SlideShare uma empresa Scribd logo
ConceitosBásicossobreQualidade
ISO9001
Profª: Ariadne C. Eduardo
Módulo: Controle de Processos
Controle de
Qualidade
Histórico da Qualidade
 O controle da qualidade emergiu nos Estados Unidos,
como diferencial competitivo.
1939
SHEWHAR
T
1945
JUSE
1980
DEMING
JURAN
FEIGENBAU
MASLOW
MC GREGOR
HERZBERG
Início de
Adm
Científica
II Guerra
Concretizaçã0
do CQT
“O PROBLEMA CENTRAL NA
ADMINISTRAÇÃO E NA LIDERANÇA
REFERE-SE AO NÃO
ENTENDIMENTO DAS
INFORMAÇÕES CONTIDAS NA
VARIABILIDADE DO PROCESSO .”
Um dos atributos do profissional de
operador de processos minero-químico
é o controle de qualidade do que ele
produz.
O que é Qualidade?
“É atender plenamente os requisitos do
cliente”
“É superar a expectativa do cliente”
Benefícios da Qualidade
 Na visão do fornecedor
 Maior precisão nas estimativas
 Maior produtividade
 Redução de defeitos no produto
 Aumento da confiabilidade do produto
 Menos esforço de trabalho
 Menos horas extras de trabalho
 Redução do tempo para atender o mercado
 Redução de custo de desenvolvimento e manutenção
 Maior competitividade
 Maior índice de satisfação do cliente/usuário final
Benefícios da Qualidade
 Na visão do contratante
 Auxilia a definição de critérios para seleção e
descredenciamento de fornecedores
 Auxilia a definição de processos de acompanhamento
do progresso e desempenho dos fornecedores nas
etapas de desenvolvimento, entrega e pós-entrega dos
produtos
 Auxilia a definição de critérios para avaliação e
aceitação dos produtos entregues pelo fornecedor
Acúmulo
de trabalho
Abandono de
planos e
procedimentos
Sucesso depende muito do
esforço heróico das pessoas Pouca
repetibilidade
Produto funciona, mas
com defeitos; prazo e
custo maiores; e menos
funcionalidade
Clientes e
funcionários
insatisfeitos
Principais Problemas do Controle de Qualidade
 Globalização
Novas exigências, alta competitividade, concorrência
internacional
 Qualidade como Arma Competitiva
Equiparação com padrões internacionais, garantia de
conformidade do produto, garantia da satisfação do cliente
 No contexto mineração
Menor custo no processo de extração do minério, compra
de equipamento de ultima geração e cursos de capacitação
para funcionários.
S
E
G
U
R
A
N
Ç
A
C
U
S
T
O
E
N
T
R
E
G
A
Q
U
A
L
I
D
A
D
E
I
N
T
Í
N
S
E
C
A
A
M O R A L
S a t i s f a z e r P e s s o a s
S obrevivência
D a
O r g a n i z a ç ã o
Atributos da Qualidade
Moral: estado de espírito do trabalhador, clima de
motivação.
Qualidade Intrínseca: qualidade dos produtos e
serviços da organização.
Entrega: o produto deve ser entregue no local certo, na
hora certa, e com a quantidade certa
Custo: custo benefício.
Segurança: Interna e Externa.
• O 5S ou House keeping é um conjunto de técnicas
desenvolvidas no Japão e utilizadas inicialmente pelas
donas-de-casa japonesas para envolver todos os membros da
família na administração e organização do lar.
Ferramentas para Qualidade
Programa 5 S
• No final dos anos 60, quando os industriais japoneses
começaram a implantar o sistema de qualidade total
(QT) nas suas empresas, perceberam que o 5S seria
um programa básico para o sucesso da QT.
5S vem das letras iniciais das cinco técnicas que o
compõe:
Seiri : organização, utilização, liberação da
área;
Seiton : ordem arrumação;
Seiso :limpeza;
Seiketsu :padronização, asseio, saúde;
Shitsuke: disciplina, autodisciplina.
 Melhoria do ambiente de trabalho;
 Prevenção de acidentes;
 Incentivo à criatividade;
 Redução de custos;
 Eliminação de desperdício;
 Desenvolvimento do trabalho em equipe;
 Melhoria das relações humanas;
 Melhoria da qualidade de produtos e serviços.
Objetivos do
Programa
SEIRI – Organização, liberação
da área
• conseguir liberação de espaço;
• eliminar ferramentas, armários,
prateleiras e materiais em excesso;
• eliminar dados de controle ultrapassados;
• eliminar itens fora de uso e sucata;
• diminuir risco de acidentes.
SEITON - Ordem, arrumação
Vantagens:
• rapidez e facilidade para encontrar
documentos, materiais, ferramentas e outros
objetos;
• economia de tempo;
• diminuição de acidentes.
SEISO - Limpeza
• não desperdiçar materiais;
• não forçar equipamentos;
• deixar banheiros e outros recintos em ordem após
o uso, etc.
SEIKETSU - Padronização, asseio,
saúde
Após termos cumprido as três primeiras etapas do programa 5S
devemos partir para a padronização e melhoria continua das atividades. Essa
etapa exige perseverança, pois se não houver mudanças no comportamento das
pessoas e nas rotinas que geram sujeira logo voltaremos à situação inicial, antes
da implantação do 5S.
SEIKETSU - Padronização, asseio,
saúde
Como principais vantagens do estabelecimento do
Seiketsu, temos:
