SlideShare uma empresa Scribd logo
ORGANIZAÇÃOPOLÍTICO-
ADMINISTRATIVA NA AMÉRICA
PORTUGUESA
O BRASIL FOI “DESCOBERTO” POR PORTUGAL
EM 1500.
PEDRO ÁLVARES CABRAL É CONSIDERADO O
“DESCOBRIDOR” DO BRASIL.
NA VERDADE, PORTUGAL ESTAVA INTERESSADO
EM CONQUISTAR TERRAS NA AMÉRICA, POR
CAUSA DAS NOTÍCIAS DAS DESCOBERTAS
ESPANHOLAS A PARTIR DE 1492.
A CARTA DE CAMINHA (PERO VAZ DE CAMINHA)
É O DOCUMENTO OFICIAL DO DESCOBRIMENTO.
TRECHOS DA CARTA DE CAMINHA
SOBRE OS ÍNDIOS
“A pele deles é parda e um pouco avermelhada.
Têm rostos e narizes bem feitos. Andam nus, sem
cobertura alguma. Nem se preocupam em cobrir ou
deixar de cobrir suas vergonhas mais do se que
preocupariam em mostrar o rosto. E a esse respeito
são bastante inocentes.
Os cabelos deles são lisos. E os usavam
cortados e raspados até acima das orelhas.”
SOBRE AS ÍNDIAS
Ali andavam entre eles três ou quatro moças, bem
novinhas e gentis, com cabelos muito pretos e
compridos pelas costas; e suas vergonhas, tão altas
e tão cerradinhas e tão limpas das cabeleiras que,
de as nós muito bem olharmos, não se
envergonhavam.
E uma daquelas moças era toda tingida de baixo a
cima, daquela tintura e certo era tão bem feita e
tão redonda, e sua vergonha tão graciosa que a
muitas mulheres de nossa terra, vendo-lhe tais
feições envergonhara, por não terem as suas como
ela.
SOBRE A TERRA E O INTERESSE EXPLORATÓRIO
“De ponta a ponta é toda praia... muito chã e
muito formosa.
Até agora não pudemos saber se há ouro ou
prata nela, ou outra coisa de metal, ou ferro;
nem lha vimos. Contudo a terra em si é de muito
bons ares frescos e temperados. Águas são
muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa que,
querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo; por
causa das águas que tem!”
* APÓS A CHEGADA DE CABRAL (1500), PORTUGAL
NÃO SE INTERESSOU DE IMEDIATO EM COLONIZAR
O BRASIL.
* OS PORTUGUESES ESTAVAM MAIS INTERESSADOS
NO COMÉRCIO DAS ESPECIARIAS DO ORIENTE.
* O BRASIL NÃO APRESENTOU, DE IMEDIATO,
RIQUEZAS MINERAIS OU QUALQUER ATRATIVO QUE
LEVASSEM OS PORTUGUESES A OCUPAR DE FATO O
BRASIL
ESPECIARIAS
* O REI DE PORTUGAL DEIXOU A ATIVIDADE DE
POVOAMENTO A PARTICULARES,
INCENTIVANDO-OS A INVESTIR NA OCUPAÇÃO E
NO DESENVOLVIMENTO DA AMÉRICA OCUPADA
PELOS PORTUGUESES (1500-1530).
* NO ENTANTO, PARA GARANTIR A POSSE DOS
TERRITÓRIOS NA AMÉRICA AMEAÇADOS POR
INVASÕES ESTRANGEIRAS E POR CAUSA DA
DECADÊNCIA DO COMÉRCIO COM O ORIENTE,
PORTUGAL ORGANIZOU AS PRIMEIRAS
EXPEDIÇÕES COLONIZADORAS
* INICIALMENTE, O EMPREENDIMENTO DE
EXPLORAÇÃO ECONÔMICA DOS PORTUGUESES
NA AMÉRICA FOI A EXTRAÇÃO DO PAU-BRASIL.
* DO PAU-BRASIL SE EXTRAÍA CORANTE QUE
SERVIA PARA TINGIR TECIDO.
* ALÉM DISSO, O PAU-BRASIL SERVIA PARA A
FABRICAÇÃO DE MÓVEIS E NAVIOS.
* A EXTRAÇÃO DO PAU-BRASIL ERA FEITA
MEDIANTE UMA CONCESSÃO PARA
PARTICULARES.
* ERA NECESSÁRIO IMPLANTAR UM SISTEMA DE
FEITORIAS ( ARMAZÉNS FORTIFICADOS ONDE
ERAM GUARDADAS A MADEIRA.
* O ESCAMBO ERA A MANEIRA UTILIZADA PARA
ASSEGURAR O TRABALHO INDÍGENA NA
EXTRAÇÃO DA MADEIRA.
* EM 1530 PORTUGAL ENVIOU A EXPEDIÇÃO DE
MARTIM AFONSO DE SOUZA. ELE DEVERIA
PROTEGER O LITORAL, FUNDAR VILAS E
FORTIFICAÇÕES E INICIAR O CULTIVO DA CANA.
* EM 1532 MARTIM AFONSO FUNDOU A
PRIMEIRA VILA DO BRASIL: SÃO VICENTE.
MARTIM AFONSO DE SOUZA
EM 1534 A COROA PORTUGUESA CRIOU O SISTEMA DE
CAPITANIAS HERDITÁRIAS. O BRASIL FOI DIVIDIDO EM 15
EXTENSAS FAIXAS DE TERRA E ENTREGUES A
PORTUGUESES (CAPITÃES DONATÁRIOS).
ESSES NOBRES NÃO ERAM DONOS DA TERRA, POSSUÍAM
APENAS UMA POSSE LIMITADA. NO ENTANTO TINHAM
AMPLOS DIREITOS JURÍDICOS E MILITARES.
A CARTA DE SESMARIA DAVA AO COLONO GRANDES
PROPRIEDADES DE TERRA (SESMARIA) DENTRO DAS
CAPITANIAS. ISSO FOI O INÍCIO DO LATIFÚNDIO NO
BRASIL.
O SISTEMA DE CAPITANIAS HEREDITÁRIAS
FRACASSOU PELOS SEGUINTE MOTIVOS:
1. FALTA DE RECURSOS FINANCEIROS
2. A INEXPERIÊNCIA DE ALGUNS DONATÁRIOS
3. O PRECÁRIO SISTEMA DE TRANSPORTES E DE
COMUNICAÇÃO
4. A HOSTILIDADE ENTRE PORTUGUESES E
ÍNDIGENAS.
O GOVERNO-GERAL
FOI MAIS UMA TENTAIVA DE PORTUGAL PARA
ORGANIZAR A COLONIZAÇÃO NO BRASIL.
O OBJETIVO ERA CENTRALIZAR O PODER NA
COLÔNIA.
TOMÉ DE SOUZA FOI O PRIMEIRO GOVERNADOR-
GERAL.
OS GOVERNADORES INCENTIVARAM A
CONSTRUÇÃO DE ENGENHOS, COMBATERAM A
PIRATARIA E PROMOVERAM A ACULTURAÇÃO DOS
INDÍOS.
* A CÂMARA MUNICIPAL ERA O RESPONSÁVEL
REGULAÇÃO DAS FEIRAS E DOS MERCADOS,
EXECUÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS, LIMPEZA
URBANA E ARBORIZAÇÃO E A REGULAÇÃO DOS
OFÍCIOS E DO COMÉRCIO.
* OS “HOMENS BONS” ERAM OS
PROPRIETÁRIOS DE TERRA E ESCRAVOS QUE
TINHAM PLENA PARTICIPAÇÃO POLÍTICA.
(UFSM-RS) "Esta terra, Senhor, é muito chã e muito formosa.
Nela não podemos saber se haja ouro, nem prata, nem coisa
alguma de metal; porém, a terra em si é de muitos bons ares
(...) querendo aproveitar dar-se-á nela tudo (...)". Esse trecho
é parte da carta que Pero Vaz de Caminha escreveu, em 1500,
ao rei de Portugal, com informações sobre o Brasil. Com base
no texto, é correto afirmar:
a) Havia a intenção de colonizar imediatamente a terra,
