5
Planejamento e gestão de mídia fase 5
 
GMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia online
GMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia onlineGMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia online
GMSC - Florianópolis - Aula introdução ao planejamento de mídia online
 
GMSC - Planejamento 2014
GMSC - Planejamento 2014GMSC - Planejamento 2014
GMSC - Planejamento 2014
 
Classificação dos meios
Classificação dos meiosClassificação dos meios
Classificação dos meios
 

Destaque

Palestra estrategias email marketing
Palestra estrategias email marketingPalestra estrategias email marketing
Palestra estrategias email marketingAknaSoftware
 
Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009
Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009
Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009Renann Mendes
 
Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...
Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...
Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...E-Commerce Brasil
 
Aula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce Professional
Aula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce ProfessionalAula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce Professional
Aula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce ProfessionalRenann Mendes
 
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)Impacta Eventos
 
Mercado ecommerce marketing digital junho 2013
Mercado ecommerce marketing digital junho 2013Mercado ecommerce marketing digital junho 2013
Mercado ecommerce marketing digital junho 2013conteudoecommerce
 

Destaque (7)

New 9 - marketing digital
New   9 - marketing digitalNew   9 - marketing digital
New 9 - marketing digital
 
Palestra estrategias email marketing
Palestra estrategias email marketingPalestra estrategias email marketing
Palestra estrategias email marketing
 
Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009
Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009
Trabalho de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda - Novembro de 2009
 
Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...
Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...
Antes de ser e-Commerce, é Varejo. E antes de ser ROI, é Marketing. - Álvaro ...
 
Aula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce Professional
Aula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce ProfessionalAula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce Professional
Aula Marketing de Conteúdo - Curso E-commerce Professional
 
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
 
Mercado ecommerce marketing digital junho 2013
Mercado ecommerce marketing digital junho 2013Mercado ecommerce marketing digital junho 2013
Mercado ecommerce marketing digital junho 2013
 

Semelhante a Custo mídia TV problemas compra planejamento

Apresentação 21 de maio custoe problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe  problemas de comprasApresentação 21 de maio custoe  problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe problemas de comprasKauê Krischnegg
 
Aula 3 mídia - espocc
Aula 3 mídia - espoccAula 3 mídia - espocc
Aula 3 mídia - espoccespoccmidia
 
Midiatrabalho1.pptx
Midiatrabalho1.pptxMidiatrabalho1.pptx
Midiatrabalho1.pptxLucasViarte
 
Palestra planejamento mídia_21-05-12
Palestra planejamento mídia_21-05-12Palestra planejamento mídia_21-05-12
Palestra planejamento mídia_21-05-12Laisa Sobral
 
Palestra planejamento mídia_15-03-12
Palestra planejamento mídia_15-03-12Palestra planejamento mídia_15-03-12
Palestra planejamento mídia_15-03-12Laisa Sobral
 
Simplificando a publicidade atual
Simplificando a publicidade atual   Simplificando a publicidade atual
Simplificando a publicidade atual Pedro Aloi
 
Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9
Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9
Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9Luiz Felipe Barros
 
[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia Online[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia OnlineLeonardo Longo
 
Cálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídia
Cálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídiaCálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídia
Cálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídiamateusffreire
 
Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014
Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014 Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014
Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014 Cultura e Mercado
 
[USP] Estratégias de Mídia Online
[USP] Estratégias de Mídia Online [USP] Estratégias de Mídia Online
[USP] Estratégias de Mídia Online Leonardo Longo
 

Semelhante a Custo mídia TV problemas compra planejamento (20)

Apresentação 21 de maio custoe problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe  problemas de comprasApresentação 21 de maio custoe  problemas de compras
Apresentação 21 de maio custoe problemas de compras
 
Aula 3 mídia - espocc
Aula 3 mídia - espoccAula 3 mídia - espocc
Aula 3 mídia - espocc
 
Midia aula 17
Midia  aula 17Midia  aula 17
Midia aula 17
 
Midiatrabalho1.pptx
Midiatrabalho1.pptxMidiatrabalho1.pptx
Midiatrabalho1.pptx
 
Apresentação de mídia
Apresentação de mídiaApresentação de mídia
Apresentação de mídia
 