• equilíbrio físico e mental;
• melhoria do ambiente de trabalho;
• melhoria de áreas comuns (banheiros,
refeitórios, etc)
• melhoria nas condições de segurança.
SHITSUKE - Disciplina ou
autodisciplina
• trabalho diário agradável;
• melhoria nas relações humanas;
• valorização do ser humano;
• cumprimento dos procedimentos operacionais e
administrativos;
• melhor qualidade, produtividade e segurança no
trabalho.
IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S
Embora composto por técnicas simples, a
implantação do programa deve seguir alguns passos.
 Sensibilização - é preciso sensibilizar a alta administração para que esta
se comprometa com a condução do programa 5S.
 Definição do gestor ou comitê central - O gestor deve ter
capacidade de liderança e conhecimento dos conceitos que fazem parte desse
programa.
O 5W2H, basicamente, é um checklist de
determinadas atividades que precisam ser
desenvolvidas com o máximo de clareza possível por
parte dos colaboradores da empresa.
5W2H
O nome desta ferramenta foi assim
estabelecido por juntar as primeiras letras dos
nomes (em inglês) das diretrizes utilizadas neste
processo.
What – O que será feito (etapas)
Why – Por que será feito (justificativa)
Where – Onde será feito (local)
When – Quando será feito (tempo)
Who – Por quem será feito (responsabilidade)
How – Como será feito (método)
How much – Quanto custará fazer (custo)
O que? (What) Treinamento sobre a importância do uso de EPIs
Quem? (Who) Operadores da linha de produção e forjaria
Onde? (Where)
No centro de Treinamentos da unidade da Vale de
Catalão
Quando? (When) No dia 15/10/05 das 9:00 às 12:00hs
Por quê? (Why)
Conscientização dos colaboradores quanto a importância
do uso de EPIs. Fazer com que eles usem o EPI adequado
às atividades que oferecem riscos de acidente
Como? (How) Palestra e vídeo
Quanto custa?
(How much)
Orçamento de R$ 3.000,00
Exemplo:
Gestão de Qualidade
ISO 9001
ISO – International Organization for Standardization
(Organização Internacional para Normatização)
• Organização não governamental;
• Elabora normas de aplicação internacional;
• Fundada em 23/02/1947;
• Sede em Genebra, Suíça;
• Atualmente existem aproximadamente 15.000 normas ISO;
• Atua desde tamanho de calçados, até cartões magnéticos, folhas
de papel (A3, A4, carta, ....).
Versão 1987 – Sistema de Qualidade
Versão 1994 – Sistema de Garantia da Qualidade
Versão 2000 – Sistema de Gestão da Qualidade
Nova Versão 2008 – Qualidade + Planej. Estratégico
A ISO 9001 hoje é reconhecida mundialmente e aceita como
base para uma organização que pretende demonstrar sua
capacidade e competência perante os requisitos de seus
clientes (e mercado), e para o varejo também!
Versões da ISO 9001
1 – Foco no cliente
(Entender as necessidades e expectativas dos clientes)
2 – Liderança
(Um líder define metas e objetivos)
3 – Envolvimento das pessoas
(As pessoas são a essência da organização)
4 – Abordagem de processos
(Gerenciamento de atividades por processos interrelacionados)
Princípios da Norma ISO 9001
5 – Abordagem sistêmica para gestão
(Buscar a eficiência dos processos inter-relacionados)
6 – Melhoria contínua
(Deve ser um objetivo permanente da organização)
7 – Abordagem factual para tomada de decisão
(Decisões eficazes são baseadas em fatos e dados reais e
confiáveis)
8 – Benefícios mútuos nas relações com fornecedores
(A valorização dos fornecedores beneficia mutuamente as
organizações)
INTERNOS:
 Organização e Limpeza;
 Esclarecer Objetivos;
 Definir papéis e responsabilidades;
 Desenvolver ações;
 Melhorar o desempenho organizacional;
 Capacitação da equipe;
 Promover o Crescimento e o fortalecimento da empresa;
 Prevenir falhas e interrupções indevidas nos processos;
 Reduzir custos e aumentar a produtividade.
.
Benefícios da aplicação da Norma em uma
empresa:
EXTERNOS:
 Reconhecimento do mercado;
 Credibilidade;
 Maior satisfação dos clientes;
 Preferência e Diferencial;
 Fidelização dos clientes;
 Facilidades de Crédito
Benefícios da aplicação da Norma em uma
empresa:
Procedimentos da Qualidade
Normas e Regulamentos Externos
Instruções ou Rotinas de Trabalho
Dados Informatizados (ERP / CRM /
BI)
Registros da Qualidade
Nível Estratégico
Nível Tático
Nível Operacional
Manual do SGQ (MQ)
Plano da Qualidade
Plano Estratégico
Pirâmide da Documentação Necessária
para implementação de uma ISO
A ISO 9001 estabelece, por exemplo, como requisito que uma
organização avalie a satisfação dos seus clientes quanto
aos produtos e serviços que receberam.
Ciclo de
melhoria de
Qualidade
Continuamos na próxima aula com
Instrumentação e Controle
e Comando!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
José Luismar
 