retirando os bens exportáveis para atender o mercado
internacional.
b) Iniciava-se o processo de ocupação da terra, circunscrito
aos limites do mercantilismo industrial e colonial.
c) Desde o princípio, os portugueses procuraram escravizar os
povos indígenas a fim de encontrarem os metais preciosos.
d) Estava evidente o interesse em explorar a terra nos moldes
do mercantilismo.
e) Era preponderante a intenção de estabelecer a agricultura
com o trabalho livre e familiar no Brasil.
(UNIRIO-RJ) O início da colonização portuguesa no
Brasil, no chamado período "pré-colonial" (1500 -
1530), foi marcado pelo(a):
a) envio de expedições exploratórias do litoral e
pelo escambo do pau-brasil.
b) plantio e exploração do pau-brasil, associado ao
tráfico africano.
c) deslocamento, para a América, da estrutura
administrativa e militar já experimentada no
Oriente.
d) fixação de grupos missionários de várias Ordens
Religiosas para catequizar os indígenas.
e) implantação da lavoura canavieira, apoiada em
capitais holandeses.
(UECE) "A armada de Martim Afonso de Sousa, que deveria deixar
Lisboa a 3 de dezembro de 1531, vinha com poderes extensíssimos, se
comparados aos das expedições anteriores, mas tinha como finalidade
principal desenvolver a exploração e limpeza da costa, infestada, ainda
e cada vez mais, pela atividade dos comerciantes intrusos."
(HOLANDA, Sérgio Buarque de. "As Primeiras Expedições." in: HOLANDA, Sérgio Buarque de. (org)
HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA. Tomo I, Volume 1. São Paulo: DIFEL, 1960. p. 93.)
Com base nesta citação, assinale a alternativa que indica corretamente
os principais objetivos das primeiras expedições portuguesas às novas
terras descobertas na América:
a) expulsar os contrabandistas de pau-brasil e combater os holandeses
instalados em Pernambuco
b) garantir as terras brasileiras para Portugal, nos termos do Tratado de
Tordesilhas, e expulsar os invasores estrangeiros
c) instalar núcleos de colonização estável, baseados na pequena
indústria familiar, e escravizar os indígenas
d) estabelecer contatos pacíficos com as civilizações indígenas locais e
combater os invasores franceses na Bahia.
(ENEM) Jean de Léry viveu na França na segunda metade do século XVI, época
em que as chamadas guerras de religião opuseram católicos e protestantes.
No texto a seguir, ele relata o cerco da cidade de Sancerre por tropas
católicas. (...) desde que os canhões começaram a atirar sobre nós com maior
freqüência, tornou-se necessário que todos dormissem nas casernas. Eu logo
providenciei para mim um leito feito de um lençol atado pelas suas duas
pontas e assim fiquei suspenso no ar, à maneira dos selvagens americanos
(entre os quais eu estive durante dez meses) o que foi imediatamente imitado
por todos os nossos soldados. De tal maneira que a caserna logo ficou cheia
deles. Aqueles que dormiram assim puderam confirmar o quanto esta
maneira é apropriada tanto para evitar os vermes quanto para manter as
roupas limpas (...). Neste texto, Jean de Léry:
a) despreza a cultura e rejeita o patrimônio dos indígenas americanos.
b) revela-se constrangido por ter de recorrer a um invento de "selvagens".
c) reconhece a superioridade das sociedades indígenas americanas com
relação aos europeus.
d) valoriza o patrimônio cultural dos indígenas americanos, adaptando-o às
suas necessidades.
e) valoriza os costumes dos indígenas americanos porque eles também eram
perseguidos pelos católicos.
(ENEM) Em geral, os nossos tupinambás ficaram bem admirados ao ver os
franceses e os outros dos países longínquos terem tanto trabalho para buscar
o seu arabotã, isto é, pau-brasil. Houve uma vez um ancião da tribo que me
fez esta pergunta: “Por que vindes vós outros, mairs e perós (franceses e
portugueses), buscar lenha de tão longe para vos aquecer? Não tendes
madeira em vossa terra?”
(LÉRY, J. Viagem à Terra do Brasil. In: FERNANDES, F. Mudanças Sociais no
Brasil. São Paulo: Difel, 1974.)
O viajante francês Jean de Léry (1534-1611) reproduz um diálogo travado, em
1557, com um ancião tupinambá, o qual demonstra uma diferença entre a
sociedade europeia e a indígena no sentido:
a) do destino dado ao produto do trabalho nos seus sistemas culturais.
b) da preocupação com a preservação dos recursos ambientais.
c) do interesse de ambas em uma exploração comercial mais lucrativa do pau-
brasil.
d) da curiosidade, reverência e abertura cultural recíprocas.
e) da preocupação com o armazenamento de madeira para os períodos de
inverno.
(UFC) Nos primórdios do sistema colonial, as concessões de terras efetuadas
pela Metrópole Portuguesa visaram tanto a ocupação e o povoamento como
a organização da produção do açúcar, com fins comerciais.
Assinale a alternativa correta sobre as medidas que a Coroa Portuguesa
adotou para atingir esses objetivos:
a) Dividiu o território em capitanias hereditárias, cedidas aos donatários, que,
por sua vez, distribuíram as terras em sesmarias a homens de posses que as
demandaram.