Palestra planejamento mídia_21-05-12
Palestra planejamento mídia_21-05-12Palestra planejamento mídia_21-05-12
Palestra planejamento mídia_21-05-12
 
Palestra planejamento mídia_15-03-12
Palestra planejamento mídia_15-03-12Palestra planejamento mídia_15-03-12
Palestra planejamento mídia_15-03-12
 
Midia - Aula 7
Midia - Aula 7Midia - Aula 7
Midia - Aula 7
 
P mt5
P mt5P mt5
P mt5
 
Simplificando a publicidade atual
Simplificando a publicidade atual   Simplificando a publicidade atual
Simplificando a publicidade atual
 
Apresentao de midia 101027082136-phpapp02
Apresentao de midia 101027082136-phpapp02Apresentao de midia 101027082136-phpapp02
Apresentao de midia 101027082136-phpapp02
 
Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9
Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9
Mídia Online - ESPM Marketing Digital - aula 9
 
[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia Online[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia Online
 
Radio, tv e cinema
Radio, tv e cinemaRadio, tv e cinema
Radio, tv e cinema
 
slides-midia2.pdf
slides-midia2.pdfslides-midia2.pdf
slides-midia2.pdf
 
Cálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídia
Cálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídiaCálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídia
Cálculo do GRP e CPP em mídia. Aula de planejamento de mídia
 
Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014
Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014 Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014
Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014
 
Planejamento de Mídia
Planejamento de MídiaPlanejamento de Mídia
Planejamento de Mídia
 
[USP] Estratégias de Mídia Online
[USP] Estratégias de Mídia Online [USP] Estratégias de Mídia Online
[USP] Estratégias de Mídia Online
 
Sobre mídia...
Sobre mídia...Sobre mídia...
Sobre mídia...
 

Mais de Kauê Krischnegg

Gerenciador de Negócios do Facebook
Gerenciador de Negócios do FacebookGerenciador de Negócios do Facebook
Gerenciador de Negócios do FacebookKauê Krischnegg
 
As buscas por Av. Brasil na internet.
As buscas por Av. Brasil na internet.As buscas por Av. Brasil na internet.
As buscas por Av. Brasil na internet.Kauê Krischnegg
 
Pesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abrilPesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abrilKauê Krischnegg
 
Apresentação 21 de maio didge
Apresentação 21 de maio didgeApresentação 21 de maio didge
Apresentação 21 de maio didgeKauê Krischnegg
 
Custo de mídia e problemas de compra 5 maio
Custo de mídia e problemas de compra 5 maioCusto de mídia e problemas de compra 5 maio
Custo de mídia e problemas de compra 5 maioKauê Krischnegg
 
Apresentação de Mídias Sociais
Apresentação de Mídias SociaisApresentação de Mídias Sociais
Apresentação de Mídias SociaisKauê Krischnegg
 
Apresentação Briefing de Planejamento de Mídia
Apresentação Briefing de Planejamento de MídiaApresentação Briefing de Planejamento de Mídia
Apresentação Briefing de Planejamento de MídiaKauê Krischnegg
 

Mais de Kauê Krischnegg (11)

Sobre KaueKGG.com.br
Sobre KaueKGG.com.brSobre KaueKGG.com.br
Sobre KaueKGG.com.br
 
Gerenciador de Negócios do Facebook
Gerenciador de Negócios do FacebookGerenciador de Negócios do Facebook
Gerenciador de Negócios do Facebook
 
Portifolio - KaueKGG
Portifolio - KaueKGGPortifolio - KaueKGG
Portifolio - KaueKGG
 
As buscas por Av. Brasil na internet.
As buscas por Av. Brasil na internet.As buscas por Av. Brasil na internet.
As buscas por Av. Brasil na internet.
 
Pesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abrilPesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abril
 
Apresentação 21 de maio didge
Apresentação 21 de maio didgeApresentação 21 de maio didge
Apresentação 21 de maio didge
 
Custo de mídia e problemas de compra 5 maio
Custo de mídia e problemas de compra 5 maioCusto de mídia e problemas de compra 5 maio
Custo de mídia e problemas de compra 5 maio
 
Estrategias de midia
Estrategias de midiaEstrategias de midia
Estrategias de midia
 
Apresentação de Mídias Sociais
Apresentação de Mídias SociaisApresentação de Mídias Sociais
Apresentação de Mídias Sociais
 
Apresentação Briefing de Planejamento de Mídia
Apresentação Briefing de Planejamento de MídiaApresentação Briefing de Planejamento de Mídia
Apresentação Briefing de Planejamento de Mídia
 
Planejamento de Mídia
Planejamento de MídiaPlanejamento de Mídia
Planejamento de Mídia
 

Último

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 

Último (20)

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 

Custo mídia TV problemas compra planejamento

  • 1. Custo de mídia e problemas de compra UNIVALI Publicidade e Propaganda 4º período Planejamento de mídia
  • 2. Apresentação Considerações iniciais Planejamento e compra Custos de mídia Custos em televisão
  • 4. Custo de mídia e problemas de compra Dimensão da verba... Baseada nos custos de mídia relativos ao número de audiências-alvo; Distribuídas pelas áreas geográficas desejadas nos melhores pontos de venda.
  • 5. Custo de mídia e problemas de compra Levando isso em consideração, O plano de mídia deve maximizar a distribuição dos objetivos de Marketing, determinados em relação ao custo-eficiência.
  • 6. Custo de mídia e problemas de compra Para isso, o planejador de mídia Precisa estar conectado ao mercado em que vai atuar e ao consumo de mídia desse mercado.
  • 7. Custo de mídia e problemas de compra Custos de mídia são relativos TV Oferta X Procura Jornal e Revista Constantes no custo Fácil previsão para o planejamento Difícil previsão para o planejamento
  • 8. Custo de mídia e problemas de compra Estimar custos é mais uma arte do que uma ciência... Depende, principalmente, do profissionalismo e da capacidade de análise de pesquisa do mídia.
  • 9. Custo de mídia e problemas de compra Estimar custos é mais uma arte do que uma ciência... Se o plano é baseado em custos que estão fora da realidade ou de realidade ultrapassada, será um planejamento falho; Se a estimativa de custo é falho, todo o plano pode ser questionado pelo cliente.
  • 10. Custo de mídia e problemas de compra Estimar custos é uma tarefa árdua... Cada tipo de mídia tem um custo, diferentes potenciais de negociação e diferentes problemas de compras.
  • 12. Planejamento e compra = Plano de mídia eficiente Bom cumprimento das metas de Marketing Impactos dentro da verba determinada Núcleo de plano de mídia eficaz Número aproximado de impactos alcance frequência
  • 13. Planejamento e compra O planejador de mídia deve Desenvolver um processo de cálculo, combinado com o custo de várias alternativas de mídia com a distribuição do plano, para chegar ao relacionamento perfeito entre custo e distribuição.
  • 14. Planejamento e compra O planejador de mídia deve Desenvolver um processo de cálculo, combinado com o custo de várias alternativas de mídia com a distribuição do plano, para chegar ao relacionamento perfeito entre custo e distribuição.
  • 16. Planejamento e compra Supondo que... Custo por mil de mulheres, 18 anos ou mais, para o período diurno em rede de televisão seja de R$ 4,46 (base :30). Custo por mil do mesmo segmento, para o período noturno seja de R$ 12,87.
  • 17. Uma verba fixa, colocando todo dinheiro no horário diurno, distribuirá 3 vezes mais impactos do que o horário noturno Por outro lado, o alcance no período nortuno será maior do que o do período diurno no prazo total de 52 semanas Alcance e frequênciamédios para 4 semanas, para noturno, seria mais baixo do que para diurno. Contudo, a frequencia no período diurno será maior do que a o período noturno, no prazo total de 52 semanas