Aula 2 controle da qualidade total
Aula 2  controle da qualidade totalAula 2  controle da qualidade total
Aula 2 controle da qualidade total
institutocarvalho
 
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCAProcesso de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
Elaine Cecília Gatto
 
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
Claudio Bernardi Stringari
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
Celso Alfaia Barbosa
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Claudio Bernardi Stringari
 
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Alisson Sena, MBA
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidade Gestão da qualidade
Gestão da qualidade
Filipa Andrade
 
Aula 02 introducao adm da produção - db
Aula 02   introducao adm da produção - dbAula 02   introducao adm da produção - db
Aula 02 introducao adm da produção - db
Daniela Brauner
 
Eras da qualidade
Eras da qualidadeEras da qualidade
Eras da qualidade
Renato Bottini
 
Sistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da QualidadeSistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da Qualidade
Sergio Dias
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
Denis Carlos Sodré
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdca
Carci
 
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da QualidadeConceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Rogério Souza
 
Gestão da produção aula 01
Gestão da produção   aula 01Gestão da produção   aula 01
Gestão da produção aula 01
Mauricio de Castro
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
Eduardo Cardoso
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
Fernanda Paola Butarelli
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Fabricio Pangoni
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 

Mais procurados (20)

Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 
Aula 2 controle da qualidade total
Aula 2  controle da qualidade totalAula 2  controle da qualidade total
Aula 2 controle da qualidade total
 