b) Vendeu as terras brasileiras a senhores de engenho já experientes que
garantiriam uma produção crescente de açúcar.
c) Dividiu o território em Governações Vitalícias, cujos governadores
distribuíram aterra entre os colonos portugueses.
d) Armou fortemente os colonos para que pudessem defender o território e
regulamentou um uso equânime e igualitário da terra entre colonos e índios
aliados.
e) Distribuiu a terra do litoral entre os mais valentes conquistadores e criou
engenhos centrais que garantissem a moenda das safras de açúcar durante o
ano inteiro.
(Cesgranrio) O início da colonização portuguesa no Brasil, no chamado
período "pré-colonial" (1500-1530), foi marcado pelo(a):
a) envio de expedições exploratórias do litoral e pelo escambo do pau-
brasil;
b) plantio e exploração do pau-brasil, associado ao tráfico africano.
c) deslocamento, para a América, da estrutura administrativa e militar
já experimentada no Oriente;
d) fixação de grupos missionários de várias ordens religiosas para
catequizar os indígenas;
e) implantação da lavoura canavieira, apoiada em capitais holandeses.
A descoberta do Brasil não alterou os rumos da expansão portuguesa
voltada prioritariamente para o Oriente, o que explica as
características dos primeiros anos da colonização brasileira, entre as
quais se inclui o (a):
a) caráter militar da ocupação, visando à defesa das rotas atlânticas;
b) escambo com os indígenas, garantindo o baixo custo da exploração;
c) abertura das atividades extrativas da colônia a comerciantes das
outras potências europeias;
d) migração imediata de expressivos contingentes de europeus e
africanos para a ocupação do território;
e) exploração sistemática do interior do continente em busca de
metais preciosos.
(Fuvest-SP) Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do
processo colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em
preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. A acreditar nos
viajantes e missionários, a partir de meados do século XVI, há um
decréscimo da população indígena, que se agrava nos séculos
seguintes. Os fatores que mais contribuíram para o citado decréscimo
foram:
a) a captura e a venda do índio para o trabalho nas minas de prata do
Potosí.
b) as guerras permanentes entre as tribos indígenas e entre índios e
brancos.
c) o canibalismo, o sentido mítico das práticas rituais, o espírito
sanguinário, cruel e vingativo dos naturais.
d) as missões jesuíticas do vale amazônico e a exploração do trabalho
indígena na extração da borracha.
e) as epidemias introduzidas pelo invasor europeu e a escravidão dos
índios.
(UNISO) Durante a maior parte do período colonial a
participação nas câmaras das vilas era uma prerrogativa
dos chamados "homens bons", excluindo-se desse
privilégio os outros integrantes da sociedade. A expressão
"homem bom" dizia respeito a:
a) homens que recebiam a concessão da Coroa
portuguesa para explorar minas de ouro e de diamantes;
b) senhores de engenho e proprietários de escravos;
c) funcionários nomeados pela Coroa portuguesa para
exercerem altos cargos administrativos na colônia;
d) homens considerados de bom caráter,
independentemente do cargo ou da função que exerciam
na colônia.
(Fatec) Dentre as características gerais do período pré-colonizador
destaca-se
a) o grande interesse pela terra, pois as comunidades primitivas do
nosso litoral produziam excedentes comercializados pela burguesia
mercantil portuguesa.
b) o extermínio de tribos e a escravização dos nativos, efeitos diretos
da ocupação com base na grande lavoura.
c) a montagem de estabelecimentos provisórios em diferentes pontos
da costa, onde eram amontoadas as toras de pau-brasil, para serem
enviadas à Europa.
d) a distribuição de lotes de terras a fidalgos e funcionários do Estado
português, copiando-se a experiência realizada em ilhas do Atlântico.
e) a implantação da agro-manufatura açucareira, iniciada com
construção do Engenho do Senhor Governador, em 1533, em São
Vicente.
(Pucrs ) Responder à questão sobre o período pré-colonial brasileiro, com
base no texto a seguir:
"... Da primeira vez que viestes aqui, vós o fizestes somente para
traficar. (...) Não recusáveis tomar nossas filhas e nós nos julgávamos felizes
quando elas tinham filhos. Nessa época, não faláveis em aqui vos fixar.
Apenas vos contentáveis com visitar-nos uma vez por ano, permanecendo,
entre nós, somente durante quatro ou cinco luas [meses]. Regressáveis então
ao vosso país, levando os nossos gêneros para trocá-los com aquilo que
carecíamos."
(MAESTRI, Mário. "Terra do Brasil: a conquista lusitana e o genocídio
tupinambá". São Paulo: Moderna, 1993, p.86)
O texto anterior faz alusão ao comércio que marcou o período pré-colonial
brasileiro conhecido por
a) mita.
b) escambo.
c) encomienda.
d) mercantilismo.
e) corvéia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
Marilia Pimentel
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
Edenilson Morais
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti
historiando
 