  • 18. Planejamento e compra Independente se for CPM ou $/GRP, A eficiência de custo da distribuição de mídia é importante. É trabalho do mídia combinar plenamente a familiaridade de custos de mídia e dinâmicas de distribuição com as metas do plano de marketing de alcançar as audiências determinadas. O mídia deve ser cuidadoso ao empregar suposições corretas de custo de mídia no plano.
  • 20. Alternativa de mídia – Custo e distribuição Modelo de anúncio Valor unid. Prev. Aud. Abs. Aud. COM Est.
  • 21. Planejamento e compra Como assegurar estimativas corretas de custo de mídia? 1. Manter contato próximo com mecanismos de custo de mídia do mercado.
  • 22. Planejamento e compra Preço para mídia impressa, por exemplo... Revistas, jornais e encartes de jornais, há um tempo atrás, Estavam relacionados ao custo de produção. Quando papel, tinta, salário e custos de postagem aumentavam, as publicações de revistas repassavam o valor para o anunciante; Esses valores tenderam a crescer de formas modesta quando comparada a mídia eletrônica; Porém, com o início das negociações nos anos 80, os aumentos de impressão se equipararam aos de programação de mídia eletrônica
  • 23. Custo de mídia e índice de tendências CPM
  • 24. Planejamento e compra Preço para mídia impressa, por exemplo... Hoje, ambas, mídia eletrônica e revistas, são influenciadas pela LEI DE OFERTA E PROCURA. O planejador calcula oferta e procura nesses tipos de mídia quando mantém contato com seus fornecedores; Esse contato dá ao planejador uma visão do que está acontecendo no mercado e, assim, consegue prever as mudanças (pra cima ou pra baixo) nos preços de mídia.
  • 25. Planejamento e compra Como assegurar estimativas corretas de custo de mídia? 1. Manter contato próximo com mecanismos de custo de mídia do mercado. 2. Planejadores inteligentes incluem compradores de mídia no desenvolvimento das estimativas de custo de mídia.
  • 26. Planejamento e compra Em uma realidade um pouco diferente da regional, Algumas agências empregam compradores especialistas de mídia, que estão em contato constante com os fornecedores de mídia. A vantagem de se ter uma pessoa responsável somente pela compra de mídia é a familiaridade com o mercado, repassada para o planejador.
  • 27. Planejamento e compra Como assegurar estimativas corretas de custo de mídia? 1. Manter contato próximo com mecanismos de custo de mídia do mercado. 2. Planejadores inteligentes incluem compradores de mídia no desenvolvimento das estimativas de custo de mídia. 3. Agências profissionais desenvolvem habilidades para estimar mudanças de custo de mídia por meio da história da própria agência.
  • 28. Planejamento e compra Depois de todo o processo de compra de mídia, É importante fazer um banco de dados de custo de mídia, nacional e regional, para prever com facilidade o mercado em que está atuando; Após completar o plano de mídia e as estimativas, deve-se analisar o quão próximo o plano está condizente com a realidade – ANÁLISE PÓS COMPRA. Essa análise ajuda a manter as estimativas mais precisas.
  • 30. Custos de mídia Investimento em custo de mídia Analisando a tabela a seguir, percebe-se os investimentos mais importantes feitos em mídia no ano de 1990.
  • 31. Investimento em mídia de anunciantes nacionais (1990)
  • 32. Custos de mídia Dentro das mídias amplas, Há muitas alternativas disponíveis das quais o planejador deve estar inteirado; Não só a mídia como a diferença entre as mídias regionais e nacionais devem ser analisadas e aproveitadas.
  • 34. Custos de televisão Na tabela anterior, A maioria de investimento em televisão é relativa a bens de consumo e serviços. Porém, tem havido crescimento do investimento em relação a indústrias e negócios. “Perecibilidade” – principal característica do meio TV.
  • 35. Custos de televisão Perecibilidade... Está ligado ao fato de um espaço de :30 não ser infinito. Enquanto a revista pode aumentar sua edição a fim de agregar mais publicidade, um espaço na TV não é recuperado se não for negociado.