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCAProcesso de Melhoria Contínua: PDCA
Processo de Melhoria Contínua: PDCA
 
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
 
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidade Gestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Aula 02 introducao adm da produção - db
Aula 02   introducao adm da produção - dbAula 02   introducao adm da produção - db
Aula 02 introducao adm da produção - db
 
Eras da qualidade
Eras da qualidadeEras da qualidade
Eras da qualidade
 
Sistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da QualidadeSistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da Qualidade
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdca
 
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da QualidadeConceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
 
Gestão da produção aula 01
Gestão da produção   aula 01Gestão da produção   aula 01
Gestão da produção aula 01
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
 

Destaque

Aula 24.2 spice-iso15504 v02
Aula 24.2  spice-iso15504 v02Aula 24.2  spice-iso15504 v02
Aula 24.2 spice-iso15504 v02
Thomas Bellaver
 
Gestão de risco e auditoria
Gestão de risco e auditoriaGestão de risco e auditoria
Gestão de risco e auditoria
Fabio Duarte
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
Valeria Carneiro
 
Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”
Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”
Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”
Impacta Eventos
 
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscosApresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
Caio Petrônios
 
Gestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria InternaGestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria Interna
InformaGroup
 
Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços.
Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços. Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços.
Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços.
SESCAP TO
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
elliando dias
 
InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008
Andréa Borges
 
Iso 27002-2013
Iso 27002-2013Iso 27002-2013
Iso 27002-2013
Fabio Martins
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
Nbr 8995 1 iluminacao
Nbr 8995 1 iluminacaoNbr 8995 1 iluminacao
Nbr 8995 1 iluminacao
Michele Julliari
 
The new ISO 9001:2015
The new ISO 9001:2015The new ISO 9001:2015
The new ISO 9001:2015
Reza Seifollahy
 

Destaque (13)

Aula 24.2 spice-iso15504 v02
Aula 24.2  spice-iso15504 v02Aula 24.2  spice-iso15504 v02
Aula 24.2 spice-iso15504 v02
 
Gestão de risco e auditoria
Gestão de risco e auditoriaGestão de risco e auditoria
Gestão de risco e auditoria
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”
Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”
Palestra “A Auditoria como ferramenta na Gestão de Riscos”
 
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscosApresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
 
Gestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria InternaGestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria Interna
 
Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços.
Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços. Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços.
Palestra - Tema: Auditoria nos Controles Internos das Empresas de Serviços.
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
 
InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008
 
Iso 27002-2013
Iso 27002-2013Iso 27002-2013
Iso 27002-2013
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Nbr 8995 1 iluminacao
Nbr 8995 1 iluminacaoNbr 8995 1 iluminacao
Nbr 8995 1 iluminacao
 
The new ISO 9001:2015
The new ISO 9001:2015The new ISO 9001:2015
The new ISO 9001:2015
 

Semelhante a Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001

INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
GiseleSouza53260
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
Fábio Nascimento
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
claudio864549
 
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
A N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I GA N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I G
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
Fregonezi
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Fregonezi
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
guestb3227e
 
Gurus da Gestão da Qualidade
Gurus da Gestão da QualidadeGurus da Gestão da Qualidade
Gurus da Gestão da Qualidade
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Gestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade TotalGestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade Total
Kelen Mendes
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Alexandre Porto Araujo
 
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_spFerramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Silvana Fontes
 
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
Carlos Sousa
 
Gestao e qualidade
Gestao e qualidadeGestao e qualidade
Gestao e qualidade
Sabrine Souza
 
Apostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico iApostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico i
Pablisson Martins
 
126131644_slides_qualidade.ppt
126131644_slides_qualidade.ppt126131644_slides_qualidade.ppt
126131644_slides_qualidade.ppt
RicardoAmadeu3
 
1206131644_slides_qualidade[1].pptx
1206131644_slides_qualidade[1].pptx1206131644_slides_qualidade[1].pptx
1206131644_slides_qualidade[1].pptx
MarcoFrancisco24
 