República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)
eiprofessor
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
8 2º reinado
8  2º reinado8  2º reinado
8 2º reinado
José Augusto Fiorin
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 
Crise do Império - Proclamação da República
Crise do Império - Proclamação da RepúblicaCrise do Império - Proclamação da República
Crise do Império - Proclamação da República
UFMT Universidade Federal de Mato Grosso
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Douglas Barraqui
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
isameucci
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
Edenilson Morais
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado moderno
Ramiro Bicca
 
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
Diego Bian Filo Moreira
 
Uniao iberica slide
Uniao iberica slideUniao iberica slide
Uniao iberica slide
Isabel Aguiar
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
joana71
 
O declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoO declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio Romano
Janayna Lira
 
As missões jesuíticas
As missões jesuíticasAs missões jesuíticas
As missões jesuíticas
lyslley
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Escola Modelo de Iguatu
 

Mais procurados (20)

Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti
 
República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
8 2º reinado
8  2º reinado8  2º reinado
8 2º reinado
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 
Crise do Império - Proclamação da República
Crise do Império - Proclamação da RepúblicaCrise do Império - Proclamação da República
Crise do Império - Proclamação da República
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado moderno
 
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 
Uniao iberica slide
Uniao iberica slideUniao iberica slide
Uniao iberica slide
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
 
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
Brasil - Primeira república
 
America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
 
O declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoO declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio Romano
 
As missões jesuíticas
As missões jesuíticasAs missões jesuíticas
As missões jesuíticas
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
 

Destaque

A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.
A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.
A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.
euricomarkes
 
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesaCapítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
Vitor Ferreira
 
{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.
Julia Maldonado Garcia
 
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia   2º ano - economia inv.holandesaBrasil colônia   2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Marilia Pimentel
 
Colonizacao inglesa e francesa
Colonizacao inglesa e francesaColonizacao inglesa e francesa
Colonizacao inglesa e francesa
Carlos Zaranza
 
Religião e sociedade na América Portuguesa
Religião e sociedade na América PortuguesaReligião e sociedade na América Portuguesa
Religião e sociedade na América Portuguesa
Viviane Dilkin Endler
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
Claudenilson da Silva
 
Sociedade e vida cotidiana na américa portuguesa
Sociedade e vida cotidiana na américa portuguesaSociedade e vida cotidiana na américa portuguesa
Sociedade e vida cotidiana na américa portuguesa
Edenilson Morais
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
Isabel Aguiar
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
Isabel Aguiar
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
Isabel Aguiar
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
Isabel Aguiar
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
Isabel Aguiar
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
Isabel Aguiar
 

Destaque (20)

A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.
A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.
A economia na América portuguesa e o Brasil holandês.
 
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesaCapítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
 
{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.
 
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia   2º ano - economia inv.holandesaBrasil colônia   2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
 
Colonizacao inglesa e francesa
Colonizacao inglesa e francesaColonizacao inglesa e francesa
Colonizacao inglesa e francesa
 
Religião e sociedade na América Portuguesa
Religião e sociedade na América PortuguesaReligião e sociedade na América Portuguesa
Religião e sociedade na América Portuguesa
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
 
Sociedade e vida cotidiana na américa portuguesa
Sociedade e vida cotidiana na américa portuguesaSociedade e vida cotidiana na américa portuguesa
Sociedade e vida cotidiana na américa portuguesa
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
 

Semelhante a Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa

HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
Sheila Soarte
 
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioUnidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Anabela Sobral
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
erivonaldo
 
BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA
BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA
BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA
Diego Bian Filo Moreira
 
Conquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptx
Conquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptxConquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptx
Conquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptx
Ulliane1
 