  • 36. Custos de televisão O custo do meio TV. Menos demanda por anúncios perto da data de ir ao ar cria redução de preço, SE HOUVER DISPONIBILIDADE de programação
  • 37. Custos de televisão Perecibilidade... Assim, há um espaço de tempo certo para negociar espaço em TV.
  • 38. Custos de televisão O custo do meio TV. O preço de espaço em TV sempre é relevante, mas pode aumentar ou diminuir de acordo com a demanda. Quanto maior a demanda e mais cedo é feita a negociação, maior a probabilidade de o valor ser mais alto.
  • 39. Custos de televisão O custo do meio TV. Menos demanda por anúncios perto da data de ir ao ar cria redução de preço, SE HOUVER DISPONIBILIDADE de programação
  • 40. Custos de televisão As subcategorias do meio TV TV Rede de televisão TV a cabo Estações locais Produção independente
  • 41. Custos de televisão As subcategorias do meio TV Rede de televisão
  • 42. Rede de televisão São as redes nacionais; Aquelas em que parte da programação é exibida em todo o território nacional; Algumas possuem lacunas alimentadas de programação local; Pode ser dona ou parceira de redes locais.
  • 43. Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Horário nobre (20h – 23h) Alto índice de audiência (domicilio com televisão ligada); Geralmente detentor dos maiores preços; Tendência a atingir audiência familiar com altos índices de alcance;
  • 44. Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Horário diurno (10h – 16h30) Geralmente o menos caro da rede; Audiência domiciliar média de 4,6; Distribuição eficiente em CPM a domicílios e donas de casa.
  • 45. Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Horário de fim de noite ( geralmente das 23h30 até encerramento) A programação varia de rede para rede e de acordo com o tempo; Geralmente programado com entrevistas, filmes e diferentes tipos de entretenimento, incluindo bandas e humorismo; Apesar de a média de audiência domiciliar ser parecida com o diurno, há dualidade de audiência, o que empobrece a segmentação do horário.
  • 46. Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Fim de semana Programação geralmente esportiva ou infantil; Programação esportiva = domínio do anunciante orientado para público masculino; Possui um elevado CPM, menos quando há eventos esportivos ligados a uma marca;
  • 47. Rede de televisão Rede de Televisão e sua programação... Fim de semana Sábado de manhã – geralmente voltado para público infantil. Comerciais de produtos matinais, brinquedos, fast-food e doces concentram uma porção significativa de seu orçamento para propaganda na TV.
  • 48. Rede de televisão Redes Locais A diversidade da programação de rede abrange quase todos os interesses; Essa diversidade dá subsídios ao planejador com oportunidades para atingir mercados nacionais amplos com programações orientadas especificamente para o público-alvo; Os custos para essa programação mudam de acordo com as mudanças de demanda do mercado;
  • 49. Custos de televisão As subcategorias do meio TV Estações locais
  • 50. Estações Locais Programação em Estações Locais São estações de televisão local; Podem estar afiliadas a uma rede e transmitir a programação da mesma; Podem ser estações independentes, sendo assim responsáveis por toda sua programação.
  • 51. Estações Locais Programação em Estações Locais Os custos de propaganda local variam de marcado para mercado; Baseados em demanda de distribuição de audiência para o tempo disponível para comerciais; O custo vai variar de cidade para cidade , dependendo do número de pessoas atingidas (ex: Blumenau, Itajaí)
  • 52. Estações Locais Programação em Estações Locais Mesmo dentro da programação de rede, há certas faixas de horário colocadas de lado pelas vendas locais; Isso possibilita o anunciante local a comprar um comercial de 30” (se disponível) num programa originado pela rede, ou entre programas.