Gestao e qualidade
Gestao e qualidadeGestao e qualidade
Gestao e qualidade
Eduardo de Araujo
 
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdfAula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
ANNECAROLINEALBUQUER
 
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade
Universidade de Pernambuco
 
Fundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da QualidadeFundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da Qualidade
Gerente Consciente
 
Cap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.pptCap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.ppt
DanielCosta900514
 

Semelhante a Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001 (20)

INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
 
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptxINTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
INTRODUÇÃO SISTEMAS DA QUALIDADE.pptx
 
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
A N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I GA N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I G
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
 
Gurus da Gestão da Qualidade
Gurus da Gestão da QualidadeGurus da Gestão da Qualidade
Gurus da Gestão da Qualidade
 
Gestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade TotalGestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade Total
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_spFerramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
 
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos2017 07 29_qualidade_projetos_processos
2017 07 29_qualidade_projetos_processos
 
Gestao e qualidade
Gestao e qualidadeGestao e qualidade
Gestao e qualidade
 
Apostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico iApostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico i
 
126131644_slides_qualidade.ppt
126131644_slides_qualidade.ppt126131644_slides_qualidade.ppt
126131644_slides_qualidade.ppt
 
1206131644_slides_qualidade[1].pptx
1206131644_slides_qualidade[1].pptx1206131644_slides_qualidade[1].pptx
1206131644_slides_qualidade[1].pptx
 
Gestao e qualidade
Gestao e qualidadeGestao e qualidade
Gestao e qualidade
 
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdfAula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
Aula 01 - GESTÃO DA QUALIDADE.pdf
 
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Sistema Integrado de Qualidade
 
Fundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da QualidadeFundamento em Gestão da Qualidade
Fundamento em Gestão da Qualidade
 
Cap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.pptCap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.ppt
 

Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001

  • 1. ConceitosBásicossobreQualidade ISO9001 Profª: Ariadne C. Eduardo Módulo: Controle de Processos
  • 3. Histórico da Qualidade  O controle da qualidade emergiu nos Estados Unidos, como diferencial competitivo. 1939 SHEWHAR T 1945 JUSE 1980 DEMING JURAN FEIGENBAU MASLOW MC GREGOR HERZBERG Início de Adm Científica II Guerra Concretizaçã0 do CQT
  • 4. “O PROBLEMA CENTRAL NA ADMINISTRAÇÃO E NA LIDERANÇA REFERE-SE AO NÃO ENTENDIMENTO DAS INFORMAÇÕES CONTIDAS NA VARIABILIDADE DO PROCESSO .”
  • 5. Um dos atributos do profissional de operador de processos minero-químico é o controle de qualidade do que ele produz.
  • 6. O que é Qualidade? “É atender plenamente os requisitos do cliente” “É superar a expectativa do cliente”
  • 7. Benefícios da Qualidade  Na visão do fornecedor  Maior precisão nas estimativas  Maior produtividade  Redução de defeitos no produto  Aumento da confiabilidade do produto  Menos esforço de trabalho  Menos horas extras de trabalho  Redução do tempo para atender o mercado  Redução de custo de desenvolvimento e manutenção  Maior competitividade  Maior índice de satisfação do cliente/usuário final
  • 8. Benefícios da Qualidade  Na visão do contratante  Auxilia a definição de critérios para seleção e descredenciamento de fornecedores  Auxilia a definição de processos de acompanhamento do progresso e desempenho dos fornecedores nas etapas de desenvolvimento, entrega e pós-entrega dos produtos  Auxilia a definição de critérios para avaliação e aceitação dos produtos entregues pelo fornecedor
  • 9. Acúmulo de trabalho Abandono de planos e procedimentos Sucesso depende muito do esforço heróico das pessoas Pouca repetibilidade Produto funciona, mas com defeitos; prazo e custo maiores; e menos funcionalidade Clientes e funcionários insatisfeitos Principais Problemas do Controle de Qualidade
  • 10.  Globalização Novas exigências, alta competitividade, concorrência internacional  Qualidade como Arma Competitiva Equiparação com padrões internacionais, garantia de conformidade do produto, garantia da satisfação do cliente  No contexto mineração Menor custo no processo de extração do minério, compra de equipamento de ultima geração e cursos de capacitação para funcionários.
  • 11. S E G U R A N Ç A C U S T O E N T R E G A Q U A L I D A D E I N T Í N S E C A A M O R A L S a t i s f a z e r P e s s o a s S obrevivência D a O r g a n i z a ç ã o Atributos da Qualidade
  • 12. Moral: estado de espírito do trabalhador, clima de motivação. Qualidade Intrínseca: qualidade dos produtos e serviços da organização. Entrega: o produto deve ser entregue no local certo, na hora certa, e com a quantidade certa Custo: custo benefício. Segurança: Interna e Externa.
  • 13. • O 5S ou House keeping é um conjunto de técnicas desenvolvidas no Japão e utilizadas inicialmente pelas donas-de-casa japonesas para envolver todos os membros da família na administração e organização do lar. Ferramentas para Qualidade Programa 5 S
  • 14. • No final dos anos 60, quando os industriais japoneses começaram a implantar o sistema de qualidade total (QT) nas suas empresas, perceberam que o 5S seria um programa básico para o sucesso da QT.
  • 15. 5S vem das letras iniciais das cinco técnicas que o compõe: Seiri : organização, utilização, liberação da área; Seiton : ordem arrumação; Seiso :limpeza; Seiketsu :padronização, asseio, saúde; Shitsuke: disciplina, autodisciplina.
  • 16.  Melhoria do ambiente de trabalho;  Prevenção de acidentes;  Incentivo à criatividade;  Redução de custos;  Eliminação de desperdício;  Desenvolvimento do trabalho em equipe;  Melhoria das relações humanas;  Melhoria da qualidade de produtos e serviços. Objetivos do Programa
  • 17. SEIRI – Organização, liberação da área • conseguir liberação de espaço; • eliminar ferramentas, armários, prateleiras e materiais em excesso; • eliminar dados de controle ultrapassados; • eliminar itens fora de uso e sucata; • diminuir risco de acidentes.
  • 18. SEITON - Ordem, arrumação Vantagens: • rapidez e facilidade para encontrar documentos, materiais, ferramentas e outros objetos; • economia de tempo; • diminuição de acidentes.
  • 19. SEISO - Limpeza • não desperdiçar materiais; • não forçar equipamentos; • deixar banheiros e outros recintos em ordem após o uso, etc.
  • 20. SEIKETSU - Padronização, asseio, saúde Após termos cumprido as três primeiras etapas do programa 5S devemos partir para a padronização e melhoria continua das atividades. Essa etapa exige perseverança, pois se não houver mudanças no comportamento das pessoas e nas rotinas que geram sujeira logo voltaremos à situação inicial, antes da implantação do 5S.