15 história rafael - américa portuguesa
15 história   rafael  - américa portuguesa15 história   rafael  - américa portuguesa
15 história rafael - américa portuguesa
Rafael Noronha
 
15 história rafael - américa portuguesa
15 história   rafael  - américa portuguesa15 história   rafael  - américa portuguesa
15 história rafael - américa portuguesa
Rafael Noronha
 
Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.
Jose Ribamar Santos
 
Lista de exercícios - 1º semestre
Lista de exercícios - 1º semestreLista de exercícios - 1º semestre
Lista de exercícios - 1º semestre
Felipe Vaitsman
 
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
FabioGuimaraes10
 
o brasil flamenguista
o brasil flamenguistao brasil flamenguista
o brasil flamenguista
RegisdeSouzaMaxtarc
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
Allan Almeida de Araújo
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
AEDFL
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
RaphaelFerreira926156
 
CorrecçãO Ficha
CorrecçãO FichaCorrecçãO Ficha
CorrecçãO Ficha
Hist8
 
Revisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora JulianaRevisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora Juliana
ProfessoraJu
 
Descobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdfDescobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdf
HistriasdoMarko
 
Colonização do brasil
Colonização do brasilColonização do brasil
Colonização do brasil
Jose Ribamar Santos
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
eebcjn
 
Atividade 11 colegial
Atividade 11 colegialAtividade 11 colegial
Atividade 11 colegial
Elisângela Martins Rodrigues
 

Semelhante a Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa (20)

HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
 
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioUnidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
 
BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA
BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA
BRASIL 02 - BRASIL COLÔNIA
 
Conquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptx
Conquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptxConquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptx
Conquista e colonização da América portuguesa -ENS. MÉDIO.pptx
 
15 história rafael - américa portuguesa
15 história   rafael  - américa portuguesa15 história   rafael  - américa portuguesa
15 história rafael - américa portuguesa
 
15 história rafael - américa portuguesa
15 história   rafael  - américa portuguesa15 história   rafael  - américa portuguesa
15 história rafael - américa portuguesa
 
Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.
 
Lista de exercícios - 1º semestre
Lista de exercícios - 1º semestreLista de exercícios - 1º semestre
Lista de exercícios - 1º semestre
 
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
 
o brasil flamenguista
o brasil flamenguistao brasil flamenguista
o brasil flamenguista
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
CorrecçãO Ficha
CorrecçãO FichaCorrecçãO Ficha
CorrecçãO Ficha
 
Revisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora JulianaRevisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora Juliana
 
Descobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdfDescobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdf
 
Colonização do brasil
Colonização do brasilColonização do brasil
Colonização do brasil
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
 
Atividade 11 colegial
Atividade 11 colegialAtividade 11 colegial
Atividade 11 colegial
 

Mais de Vitor Ferreira

O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
Vitor Ferreira
 
O congresso de viena
O congresso de vienaO congresso de viena
O congresso de viena
Vitor Ferreira
 
O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
Vitor Ferreira
 
Conjurações coloniais
Conjurações coloniaisConjurações coloniais
Conjurações coloniais
Vitor Ferreira
 
O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)
Vitor Ferreira
 
A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)
Vitor Ferreira
 
A expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesaA expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesa
Vitor Ferreira
 
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesaQuarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Vitor Ferreira
 
As culturas indígenas da america
As culturas indígenas da americaAs culturas indígenas da america
As culturas indígenas da america
Vitor Ferreira
 
3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa
Vitor Ferreira
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Vitor Ferreira
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Vitor Ferreira
 
Primeira aula 1 ano 2014
Primeira aula 1 ano 2014Primeira aula 1 ano 2014
Primeira aula 1 ano 2014
Vitor Ferreira
 
Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014
Vitor Ferreira
 

Mais de Vitor Ferreira (14)

O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
 
O congresso de viena
O congresso de vienaO congresso de viena
O congresso de viena
 
O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
 
Conjurações coloniais
Conjurações coloniaisConjurações coloniais
Conjurações coloniais
 
O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)
 
A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)
 
A expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesaA expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesa
 
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesaQuarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
 
As culturas indígenas da america
As culturas indígenas da americaAs culturas indígenas da america
As culturas indígenas da america
 
3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
 
Primeira aula 1 ano 2014
Primeira aula 1 ano 2014Primeira aula 1 ano 2014
Primeira aula 1 ano 2014
 
Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014
 

Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa

  • 2. O BRASIL FOI “DESCOBERTO” POR PORTUGAL EM 1500. PEDRO ÁLVARES CABRAL É CONSIDERADO O “DESCOBRIDOR” DO BRASIL. NA VERDADE, PORTUGAL ESTAVA INTERESSADO EM CONQUISTAR TERRAS NA AMÉRICA, POR CAUSA DAS NOTÍCIAS DAS DESCOBERTAS ESPANHOLAS A PARTIR DE 1492. A CARTA DE CAMINHA (PERO VAZ DE CAMINHA) É O DOCUMENTO OFICIAL DO DESCOBRIMENTO.
  • 3. TRECHOS DA CARTA DE CAMINHA SOBRE OS ÍNDIOS “A pele deles é parda e um pouco avermelhada. Têm rostos e narizes bem feitos. Andam nus, sem cobertura alguma. Nem se preocupam em cobrir ou deixar de cobrir suas vergonhas mais do se que preocupariam em mostrar o rosto. E a esse respeito são bastante inocentes. Os cabelos deles são lisos. E os usavam cortados e raspados até acima das orelhas.”
  • 4. SOBRE AS ÍNDIAS Ali andavam entre eles três ou quatro moças, bem novinhas e gentis, com cabelos muito pretos e compridos pelas costas; e suas vergonhas, tão altas e tão cerradinhas e tão limpas das cabeleiras que, de as nós muito bem olharmos, não se envergonhavam. E uma daquelas moças era toda tingida de baixo a cima, daquela tintura e certo era tão bem feita e tão redonda, e sua vergonha tão graciosa que a muitas mulheres de nossa terra, vendo-lhe tais feições envergonhara, por não terem as suas como ela.
  • 5. SOBRE A TERRA E O INTERESSE EXPLORATÓRIO “De ponta a ponta é toda praia... muito chã e muito formosa. Até agora não pudemos saber se há ouro ou prata nela, ou outra coisa de metal, ou ferro; nem lha vimos. Contudo a terra em si é de muito bons ares frescos e temperados. Águas são muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo; por causa das águas que tem!”
  • 6. * APÓS A CHEGADA DE CABRAL (1500), PORTUGAL NÃO SE INTERESSOU DE IMEDIATO EM COLONIZAR O BRASIL. * OS PORTUGUESES ESTAVAM MAIS INTERESSADOS NO COMÉRCIO DAS ESPECIARIAS DO ORIENTE. * O BRASIL NÃO APRESENTOU, DE IMEDIATO, RIQUEZAS MINERAIS OU QUALQUER ATRATIVO QUE LEVASSEM OS PORTUGUESES A OCUPAR DE FATO O BRASIL
  • 8.
  • 9.
  • 10. * O REI DE PORTUGAL DEIXOU A ATIVIDADE DE POVOAMENTO A PARTICULARES, INCENTIVANDO-OS A INVESTIR NA OCUPAÇÃO E NO DESENVOLVIMENTO DA AMÉRICA OCUPADA PELOS PORTUGUESES (1500-1530). * NO ENTANTO, PARA GARANTIR A POSSE DOS TERRITÓRIOS NA AMÉRICA AMEAÇADOS POR INVASÕES ESTRANGEIRAS E POR CAUSA DA DECADÊNCIA DO COMÉRCIO COM O ORIENTE, PORTUGAL ORGANIZOU AS PRIMEIRAS EXPEDIÇÕES COLONIZADORAS
  • 11. * INICIALMENTE, O EMPREENDIMENTO DE EXPLORAÇÃO ECONÔMICA DOS PORTUGUESES NA AMÉRICA FOI A EXTRAÇÃO DO PAU-BRASIL. * DO PAU-BRASIL SE EXTRAÍA CORANTE QUE SERVIA PARA TINGIR TECIDO. * ALÉM DISSO, O PAU-BRASIL SERVIA PARA A FABRICAÇÃO DE MÓVEIS E NAVIOS.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. * A EXTRAÇÃO DO PAU-BRASIL ERA FEITA MEDIANTE UMA CONCESSÃO PARA PARTICULARES. * ERA NECESSÁRIO IMPLANTAR UM SISTEMA DE FEITORIAS ( ARMAZÉNS FORTIFICADOS ONDE ERAM GUARDADAS A MADEIRA. * O ESCAMBO ERA A MANEIRA UTILIZADA PARA ASSEGURAR O TRABALHO INDÍGENA NA EXTRAÇÃO DA MADEIRA.
  • 17. * EM 1530 PORTUGAL ENVIOU A EXPEDIÇÃO DE MARTIM AFONSO DE SOUZA. ELE DEVERIA PROTEGER O LITORAL, FUNDAR VILAS E FORTIFICAÇÕES E INICIAR O CULTIVO DA CANA. * EM 1532 MARTIM AFONSO FUNDOU A PRIMEIRA VILA DO BRASIL: SÃO VICENTE.
  • 18.
  • 20. EM 1534 A COROA PORTUGUESA CRIOU O SISTEMA DE CAPITANIAS HERDITÁRIAS. O BRASIL FOI DIVIDIDO EM 15 EXTENSAS FAIXAS DE TERRA E ENTREGUES A PORTUGUESES (CAPITÃES DONATÁRIOS). ESSES NOBRES NÃO ERAM DONOS DA TERRA, POSSUÍAM APENAS UMA POSSE LIMITADA. NO ENTANTO TINHAM AMPLOS DIREITOS JURÍDICOS E MILITARES. A CARTA DE SESMARIA DAVA AO COLONO GRANDES PROPRIEDADES DE TERRA (SESMARIA) DENTRO DAS CAPITANIAS. ISSO FOI O INÍCIO DO LATIFÚNDIO NO BRASIL.
  • 21. O SISTEMA DE CAPITANIAS HEREDITÁRIAS FRACASSOU PELOS SEGUINTE MOTIVOS: 1. FALTA DE RECURSOS FINANCEIROS 2. A INEXPERIÊNCIA DE ALGUNS DONATÁRIOS 3. O PRECÁRIO SISTEMA DE TRANSPORTES E DE COMUNICAÇÃO 4. A HOSTILIDADE ENTRE PORTUGUESES E ÍNDIGENAS.
  • 22.
  • 23. O GOVERNO-GERAL FOI MAIS UMA TENTAIVA DE PORTUGAL PARA ORGANIZAR A COLONIZAÇÃO NO BRASIL. O OBJETIVO ERA CENTRALIZAR O PODER NA COLÔNIA. TOMÉ DE SOUZA FOI O PRIMEIRO GOVERNADOR- GERAL. OS GOVERNADORES INCENTIVARAM A CONSTRUÇÃO DE ENGENHOS, COMBATERAM A PIRATARIA E PROMOVERAM A ACULTURAÇÃO DOS INDÍOS.
  • 24.
  • 25.
  • 26. * A CÂMARA MUNICIPAL ERA O RESPONSÁVEL REGULAÇÃO DAS FEIRAS E DOS MERCADOS, EXECUÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS, LIMPEZA URBANA E ARBORIZAÇÃO E A REGULAÇÃO DOS OFÍCIOS E DO COMÉRCIO. * OS “HOMENS BONS” ERAM OS PROPRIETÁRIOS DE TERRA E ESCRAVOS QUE TINHAM PLENA PARTICIPAÇÃO POLÍTICA.
  • 27.
  • 28.