  • 53. Estações Locais Programação em Estações Locais Os preços vão, novamente, basear-se na distribuição e disponibilidade de tempo comercial; Em geral, são veículos de mídia de alto custo-eficiência para alcançar mercados geográficos específicos.
  • 54. Custos de televisão As subcategorias do meio TV Produção Independente
  • 55. Produção Independente Como funciona Desenvolve-se um pacote de programa ou programação vendido diretamente ao anunciante e/ou liberado pelo produtor numa base de mercado a mercado.
  • 56. Produção Independente Os 3 tipos de negociação: PERMUTA TOTAL: Quando a estação local recebe o programa e porcentagem do tempo de comercial dentro do programa pela venda local em troca da colocação do programa no ar; PARTE PERMUTA / PARTE CASH: Quando a estação local paga uma taxa de licença para transmitir o programa. Assim, a rede pode ter domínio parcial ou total do espaço publicitário do programa.;
  • 57. Produção Independente Os 3 tipos de negociação: DINHEIRO VIVO: Quando a estação local paga em dinheiro pela produtora e pode vender todos os horários comerciais para anunciante locais ou nacionais; GERALMENTE, O CUSTO EFICIENTE DOS PRODUTORES É 25% MELHOR DO QUE O CUSTO-EFICIÊNCIA DA REDE OU ESTAÇÃO LOCAL
  • 58. Custos de televisão As subcategorias do meio TV TV a cabo
  • 59. TV a cabo Os custos de TV a cabo: Pode ser comprada em base nacional ou local; Embora tenha programação diferente, imita a rede nacional em parte da programação: manhã cedo, longo do dia, horário nobre e fim de noite; Elemento importante em ascensão em vários planos de mídia;
  • 60. TV a cabo 3 maiores vantagens da TV a cabo: Segmentação de público-alvo (narrowcasting); Melhor CPM em relação a rede nacional; Pessoas com TV a cabo não assistem a rede nacional, o que aprimora a distribuição de GRP.
  • 62. Custo de Revista Uma das duas maiores categorias de mídia impressa (junto com o jornal); Para espaços impressos, o preço tende a ser ligeiramente mais estável de que a mídia eletrônica, pois podem ajustar o número de páginas para mais ou para menos;
  • 63. Custo de Revista Assim, o custo da impressão é uma variável em oposição ao compromisso fixo da televisão e sua perecibilidade; Geralmente, revistas editam tabelas de preço que cobrem custos futuros, mas não são confiantes para negociação de pacotes; Ao projetar compra de revista no planejamento de um ano, deve-se ser cuidadoso com os cálculos de taxas.
  • 64. Custo de Revista Interesses Gerais Femininas Infantil Animais Categorias de revistas Masculinas Revistas para o Lar Saúde Educação
  • 65. Custo de Revista Interesses Gerais: São revistas de interesse Geral, como Veja, Isto é, Guias de TV e outros; Conteúdo editorial não exclui nenhum tipo de leitor potencial; Grande potencial de circulação; Custo proporcionalmente alto por página.
  • 66. Custo de Revista Revistas Femininas: Publicação editoriais seletivas, como Marie Claire, Claudia, Nova, Estilo, entre outras; Conteúdo editorial informativo e de entretenimento direcionado às mulheres; Dependendo da revista há potenciais altos e médios de circulação;
  • 67. Custo de Revista Revistas para o lar: Revistas como Casa Cláudia, Casa e Jardin, Saúde e Lar, que apontam em outra direção, ou seja, preocupações e interesses de donas de casa; Dirigem-se a adultos e à audiência com dualidade. Essa seletividade e dualidade de audiência dá ao planejador uma oportunidade de anunciar em um ambiente compatível com certos públicos por preço interessante.
  • 68. O custo de Jornais Meio que oferece benefícios distintos: Flexibilidade em trabalhos combinados mercado a mercado; Prazo de fechamento rápido; Cobertura interna do mercado local e Identificação do mercado especializado
  • 69.
  • 70.
  • 71. O custo de Jornais ROP - RunOfPaper Anúncios no próprio jornal; Podem ser comprados quase em qualquer tamanho; P/B ou colorido; Se um cor for adicionada ao P/B, o adicional é de 10 a 15%; O adicional de custos para 4 cores é, em geral, de 20 a 40%.