  • 21. SEIKETSU - Padronização, asseio, saúde Como principais vantagens do estabelecimento do Seiketsu, temos: • equilíbrio físico e mental; • melhoria do ambiente de trabalho; • melhoria de áreas comuns (banheiros, refeitórios, etc) • melhoria nas condições de segurança.
  • 22. SHITSUKE - Disciplina ou autodisciplina • trabalho diário agradável; • melhoria nas relações humanas; • valorização do ser humano; • cumprimento dos procedimentos operacionais e administrativos; • melhor qualidade, produtividade e segurança no trabalho.
  • 23. IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S Embora composto por técnicas simples, a implantação do programa deve seguir alguns passos.  Sensibilização - é preciso sensibilizar a alta administração para que esta se comprometa com a condução do programa 5S.  Definição do gestor ou comitê central - O gestor deve ter capacidade de liderança e conhecimento dos conceitos que fazem parte desse programa.
  • 24. O 5W2H, basicamente, é um checklist de determinadas atividades que precisam ser desenvolvidas com o máximo de clareza possível por parte dos colaboradores da empresa. 5W2H
  • 25. O nome desta ferramenta foi assim estabelecido por juntar as primeiras letras dos nomes (em inglês) das diretrizes utilizadas neste processo. What – O que será feito (etapas) Why – Por que será feito (justificativa) Where – Onde será feito (local) When – Quando será feito (tempo) Who – Por quem será feito (responsabilidade) How – Como será feito (método) How much – Quanto custará fazer (custo)
  • 26. O que? (What) Treinamento sobre a importância do uso de EPIs Quem? (Who) Operadores da linha de produção e forjaria Onde? (Where) No centro de Treinamentos da unidade da Vale de Catalão Quando? (When) No dia 15/10/05 das 9:00 às 12:00hs Por quê? (Why) Conscientização dos colaboradores quanto a importância do uso de EPIs. Fazer com que eles usem o EPI adequado às atividades que oferecem riscos de acidente Como? (How) Palestra e vídeo Quanto custa? (How much) Orçamento de R$ 3.000,00 Exemplo:
  • 27. Gestão de Qualidade ISO 9001 ISO – International Organization for Standardization (Organização Internacional para Normatização) • Organização não governamental; • Elabora normas de aplicação internacional; • Fundada em 23/02/1947; • Sede em Genebra, Suíça; • Atualmente existem aproximadamente 15.000 normas ISO; • Atua desde tamanho de calçados, até cartões magnéticos, folhas de papel (A3, A4, carta, ....).
  • 28. Versão 1987 – Sistema de Qualidade Versão 1994 – Sistema de Garantia da Qualidade Versão 2000 – Sistema de Gestão da Qualidade Nova Versão 2008 – Qualidade + Planej. Estratégico A ISO 9001 hoje é reconhecida mundialmente e aceita como base para uma organização que pretende demonstrar sua capacidade e competência perante os requisitos de seus clientes (e mercado), e para o varejo também! Versões da ISO 9001
  • 29. 1 – Foco no cliente (Entender as necessidades e expectativas dos clientes) 2 – Liderança (Um líder define metas e objetivos) 3 – Envolvimento das pessoas (As pessoas são a essência da organização) 4 – Abordagem de processos (Gerenciamento de atividades por processos interrelacionados) Princípios da Norma ISO 9001
  • 30. 5 – Abordagem sistêmica para gestão (Buscar a eficiência dos processos inter-relacionados) 6 – Melhoria contínua (Deve ser um objetivo permanente da organização) 7 – Abordagem factual para tomada de decisão (Decisões eficazes são baseadas em fatos e dados reais e confiáveis) 8 – Benefícios mútuos nas relações com fornecedores (A valorização dos fornecedores beneficia mutuamente as organizações)
  • 31. INTERNOS:  Organização e Limpeza;  Esclarecer Objetivos;  Definir papéis e responsabilidades;  Desenvolver ações;  Melhorar o desempenho organizacional;  Capacitação da equipe;  Promover o Crescimento e o fortalecimento da empresa;  Prevenir falhas e interrupções indevidas nos processos;  Reduzir custos e aumentar a produtividade. . Benefícios da aplicação da Norma em uma empresa:
  • 32. EXTERNOS:  Reconhecimento do mercado;  Credibilidade;  Maior satisfação dos clientes;  Preferência e Diferencial;  Fidelização dos clientes;  Facilidades de Crédito Benefícios da aplicação da Norma em uma empresa:
  • 33. Procedimentos da Qualidade Normas e Regulamentos Externos Instruções ou Rotinas de Trabalho Dados Informatizados (ERP / CRM / BI) Registros da Qualidade Nível Estratégico Nível Tático Nível Operacional Manual do SGQ (MQ) Plano da Qualidade Plano Estratégico Pirâmide da Documentação Necessária para implementação de uma ISO
  • 34. A ISO 9001 estabelece, por exemplo, como requisito que uma organização avalie a satisfação dos seus clientes quanto aos produtos e serviços que receberam.
  • 36. Continuamos na próxima aula com Instrumentação e Controle e Comando!!!