  • 29. (UFSM-RS) "Esta terra, Senhor, é muito chã e muito formosa. Nela não podemos saber se haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal; porém, a terra em si é de muitos bons ares (...) querendo aproveitar dar-se-á nela tudo (...)". Esse trecho é parte da carta que Pero Vaz de Caminha escreveu, em 1500, ao rei de Portugal, com informações sobre o Brasil. Com base no texto, é correto afirmar: a) Havia a intenção de colonizar imediatamente a terra, retirando os bens exportáveis para atender o mercado internacional. b) Iniciava-se o processo de ocupação da terra, circunscrito aos limites do mercantilismo industrial e colonial. c) Desde o princípio, os portugueses procuraram escravizar os povos indígenas a fim de encontrarem os metais preciosos. d) Estava evidente o interesse em explorar a terra nos moldes do mercantilismo. e) Era preponderante a intenção de estabelecer a agricultura com o trabalho livre e familiar no Brasil.
  • 30. (UNIRIO-RJ) O início da colonização portuguesa no Brasil, no chamado período "pré-colonial" (1500 - 1530), foi marcado pelo(a): a) envio de expedições exploratórias do litoral e pelo escambo do pau-brasil. b) plantio e exploração do pau-brasil, associado ao tráfico africano. c) deslocamento, para a América, da estrutura administrativa e militar já experimentada no Oriente. d) fixação de grupos missionários de várias Ordens Religiosas para catequizar os indígenas. e) implantação da lavoura canavieira, apoiada em capitais holandeses.
  • 31. (UECE) "A armada de Martim Afonso de Sousa, que deveria deixar Lisboa a 3 de dezembro de 1531, vinha com poderes extensíssimos, se comparados aos das expedições anteriores, mas tinha como finalidade principal desenvolver a exploração e limpeza da costa, infestada, ainda e cada vez mais, pela atividade dos comerciantes intrusos." (HOLANDA, Sérgio Buarque de. "As Primeiras Expedições." in: HOLANDA, Sérgio Buarque de. (org) HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA. Tomo I, Volume 1. São Paulo: DIFEL, 1960. p. 93.) Com base nesta citação, assinale a alternativa que indica corretamente os principais objetivos das primeiras expedições portuguesas às novas terras descobertas na América: a) expulsar os contrabandistas de pau-brasil e combater os holandeses instalados em Pernambuco b) garantir as terras brasileiras para Portugal, nos termos do Tratado de Tordesilhas, e expulsar os invasores estrangeiros c) instalar núcleos de colonização estável, baseados na pequena indústria familiar, e escravizar os indígenas d) estabelecer contatos pacíficos com as civilizações indígenas locais e combater os invasores franceses na Bahia.
  • 32. (ENEM) Jean de Léry viveu na França na segunda metade do século XVI, época em que as chamadas guerras de religião opuseram católicos e protestantes. No texto a seguir, ele relata o cerco da cidade de Sancerre por tropas católicas. (...) desde que os canhões começaram a atirar sobre nós com maior freqüência, tornou-se necessário que todos dormissem nas casernas. Eu logo providenciei para mim um leito feito de um lençol atado pelas suas duas pontas e assim fiquei suspenso no ar, à maneira dos selvagens americanos (entre os quais eu estive durante dez meses) o que foi imediatamente imitado por todos os nossos soldados. De tal maneira que a caserna logo ficou cheia deles. Aqueles que dormiram assim puderam confirmar o quanto esta maneira é apropriada tanto para evitar os vermes quanto para manter as roupas limpas (...). Neste texto, Jean de Léry: a) despreza a cultura e rejeita o patrimônio dos indígenas americanos. b) revela-se constrangido por ter de recorrer a um invento de "selvagens". c) reconhece a superioridade das sociedades indígenas americanas com relação aos europeus. d) valoriza o patrimônio cultural dos indígenas americanos, adaptando-o às suas necessidades. e) valoriza os costumes dos indígenas americanos porque eles também eram perseguidos pelos católicos.
  • 33. (ENEM) Em geral, os nossos tupinambás ficaram bem admirados ao ver os franceses e os outros dos países longínquos terem tanto trabalho para buscar o seu arabotã, isto é, pau-brasil. Houve uma vez um ancião da tribo que me fez esta pergunta: “Por que vindes vós outros, mairs e perós (franceses e portugueses), buscar lenha de tão longe para vos aquecer? Não tendes madeira em vossa terra?” (LÉRY, J. Viagem à Terra do Brasil. In: FERNANDES, F. Mudanças Sociais no Brasil. São Paulo: Difel, 1974.) O viajante francês Jean de Léry (1534-1611) reproduz um diálogo travado, em 1557, com um ancião tupinambá, o qual demonstra uma diferença entre a sociedade europeia e a indígena no sentido: a) do destino dado ao produto do trabalho nos seus sistemas culturais. b) da preocupação com a preservação dos recursos ambientais. c) do interesse de ambas em uma exploração comercial mais lucrativa do pau- brasil. d) da curiosidade, reverência e abertura cultural recíprocas. e) da preocupação com o armazenamento de madeira para os períodos de inverno.