  • 72. O custo de Jornais Encartes Inserções impressas fora do jornal e colocadas dentro do mesmo; Podem ser impressas em papel de boa ou baixa qualidade, gramatura, P/B, colorido, informando o que for de interesse e impresso da maneira desejada; Os custos vão depender da produção e qualidade + a inserção e distribuição do encarte, de acordo com a tabela do veículo.
  • 73. O custo de rádio
  • 74. O custo de rádio O custo de rádio A opção e anúncio via rádio é oferecida em rede nacional ou em mercados locais independentes; Muitas emissoras possuem cálculos de alcance e freqüência; Isso nos ajuda a medir o efeito de diferentes combinações de estações, quanto à distribuição de impactos gerais e estimativas alcance x freqüência
  • 75. O custo de rádio
  • 76. O custo de rádio O custo de rádio Rádio em rede: Inclui programação de notícias, música, esporte e cultura; Custos relativamente baixos; Em média, cerca de R$5000,00 por anúncio de 30´´.
  • 77. O custo de rádio O custo de rádio Rádio local: Varia de mercado para mercado; Custo-benefício de rádio local é infinito em relação às redes de rádio, chegando a ser 90% mais barato do que as redes, dependendo do mercado; A escolha entre o uso de um ou outro vai depender do plano estabelecido.
  • 78. Midia Externa Possui uma gama ampla de formas de apresentação; Diferencia drasticamente em tamanho e localização; É a mais localizada de todas as formas de mídia, pode ser comprada em um local muito específico e estratégico; Os mais conhecidos são os painéis tipo pôster (bulletins) em cores e anúncios no trânsito
  • 79. Midia Externa Painéis tipo pôster Propaganda de tipo exterior, no qual anúncio pré- impresso é instalado; As dimensões mais usadas são: Padrão; Junior; Três folhas.
  • 80. Midia Externa Pôster tipo padrão: Chamado de 30 folhas; 12 pés (3,7 metros) de altura por 25 pés (7,6 metros) de comprimento; Essa dimensão é padrão, mas pode ser modificada de acordo com o espaço disponível.
  • 81. Midia Externa Pôster tipo junior: Chamado de 8 folhas; Mais ou menos 1/4 do tamanho do pôster padrão.
  • 82. Midia Externa Pôster tipo três folhas: Usado extensivamente no trânsito; Mede 60 polegadas (1,5 metros) por 46 polegadas (1,16 metros)
  • 83. Midia Externa Custo de pôster: São, geralmente, vendido em pacotes de GRPs; Ex: Pacote de 100 GRP distribui oportunidades iguais a 100% da população do mercado no dia. Custo varia MUITO de mercado para mercado, dependendo, principalmente, do público-alvo
  • 84. Midia Externa Cartazes em cores: : Geralmente, mais largos que o poster e possui, em média, 14 pés (4,2 metros) de altura por 48 pés (14 metros) de altura; São vendidos indivudualmente ou em pacotes; Pode variar de R$2000,00 a 15.000,00, dependendo do mercado da empresa
  • 85. Midia Externa Cartazes em cores: : Existem dois tipos de cartazes em cores: Permanente – anunciante compra o espaço por um dois anos e troca somente a arte, lona, ou não. Rotativo – Anunciante confecciona o cartaz e passa de lugar a lugar dentro de um mercado, conforme programação estabelecida (ou ciclos de 30-, 60-, ou 90- dias, dependendo do mercado)
  • 86. Midia Externa Anúncios em trânsito: Aqueles disponíveis em onibus, táxis, trens, e terminais de transporte; Inúmeros tamanhos e formatos; Custo variável, depende do mercado, meio tamanho, duração do contrato de exibição e extensão da área da compra.
  • 87. Voltando ao modelo de slide anterior...
  • 88. Custo de mídia Em meio a tantas mídias tradicionais e suas formas tradicionais de compra, há a internet modificando e revolucionando todo o conceito de mídia. A promessa da mídia interativa está atraindo tanto o mercado da internet para as mídias tradicionais como as mídias tradicionais para a internet.
  • 90. Para casa! Faça um texto de 1 folha com as seguintes questões: Qual a correlação entre Gutermberg e a Nova Era digital? Qual é o destino das mídias tradicionais impressas e eletrônicas com a entrada da internet? Levando mídia exterior em consideração, qual seria seu destino? Quais seriam os maiores desafios do planejador de mídia frente a essa evolução?