  • 34. (UFC) Nos primórdios do sistema colonial, as concessões de terras efetuadas pela Metrópole Portuguesa visaram tanto a ocupação e o povoamento como a organização da produção do açúcar, com fins comerciais. Assinale a alternativa correta sobre as medidas que a Coroa Portuguesa adotou para atingir esses objetivos: a) Dividiu o território em capitanias hereditárias, cedidas aos donatários, que, por sua vez, distribuíram as terras em sesmarias a homens de posses que as demandaram. b) Vendeu as terras brasileiras a senhores de engenho já experientes que garantiriam uma produção crescente de açúcar. c) Dividiu o território em Governações Vitalícias, cujos governadores distribuíram aterra entre os colonos portugueses. d) Armou fortemente os colonos para que pudessem defender o território e regulamentou um uso equânime e igualitário da terra entre colonos e índios aliados. e) Distribuiu a terra do litoral entre os mais valentes conquistadores e criou engenhos centrais que garantissem a moenda das safras de açúcar durante o ano inteiro.
  • 35. (Cesgranrio) O início da colonização portuguesa no Brasil, no chamado período "pré-colonial" (1500-1530), foi marcado pelo(a): a) envio de expedições exploratórias do litoral e pelo escambo do pau- brasil; b) plantio e exploração do pau-brasil, associado ao tráfico africano. c) deslocamento, para a América, da estrutura administrativa e militar já experimentada no Oriente; d) fixação de grupos missionários de várias ordens religiosas para catequizar os indígenas; e) implantação da lavoura canavieira, apoiada em capitais holandeses.
  • 36. A descoberta do Brasil não alterou os rumos da expansão portuguesa voltada prioritariamente para o Oriente, o que explica as características dos primeiros anos da colonização brasileira, entre as quais se inclui o (a): a) caráter militar da ocupação, visando à defesa das rotas atlânticas; b) escambo com os indígenas, garantindo o baixo custo da exploração; c) abertura das atividades extrativas da colônia a comerciantes das outras potências europeias; d) migração imediata de expressivos contingentes de europeus e africanos para a ocupação do território; e) exploração sistemática do interior do continente em busca de metais preciosos.
  • 37. (Fuvest-SP) Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do processo colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. A acreditar nos viajantes e missionários, a partir de meados do século XVI, há um decréscimo da população indígena, que se agrava nos séculos seguintes. Os fatores que mais contribuíram para o citado decréscimo foram: a) a captura e a venda do índio para o trabalho nas minas de prata do Potosí. b) as guerras permanentes entre as tribos indígenas e entre índios e brancos. c) o canibalismo, o sentido mítico das práticas rituais, o espírito sanguinário, cruel e vingativo dos naturais. d) as missões jesuíticas do vale amazônico e a exploração do trabalho indígena na extração da borracha. e) as epidemias introduzidas pelo invasor europeu e a escravidão dos índios.
  • 38. (UNISO) Durante a maior parte do período colonial a participação nas câmaras das vilas era uma prerrogativa dos chamados "homens bons", excluindo-se desse privilégio os outros integrantes da sociedade. A expressão "homem bom" dizia respeito a: a) homens que recebiam a concessão da Coroa portuguesa para explorar minas de ouro e de diamantes; b) senhores de engenho e proprietários de escravos; c) funcionários nomeados pela Coroa portuguesa para exercerem altos cargos administrativos na colônia; d) homens considerados de bom caráter, independentemente do cargo ou da função que exerciam na colônia.
  • 39. (Fatec) Dentre as características gerais do período pré-colonizador destaca-se a) o grande interesse pela terra, pois as comunidades primitivas do nosso litoral produziam excedentes comercializados pela burguesia mercantil portuguesa. b) o extermínio de tribos e a escravização dos nativos, efeitos diretos da ocupação com base na grande lavoura. c) a montagem de estabelecimentos provisórios em diferentes pontos da costa, onde eram amontoadas as toras de pau-brasil, para serem enviadas à Europa. d) a distribuição de lotes de terras a fidalgos e funcionários do Estado português, copiando-se a experiência realizada em ilhas do Atlântico. e) a implantação da agro-manufatura açucareira, iniciada com construção do Engenho do Senhor Governador, em 1533, em São Vicente.
  • 40. (Pucrs ) Responder à questão sobre o período pré-colonial brasileiro, com base no texto a seguir: "... Da primeira vez que viestes aqui, vós o fizestes somente para traficar. (...) Não recusáveis tomar nossas filhas e nós nos julgávamos felizes quando elas tinham filhos. Nessa época, não faláveis em aqui vos fixar. Apenas vos contentáveis com visitar-nos uma vez por ano, permanecendo, entre nós, somente durante quatro ou cinco luas [meses]. Regressáveis então ao vosso país, levando os nossos gêneros para trocá-los com aquilo que carecíamos." (MAESTRI, Mário. "Terra do Brasil: a conquista lusitana e o genocídio tupinambá". São Paulo: Moderna, 1993, p.86) O texto anterior faz alusão ao comércio que marcou o período pré-colonial brasileiro conhecido por a) mita. b) escambo. c) encomienda. d) mercantilismo. e) corvéia.